Você está na página 1de 7

Probabilidade

A história da teoria das probabilidades, teve início com os jogos de cartas, dados
e de roleta. Esse é o motivo da grande existência de exemplos de jogos de azar
no estudo da probabilidade, com ela, é possível calcular a chance de determinado
evento ocorrer.

Conceito Básico

A primeira definição matemática formal da probabilidade de um evento foi


baseada em simetria, sendo expressa como a razão entre o número de casos
favoráveis a tal evento e o número total de casos possíveis. O modo tradicional de
se expressar isso é através da equação dada por:

Número de casos favoráveis


Probabilidade =
Número de casos possíveis

Tendo em vista que a quantidade de eventos favoráveis pode variar apenas entre
"nenhum evento" e "todos os eventos", a probabilidade de um dado evento é
sempre um número entre 0 e 1, ou seja, pode variar somente entre 0 e 100%.

Experimento aleatório

Os experimentos aleatórios constituem situações onde os acontecimentos


possuem variabilidade de ocorrência, isto é, o mesmo experimento pode ter vários
resultados diferentes, por exemplo, no caso da afirmação “é possível que o me
time ganhe a partida hoje” pode resultar:

1. que apesar do favoritismo, ele perca;


2. que como pensamos, ele ganhe;
3. que empate;

Outros exemplos seriam os seis resultados aleatórios possíveis do lançamento de


um dado ou o sorteio de um número entre 1 e 100, não teremos a certeza de qual
número será sorteado, podemos ter várias ocorrências de resultados. Essas
variações de resultados dentro de uma mesma situação são características dos
experimentos aleatórios.

Experimentos ou fenômenos aleatórios são aqueles que, mesmo repetidos


várias vezes sob condições semelhantes, apresentam resultados imprevisíveis.

Espaço amostral

É o conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório,


também denominado conjunto universo e representado por S

No lançamento de um dado, o espaço amostral é igual a 1, 2, 3, 4, 5, 6.


S = {1, 2, 3, 4, 5, 6}
No lançamento de uma moeda podemos ter os seguintes espaços amostrais:
cara, coroa.

S = {Ca, Co}

É com base no espaço amostral que conseguimos calcular as probabilidades de


um fenômeno.

Em alguns experimentos podemos notar a existência de um ou mais espaços


amostrais possíveis, por exemplo, ao retirar uma carta de um baralho com 52
cartas, podemos trabalhar as seguintes possibilidades: o valor da carta no
baralhos, os naipes (ouro, espadas, copas ou paus) e vermelha ou preta.

S = {A, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, Q, J, K}

S = {♠, ♣, ♥, ♦}

S = {vermelho, preto}

Do mesmo modo em dois lançamentos sucessivos de uma moeda, temos o


seguinte espaço amostral:

S = {(Ca, Ca), (Ca, Co), (Co, Ca), (Co, Co)}

Resulta em um espaço amostral composto por quatro elementos.

Cada um dos elementos de S que corresponde a um resultado recebe o nome de


ponto amostral.

2 ∈ S ⇒ é um ponto amostral de S

Evento

Um evento é qualquer subconjunto do espaço amostral S de um experimento


aleatório.

Qualquer que seja E, se E ⊂ S ( E está contido em S), então E é um evento de S.

Se E = S, E é chamado evento certo.


Se E ⊂ S e E é um conjunto unitário, E é chamado evento elementar.
Se E = ∅, E é chamado evento impossível.

Exemplos:

No lançamento de um dado, onde S = {1, 2, 3, 4, 5, 6}, temos;

A = { 2, 3, 6} ⊂ S; logo, A é um evento de S.
B = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⊂ S; logo, B é um evento certo de S (B = S).
C = {5} ⊂ S; logo, C é um evento elementar de S.
D = ∅; ∅ ⊂ S; logo, D é um impossível de S.

Um evento é sempre definido por um sentença, nos casos anteriores temos:

“Obter um número par na face superior”


“Obter um número menor ou igual a seis na face superior”
“Obter o número 5 na face superior”
“Obter um número menor que 1 na face superior”

Dado um experimento aleatório, sendo S o seu espaço amostral, vamos


considerar que todos os elementos de S tenham a mesma chance de ocorrer, ou
seja, que S é um conjunto equiprovável.

Chamamos de probabilidade de um evento A (A ⊂ S) o número real P(A), tal que:

n( A)
P ( A) =
n( S )
onde:

n(A) é o número de elementos de A;


n(S) é o número de elementos de S.

Considerando os exemplos anteriores;

a. S = {Ca, Co} ⇒ n(S) = 2 e A = {Ca} ⇒ n(A) = 1, temos

1
P ( A) =
5

Portanto em lançamento de uma moeda existe 50% de ocorrer cara na face


superior da moeda.

b. S = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(S) = 6 e B = {2, 4, 6} ⇒ n(B) = 3, temos

3 1
P( B) = =
6 2

c. S = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(S) = 6 e C = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(C) = 6, temos

6
P (C ) = =1
6

d. S = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(S) = 6 e D = {5} ⇒ n(D) = 1, temos

1
P( D) =
6

e. S = {1, 2, 3, 4, 5, 6} ⇒ n(S) = 6 e E = ∅ ⇒ n(E) = 0, temos


0
P( E ) = =0
6

Observações:

Sendo n(S)=n, temos:

A probabilidade de um evento certo é igual a 1 ou 100%.

P(S) = 1

A probabilidade do evento impossível é igual a zero:

P( ∅) = 0

A probabilidade de um evento E qualquer (E ⊂ S) é um inteiro real, tal que:

0 ≤ P ( E ) ≤1

A probabilidade de um evento elementar E qualquer, com n(E) 1, é:

1
P( E ) =
n

Eventos complementares

Tomando p como e probabilidade de sucesso de um evento e q como a


probabilidade de insucesso de um mesmo evento, vale a relação:

p+q=1 ⇒ q=1–p

1
A probabilidade de tirar 5 num lançamento de dado é de p = , logo a
6
probabilidade de não tirar 5 é de:

1 5
q =1− =
6 6

Eventos independentes

Dois eventos são independentes quando a realização ou não realização de um


dos eventos não afeta a probabilidade da realização do outro e vice-versa.

Quando lançamos dois dados, o resultado de um independe do resultado do


outro.

A probabilidade de dois eventos independentes ocorrerem simultaneamente e


dada pelo produto das probabilidades de cada evento isoladamente.
p = p1 × p 2

Sendo p1 a probabilidade do primeiro evento e p2 a probabilidade do segundo


evento.

Logo, no lançamento, simultâneo, de dois dados a probabilidade de obtermos 1


em um dos dados e 5 no segundo é de:

1 1 1
p= × =
6 6 36

Eventos mutuamente exclusivos

Dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos quando a realização de um


exclui a realização do(s) outro(s).

No lançamento de uma moeda, o evento “tirar cara” e o evento “tirar coroa” são
mutuamente exclusivos, já que, ao se realizar um deles, o outro não se realiza.

Se dois eventos são mutuamente exclusivos, a probabilidade de que um ou outro


se realize é igual à soma das probabilidades de que cada um deles ocorra.

p = p1 + p 2

Exemplo:

No lançamento de um dado qual a probabilidade de se tirar 3 0u 5:

1 1 2 1
p= + = =
6 6 6 3

Exercícios

1. Qual a probabilidade de sair o às de ouros quando retiramos uma carta de um


baralho de 52 cartas?

2. Qual a probabilidade de sair um rei quando retiramos uma carta de um baralho


de 52 cartas?

3. Em um lote de 12 peças, quatro são defeituosas. Sendo retirada uma peça,


calcule;

a. A probabilidade de essa peça ser defeituosa?


b. A probabilidade de essa peça não ser defeituosa?

4. No lançamento de dois dados, qual é a probabilidade de se obter soma igual a


5?

5. De dois baralhos de 52 cartas retiram-se, simultaneamente, uma carta do


primeiro baralho e uma do segundo. Qual a probabilidade da a carta do primeiro
baralho ser um rei de paus e a do segundo ser 5 de paus?

6. Uma urna A contém: três bolas brancas, quatro pretas, duas verdes; uma urna
B contém: cinco bolas brancas, duas pretas e uma verde; uma urna C contém;
duas bolas brancas, três pretas, quatro verdes. Qual a probabilidade de as três
bolas retiradas, uma de cada urna, serem respectivamente branca, preta e verde?

7. De um baralho de 52 cartas retiram-se, ao acaso, duas cartas sem reposição.


Qual a probabilidade da primeira carta ser ás de paus e a segunda ser o rei de
paus?
8. Qual a probabilidade de sair uma figura quando tiramos uma carta de um
baralho de 52 cartas?

9. Qual a probabilidade de sair uma carta de copas ou de ouros quando retiramos


uma carta deu um baralho de 52 cartas?

10. No lançamento de um dado, qual a probabilidade de se obter um número não


inferior a 5?

11. São dados dois baralhos de 52 cartas. Tiramos, ao mesmo tempo, uma carta
do primeiro baralho e uma carta do segundo. Qual é a probabilidade de tirarmos
uma dama e um rei, não necessariamente nessa ordem?

12. Dois dados são lançados conjuntamente. Determine a probabilidade de a


soma ser 10 ou maior que 10.

Você também pode gostar