Você está na página 1de 6

D E B AT E S : E M E RG E N C I A S

Das relações raciais no Brasil: Entre a emergência de um novo tempo e


a persistência do modelo autoritário
por M
 arcelo Paixão | Instituto de Economia e Laboratório de Análises Econômicas, Históricas, Sociais e Estatísticas das Relações Raciais (LAESER),
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil | mpaixao.laeser@gmail.com

Um prólogo triste: Cabula, 6 de fevereiro superior a 60%2. No estado de São Paulo, Em meados do século passado, as ciências
de 2015 o mais importante do país, entre 2009 e sociais brasileiras acreditavam que as
2011, de um número total de 823 mazelas históricas do país seriam resolvidas
Era uma data próxima ao carnaval, que vitimados pela ação policial, 61% eram com sucessivos ciclos de modernização
começaria na semana seguinte. A cidade de pretos e pardos3 (seguindo as formas de econômica. A política de substituição de
Salvador nesta época costuma ficar classificação de cor ou raça usadas nas importações foi sendo implantada pelo
enfeitada. Milhões de pessoas se preparam estatísticas oficiais brasileiras)4. Embora as Estado brasileiro em meio a um enorme
para os desfiles ao som estridente dos trios fontes de informações oficiais sobre este esforço no sentido da transformação do
elétricos e dos blocos de axé, de afoxé e de tipo de fato não sejam abundantes, a Brasil, de uma nação agroexportadora,
outros ritmos; lídimas expressões da realidade paulista não dista para uma economia industrial7.
cultura de origem africana na Bahia. Mas a fundamentalmente da do resto do Brasil.
madrugada daquele dia abrigaria um fato Quando confrontado com o problema das
tenebroso. assimetrias de cor ou raça, o modelo
Modernização e “democracia racial” desenvolvimentista apontava que o próprio
Alertados por uma denúncia anônima, que processo modernizador, conquanto
teria aventado a possibilidade de um Em geral costuma-se associar as assimetrias portando contradições e impasses pontuais,
assalto contra uma agência bancária na de cor ou raça no Brasil ao distante trataria de resolver os problemas que
madrugada daquele mesmo dia, um passado escravista. De fato, nosso país vinham impedindo a plena assimilação dos
comboio da Polícia Militar (PM) do Estado abriga um triste legado em seu período afrodescendentes à vida nacional8. Por
da Bahia, se dirigiu ao bairro de Cabula, na colonial e imperial; indelevelmente outro lado, tal compreensão era solidária
periferia soteropolitana. Para os padrões maculado pelo signo do regime servil. Tal com a ideologia da “democracia racial”9.
policiais a operação foi bem sucedida. Não como dizia Joaquim Nabuco no seu célebre
houve assalto a agências bancarias. Nem O Abolicionismo, a escravidão — e seus Ao se empregar o termo “democracia
naquele bairro, nem naquele dia. Porém, amplos efeitos econômicos, sociais, racial”, em grossas linhas, entende-se que
desta ação, além de um sargento da PM políticos e culturais — era a marca por na sociedade brasileira não existe o
ferido por um tiro de raspão na cabeça e excelência da identidade nacional5. Talvez racismo, mas, quando muito uma forma
que saiu da operação sem maiores sequelas, ainda o seja. velada e sutil de preconceito de cor. Do
deixou-se um saldo funesto: 16 civis feridos mesmo modo, esta ideologia valoriza o
à bala. Destes, 12 rapazes, entre 17 e 26 O Brasil foi a nação que mais importou histórico intercurso da população brasileira
anos, foram mortos. Seguindo o jargão africanos sequestrados em seu continente que, assim, em termos culturais e biológicos
usado em nosso país: uma chacina. ancestral entre os séculos XVI e XIX. País (!), se constituiria enquanto um povo
sempre marcado por suas transições lentas mestiço. Voltando aos termos do projeto
Sobre este episódio, a Anistia Internacional, e graduais, igualmente foi o último a moderno de Estado-Nação brasileiro, a
entre outras instituições de proteção aos acabar com o regime servil no Hemisfério “democracia racial” serviria para impedir
direitos humanos, foram taxativas. Mais Americano, em 1888, dois anos depois de que o processo modernizante, que
uma vez, a franca maioria das vítimas eram Cuba. O trabalho forçado dos escravizados potencialmente traria consigo o ethos
afrodescendentes1. foi o combustível das atividades individualista e competitivo, derivasse em
econômicas mais relevantes (cana-de- formas conflitivas entre os grupos raciais,
Infelizmente, a história retratada acima é açúcar, gado, ouro, café, algodão, produtos tais como seria no conspícuo caso
apenas mais uma entre tantas outras de florestais amazônicos, atividades urbanas) estadunidense.
enredo e desfecho semelhante. Segundo o da então Colônia e Império ao longo
Fórum Brasileiro de Segurança Pública, dos daquele longo período histórico6. Contudo, Decerto não é fácil resumir os fundamentos
anos 2000 até 2013, em média, 6 pessoas a despeito destas marcas, por que, então, da ideologia da “democracia racial” a
morreram todos os dias por intervenções não se podem associar as atuais poucas frases, assim como não é igualmente
policiais. Segundo a mesma fonte, o peso desigualdades do presente apenas ao razoável desconhecer que entre as muitas
relativo de afrodescendentes entre a distante passado escravista? variantes deste discurso, foram gerados
população carcerária de todo o país era diferentes modelos, alguns

13
lasaforum spring 2015 : volume xlvi : issue 2

convincentemente progressistas ou herdadas do passado pudessem ser, variante de gênero)13. E tal dimensão,
generosos, tal como seria o caso da finalmente, superadas? embora quase nunca reconhecida,
proposta de autores como Darcy Ribeiro, igualmente faz parte daquilo que pode
por exemplo10. Contudo, seja qual for a Por outro lado, mesmo que alguém pudesse chamar-se de modelo de desenvolvimento.
avaliação que se possa fazer acerca deste mencionar que as portentosas taxas de
projeto de Estado-Nação, e crescimento da economia brasileira, obtidas Alternativamente, é uma tolice supor que a
inequivocamente a “democracia racial” e a ao longo do século passado, se deram desde “democracia racial” brasileira suprima a
mestiçagem eram o cerne ideológico deste, a batuta de regimes autoritários (o que ideia de raças. Não apenas porque seria
a trajetória de nosso país acabaria seria verdade), do argumento poderíamos uma contradição em termos supor que uma
mostrando que a realidade não seria tão desta vez chegar a uma desconcertante democracia, afinal adjetivada enquanto
otimista quanto as melhores esperanças conclusão. O crescimento econômico, em si “racial”, ignorasse tal realidade. Mas,
pareciam apontar. mesmo, pode ser uma dimensão necessária, igualmente, porque no interior da
mas certamente insuficiente para o formulação de seus mais egrégios
enfrentamento das diferentes mazelas representantes (e neste plano autores como
Racismo à brasileira e a construção das nacionais, entre outras, as das Gilberto Freyre e mesmo o já citado Darcy
desigualdades desigualdades raciais. É preciso, portanto, Ribeiro são exemplos representativos), as
analisar a qualidade do próprio processo raças estabelecem entre si relações sociais
Durante o período compreendido entre os deste crescimento, em uma expressão que baseadas no princípio das hierarquias.
anos 1930 e 1980, o Brasil destacou-se podemos classificar de modelo de
enquanto a nação emergente por excelência desenvolvimento econômico. Dentro desta lógica, os afrodescendentes e
em todo o mundo. Sua taxa de crescimento ameríndios — conquanto tivessem
econômico neste período de cinco décadas Em geral, quando as teorias do supostamente contribuído para a formação
foi de 6,8%11. Este notável vigor, contudo, desenvolvimento abordam as características da identidade nacional através de sua
abrigava uma promessa não cumprida. dos diferentes modelos de crescimento sensualidade, generosidade, alegria, etc.
econômico, uma das variáveis-chave vem a — seriam naturais portadores de
Em suma, se o problema da baixa ser a variável distributiva. Assim, o eixo da mentalidades pré-lógicas, ou seja, opostas
integração da população afrodescendentes abordagem costuma ser a maneira pela aos termos cartesianos necessários à vida
aos diferentes mercados e à vida qual o excedente econômico é distribuído em uma sociedade moderna14. Dito de
institucional e política do país era um entre lucros e salários, ou a forma como é outro modo: no discurso da “democracia
dilema reportado às estruturas sociais do dividido entre os países do centro e da racial” há uma inevitável tendência para
passado, como explicar a persistência das periferia. Entretanto, estas distintas associar-se tais pré-disposições ao mundo
assimetrias já com o país, definitivamente, contribuições costumam deixar em um branco europeu; mesmo que adaptado aos
constituído enquanto uma nação industrial segundo plano dimensões correlatas do trópicos através do processo de
moderna? Um exemplo ilustrativo neste problema, tais como as diferenças de miscigenação. Não obstante, como o
sentido é a taxa de alfabetização da gênero, etnia e raça presentes em uma dada mundo moderno é governado justamente
população brasileira em idade adulta ao sociedade. pela razão cartesiana (ou pelo tipo-ideal da
final da etapa do Milagre Econômico da ação estratégica, tal como na concepção
década de 1970. Embora no plano da teoria social os weberiana), o fatal resultado é que as
trabalhadores sejam agrupáveis em uma hierarquias raciais não apenas se situam
Segundo o Censo Demográfico de 1980, mesma classe social, parece uma suposição como um pressuposto do modelo, mas
neste ano, após 5 décadas de crescimento heroica imaginar que todos o façam desde como sua derivação natural15.
acelerado e praticamente contínuo, um em as mesmas condições. A divisão social do
cada quatro pretos e pardos residentes no trabalho comporta diferenciações, seja em Portanto, a “democracia racial” se
país era simplesmente analfabetos12. Deste termos de remuneração, seja em termos do articulou com a proposta
exemplo, podemos avançar a uma sugestiva status ocupacional. Estas distinções desenvolvimentista, não apenas por lhe
questão: quais taxas, então, deveria o país dificilmente deixam de interagir com as fornecer um poderoso argumento em prol
crescer para que as hierarquias sócio-raciais relações étnico-raciais (incluindo sua do Nation-Building brasileiro — ou seja,

14
da identidade nacional — tal como este desacreditada nos dias atuais. De qualquer Lei 12.711, que estabeleceu a reserva de
veio se dando desde a década de 1930. forma, para além deste tipo de formulação metade das vagas dos cursos de graduação
Mas, igualmente, por fornecer a este já superada, ao se pensar a relação entre as das universidades federais de todo país
projeto de país (mesmo em sua chave relações étnico-raciais e o modelo de para alunos egressos de escolas públicas. A
supostamente mais progressista, tal como desenvolvimento é inevitável que se traga 12.711 incorporou também um percentual
nos tempos do populismo) argumentos que ao centro do debate a persistente específico de vagas para alunos pretos e
atuaram no sentido da naturalização das desigualdade social e étnica-racial que pardos de acordo com sua presença relativa
desigualdades étnico-raciais, que, assim, se segue assolando a sociedade brasileira. em termos demográficos em cada uma das
tornaram parte orgânica de todo o modelo. 27 unidades da Federação brasileira.
Concomitantemente às suas complicações Finalmente, abordando o que ocorreu no
no plano econômico, o Brasil dos dias de Poder Judiciário, o Supremo Tribunal
Política pública e participação política hoje, de forma inédita em sua vida Federal (STF), em 2012, em histórica
republicana, completa quase 30 anos de decisão, reconheceu por unanimidade a
O Brasil ingressou no século XXI não vida institucional baseada no Estado de constitucionalidade das políticas de reserva
somente como uma das principais nações Direito. Com isto, novos atores sociais de vaga que vinham sendo adotadas no
do mundo em termos econômico, emergiram no cenário político país, inclusive as que continham específico
produtivo e financeiro. Porém, vitimado reivindicando maiores espaços em termos direcionamento em prol dos
por uma adaptação desajeitada a um dos resultados do crescimento e no afrodescendentes.
conjunto de transformações que vieram se processo de formulação das políticas
dando na ordem mundial, a rigor, desde a públicas. Desde a promulgação da Para além das políticas diretamente
década de 1970, o país adentrou o presente Constituição de 1988 as diferentes frentes voltadas à população afrodescendente, o
século de novo angustiado com suas vinculadas ao movimento negro brasileiro, cenário socioeconômico brasileiro da
potencialidades e vocações para o de um modo ou de outro, conseguiram segunda metade da década de 2000, ao
desenvolvimento socioeconômico. As pressionar o Estado brasileiro em prol de menos até bem recentemente, se associou à
outrora vigorosas taxas de crescimento sua visibilidade e da ampliação dos seus redução das assimetrias de cor ou raça, ao
deram lugar a uma realidade de virtual direitos coletivos. E os efeitos destas novas menos quando medidas em termos de
estagnação do crescimento do Produto políticas são atualmente visíveis e indicadores como rendimento e pobreza.
Interno Bruto - PIB (2,2% ao ano), dado palpáveis.
pelo progressivo distanciamento A mudança da estrutura produtiva
tecnológico em relação às antigas e novas O Brasil dos dias atuais coleciona diversas brasileira, que ampliou a importância das
nações desenvolvidas (no último caso, políticas públicas, de criação relativamente atividades de serviço em detrimento das
notoriamente as localizadas no Extremo recente, que atuaram em nome da industriais, associada à política de
Oriente) e pela persistência de diferentes igualdade racial. Destacam-se a criação, em valorização do salario mínimo, trouxeram
gargalos ao crescimento econômico. 2003, da Secretaria de Políticas de sensíveis reduções nas assimetrias entre
Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR); a brancos e afrodescendentes no mercado de
Por outro lado, no novo quadro, é razoável Lei 11.645/2008, que incluiu nos currículos trabalho brasileiro. Assim, entre 1995 e
se questionar se, tal como no passado, as do Ensino Básico das escolas de todo o país 2012, as diferenças de remuneração no
relações étnico-raciais seriam uma variável assuntos relacionados à população africana trabalho entre aqueles dois grupos se
relevante quando das reflexões sobre nossas e ameríndia e seus descendentes, e; a mais reduziram de 111,3%, para 73,8%. O
potencialidades enquanto nação. recente Lei 6.738/2013, que estabeleceu a Programa Bolsa-Família, que atende
concessão de 20% das vagas para atualmente cerca de 14 milhões de famílias
Embora que ainda se possa ouvir um afrodescendentes — candidatos abaixo da Linha de Pobreza, colheu os
determinado tipo de discurso que segue autodeclarados pretos ou pardos — e afrodescendentes (especialmente os
abordando o problema do indígenas nos concursos públicos do poder residentes nas regiões mais pobres do país,
subdesenvolvimento à luz das origens executivo. No âmbito do Congresso ou seja, no Norte e no Nordeste) como seu
genéticas do povo brasileiro; tal Nacional, em 2010, foi aprovado o alvo principal. Deste modo, este grupo,
formulação, decerto, é francamente Estatuto da Igualdade Racial e, em 2012, a atualmente, responde por cerca de 2/3 dos

15
lasaforum spring 2015 : volume xlvi : issue 2

beneficiários deste programa de governo. Novas formas da identidade O fato é que, se em meados dos anos 1990
Assim, em 2012, a taxa de pobreza entre os a população residente no Brasil que se
pretos e pardos havia caído para menos de Quando se aborda o tema das relações declarava branca totalizava algo em torno
10%16. raciais no Brasil, talvez uma das mais de 55%, nos anos mais recentes este
intrigantes questões diga respeito percentual caiu para o patamar de 46%.
De qualquer forma, ainda que esta nova justamente às formas de identidade da Fazendo-se um simulação a partir de dados
realidade sugira um novo tempo para as população brasileira. estatísticos levantados nos anos de 2002 e
relações raciais no Brasil, o fato é que há 2012, verifica-se que cerca de 10,3 milhões
ainda uma longa trilha a ser percorrida no Desde os estudos seminais de Oracy de pessoas brancas no primeiro ano
sentido do encontro de uma sociedade Nogueira nos anos 1950 (e a clássica deixaram de se declarar enquanto tal dez
menos desigual. Do mesmo modo, tanto as definição do preconceito racial de origem e anos depois. Neste mesmo intervalo, o
políticas de ação afirmativa, como o de marca), até as contribuições posteriores número de pessoas que passaram a se
cenário socioeconômico recente de queda de sociólogos como Carl Degler, Carlos declarar pardas cresceu em cerca de 5,9
das assimetrias sociais e raciais, estão Hasenbalg, Edward Telles17, sabemos que o milhões, e a se declarar pretas, em 4,6
sujeitos a sérias ameaças. modelo brasileiro de relações raciais abriga milhões de pessoas.
uma pluralidade de denominações para a
Nunca é demais lembrar que as políticas designação da cor ou raça de um indivíduo. Este conjunto de informações sugere que
redistributivas recentes adotadas pelos veio ocorrendo no país em um período
governos brasileiros — seja através da Do mesmo modo, sabemos que nem recente um visível movimento de
elevação do piso salarial, seja por meio das sempre as categorias oficiais, usadas pelos reclassificação racial, com parte dos que se
transferências de renda — foram muito órgãos de produção de dados estatísticos, declaravam brancos, passando a responder
fortemente baseadas na elevação do poder como o Instituto Brasileiro de Geografia e que são pardos, e parte dos que se declaram
de compra da população mais pobre no Estatística (IBGE), se conciliam com as pardos passando a responder que são
mercado. Como tal, estas medidas podem denominações empregadas pela população pretos20.
ser perfeitamente revertidas, seja por na sua vida cotidiana. E mesmo estas
problemas macroeconômicos que possam terminologias podem variar de acordo com É importante destacar que no Brasil as
levar ao aumento do desemprego e da o local e as circunstâncias onde são categorias classificatórias da cor ou raça
inflação. utilizadas18. De acordo com a recente dos entrevistados permanecem as mesmas
pesquisa do Projeto Etnicidade e Raça na desde 1991 quando ocorreu a introdução
Por este motivo, talvez seja ainda cedo América Latina (PERLA), dependendo da da variável indígena. Ou seja, o ocorrido
supor que tenhamos ingressado em um forma pela qual a indagação é feita, no neste país não acompanhou o que
novo modelo de desenvolvimento Brasil o peso relativo das pessoas passiveis aconteceu em outras nações latino-
socioeconômico, desta vez baseado nos de serem consideradas afrodescendentes americanas como Colômbia, Costa Rica e
princípios da justiça social, incluindo suas pode variar de 6% a quase 60%!19. Uruguai nos quais as mudanças na
variantes étnico-racial e de gênero. Mais presença relativa dos grupos étnico-raciais
razoável seria assumirmos que, em se De qualquer forma, para além do problema entre as décadas de 2000 e a atual foram
reconhecendo os avanços recentes, estes se dos diferentes métodos de classificação, no geradas fundamentalmente por alterações
situam ainda nos marcos de uma política Brasil recente veio ocorrendo um no modo de se fazer a pergunta por parte
de natureza compensatória, dialogando interessante movimento de alteração da dos institutos oficiais de pesquisa
somente parcialmente com os aspectos mais distribuição da população brasileira demográfica.
propriamente estruturais que formam o segundo os grupos de cor ou raça, ao
núcleo duro das desigualdades presentes no menos tal como medida por levantamentos Na falta de estudos longitudinais que
interior da sociedade brasileira. demográficos do IBGE como a Pesquisa captem a forma pela qual as pessoas se
Nacional por Amostra de Domicílios identificam racialmente ao longo do tempo,
(PNAD) ou o Censo Demográfico. o fato é que com os dados disponíveis não
se consegue estabelecer exatamente o
motivo pelo qual veio ocorrendo uma

16
mudança na distribuição relativa entre os artilheiro em um campo de futebol e à sua públicos e de produzir uma formidável
grupos de cor ou raça no Brasil. Sem angústia em saber o momento em que valorização da imagem e da autoestima dos
embargo, não parece uma hipótese deveria, ou não, chutar uma bola para o afrodescendentes.
descartável a de que esta alteração possa gol21. Macabra que seja a analogia, de fato,
estar vinculada às transformações recentes o Brasil se notabilizou no mundo, tanto Porém, analisando-se por um ângulo mais
que vieram se dando no país em diferentes pela qualidade de seus jogadores de futebol, cético, seguimos diante da presença de uma
planos. como pelos alarmantes números de crônica dificuldade dos afrodescendentes
homicídios cometidos a cada ano. No para acessarem os cargos de chefia nas
Assim, diante das políticas de ações último levantamento do DATASUS, em grandes empresas ou aos mecanismos de
afirmativas, de uma certa mobilidade social 2012, a conta superava 53 mil pessoas. representação política. Segundo as
de parcelas da população afrodescendente, Destes, como mais ou menos seria de se estatísticas bianualmente realizadas pelo
do avanço da visibilidade em termos esperar, 68% eram pretos e pardos22. Instituto Ethos junto às 500 maiores
estatísticos, do crescimento da visibilidade empresas brasileiras, o percentual de
de diferentes movimentos que atuam em O fato de um político filiado ao esquerdista afrodescendentes em cargos de chefia é
prol da valorização da imagem e PT evidenciar fortes indícios de que não pouco superior a 5%23. De acordo com
autoestima da população negra, enfim, tomará nenhuma atitude diante de uma levantamento do LAESER, o percentual de
deste conjunto de variáveis parece ser chacina contra quase duas dezenas de Deputados Federais pretos e pardos eleitos
possível encontrar algum poder de jovens (quase todos) afrodescendentes — em 2014 alcançou minguados 20%24.
explicação deste fenômeno recente que, perpetrada pela PM sob seu comando! —
demográfica e simbolicamente, transformou em alguma medida anuncia as próprias Imbricada em uma teia de contradições
o Brasil em um país de maioria contradições que as relações raciais no país. insolúveis25 as relações raciais no Brasil se
afrodescendente. encontram atualmente em meio a esperança
De um lado, vivemos a era das políticas da emergência de um novo tempo e a
sociais que conseguiram amenizar a desesperança diante de um insistente
Um epílogo sob a forma de esfinge pobreza e melhorar as condições de vida de padrão de interações baseado em
parcelas significativas da população parâmetros assimétricos e autoritários. E é
Assim como nas demais 26 unidades da afrodescendente. assim que a esfinge multicor segue nos
Federação no Brasil, o chefe da Polícia desafiando para o enfrentamento de sua
Militar do Estado da Bahia é seu Mas, por outro lado, nos encontramos arriscada missão: me decifra ou te devoro.
Governador. No caso, um político que diante da constante exposição dos pretos e
responde pelo nome de Rui Costa, filiado pardos brasileiros à violência em suas
ao Partido dos Trabalhadores (PT), o diferentes formas, incluindo os homicídios Notas
mesmo do ex-Presidente Luiz Ignácio Lula de pessoas do sexo masculino, a 1
Este episódio pode ser visto com mais detalhes
da Silva e da atual Presidenta Dilma Vana mortalidade materna e, as agressões de em Claudia Belfort, “Testemunha diz que
Roussef. natureza sexual às pessoas do sexo vítimas da chacina do Cabula (BA) estavam
feminino, isto além do racismo rendidas”, Ponte: Segurança Pública, Justiça e
Em palestra proferida a uma plenária institucional, notoriamente presente nos Direitos Humanos, 7 de fevereiro de 2015:
http://ponte.org/testemunha-diz-que-vitimas-
formada por oficiais da PM baiana, o estabelecimentos de ensino, saúde e na ação
da-chacina-do-cabula-ba-estavam-rendidas/.
Governador baiano não encontrou policial, entre outros campos de atuação do
elementos para uma investigação mais poder público. 2
Estas informações estão contidas no Anuário
aprofundada sobre o episódio de 6 de Brasileiro de Segurança Pública, disponível em:
http://www.forumseguranca.org.br/produtos/
Fevereiro 2015, ocorrido no bairro de Visto por um ângulo mais otimista,
anuario-brasileiro-de-seguranca-publica/8o-
Cabula, em Salvador. Ao comentar a estamos em um tempo de uma razoável anuario-brasileiro-de-seguranca-publica.
situação de um policial com uma arma na capacidade de mobilização política dos
mão diante de uma situação movimentos sociais, aptos a pressionar pela
potencialmente conflitiva com um cidadão, aprovação de leis de ações afirmativas no
o Governador comparou a cena a um acesso às universidades e empregos

17
lasaforum spring 2015 : volume xlvi : issue 2

3
A população preta e parda residente no estado de 12
M. Paixão, I. Rossetto, F. Montevanele, M. 21
O vídeo com a infeliz declaração do
São Paulo em 2010, segundo o Censo Carvano, Relatório anual das desigualdades Governador da Bahia Rui Costa está
Demográfico do mesmo ano, chegava a pouco raciais no Brasil (2009–2010) (Rio de Janeiro: disponível em: http://racismoambiental
mais de um terço do total (34,6%). A este respeito Editora Garamond, 2011). .net.br/2015/03/01/carta-aberta-ao-
ver: Tempo em Curso 3, no 5, maio de 2011. governador-rui-costa-da-bahia-por-ana-
Disponível em: http://www.laeser.ie.ufrj.br/PT/
13
A este respeito ver M. Paixão, I. Rossetto, E. maria-goncalves/.
tempo%20em%20curso/TEC%202011-05.pdf. Monçores, E. Carvalho, Relatório das
desigualdades raciais no Brasil, vol. 3 22
Tempo em Curso 6, no 7, julho de 2014.
4
Estes dados foram produzidos pelo Grupo de (forthcoming). Disponível em: http://www.laeser.ie.ufrj.br/
Estudos Sobre Violência e Administração de PT/tempo%20em%20curso/TEC%20
Conflitos (GEVAC), coordenado pela Profa
14
Arthur Ramos, Introdução à antropologia 2014-07.pdf.
Jacqueline Sinhoretto, vinculado à brasileira: Os contatos raciais e culturais, 3o
Universidade Federal de São Carlos (UFsCar), vol, 3a ed. (Rio de Janeiro: Livraria Editora 23
Informação disponível em Joana Culho,
e constam no Sumário Executivo da pesquisa Casa do Estudante do Brasil, 1962). “Negros ainda são minoria absoluta em
Desigualdade racial e segurança pública em cargos de chefia do Brasil”, Folha de
15
Este argumento é melhor desenvolvido em São Paulo, 9 de agosto de 2014: http://www1
São Paulo. Disponível em: http://www Paixão, A lenda da modernidade encantada.
.ufscar.br/gevac/wp-content/uploads/ .folha.uol.com.br/mercado/2014/08/1483374-
Sum%C3%A1rio-Executivo_ 16
M. Paixão, “Las desigualdades de color o raza y negros-ainda-
FINAL_01.04.2014.pdf. las políticas de equidad racial en Brasil, medidas sao-minoria-absoluta-em-cargos-de-chefia-
por las estadísticas sociales: una lectura general”, no-brasil.shtml.
5
Joaquim Nabuco, O abolicionismo, 30a ed. (1883; en E. Campbell (org.), Reporte de la situación de
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999).
24
Tempo em Curso 6, no 10, outubro de 2014.
los y las afrodescendentes en América Latina e Disponível em: http://www.laeser.ie.ufrj.br/
6
Caio Prado Júnior, “Formação do Brasil Caribe (San José: Asociación Instituto PT/tempo%20em%20curso/TEC%20
contemporâneo,” en Intérpretes do Brasil, vol. Afrodescendiente para el Estudio, la Investigación 2014-10.pdf.
3, ed. Silviano Santiago (1942; Rio de Janeiro: y el Desarrollo, 2014), 148–183.
Nova Aguilar, 2000), 3–186.
25
Termo originalmente de Florestan Fernandes,
17
Oracy Nogueira, Preconceito racial de marca: As A integração o negro na sociedade de classes,
7
Ricardo Bielchowsky, Pensamento econômico relações raciais em Itapetininga (1955; São vols. 1 e 2 (1964; São Paulo: Ática, 1978). 
brasileiro: O ciclo ideológico do Paulo: Editor USP, 1998); Carl N. Degler, Nem
desenvolvimentismo (Rio de Janeiro: INPES/ preto nem branco: Escravidão e relações raciais
IPEA, 1988). no brasil e dos Estados Unidos, trad. F. Wrobel
(1971; Rio de Janeiro: Editorial Labor do Brasil,
8
Luiz de Aguiar Costa Pinto, O negro no Rio de 1976); Carlos Hasenbalg, Discriminação e
Janeiro: Relações de raça em uma sociedade em desigualdades raciais no Brasil, trad. P. Burglin
mudança (1953; Rio de Janeiro: Editora UFRJ, (Rio de Janeiro: Graal, 1979); Edward Telles,
1998); Florestan Fernandes, O negro no mundo Racismo à brasileira: Uma nova perspectiva
dos brancos (São Paulo: Difusão Européia do sociológica, trad. A. Calado, N. Marques, C.
Livro, 1972). Olsen (Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2003).
9
Antônio Sérgio Alfredo Guimarães, Classes, 18
Lívio Sansone, “O local e o global na Bahia
raças e democracia (São Paulo: Editora 34, contemporânea”, Revista Brasileira de Ciências
2002); Marcelo J. P. Paixão, A lenda da Sociais, vol. 41, no 29, ano 10 (outubro 1995):
modernidade encantada: Por uma crítica ao 65–84.
pensamento social brasileiro sobre relações
raciais e projeto de Estado-Nação (Curitiba:
19
Graziella Moraes Silva, Marcelo Paixão, “Mixed
Editora CRV, 2014). and Unequal: New Perspectives on Brazilian
Ethnoracial Relations”, in Edward Telles, ed.,
10
Darcy Ribeiro, O povo brasileiro: A formação e o Pigmentocracies: Ethnicity, Race and Color in
sentido do Brasil, 2a ed. (São Paulo: Companhia Latin America (Chapel Hill: University of North
das Letras, 1995). Carolina Press, 2014), 172–217.
11
Veridiana Ramos da Silva Carvalho, Gilberto 20
Tempo em Curso 3, no 5, maio de 2011.
Tadeu Lima, “Estrutura produtiva, restrição Disponível em: http://www.laeser.ie.ufrj.br/
externa e crescimento econômico: A experiência PT/tempo%20em%20curso/TEC%20
brasileira”, Economia e Sociedade 18, no 1 (2009): 2011-05.pdf.
31–60.

18

Você também pode gostar