Você está na página 1de 137

Erradicando o Castigo

Físico e Humilhante
contra a Criança:

Manual de Ação
Kate Harper Pepa Horno Gerison Landsdown
Florence Martin Peter Newell Mali Nilsson
Erradicando o Castigo
Físico e Humilhante
contra a Criança:

Manual de Ação
Publicado por Save the Children Suécia e Aliança Internacional Save the Children

V IS Ã O
A Save the Children luta pelos direitos da criança. Nós proporcionamos melhoras
imediatas e duradouras para a vida de crianças em todo o mundo.

M IS S Ã O
A Save the Children trabalha por:
l um mundo que respeite e valorize cada criança

l um mundo que escute e aprenda com as crianças

l um mundo onde todas as crianças tenham esperança e oportunidades

ISBN: 91-7321-157-5
Código No: 3184
Copyright @ Save the Children 2005

Coordenadora do projeto: Mali Nilsson


Autores principais: Kate Harper, Pepa Horno, Florence Martin, Mali Nilsson
(Membros do Grupo de Trabalho da Aliança Internacional Save the Children sobre Castigo
Físico/Corporal e outras Formas de Punição Humilhante ou Degradante), Gerison
Lansdown, Maureen O´Flynn e Peter Newell
Gerenciamento de produção: Cathy O`Neill, Carole Henderson
Edição de cópia / revisão: Paula McDiarmid
Design gráfico: Neil Adams
Ilustração: Jessica Stockham

Versão original em Inglês lançada em 2005.

Exemplares do original podem ser adquiridos em www.rb.se/bookshop

Esta publicação é parcialmente financiada por SIDA (Swedish International


Development Cooperation Agency). SIDA não participou de sua produção e
não assume qualquer responsabilidade por seu conteúdo.
Produção da versão em Português: Save the Children Suécia,
Programa Regional para América Latina e Caribe
Tradução: Ariadne Costa
Revisão: Mauro Gaspar Filho
Diagramação: Casa da Comunicação
Dezembro 2006
www.scslat.org
Conteúdo

Apresentação vii
Prefácio ix
Agradecimentos x

Introdução 1

Etapa 1 Entendendo o problema 3


1. Definindo o castigo físico e humilhante 4
2. Por que ele deve ser eliminado 4
3. O panorama global 5
4. Padrões internacionais de castigo físico e humilhante 7
5. Os efeitos do castigo físico e humilhante sobre as crianças 8
A. Conseqüências físicas 8
B. Conseqüências psicossociais 9
6. A diferença entre castigo e disciplina positiva 11

Etapa 2 Compromisso com a mudança 14


1. Introdução 15
2. Mudança pessoal: o que está em jogo? 16
3. Apoio organizacional e gerenciamento do processo de
mudança pessoal 17
A. Trabalhando com a negação e a resistência 17
B. Trabalhado com a exploração e o comprometimento 21
4. Desenvolvendo uma política de proteção à criança 22

“Não sei por que meu professor e meus pais me


maltratam. Meu pai pediu para o professor me castigar
seriamente se eu não me comportar. Ele diz que isso é
parte de uma boa educação. Eu não concordo!”
GAROTO SÍRIO, 11 ANOS
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Etapa 3 Análise da situação e planejamento do programa 24


1. O que é uma análise da situação com base em direitos? 25
2. Realizando a análise 25
A. Mapeie o nível e a natureza das violações 25
B. Analise as causas das violações 30
C. Identifique portadores de obrigações e analise
lacunas de capacidade 35
D. Defina prioridades 35

Etapa 4 Proporcionando a mudança para as crianças 39


Etapa 4A Reforma jurídica 40
1. Por que a reforma jurídica é importante? 41
A. Descubra o que diz a lei sobre o castigo físico 42
B. Avalie o contexto político, legal e cultural 45
C. Desenvolva uma estratégia para a reforma jurídica
contra todo tipo de castigo físico 46
D. Enfatize a proteção, não a perseguição 49
E. Ação para promover a reforma jurídica 51
3. Exemplos de boas práticas 55

Etapa 4B Defesa da mudança social 60


1. Introdução 61
2. Desenvolvendo uma estratégia 61
A. Estabeleça objetivos 62
B. Reúna as informações necessárias 63
C. Identifique o público-alvo 65
D. Desenvolva recursos e mensagens chave 65
E. Construa alianças e apoio 67
F. Divulgue a mensagem 67
3. Exemplos de boas práticas 69
CONTEÚDO

Etapa 4C Educação e treinamento 72


Parte 1 Castigo físico e humilhante em casa 73
1. Introdução 73
2. Desenvolvendo uma estratégia 74
A. Estabeleça objetivos 74
B. Identifique o público-alvo 75
C. Desenvolva materiais e ferramentas 75
D. Promova educação e treinamento sobre a erradicação
do castigo físico e humilhante 77
3. Exemplos de boas práticas 79

Parte 2 Castigo físico e humilhante na escola 82


1. Introdução 82
2. Desenvolvendo uma estratégia 82
A. Estabeleça objetivos 82
B. Identifique o público-alvo 82
C. Desenvolva ferramentas e materiais 83
D. Construa alianças e divulgue materiais 86
3. Exemplos de boas práticas 87

Etapa 4D Participação da criança 91


1. Introdução 92
2. Por que envolver as crianças em programas para erradicar o castigo
físico e humilhante? 92
3. Quando envolver as crianças 92
4. Como envolver as crianças 93
5. Questões sobre o castigo físico e humilhante a serem consideradas
quando se trabalha com crianças. 94
6. Exemplos de boas práticas 97
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Etapa 5 Avaliação do impacto 99


1. Por que avaliar o impacto? 100
2. Estratégias para avaliar o impacto 100
A. Estabeleça objetivos 100
B. Colete dados de base 102
C. Estabeleça indicadores de impacto 102
D. Vincule as atividades aos objetivos 103
E. Estabeleça indicadores de processo 103
F. Realize monitoramento 104
G. Realize análise, revisão e avaliação 105
H. Avalie o impacto 107
I. Aprenda as lições 107

Referências e recursos adicionais 109


Apresentação

A idéia de que a criança é uma versão reduzida de um estudo internacional profundo que levasse
de um adulto, com direitos igualmente reduzidos, ao desenvolvimento de estratégias visando
foi abandonada pela sociedade. A Convenção impedir e combater efetivamente todas as formas
sobre os Direitos da Criança (CDC) é um dos de violência contra a criança. Desde então, esse
marcos na superação dessa concepção redutora estudo trabalha para consolidar as informações
da criança e expõe claramente os direitos das disponíveis sobre diferentes formas de violência
crianças. Como qualquer outro ser humano, as contra a criança em diferentes cenários, onde
crianças devem ter seus direitos humanos quer que ela possa ocorrer. O castigo físico e
totalmente respeitados. humilhante é uma de nossas preocupações mais
evidentes. As próprias crianças, ao participar de
Apesar das conquistas da Convenção, muitas consultas iniciais ligadas ao estudo, enfatizaram
crianças raramente gozam da mesma proteção repetidamente que este é um problema
dos adultos. O castigo físico e humilhante é, fundamental para elas.
infelizmente, um problema silencioso que continua
a cruzar fronteiras de muitos contextos culturais, Sabemos que é difícil mudar as práticas de castigo
econômicos e sociais no mundo todo. Apesar da físico e humilhante, e que essas mudanças passam
clara desaprovação internacional por meio de por questões muito delicadas e pessoais, como a
órgãos como o Comitê dos Direitos da Criança e paternidade/maternidade e a educação. O castigo
Cortes de Direitos Humanos, a defesa da físico e humilhante é, ainda, enraizado na tradição
chamada “punição razoável” continua sendo e tem um longo histórico na maioria dos países.
aceita, em alguns casos, até mesmo pela legislação Na verdade, sabemos que a maioria das crianças e
nacional. Essas idéias não apenas contrariam os adultos no mundo hoje o sofreu, e a maioria das
princípios dos direitos humanos e da CDC, como pessoas diria que preferiria ter sido poupada da
ainda abrem um perigoso precedente para outras experiência.
formas de violência doméstica, na escola e em
outras instituições, além de tornar o limite entre Para mudarmos essa realidade, é muito
violência moderada e não-moderada importante entendermos totalmente o contexto
extremamente nebuloso e vulnerável a em que as várias formas de castigo físico e
interpretações subjetivas. Estamos atrasados na humilhante ocorrem e as melhores estratégias
tarefa de superar essa noção perigosa. para combatê-lo. Mas é necessária uma ação
urgente. Este Manual de Ação é uma contribuição
Em 2003, tive a honra de ser indicado pelo muito apropriada. Ele visa fornecer a todos uma
Secretário-Geral da ONU para coordenar um ampla variedade de excelentes ferramentas para
estudo global sobre violência contra a criança. A implementar esse processo de mudança, levando
solicitação para o estudo é uma conseqüência das em consideração as várias faces diferentes que o
deliberações do Comitê dos Direitos da Criança castigo físico e humilhante assume. O Manual é
que, após avaliar o problema em dias gerais de extremamente útil, já que ele não somente
discussão, decidiu recomendar o desenvolvimento explica por que as pessoas não deveriam bater

vii
nas crianças, mas ainda dá exemplos excelentes Não espere mais, leia este Manual de Ação da
de por que essa prática é absolutamente Save the Children e transforme-o em realidade!
desnecessária, indicando estratégias para substituí-
la. As próprias crianças são, naturalmente, o grupo
mais interessado na mudança e contribuíram, Prof. Paulo Sérgio Pinheiro
claro, para o Manual, do mesmo modo que terão
Especialista Independente para o Estudo da ONU
um papel importante na promoção da mudança.
sobre Violência contra a Criança
Com certeza, há muito a ser feito. Mas nada pode
Genebra, 2005
justificar a inação para lidar com esse problema
sério quando já existe tanta informação sobre
como evitar o castigo físico e humilhante contra
as crianças.

viii
Prefácio

Onde quer que você vá neste mundo, você instituições como a escola e, também, a família.
ouvirá dos políticos, decisores políticos, O Comitê tem total consciência de que a palavra
parlamentares, pais e cidadãos escolhidos ao da lei por si mesma não altera o mundo. Mas
acaso que as crianças são nosso futuro e que essas proibições são um reconhecimento de que
merecem o melhor. a criança é uma pessoa com direitos e, ao mesmo
tempo, define um padrão que é a base e o ponto
A violência crônica e difundida contra a criança, de partida para a ação.
incluindo o castigo físico, não combina com esse
quadro. O castigo físico, em particular como forma de
disciplinar as crianças, em muitos países ainda é
Há muitas razões que podem explicar essa visto como prerrogativa de pais, professores e
violência, mas nunca como uma justificativa para profissionais que trabalham na casa das crianças e
essa realidade moralmente inaceitável. em instituições, e é usado com o argumento de
que ele serve ao interesse da criança.
Mais que isso, ela ainda constitui uma violação de
um dos mais fundamentais direitos humanos de É por essas razões que o Comitê recomenda que
cada criança no que concerne a sua dignidade os Estados Partes adotem – além da proibição
humana e integridade física, além do direito a um por lei – várias ações que incluem, entre outras
desenvolvimento harmonioso e completo de sua coisas, a conscientização e campanhas de
personalidade. educação pública com foco particular sobre os
pais e outros responsáveis, e também o
Esses e outros direitos são internacionalmente treinamento de professores e demais profissionais
aceitos por 192 Estados (de 194) em sua que trabalham com crianças para a adoção de
ratificação da Convenção das Nações Unidas formas não violentas de disciplinar as crianças.
sobre os Direitos da Criança (CDC). Essa
ratificação significa, entre outras coisas, que todos Este Manual não apenas se alinha totalmente com
os governos desses 192 Estados se essas recomendações, como é uma excelente
comprometeram a tomar todas as medidas ferramenta para implementá-las. Ele fornece,
legislativas, administrativas, sociais e educacionais também, um amplo conjunto de ações que
adequadas para proteger as crianças de todas as podem realmente contribuir para erradicar o
formas de violência mental e física (art. 19 da castigo físico e humilhante contra crianças. Você
CDC). deseja tornar isso uma realidade? Use este
Manual!
Para isso, o Comitê da ONU sobre os Direitos da
Criança, encarregado de monitorar a
implementação da CDC, recomenda que os Jaap E. Doek
Estados Partes da CDC proíbam por lei todas as Presidente do Comitê da ONU sobre os Direitos
formas de violência, incluindo todas as formas de da Criança
castigo físico contra crianças em casa e em

ix
Agradecimentos

A Save the Children saiu na frente Somos gratos a esses colegas que forneceram
internacionalmente ao tomar a atitude de materiais sobre o trabalho contra o castigo físico e
reconhecer que o castigo físico e humilhante é humilhante nas regiões: Mehmoud Ashger, Farhad
uma violação séria dos direitos da criança. Hashimi, Neha Bhandari, Maria-Ines Cuadros, Fazel
Jalil, Lena Karlsson, Shereen Niaz, Sandra Renew e
Agradecemos às muitas pessoas que, em todo o Jörgen Runholm.
mundo, contribuíram com suas experiências,
visões e sugestões para este Manual de Ação. Somos muito gratos a Helen Banos Smith por
Nossos agradecimentos especiais vão para os escrever a última etapa (5) sobre a avaliação do
Pontos Focais Regionais da Aliança Internacional impacto, a Tina Hyder por compartilhar seu
Save the Children sobre o Castigo Físico e conhecimento sobre gênero e diversidade e a
Humilhante, cuja contribuição significativa Daniela Baro por sua contribuição nas fases iniciais
fundamentou o desenvolvimento deste Manual deste Manual de Ação. Um agradecimento especial
de Ação: Denise Stuckenbruck (América Latina), a Peter Newell por sua inspiração e grande apoio a
Ulrika Sonesson (Sul da África), Alebel Derib este Manual e ao restante do nosso trabalho global
(Centro/Leste da África), Elkane Mooth (África para a erradicação do castigo físico humilhante
Ocidental), Elisabet Sundström (Oriente Médio contra a criança.
e Norte da África), Gabriella Alexandrescu, Pepa
Horno e Mali Nilsson (Europa), Ravi Karkara e Y. Mali Nilsson - Coordenadora
G. Bahvani (Centro/Sul da Ásia), Dominique
Grupo de Tarefa da Aliança Internacional Save the
Pierre Plateau (Sul/Leste da Ásia e Pacífico). Children sobre Castigo Físico/Corporal e outras
Formas de Punição Humilhante ou Degradante

Dedicatória

Este Manual de Ação é dedicado às crianças cujas


histórias são contadas nestas páginas e à memória e
ao espírito de Maja.

“Uma pessoa grande não deveria bater em uma


pessoa pequena.”
MENINA ROMENA, 12 ANOS

x
Introdução

A Aliança Internacional Save the Children exercerem controle sobre as crianças.


trabalha para erradicar, por meio da educação, de Conseqüentemente, esse desrespeito aos direitos
reformas jurídicas e de outras medidas, todas as da criança normalmente passa despercebido
formas de controle e punição de crianças em seus como um evento comum cotidiano que necessita
lares, escolas e em outros ambientes que violem o pouca discussão ou atenção pública.
direito fundamental das crianças ao respeito por
sua integridade física e dignidade humana. Em consultas em todo o mundo, as crianças dão
evidências de que o castigo físico e humilhante é a
O castigo físico e humilhante ainda é altamente mais comum e mais difundida forma de violência
tolerado em todas as regiões do mundo como sofrida por elas atualmente.
uma forma de os adultos disciplinarem e

A rg um enta çã o da S a ve the Children pa ra com ba ter o uso do


ca stig o físico e hum ilha nte contra cria nça s

l Existe um crescente esforço internacional na maioria de nossas áreas de programa


pelo reconhecimento do castigo físico e (educação, proteção contra outras formas
humilhante como uma violação séria dos de violência e abuso, saúde, participação
direitos das crianças (ex.: julgamentos das das crianças com necessidades especiais e
Cortes Máximas, desenvolvimento, em o status da criança como portadora de
alguns países, de legislação nacional direitos iguais na família, na escola e na
banindo o castigo físico/corporal e sociedade local e mais ampla).
humilhante, crescente atenção por
diferentes órgãos da ONU). l É importante garantir que o castigo físico e
humilhante receba o peso apropriado no
l O trabalho da Aliança e Plano de Ação Estudo da ONU sobre Violência contra a
Organizacional sobre o castigo físico e Criança.
humilhante trouxe à tona o difundido
reconhecimento por programas de l Ele reflete a responsabilidade da própria
Save the Children, tanto institucionalmente
regiões e países da extensão e seriedade
como no nível individual da equipe, de
do problema em escolas, na família e na
trabalhar em favor do cumprimento dos
sociedade (locais de trabalho, ruas, etc).
direitos da criança e da proteção da
l O castigo físico e humilhante é um tema criança contra o abuso, de acordo com a
complexo, que está ligado e causa impacto Política de Proteção da Aliança
Internacional Save the Children.

1
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

A Aliança Internacional Save the Children acredita chave a serem consideradas; descreve estratégias
ser essencial não apenas ouvir as crianças, mas que devem ser incluídas no planejamento e
também agir de acordo com o que elas dizem. implementação de programas, além de fornecer
listas de recursos e contatos úteis. Ele será útil nos
Este Manual de Ação foi projetado para orientar estágios de planejamento, implementação e
os programas nos países, a equipe e os parceiros avaliação, e foi projetado para ser usado com
da Save the Children e outras organizações no flexibilidade e adaptado às necessidades locais.
desenvolvimento de estratégias para combater o
castigo físico e humilhante. Ele incorpora O Manual usa os princípios dos direitos humanos
exemplos de boas práticas de programas de das crianças para avaliar, planejar, gerenciar,
diferentes países, incluindo o conhecimento e as implementar e monitorar programas, com o
experiências atuais da equipe da Aliança Save the objetivo geral de atingir um maior conhecimento
Children e de seus parceiros que trabalham com e cumprimento desses direitos.
esse problema. Ele também destaca questões-

“Nenhuma forma de violência, incluindo formas físicas, sexuais


ou psicológicas, pode jamais ser justificada como servindo ao
interesse da criança.”
MARY ROBINSON, EX-ALTA COMISSÁRIA PARA OS DIREITOS HUMANOS,
NO LANÇAMENTO DA "INICIATIVA GLOBAL PARA ACABAR COM
TODO O CASTIGO FÍSICO CONTRA CRIANÇAS", 2001

2
ETAPA 1
Etapa 1
Entendendo
o problema

“As crianças precisam


aprender muitas coisas
durante a infância e ninguém
tem o direito de bater em uma
criança porque ela comete um
erro... todos nós cometemos.”
GAROTA ADOLESCENTE, 17 ANOS
Etapa 1
Entendendo o problema

Esta Etapa visa fornecer uma visão geral do problema: a


definição, a razão pela qual é importante eliminar o castigo
físico e humilhante, o panorama global, padrões internacionais,
os efeitos sobre as crianças e a diferença entre castigo e
disciplina positiva.

1. Definindo o castigo físico e humilhante

2. Por que ele deve ser eliminado

3. O panorama global

4. Padrões internacionais de castigo físico e humilhante

5. Os efeitos do castigo físico e humilhante contra crianças


A. Conseqüências físicas
B. Conseqüências psicossociais

6. A diferença entre castigo e disciplina positiva

“As crianças precisam aprender muitas coisas


durante a infância e ninguém tem o direito de bater
em uma criança porque ela comete um erro...
todos nós cometemos.”
GAROTA ADOLESCENTE, 17 ANOS

3
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Definindo o castigo físico e 2. Por que ele deve ser eliminado


humilhante*
O compromisso de eliminar todas as formas de
… beliscões, pancadas, tapas, açoite, castigo físico e humilhante é uma prioridade
empurrões, murros, chutes, golpes de mão porque:
fechada, amarrar, privar de comida, forçar a
l Essa é uma violação dos direitos humanos da
ficar de joelhos, forçar a fazer exercícios
criança à integridade física e dignidade
físicos excessivos, isolamento ou separação
dos outros… humana e igual proteção perante a lei. Em
muitos casos, ele pode, também, ameaçar o
O castigo físico e humilhante é uma forma de direito à educação, ao desenvolvimento, à
violência contra a criança e uma violação de seu saúde e mesmo à sobrevivência.
direito à integridade física e dignidade. Em l Ele pode causar sérios danos físicos e
muitos países, ele continua sendo uma forma de psicológicos à criança.
agressão ao ser humano tolerada pela lei.
Há muitas formas de controle e punição de l Ele ensina à criança que a violência é uma
crianças que violam seus direitos fundamentais, estratégia aceitável e apropriada para
e elas podem estar ligadas ao castigo físico e resolver conflitos ou persuadir as pessoas a
humilhante. O castigo físico e humilhante é fazerem o que elas desejam.
definido pela Save the Children da seguinte l Ele é um meio ineficaz de obter disciplina.
forma: Há formas positivas de ensinar, corrigir ou
disciplinar crianças que são melhores para o
O castigo físico compreende bater na criança desenvolvimento da criança e para sua
com a mão ou com um objeto (como vara,
relação com os pais e a comunidade e que
cinto, chicote, sapato e outros); chutar,
não incluem o castigo físico e humilhante
chacoalhar ou empurrar a criança, beliscá-la ou
puxá-la pelos cabelos; obrigá-la a permanecer l A legitimação do castigo físico e humilhante
em posições incômodas ou indecorosas ou a dificulta a proteção da criança, pois dá a
fazer exercícios físicos excessivos; queimar ou entender que há formas ou níveis de
deixar cicatrizes na criança (e a ameaça de violência contra a criança considerados
qualquer dessas ações).
legítimos.
O castigo humilhante toma várias formas, Acima de tudo, o castigo físico e humilhante
como abusar verbalmente, ridicularizar, isolar aumenta o uso da violência na sociedade e a
ou ignorar a criança. legitima aos olhos das gerações subseqüentes. Ele
*Para facilitar a leitura, a expressão "Castigo Físico/Corporal e promove um duplo padrão: há duas categorias de
outras Formas de Punição Humilhante ou Degradante" foi cidadãos – crianças e adultos. É considerado
abreviada para "Castigo Físico e Humilhante" ao longo deste aceitável bater em crianças, os membros menores
Manual.
e mais vulneráveis da sociedade, mas não nos
adultos.

“O professor diz que eu sou lenta para aprender, por isso ele
me bate. Isso me machuca por dentro.”
MENINA BRASILEIRA, 12 ANOS

4
E T A P A 1 ENTENDENDO O PROBLEMA

3. O panorama global estudantes em muitos países sofrem formas


extraordinariamente severas de punição.
As crianças são castigadas fisicamente e
deliberadamente humilhadas em quase todas as Nenhum estudo revelará a extensão completa do
sociedades e culturas. Muitos sistemas de justiça castigo físico e humilhante: a tendência de pais e
removeram o espancamento como forma de professores a minimizar o relato e a delicadeza do
castigo para quem transgride a lei, mas ele ainda é problema, somada à lealdade das crianças às suas
administrado para quem desobedece as regras da famílias, costumam dificultar a obtenção de uma
escola ou tem "mau comportamento" em casa. O descrição mais ampla por parte das próprias
castigo físico e humilhante nas escolas foi abolido crianças. Os resumos a seguir, compilados pela
em quase 100 países, mas em muitos outros ele Iniciativa Global para Acabar com o Castigo Físico
ainda é considerado uma ferramenta essencial. e Humilhante e pela Save the Children, indicam a
Estudos e relatos de casos sugerem que proporção da prática em diferentes culturas.

Visão global

Barbados Setenta por cento dos pais Etiópia Um estudo sobre o castigo físico em
"aprovam de forma geral" o castigo físico e, escolas mostrou que, apesar da proibição, mais
desses, 76% aprovam o espancamento com de 90% dos alunos relatam castigo físico.
cinturões ou correias.
Europa e Ásia Central Uma pesquisa
Camarões Um estudo em quatro províncias envolvendo 15.000 crianças entre 9 e 17 anos
mostrou que 93% das crianças são espancadas de origens diferentes na Europa Oriental e
em casa pelo pai, mãe ou responsável e que 98% Ocidental e na Ásia Central mostrou que quase
dos alunos são espancados na escola pelos 6 em cada 10 crianças relataram que os pais
professores. Os professores batem na criança xingam, insultam ou batem nelas quando elas
com um bastão cerca de uma a quatro vezes por "fazem algo errado".
semana; os pais fazem isso de uma a três vezes
Hong Kong Um estudo envolvendo mais de
por mês.
1.000 famílias, em 1995, revelou que quase
Chile Um estudo de 1995 mostrou que 80% dos metade das crianças com menos de 16 anos
pais de alunos de escolas públicas e 57% dos de tinham sido vítimas de castigo físico severo no
escola privada admitem o uso do castigo físico. ano anterior.

Egito Um estudo de 1996 com crianças indicou Índia Um estudo realizado com estudantes
que um terço delas era disciplinada por meio do universitários indicou que 91% dos rapazes e
espancamento – muitas vezes com correias ou 86% das garotas haviam sido castigados
bastões. Um quarto dessas crianças disse ter tido fisicamente quando crianças.
ferimentos em conseqüência disso.
continua na próxima página

5
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Visão global (continuação)

Coréia Um estudo realizado pela Associação filhos três vezes no mês anterior. Não há
de Proteção à Criança revelou que 97% das diferença entre gênero ou classes sociais, mas as
crianças tinham sido punidas fisicamente, muitas mulheres tendem mais a concordar com o uso de
delas de forma severa. castigo físico e as pessoas com maior escolaridade
tendem a usá-lo menos.
Kuwait Uma pesquisa de 1996 sobre a atitude
dos pais mostrou que 54% deles concorda ou St. Kitts Um estudo com os responsáveis por
concorda inteiramente com o espancamento 300 crianças mostrou que 93% concordam que os
"em casos sérios de mau comportamento", e 9% pais devem bater nos filhos quando eles se
dos pais aceitam a queimadura como forma de comportam mal.
punição.
Reino Unido Uma pesquisa financiada pelo
Paquistão Um estudo de 2004 sobre o castigo governo na década de 90 revelou que três
em escolas primárias revelou que as crianças são quartos de uma ampla amostra de mães admitiu
punidas fisicamente em 100% das escolas. Em ter batido em seus bebês antes que atingissem um
uma pesquisa com mais de 4.000 crianças, todas ano de idade. Em famílias em que ambos os pais
disseram ter sido castigadas fisicamente em casa. foram entrevistados, mais de um terço das
crianças (35%) apanhavam semanalmente ou com
Romênia Um estudo de 1992 mostrou que mais freqüência de um dos pais e ou de ambos, e
84% dos pais via o espancamento como o um quinto apanhava com um objeto.
método "normal" de educar os filhos; e 96% não
o considerava humilhante. EUA Entre uma ampla amostra de pais, 89%
tinham batido em seus filhos com menos de 3
Espanha Quarenta e sete por cento dos pais anos de idade no ano anterior. Cerca de um terço
espanhóis acham que os tapas são necessários dos jovens de 15 a 17 anos tinham apanhado.
para educar uma criança a qualquer momento;
2% acham que isso é freqüentemente
necessário; 27% admitem ter batido em seus www.endcorporalpunishment.org e www.rb.se

“Eles não deveriam bater em seus filhos, pois os


filhos lembrarão disso quando crescerem e então farão a
mesma coisa com seus próprios filhos."
GAROTO DE VANUATU, 12 ANOS

6
E T A P A 1 ENTENDENDO O PROBLEMA

4. Padrões internacionais de l assegurem que "nenhuma criança seja


castigo físico e humilhante submetida a tortura nem a outros
tratamentos ou penas cruéis, desumanos ou
degradantes" (Artigo 37).
Convenção das Nações Unidas sobre os
l assegurem que qualquer criança que tenha
Direitos da Criança (CDC)
infringido as leis penais seja tratada de modo
a promover e estimular seu sentido de
O castigo físico e humilhante viola o direito
dignidade e de valor (Artigo 40).
fundamental da criança ao respeito por sua
integridade física e dignidade humana. Esse direito
O Comitê sobre os Direitos da Criança, o órgão
é assegurado a todos, incluindo as crianças, pela
internacionalmente eleito pela CDC, declarou
Carta Internacional dos Direitos Humanos e é
consistentemente que a aceitação legal e social do
refletido no Artigo 19 na CDC, o qual exige que
castigo físico contra crianças, mesmo leve, seja no
os Estados "protejam a criança de todas as
lar ou em instituições, não é compatível com a
formas de violência física ou mental quando estiver CDC. O Comitê recomendou a proibição de
sob a guarda dos pais, do representante legal ou de toda punição corporal, inclusive na família,
qualquer outra pessoa responsável por ela". campanhas de conscientização sobre os efeitos
negativos do castigo corporal, além do
Outros artigos relevantes exigem que os Estados
encorajamento de práticas positivas, não violentas
Partes (Estados que ratificaram a Convenção):
de criação e educação da criança em mais de 120
Estados em cada continente.*
l reconheçam que em todas as medidas
relativas às crianças, "terão consideração
Outros padrões de direitos humanos
primordial os interesses superiores da criança"
(Artigo 3).
A Declaração Universal dos Direitos Humanos, o
Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos e
l assegurem ao máximo a sobrevivência e o
a Convenção contra a Tortura proíbem o uso de
desenvolvimento da criança (Artigo 6).
tratamento ou castigo desumano ou degradante.
l adotem medidas para estimular a freqüência O Pacto Internacional sobre os Direitos
regular às escolas e a redução do índice de
evasão escolar (Artigo 28.1.e). *Hodgkin, R e Newell, P (1998) Implementation Handbook for
the Convention on the Rights of the Child. UNICEF: Genebra;
l assegurem que a disciplina escolar seja inclui uma análise da jurisprudência do Comitê sobre o castigo
"compatível com a dignidade humana da físico (página 242 et seq). Os documentos do Comitê estão
disponíveis em www.unhchrch, e uma análise detalhada deles
criança e em conformidade com a presente se encontra em www.endcorporalpunishment.org.
Convenção" (Artigo 28.2).

“Se isso for contra a lei, eles pensarão duas vezes


ANTES de bater em uma criança.”
GAROTA ADOLESCENTE , 17 ANOS, ESCÓCIA

7
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Econômicos, Sociais e Culturais enfatiza que as 5. Os efeitos do castigo físico e


instituições educacionais têm a obrigação de
promover a dignidade dos indivíduos. Além disso, humilhante contra crianças
o Comitê de Direitos Humanos, o Comitê sobre
Direitos Econômicos, Sociais e Culturais e o A. Conseqüências físicas
Comitê contra a Tortura condenaram o castigo
físico e humilhante contra crianças, As conseqüências do castigo físico podem variar
particularmente em escolas e instituições. entre a dor física, cortes e arranhões pequenos,
até danos sérios que resultem em incapacitação
Ademais, todos os padrões internacionais física crônica. Pesquisas extensas fundamentam a
referentes à administração de justiça deixam claro teoria de que o castigo físico e humilhante é uma
que o castigo corporal deve ser estritamente estratégia disciplinar ineficaz para crianças de
proibido, seja como sentença da corte ou como todas as idades, além de ser perigoso. Uma das
medida disciplinar no sistema judicial. A Regra
17.3 das Regras Mínimas das Nações Unidas para
l No Reino Unido, três quartos de um
a Administração de Justiça da Infância e da
grande número de mães pesquisadas nos
Juventude ("Regras de Beijing") declara que "jovens
anos 90 admitiu dar palmadas em seus
não serão submetidos a penas corporais".
bebês antes que atinjam um ano de
As Diretrizes das Nações Unidas para a
idade.
Prevenção da Delinqüência Juvenil ("Diretrizes de
Riad") declaram que "nenhuma criança ou jovem l Uma investigação sobre o castigo físico
deverá ser objeto de medidas severas no lar, em uma província do Paquistão,
degradantes de correção ou castigo no lar, na inclui contas pessoais, como a de Fida, de
escola ou em qualquer outra instituição (Artigo nove anos: "Uma vez, meu pai me deu um
52). As Diretrizes afirmam, ainda, que "os sistemas tapa no rosto com toda a força. Eu senti
de educação deverão dar atenção especial a evitar uns barulhos estranhos no ouvido. A sala
medidas disciplinares severas, particularmente o começou a girar em círculo. Meu nariz
castigo corporal". As Regras das Nações Unidas começou a sangrar e eu caí no chão.”
para a Proteção de Jovens Privados de Liberdade
deixam claro que "serão estritamente proibidas l Ishtiaq, de dez anos: “Meu pai me
todas as medidas disciplinares que se traduzam pendurou de cabeça para baixo por jogar
num tratamento cruel, desumano ou degradante, críquete. Ele me bateu com um bastão e
tais como castigos corporais (...) ou qualquer outro me disse para nunca chegar perto do
castigo que possa comprometer a saúde física ou críquete de novo.”
mental do adolescente em causa" (Regra 67).

“A criança pode não entender porque está sendo castigada e


aprender a exercer poder e autoridade por meio da violência.”
GAROTA ADOLESCENTE, 18 ANOS

8
E T A P A 1 ENTENDENDO O PROBLEMA

preocupações é que o castigo vai perdendo a


eficácia com o uso, de modo que se faz
necessário aumentar a severidade
sistematicamente. Conforme vão se tornado
insensíveis ao que estão fazendo e frustrados pela
diminuição dos resultados, pais, professores e
outros responsáveis passam dos tapas leves às
pancadas pesadas. Conseqüentemente, as crianças
podem sofrer ferimentos que necessitem
cuidados médicos, que deixem danos
permanentes e, até mesmo, que causem a morte.
Existe uma relação entre o castigo físico e
humilhante e a depressão, a queda na auto-estima,
B. Conseqüências psicossociais problemas psicológicos e um relacionamento ruim
com os pais. A lista a seguir fornece uma indicação
Embora as conseqüências físicas sejam mais óbvias de alguns efeitos psicossociais mais conhecidos do
e imediatas, são os aspectos psicossociais de castigo físico e/ou humilhante contra crianças.
longo prazo os que causam mais preocupação.
Não importa a idade, a mente da criança em l Ele diminui a auto-estima da criança, fazendo
desenvolvimento sofre danos com o tratamento com que tenham pouco autocontrole e
violento. promovendo expectativas negativas sobre si
mesmas.

Com entá rios da s cria nça s sobre com o se sentem


a o serem ca stig a da s fisica m ente
Os efeitos sobre a auto-estima das crianças: “Eu nunca conto para a minha mãe quando apanho
dos patrões, porque ela fica muito triste. Então eu
“Isso faz com que a gente não goste do que é.” só choro e guardo a tristeza para mim.”
Menina espanhola Menina de 7 anos, trabalhadora doméstica,
Bangladesh
“Eu odeio que me chutem. Não ligo para a dor,
mas me sinto humilhado.” Menino paquistanês A vergonha e a humilhação das crianças ao
apanharem na frente dos colegas ou de
“A gente fica com raiva e perde o amor estranhos e o sentimento de injustiça por não
próprio.” Menina escocesa serem ouvidas:

O sentimento de tristeza e impotência das “Quando me batem ou me xingam na frente dos


crianças: clientes, eu fico com muita vergonha… Está tudo
bem se eles (os patrões) me xingarem quando não
“Quando o mestre (professor) me bate com o tem ninguém por perto, mas por que fazer isso na
bastão, dá vontade de arrancar o bastão da frente de todo mundo?”
mão dele e bater nele também.” Menina de 9 Menina de 9 anos, trabalhadora doméstica,
anos, trabalhadora doméstica, Bangladesh Bangladesh

9
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l O castigo interfere no processo de l Ele ensina as crianças a vincular o amor à


aprendizagem e no desenvolvimento cognitivo, violência. Exatamente as pessoas que deveriam
sensorial e emocional. Pesquisas indicam que amá-las também as machucam, e isso leva à
crianças castigadas de forma física e humilhante suposição de que a violência é possível e
têm um desempenho fraco nas tarefas normal em uma relação de amor.
escolares se comparadas a outras crianças
(Straus, 1999). As crianças citam, com l O castigo estimula a raiva e, para alguns,
freqüência o castigo físico e humilhante como o o desejo de fugir de casa.
motivo para sair da escola, junto com fatores
l A mensagem mais forte e normalmente não
como pobreza e discriminação de gênero.
intencional que o castigo físico e humilhante
l Ele desestimula o uso da argumentação. Ao deixa na mente da criança é que a violência é
excluir o diálogo e a reflexão, ele atrapalha a um comportamento aceitável e que é correto
capacidade de compreender a relação entre o uma pessoa mais forte usar a força para coagir
comportamento e suas conseqüências. o mais fraco.

l Ele faz com que as crianças se sintam solitárias l Violência gera violência. O castigo ensina a
e tristes, abandonadas, diminuindo sua violência e a vingança como soluções dos
confiança na sociedade como um ambiente problemas e se perpetua, já que as crianças
protetor. Ele gera uma visão negativa das imitam os adultos. A vitimização na infância de
outras pessoas e da sociedade como um lugar meninos e meninas leva a distúrbios de
ameaçador. personalidade anti-social, criminalidade e
violência. Crianças expostas a níveis muito altos
l Ele cria barreiras que impedem a comunicação de violência durante o crescimento são mais
entre pais e filhos e prejudica os laços suscetíveis a usar a violência para resolver
emocionais estabelecidos entre eles. O castigo problemas quando adultas (Porteus et al,
físico e humilhante desgasta a confiança entre a 2001). O castigo físico e humilhante
criança e os pais, e aumenta o risco do abuso normalmente gera, nas vítimas, raiva,
contra a criança (Alyahri, 2004). ressentimento e baixa auto-estima.

10
E T A P A 1 ENTENDENDO O PROBLEMA

l Crianças submetidas ao castigo podem 6. A diferença entre o castigo


manifestar dificuldades de integração social.
físico e humilhante e a
l Ele não ensina as crianças a cooperarem disciplina positiva
com a autoridade; ele as ensina a obedecer as
regras ou a infringi-las.
O castigo é um processo cujo foco recai no que a
A Save the Children consultou crianças na criança fez de errado. Ele é baseado no princípio
Escócia sobre o castigo físico e gravou mais de de que a criança precisa sofrer para ser
40 adjetivos para descrever o que o castigo encorajada a entender o que ela fez e
físico lhes causava. Esta lista enfatiza a ineficácia desencorajada a fazê-lo novamente.
do castigo físico e humilhante. Nenhuma dessas
crianças escocesas usou adjetivos como "mais Como o castigo físico é normalmente usado por
esperto" ou mesmo "arrependido" para pessoas que a criança ama e que são responsáveis
descrever como se sentem ao apanharem. por ela, ele estabelece um vínculo entre amor e
violência. Quando as pessoas nos amam e nós
As crianças disseram se sentir: "machucadas, somos mais fortes que elas ou temos autoridade
feridas, assustadas, irritadas, não amadas, sobre elas, nós temos um poder do qual
aterrorizadas, preocupadas, solitárias, tristes, podemos abusar. O castigo físico e humilhante é
zangadas, sozinhas, abandonadas, amedrontadas, um abuso de poder. É importante que os pais
mal-humoradas, apavoradas, enjoadas, entendam a diferença entre ter autoridade sobre
atordoadas, ameaçadas, ofendidas, mal, abusadas as crianças usando técnicas de disciplina positiva e
fisicamente, com ódio, magoadas, infelizes, abusar do poder que possuem por meio do
horríveis, envergonhadas, não queridas, confusas, castigo físico e humilhante.
constrangidas, ressentidas, negligenciadas,
subjugadas, humilhadas, com raiva, desapontadas, O castigo físico e humilhante realmente garante,
doloridas, desgraçadas, intimidadas, algumas vezes, a obediência imediata da criança,
desprotegidas, indesejadas, inconsoláveis, mas essa solução fácil para os pais e
maltratadas, deprimidas, chocadas".
Isso Não Resolve Nada!
Save the Children Reino Unido, 2001b

“Eu roubei carne cozida da vasilha. Roubei a carne porque estava


com fome… Minha mãe me viu comendo. Eu estava sentado na
porta da cozinha. Quando eu a vi, não consegui fugir, ela me pegou e
me castigou muito. Depois do castigo, meu pai chegou e minha mãe
contou para ele. Ele ficou muito bravo e me castigou também. Aí eu
fugi para a casa da minha tia, mas ela me mandou de volta e meu
pai me castigou de novo. Então eu fugi para a casa do meu tio e
disse a ele o que tinha acontecido. Meu tio me levou para a casa. Ele
reclamou com meus pais e eles não me bateram mais naquele dia.”
MENINO ZIMBABUANO, 10 ANOS

11
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

professores não é uma vantagem a longo prazo. Ele A disciplina positiva supõe que a criança deseja se
pode ser mais rápido e mais fácil que os métodos comportar bem, mas que precisa de ajuda para
de disciplina positiva, mas pode prejudicar o entender como fazer isso. Ela funciona com base
desenvolvimento da criança e o relacionamento no princípio de que as crianças aprendem mais
entre pais e filhos. As crianças podem atender aos por meio da cooperação e da recompensa do
desejos dos adultos imediatamente após a surra, que por meio do conflito e do castigo.
mas crianças mais novas normalmente não Ela também gera a idéia de que quando a criança
lembram porque apanharam, e elas só vão se se sente bem, ela tende a se comportar bem e
esquivar do mau comportamento, se estiverem quando se sente mal, tende a se comportar mal.
diante de uma ameaça iminente de apanhar. Esse Essa abordagem significa que:
tipo de castigo faz com que, por medo, as crianças
l o comportamento aceitável é exemplificado
adotem certos comportamentos: ele não ajuda as
pelos pais, quando a criança se porta bem ela é
crianças a desejarem se comportar nem as ensina a
premiada com atenção e elogios.
autodisciplina ou promove algum tipo de
comportamento alternativo. Na verdade, muitos l é sempre o comportamento que é criticado
teóricos do comportamento questionam a validade como sendo ruim, não a criança.
do castigo como ferramenta de aprendizagem,
recomendando, em seu lugar, sistemas de l o mau comportamento recebe a menor
recompensa por comportamento positivo. atenção possível e não é recompensado.

“Eu estava brincando com meus amigos no quintal de um vizinho. Meu


pai veio e me perguntou: 'Por que você não foi buscar água?' Então ele
me socou no rosto e nas costas. Meus braços ficaram roxos e meu nariz
sangrou. Então meu pai e minha mãe me levaram ao centro de saúde
da Save the Children para me tratar.”
MENINA NEPALESA, 9 ANOS

12
E T A P A 1 ENTENDENDO O PROBLEMA

l os pais têm expectativas realistas a respeito do l os pais passam a conhecer melhor seu próprio
que seus filhos são capazes em idades limite de tolerância e a desenvolver estratégias
diferentes e não exigem mais do que eles para lidar como ele evitando bater nos filhos.
podem atingir.
l as crianças são ouvidas, suas opiniões recebem
l limites e regras são claramente estabelecidos e a consideração adequada e elas são tratadas
consistentemente impostos de forma não- de forma justa e respeitosa.
violenta, de modo que a criança entenda o que
se espera dela. Os pedidos são colocados l a disciplina tem uma relação clara e
positivamente, ou seja, se diz mais "faça isso" do proporcional com o comportamento que
que "não faça isso". requer mudança.

l são definidos limites claros para assuntos l podem ser usadas sanções que não são físicas
importantes mas com abertura para negociar nem humilhantes.
pontos menos importantes.

13
Etapa 2
Compromisso

ETAPA 2
com a mudança

“Nós devemos praticar o que


defendemos – não podemos
bater em nossos filhos."
MEMBRO DA EQUIPE SAVE THE CHILDREN EM WORKSHOP NO CAIRO
SOBRE O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE, 2003.
Etapa 2
Compromisso com a mudança

Esta Etapa examina os problemas organizacionais e de equipe a


serem considerados quando se desenvolve um programa para
erradicar o castigo físico e humilhante contra crianças. É
necessário que a própria equipe entenda por que é importante
erradicar o castigo físico e humilhante e que se comprometa
com a causa para que o programa tenha efeito.

1. Introdução

2. Mudança pessoal: o que está em jogo?

3. Apoio organizacional e gerenciamento do processo


de mudança pessoal
A. Trabalhando com a negação e a resistência
B. Trabalhado com a exploração e o comprometimento

4. Desenvolvendo uma política de proteção à criança

“Nós devemos praticar o que defendemos – não


podemos bater em nossos filhos."
MEMBRO DA EQUIPE SAVE THE CHILDREN EM WORKSHOP NO CAIRO
SOBRE O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE, 2003.

14
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Introdução l garantir que as atitudes e valores de


seus próprios gerentes, sua equipe e seus
Qualquer organização que deseje trabalhar para parceiros sejam baseados em direitos e estejam
promover e proteger os direitos da criança precisa afinados com o objetivos do programa.
entender que o castigo físico e humilhante
é uma violação desses direitos. É essencial, l desenvolver mensagens, políticas e estratégias
portanto, que os gerentes seniores, os membros coerentes para levar a questão adiante de
da equipe e os parceiros compreendam que eles modo que todos entendam completamente a
não podem declarar que acreditam nos direitos da importância do problema e o compromisso da
criança e que trabalham para protegê-los, quando organização ao lidar com ele.
estão, na verdade, violando esses direitos ou
Para os gerentes, a equipe e os voluntários,
tolerando sua violação em suas vidas pessoais e
é necessário:
sociais.
l treinamento prático e apoio daqueles que
Acreditar nos direitos humanos significa praticá-los.
participarão em qualquer nível do trabalho de
Esse é um problema profundamente pessoal combater o castigo físico e humilhante. Seus
para a maioria das pessoas. Alguns são pais objetivos serão:
ou responsáveis, tios e tias, e suas experiências – obter o comprometimento pessoal com o
problema
com a infância influenciam sua visão sobre o
– ajudar a todos a conciliar sua prática em sua
uso do castigo físico. A maioria das pessoas foi
vida pessoal com as mensagens defendidas
castigada fisicamente quando criança; a maioria dos
no nível profissional
pais já bateu em seus filhos. A visão da sociedade
– facilitar a mudança de comportamento.
mais ampla tem reflexo sobre as
equipes de apoio e gerenciamento de qualquer l Diretrizes, estratégias e técnicas para lidar com
organização, o que dificulta a abordagem do tema o problema na arena pública, por exemplo, na
sob uma ótica lógica e humana. Portanto, se uma mídia, em conferências, com governos.
organização deseja desenvolver programas contra
o castigo físico e humilhante em um país ou região,
será necessário, em todos os níveis:

“Mesmo o castigo físico e humilhante leve não ajuda as crianças a


aprender. Os professores dizem aos alunos que apanhando eles
aprenderão e se sairão bem nas provas. Comigo, eu apenas fico
esperando com medo na sala, aí eu não consigo nem me comunicar. Eu
só sinto medo quando o professor está ensinando. Eu fico pensando se
ele vai me bater. Não consigo aprender assim.”
GAROTO QUENIANO, 17 ANOS

15
E T A P A 2 COMPROMISSO COM A MUDANÇA

No nível organizacional, é necessário: sobre seus pais e isso pode atrapalhar uma
consideração imparcial e compassiva dos
l uma mensagem unificada e bem definida sobre argumentos. O problema é, assim, quase sempre
o castigo físico e humilhante como violação de muito polêmico e pode provocar culpa, raiva e
direitos. confusão. Tudo isso é compreensível. Porém, o
fato de ser compreensível não faz com que seja
l desenvolvimento e disseminação da política da correto.
organização sobre o castigo físico e humilhante.
A mudança de atitudes e comportamentos tão
l informar a todos os gerentes e membros da profundamente arraigados não acontece,
equipe que o combate ao castigo físico e obviamente, da noite para o dia. Isso leva tempo e
humilhante é uma prioridade da organização. reflexão, mas é possível. Organizações que
queiram tratar do problema do castigo físico e
l uma estratégia clara para trabalhar com o humilhante precisam estar dispostas a investir
problema voltada para uma reforma jurídica, na tempo, energia e recursos por um determinado
conscientização, educação e treinamento, e período se quiserem assegurar a compreensão e
que inclua ativamente as crianças participantes o compromisso pessoais da equipe em relação ao
em todos esses processos. problema.

l apoio contínuo a todos os níveis da equipe Os estágios do processo de mudança de atitude


envolvidos no programa. normalmente incluem:

l Negação Essa costuma ser a primeira reação à


2. Mudança pessoal: introdução de políticas sobre o castigo físico e
humilhante. Por exemplo, pesquisas com
O que está em jogo? crianças em um determinado país podem
Na maioria dos aspectos dos direitos da criança indicar que uma de suas principais
(educação, saúde, proteção contra abusos, etc), preocupações é o castigo físico e humilhante,
a equipe e os parceiros se comprometem mas essa pode não ser a resposta que a equipe
inteiramente com o combate a violações e a esperava e desejava. Eles não entendem a
realização de campanhas nesse sentido. Mas o necessidade da mudança de atitude, nem
problema do castigo físico e humilhante é concordam que isso seja uma prioridade. Eles
diferente: ele toca em questões de cunho pessoal, preferem continuar com seu trabalho atual.
social e cultural de todos os envolvidos. A Nesta etapa, a equipe não está toda engajada
realidade é que, como o castigo físico é no processo.
amplamente usado na maioria dos países, além de l Resistência Em geral, após algum tempo,
ser socialmente aceitável, é provável que muitos quando fica claro que a nova idéia não vai
membros da equipe aprovem seu uso e achem desaparecer, os membros da equipe resistem
difícil vê-lo como uma violação de direitos. É uma mais ativamente às mudanças. Eles expressam,
prática que passa de geração a geração como de algum modo, as razões de não
parte da cultura da criação dos filhos. Por isso, os concordarem ou de estarem insatisfeitos, ou de
membros da equipe podem tanto ter a se sentirem inseguros sobre as mudanças
experiência do castigo físico quando crianças propostas. Embora este seja um estágio difícil,
como fazer, eles mesmos, uso do castigo. É difícil ele é crucial, pois aí os membros da equipe
pensar de forma negativa sobre si mesmo ou estão realmente refletindo sobre o problema.

16
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Essa etapa oferece oportunidades importantes 3. Apoio organizacional para


para os gerenciadores do processo ouvirem, se
comunicarem, entenderem e apoiarem os gerenciar o processo de
membros da equipe conforme eles se mudança pessoal
conscientizam do problema.
A. Trabalhando com a negação e a resistência
l Exploração Agora, a conexão com as
mudanças previstas ganha uma nova dimensão. Para ajudar a equipe a atravessar os estágios de
Os membros da equipe estão lidando com negação e resistência, você deve se empenhar no
suas posições pessoais em relação a essa seguinte processo:
mudança e, ao mesmo tempo, começam a
Criar espaço para que a equipe explore e
pensar sobre como isso pode se aplicar ao
discuta o problema
contexto da mudança organizacional. Neste
estágio, se eles estiverem envolvidos em A apresentação da idéia de que a organização vai
explorar possíveis estratégias de mudança – combater o castigo físico e humilhante
compartilhamento de idéias, preocupações e possivelmente enfrentará a negação e a resistência
planos – é muito mais provável que eles dos membros da equipe porque:
passem para o próximo estágio,
comprometendo-se com as mudanças. l essa é uma questão muito pessoal, que pode
colocar em questão e desafiar diretamente as
l Compromisso Esta é a fase final de uma experiências das próprias pessoas na infância, o
introdução de mudanças bem sucedida. O comportamento de seus pais e até seu próprio
maior número possível de membros da equipe comportamento como pais.
agora está na mesma posição – desejando a
mudança para trabalhar e comprometendo-se l é um assunto normalmente visto como privado
com sua realização. Eles superaram a fase de (da vida familiar), não como um problema de
resistência e exploração, nas quais proteção à criança ou aos direitos da criança –
consideraram a forma como devem ocorrer as exceto quando atinge níveis de abuso que
mudanças e chegaram a um acordo. Esta fase requerem intervenção dos serviços públicos
se caracteriza pelo planejamento claro, domínio (profissionais médicos, assistentes sociais ou a
de planos e alto nível de confiança no papel e polícia). Os membros da equipe podem achar
na contribuição de todos com suas melhores que, ao fazer campanhas com este tema,
idéias. podem estar se intrometendo de forma

“Voltando atrás, eu vejo o quanto estava errado. Eu achei


que sabia tudo sobre proteção à criança. Por isso pensei que
não aprenderia nada de novo com esse treinamento. Mas
agora entendo claramente, como funcionário da Save the
Children e como pai, que existe uma diferença clara entre a
disciplina positiva e o castigo.”
MEMBRO DA EQUIPE SAVE THE CHILDREN EM TREINAMENTO SOBRE ALTERNATIVAS AO
CASTIGO FÍSICO, CABUL, ABRIL DE 2004

17
E T A P A 2 COMPROMISSO COM A MUDANÇA

não-autorizada e indesejada na vida pessoal Na Rep. Popular do Laos, há relatos de que


dos outros. houve resistência quando um workshop sobre
castigo físico foi ministrado. Constatou-se que
l o castigo físico é, ainda, aprovado em algumas era difícil fazer com que a equipe da Save the
práticas tradicionais de educação dos filhos, em Children comparecesse, pois a maioria achava
alguns contextos educacionais e em algumas que bater nas pessoas era uma forma
aceitável de disciplina. No workshop, a maior
interpretações de textos religiosos ou doutrinas
parte da manhã foi gasta para estabelecer até
(ex.: o Velho Testamento, a doutrina Islâmica
que nível a surra era nacionalmente aceitável.
ou a interpretação de textos). Novamente, a
Os apresentadores do Laos enfatizaram que é
equipe pode achar que não deve interferir em difícil – até impossível – defender a abolição
um comportamento tolerado por líderes do castigo físico junto a parceiros do governo
religiosos e outros. se a própria equipe da Save the Children
ainda não tiver assimilado essa política. Porém,
Na etapa inicial do trabalho com a equipe nesta eles relataram que, ao final de 2003, a
fase, suas visões e preocupações precisam ser abolição do castigo físico tinha sido
claramente compreendidas, discutidas e incorporada em políticas e programas. As
contestadas em um ambiente aberto e honesto. abordagens de programação com base em
Um aspecto fundamental desse processo é a direitos
abordagem: será mais fácil para os adultos ajudaram. Até aquele ponto, a equipe discutia
em termos gerais sobre os quatro direitos
considerarem e mudarem suas atitudes e
básicos (sobrevivência, desenvolvimento,
comportamentos em relação ao castigo físico e
proteção e participação) em lugar de enfocar
humilhante se eles fizerem esse trajeto por suas problemas específicos, como o castigo físico.
próprias experiências como crianças do que por Para enfrentar os obstáculos, o escritório da
suas experiências como adultos. Qualquer Save the Children Noruega na República
trabalho com a equipe nessa área precisa ser Popular do Laos está documentando e
tratado com extrema sensibilidade, com a revisando o treinamento da CDC nacional
compreensão de que pode ser necessário (atualmente uma atividade de amplas bases
oferecer um apoio maior aos membros da equipe em nível macro) que precisa ser desenvolvido
novamente em pacotes de treinamento que
que possuam experiências dolorosas.
abordem problemas de direitos

18
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

específicos, como o castigo físico (Ennew e Plateau, podem ocorrer em uma série de contextos
2004). diferentes, por exemplo, como parte do
desenvolvimento de programas, em sessões de
Forneça treinamento sobre as mudanças e os supervisão, em workshops dedicados ao
argumentos contra o castigo físico e problema, etc.
humilhante
O quadro a seguir lista alguns dos argumentos
Você deve criar oportunidades para a equipe se usados para defender o castigo físico e humilhante
envolver no debate sobre a prática do castigo e os contra-argumentos que podem ser
físico e humilhante para ajudá-los a: empregados. Você precisará se familiarizar com
essas questões para preparar o treinamento da
l entender por que os adultos usam o castigo equipe.
físico e humilhante.
Forneça ferramentas, recursos e apoio para
l entender e aceitar que o castigo físico e fundamentar as discussões
humilhante constitui uma violação dos direitos
da criança. O apoio do gerenciamento será a chave para o
sucesso desses estágios, garantindo que:
l contestar os argumentos normalmente usados
l a organização se comprometa de forma clara e
para defender o castigo físico e humilhante.
inequívoca com a importância de erradicar o
Embora muitas sociedades considerem seus
castigo físico e humilhante.
métodos para a educação dos filhos exclusivos
de sua cultura, existem justificativas globais para l os membros da equipe que estejam
o uso do castigo físico e humilhante trabalhando no problema recebam apoio caso
encontradas em diversos contextos diferentes. sejam, por exemplo, criticados ou isolados por
colegas resistentes ao assunto.
l discutir e aprender formas alternativas de
educar os filhos e o conceito de disciplina l embora programas que enfocam o castigo físico
positiva. e humilhante realmente necessitem mudança e
comprometimento pessoal, os membros da
l desenvolver formas de compreender e equipe não podem sentir que suas vidas
combater barreiras culturais locais em torno do privadas estão sendo monitoradas ou criticadas,
castigo físico e humilhante. ou que eles serão submetidos a medidas
disciplinares caso se descubra que eles, na
Essas discussões e oportunidades de aprendizado
verdade, batem em seus próprios filhos.

“Eu preciso admitir que no estágio inicial eu não estava convencido de


que o castigo físico e humilhante não funcionava. Mas quando eu
conheci as alternativas durante os cursos de treinamento, comecei a
mudar pouco a pouco a forma como administrava meus filhos. Eles
disseram que preferiam muito mais essa forma mais qualitativa de
explicar-lhes por que eu perdia a cabeça com eles. Percebi que essa
nova forma funcionava melhor em longo prazo!”
PARCEIRO DA SAVE THE CHILDREN ESPANHA NA ARGENTINA

19
E T A P A 2 COMPROMISSO COM A MUDANÇA

Razões usadas para defender o


castigo físico Contra-argumentos

As crianças precisam aprender, com o castigo É necessário mostrar as diferenças entre técnicas de disciplina
físico, a respeitar os mais velhos, diferenciar o positiva que não desrespeitam direitos fundamentais da criança e
certo do errado, obedecer regras e se o castigo físico e humilhante. Disciplina positiva, normas e limites
esforçar. Sem isso elas se tornariam são necessários para o bom desenvolvimento das crianças, mas
indisciplinadas. não é necessário usar violência para implementá-los.

O castigo é necessário por segurança: de A segurança da criança deve ser garantida, mas pode ser
outro modo, como impedi-los de se conseguida sem o uso da violência. Na verdade, o castigo físico e
queimarem ou saírem correndo no trânsito? humilhante aumenta os riscos para a criança ao colocá-la sob
risco de sofrer danos psicológicos e físicos.

A forma como as crianças são criadas é Cada Estado tem a responsabilidade de proteger a integridade
problema da família, não do Estado. física e a dignidade humana da criança e de proteger a criança de
toda forma de violência, onde quer que ela aconteça. De outro
modo, estaríamos defendendo que os pais podem fazer o que
quiserem com seus filhos pois são "donos" deles.

Eu faço com meus filhos o que meus pais As sociedades não são estáticas. Muitos homens batiam e ainda
fizeram comigo. Eles me castigavam e nada de batem em suas mulheres, o que não quer dizer que isso esteja
ruim me aconteceu. certo. Conforme mudam as gerações, a sociedade se move
aprendendo com pesquisas e evidências sobre seus erros e
desenvolve outros métodos mais apropriados de educar os filhos.

Isso é parte de nossa cultura, tradição e O castigo físico e humilhante não é um problema cultural. Ele
religião. acontece no mundo todo. Está relacionado à forma como os
adultos administram o poder e a violência em suas próprias
relações pessoais, e com quanto eles respeitam as crianças como
portadores de direitos humanos iguais.

Muitos pais neste país criam seus filhos em A pobreza não é a causa do uso do castigo físico e humilhante.
condições desesperadoras, e os professores e Ele é usado no mundo todo, independentemente do nível
outros profissionais estão sob o estresse da econômico do país. É necessário dar aos pais condições
superlotação e da falta de recursos. A suficientes de criar seus filhos, mas precisamos entender que a
proibição do castigo físico e humilhante pobreza não justifica a violação do direito da criança ao respeito
aumentaria o estresse e atrasaria a melhora por sua dignidade e integridade física.
dessas condições.

Se o castigo físico e humilhante de crianças for O principal objetivo de proibir todas as formas de castigo físico e
proibido ou criminalizado, os pais serão humilhante não é punir nem criminalizar mais os pais. Ao
levados a julgamento. As crianças serão contrário, o objetivo é proteger os direitos da criança e mudar o
encorajadas a agir como polícia e espiões comportamento para promover um maior respeito pela criança.
dentro de casa. Mudar a lei para banir o A mudança da lei é uma mensagem clara de que bater nas
castigo físico e humilhante fará pouca diferença crianças é errado. Evidências de todos os países que baniram o
em Estados onde a lei não é amplamente castigo indicam que isso muda o comportamento, mas não faz
respeitada ou cumprida. com que mais pais sejam processados.

20
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l informações sobre o castigo físico e humilhante da campanha para erradicar o castigo físico e
sejam disseminadas em toda a organização por humilhante. Eles devem participar do
meio de, por exemplo, boletins informativos, desenvolvimento de novas direções estratégicas,
inclusão em agendas de reuniões ou instruções. de forma adequada e inclusiva. É importante que
O objetivo é a conscientização sobre os a equipe seja guiada nessa nova direção por um
problemas e fomentar a reflexão e a discussão. membro da equipe (parceiro ou mentor) que
O material pode incluir informações sobre a tenha sido treinado no desenvolvimento desse
relação do castigo físico e humilhante com os tipo de programas. Esse processo envolverá:
direitos da criança; o mandato da organização
sobre os direitos da criança; a importância de 1. Identificar a necessidade de mudança: clareza
uma reforma jurídica; a forma como o sobre por que a organização deve combater o
problema do castigo físico e humilhante se castigo físico e humilhante, e por que o
relaciona a outros trabalhos da organização, problema é relevante para suas principais áreas
além fatos e dados globais. de trabalho (ex.: como um problema de
direitos da criança, como relevante para a
educação, para a proteção à criança e para o
B. Trabalhado com a exploração e o trabalho de participação da criança).
comprometimento 2. Esclarecer sobre a necessidade da mudança:
Uma vez que os membros da equipe estejam ter clareza conceitual sobre o castigo físico e
comprometidos com a questão, eles precisarão se humilhante em todos os níveis: como
envolver no desenvolvimento e implementação

21
E T A P A 2 COMPROMISSO COM A MUDANÇA

seu combate se reflete atualmente nas políticas e 5. Fornecendo apoio contínuo à equipe:
práticas da organização? O que precisa mudar? Haverá muitas situações em que as pessoas
Isso ajuda a obter informações por meio da que coordenam o trabalho para a erradicação
análise de situações (consulte a Etapa 3). do castigo físico e humilhante enfrentarão
situações difíceis, mesmo dentro da própria
3. Desenvolvendo um plano de ação: este item é organização. Outros membros da equipe
abordado com detalhes na Etapa 4, mas deve podem considerar que essa área de trabalho
tratar de: não é essencial ou tão importante como as
- reforma jurídica – o ponto de partida para a outras. Eles podem ter de lidar com situações
mudança é acabar com a legitimidade do castigo difíceis com a mídia, situações em que sentirão
físico e humilhante em todos os contextos que não têm recursos ou apoio organizacional
(lares, creches, abrigos, escolas, instituições de suficiente. É muito importante apoiar a equipe
cuidado da criança, delegacias de polícia, nos estágios iniciais e ao longo de todo o
instituições penais, trabalho infantil). processo do programa.
- defender a mudança de atitude e de
comportamento.
- educação e treinamento de pais e de todos os
profissionais que trabalham com crianças. 4. Desenvolvendo uma política
- participação da criança como estratégia-chave ao
longo de todas essas áreas do trabalho.
de proteção à criança

4. Projetando um sistema para avaliar o impacto A política de proteção à criança deve incorporar
do trabalho: esses sistemas devem ser o problema do castigo físico e humilhante. Os
desenvolvidos junto com o planejamento do membros da Aliança Internacional Save the
programa. As medidas do impacto podem Children e seus parceiros têm um compromisso
incluir, por exemplo, o progresso obtido em comum com a prevenção do abuso contra
reformas jurídicas, níveis de violência sofridos crianças (que inclui o castigo físico e humilhante) e
por crianças; níveis de apoio público para a a proteção da criança. Uma Política de Proteção à
mudança; número de pais empenhados na Criança da Save the Children foi desenvolvida e
campanha; continuidade do impacto dos cursos aprovada por seus membros em abril de 2003
de treinamento; avaliação do impacto de um (ver o fragmento abaixo). Esse documento deve
estudo piloto. orientar qualquer abordagem, política ou etapas

“Sou muito grato a meu diretor por me apoiar nessa questão. Eu posso
dizer com certeza que nem sempre foi fácil tentar convencer nossos
parceiros ou mesmo meus colegas no escritório. Algumas vezes, quase
desisti, mas aí meu diretor lembrava a todos sobre nosso compromisso
para melhorar a vida das crianças de acordo com a Convenção sobre os
Direitos da Criança: Nenhum menino ou menina deve viver sob ameaça
de golpes ou castigo por aqueles que deveriam tomar conta deles.”
FUNCIONÁRIO DA SAVE THE CHILDREN

22
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

realizadas pela Save the Children ou seus um claro código de conduta para qualquer
parceiros para lidar com as questões em torno do trabalho com crianças ou jovens.
castigo físico e humilhante. Ele também fornece

F ra g m ento da P olítica de P roteçã o à Cria nça da A lia nça Interna ciona l


S a ve the Children

1. Nossos valores, princípios e crenças


l Todo abuso contra a criança implica no abuso contra os direitos da criança.

l Toda criança tem direitos iguais de proteção contra o abuso e a exploração.

l A situação de todas as crianças deve ser melhorada por meio da promoção de seus direitos

conforme estabelecido na Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança. Isso inclui o direito à
liberdade de abuso e exploração.
l O abuso contra a criança nunca é aceitável.

l Temos o compromisso de proteger as crianças com as quais e para as quais trabalhamos.

l Quando trabalhamos com parceiros, eles têm a responsabilidade de atender aos padrões mínimos

de proteção à criança em seus programas.

2. O que faremos
Assumiremos nosso compromisso de proteger as crianças contra o abuso através dos seguintes meios:
l Conscientização: garantiremos que toda a equipe e outras pessoas se conscientizem do problema

do abuso e dos riscos contra a criança.


l Prevenção: garantiremos, por meio da conscientização e das boas práticas, que a equipe e outros

minimizem os riscos contra a criança.


l Denúncia: garantiremos que a equipe e outros tenham clareza sobre as etapas a serem tomadas

quando a segurança de crianças estiver em questão.


l Resposta: garantiremos que sejam realizadas ações para apoiar e proteger as crianças quando

houver suspeita de abuso.

Para que os padrões de denúncia e resposta acima sejam atendidos, os membros da Aliança
Internacional Save the Children também garantirão o seguinte:
l levar a sério qualquer suspeita levantada.

l adotar ações positivas para garantir a proteção das crianças sujeitas a qualquer preocupação

l apoiar as crianças, a equipe ou outros adultos que apontem suspeitas ou que sejam objeto de

preocupação.
l agir de forma apropriada e efetiva para estimular ou cooperar com qualquer processo de

investigação subseqüente.
l orientar-se no processo de proteção à criança pelos princípios dos "interesses superiores da

criança”.
l ouvir e levar a sério as opiniões e desejos das crianças.

l trabalhar em parceria com pais/responsáveis e/ou outros profissionais para assegurar a proteção das

crianças.

23
Etapa 3
Análise da
situação e
planejamento

ETAPA 3
do programa

Se você quiser conhecer os


segredos de uma casa,
pergunte a uma criança.
PROVÉRBIO TAJIK
Etapa 3
Análise da situação e
planejamento do programa

Todo planejamento de programa requer uma análise completa


da situação. Esta Etapa usa o foco nos direitos da criança para
analisar a situação predominante das crianças com relação ao
castigo físico e humilhante; para considerar os papéis e as
responsabilidades dos portadores de obrigações relevantes;
para identificar a origem das informações e para definir
prioridades para a implementação.

1. O que é uma análise da situação com base em direitos?

2. Realizando a análise
A. Mapeie o nível e a natureza das violações
B. Analise as causas das violações
C. Identifique os portadores de obrigações e analise as
lacunas de capacidade
D. Definas as prioridades

Se você quiser conhecer os segredos de uma


casa, pergunte a uma criança.
PROVÉRBIO TAJIK

24
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. O que é uma análise da situação 2. Realizando a análise


com base em direitos?
A. Mapeie o nível e a natureza das
Quando a equipe e os parceiros estiverem
ativamente comprometidos com o combate ao
violações
castigo físico e humilhante contra crianças, a
próxima etapa será trabalhar em conjunto para O que você precisa descobrir
desenvolver uma estratégia de intervenção para
O primeiro estágio da análise da situação é
erradicar essas práticas. A análise da situação
descobrir o que está acontecendo com as crianças
formará o primeiro estágio essencial no processo.
e elaborar um panorama do uso do castigo físico
Ela envolve uma análise profunda do que está
e humilhante contra elas. Por exemplo:
acontecendo no contexto local, dos motivos
que levaram a essa situação, a capacidade e os
A escala e a natureza do problema
recursos disponíveis localmente e o potencial
para aproveitá-los. A análise da situação fornece l Qual a extensão do problema? Existe alguma
informações e dados que permitem à equipe e evidência da predominância do uso do castigo
aos parceiros do projeto tomar decisões físico no lar, em escolas, em instituições
fundamentadas quanto à definição de prioridades residenciais ou em instituições penais? Quantas
para intervenções e operar de forma mais crianças são afetadas e com que freqüência elas
eficiente e sensível com os grupos-alvo. Ela sofrem esse tipo de castigo?
também fornece informações de base, que serão
essenciais para avaliar o progresso e o impacto de l Que tipo de castigo é usado em cada
longo prazo de uma intervenção. ambiente? As crianças são espancadas com
objetos pelos pais, professores ou a polícia?
Para entender a situação enfrentada pela criança Que outras formas de castigo humilhante são
e a melhor forma de combater as violações de usadas?
seu direito de não sofrer castigo físico e
humilhante, será necessário realizar uma análise da l Qual a gravidade desses castigos? Há evidências
situação com base em direitos. Ela envolve: de crianças que necessitem tratamento
médico? Como as crianças respondem à
l mapear a violação dos direitos da criança experiência do castigo?
analisar as causas imediatas e subjacentes, além
dos obstáculos para o cumprimento. l Há diferenças entre os pais e os tipos de
castigos sofridos pelos diferentes grupos de
l identificar os portadores de obrigações crianças, ex.: meninos e meninas, crianças com
(aqueles encarregados de respeitar, proteger e necessidades especiais ou crianças de
cumprir os direitos da criança) e investigar suas determinados grupos étnicos?
funções e responsabilidades, além de analisar as
"lacunas de capacidade" desses grupos de
pessoas.

l definir prioridades de ação.

25
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

Estrutura jurídica e policial


Atitudes culturais mais amplas com
Essas perguntas devem incluir:
respeito a funções e relações de gênero
l Que tratados de direitos humanos foram influenciam o castigo aplicado contra a
ratificados pelo governo?
criança. Muitas culturas usam o castigo
l O governo fez alguma ressalva em relação aos físico e humilhante acreditando que essa é
tratados? Em caso positivo, quais foram elas?
uma maneira apropriada de educar
l Qual o status desses tratados de direitos meninos ensinando-os a serem homens.
humanos na lei local – eles foram promulgados Meninas podem receber mais castigos
na forma de leis domésticas? Existe uma
incorporação automática da lei internacional?
humilhantes, enquanto os meninos são
mais punidos fisicamente. Pesquisas
(A maioria das questões a seguir é abordada com
sugerem, ainda, que os pais em lares onde
mais detalhes na Etapa 4A, sobre Reforma jurídica.)
as famílias são comandadas por homens
l Há legislação para proteger as crianças contra o
são mais propensos a usar o castigo físico
castigo físico e humilhante:
– no lar? como forma de disciplinar seus filhos. Esse
– na escola? tipo de família tende a ser caracterizado
– em todas as instituições de cuidado da
por funções de gênero rígidas e
criança?
– em abrigos? hierarquizadas. O estilo da paternidade
– em instituições penais?
– pelas cortes por disposição judicial?
nessas famílias tende a ser agressivo,
autoritário e ter por base o castigo físico
A legislação relevante pode ser encontrada em
em detrimento das técnicas de castigo
leis civis ou criminais. Talvez ela se encontre
em uma legislação específica relacionada à verbal, tudo diretamente relacionado a
educação, justiça juvenil, violência doméstica, atitudes patriarcais.
família ou cuidado infantil. Ela também pode
existir em regulamentos sobre padrões em
instituições particulares.
l Existem mecanismos para monitorar a
Se houver legislação: obediência, ex.: inspeções escolares, visitas a
prisões, etc.?
l Os adultos em questão conhecem e entendem
a lei? Ex.: professores, funcionários de l Existe algum mecanismo por meio do qual as
instituições, etc. crianças possam reclamar se seu direito de não
ser submetida ao castigo físico e humilhante for
l O governo realizou as ações apropriadas para
violado?
informar os adultos em questão sobre suas
responsabilidades para com as crianças? Com ou sem legislação:

l Que ação, se houver alguma, é tomada contra l O governo realizou ações para promover a
adultos que violam a lei? disciplina positiva?

26
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

da criança no país e seus planos para


combater violações).

l relatórios alternativos (produzidos por


organizações não governamentais (ONGs) no
país, destacando sua visão sobre as questões
prioritárias).

l políticas e leis do país, etc.

l estatísticas, pesquisas e relatórios produzidos


pelo governo, pela ONU, por universidades,
institutos de pesquisa e ONGs internacionais e
locais.

l registros sobre as atas das reuniões entre o


l Os profissionais que trabalham com crianças Comitê da ONU e os representantes do
recebem treinamento sobre os direitos da governo.
criança?
l observações conclusivas realizadas pelo Comitê
Que fontes de inform a çã o estã o dos Direitos da Criança e pelos órgãos de
disponíveis? monitoramento da CDC (incluindo as
recomendações sobre ações prioritárias).
Existem três caminhos possíveis para coletar
informações.
l Relatórios dos Estados Partes e observações
Usar dados existentes conclusivas sobre outras convenções, como o
Comitê sobre os Direitos Econômicos, Sociais
Embora, em muitos países, exista muito pouca e Culturais e o Comitê contra a Tortura.
informação disponível, normalmente há algumas
fontes que podem ser usadas: Ouvir as crianças

l dados dos ministérios do governo (incluindo Por que a visão das crianças é importante
saúde, educação, justiça, serviços sociais), As crianças podem contar uma versão sobre a
relatórios de órgãos regulamentares com natureza do castigo físico e humilhante bem
responsabilidades pelos direitos da criança, diferente da contada pelos adultos. Por exemplo:
como comissões de direitos humanos ou
provedores de justiça. l Os adultos que castigam podem descrever o
que fazem, mas não podem falar sobre o que
l Relatórios dos Estados Partes (ressaltando a se sente.
avaliação oficial do governo sobre os direitos

“Existem maneiras de resolver os problemas sem surra. Isso não


faz nenhum bem para os pais ou para as crianças.”
MENINA ESCOCESA, 10 ANOS

27
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

l O adultos podem ficar relutantes em admitir análise de situação. Por exemplo, os dados de
que usam o castigo físico e humilhante e pesquisa limitados atualmente disponíveis indicam
podem não reconhecer o que ele realmente é. que as crianças com necessidades especiais sofrem
níveis desproporcionalmente maiores tanto de
l Um pai pode fornecer evidências sobre violência física como sexual. Seu baixo status social,
quantas vezes bate em uma determinada a discriminação predominante, o alto grau de
criança, mas não pode elaborar um panorama dependência e a maior invisibilidade as torna mais
mais amplo de todos os castigos que a criança vulneráveis à violência.
sofre — do outro pai, de professores, patrões
ou da polícia. Como coletar informações de crianças
É imprescindível, no trabalho direto com crianças
Somente a criança pode contribuir com essa sobre esse tema, que seja dada a consideração
informação. As experiências e opiniões das adequada à sua proteção. Ao falar sobre a
próprias crianças, portanto, são uma fonte valiosa violência que sofreram, as crianças podem se
de evidências. Elas podem fornecer uma expor a novos riscos. Os Padrões de Qualidade da
compreensão exclusiva sobre: Aliança Internacional Save the Children fornecem
l quem as pune e de que forma. orientações úteis sobre como salvaguardar as
crianças (www.savethechildren.net).
l por que os adultos usam o castigo físico.

l como elas se sentem ao serem castigadas. Os métodos de pesquisa devem permitir às


crianças expressar suas opiniões, experiências e
l como isso afeta seu comportamento. percepções, e podem ajudar as crianças a fazer
l como os adultos se comportam e se sentem isso de diversas formas. Crianças (e adultos) têm
ao castigar uma criança fisicamente. habilidades e experiências diferentes. Métodos
verbais (entrevistas e discussões) podem não
l o que pode ser feito para impedir que as funcionar com crianças pequenas. Desenhos e
crianças sejam punidas fisicamente. outros métodos visuais, como diagramas,
fotografias, figuras e sociodramas, recordações,
O único meio de pesquisar a predominância do
discussões em grupo direcionadas e enfocadas
castigo físico e humilhante no lar é entrevistando
podem ser alternativas úteis, mas é importante ter
pais e filhos em uma situação de confiança e
certeza de que os métodos são compreendidos e
confidencialidade. Estudos retrospectivos de
de que não ofendem regras culturais. É vital que
experiências da infância são possíveis, mas eles
todos os participantes trabalhem voluntariamente
deixarão de lado experiências que não podem ser
com os pesquisadores e se sintam livres para dizer
lembradas.
"não". Os métodos de pesquisa são descritos com
Que crianças devem ser ouvidas mais detalhes em How to Research the Physical and
Emotional Punishment of Children (Como pesquisar
É importante que as opiniões e experiências de o castigo físico e emocional de crianças) (Ennew e
uma ampla variedade de crianças sejam coletadas, Plateau, 2004). Algumas pesquisas com crianças e
por exemplo: crianças de idades diferentes, adultos podem incluir entrevistas, avaliações e
meninos e meninas, crianças com necessidades questionários, mas esses métodos não devem ser
especiais, crianças em ambientes rurais e urbanos, utilizados em estágios posteriores da pesquisa.
crianças de diferentes classes sociais, castas e
grupos étnicos. Elas terão histórias diferentes para Alguns outros métodos da pesquisa social são
contar, que precisam ser refletidas em qualquer chamados "participativos", mas os métodos tanto

28
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

podem ser participativos como não-participativos, Às vezes é possível realmente testemunhar o


dependendo da forma como são usados. processo cognitivo em funcionamento quando
Questionários são normalmente descritos como as crianças realmente pensam suas respostas e
ouvem as opiniões de seus pares.
"não-participativos", enquanto a coleta de
Crowley e Vulliamy, 2003
desenhos das crianças normalmente é descrita
como um método fundamentalmente Ouvir os adultos
participativo. Porém, um questionário pode ser
participativo se as crianças estiverem envolvidas Você também pode decidir que é preciso
em sua elaboração e, especialmente se elas os descobrir mais sobre os vários adultos com um
usarem para fazer sua própria pesquisa. Por outro papel influente na vida das crianças. Não é
lado, desenhos e sociodramas podem necessária nenhuma evidência para justificar as
desencorajar as crianças se elas tiverem de seguir campanhas por mudanças, mas elas podem ser
instruções dos adultos sem entender por que o valiosas como ferramenta para fundamentar a
método está sendo usado, e eles podem ser causa. Dependendo de que informação se
completamente não-participativos se as crianças mostrar necessária, você pode decidir realizar
não tiverem a oportunidade de explicar o que enquetes, entrevistas enfocadas em grupos ou em
desenharam ou não puderem confiar no fato de indivíduos. Por exemplo, talvez seja importante
que o pesquisador não usará as informações ou entrevistar pais, professores, oficiais de casas de
desenhos de forma a lhes causar constrangimento detenção e outros representantes do governo
ou a colocá-las em perigo. que forneçam informações relevantes.

As palavras usadas pelas crianças proporcionam Dentre as áreas específicas que demandam
uma compreensão importante de sua visão de pesquisa mais aprofundada na maioria dos países
mundo. As crianças têm sua própria forma de estão:
falar, assim como os outros membros da
comunidade em que vivem. Os pesquisadores l predominância da violência contra bebês e
devem usar palavras que as pessoas entendam e crianças pequenas.
empreguem no dia-a-dia, além de ter o cuidado
l diferenças de gênero predominantes, formas e
de evitar a terminologia científica. A Save the
impacto do castigo físico e humilhante.
Children Reino Unido e a Save the Children
Suécia produziram diversos guias e relatórios l vínculos entre deficiência e castigo
extremamente úteis para consultas com crianças. físico e humilhante.
Eles estão listados no fim deste Manual. Além
disso, a Etapa 4D fornece algumas diretrizes sobre l discriminação racial, étnica e de casta e
como trabalhar com crianças nesse estágio de o uso do castigo físico e humilhante.
coleta e análise de informações.
l castigo físico e humilhante em
As discussões em grupo envolviam crianças de instituições e centros de detenção.
idades diferentes, mas não tentamos agrupá-las
por idade. Nossa decisão foi puramente l sistemas e estruturas que favorecem o castigo
pragmática, mas a variação de idade em cada físico e humilhante (ex.: treinamento precário,
grupo algumas vezes dificultou o acesso às falta de motivação ou de supervisão da equipe
opiniões individuais das crianças. Em alguns casos,
em instituições e escolas).
os membros mais jovens do grupo de discussão
respondiam de novo, quando os membros mais
l técnicas de disciplina positiva na criação de
velhos iniciavam outra linha.
crianças nas comunidades..

29
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

B. Analise as causas das violações sofrem violência nas mãos daqueles que são
responsáveis por elas.
Para desenvolver intervenções eficientes de
modo a promover a disciplina não-violenta, é 1. Quais são as atitudes predominantes em
essencial entender as razões por que pais, relação às crianças e as práticas de paternidade
responsáveis, professores, policiais, patrões e /maternidade usadas para educar as crianças?
outros usam o castigo físico e humilhante no É necessário perguntar a crianças e a adultos.
contexto local. Uma série de fatores influenciam
As atitudes a seguir são difundidas em países no
as atitudes em relação ao tratamento de
mundo todo e informam sobre o comportamento
crianças. A forma como uma sociedade vê suas
dos pais, assim como sobre as justificativas para o
crianças tem implicações para as atitudes, o
castigo físico e humilhante.
comportamento e as práticas dos adultos em
relação a essas crianças. A forma como os pais e l “As crianças pertencem aos pais e os pais são
responsáveis vêem suas responsabilidades para encarregados de criá-las como lhes parece
com meninos e meninas exerce impacto sobre o adequado. A paternidade/maternidade é um
modo como eles respondem a elas. É necessário assunto privado.”
investigar as causas subjacentes, como idade,
gênero, classe, etnia e necessidades especiais. l "As crianças precisam de uma ferramenta
disciplinar forte para que sejam educadas da
A vasta maioria das culturas usou e continua
forma correta."
usando o castigo físico e humilhante contra
crianças, e acredita que ele é adequado. l "O castigo físico é a forma como eles foram
Bartholdsson (2001) observa que "em quase disciplinados quando crianças, isso não os fez mal
todas as culturas, o castigo físico é parte integral – os pais muitas vezes confiam no modelo de
da criação dos filhos". As principais forças a comportamento conhecido."
influenciar o status e o tratamento dado a
crianças ao longo da história foi e continua l "As crianças só aprendem moralidade e disciplina
sendo cultural, econômico e religioso/ideológico. por meio do castigo físico."

Para desenvolver uma intervenção quanto ao l "As crianças só podem ser protegidas do perigo
castigo físico e humilhante, é essencial que as por meio do castigo físico." Por exemplo,
atitudes em relação ao problema sejam estudos sobre práticas culturais e obediência na
compreendidas e analisadas. As intervenções África sugerem que o castigo físico e
desenvolvidas sem levar em conta esses fatores humilhante é certamente usado pelos pais para
tendem a não levar a resultados efetivos. As controlar os filhos diante do perigo. Os pais
perguntas a seguir fornecem um ponto de vêem essa submissão como uma fonte de
partida para ajudar a elaborar um panorama proteção. Eles acreditam que crianças dóceis,
sobre por que as crianças que obedecem os responsáveis sem
questionar, estão mais seguras que aquelas

“Meu pai me amarrou a uma árvore e me bateu na frente de todo


mundo da minha vizinhança porque eu estava jogando baralho com
meu primo. Agora todo mundo me aborrece com isso, o que me faz
sentir pior do que a surra em si.”
MENINO AFEGÃO
30
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

que estão livres para exercitar sua vontade 4. Existem fatores econômicos e sociais que
(LeVine et al, 1994). contribuem com o uso do castigo físico e
humilhante?
(Para obter orientação sobre como responder a
esses argumentos, consulte a Etapa 2.) Mesmo pais que não acreditam na necessidade do
castigo físico podem recorrer a ele em situações
2. Como as relações de gênero e as estruturas de pressão. Por exemplo:
de poder predominantes influenciam as atitudes
em relação à educação dos filhos? l Em algumas famílias, técnicas disciplinares
inconsistentes podem ser o resultado de uma
Muitos homens usam violência física como forma comunicação precária e de divergências sobre
de expressar sua masculinidade e de exercer como educar os filhos entre pais que não se
controle. Os estereótipos de gênero podem entendem ou que usam os filhos para "marcar
ensinar os rapazes a resolver conflitos por meio pontos" um contra o outro. Isso pode alterar o
da violência e ensinar que mulheres e crianças comportamento de um pai na presença de seu
devem ser sujeitadas por meio da violência cônjuge ou resultar em um comportamento
masculina. Algumas culturas acreditam que as inconsistente por parte de um dos pais
mulheres e as meninas são mais fracas e, portanto, (Holden e Ritchie, 1991).
inferiores aos homens, o que justificaria o controle
masculino. Em algumas culturas, supõe-se que os l Pais ou outros responsáveis podem usar o
homens devam aplicar os castigos físicos, castigo físico e humilhante por desconhecerem
enquanto as mulheres estão isentas de fazê-lo. Em os efeitos que ele tem sobre o
outras, ele é executado sobretudo por mulheres. desenvolvimento físico e mental da criança.

3. Como as tradições e sistemas de crenças l O abuso do álcool ou de outras substâncias


locais orientam atitudes em relação às crianças e pode contribuir para a perda do controle e a
seu tratamento? As leis religiosas ou os maior propensão à violência.
costumes encorajam ou desencorajam o uso do
castigo físico? l Muitos pais e outros responsáveis vivem em
situações muito difíceis (pobreza, superlotação,
Alguns seguidores de algumas religiões as insegurança, estresse no casamento ou no
interpretam como justificativa ou mesmo trabalho, doença) em que seus próprios
exigência do castigo físico contra crianças (ex.: direitos são negados ou violados. Eles não têm
alguns fundamentalistas cristãos, algumas a intenção de gritar ou bater nas crianças, mas
interpretações do Islã). Mas, aparentemente, perdem o controle e não dispõem de
dentro de cada religião há líderes que combatem condições mentais ou físicas para administrar
a idéia de que algum tipo de violência contra a esse comportamento de forma mais criativa.
criança seja justificado. Os direitos humanos
fundamentais à integridade física e à dignidade 5. A legislação nacional encoraja ou desencoraja
humana são universais. É importante identificar o uso do castigo físico?
qualquer grupo que defenda o castigo físico com
base na religião e buscar apoio para combater Em alguns países, o uso do castigo físico é
toda forma de castigo físico e humilhante contra explicitamente apoiado, dando aos pais, assim, um
crianças por meio de outros líderes religiosos. estímulo ativo e legitimidade para aplicar o castigo
físico.

31
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

Com ba tendo a s defesa s do ca stig o físico ba sea da s na fé

A Save the Children Suécia no Paquistão vem, há (com confiança e cooperação). O nobre Profeta
anos conduzindo treinamentos na CDC entre do Islã enfatiza: “Seja generoso, gentil e nobre
comunidades afegãs e paquistanesas muito com seus filhos e faça com que seus modos
tradicionais e religiosas. A abordagem do sejam bons e belos”.
treinamento tem sido mostrar como os valores
O budismo promove o bem-estar de todos os
básicos da CDC, incluindo disciplinas não-
seres e Buda expôs os direitos de todos os
violentas, podem derivar de valores e
humanos e outros seres. O amor budista é para
ensinamentos centrais do islamismo. Para
o mundo todo e a compaixão e a gentileza
introduzir o domínio dessas práticas e valores dos
amorosa são destacadas. Não há lugar para o
direitos da criança, o público é lembrado de suas
castigo corporal ou humilhante.
responsabilidades de acordo com os textos
religiosos. Isso é extremamente importante, pois Para os hindus, a ética fundamental diz que um
muitos participantes relataram temer o caos social ser nunca deve machucar outro; a vida é sagrada,
que lhes parece predominar no Ocidente (como deve ser amada e venerada. O castigo corporal
a falta de respeito para com os pais ou os mais não é sancionado pela tradição e as escrituras
velhos, o pouco cuidado com as crianças ou as hindus; a religião hindu propõe o uso da palavra,
famílias desunidas). A primeira resistência é da explicação e do exemplo pessoal para motivar
baseada no medo de perder os valores de suas e, quando necessário, mudar o comportamento
próprias tradições e práticas, mas após o da criança.
treinamento eles puderam ver claramente as
similaridades entre a CDC e o Alcorão no que se Em todas as regiões do mundo há grupos
refere aos valores dos direitos humanos. minoritários de cristãos que defendem o castigo
www.rb.se corporal contra crianças como uma obrigação
dos pais, usando textos do Livro dos Provérbios
Em cada Estado do mundo, há aqueles que para fundamentar essa forma de punição,
afirmam que sua fé aprova ou mesmo exige o normalmente chamada de “disciplina bíblica”. Mas
castigo corporal contra crianças. Mas do mesmo os cristãos tomam Jesus como exemplo para
modo, há autoridades respeitadas em todas as conduzir suas vidas. Jesus foi mestre e rabino e
maiores religiões do mundo que defendem que um especialista na interpretação das escrituras.
nada inerente à sua fé justifica a legalidade e a Não há qualquer evidência que sugira que ele
aprovação social contínua do castigo corporal tenha citado as escrituras para justificar o
contra crianças. espancamento de crianças. Jesus sempre tratou
os vulneráveis e indefesos como amor e
Cuidar bem e mostrar compaixão para com as
compaixão. Todos os encontros registrados
crianças é uma das proezas mais louváveis do Islã.
entre Jesus e as crianças são bons, gentis e
O Islã incentiva cada ser humano a considerar a
respeitosos. A paternidade /maternidade positiva
necessidade dos outros acima das suas próprias.
e não violenta é a que melhor segue os
O castigo corporal e outras formas de humilhação
ensinamentos de Cristo.
contra a criança divergem diretamente do
ensinamento do Profeta sobre tratar aqueles com Fonte: Iniciativa Global para Acabar com Todas
idade inferior a sete anos como crianças as Formas de Castigo Corporal
(mostrando ternura e compaixão), aqueles de 7 e
14 anos como irmãos (com zelo e interesse) e Www.endcorporalpunishment.org
aqueles de 14 em diante como amigos íntimos

32
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

P a drões de obrig a ções/reivindica ções em diferentes níveis

Fonte: The Human Rights


Approach to Programming:
What have we learnt? (A
abordagem dos direitos
humanos para a
programação: o que
aprendemos?), Fabio
Sabatini, 2002

Em outros, a legislação se cala quanto ao crianças, seria útil observar como a mídia
problema do castigo físico e humilhante, sem retrata o problema. Por exemplo:
impor nenhum desafio direto à tradicional
suposição de que bater em crianças é aceitável. l A mídia mostra interesse no assunto?
Somente onde a lei bane expressamente seu uso,
o governo envia uma mensagem clara aos pais e l Em caso positivo, que linha de abordagem é
outros responsáveis de que bater em crianças é adotada:
errado. – Os jornalistas mais conhecidos promovem
ativamente o respeito pelos direitos da
6. Como o problema é retratado na mídia? Na criança?
sociedade civil? – O problema do castigo físico é tratado de
forma trivial ou humorística?
A mídia exerce um papel importante como – Há campanhas insistindo na importância de
influenciadora de atitudes públicas. Para entender banir o castigo físico?
as causas do castigo físico e humilhante contra

33
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

Análise dos portadores de obrigações e de sua capacidade

P orta dor de F a tores que a feta m a ca pa cida de


Na turez a da s obrig a ções
obrig a ções de cum prir a s obrig a ções

Governo Os governos devem cumprir uma série de A capacidade do governo de cumprir seus
nacional obrigações para proteger as crianças deveres para com as crianças pode ser
contra o castigo físico e humilhante: limitada por:

l introduzir legislação em todos os l falta de consciência da natureza, extensão


cenários para proteger as crianças e seriedade do problema.
contra o castigo físico e humilhante.
l falta de consciência sobre os direitos da
l políticas e diretrizes para fornecer criança à proteção contra todas as formas
apoio para a implementação de de violência.
legislação.
l falta de recursos e/ou experiência em
l educação e conscientização oferecer programas de conscientização e
para garantir que os pais e outros treinamento para promover a disciplina
adultos-chave na vida das crianças positiva.
entendam a legislação e as alternativas
l medo da hostilidade pública à mudança
positivas ao castigo físico e humilhante.
jurídica e social.
l oferecer treinamento a todos os
l predominância da noção de que a família
profissionais que trabalhem com
é uma instituição privada e de que o
crianças sobre como respeitar e apoiar
governo não tem legitimidade para
os direitos da criança.
interferir.
l realizar pesquisas sobre a natureza e a
extensão da violência monitorar a
obediência à legislação e desenvolver
estratégias.

Os professores têm o dever de: Muitos professores não aprenderam que seus
Professores
alunos têm direito ao respeito por sua
l permitir que as crianças aprendam e
integridade e que o castigo humilhante é uma
desenvolvam suas habilidades
violação desse direito.
aproveitando o máximo de seu
potencial. l As turmas costumam ser grandes e difíceis
de administrar.
l garantir a disciplina escolar de uma
forma que respeite a dignidade e os l Em muitas escolas faltam recursos e
direitos da criança. equipamentos, o que dificulta a
administração da sala.
l promover o respeito pelos direitos
humanos. l Muitos professores não têm a habilidade e
o treinamento para introduzir a disciplina
l respeitar todas as crianças sem
positiva nas aulas.
discriminação qualquer que seja o
contexto. l O castigo físico e humilhante é, muitas
vezes, a única forma de disciplina que os
professores conhecem ou entendem.

continua a seguir

34
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

P orta dor de F a tores que a feta m a ca pa cida de


Na turez a da s obrig a ções
obrig a ções de cum prir a s obrig a ções

Pais e outros Pais e outros responsáveis legais têm Muitos pais acreditam que a disciplina física é
responsáveis direitos e responsabilidades quanto a um componente essencial na criação dos
seus filhos para que possam lhes filhos ou mesmo que eles têm o "dever" de
oferecer orientação. Mas toda orientação usá-la.
deve ser direcionada a ajudar a criança a
l Os pais podem enfrentar uma enorme
conhecer seus direitos. Em outras
pressão no dia-a-dia e ter dificuldades para
palavras, eles têm a obrigação de:
lidar com as demandas impostas pelos
l cuidar das crianças e protegê-las. filhos sem recorrer ao castigo físico.

l garantir que seus interesses l Os pais podem não conhecer estratégias


superiores sejam promovidos positivas para obter disciplina. Eles
adequadamente. aprenderam a educar os filhos por meio
de suas próprias experiências na infância,
l promover a disciplina positiva.
nas quais o castigo físico era usado.

C. Identifique os portadores de profissionais que trabalham com crianças, além de


obrigações e analise as lacunas de pais e crianças que são cuidadoras. O diagrama na
página 33 ilustra a relação entre portadores de
capacidade obrigações e as crianças, e destaca os diferentes
níveis em que é necessário trabalhar para buscar a
O portador de obrigações mais geral é o Estado,
mudança – incluindo as relações pessoais entre as
que assumiu o dever perante a lei internacional de
crianças e suas famílias e a escola, relações sociais
proteger todas as crianças contra toda forma de
com a comunidade local, a vizinhança e
violência. Porém, os portadores de obrigações
autoridades locais e no nível mais amplo,
também incluem aquelas instituições, organizações e
tomadores de decisão, mídia, líderes religiosos e a
indivíduos com a responsabilidade formal pelo
estrutura nacional e internacional.
cumprimento dos direitos da criança. Direitos e
deveres podem ser entendidos como dois lados da O quadro acima fornece um organograma
mesma moeda. Ao passo que a criança tem o ilustrativo para a análise das obrigações. Ele não é
direito à proteção contra todas as formas de amplo, mas oferece algumas sugestões sobre
violência, os portadores de obrigações têm o dever como abordar o processo. Há portadores de
de garantir que esse direito seja atendido. Indivíduos obrigações diferentes dependendo do contexto
em posições diferentes de responsabilidade terão local. A análise o ajudará a entender quem é
deveres diferentes a cumprir para garantir essa responsável por cada ação para proteger as
proteção. crianças e onde se encontram os obstáculos para
o cumprimento dessas obrigações. Isso é
Em uma análise da situação, será necessário
importante para desenvolver estratégias de
identificar aqueles que são responsáveis por garantir
intervenção.
que um determinado direito não seja violado e
incentivar o respeito, a proteção e o cumprimento
D. Defina prioridades
de suas obrigações. Em termos de castigo físico e
humilhante, os portadores de obrigações incluem, Após a análise da situação, as organizações
entre outros, governos nacionais e locais, deverão priorizar estratégias de intervenção. A
professores, outros representantes do governo e primeira prioridade de todas as organizações

35
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

será garantir o compromisso da organização para l considerações sobre como esse trabalho
com o problema e a capacidade adequada para complementará outras áreas de atuação.
levar o programa adiante (consulte a Etapa 2,
l função complementar de outras organizações
Compromisso com a mudança). As decisões
(garantindo que sejam formadas alianças com
sobre a direção do programa e as intervenções
outras organizações e que não haja
dependerão de fatores como:
intervenções redundantes).
l a política da organização assim como a
l eficácia e benefícios razoáveis para os custos
capacidade, a experiência, a logística e a
investidos.
disponibilidade de fundos.

A s priorida des identifica da s no sul da Á sia em 2004 incluía m :

l O objetivo de estimular um maior debate l A monitoração do castigo físico e humilhante


público em círculos administrativos, jurídicos precisa ser reforçada pelo Estado.
e sociais diretamente responsáveis por
l A análise das estruturas de poder desiguais
defender os direitos da criança.
ajudarão a entender o castigo físico e
l O castigo físico e humilhante sob qualquer humilhante como um problema complexo
forma, precisa ser igualado à violência e ao dos direitos humanos.
abuso de cidadãos e monitorado como uma
l A análise de problemas psicossociais que os
violação dos direitos da criança.
adultos encaram como resultado de serem
l Os códigos penais de muitos países ainda forçados a mudar seu comportamento
apóiam o castigo físico como uma sentença violento (ex.: evidências mostram que
imposta às crianças. Apesar das proteções professores no Sri Lanka, forçados a parar de
definidas em constituições nacionais e em bater nas crianças na escola, estão abusando
convenções internacionais, na prática as violentamente de seus empregados
crianças ainda sofrem castigo físico e domésticos).
humilhante.
l O castigo físico e humilhante contribui para a
l Leis islâmicas, leis da Shariah, Fatwas e outras violência social e política e para a contínua
práticas religiosas e culturais da região são supressão dos direitos civis das crianças.
comumente usadas para fundamentar o uso
contínuo do castigo físico e humilhante, Aliança Internacional Save the Children, 2004
especialmente contra mulheres e meninas. Capacidade de construir e defender a Técnica da
Essas práticas precisam receber mais atenção Disciplina Positiva, relatório do workshop,
Jaipur, abril de 2004
na CDC.

36
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l o nível de apoio político aos compromissos físico e ter uma estratégia para alcançar esse
assumidos pelo governo. objetivo. É importante, também, reconhecer que a
reforma jurídica não é um fim em si mesma, mas é
Porém, é importante reconhecer que qualquer um processo que deve levar ao cumprimento dos
campanha bem sucedida para erradicar o castigo os direitos da criança. Qualquer estratégia deve,
físico e humilhante deve abarcar os seguintes desde o princípio, envolver todos os que serão
elementos: responsáveis pela implementação da lei e deve ser
usada como uma oportunidade de assegurar seu
1. Reforma jurídica envolvimento na transformação prática.
O principal objetivo deve ser defender ou apoiar
2. Defesa da mudança social
campanhas existentes pela reforma jurídica para
fornecer às crianças, em todos os cenários, a Junto com a defesa da reforma jurídica vem a
proteção contra todas as formas de castigo físico. necessidade de se empenhar em campanhas para
Sem essa reforma, a lei continuará a aprovar e a conquistar mudanças de atitude e
tolerar as violações de direitos fundamentais das comportamento. Elas envolvem: construção de
crianças. Embora, na prática, a campanha talvez alianças com outras organizações que trabalham
precise acontecer em etapas, por exemplo, com crianças para ampliar a base de apoio;
enfocando inicialmente as escolas e as instituições produção de materiais detalhando as evidências
penais, deve ficar claro desde o início que o sobre a natureza do castigo físico e humilhante e
objetivo é acabar com todo tipo de castigo seus efeitos nocivos; argumentação em favor da

37
E T A P A 3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO E PLANEJANEMTO DO PROGRAMA

mudança e fornecimento de orientação sobre 4. Participação das crianças


disciplina positiva. Isso implica trabalhar com o
governo em todos os níveis e com a mídia, Em todas as três estratégias para alcançar
ONGs, líderes religiosos e comunitários, mudanças descritas acima, é importante que as
organizações profissionais, organizações de pais e próprias crianças possam exercer uma função-
com as próprias crianças. chave. Elas são uma fonte exclusiva de evidências
e informações sobre a natureza e a abrangência
3. Educação e treinamento do castigo físico. Elas podem ser defensoras
eficientes e poderosas da mudança. Elas também
Além da conscientização, é necessário obter mais têm o direito de fazer ouvir suas opiniões e de
apoio para educação e treinamento a fim de serem levadas a sério.
instituir a compreensão dos direitos da criança ao
respeito por sua integridade física e pessoal. A Etapa 4 explica a abordagem para implementar
Todos os profissionais que trabalham com cada uma dessas estratégias.
crianças — professores de crianças, trabalhadores
de cuidados infantis, assistentes sociais, A Etapa 5 fornece orientações sobre o
enfermeiras, pediatras, diretores de casas de monitoramento dos programas e sobre o que
detenção, juízes, instituições acadêmicas — deve ser levado em consideração quando se
precisam compreender os direitos da criança. Eles planeja uma estratégia de avaliação do impacto.
também precisam entender seu papel na No entanto, é essencial que os indicadores do
promoção desses direitos, incluindo o direito da processo de monitoramento e avaliação sejam
criança à proteção contra todas as formas de desenvolvidos na etapa de planejamento.
violência e abuso. Os pais também podem
receber ajuda por meio de treinamento para
compreender os direitos da criança à proteção e
o valor da disciplina positiva como uma
abordagem mais eficiente e respeitosa de instruir
e orientar seus filhos.

38
Etapa 4
Proporcionando
a mudança para
as crianças

ETAPA 4

“Conheço alguns professores


que espancam crianças para
fazê-las se esforçar mais, mas
não é certo bater. As crianças
não irão à escola se forem
maltratadas.”
GAROTA ZIMBABUANA, 10 ANOS
Etapa 4
Proporcionando a mudança
para as crianças

Esta Etapa fornece análises das estratégias, com base na


experiência da Aliança Internacional Save the Children.

E ta pa 4A Reforma jurídica

E ta pa 4B Defesa da mudança social

E ta pa 4C Educação e treinamento

E ta pa 4D Participação das crianças

“Conheço alguns professores que espancam


crianças para fazê-las se esforçar mais, mas
não é certo bater. As crianças não irão à
escola se forem maltratadas.”
GAROTA ZIMBABUANA, 10 ANOS

39
ETAPA 4A
Etapa 4A
Reforma jurídica

1. Por que a reforma jurídica é importante?

2. Promovendo a reforma jurídica

A. Descubra o que as leis dizem sobre castigo físico

B. Avalie os contextos cultural, legal e político

C. Elabore uma estratégia de reforma jurídica contra todo


castigo físico e humilhante

D. Enfatize a proteção, não a perseguição

E. Ação para promover a reforma jurídica

3. Exemplos de boas práticas

40
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Por que a reforma jurídica é


importante?

Em quase todos os Estados mundo afora,


bater em crianças, ao contrário de bater em
adultos, continua a ser lícito. A proibição
imperiosa de todo castigo físico e todo
castigo ou tratamento humilhante conta as
crianças é um dos direitos humanos
fundamentais: garantir o direito das crianças ao
respeito por sua integridade física e dignidade
humana e à igualdade perante a lei.

A legalidade do castigo físico contra as crianças


é um reflexo altamente simbólico de sua reles discriminação, e que é outorgada a todas as
condição não-humana, do mesmo modo que, pessoas a proteção igualitária perante a lei.*
no passado, a legalidade do castigo físico contra
as esposas por parte dos maridos e contra os A reforma jurídica é necessária:
escravos por parte de seus senhores refletia sua
l para cumprir o direito ao respeito à integridade
reles condição de "posse" e não de ser humano.
física e à dignidade humana das crianças, e sua
Promover as crianças ao status de indivíduos, proteção igualitária perante a lei.
possuidores de direitos humanos, demanda um
l para fornecer uma base lógica e clara para a
desafio imediato às leis que aprovam ou
proteção da criança, permitindo que as pessoas
autorizam a violência contra elas. Em um
que trabalham na proteção às mesmas e atuam
mundo humano e lógico, seria naturalmente
junto aos pais e aos filhos, passem a pais,
conferido às crianças – os menores e mais
outros responsáveis, professores, etc, uma
vulneráveis seres – uma proteção adicional e
mensagem clara de que espancar crianças não
especial. Contudo, somente agora vêm
é mais lícito ou aceitável do que bater em
ganhando força movimentos para conceder
adultos.
proteção legal e igualitária às crianças. A recente
aceitação universal da CDC (Convenção das l para apoiar pais, professores e outros,
Nações Unidas sobre os Direitos da Criança) fornecendo uma base jurídica clara para a
contribuiu para esse processo, juntamente com conscientização sobre o direito das crianças à
a consistente interpretação do Comitê proteção e para a educação pública que visa
Executivo sobre os Direitos da Criança de que promover formas de disciplina positivas e
a CDC exige a proibição de todo castigo físico, pacíficas.
aliada a campanhas para o desenvolvimento da
conscientização e a educação estatal para
*Por exemplo, o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e
erradicar seu uso. Um conjunto de leis Políticos compreende os princípios da não-discriminação
estabeleceu claramente que os direitos (Artigo 2) e proteção igualitária perante a lei (Artigo 26), assim
humanos se aplicam a todos, sem como acrescenta uma referência específica, no Artigo 24, ao
direito da criança a medidas de proteção sem qualquer
discriminação.

41
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

Não há evidências sugerindo que os programas 2. Promovendo a reforma jurídica


de educação modifiquem substancialmente as
atitudes e práticas de pais e outras pessoas em Esta seção descreve as etapas a serem seguidas
um contexto em que a lei ainda aprova o para elaborar e realizar uma campanha de
castigo físico reforma jurídica. Pode haver determinadas ONGs
ou instituições de direitos humanos que assumam
l para garantir a aplicação da lei nos poucos a liderança dessas campanhas e que realizarão a
casos em que ela é plenamente necessária aos pesquisa detalhada e o lobby descritos acima. Em
interesses das crianças. Em muitos Estados, a lei cada caso, eles precisarão do apoio das vozes de
atual permite que pais, outros responsáveis e outros grupos e indivíduos.
professores justifiquem agressões como
"punição razoável" ou "correção legal".
A. Descubra o que a lei diz sobre
É importante enfatizar que, embora o direito das castigo físico
crianças à proteção igualitária perante a lei
A primeira etapa na campanha pela reforma
signifique criminalizar o castigo físico em meio
jurídica contra todo castigo físico deve ser
familiar ou qualquer outro, os objetivos básicos
pesquisar as estruturas legais relevantes em
desta reforma jurídica são: enviar uma mensagem
detalhes e entender a posição do governo e de
clara de que espancar crianças é tão inaceitável
outros órgãos influentes: organizações
quanto espancar qualquer outra pessoa; mudar
profissionais, ONGs, instituições de direitos
atitudes e práticas; e reduzir a violência contra as
humanos, grupos religiosos, mídia e assim por
crianças. É bastante improvável que processar e
diante. Também é preciso conhecer um pouco o
punir pais por agressões a seus filhos seja algo em
estado da opinião pública. Ao pesquisar a lei
favor dos interesses das crianças, dada a sua
sobre castigo físico em instituições, é importante
condição de dependentes. Isso não reduz a
entender a distinção entre "legislação", que foi
necessidade de uma reforma jurídica transparente,
aprovada por um governo e pode ser imposta, e
mas enfatiza a necessidade da implementação da
"orientação", que pode ser distribuída entre
lei considerando as relações especiais do meio
departamentos do governo, mas que não tem o
familiar e focalizando o apoio em vez do castigo
status de legislação e não pode,
(ver adiante, na seção D).
conseqüentemente, ser imposta.

“Se a lei entrar em ação, as crianças podem contar a seu


professor, que pode contar à polícia.”
MENINO GALÊS, 9 ANOS

42
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

O processo de pesquisar a estrutura legal deve governamental, ou relatórios oficiais recomendando


ser usado como parte do desenvolvimento da a reforma, discussões parlamentares, campanhas de
conscientização e do processo de defesa. ONGs ou instituições de direitos humanos,
impugnações legais, etc.
O que você precisa sa ber
Interpreta ndo a s im plica ções da leg isla çã o
A questão básica a ser pesquisada é se, e em que
grau, o castigo físico contra crianças é considerado Descobrir o que diz a lei não é simples. A maioria
legal: dos países têm leis relativas aplicadas a agressão,
tornando crime espancar ou agredir qualquer
l em casa, partindo dos pais ou outros pessoa. Muitos têm leis de proteção à criança
responsáveis? proibindo a crueldade contra as mesmas, e alguns
l nas escolas — de todos os tipos, incluindo as têm constituições que asseguram proteção contra
privadas, religiosas e públicas? castigos degradantes, desumanos e cruéis. Muitos
Estados, ao ratificarem instrumentos internacionais
l em outras instituições e formas de cuidado para os direitos humanos, como a Convenção das
alternativas, abrigos, creches, etc.? Nações Unidas sobre os Direitos da Criança,
incorporam a Convenção em suas leis de modo
l no sistema penal — como sentença da corte que ela tenha precedência sobre as leis
e/ou como castigo em instituições penais? domésticas. Mas em pouquíssimos Estados, ou em
l em situações que envolvam trabalho infantil? nenhum, esta legislação vai proteger, na prática,
crianças de serem espancadas por pais e outros
É igualmente importante descobrir se tem havido responsáveis.
qualquer progresso significativo no combate ao
castigo físico em quaisquer desses locais. Por Em muitos Estados, o direito dos pais, professores
exemplo: tem surgido alguma consulta e outros de usar o castigo físico "moderado" está
realmente registrado por lei, apresentando defesas
especiais, para que a lei de agressão não se
aplique a agressões "disciplinadoras" contra
P or exem plo, uma carta buscando crianças por parte dos pais, professores ou outros.
informação sobre o status legal do castigo A defesa inglesa de direito comum à "punição
físico poderia circular com um questionário razoável" existe em 70 países mundo afora —
junto a todos os departamentos tanto que, se acusados de agredir um filho, os pais
governamentais importantes (justiça, bem- podem reivindicar que a agressão foi um "punição
estar social, educação, saúde e outros) e a razoável". Em outros Estados, a lei não se
órgãos governamentais, instituições e manifesta, mas o "direito" de usar o castigo físico é
advogados de direitos humanos, ONGs confirmado em julgamentos, ou simplesmente é
internacionais trabalhando no Estado, aceito pela sociedade. Até que haja uma proibição
agências das Nações Unidas, ONGs clara e generalizada, é preciso observar legalmente
nacionais interessadas, etc. Os resultados casos individuais — guarda de crianças, educação,
poderiam ser descritos e amplamente delinqüência juvenil — para ver se houve pelo
disseminados (juntamente com propostas menos algum progresso na proteção a crianças
para uma reforma jurídica completa; em algumas situações de castigo físico.
consulte a Etapa 4A, seção 3, Exemplos de
boas práticas)

43
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

Ca stig os físicos em loca is diversos


Se você está pesquisando a lei de castigo cuidar de crianças pequenas em seu próprio
físico em diferentes locais, estes são alguns lar. É importante descobrir qual é o
lugares onde procurar: regulamento, se este existe, das várias formas
de cuidados diurnos. Se a lei não cobre isso,
Escolas: pode haver leis diferentes ou esses responsáveis terão os mesmos direitos
regulamentações aplicadas a escolas estatais, que os pais de usar o castigo físico.
religiosas e privadas, ou a escolas com alunos
de diferentes faixas etárias. Sistema judiciário: em alguns países, os
tribunais ainda podem sentenciar crianças e
Guarda alternativa: na maioria dos países há jovens a apanhar com bambu, chicote ou a
tipos muito diferentes de lares residenciais serem açoitados. Em instituições penais, o
infantis e orfanatos, administrados pelo castigo físico pode ser permitido como medida
Estado, por voluntários, organizações disciplinar. Pode haver também sistemas
religiosas e órgãos privados. Pode haver tradicionais ou "informais" de justiça e castigo
regulamentos aplicados apenas aos órgãos operando localmente que incluam o castigo
estaduais, que podem permitir ou proibir o físico.
castigo físico. Pais adotivos costumam ter os
mesmos direitos dos pais, mas alguns países Outras instituições: há outras instituições
têm regulamentos proibindo o castigo físico privadas ou estatais cuidando ou fornecendo
para crianças adotadas. tratamento a crianças em que o castigo físico
pode ser usado (ex.: instituições de saúde ou
Creches: do mesmo modo, há uma ampla psiquiátricas)?
variação nos estabelecimentos de cuidados
diurnos — lugares em que crianças pequenas Trabalho infantil: patrões podem usar o
são cuidadas enquanto os pais estão castigo físico no trabalho infantil,
trabalhando: maternais, creches, jardins de particularmente no trabalho doméstico.
infância e sistemas menos formais. Pode
haver também babás — pessoas pagas para

Sistemas de leis "tradicionais", locais, regionais ou


Identifica ndo sistem a s a dm inistra tivos
religiosas, que autorizam o castigo físico também
pa ra a plica r a leg isla çã o
podem precisar ser revistos: os direitos humanos
se aplicam igualmente a todas as crianças na O fato de que há uma lei em questão, por
jurisdição; não há justificativa possível para leis exemplo, proibindo claramente o castigo físico em
tradicionais ou locais que permitem o castigo escolas, não significa que o mesmo não é mais
violento de algumas crianças. usado. É importante descobrir quais sistemas, se
houver algum, estão em posição de fazer a lei
Nenhum Estado pode dizer que proibiu qualquer
vigorar: a inspeção independente, reivindicações
castigo físico, a menos que quaisquer defesas legais
que os alunos podem fazer, defesa em seu favor e
existentes tenham sido explicitamente eliminadas e
assim por diante.
o governo e os tribunais interpretem claramente a
legislação existente como proibidora de qualquer
castigo físico.

44
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

B. Avalie os contextos cultural, Em países em que não há chances reais de um


legal e político processo de reforma jurídica genuína, isso ainda
deveria ser parte da estratégia geral, mas os
Diante da aprovação quase universal da CDC e programas podem se concentrar mais na busca
do fato de que a maioria dos Estados Partes está por mudanças em nível local e em usar tais
no processo de decretar ou rever suas leis para mudanças para demonstrar a necessidade de
garantir obediência à CDC e a outros tratados mudanças mais amplas, em nível nacional. Esse
sobre direitos humanos que ratificaram, existem pode ser o caso, por exemplo, de países em que
oportunidades significativas de introduzir uma há poucas normas jurídicas ou uma autoridade
legislação para proibir todo castigo físico. autocrática está no poder, ou em países em que a
Contudo, em países em que um processo de autoridade do governo pode, na prática, ter
reforma jurídica de peso é improvável ou não pouco controle jurisdicional sobre grande parte
seria eficaz, pode ser crucial começar trabalhando do território. Essa também pode ser a estratégia
evidências físicas de como as mudanças no uso do mais apropriada em países onde há uma estrutura
castigo físico e humilhante podem ser realizadas e legal abrangente, mas uma desobediência crônica
diretamente benéficas em nível local. Tal às leis.
estratégia ainda teria a reforma jurídica como
objetivo maior, mas assumiria uma abordagem Em tais países, o trabalho relativo ao castigo físico
mais incremental que procuraria formar o e humilhante pode focalizar as mudanças em nível
consenso para a mudança. local, embora também trate do desenvolvimento
e aprendizado advindos das mudanças para
Em países em que há chance de defender uma demonstrar que as alternativas não só são
reforma jurídica genuína ou em que é possível se possíveis em um dado país, mas que já estão
aliar a um processo de reforma jurídica existente funcionando. Por exemplo, ao obter o
(como o estatuto da CDC em leis nacionais, o compromisso de juntas educacionais, professores,
desenvolvimento de leis especializadas, relativas às pais e comunidades, e desenvolver pilotos em que
crianças — ex.: um Ato pelas Crianças, uma Lei se demonstrem os benefícios de uma abordagem
de Justiça Juvenil, uma revisão das leis ou códigos positiva de disciplina, você pode desenvolver uma
criminais existentes, o desenvolvimento de estratégia incremental que culmina no lobby de
legislação especializada em violência familiar, autoridades nacionais através das autoridades e
violência doméstica, etc.), deve-se aproveitar a grupos locais. Isso foi realizado no passado pela
oportunidade e fazer disso uma parte integral da Save the Children em uma série de questões
campanha. significativas (incluindo a delinqüência juvenil) e
obteve muito sucesso.

“Isso não deveria ser permitido e PONTO FINAL. Talvez,


se as pessoas soubessem que é contra a lei, não fizessem
isso. Elas teriam que achar outra solução.”
GAROTA PALESTINA, 13 ANOS

45
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

Para auxiliar sua avaliação, você pode considerar É possível trabalhar com autoridades locais e
algumas das questões a seguir: incentivá-las a assumir a liderança na área do
castigo físico e humilhante. Você pode
l Como você pode garantir que haja algum nível desenvolver uma estratégia com várias etapas, que
de consenso e mudança que o ajudará em seu busque mudanças em nível local e avalie o
objetivo geral? impacto das práticas positivas nessas comunidades
l Você pode trabalhar com autoridades locais, antes de levar o caso ao nível nacional. Essa é,
escolas, grupos de pais e profissionais com freqüentemente, uma forma poderosa de se opor
quem você já tem contato e que podem estar aos argumentos de que uma proibição do castigo
dispostos a embarcar nesse processo de físico e humilhante iria de encontro a culturas e
mudança? tradições locais. Se mudanças podem ser
efetuadas em uma região ou estado, torna-se
l Você pode inserir seu trabalho em atividades muito mais difícil para as autoridades nacionais
existentes nas áreas de educação, saúde ou argumentarem que campanhas para erradicar o
crianças em conflito com a lei? uso do castigo físico e humilhante são "influência
externa" ou que não são relevantes ou possíveis
l Você pode associar o trabalho em nível local a naquele país.
uma defesa mais ampla, em nível nacional?

l Que grau de apoio político seria necessário C. Elabore uma estratégia de reforma
para fazer isso? jurídica contra todo castigo físico e
humilhante
l Quem são as figuras-chave, capazes de
influenciar o processo, não só localmente, mas Uma vez entendidos e documentados os
nacionalmente? contextos cultural, legal e político, a próxima
etapa é desenvolver uma estratégia para a
l Como você garante que as mudanças que
reforma jurídica que leve esses contextos em
planeja para o nível local podem, por sua
consideração.
vez, influenciar o debate em nível nacional?
Oportunida des nova s ou existentes pa ra a
l Onde se encontra o poder político em nível
reform a jurídica
local?
l Já existem processos de reforma jurídica que
l Regulamentos locais podem ser adotados para
podem ser elaborados? Por exemplo, a
apoiar uma proibição nesse nível?
reforma do sistema de justiça juvenil, a
l Está ocorrendo um processo de sucessão de elaboração de leis sobre violência familiar, a
poder que possa propiciar uma chance de revisão das leis criminais existentes? Estão
influenciar figuras-chave? Como? ocorrendo quaisquer elaborações ou revisões
constitucionais?
Em muitos países, há a possibilidade de proibir o
castigo físico e humilhante em escolas e outras l Está em andamento um processo de revisão da
instituições em nível local e estadual, onde não é legislação nacional existente alinhado à CDC?
possível ou realista almejar uma legislação nacional Se não há, pode-se dar início a um? O governo
ou federal, devido à sucessão ou a um estado se dirigiu à CDC? O Comitê comentou a falta
centralizado sem poder.

46
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

de proteção das crianças no que se refere ao l Há parlamentares, ministros, representantes do


castigo físico e humilhante, ou está prestes a governo local, representantes de Estado, líderes
informar a CDC? Está sendo preparado algum religiosos ou tradicionais que já estão
relatório que possa ser usado para impulsionar assumindo um papel de liderança na área de
a necessidade de uma reforma jurídica? direitos humanos, questões relativas à proteção
da criança, questões relativas à violência
l Está em andamento algum processo de revisão familiar, etc.?
de legislação existente, alinhado a outros
tratados de direitos humanos ratificados em O processo de cria çã o de leis e da
nível regional ou internacional? reform a jurídica

l Há alguma batalha jurídica relevante nos Há várias maneiras de se elaborar, adotar e criar
tribunais ou casos levantados sobre algum emendas a uma lei em todos os países. É
aspecto das leis relacionadas ao castigo físico? importante compreender esses processos para
elaborar uma estratégia de reforma jurídica
l Há algum processo político importante em
eficiente. Diversas organizações nacionais
nível nacional, regional ou internacional que
trabalham na área de reforma jurídica. A parceria
possa dar chance ao início da reforma jurídica
com eles possibilitará a você se beneficiar de sua
nesse país e incentivá-la, como a participação
experiência e conhecimento político e jurídico.
em um organismo de direitos humanos
Processos de reforma de lei também podem ser
regional ou das Nações Unidas, participação
afetados pelo contexto político em constante
em uma organização política que tem pré-
mudança, incluindo, por exemplo, conflitos,
requisitos quanto a padrões de direitos
instabilidade política, sucessão ou centralização, ou
humanos, ou em uma conferência nacional ou
mudanças no controle jurisdicional sobre parte
internacional ou processo de revisão – ex.:
dos territórios. Você não precisa ser especialista
consultas regionais ao Estudo sobre Violência
em reforma jurídica, mas tem que receber
contra a Criança das Nações Unidas, revisão de
conselhos e apoio das organizações com
médio prazo da Sessão Extraordinária sobre a
experiência na área. Algumas das perguntas-chave
Criança ou o aniversário da aprovação da
que você precisa responder ao elaborar sua
CDC?
estratégia de reforma jurídica são:
P ossíveis pa rceiros/peça s da l Qual é o processo para a criação de leis no seu
reform a jurídica
país? Quais são as etapas cruciais da reforma?
l Existem outras organizações para crianças,
l Existem mecanismos (ex.: uma reunião
organizações para os direitos humanos,
extraordinária sobre a criança), órgão/comissão
comissões de direitos humanos ou
legislativa parlamentar, ou ministério
ombudsmen, associações legais e profissionais,
responsável particularmente pela criação de
organizações para mulheres e para a
leis, etc.? Quem tem o mandato para elaborar
comunidade já trabalhando na área de
uma nova lei em seu país e adiá-la, ou criar
reforma jurídica em violência doméstica,
emendas para uma lei existente?
violência interpessoal, direitos da criança,
proteção à criança, não-discriminacão, etc.? l Quem são os responsáveis pela tomada de
decisões em relação às leis no seu país?

47
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

P eríodo da reform a jurídica alguns possíveis obstáculos à implementação. Por


outro lado, isso requer um compromisso de longo
É preciso que se saiba o período usualmente gasto prazo e muito bem definido com a organização, a
na elaboração e adoção de leis, o que ajuda a fim de garantir que as mudanças surgidas em nível
estabelecer um cronograma realista para o local não se percam em virtude de prioridades ou
processo de reforma jurídica e as etapas que direcionamentos alterados. Embora ganhos em
precisam ser executadas para se chegar lá. nível local possam representar um grande sucesso,
Processos que envolvem mudança das leis de um eles podem facilmente ter vida curta se não forem
país, seja elaborando uma lei nova ou institucionalizados jurídica e politicamente.
acrescentando emendas a leis existentes, levam Algumas das questões-chave a serem abordadas
geralmente muito tempo. Entretanto, é crucial incluem:
entender que a reforma jurídica será sempre
fundamental para a proteger as crianças contra esse l Qual o período médio para uma reforma
tipo de violência. Não há bom senso, nem mesmo jurídica em seu país e quais são os estágios
mudanças verdadeiras nas percepções ou atitudes principais a serem respeitados?
em nível local que sejam bem sucedidas a menos
que se baseiem essencialmente em uma estrutura l Quanto tempo durará seu projeto?
jurídica e política que reconheça os direitos da l Quais as bases a serem alcançadas para se
criança à proteção igualitária. conseguir um processo de reforma jurídica
Ao mesmo tempo, pode não ser realista, a esta bem sucedido — por exemplo, discussão
altura, mergulhar em uma campanha integral pela legislativa/parlamentar, encontro do conselho
reforma jurídica no que tange essa questão. Isso se de educação local, consulta pública, discussão
deve tanto ao fato de as instituições políticas e comunitária sobre castigo físico e humilhante,
jurídicas poderem atravessar um período de introdução de requerimento ao parlamento,
instabilidade e transição, quanto ao de nenhum assembléia municipal, etc.?
processo legislativo sério poder ser iniciado no E ng a ja ndo-se no processo de cria çã o da lei
contexto político atual. Nesses casos, pode ser
melhor elaborar uma estratégia incremental para a Há uma tendência de se ver a criação de leis
reforma jurídica, baseada na criação de suporte e como um processo muito formal e mecânico de
evidências para a possibilidade de uma mudança em redação. Na verdade, a elaboração de leis ou
nível local e distrital, e crescer, a partir daí, rumo a emendas diz respeito tanto ao processo quanto
uma campanha nacional sólida. Essa estratégia pode ao resultado final.
ser muito eficiente em revelar os que terão, por fim,
que aplicar e fazer valer a lei, assegurando que eles
se sentem responsáveis pela lei e identificando

“Não era a dor que me feria, mas o sentimento de humilhação


por que passava quando meus colegas riam de mim. Aquela foi a
última vez que eu passei pela porta daquela escola.”
GAROTO ETÍOPE, 8 ANOS

48
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Até em países em que os processos democráticos outros, mas trata de regular nosso próprio
são precários, as autoridades têm que contar com comportamento.
um número enorme de pessoas para legitimar
suas leis e, de modo geral, com a vontade da A seguir, algumas questões a considerar:
grande maioria de se submeter a elas. Isso não l De que tipo de processo você precisa? Quem
significa que deve haver um consenso absoluto são os círculos eleitorais principais para se
sobre todas as partes da legislação, e o castigo investir em lobby e quem precisa reconhecer
físico e humilhante é uma área em que isso é esse processo — políticos locais, ministros,
muito improvável. professores, profissionais da justiça e da saúde,
Os governos também devem mostrar liderança ao pais, crianças?
elaborar leis, tendo o interesse público em mente, l Quem é fundamental para que essa lei seja
quer todos os membros ou a grande maioria do aprovada e como você vê sua perspectiva?
público concorde, quer não. Contudo, se não há
ao menos algum grau de aceitação pública de que l Quais são, provavelmente, os maiores
uma norma em particular seja legítima, haverá obstáculos para a que essa lei passe ou seja
dificuldades para sua implementação. Práticas e reformada? Como você os torna parte do
atitudes relativas ao castigo físico e humilhante processo?
não mudarão simplesmente em função de uma
mudança na lei e de processos penais, embora o l Quem é fundamental para a implementação
uso destes em casos extremos possa ajudar a e legitimação dessa lei, e como você os
transmitir a mensagem de que tais práticas não envolve?
são mais toleradas. l Quem são seus possíveis aliados e como
Tentativas superficiais e mal planejadas de você os inclui no processo? Isso vai requerer
convencer os legisladores e políticos podem levar audiências ou consultorias públicas, painéis ou
a uma séria reação, o que pode ser bastante instruções para os criadores de políticas, fóruns
prejudicial aos esforços para proteger as crianças de discussão, workshops ou relatórios?
contra a violência. É essencial sermos realistas e l Como você constrói um colégio eleitoral para
nos engajarmos em consultorias genuínas a apoiar esse processo de reforma jurídica e de
figuras-chave para determinar qual a melhor que evidências você precisa para fazê-lo?
estratégia para a mudança no que concerne o
castigo físico e humilhante. Legisladores, políticos
agentes de legitimação das leis, ministros de D. Enfatize a proteção, não a
governo e juízes também são pessoas. Todos já
perseguição
foram crianças e é bem provável que tenham
recebido castigo físico e que estejam fazendo o O principal objetivo é apostar na educação e no
mesmo em seus próprios filhos. Não subestime o impedimento para obter a proteção, e não a
quanto uma mudança nas crenças e perseguição. Esta é sempre um sinal de fracasso
comportamentos pessoais é necessária para da lei em efetivamente deter e evitar que uma
acabar com o uso de todas as formas de castigo criança seja agredida. Para impedir pais de usar o
físico. Essa questão não diz respeito apenas a castigo físico na privacidade de suas casas, a lei
mudar e a regular o comportamento dos precisa passar uma mensagem muito clara; esse é

49
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

o verdadeiro propósito. Uma lei clara que proíbe


todo tipo de castigo físico e humilhante possibilita S uécia : proibiçã o, m a s poucos
que todos os que trabalham para as famílias e as processos pena is
crianças propaguem essa mensagem. Contudo, o Na Suécia, onde se vem fazendo mais
medo do aumento de perseguições por meio de pesquisa sobre os efeitos da mudança da lei,
processos penais devido à reforma jurídica pode o relato de violência cresceu
atuar como um obstáculo significativo. É substancialmente nos anos seguintes à
necessário, conseqüentemente, tratar dessas reforma jurídica. Agora, entretanto, os pais
questões em sua campanha. que se descobrem violentos com seus filhos,
F oco na proteçã o ig ua litá ria e nã o na procuram ajuda mais cedo. A perseguição
perseg uiçã o aos pais por agredir os filhos tem se
apresentado como uma tendência
A proteção igualitária para as crianças significa decrescente, assim como as intervenções
que qualquer agressão a uma criança, que seria compulsórias dos assistentes sociais e o
considerada criminosa se dirigida a um adulto, número de crianças levadas aos cuidados do
tem que ser criminalizada. Todos os países têm Estado. Pesquisas revelam uma mudança
leis que definem e proíbem a agressão criminal. dramática de atitude, de modo que agora só
Mas criminalizar todo castigo físico e humilhante 6% das pessoas com menos de 35 anos
por parte dos pais não significa a perseguição suportam o castigo físico, ainda que leve, e
freqüente ou automática deles, o que certamente houve uma redução substancial da
não seria de interesse das crianças. ocorrência de castigos físicos.
Durrant, 2000
Os processos contra os pais são muito raros
devido aos interesses das crianças, porque elas
dependem dos pais. Em casos extremos de aconselhamento, discussões com outros pais, etc.
abusos sérios e contínuos, separar as crianças dos — que possam ajudar a erradicar a violência e o
pais pode ser o único modo de protegê-los, mas, tratamento humilhante contra crianças.
nesses casos, de acordo com a CDC (Artigo 9),
Quando se defende a reforma jurídica para proibir
deve haver uma audiência em corte, com os pais
o castigo físico e humilhante, seus oponentes
e as crianças representadas, tendo como objetivo
tendem a sugerir que isso levará milhares de pais
os interesses da criança. Em casos excepcionais,
a serem processados, presos, ou que as crianças
em que se acredita que a criança corra o risco de
serão levadas a instituições, ou ainda que elas se
sofrer uma violência grave, pode ser necessário
voltarão contra seus pais, etc. No entanto, nos
removê-la imediatamente — ou o perpetrador —
poucos Estados em que a lei foi mudada, esse não
para protegê-la, mas tais medidas devem ser
foi o propósito, nem o que ocorreu na prática.
temporárias e somente continuadas após uma
Mudar a lei e despertar a consciência
audiência judicial.
provavelmente levará a mais relatos de violência
Em todos os casos em que o castigo físico e contra as crianças, mas isso não necessariamente
humilhante dentro da família vem à tona, o leva ou deve levar a novos processos penais.
primeiro objetivo deve ser procurar ajuda para os
pais e para as crianças através de intervenções
voluntárias positivas — ofertas de

50
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Controla ndo a política de processos Alguns oponentes da reforma jurídica contestarão:


pena is a o que ta ng e a o ca stig o físico e “Mas para que serve uma lei que não é
hum ilha nte obedecida?” A resposta é que a lei é obedecida se
há uma evidência, exatamente como a lei de
Na maioria dos países, há uma espécie de código agressão pode ser usada para processar homens
ou aviso que determina até que ponto a que agridem mulheres. Nos poucos casos em que
perseguição por um crime dever ir adiante. o litígio é necessário para proteger uma criança,
Em geral, há certos testes a serem satisfeitos, ex.: ele será facilitado porque não haverá defesa
disponível para os pais e quaisquer outros.
l a existência de provas suficientes para tornar
provável a condenação.
E. Ação para promover a reforma
l o interesse público no processo. jurídica
Ao promover a reforma jurídica, é importante Redig indo a leg isla çã o
enfatizar que os direitos humanos requerem que
todas as agressões contra crianças sejam Tendo planejado sua estratégia e identificado seus
criminalizadas, mas que, em função da condição parceiros, você pode decidir qual é o momento
especial da criança, deve haver aconselhamento certo de forçar a reforma jurídica. O primeiro
para garantir que acusar os pais de ofensas e passo é redigir propostas para a reforma jurídica
processá-los é uma medida extremamente que respeitem integralmente os direitos humanos
excepcional; que o processo só deve acontecer das crianças. Mesmo que a reforma ainda pareça
quando ele parecer ser o único meio de dar às remota, isso lhe dá mais consistência, e a
crianças proteção efetiva e quando outras publicação das propostas aumentará a
intervenções de apoio tiverem fracassado. O conscientização em torno da questão e fomentará
aconselhamento meticuloso pode ser requisitado mais debates públicos. Para a maioria dos
por todos os envolvidos na proteção à criança, governos, abolir o castigo físico e humilhante é
incluindo, por exemplo, assistentes sociais, uma questão controversa. Como seu uso é
profissionais de saúde, professores e policiais. tradicional em grande parte dos Estados, desafiá-
lo provavelmente não é algo fácil ou popular, ao
Ao defender a reforma jurídica, pode-se enfatizar menos entre adultos, até que eles estejam
que agressões menores de um adulto contra inteiramente informados sobre as implicações dos
outro, embora sejam claramente ilícitas, muito direitos humanos e os perigos para as crianças. O
raramente chegam aos tribunais (em muitos objetivo deve ser fazer o governo aceitar a
Estados, o princípio de minimis é reconhecido, ou necessidade da mudança e apresentar as
seja, a lei não trata de assuntos triviais). Agressões propostas legislativas necessárias diante do órgão
menores contra crianças,, e particularmente,, bebês legislativo apropriado. O processo de persuasão
e crianças pequenas, que provavelmente são as do governo para levar a sério suas obrigações
vítimas mais freqüentes do castigo físico, têm uma para com as crianças no que tange os direitos
probabilidade ainda menor de ir aos tribunais, humanos e a reforma jurídica não pode ter início
devido à falta de provas que poderiam ser usadas. muito cedo — há hoje exemplos positivos de
Chamar agressões de “menores” não significa, é reforma para se mostrar. (Consulte a Etapa 4A,
claro, que são menos importantes ou que devam seção 3 para obter outros exemplos.)
ser ignoradas ou consideradas lícitas, mas sim que
a resposta precisa ser positiva e em forma de Ao desenvolver as propostas e estratégias
apoio, e não e punitiva. necessárias para garantir sua eficácia, você precisa
considerar as seguintes questões:

51
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

l Segundo a perspectiva dos direitos humanos, – depois, proibiram explicitamente qualquer


as propostas devem cobrir todo castigo físico e castigo físico ao incluir uma declaração nas leis
humilhante, em quaisquer cenários, incluindo o de família e da criança.
lar da família. Não existe distinção para as leis
dos direitos humanos entre os direitos iguais O efeito disso foi deixar inteiramente claro que
das crianças à proteção, por exemplo, nas a lei criminal para agressão se aplica a agressões
escolas e no ambiente familiar. No entanto, cometidas por pais e por outras pessoas que
pode acontecer de, no contexto atual, haver a espanquem crianças como forma de disciplina.
chance de influenciar a elaboração ou reforma Tendo o Estado proibido todo castigo físico
de uma lei em particular que se relacione a desse tipo, a proteção cobre as crianças onde
alguns aspectos do castigo físico e humilhante. quer que estejam, independentemente de quem
Em muitos países, a reforma jurídica contra o cometa a agressão, ex.: em casa, no jardim de
castigo físico teve início com sua proibição infância, em escolas e outras instituições, no
entre os jovens agressores, passando depois à emprego e assim por diante.
sua proibição em escolas e outras instituições l Você precisa adotar medidas para garantir
e, finalmente, atacando o castigo físico no que a obediência à lei seja monitorada e que
ambiente do lar. Você precisa salientar que a todos envolvidos, incluindo as crianças,
reforma jurídica deve proteger igualmente as conheçam a lei. Pode ser útil ter a confirmação
crianças de agressões, onde quer que da proibição do castigo físico nas leis setoriais
aconteçam e seja quem for seu perpetrador. aplicadas a escolas, outras instituições, abrigos,
etc.
l A maioria dos 13 países que proibiram
qualquer castigo físico, incluindo o ambiente l Quando o castigo físico e humilhante é proibido
familiar, assim procederam: em escolas, outras instituições e outras formas
– primeiro, eliminaram qualquer defesa de custódia, a obediência requer medidas
existente que pudesse ser usada para administrativas apropriadas, incluindo:
justificar o espancamento de crianças. a conscientização crescente da lei entre adultos
e crianças;

Existe uma concepção errônea de que leis Da mesma forma, em 1969, na Finlândia, a lei
como a da Suécia (que, em 1979, foi o primeiro criminal de agressão recebeu emendas para
Estado a proibir explicitamente todo castigo remover uma cláusula estabelecendo que uma
físico) são apenas declarações, sem penalidades agressão menor não era passível de punição se
vinculadas. Mas na Suécia, a reforma jurídica cometida por pais ou outros no exercício de
contra o castigo físico teve início bem antes seu direito legítimo de castigar uma criança. Na
disso: em 1957, as cláusulas de lei criminal Noruega, uma cláusula similar foi removida do
desculpando pais que causam injúrias menores código criminal em 1972. A Áustria expurgou a
através do castigo físico foram removidas. A autorização explícita para castigo físico por
partir dessa data, as crianças passaram a ter parte dos pais em 1977. Todos esses países
proteção igualitária perante a lei contra proibiram explicitamente, mais tarde, por meio
agressões e todo tipo de castigo físico foi de seus códigos familiares, todo castigo físico.
efetivamente criminalizado.

52
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

a construção do conhecimento sobre a Desa fia ndo os g overnos a a g ir


proibição por meio de treinamento, tanto
inicial quanto em serviço; a rigorosa inspeção Quando o governo não dá sinais de tomar
por inspetores treinados e sem vínculo com a voluntariamente providências para proibir todo
instituição (incluindo entrevistas privadas com castigo físico e humilhante contra crianças, é
crianças e adultos); e o acesso a importante considerar se há maneiras de requerer
aconselhamento, defesa e procedimentos para que o governo reforme a lei, através do uso de
reivindicações para crianças e pais. processos jurídicos internacionais, regionais e
nacionais de direitos humanos. Contestações
l Respeitar a lei deveria se tornar uma condição jurídicas citando constituições e petições de
contratual, para que os professores e outros mecanismos externos de direitos humanos
que continuarem a fazer uso do castigo físico e podem produzir julgamentos ou decisões que os
humilhante sejam submetidos a sérios governos não podem ignorar. Se tais contestações
procedimentos disciplinares, incluindo perder ou petições produzirem uma decisão condenando
seus empregos. Isso por si só atuará como um o castigo físico, o governo ainda terá que ir ao
forte impedimento. Nos casos em que parlamento — órgão legislativo mais alto do país
professores e outros, depois de avisados, — para conseguir um acordo para mudar a lei
continuarem a fazer uso do castigo físico e nacional, mas esse processo não deve ser difícil se
humilhante, o processo penal é uma resposta as obrigações com os direitos humanos forem
legítima e necessária. salientadas. Conseqüentemente, pode ser mais
fácil para os governos dizerem que são forçados a
l Pode ser necessário encontrar advogados de fazer a mudança. Estas são as possíveis estratégias
direitos humanos com a experiência para forçar a mudança:
adequada para rever a lei e propor as
emendas e apelos necessários para proteger 1. Ameaçar ou prosseguir com uma contestação
integralmente as crianças. ao castigo físico e humilhante em tribunais
domésticos, citando princípios constitucionais
Para informações sobre Estados que proibiram
ou princípios de direito internacional, por
qualquer castigo físico, consulte
exemplo, na CDC em outros instrumentos
www.endcorporalpunishment.org.
aceitos pelo Estado.

53
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

Há muitos exemplos de contestações nessas regiões tornem as futuras tentativas bem


constitucionais bem sucedidas a castigos físicos em sucedidas.
vários países: Tribunal Constitucional da África do
Sul; cortes supremas e superiores na Namíbia, 3. Faça “comunicações” individuais
Zâmbia, Índia, Fiji, Canadá, Itália e Israel (para (reivindicações) ao Comitê de Direitos
informações, consulte Humanos, ao Comitê sobre a Eliminação da
www.endcorporalpunishment.org). Discriminação contra as Mulheres ou ao Comitê
contra a Tortura, alegando o não-cumprimento
Em alguns países, podem ser feitas contestações das Convenções relevantes.
jurídicas a leis existentes sem que se encontre
uma criança vítima: simplesmente pela asserção, Cidadãos, incluindo as crianças, de Estados que
por exemplo, de que a existência de uma defesa aprovaram os Protocolos Opcionais os relevantes
da "punição razoável" fere o princípio dessas Convenções podem submeter
constitucional de proteção igualitária perante a lei, comunicações alegando que são vítimas do
e também arrisca submeter as crianças a castigos descumprimento dos direitos garantidos pelas
desumanos ou degradantes. Se for necessário uma Convenções. Comunicações Individuais ao
vítima, será inevitavelmente difícil achar uma Comitê de Direitos Humanos já foram usadas
criança preparada para contestar o castigo físico com sucesso por adultos jovens (embora ainda
dos pais. não por crianças) para contestar o castigo físico
penal na Jamaica e em Trinidad e Tobago. Para
2. Considere apelar a qualquer mecanismo de obter informações do processo concernente a
direitos humanos que possa ter uma solução. comunicações individuais, consulte
www.unhchr.ch.
Nos 46 Estados membros do Conselho da
Europa, as petições individuais alegando 4. Faça uso das recomendações do Comitê
descumprimento dos direitos humanos ao sobre os Direitos da Criança.
Tribunal Europeu de Direitos Humanos podem
ser muito eficazes; elas foram usadas nos últimos O Comitê sobre os Direitos da Criança
30 anos para erradicar o castigo físico contra recomendou formalmente a abolição de qualquer
crianças do sistema penal e das escolas no Reino castigo físico a 130 países em todos os
Unido, e atualmente estão contestando o castigo continentes, a partir do exame dos relatórios
físico nos lares. Há também um processo de preparados pela CDC (para ver todas as
regulamentação, incluindo um procedimento para recomendações do Comitê para todos os
“queixas coletivas” junto à Carta Social Européia, Estados, consulte
que garante os direitos econômicos e sociais e www.endcorporalpunishment.org).
cobre a proteção à criança. Esse processo acaba
Muitos Estados não consideram essas
de dar início a contestações sistemáticas à
recomendações proclamadas, ainda que elas
legalidade do castigo físico por toda a Europa
sejam munição de peso em campanhas pela
(para obter informações, consulte
reforma jurídica, possam ser citadas em tribunais e
www.endcorporalpunishment.org).
devam ser publicadas da forma mais abrangente
Os mecanismos de direitos humanos regionais possível. Outros órgãos de tratados dos direitos
também existem na América Latina e na África. humanos também reproduziram a posição clara
Eles ainda não foram usados para contestar o do Comitê sobre os Direitos da Criança contra o
castigo físico contra crianças, mas é provável que castigo físico e recomendaram sua abolição.
os padrões de direitos humanos estabelecidos

54
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Será necessário um aconselhamento jurídico Na Costa Rica, o Ombudsman de Crianças está


especializado para seguir as estratégias descritas altamente comprometido com a defesa da
acima, quando da tentativa de exigir dos governos reforma jurídica. Mario Viquez, o Procurador da
a reforma de suas leis. Infância do Estado, fez relatórios e pesquisas, e
mobilizou a sociedade civil nos últimos anos, para
3. Exemplos de boas práticas promover a proibição de qualquer castigo físico
contra crianças. Em 2004, ele apresentou ao
Congresso uma proposta para uma Carta, que foi
1. América Latina
adiada por desentendimentos políticos. O
Na América Latina, a Save the Children Suécia Ombudsman, com o apoio da SCS, juntou-se a
(SCS) incumbiu a Comissão Andina de Juristas outra organização parceira, a Paniamor, uma
(CAJ), uma organização de direitos humanos ONG local que há muitos anos vem lutando
sediada no Peru, de promover uma revisão contra todas as formas de violência contra
regional da lei em todos os estados, no que diz crianças na Costa Rica. Juntos, a Paniamor e o
respeito ao castigo físico e humilhante. Ombudsman estão em campanha pelo país para a
eliminação de todo castigo físico contra crianças.
O estudo regional completo foi lançado em maio A Paniamor organiza treinamentos de
de 2005, em um workshop sobre reforma jurídica, profissionais, autoridades da área de saúde,
para assegurar proteção legal integral às crianças professores, líderes religiosos e pais, enquanto o
contra todas as formas de violência. O objetivo é escritório do Ombudsman assume a parte política
que o estudo, que baseia sua análise na CDC, do processo, explicando por que é tão
possa ser usado como ferramenta para todos da importante ter a proibição explícita de todas as
região que queiram se engajar em atividades em formas de castigo contra a criança na lei da Costa
prol da reforma jurídica em nível nacional. Rica. As iniciativas se complementam muito bem,
oferecendo workshops em todas as regiões do
Concomitantemente, a SCS também está
país. O objetivo é obter mais apoio das
apoiando uma atividade específica de reforma
comunidades, da sociedade civil e de setores do
jurídica com o objetivo de abolir o castigo físico
governo, a fim de pressionar o Congresso a
no Brasil e na Costa Rica. No Brasil, a Tele Lacri,
debater e aprovar a Carta apresentada pelo
um centro de pesquisa para a infância, na
Ombudsman no ano seguinte (para obter mais
Universidade de São Paulo, desenvolveu uma
informações, consulte www.scslat.org).
Carta apresentada ao Congresso por uma
congressista, no final de 2003. Passaram-se mais
2. Reino Unido
de dez anos desde a pesquisa acadêmica e o
treinamento da Lacri para a eliminação de todas A campanha do Reino Unido, "Children are
as formas de castigo físico contra crianças. A Lacri unbeatable!", é uma aliança de mais de 350
fez lobby junto a grupos políticos durante todo o organizações e projetos, e muitos indivíduos
ano de 2004 e a Carta foi aprovada pela proeminentes. A campanha é realizada desde
Comissão de Educação. Em dezembro de 2004, a 1998, para que se dê às crianças a mesma
Carta foi debatida no Congresso. proteção que aos adultos perante a lei de

55
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

agressão, e para promover formas de disciplina difícil iniciar projetos para criar uma proibição
positivas e não-violentas. O castigo físico contra legal e fornecer treinamento em alternativas ao
crianças na escola, outras instituições e formas de castigo físico inicialmente, sem o despertar da
custódia fora do lar da família foi proibido (o conscientização em torno dos direitos da
processo de abolição se encerrou em 2003). Mas os criança e de por que o castigo físico é errado.
pais e alguns responsáveis informais detêm o direito Outra razão para levantar a questão é criar
de usar a "punição razoável". parcerias com ONGs nacionais, que podem
levá-las a iniciar projetos que tratem da questão
A campanha, na qual a Save the Children Reino e se apropriar dela.
Unido desempenha um papel importante, fracassou,
até o momento, em persuadir o governo do Reino A SCS também autorizou o Centro de Direito
Unido a abolir integralmente a defesa da "punição Comunitário, na Cidade do Cabo, a realizar
razoável", a despeito da forte pressão dos direitos pesquisas sobre o status jurídico do castigo
humanos. Reformas legais parciais e insatisfatórias físico de crianças na África do Sul, Suazilândia e
têm sido implementadas na Escócia, Inglaterra e no Zâmbia.
País de Gales. A campanha tem um pequeno
secretariado e um site em A lei sul-africana proíbe o castigo físico de
www.childrenareunbeatable.org.uk. crianças em instituições de custódia e abrigos,
no sistema de justiça juvenil e nas escolas.
3. África do Sul Contudo, ainda é permitido aos pais administrar
castigos físicos como método disciplinar para
Desde 2001, a Save the Children Suécia (SCS) crianças. A SCS está, juntamente com parceiros
trabalha ativamente na África do Sul, com o apoio de da sociedade civil, advogando pela inclusão da
parceiros, pesquisa e defesa para fazer as pessoas se proibição total do castigo físico na nova Carta
conscientizarem do castigo físico e de outras formas da Criança na África do Sul. O trabalho inclui
de castigo humilhante ou degradante como uma conclusões orais e escritas endereçadas ao
violação dos direitos das crianças, para promover Departamento de Desenvolvimento Social e ao
alternativas ao castigo físico e para obter uma Parlamento, assim como fornece apoio técnico
estrutura jurídica que proíba todas as formas de e financeiro a organizações parceiras para
castigo físico contra as crianças. defenderem a mudança na estrutura jurídica.

Inicialmente, o trabalho da SCS esteve concentrado Para apoiar o processo de defesa da proibição
na África do Sul. Durante os esforços realizados em de todas as formas de castigo físico na África do
2004 para reverter a cultura do castigo físico, ele se Sul, a SCS, juntamente com uma organização
estendeu à Zâmbia e à Suazilândia. parceira, está desenvolvendo o parecer jurídico
sobre se o castigo físico de crianças em seus
Em muitos países no sul da África, a conscientização lares é ou não compatível com a Constituição
em torno do castigo físico de crianças como uma sul-africana. Um parecer jurídica determinando
violação de seus direitos é quase inexistente. Fica que o castigo físico das crianças é

“Isso machuca a gente por dentro… porque parte o coração.”


GAROTO INGLÊS, 6 ANOS.

56
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

inconstitucional auxiliará o trabalho de defesa


relativo à Carta da Criança. Se o Parlamento l produção de materiais, incluindo folhetos
excluir a questão do castigo físico da Carta da pôsteres e guias elaborando a questão do
Criança, a SCS, juntamente com organizações castigo físico, a disciplina positiva, as
parceiras, levaria a questão do castigo físico de conseqüências da violência para o
crianças em seus lares ao Tribunal Constitucional. desenvolvimento da criança, e experiências
bem sucedidas quanto às reformas legislativas
Embora seja proibido nas escolas sul-africanas, que outros Estados adotaram. O material
esse tipo de castigo é largamente administrado. incluía os resultados de uma pesquisa realizada
A fim de atingir maior grau de obediência à lei nas com 1.210 crianças para descobrir com que
escolas, a SCS apóia o litígio para reforçar a freqüência apanhavam e qual era sua atitude
proibição dirigida a professores e ministros de diante da prática.
educação provinciana, através de procedimentos
criminais e reclamações por danos nos tribunais l criação de grupos de ação, formados por
da África do Sul. (Para obter mais informações, voluntárias da Save the Children, situados em
consulte www.rb.se) centros de informação nas escolas, inclusive as
de ensino médio, e nas universidades. As
4. Romênia atividades foram realizadas em 95 escolas,
envolvendo 2.950 crianças, 80 professores e
A Save the Children Romênia desenvolveu uma 836 pais.
campanha para alcançar a reforma jurídica com o
fim de acabar com o castigo físico de crianças. Os l uma campanha de rua em 16 pontos de
objetivos gerais foram: Bucareste e nas 15 filiais da Save the Children
na Romênia.
l proibir legalmente o espancamento de crianças
/castigo físico. l A Competição pelos Direitos da Criança e o
Fórum da Criança, envolvendo 3.500 crianças
l mudar as atitudes e os métodos usados na de escolas e centros de alocação em atividades
educação de crianças (por pais e professores). voltadas à informação e à promoção da não-
violência, e em princípios educacionais
l pôr a lei em prática ou seja, a violência contra
baseados em disciplina positiva.
crianças tem que ser punida.
l Reportagens nacionais e locais, programas de
As mensagens da campanha eram:
rádio e de TV e histórias versando sobre
l Espancar não é do Bem! castigo corporal contra crianças.

l Cuide-se! A violência contra as crianças é l um debate público oferecido pelo Parlamento


punida! a seus membros, senadores e representantes
de ONGs para discutir a questão da violência
Essas mensagens foram dirigidas a membros do doméstica e os meios de combatê-la.
Congresso, governantes, especialistas em
proteção à criança, professores, pais, crianças e A campanha resultou na provisão da nova Lei da
jovens. Criança, que estabelece o seguinte:

1. "A criança tem o direito de ter sua personalidade


As estratégias adotadas para promover as
respeitada e de não ser submetida a castigos físicos
mensagens da campanha foram:
ou outros tratamentos humilhantes.

57
E T A P A 4A REFORMA JURÍDICA

2. Medidas disciplinares destinadas à criança só Nós precisamos discutir como manter a


podem ser tomadas de acordo com a dignidade disciplina nas escolas.
das mesmas e, sob nenhuma circunstância, serão
permitidos castigos físicos que possam afetar o l O sistema educacional é mal-sucedido.
desenvolvimento mental e físico da criança, ou que Os MLAs devem debater essa questão na
possam afetar o estado emocional da criança". Assembléia Legislativa. Se podemos discutir
a situação dos professores, devemos dar a
(Para obter mais informações, consulte
mesma importância à dos alunos.
www.salvaticopiii.ro)
l O Departamento de Educação deve orientar
5. Estado de Orissa, Índia os professores sobre como educar os alunos.

Em 2004, a Save the Children Reino Unido, em No final do encontro, as crianças assinaram um
colaboração com o governo de Orissa e memorando e o apresentaram ao orador. Suas
liderando ONGs envolvidas com os direitos das exigências foram:
crianças, organizou um encontro entre crianças e
Membros da Assembléia Legislativa (MLAs) do l a sociedade deve ficar livre da violência.
governo de Orissa para discutir as conseqüências
l todos os tipos de castigos físicos e degradantes
do castigo físico e degradante de crianças. Foi a
devem ser proibidos.
primeira vez que um encontro desse tipo
aconteceu na Índia. Ele reuniu 35 MLAs do l o ensino deve ser bilíngüe.
partido do governo e da oposição e 22 crianças
(10 garotos e 12 garotas) de áreas rurais e l o sistema vigente de multas em caso de
urbanas. ausência deve ser encerrado.

O encontro foi o ápice de inúmeras consultas e Os MLAs concluíram que havia a necessidade de
diálogos com crianças, comitês de educação e proibir os castigos físicos e humilhantes/degra-
funcionários municipais. Em todas essas dantes e de promover formas positivas de
discussões, as crianças exigiram uma plataforma disciplina. Eles reconheceram a necessidade de
para compartilharem suas opiniões e visões trabalhar o currículo de treinamento dos
sobre o sistema educacional vigente. Outra professores e de criar sistemas para promover
proposta do encontro foi discutir abordagens positivas de disciplina. Também
recomendações e ações para proibir os castigos reconheceram que alguns pais e professores, em
físicos e humilhantes/degradantes, e para Orissa e em outras partes da Índia, já estavam
introduzir uma disciplina positiva em escolas e usando métodos criativos para ensinar de modo
instituições. eficaz, sem o uso de castigos físicos e humilhan-
tes/degradantes, mas suas experiências eram
Algumas das principais mensagens das crianças muito pouco disseminadas. Havia a necessidade
foram: de salientar essas boas práticas para elevar a
conscientização e o entendimento.
l As atitudes dos professores devem mudar e
eles devem estar cientes dos efeitos de O resultado do encontro foi a proibição, em
castigos físicos e degradantes. Se um agosto de 2004, do castigo físico no estado de
estudante é desobediente, ele ou ela deve ser Orissa.
punido, mas o castigo não deve ferir o
estudante. (Para obter mais informações, consulte
www.rb.se)

58
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

6. A Iniciativa Global para Acabar com decisões de órgãos de direitos humanos; todos as
recomendações do Comitê das Nações Unidas
Todas as Formas de Castigo Físico
sobre os Direitos da Criança relacionados a
contra Crianças castigo; detalhes da erradicação em países em que
A Iniciativa Global para Acabar com Todas as a lei foi reformada, links para informações e
Formas de Castigo Físico contra Crianças, materiais promovendo formas de disciplina
estabelecida em 2001, trabalha positivas e não-violentas; e detalhes de pesquisas
internacionalmente, em conjunto com a Save the sobre castigos físicos. A Iniciativa Global deseja
Children, para apoiar e criar campanhas a fim de oferecer aconselhamento e apoio a campanhas
acabar com o castigo físico. O site da Iniciativa, nacionais. Entre em contato:
www.endcorporalpunishment.org, contém info@endcorporalpunishment.org
detalhes de julgamentos importantes e

59
E T A P A 4B
Etapa 4B
Defesa da
mudança social

1. Introdução

2. Desenvolvendo uma estratégia

A. Estabeleça objetivos

B. Reúna as informações necessárias

C. Identifique o público-alvo

D. Desenvolva recursos e mensagens-chave

E. Construa alianças e apoio

F. Divulgue a mensagem

3. Exemplos de boas práticas

60
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Introdução l a ineficácia do castigo físico e humilhante e os


benefícios da disciplina positiva.
Erradicar a prática difundida de castigo físico e
humilhante exigirá uma defesa ativa da mudança l a importância da mudança de comportamento
de atitudes e comportamentos em relação às para a erradicação do castigo físico e
crianças. A aceitação legal e social do castigo físico humilhante na família.
e humilhante fortalece a mensagem de que a
Mas tenha em mente que suposições sobre
violência contra determinados grupos ou
a legitimidade de bater em crianças são
indivíduos é aceitável. A defesa tem como
difundidas e arraigadas. Você precisará estar
objetivo mudar tal aceitação, através da
preparado para se comprometer com um
conscientização pública do caso a ser mudado.
esforço firme e significativo no programa.
Sendo assim, você precisará construir argumentos
Mudanças levam tempo.
e evidências sobre:

l o direito de proteção da criança contra todas 2. Desenvolvendo uma estratégia


as formas de violência.
Sua estratégia para promover mudanças de
l a extensão e a severidade dos padrões do atitudes e comportamentos precisará:
castigo físico e humilhante contra as crianças.
l estabelecer objetivos.
l os danos de longo prazo relacionados ao
castigo físico e humilhante. l reunir as informações necessárias.

A defesa pode sig nifica r tra ba lha r de form a s ba sta nte distinta s em níveis diferentes

l O nível internacional de defesa envolve o institucionais (por exemplo, reformas


trabalho para desenvolver ou promover leis administrativas no setor público); e medidas
e padrões internacionais já existentes (por legais específicas e eficientes para proteger
exemplo, padrões e convenções regionais os direitos da criança. (Uma parte variada da
da ONU). Também pode significar a busca legislação, como conjunto independente de leis
por um maior comprometimento político e referentes às crianças, nem sempre é a
mecanismos mais eficazes para assegurar a melhor abordagem. Porém, devem existir
implementação desses padrões, medidas específicas na lei, seja um único ato
influenciando, inclusive, a política de ou um conjunto de leis.).
desenvolvimento de doadores bilaterais ou
l O nível local de defesa pode influenciar a
multilaterais.
interpretação local e a administração prática
l O nível nacional de defesa pode trabalhar da legislação vigente; aumentar a
buscando influenciar políticas e estratégias conscientização, estimular debates e
nacionais (por exemplo, a integração da discussões locais; educar a comunidade local.
CDC à legislação nacional); estruturas

61
E T A P A 4B DEFESA DA MUDANÇA SOCIAL

l identificar o público-alvo. crianças. Porém, suas prioridades imediatas para


ação tendem a aparecer através de descobertas
l desenvolver mensagens-chave e alocar os de sua análise da situação. Por exemplo, se não
recursos necessários. houver evidências disponíveis sobre os níveis de
castigo físico e humilhante, você pode decidir que
l construir alianças e apoio.
o primeiro objetivo deve ser realizar pesquisas
l difundir a mensagem. para construir uma imagem mais clara do
problema. Se houver pouco conhecimento ou
A. Estabeleça objetivos compreensão da CDC e das descobertas do
Comitê sobre os Direitos da Criança, você pode
O objetivo geral deve ser erradicar todas as perceber que a prioridade é aumentar a
formas de castigo físico e humilhante de

“A aceitação legal e social do castigo físico e humilhante de crianças


fortalece a mensagem de que a violência contra as crianças é aceitável. A
defesa tem como objetivo mudar tal aceitação, através da conscientização
pública sobre os danos e efeitos de longo prazo do castigo físico e
humilhante nas crianças, bem como o direito de proteção das crianças
contra todos os tipos de violência.”
EQUIPE SAVE THE CHILDREN, WORKSHOP GLOBAL DA SAVE THE CHILDREN
INTERNACIONAL SOBRE CASTIGO CORPORAL, CAIRO, 2003.

62
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

conscientização de seu status e das implicações l Um determinado número de patrocinadores


para as crianças, usando a prevalência do castigo individuais importantes.
físico e humilhante como um exemplo da
difundida violação dos direitos da criança. Você l Contato estabelecido com os principais
pode decidir adotar objetivos de curto, médio e políticos e representantes do governo.
longo prazos como parte de uma abordagem
l Oportunidades para as crianças terem acesso a
estratégica do programa. É importante observar
decisores políticos e à mídia para expressar
que esses objetivos são seqüenciais. Os objetivos
suas opiniões.
de curto prazo devem focar resultados
necessários para possibilitar as mudanças de longo l Debate promovido sobre a necessidade de
prazo para as crianças. Porém, sem o mudanças jurídicas e de atitude.
compromisso com os objetivos de longo prazo, o
impacto de seu programa para as crianças será Objetivos de long o pra z o
mínimo.
l Reforma jurídica para erradicar o castigo físico
Objetivos de curto pra z o e humilhante em todos os cenários.

l Produção e disseminação de evidências l Redução da incidência do castigo físico e


de crianças e pais da predominância humilhante contra crianças em todos os
do castigo físico e humilhante. cenários.

l Reunião e disseminação de evidências sobre l Maior reconhecimento dos direitos da criança à


as visões e experiências de crianças a respeito dignidade e ao respeito a sua integridade física.
do castigo físico e humilhante.
B. Reúna as informações necessárias
l Mensagens-chave da campanha estabelecidas.
Uma estratégia de defesa eficiente deve se basear
l Produção de pôsteres e folhetos mostrando em informações confiáveis e precisas. Essas
o panorama para a reforma jurídica e para informações já devem ter sido reunidas em sua
mudanças de atitudes e práticas. análise da situação, como parte de sua estratégia
para conseguir a reforma jurídica, e incluem:
l Apoio ativo de agências-chave que trabalhem
com crianças. l padrões internacionais que influenciam o
castigo físico e humilhante.
Objetivos de m édio pra z o
l recomendações específicas feitas ao seu
l Campanhas de alto nível definindo objetivos
governo pelo Comitê sobre os Direitos da
claros e específicos, incluindo propostas para a
Criança e quaisquer outros órgãos de tratados
reforma jurídica.
dos direitos humanos.
l Um determinado número de organizações
l a estrutura nacional legal que sustenta o castigo
comprometidas com a campanha (isso
físico e humilhante em todos os cenários
dependerá do tamanho do país, do número de
(consulte a Etapa 4A).
organizações sociais, etc.).
l resultados de pesquisas nacionais e
l Um perfil visível na mídia para a campanha.
internacionais sobre os limites, impactos e
severidade do castigo físico e humilhante.

63
E T A P A 4B DEFESA DA MUDANÇA SOCIAL

E xem plo da estra tég ia reg iona l na Á sia Centra l e do S ul

O seguinte conjunto de objetivos para um l Defender uma maior distribuição


componente de campanha e defesa foi retirado orçamentária (de governos, da Save the
da Estratégia Regional da Ásia Central e do Sul Children e de outros doadores) para lutar
sobre Castigo Corporal/Físico e o Castigo contra o castigo físico e psicológico em
Psicológico de Meninos e Meninas, incluindo todos os cenários.
Ferramentas e Técnicas de Disciplina Positiva.
l Desenvolver materiais de defesa para criar
l Defender a mudança de posturas sociais campanhas nacionais e regionais contra o
buscando a não-aceitação do castigo físico e castigo físico e psicológico de meninos e
psicológico. meninas.

l Defender a reforma jurídica e o l Defesa na mídia.


cumprimento de leis existentes que proíbem
o castigo físico e psicológico. l Influenciar a contribuição regional para o
Estudo da ONU sobre Violência contra a
l Defender a erradicação do castigo físico e Criança.
psicológico em escolas (inicialmente, sem se
limitar a isso). www.savethechildren-alliance.org.np

l políticas do governo e quaisquer orientações assumiram uma posição em relação ao castigo


relativas ao castigo físico e humilhante em físico e humilhante.
todos os cenários.
l se foram realizadas discussões políticas ou
Além disso, você precisa conhecer: legislativas nas quais se tenha falado sobre
soluções para o castigo físico e humilhante, por
l os diferentes departamentos do governo exemplo, debates no contexto da reforma
responsáveis pelas diversas áreas das vidas das legislativa passada, ou o desenvolvimento de
crianças. uma nova política social em relação à família, à
educação, à justiça juvenil, à institucionalização,
l os principais ministros e representantes do
etc. Que opiniões foram expressadas?
governo.
l o que as crianças acham do castigo humilhante.
l se existem comitês parlamentares, do governo
ou outros comitês ou grupos de trabalho que Foi feito algum trabalho com elas sobre isso?
possam ser responsáveis pelo tratamento de
crianças.

l as estruturas responsáveis nos níveis regional,


provincial ou local e como elas se relacionam
com as autoridades nacionais.

l o papel das autoridades religiosas em relação à


vida e à educação das famílias e se elas

64
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

C. Identifique o público-alvo poderiam ser usados como "tijolos" para uma


campanha de defesa. Por exemplo, os pais são
É importante deixar claro quem é o alvo da sua os principais educadores quando se trata do
campanha. desenvolvimento cognitivo, social e emocional
das crianças. Angariar seu apoio é essencial em
l O público-alvo principal inclui os portadores de
qualquer campanha. Deve haver esforços para
obrigações que possuem autoridade para
alcançar ministros ou políticos influentes que
realizar a mudança política desejada. No caso
são mais receptivos nos ministérios relevantes,
do castigo físico e humilhante, eles englobam
por exemplo, departamentos de Educação,
provavelmente ministros do governo,
Saúde ou Justiça.
representantes do governo, professores,
policiais, membros do parlamento e os pais.
D. Desenvolva recursos e mensagens-
l O público-alvo secundário inclui as pessoas que chave
têm acesso ao público principal e são capazes
de influenciá-lo. Esse grupo engloba outros 1. A s m ensa g ens
decisores políticos, a mídia e líderes religiosos.
A análise da natureza, extensão e causas do
Você precisará identificar as visões e posturas castigo físico e humilhante de crianças ajudará
adotadas por diferentes membros dos públicos- você a decidir como formular as mensagens
alvo, por exemplo, se eles apóiam, se opõem ou para que elas sejam bem-sucedidas em sua
são indiferentes ao problema. Também é útil estratégia de defesa. É essencial ter uma
avaliar a capacidade potencial dos portadores de compreensão clara do que realmente significa
obrigações, bem como os valores positivos, a expressão "castigo físico e humilhante" no
práticas e crenças tradicionais da comunidade, que contexto local.

Rom ênia

Na Romênia, uma campanha para acabar com que influenciam as atitudes em relação às
o castigo físico e humilhante usou duas crianças, visto que:
mensagens principais em seu material
l A Romênia é uma sociedade extremamente
publicitário:
religiosa e dirigir-se às pessoas através da
Bater não é coisa de Deus! religião foi uma maneira eficiente de atrair
atenção.
Tome cuidado! A violência contra crianças é
punida! l usar a religião como meio de comunicação
estabeleceu a ligação entre a moralidade e o
Ela também distribuiu pôsteres mostrando bom tratamento de crianças
imagens de anjos com um olho machucado,
usando as mensagens "Bater em uma criança é l a ênfase no castigo foi direcionada à crença
como bater em um anjo" e "A violência nunca é de que os adultos podem tratar mal as
uma virtude". crianças impunemente.

Essas mensagens se basearam em uma clara


avaliação dos fatores sociais e culturais

65
E T A P A 4B DEFESA DA MUDANÇA SOCIAL

O que as crianças entendem dessa expressão? O Responder e contestar esses argumentos deverão
que os pais, responsáveis e a comunidade local ser a base de seu programa. É extremamente
incluem/excluem quando falam do castigo físico e importante enfatizar que o objetivo é a mudança
humilhante? Se essas questões não estiverem de comportamento e não a punição dos pais. As
claras, há o risco de todo o trabalho subseqüente evidências de todos os países que realizaram
perder o foco. reformas jurídicas para erradicar o castigo físico de
crianças mostram resultados na mudança de
As mensagens devem ser claras e compreensíveis,
atitude em relação às crianças e uma redução
desenvolvidas e formuladas para públicos-alvo
nos níveis de violência contra elas, mas não um
específicos, para que eles se convençam a apoiar
aumento da penalização dos pais (consulte a
sua posição. Dependendo do contexto, as
Etapa 4A).
mensagens podem focar:
2. Os recursos
l O argumento para o tratamento igualitário de
crianças: por que somente as crianças, os Uma vez que tenha decidido as mensagens que
membros mais vulneráveis da sociedade, não deseja promover, você precisará produzir
são protegidas contra a violência? Elas devem os recursos para divulgá-las. Talvez sejam
ter os mesmos direitos de proteção. necessários recursos distintos para os diferentes
públicos-alvo. Por exemplo:
l O argumento baseado em princípios da não-
violência: bater em pessoas é errado — e l materiais publicitários: pôsteres, folhetos e
crianças também são pessoas. Esse argumento panfletos explicando o argumento para a
também pode incluir uma mensagem mudança, os principais fatos, o impacto,
promovendo tolerância zero à violência. as visões das crianças, etc.

l O argumento eficaz para a não-violência: ela l informações: guias sobre alternativas ao


não funciona, ela é nociva e a disciplina castigo físico, os direitos da criança, padrões
positiva é muito mais eficiente. internacionais, resultados de pesquisas.

l O argumento pragmático para a não-violência: l artigos: para jornais e revistas direcionados ao


violência gera violência e ensina que a violência público em geral e a profissionais específicos.
é uma estratégia aceitável para se conseguir o
que deseja. l comunicados de imprensa: relatando
incidentes de violência contra crianças,
Claramente, a principal mensagem é de que publicando casos que estão surgindo nos
nenhuma forma de violência contra crianças é tribunais, promovendo os resultados de
aceitável. Porém, você também precisará tratar das pesquisas nacionais e internacionais,
razões por que os pais e outras pessoas têm as apresentando o argumento para a reforma
visões que têm, o que influencia seus jurídica, reagindo a declarações de políticos e
comportamentos em relação às crianças, e as outros indivíduos de destaque.
alternativas positivas que podem ser usadas no
lugar do castigo físico e humilhante. Embora fatores l cartas: cartas individuais ou pro forma para
sociais e culturais possam levar a atitudes membros da assembléia legislativa e do
diferenciadas em relação às crianças, existem muitos governo.
argumentos usados para justificar o castigo físico de "Na Colômbia, os serviços de saúde e organização de
crianças que são os mesmos em todo o mundo. crianças usaram o rádio como uma das formas

66
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

mais eficientes para alcançar os pais e mostrar a eles destaque é uma estratégia útil, já que elas têm
práticas para a criação saudável e para evitar a violência, influência sobre o público. Muitas vezes, as
ajudando-os a enfrentar os diversos problemas que pessoas desejam ser como as celebridades, por
surgem nas diferentes etapas do processo de
exemplo, por isso seu apoio ativo para o fim do
crescimento."
Warrior, 1999 castigo físico e humilhante pode ser uma
importante alavanca para a mudança. Elas
E. Construa alianças e apoio também atraem publicidade, podendo, assim,
oferecer oportunidades para uma maior
Conseguir um eleitorado para apoiar a mensagem cobertura de mídia para sua campanha. Você
de defesa é essencial para o sucesso. Quanto pode pensar em se aproximar de indivíduos dos
maior a base de apoio, maiores são as chances de mundos da música, literatura, televisão, arte,
se conseguir uma influência real. Você precisa teatro, esporte, ciência e política. Pode ser
estabelecer alianças com organizações, indivíduos bastante benéfico angariar o apoio de líderes-
de destaque ou significativos e com a mídia. chave da comunidade ou de figuras públicas cujas
opiniões sejam observadas pelo público. Podem
1. Org a niz a ções
ser líderes religiosos, comentaristas sociais,
Para poder angariar o apoio formal de especialistas no desenvolvimento da criança ou
organizações relevantes, você precisará se até mesmo o(a) cônjuge do(a) chefe de Estado,
encontrar com membros seniores das equipes, que pode se interessar em realizar papéis sociais
participar como ouvinte e palestrante em relacionados a mulheres e crianças.
conferências, realizar encontros públicos e divulgar
3. M ídia
informações. Os tipos de organizações das quais
você poderia se aproximar incluem: É útil procurar jornalistas que estejam
interessados no problema. Comentaristas e
l ONGs, redes e coligações
redatores-chefe de jornais são uma fonte valiosa
l doadores de apoio se eles se dispuserem a escrever de
forma positiva e regular sobre o problema. O uso
l grupos cívicos
eficiente da mídia será vital para o sucesso de sua
l associações profissionais estratégia para mudança. É essencial que sua
mensagem seja conhecida, amplamente divulgada
l grupos feministas
e receba a atenção devida. Comunicados de
l organizações sobre os direitos humanos imprensa freqüentes relacionando problemas
correntes à sua campanha podem servir para
l grupos religiosos
manter você visível para o público.
l uniões de comércio

l organizações de apoio a crianças e jovens


F. Divulgue a mensagem

l grupos de pais. Além de construir sua base de apoio, você


precisa levar a mensagem para um público maior
– por exemplo, o público em geral, a mídia e os
2. Indivíduos de desta que ou sig nifica tivos tomadores de decisões. Estratégias variadas
podem ser adequadas para difundir as mensagens
Angariar o apoio de pessoas com um perfil de

67
E T A P A 4B DEFESA DA MUDANÇA SOCIAL

da campanha, dependendo dos diferentes


públicos-alvo. Por exemplo:

l Reunir evidências de crianças sobre suas


experiências com castigo físico e humilhante
em casa para melhorar a compreensão da
severidade, da extensão e dos impactos e
criar oportunidades para que elas apresentem
suas visões, participem de programas de
sensibilização e encorajem alternativas para o
castigo físico e humilhante.

l Influenciar o governo nacional para


incentivá-lo a combater a aceitação social do
castigo físico e humilhante e para promover dentro do órgão de governo. Você precisará
um maior respeito pelas crianças, não apenas incentivar os legisladores a identificar todas as
através da reforma jurídica, mas também oportunidades possíveis para tratar do
através de políticas, serviços para pais e suas problema, solicitando encontros com ministros,
mensagens públicas sobre crianças. Você fazendo perguntas aos parlamentares, realizando
precisa assegurar que o governo tenha plena debates e convidando-os a se apresentarem em
consciência de suas obrigações internacionais, seminários e conferências. Eles precisarão de
das interpretações do Comitê sobre os informações freqüentes sobre atualizações de
Direitos da Criança e de quaisquer leis, novas pesquisas e casos que surgem nos
observações conclusivas relevantes. tribunais.

l Identificar representantes-chave do governo l Trabalhe com o governo local e líderes


em departamentos relevantes, inclusive de religiosos e da comunidade para promover o
justiça, educação, bem-estar social e saúde. debate pela erradicação do castigo físico e
Você pode influenciar políticas e orientações humilhante e para angariar seu apoio a fim de
em produção, incentivar a produção de novas ajudar os pais a mudarem sua postura sobre
orientações, garantir que os representantes disciplina.
do governo sejam mantidos informados l Use patrocinadores comerciais para apoiar sua
sobre os desenvolvimentos na área, o nível campanha. Por exemplo, na Suécia, quando a
de apoio do público às mudanças, novas nova lei proibindo o castigo físico e humilhante
pesquisas, etc. Você pode incentivá-los a entrou em vigor, como parte da campanha
realizar pesquisas sobre a predominância do educacional para o público, embalagens de leite
castigo físico e humilhante. mostravam informações simples e claras sobre a
l Influenciar parlamentares/legisladores: você nova lei para aumentar a conscientização de
pode apoiar o estabelecimento de um grupo uma maior fatia do público.
exclusivo de parlamentares/legisladores sobre l Desenvolver um site que seja atualizado com
crianças para apoiar a campanha dentro do freqüência, fornecendo, por exemplo, os
órgão de governo. Você pode trabalhar em objetivos da campanha, detalhes sobre os
conjunto com eles para construir um maior patrocinadores, evidências dos limites e
eleitorado de apoio

68
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

severidade do problema, detalhes sobre casos se repetindo através das gerações, na forma de
atuais de abuso em andamento nos tribunais, um círculo vicioso, já que a maioria dos adultos
perspectivas internacionais, descobertas relevantes que maltratam seus filhos foram maltratados
do Comitê sobre os Direitos da Criança, etc. durante a infância.

“Uma das iniciativas mais bem-sucedidas de nossa Uma experiência com a "vacinação contra a
campanha contra o espancamento no Brasil foi quando violência" foi realizada pela Save the Children
conseguimos que uma empresa de telecomunicações
Reino Unido em Bogotá, capital da Colômbia,
privada patrocinasse e produzisse cartões para telefones
com o apoio do prefeito, Antanas Mockus,
públicos com mensagens dizendo, por exemplo:
durante a qual 40.000 vacinas simbólicas foram
'Acabe com o castigo físico de crianças JÁ!' ” aplicadas em um período de dez dias. Outros
seguiram o exemplo em muitos lugares.
Tele Lacri, Parceiro da
Save the Children Suécia, Brasil A estratégia é combater a violência e os maus-
tratos contra as crianças e buscar agir de acordo
3. Exemplos de boas práticas com as políticas que visam proteger os direitos
das crianças colombianas. Ela procura disseminar
1. Colômbia uma cultura baseada no tratamento positivo e no
respeito às crianças, promovendo soluções não-
Na Colômbia, a violência é a causa de muitos violentas para conflitos familiares e dentro do
problemas de saúde pública. Todos os dias sistema escolar. É uma contribuição direta para a
ocorrem 70 assassinatos violentos e 10 paz no país.
assassinatos políticos, bem como 10 mortes de
crianças causadas por maus-tratos ou abuso sexual. 2. Espanha
Além disso, 7.000 crianças estão envolvidas em Entre 1999 e 2001, a Save the Children Espanha,
organizações de combate. Também é evidente junto com parceiros (UNICEF, etc.), promoveu
que a violência que assola o país atualmente vem

69
E T A P A 4B DEFESA DA MUDANÇA SOCIAL

a campanha nacional "Eduque, não castigue", l Tratar o castigo físico como um problema
combatendo o castigo físico e humilhante de educacional e não apenas relacionado à
crianças (www.savethechildren.es). violência.

P rincipa is resulta dos da ca m pa nha l Levar em consideração a falta de recursos dos


pais e os desafios que eles enfrentam para
l Devemos questionar posturas sociais, não educar os filhos. O treinamento é essencial.
comportamentos.
l Considerar as dimensões culturais.
l Devemos aceitar que não é possível abolir o
castigo físico e humilhante imediatamente. l Desenvolver ferramentas alternativas para
solucionar conflitos (esse item foi
l Devemos nos empenhar para mudar a opinião freqüentemente requisitado pelos pais).
das pessoas sobre o castigo físico e humilhante.
l Garantir a participação significativa e confiável
l Não é direito ou dever dos pais infligir castigos de crianças.
físicos e humilhantes. Esse é um
comportamento errado e sem fundamento. l Mobilizar e envolver a mídia de massa.

l Campanhas contra o castigo físico e humilhante l Incentivar as instituições a fazerem declarações


são uma forma de prevenir o abuso contra públicas a respeito do problema.
crianças.
3. Outros exemplos de campanhas da
l A reforma jurídica é necessária como uma
Save the Children em defesa da
ferramenta educacional para a sociedade.
mudança social
P rincipa is lições a prendida s
l O programa da Save the Children Reino Unido
l Estimular as pessoas a trabalharem em trabalhou com uma grande corporação que
conjunto, ou seja, professores, pais e crianças. produziu pôsteres coloridos colocados em
clínicas de saúde e em centros de
l Permitir que ONGs trabalhem em conjunto.

70
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

cuidados por todo o Reino Unido. Incluíam públicas que foram transmitidas via TV e rádio.
detalhes de um folheto gratuito e um link para A campanha alcançou mais de 80.000 pessoas
um site de apoio com a mensagem: Criar os na área metropolitana de Lima.
filhos – ninguém disse que era fácil!
l Para obter uma melhor compreensão das
l A Save the Children EUA em Bangladesh posturas sociais em relação ao castigo físico e
produziu um vídeo para crianças com um show humilhante de crianças na África do Sul, a SC
de fantoches, apresentando cenas comuns e Suécia patrocinou uma enquete nacional em
desestimulando o uso do castigo físico e 2004, que coletou e analisou dados de uma
humilhante. amostra significativa da população com 16 anos
ou mais sobre posturas quanto à
l A Save the Children Suécia patrocinou seu
paternidade/maternidade e habilidades para
parceiro brasileiro Tele Lacri na produção de
educação dos filhos, com foco no castigo físico
um vídeo poderoso, contendo os desenhos de
e humilhante.
várias crianças e descrevendo como elas se
sentiam quando eram castigadas pelos pais. l A Save the Children Suécia patrocinou um
estudo sobre o papel da administração pública
l Na Colômbia, a Save the Children Reino Unido
na erradicação do castigo físico de crianças. O
trabalhou com o principal jornal nacional El estudo foi realizado no Líbano, em 2004, e será
Tiempo
Tiempo, que publicou diversos artigos sobre o usado em um trabalho de defesa que está
castigo físico e humilhante e imprimirá folhetos tentando obter uma proteção legislativa
no jornal sobre o assunto. eficiente para as crianças contra todas as
l No Reino Unido, foi feita uma série na TV a formas de violência nas escolas.
cabo sobre paternidade/maternidade positiva. l O UNICEF e a Save the Children Suécia
Ela surgiu porque as autoridades em educação ajudaram a Autoridade Nacional de Proteção à
do nordeste de Lincolnshire estavam Infância (NCPA), no Sri Lanka, a produzir uma
preocupadas com o número de crianças que campanha televisiva estimulando alternativas ao
estavam sendo excluídas do maternal e da pré- castigo corporal. A NCPA também produziu
escola (ou seja, crianças que apresentavam pôsteres sobre alternativas, que foram
comportamentos problemáticos). O vídeo divulgados através do principal jornal nacional.
também foi distribuído para 2.000 escolas e
para grupos de jovens (com idades entre 14 e
16).

l Em 2003, a Aliança Internacional Save the


Children na América do Sul lançou uma
campanha em conjunto com uma rede de
organizações do Peru que buscava promover o
tratamento positivo de crianças e desestimular
o castigo físico e humilhante. A campanha
consistia em uma imunização simbólica, na qual
adultos eram vacinados por crianças contra a
violência. Foram realizadas conferências

71
E T A P A 4C
Etapa 4C
Educação e
treinamento
P a rte 1 Ca stig o físico e hum ilha nte em ca sa

1. Introdução

2. Desenvolvendo uma estratégia


A. Estabeleça objetivos
B. Identifique o público-alvo
C. Desenvolva materiais e ferramentas
D. Promova educação e treinamento sobre a erradicação do
castigo físico e humilhante

3. Exemplos de boas práticas

P a rte 2 Ca stig o físico e hum ilha nte na escola

1. Introdução

2. Desenvolvendo uma estratégia


A. Estabeleça objetivos
B. Identifique o público-alvo
C. Desenvolva ferramentas e materiais
D. Construa alianças e divulgue materiais

3. Exemplos de boas práticas

72
Parte 1
Castigo físico e humilhante
em casa

1. Introdução
Nesta seção, o termo "pais" será usado por
conveniência. Mas ele se aplica a todos aqueles
envolvidos na educação de crianças, incluindo avós,
funcionários de abrigos, tias e tios.

Embora a reforma jurídica para erradicar o castigo


físico contra crianças em todos os cenários seja
vital, ela não levará, por si só, a uma mudança real.
Também é necessário mudar tanto as posturas
predominantes que toleram e apóiam seu uso Qualquer estratégia para erradicar o uso do
contínuo como as condições que detêm ou castigo físico e humilhante precisa promover uma
impedem as mudanças. O cenário que você cultura de respeito nas relações entre adultos e
construiu na análise de situação será importante crianças. Tanto em relação aos pais como aos
nesta etapa para ajudá-lo a compreender as professores, é necessário contestar o suposto
barreiras que você precisa atravessar, as pressões direito de castigar as crianças fisicamente, junto
que os pais e professores sofrem e a natureza das com a crença de que não existem outros
posturas e crenças que sustentam seus métodos de disciplina eficazes. Sendo assim, o
comportamentos em relação às crianças. programa precisa enfocar:

Neste Manual, decidimos enfocar o castigo físico e l a erradicação da aceitação social do castigo
humilhante em dois ambientes: em casa e nas físico e humilhante.
escolas, pois são os ambientes em que a Save the l a melhoria do status e do respeito com relação
Children tem mais experiência. Também é às crianças nas famílias e nas escolas.
essencial, é claro, gerar mudanças em outros
ambientes, como instituições. l as alternativas positivas e não-violentas para
educação e criação das crianças.

Erradicar o castigo físico e l a promoção de soluções não-violentas para


conflitos.
humilhante, na verdade, tem muito
mais a ver com a administração do l o aumento do conhecimento dos pais sobre o
comportamento dos adultos, ou desenvolvimento e as necessidades dos filhos.

seja, com a forma como os adultos Quando entendem que abrir mão do castigo
respondem ao comportamento das físico e humilhante não significa abrir mão da
crianças, do que com o disciplina, muitos pais e responsáveis se
interessam em aprender sobre a disciplina positiva
comportamento das crianças em si.
e formas não-violentas de criar e educar crianças.

73
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

As crianças precisam de limites e orientações


claras sobre o que é certo e o que é errado.
Com a mudança de percepção, pais e
responsáveis entendem que abandonar a prática
do castigo físico e humilhante resultará em
crianças mais disciplinadas e responsáveis.

2. Desenvolvendo uma estratégia


Mudar posturas arraigadas leva tempo e exige
investimento em atividades dediferentes níveis.
Você precisará: l conscientizar os pais sobre os direitos da
criança à proteção contra o castigo físico e
l estabelecer objetivos. humilhante.
l identificar o público-alvo. l aumentar a confiança e a compreensão dos
l desenvolver materiais e ferramentas tanto pais sobre a disciplina positiva.
sobre a erradicação do uso do castigo físico e l estimular profissionais que lidem com pais a
humilhante como sobre as estratégias apoiá-los na erradicação de todo e qualquer
alternativas para a disciplina positiva. tipo de castigo físico e humilhante.
l promover educação e treinamento sobre a l reduzir a incidência do castigo físico em casa.
erradicação do castigo físico e humilhante.
As estratégias a serem adotadas para que você
É útil desenvolver, o máximo possível, uma atinja seus objetivos dependerão do contexto
compreensão dos direitos de proteção das local, dos problemas que você tiver identificado
crianças e a promoção da disciplina positiva em na sua análise de situação, da sua base de
programas existentes e em contatos com os pais. habilidades e dos recursos disponíveis. Por
Não são necessários programas novos e exemplo, você pode decidir enfocar uma ou
independentes. todas as atividades a seguir:

A. Estabeleça objetivos l produção de materiais para famílias sobre a


disciplina positiva.
É importante ser claro sobre os objetivos do seu
l trabalho para que esses materiais sejam
programa de treinamento e educação, já que isso
amplamente aceitos e incorporados a
influenciará o foco de suas atividades. Por
programas nacionais e locais do governo.
exemplo, seus objetivos podem ser:

"A maioria das crianças recomendou a seguinte alternativa ao castigo:


conselho, conversa, correção, amor e solução para os problemas."
SAVE THE CHILDREN SUÉCIA, PROGRAMA AFEGÃO,
MINIENQUETE SOBRE CASTIGO FÍSICO

74
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l desenvolvimento de programas para acompanhar as famílias em serviços sociais ou


profissionais que trabalham com famílias, para emcentros de saúde são todos portadores de
garantir que eles entendam a importância de obrigações cujas atitudes e comportamentos
contestar o castigo físico e humilhante e relativos ao castigo físico e humilhante afetarão as
também o seu papel em ajudar os pais a crianças por quem são diretamente responsáveis.
explorar as alternativas.
Dependendo do contexto local, você precisará
l trabalho com associações profissionais para decidir se vai se direcionar a todos esses
angariar seu apoio na incorporação desses portadores de obrigações ou se vai priorizar
programas em cursos iniciais e de pós- públicos específicos.
treinamento.
C. Desenvolva materiais e ferramentas
l realização de sessões de treinamento em
comunidades locais para ajudar os pais a usar a A a borda g em
disciplina positiva. Você precisará produzir, ou patrocinar o
desenvolvimento de recursos que possam ser
B. Identifique o público-alvo usados por uma gama de públicos para ajudar a
promover a mensagem de que bater em crianças
Na análise de situação, você identificou todos os
é errado e ineficaz. Você pode escolher produzi-
principais portadores de obrigações responsáveis
los de forma independente, com órgãos
por proteger as crianças do castigo físico e
profissionais importantes, ou em conjunto com o
humilhante. Quando você determinar os objetivos
governo. Seja qual for a forma de produção, é
do seu programa de educação e treinamento,
importante levar os seguintes pontos-chave em
você será capaz de identificar quais daqueles
consideração no desenvolvimento desses
portadores de obrigações serão o público-alvo do
materiais:
programa.
l Como foi enfatizado na seção anterior, é
Os responsáveis pelos cuidados e
importante que essas ferramentas sejam
desenvolvimento das crianças em casa podem
desenvolvidas não para privar os pais de
incluir pais, parentes mais velhos, avós ou outros
alguma coisa, ou seja, de seu suposto direito de
membros da extensa rede familiar. Podem ser
castigar os filhos fisicamente, mas sim para
aqueles que cuidam das crianças enquanto os pais
oferecer a eles uma alternativa, ou seja,
estão no trabalho. Devemos observar que os
estratégias de disciplina positiva. Algumas
próprios pais podem ser crianças tecnicamente,
ferramentas sugeridas para promover a
ou seja, terem menos de 18 anos, e, por isso,
disciplina positiva são fornecidas no final desta
serem muito inexperientes. Os principais
seção.
portadores de obrigações das crianças são
chamados aqui de "pais e/ou responsáveis". l Os materiais devem estar intimamente ligados
Crianças também são portadores de obrigações às posturas e crenças que orientam o
se estiverem cuidando de irmãos ou outras comportamento em relação às crianças no
crianças mais novas. Ministérios do bem-estar contexto local (consulte a Etapa 2).
social, governos regionais e locais, associações
l A abordagem escolhida deve evitar o tom de
profissionais, instituições acadêmicas oferecendo
julgamento e crítica. A ênfase não deve ser em
treinamento para profissionais, trabalhadores
sociais e outros profissionais responsáveis por

75
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

condenar a prática atual, mas em ajudar os pais l As crianças podem ter uma contribuição
a adotarem abordagens mais respeitosas e importante no desenvolvimento dos materiais
eficientes para a criação dos filhos, com base na de treinamento. Elas podem ajudar a garantir
suposição de que todos os pais estão que tais materiais tratem dos problemas que
comprometidos com o máximo elas consideram como sendo os mais
desenvolvimento e proteção de seus filhos. importantes. As crianças podem fornecer
exemplos ilustrativos de como são tratadas
l Dependendo do contexto local, pode ser
pelos pais, por que eles agem assim, qual o
altamente vantajoso trabalhar em conjunto
impacto que isso tem sobre elas e suas idéias
com órgãos profissionais relevantes no
sobre estratégias alternativas.
desenvolvimento desses materiais. Isso não
apenas garante que você produza ferramentas O conteúdo
compatíveis com a abordagem escolhida em
sua estrutura de treinamento existente, mas Os materiais precisam se direcionar a três áreas:
também cria oportunidades para uma divisão
l direitos da criança.
de domínio do problema.
l desenvolvimento das crianças.

l técnicas de disciplina positiva, incluindo


ferramentas para solução de conflitos.

76
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

T ipos de m a teria l legislativa e política para sustentar tal mudança.


A educação e o treinamento podem ter
Os recursos necessários podem incluir: papelimportante em ajudá-los a compreender
l Materiais informativos e educacionais para os porque a mudança é necessária, qual mudança
pais, incluindo panfletos, folhetos, pôsteres e é necessária e como desenvolver a situação
vídeos. para a mudança.

l Treinamento sobre educação pelos pares para


l Informações para as crianças sobre os seus
crianças a fim permitir que elas promovam
direitos e a importância de se respeitar o
estratégias para soluções nã0-violentas para
direito à proteção contra todas as formas de
conflitos.
violência.

l Materiais de treinamento para trabalhos D. Promover educação e treinamento


diretos com os pais, incluindo atividades que para a erradicação do castigo físico e
os ajudem a explorar suas próprias humilhante
experiências de castigo na infância, a forma
como foram afetados por isso, o que faz com A Save the Children pode e realmente fornece
que eles mesmos usem o castigo físico, como educação e treinamento, diretamente ou através
empregar posturas mais positivas em relação dos seus parceiros, dentro das comunidades onde
ao comportamento das crianças. trabalha. Mas no final, porém, isso pode ter
apenas um impacto limitado. Os governos devem
l Materiais de treinamento para profissionais assumir a responsabilidade de fornecer apoio
que trabalham com famílias, como positivo a favor de mudança. Também é vital
trabalhadores sociais, trabalhadores que cuidam engajar-se às principais agências fornecedoras de
de crianças, visitantes da saúde, médicos, serviços para as famílias a fim de assegurar que o
trabalhadores que protegem as crianças, a propósito de erradicar o castigo físico e
polícia e equipes de ONGs. Esses materiais humilhante seja priorizado em todo treinamento
precisarão transpor possíveis barreiras que os profissional.
próprios profissionais tenham em relação ao
princípio de erradicação do castigo físico e P rog ra m a s g overna m enta is pa ra
humilhante, bem como formas de ajudá-los a prom over e dissem ina r m ensa g ens
entender a importância de promover e apoiar positiva s que visa m a ca ba r com a
mudanças no tratamento de crianças nas violência contra a cria nça
famílias com as quais eles trabalham. Também É preciso um esforço para estimular os governos a
precisam tratar da detecção e prevenção de explorarem as oportunidades de enviar aos pais a
situações de violência em ambientes familiares, mensagem de que os castigos físicos são errados,
além de estratégias de intervenção eficientes. e para fornecer informações sobre a disciplina
l Treinamento para o governo e para positiva. Por exemplo, todas as novas mães
poderiam receber folhetos com conselhos
funcionários do governo responsáveis pela
construtivos; clínicas, hospitais e salas de cirurgia
legislação e pelas políticas relacionadas a
poderiam disseminar informações; e campanhas
famílias e crianças. É difícil obter mudanças
de propaganda na televisão financiadas pelos
fundamentais em posturas arraigadas em
governos poderiam ser utilizadas para promover
relação às crianças, a menos que o governo
uma abordagem positiva da maternidade.
esteja empenhado na criação da estrutura

77
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

Instituciona liz a ndo o treina m ento relevantes para poder estimular os diretores
profissiona l pa ra erra dica r o ca stig o físico desses cursos de treinamento a conhecerem e
e hum ilha nte a considerarem a inclusão de módulos para
erradicar o castigo físico e humilhante.
As estratégias necessárias para embutir na
educação e no treinamento para profissionais a Cria r um perfil público junto a os
idéia de erradicar o castigo físico e humilhante profissiona is
variam de acordo com o estilo de disciplina e o O trabalho para persuadir os responsáveis pelo
país. Você terá que identificar quem é responsável treinamento profissional a levarem a sério a
por qual treinamento. Por exemplo: erradicação de castigo físico e humilhante também
l Há um órgão profissional nacional responsável requer um debate público mais amplo. Um
por designar e estabelecer padrões elemento-chave da estratégia para promover
curriculares? Se houver, será necessário educação e treinamento é engajar aqueles
construir laços com este órgão. Talvez você profissionais em discussões em conferências,
queira explorar o potencial de trabalho em seminários e na mídia. Quando for possível e
conjunto com eles para desenvolver os apropriado, você pode ligar essas atividades às
materiais relevantes. Ou, como alternativa, observações de conclusão da Comissão dos
você talvez já disponha de ferramentas e queira Direitos da Criança da ONU. Também vale
explorar como elas podem ser incorporadas identificar os aliados-chaves dentro de cada
tanto no treinamento inicial quanto em serviço. profissão relevante que agirão como defensores
das mudanças. Por exemplo, você pode:
l O governo prescreve um currículo? Se for o
caso, você terá que trabalhar diretamente com l conduzir conferências e convidar
o governo para convencê-lo do valor adicional representantes de todos os profissionais
e da importância de incorporar o treinamento relevantes a palestrarem, submeteram artigos,
para erradicar o castigo físico e humilhante no participar das oficinas.
currículo nacional. Seria útil criar um órgão de l encorajar várias organizações profissionais a
apoio dentro da profissão a fim de recrutar sua convidarem você para falar sobre o assunto.
ajuda para fazer lobby junto ao governo em
prol dessas mudanças. l organizar seminários para reunir órgãos
profissionais e representantes do governo.
l As instituições acadêmicas individuais
desenvolvem e mantêm seus próprios
currículos profissionais? Se for o caso, você terá
que trabalhar através dos órgãos profissionais

78
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l escrever artigos para publicações profissionais em relação ao tratamento de crianças. Eles são,
argumentando em favor da mudança. portanto, atores importantes para erradicar todas
as formas de castigo físico e humilhante.
E nvolvendo a s cria nça s na prom oçã o de
educa çã o e treina m ento Korbin (1991) sublinha que em comunidades mais
fechadas, a presença de anciãos que têm autoridade
As crianças podem ter um papel significativo na para além dos limites das suas famílias pode proteger as
crianças dos excessos disciplinares dos pais. Além disso,
promoção de educação e treinamento. Dentre as
estruturas de autoridade tais como essas podem ser
abordagens que você poderia considerar estão: empregadas para dirigir mudanças nas práticas
comunitárias. Assim que os anciãos foram convencidos
l Convidar crianças a falarem nas conferências dos méritos das mudanças, sua autoridade local pode
profissionais. ser empregada para implementar mudanças para o
benefício das crianças, como ocorreu na China, o que
l Treinar crianças a trabalharem como resulta em reduções de maus-tratos das crianças.
educadoras para seus pares, promovendo Partner Violence, Attitudes to Child Disciplineand Use of
Physical Punishment: A South African National Survey,
alternativas à violência e resoluções não-
Child,Youth and Family Development (Violência dos
violentas de conflitos. As crianças são a próxima Parceiros, Atitudes para a Disciplina Infantil e Uso de
geração de pais e o quanto antes elas tenham a Castigos Físicos: Uma Enquete Nacional na África do
oportunidade de compreender a importância e Sul, Desenvolvimento Infantil, Juvenil e Familiar), 2004

os benefícios de não utilizar a força para


resolver conflitos, mais provável será que essas 3. Exemplos de boas práticas
medidas tenham um impacto sustentável.

l Produzir vídeos de crianças trabalhando como


1. Espanha
educadores para seus pares, relatando suas A Save the Children Espanha desenvolveu sessões
experiências de violência, mandando de treinamento com duração de três horas para
mensagens para o mundo adulto sobre o que os pais, de modo a lhes fornecer recursos para
elas gostariam mudar. Esses vídeos podem ser educar seus filhos sem violência e ajudá-los a se
usados como parte de um curso de sentir apoiados e mais confiantes. Cada sessão é
treinamento, em conferências, etc. conduzida por um profissional treinado nessa
l Conduzir treinamento em conjunto pelos metodologia e utiliza atividades práticas.
adultos e pelas crianças para adultos e crianças. Os tópicos discutidos dentro do treinamento
Ao criar fóruns em que crianças e adultos incluem:
compartilhem a experiência tanto de treinar
quanto de serem treinados, será possível uns l direitos da criança e o desenvolvimento
começarem a aprender com os outros, romper psicológico de uma criança (etapas,
barreiras e estabelecer um diálogo e uma troca necessidades, etc.).
mais abertos e significativos.
l necessidades dos pais hoje; os principais
T ra ba lha ndo com com unida des loca is problemas para educar as crianças; mudanças
de modelos familiares; papéis de gênero
Você pode construir laços com redes comunitárias dentro da família.
para fornecer oportunidades de educação e
treinamento. Grupos de apoio para os pais, líderes l como impor regras e limites e fazer com que
comunitários e religiosos locais podem ser as crianças os aceitem; como melhorar a auto-
fundamentais para influenciar atitudes estima das crianças; como se comunicar com
as crianças.

79
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

l habilidades de comunicação e estratégias não


violentas de resolução de conflitos.

l a família como um lugar para crescimento


pessoal.

As recomendações-chave do treinamento
incluem:

l A tomada de decisões que afetam a família


inteira deve envolver todos os membros da
família.

l Em última instância, são os pais os responsáveis A mensagem alternativa é que a não-


por decisões tomadas em prol dos interesses violência é uma escolha fundada no
superiores dos filhos. respeito absoluto para com os seres
l Crianças precisam ser asseguradas todos os humanos:
dias de que seus pais as amam.
l Escolher falar em vez de deixar as
l Os pais devem passar um tempo de qualidade
coisas não ditas.
com seus filhos.

l Os pais devem impor regras e limites claros, l Escolher falar em vez de recorrer à
consistentes e adequadas para as crianças. confrontação violenta.
l Os pais devem tentar oferecer às crianças l Escolher palavras não-violentas que
oportunidades para se envolver em atividades
"convidam ao diálogo".
diferentes e estimulantes (educacionais,
recreativas e criativas) tanto quanto possível. VERDIANI A, 2003
l Os pais devem encarar, em vez de evitar,
situações difíceis e conflitos. estratégias, como também uma série de sessões
de treinamento em nível nacional. As estratégias
Para obter mais informações, consulte
www.savethechildren.es são concentradas principalmente em quarto áreas:
pesquisa, treinamento de atores chave, um lobby
2. América do Sul para a reforma da lei e uma campanha para
disseminar informações e apoiar mudanças de
A Aliança Internacional Save the Children na atitude com respeito ao castigo físico contra a
Argentina, na Bolívia, no Brasil, na Colômbia e no criança.
Peru decidiu incluir na sua Estrutura de
Operações comum para a região, o objetivo de Objetivo g era l do treina m ento
fortalecer seus esforços para combater a violência
Sensibilizar e treinar a equipe da Save the
contra a criança. Pela primeira vez, a erradicação
Children, de outras organizações e os atores-
do castigo físico contra a criança foi incluída como
chave sobre direitos humanos no Peru e na
um dos alvos principais desse objetivo geral.
Bolívia por meio de oficinas baseadas na
Desde então, a Aliança na região tem indicado um
metodologia da Save the Children Espanha sobre
ponto focal e cinco pontos focais nacionais.
"Como educar – sem violência".
Ocorreram duas oficinas regionais sobre

80
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

E stra tég ia s principa is 3. REINO UNIDO


l Sensibilizar a equipe da Save the Children no A Save the Children Reino Unido produziu um
Peru e na Bolívia, dirigir-se a eles como pais conjunto de materiais de apoio e treinamento
que encaram seus próprios desafios com para pais e responsáveis a fim de promover a
respeito a suas crenças e comportamento com "paternidade/maternidade positiva" ou seja,
crianças. estratégias para lidar com o comportamento
problemático da criança. A paternidade/
l Fornecer treinamento para identificar outras
maternidade positiva envolve:
organizações e atores-chave locais na Bolívia e
no Peru, oferecer-lhes uma ampla variedade de l acreditar que as crianças querem se comunicar
materiais e literatura sobre castigo físico contra com você.
a criança.
l escutar as crianças.
l Identificar organizações com as quais existam
oportunidades para colaboração nos próximos l discutir com seus filhos sobre o que você quer
quatro anos. que eles façam.

l Identificar estratégias para campanhas públicas l ser muito claro sobre o que você quer que
nacionais na Bolívia e no Peru. eles façam.

l Desenvolver um número de publicações de l aprovar com veemência e premiar o bom


defesa. comportamento.

l Mapear padrões jurídicos nacionais existentes l impor limites e fronteiras claros.


sobre a proteção da criança.
l ser firme e consistente, passando sempre a
l Incluir todos os membros da Aliança na região, mesma mensagem.
maximizar o impacto da campanha.
l tratar discussões entre pais e filhos como uma
Para obter mais informações, consulte oportunidade de desenvolvimento.
www.scslat.org
l trabalhar as habilidades de resolver problemas
e negociar.

Para obter mais informações, consulte


www.savethechildren.org.uk

81
Parte 2
Castigo físico e humilhante
na escola

1. Introdução
As crianças aprendem melhor em ambientes onde
elas se sentem valorizadas, respeitadas e seguras.
O uso generalizado do castigo físico nas escolas
não só é uma violação dos direitos da criança,
como também não é uma forma produtiva de
estimular sua capacidade de aprender. Há,
também, um conjunto crescente de provas
sugerindo que esse tipo de castigo é um fator humilhante nas escolas. Claramente, qualquer
significativo para convencer a criança a deixar a programa educativo deve estar atrelado a uma
escola. Uma das mensagens-chave para comunicar campanha pela reforma jurídica. As crianças nunca
numa estratégia de erradicação da violência nas estarão devidamente protegidas contra castigo
escolas é oferecer uma solução em que todos físico a não ser que a lei proíba explicitamente sua
saiam ganhando. Ao utilizar a disciplina positiva, as utilização. Mas educação e treinamento podem,
crianças irão à escola e lá aprenderão melhor, e ambos, contribuir para pressionar por uma
os professores terão alunos mais motivados. mudança legislativa e ajudar a influenciar atitudes e
práticas nas escolas para assegurar a
implementação efetiva da legislação. Por exemplo,
2. Desenvolvendo uma estratégia
seus objetivos podem ser:
Como na sessão anterior, a primeira tarefa é
l conscientizar sobre o direito da criança à
desenvolver uma estratégia para abordar a
proteção contra o castigo físico e humilhante.
educação e o treinamento dos professores. Você
vai precisar: l fornecer aos professores estratégias positivas
para manter um ambiente positivo na sala de
l estabelecer objetivos.
aula.
l identificar o público-alvo.
l erradicar o uso do castigo físico e humilhante
l desenvolver ferramentas e materiais. em todas as escolas.

l construir alianças e divulgar materiais. B. Identifique o público-alvo


O alcance dos seus objetivos determinará quais
A. Estabeleça objetivos
portadores de obrigações seu programa deve
Como no cenário do lar, você vai precisar decidir atingir. Aqueles com mais responsabilidades para
como abordar a tarefa de assegurar que os com o cuidado e a proteção das crianças na
professores parem de usar o castigo físico e escola incluem: a equipe dentro do ministério da

82
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

profissionais relevantes ou incentivar o governo a


A Save the Children Reino Unido assumir a responsabilidade e agir como
no Afeganistão tem dado atenção orientador. Ao desenvolver ferramentas e
materiais para ajudar a erradicar o castigo físico e
especial ao castigo físico e
humilhante nas escolas, é importante levar em
humilhante no seu Programa conta o contexto em que essas práticas ocorrem
Comunitário de Proteção Infantil, e as pressões que os professores sofrem no seu
fornecendo apoio a diversos grupos trabalho. Você também precisa enfatizar os
de Movimentos Globais pelas benefícios positivos para os professores das
alternativas aos castigos físicos, além de fornecer
Crianças por meio do treinamento
orientações sobre essas alternativas.
de professores e adultos, levando à
erradicação do espancamento de Com preendendo os fa tores que
contribuem pa ra um a cultura de violência
crianças em algumas escolas.
contra a cria nça na escola

Nenhum fator único explica o castigo físico e


educação nos níveis nacional, regional e distrital,
humilhante contra a criança na escola, mas um
diretores de escolas, administradores da escola,
conjunto de fatores sociais, culturais e
professores, assistentes e outros membros dos
educacionais contribui para isso.
recursos humanos que trabalham na escola;
educadores informais também devem ser l Os professores são muitas vezes mal
considerados. Você também precisa atingir as treinados, mal pagos e subvalorizados. Isso
instituições que fornecem treinamento para pode levar a uma quebra de disciplina na sala
professores para que tanto o treinamento inicial de aula, falta de preparo adequado das lições, o
quanto aquele recebido direto no local de uso de metodologias pedagógicas nocivas,
trabalho incorporem a filosofia do respeito pelos gerenciamento precário da sala de aula, falta de
direitos da criança, em especial o direito à interesse do aluno e/ou na lição, atitudes
proteção contra todas as formas de violência e negativas para com os alunos e controle
abuso. precários sobre os horários.

Além disso, deve-se lembrar que, muitas vezes, l Muitos professores enfrentam turmas grandes
são as próprias crianças os responsáveis por com crianças de diferentes idades e
cuidar ou supervisar crianças menores. Em muitas habilidades, além de uma falta de recursos
escolas, alunos com um bom desempenho ou pedagógicos, livros e equipamentos.
preferidos pelo professor são designados como
l O estresse pode surgir como conseqüência
capitão da turma. Capitães da turma ou alunos
desse ambiente escolar fisicamente carente,
veteranos podem, às vezes, castigar seus pares ou
por exemplo, com falta de banheiros,
alunos mais jovens na ausência do professor, e
iluminação inadequada, falta de calefação ou
podem lançar mão de violência física ou
ventilação, ou carência de mesas.
humilhante para disciplinar, educar ou controlar o
comportamento de outras crianças. l Os sistemas educativos de muitos países tratam
as crianças como recipientes passivos de
C. Desenvolva ferramentas e materiais conhecimento, a serem repreendidas e
Você terá que decidir se vai produzir materiais de forçadas a se conformarem, e não estimuladas
forma independente, colaborar com os órgãos a questionar ou pensar para si mesmas.

83
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

Quando as crianças fazem perguntas, essas são também crianças de castas baixas, tribos,
recebidas como insolência ou falta de respeito. grupos raciais, lingüísticos ou religiosos
minoritários. Meninos e meninas podem estar
l Muitos pais pedem aos professores que
sujeitos a formas diferentes de castigo.
batam em seus filhos. Além disso, os
professores freqüentemente também são pais Somente se esses assuntos forem reconhecidos e
e podem espancar seus próprios filhos. compreendidos, e apenas se as dificuldades que
os professores enfrentam forem realmente
l Uma cultura em que prevalece a violência,
consideradas, será possível estabelecer uma
por exemplo, em uma situação de conflito
comunicação eficaz com os professores e ajudá-
armado ou de perturbação civil, pode criar um
los a adaptarem o seu comportamento.
ambiente em que a violência seja a principal
estratégia empregada quando surgem conflitos M ensa g ens-cha ve pa ra prom over no
pessoais. treina m ento dos professores

l A avaliação inadequada das necessidades da É importante uma abordagem positiva para criar
criança freqüentemente significa que mudança em vez de enfatizar aquilo que os
problemas de saúde, subnutrição, visão ou professores fazem de errado. Os professores são
audição fraca podem ser erroneamente mais capazes de parar de usar castigos físicos e
tomados por preguiça ou desobediência. outras formas humilhantes de disciplina se eles
sentirem que existem maneiras alternativas e
l As crianças muitas vezes sofrem pressões
eficazes de estimular o comportamento esperado
concorrentes sobre seu tempo — por
do aluno. Em toda educação e todo treinamento,
exemplo, tarefas domésticas que levam a
então, você poderia enfocar nos assuntos
atrasos, fracasso nos deveres escolares e fadiga.
seguintes:
Em uma cultura educacional que não escuta as
crianças, esses fatores, com demasiada l Motivação das crianças: A esmagadora maioria
freqüência, são tratados como desobediência das crianças quer aprender e é capaz de
ou falta de respeito, em vez de assuntos fora manter um bom comportamento. Os
do controle da criança, a qual precisa de apoio professores podem trabalhar de maneira eficaz
e consideração. com os alunos se eles adotarem uma
abordagem positiva e evitarem a raiva por um
l Padrões de discriminação são muitas vezes
lado e os protestos ineficazes por outro.
reproduzidos na sala de aula e o resultado
disso pode ser a maior vulnerabilidade de l Prêmios e não castigos: O bom
algumas crianças ao castigo. Crianças com comportamento depende do estabelecimento
necessidades especiais são especialmente de uma estrutura clara de regras, fronteiras,
vulneráveis à hostilidade dos professores, como

“Meus pais se foram, eu sou a chefe dos meus quarto irmãos, agora.
Infelizmente, eu não consegui lidar com minhas responsabilidades domésticas e
todos os meus deveres escolares. Daí meu rendimento escolar piorou. Meu
professor começou a me bater com força por que eu não sabia as respostas
certas. No final, decidi largar a escola, pois não dava para agüentar as surras.”
MENINA SUL-AFRICANA, 14 ANOS

84
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

capacidade de escolha com respeito a esse


assunto.

l Uma abordagem planejada que envolve toda a


escola: Tudo o que foi dito acima será mais
fácil se todos os preocupados com o bom
funcionamento da escola trabalharem juntos.
Professores farão uma abordagem mais
consistente se houver um acordo coletivo
sobre como ensinar e gerenciar o
comportamento.

l O currículo é importante: Um currículo


estimulante, desafiante e que envolva os alunos
vai estimulá-los a se comportarem bem e a
aprender de maneira mais eficaz.
rotinas e prêmios para bom comportamento e
l Promover igualdade e respeito: Quando as
sanções corretivas. É mais provável que os
diferenças entre grupos forem reconhecidas e
jovens se comportem de uma maneira
valorizadas, e o impacto negativo da
disciplinada se as expectativas em relação ao
discriminação e do preconceito for percebido,
seu comportamento foram claras.
haverá menos probabilidade de violência e
l Criação compartilhada de regras: A prática de maus-tratos de parte dos professores ou entre
envolver as crianças na criação das regras as crianças.
escolares demonstrou reduzir problemas
l Crianças como recurso: As crianças podem
disciplinares de maneira significativa. As regras
cumprir um papel valioso como mediadoras,
são bem mais eficazes se os professores e
orientadoras e educadoras entre seus pares, ao
alunos trabalharem juntos para chegar a um
abordar os conflitos entre as crianças e a
acordo sobre elas.
escola. Dessa forma, elas contribuem com suas
l Respeitar direitos como um processo habilidades para a criação de um ambiente livre
recíproco: Se as crianças sentirem que seus de violência, além de aliviar a pressão sofrida
direitos estão sendo respeitados, será mais fácil pelo professor.
para elas entenderem a importância de
respeitar os direitos de outras pessoas. Desenvolvendo m a teria is pa ra pla téia s
diferentes
l Comportamento adulto: O comportamento
do professor é o fator mais determinante no Você vai precisar considerar uma variedade de
comportamento do aluno. Se o professor age materiais direcionados a atores diferentes no
de forma agressiva ou ineficaz, o aluno não sistema educacional.
responderá de uma maneira construtiva. l Para as crianças, você pode considerar a
l Ganhar colaboração e reduzir o estresse do produção de pôsteres chamativos, folhetos e
professor: Em vez de ir direto para o castigo, o panfletos sobre a importância da solução
professor deve explicar a regra, insistir no seu não-violenta de conflitos, junto com o
comprimento e lembrar o aluno da sua

85
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

desenvolvimento de um conjunto de atividades D. Construa alianças e divulgue


para ajudá-las a explorar assuntos como maus materiais
tratos, poder, castigos, etc.
Um elemento central de qualquer programa para
l Para os professores e instituições de proporcionar educação e treinamento é construir
treinamento de professores, você vai precisar parcerias e alianças com todas as instituições
desenvolver ou apoiar um currículo de relevantes a fim de aumentar a base de atuação.
treinamento que introduza o conceito de O engajamento ativo dos parceiros será essencial
direitos da criança e ajude os professores em se você quiser recrutar sua ajuda para incorporar
treinamento a explorarem suas próprias cursos existentes no treinamento ou estimular os
atitudes e crenças sobre o castigo físico. professores a freqüentarem treinamento adicional.
Também será necessário abordar os assuntos Você vai precisar estabelecer contatos com todos
levantados acima e fornecer oportunidades os portadores de obrigações e, quando possível,
para explorar novas abordagens de disciplina trabalhar em colaboração com eles para
positiva. O ideal é que isso seja feito em desenvolver e distribuir o material de
colaboração com o governo e órgãos treinamento.
profissionais de ensino, sindicatos de
professores ou órgãos de treinamento de As estratégias esboçadas na sessão que abordou
professores, dependendo do contexto local. educação e treinamento para erradicar o castigo
físico e humilhante em casa (consulte a Etapa 4C,
l Para membros dos órgãos governamentais, Parte 1) são igualmente relevantes aqui, inclusive a
você pode produzir ou apoiar um treinamento contribuição das crianças para oferecer educação
introdutório sobre os direitos da criança e o e treinamento. Por exemplo, você pode
papel do órgão governamental na proteção e considerar:
promoção desses direitos, inclusive a
importância de desenvolver políticas escolares l fazer conferências e seminários para
que respeitem a dignidade da criança e que autoridades educativas, professores e diretores
apóiem a introdução da disciplina positiva na escolares.
escola. l escrever artigos para publicações de ensino e a
l Junto ao governo, você precisa defender o mídia mais ampla.
argumento para erradicar o castigo físico e l participar de conferências e seminários para
humilhante nas escolas. Você pode fazer isso educadores.
reunindo as evidências da viabilidade de
abordagens alternativas de disciplina, os l organizar reuniões com os órgãos nacionais
benefícios educacionais e a correlação entre a relevantes ligados à educação.
diminuição da evasão escolar e a erradicação l identificar e construir relações com os
do castigo físico, junto com a obrigação do funcionários-chave no ministério da Educação.
governo com respeito à CDC, além de
qualquer observação conclusiva usada para Em um nível prático, você pode:
abordar o assunto. Você também terá que l considerar uma estratégia piloto para erradicar
enfatizar a importância do governo na o castigo físico e humilhante em um pequeno
promoção de uma cultura de respeito à número de distritos locais, através de
integridade física da criança na escola. programas direcionados às autoridades
educacionais, grupos comunitários locais,
professores e órgãos governamentais. Onde

86
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

isso for bem sucedido, você pode publicar a l aprender a aprender (alfabetização, noções
metodologia utilizada para que ela possa ser básicas de matemática).
reproduzida em uma escala mais ampla.
l aprender a ser (habilidades sociais e de
l trabalhar com o governo e as autoridades colaboração em grupos).
educacionais para desenvolver políticas de
l aprender a viver (habilidades de sobrevivência,
proteção infantil na escola que visem:
tais como a promoção de saúde e a
– conscientizar sobre o direito à proteção
conscientização sobre minas terrestres).
contra a violência
– apresentar sistemas para abordar o assunto Na Indonésia, em um contexto conflito/pós-
– fornecer mecanismos para as crianças conflito, essa estrutura foi usada para desenvolver
reclamarem quando seus direitos forem programas, inclusive um grande programa
violados. educativo conduzido em cinco províncias pós-
conflito. O quadro a seguir ilustra como os
parceiros na Indonésia estão abordando o assunto
3. Exemplos de boas práticas de violência do professor na escola.

1. Afeganistão 3. Etiópia
A Save the Children EUA vem desenvolvendo,
A Save the Children Suécia tem conduzido
em parceria com o UNICEF e o Ministério da
treinamentos com professores sobre alternativas
Educação, dois módulos de treinamento para
de castigos físicos e humilhantes. Ao mesmo
professores e trabalhadores da área de saúde
tempo, foi oferecido treinamento para estudantes
sobre abuso e violência contra a criança. Os
sobre a CDC. Foi notável como a prática de
módulos enfatizam a proibição de abusos físicos e
aplicar castigos físicos e humilhantes diminuiu. A
psicológicos contra crianças e mulheres nas
consciência dos alunos sobre seus direitos e a
escolas e nas famílias. Os módulos para
capacidade e a vontade dos professores de
professores, atualmente, estão sendo
aprender novos métodos positivos teve um
incorporados no Programa Nacional de
impacto formidável sobre o resultado do
Treinamento para Professores.
treinamento com ambos os públicos.
A Save the Children Suécia realizou um estudo de
base em sete províncias sobre as atitudes de 4. Líbano
crianças e adultos em relação ao castigo físico e
psicológico. Em função dos resultados do estudo, A Save the Children Suécia e seu parceiro, o
a Save the Children Suécia desenvolveu um TCCD (sigla em inglês para Centro de
módulo de treinamento em alternativas de Treinamento para Desenvolvimento
disciplina positiva. Comunitário), têm conduzido treinamento
psicopedagógico em gerenciamento de
2. Indonésia comportamento com grupos de pais libaneses e
palestinos cujos filhos freqüentem escolas
Parceiros da Save the Children Reino Unido na primárias e secundárias públicas, particulares e
Indonésia aplicaram a Estrutura de Aprendizagem escolas da agência da ONU de ajuda aos
desenvolvida pela Save the Children Reino Unido refugiados palestinos (UNRWA, United Nations
como uma maneira de desenvolver educação para Relief and Works Agency for Palestinian Refugees
crianças em situações emergenciais. O programa in the Near East) desde janeiro de 2003, quando
tem três áreas: o TCCD foi fundado. O treinamento aborda

87
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

valores e princípios, necessidades e desejos, 5. Bangladesh


estresse, comunicação, disciplina, formas de
autoridade, disciplina e alternativas a castigos, além Parceiros da Aliança Internacional Save the
do papel do educador versus o papel do pai. Children conduziram um estudo sobre a
erradicação do castigo físico em três escolas em
Os materiais incluem um manual de treinamento Dacca. A fim de erradicar sua utilização, foi
interativo. A teoria é contextualizada através dos necessário compreender os princípios-chave da
exemplos da vida dos próprios professores e de psicologia infantil e o impacto negativo de castigos
suas experiências usando sociodrama, análise da físicos sobre o desenvolvimento físico e mental da
situação através de exemplos dados pelos criança. As escolas também foram conscientizadas
professores, etc. do fato de que o índice de desistência foi
reduzido quando os castigos físicos pararam. Em
O TCCD enfoca o trabalho de um ponto de vista
vez de enfocarem outras medidas disciplinares, as
não-discriminatório ao lidar com diferentes grupos
escolas desenvolveram um sistema educativo mais
étnicos, religiosos e sociais. De acordo com a
interativo que enfatizou o ato de aprender como
equipe e os alunos nas escolas abordadas, a
um ato de brincar. Outros alunos ajudavam os
violência tem diminuído e o ambiente está mais
que aprendiam com mais dificuldade e, se os
tranqüilo do que antes. Além disso, os diretores
alunos se comportassem mal, isso era discutido na
das escolas têm notado uma melhora nas notas
sala de aula para esclarecer os motivos
dos alunos depois do treinamento. A explicação
subjacentes ao comportamento.
dos diretores é que os alunos se concentram
melhor nos seus deveres em um ambiente menos
violento.

88
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

S a ve the Children Reino U nido na Indonésia

A ssunto Altos índices de castigos físicos e violência dos professores contra as


crianças como meio de gerenciar a sala de aula e disciplina nas escolas
primárias.

E stra tég ia deriva da da Melhorar o ambiente de aprendizagem na escola.


E strutura de A prendiz a g em
Aprender a Ser: Desenvolvimento individual e proteção social.

Promover o diálogo e a mudança comportamental a respeito de


violência nas escolas através do desenvolvimento de crítica social e
habilidades de questionar abertamente.

Desenvolvimento pela comunidade escolar de indicadores de qualidade


sobre a relação professor-aluno.

A tivida des do P rog ra m a Muitas atividades foram empregadas, inclusive:

l Discussões nos grupos focais.


l Oficinas para professores.
l Oficinas para crianças.
l Oficinas para a comunidade.
l Atividades de apoio escolar.
l Teatro para desenvolvimento.
l Atividades de teatro espontâneo (playback theater).

Recursos Discussões e cartões de atividades desenvolvidos sobre os conceitos


chave da Estrutura de Aprendizagem, enfocando a educação e assuntos
de proteção social, especificamente a redução e a prevenção da
violência na escola

F unçã o dos ca rtões l impedindo a violência contra a criança nas


escolas.
Dentro das Estratégias Educativas para a
Indonésia da Save the Children Reino Unido, l erradicando toda forma de violência contra
estes cartões de atividades visam melhorar o a criança em nome de disciplina ou controle.
ambiente de aprendizagem na escola,
l erradicando a violência legalizada contra a
aprimorando a qualidade do ensino, usando os
criança, ou seja, o castigo físico.
currículos relevantes e melhorando o acesso à
educação. A meta específica provém da Conteúdo dos ca rtões
Estrutura de Ação para Eliminar o Castigo
Físico e Prevenir a Violência contra a Criança Cada cartão inclui um cartão para o professor
na Escola da Aliança Save the Children e visa e um cartão para as crianças. Os tópicos dos
dar visibilidade aos efeitos negativos da cartões são:
violência da seguinte forma:
continua na página seguinte

89
E T A P A 4C EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

Parte A: Promover educação de qualidade: controle ou disciplina das crianças vai contra os
princípios para a boa prática de ensino e para a padrões internacionais de boas práticas educativas.
aprendizagem ativa Cartão 7: Qual o impacto na criança quando o
Cartão 1: Desenvolver relações de respeito. adulto recorre à violência para punir, disciplinar,
Cartão 2: A boa prática para o ensino de qualidade. controlar ou gerenciá-la?
Cartão 3: Criar áreas seguras para aprender e
brincar. Parte C: Convenção do ONU dos Direitos da
Cartão 4: Melhorar o ambiente de aprendizagem na Criança
escola. Cartão 8: Violência dos professores dirigida às
Cartão 5: Gerenciar grupos de aprendizagem que se crianças e aos direitos da criança.
baseiam em atividades. Cartão 9: Proteção infantil: portadores de
obrigações.
Parte B: Barreiras às boas práticas Cartão 10: Que tipo de sociedade desejamos criar
Cartão 6: A violência como meio de gerenciamento, através da nossa educação?

www.savethechildren.org.uk

90
E T A P A 4D
Etapa 4D
Participação
da criança

1. Introdução

2. Por que envolver as crianças em programas para a


erradicação do castigo físico e humilhante?

3. Quando envolver as crianças?

4. Como envolver as crianças?

5. Questões sobre o castigo físico e humilhante a serem


consideradas quando se trabalha com crianças

6. Exemplos de boas práticas

91
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Introdução e experiência do castigo físico e humilhante.

l Elas podem fornecer sua compreensão sobre a


Muitos manuais e ferramentas de orientação
complexidade de sua vida social, os dilemas
foram produzidas pela Save the Children e outras
que enfrentam e as escolhas que fazem, os
organizações para fornecer ajuda e apoio àqueles
quais os adultos podem não enxergar ou não
que desejam promover a participação das crianças
querer fazê-lo.
na definição de políticas públicas, de forma a
promover um maior respeito pelos seus direitos. l Elas podem ser defensoras altamente efetivas e
Não se pretende reproduzir tais informações aqui. influentes, trazendo urgência e força à questão.
Uma lista de fontes sugeridas de informações é
fornecida no final deste Manual. l Crianças às quais são atribuídas
responsabilidades e autoridade são mais
Esta seção expõe, de forma sintética, um propensas a se sentirem confiantes para se
argumento a favor do envolvimento das crianças pronunciarem e se protegerem contra a
nessa área de direitos, destacando algumas violência.
questões-chave a serem consideradas. Ela inclui
l O envolvimento ativo das crianças pode tornar
algumas sugestões de atividades nas quais as
suas questões mais visíveis, o que ajuda a
crianças podem ser engajadas em cada estágio do
aumentar a responsabilidade dos portadores
programa, além de alguns exemplos de boas
de obrigações com relação à vulnerabilidade
práticas.
das crianças, e a erradicar o silêncio que
2. Por que envolver crianças em permitiu a exploração e abuso de crianças por
tanto tempo.
programas para a erradicação do
l As crianças podem ser capazes de identificar
castigo físico e humilhante? medidas disciplinares positivas.
As crianças têm tanto uma contribuição a dar
quanto o direito de serem envolvidas em todos 3. Quando envolver as crianças
os aspectos das atividades voltadas para a A participação das crianças é um processo, não
erradicação do castigo físico e humilhante. O um evento isolado. O ideal é que as crianças
argumento a favor da participação das crianças é sejam envolvidas do começo ao fim de um
poderoso: programa voltado para a erradicação do castigo
l Elas podem fornecer uma fonte singular de físico e humilhante. O programa será fortalecido
informações e evidências sobre a natureza se contar integralmente com as crianças desde o

“As crianças motivaram seus pais e a comunidade, elas realizaram muitas


mudanças positivas... Os comitês infantis para o desenvolvimento local podem
tornar as crianças aptas a participarem junto aos adultos na construção de um
sistema educacional que funcione sem o uso do castigo físico e humilhante.”
CONSELHEIRO EXECUTIVO DA EDUCAÇÃO, FUNCIONÁRIO DO GOVERNO LOCAL
LADAKH, INDIA

92
E T A P A 4D PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA

O ca stig o físico e hum ilha nte na s escola s de B a ng la desh


Nas escolas de Bangladesh, as crianças responsabilidades adicionais quando retornam
apanham quando não sabem a resposta certa da escola às suas casas, além do dever de casa.
ou quando cometem erros no seu dever de Elas estão freqüentemente exaustas e não têm
casa, freqüentemente como resultado de sua tempo suficiente para fazer tudo. Elas dizem
situação econômica ou social, ou porque que querem um respeito mútuo dos
possuem algum tipo de incapacidade ou são professores e pensam que se deve conquistar
procedentes de uma comunidade de minoria o respeito. A Save the Children iniciou
étnica. Elas são ridicularizadas. As crianças debates sobre a disciplina e o castigo em
dizem que os professores não estão a par de várias escolas, envolvendo crianças,
suas condições de vida pessoais. Elas devem professores, pais e outros membros da
fazer o serviço doméstico e enfrentam comunidade.

Laws e Mann, 2004

início, e criará espaço para elas como parceiras na construção do argumento de que o castigo
sua difusão. Por exemplo: físico é tanto pernicioso quanto ineficaz como
forma de disciplina, e que sua legitimidade
l Análise da situação e planejamento do
continuada promove a discriminação contra
programa: as experiências das crianças devem
elas — negando às crianças, como membros
necessariamente orientar o processo de
mais vulneráveis da sociedade, a mesma
construção de um entendimento sobre a
proteção assegurada aos adultos. Elas podem
predominância, a natureza, a gravidade e a
ser defensoras eficazes da mudança por meio
freqüência do uso do castigo físico e
de sua participação na mídia, conferências,
humilhante. Além disso, as crianças podem
seminários e grupos de discussão. Elas podem
fornecer uma perspectiva vital sobre o impacto
ser envolvidas no desenvolvimento de suas
dessa prática nas suas vidas e sobre como ela
próprias estratégias de campanha.
influencia seu comportamento. Suas visões
também devem ser levadas em consideração l Avaliação do impacto: as crianças podem ser
na determinação das prioridades a serem envolvidas na identificação dos objetivos do
incluídas no plano do programa. Por exemplo, programa e dos indicadores de impacto para o
dependendo do contexto local e experiências monitoramento do seu progresso. Do início ao
das crianças, é possível que se decida iniciar o fim da implementação do programa, elas
programa com campanhas pela reforma jurídica podem desempenhar um papel-chave na
em escolas e não em instituições penais. Ou a avaliação do progresso da realização dos
questão da violência doméstica pode ser tão objetivos.
severa que as crianças sintam que, embora se
trate do problema mais difícil de se resolver, 4. Como envolver as crianças
deve ser prioritário.
Existem muitas formas práticas por meio das quais
l Transferindo a mudança para as mãos das
as crianças podem ser envolvidas de modo
crianças: as crianças podem desempenhar um
significativo em trabalhos voltados para a
papel-chave nas campanhas de defesa da
erradicação do castigo físico e humilhante. Os
reforma jurídica. Por exemplo, elas podem
recursos listados no final deste Manual fornecem
oferecer uma contribuição valiosa para a
uma série de ferramentas práticas para ajudá-lo a
93
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

envolver crianças de forma eficaz no processo. A l discutir e defender a erradicação do castigo


lista que se segue ilustra apenas algumas das físico e humilhante em uma série de fóruns, ex.:
atividades nas quais as crianças podem ser em grêmios infantis, conferências, com o
engajadas. Elas podem: governo e representantes do governo, com
grupos de profissionais que trabalham com
l ser envolvidas nas pesquisas participativas e crianças.
consultas que formarão a base para o
planejamento do programa. l relatar casos de abuso e punição.

l desenvolver suas próprias iniciativas midiáticas, l ser envolvidas no sistema comunitário de


ex.: produzir seus próprios boletins monitoramento e respostas para a proteção da
informativos, programas de rádio ou TV, criança.
atividades de teatro.

l ser treinadas para trabalharem como


5. Questões sobre o castigo
educadores de seus pares, conscientizando físico e humilhante a serem
outras crianças sobre seu direito à proteção
contra todas as formas de violência.
consideradas quando se trabalha
com crianças
l trabalhar como mediadores de seus colegas,
ajudando outras crianças a explorarem
Entendendo o contexto próprio da
abordagens não-violentas para a resolução de
conflitos. criança

l ser encorajadas e auxiliadas na formação de Como já foi discutido neste Manual, o castigo
suas próprias organizações de campanha pela físico e humilhante é uma questão altamente
mudança, ex.: grêmios, associações, delicada, que envolve a vida das pessoas de forma
parlamentos, comitês. muito pessoal. O problema do castigo toca no
cerne das relações de poder entre crianças e
l ser envolvidas na administração escolar e adultos: as crianças podem apresentar um forte
apoiadas na formação de conselhos escolares sentimento de lealdade em relação aos seus pais,
voltados para a criação de um ambiente seguro dificultando seu pronunciamento a respeito de
nas escolas. Elas podem também encorajar como são tratadas. Também é possível que
outros alunos a relatarem casos de professores sintam medo, vergonha e dor, o que pode afetar
que abusem de seu poder. a capacidade de expressarem suas visões. Essas
dificuldades podem ser complexas em países nos
l ser envolvidas no governo local, ex.:
quais as crianças e jovens não são encorajados a
participando nos comitês comunitários para a
expressarem suas visões ou a participarem no
conscientização da população local sobre a
processo de tomada de decisão em qualquer
extensão e a natureza do problema, e
nível. Elas podem ser vistas como propriedade
ajudando a explorar soluções locais.
94
E T A P A 4D PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA

dos pais e espera-se que elas respeitem e façam sensibilidade. Tempo e recursos devem ser
o que os mais velhos lhes digam. alocados para se assegurar que a equipe esteja
adequadamente preparada e apoiada durante a
Uma estratégia que foi desenvolvida para ajudar
realização desse trabalho. Envolver as crianças no
no tratamento dessas questões delicadas quando
planejamento e implementação do programa é
se pesquisa o castigo físico e humilhante junto a
crianças, é evitar solicitar à criança que descreva um processo complexo e demanda tempo.
suas próprias experiências. Em vez disso, cria-se
As seguintes habilidades acentuarão a qualidade
um personagem fictício, que está interessado em
fazer descobertas sobre a vida da criança.
da comunicação com crianças:
Perguntas neutras são feitas a ela. Por exemplo:
l habilidade de se sentir confortável com crianças
l Como as crianças se sentem quando levam e de se envolver com elas em qualquer estilo
palmadas? de comunicação adequado ao indivíduo ou
grupo — ex.: sentando-se no chão com as
l Por que as crianças levam palmadas?
crianças, usando brincadeiras e sendo capaz de
Esse método obteve sucesso quando usado com tolerar expressões de aflição, agressão, etc.
crianças pequenas, permitindo que elas falassem
livremente sem exporem a si próprias ou aos l habilidade de usar linguagens e conceitos
seus pais. apropriados à idade, estágio de
Willow e Hyder, 1998 desenvolvimento e cultura da criança.

l aceitação em relação ao fato de que as crianças


Introduzindo as técnicas apropriadas que passaram por experiências angustiantes
podem julgar extremamente difícil confiar em
O comprometimento pessoal e técnicas de
um adulto estranho. Pode ser necessário
comunicação são pré-requisitos essenciais para se
bastante tempo e paciência até que a criança
trabalhar nessa área delicada. Consultar crianças
se sinta suficientemente confiante para se
sobre qualquer aspecto do castigo físico e
comunicar abertamente.
humilhante requer compreensão, paciência e
l habilidade de perceber que as crianças
enxergam sua situação de forma muito

A s opiniões da s cria nça s sobre a s a lterna tiva s

“Impeçam a gente de fazer coisas como… “Gosto quando meu professor me elogia. Me
assistir nosso programa favorito de televisão ou encoraja a me comportar bem.” (menina de 9
jogar nosso jogo favorito.” (menino de 9 anos) anos)

“Limpar o banheiro ou algo parecido.” (menino “Acho que o pai deveria se sentar e conversar
de 7 anos) com a criança.” (menino de 11 anos)

“Apenas nos dê uma advertência se quebrarmos “Seria bem melhor se minha mãe pudesse me
as regras. Se não fizermos o que você nos diz, punir simplesmente me proibindo de brincar lá
então apenas nos mande para cama.” (menina fora por dois dias.” (menino de 6 anos)
de 8 anos)

95
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

diferente da dos adultos. As crianças podem consentimento de seus pais. O consentimento


fantasiar, inventar explicações para eventos informado significa que a criança deve ter:
estranhos ou assustadores, expressar-se de – o direito de dizer não sem que isso gere
maneira simbólica, enfatizar questões que conseqüências para sua vida pessoal
podem parecer sem importância para adultos e – o direito de ter tempo suficiente para decidir
assim por diante. se quer participar, o direito de não
responder a algumas perguntas
– o direito de deixar o projeto quando queira.
Considerações práticas para uma
participação baseada em princípios l Propósito da pesquisa: é importante ter
certeza de que as crianças sabem qual é o
Trabalhar com crianças requer padrões elevados propósito da atividade para a qual estão sendo
de comportamento. Os Padrões de Qualidade da convidadas a participar, e qual contribuição seu
Save the Children devem orientar qualquer envolvimento trará para todo o processo.
atividade participativa empreendida com crianças.
Além disso, em qualquer atividade conduzida com l Confidencialidade e confiança: já que se trata
crianças, seja ela uma pesquisa para a análise da de um assunto tão delicado, é extremamente
situação, monitoramento e avaliação, ou importante que as informações fornecidas pelas
envolvendo-as em questões relativas a atividades crianças, em qualquer formato, sejam tratadas
de campanha, os seguintes pontos devem ser com respeito e conforme os limites acordados
considerados: de confidencialidade.

l Participação e proteção: garanta que qualquer l Clareza: seja claro sobre quanto tempo cada
trabalho com crianças seja em prol de seus atividade tomará e quais serão os resultados.
interesses superiores e não lhes faça mal algum. l Pagamento ou compensação: considere se os
Cabe lembrar que existe um desequilíbrio jovens serão pagos por contribuírem
natural de poder entre um adulto e uma ativamente para o processo. Se forem, quanto
criança, e que a obrigação essencial do adulto é receberão? Não há um conjunto de respostas
proteger a criança e apóia-la durante todo o neste caso, mas a questão deve ser
processo. considerada em cada contexto.
l Agendas conflitantes: Muitas vezes os adultos l Bem-estar pessoal dos participantes e
só aceitam as visões das crianças, quando se pesquisadores: garanta que o bem-estar das
elas ajustem às suas próprias idéias. É crianças seja promovido de forma adequada,
importante ser honesto nesse trabalho, mesmo dando a elas todo o apoio necessário durante
se as respostas obtidas não forem as que você todo o processo.
e sua organização desejam ouvir.
l Um enfoque inclusivo: garanta uma
l Consentimento informado: garanta que as participação eqüitativa de meninos e meninas,
crianças saibam o que se demanda delas e que crianças com incapacidades ou qualquer outra
têm o direito de dizer não. Você também deve necessidade especial, e crianças de minorias
assegurar que as crianças obtenham o étnicas.

96
E T A P A 4D PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA

l As crianças estão desafiando a discriminação na


família, na escola e na comunidade.

l As crianças têm entusiasmo para tratar de


questões que beneficiem seus colegas e a
comunidade.

P a ra os resulta dos do prog ra m a :

l A freqüência escolar aumentou.

l Teve início o monitoramento da freqüência


dos professores e da qualidade do ensino.

l As crianças estão encontrando caminhos para


protegerem a si próprias e aos seus colegas
contra o abuso (ex.: tráfico, casamento infantil).

l As visões das crianças são um recurso-chave


selecionado e usado pela mídia, incrementando
6. Exemplos de boas práticas a visibilidade do castigo físico e humilhante
(www.savethechildren-alliance.org.np).
1. Ásia Central e Sul
2. Espanha
O trabalho da Aliança Internacional Save the
Children na Ásia Central e Sul relativo à A Save the Children Espanha desenvolveu um
participação das crianças nos comitês locais e concurso intitulado "Meu adulto favorito", que
escolares e nas organizações lideradas por envolveu 6.000 crianças em todo o país. As
crianças apresentou conseqüências positivas que crianças passaram uma semana trabalhando em
são especialmente relevantes para trabalhos sala de aula no conteúdo de uma campanha
voltados para a erradicação do castigo físico e contra o castigo físico de crianças chamada
humilhante. A equipe do programa e as pessoas "Eduque, Não Castigue". Depois disso, elas
das comunidades identificaram os seguintes tiveram de selecionar um adulto que conheciam
benefícios: ou pessoalmente ou publicamente (poderia ser
alguém que conheciam ou um ator ou um
P a ra o desenvolvim ento infa ntil: político), o qual, segundo elas, melhor
representava as atitudes e os comportamentos
l Maior auto-estima.
propostos pela campanha: resolver conflitos com
l Maior tolerância e inclusão. crianças sem usar a violência contra elas. Elas
tiveram de explicar os motivos para sua escolha
l Maior comunicação e técnicas de negociação.
por meio de um desenho, narrativa ou vídeo.
P a ra a socieda de:
Cada criança selecionou uma pessoa do seu
l Os pais e membros da comunidade respeitam entorno pessoal. Avós foram citados com maior
mais as visões das crianças. freqüência que qualquer outro adulto. Os motivos
apresentados pelas crianças foram:
l As crianças são valorizadas como
colaboradoras das comunidades locais.

97
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l porque passam tempo comigo: eles vêm me 3. Uganda


visitar, me buscar na escola, me ajudar com o
dever de casa A Save the Children Reino Unido desenvolveu
uma iniciativa em Campala que envolveu o
l porque me amam e são carinhosos comigo: esforço de 200 crianças para a resolução do
eles me beijam, me abraçam, dizem que me problema do abuso infantil na comunidade. As
amam crianças foram envolvidas na identificação das suas
necessidades de proteção. Com base nessas
l porque são justos, eles me castigam quando eu descobertas, elas planejaram uma série de
faço algo errado, mas nunca me bateram. atividades para o tratamento dessas necessidades
e se responsabilizaram pela sua implementação.
As crianças foram, portanto, envolvidas no
As crianças, que tinham entre 10 e 14 anos,
desenvolvimento de mensagens de campanha e
estabeleceram um comitê diretivo de 18 crianças
seu trabalho foi usado em uma campanha de
para o planejamento global, um comitê gestor
defesa.
para lidar com a implementação das atividades do
projeto, um comitê de proteção da criança para a
(www.savethechildren.es)
investigação, registro e abordagem de casos de
abuso e negligência, e um comitê de defesa
responsável pela sensibilização da comunidade
para os direitos da criança e abuso infantil. Os
membros desses comitês foram todos eleitos por
outras crianças da comunidade.

(www.savethechildren.org.uk)

98
Etapa 5
Avaliação
do impacto

“Os indicadores são as


ferramentas centrais para o
monitoramento. É essencial
iniciar o monitoramento pela
produção de indicadores como
ETAPA 5
parte do seu plano. Os
indicadores medem quão bem
você atingiu seu objetivo e
podem ajudar a avaliar seu
trabalho quando a atividade
chegar ao fim."
O TEXTO ACIMA FOI EXTRAÍDO DE UMA SEÇÃO SOBRE MONITORAMENTO E
AVALIAÇÃO DO MANUAL CHILD LABOUR: GETTING THE M ESSAGE
ACROSS, PUBLICADO EM 2001 PELO GRUPO DE TRABALHO REGIONAL SOBRE
O TRABALHO INFANTIL NO SUDESTE E LESTE DA ÁSIA E PACÍFICO (SEAP)
Etapa 5
Avaliação do impacto

Esta Etapa demonstra como os programas podem desenvolver


a avaliação do impacto.

1. Por que avaliar o impacto?

2. Estratégias para avaliar o impacto


A. Defina objetivos
B. Colete dados de base
C. Estabeleça indicadores de impacto
D. Vincule atividades a objetivos
E. Estabeleça indicadores de processo
F. Realize monitoramento
G. Realize análise, revisão e avaliação
H. Avalie o impacto
I. Aprenda as lições

“Os indicadores são as ferramentas centrais para o


monitoramento. É essencial iniciar o monitoramento
pela produção de indicadores como parte do seu
plano. Os indicadores medem quão bem você atingiu
seu objetivo e podem ajudar a avaliar seu trabalho
quando a atividade chegar ao fim."
O TEXTO ACIMA FOI EXTRAÍDO DE UMA SEÇÃO SOBRE MONITORAMENTO E
AVALIAÇÃO DO MANUAL CHILD LABOUR: GETTING THE M ESSAGE ACROSS,
PUBLICADO EM 2001 PELO GRUPO DE TRABALHO REGIONAL SOBRE O
TRABALHO INFANTIL NO SUDESTE E LESTE DA ÁSIA E PACÍFICO (SEAP)

99
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

1. Por que avaliar o impacto? monitoramento, revisão e avaliação, análise de


impacto e aprendizagem. Os seguintes passos
É necessário avaliar o impacto do seu programa estabelecem o que você deve considerar a cada
porque essa prática: estágio do ciclo de forma a realizar uma análise de
impacto efetiva.
l informa quais mudanças ocorreram e por quê

l permite que você faça modificações enquanto A. Defina objetivos


o programa está em andamento, de forma a
Os objetivos devem ser orientados para
torná-lo mais eficiente
mudanças, claros, mensuráveis e realistas.
l permite que você identifique práticas "boas" e Somente acertando no estabelecimento dos
"más" objetivos:

l torna você mais responsável diante das pessoas l você poderá alcançar mudanças que diminuam
com as quais e pelas quais você está ou eliminem o castigo físico e humilhante
trabalhando — crianças, pais, comunidades
l você será capaz de medir se está alcançando
locais, doadores e parceiros.
ou não as mudanças desejadas.

2. Estratégias para avaliar É essencial que os objetivos sejam estruturados


o impacto em termos de mudanças para as crianças e não
em termos de atividades (que podem ou não
A avaliação do impacto é um processo, não um levar a mudanças para as crianças). As crianças
evento isolado. Ela tem implicações para todo o devem ser envolvidas na definição dos objetivos.
ciclo do programa — coleta de dados de base, Seu envolvimento ajuda a garantir que os
estabelecimento de objetivos, desenvolvimento objetivos ou propósitos do projeto sejam
de indicadores de impacto, escolha das atividades, relevantes para elas e tragam as mudanças que
desenvolvimento de indicadores de processo, desejam.

Dica s pa ra ter em m ente dura nte a a va lia çã o do im pa cto

l Incorpore a avaliação em todo o ciclo do l Tempo, recursos e responsabilidades devem


programa. ser alocados. Lembre-se: a análise das
informações e a aprendizagem podem levar
l Envolva crianças e jovens em todos os tanto tempo quanto a coleta de
estágios. informações.
l Colete tanto informações quantitativas l Pense em sobre quem incide o impacto que
quanto qualitativas. você está avaliando, o que você fará com os
l Colete apenas informações relevantes e resultados, com quem você os compartilhará
guarde o mínimo de informações — isso e como você os compartilhará.
facilita sua análise e sua utilidade.

100
E T A P A 5 AVALIAÇÃO DO IMPACTO

E xem plos de indica dores de im pa cto

A Save the Children Reino Unido identificou com a lei, crianças de minoria étnica, etc.) não
cinco dimensões de mudança, as quais refletem deverão ser expostas ao castigo físico e
os tipos de mudanças que a organização humilhante em nenhum cenário do programa
valoriza:
Dimensão 5: As ONGs nacionais para crianças
l mudanças nas vidas das crianças e jovens. devem trabalhar junto a escolas, comunidades
e pais para reduzir o castigo físico e humilhante
l mudanças nas políticas e na prática.
de crianças em todos os cenários do programa.
l mudanças na participação e cidadania ativa.
E xem plo
l mudanças na eqüidade e não-discriminação.
A Save the Children Suécia desenvolveu alguns
l mudanças na sociedade civil e na capacidade indicadores para o trabalho que realizou junto
das comunidades de apoiarem os direitos ao estudo das Nações Unidas sobre a violência
das crianças. contra crianças, os quais são úteis para
trabalhos de erradicação do castigo físico e
Todas essas cinco dimensões são necessárias
humilhante.
caso se deseje alcançar mudanças reais e
duradouras para todas as crianças. No âmbito internacional: a questão da
violência contra crianças foi incluída ou ganhou
Os programas da Save the Children Reino
maior foco na agenda e na alocação de
Unido agora estabelecem um objetivo
recursos e qualidade dos gastos; são
dominante, com objetivos específicos para
disponibilizados guias para as políticas nacionais
cada uma das cinco dimensões de mudança.
voltadas para a prevenção e o combate à
Por exemplo: discriminação e à violência contra crianças.

Objetivo dominante No âmbito nacional: mudanças na legislação e


Reduzir em 75% a incidência do castigo físico e políticas para uma melhor proteção das
humilhante de crianças em todos os cenários crianças; criação do cargo independente de
do programa. ombudsman responsável por questões relativas
à criança; orçamento incrementado; mais
Dimensão 1: As crianças não devem ser serviços disponíveis para crianças que foram
expostas ao castigo físico e humilhante em expostas à violência; melhores práticas nos
nenhum cenário do programa serviços locais baseados na comunidade e
voltados para crianças que são expostas à
Dimensão 2: As políticas governamentais violência; questões relativas à violência contra
devem banir o castigo físico e humilhante de crianças foram incorporadas ao currículo
crianças, e essas políticas devem ser escolar e treinamento docente; ampliação da
implementadas de forma eficaz cooperação entre vários atores para tratar a
violência contra crianças; aumento do número
Dimensão 3: As crianças e jovens do programa
de mudanças positivas na participação das
devem criar grupos infantis para influenciar
crianças e incremento das ações para se
escolas, comunidades e o governo local para a
tratarem as causas originárias da violência
erradicação do castigo físico e humilhante de
contra crianças.
crianças em todos os cenários do programa
Indicadores para medição do impacto do estudo das
Dimensão 4: Crianças vulneráveis de todos os
Nações Unidas sobre a violência contra crianças,
cenários do programa (ex.: crianças em conflito Save the Children Suécia, agosto de 2004

101
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

B. Colete dados de base Os indicadores podem ser tanto quantitativos


quanto qualitativos. É ideal que você tenha uma
Dados de base são necessários porque permitem mistura dos dois. Também pode ser útil
que você compare a situação antes e depois de sua estabelecer marcos, eles são indicadores que
intervenção. Alguns dados ou informações mostram que você está no caminho certo para a
relevantes podem ter sido coletados durante a realização do objetivo.
análise da situação. Qualquer dado adicional deve
ser coletado antes do início do programa. Você
pode, então, monitorar mudanças nesses dados P or exem plo:
enquanto o programa estiver em curso e uma vez
Objetivo: As crianças não serão expostas ao
que esteja finalizado. As crianças podem
castigo físico e humilhante em cenário algum
desempenhar um papel importante na escolha dos
do programa.
dados de base a serem coletados e na própria
coleta de dados. Elas também são fontes de Indicador de impacto: As crianças dizem
informações e evidências e talvez você precise que não estão mais recebendo castigos
coletar dados conversando com elas. físicos e humilhantes em nenhum cenário do
programa.
Os dados de base precisam fornecer informações
sobre a situação atual em comparação com seus Marco: As crianças de todos os ambientes
objetivos. Por exemplo, é possível que o uso do do programa dizem que recebem castigos
castigo físico permaneça legítimo nos lares, escolas físicos e humilhantes com 30% menos de
e instituições penais, ao passo que um de seus freqüência que antes da intervenção, ou 50%
objetivos é a introdução de leis que estabeleçam a das crianças dizem que não estão recebendo
erradicação do seu uso em todos os ambientes. mais castigos físicos e humilhantes em
Se os dados de base não tiverem sido coletados, nenhum cenário do programa.
ainda será possível examinar se a sua intervenção
foi bem-sucedida por meio da comparação entre o
grupo de intervenção e o grupo de controle. O Perguntas a serem feitas ao estabelecer
grupo de controle deve ser o mais semelhante indicadores de impacto:
possível ao grupo de intervenção — a única
l Ele demonstrará que uma mudança ocorreu?
diferença é o fato de que o grupo de controle não
receberá a intervenção. Porém, você deve l Ele provará que você atingiu seu objetivo ou
considerar questões éticas quando trabalhando uma mudança distinta poderia levar ao mesmo
com grupos de controle — o que eles ganharão indicador?
por ter trabalhado ou ajudado a Save the Children?
l Você pode coletar essa informação durante as
C. Estabeleça indicadores de impacto atividades diárias (você não precisa ser
necessariamente capaz de fazê-lo, mas pode
Você deve estabelecer indicadores de impacto que ajudar se você garantir que a) a informação seja
ajudem a avaliar em que medida os objetivos de coletada, e b) a avaliação do impacto esteja
mudança estão sendo atingidos. As crianças podem alinhada com o programa).
ajudar a decidir quais indicadores são mais
apropriados, quem deverá coletar os dados, como l Ele fornecerá informações suficientes para que
deverão ser coletados e com que freqüência. você saiba se atingiu seu objetivo?

102
E T A P A 5 AVALIAÇÃO DO IMPACTO

l Você será capaz de analisar a informação de processo. Crianças e pessoas jovens podem ajudar
forma que ela forneça uma única resposta ou a decidir quais indicadores são mais apropriados,
ela pode levar a interpretações contraditórias? quem deve coletar os dados, como eles devem
ser coleados e com que freqüência.
Também é importante coletar informações sobre
o mesmo indicador usando uma variedade de
métodos. Por exemplo, você poderia usar
questionários, grupos de foco, entrevistas, P or exem plo:
observação, etc. Você também pode usar uma Objetivo: As crianças não devem ser
variedade de fontes, tais como crianças e jovens, expostas ao castigo físico e humilhante em
professores, pais, governo, etc. cenário algum do programa.
É ideal que os indicadores sejam focalizados e
Atividade: Cem por cento dos professores
reduzidos a um mínimo. Do contrário, você corre
nas áreas do programa recebem
o risco de ter uma "sobrecarga de informação",
treinamento sobre os direitos das crianças,
que tornará muito mais difícil a coleta, a reflexão e
sobre os efeitos perniciosos do castigo
análise dos dados.
físico e humilhante e sobre formas
D. Vincule atividades a objetivos alternativas de disciplina.

Para cada objetivo, você precisa decidir qual Indicador de processo: O treinamento foi
atividade ou atividades apresentam maior
probabilidade de resultarem na mudança
desejada. Lembre-se de buscar informações em Perguntas a serem feitas quando estabelecendo os
uma variedade de fontes — ex.: as melhores indicadores de processo:
práticas de ONGs internacionais, pesquisas
acadêmicas, sua própria experiência. Você l Isso demonstrará quão satisfatória foi a
também deve garantir que as atividades estejam realização da atividade?
alinhadas com os objetivos específicos (embora l Ele ajudará a entender por que a atividade teve
algumas atividades possam contribuir para mais de ou não teve êxito?
um objetivo).
l Essa informação pode ser coletada durante o
Você pode usar o diagrama acima para ajudá-lo a
trabalho diário? Isso deve ser buscado sempre
vincular atividades a objetivos. Cada vez que você
que possível.
mover para a direita, você deve se perguntar:
"Como posso fazer isso?". Cada vez que você l A análise da informação levará a uma única
mover para a esquerda, pergunte a si próprio: resposta ou pode resultar em interpretações
"Por que estou fazendo isso?" Em ambos os casos, contraditórias?
a próxima atividade ou objetivo deve fornecer a
Também é importante coletar informações sobre
resposta.
o mesmo indicador usando uma variedade de
E. Estabeleça indicadores de processo métodos — ex.: questionários, grupos de foco,
entrevistas, observação, etc. — e de fontes, tais
Os indicadores de processo medem se as como crianças e jovens, professores, equipe da
atividades estão ocorrendo ou não conforme o Save the Children, parceiros, etc.
planejado, portanto, para cada atividade você
precisa estabelecer pelo menos um indicador de

103
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Da mesma forma que no caso dos indicadores de envolvidos diretamente na coleta de dados e
impacto, os indicadores de processo devem ser podem também ser provedores de informações.
focalizados e reduzidos a um mínimo de forma a
evitar uma "sobrecarga de informação", que Algumas técnicas e ferramentas possíveis incluem:
tornaria muito mais difícil a coleta, a reflexão e a l métodos participativos.
análise dos dados.
l grupos em foco.
F. Realize monitoramento l entrevistas.
O monitoramento é um processo de coleta de l questionários.
dados sobre os indicadores de impacto e de
processo. l reunião em espaço aberto.

Com o coleta r inform a ções l observação.

Existem diferentes ferramentas e técnicas para a l diagrama tipo aranha.


coleta de informações, você deve escolher as mais l histórias sobre as "mudanças mais significativas".
apropriadas para os tipos de dados que deseja
coletar. É possível que você constate que a equipe O uso de técnicas é integralmente explicado no
precisa de treinamento em certos tipos de coleta manual How to Research the Physical and Emotional
de informações (ex.: métodos participativos) e Punishment of Children (Como pesquisar o castigo
que isso também deve ser estabelecido no plano físico e emocional de crianças) (Ennew e Plateau,
de trabalho. Crianças e jovens podem ser 2004).
104
E T A P A 5 AVALIAÇÃO DO IMPACTO

Os pontos acima são apenas algumas sugestões. Quem deve coleta r a s inform a ções
É possível que você queira criar seus próprios
métodos para coletar as informações mais É essencial que indivíduos específicos sejam
relevantes para o trabalho que você está responsáveis pela coleta de informações do
desenvolvendo e para as pessoas com as quais contrário, todos assumirão que outra pessoa o está
está trabalhando. Lembre-se de que as fazendo. Se essa prática for construída nos planos
informações coletadas devem ser tão de trabalho das pessoas, será mais fácil designar
"verdadeiras" quanto possível. Por exemplo, é responsabilidades e avaliar se a coleta está ou não
improvável que indagar crianças sobre o castigo ocorrendo por meio de revisões gerenciais de
físico nas escolas diante de seus professores desempenho. Antes de dar início ao programa,
forneça um quadro verdadeiro da situação. você deve assegurar que todas as responsabilidades
O importante é que você colete informações de monitoramento foram designadas.
relevantes e exatas, que serão úteis
O a rm a z ena m ento de inform a ções
posteriormente.
As informações devem ser armazenadas o mais
Qua ndo coleta r inform a ções
rapidamente possível depois de terem sido
A decisão de quando coletar informações coletadas. O armazenamento deve ser centralizado,
dependerá do tipo de informação que você está de forma que seja fácil acessar as informações e
coletando. Em geral, as informações sobre os que elas estejam todas em um mesmo lugar.
indicadores de processo devem ser coletadas mais
freqüentemente (semanalmente ou mensalmente) G. Realize análise, revisão e avaliação
que aquelas sobre os indicadores de impacto (de
A ná lise
poucos em poucos meses ou menos). É ideal que
a coleta de informações se baseie nas atividades As informações coletadas por meio do
diárias do programa. monitoramento devem ser analisadas de forma a

S eleciona ndo história s sig nifica tiva s de m uda nça

Várias agências internacionais de considere a Mudança Mais Significativa


desenvolvimento vêm experimentando que ocorreu como resultado do
recentemente um processo de projeto ou programa. Isso é
exemplos elucidativos de mudança nos inteiramente subjetivo e os próprios
trabalhos que realizam, conhecido stakeholders devem decidir o sentido
como a abordagem da Mudança Mais de "mais significativa". Essas "histórias"
Significativa. Em essência, é uma de mudança são, então, coletadas,
abordagem simples e participativa para discutidas e filtradas para que
o monitoramento e avaliação, baseada finalmente se chegue a um número
na coleta e interpretação participativa pequeno de exemplos de mudança
de histórias de mudanças significativas. que os envolvidos no processo
O processo básico inclui demandar que considerem mais significativas, e essas
stakeholder de
cada parte interessada (stakeholder) formam a base do relatório de impacto.
um projeto ou programa registre o que
105
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

adquirirem um sentido. Se possível, isso deve Revisã o


ocorrer com uma freqüência relativa (de poucos
em poucos meses), de maneira que se tenha uma As revisões devem ser conduzidas
idéia sobre se: periodicamente. A freqüência depende da
extensão do programa, mas normalmente deve
l as atividades estão ocorrendo conforme o ocorrer uma ou duas vezes ao ano. Você pode
planejado. revisar todo o programa, mas uma revisão em
geral envolverá o exame minucioso de um
l as mudanças estão começando a ocorrer.
aspecto específico. Ela envolverá a atualização de
l os indicadores de processo e de impacto estão todas as análises conduzidas e seu exame como
fornecendo informações relevantes que sejam um todo, de forma que se tenha uma idéia sobre
suficientes para se fazer um julgamento sobre se as atividades adequadas estão sendo realizadas
os pontos prévios. e se estão levando às mudanças desejadas
(vinculando as atividades às mudanças). Você deve
Por meio da análise freqüente de informações,
envolver uma variedade de pessoas no processo
você estará mais apto a garantir que manteve em
de revisão — ex.: crianças e jovens, a equipe da
mente, de forma coesa, "o quadro completo", e a
Save the Children e parceiros — a fim de obter
avaliar se o programa está conduzindo às
um panorama exato e não tendencioso da
mudanças adequadas. Crianças e jovens podem
situação. Tempo e recursos para as revisões
ser diretamente envolvidos na análise das
devem ser planejados e alocados antes do início
informações coletadas, na coleta de quaisquer
do programa.
informações adicionais consideradas necessárias,
na delineação de recomendações para Os resultados de uma revisão devem permitir que
modificações no programa e na comunicação dos você gerencie decisões para qualquer modificação
resultados das revisões e avaliações às crianças. necessária no programa, por exemplo, atividades,
objetivos, indicadores, alocação de recursos,
responsabilidades da equipe, etc.
Considera ções úteis pa ra revisões
e a va lia ções A va lia çã o
l Por que você está fazendo essa As avaliações normalmente ocorrem com menos
revisão/avaliação? freqüência que as revisões e são mais formais. Às
l Para quem você as está fazendo? vezes, pode ser útil trazer alguém de fora para
apresentar um parecer mais objetivo. Porém, essa
l O que você vai revisar/avaliar? pessoa não precisa ser sempre um consultor.
Pode ser uma pessoa de uma organização
l Quem será envolvido na análise/revisão/
associada ou de um programa distinto da Save the
avaliação?
Children, que tenha conhecimento sobre essa
l Quem gerenciará o processo? área de trabalho e sobre avaliações.

l Quais são as implicações em termos de As avaliações devem dizer se você está atingindo
recursos? ou não os objetivos do programa. Elas requerem a
reunião de todas as informações relevantes (do
l Como serão usados os resultados?
monitoramento, análise e revisões) para que se
l Como vamos comunicar os resultados aos avalie em que medida o programa está alcançando
stakeholders relevantes? seus resultados. Você pode considerar que

106
E T A P A 5 AVALIAÇÃO DO IMPACTO

informações adicionais sejam necessárias e, nesse houve impactos não intencionais positivos ou
caso, elas devem ser coletadas e adicionadas ao negativos. A avaliação do impacto deve permitir
repositório de informações que estão sendo que você determine quais são as "boas" e/ou as
analisadas. Nas avaliações, é importante "más" práticas nessa área.
estabelecer vínculos entre as atividades que foram
conduzidas e as mudanças que ocorreram, de Os resultados devem ser compartilhados com os
forma que você possa construir um retrato de stakeholders relevantes (inclusive crianças e
quais atividades levam a quais tipos de mudança. jovens), de forma que a organização assuma a
Você também deve considerar outros eventos responsabilidade pelo trabalho que está
que possam ter contribuído para as mudanças realizando.
identificadas.
I. Aprenda as lições
Os resultados devem torná-lo apto a:
Se você não passar por um processo de
l Determinar quais são as "boas" e/ou "más" aprendizagem a partir da análise, revisão, avaliação
práticas e posterior avaliação do impacto, então você
desperdiçou o seu tempo.
l fazer recomendações sobre como o programa
precisa ser modificado para se tornar mais Existem essencialmente dois tipos de aprendizado
eficaz. Você deve garantir que essas que devem ocorrer:
recomendações sejam práticas e
operacionalizáveis. Você também precisa se 1. Um aprendizado que permitirá que você tome
lembrar de reservar um tempo suficiente para decisões sobre o programa. Por exemplo:
planejar como essas recomendações podem
l Você precisa modificar as atividades?
ser postas em prática e então comunicar isso a
todos os stakeholders relevantes. l Os objetivos ainda são relevantes?

H. Avalie o impacto l Os seus indicadores estão coletando


informações relevantes e úteis?
A avaliação do impacto é similar a uma avaliação
anterior na medida em que examina se o l Você está coletando informações suficientes ou
programa está atingindo os objetivos desejados e excessivas?
quais atividades levam a quais mudanças. Por isso,
l Existem influências externas que você não
ela deve ser conduzida da mesma forma que uma
havia considerado previamente, mas que
avaliação, e precisa ser conduzida em todo o
precisam ser incorporadas ao programa?
programa. Além disso, ela deve dizer se existem
quaisquer impactos não intencionais ou negativos l Os recursos estão sendo usados de forma
do programa. Isso pode demandar a coleta de efetiva?
informações adicionais.
l A equipe apropriada está sendo usada?
É essencial que o público-alvo do programa seja
l Você destinou tempo suficiente para a
envolvido na análise de impacto, já que ele se
reflexão?
encontra com freqüência na melhor posição para
julgar se o programa foi eficaz ou não. Eles l Você está envolvendo crianças e jovens de
também estão em uma boa posição para dizer se forma apropriada?

107
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

l Sua intervenção está deixando de alcançar pontos ao longo do caminho, não haverá tempo
alguma pessoa? para se incorporarem recomendações
operacionalizáveis aos trabalhos futuros.
Não é suficiente aprender apenas sobre o
programa, você também precisa pôr este 2. Identificação de "boas" e "más" práticas que
aprendizado em prática. Assim, para cada ponto possam ser compartilhadas com outros grupos e
do processo de aprendizagem você precisa organizações para ajudá-los no seu trabalho.
elaborar uma recomendação "operacionalizável" e
Lembre-se, o aprendizado leva tempo e demanda
então incorporar essas recomendações ao
espaço. Sem eles, o aprendizado não ocorrerá.
trabalho futuro do programa. É preciso incluir a
Você deve destinar tempo ao programa para que
definição de quem será responsável por elas e um
isso aconteça.
conjunto de indicadores de impacto e de
processo para medi-las. Uma questão óbvia, mas
freqüentemente negligenciada, é que para que a
análise, revisão, avaliação e posterior avaliação do
impacto sejam úteis ao programa, elas não devem
ser seu ponto final, mas devem ser vistas como
estágios. A menos que elas ocorram em vários

108
Referências e
recursos adicionais
e recursos
adicionais
Referências
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

Referências e recursos adicionais

Pesquisas sobre o castigo físico e Families?, Estudo do Ministério do Bem-Estar Social


sobre as atitudes dos espanhóis adultos em relação
humilhante ao castigo físico e humilhante de crianças (1997);
Alyahri, A (2004) Prevalence of Psychiatric Disorders in Study on Violence in American and Spanish cities, 1998
Yemeni Children and its Relationship with Harsh (www.savethechildren.es)
Disciplinary Practice, Kings College Hospital, Londres
Save the Children Reino Unido (2001b) It Doesn't Sort
Bartholdsson, Ö (2001) Corporal Punishment of Anything! A report on the views of children and young
Children and Change of Attitudes: A cross-cultural study, people about the use of physical punishment, Londres
Save the Children Suécia, Artigo nº 2001-2656
Stattin, J, Janson, H, Klackenberg-Larsson, I and
Beazley, H, Bessell, S L, Ennew, J, Waterson, R H, (no Magnusson, D (1995) 'Corporal punishment in
prelo, 2006) What children say: Results of comparative everyday life: an intergenerational perspective', in J
research on physical and emotional punishment of McCord (ed.) Coercion and Punishment in Long-Term
children in Southeast, East Asia and the Pacific in 2005, Perspectives, Cambridge University Press, Cambridge
Bangcoc, Tailândia, Save the Children Suécia
Straus, M A e Mathur A K (1996) 'Social change and
(www.seapa.net)
trends in approval of corporal punishment by
Child, Youth and Family Development Research parents from 1968 to 1994', in W H D Frehsee e K-
Programme (2004) Partner Violence, Attitudes to Child D Bussman (eds) Family Violence Against Children,
Discipline and Use of Physical Punishment: A South Berlim
African National Survey, Conselho de Pesquisas em
Straus, M A e Stewart, J H (1999) 'Corporal
Ciências Humanas da África do Sul, financiado pelo
Punishment of American Children: National Data on
Escritório Regional da Save the Children Suécia para a
Prevalence, Trends, and Relationship to Child and
África do Sul
Family Characteristics', Clinical Child and Family
Crowley, A e Vulliamy C (2003) Listen Up! Children Psychology Review 2(2) pp. 55-70
talk about smacking, Save the Children Reino Unido,
Willow, C e Hyder T (1998) It Hurts You Inside:
programa do País de Gales
Children Talking about Smacking, Save the Children
Giles-Sims, J et al (1995) 'Child, maternal and family Reino Unido/Agência Nacional das Crianças, Londres
characteristics associated with spanking', Family
Woodhead, M (1998) Children's Perspectives on their
Relations, 44
Working Lives, Save the Children Suécia, Estocolmo
Hart, S et al (2005) Eliminating Corporal Punishment.
The way forward to constructive child discipline, Unesco.
IBSN 92-3-103991-1
Relatórios sobre o castigo físico e
Holden, G e Ritchie, K (1991) 'Linking extreme
humilhante
marital discord, child rearing and child behaviour
problems: evidence from battered wives', Child Durrant, J (2000) A Generation without Smacking, Save
Development 62(2) the Children Reino Unido, disponível em arquivo de
PDF, www.endcorporalpunishment.org
LeVine R A et al (1994) Child Care and Culture: Lessons
from Africa, Cambridge University Press, Nova York Ennew, J, Nogami, N, Plateau, D P (2005) Discipline
and punishment of children: A rights-based review of laws,
Ministério Espanhol para Assuntos de Trabalho e
attitudes and practices in Southeast, East Asia and the
Sociais (1995) What do Boys and Girls Think about their

109
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Pacific, Bangcoc, Tailândia, Save the Children Suécia, Jabeen, F (2004) Physical/Physical and Psychological
ISBN 974-92984-9-7 (www.seapa.net) Punishment of Girls and Boys in South and Central Asia
Ennew, J, Plateau, D P (2005) Childrearing for peace: a Region, Aliança Internacional Save the Children,
search for solutions. Family life without corporal publicado pela Save the Children Suécia Dinamarca,
punishment in Southeast, East Asia and the Pacific, Escritório Regional para o Centro e Sul da Ásia,
Centre for Family Research, University of Cambridge, www.savechildren-alliance.org.np
Reino Unido, em conjunto com Save the Children Persson, S (2002) Challenges of Ending the Practice of
Suécia, publicado em Bangcoc, Tailândia, por Black on Physical Punishment in South Asia, Save the Children
White publications (www.seapa.net) Suécia, submetido à Comissão de Direitos Humanos.
Gershoff, E T (2002) 'Corporal punishment by Persson, S (2002) Physical Punishment: Breaching
parents and associated child behaviors and children's rights on a massive scale, Save the Children
experiences: a meta-analytic and theoretical review', Suécia, Estocolmo
Psychological Bulletin 128, 539-79 UNESCO (no prelo) Eliminating Corporal Punishment -
Aliança Internacional Save the Children (2003) A Human Rights Imperative: Moving Toward Constructive
Prompting Non-Violent Upbringing and Education of Discipline Respecting the Child's Human Dignity,
Children: Training of key actors in Peru and Bolivia, Peru, UNESCO, Paris
www.scslat.org Organização Mundial de Saúde (2002) World Report
Aliança Internacional Save the Children Região do on Violence and Health, Genebra
Sudeste Asiático e Paífico (2003) Towards a Strategy to
Address Corporal Punishment of Children in Southeast,
East Asia and Pacific, Atas do Workshop Regional Relatórios sobre reformas jurídicas
sobre o Castigo Físico de Crianças da Aliança
Boyson, R (2002) Equal Protection for Children: An
Internacional Save the Children, 6 a 9 de outubro de
overview of the experience of countries that accord
2003, Bangkok, www.seapa.net
children full legal protection from physical punishment,
Aliança Internacional Save the Children Região do National Society for the Prevention of Cruelty to
Sudeste Asiático e Paífico (2004) National Challenges, Children, Londres (www.nspcc.org.uk/publicaffairs)
Resource and Information Needs in Addressing Corporal
Bussman, K-D (2002) Evaluation of the German
Punishment of Children in Southeast, East Asia and
prohibition of family violence against children, Sociedade
Pacific, Atas do Workshop Regional da Aliança
Européia de Criminologia, Toledo, Espanha
Internacional Save the Children, 5 e 9 de abril de
2004, Bangkok, www.seapa.net Durrant, J (1999) Evaluating the Success of Sweden's
Corporal Punishment ban, University of Manitoba,
Aliança Internacional Save the Children (2004)
Canadá, durrant@cc.umanitoba.ca
Capacity Building and Advocacy on Positive Discipline
Technique, Relatório do Workshop, Jaipur, abril de Durrant, J (2003a) Legal Reform, Corporal Punishment
2004, www.savechildren-alliance.org.np and Child Abuse: The case of Sweden, University of
Manitoba, Canadá, durrant@cc.umanitoba.ca
Aliança Internacional Save the Children (2003)
Workshop Global sobre Castigo Corporal. Relatório Durrant, J (2003b) Public attitudes towards physical
do Workshop, Cairo, fevereiro de 2003, www.rb.se punishment in Sweden, University of Manitoba,
Canadá, durrant@cc.umanitoba.ca
Aliança Internacional Save the Children (2002)
Workshop Regional sobre Disciplina Positiva de Durrant, J (2000) 'Trends in Youth Crime and
Crianças. Relatório do Workshop, Dakar, abril de Wellbeing since the Abolition of Corporal
2002, www.rb.se Punishment in Sweden', Youth & Society 200 31: 437-
455. durrant@cc.umanitoba.ca
Aliança Internacional Save the Children (2002)
Workshop Regional sobre Estratégias de Alternativas Larzelere, R E and Johnson, B (1999) 'Evaluations of
ao Castigo Corporal. Relatório do Workshop, São the effects of Sweden's spanking ban on physical child
Paulo, setembro de 2002, www.scslat.org

110
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

abuse rates: a literature review', Psychological Reports Castigo Corporal/Físico e Outras Formas de Castigo
85, pp. 381-92 Humilhantes ou Degradantes da Aliança Internacional
McGillivray, A (1998) 'He'll learn it on his body: Save the Children. Para uma cópia gratuita, mande
disciplining childhood in Canadian law', International um e-mail para: rbpublishing@rb.se
Journal of Children's Rights 5, pp. 193-242 Save the Children Reino Unido (2001a) Ending
Roberts, J (2000) 'Changing public attitudes towards Physical Punishment of Children: Making it happen,
corporal punishment: The effects of statutory Análise de briefing, Londres,
reform in Sweden', Child Abuse and Neglect 24(8), pp. www.savethechildren.org.uk
1027-35 Soneson, U (2005) Ending corporal punishment in
Save the Children Sweden (2001) The First Anti- Zambia. Save the Children Suécia. ISBN 0-620-34219-
spanking Law in the World: Historical background to the 6 (www.rb.se)
Swedish legislation, www.savethechildrensweden.org Warrior, J (1999) Preventing Family Violence: A manual
Save the Children Suécia (2001) The First Anti-spanking for action, Save the Children Reino Unido, Londres
Law in the World: Historical background to the Swedish Willow, C e Hyder T (2004) It Hurts You Inside, uma
legislation, www.savethechildrensweden.org brochura para auxiliar parlamentares, Save the
Ministério Sueco da Saúde e Bem-estar Social, Children Reino Unido, Londres
Ministério das Relações Exteriores (2001) Ending
Corporal Punishment: Swedish experience of efforts to Guias para a promoção da
prevent all forms of violence against children - and the
results, Estocolmo
paternidade/maternidade e educação
positivas
Harper, K (1999) We Can Work It Out: Parenting with
Ferramentas práticas para a defesa confidence and Let's Work Together : Managing
Christian Aid, NSPCC, Save the Children Reino children's behaviour (1996) Save the Children Reino
Unido, People in Aid, Every Child, Tearfund (2003) Unido (versão inglesa de pacotes de treinamento e
Setting the Standard: A common approach to child brochura para pais que foram traduzidos para o
protection for international NGOs. Para obter uma espanhol e adaptados à região pela Save the Children
cópia, envie um e-mail para info@peopleinaid.org Reino Unido na Colômbia)

Global Initiative to End All Physical and Humiliating Aliança Internacional Save the Children (2003)
Punishment of Children (2002) Hitting People is Wrong Prompting Non-Violent Upbringing and Education of
and Children are People Too, um manual prático Children: training of key actors in Peru and Bolivia, Peru,
disponível para download em arquivo de PDF em www.scslat.org
www.endcorporalpunishment.org ou mande um e- Save the Children Espanha, Unicef, Ceapa e Concapa
mail para info@endcorporalpunishment.org. A (2004) Educate, Do Not Punish, manual de treinamento
Iniciativa Global tem um corpo considerável de para pais, campanha espanhola contra o castigo físico
informações sobre a defesa da reforma jurídica e de crianças, traduzido para o inglês pela Save the
ficará contente em responder suas dúvidas. Children Suécia. Uma versão adaptada para a
It Never Did Me Any Harm. Answering Common América do Sul e Central, intitulada Educar sin pegar,
Defences of Physical Punishment, manual para la formación, foi elaborada pela Save the
www.endcorporalpunishment.org Children Suécia e pela Paniamor na Costa Rica,
www.scslat.org
Save the Children Estados Unidos (2004) Designing
Advocacy Strategies, www.savethechildren.us Save the Children Espanha, Unicef, Ceapa e Concapa
(2004) Educate, Do Not Punish, manual de treinamento
Save the Children Suécia (2005) Ending Physical and
para pais, campanha espanhola contra o castigo físico
Humiliating Punishment of Children: Making it happen,
de crianças, traduzido para o inglês pela Save the
Folheto de atuação do Grupo de Tarefa sobre o
Children Suécia. Uma versão adaptada para a

111
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

América do Sul e Central, intitulada Educar sin pegar, Save the Children Suécia (2002) Spare the Rod: Raise a
manual para la formación, foi elaborada pela Save the healthy child, Escritório Regional para a África
Children Suécia e pela Paniamor na Costa Rica, Oriental e Central
www.scslat.org Save the Children Reino Unido (2001a) Ending
Save the Children Reino Unido et al (1999) All Right at Physical Punishment of Children: Making it happen,
Home: Promoting respect for the human rights of children Análise de briefing, Londres
in the family, Londres Save the Children Reino Unido (2003b) Pôsters
Verdiani, Antonella (2003) Best practice of NonViolent sobre paternidade positiva; visões das crianças sobre
Conflict Resolution in and out-of-school - some examples. a palmada na Inglaterra, Irlanda do Norte, País de
http://portal.unesco.org/education/en/ ev.php- Gales e Escócia (2001/2/3/)
URL_ID=3359

Informações gerais sobre a participação


Materiais de campanha sobre o castigo da criança
físico e humilhante Article 31 Action Pack (1995) Children's Rights and
Bhandari, N e Karkara, R (2005) Regional capacity Children's Play. Play Train, Birmingham, Reino Unido
building and advocacy workshop on positive discipline Fewkes, J H and Bhat, M S (2002) Our Voices: Are you
techniques. Save the Children Suécia Centro/Sul da listening? Children's committees for village development,
Ásia. Save the Children Reino Unido, Índia
Save the Children Romênia (2004) Romanian campaign Johnson,V et al (eds) (1999) Stepping Forward: Children
against child abuse, folheto e poster, Bucareste and young people's participation in the development
Save the Children Espanha, Unicef, etc. (1999) process, Intermediate Technology Publication,
Educate, Do Not Punish, manifesto da campanha pública Londres
(www.savethechildren.es) O'Kane, C (2003) Children and Young People as
Save the Children Espanha, Unicef, etc. (1999) Citizens: Partners for social change, Save the Children
Educate, Do Not Punish. Guia geral da campanha Reino Unido Centro e Sul da Ásia
espanhola pela erradicação do castigo corporal Rajbhandary, J (2002) Learning with Children: The
(www.savethechildren.es) experiences of Save the Children UK in Nepal, Boletim
Save the Children Espanha, Unicef, etc. (1999) Informativo do CRIN sobre a Participação de
Educate, Do Not Punish. Campanha espanhola pela Crianças e Jovens
erradicação do castigo corporal guia para os pais
(www.savethechildren.es)
Save the Children Espanha, Unicef, etc. (1999) Guias práticos sobre a participação da
Educate, Do Not Punish. Folheto e pôster da campanha criança
espanhola pela erradicação do castigo corporal
Shephard, C e Treseder P (2002) Participation Spice it
(www.savethechildren.es)
Up! Practical tools for engaging children and young people
Save the Children Espanha, Ombudsman para in planning and consultations, Achub Y Plant/Save the
Crianças em Madri (2000) Educate, Do Not Punish. Children Reino Unido, Programa do País de Gales.
História em quadrinhos para pais e crianças
Mediation UK (1998) Mediation Works! Conflict
(www.savethechildren.es)
resolution and peer mediation manual for secondary
Sloth-Nielsen, J (2002) A plea to end corporal schools and colleges, Bristol
punishment in South Africa Art. Nr:30 54
Miller, J (1996) Never Too Young: How children can take
(www.savethechildrensweden.org)
responsibility and make decisions, National Early Years
Network e Save the Children, Londres

112
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

Pretty, J, Gujit, I,Thompson, J e Scoones, I (1995) Morrow,V e Richards, M (1996) 'The Ethics of Social
Participatory Learning and Action: A trainer's guide, IIED, Research with Children: an Overview', Children &
Londres Society Vol. 10, 90-105
Save the Children Reino Unido (2000a) Children are RWG-CL (2003) Handbook for Action-oriented
Service Users Too: A guide to consulting children and Research on the Worst Forms of Child Labour, including
young people, Londres Trafficking in Children, Grupo de Trabalho Regional
Save the Children Reino Unido (2000b) Guiding sobre o Trabalho Infantil, Bangkok
Principles for Facilitating Children's Organisations, Theis, J e Grady H (1991) Participatory Rapid Appraisal
Londres for Community Development: A training manual based on
Save the Children Reino Unido (2001c) Theatre for experiences in the Middle East and North Africa, IIED e
Development Training Manual, Escritório para o Save the Children (EUA), Londres
Centro e Sul da Ásia, CD Worrall, S (2000) Young People as Researchers: A
learning resource pack, Joseph Rowntree Foundation e
Save the Children Reino Unido, York e Londres
Ferramentas para pesquisas com
crianças
Ferramentas para a avaliação do
Black, M (1997) Child Domestic Workers. A handbook
for research and action, Anti-Slavery International,
impacto
Londres Child labour: Getting the message across, publicado pelo
Boyden, J and Ennew, J (eds) (1997) Children in Focus: Grupo de Trabalho Regional sobre o Trabalho
A manual for participatory research with children, Save Infantil em 2001 (www.seapa.net)
the Children Suécia, Estocolomo Sabatini, Fabio (2002) The Human Rights Approach to
Ennew, J e Plateau, D P (2004) How to Research the Programming: What have we learnt?,
Physical and Emotional Punishment of Children, Aliança (http://w3.uniroma1.it/soccap/eng-index.htm)
Internacional Save the Children região do Sudeste e Save the Children Suécia (2004) Indicators to measure
Leste da Ásia e Pacífico. Disponível para download the impact of the UN study on violence against children.
em: www.seapa.net www.rb.se
Supporting Children's Meaningful and Ethical Participation Save the Children Reino Unido (2003a) A Framework
(2003) Uma série de kits de ferramentas produzidos for Assessing the Impact of Programme Work on
pela Save the Children para a colaboração das Children's Rights, Global Impact (GIM), Londres
crianças no Estudo das Nações Unidas sobre a Save the Children Reino Unido (2004) Some helpful
Violência contra Crianças notes on impact assessment, Londres
Kirby, P (1999) Involving Young Researchers. How to
enable young people to design and conduct research,
Joseph Rowntree Foundation e Save the Children, Páginas da internet
York e Londres
O Child Protection Index da intranet da Save the
Laws, S com Harper C e Marcus, R (2002) Research
Children Reino Unido disponibiliza links para
for Development: A practical guide, Sage e Save the
materiais de leitura internos e externos e links sobre
Children, Londres
a proteção da criança
Laws, S e Mann, G (2004) So You Want to Involve
Child Rights Information Network (CRIN):
Children in Research? A toolkit supporting children's
www.crin.org
meaningful and ethical participation in research relating to
violence against children, Save the Children ELDIS guia de desenvolvimento e fontes de
Suécia, Estocolmo participação: www.ids.ac.uk/eldis.html

113
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

Grupo de participação do Institute of Development A AskDrSears.com (www.askdrsears.com) é uma


Studies (IDS):www.ids.ac.uk/ids/participation página formulada por uma família de pediatras que
National Children's Bureau: fornece conselhos e artigos sobre uma gama de
www.ncb.org.uk/projects/projpart.htm questões relacionadas à saúde de crianças de todas as
idades. A seção “disciplina e comportamento”
Resource Centres for Participatory Learning and contém mais de 40 artigos sobre como lidar com o
Action Network (RCPLA): www.nuredu/rcplas comportamento problemático das crianças sem
Save the Children Alliance: www.savethechildren.net recorrer ao castigo físico. Os tópicos incluem “Top
Save the Children Espanha: www.savethechildren.es ten discipline principles” (Os dez princípios de
disciplina mais importantes) e “What is discipline” (O
Save the Children Reino Unido: que é disciplina) e um artigo ampliado sobre
www.savethechildren.org.uk palmadas com os títulos “10 reasons not to hit your
Save the Children Suécia: www.rb.se child” (10 motivos para você não bater no seu filho),
www.childrenareunbeatable.org.uk “8 admonitions to parents who choose to spank” (8
admoestações para pais que escolhem dar palmadas)
www.endcorporalpunishment.org e “Signs you need professional help about discipline”
www.seapa.net (Sinais de que você precisa de ajuda profissional
sobre a disciplina).
A Attachment Parenting International
Recursos para pais e professores (www.attachmentparenting.org) promove um estilo
de paternidade/maternidade direcionado para a
sobre disciplina sem castigo físico prevenção da violência por meio do cuidado
disponíveis na Internet empático de crianças mais novas e baseado nos 8
“ideais”, um dos quais é a disciplina positiva. Os
A Alliance for Transforming the Lives of Children
recursos disponíveis na página incluem uma seção útil
(www.atlc.org) é um grupo interdisciplinar de
de perguntas freqüentes (FAQ).
especialistas e pais que promovem formas de
paternidade/maternidade não-punitivas e protegem as A página do Aware Parenting Institute
crianças contra a violência física e emocional. Os (www.awareparenting.com) promove a abordagem à
princípios centrais dessa abordagem estão esboçados paternidade/maternidade defendida pela psicóloga
no artigo “Proclamation and blueprint for transforming desenvolvimentista Aletha Solter e baseada no estilo
the lives of children: principles and actions for creating the da paternidade/maternidade do vínculo (attachment
foundations for optimal physical, emotional, intellectual, parenting), disciplina não-punitiva e prevenção e cura
social, and spiritual development” (Proclamação e do estresse e trauma. A disciplina é baseada no
projeto para a transformação das vidas das crianças: reconhecimento e compreensão das necessidades e
princípios e ações para a criação das fundações para o sentimentos da criança e no desenvolvimento de uma
ótimo desenvolvimento físico, emocional, intelectual, comunicação não-violenta com a criança, em vez de
social e espiritual), que se encontra disponível na um sistema de recompensas e punições. Os artigos
página da Aliança. disponíveis na página incluem Principles of aware
parenting (Princípios da paternidade/maternidade
A American Academy of Paediatrics (www.aap.org)
consciente), Twenty alternatives to punishment (Vinte
produziu um trabalho útil sobre políticas, intitulado
alternativas ao castigo) e Breaking the cycle of violence
“Guidance for effective discipline” (Orientação para a
an interview with Aletha Solter (Rompendo o ciclo da
disciplina efetiva) e direcionado para pediatras que
violência entrevista com Aletha Solter).
trabalham com famílias. O artigo recomenda uma
abordagem desenvolvimentista para a disciplina A Behaviour UK (www.behaviouruk.com) é um
baseada em um relacionamento positivo, apoiador e recurso sediado no Reino Unido e destinado a
carinhoso entre pais e filhos, o uso encorajador de professores do ensino primário e secundário. A
estratégias de reforço positivas e formas de evitar o equipe desenvolveu o software Interactive Conduct File
castigo.

114
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

(Arquivo da conduta interativa), que é recomendado desafiador), Coping with tricky times: conflict resolution
como parte da estrutura da in adult/child relationships (Enfrentando épocas
disciplina/comportamento de qualquer escola. Esse complicadas: resolução de conflitos nas relações
recurso tem o objetivo de capacitar os alunos a adulto/criança), Children and difficult behaviour
pensar, refletir e tratar seu próprio comportamento, (Crianças e comportamento problemático) e Children
baseando-se nas abordagens psicológicas da terapia and the stress of parenting (As crianças e o estresse da
do comportamento e da terapia da realidade. A paternidade/maternidade). Muitos recursos estão
página oferece uma amostra gratuita do software e disponíveis em francês e inglês.
contém vários artigos úteis sobre a disciplina positiva A Children are unbeatable! Alliance
e administração da sala de aula, incluindo Creating a (www.childrenareunbeatable.org.uk) é uma aliança de
good behaviour climate in a school (Criando um clima mais de 350 organizações e projetos que fazem
do bom comportamento na escola), Managing difficult campanha pela abolição legal das palmadas. Ela
groups in school (Administrando grupos difíceis na promove uma disciplina positiva que é baseada na
escola) e Circle time can promote positive behaviour relação afetiva entre crianças e pais; parte do
within a junior school (O tempo circular pode pressuposto de que as crianças querem se comportar
promover o comportamento positivo no segundo bem; enfoca e espera um bom comportamento;
ciclo do ensino básico). certifica-se de que as crianças entendem o que é isso
A Canadian Society for the Prevention of Cruelty to e por quê; e recompensa as crianças pelo
Children publica artigos contra o castigo físico de comportamento aceitável e as motiva a continuar
crianças e promove a paternidade/maternidade tentando. A página contém uma lista de livretos,
positiva na página Empathic Parenting folhetos e outros recursos disponíveis de várias
(www.empathicparenting.org). Essa abordagem organizações. O texto integral do livreto Hitting
fundamenta-se na habilidade do pai ou da mãe de People is Wrong (Bater nas Pessoas é Errado), que
identificar os sentimentos da criança e de se inclui informações sobre os princípios da disciplina
comportar de maneiras que levem tais sentimentos positiva, está disponível na página da Rede de
em conta. Artigos úteis incluem Physical punishment in Informações sobre os Direitos das Crianças
the home (O castigo físico no lar) e Spanking: a (www.crin.org).
shortcut to nowhere (Palmadas: um atalho para lugar O Classroom Management Online
nenhum), ambos escritos pela psicóloga Penelope (www.classroommanagementonline.com) é um curso
Leach. online de aprendizado à distância sobre a
A Child and Family Canada (www.cfc-efc.ca) contém administração da sala de aula e a prevenção e
uma coleção extensa de artigos sobre administração do comportamento destrutivo dirigido
paternidade/maternidade e vida familiar, incluindo pelo professor Howard Seeman da City University,
mais de cinqüenta sobre o assunto da disciplina, Nova York, e baseado no seu livro Preventing
vindos de diversas organizações. A instituição Classroom Discipline Problems (Evitando Problemas de
recomenda o uso da disciplina positiva e a exclusão Disciplina na Sala de Aula). A página está disponível
no castigo físico dos métodos de paternidade usados. em inglês, espanhol, alemão, italiano, francês e
Algumas das áreas-chave abordadas são: meios de se português. Também existe uma página dedicada ao
lidar com a fúria dos pais; abordagens para a manual e à versão em CD/vídeo do programa
administração do comportamento de crianças — da (www.panix.com/~pro-ed/), o qual vem sendo usado
infância à adolescência; a importância de se respeitar nos EUA, no Canadá e em muitos outros países,
os sentimentos da criança e de fazê-las se sentir bem inclusive Japão, Gana, México, Malásia e Kuait. A
consigo mesmas e a comunicação com crianças de página contém questionários gratuitos para a equipe
forma amável e respeitosa. Entre os artigos estão de ensino e ajuda online gratuita para questões
Parenting teens: are we having fun yet? (Educando específicas. A abordagem à disciplina é não-punitiva,
adolescentes: ainda estamos nos divertindo?), Tips for dando peso às recompensas e prevenção e fazendo
parenting children with challenging behaviour (Dicas para uma distinção entre a disciplina e os problemas
a educação de crianças com comportamento educacionais.

115
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

A Education World (www.educationworld.com) é uma A Fight Crime: Invest in Kids (www.fightcrime.org) é


página estabelecida nos EUA que fornece uma coleção uma página de um grupo de oficiais executores da lei,
extensa de recursos relacionados ao desenvolvimento vítimas da violência e acadêmicos dos Estados Unidos,
e à disciplina da criança, destinada principalmente a que fornece treinamento em técnicas de
professores. Os artigos incluem entrevistas com paternidade/maternidade sem o recurso ao castigo
vários autores de livros sobre a disciplina positiva e físico. A abordagem é baseada em pesquisas que
técnicas de administração da sala de aula. Uma gama mostram que o uso dessas técnicas em famílias de
de tópicos relacionados à disciplina e comportamento alto risco ajuda a evitar o abuso e a negligência e
são discutidos, incluindo Carrots or sticks? Alfie Kohn on reduz crimes violentos na fase adulta. Os recursos
rewards and punishment (Cenouras ou varas? Alfie disponíveis na página incluem o relatório New hope for
Kohn sobre recompensas e castigo), Creating a climate preventing child abuse and neglect: proven solutions to
for learning: Effective classroom management (Criando save lives and prevent crime (Novas esperanças para a
um clima para o aprendizado: administração eficaz da prevenção do abuso e negligência de crianças:
sala de aula) e How responsive classroom practices work soluções comprovadas para salvar vidas e prevenir o
(Como as práticas de sala de aula responsiva crime).
funcionam). Existe um banco de dados com quase 100 A The Forbidden Issue (www.alice-millercom) é uma
recursos de administração da sala de aulas para página de Alice Miller, autora de For your own good: the
professores, e links úteis para outras páginas. roots of violence in child rearing (Para o seu próprio
Eli Newberger é pediatra e autor de The Men They Will bem: as raízes da violência na educação de crianças) e
Become: The nature and nurture of male character (Os de muitos outros livros sobre os danos que o castigo
homens que eles se tornarão: a natureza e a criação físico causa às crianças. Os recursos da página
do caráter masculino), um livro sobre a educação de incluem resumos desses livros, bem como artigos
meninos e o fortalecimento do caráter. O capítulo 6, sobre métodos de paternidade/maternidade não-
Discipline and punishment (Disciplina e punição), está punitivos, incluindo The roots of violence (As raízes da
disponível na sua página (http://elinewberger.com). Ele violência), Spanking is counterproductive and dangerous
apresenta uma visão crítica dos efeitos do castigo (Palmadas são contraproducentes e perigosas) e Every
físico de meninos, explora algumas das alternativas smack is a humiliation (Cada palmada é uma
disponíveis a tal castigo e explica uma abordagem humilhação).
chamada Disciplina Indutiva, que se centra na relação A Gentle Christian Mothers
de amor básica entre o pai/tutor e a criança, além de (www.gentlemothering.com) fornece uma perspectiva
incluir a distinção entre sentimentos e cristã para a paternidade não-violenta, baseada na
comportamento e a importância da razão no abordagem da paternidade do vínculo (attachment
estabelecimento de regras aceitas por meninos. parenting). Os recursos disponíveis incluem os artigos
A Family Works Inc. (www.familyworksinc.com) Discipline for toddlers (Disciplina para crianças
desenvolveu o Parenting Wisely, um programa pequenas) e Choosing to spank (Escolhendo dar
interativo em CD-ROM projetado para pais de palmadas).
crianças entre 8 e 18 anos, incluindo versões para A página da Global Initiative to End All Corporal
crianças pequenas, adolescentes e aqueles que estão Punishment of Children
em abrigos e em assistência domiciliar. O programa, (www.endcorporalpunishment.org), contém
que vêm sendo usado no Reino Unido, Estados informações sobre o progresso mundial em direção à
Unidos, Canadá e Caribe, elucida como lidar com proibição jurídica de todas as formas de castigo físico
situações de estresse com crianças sem recorrer ao de crianças em todos os ambientes, incluindo em
castigo físico. A página contém informações extensas casa, e sobre os direitos humanos e o castigo físico,
sobre pesquisas que sustentam a abordagem, bem bem como uma seção de links para uma ampla gama
como amostras do próprio software de de recursos da internet sobre a disciplina positiva.
paternidade/maternidade interativa.
A página da Gordon Training International
(www.gordontraining.com) fornece informações

116
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

sobre o Treinamento da Eficácia para Pais concebido /parentsupport/madressahs.shtml), estabelecido em


por Thomas Gordon junto a uma seção de recursos Kirklees, Reino Unido, produziu uma brochura
gratuitos, incluindo What every parent should know (O esboçando uma perspectiva muçulmana sobre a
que todo pai deve saber). A seção escolar fornece paternidade/maternidade não-violenta e descreve
informações sobre o Treinamento de Eficácia para como tal abordagem é sustentada pelo Islã.
Professores e vários artigos que promovem técnicas Marvin Marshall (www.MarvinMarshall.com)
de disciplina não-punitiva, incluindo What every teacher desenvolveu o Raise Responsibility System (Sistema de
should know (O que todo professor deve saber) e fortalecimento da responsabilidade), destinado a pais
Listen Up! Helping children deal with difficult emotions e professores, para a disciplina de crianças sem o uso
(Preste Atenção! Ajudando as crianças a lidar com das recompensas e punições. O sistema é baseado no
emoções difíceis). ensino e entendimento dos quatro níveis de
A página do Institute for Peace and Justice (www.ipj- desenvolvimento do comportamento, tornando as
ppj.org) inclui a Parenting for Peace (Paternidade pela crianças aptas a fazer escolhas guiadas. Artigos úteis
Paz) e a Justice Network (Rede da Justiça), uma da página incluem: How to discipline without stress,
associação inter-religiosa de famílias que buscam bem- punishments or rewards and promote responsibility
estar, completude, paz e justiça para si próprias e para (Como disciplinar sem estresse, punições ou
outros, e que se opõem ao castigo físico. Também recompensas e promover a responsabilidade), How to
inclui a Families Against Violence Advocacy Network create a learning community (Como criar uma
(Rede de Advocacia das Famílias Contra a Violência), comunidade de aprendizado), Rethinking our thinking
que promove a disciplina não-violenta e publica livros on discipline: empower rather than overpower
e outros recursos para pais, incluindo um voto da (Repensando nossa concepção sobre a disciplina:
família e um manifesto, e recursos para escolas. permitir sem ser permissivo) e Promoting learning:
O neuropsicólogo desenvolvimentista James W. rules vs. expectations (Promovendo o aprendizado:
Prescott (www.violence.de) acredita que as causas da regras versus expectativas).
violência social remetem ao castigo físico e à negação A National Association for Prevention of Child Abuse and
do prazer físico durante a infância. A página inclui Neglect in Australia (www.napcan.org.au) produziu
informações sobre pesquisas que sustentam essa vários recursos para pais, incluindo Children and
posição e artigos que promovem a discipline (As crianças e a disciplina), Use words that
paternidade/maternidade não-violenta, incluindo Body help not hurt (Use palavras que ajudem a não
pleasure and the origins of violence (O prazer físico e as machucar), 30 ways to boost a child's confidence (30
origens da violência) e Child abuse in America: Slaughter maneiras de estimular a auto-confiança de uma
of the innocents (Abuso infantil na América: o massacre criança) e Alternatives to hitting children — or any other
dos inocentes). Os artigos estão disponíveis em kind of physical punishment (Alternativas às palmadas
inglês, alemão, francês e holandês. ou qualquer outro tipo de castigo físico de crianças).
A Kelly's Attachment Parenting (www.kellymom.com) O National Family and Parenting Institute
foi estabelecida por um pai para fornecer informações (www.nfpi.org) é um instituto de caridade
baseadas em evidências sobre a independente do Reino Unido que apóia pais na
paternidade/maternidade do vínculo (attachment educação de crianças sem o uso do castigo físico,
parenting). A página contém vários artigos embora não condene explicitamente as palmadas. A
relacionados à paternidade não-violenta e não- seção dos pais (www.e-parents.org), que fornece
punitiva, uma seção de links para outras páginas sobre conselhos e informações para pais e promove a
o assunto e detalhes sobre um livro ainda no prelo disciplina não-violenta, inclui The behaviour directory
sobre a disciplina gentil. Artigos úteis incluem (O diretório do comportamento), uma revista
Parenting toddlers (Educando crianças pequenas). eletrônica útil de apoio e materiais de
O Kirklees Parenting Support Forum aconselhamento de várias fontes, todas as quais
(www.kirklees.gov.uk/community/health- promovem alternativas às palmadas e gritos.
care/childrenandfamilies

117
ERRADICANDO O CASTIGO FÍSICO E HUMILHANTE CONTRA A CRIANÇA: TORNANDO REALIDADE M A NU A L DE A ÇÃ O

A National Society for the Prevention of Cruelty to O Northwest Regional Education Laboratory dos Estados
Children (www.nspcc.org.uk), do Reino Unido, realiza Unidos (www.nwrel.org) produziu uma perspectiva
campanhas pelas abordagens de paternidade / sobre o aperfeiçoamento da disciplina na escola e na
materniadade não-violentas e em 2002 organizou a sala de aula como parte de sua Série de Pesquisas
primeira campanha educacional de larga escala do sobre o Aperfeiçoamento Escolar. O Schoolwide and
Reino Unido contra o castigo físico. Os recursos Classroom Discipline (Disciplina Escolar e em Sala de
disponíveis na página incluem Toddler tips: for parents Aula) relata descobertas feitas por pesquisas que
by parents (Dicas para crianças pequenas: para pais e identificaram a sala de aula eficaz e práticas
por pais), Not naughty but normal (Não desobediente disciplinares para o nível escolar, e recomenda que o
mas normal), Encouraging better behaviour: A practical castigo físico seja evitado.
guide to positive parenting (Encorajando um A página No Spanking (www.neverhitachild.org)
comportamento melhor: um guia prático para a contém uma lista de links para artigos disponíveis na
paternidade/maternidade positiva) e Listening to internet que promovem a disciplina positiva e não-
children (Escutando as crianças). A NSPCC também punitiva, além de um artigo introdutório de Murray
fornece relatórios e recursos para professores e A. Straus, Hitting a child is wrong and a child never, ever
produziu orientações sobre a disciplina positiva para under any circumstances should be hit (Bater em uma
profissionais, reunidas em Encouraging positive discipline criança é errado e uma criança nunca deve apanhar
(Encorajando a disciplina positiva). em circunstância alguma).
A página do Natural Child Project A Parenting Teens (http://parentingteens.about.com)
(www.naturalchild.org) contém recursos extensos comprovou uma gama de conselhos da mãe Denise
sobre a paternidade do vínculo (attachment parenting) Witmer sobre métodos de disciplina positiva, bem
e abordagens não-punitivas à disciplina, incluindo os como artigos sobre estilos de comunicação eficazes
artigos Tough love (Amor difícil) The influence of para pais e adolescentes.
corporal punishment on crime (A influência do castigo
físico no crime), The relationships between feelings and A Parenting without Punishing (www.nopunish.net) é
behaviour (As relações entre sentimentos e uma página de Norm Lee, que realiza campanhas
comportamento), The feelings of children (Os contra o castigo físico e que desenvolveu o Novo
sentimentos das crianças) e The fear of being permissive Paradigma Não-Punitivo de Paternidade (NN-PPP),
(O medo de ser permissivo). Os materiais estão baseado em princípios de respeito pelas crianças
disponíveis em inglês e português. enquanto seres humanos pensantes e com
sentimentos, e que são membros plenos da família, e
O New South Wales Centre for Parenting and Research na Disciplina Democrática. Os recursos disponíveis
(www.parenting.nsw.gov.au) produziu vários artigos na página incluem o texto integral do livro de Lee,
úteis sobre a disciplina sem o uso do castigo físico, Parenting without Punishing (Educando sem punir).
incluindo: Positive discipline (Disciplina positiva),
Discipline: where do I start? (Disciplina: onde começo?), A Positive Discipline.com (www.positivediscipline.com)
Discipline for toddlers: getting a handle on toddler contém recursos para pais e professores baseados no
behaviour (Disciplina para crianças pequenas: lidando trabalho de Jane Nelsen, uma palestrante e escritora
com o comportamento de crianças pequenas) e You de assuntos relativos à educação de crianças sem o
can't make me! Developing responsibility (in teenagers) uso da disciplina física. Os recursos para pais incluem
(Você não pode me obrigar! Desenvolvendo a o folheto What is positive discipline? (O que é disciplina
responsabilidade (em adolescentes)). positiva?), e os artigos Positive discipline guidelines
(Diretrizes para a disciplina positiva), 18 ways to avoid
A New South Wales Commission for Children and Young power struggles (18 maneiras de evitar disputas pelo
People (www.kids.nsw.gov.au) fornece folhetos de poder) e How do you motivate a teen? (Como motivar
informações para pais, incluindo, Listening to children um adolescente?). Artigos para professores incluem:
(Escutando as crianças) e Raising children (Educando as Positive time out (Tempo limite positivo), No more
crianças). logical consequences (Chega de conseqüências lógicas),
Planting seeds of change through positive discipline

118
REFERÊNCIAS E RECURSOS ADICIONAIS

(Plantando as sementes da mudança por meio da quais incluem o conselho "nunca bata em uma
disciplina positiva) e The spin-offs of positive discipline criança". Artigos úteis incluem: Tantrum taming tips
(As viradas da disciplina positiva). (Dicas para se domesticar acessos de raiva) e 1-4 yrs:
O Positive Discipline Resource Centre Bully or attention-seeker ? (1 a 4 anos: Intimidação ou
(http://joanneaz_2.tripod.com/positivedisciplineresour busca de atenção?).
cecentre) é uma página orientada pelo cristianismo A Save the Children Reino Unido
que oferece recursos sobre como lidar com o (www.savethechildren.org.uk) promove formas de
comportamento das crianças sem o recurso ao lidar com o comportamento das crianças sem
castigo físico. Ela inclui uma seção de livros recorrer ao castigo físico, direcionadas a pais e outros
recomendados e os artigos Proactive and responsive tutores. Sua abordagem à disciplina positiva é baseada
discipline (Disciplina pró-ativa e responsiva) e A study na boa comunicação e nos direitos das crianças de se
of The Rod scriptures: Do Christians have to spank? (Um expressar, aprender e desenvolver, enquanto também
estudo das escrituras sobre o castigo: Os cristãos reconhecendo que os pais têm o direito de
devem bater?) estabelecer limites ao comportamento aceitável. Os
A Positive Parenting On-line recursos disponíveis na página incluem a brochura We
(www.positiveparenting.com) fornece conselhos para can work it out: parenting with confidence (Nós
pais e artigos sobre alternativas ao castigo físico para podemos encontrar uma solução: a paternidade com
pais, professores e outros tutores, incluindo 9 things confiança).
to do instead of spanking (9 coisas a se fazer em vez de No Brasil, a campanha “A Palmada Deseduca”
se bater), Deciding to spare the rod (Decidindo (www.usp.br/ip/laboratorios/lacri/nonviolent.htm),
castigar) e 10 keys to successful parenting (10 chaves sediada na Universidade de São Paulo e liderada pela
para a paternidade bem-sucedida). doutoras Maria Amália Azevedo e Viviane Nogueira
O Projeto NoSpank (www.nospank.net) é uma página de Azevedo Guerra, almeja abolir o castigo físico de
dos Pais e Professores Contra a Violência na crianças e criar uma pedagogia não-violenta para a
Educação, dirigido por Jordan Riak nos Estados educação na família. A página inclui informações sobre
Unidos. Ela inclui uma coleção extensa de artigos pesquisas históricas e empíricas, e um curso de
sobre todos os aspectos do castigo físico de crianças, estudo que está em andamento e envolve pesquisas,
incluindo: Spanking teaches wrong lessons (Bater ensina reformas jurídicas e conscientização educacional.
lições erradas), How children really react to control O UNICEF (www.unicef.org) desenvolveu orientação
(Como as crianças reagem realmente ao controle), online sobre a proteção da criança para professores,
Effects of spanking a brief summary (Efeitos das que inclui o desenvolvimento da disciplina apropriada
palmadas um resumo conciso) e An alternative to em sala de aula veja o artigo Child protection: discipline
spanking? (Uma alternativa às palmadas?). Muitos and violence (Proteção da criança: disciplina e
artigos estão disponíveis em inglês, francês e espanhol. violência). Outros recursos úteis incluem: Co-operative
A seção cristã do Projeto NoSpank, Cristãos pela learning (Aprendizado cooperativo), Beliefs about a
Paternidade Não-Violenta constructive learning environment (Opiniões sobre um
(www.nospank.net/cnpindex.htm), inclui informações ambiente de aprendizado construtivo) e International
sobre livros recomendados, recursos cristãos para a skills for learning (Técnicas internacionais para o
paternidade positiva e links para outras páginas que se aprendizado).
opõem ao castigo físico partindo de uma perspectiva A Whole Family Attachment Parenting Association
cristã. Os artigos incluem: The Bible and positive (http://members.tripod.com/~JudyArnall/index.html) é
parenting: highlights from excellent articles (A Bíblia e a uma página canadense com informações sobre a
paternidade positiva: destaques de artigos excelentes). paternidade/maternidade do vínculo (attachment
A Raising Kids (www.raisingkids.co.uk) é uma página parenting), baseada na disciplina positiva, que
estabelecida no Reino Unido que promove formas disponibiliza links para outras páginas relevantes.
não-punitivas de disciplina de crianças, por meio de
conselhos de especialistas e dicas de pais, todos os

119
Erradicando o Castigo Físico
e Humilhante contra a Criança:
Manual de Ação
Este Manual de Ação foi projetado para orientar os programas nos países, a
equipe e os parceiros da Save the Children e outras organizações no
desenvolvimento de estratégias para combater o castigo físico e humilhante. Ele
incorpora exemplos de boas práticas de programas de diferentes países,
incluindo o conhecimento e as experiências atuais da equipe da Aliança Save the
Children e de seus parceiros que trabalham com esse problema.
Ele também destaca questões-chave a serem consideradas; descreve
estratégias que devem ser incluídas no planejamento e implementação de
programas, além de fornecer listas de recursos e contatos úteis. Ele será útil nos
estágios de planejamento, implementação e avaliação, e foi projetado para ser
usado com flexibilidade e adaptado às necessidades locais.
O Manual usa os princípios dos direitos humanos das crianças para avaliar,
planejar, gerenciar, implementar e monitorar programas, com o objetivo geral de
atingir um maior conhecimento e cumprimento desses direitos.

Com certeza, há muito a ser feito. Mas nada pode justificar a inação para lidar com
esse problema sério quando já existe tanta informação sobre como evitar o castigo
físico e humilhante contra as crianças.
Não espere mais, leia este Manual de Ação da Save the Children
e transforme-o em realidade!
PROF. PAULO SÉRGIO PINHEIRO
ESPECIALISTA INDEPENDENTE PARA O ESTUDO DA ONU SOBRE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA

Este Manual fornece um amplo conjunto de ações que podem realmente contribuir
para erradicar o castigo físico e humilhante contra crianças. Você deseja tornar isso
uma realidade? Use este Manual!
JAAP E. DOEK
PRESIDENTE DO COMITÊ DA ONU SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA

Você também pode gostar