Você está na página 1de 21

1.

(UnB) Dentro de um iglu, a temperatura é maior que a temperatura do ar atmosférico que


o circunda. De posse da informação acima, julgue os itens a seguir.

(1) Colocando no fogo uma extremidade de um objeto metálico comprido, a temperatura da


outra extremidade logo fica alta.
(2) O gelo, sendo isolante, não permite a passagem de calor de dentro para fora do iglu.
(3) Quando usamos qualquer tipo de roupa, criamos um isolante térmico entre o corpo e o
ambiente, não permitindo troca de calor.

2.(UFMG) Uma garrafa térmica, do tipo das usadas para manter café quente, consiste em
um recipiente de vidro de parede dupla com vácuo entre as paredes. Essas paredes são
espelhadas. O vácuo e as paredes espelhadas são usados para dificultar a transmissão de
calor, estando relacionados com uma ou mais formas de transmissão. Assinale a alternativa
que relaciona corretamente as características da garrafa térmica com as formas de
transmissão de calor que essas características tentam impedir.

a) parede espelhada  condução, vácuo  radiação.


b) parede espelhada  condução, vácuo  radiação e convecção.
c) parede espelhada  radiação, vácuo  condução e convecção.
d) parede espelhada  radiação, vácuo  radiação, condução e convecção.

1|
3.(ACAFE) Preparar um bom churrasco é uma arte e, em todas as famílias, sempre existe
um que se diz bom no preparo. Em algumas casas a quantidade de carne assada é grande e
se come no almoço e no jantar. Para manter as carnes aquecidas o dia todo, alguns utilizam
uma caixa de isopor revestida de papel alumínio. A figura a seguir mostra, em corte lateral,
uma caixa de isopor revestida de alumínio com carnes no seu interior.

Considerando o exposto, assinale a alternativa correta que completa as lacunas das frases a
seguir.
A caixa de isopor funciona como recipiente adiabático. O isopor tenta __________ a troca
de calor com o meio por __________ e o alumínio tenta impedir __________.

a) impedir – convecção – irradiação do calor


b) facilitar – condução – convecção
c) impedir – condução – irradiação do calor
d) facilitar – convecção – condução

4.(G1/IFSP) Observando um refrigerador, a geladeira comum de sua casa, um aluno


escreveu as seguintes afirmações:

I. A energia na forma de calor que sai dos alimentos chega ao congelador pelo processo de
convecção na maior proporção e muito pouco por radiação.
II. O congelador está situado na parte superior para receber o ar aquecido pelo calor dos
alimentos.
III. As camadas que formam as paredes da geladeira são intercaladas por material isolante
para evitar a entrada de calor por condução.
IV. Os espaços internos são divididos por grades vazadas que facilitam o movimento por
convecção das massas do ar quente e frio.
As afirmativas corretas são:

a) I, II, III e IV. b) I, II e III, apenas. c) II e IV, apenas.


d) II, III e IV, apenas. e) III e IV, apenas.

2|
5.(UNESP) O topo da montanha é gelado porque o ar quente da base da montanha, regiões
baixas, vai esfriando à medida que sobe. Ao subir, o ar quente fica sujeito a pressões
menores, o que o leva a se expandir rapidamente e, em seguida, a se resfriar, tornando a
atmosfera no topo da montanha mais fria que a base.
Além disso, o principal aquecedor da atmosfera é a própria superfície da Terra. Ao absorver
energia radiante emitida pelo Sol, ela esquenta e emite ondas eletromagnéticas aquecendo o
ar ao seu redor. E os raios solares que atingem as regiões altas das montanhas incidem em
superfícies que absorvem quantidades menores de radiação, por serem inclinadas em
comparação com as superfícies horizontais das regiões baixas. Em grandes altitudes, a
quantidade de energia absorvida não é suficiente para aquecer o ar ao seu redor.
(http://super.abril.com.br. Adaptado.)

Segundo o texto e conhecimentos de física, o topo da montanha é mais frio que a base
devido

a) à expansão adiabática sofrida pelo ar quando sobe e ao fato de o ar ser um bom condutor
de calor, não retendo energia térmica e esfriando.
b) à expansão adiabática sofrida pelo ar quando sobe e à pouca irradiação recebida da
superfície montanhosa próxima a ele.
c) à redução da pressão atmosférica com a altitude e ao fato de as superfícies inclinadas das
montanhas impedirem a circulação do ar ao seu redor, esfriando-o.
d) à transformação isocórica pela qual passa o ar que sobe e à pouca irradiação recebida da
superfície montanhosa próxima a ele.
e) à expansão isotérmica sofrida pelo ar quando sobe e à ausência do fenômeno da
convecção que aqueceria o ar.

6.(UNICAMP) Um isolamento térmico eficiente é um constante desafio a ser superado para


que o homem possa viver em condições extremas de temperatura. Para isso, o entendimento
completo dos mecanismos de troca de calor é imprescindível. Em cada uma das situações
descritas a seguir, você deve reconhecer o processo de troca de calor envolvido.

I. As prateleiras de uma geladeira doméstica são grades vazadas, para facilitar fluxo de
energia térmica até o congelador por ____________.
II. O único processo de troca de calor que pode ocorrer no vácuo é por ____________.
III. Em uma garrafa térmica, é mantido vácuo entre as paredes duplas de vidro para evitar
que o calor saia ou entre por _____________.

Na ordem, os processos de troca de calor utilizados para preencher as lacunas corretamente


são:
a) condução, convecção e radiação. b) condução, radiação e convecção.
c) convecção, condução e radiação. d) convecção, radiação e condução.

3|
7. (Enem 2ª aplicação) Nos dias frios, é comum ouvir expressões como: “Esta roupa é
quentinha” ou então “Feche a janela para o frio não entrar”. As expressões do senso comum
utilizadas estão em desacordo com o conceito de calor da termodinâmica. A roupa não é
“quentinha”, muito menos o frio “entra” pela janela. A utilização das expressões “roupa é
quentinha” e “para o frio não entrar” é inadequada, pois o(a):

a) roupa absorve a temperatura do corpo da pessoa, e o frio não entra pela janela, o calor é
que sai por ela.
b) roupa não fornece calor por ser um isolante térmico, e o frio não entra pela janela, pois é
a temperatura da sala que sai por ela.
c) roupa não é uma fonte de temperatura, e o frio não pode entrar pela janela, pois o calor
está contido na sala, logo o calor é que sai por ela.
d) calor não está contido num corpo, sendo uma forma de energia em trânsito de um corpo
de maior temperatura para outro de menor temperatura.
e) calor está contido no corpo da pessoa, e não na roupa, sendo uma forma de temperatura
em trânsito de um corpo mais quente para um corpo mais frio.

8.(G1 CFTRJ) Leia o trecho abaixo:

“Luz do sol,
Que a folha traga e traduz,
Em verde novo
Em folha, em graça, em vida, em força, em luz...”
(Caetano Veloso, Luz do Sol)

Esse trecho da canção de Caetano Veloso nos faz lembrar que a luz do Sol provê de energia
o nosso planeta. Certamente não haveria vida na Terra sem ela! O processo de transferência
de energia térmica que explica a transmissão do Sol a Terra, por meio da luz é chamado de:

a) convecção. b) irradiação.
c) contato. d) raios cósmicos.

4|
9. Texto para a próxima questão:
Leia o texto para responder à(s) questão(ões) a seguir.

O uso do chuveiro elétrico representa uma parcela significativa


do gasto com energia elétrica em uma casa. Nos dias de maior insolação, este gasto pode
ser diminuído com o uso de aquecedores solares de água. Um modelo simples e de baixo
custo, construído com garrafas plásticas de refrigerante e caixas de leite, substitui com
bastante eficiência
painéis solares produzidos industrialmente.
Observe a fotografia de um desses painéis em que sua capacidade de aquecimento está
sendo testada.

Nessa construção, dezoito canos de PVC, dispostos um ao


lado do outro, estão conectados em seus extremos por dois canos horizontais. Cada um dos
dezoito canos é envolvido por garrafas com o fundo cortado. Dentro de cada garrafa há uma
peça obtida do corte de embalagens de leite, pintada na cor preto-fosco. Desempenhando a
função de reservatório de água, foi usada uma caixa de isopor.
Os dois canos horizontais estão em alturas diferentes e ambos se conectam ao reservatório
de água. O cano horizontal superior se conecta ao reservatório em um ponto mais acima do
ponto de conexão do cano horizontal inferior.
A água preenche todo o sistema, que funciona automaticamente sem o auxílio de bombas
hidráulicas, uma vez que a água na tubulação do painel, aquecida pelo Sol, torna-se menos
densa e sobe.
Ao procurar uma posição mais elevada, ela flui para o reservatório.

Na descrição deste painel solar, constata-se que o fluxo


natural da água obedece ao fenômeno físico denominado:

a) condução. b) convecção. c) irradiação.


d) liquefação. e) sublimação.

5|
10.(UECE) O uso de fontes alternativas de energia tem sido bastante difundido. Em 2012, o
Brasil deu um importante passo ao aprovar legislação específica para micro e mini geração
de energia elétrica a partir da energia solar. Nessa modalidade de geração, a energia obtida
a partir de painéis solares fotovoltaicos vem da conversão da energia de fótons em energia
elétrica, sendo esses fótons primariamente oriundos da luz solar. Assim, é correto afirmar
que essa energia é transportada do Sol à Terra por:

a) convecção. b) condução. c) indução. d) irradiação.

11. Uma parede de concreto com área superficial de 20 m2 e espessura de 0,30m, separa
uma sala com ar-condicionado do ar ambiente. A temperatura da superfície interna da
parede é mantida a 25oC e a condutividade térmica do concreto é de 1W/mK. Determine a
perda de calor através da parede para temperaturas ambientes na faixa de -15 a 38oC que
correspondem aos extremos atingidos no inverno e no verão.

12. As temperaturas das superfícies interna e externa de uma janela de vidro, com espessura
de 5mm, são de 15 e 5oC, respectivamente. Qual é a perda de calor através de uma janela
com dimensões de 1m de largura por 3m de altura?
Dado: Condutividade térmica do vidro é igual a 1,4W/mK

13. Condução térmica é um processo de transporte de energia sem transporte de matéria,


que ocorre principalmente nos materiais sólidos. O mesmo não ocorre nos líquidos e nos
gases; por causa da liberdade de movimento das partículas a transmissão de calor por
condução não é favorecida.
A quantidade de calor por unidade de tempo que atravessa um condutor chama-se
Q kA(Tq  T f )
fluxo de calor (  ) e é calculada por:   (ca / s) .Baseado nas
t 
informações acima, julgue os itens:

(0) Consideramos a variável K como sendo uma constante de condutividade térmica do


material, ou seja, é uma característica própria de cada material.
(1) Podemos afirmar que quanto maior for o comprimento
(  ) do condutor menor será a o seu fluxo de calor.
(2) As roupas de lã são exemplo de isolantes térmicos; o ar que fica retido entre suas fibras
facilita a condução do calor.
(3) Quanto maior for a variação de temperatura, maior será o fluxo de calor.

6|
14.(UFRN) A tabela seguinte contém informações sobre quatro panelas:

Panela Material Espessura (mm) K(cal/s·cm·°C)


I Alumínio 4 4,9·10-2
II Alumínio 2 4,9·10-2
III Cobre 4 9,2·10-2
IV Cobre 2 9,2·10-2

As quatro panelas têm o mesmo volume e bases com a mesma área. Pretende-se usar uma
delas para aquecer água em um fogão comum. A equação geral para o fluxo de calor por
unidade de tempo (Φ), transmitido por condução térmica através de uma chapa de um
material com área de seção transversal A, espessura d e coeficiente de condutividade
𝐾.𝐴.Δ𝜃
térmica K, é Φ= , em que Δθ é a diferença de temperatura entre as faces da
𝑒
chapa. Com base na análise dos dados da tabela e da equação, indique a opção
correspondente à panela que permite ferver mais rápido certa quantidade de água:

a) Panela I b) Panela II c) Panela III d) Panela IV

15. Uma taxa de calor de 3 kW é conduzida através de um material isolante com área de
seção reta de 10 m2 e espessura de 2,5 cm. Se a temperatura da superfície interna (quente) é
de 415ºC e a condutividade térmica do material é de
0,2 W/mK, qual a temperatura da superfície externa?

16. A câmara de um freezer é um espaço cúbico com 2m de lado. Considere o fundo como
sendo perfeitamente isolado. Qual a espessura mínima, em milímetros, de um isolamento a
base de espuma de poliestireno (k = 0,030W/mK) que deve ser aplicado nas paredes do
topo e dos lados para garantir que a carga térmica que entra no freezer seja inferior a 500W,
quando a suas superfícies interna e externa se encontram a -10 e 35ºC, respectivamente.

7|
17.(UPE-PE) Uma das extremidades de uma barra metálica isolada é mantida a 100 ºC, e a
outra extremidade é mantida a 0 ºC por uma mistura de gelo e água. A barra tem 60,0 cm de
comprimento e uma seção reta com área igual a 1,5 cm2.
O calor conduzido pela barra produz a fusão de 9,0 g de gelo em 10 minutos.
A condutividade térmica do metal vale em W/mK:

Dado: calor latente de fusão da água = 3,5.105 J/kg

a) 50 b) 100 c) 110 d) 120 e) 210

18. Deseja-se isolar termicamente uma sala de modo que as paredes devem permitir uma
transmissão máxima de calor, por unidade de área, de 10 W/m2. Sabendo-se que o interior
da sala é mantido à temperatura de 20°C e o exterior atinge uma temperatura máxima de
35°C, calcule a espessura mínima de lã, em centímetros, que deve ser usada nas paredes. O
coeficiente de condutividade térmica da lã é K = 0,04 W/mK.

19. Duas salas idênticas estão separadas por uma divisória de espessura L = 5,0 cm, área
A = 100m2 e condutividade térmica K = 2,0W/mK. O ar contido em cada sala encontra-se,
inicialmente, à temperatura T 2 = 47°C e T1 = 27°C, respectivamente. Considerando o ar
como um gás ideal e o conjunto das duas salas um sistema isolado, calcule o fluxo de calor
através da divisória relativo às temperaturas iniciais T 2 e T1.

20. Numa indústria têxtil, desenvolveu se uma pesquisa com o objetivo de produzir um
novo tecido com boas condições de isolamento para a condução térmica. Obteve-se, assim,
um material adequado para a produção de cobertores de pequena
espessura (uniforme). Ao se estabelecer, em regime estacionário, uma diferença de
temperatura de 40 °C entre as faces opostas do cobertor, o fluxo de calor por condução é 40
cal/s para cada metro quadrado da área. Sendo K = 0,00010 cal/s.cm.°C o coeficiente de
condutibilidade térmica desse material e a massa correspondente a 1 m2 igual a 0,5 kg, sua
densidade é:

a) 5,0 x 106 g/cm3 b) 5,0 x 102 g/cm3 c) 5,0 g/cm3


d) 5,0 x 10-1 g/cm3 e) 5,0 x 10-2 g/cm3

8|
21. Um corpo de massa 6g em estado sólido, é aquecido até o ponto de fusão. Sabendo que
o calor latente do corpo é de 35 cal/g, determine a quantidade de calor recebida pelo corpo.

22. Um corpo de massa 100g ao receber 2400 cal varia sua temperatura de 20 ºC para 60°C,
sem variar seu estado de agregação. Determine o calor específico da substância que
constitui esse corpo, nesse intervalo de temperatura.

23.É preciso abaixar de 3 °C a temperatura da água do caldeirão, para que o nosso amigo
possa tomar banho confortavelmente. Para que isso aconteça, quanto calor deve ser retirado
da água? O caldeirão contém 104 g de água e o calor específico da água é l cal/g°C.

24. O calor específico de certa areia seca vale 0,20 cal/gºC. Com essa informação, analise
as afirmações seguintes:

(1) Para que 20g dessa areia sofram elevação de 10ºC em sua temperatura é necessário o
recebimento de 40 cal.
(2) Ao sofrer abaixamento de 2°C em sua temperatura, cada kg de areia libera 400 cal.

25. Sabemos que no verão, sob sol a pino, a temperatura da areia da praia fica muito maior
do que a da água. Para avaliar quantitativamente este fenômeno, um estudante coletou
amostras de 200 g de água e de areia e cedeu a cada uma delas a mesma quantidade de
calor. Verificou, então, que enquanto a temperatura da amostra de areia sofreu um
acréscimo de 50°C, a temperatura da amostra de água sofreu um acréscimo de apenas 6°C.
Considere o calor específico da água 1,0 cal/g°C.
Calcule o calor especifico do areia.

26. Um bloco de massa 2,0 kg, ao receber toda energia térmica liberada por 1000 gramas de
água que diminuem a sua temperatura de 1ºC, sofre um acréscimo de temperatura de 10ºC.
Calcule o calor específico do bloco, em cal/g.ºC.
Adote: calor específico da água: 1,0 cal/g.ºC.

9|
27. O gráfico a seguir representa a
temperatura em função do tempo para 1,0 kg
de um líquido não-volátil, inicialmente a l0
°C. A taxa de aquecimento foi constante e
igual a 4600 J/min. Qual o calor específico
desse liquido, em unidades de 102 J/(kg°C) ?

28. No diagramo Q x t, estão representadas as quantidades de calor absorvidos por duas


substâncias, A e B, cujas massas são, respectivamente, iguais a 100g e 160g, em função do
temperatura. Considere 0 ºC a temperatura inicial das substâncias.

a) Determine as capacidades térmicos e os calores específicos de A e B.


b) Determine as quantidades de calor absorvidas por A e B, quando ambas estiverem à
temperatura t, indicado no gráfico.
c) Determine a Quantidade de calor quando o sistema atinge a Temperatura “t” indicada no
gráfico

29. Um paciente recebe um tratamento terapêutico térmico em um braço. O tratamento é


realizado utilizando uma pequena manta térmica elétrica com potência P = 20 W. Considere
que o calor específico médio do braço é c = 2,0 J/(g·ºC), que a massa da parte do braço
tratada é m = 0,90 kg e que o aumento máximo de temperatura permitido deve ser
T = 4,0 ºC. Calcule o intervalo de tempo máximo durante o qual a manta pode permanecer
ligada em contato com o braço. Suponha que toda a energia térmica produzida pela manta é
absorvida pelo braço.

a) 2 min b) 4 min c) 6 min d) 8 min e) 10 min

10 |
30.(PUC/PR-2017) No seu movimento de translação ao redor do Sol, a Terra recebe
1410 W/m2 de intensidade de energia, medição feita numa superfície normal (em ângulo
reto) com o Sol. Disso, aproximadamente 19% é absorvido pela atmosfera e 35% é retido
pelas nuvens. Ao passar pela atmosfera terrestre, a maior parte da energia solar está na
forma de luz visível e luz ultravioleta.
Uma placa de aquecimento solar de eficiência 20% e 1 m2, funcionando por 1 h, é capaz de
variar a temperatura de 3,6 litros de água em aproximadamente:

Dado: calor específico da água c = 4,2 kJ/(kg·°C); densidade da água d = 1 kg/m 3

a) 12°C. b) 98°C c) 31°C d) 121°C e) 75°C

31.(PUC/GO-2017) No Texto, fragmento do romance Menino de engenho, de José Lins do


Rego, o velho José Paulino diz, ameaçador: “Toco fogo na casa”. Em alguns casos de
incêndio, uma residência em chamas pode au-mentar sua temperatura de 30ºC para 880ºC.
Considere uma viga de madeira de massa igual a 6 kg colocada em um ambiente em
chamas, cuja temperatura atinja esse índice máximo. A alternativa que apresenta
corretamente a energia necessária para variar a tem-peratura da viga de madeira no
intervalo considerado é:
Dado: calor específico da madeira = 0,42 cal/g.ºC.

a) 2293 kcal. b) 2142 kcal. c) 1726 kcal. d) 756 kcal.

32. (UNIFOR/CE-2017) O chuveiro elétrico funciona devido à transformação de energia


elétrica dissipada em energia térmica. Um líquido, cuja massa é de 1000 g, é aquecido por
um resistor de potência de 8100 watts. O calor específico do líquido é de 2,7 J/g·°C.
Qual é a variação da temperatura do líquido por unidade de tem-po em °C/s?
(Considere o sistema líquido mais resistor um sistema isolado).

a) 0,33 b) 2,7 c) 3,0 d) 8,0 e) 300

11 |
33.(UNITAU/SP-2017) Podemos usar o calorímetro de escoamento para medir o calor
específico de um líquido. Essa técnica consiste em medir a diferença de temperatura entre
os pontos de entrada e saída de uma corrente de líquido que recebe calor a uma taxa
constante. Numa experiência em um laboratório, um líquido com densidade de 0,50 g/cm3
passava
nesse calorímetro com vazão de 10,0 cm3/s . No estado permanente, a diferença de
temperatura, entre a entrada e a saída, era de 20°C , e o calorímetro fornecia calor ao
líquido numa taxa de 420 J/s .
Dado: 1 cal = 4,20 J.

É CORRETO afirmar que o calor específico do líquido era de:

a) 1,2 cal/g°C. b) 1,04 cal/g°C. c) 1,0 cal/g°C.


d) 0,12 cal/g°C. e) 0,1 cal/g°C

34.(FAC. ISRAELITA/SP) Sabe-se que um líquido possui calor específico igual a


0,58 cal/g.º. Com o intuito de descobrir o valor de seu calor latente de vaporização, foi
realizado um experimento onde o líquido foi aquecido por meio de uma fonte de potência
uniforme, até sua total vaporização, obtendo-se o gráfico abaixo.

O valor obtido para o calor latente de vaporização do líquido, em cal/g, está mais próximo
de:

a) 100 b) 200 c) 540 d) 780

12 |
35.(USS/RJ-2017.1) Em um laboratório, 100g de uma substância na fase líquida são
aquecidas por uma fonte térmica de potência constante igual a 1000 cal/min até mudar
totalmente de estado físico. O gráfico a seguir mostra o comportamento da temperatura
dessa substância em função do tempo.

Admita que todo calor fornecido pela fonte seja integralmente absor-vido pela substância.
Nessas condições, a razão entre os seus calores latente e específico é:

a) 400 b) 360 c) 240 d) 100

36.(ENEM-2016)Num dia em que a temperatura ambiente é de 37 °C, uma pessoa, com


essa mesma temperatura corporal, repousa à sombra. Para regular sua temperatura corporal
e mantê-la constante, a pessoa libera calor através da evaporação do suor. Considere que a
potência necessária para manter seu metabolismo é 120 W e que, nessas condições, 20%
dessa energia é dissipada pelo suor, cujo calor de vaporização é igual ao da água (540
cal/g). Utilize 1 cal igual a 4 J.
Após duas horas nessa situação, que quantidade de água essa pessoa deve ingerir para repor
a perda pela transpiração?

a) 0,08 g b) 0,44 g c) 1,30 g d) 1,80 g e) 80,0 g

13 |
37. (UFGD/MS-2017) Uma barra de
com massa de 0,5 kg, passa pela transformação de fase mostrada no gráfico abaixo.

O calor latente de fusão e o calor específico na fase líquida desta substância são,
respectivamente:

a) 25 cal/g e 1,0 cal/g°C b) 35 cal/g e 0,8 cal/g°C


c) 25 cal/g e 0,5 cal/g°C d) 15 cal/g e 0,5 cal/g°C
e) 15 cal/g e 0,8 cal/g°C

38. Calcule a quantidade de energia que uma amostra de 50 g de gelo, inicialmente na


temperatura de − 20 oC, precisa receber para se transformar em água líquida a 40o C.
Dado: Lfusão do gelo = 80 cal/g; cgelo = 0,5 cal/g.ºC;
clíquido = 1,0 cal/g.C

39. Um sistema consiste de um cubo de 10 g de gelo, inicialmente à temperatura de 0 °C.


Esse sistema passa a receber calor proveniente de uma fonte térmica e, ao fim de algum
tempo, está transformado em uma massa de 10 g de água a 20 °C. Qual foi a quantidade de
energia transferida ao sistema durante a transformação?
Dados:
calor específico da água = 4,18 J/g °C;
calor latente de fusão do gelo = 334,4 J/g.

14 |
40. Determine a quantidade de calor necessária para transformar 100 g de gelo, inicialmente
a 0 °C, em 100 g de água a 30 °C. Sabe-se que o calor latente de fusão do gelo é
80 cal/g, o calor latente de evaporação da água é 540cal/g, o calor especifico do gelo e do
vapor é 0,5 cal/gºC e o calor específico da água é 1 cal/g°C.

41. Determine a quantidade de calor necessária para transformar 100 g de gelo, inicialmente
a -10 °C, em 100 g de água a 30 °C. Sabe-se que o calor latente de fusão do gelo é
80 cal/g, o calor latente de evaporação da água é 540cal/g, o calor especifico do gelo e do
vapor é 0,5 cal/gºC e o calor específico da água é 1 cal/g°C.

42. (VUNESP/CEFSA-
seu calor latente de fusão igual a 80 cal/g. Para fundir completamente uma amostra de
100 g de gelo, isolada do meio ambiente, inicialmente a –40 ºC, é necessário transferir a
ela uma quantidade de calor igual a:

a) 10 kcal. b) 12 kcal. c) 14 kcal.


d) 16 kcal. e) 18 kcal

43.(UDESC-2017) - ALTERNATIVA: C A queima de 1,000 g de gás de cozinha fornece


6000 cal. A massa de gás que deve ser queimada para elevar a temperatura de meio litro de
água de 25,00 ºC até 100,0 ºC, e, ainda, produzir a evaporação de 100,0 mL de água, é:
Dados para a água:d = 1,0×103 kg/m3
c = 1,0 cal/(gºC)
Lvap = 540 cal/g

a) 15,24 g b) 15,23 g c) 15,25 g d) 15,22 g e) 15,21 g

15 |
44. (VUNESP/FMJ-20171) Para se elevar a temperatura de certa massa de água de 20 ºC
para 100 ºC, foram necessárias 1,6 × 10 4 cal. Sendo o calor específico da água igual a
1,0 cal/g·ºC e o calor latente de vaporização da água 540 cal/g, a quantidade de calor
necessária apenas para vaporizar essa massa de água é

a) 4,32 × 104 cal. b) 5,40 × 104 cal. c) 1,08 × 105 cal.


d) 6,48 × 105 cal. e) 8,64 × 104 cal

45. Um corpo de massa 200 g a 50 °C, feito de um material desconhecido, é mergulhado


em 50 g de água a 90 °C. O equilíbrio térmico se estabelece a 60 ºC. Sendo 1 cal/g.ºC o
calor específico da água, e admitindo só haver trocas de calor entre o corpo e a água,
determine o calor específico do material desconhecido.

46. Um objeto de massa 80 g a 920 °C é colocado dentro de 400 g de água a 200 °C.
A temperatura de equilíbrio é 30 °C, e o objeto e a água trocam calor somente entre si.
Calcule o calor específico do objeto.
O calor específico da água é 1 cal/g.ºC.

47.(UnB) Um bloco está a uma temperatura de 92 ºC. O bloco é, então, colocado dentro de
um recipiente metálico que contém 70g de água a uma temperatura de 20 ºC.
A temperatura de equilíbrio térmico é de 32 ºC.
Encontre o calor específico do bloco, em unidade de cal/gºC.

massa do bloco = 50 g
massa do recipiente = 50 g
cagua = 1 cal/gºC
crecipiente = 0,1 cal/gºC

48. Uma pedra, retirada de um forno a 1000 ºC, é imediatamente colocada sobre um grande
bloco de gelo a 0 ºC. Até o equilíbrio térmico, verifica-se a formação de 40g de água.
Sendo o calor latente de fusão do gelo 80 cal/g, determine a capacidade térmica da pedra,
em cal/ºC.

16 |
49. Um calorímetro, cuja capacidade térmica é 20cal/ºC, contém 80 g de água a 20 °C. Um
sólido de 100g e temperatura 85 °C é colocado no interior do calorímetro. Sabendo-se que o
equi1íbrio térmico se estabeleceu em 25 °C, qual o calor específico médio do sólido, em
cal/gºC.

50. Um bloco de gelo (0ºC) e um bloco de alumínio de massa igual a 100 g (80°C) foram
colocados no interior de um calorímetro de capacidade térmica desprezível. Sabendo que a
temperatura de equilíbrio foi de 20ºC, determine a massa de gelo colocada dentro do
calorímetro.
Dados:
calor específico do alumínio 0,2 cal/gºC
calor latente de fusão do gelo 80 cal/g
calor específico da água 1,0 cal/g.°C

51.(PUC/RJ-2017) Dois blocos metálicos idênticos de 1 kg estão colocados em um


recipiente e isolados do meio ambiente.Se um dos blocos tem a temperatura inicial de
50 ºC, e o segundo a temperatura de 100 ºC, qual será a temperatura de equilíbrio, em ºC,
dos dois blocos?

a) 75 b) 60 c) 70 d) 55 e) 65

52.(UNICENTRO/PR-2017) Um calorímetro de capacidade térmica igual a 200 cal/ºC


contém 400,0 g de água, a 15 ºC. Um bloco de alumínio, com massa igual a 200,0 g, é
aquecido até 90 ºC e colocado no interior do calorímetro.Desprezando-se as perdas térmicas
para o meio ambiente, considerando-se os calores específicos da água e do alumínio,
respectivamente, iguais a 1,0 cal/gºC e 0,9 cal/gºC, é correto afirmar que a temperatura final
de equilíbrio do sistema, em ºC, é de, aproximadamente,

a) 28,7 b) 32,3 c) 34,1 d) 36,8

17 |
53.(IFSUL/RS-2017) Em um recipiente adiabático, onde não ocorrem trocas de calor com o
ambiente, coloca-se 80 g de gelo a 0 ºC com 120g de água. Depois de um certo tempo,
observa-se que há 50 g de gelo boiando na água em equilíbrio térmico. Sendo o calor
específico da água igual a 1,0 cal/gºC e o calor latente de fusão do gelo igual 80 cal/g, a
temperatura final da mistura e a temperatura inicial da água serão
respectivamente iguais a

a) 0,5 ºC e 16,0 ºC. b) 0,0 ºC e 20,0 ºC.


c) 0,0 ºC e 16,0 ºC. d) 0,5 ºC e 20,0 ºC.

54. (UNESP-2017) Um bloco de gelo de massa 200 g, inicialmente à temperatura de


–10 ºC, foi mergulhado em um recipiente de capacidade térmica 200 cal/ºC contendo água
líquida a 24 ºC. Após determinado intervalo de tempo, esse sistema entrou em equilíbrio
térmico à tempe-ratura de 4 ºC.
O gráfico mostra como variou a temperatura apenas do gelo, desde sua imersão no
recipiente até ser atingido o equilíbrio térmico.

realizado ao nível do mar e desprezando as perdas de calor para o ambiente, calcule a


quantidade de calor absorvido pelo bloco de gelo, em calorias, desde que foi imerso na água
até ser atingido o equilíbrio térmico, e calcule a massa de água líquida contida no
recipiente, em gramas, antes da imersão do bloco gelo.

18 |
55.(IFSUL/RS-2017) Um copo com 300 g de água foi colocado sobre a mesa da cozinha no
início da manhã e ali permaneceu até ao meio dia, horário em que a temperatura estava
30 °C. Para tomar essa água gelada, um estudante colocou a água do copo e dois cubos de
gelo em um recipientetermicamente isolado e aguardou o sistema entrar em equilíbrio
térmico. Sabe-se que esse conjunto estava submetido à pressão de 1 atm , que o Calor
Latente de Fusão do gelo é LF = 80 cal/g , que o Calor Específico do Gelo é
cgelo = 0,5 cal/g.°C, que o Calor Específico da água é c água = 1 cal/g.°C, que os dois cubos
de gelo estava inicialmente a 0 °C e que cada um possuía massa de 50 g. No final do
processo, a temperatura da água resultante do equilíbrio térmico foi igual a

a) 0,00 °C. b) 2,50 °C. c) 20,5 °C. d) 22,5 °C

56.(VUNESP/UEFS-2017) Dentro de um recipiente termicamente isolado há 4 L de água


líquida, a 40 ºC. Um bloco de gelo de 6 kg, a –10 ºC, é colocado dentro desse mesmo
recipiente, que em seguida é fechado. Depois de determinado intervalo de tempo, quando o
equilíbrio térmico foi atingido dentro do recipiente, ele é aberto e verifica-se que nem todo
o gelo derreteu. O gráfiico representa como variaram as temperaturas (θ) das substâncias
envolvidas nesse experimento, em função do tempo (t).

realizado no nível do mar e que só houve troca de calor entre a água que estava incialmente
no recipiente e o bloco de gelo introduzido. Após o estabelecimento do equilíbrio térmico,
haverá, dentro do recipiente, uma massa de água líquida igual a

a) 5625 g. b) 4750 g. c) 5000 g. d) 4375 g. e) 5225 g.

19 |
57.(UEM/PR-2017)
O quadro abaixo apresenta o calor específico e os calores latentes e temperaturas de fusão e
de ebulição da água e do etanol, a uma pressão de 1atm.

Tomando por base esse quadro, assinale o que for correto.

(01) À temperatura de −10ºC, a água encontra-se no estado sólido, e o etanol, no estado


líquido
(02) À temperatura de 90ºC, a água e o etanol encontram-se no es-tado líquido.
(04) Precisa-se de menos energia para transformar 1g de gelo em água (líquida) do que para
transformar 1g de etanol no estado líqui-do para o estado gasoso.
(08) Na fase líquida, necessita-se de menos energia para elevar a temperatura de 1g de água
em 1ºC do que para elevar a temperatura de 1g de etanol em 1ºC.
(16) Misturando-se 100 g de água a 60ºC com 100 g de etanol a 20ºC, a mistura atinge uma
temperatura de equilíbrio de 35ºC.

20 |
Gabarito

1. EEE 2. C 3. C 4. A 5. B 6. D 7. D 8. B 9. D 10. D
11. 3533 W 12. 8400 W 13. CCEC 14. D 15. 377,5 K
16. 10,8 mm 17. E 18. 6 cm 19. 8.104 W 20. E
21. 210 cal 22. 0,6 cal/g.ºC 23. -30000 cal 24. CE
25. 0,12 cal/g.ºC 26. 0,05 cal/g.ºC 27. 3.10² J/Kg°C
28. a) 3 cal/ºC e 8 cal/ºC b) 0,03 cal/g.ºC e 0,05 cal/g.ºC c) 90 cal e 240 cal
29. C 30. C 31. B 32. C 33. C
34. B 35. D 36. E 37. B 38. 6500 cal
39. 4180 cal 40. 11000 cal 41. 11500 cal 42. A 43. C 44.C
45. 0,75 cal/g.°C 46. 0.95 cal/g.°C 47. 0,28 cal/g.°C
48. 3,2 cal/ºC 49. 0,083 cal/g.°C 50. 12 g
51. A 52. B 53. B
54. Q = 17800 cal e m = 690 g 55. B 56. A
57. 05

21 |

Você também pode gostar