Você está na página 1de 3

Roteiro de aula (Data: ___/___/_____) aglutinogênio B; O alelo i é inativo e não

Biologia (Profa Cleide Leite) consegue transformar o precursor H em


Módulo 5 nenhum componente da membrana das
Assunto Herança dos grupos sanguíneos hemácias.
A síntese do precursor H depende de
outro gene que possui alelo recessivo raro
1. Sistema ABO h, não funcional. Pessoas homozigotas hh
É um exemplo de alelos múltiplos na não produzem o precursor H e, na ausência
espécie humana, por possuir os alelos (IA, IB deste, não há produção de nenhum dos
e i), havendo codominância (entre os aglutinogênios (A, B e AB) mesmo que a
alelos IA e IB) e dominância completa (do pessoa seja portadora dos alelos IA ou IB.
alelo IA sobre o alelo i; e do alelo IB sobre o Desta forma, elas são erroneamente
alelo i). classificadas como pertencentes ao grupo
O, mas geneticamente, elas não pertencem
No Sistema ABO há quatro tipos (ou a esse grupo.
grupos) de sangue A, B, AB e O que são Aparentar ser do grupo O pelo fato de
caracterizados pela presença ou não de não produzir o precursor H é conhecido
certas substâncias: aglutinogênios (do tipo como “Efeito BOMBAIM” ou “Fenótipo
A e B, na membrana das hemácias) e BOMBAIM”, por ter sido descrito
aglutininas (do tipo anti-A e anti-B, no originalmente nessa cidade da Índia
plasma sanguíneo). (Bombaim).

Há incompatibilidade entre os grupos 2. Sistema MN


sanguíneos devido a uma reação
imunológica entre substâncias dissolvidas Grupo Genótipo antígenos nas
no plasma sanguíneo e substância (fenótipo) hemácias
M AgMAgM Antígeno M
presentes na membrana das hemácias: As
N AgNAgN Antígeno N
aglutininas (substâncias aglutinadoras no MN AgMAgN Antígeno M e N
plasma) e os aglutinogênios (substâncias
aglutinógenas na membrana das hemácias). OBS.: Não há restrições de transfusões,
As aglutininas são anticorpos capazes de pois as pessoas não possuem aglutininas
reagir com certos polissacarídeos da contra os antígenos M e N, naturalmente
membrana plasmática das hemácias, os em seu plasma sanguíneo.
aglutinogênios. Na transfusão sanguínea a
sensibilização é praticamente nula, com
Grupo Genótipo Aglutinogênio Aglutinina
(fenótipo) (nas (no
uma produção muito baixa de anticorpos.
hemácias) plasma) Em geral não ocorrem problemas maiores.
A IAIA; IAi; A Anti-B Entretanto a pesquisa do Sistema MN tem
B IBIB; IBi; B Anti-A maior valor na medicina legal, como na
AB IAIB; AB ---- exclusão de paternidade
O ii ---- Anti-A
Anti-B
3. Sistema Rh
Ao injetar hemácias do macaco reso
Relação de dominância: IA = IB > i
(Macaca rhesus ou Macaca mullata) em
coelhos, obteve-se um anticorpo anti-Rh
AB positivo é o receptor universal;
(anti-rhesus). Ao ser testado em humanos,
O negativo é o doador universal;
esse anticorpo “anti-Rh” provocava
aglutinação das hemácias em 85% das
OBS.: O alelo IA codifica uma enzima que
pessoas, as Rh+ (Rh positivas), que
catalisa a reação de conversão da
apresentavam antígenos semelhantes ao
substância precursora H no aglutinogênio A;
dos macacos, nas suas hemácias e 15%
O alelo IB codifica uma enzima ligeiramente
das pessoas testadas não reagiam aos
diferente, que catalisa a reação de
anticorpos “anti-Rh”, eram as Rh- (Rh
conversão da substância precursora H no
negativas).
Assunto: Noções de probabilidade
Os grupos sanguíneos do Sistema Rh
(Rh e Rh-) são condicionados por dois
+
Probabilidade: Chance de um evento
alelos (R e r) com dominância completa. ocorrer, entre dois ou mais eventos
Logo, as pessoas portadoras de pelo menos possíveis.
um alelo dominante R (com genótipos RR Ex.1.: A probabilidade de uma moeda cair
ou Rr) apresentam o fator Rh em suas com a face “cara” é 50% e com a face
hemácias e possuem o fenótipo Rh+. “coroa” é 50%.
Pessoas homozigóticas recessivas rr não
têm o fator Rh e possuem o fenótipo Rh-. Ex.2.: A probabilidade de um dado cair com
Logo, uma pessoa Rh- só produz anticorpos a face número 6 é 1/6; número 5 é 1/6;
anti-Rh se for sensibilizada (se receber número 4 é 1/6; número 3 é 1/6; número 2 é
hemácias portadoras do fator Rh, ou seja 1/6 e número 1 é um 1/6, pois o dado tem
hemácias de pessoas Rh+). seis faces.

3.1 Eritroblastose fetal/ Doença hemolítica Ex. 3: A probabilidade de sortear um “ás de


do recém-nascido (DHRN) ouro” em um baralho é 1/52, pois o conjunto
de possibilidades é formado por 52 cartas,
Uma pessoa Rh- só produz anticorpos cada uma com igual chance de ser
“anti-Rh”, se for sensibilizada (transfusão sorteada.
ou parto de uma criança Rh+). A próxima
criança gerada Rh+ terá hemácias fetais Evento aleatório: É a ocorrência de um
destruídas, processo que continua no dos eventos possíveis.
recém-nascido, levando ao acúmulo de Ex.1: Obtenção de “cara” no lançamento de
bilirrubina no sangue, que resulta em uma moeda.
icterícia (pele amarelada) e, por ser
lipossolúvel, ainda pode acarretar danos ao Ex.2: Sorteio de um “ás de ouro” no
sistema nervoso da criança. baralho.
Para compensar as hemácias destruídas
pelos anticorpos “anti-Rh”, ocorre a Ex.3: Obtenção da “face 6” no lançamento
produção e liberação de eritroblastos de um dado.
(hemácias imaturas) na circulação do
recém-nascido, por isso a doença é Eventos independentes: Quando a
chamada Eritroblastose fetal ou Doença ocorrência de um evento não afeta a
Hemolítica do Recém-nascido (DHRN) probabilidade de outro evento ocorrer.
referindo-se à destruição de hemácias
(hemólise) causada pelo anti-Rh. Ex1.: Obter “cara” ao lançar uma moeda
Hoje, a mulher que vai dar a luz a uma não aumenta nem diminui a chance de sair
criança Rh+ recebe até as primeiras 72h “cara” em um novo lançamento da mesma
após o parto, uma injeção intravenosa de moeda, ou de outra moeda qualquer.
anticorpos “anti-Rh” (gamaglobulina anti-
Rh, Mathergan, Partogama, Rhophylac ou Ex2.: O nascimento de uma criança com
RhoGAM), os quais destroem as hemácias determinado genótipo é um evento
fetais Rh+ que penetram na circulação independente do nascimento de outros
materna, durante o parto, evitando que elas filhos.
causem sensibilização na mulher e
complicações nas gestações seguintes. Regra do “E”: A probabilidade de dois ou
mais eventos independentes ocorrerem
conjuntamente é igual ao produto das
Grupo Genótipo antígenos nas probabilidades de eles ocorrerem
(fenótipo) hemácias separadamente.
Rh + RR; Rr Tem o fator Rh
Rh - rr Não tem o fator Rh
Ex.1: A probabilidade de obtermos duas
vezes a face “cara” (ou seja, sair a face
“cara” no primeiro lançamento e a face 4- O albinismo tipo I, na espécie humana, é
“cara” no segundo lançamento) é 1/2 x 1/2= condicionado por um alelo recessivo. Pedro
1/4. apresenta pigmentação normal na pele e
seus pais também são normais. Sua avó
Ex.2: A probabilidade de um casal ter dois materna e seu avô paterno, porém são
filhos do sexo masculino é 1/2 x 1/2= 1/4 albinos. Maria também apresenta
pigmentação normal na pele e por parte de
mãe nunca houve, nem na mais remota
Regra do “OU”: A probabilidade de dois ancestralidade, qualquer caso de albinismo.
eventos mutuamente exclusivos ocorrerem O pai de Maria também é normal, mas seu
(ou seja, ocorrendo um, o outro não ocorre) avô paterno é albino. Pedro e Maria
é igual a soma das probabilidades de procuram um geneticista para pedir
ocorrer cada um dos eventos isoladamente. esclarecimento e aconselhamento genético.
O casal tinha as seguintes perguntas:
Ex.1: A probabilidade de ocorrer a “face 1”
ou a “face 6” no lançamento de um dado é a) Há alguma chance de termos um filho
1/6 + 1/6 = 2/6 = 1/3. albino?

Exercício de treinamento: b) Se tivermos um filho albino qual a


1- Qual a probabilidade de se obter “cara” e probabilidade de termos um outro, também
“coroa” no lançamento de duas moedas? albino?

2- Qual a probabilidade de um casal, que


quer ter dois filhos, ter uma menina e um
menino?

3- Qual a probabilidade de uma casal, que


quer ter três filhos, ter dois meninos e uma
menina?