Você está na página 1de 5

Construa o Seu Sistema de Rega

CONSTRUIR UM SISTEMA DE REGA NO MEU JARDIM

Quando falamos em sistema de rega automático ou manual, pensamos em algo que nos vai
retirar trabalho e até poupar euros no futuro, porque não duvidem que um sistema de rega
automático bem construído reduz o consumo de agua comparando com a mesma “rega”
manual que se iria fazer. Posso dar o exemplo da senhora que só deixava de regar a relva com
a mangueira quando sentia o chapinar da água, ou o senhor que colocava um “chuveiro” que
mandava uns jactos rotativos para o ar e ficava tantas vezes esquecido durante a noite ou
durante o jogo da selecção.

Para começar temos de ter a certeza que temos o essencial – ÁGUA – porque sem ela nada
feito. De seguida saber o caudal, a pressão e a qualidade, porque nos dias de hoje com tantos
crimes ambientais temos de ter muito cuidado.

Para sabermos o caudal é só colocar um balde que saibamos a capacidade e medir numa
torneira o mais próximo do contador ou da bomba o tempo que demora a encher e depois
calcular o número de litros por hora. A pressão pode ser consultada no manómetro da bomba,
a qualidade é que é mais difícil, mas só é necessária se a captação for de poço ou lagoa
duvidosa.

PROJECTO:

Material; papel milimétrico, lápis, régua, compasso, fita métrica e calculadora.

Passa para o papel milimétrico a planta do seu jardim. O desenho deve ter uma escala que
cada quadrícula corresponde a uma medida no jardim, assinalando as áreas de relva,
canteiros, lago, piscina, caminhos…
Depois de consultar a tabela do material de reg, vai usar as distâncias de rega que cada
emissor faz e com a ajuda de um compasso faz-se círculos que se cruzem entre eles, mas tem
de ter atenção aos obstáculos que poderão estar de frente ao emissor.
Se as distancias a regar forem até 4m, deve-se usar pulverizadores mas se forem superiores

1/5
Construa o Seu Sistema de Rega

devemos usar aspersores.


Na execução deste projecto podemos calcular se necessário a colocação de rega localizada,
para canteiros, pomar e vasos.
Depois de escolher o tipo de emissor que vai usar em cada sitio especifico, faz-se a
implantação dos emissores com a ajuda de um compasso, isto é, coloca-se o bico do
compasso no sitio onde fica o emissor, abre-se o compasso com o raio correspondente á
distancia do emissor ideal para o local.
Agora tem de fazer um pequeno calculo, que é somar o débito de cada emissor, tendo atenção
que, distancias e ângulos diferentes têm débitos diferentes, De seguida divide os emissores em
grupos de maneira que a soma do debito de cada um dos emissores não seja superior ao
caudal disponível. Volto a lembrar que os pulverizadores devem ficar em sectores diferentes,
tal como a rega localizada, que os canteiros e as floreiras devem ser separadas do pomar.
Cada sector deve corresponder a um grupo de emissores de uma determinada área, porque
quando regar vai regar por grupos, por exemplo:
Sector 1 – Relva frente da casa.
Sector 2 – Canteiros zona da garagem.
Sector 3 – Relva da área da piscina.
Sector 4 – Canteiros zona do lago.
Sector 5 – Arvores de fruto.

Por meio de linhas de cores diferentes marca-se no projecto cada um dos 5 sectores,
começando pelo colector das electrovalvulas até ao final do sector passando por cada um dos
emissores, para que na altura de abrir as valas se saiba o local correcto de cada uma das
valas.

Depois de calcular todos os sectores é altura de escolher o programador mais adequado ao


caso, tendo em consideração se existe energia eléctrica para alimentação do transformador,
porque se não houver, teremos de colocar um equipamento accionado a pilhas ou energia
solar, mas é claro que estas opções vão encarecer o projecto. Ter atenção se é necessário que
o programador tenha mais sectores do que os necessários para suportar uma eventual
expansão do jardim, porque com um pequeno esforço no início na compra de um programador
com mais estações, no futuro reduz custos.

Abertura das valas:

Este é o trabalho menos agradável e mais trabalhoso, mas tem de ser feito.
As valas terão de ter uma profundidade razoável para que a tubagem não fique muito á
superfície mas com o bom senso de não fazer uma vala tipo sepultura para uma tubagem de

2/5
Construa o Seu Sistema de Rega

um relvado ou um pequeno rego numa tubagem de um pomar. Nos locais onde irão passar
cargas os tubos devem ficar protegidos por outros mais largos e mais resistentes, ou em
alternativa colocá-los um pouco mais fundos. Nos locais de passagem por sítios cimentados é
necessário a abertura de valas no cimento com material apropriado e voltar a tapar e
reconstruir, mas se a passagem tiver pouca largura é possível construir um túnel para passar a
tubagem sem danificar o chão.

Ligação da tubagem:

Normalmente a primeira ligação a fazer é na saída da alimentação seguindo a vala até á


primeira electruvalvula, ou ao colector de electrovalvulas. Ter sempre atenção que cada
electrovalvula deverá ter uma válvula de segurança na entrada. De seguida vamos colocar o
tubo de um sector e com a ajuda do projecto vamos colocar os emissores no sítio correcto.
Para fazer as rampas dos emissores, usa-se abraçadeiras plásticas que são apertadas contra
o tubo e depois furadas com uma broca. Usando um tubo vamos montar uma ligação articulada
para a ligação do emissor, nunca devemos deixar essa ligação em grande tenção porque
podemos provocar fracturas em algum dos acessórios.
 Estes passos serão repetidos por todos os sectores.

Ligação eléctrica:

O programador escolhido deve ser montado tal como as recomendações do fabricante. Ter
atenção que as ligações eléctricas no exterior obedecem a normas e o seu incumprimento
pode provocar avarias ou acidentes. Usando as valas que foram feitas para a tubagem vamos
colocar o cabo eléctrico de sinal para as electrovalvulas, que seja certificado e especifico para
ser enterrado (por ex. cabo de telefone não serve). O cabo deverá ter mais um condutor do que
a soma dos sectores do projecto que será o condutor comum a todos os sectores. Em sítios
onde o cabo poderá sofrer cortes, de ser colocado dentro de um tubo para que fique protegido.

Lavagem da tubagem:

Depois de se ter montado, furado todas as abraçadeiras e montado todas as rampas, deve-se
proceder á lavagem de toda a tubagem para tirar todo o lixo que esteja dentro do tubo.

3/5
Construa o Seu Sistema de Rega

Caixa de elctrovalvulas

A caixa ou caixas (se forem muitos sectores) são importantes porque permitem o acesso rápido
ao equipamento e esteticamente são agradáveis de ver, porque têm uma tampa verde que se
enquadra bem com o meio envolvente. A caixa deve ficar a mais nivelada possível com a terra,
para que as maquinas não a destruam e em solos com má drenagem deve ser colocado no
fundo da caixa um dreno feito com gravilha ou outro material semelhante. Ter atenção para que
o corpo da caixa não fique a fazer pressão contra a tubagem.

Ligação dos emissores:

Qualquer que seja o tipo de emissor que estejamos a usar devemos ter em conta que não
devemos nunca os devemos montar em acessórios de latão e devem no final ficar nivelados
com a terra para que não sejam estragados pelas máquinas ou até pelas pessoas. Os bicos
dos emissores podem ser montados depois de se ter efectuado mais uma limpeza e de se ter
tamponado o final de cada tubo.

Ligação dos cabos ás electrovalvulas:

Seguindo o esquema do programador podemos efectuar as ligações eléctricas (não tenha


medo de choques eléctricos porque a saída do sinal tem baixa amperagem) começando no
programador e continuando por cada um dos sectores. No final devemos isolar as ligações
dentro das caixas com ligadores específicos para estarem com humidade ou submersos em
caso de uma eventual rotura.

Tapar as valas:

Depois de termos efectuado um ensaio a todos os componentes de ligação e estes estarem


bem montados não apresentando qualquer fuga (mesmo pequena) podemos tapar as valas,
tendo atenção não colocar pedras contra a tubagem e compactando a terra dentro da vala.

4/5
Construa o Seu Sistema de Rega

Ligar o programador:

Agora efectua-se a montagem do pluviómetro e efectua-se a programação do programador.


Começa-se por acertar a hora actual, depois as horas de rega e no final é só programar os
tempos de rega para cada um dos sectores de rega.
Com a rega ligada faz as ultimas afinações aos emissores e depois é só desfrutar o trabalho
realizado.

5/5

Você também pode gostar