Você está na página 1de 4

Ensino de Qualidade. Decisão de Sucesso.

AFO – Exercícios IV
Prof. Wilson Araújo

 Despesa Pública. Conceito e Classificação.


 Técnica de execução da despesa pública: empenho, liquidação e
pagamento.

01- (AFC/2005) De acordo com as Finanças Públicas, no que concerne às


classificações orçamentárias, não se pode afirmar que:
a) a classificação funcional do orçamento representa o maior nível de agrupamento das
ações do governo em grandes áreas de sua atuação, para fins de planejamento,
programação e orçamentação.
b) a classificação institucional do orçamento apresenta a distribuição dos recursos
públicos pelos órgãos responsáveis por sua gerência e aplicação.
c) a classificação funcional-programática atual divide os programas em Finalísticos,
Programas de Apoio as Políticas Públicas e Áreas Especiais.
d) a classificação econômica das despesas objetiva informar, sob o ponto de vista
macroeconômico, o efeito do gasto do setor público na economia.
e) o programa representa, do ponto de vista administrativo-programático, o maior nível
de agregação das diversas áreas de despesa que competem ao setor público executar.

02- (PCR – Auditor/2003) Sobre as despesas públicas, não é correto afirmar que:
a) não podem ser efetuadas sem a prévia autorização do Poder Legislativo.
b) são despesas correntes as de custeio e as de amortização da dívida pública.
c) as despesas de capital comportam os investimentos, as inversões financeiras e as
transferências de capital.
d) as despesas com pessoal dos Municípios não poderão exceder o limite de sessenta
por cento da receita corrente líquida.
e) nos Municípios com fundo previdenciário, os gastos líquidos com aposentados e
pensionistas não poderão superar os doze por cento da receita líquida.

03- (TCU/2006) Identifique a opção falsa com relação à classificação da despesa


pública segundo a natureza, contida na Portaria Interministerial n. 163, de 4 de
maio de 2001, a ser observada na execução orçamentária de todas as esferas de
governo.
a) Categoria econômica.
b) Grupo de natureza da despesa.
c) Elemento de despesa.
d) Modalidade de aplicação.
e) Desdobramento obrigatório do elemento de despesa.

04-(PCR- Analista de Compras/2003) São estágios que compõem o procedimento


de realização das despesas públicas:
a) empenho, liquidação, ordem de pagamento e pagamento.
b) empenho, configuração, ordem de precatório e pagamento.
c) empenho, limitação, inclusão e precatório.
d) empenho, diretriz, ordem de pagamento e precatório.
e) inclusão, motivação, destinação e empenho.

Avenida Domingos Ferreira, 2050 – 2 andar – Boa Viagem – Recife/PE – Tel.: 3465.8611 –
www.jusdecisum.com.br1
Ensino de Qualidade. Decisão de Sucesso.
AFO – Exercícios IV
Prof. Wilson Araújo

05- (CGU/2006) A classificação institucional da despesa é um critério indispensável


para a fixação de responsabilidades e os conseqüentes controles e avaliações.
Aponte a única opção que não pode ser considerada vantagem do critério
institucional.
a) Permite comparar imediatamente os vários órgãos, em termos de dotações recebidas.
b) Usado de forma predominante, impede que se tenha uma visão global das finalidades
dos gastos do governo, em termos das funções precípuas que deve cumprir.
c) Permite identificar o agente responsável pelas dotações autorizadas pelo Legislativo,
para dado programa.
d) Serve como ponto de partida para o estabelecimento de um programa de
contabilização de custos dos vários serviços ou unidades administrativas.
e) Quando combinado com a classificação funcional, permite focalizar num único ponto
a responsabilidade pela execução de determinado programa.

06- (SEFAZ – CE/2006) Despesas Correntes segundo a classificação orçamentária


brasileira são aquelas efetuadas para a manutenção dos serviços anteriormente
criados na Administração Pública.
Aponte a única despesa que não pertence a esse grupo.
a) Pessoal e encargos sociais.
b) Conservação e adaptação de bens imóveis.
c) Subvenções sociais.
d) Salário família.
e) Aquisição de instalações.

07- (SEFAZ – CE/2006) A classificação administrativa legal da despesa pública no


Brasil, sob a ótica do programa de trabalho da entidade, não inclui
a) o órgão.
b) a função.
c) o projeto.
d) a origem dos recursos.
e) a atividade.

08- (SEFAZ – CE/2006) A Classificação Funcional da Despesa Pública no Brasil


substituiu a Classificação Funcional-Programática dos dispêndios públicos.
Segundo a nova estrutura Funcional, identifique a única resposta falsa.
a) A subfunção representa um segmento da função, visando a agregar determinado
subconjunto de despesas.
b) O subprograma representa uma agregação do programa.
c) O programa é o instrumento de organização da atuação governamental que articula
um conjunto de ações concorrentes para um objetivo comum.
d) A função representa o nível mais elevado de agregação de informações sobre as
diversas áreas de despesa que competem ao setor público.
e) A atividade é um instrumento de programação que envolve um conjunto de operações
que se realizam de modo contínuo e permanente.

09- (TCE-GO/2007) A dotação orçamentária destinada a amortização da dívida


pública externa classifica-se como
a) transferência corrente.
b) transferência de capital.
c) inversão financeira.
d) despesa de custeio.
e) investimento.
Avenida Domingos Ferreira, 2050 – 2 andar – Boa Viagem – Recife/PE – Tel.: 3465.8611 –
www.jusdecisum.com.br2
Ensino de Qualidade. Decisão de Sucesso.
AFO – Exercícios IV
Prof. Wilson Araújo

10- (TCE-GO/2007) Entre as classificações da despesa, utilizadas na elaboração da


lei orçamentária anual, destacam-se a classificação institucional, funcional e
programática.
Com relação à utilização dessas classificações no Brasil, indique a resposta correta.
a) A classificação institucional, quando combinada com a classificação funcional e com
a estrutura programática, possibilita identificar a unidade responsável pela execução de
um determinado programa.
b) A atividade é um instrumento de programação para alcançar os objetivos de um
programa, envolvendo um conjunto de operações limitadas no tempo, das quais resulta
um produto final que concorre para a expansão ou para o aperfeiçoamento da ação do
governo.
c) As subfunções representam as ações desenvolvidas pelo governo, direta ou
indiretamente, reunidas em seus grupos maiores, para procurar alcançar os objetivos
nacionais, representando o maior nível de agregação das ações do governo.
d) O projeto é um instrumento de organização da ação governamental que articula um
conjunto de ações e concorre para um objetivo comum preestabelecido, visando a
solucionar um problema ou a atender uma necessidade ou demanda da sociedade.
e) A classificação institucional, se for usada predominantemente, permite uma visão
global das finalidades dos gastos do governo no sentido de se saber para que está sendo
realizada a despesa.

11- (SEFAZ – SP/2009) A classificação programática é considerada a mais


moderna classificação orçamentária de despesa pública. A portaria n. 42/99, do
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, propôs um elenco de funções e
subfunções padronizadas para a União, Estados e Municípios. Assim, de acordo
com a referida Portaria, a despesa que não se inclui na nova classificação é a
despesa por:
a) Função.
b) Subprograma.
c) Projeto.
d) Atividade.
e) Subfunção.

12- (SEFAZ – SP/2009) Assinale a opção falsa a respeito da conceituação e


classificação da despesa orçamentária brasileira.
a) A devolução de depósitos feitos em garantia é uma despesa que transita pelo
orçamento, embora sem afetar a situação patrimonial líquida.
b) A despesa orçamentária nem sempre é uma despesa de caráter econômico, ou seja,
não afeta a situação patrimonial líquida.
c) O consumo de um ativo do ente público pode não decorrer de uma despesa
orçamentária.
d) Na classificação econômica da despesa, utiliza-se complementarmente a modalidade
de aplicação para determinar se os recursos foram aplicados pela mesma esfera de
governo ou se foram transferidos.
e) Na classificação econômica, os grupos de despesa têm a finalidade de agrupar as
despesas que apresentam as mesmas características em relação ao objeto do gasto.

Avenida Domingos Ferreira, 2050 – 2 andar – Boa Viagem – Recife/PE – Tel.: 3465.8611 –
www.jusdecisum.com.br3
Ensino de Qualidade. Decisão de Sucesso.
AFO – Exercícios IV
Prof. Wilson Araújo

13- (SEFAZ – SP/2009) Assinale a opção verdadeira tendo como base as


disposições da Portaria MOG n. 42/1999 a respeito da discriminação da despesa
por função, subfunção e programa.
a) A competência para a definição e estruturação dos programas nas três esferas de
governo é da União, cabendo aos Estados, Distrito Federal e Municípios uma
competência residual.
b) O uso obrigatório da estrutura de classificação definida nesse instrumento normativo
alcança a União, Estados, Distrito Federal, porém, os Municípios estão dispensados de
aplicá-la.
c) Os programas são instrumentos de organização da ação governamental cujos
indicadores são definidos na lei orçamentária anual.
d) Na elaboração da lei orçamentária anual, é permitida a combinação de subfunções
com funções diferentes daquela a que está vinculada.
e) As operações especiais são aquelas que, embora resulte em um produto, não geram
contraprestação direta sob a forma de bens ou serviços.

Avenida Domingos Ferreira, 2050 – 2 andar – Boa Viagem – Recife/PE – Tel.: 3465.8611 –
www.jusdecisum.com.br4

Você também pode gostar