Você está na página 1de 18

FACULDADE FUTURA

ELIANE AMARAL
MATRICULA: 7230

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO


PROJETO PRÁTICO

BELA VISTA DO PARAÍSO


2021
FACULDADE FUTURA

ELIANE AMARAL

PROJETO PRÁTICO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO


GESTÃO

Relatório de estágio apresentado à disciplina


Estágio Supervisionado, da Faculdade
Futura, no Curso de Pedagogia 8°período,
como pré-requisito para aprovação.

BELA VISTA DO PARAÍSO

2021
1
INTRODUÇÃO

O termo Gestão Escolar foi criado para se diferenciar da expressão Administração


Escolar. Ele traz para o contexto educacional elementos e conceitos fundamentais para
aumentar a eficiência dos processos institucionais e melhorar o ensino.
Nesse sentido, quanto mais profissionalizada está a gestão de uma escola, mais
impactos positivos acontecem no dia a dia de trabalho e na qualidade do ensino.
O objetivo da gestão escolar é aplicar princípios e estratégias essenciais para
ampliar a eficácia dos processos dentro da instituição e, assim, promover uma consistente
melhoria do ensino ofertado aos estudantes.
Na gestão da escola, a preocupação é lidar com todos os aspectos pertinentes às
rotinas educacionais. Seu foco primordial é a obtenção de resultados, de empenho na
execução de uma liderança exemplar, de relevância do currículo e da participação ativa
dos pais.
A gestão se divide em 7 pilares principais que buscam a autonomia administrativa,
financeira, pedagógica e a otimização de tempo e processos nas instituições de ensino
regular e cursos.

1) GESTÃO PEDAGÓGICA DA ESCOLA

Esse é o pilar mais importante de todos. Ele deve ser a prioridade máxima da
instituição, uma vez que está direta e intimamente ligada à atividade-fim da empresa. Sendo
assim, a gestão pedagógica está relacionada a elementos de máxima relevância, tais como:

 planejar e organizar o sistema educacional;


 gerir os recursos humanos;
 melhorar as práticas educacionais;
 aprimorar as metodologias de ensino;
 elaborar e implementar projetos pedagógicos;
 definir metas para otimizar a relação de ensino/aprendizagem.

2) GESTÃO ADMINISTRATIVA DA ESCOLA

2
O objetivo principal da gestão administrativa da escola é gerenciar os recursos
materiais, físicos e financeiros da instituição.

A gestão é responsável por cuidar do patrimônio e assegurar a coerência de sua


utilização. Para garantir que sua atuação seja exemplar, é imprescindível:

 Manter um estado de constante atenção às normas e leis educacionais;


 Prezar pela manutenção dos bens da empresa;
 Ter atenção com as atividades rotineiras da secretaria (e de outras áreas) e
com operações pertinentes, de forma a ensejar um melhor trabalho do corpo docente.

3) GESTÃO FINANCEIRA DA ESCOLA

A funcionalidade da gestão financeira escolar consiste em gerir os recursos


financeiros. Fica sob sua alçada, por exemplo, realizar um levantamento de todas as
receitas e despesas, definir o destino dos recursos, fazer a distribuição apropriada do
dinheiro de acordo com as demandas de cada atividade e setor etc.
A gestão escolar financeira competente é aquela capaz de garantir que todos os
setores tenham suas demandas atendidas e possam funcionar de forma plena e
satisfatória, contribuindo para que a organização alcance seus objetivos de negócios.

4) GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DA ESCOLA

O setor de recursos humanos deve prezar por uma boa relação com todo esse
contingente de pessoas ligado direta e indiretamente aos processos da instituição. Contudo,
o foco deve ser majoritariamente o engajamento e a motivação dos colaboradores, para que
eles possam desenvolver as habilidades necessárias para a obtenção de um melhor
desempenho da escola.

5) GESTÃO DA COMUNICAÇÃO DA ESCOLA

3
A gestão de recursos humanos e a comunicação estão, de fato, conectadas uma à
outra. Mas esta última diz respeito somente à comunicação realizada internamente na
instituição.
Ela trata também da comunicação feita para além dos muros da escola, ou seja, com
a comunidade exterior, com o “público”.

6) GESTÃO DE TEMPO E QUALIDADE DO ENSINO

Por gestão do tempo, entendemos aqui o ato de estimular e proporcionar que todos
os setores tenham condições de aumentar a produtividade. E, também, de fazer com que os
procedimentos internos apresentem um elevado nível de excelência.
Nesse caso, os gestores devem organizar e coordenar o trabalho, de modo que a
equipe obtenha um ótimo desempenho e, consequentemente, reduza ineficiências.

7) CONTROLE ACADÊMICO ESCOLAR

O controle acadêmico faz referência à gestão dos alunos, englobando:


 Gestão de matrículas dos alunos
 Gestão de documentos dos alunos
 Gestão de transferência e remanejamento de alunos
 Gestão das turmas dos alunos
 Gestão dos diários dos professores
 Gestão das notas dos alunos
 Gestão da frequência dos alunos
 Gestão da carga horária dos alunos
 Gestão dos conteúdos ministrados pelos professores

Regimento. O documento nada mais é do que um conjunto de regras que estruturae


estabelece todo o funcionamento e a organização da instituição de ensino — na suas
esferas administrativa, didática, pedagógica e disciplinar. É por meio do Regimento Escolar
que são estruturadas, definidas e normatizadas as ações do coletivo escolar. Enquanto no
PPP são apresentadas as ações educativas necessárias ao ensino e aprendizagem, o
Regimento Escolar apresenta as normas, as “regras” que regem tais ações, bem como

4
descreve o papel de cada segmento que compõe a comunidade escolar.Cabe salientar que,
tanto o PPP quanto o Regimento Escolar são os primeiros documentosa serem criados e/ou
atualizados, pois, conforme apontado na unidade anterior, não é possível solicitar a
regularização da vida legal da instituição sem os pareceres e atos que comprovam a
legalidade desses documentos. É fundamental, no entanto, que o regimento esteja em
conformidade com a legislação que é aplicada no país — como é o caso da Lei N° 9.394, de
20 de dezembro de 1996, a chamada Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação nacional
— bem como a que é aplicada, especificamente, no estado e municípioem que se encontra a
escola.
O regimento escolar ainda deve estar de acordo com a Base Nacional Comum
Curricular (BNCC) (que pode ser conferida aqui) e com o Projeto Político/Pedagógico do
estabelecimento educacional em questão.
Mas o que, de fato, deve conter o regimento escolar?
Como o documento irá guiar a escola em todas as suas esferas, ele deve ser bastante
detalhado. E dentre as diversas informações que deve conter estão:
 As referências sobre quem é a escola e como ela funciona (quais são os seus
níveis de ensino, em que turnos opera, qual a carga horária dos períodos, quantos serão os
dias letivos, etc.);
 Os objetivos da instituição;
 Os direitos e deveres da direção, do corpo docente e dos demaisfuncionários,
também dos alunos e de seus responsáveis; bem como as devidas punições para as
eventuais infrações;
 Especificações sobre o sistema de avaliação da instituição de ensino;
 A existência de projetos especiais, dentre outros aspectos.
Para ajudar os educadores nesse sentido, as secretarias estaduais e municipais de
educação costumam disponibilizar em seus sites oficiais modelos básicos para a construção
do regimento escolar.

Desta forma, é possível que as escolas elaborem a sua versão do documento com base
em uma referência comum. Procure a secretaria de educação da sua região e veja se há
um modelo disponibilizado por ela! Por ora, aqui você pode conferir um exemplo detalhado
do documento.
Vale destacar, ainda, que o ideal é que a formulação do regimento seja efetuada
coletivamente, ou seja: com a contribuição de toda a comunidade escolar.
Lembre-se, no entanto, que para ter tempo de elaborar ou alinhar o regimento
5
escolar da sua instituição de ensino da melhor forma possível, uma ótima dica é contar com
ferramentas parceiras, capazes de descomplicar os demais processos do dia a dia.

6
REGIMENTO ESCOLAR

IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO
Nome da Escola: SAGRADO CORAÇÃO
Localização da Escola: R: JOAQUIM LADEIA Nº 213
Níveis de ensino: EDUCAÇÃO INFANTIL, ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO
Sistema de Avaliação: Ela ocorre de forma contínua, formativa e cumulativa. Acontece no
cotidiano da escola, através das diferentes atividades, entre elas, produções diárias dentro e
fora da sala de aula, e através dos testes e provas desenvolvidos durante e no final de cada
uma das três unidades planejadas para o ano letivo. O Colégio promove a segunda chamada
para aqueles alunos que, por motivo de saúde, não tenham participado das atividades
avaliativas parciais e/ou global. Para ter acesso a essa oportunidade, o pai ou a mãe deverá
vir à escola para fazer um requerimento mediante a apresentação do atestado médico e p
pagamento de uma taxa por cada prova realizada. A taca deverá ser paga na Tesouraria.
Aproveitamos para chamar a atenção para algumas informações que você, caro(a) aluno(a),
precisa estar mais atento.1. O(a) aluno(a) precisa chegar ao final de cada unidade com um
aproveitamento, no mínimo, satisfatório, o que equivale ter se apropriado de 70% dos
conteúdos e das competências e habilidades previstos, para ser aprovado (a) com média sete
(7,o). Não atingindo essa média, o aluno deverá aprofundar seus estudos, para se recuperar
das dificuldades identificadas e se submeter a uma nova atividade avaliativa que acontecerá
após as provas globais. Os alunos do 8º ano ao Ensino Médio farão a prova de recuperação
em horário contrários ao das aulas regulares, e do 2º o º do Ensino Fundamental, no horário
de aula.

OBJETIVOS E FINS
 I - desenvolver a capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de
conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores;
 II - compreender o ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia das
artes e dos valores em que se fundamentam a sociedade;
 III - proporcionar ao educando, a formação necessária para o desenvolvimento de suas
potencialidades, como elemento de auto-realização, e o exercício consciente da
cidadania;
 IV - promover a formação integral da criança até a fase de pré-adolescência;
 V - desenvolver habilidades com domínio dos aspectos físico, moral e social, dotando-
os de instrumentos de desenvolvimento a fim de desempenhar com eficiência os

7
deveres de homem e cidadão;
 VI - favorecer o desenvolvimento no aluno do espírito político, da criatividade e da
logicidade, atendendo as suas diferenças individuais e ao seu ritmo próprio;
 VII - habilitar ao prosseguimento dos estudos;
 VIII - desenvolver a capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno
domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
 IX - possibilitar o fortalecimento dos vínculos de família.

Objetivos Geral: Garantir condições para que todos os alunos desenvolvam suas
capacidades e aprendam os conteúdos necessários para a vida em sociedade; · Promover o
exercício da cidadania a partir da compreensão da realidade para que possa contribuir na
transformação do aluno-cidadão. Atingir a qualidade social para todos e cada um dos seus
alunos; garantir de forma sistemática a apropriação do conhecimento acumulado pela
humanidade; desenvolver as diversas habilidades; contribuir para o desenvolvimento integral
do sujeito histórico; para ter visão de mundo.
Propiciar formas para que o aluno compreenda a sua importância no seu meio social;

Objetivos Especificos: Oferecer Oficinas de Leitura e Campeonatos Esportivos, para que


os alunos entendam a importância da leitura em seu crescimento interior e do esporte na sua
saúde física e mental;Desenvolver atitudes de respeito, responsabilidade e cooperação no
ambiente escolar;
Desenvolver a capacidade critico-reflexiva do aluno face as questões político-social-cultural;
Descobrir-se como agente do conhecimento, a partir das atividades propostas na escola. O
objetivo da educação na escola pública é atingir a qualidade social para todos e cada um dos
seus alunos; garantir de forma sistemática a apropriação do conhecimento acumulado pela
humanidade; desenvolver as diversas habilidades; contribuir para o desenvolvimento integral
do sujeito histórico; para ter visão de mundo coesa, coerente e consistente; resolver conflitos
individuais, de grupos e coletivos; alicerçada em valores éticos; estimular, promover e
oportunizar o processo de construção coletiva, participativa na sociedade para manter e/ou
transformá-la de forma consciente, crítica, criativa e responsável.

ORGANIZAÇÃO ESCOLAR
8
Organização Pedagógica: Os princípios Pedagógicos que fundamental a prática educativa
enfoca:
I. o trabalho com as diferentes dimensões do desenvolvimento humano;
II. a criação de espaços e situações que favoreçam a observação, o diálogo, a reflexão,
questionamentos, interpretação, descoberta de potencialidades e de limites, a partilha e o
cultivo do silêncio, visando a uma aprendizagem mais significativa;
III. o desenvolvimento de projetos na área social, educacional e cultural como compromisso
ético com a coletividade;
IV. o planejamento integrado das ações educativas;
V. elevação qualitativa do rendimento escolar;
VI. a utilização de recursos pedagógicos que possibilitem ao estudante o acesso e o
desenvolvimento do conhecimento nas suas diversas áreas;
VII. o desenvolvimento de atividades diversificadas e atraente e de práticas de participação
solidária;
VIII. a socialização dos saberes, valorizando as experiências de vida de cada um e da
coletividade;
IX. a avaliação formativa, com atenção especial para o processo de aprendizagem em que o
estudante sinta alegria de acertar após.
A organização democrática, no âmbito escolar, caracteriza-se pela participação e
corresponsabilidade da comunidade escolar na tomada de decisões coletivas, para a
elaboração, implementação e acompanhamento do Projeto Político- Pedagógico/Proposta
Pedagógica.
O trabalho pedagógico é organizado por meio da equipe gestora (direção, direção auxiliar e
equipe pedagógica), coordenações, equipe docente, agente educacional I e agente
educacional II e órgãos colegiados de representação da comunidade escolar: Conselho
Escolar, Conselho de Classe, Conselho de Avaliação da Educação de Jovens e Adultos,
Associação de Pais, Mestres e Funcionários – APMF e Grêmio Estudantil.
São elementos da gestão democrática, a escolha da direção pela comunidade escolar, na
conformidade da lei, a elaboração e reformulação do Projeto Político-Pedagógico/Proposta
Pedagógica e sua regulamentação no Regimento Escolar, com a participação de toda a
comunidade escolar e a constituição do órgão máximo de gestão colegiada denominado de
Conselho Escola.
As funções de um coordenador escolar nem sempre estão bem demarcadas. Por conta disso,
o coordenador acaba fazendo o trabalho que poderia ser delegado para outras pessoas,

9
acumula tarefas e, consequentemente, não exerce suas principais funções com a excelência
que gostaria.
Na escola, o coordenador é um profissional dinâmico que orienta o trabalho coletivo. Além
disso, ele tem o papel de fazer a conexão entre todos indivíduos envolvidos no meio
educacional.
É importante ressaltar que o coordenador é o profissional que aponta alternativas, reúne
ideias, alavanca recursos e sugere modos para renovar e inovar a prática escolar. A melhoria
das ações pedagógicas na sala de aula dependem da ação efetiva do coordenador.

Organização Administrativa: Administrativa, corresponsável por toda a área administrativa,


responderá pelas atividades de desenvolvimento de Recursos Humanos, Administração de
Pessoal, Logística, Finanças, Patrimônio e Tecnologia da Informação. Por melhor que seja o
diretor, com o ativismo que hoje vivem as escolas e, com o acúmulo de funções epapeis que
cada pessoa desempenha em determinado contexto, urge a necessidade dese ter pessoas
que facilitem e agilizem tarefa de gerenciamento da escola.

Art. 116º. Compete à Vice-Direção Administrativa nas Funções Pedagógicas:


I. ajudar a manter o clima organizacional;
II. zelar pela unidade de procedimento em relação à metodologia aplicada na escola;
III. contribuir na elaboração e dinamização das propostas pedagógicas da escola;
IV. auxiliar no cumprimento interno da legislação educacional vigente;cumprir a carga horária
V. ajudar a garantir a fidelização dos princípios educativos e
filosóficos de Champagnat e da Igreja;
VI. ajudar na elaboração e organização de cursos de capacitação
para os funcionários;
VII. auxiliar a Coordenação Pedagógica, no que diz respeito às condições de
trabalho para que os demais profissionais desenvolvam suas atribuições;
VIII. ajudar a fazer a triagem dos assuntos a serem atendidos pelo diretor.
IX. assessorar o setor pedagógico no que se refere a orçamento,
procedimentos administrativos e trabalhistas.
X. desempenhar atividades como supervisora de estágio na área administrativa.
I. Zelar pela ambientação da escola;
II. Auxiliar na administração dos recursos materiais, para que não haja desperdícios;
10
III. Ajudar a manter as informações em dia para toda a comunidade interna e externa,
atravésdas comunicações recebidas dos vários setores da escola;
IV. Ajudar quando necessário, na distribuição das correspondências;
V. Auxiliar a manter em dia, as correspondências oficiais e sociais da direção da escola;
VI. Receber propagandistas, fazendo a triagem necessária;
VII. Garantir o bom funcionamento na gestão de RH (Recursos Humanos);
VIII. Solicitar e administrar o recurso financeiro em vista dos eventos da Escola;
IX. Prever a Planilha Orçamentária anualmente;
X. Executar os recursos financeiros, aprovados em Planilha Orçamentária;
propor novos métodos, estratégias e procedimentos operacionais relativos a sua área de
atuação, objetivando aumentar a eficiência e eficácia das ações inerentes às áreas de
administração de Pessoal, Desenvolvimento dos Recursos Humanos, Logística, Tecnologia
da Informação e Finanças.

DIREITOS E DEVERES
É de direito à igualdade de condições de alunos para o acesso e permanência na escola. –
É de direito de o aluno ser respeitado por seus educadores, funcionários da escola e colegas
de turma. – É dever de pais e alunos respeitar seus educadores e funcionários da escola,
sem distinção de cargo e ou função.
 Respeito à sua dignidade como pessoa, independente de sua convicção religiosa, política
ou filosófica, grupo social, etnia e nacionalidade;
 II – assistência técnico-pedagógica, visando ao seu desenvolvimento global a harmônico;
 III – oportunidade para desenvolver sua capacidade e potencialidade;
 IV – assistência e orientação educacional e vocacional;
 V – oportunidade para participar das instituições escolares de caráter educacional;
 VI - exercício da função de representante de turma, quando for o caso;
 VII – oportunidade para participar de promoções sociais, culturais e desportivas;
 VIII – uso das instalações físicas e equipamentos da escola, desde que autorizado pela
Direção;
 Art. 161º. Constituem-se deveres dos estudantes:
 I. comparecimento assíduo e pontual às aulas e atividades programadas pelos

11
professores e pelo colégio, não se ausentando durante o horário escolar, sem a devida
permissão;
 II. apresentar-se ao colégio com trajes adequados de um ambiente escolar e com o
material necessário às aulas;
 III. zelar pela limpeza e conservação das instalações físicas, do mobiliário, do material
escolar e dos equipamentos do colégio

12
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nesse processo de construção pedagógica, um convite para a participação de todos


os membros da comunidade escolar viabiliza uma gestão escolar democrática e
participativa, como na elaboração do Projeto Político Pedagógico, por exemplo.
É importante ressaltar a dificuldade da direção em lidar com os desafios de uma
Gestão democrática, devido a falta de capacitação profissional especifica á função a qual
desempenham. Embora, se esforce, ainda não entende o papel e a força que tem um
Conselho Escolar como seu aliado na transparência e na qualidade da Gestão Escolar.
Mostrando-se muitas vezes, autoritária, centralizadora ou mesmo, desmotivadora.
Vale ressaltar também, o desinteresse por parte de alguns professores funcionários,
em participarem tanto da incorporação dos conhecimentos sobre o processo participativo
nos Projetos da escola, bem como, no desenvolvimento das ações que visam a qualidade
no âmbito da escola.
Diante da realidade apresentada, considera-se que para buscar a participação dos
profissionais na construção de um Projeto Democrático que busque de fato a qualidade da
educação, faz-se necessário, que a escola implemente a organização do Conselho escolar,
do Grêmio estudantil, da Associação de pais, bem como, o processo de eleição direta para
a escolha do Dirigente escolar, todos os componentes da gestão democrática.
O regimento escolar é um conjunto de regras que definem a organização
administrativa, didática, pedagógica, disciplinar da instituição, estabelecendo normas que
deverão ser seguidas para na sua elaboração, como, por exemplo, os direitos e deveres
de todos que convivem no ambiente. Define os objetivos da escola, os níveis de ensino
que oferece e como ela opera. Dividindo as responsabilidades e atribuições de cada
pessoa, evitando assim, que o gestor concentre todas as ordens, todo o trabalho em suas
mãos, determinando o que cada um deve fazer e como deve fazer.
O Regimento deve surgir da reflexão que a escola tem sobre si mesma,
porém, deve estar de acordo com a legislação e a ordem que é aplicada no país, estado e
município. Ele é um o documento administrativo e normativo de uma unidade escolar que,
fundamentado na proposta pedagógica e coordena o funcionamento da escola,
regulamentando ações entre os representantes do processo educativo. Ele deve ser
baseado em um texto referencial e em princípios democráticos, adotados pela Secretaria
de Estado da Educação que são a base para promover a discussão, a reflexão e a tomada

13
de decisão pelos membros da escola, buscando respostas às questões referentes ao
processo de ensino e aprendizagem.
O regimento escolar é um conjunto de regras que definem a organização
administrativa, didática, pedagógica, disciplinar da instituição, estabelecendo normas que
deverão ser seguidas para na sua elaboração, como, por exemplo, os direitos e deveres
de todos que convivem no ambiente. Define os objetivos da escola, os níveis de ensino
que oferece e como ela opera. Dividindo as responsabilidades e atribuições de cada
pessoa, evitando assim, que o gestor concentre todas as ordens, todo o trabalho em suas
mãos, determinando o que cada um deve fazer e como deve fazer.
O Regimento deve surgir da reflexão que a escola tem sobre si mesma, porém, deve
estar de acordo com a legislação e a ordem que é aplicada no país, estado e município.
Ele é um o documento administrativo e normativo de uma unidade escolar que,
fundamentado na proposta pedagógica e coordena o funcionamento da escola,
regulamentando ações entre os representantes do processo educativo. Ele deve ser
baseado em um texto referencial e em princípios democráticos, adotados pela Secretaria
de Estado da Educação que são a base para promover a discussão, a reflexão e a tomada
de decisão pelos membros da escola, buscando respostas às questões referentes ao
processo de ensino e aprendizagem.
Toda instituição deve possuir um conjunto de normas e regras que regulem a suas
propostas explicitadas em um documento que deve está disponível para a consulta de toda
a comunidade escolar.
O momento de construção do Regimento Escolar deve propiciar o aperfeiçoamento
da qualidade da educação, estabelecendo a responsabilidade de cada um dos segmentos
que compõem a instituição escolar como forma de garantir o cumprimento de direitos e
deveres da comunidade escolar.
Ele deve estar de acordo com uma proposta de gestão democrática, assim ele
possibilitará a qualidade do ensino, fortalecendo a autonomia pedagógica e valorizando a
participação da comunidade escolar que está representada através dos órgãos colegiados,
como, por exemplo, o Conselho Escolar e o grêmio estudantil. Outro objetivo do Regimento
é o cumprimento das ações educativas estabelecidas no Projeto Político-Pedagógico da
escola.

14
A escola deve ser percebida como um espaço que favorece a discussão dos
conhecimentos históricos acumulados pela sociedade. É através dessa construção coletiva
que teremos uma organização capaz de efetivar uma educação de qualidade, gratuita e
para todos, além de formar cidadãos críticos capazes de transformar a sua realidade.
Dessa forma, podemos conclui que o Regimento Escolar é essencial para uma instituição
escolar que busca a qualidade do ensino numa perspectiva democrática.

15
REFERÊNCIA:

BRASIL, Acesso em 27 de Outubro de 2021 https://blog.wpensar.com.br/gestao-


escolar/o-que-e-gestao-escolar/

BRASIL, Acesso em 27 de Outubro de 2021 http://www.proesc.com/blog/gestao-escolar/

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil:


Promulgada em 5 de outubro de 1988. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. (Série
Legislação Brasileira). Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC9
1_2016.pdf

BORDIGNON, Genuino; GRACINDO, Regina Vinhaes. Gestão da educação:


oMunicípio e a escola. Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://genuinobordignon.wordpress.com/2013/06/11/gestao-da-educacao-o-
municipio-e-a-escola/

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola. Goiânia: Alternativa,


2002. Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://www.academia.edu/4048801/ORGANIZA%C3%87%C3%83O_E_GEST
%C3%83O_DA_ESCOLA_Teoria_e_Pr%C3%A1ctica_Por

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. Acesso em 27 de Outubro de
2021
https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4559601/mod_resource/content/1/JC%20LIBANE
O%20Didatica.pdf

LUCK, Heloisa. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. São Paulo:


Cortez, 2002. Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/4093/1/HDMM19032018.pdf

ROMÃO, José. Diretores escolares e gestão democrática da escola. São Paulo:


Cortez, 1997. Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/viewFile/19794/11532

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto Político Pedagógico da Escola:


uma construção possível. Campinas. Papirus, 1996. Acesso em 27 de
Outubro de 2021 https://www.sinprodf.org.br/wp-
content/uploads/2014/01/PPP-segundo-Ilma-Passos.pdf

16
FERREIRA, Naura S. Carapeto; AGUIAR, Márcia Ângela da S. Gestão da
Educação: impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, 2004,
p.147). Acesso em 27 de Outubro de 2021
https://www.anpae.org.br/BibliotecaVirtual/7-
Artigos/AImportanciaDaGestaoDemocraticaDaEscolaParaODesenvolvimentoLoca
l.pdf

http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/
2412/159

17

Você também pode gostar