Você está na página 1de 4

Escola BS Prof. Dr.

Francisco de
Freitas Branco, Porto Santo Cursos de Educação e Formação
N.º do Código do Estabelecimento de de Adultos – EFA
Ensino 3201201 Portaria n.º74/2011 de 30 de junho
N.º de Telefone: 291 980030/Fax:291
980047/46

Ano Letivo 2020/2021


Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade
Núcleo Gerador 7: Argumentação e Assertividade
Domínio de Referência (DR3b): Mecanismos deliberativos
Formando(a): Ricardo Bruno Alves dos Santos

Conscientes da pluralidade de aproximações possíveis ao presente tema, alertamos para o


carácter específico da interpretação que pretendemos preconizar, já que a sua leitura a
partir da realidade associativa é tão só uma das possíveis análises à supracitada
competência, que adquire outras valências, se analisada na relação que cada cidadão
mantém com as diversas instituições com que se relaciona.
Com esta metodologia, procuramos oferecer uma leitura mais pormenorizada desta
competência, ao mesmo tempo que possibilitamos a análise conjunta e integrada de vários
temas
Dentro deste quadro metodológico, consideramos que participação ativa na vida associativa,
mormente a que decorre do vínculo aos seus órgãos dirigentes, permite a aquisição
progressiva de um conjunto de conhecimentos essenciais ao funcionamento das
associações. Aquisição que ao pressupor a utilização correta da língua portuguesa - quer na
defesa dos projetos associativos, sujeitos ao escrutínio dos associados, quer no diálogo
institucional com outras instituições - possibilita a materialização da referida competência.

Proposta de trabalho: Dentro do mundo associativo, para materializar os projetos de uma


determinada associação, existem múltiplos mecanismos deliberativos. A "eleição dos órgãos
dirigentes", a "votação das atividades em assembleia-geral" e as "relações institucionais
com a Câmara Municipal, Junta de Freguesia e GNR", enquanto exemplos, apresentam-se
como pontos de partida para a desocultação das suas experiências de vida. Deste modo,
procure evidenciar os aspetos da sua vida associativa que, na qualidade de membro dos
seus órgãos dirigentes, demonstrem que é possuidor da competência em análise.

Proposta de Trabalho

1. Refira o que entende por associativismo e movimentos coletivos.


R: O associativismo é uma forma de organização da sociedade civil, na qual os cidadãos se
agrupam em torno de interesses comuns com objetivos de entre ajuda e cooperação sem
fins lucrativos. Esta união, numa fase inicial, restrige-se apenas à família e a grupos
informais evoluindo posteriormente para grupos mais organizados, com objetivos mais
idealistas, constituindo um vetor essencial de socialização humana. Trata-se, portanto, de
um importante meio para o exercício do pleno direito de cidadania que a todos assiste.
Página 1 de
Escola BS Prof. Dr. Francisco de
Freitas Branco, Porto Santo Cursos de Educação e Formação
N.º do Código do Estabelecimento de de Adultos – EFA
Ensino 3201201 Portaria n.º74/2011 de 30 de junho
N.º de Telefone: 291 980030/Fax:291
980047/46

Por sua vez o movimento coletivo são organismos sociais dotados de personalidade jurídica
e constituídos para realizar interesses comuns ou coletivos, que podem ser de direito
público ou de direito privado sem fins lucrativos.

2. Discrimine cinco exemplos de associações, destacando o (s) objetivo (s) subjacente (s) a
cada uma delas.
R: ABIMOTA - Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens,
Mobiliário e Afins - A ABIMOTA é uma entidade sem fins lucrativos que ajuda no
desenvolvimento sustentado do tecido industrial da região em geral e dos Associados.
ACIF/CCIM - Associação Comercial e Industrial do Funchal – Câmara de Comércio e
Indústria da Madeira – A ACIF/CCIM é uma associação privada sem fins lucrativos que
enquanto associação empresarial, representa as empresas que exercem a sua atividade na
Região Autónoma da Madeira, nas áreas do comércio e serviços da indústria e do turismo.
ADIFA - Associação de Distribuidores Farmacêuticos – A ADIFA é uma associação que
ajuda na defesa dos interesses comuns dos associados a nível político, empresarial e
económico.
AIN - Associação das Indústrias Navais - A AIN é uma Associação de Empregadores,
com o objetivo principal de representar a construção e reparação naval, e um número
diversificado de empresas que operam em áreas afins, nomeadamente, serviços de
consultoria, fornecedores de equipamentos e operadores marítimo-portuários.
APDC - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações - A APDC
assume-se como plataforma de debate e reflexão de todos os temas decisivos e
mobilizadores da transformação para o digital. Desde 1984, desenvolve a sua atividade em
torno de um conjunto consistente e mobilizador de iniciativas, envolvendo todos os
stakeholders nos temas que marcam a agenda de uma indústria que cada vez mais
horizontal e crítica.

2.1. Faz ou já fez parte de alguma associação?


 R: Não

2.2. Se sim, indique qual a associação e explique, de forma resumida, os motivos que o
levaram a pertencera essa mesma associação.
2.3. Se não, refira se gostaria ou não de fazer (indicando em caso afirmativo a associação
em causa). Justifique a sua resposta.
R: Gostaria de fazer parte da ADFA - Associação dos deficientes das Forças Armadas,
porque tendo sido militar durante 7 anos, entendo de certo modo, a dificuldade de aceitar
que nunca mais poderemos ajudar o nosso país com missões no estrangeiro ou até o
simples facto de nunca mais podermos tocar na nossa “melhor amiga G3”. Poderia ajudar a
ultrapassar psicologicamente muitos dos deficientes das Forças Armadas.

Página 2 de
Escola BS Prof. Dr. Francisco de
Freitas Branco, Porto Santo Cursos de Educação e Formação
N.º do Código do Estabelecimento de de Adultos – EFA
Ensino 3201201 Portaria n.º74/2011 de 30 de junho
N.º de Telefone: 291 980030/Fax:291
980047/46

3. Indique as dificuldades que se apresentam ao funcionamento associativo, nos nossos


dias (razões pelas quais as pessoas dificilmente se mobilizam em torno dos seus
ideais/causas?)
R: Falta de apoio da autarquia
Falta de dinheiro
Falta de instalações
Falta de tempo por parte dos associados
 
3.1. Apresente soluções de combate às dificuldades que enunciou.
R: Quanto ao apoio da autarquia temos de tentar sempre convencer que uma certa
associação é necessária para reprentar todos os possíveis associados
Quanto à falta de dinheiro pode-se elaborar estratégias para conseguir a quantia que
precisamos como por exemplo vender comida e bebida em festas populares.
Quanto à falta de instalações é conseguir chegar a acordo com alguma instituição que
possa facultar um espaço por um determinado tempo até conseguir o próprio espaço.
Quanto ao tempo por parte dos associados é uma questão pessoal de cada um. Ou seja é
preciso o esforço de todos os intervenientes para que consigam obter todos os objetivos da
associação.
 

4. Crie uma associação que considerem ser útil ao meio local onde se encontram
inseridos. Parâmetros a considerar
 
Nome da Associação
APCAPS - Associação Portuguesa de crianças Autistas do Porto Santo
Slogan da Associação 

Aprender e compreender
Área de Intervenção
Ajudar no dia-a-dia a todas as crianças com autismo no Porto Santo.

Página 3 de
Escola BS Prof. Dr. Francisco de
Freitas Branco, Porto Santo Cursos de Educação e Formação
N.º do Código do Estabelecimento de de Adultos – EFA
Ensino 3201201 Portaria n.º74/2011 de 30 de junho
N.º de Telefone: 291 980030/Fax:291
980047/46

Problema que visa combater e/ou sensibilizar e/ou necessidade que pretende


colmatar
Neste momento as crianças autistas não tem o apoio suficiente no Porto Santo e muitas
vezes os pais precisam muito mais do que é facultado por isso é importante não existir
discriminação, existir solidariedade e existir o poder da inclusão dessas mesmas crianças a
nível social

Principais objetivos 
Promover um espaço em que os associados ajudem com a educação e ensino dessas
mesmas crianças.

Quem são os seus associados 


Qualquer pessoa que seja responsável e que seja muito compreensivel.

Formas de divulgação da associação 


Redes Sociais, Panfletos na caixa de correio da população, promoção na rádio local, jornais
e eventos.

Medidas a serem lançadas/implementadas pela associação


Criação de um fundo de emergência para as crianças autistas
Programas de apoio

Página 4 de

Você também pode gostar