UNIVERSIDADE DE UBERABA MARLON DALTON SILVA RA 5106119

RELATÓRIO I FÍSICA III ± DENSIDADE APARENTE E DENSIDADE REAL

UBERABA ± MG 2011

quanto maior for o empacotamento dos átomos. amplamente. relacionado à compressão e empacotamento dos átomos e moléculas (grau de liberdade). cada substância pura tem uma densidade própria que a identifica e diferencia das outras substâncias.INTRODUÇÃO TEÓRICA Densidade relativa e densidade real Densidade é a relação entre a massa de uma substância e o volume que ela ocupa. pela conveniência da sua densidade (1. O processo de enchimento de um picnômetro faz-se através do escorrimento do líquido pela parede. define-se como a propriedade da matéria correspondente à massa por volume. sendo seu conceito muito mais amplo. No cálculo da densidade relativa de sólidos e líquidos. O valor de densidade de uma substância está. Diferente do que se costuma imaginar a densidade não é apenas o resultado de uma operação aritmética de divisão entre a massa e o volume de uma substância. A densidade absoluta é uma propriedade específica. A densidade relativa é a razão entre as densidades absolutas de duas substâncias. Por exemplo. que são fontes de erros experimentais.00 g/cm³). onde normalmente a água é utilizada como substância padrão. mais densa é a substância. maior será a sua densidade. . A densidade relativa deste material é uma relação da sua densidade absoluta e a densidade absoluta estabelecida por uma substância usada como padrão. líquidos segundo o SI(sistema internacional de unidades) é medida em kg/m3. Existem dois tipos de picnômetros: de líquidos e de sólidos. Da mesma forma. para evitar a formação de bolhas de ar. quanto maior for a compressão sobre um objeto. A picnometria é um processo que utiliza um picnômetro (de líquidos ou sólidos) para determinar a densidade relativa de dois materiais (líquido-líquido ou líquido-sólido). o padrão escolhido é a densidade absoluta da água que é igual a 1000g/cm3 a 4 ºC. A densidade de sólidos. A densidade absoluta ou massa volumétrica. isto é.

adicionando em seu interior certo volume definido de particulados e em seguida encontrar sua massa. determina-se o volume real de grânulos. MATERIAL UTILIZADO Balança.9 g Densidade aparente: massa/volume feijão = 74.3 ± 144. Feijão em grãos. Dividindo-se a massa pelo volume real. MÉTODOS Determinar a tara da proveta. Pelo método do volume deslocado de água. Dividindo-se a massa pelo volume. obtemos a densidade aparente.9 g / 100 cm3 = 0. RESULTADOS E ANÁLISES Densidade aparente feijão (carunchado) Massa da proveta: 144. proveta: Consumo.749 g/cm3 .OBJETIVOS Determinar experimentalmente a densidade aparente e a densidade real. determinas-se a densidade real.3 = 74.2 g Massa do feijão inserido: 219. medimos então: Nova massa proveta: 219. pedra britada de basalto.3 g Inserimos 100 cm3 deste tipo de feijão.

3 = 70. colocamos mais 100 cm 3 de água. medimos então: Nova massa proveta: 280.9 g / 65 cm3 = 1.4 g Massa do feijão inserido: 219.3 ± 144.8 g Densidade aparente: massa/volume feijão = 70. observamos o deslocamento do líquido.9 g .8 g / 100 cm3 = 0.15 g / cm3.6 g Inserimos 100 cm3 deste tipo de feijão. onde tivemos uma alteração do volume para 162.5 cm3.8 g / 62. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 65 cm 3.3 g Inserimos 100 cm3 de pedra britada de basalto. Densidade aparente pedra brita Massa da proveta: 144.5 cm3 = 1.708 g/cm3 Densidade real do feijão (novo) Em uma proveta com 100 cm 3 de feijão.13 g / cm3. medimos então: Nova massa proveta: 356. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 74. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 62. Densidade aparente feijão (novo) Massa da proveta vidro: 285.Densidade real do feijão (carunchado) Em uma proveta com 100 cm3 de feijão. onde tivemos uma alteração do volume para 165 cm3. colocamos mais 100 cm3 de água.5 cm 3. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 70. observamos o deslocamento do líquido.

Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 136.9g / cm3.6 g / 45 cm3 = 3.3 g Inserimos 100 cm3 de pedra britada de basalto. onde tivemos uma alteração do volume para 145. observamos o deslocamento do líquido. onde tivemos uma alteração do volume para 149. colocamos mais 100 cm 3 de água.5 cm3.6 g / 100 cm3 = 1. observamos o deslocamento do líquido.3 g Massa da brita inserida: 144 g Densidade aparente: massa/volume brita = 144 g / 100 cm3 = 1. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 49.04 g / cm3.Massa da brita inserida: 136. pela diferença encontrada onde concluímos que o volume do feijão real era de 45 cm3.5 cm3 = 2. Densidade aparente pedra brita segunda análise Massa da proveta: 144. Por este novo valor temos a DENSIDADE REAL como: massa / novo volume = 136.36 g/cm3 Densidade real pedra brita Em uma proveta com 100 cm3 de brita. medimos então: Nova massa proveta: 288.44 g/cm3 Densidade real pedra brita Em uma proveta com 100 cm3 de brita.6 g Densidade aparente: massa/volume brita = 136.5 cm3.6 g / 49. colocamos mais 100 cm 3 de água. .5 cm3.

2011 .com/doc/24321911/Densidade-e-gravidade-especifica. 2011 em: http://www. Disponível Acesso em: 23 fev. Densidade e gravidade específica. REFERÊNCIAS Densidade relativa.CONCLUSÃO A densidade aparente é um parâmetro necessário para o cálculo dos parâmetros de dosagem para qualquer tipo de mistura onde o esta mistura caracteriza-se por não possuir um corpos regulares.scribd. acesso em 23 fev. e também para determinação do volume em quantidade significativas para qualquer tipo de análise. da densidade aparente dos agregados. Disponível em http://www.pt/$densidade-relativa.infopedia. do volume de vazios e da densidade máxima teórica determinam-se as características volumétricas de uma mistura. A partir da densidade aparente da amostra compactada.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful