Você está na página 1de 373

Índice

Classes de Saúde

Orientação ............................................................................................................................................................ 1

Princípios de Saúde e Cura ............................................................................................................................. 7

Hidroterapia .................................................................................................................................................... 45

Massagem ......................................................................................................................................................... 85

Evangelismo Médico .................................................................................................................................... 101

Palestra de Saúde ......................................................................................................................................... 113

Nutrição .......................................................................................................................................................... 119

Doenças Comuns .......................................................................................................................................... 169


Classes Bíblicas

Espírito de Profecia ..................................................................................................................................... 219

Evangelismo .................................................................................................................................................. 229

Santuário ........................................................................................................................................................ 251

Daniel ............................................................................................................................................................... 261

Relacionamento Cristão ............................................................................................................................. 277

Finalizando a Obra ....................................................................................................................................... 299

Vida Cristã ...................................................................................................................................................... 315

Eventos Finais ............................................................................................................................................... 343

Conhecendo a Vontade de Deus ............................................................................................................... 365


Este manual tem apenas propósitos educacionais. Seu objetivo não é subsituir diagnósticos, tratamentos, e
conselhos de um profissional qualificado e autorizado. Os autores, portanto, não assumem responsabilidade
alguma pelo uso correto ou incorreto deste material.

© Junho 2016
Orientação
“Para um Tempo Como Este”

Capítulo 1—Introdução ao LIGHT


Cada Membro Chamado à Obra Medico Missionária

Testemunhos para a Igreja, v.7, p. 62. Atingimos um tempo em que todo membro da igreja deveria utilizar a obra
médico-missionária. O mundo é um hospital repleto de enfermidades, tanto físicas como espirituais. Por toda parte,
morrem pessoas à míngua de conhecimentos das verdades que nos foram confiadas. Os membros da igreja carecem de
um despertamento, para que possam reconhecer sua responsabilidade de comunicar a outros essas verdades.”

Isaías 60:2. “Porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a
sua glória se verá sobre ti .”

Cristo, Nosso Exemplo

A Ciência do Bom Viver, p. 143. “Unicamente os métodos de Cristo trarão verdadeiro êxito no aproximar-se do povo. O
Salvador misturava-Se com os homens como uma pessoa que lhes desejava o bem. Manifestava simpatia por eles,
ministrava-lhes às necessidades e granjeava-lhes a confiança. Ordenava então: "Segue-Me."”

Mateus 4:23, 24. “E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, e pregando o Evangelho do Reino, e
curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.”

A Ciência do Bom Viver, p. 19. “Durante Seu ministério, Jesus dedicou mais tempo a curar os enfermos do que a
pregar.”

A Ciência do Bom Viver, p. 20. “O Salvador tornava cada ato de cura uma ocasião para implantar princípios divinos na
mente e na alma. Esse era o desígnio de Sua obra. Comunicava bênçãos terrestres, para que pudesse inclinar o coração
dos homens ao recebimento do evangelho de Sua graça.”

A Comissão de Jesus aos Doze Discípulos

Lucas 9:1. “E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios e para curarem
enfermidades; e enviou-os a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos.”
Eles estavam simplesmente seguindo o método de Cristo para alcançar pessoas.

A Comissão de Jesus aos Setenta

Lucas 10:9. “E curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: É chegado a vós o Reino de Deus.”

Nada Novo – deveriam apenas seguir o método de Jesus.

Jesus Dá a Grande Comissão a Todos os Cristãos

Marcos 16:15, 18. “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura … Pegarão nas serpentes; e, se beberem
alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.”

Testemunhos para a Igreja, v. 9, p. 168. “Cristo não mais está em pessoa no mundo, para ir de cidade a cidade e de
aldeia em aldeia, curando os enfermos; comissionou-nos, porém, com o prosseguimento da obra médico-missionária por
Ele iniciada.”

Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 62. “Atingimos um tempo em que todo membro da igreja deveria utilizar a obra
médico-missionária.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 1


Orientação
“Para um Tempo Como Este”
Por que a Obra Médico-Missionária?

1. Pessoas estão morrendo por causa da ignorância


Testemunhos para a Igreja, v.7, p. 62. “Por toda a parte morrem pessoas à míngua de conhecimentos das verdades que
nos foram confiadas. Os membros da igreja carecem de um despertamento, para que possam reconhecer sua
responsabilidade de comunicar a outros estas verdades. Os que foram iluminados pela verdade devem ser portadores de
luz para o mundo. Esconder nossa luz no tempo atual é cometer um erro terrível. A mensagem para o povo de Deus hoje
é: "Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti."”

2. Ela revela o Caráter de Jesus


A Ciência do Bom Viver, p. 143. “O mundo necessita atualmente daquilo que tem sido necessário já há mil e novecentos
anos - a revelação de Cristo. É preciso uma grande obra de reforma, e é unicamente mediante a graça de Cristo que a
obra de restauração física, mental e espiritual se pode efetuar.”

3. É uma obra de linha da frente

Medicina e Salvação, p. 239. “A obra médico-missionária traz à humanidade o evangelho de libertação do sofrimento. É
a obra pioneira do evangelho. É o evangelho praticado, a compaixão de Cristo revelada. Há grande necessidade desta
obra, e o mundo está aberto para ela. Deus queira que a importância da obra médico-missionária seja compreendida, e
que novos campos possam ser imediatamente penetrados.”

4. Purifica o Povo de Deus

Testemunho para a Igreja v. 7, 161. “Foi-me mostrado novamente que a reforma de saúde é um ramo da grande obra
que deve preparar um povo para a vinda do Senhor. Ela se acha tão ligada à terceira mensagem angélica, como as mãos o
estão com o corpo. A lei dos Dez Mandamentos tem sido levemente considerada pelo homem; o Senhor, porém, não viria
castigar os transgressores daquela lei sem lhes enviar primeiro uma mensagem de advertência. O terceiro anjo proclama
essa mensagem. Houvesse o homem sido sempre obediente à lei dos Dez Mandamentos, cumprindo em sua vida os
princípios desses preceitos, e não haveria o flagelo de doenças que hoje inundam o mundo.”

5. Abre muitas portas

Medicina e Salvação, p. 238. “A mão direita é utilizada para abrir portas pelas quais o corpo possa ter entrada. Esta é a
parte que a obra médico-missionária deve desempenhar. Ela deve em grande medida preparar o caminho para a recepção
da verdade para este tempo.”

Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 80. “Devem, por um lado, ministrar os remédios que aliviam o sofrimento físico, e,
por outro, o evangelho, para o alívio dos sofrimentos da alma, resultantes do pecado. Assim, têm de trabalhar como
verdadeiros médicos-missionários.”

Relacionamento da Reforma de Saúde com o Evangelho

Testemunhos para a Igreja, v. 6, p. 327. “Mas embora a obra de saúde tenha o seu lugar na proclamação da mensagem
do terceiro anjo, seus advogados não devem de maneira nenhuma procurar que ela tome o lugar da mensagem.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 44. “Grande parte de todas as enfermidades que afligem a família humana,
resulta de seus próprios hábitos errôneos, em virtude de sua voluntária ignorância ou do menosprezo pela luz que Deus
tem dado em relação às leis do seu ser. Não nos é possível glorificar a Deus enquanto vivemos em violação das leis da
vida. Não é possível ao coração manter-se consagrado a Deus enquanto se tolera a concupiscência do apetite. Um corpo
enfermo e um intelecto desordenado em virtude de contínua tolerância para com a nociva concupiscência tornam
impossível a santificação do corpo e do espírito.”

2 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Orientação
“Para um Tempo Como Este”
São Necessário Cursos Curtos de Treinamento

Testemunhos para a Igreja, v. 9, p. 172. “Precisa-se agora de obreiros evangelistas médico-missionários. Não podemos
dedicar anos no preparo deles. Logo portas que agora estão abertas haverão de fechar-se para sempre. Proclamemos a
mensagem agora. Não esperemos, dando com isso oportunidade para que o inimigo se aposse do campo que está agora
ao nosso alcance. Grupos pequenos devem ir fazer o trabalho de que Cristo incumbiu os Seus discípulos. Trabalhem
como evangelistas, disseminando a nossa literatura e falando da verdade às pessoas que encontrarem. Orem pelos
doentes, provendo-lhes as necessidades, não com drogas, mas com remédios naturais, ensinando-lhes a recuperar a saúde
e evitar a doença.”

Cada Igreja um Centro Comunitário de Saúde e Cada Membro um Missionário-Médico

A Ciência do Bom Viver, p. 148, 149. “A igreja de Cristo está organizada para o serviço. Sua senha é servir. … Necessita
ser quebrada a monotonia de nosso serviço para Deus. Todo membro de igreja deve empenhar-se em algum ramo de
atividade para o Mestre. Alguns não podem fazer tanto como outros, mas cada um deve efetuar o máximo para repelir a
onda de doenças e aflições que está avassalando o mundo. Muitos teriam boa vontade de trabalhar, se lhes ensinassem a
começar. Necessitam ser instruídos e animados.

Toda igreja deve ser uma escola missionária para obreiros cristãos. Seus membros devem ser instruídos em dar estudos
bíblicos, em dirigir e ensinar classes da Escola Sabatina, na melhor maneira de auxiliar os pobres e cuidar dos doentes, de
trabalhar pelos não convertidos. Deve haver cursos de saúde, de arte culinária, e classes em vários ramos de serviço no
auxílio cristão. Não somente deve haver ensino, mas trabalho real, sob a direção de instrutores experientes. Que os
mestres vão à frente no trabalho entre o povo, e outros, unindo-se a eles, aprenderão em seu exemplo. Um exemplo vale
mais que muitos preceitos.”

LIGHT – Lay Institute for Global Health Training (Instituto Leigo para Treinamento Global em Saúde)

Identidade – O Instituto Leigo para Treinamento Global em Saúde (LIGHT) é um ministério de apoio à Igreja
Adventista do Sétimo dia dedicado a treinar e equipar missionários médicos em todo o mundo.

Visão – Ver um movimento global do povo de Deus compartilhando a luz do Seu amor, ministrando às necessidades
da humanidade, e preparando o mundo para a segunda vinda de Cristo.

História – O LIGHT foi organizado como resultado de um desejo coletivo de ver mais membros leigos ao redor do
mundo compartilhando ativamente a maravilhosa mensagem de saúde e salvação. Com a compreensão de que muitos
trabalharão se apenas forem ensinados a iniciar, sabíamos que a maior necessidade era preparar cursos curtos de
treinamento que fossem disponíveis a todos. Em 2005, dois programas pilotos foram conduzidos em um país na
Europa Ocidental e na Ásia Central para ver no que resultaria. O êxito desses programas nos encorajou a organizar o
LIGHT para facilitar melhor a expansão de escolas de treinamento de evangelismo médico em todo o mundo. Através
da ajuda de vários líderes de ministérios do Outpost Centers International, ASI e Wildwood Lifestyle Center and
Hospital, o LIGHT foi desenvolvido. Em 2008, o LIGHT foi oficialmente aceito como membro do ASI (que é parte
da Conferencia Geral da IASD - www.asiministries.org). Desde então, o LIGHT tem treinado mais de 10,000
membros leigos em mais de 80 países do mundo com a ajuda de suas mais de 40 escolas de treinamento afiliadas.

Missão do LIGHT
• Prover o melhor em treinamento de evangelismo através da saúde para membros leigos em todo o mundo
através de cursos curtos, seminários e cursos online.
• Auxiliar nossos formandos no estabelecimento de escolas leigas de treinamento, missões urbanas e outros
centros de saúde e cura ao redor do mundo.
• Desenvolver treinamento de evangelismo através da saúde de qualidade em vários idiomas
• Criar uma rede global de missionários de saúde unificados apoiando uns aos outros nesta obra dos últimos
dias.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 3


Orientação
“Para um Tempo Como Este”
Metodologia

Passo 1 – Os Princípios
Começamos a entrar em novos territórios oferecendo tanto seminários curtos nas igrejas e cursos intensivos de quatro
semanas cobrindo os “Princípios de Saúde e Evangelismo”. Esses cursos ajudam os membros da igreja e associações
locais a se familiarizarem com nosso programa e a enxergar a eficácia da obra médico-missionária na comunidade.
Através desses treinamentos curtos, milhares têm tido a oportunidade de aprender os fundamentos de saúde e
evangelismo - combinando a educação na área de saúde com o trabalho evangelístico. Juntamente com as aulas
espirituais diárias, os estudantes recebem instruções sobre princípios de vida saudável, doenças comuns, remédios
naturais, e evangelismo de saúde comunitário. O primeiro passo nos coloca em contato com muitas pessoas dedicadas
com o desejo de fazer parte da obra final de Deus.

Passo 2 – O Padrão
Enquanto inspiramos muitos membros leigos através do treinamento “Princípios”, buscamos líderes em potencial e
missionários dedicados que desejam colaborar para expandir a influência da obra do evangelismo através da saúde.
Para esses missionários buscamos oferecer o curso mais longo, normalmente com seis meses de duração, provendo o
“Padrão” em treinamento médico missionário, o curso com Certificação em Saúde e Evangelismo. Neste treinamento
os estudantes ganham uma compreensão mais ampla do método divino de tratamento de doentes e ao mesmo tempo
são preparados para compartilhar as verdades do Evangelho. Instruções são oferecidas sobre medicina preventiva,
remédios naturais, Bíblia, Espírito de Profecia e outros aspectos do método divino de cura. Esse treinamento provê
uma base sólida na obra médico missionária, necessária para o estabelecimento de centros de saúde, restauração e
educação em todo o mundo.

Passo 3 – Os Projetos
O maior alvo do LIGHT é trabalhar com os formandos no estabelecimento permanente de centros de treinamento e
cura. Buscamos trabalhar com os formandos que provaram ser fiéis a Deus, equilibrados no ministério e fáceis de se
relacionar. O LIGHT proverá direção sobre como estabelecer o devido tipo de organização para o ministério e ajudará
a localizar um propriedade na zona rural. Esperamos, em cada um desses ministérios, manter um Curso de Saúde e
Evangelismo com duração de seis meses consistente e estabelecer negócios práticos que ajudarão a prover apoio
financeiro para o projeto e treinamento prático de trabalho para os alunos. A agricultura e a indústria alimentícia
saudável são nossos modelos primários. O LIGHT fará tudo que for possível para apoiar esses novos projetos
especialmente nos primeiros anos de crescimento. O apoio que o LIGHT oferece vem na forma de currículo,
aconselhamento, treinamento de liderança, levantamento de fundos, promoção e recrutamento de missionários do
LIGHT para ajudar os projetos.

Mantenha esses passos em mente ao participar dos vários projetos do LIGHT.

4 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Orientação
“Para um Tempo Como Este”

Capítulo 2 – Diretrizes
Mantendo Cristo no Centro

Evangelismo, p. 190. O sacrifício de Cristo como expiação pelo pecado, é a grande verdade em torno da qual se agrupam
as outras. A fim de ser devidamente compreendida e apreciada, toda verdade da Palavra de Deus, de Gênesis a
Apocalipse, precisa ser estudada à luz que dimana da cruz do Calvário. Apresento perante vós o grande, magno
monumento de misericórdia e regeneração, salvação e redenção - o Filho de Deus erguido na cruz.”

O Plano Educacional Celeste

João 6:45. “Está escrito nos profetas: E serão todo ensinados por Deus...”
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes. P. 447. A primeira grande lição em toda educação é conhecer e
compreender a vontade de Deus... A confusão em matéria educativa sobreveio devido a não haverem sido exaltados a
sabedoria e o conhecimento de Deus.”
1 Coríntios 3:19. “Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus...”
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 423. “As palavras do homem, caso tenham algum valor, ecoam as
palavras de Deus.”
Testemunho para a Igreja, v. 6, p. 131. “Acima de todos os outros livros, deve a Bíblia merecer nosso estudo, como o
grande livro didático, a base de toda educação... a despeito de hábitos e costumes anteriores.”
A Ciência do Bom Viver, p. 453. “Muitas vezes, a educação e as práticas de toda uma existência devem ser rejeitadas
para que a pessoa se possa tornar um aprendiz na escola de Cristo.”
Educação, p. 296. “‘Algo melhor’ é a senha da educação, a lei de todo o verdadeiro viver. Cristo oferece, em lugar do
que quer que nos ordene renunciar, algo melhor.”
Educação p. 77. “...Seguiu Jesus, entre tais condições e ambiente, o plano divino da educação. As escolas de Seu tempo,
que engrandeciam as pequenas coisas e amesquinhavam as grandes, Ele as não procurou. Sua educação foi adquirida
diretamente das fontes indicadas pelo Céu: do trabalho útil, do estudo das Escrituras e da natureza, e da experiência da
vida - guias divinos, cheios de instruções a todos os que lhes trazem mãos voluntárias, olhos que veem e coração
entendido.”
Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 214. “Jesus é o único modelo verdadeiro. Cada qual tem de agora estudar a Bíblia por
si mesmo, de joelhos perante Deus, com o coração humilde e dócil de uma criança, se quiser saber o que é que o Senhor
dele requer.”

Horário

Evangelismo, p. 649. “Deus confiou a homens Sua sagrada obra, e pede que a façam cuidadosamente. É essencial a
regularidade em tudo. Nunca chegueis tarde a um encontro marcado.”
Educação, p. 205. “A importância da regularidade no tempo de comer e dormir não deve passar despercebida.”
A Ciência do Bom Viver. p. 208. “Se cada momento fosse devidamente avaliado e empregado do modo adequado,
teríamos tempo para tudo que necessitamos fazer para nós mesmos ou para o mundo.”
A Ciência do Bom Viver. p. 456. “Devemos desviar-nos de mil assuntos que nos convidam a atenção.”

Refeições

Conselhos Sobre Saúde, p. 67. “Os maus hábitos no comer e beber conduzem a erros no pensamento e ação.”
A Ciência do Bom Viver. p. 296. “Cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético escolhido por nosso
Criador.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 5


Orientação
“Para um Tempo Como Este”
Sono
Testemunhos para a Igreja, v. 7, 247. “Os devidos períodos de sono e repouso, e abundância de exercício corporal, são
essenciais à saúde física assim como à mental.”
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 297. “Ao regular as horas do sono, não se deve proceder com descuido.
Os estudantes não devem adquirir o hábito de permanecer em pé até à meia-noite, e tomar as horas do dia para o sono. Se
acostumaram a fazer isso em casa, devem corrigir o hábito, deitando-se à hora devida. Assim levantar-se-ão pela manhã
descansados para os deveres do dia. Em nossas escolas as luzes devem ser apagadas as vinte e uma e meia horas.”

Vestuário
Já que o vestuário apropriado ajuda a criar uma atmosfera de aprendizado, pedimos que todos os alunos compareçam as
aulas com vestuário apropriado e roupa digna em harmonia com as advertências do apóstolo Paulo, “em traje decente, se
ataviem com modéstia e bom senso, não com cabeleira frisada e com ouro, ou pérolas, ou vestuário dispendioso.” – 1
Timóteo 2:9.
O vestuário e a aparência devem ser modestos, em ordem e asseados. Ao participar em evangelismo à comunidade, que
apresentem uma aparência profissional ou semi-profissional.

Relacionamento
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 100. “Enquanto na escola, os alunos não devem permitir que a mente
lhes fique confundida por pensamentos de namoro. Eles aí estão a fim de preparar-se para trabalhar para Deus, e este
pensamento deve ocupar sempre o primeiro lugar.”
Conselhos Sobre Saúde, p. 363. “A luz que me foi dada pelo Senhor com respeito a este assunto é que, na medida do
possível, médicas cuidem das senhoras em tratamento, e médicos tenham o cuidado dos pacientes do sexo masculino...
Tratamentos melindrosos não devem ser feitos por médicos em senhoras, em nossas instituições. Jamais deve uma
senhora em tratamento estar sozinha com um médico, seja para exame especial ou para tratamento... Devem as senhoras
ser cabalmente instruídas para trabalharem pelas senhoras, e os homens para trabalharem pelos homens.”

Ordem na Sala de Aula


Conselhos Sobre Saúde, p. 101. “A ordem é a primeira lei do Céu.”
Para preservar a ordem, por favor, levante sua mão quando desejar falar na sala de aula ou ao fazer uma pergunta ao
professor. Seja respeitoso se não concordar com o que está sendo dito.

O Objetivo da Educação
Patriarcas e Profetas, p. 595. “O verdadeiro objetivo da educação é restaurar a imagem de Deus na alma.”
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 100. “O grande objetivo do mestre deve ser o aperfeiçoamento do
caráter cristão em si mesmo e em seus alunos.”

Nosso Lugar Especial


Educação, p. 263. “A toda casa e escola, a todo pai, professor e criança sobre quem resplandeceu a luz do evangelho,
impõe-se, neste momento crítico, a pergunta feita à rainha Ester naquela ocasião especial da história de Israel: ‘Quem
sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?’”

Sua Experiência Será uma Perda de Tempo?


Ciência do Bom Viver, p. 402. “É o emprego que eles fazem de seus conhecimentos que determina o valor de sua
educação. Gastar longo tempo em estudos, sem esforço algum para comunicar o que se adquire, demonstra-se muitas
vezes um prejuízo em lugar de um auxílio ao real desenvolvimento.”

6 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

CONTEÚDO
Capítulo 1 – O Plano de Deus para Saúde e Restauração ...................................................................... 8
O Plano Original de Deus .............................................................................................................................................. 8
Resultados do Pecado .................................................................................................................................................... 8
A Restauração Completa Planejada ........................................................................................................................... 8
Nosso Culto Racional é Glorificar a Deus ................................................................................................................. 9
Nosso Primeiro Dever .................................................................................................................................................... 9
Capítulo 2 – Leis da Vida I .............................................................................................................................. 10
Nutrição Ideal ................................................................................................................................................................ 10
Exercício Revigorante ................................................................................................................................................. 11
Capítulo 3 – Leis da Vida II ............................................................................................................................. 13
Água Pura ........................................................................................................................................................................ 13
Luz Solar Adequada ..................................................................................................................................................... 14
Capítulo 4 – Leis da Vida III ........................................................................................................................... 16
Temperança ................................................................................................................................................................... 16
Ar Puro ............................................................................................................................................................................. 18
Capítulo 5 – Leis da Vida IV ........................................................................................................................... 21
Descanso .......................................................................................................................................................................... 21
Confiança em Deus ....................................................................................................................................................... 22
Atitude .............................................................................................................................................................................. 23
Higiene ............................................................................................................................................................................. 23
Vestuário Apropriado ................................................................................................................................................. 23
Pureza de Vida ............................................................................................................................................................... 24
Capítulo 6 – Em Caso de Doença ou Ferimento ....................................................................................... 25
6 Passos a Seguir em Caso de Doença ou Ferimento. ....................................................................................... 25
Medicações e Tratamentos com Ervas .................................................................................................................. 29
Algumas Razões pelas quais Medicações São Usadas em Excesso ............................................................... 31
Capítulo 7 – Lidando com o Sofrimento .................................................................................................... 33
Causas da Enfermidade e do Sofrimento .............................................................................................................. 33
Coisas que Podemos Aprender Através da Enfermidade e do Sofrimento ............................................... 33
Capítulo 8 – A Falsa Cura ................................................................................................................................ 34
Milagres de Satanás nos Últimos Dias ................................................................................................................... 34
Invasão do Espiritualismo ......................................................................................................................................... 35
Não Há Segurança em se Aventurar no Terreno de Satanás .......................................................................... 36
Capítulo 9 – Nova Era – Velha Mentira ....................................................................................................... 36
Crenças ............................................................................................................................................................................. 37
Origens ............................................................................................................................................................................. 37
Testando a Validade .................................................................................................................................................... 38
Capítulo 10 – Práticas Comuns da Nova Era ............................................................................................ 40
Uma Advertência para o Povo de Deus ................................................................................................................. 42
Diretrizes para Qualquer Sistema de Cura, ou Qualquer Novo Agente Terapêutico: ........................... 43

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 7


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 1 – O Plano de Deus para Saúde e Restauração


O Plano Original de Deus
Isaías 43:7. “E os que criei para minha glória, e que formei, e fiz.”
Educação, p. 15. “Quando Adão saiu das mãos do Criador, trazia ele em sua natureza física, intelectual e espiritual,
a semelhança de seu Criador. "E criou Deus o homem à Sua imagem" (Gên. 1:27), e era Seu intento que quanto mais
o homem vivesse tanto mais plenamente revelasse esta imagem, refletindo mais completamente a glória do Criador.”
Cristo Triunfante, p. 19. “Todo o Céu tomou profundo e alegre interesse na criação do mundo e de Adão e Eva. Os
seres humanos eram uma ordem distinta. Foram feitos "à imagem de Deus" e era desígnio de seu Criador que
povoassem a Terra. Deviam viver em íntima comunhão com o Céu, recebendo e assimilando o poder da grande
Fonte de poder. Sustentados por Deus, deviam viver vida impecável [sem pecado].”
Gênesis 1:31. “Viu Deus que tudo quanto fizera, e eis que era muito bom...”
O homem era perfeito ao sair das mãos do Criador – sem a menor mancha de maldição. Ele nunca ficava doente,
nunca experimentava dor, e não tinha conhecimento de envelhecimento ou morte. Após a entrada do pecado, as
coisas mudaram para o pior – espiritual, mental e fisicamente.

Resultados do Pecado
Morte - Gênesis 2:17. “No dia em que dela comeres, certamente morrerás.”
Maldições - Gênesis 3:16-18. “E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; … E a
Adão disse … maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. Ela
produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo.”
Imagem de Deus Arruinada - “Com o pecado a semelhança divina ficou obscurecida, sendo quase que totalmente
apagada. Enfraqueceu-se a capacidade física do homem e sua capacidade mental diminuiu; ofuscou-se-lhe a visão
espiritual. Tornou-se sujeito à morte.” Educação, p. 15.
Deus poderia ter legitimamente destruido a humanidade após a rebelião, mas Seu amor foi tão imenso que deu a Si
mesmo por nossa redenção. Contudo, Ele não apenas deseja nos redimir espiritualmente, mas também física, mental
e emocionalmente.

A Restauração Completa Planejada


João 10:10. “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”
3 João 2. “Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma.”
1 Tessalonicenses 5:23. “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam
conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”
Refletindo a Cristo, p. 129. “Desde que o espírito e a alma encontram expressão mediante o corpo, tanto o vigor
mental como o espiritual dependem em grande parte da força e atividade física. O que quer que promova a saúde
física, promoverá o desenvolvimento de um espírito robusto e um caráter bem equilibrado. Sem saúde ninguém pode
compreender distintamente suas obrigações, ou completamente cumpri-las para consigo mesmo, seus semelhantes ou
seu Criador. Portanto, a saúde deve ser tão fielmente conservada como o caráter.”
My Life Today, p. 141. “Quanto melhor você observar as leis de saúde, mais claramente discernirá as tentações, e as
resistirá, e mais claramente discernirá o valor das coisas eternas.”
A Ciência do Bom Viver, p. 130. “O corpo é o único agente pelo qual a mente e a alma se desenvolvem para a
edificação do caráter.”
Apocalipse 21:4. “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto,
nem dor, porque as primeiras coisas passaram.”

8 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Isaías 65:17. “Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais
haverá memória delas.”
Educação, p. 15, 16. “Restaurar no homem a imagem de seu Autor, levá-lo de novo à perfeição em que fora criado,
promover o desenvolvimento do corpo, espírito e alma para que se pudesse realizar o propósito divino da sua criação
- tal deveria ser a obra da redenção.”

Nosso Culto Racional é Glorificar a Deus


Romanos 12:1. “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício
vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”
1 Coríntios 10:31. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de
Deus.”
1 Coríntios 6:19-20. “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual
tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a
Deus no vosso corpo.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 21. “Deus exige que o corpo Lhe seja oferecido como sacrifício vivo, não
morto ou agonizante. As ofertas dos antigos hebreus deviam ser sem mancha; seria aceitável a Deus um sacrifício
humano cheio de enfermidades e corrupção? Ele nos diz que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo; e requer de
nós que cuidemos deste templo, a fim de que seja habitação apropriada para o Seu Espírito. O apóstolo Paulo nos faz
esta admoestação: "Fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os
quais pertencem a Deus." I Cor. 6:20. Todos devem ser muito cuidadosos em manter o corpo nas melhores condições
de saúde, a fim de poderem prestar a Deus o melhor serviço, cumprindo o seu dever na família e na sociedade”.
(Christian Temperance and Bible Hygiene, p. 52 e 53.)

Nosso Primeiro Dever


Sabemos que existem leis básicas que governam o universo (gravidade, movimento, termodinâmicas, etc.) Existem
também leis que governam nosso corpo e portanto nossa saúde. Note o que Ellen White escreve:
Testemunhos para a Igreja, v. 3, p. 164. “Nosso primeiro dever, dever pertinente a Deus, a nós mesmos e ao nosso
próximo, é a obediência às leis de Deus, as quais incluem as leis da saúde.”
A Prevenção de Doenças é Nosso Primeiro Alvo e o Mais Importante
Testemunhos para a Igreja, v. 9, p. 161. “Ensinemos ao povo que é melhor saber conservar a saúde do que curar as
enfermidades.”
Filhas de Deus p. 138.6. “Grande quantidade de sofrimento poder-se-ia poupar se todos trabalhassem para evitar a
doença, obedecendo estritamente às leis da saúde...”
Conselhos sobre o Regime Alimentar p. 26.1. “Muitos têm esperado que Deus os guarde de enfermidades,
meramente porque Lho suplicaram. Mas Deus não deferiu suas orações, porque sua fé não foi corroborada pelas
obras. Deus não operará milagres para livrar de enfermidades aqueles que não cuidam de si mesmos, mas estão de
contínuo violando as leis da saúde, e não fazem esforços para evitar as enfermidades. Quando fazemos tudo que
podemos para ter saúde, então podemos esperar que abençoados resultados se sigam, e podemos pedir com fé a Deus
que abençoe nossos esforços pela preservação da saúde. Ele responderá então a nossas orações, se Seu nome puder
ser glorificado por isto. Mas compreendam todos que há uma obra para fazerem. Deus não operará de maneira
miraculosa para preservar a saúde de pessoas que estão seguindo um caminho que fatalmente os fará enfermos, por
causa de sua desatenção para com as leis da saúde.”
Remédios para Doenças
As leis de saúde não apenas preservam nossa saúde e protegem contra doenças, mas elas também são poderosos
remédios para restaurar a saúde.
Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 443. “Os remédios de Deus são os simples agentes da natureza, que não
sobrecarregarão nem enfraquecerão o organismo mediante suas fortes propriedades. Ar puro e água, higiene, regime
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 9
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
adequado, pureza de vida e firme confiança em Deus, são remédios por cuja falta milhares de pessoas estão
perecendo, todavia esses remédios estão caindo em desuso, porque seu hábil emprego requer trabalho que o povo
não aprecia. Ar puro, exercício, água pura, e morada limpa e aprazível, acham-se ao alcance de todos, com apenas
pouca despesa.”

Capítulo 2 – Leis da Vida I


Nutrição Ideal
Porque a Dieta é Importante?
a) Pesquisa Científica – Muitas doenças estão diretamente ligadas à certas escolhas dietéticas. Dietas que incluem
grandes quantidades de alimentos refinados (ricos em gorduras, colesterol, açúcares, grãos refinados, e sódio
mas muito pobres em fibras) têm sido relacionadas à doenças de estilo de vida tais como doenças
cardiovasculares, câncer, diabetes, obesidade, etc. 1
b) Nosso Criador se Importa – Jesus nos ama muito e conhece nosso corpo melhor do que nós mesmos. Ele nos
deu instruções claras com respeito à dieta na Bíblia e nos escritos de Ellen White.
5 Dietas na Bíblia
1. Dieta do Jardim do Éden – frutas, grãos, castanhas e sementes (Gênesis 1:29)
2. Dieta após o pecado – a erva do campo foi acrescentada (Gênesis 3:18)
3. Dieta pós-diluviana – permissão para comer carne (Gênesis 9:3; 7:2; distinções feitas em Lev. 11 e Deut. 14)
* Lembre-se, nessa dieta sangue e gordura eram proibidos (Gênesis 9:4; Levíticos 3:17; 7:23)
4. Dieta do Êxodo – maná do céu (Êxodo 16:35)
5. Dieta da Nova Terra - (Isaías 65:21, 25)
Nota: Será que o ideal do Senhor é nos levar de volta à dieta simples na qual nenhuma vida animal seja tirada?
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 81, 82. “Cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético
escolhido por nosso Criador… proporcionam uma força, uma resistência e vigor intelectual, que não são
promovidos por uma alimentação mais complexa e estimulante… várias raízes também poderão ser usadas.”
Princípios Importantes a Serem Lembrados:
a) Simplicidade – “Se já houve tempo em que o regime alimentar devesse ser da mais simples qualidade, esse
tempo é agora.” Testemunhos para a Igreja, v. 2, p. 352.
b) Deve Ser Apropriada para nossas Circunstâncias – “Nossa comida deve ser de acordo com a estação, o
clima em que vivemos e a ocupação em que nos empregamos. Certas comidas apropriadas para uma estação ou
um clima, não o são para outro. Assim, há diferentes comidas mais adequadas às pessoas segundo as várias
ocupações. Muitas vezes, alimentos que podem ser usados com proveito por pessoas que se empenham em
árduo labor físico não são próprios para as de trabalho sedentário, ou de intensa aplicação mental. Deus nos tem
dado ampla variedade de comidas saudáveis, e cada pessoa deve escolher dentre elas aquelas que a experiência
e o bom senso demonstram ser as mais convenientes às suas próprias necessidades.” A Ciência do Bom Viver,
p. 297.
c) Adequação, Variedade, e Gosto - “Quando se abandona a carne, deve-se substituí-la com uma variedade de
cereais, nozes, verduras e frutas, os quais serão a um tempo nutritivos e apetitosos. Isso se necessita
especialmente no caso de pessoas fracas, ou carregadas de contínuo labor.” A Ciência do Bom Viver, p. 316.
d) Nenhuma Mudança Brusca na Dieta – “Em alguns países em que é comum a pobreza, é a carne o alimento
mais barato. Sob estas circunstâncias, a mudança se efetuará sob maiores dificuldades; pode no entanto ser
operada. Devemos, porém, considerar a situação do povo e o poder de um hábito de toda a vida, sendo
cautelosos em não insistir indevidamente, mesmo quanto a ideias justas. Ninguém deve ser solicitado a fazer
abruptamente a mudança. O lugar da carne deve ser preenchido com alimento são e pouco dispendioso. A esse
respeito, muito depende da cozinheira. Com cuidado e habilidade se podem preparar pratos que sejam ao

10 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
mesmo tempo nutritivos e saborosos, substituindo, em grande parte, o alimento cárneo.” A Ciência do Bom
Viver, p. 316, 317.
Pontos a Ponderar:
Testemunhos para a Igreja v. 4 p. 140.3. “Tudo que for levado para o estômago e convertido em sangue, torna-se
uma parte do ser.”
O LIGHT têm uma matéria separada neste treinamento onde lidará mais diretamente com o assunto da nutrição.

Exercício Revigorante
Juntamente com escolhas erradas na dieta, a falta de exercício é uma das maiores causas de doença e incapacidade.2
O plano original de Deus era para desfrutarmos de um estilo de vida ativo, ao ar livre.
Gênesis 2:15. “Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o
guardar.”
Ação, a Lei do nosso Ser – “A atividade é uma lei de nosso ser. Todo órgão do corpo tem sua obra designada, de
cujo desempenho depende seu desenvolvimento e vigor. A função normal de todos os órgãos dá resistência e vigor,
ao passo que o não usá-los leva à decadência e à morte.” A Ciência do Bom Viver, p. 237.
Counsels on Temperance and Bible Hygiene, p. 96. “Uma vida de trabalho útil é indispensável para o bem estar
físico, mental e moral do homem.”
Testemunhos para a Igreja, v. 2, p. 530. “Exercício vigoroso, embora não violento, ao ar livre, com espírito
alegre, estimulará a circulação, dando à pele um rubor salutar, e enviando o sangue, vitalizado pelo ar puro, às
extremidades.”
Essencial para a Recuperação da Saúde – “Se os que estão enfermos, tanto homens como mulheres, exercitassem
diariamente os músculos ao ar livre, usando cérebro, ossos e músculos proporcionalmente, fraqueza e abatimento
desapareceriam. Saúde ocuparia o lugar de doença, e força o lugar de debilidade.” Medicina e Salvação, p. 297.
Conselhos sobre Saúde p. 53.3. “O estômago doente encontrará alívio por meio do exercício.”
Testemunhos v. 2 p. 413.1. “O exercício é importante para a digestão, bem como para a saudável condição do
corpo e da mente.”
Exercício Necessário para Alunos e Trabalhadores Mentais – “O esforço mental sem correspondente exercício
físico atrai para o cérebro excessiva quantidade de sangue, desequilibrando assim a circulação. O cérebro tem sangue
em demasia, ao passo que as extremidades têm muito pouco. As horas de estudo e recreação devem ser reguladas
cuidadosamente, e uma parte do tempo deve ser gasta em trabalho físico…” Fundamentos da Educação Cristã p.
146.2.
A Ciência do Bom Viver p. 240.4. “Aqueles cujos hábitos são sedentários devem, quando o tempo permitir, fazer
exercício ao ar livre todos os dias, de verão e de inverno. Caminhar… movimenta mais músculos. Os pulmões
são forçados a uma ação benéfica, uma vez que é impossível andar em passo rápido sem os dilatar.”
Exercício pela Manhã Fortalece a Imunidade – “Exercício matinais, como caminhar ao revigorante ar da manhã,
ou o cultivo de flores, pequenos frutos, vegetais, etc., são necessários para uma saudável circulação do sangue. É a
mais segura salvaguarda contra resfriados, tosse, congestão do cérebro e dos pulmões, inflamação do fígado, rins,
pulmões e uma centena de outras enfermidades.” Minha Consagração Hoje 127.2.
Outros Benefícios do Exercício: 2
• Fortalece o coração;
• Diminui a pressão arterial e frequência cardíaca em repouso protegendo assim o coração e os vasos
sanguíneos;
• Diminui os níveis de colesterol LDL no sangue e frequentemente aumenta o HDL ou “bom” colesterol;
• Ajuda a reter cálcio e outros minerais nos ossos, fortalecendo-os desta forma;
• Combate a depressão;
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 11
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
• Alivia ansiedade e estresse;
• Aumenta a energia e eficiência em todas as áreas da vida;
• Ajuda a manter o nível de peso desejável;
• Melhora a circulação promovendo uma mente limpa, melhor sono, e cura mais rápida das áreas do corpo
danificados.
Caminhar é Melhor – “Nenhum exercício proverá tanto benefício para toda parte do corpo como a caminhada. A
caminhada rápida ao ar livre fará mais pelas mulheres, para preservá-las com saúde, se estiverem bem, do que
qualquer outro exercício. A caminhada também é um dos remédios mais eficaz na recuperação da saúde de um
inválido. As mãos e braços são exercitados bem como os membros.” Healthful Living, p. 130.
Outros bons exercícios incluem: jardinagem, trabalho no quintal, escaladas, ciclismo, natação, treino intervalado,
subir escadas, e outros.
Diretrizes para Atividade Física3
• Todo adulto saudável precisa de exercício aeróbico de intensidade moderado por um mínimo de 30 minutos, 5
dias por semana ou atividade vigorosa por um mínimo de 20 minutos, 3 dias por semana. A quantidade pode se
acumular durante o dia.
• Pessoas que desejam melhorar a saúde, evitar doença, ou evitar o ganho de peso não saudável, podem se
beneficiar fazendo exercício adicional acima do mínimo recomendado. De fato, a Sociedade Americana de
Câncer4 recomenda 45-60 minutos de atividade física moderada a rigorosa na maioria dos dias da semana para
melhor resultado na prevenção contra câncer. O Institute of Medicine5 recomenda um mínimo de 60 minutos
diários de atividade moderada, ou mais se necessário, para evitar o ganho de peso. Ele também recomenda
pelos menos 60 minutos diários de atividade moderada a vigorosa para as crianças.
• Treino intervalado6 pode ser uma alternativa para os que querem alcançar um nível elevado de aptidão física em
um curto período de tempo. Ele combina exercício vigoroso com descanso. Ele permite que você desfrute dos
benefícios de atividade anaeróbicas sem ter que sofrer ardência nos músculos. Em sua forma mais básica, o
treino de intervalo pode envolver caminhada por 1 minuto, caminhada rápida ou corrida por 1 minuto,
alternando esta sequência durante o período de exercício. A intensidade de cada intervalo depende de como
você se sente e o que você está tentando alcançar. O mesmo é verdade para a duração de cada intervalo. Por
exemplo, se seu hábito é caminhar 3 quilômetros por dia em 30 minutos, você pode facilmente aumentar a
intensidade da caminhada (bem como o potencial de queima de calorias) aumentando a velocidade a cada tantos
minutos depois voltando à velocidade normal.
• Além disso, todo adulto deve realizar atividades para manter ou aumentar a força muscular pelo menos duas
vezes por semana. Isto é muito importante conforme envelhecemos. Recomenda-se de 8 a 10 exercícios para
aumentar a força muscular em dois dias não consecutivos da semana usando os principais grupos musculares.
Para melhor resultado, escolha exercícios de resistência ou peso que resultam em fadiga substancial depois de 8
a 12 repetições. Exemplos incluem: Programas de levantamento de peso, exercícios calistênicos (como
flexões), e subida de escadas.
• Separe 5 a 10 minutos para alongamento antes e depois com caminhadas lentas e alongamentos moderados
antes do exercício vigoroso.
• Se tiver alguma dúvida sobre sua condição física ou se tiver mais de 35 anos de idade e não tem sido ativo por
vários anos consulte um médico antes de iniciar um programa de exercícios.

1 WHO Study Group. (2002). Diet, nutrition, and the prevention of chronic diseases (WHO Technical Report Series, No. 916). Genebra: Organização
Mundial da Saúde.
2 Diehl, H. & Ludington, A. (2001). Health Power. Hagerstown, Maryland: Review and Herald Publishing Association.
3 Adventists InStep for Life. (2012). Physical Activity Guidelines. Extraído de http://www.adventistsinstepforlife.org/
4 Kushi, L. H., Byers, T., Doyle, C., Bandera, E. V., McCullough, M., Gansler, T., . . . & The American Cancer Society 2006 Nutrition and Physical Activity
Guidelines Advisory Committee. (2006). American Cancer Society guidelines on nutrition and physical activity for cancer prevention. CA: A Cancer
Journal for Clinicians 56, 254--281.
5 Institute of Medicine, National Academy of Sciences. (2002). Dietary reference intakes. Washington, DC: National Academy Press.
6 American Council of Exercise (2012). Interval Training. Extraído de http://www.acefitness.org/fitfacts/fitfacts_display.aspx?itemid=87

12 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 3 – Leis da Vida II


Água Pura
A Ciência do Bom Viver, p. 237. “Na saúde e na doença, a água pura é uma das mais excelentes bênçãos do Céu. Foi
a bebida provida por Deus para saciar a sede de homens e animais. Bebida abundantemente, ela ajuda a suprir as
necessidades do organismo, e a natureza em resistir à doença.”
Importância da Água para o Corpo1
Quase todos os principais sistemas do corpo dependem de água. A água ajuda a:
1. Regular a temperatura do corpo
2. Lubrificar as juntas
3. Diminuir o trabalho nos rins e fígado carregando resíduos para fora do corpo
4. Levar nutrientes e oxigênio para as células
5. Dissolver minerais e outros nutrientes para torná-los acessíveis ao corpo
6. Evitar a constipação
7. Proteger os órgãos e tecidos
8. Lubrificar tecidos (olhos, nariz, boca, etc.)
Quanto Precisamos? 2
Quando nascemos cerca de 75% do nosso peso total é água. Ao envelhecermos essa porcentagem diminui. O
corpo de um adulto pesando 70kg contém cerca de 40 litros de água (aproximadamente 57% do peso total).Cerca
de 92% do sangue é água. Os rins processam aproximadamente 180 litros de sangue por dia. Se toda a água do
sangue fosse perdida no processo precisaríamos beber cerca de 7,5 litros de água por hora para repor toda a água.
Nosso Criador nos fez de forma maravilhosa de modo que 99% do filtrato é reabsorvido deixando apenas 1,5 a 2
litros que são eliminados pela urina. Nós também perdemos água através da respiração, fezes, e transpiração –
cerca de 10 a 12 copos. Dependendo das nossas escolhas diárias o alimento pode prover entre 2 a 4 copos de
água. Portanto devemos beber cerca de 8 a 10 copos de água por dia (ou cerca de 28 gramas [1/8 de copo] para
cada quilo de peso) para permanecermos bem hidratados. A melhor maneira de determinar se estamos bebendo a
quantidade de água necessária é beber o suficiente para manter a urina clara.
Como ingerir a quantidade necessária de água durante o dia? Nossa sugestão é: beber 2 copos ao levantar (água
morna ajuda a regular as funções intestinais). Esperar 2 horas após o desjejum e beber 3 copos de água antes do
almoço (parar de beber cerca de 30 minutos antes do almoço para que o suco gástrico não seja diluído ao comer).
Esperar 2 horas após o almoço e beber 3 copos antes da refeição leve da noite. (Novamente, lembre-se de parar
30 minutos antes de comer.)
Beber com as refeições? - “Quanto mais líquido se coloca no estômago às refeições mais difícil se torna a
digestão do alimento; pois o líquido precisa primeiro ser absorvido. Não useis sal em grande quantidade;
abandonai os picles; conservai os alimentos irritáveis fora do estômago; usai frutas com as refeições e a irritação
que tanto apela por bebida deixará de existir. Mas, se for necessária para saciar a sede, água pura é tudo o que o
organismo requer. Jamais tomeis chá, café, cerveja, vinho ou qualquer bebida espirituosa.” Conselhos Sobre
Saúde, p. 120.
Desidratação
A maioria das pessoas provavelmente não bebe água suficiente e é cronicamente desidratada. A desidratação
severa é muito séria e ameaça a vida.
Sinais de Desidratação Leve 3
• Boca seca e grudenta
• Sonolência ou cansaço – as crianças provavelmente ficam menos ativas do que o normal
• Sede

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 13


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
• Diminuição da quantidade de urina – fralda seca por 3 horas em bebês e oito horas ou mais sem urinar
em crianças maiores e adolescentes
• Pouca ou nenhuma lágrima ao chorar
• Pele seca
• Dor de cabeça, constipação, tontura ou vertigem
Uso de Água Externamente
Healthful Living, p. 192. “O banho frequente é muito benéfico, especialmente à noite antes de dormir, ou ao se
levantar pela manhã. Leva apenas alguns momentos o dar banho nas crianças e esfregá-las até que seu corpo
esteja avermelhado. Isto traz o sangue para a superfície, aliviando a mente.”
Testemunhos para a Igreja, v. 3, p. 70. “O banho livra a pele do acúmulo constante de impurezas e mantém a
pele úmida e elástica, aumentando e equilibrando assim a circulação.”

Está claro que a água é muito importante para nossa própria existência?

A Água é um Recursos Precioso e Limitado.


Cerca de 70% da superfície da terra é coberta por água, mas cerca de 97% da água é água salgada, não bebível,
encontrada nos oceanos, mares e baías. Das reservas de água fresca, 68% estão trancadas em gelos e geleiras e
30% estão no solo. Da água fresca restante, rios são a maior fonte de água que as pessoas usam mas essa água
compõe apenas 0.006% da quantidade total de água fresca. 4
No Plano de Ação das Nações Unidas em 1992 estimou-se que “80% de todas as doenças e acima de um terço
das mortes em países em desenvolvimento são causadas pelo consumo de água contaminada.” 5
Como Proteger Nosso Suprimento de Água
1. Descartar devidamente o lixo pessoal.
a. Lixo: Reduzir, Reusar, e Reciclar o máximo possível. Lixo e químicos descartados no solo
podem acabar nos escoamentos de chuva, valas e riachos. Descarte-os devidamente. Nunca
queime plásticos. “Queimar até mesmo quantidades pequenas de plástico ou borracha libera
químicos tóxicos como dioxinas, furanos, e PCBs que causam muitos problemas de saúde.” 6
b. Remédios Indesejáveis: Existe muito perigo em jogar remédios no vaso sanitário ou em ralos.
“Pode causar a poluição na água do esgoto. Está provado que pode causar efeitos adversos para
peixes e outras formas de vida aquáticas.” 7
c. Dejetos Humanos: “Todos os dias 2 milhões de toneladas de desejos humanos são descartados
em cursos de água.”8 Em vez, de poluir nossa água e usar outros métodos impróprios de
descartagem seria melhor se todo dejeto humano fosse devidamente descartado (instalações de
tratamento de esgoto, latrinas, ou simplesmente enterrados de acordo com Deuteronômio 23:13).
2. Incentivar indústrias a desenvolverem boas estratégias para lidar com resíduos.
a. “Em países em desenvolvimento, 70 por cento dos resíduos industriais são jogados sem
tratamento onde eles poluem o suprimento de água usável.” 8
3. Adote boas técnicas de agricultura (orgânica)
a. Muitos fertilizantes químicos, técnicas de espalhar esterco, pesticidas e escoamentos de currais
contaminam nosso suprimento de água. A exploração ilegal madeireira também danifica bacias
hidrográficas e pode causar erosão devastadora e poluição sedimentar. “A agricultura também é
citada como a maior causa da poluição de lençóis de água nos Estados Unidos.” 9

Luz Solar Adequada


Healthful Living, p. 142. “Se todos apreciassem a luz solar, e expusessem cada artigo de vestuário aos seus raios
secadores e purificadores, mofo e bolor seriam evitados.”

14 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Bible Echo, 23 de fevereiro, 1903. “Brincando ao sol e ar fresco, as crianças ganharão saúde e força de mente e
corpo. Serão beneficiadas tanto espiritual como fisicamente.”
Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 76, 77. “A natureza é o médico divino. O ar puro, a alegre luz solar, as belas
flores e árvores, os belos pomares e vinhas e o exercício ao ar livre, em meio desse ambiente, são transmissores de
saúde — o elixir da vida. A vida ao ar livre é o único remédio de que muitos doentes necessitam. Sua influência é
poderosa na cura das doenças causadas pela vida social, vida que debilita e destrói as energias físicas, mentais e
espirituais.”
Benefício de Exposição à Luz Solar 2
• Aumenta a produção de melatonina (o hormônio do descanso e do rejuvenescimento)
• Fortalece o sistema imunológico
• Alivia dor nas juntas artríticas inchadas
• Alivia certos sintomas de TPM
• Diminui os níveis de colesterol sanguíneo
• Ajuda na produção da vitamina D
Tomar a Quantidade Certa 2
• Uns poucos minutos de luz solar no rosto e nas mãos a cada dia produzirá a vitamina D necessária
• O bronzeado moderado protege contra danos à pele
• Pessoas com pele escura precisam mais luz solar do que os de pele clara
• ADVERTÊNCIA! Luz solar excessiva e queimadura podem aumentar o risco de câncer de pele
Destaque Sobre a Vitamina D
• A vitamina D é uma vitamina solúvel em gordura que promove a absorção de cálcio e é importante no
desenvolvimento de ossos fortes.
• Outras funções no corpo incluem: a modulação do crescimento cellular (ajuda a reduzir a incidência de
câncer), função imunológica e neuromuscular apropriada, e redução de inflamação.10
• Vários estudos demonstram sua importância na prevenção de doença cardíaca, diabetes, câncer, infecções e
doenças autoimunes. 11
• Bem poucos alimentos contém Vitamina D. Ele é encontrado principalmente na carne de peixe gorduroso.
Alguns cogumelos contém pequenas quantidades. A melhor maneira de adquirir Vitamina D é através da
reação miraculosa da radiação UV do sol. “Alguns pesquisadores de vitamina D sugerem, por exemplo, que
tomar sol no rosto, braços, pernas ou costas sem protetor solar, por aproximadamente 5-30 minutos, entre
10:00hrs e 15:00hrs, pelo menos duas vezes por semana, normalmente leva à suficiente síntese de vitamina
D.” 10
• Se os níveis no sangue estão baixos (<30 nmol/L ou <12 ng/mL) a suplementação é sugerida. Verifique
com seu médico para determinar a dosagem adequada para elevar os níveis.

1 Mayo Clinic. (2012). Functions of water in the body. Extraído de http://www.mayoclinic.com/health/medical/IM00594


2 Diehl, H. & Ludington, A. (2000). Health Power. Hagerstown, MD: Review and Herald.
3 Mayo Clinic. (2011). Dehydration: Symptoms. http://www.mayoclinic.com/health/dehydration/DS00561/DSECTION=symptoms
4 http://ga.water.usgs.gov/edu/earthhowmuch.html
5 Yassi, A., Kjellstrom, T., de Kok, T. & Guidotti, T. (2001). Basic Environmental Health: Water and Sanitation. New York: Oxford University Press.
6 Conant, J. and Fadem, P. (2008). A Community Guide to Environmental Health: Getting Rid of Trash Safely. California: Hesperian Foundation.
7 Minnesota Pollution Control Agency. (2012). Pharmaceutical Waste: Disposing of Unwanted Medications. Extraído de
http://www.pca.state.mn.us/index.php/living-green/living-green-citizen/household-hazardous-waste/pharmaceutical-waste-disposing-of-unwanted-
medications.html
8 United Nations Water Development (2012). Water Pollution, Environmental Degradation and Disasters. Extraído de
http://www.unwater.org/statistics_pollu.html
9 Natural Resources Management and Environment Department. (2012). Chapter 1: Introduction to Agricultural Water Pollution. Extraído de
http://www.fao.org/docrep/W2598E/w2598e04.htm
10 Office of Dietary Supplements: National Institutes of Health. (2012). Dietary Supplement Fact Sheet: Vitamin D. Extraído de
http://ods.od.nih.gov/factsheets/vitamind-HealthProfessional/
11 Manson, J. (2010). New IOM Report on Vitamin D Intakes: What Clinicians Need to Know. Extraído de
http://www.medscape.com/viewarticle/733856?src=ptalk
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 15
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 4 – Leis da Vida III


Temperança
1 Coríntios 9:25. “E toda aquele que luta de tudo se abstém…”
1 Coríntios 10:31. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de
Deus.”
Quanto do nosso mundo come e bebe com a glória de Deus em mente? A verdadeira temperança é pouco falada e
raramente praticada. A maioria das pessoas hoje estão sofrendo de superabundância não de falta. Note o que Ellen
White diz:
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 29. “O perigo para nós não está na carência, mas na abundância. Somos
constantemente tentados ao excesso. Os que desejarem preservar suas faculdades não diminuídas para o serviço de
Deus, precisam observar estrita temperança no uso de Suas bênçãos, bem como total abstinência de toda
condescendência prejudicial ou degradante.”
O que é a Verdadeira Temperança?
Patriarcas e Profetas, p. 562. “A verdadeira temperança nos ensina a dispensar inteiramente todas as coisas
nocivas, e usar judiciosamente aquilo que é saudável.”
Áreas Específicas da Vida que Demandam Temperança
A. Alimentação, Bebida, Sono, Vestuário – “Temperança no comer, no beber, no dormir e vestir é um dos
grandes princípios da vida religiosa.” Testemunhos para a Igreja, v. 6, p. 375.
B. Trabalho – “Devemos ser temperantes no trabalho. Não é dever nosso colocar-nos em situação de ficar
sobrecarregados. Alguns poderão às vezes achar-se em condição em que isso seja necessário; deve, porém, ser
exceção, não regra. Cumpre-nos exercer temperança em tudo.” Orientação da Criança, p. 397.
C. Apetites, Paixões, Drogas - “Que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a
alma" (I Ped. 2:11), é a linguagem do apóstolo Pedro. Muitos admitem esta advertência como aplicando-se
apenas aos licenciosos; mas ela tem significado mais amplo; guarda contra toda satisfação danosa do apetite ou
das paixões. É uma advertência muito vigorosa contra o uso de estimulantes e narcóticos tais como chá, café,
fumo, álcool e morfina. A tolerância para com isto pode muito bem ser classificada entre as concupiscências
que exercem nociva influência sobre o caráter. Quanto mais cedo são esses hábitos formados, mais firmemente
eles mantêm suas vítimas na escravidão da condescendência e mais seguramente rebaixarão eles a norma de
espiritualidade.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 62-63.
Exemplo de Daniel - “A história de Daniel e seus companheiros foi registrada nas páginas da Palavra Inspirada para
o benefício da juventude dos séculos futuros. O que homens fizeram, homens podem fazer. Não permaneceram esses
jovens hebreus firmes em meio a grandes tentações, e não deram nobre testemunho em favor da verdadeira
temperança? Pois a juventude hoje pode dar idêntico testemunho.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 28.
Lembre-se: O homem falhou o teste de temperança no Jardim do Éden mas Cristo ganhou a vitória! (Mat. 4:2-4)
“Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” – Mateus 4:4
Destaque Sobre Substâncias que Causam Dependência
1. Tabaco
Estatísticas Preocupantes: 1, 2
a. O tabaco mata até metade de seus usuários, no entanto, estudos demonstram que a maioria das pessoas
não compreende os riscos de saúde provocados pelo uso de tabaco.
b. O tabaco mata aproximadamente seis milhões de pessoas por ano, das quais mais de 5 milhões são
usuários e ex-usuários e mais de 600.000 são não fumantes expostos ao fumo passivo.
c. Entre 1964 e 2004, o fumar cigarros causou aproximadamente 12 milhões de mortes, incluindo 4,1
milhões de mortes por câncer, 5,5 milhões de mortes por doenças cardiovasculares, 1.1 milhões de
mortes por doenças respiratórias, e 94.000 mortes de bebês relacionadas à mães que fumaram durante a
gravidez.

16 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
d. O tabaco causou 100 milhões de mortes no século 20. Se as tendências atuais continuarem, provocará
até um bilhão de mortes no século 21.
e. Aproximadamente 80% dos um bilhão de fumantes do mundo vivem em países de renda médio-baixa.

Riscos de Saúde: 3
a. Estima-se que o fumo causa 90% de todas as mortes por câncer de pulmão nos homens e 80% nas
mulheres.
b. O fumo causa doenças pulmonares (ex.: enfisema, bronquite, obstrução crônica das vias respiratórias)
através de danos às vias respiratórias e aos alvéolos (pequenos sacos de ar) dos pulmões.
c. Estima-se que 90% de todas as mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica são causadas por fumo.
d. O fumo aumenta o risco de doença coronária cardíaca.
As pessoas precisam de ajuda para quebrar este hábito. Considere a promoção de um seminário sobre
como deixar de fumar em sua região. 4

2. Álcool
Dados Importantes: 5
a. O uso nocivo do álcool resulta em 2.5 milhões de mortes por ano.
b. 320.000 jovens entre 15 e 29 anos morrem por causas relacionadas ao uso do álcool, totalizando 9% de
todas as mortes nesta faixa etária.
c. O álcool é o terceiro maior fator de risco no mundo em relação au fardo trazido por doença; é o maior
fator de risco na região Pacífico Ocidental e nas Américas e o segundo maior na Europa.
d. O álcool está associado a muitas sérias questões sociais e de desenvolvimento, incluindo a violência,
negligência e abuso de menor, e ausência no trabalho.

Riscos à Saúde a Longo Prazo: 6


a. Problemas neurológicos, incluindo demência, derrame e neuropatia.
b. Problemas cardiovasculares, incluindo infarto do miocárdio, e outros
c. Problemas psiquiátricos, incluindo depressão, ansiedade, e suicídio.
d. Problemas sociais, incluindo desemprego, perda de produtividade, e problemas familiares.
e. Câncer da boca, garganta, esôfago, fígado, cólon e mama.
f. Doenças hepáticas, incluindo cirrose, hepatite por álcool
g. Outros problemas gastrointestinais, incluindo pancreatite e gastrite.

Veja A Ciência do Bom Viver capítulo 27, O Comércio de Bebidas e a Proibição para ideias práticas de
como influenciar o mundo para a verdade.

3. Maconha
Descrição e Dados Importantes: 7
a. É a droga ilegal mais usada nos Estados Unidos. É uma mistura de flores, caule, sementes e folhas
secas, verde e marrom, derivada da planta cânhamo, Cannabis sativa. O principal agente químico ativo
na maconha é o delta-9-tetrahidrocanabinol, ou THC.
b. A maconha normalmente é fumada, mas também pode ser usado em alimentos e chás.
c. Quando a maconha é ingerida o THC entra rapidamente na corrente sanguínea e é carregado pelo
corpo. “O THC age sobre locais específicos da mente, chamados receptores canabinóides,
desencadeando uma série de reações celulares que finalmente levam a um êxtase que os usuários
experimentam quando fumam maconha.”
d. “A intoxicação por Maconha pode causar percepções distorcidas, coordenação debilitada, dificuldade
para pensar e resolver problemas, e dificuldades de aprendizado e memorização.”
e. Estudos demonstram um aumento no riscos de ataques cardíacos e arritmias.
f. A fumaça da maconha contém 50-70 % mais hidrocarbonetos carcinogênicos do que a fumaça do
tabaco.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 17


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
4. Cocaína
Descrição e Dados Importantes: 8
a.A cocaína é uma droga poderosa, estimulante viciante. Ela super estimula o sistema nervoso central
aumentando os níveis de dopamina, um químico cerebral (ou neurotransmissor) associado ao prazer e
movimento, no circuito de recompensa cerebral.
b. A Cocaína em forma de sal (hidroclorido) pode ser cheirada ou dissolvida na água e então injetado.
Crack é o nome de rua dado à forma de cocaína que foi processada para fazer um cristal de rocha, que
ao ser aquecido, produz vapores que são fumados. O termo “crack” se refere ao estalo produzido pelo
cristal conforme é aquecido.
c. A cocaína normalmente é cheirada, injetada ou fumada.
d. A cocaína contrai os vasos sanguíneos, dilata a pupila, e aumenta a temperatura do corpo, o batimento
cardíaco, a pressão do sangue. Ela também pode causar dor de cabeça e complicações gastro intestinais
como dores abdominais e náusea. Devido à tendência da cocaína diminuir o apetite, usuários crônicos
podem ficar desnutridos também.
e. Cheirar cocaína pode provocar sangramento nasal, perda de cheiro, e outros danos. Injetar pode causar
reações alérgicas severas e aumentar o risco de HIV/AIDS e outras doenças originadas no sangue
devido às agulhas infectadas. A ingestão de cocaína pode causar a gangrena intestinal devido à
acentuada redução do fluxo sanguíneo.
5. Metanfetamina
Descrição e Dados Importantes: 9
a. A Metanfetamina é um pó cristalino branco, inodoro, e com gosto amargo facilmente dissolvido na
água ou álcool e é tomado via oral, intranasal (cheirando o pó), injeção ou fumo.
b. Metanfetamina atua na mente de modo semelhante à cocaína.
c. Mesmo quantidades pequenas de Metanfetamina podem resultar em muitos dos mesmos efeitos físicos
que outros estimulantes, como cocaína ou anfetamina, incluindo a aumento de tempo acordado,
aumento de atividade física, diminuição do apetite, aumento de respiração, batimento cardíaco
acelerado, batimento cardíaco irregular, aumento da pressão arterial e hipertermia.
d. O abuso da Metanfetamina a longo prazo trás muitas consequências negativas para a saúde, incluindo
perda excessiva de peso, problemas dentários graves (“boca de metanfetamina”), ansiedade, confusão,
insônia, distúrbios de humor, e comportamento violento. Usuários crônicos de Metanfetamina também
podem apresentar inúmeras características psicóticas, incluindo paranoia, alucinações visuais e
auditivas, e ilusões (por exemplo, a sensação de insetos rastejando por baixo da pele).

6. Noz-de-Areca (Betel Nut)


Descrição e Dados Importantes:
a. Alguns dizem que a Noz de Areca é uma das substâncias mais viciantes do mundo. Calcula-se que
perto de 10 por cento da população do mundo masca folhas e/ou castanhas desta planta. É consumida
principalmente na Ásia com ou sem tabaco.
b. É um estimulante viciante e tem inúmeros efeitos adversos na saúde incluindo dano ao DNA, dano
fetal, e está relacionado à síndrome metabólica.
c. “Exite evidências suficientes em humanos quanto a carcinogenicidade da Noz de Areca com o tabaco.
A Noz de Areca com o tabaco causa câncer oral e câncer de faringe e esôfago. Existe suficiente
evidência em humanos quanto a carcinogenicidade do betel sem tabaco. Noz de Areca sem tabaco
causa câncer oral.”10
A Ciência do Bom Viver, capítulo 11, A obra em Favor dos Intemperantes contém princípios eternos para se lidar
com pessoas que sofrem com vícios.

Ar Puro
Healthful Living, p. 177. “A força do sistema é, em grande parte, dependente da quantidade de ar puro respirado….
O ar é uma bênção gratuita do Céu, destinada a eletrizar todo o sistema.”
18 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Fundamentos da Educação Cristã, p. 73. “E o trabalho realizado ao ar livre é dez vezes mais benéfico para a saúde
do que o trabalho em recinto fechado.”
Podemos viver semanas sem alimento, dias sem água, mas apenas minutos sem ar. A composição do ar (à nível do
mar) é aproximadamente 78% nitrogênio, 20% oxigênio, 1% vapor de água, .97 % gases inertes – principalmente
argônio, e .03% dióxido de carbono e outros gases. Destes elementos oxigênio é essencial para cada célula do nosso
corpo – para a respiração celular. De fato 65% da nossa massa corporal é composta por oxigênio.
Um adulto respira, em média, acima de 3,000 galões de ar todo dia. Portanto é muito importante que o ar que
respiramos seja puro e limpo.
Benefícios do Ar Puro (Íons Negativos)
1. Melhora o Apetite e Induz o Bom Sono – “Ar fresco, puro… estimula o apetite, torna a digestão do
alimento mais perfeita, e ajuda a conciliar o sono profundo e agradável.” Healthful Living, p. 170.
2. Purifica, destrói e elimina bactérias e vírus, bem como outras substâncias nocivas;
3. Aumenta a resistência celular a vírus e retrovírus que causam câncer e outras doenças.
Poluição do Ar 11
Poluição do ar (ar sujo) pode danificar tudo desde prédios e automóveis a árvores, plantas, cursos de água,
animais, e o ser humano. Bilhões de pessoas vivem em áreas onde fumaça, poluição por partículas, e poluentes
tóxicos apresentam sérios riscos à saúde. Quando expostos a níveis elevados de certos poluentes do ar, pessoas
podem experimentar queimação nos olhos, garganta irritada, e respiração difícil (asma). Exposição a longo prazo
ao ar poluído pode causar problemas cardiovasculares, câncer, cataratas e dano a longo prazo dos sistemas
imunológico neurológico, reprodutor e respiratório. Em casos extremos pode até causar a morte.

Seis Poluentes Comuns e Suas Fontes


1. A poluição por partículas (normalmente chamada de material particulado) – inclui a poeira fina, fuligem,
fumaça e gotículas que são formadas de reações químicas, e produzidas quando combustíveis (gasolina,
carvão, madeira, ou óleo) são queimados.
2. Ozônio ao Nível do Solo – é feito primariamente de compostos orgânicos voláteis (COVs) e óxidos de
nitrogênios (NOx). Eles são produzidos por carros queimando gasolina, refinarias de petróleo, indústrias
de manufatura química, e outras instalações industriais.
3. Monóxido de carbono (CO) – Dentro de casa as fontes incluem: fumaça de tabaco, aquecedores portáteis
a querosene e gás, não ventilados; vazamento em chaminés e fornos; retorno do pó de fornos,
aquecedores de água à gás, fogões de lenha, e lareiras; fogões à gás; geradores e outros equipamentos à
gasolina. Do lado de fora a principal fonte de CO são escapamentos de veículos.
4. Dióxido de Enxofre – A maior fonte de emissão de SO2 é a queima de combustível natural em casas de
força (73%) e outras instalações industriais (20%).
5. Óxido de Nitrogênio (NO2) e óxido nítrico (NO) são os mais comuns e são produzidos durante
combustão. Fontes incluem fogões à gás, aparelhos exaustores com defeito de instalação, solda, e
fumaça de cigarro. Externamente (NO2) se forma rapidamente através da emissão de automóveis e casas
de força.
6. Chumbo – A principal fonte de emissão de chumbo para o ar hoje em dia são processamento de minérios
e metais e a operação de aeronaves com motor de pistão que usam gasolina com chumbo. O chumbo
também tem sido usado em tintas, canos, e gasolina para automóveis. A OMS inclui chumbo na lista de
químicos perigosos e muitos países proíbem seu uso.
Esses poluentes podem prejudicar sua saúde e o meio ambiente, e causar dano a propriedades. Dos seis poluentes,
a poluição por partícula e ozônio a nível do solo são as ameaças à saúde mais difundidas.
Nota: Outro poluente a ser considerado é o efeito carcinogênico das fumaças de óleos não refinados
(especialmente mostarda/semente de colza) em temperaturas elevadas e as aminas heterocíclicas que foram
identificadas na carne cozida, e também encontradas em fumaças geradas durante fritura ou grelhagem de carnes.
12, 13

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 19


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Ventilação Inadequada – “Muitas famílias sofrem de dor de garganta, doenças dos pulmões e males do fígado,
causados por seu próprio procedimento.…Conservam fechadas as janelas e portas, receando apanhar resfriado se
houver uma frestazinha que deixe penetrar o ar. Respiram repetidamente o mesmo ar, até tornar-se ele impregnado
das impurezas tóxicas e matérias gastas expelidas de seu corpo, através dos pulmões e dos poros da pele..”
Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 562, 563.
Ar Fresco para o Doente – “Se ar puro alguma vez é necessário, o é quando alguma parte do organismo, como os
pulmões ou o estômago, está doente. Exercício criterioso levará o sangue para a superfície, e aliviará assim os órgãos
internos. Exercício vigoroso, embora não violento, ao ar livre, com espírito alegre, estimulará a circulação, dando à
pele um rubor salutar, e enviando o sangue, vitalizado pelo ar puro, às extremidades.” Testemunhos para a Igreja, v.
2, p. 530.
É Necessário Respiração Profunda – “Estômago, fígado, pulmões e cérebro estão sofrendo pela necessidade de
mais profundas e plenas inspirações de ar, as quais fortalecerão o sangue, propiciando-lhe uma cor mais viva e
brilhante, mantendo-o puro e dando tonalidade e vigor a cada parte do organismo” Testemunhos para a Igreja vol. 2,
p. 530
Inventário do Ar 14
Neste exato momento, sem mudar qualquer coisa sobre o modo como está sentado ou respirando, responda as
seguintes perguntas:
• Como estou sentado neste exato momento? Minha coluna está reta, ou eu estou com postura errada?
Meus ombros estão caídos para frente?
• Minha respiração é superficial ou profunda?
• As roupas que estou vestindo, a cadeira na qual estou sentado, estão restringindo minha respiração?
• A sala é bem ventilada com ar fresco, ou é fechada e abafada?
• Já me exercitei ou vou me exercitar hoje?
• Já comi uma refeição rica em gordura hoje? (Uma refeição rica em gordura reduz a habilidade do
sangue transportar oxigênio.)
• Quando foi a última vez que me levantei e me movimentei? Fiz um intervalo ou pratiquei a
respiração profunda durante as duas últimas horas?
Teste de Respiração Correta – Coloque uma mão no peito e a outra sobre o estômago. Respire normalmente
por alguns segundos, notando o movimento de cada mão conforme você inspira. Que mão é levantada mais alto?
Se for a mão que está sobre o estômago, retire-a e dê um tapinha em suas costas. Você têm uma excelente técnica
de respiração. Mas se for a mão sobre seu peito, você não está respirando corretamente.

1
Organização Mundial da Saúde. (2011). Tobacco (Fact Sheet N°339). Extraído de http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs339/en/index.html
2
Centers for Disease Control and Prevention, National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion, Office on Smoking and Health,
Department of Health and Human Services. The Health Consequences of Smoking: What It Means to You, 2004. Available at:
http://www.cdc.gov/tobacco/data_statistics/sgr/2004/pdfs/whatitmeanstoyou.pdf
3
Centers for Disease Control and Prevention. (2012). Health Effects of Cigarette Smoking. Extraído de
http://www.cdc.gov/tobacco/data_statistics/fact_sheets/health_effects/effects_cig_smoking/index.htm
4
Thrash, A. (2012). Five-Day Plan Instructions. Extraído de http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.five_day_plan_instructions
5
Organização Mundial da Saúde. (2011). Alcohol (Fact Sheet). Extraído de http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs349/en/index.html
6
Centers for Disease Control and Prevention (2011). Alcohol Use and Health. Extraído de: http://www.cdc.gov/alcohol/fact-sheets/alcohol-use.htm
7
National Institute on Drug Abuse. (2010). InfoFacts: Marijuana. Extraído de http://www.drugabuse.gov/publications/infofacts/marijuana
8
National Institute on Drug Abuse. (2010). InfoFacts: Cocaine. Extraído do National Institute on Drug Abuse. (2010). InfoFacts: Marijuana. Extraído de
http://www.drugabuse.gov/publications/infofacts/marijuana
9
National Institute on Drug Abuse. (2010). InfoFacts: Methamphetamine. Extraído de http://www.drugabuse.gov/publications/infofacts/methamphetamine
10
WHO International Agency For Research On Cancer. (2004). Betel-quid and Areca-nut Chewing and Some Areca-nut-derived Nitrosamines. France:
Organização Mundial da Saúde.
11
United States Environmental Protection Agency. (2007). The Plain English Guide to the Clean Air Act. North Carolina: EPA.
12
Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2000 Nov;9(11):1215-21. Fumes from meat cooking and lung cancer risk in Chinese women.
13
Epidemiology. 1999 Set;10(5):488-94. Lung cancer and indoor air pollution arising from Chinese-style cooking among nonsmoking women living in
Shanghai, China.
14
Diehl, H. & Ludington, A. (2000). Health Power. Hagerstown, MD: Review and Herald.

20 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 5 – Leis da Vida IV


Descanso
Vivemos em uma sociedade que está sempre corrida e ocupada e as pessoas por toda parte almejam descanso. As
pessoas têm dormido tarde e levantado cedo para correr para o trabalho. Lojas comumente ficam abertas 24 horas
por dia, 7 dias por semana. Entretenimento e diversões, conectadas a tecnologia nos tentam a ficar ocupados todo o
tempo com a Internet e e-mail. Jesus previu as exigências da vida no século 21 e sabia que precisaríamos de
descanso. Considere suas palavras:
Mateus 11:28. “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.”
Três Tipos de Descanso Necessários
1. Descanso Diário
a. Sono – Em média uma pessoa passa 1/3 de sua vida dormindo. É uma perda de tempo? Não! Por
quê? Porque durante o dia nosso corpo lida com muitos fatores de estresse e precisa de sono de
qualidade para restaurar, rejuvenescer, e reenergizar para outro dia. Considere a seguinte declaração
do Dr. James Maas, professor na Cornell University:
“O sono não é um grande deserto de inatividade. Enquanto dormimos o cérebro fica altamente ativo
em vários momentos durante a noite, operando inúmeras tarefas de manutenção fisiológicas,
neurológicas e bioquímicas. Essas tarefas são essenciais parar tudo, desde a manutenção da própria
vida até a reorganização e melhora do pensamento e memória.” 1
b. Benefícios do Descanso Apropriado 2
• Dá ao corpo tempo para rejuvenescer. Resíduos desnecessários são removidos, reparos são
realizados, enzimas são reabastecidas, energia é restaurada.
• Ajuda a curar ferimentos, infecções e outros ataques ao corpo, incluindo estresse e traumas
emocionais.
• Descanso fortalece o sistema imunológico do seu corpo, ajudando a proteger-lo contra doenças.
• Descanso apropriado pode aumentar sua vida. Vários estudos tem demonstrado que pessoas que
dormem regularmente de sete a oito horas por noite têm menor índice de morte do que as que
dormem menos de sete horas ou muito mais de oito horas.
c. Quanto Sono Precisamos? 2
i. Recém-nascidos: 16-20 horas
ii. Crianças: 10-12 horas
iii. Adultos: 7-8 horas
d. Dívida de Sono: 3 Para cada hora de sono que perdemos por noite adquirimos uma dívida de sono
que precisa ser paga ou consequências à saúde sobrevirão.
Efeitos da Dívida de Sono: 1) Menos resistência, 2) sistema imunológico enfraquecido, 3) menos
eficiência mental, 4) dificuldade de concentração, 5) perda de memória a curto prazo, 6) distúrbios
emocionais, 7) aumento de irritabilidade, 8) maior propensão a acidentes, 9) ganho de peso, maior
risco de 10) diabetes, 11) doença cardíaca, 12) e derrame.
Causas da Dívida do Sono: 1) Televisão e uso de Internet, 2) entretenimento e esportes, 3)
trabalho excessivo e plantão noturno, 4) estresse e ansiedade, 5) ambiente barulhento, 6) uso de
certos medicamentos, 7) estimulantes como cafeína, 8) estilo de vida sedentário
e. Como Dormir Melhor:
• Faça intervalos frequentes durante o trabalho. Caminhe, tome água, respirae fundo.
• Exercíte ativamente todo dia por 30 a 60 minutos. Exercício relaxa, restaura a energia, combate
a depressão, e combate a tensão nervosa.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 21


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
• Mantenha uma rotina o mais regular possível com horários para acordar, deitar, comer e se
exercitar. O corpo se fortelece com ritmos regulares.
• Tente se deitar bem antes da meia noite.
• Coma a refeição da noite, pelo menos quatro horas antes de se deitar. Um estômago vazio e
descansado contribui para um sono de qualidade.
• Tente tomar um banho morno (não quente). É uma técnica útil de relaxamento.
• Conte suas bênção. Encha sua mente de gratidão.
• Consciência limpa e mente agradecida são os melhores travesseiros para se dormir.

Conselhos Inspirados:
Healthful Living, p. 46. “A natureza restaurará seu vigor e força durante a horas de sono, se suas leis
não forem violadas.”
Filhas de Deus, p. 141. “Essa questão de transformar a noite em dia é um hábito deplorável e
destruidor da saúde, e as muitas leituras por obreiros de atividade mental, para além da hora de dormir,
são prejudiciais à saúde. Levam o sangue ao cérebro e então resulta em agitação e insônia, e o precioso
sono que deveria descansar o corpo não vem quando é desejável.”
Manuscritos v. 7, p. 224. “Eu sei pelos testemunhos que foram dados de tempo em tempos para
trabalhadores mentais, que vale muito mais o sono antes do que depois da meia noite. Duas horas de
bom sono antes da meia noite valem mais do que quatro horas depois da meia noite. . . .”

2. Descanso Semanal
a. “Assim como o corpo possui um relógio natural diário (ritmo cicardiano) , ele também possui um
relógio semanal (ritmo circaseptano). . . . Pesquisas médicas demonstram a conexão de tais ritmos
com uma variedade de funções fisiológicas.” 4
b. Nosso amoroso Criador e Salvador instituiu o Sábado na criação do mundo para entrarmos em uma
comunhão especial com Ele a cada sétimo dia. Vamos louvá-Lo por seu maravilhoso dom do
descanso. (Ver Gênesis 2:2, 3; Êxodo 20:8-11; Marcos 2:27, 28; e Ezequiel 20:20).
O Desejado de Todas as Nações, p. 207. “A obra no Céu não cessa nunca, e o homem não deve
descansar de fazer o bem. O sábado não se destina a ser um período de inútil inatividade. A lei proíbe
trabalho secular no dia de repouso do Senhor; o labor que constitui o ganha-pão, deve cessar; nenhum
trabalho que vise prazer ou proveito mundanos, é lícito nesse dia; mas como Deus cessou Seu labor de
criar e repousou ao sábado, e o abençoou, assim deve o homem deixar as ocupações da vida diária, e
devotar essas sagradas horas a um saudável repouso, ao culto e a boas obras.”
3. Mudança de Ritmo (Recreação).
a. Para aqueles com trabalho sedentário algumas horas de trabalho ao ar livre podem ser exatamente o
que precisam para rejuvenescer.
b. Para os que trabalham ao ar livre, algumas horas de distração mental (leitura, etc.) pode ser o que
precisam para rejuvenescer.
c. Dias regulares de férias também são importantes.
Educação, p. 211. “Na presente época a vida se tornou artificial e os homens degeneraram. Conquanto
não possamos voltar completamente aos hábitos simples daqueles tempos primitivos, deles podemos
aprender lições que tornarão nossos momentos de recreação o que este nome implica: momentos de
verdadeira construção de corpo, espírito e alma.”

Confiança em Deus
Pesquisas indicam que pessoas com forte confiança em Deus são muito mais saudáveis do que os que não crêem. 4

22 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Alguns dos benefícios são menos incidência de: 1) hipertensão, 2) problemas cardiovasculares 3) vários cânceres, 4)
depressão, 5) complicações médicas, 6) qualquer processo de doença, 7) todas as causas de mortalidade. 5
Vários estudos indicam que a fé religiosa aumenta a saúde física. Por exemplo, um estudo com centenários (pessoas
que vivem até 100 anos de idade) demonstrou que os que tinham mais “religiosidade” (fé ativa) experimentavam
saúde mutio melhor em todos os aspectos.6 Um estudo da Duke University 7 salientou que os que têm forte ‘fé
religiosas têm “maiores níveis de satisfação na vida, maior felicidade pessoal, e menos consequências psicológicas
de eventos traumáticos.”
Provérbios 3:5-8. “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento.
Reconhece-O em todos os teu caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos;
Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal; será isto saúde para o teu corpo e
refrigério, para os teus ossos.”
A Ciência do Bom Viver, p. 119. “Gratidão e confiança abrem-lhe o coração ao poder restaurador de Deus, as
energias de todo o ser são possuídas de vigor, e as forças vitais triunfam..”
Conselhos Sobre Saúde, p. 382. “O instrumento humano deve ter fé, e deve cooperar com o poder divino,
utilizando-se toda facilidade, tirando vantagem de tudo o que, de acordo com o seu discernimento, for benéfico,
operando em harmonia com as leis naturais; e ao assim fazer não nega nem põe obstáculos à fé.”

Atitude
Provérbios 17:22. “O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos.”
A Ciência do Bom Viver, p. 281. “Gratidão, regozijo, benignidade, confiança no amor e no cuidado de Deus - eis as
maiores salvaguardas da saúde. Elas deviam ser, para os israelitas, as notas predominantes da vida.”

Atitudes Negativas Provocam Doenças 8


Emoções e atitudes negativas promovem processos inflamatórios que estão associados com:
1. Envelhecimento 4. Artrite
2. Doença Cardiovascular 5. Diabetes tipo 2
3. Osteoporose 6. Certos Cânceres

Higiene
Levíticos 11:44. “Eu sou o Senhor, vosso Deus; portanto, vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo;”
Christian Temperance and Bible Hygiene, p. 105. “Uma das fontes mais prolíficas de doença é a transgressão das
leis da vida em relação aos hábitos pessoais. Ordem e higiene são leis do Céu.”
A Ciência do Bom Viver, p. 276. “O escrupuloso asseio é indispensável tanto à saúde física como à mental.”
Review and Herald, 28 de fevereiro, 1907. “A higiene está próxima da santidade.”
O que deve ser limpo? (ver A Ciência do Bom Viver, p. 276).
1) nossa pele, 2) nosso vestuário, 3) lado de fora da casa, 4) dentro da nossa casa

Vestuário Apropriado
Pode nossa roupa ter um efeito direto em nossa saúde física? Considere as seguintes citações de Ellen White:
Testemunhos para a Igreja, v. 3, p. 164. “Deve-se obter conhecimento quanto ao comer, beber e vestir-se, de maneira
que seja preservada a saúde. A enfermidade é motivada pela violação das leis da saúde.”
Healthful Living, p. 123. “Metade das doenças das mulheres são causadas por vestuário não saudável.”

Vestir para Ter Saúde


1. Vista roupas que favoreçam a boa circulação.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 23
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
A Ciência do Bom Viver, p. 293. “Os pés e os membros, estando afastados dos órgãos vitais, devem ser
especialmente protegidos do frio por suficiente roupa. É impossível desfrutar saúde quando as extremidades
estão habitualmente frias; pois, se há pouco sangue nelas, terá de haver em excesso noutras partes do corpo.
Saúde perfeita requer perfeita circulação; isso, porém, não se pode ter quando três ou quatro vezes mais
agasalho é usado sobre o corpo, onde se encontram os órgãos vitais, do que nos membros.”
2. Vista roupa que permita a respiração completa.
A Ciência do Bom Viver, p. 292. “É essencial à saúde que o peito tenha margem para expandir-se à sua
máxima plenitude, a fim de os pulmões poderem inspirar amplamente. Quando os pulmões são restringidos, é
diminuída a quantidade de oxigênio que recebem. O sangue não é devidamente vivificado, e são retidos os
resíduos, matéria venenosa que devia ser expelida pelos pulmões. Além disso, a circulação é dificultada; e os
órgãos internos são por tal forma apertados e impelidos para fora do lugar que não podem realizar
devidamente o seu trabalho.”
3. Vista roupa que incentive a boa postura.
A Ciência do Bom Viver, p. 293. “A fim de prover-se do mais saudável vestuário, é preciso estudar cuidadosamente
as necessidades de cada parte do corpo. O clima, o ambiente, as condições da saúde, a idade e as ocupações, tudo
deve ser considerado. Cada peça de vestuário deve ser facilmente ajustada, não obstruindo nem a circulação do
sangue, nem a livre, plena e natural respiração. Cada peça deve ser tão ampla que, ao erguer os braços, a roupa se
erga correspondentemente.”

Pureza de Vida
Muitas pessoas conscienciosas no mundo estão preocupados quanto a moralidade básica da humanidade. Parece que
somos bombardeados por tentações para o sensual e impuro. A despeito deste ataque violento, medite sobre Deus e
Seu maravilhoso para ajudar Seu povo a permanecer puro em meio à impureza. Considere os seguintes textos
bíblicos:
1 João 3:3. “E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro.”
Filipenses 4:8. “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o
que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja
isso o que ocupe o vosso pensamento.”
Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 443. “Ar puro e água, higiene, regime adequado, pureza de vida e firme
confiança em Deus, são remédios por cuja falta milhares de pessoas estão perecendo...”
Como podemos obter a pureza?
Sinais dos Tempos, 22 de abril, 1881. “Pureza de coração levará à pureza de vida.”
Portanto, precisamos ter a experiência que Ezequiel fala no capítulo 36:
Ezequiel 36:26. “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e
vos darei coração de carne.”
1
Maas, J. (2001). Power Sleep: The Revolutionary Program That Prepares Your Mind For Peak Perfomance, p. 6. Nova York: Villard.
2
Diehl, H. & Ludington, A. (2001). Health Power. Hagerstown, Maryland: Review and Herald Publishing Association.
3
Harvard Medical School. (2007). Repaying Your Sleep Debt. Extraído de http://www.health.harvard.edu/fhg/updates/Repaying-your-sleep-debt.shtml
4
Nedley, N. (1999). Proof Positive: Chapter 20, Beyond The Leading Causes Of Death. Oklahoma, Nedley Publishing.
5
Seeman, T., Dubin, L. & Seeman, M. (2003). Religiosity/spirituality and health: A critical review of the evidence for biological pathways. American
Psychologist, Vol 58(1), 53-63. doi: 10.1037/0003-066X.58.1.53
6
Nedley, N. (1999). Proof Postive: Beyond The Leading Causes Of Death. Oklahoma, Nedley Publishing.
7
Ellison, C. (1991). Religious Involvement and Subjective Well-being. J Health Soc Behav. Mar; 32(1): 80-99.
8
Kiecolt-Glaser, J., McGuire, L., Robles, T. & Glaser, R. (2002). Psychoneuroimmunology: Psychological influences on immune function and health.
Journal of Consulting and Clinical Psychology, Vol 70(3), 537-547.

24 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 6 – Em Caso de Doença ou Ferimento


6 Passos a Seguir em Caso de Doença ou Ferimento.
1. Ore.
Tiago 5:14, 15. “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o
com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver
cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.”
Medicina e Salvação, p. 12. "Os enfermos devem ser curados mediante os esforços combinados do humano e
do divino."
Conselhos sobre Saúde, p. 247. “Vi que o motivo por que Deus não ouvia mais plenamente as orações de Seus
servos pelos doentes entre nós, era que Ele não podia ser glorificado nisto enquanto eles estivessem violando as
leis da saúde. E vi também ser Seu desígnio que a reforma da saúde e o Instituto de Saúde preparem o caminho
para que a oração da fé possa ser plenamente atendida. A fé e as obras devem andar de mãos dadas no aliviar os
aflitos que há entre nós, e em prepará-los para glorificar a Deus aqui e serem salvos na vinda de Cristo.”
2. Busque entender a causa
Provérbios 26:2. “Como ao pássaro o vaguear, como à andorinha o voar, assim a maldição sem causa não
virá.”
A Ciência do Bom Viver, p. 127.1. “Em caso de doença, convém verificar a causa.”
É verdade que muito é conhecido sobre a causa de doenças, porém, ainda há muito que não é conhecido. Muitas
vezes as pessoas adoecem e parece que não tem causa alguma. Por exemplo, muitas vezes mulheres que sempre
mantiveram um estilo de vida saudável e que não tem propensão genética ficam com câncer de mama.
A vida nesse mundo pecaminoso trás muita dor e sofrimento. Mutações genéticas afetam o corpo e o tornam
mais fácil de adoecer. Microrganismos, insetos, animais, nutrição inadequada, acidentes, decadência, toxinas
ambientais, guerra, e os demais combinam para aumentar as doenças e o sofrimento. Além desses, a seguir
temos outras causas de doenças.
a) Transgressão das leis naturais e espirituais de Deus
Testemunhos para a Igreja 3, p. 164.3. “A enfermidade é motivada pela violação das leis da saúde; é o
resultado da transgressão das leis da natureza.”
Healthful Living, p. 24. “O mal uso em qualquer parte de nosso organismo é uma violação das leis que
Deus designou para nos governar nesses aspectos; e ao violara essas leis, os seres humanos se
corrompem. Doenças de todo tipo, constituições arruinadas, decadência prematura, mortes precoces,
esses são alguns dos resultados da violação das leis da natureza.”
Pense quantas pessoas podem estar doentes hoje devido à transgressão das leis de Deus… tanto as
espirituais quanto as naturais.

b) Más escolhas no estilo de vida (alimentação empobrecida, hábitos não saudáveis, o uso de tabaco e
álcool, comportamento sexual impróprio, drogas ilegais, etc.)
Gálatas 6:7. “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso
também ceifará.”
Educação, p. 146.6. “Terrível é esta verdade, e profundamente deve ela ser gravada em nosso espírito.
Cada ação se reflete sobre aquele que a pratica. Jamais um ser humano pode deixar de reconhecer, nos
males que lhe infelicitam a vida, os frutos daquilo que ele próprio semeou. Contudo, mesmo assim, não
nos achamos sem esperança.”
c. Imaginação / Pensamentos desordenados
Testemunhos para a Igreja 5, p. 443.4. “A enfermidade da mente reina por toda parte. Nove de cada
dez enfermidades sofridas pelo homem têm aí seu fundamento. Talvez algum vivo distúrbio doméstico
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 25
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
esteja, como gangrena, roendo até à própria alma, e enfraquecendo as forças vitais. O remorso pelo
pecado mina por vezes a constituição, e desequilibra a mente. Há, também, doutrinas errôneas, como a
de um inferno eternamente a arder e o tormento perpétuo dos ímpios, as quais, por darem uma visão
exagerada e torcida do caráter de Deus, têm produzido os mesmos resultados sobre espíritos sensíveis.”
A Ciência do Bom Viver, p. 241.2. “A doença é muitas vezes produzida, e com frequência,
grandemente agravada pela imaginação. Muitos que atravessam a vida como inválidos poderiam ser
sãos, se tão-somente assim o pensassem. Muitos julgam que a mais leve exposição lhes ocasionará
doença, e produzem-se os maus efeitos exatamente porque são esperados. Muitos morrem de doença de
origem inteiramente imaginária.
3. Consagre-se Pessoalmente a Deus
Êxodo 15:26. “Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos,
e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das
enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara.”
Amar e obedecer a Deus restaura a humanidade. Sempre traz cura espiritual e muitas vezes também traz cura
física. Apesar de amar a Deus e obedecer suas leis de saúde, há vezes que o povo de Deus sofre com doenças.
Um exemplo disso se encontra na vida de Eliseu. Ele morreu de uma doença crônica. Mesmo assim, Deus
nunca o abandonou.
2 Reis 13:14. “E Eliseu estava doente da enfermidade de que morreu.”
Profetas e Reis, p. 135. Aquele sobre quem havia descido em grande medida o espírito que repousava
sobre Elias, provara-se fiel até o fim. Nunca vacilara. Nunca perdera sua confiança no poder da
Onipotência. Não foi dado a Eliseu seguir seu mestre num carro de fogo. Sobre ele o Senhor permitiu
que viesse uma prolongada enfermidade. Durante as longas horas de sofrimento e fraqueza humana,
sua fé permaneceu posta nas promessas de Deus, e ele sentiu sempre em torno de si mensageiros
celestiais de conforto e paz. Como nos altos de Dotã ele vira os exércitos circundantes do Céu, os
carros de fogo de Israel e seus cavaleiros, estava ele agora cônscio da presença cheia de simpatia dos
anjos; e foi sustentado. Através de sua vida havia exercido forte fé; e ao avançar no conhecimento das
providências de Deus e de Sua graciosa bondade, a fé havia amadurecido em inamovível confiança em
Deus; e quando a morte o chamou, ele estava pronto para repousar de seus labores. Preciosa é à vista do
Senhor a morte dos Seus santos”. Salmos 116:15.
4. Fortaleça Hábitos Saudáveis.
Deus criou o corpo humano com sistemas incríveis que combatem doenças e restauram a saúde. Porém, muito
disso depende da maneira como vivemos – nossos hábitos físicos, emocionais, sociais, e espirituais.
Desconsidere as leis de saúde de Deus, e o sistema de defesa fica incapacitado e ficamos susceptíveis a
doenças; isso já foi muito estudado e comprovado. Mas, viver de acordo com Seus princípios de saúde e
espiritualidade, fortalece o corpo e a mente e ajudar a combater doenças.
A Ciência do Bom Viver, p. 127. “Em caso de doença, convém verificar a causa. As condições
insalubres devem ser mudadas, os maus hábitos corrigidos.”
Medicina e Salvação, p. 223. “Se os enfermos e sofredores fizerem apenas o melhor que sabem com
relação a viver os princípios da reforma de saúde perseverantemente, em nove casos de cada dez
ficarão livres de seus males.”
Como Podemos Mudar Nossos Hábitos?
1. Compreender que não conseguimos mudar por nossa conta.
Zacarias 4:6. “E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por
força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos.”
João 15:5. Jesus diz, “sem mim nada podeis fazer.”
2. Busque a ajuda de Deus

26 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Hebreus 7:25. “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus,
vivendo sempre para interceder por eles.”
3. Comece a formar hábitos benéficos hoje
Deuteronômio 30:19. " Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho
proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua
descendência.”
5. Use Remédios Naturais e Simples.

A Ciência do Bom Viver, p. 127. Em caso de doença, convém verificar a causa. As condições insalubres devem
ser mudadas, os maus hábitos corrigidos. Então se auxilia a natureza em seu esforço para expelir as impurezas e
restabelecer as condições normais no organismo. Ar puro, luz solar, abstinência, repouso, exercício, regime
conveniente, uso de água e confiança no poder divino — eis os verdadeiros remédios. Toda pessoa deve possuir
conhecimentos dos meios terapêuticos naturais, e da maneira de aplicá-los. É essencial tanto compreender os
princípios envolvidos no tratamento do doente como ter um preparo prático que habilite a empregar
devidamente esse conhecimento.
Mensagens Escolhidas 2, p. 346. “Os meios naturais, usados em harmonia com a vontade de Deus, produzem
resultados sobrenaturais. Pedimos um milagre, e o Senhor dirige a mente a algum remédio simples.”
a. Hidroterapia
Medicina e Salvação, p. 227. “O tratamento pela água, sábia e habilidosamente aplicado, pode ser o meio de
salvar muitas vidas.”
A Ciência do Bom Viver, p. 237. “Muitos há, porém, que nunca aprenderam por experiência os benéficos
efeitos do devido uso da água, têm medo dela. Os tratamentos hidroterápicos não são apreciados como deviam
ser, e aplicá-los bem requer trabalho que muitos não estão dispostos a realizar. Mas ninguém se devia sentir
desculpado de ignorância ou indiferença neste assunto. Há muitas maneiras pelas quais a água pode ser
aplicada para aliviar o sofrimento e combater a doença. Todos devem se tornar entendidos no emprego da
mesma, nos simples tratamentos domésticos. As mães, especialmente, devem saber tratar de sua família, tanto
na saúde como na enfermidade.”
b. Ervas (verificar nota na parte “Tratamentos com Medicamentos e ervas”)
2 Reis 20:7. “Disse mais Isaías: Tomai uma pasta de figos. E a tomaram, e a puseram sobre a chaga; e ele
sarou.”
Mensagens Escolhidas 2, p. 294. “O Senhor deu algumas ervas simples, do campo, que por vezes são
benéficas; e se todas as famílias fossem instruídas na maneira de usar essas ervas em caso de doença, muito
sofrimento poderia ser evitado, e não se precisaria chamar médico nenhum. Essas ervas de uso antigo e
singelas, usadas inteligentemente, teriam restaurado muito doente que morreu sob a medicação de drogas.”
c. Carvão e Argila
João 9:6, 7. “Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. E
disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.”
Ellen White fala o seguinte a respeito desse evento de cura:
O Desejado de Todas as Nações, p. 582. “A cura só se podia operar pelo poder do grande Médico; todavia,
Cristo fez uso dos simples agentes da natureza.”
Mensagens Escolhidas 2, p. 294. “Um dos remédios mais benéficos é o carvão de lenha em pó, posto numa
bolsa e usado em fomentações. É este um dos remédios mais eficazes.”
d. Massagem
Paulson Collection, p. 15. “Algumas questões têm impressionado profundamente minha mente, e uma delas é
a necessidade de termos infraestrutura muito melhor nos banhos. Devemos ter acomodações nestes quartos,
como mesas de massagem.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 27


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
6. Utilize Intervenções Convencionais Quando for Necessário.
1. Cirurgias e Emergências – A vida é um dom precioso de Deus. Muitas vezes um acidente ou problema de
saúde pode causar a necessidade de intervenções convencionais para salvar a vida ou também de cirurgia
pra prevenir a morte, doença ou deficiência. Será que tomar os remédios necessários para fazer tais
procedimentos é negar a fé?
Mensagens Escolhidas 2, p. 284. “É privilégio nosso usar todos os meios designados por Deus, em
correspondência com a nossa fé, e então confiar em Deus, quando pleiteamos a promessa. Se houver
necessidade de uma intervenção cirúrgica, e o médico estiver disposto a encarregar-se do caso, não é
negação da fé submeter-se à operação.”
Mensagens Escolhidas 2, p. 284. “Antes de efetuar uma operação melindrosa, peça o cirurgião o auxílio
do Grande Médico.”

Aqui é demonstrado o princípio de fazer tudo quanto sabemos, de salvar vidas e prevenir deficiências
quando possível em vez de perder nossa vida e a eficiência de compartilhar o amor de Cristo porque não
queremos usar uma medicação ou passar por uma cirurgia.

2. Anormalidades Hormonais – Certas anormalidades hormonais podem requerer o uso de medicações pelo
resto da vida. Tais anormalidades podem ser resultados de certos órgãos não funcionarem adequadamente
ou de terem sido removidos por cirurgias causando uma produção endócrina inadequada (como
hipotireoidismo, diabetes tipo 1, etc.). Normalmente a medicação serve para substituir os hormônios que o
corpo já era para estar produzindo e é necessária para que o indivíduo tenha uma vida saudável e normal.
3. Doenças que podem ser Fatais ou Incapacitantes. – Tratamentos intensivos com medicações podem ser
necessários para prevenir mortes, deficiências ou sofrimento prolongado. A malária é uma doença muito
perigosa. Em muitos lugares do mundo o atraso no tratamento dela pode ser fatal. Observe a seguinte
citação e veja o princípio do uso ajuizado das drogas.
Mensagens Escolhidas 2, p. 281. “As drogas raramente necessitam ser empregadas. [Em harmonia
com estas palavras foi o conselho da Sr. White quando a consultaram acerca do uso de quinino no
tratamento da malária. Seu filho, que com ela viajou e a ajudou, referiu o seguinte: “Certa vez, quando
estávamos na Austrália, um irmão que estivera trabalhando como missionário nas ilhas, falou à Mamãe
acerca da doença e falecimento de seu filho primogênito. Achava-se este gravemente atacado de
malária, e o pai foi aconselhado a dar-lhe quinino, mas em vista do conselho dos Testemunhos de
evitar o uso de quinino, recusou-se a ministrá-lo, e o filho morreu. Quando se encontrou com a irmã
White, fez-lhe a pergunta: ‘Teria eu pecado ministrando quinino ao pequeno, quando eu não conhecia
outro meio de deter a malária, e quando as perspectivas eram de que sem isso ele morreria?’ Em
resposta disse ela: ‘Não, espera-se de nós que façamos o melhor que pudermos’.” – Carta de G. C.
White, 10 de Setembro de 1935. – Compiladores.”

Mensagens Escolhidas 2, p. 303. Tratamento de raios X em Loma Linda — “Por várias semanas me
submeti a tratamentos de raios X, para a mancha escura que eu tinha na fronte. Tomei ao todo vinte e
três aplicações, e elas conseguiram remover inteiramente a mancha. Por isso sou muito grata. — Carta
30, 1911.”

Mensagens Escolhidas 2, p. 303. Transfusões de sangue — “Há uma coisa que tem salvo vida:
transfusão de sangue de uma pessoa para outra; mas isto ser-vos-á difícil, talvez impossível. Apenas o
sugeri. — Medicina e Salvação, 286, 287, (Ao Dr. D. H. Kress).”

Mensagens Escolhidas 2, p. 303. “Vacinação – Vacinação para varíola: D. E. Robinson, um dos


secretários da Sra. White, com data de 12 de Junho de 1931, escreveu o seguinte acerca da atitude da
Sra. White para com a vacinação: ‘Pedis informação definida concisa acerca do que a irmã White
escreveu sobre vacinação e soro. Esta pergunta pode ser respondida muito concisamente, pois quanto a
todos os relatórios que temos, ela não se referiu a isso em nenhum de seus escritos. Haveis de
interessar-vos em saber, porém, que numa ocasião em que houve uma epidemia de varíola na

28 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
vizinhança, ela mesma foi vacinada e insisti com seus auxiliares, que tinham ligação com ela, a
vacinarem-se. Dando este passo, a irmã White reconheceu que fora demonstrado que a vacinação, ou
imuniza contra a varíola, ou atenua grandemente os seus efeitos, se a pessoa a contrai. Também
reconheceu o perigo de exporem ao contágio, caso deixassem de tomar essa precaução. – [assinado] D.
E. Robinson.’”

Medicações e Tratamentos com Ervas


Demasiadas pessoas recorrem às drogas farmacêuticas e tratamentos com ervas sem procurar definir a causa de seus
problemas de saúde. Embora medicações possam ser necessárias para tratar alguns problemas modernos de saúde,
não devemos esquecer que o plano original de Deus para a humanidade num mundo sem pecado era a vida sem
doenças e livre do uso medicações e tratamentos com ervas.
Tratamentos com ervas, entre outros, estiveram disponíveis desde o pecado. Os costumes que pareciam melhorar a
saúde foram passados de geração em geração por meio da fala e da escrita. A maioria é o resultado de observações
simples enquanto outras vêm de histórias, fábulas e até ideias místicas do mundo espiritual e a interação desse com o
corpo. O uso de substâncias químicas e mineralógicas também ficou comum. Os químicos da época possuíam um
entendimento muito básico da ciência e pouco conhecimento de fisiologia. Eles usavam químicos no tratamento de
doenças, a maioria dos quais eram altamente tóxicos e causavam sofrimento e morte. Infelizmente essas
consequências só eram vistas após meses ou até anos.
Os princípios que encontramos na Bíblia e nos escritos da Sra. White são duradouros e tão importantes hoje quanto
quando foram escritos; porém, eles devem ser estudados dentro do contexto para que possam ser entendidos
corretamente. Quando abordamos esse assunto importante, muitas coisas tem que ser consideradas dentro dos
ensinos da Bíblia, dos conselhos do Espírito de Profecia, e do conhecimento científico sólido.
1. A maioria dos problemas de saúde no tempo da Sra. White eram resultados de hábitos que danificavam o
corpo e a mente. A ciência confirma que as condições hoje não mudaram. Para esses problemas temos o
seguinte conselho:
Medicina e Salvação, p. 222. “Hábitos direitos, corretos, observados inteligente e perseverantemente,
removerão a causa das doenças, e não haverá necessidade de recorrer às drogas fortes. Muitos
prosseguem de um passo a outro com suas condescendências não naturais, o que conduz a um estado de
coisas tão antinaturais quanto possível.”
Na época era comum tratar doenças com químicos (como mercúrio, arsênico, estricnina, etc.) e outros
procedimentos (sangramento) e negligenciar de ajudar os pacientes a melhorar seus hábitos de saúde. Esse
método nunca leva à melhora da saúde. Na verdade, se não fosse pela habilidade inata do corpo de se curar, a
maioria (ou até todos) os doentes morreriam... Especialmente depois de serem atacados pelos medicamentos
que se usavam naquela época.
A Ciência do Bom Viver, p. 127. “Ensinem os médicos ao povo que o poder restaurador não se
encontra em drogas, porém na natureza. A doença é um esforço da natureza para libertar o organismo
de condições resultantes da violação das leis da saúde. Em caso de doença, convém verificar a causa.
As condições insalubres devem ser mudadas, os maus hábitos corrigidos. Então se auxilia a natureza
em seu esforço para expelir as impurezas e restabelecer as condições normais no organismo.”
2. Um bom conhecimento de fisiologia nos ajudará a tomar boas decisões para a saúde.
Conselhos Sobre Saúde, p. 38. “É, por conseguinte, da mais alta importância que entre as matérias
selecionadas para a infância, a fisiologia ocupe o primeiro lugar. Quão poucos sabem qualquer coisa
sobre a estrutura e funções do seu próprio corpo e das leis naturais! Muitos estão sendo levados à
deriva, à semelhança de um navio no mar sem bússola ou âncora; e, o que é pior, não estão interessados
em aprender como conservar seu corpo em boas condições de saúde e evitar as doenças.”

Mensagens Escolhidas 2, p. 283. “Quando compreenderdes a filosofia em seu mais verdadeiro sentido,
vossas receitas de drogas serão muito menores, e finalmente deixareis por completo de distribuir
drogas.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 29


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
3. A maioria dos medicamentos usados no século 19 e no inicio do século 20 eram usados sem provar que eles
eram seguros e eficazes. Nem os efeitos deles no corpo e na mente nem os riscos ao tomá-los eram
conhecidos. O estudo da fisiologia estava só começando. Hoje, sabemos com certeza que a maioria dessas
medicações era na verdade venenosa e não tinham benefício para a mente ou o corpo.
A Sra. White falou o seguinte como resposta a perguntas de um estudante de medicina.

Mensagens Escolhidas 2, p. 279. “Os tóxicos das drogas querem dizer os artigos que mencionastes
[mercúrio, estricnina, arsênico e tóxicos semelhantes e também potássio, iodo, extratos vegetais, etc.].
Os remédios mais simples são menos danosos, na proporção de sua simplicidade; mas em muitíssimos
casos são eles usados quando não são absolutamente necessários. Há simples ervas e raízes que
qualquer família pode usar por si mesma, não sendo preciso chamar um médico mais depressa do que
chamariam um advogado. Não penso vos poder dar uma linha definida de remédios compostos e
receitados por médicos, que sejam perfeitamente inofensivos. Entretanto, não seria sábio empenhar-se
em polêmica sobre esta questão.”
4. Mesmo no seu tempo, quando a maioria das medicações eram realmente venenosas, a Sra. White não diz que
todos os remédios deveriam ser descartados. Em raras ocasiões, ela mesmo os tomou e recomendou que
outros tomassem. Ela denuncia o uso de medicamentos da maneira que era “geralmente praticada” naquela
época. Isso indica que existe a possibilidade de usar alguns medicamentos de maneira sábia.
Mensagens Escolhidas 2, p. 283. “Nossas instituições são estabelecidas para que os doentes sejam
tratados por métodos naturais, rejeitando quase inteiramente o uso de drogas."
Mensagens Escolhidas 2, p. 282. “A medicação de drogas, tal como é geralmente praticada, é uma
calamidade. Educai em direção oposta às drogas. Usai-as cada vez menos, e confiai mais em agentes
higiênicos; então a Natureza corresponderá aos médicos de Deus — ar puro, pura água, exercício
apropriado, uma consciência limpa.”

5. Às vezes, pode parecer que as palavras e ações da Sra. White se contradizem, mas suas palavras precisam ser
avaliadas no seu próprio contexto.
Dons Espirituais 4a, 139. “Mercúrio, calomel, e quinino contribuíram sua parte ao sofrimento e só o
dia de Deus revelara o quanto.”
Carta de G. C. White, 10 de Setembro de 1935. Mensagens Escolhidas 2, p. 281. “Certa vez, quando
estávamos na Austrália, um irmão que estivera trabalhando como missionário nas ilhas, falou à Mamãe
(Sra. White) acerca da doença e falecimento de seu filho primogênito. Achava-se este gravemente
atacado de malária, e o pai foi aconselhado a dar-lhe quinino, mas em vista do conselho dos
Testemunhos de evitar o uso de quinino, recusou-se a ministrá-lo, e o filho morreu. Quando se
encontrou com a irmã White, fez-lhe a pergunta: ‘Teria eu pecado ministrando quinino ao pequeno,
quando eu não conhecia outro meio de deter a malária, e quando as perspectivas eram de que sem isso
ele morreria?’ Em resposta disse ela: ‘Não, espera-se de nós que façamos o melhor que pudermos’.”

Essa passagem demonstra que apesar da Sra. White considerar quinino venenoso, tinha situações em que ele era
benéfico como tratamento quando usado corretamente. E a ciência tem confirmado isso. Porém, a ciência
descobriu que a maioria dos outros “remédios” (mercúrio, calomel, estricnina, etc.) são venenos sem efeito
positivo no corpo.

O conhecimento moderno da fisiologia tem resultado na descoberta e produção de substâncias que podem ajudar
com certos problemas de saúde. São produzidas moléculas específicas que interferem em passos específicos de
doenças. Por exemplo:

i. Algumas quimioterapias – algumas décadas atrás, a leucemia linfóide aguda era geralmente incurável
em crianças. Menos de 5% das crianças eram curadas e muitas morriam dentro de 6 messes após o
diagnóstico. nas décadas de 1950 e 60, foram descobertas novas medicações que davam esperança.
Uma dessas é a vincristina (oncovina) que vem da planta mirta. Essa medicação junto com outros
tratamentos mudou completamente o prognóstico dessa doença terrível. A Sociedade Americana de
30 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Hematologia diz que agora, aproximadamente 80% de quem tem leucemia linfóide aguda se
recupera. A vincristina e outras medicações podem ser altamente tóxicos, assim como a quinina.
Porém, utilizados de forma inteligente, eles têm dado vida e esperança a milhares de pessoas.
ii. Medicações Cardiovasculares – algumas doenças que afetam o ritmo do coração podem ser difíceis
de serem tratadas e podem ser fatais. Certos químicos como a digoxina (que vem da dedaleira) tem
ajudado a tratar milhões de pessoas que teriam sofrido e morrido dessas doenças sem o uso dessa
droga. Esses químicos complementam bons hábitos de estilo de vida mas não são substitutos.
Ha muitas pessoas que já usam medicações no tratamento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão,
problemas cardíacos, asma, distúrbios psiquiátricos, doenças autoimunes e doenças endócrinas. Deve-se exercer
muito cuidado ao alterar o uso dessas medicações sem supervisão médica, pois pode por a vida em risco. O único
meio seguro a seguir é de se educar meticulosamente e seguir passo a passo observando o paciente
cuidadosamente.
Muito Importante: O uso de medicações não substitui a necessidade de seguir as leis divinas de saúde.

6. Medicações com ervas – ervas contém químicos naturais que afetam o funcionamento do corpo. Portanto não
devem ser vistos como naturalmente inócuos em qualquer situação. Algumas ervas são tóxicas aos seres
humanos, mesmo em pequenas quantidades. A maioria das ervas populares são consideradas não venenosas se
forem usadas em quantidades moderadas. Porém, a Sra. White afirma e a ciência moderna confirma que
devemos ser cautelosos ao usá-las.
Mensagens Escolhidas 2, p. 294. “O Senhor deu algumas ervas simples, do campo, que por vezes são
benéficas; e se todas as famílias fossem instruídas na maneira de usar essas ervas em caso de doenças, muito
sofrimento poderia ser evitado, e não se precisaria chamar médico nenhum. Essas ervas de uso antigo e
singelas, usadas inteligentemente, teriam restaurado muitos doentes que morreram sob a medicação de
drogas.”
Observe o uso das palavras “ervas simples,” “por vezes,” e “usadas inteligentemente.” O uso das ervas não
deve substituir bons hábitos de saúde e deve ser consistente com o conhecimento de saúde e doença para
serem “usadas inteligentemente.”
Prestadores de cuidados de saúde devem ser alertados ao uso de ervas porque mesmo as ervas que são
consideradas inócuas podem ter interações com medicações. Por exemplo, o risco de sangrar aumenta quando
a varfarina é usada com alho.

Algumas Razões pelas quais Medicações São Usadas em Excesso


Por uma Solução Rápida.– “Em tais casos, os doentes podem fazer por eles mesmos o que ninguém mais pode
fazer… Mas geralmente a pessoa que sofre de alguma dor fica impaciente. Não estão dispostos a fazer um sacrifício
e sofrer um pouco de fome. Nem estão dispostos a esperar o processo lento da natureza para reconstruir as energias
sobrecarregadas do sistema Mas estão determinados a obter alívio imediato, e tomam drogas poderosas, receitadas
por médicos. A natureza estava realizando bem seu trabalho e teria obtido êxito, mas enquanto realizava sua tarefa,
foi introduzida uma substância estranha de uma natureza venenosa. Que erro! A violação da natureza tem agora dois
malefícios para lutar contra, ao invés de apenas um. Ele deixa o trabalho no qual estava envolvida e resolutamente
toma conta de expulsar o intruso recém-introduzido no sistema. A natureza sente esta dupla responsabilidade sobre
seus recursos e se torna enfraquecida.”
Pra Continuar a Viver com Intemperança –“Aqueles que satisfazem seu apetite, e depois sofrem por causa de sua
intemperança, e tomam drogas para aliviar, podem estar certos de que Deus não intervirá para salvar a saúde e a vida
assim descuidosamente posta em risco. A causa produziu o efeito. Muitos, como último recurso, seguem as direções
dadas na Palavra de Deus, e pedem as orações dos anciãos da igreja para restauração de sua saúde. Deus não acha por
bem atender às orações dessas pessoas, pois sabe que, caso elas se restaurassem, à saúde, sacrificá-la-iam outra vez no
altar do apetite prejudicial.” Spiritual Gifts 4:145

Pela Facilidade de usá-las – “Mais fácil é empregar drogas do que utilizar remédios naturais.” Temperança, 85.
Pela Popularidade – “Alguns tomam remédios a qualquer pretexto.” Mensagens Escolhidas, 454

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 31


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Por Serem receitadas para curar Pequenas Doenças – “Médicos que professam conhecer o organismo humano,
prescrevem para seus pacientes, e mesmo para seus próprios queridos filhos e esposas, venenos lentos para cortar a
doença, ou curar alguma leve indisposição.” Mensagens Escolhidas 2, p. 453
Pela Ignorância do Plano de Deus – “Os homens e as mulheres devem informar-se no que tange à filosofia da
saúde. A mente dos seres racionais parece estar imersa em escuridão no que respeita à sua própria estrutura física, e
quanto a preservá-la em condições saudáveis. Conselhos Sobre Saúde, p. 37.
Alguns Riscos de Tomar Medicações (e Tratamentos Pouco Seguros de Ervas)
Há riscos associados com qualquer medicação, erva ou procedimento médico para curar um problema. No entanto , o
risco de ter um efeito negativo resultante de um tratamento específico tem de ser comparado com o risco para a
pessoa se nada for feito para ajudar a tratar o problema.
Nosso primeiro alvo é de educar e ensinar as pessoas que lidam com as raízes das doenças a praticarem hábitos
saudáveis. Além disso, pode ser necessário usar medicamentos, ervas, ou procedimentos como cirurgia, radioterapia,
e hidroterapia no tratamento de doenças. Nesses casos, não tratar da doença de uma maneira adequada pode ser
perigoso ou até fatal como nesses próximos exemplos.
1. Apendicite aguda é uma infecção repentina do apêndice que pode progredir rapidamente. O apêndice pode
romper e soltar o pus pelo abdômen causando uma infecção grave (peritonites) com alta chance de morte. O
tratamento de apendicites inclui cirurgia de emergência e possivelmente antibióticos. Sem esse tratamento, o
paciente geralmente morre e quando não morre, vive com complicações sérias.
2. A meningite, quando causada pela bactéria Neisseria Meningitides, é uma doença muito grave. Pode
rapidamente levar à morte ou outros resultados graves. O melhor tratamento conhecido para essa meningite é a
administração de antibióticos intravenosos tão rápido quanto possível e em dosagens apropriadas. O risco
corrido ao tomar os antibióticos é muito menor do que o risco de morte e complicações. Portanto, tratar a doença
com antibióticos é a melhor opção.
Reações Adversas a Medicamentos – Nesse contexto precisamos levar em consideração as reações adversas a
medicamentos. Isso é um problema universal e imenso. Por exemplo, foi estimado que nos Estados Unidos “houve
2.216.000 pacientes hospitalizados por sérias reações adversas a medicamentos em 1994 e, 106.000 tiveram reações
fatais. O que faz com que essas reações sejam a quarta ou quinta causa mais comum de mortes.” JAMA. 1998 Abr.
15;279(15):1200-5.
Medicina e Salvação, p. 224. “Devem os médicos ter sabedoria e experiência, sendo integrais reformadores da
saúde. Então estarão constantemente educando por preceito e exemplo os seus pacientes a deixarem as drogas;
pois sabem muito bem que o uso de drogas pode produzir no momento resultados favoráveis, mas implantarão no
organismo aquilo que produzirá grandes dificuldades no futuro, e de que talvez jamais se recuperarão durante o
transcurso de toda a sua vida.”
Infelizmente há muitos que usam medicamentos sem nenhuma ou com quase nenhuma necessidade. Esse hábito é
comum por todo mundo e aumenta a possibilidade de reações adversas. Algumas mediações podem ter efeitos
negativos mesmo anos depois de serem ingeridas.
Em Resumo
1. As leis divinas de saúde criam o melhor ambiente para nosso corpo e mente resistirem às doenças e restaurarem
a saúde.
2. É importante descobrir a causa e também a natureza das doenças. Os hábitos danosos à mente e corpo
normalmente são a causa da maioria das doenças. Deus provê forcas para melhorar estes hábitos.
3. Os tratamentos mais simples como hidroterapia e carvão podem ser benéficos em tratar muitos problemas de
saúde e devem ser usados quando adequado. Tratamentos seguros com ervas podem ser benéficos quando
usados sabiamente.
4. Tanto procedimentos como cirurgias, transfusões de sangue, vacinas, radioterapia, entre outros, como o uso
cuidadoso e adequado de medicamentos fazem parte do processo de tratar doenças.
5. O conselho e auxílio de Deus deve ser sinceramente buscado em todas as situações. A cura vem unicamente
dEle.

32 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 7 – Lidando com o Sofrimento


Você alguma vez já experimentou intenso sofrimento físico ou emocional? Como devemos lidar com esses momentos
desafiadores? Considere como o apóstolo Paulo lidou com seu “espinho na carne” - 2 Coríntios 12:7-10
O Desejado de Todas as Nações, p. 224, 225. “Deus nunca dirige Seus filhos de maneira diversa daquela por que eles
próprios haveriam de preferir ser guiados, se pudessem ver o fim desde o princípio, e perscrutar a glória do desígnio que
estão realizando como colaboradores Seus. Nem Enoque, que foi trasladado ao Céu, nem Elias, que ascendeu num carro
de fogo, foi maior ou mais honrado do que João Batista, que pereceu sozinho na prisão. "A vós vos foi concedido, em
relação a Cristo, não somente crer nEle, como também padecer por Ele." Filip. 1:29. E de todos os dons que o Céu pode
conceder aos homens, a participação com Cristo em Seus sofrimentos é o mais importante depósito e a mais elevada
honra.”
Ellen White experimentou intenso sofrimento durante sua vida:
Este Dia com Deus, p. 43. “Por onze meses, depois de ir para a Austrália, sofri de reumatismo inflamatório. Não
conseguia levantar os pés do chão sem sofrer grande dor. ...Durante esses onze meses de sofrimento... eu não quis
desistir. O braço direito, do cotovelo para baixo, estava são, de modo que eu podia usar a pena, e escrevi duas mil e
quinhentas páginas de papel de carta para publicação. Durante esse período, experimentei o mais terrível sofrimento
de minha vida....Para tudo isso há, porém, um aspecto agradável. Meu Salvador parecia estar bem perto de mim.
Senti Sua sagrada presença em meu coração, e fiquei muito grata. Esses meses de sofrimento foram os meses mais
ditosos de minha vida, em virtude do companheirismo de meu Salvador. ... Seu amor encheu-me o coração. No
decorrer de toda a minha enfermidade, Seu amor, Sua terna compaixão, eram o meu conforto. ...Olhai para Jesus,
vosso compassivo e amoroso Salvador. Se lançardes vossa alma desamparada sobre Cristo, Ele trará alegria e paz a
vossa alma. Será vossa coroa de regozijo, vosso grandíssimo galardão.”

Causas da Enfermidade e do Sofrimento


1. Viver em um planeta pecador em meio à grande controvérsia entre Cristo e Satanás;
2. Escolhas erradas que outros fazem;
3. Escolhas erradas que nós fazemos.

Coisas que Podemos Aprender Através da Enfermidade e do Sofrimento


1. Confiar em Deus de Maneira Mais Pessoal.
Mensagens Escolhidas v.2, p. 239, 240. “Impõe-se-me a pergunta: Por que não receberei a bênção da restauração
da saúde? Devo interpretar estes longos meses de doença como evidência do desprazer de Deus por ter eu vindo à
Austrália? Respondo com um decidido Não! Não ouso isso fazer…Quando oro fervorosamente pedindo
restauração, e me parece que o Senhor não responde, meu espírito quase desmaia dentro em mim. Então é que o
querido Salvador me faz lembrar a Sua presença. Diz-me Ele: Não podes confiar nAquele que te comprou com
Seu próprio sangue?”
2. Ter um Relacionamento Salvífico com Jesus.
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 458, 459. “Temos de animar os doentes e sofredores a olharem a Jesus,
e viver. Mantenham os obreiros a Cristo, o grande Médico, constantemente diante daqueles a quem a doença
física e espiritual levou ao desânimo. Encaminhai-os Àquele que é capaz de curar tanto a enfermidade do corpo
como a da alma. Falai-lhes dAquele que Se comove diante de suas enfermidades. Animai-os a se colocarem sob o
cuidado do que deu Sua vida a fim de tornar possível que eles tenham a vida eterna. Falai de Seu amor; falai de
Seu poder para salvar.”
3. Aprender a Ter Simpatia pelos Outros.
Mensagens Escolhidas v.2, p. 237. “Alguns dentre nossos amigos nada sabem da miséria humana e da dor física.
Nunca ficam doentes, e portanto não podem penetrar plenamente nos sentimentos daqueles que se acham
doentes. Jesus, porém, Se comove com o sentimento de nossa enfermidade. Ele é o grande missionário médico.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 33


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
4. Aprender Sobre o Poder de Deus
João 9:2, 3. “E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.”
Sinais dos Tempos, 21 de fevereiro, 1900. “Porque um homem está enfermo, Deus não o deixa de lado; Ele faz
uso da enfermidade. O homem que exercita fé inabalável sob o sofrimento, exercita uma influência mais
impressionante do que jamais o faria em saúde. Frequentemente o aflito pode pregar um sermão mais eficaz do
seu leito de doente do que jamais pregaria do púlpito. E é no leito do doente que o poder de Deus é mais
magnificado. Quando somos pressionados por sofrimento ou perda, Deus envia a ajuda necessária. Suas
promessas são comprovadas serem imutáveis e infalíveis.”
5. Para nos Relembrar que Enfermidade e/ou Sofrimento NÃO são Desculpas para Agirmos de Modo
contrário a Cristo.
Este Dia com Deus, p. 175. “Durante a noite passada dormi bem pouco. Procurei olhar para Jesus e colocar-me
nas mãos do Grande Médico. Disse Ele: "A Minha graça te basta." A graça de Cristo leva os homens a
proferirem palavras apropriadas em todas as circunstâncias. O sofrimento físico não é pretexto para ações
contrárias às de Cristo.... Durante essas horas de insônia, o assunto de vencer constituiu o tema de meus
pensamentos,.... A graça de Deus é suficiente para todos os males e aflições contra que os seres humanos têm de
pelejar. É ela, portanto, ineficaz contra a enfermidade física? A graça divina há de recuar, enquanto Satanás se
apodera do terreno, retendo a vítima no poder de seus maus atributos?”
6. Ajudam a Revelar Erros no Estilo de Vida que Podem Ter Causado a Enfermidade/Sofrimento
Testemunhos para a Igreja, v. 3, p. 164. “A enfermidade é...o resultado da transgressão das leis da natureza.”
7. Uma Possível Advertência aos Outros
Mensagens Escolhidas v.2, p. 238, 239. “Estou certa de que esta lição do sofrimento será para glória de Deus,
um meio de advertir os outros a que evitem o trabalho contínuo, sob circunstâncias difíceis, tão desfavorável à
saúde do corpo.”
Exemplos: câncer de pulmão devido ao uso de tabaco, dano ao fígado devido ao consumo de álcool

8. Razões por Trás da Enfermidade e Sofrimento Nem Sempre Compreendidas


Carta, 3 de julho, 1892. “Enquanto estou passando por esta provação de sofrimento físico, eu dedico minhas
horas sem dormir à oração sincera para que eu possa ser restaurada à saúde. Por seis meses tenho estado quase
que sem ação…. Emma White escreve dizendo, ‘Mamãe, se você não melhorar tome o próximo barco de volta
para a América’. Mas este não é o meu modo de sair dessa situação. Minha doença pode estar nos planos do
Senhor como uma parte do arranjo para cumprir propósitos que nós não discernimos. Eu espero permanecer aqui
durante o tempo que me compete e fazer o que puder apesar de atacada por enfermidades.”

Capítulo 8 – A Falsa Cura


Milagres de Satanás nos Últimos Dias
2 Tessalonicenses 2:8, 9. “Então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua
boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda. Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás,
com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira.”
Apocalipse 13:14. “Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da
besta...”
Curas Aparentes – “Cenas assombrosas, com as quais Satanás estará intimamente ligado, terão lugar em breve. A
Palavra de Deus declara que Satanás operará milagres. Fará com que as pessoas fiquem doentes, e depois, de repente
removerá delas seu poder satânico. Serão consideradas então como curadas. Essas obras de cura aparente levarão os
adventistas do sétimo dia à prova. Muitos que tiveram grande luz deixarão de andar na luz, porque não se tornaram
um com Cristo.” Mensagens Escolhidas p. 53.

34 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Satanás Trabalha para Enganar os Eleitos– “Satanás, rodeado de anjos maus, e declarando-se Deus, operará
milagres de todas as espécies, para enganar, se possível, os próprios eleitos. O povo de Deus não encontrará sua
segurança na operação de milagres; pois Satanás imitará os milagres que forem operados.” Testemunhos para a
Igreja, v. 9, p. 16.
Satanás Trabalha Através do Controle da Mente e Manipulação
Perigos do Controle da Mente - “A teoria de uma mente reger outra teve origem em Satanás, a fim de se introduzir
como o obreiro principal, para pôr a filosofia humana onde se devia encontrar a divina. De todos os erros que estão
encontrando aceitação entre cristãos professos, não há engano mais perigoso, nenhum mais propício a separar
infalivelmente o homem de Deus do que esse. Por inocente que pareça, ao ser exercido sobre os pacientes, tende para
sua destruição, e não para seu restabelecimento. Abre uma porta através da qual Satanás entrará para tomar posse
tanto da mente que se entrega ao domínio de outra como da que a domina.” A Ciência do Bom Viver, p. 243.
Evite o Hipnotismo. “Os homens e as mulheres não devem estudar a ciência de como cativar a mente dos que com
eles se associam. Essa é a ciência que Satanás ensina. Devemos resistir a todas as coisas dessa espécie. Não devemos
brincar com o mesmerismo e o hipnotismo - a ciência daquele que perdeu o seu primeiro estado e foi lançado fora
das cortes celestiais.” Medicina e Salvação, p. 110, 111.

Invasão do Espiritualismo
Espiritualismo: Feitiçaria Moderna – “O próprio nome de feitiçaria é hoje tido em desdém. A pretensão de que os
homens podem entreter comunicações com os espíritos maus é considerada como fábula da Idade Média. O
espiritismo, porém, que conta centenas de milhares, e na verdade, milhões de adeptos, que teve ingresso nos centros
científicos, invadiu igrejas e alcançou favor nas corporações legislativas e mesmo nas cortes reais, esse grande
engano - não é senão o reaparecimento, sob novo disfarce, da feitiçaria condenada e proibida na antiguidade.” O
Grande Conflito, p. 556.
Crenças do Espiritualismo – “O Espiritismo afirma que os homens são semideuses, não decaídos; que "cada mente
julgará a si mesma", que "o verdadeiro conhecimento coloca os homens acima de toda a lei", que "todos os pecados
cometidos são inocentes", pois "o que quer que seja, está certo", e "Deus não condena". Representa os mais vis dos
seres humanos como estando no Céu, e grandemente exaltados ali. Assim, declara ele a todos os homens: "Não
importa o que façais; vivei como vos aprouver, o Céu é vosso lar." Multidões são levadas assim a crer que o desejo é
a lei mais elevada, a libertinagem é liberdade, e que o homem é apenas responsável a si mesmo.” Educação, p. 227.
Espiritualismo e Poder da Mente – “Há muitos que recuam horrorizados ante o pensamento de consultar médiuns
espíritas, mas são atraídos por formas mais agradáveis de espiritismo. Outros são levados ao extravio pelos
ensinamentos da Ciência Cristã, e pelo misticismo da teosofia e outras religiões orientais.” Evangelismo, p. 606.
1. O Movimento Emanuel – foi uma abordagem baseada na psicologia para a cura religiosa introduzida em1906
como um trabalho missionário da Igreja Emmanuel em Boston, Massachusetts. Na prática, o elemento religioso
não era enfatizado e as principais modalidades eram a terapia individual e de grupo. (Dubiel, Richard M. (2004).
The Road to Fellowship: The Role of the Emmanuel Movement in the Development of Alcoholics Anonymous)
2. Ciência Cristã – Seita cristã fundada por Mary Baker Eddy em 1879. Os membros creem que apenas Deus e a
mente possuem realidade suprema, e que o pecado e doença são ilusões que podem ser vencidas pela oração e fé.
Oxford)
3. Teosofia – “qualquer uma de inúmeras filosofias que afirmam que um conhecimento de Deus pode ser
alcançado através do êxtase espiritual, intuição direta, ou relacionamentos individuais especiais, especialmente o
movimento fundado em 1875 como Sociedade Teosófica por Helena Blavatsky e Henry Steel Olcott.” (Oxford)
Helena Blavatsky (1831-1891) – Uma espiritualista bem conhecida no século 19 e cofundadora da Sociedade
Teosófica em Nova York. Durante sua carreira ela alegava que tinham demonstrado proezas psíquicas, mentais, e
físicas que incluíam levitação, clarividência [a suposta habilidade de adquirir informação sobre um objeto,
pessoa, local ou evento físico através de meios que não incluem os sentidos humanos conhecidos, isto é,
habilidades psíquicas paranormais], projeções fora do corpo, telepatia, e clarividência. (Dictionary of National
Biography, Oxford University Press)

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 35


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Seus escritos conectando conhecimento esotérico espiritual com nova ciência pode ser considerado o primeiro
caso do que agora é chamado de pensamento Nova Era, “o movimento hippy dos anos 60 e 70 do século vinte”.
(Pearsall, Ronald (1972), The Table-Rappers, p. 217, Michael Joseph)
4. Religiões Orientais (como Budismo, Hinduísmo, Religião Chinesa, etc.) – a crença em Deus é geralmente
politeística ou não teística, e comumente aceita uma variedade de crenças tais como a vida após a morte, unidade
com o universo, reencarnação, potencial humano, êxtase espiritual, e comunicação com entidades espirituais e
natureza.
O Poder Curador do Espiritismo – “Os apóstolos de quase todas as formas de espiritismo pretendem possuir poder
de curar a doença. Atribuem seu poder à eletricidade, ao magnetismo, aos remédios chamados "de simpatia", ou a
forças latentes que há na mente do homem. E não poucos, mesmo nesta era cristã, vão a esses curandeiros, em vez de
confiar no poder do Deus vivo e na competência de habilitados médicos cristãos.” – Evangelismo, p. 606
Encantamentos Satânicos são Lançados – “Atribuem seu poder à eletricidade, ao magnetismo, ou aos chamados
"remédios de simpatia", ao passo que, na verdade, são nada mais que veículos das correntes elétricas de Satanás. Por
estes meios, lançam seu encantamento sobre o corpo e alma de homens.” Evangelismo, p. 609.
Simpatético – (def. 4) relacionado a, que produz, ou denota um efeito que surge em resposta à uma ação semelhante
em outro lugar. ORIGEM meados do século 17. (no sentido de [relacionado a uma afinidade ou influência
paranormal,] como em magia simpatética (Oxford American Dict.)
Magnetismo e outros componentes da natureza têm sido usados em mágica natural para cura desde o século 17
(Francis Barrett, The Magus, 1801), eram grandemente utilizados no século 19, e ainda são usados hoje em várias
formas de práticas de cura não identificadas como ‘mágica’.

Não Há Segurança em se Aventurar no Terreno de Satanás


Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 191. “E caiu Acazias pelas grades de um quarto alto, que tinha em Samaria, e
adoeceu; e enviou mensageiros, e disse-lhes: Ide, e perguntai a Baal-Zebube, deus de Ecrom, se sararei desta doença.
Mas o anjo do Senhor disse a Elias tesbita: Levanta-te, sobe para encontrar-te com os mensageiros do rei de Samaria,
e dize-lhes: Porventura não há Deus em Israel, para irdes consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom? E por isso assim
diz o Senhor: Da cama, a que subiste, não descerás, mas sem falta morrerás.” 2 Reis 1:2-4. Esta narração mostra de
maneira clara o desagrado divino contra os que se desviam de Deus para os instrumentos satânicos.”
Evangelismo, p. 607. “Os anjos de Deus guardarão Seu povo enquanto andarem no caminho do dever; mas não há
nenhuma segurança dessa proteção para os que deliberadamente se aventuram no terreno de Satanás.”
Profetas e Reis, p. 211. “A mãe, vigiando junto ao leito de seu filhinho enfermo, exclama: "Nada mais posso fazer.
Não há médico que tenha poder para restaurar meu filho?" Falam-lhe das maravilhosas curas realizadas por algum
curandeiro clarividente ou magnetizador, e ela lhe confia seu ente querido, colocando-o nas mãos de Satanás tão
verdadeiramente como se ele estivesse ao seu lado. Em muitos casos a vida futura da criança é controlada por um
poder satânico que parece impossível quebrar.”

Capítulo 9 – Nova Era – Velha Mentira


Definição
O movimento Nova Era1 é um movimento social e espiritual que busca a “Verdade Universal” e a realização mais
alta do maior potencial humano individual. Inclui aspectos do Ocultismo, astrologia, esoterismo [iluminação
interior], metafísica [uma ramificação da filosofia que investiga princípios de realidade transcendendo os de qualquer
ciência específica], medicina alternativa, música, sustentabilidade, e natureza. A espiritualidade da Nova Era é
caracterizada por uma abordagem individual das práticas e filosofias espirituais, e a rejeição de doutrinas religiosas e
dogmas.

36 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Crenças
O movimento Nova Era não é uma religião organizada mas um movimento espiritual que flui livremente e inclui
elementos mais antigos de tradições espirituais e religiosas que variam do ateísmo e monoteísmo ao panteísmo e
politeísmo, combinados com ciência, filosofia e psicologia. Práticas e filosofias da Nova Era são tiradas das
principais religiões do mundo, especialmente Religiões Orientais (Hinduísmo, Budismo, religiões Chinesas, etc.),
espiritualismo, teosofia e ocultismo. 1
Inúmeras crenças fundamentais 2 são mantidas por muitos seguidores da Nova Era. Pessoas são incentivadas a
“comprar” crenças e práticas com as quais se sentem mais confortáveis:
Reencarnação – ensina que os humanos renascem e vivem outra vida como humanos ou animais. O ciclo se
repete muitas vezes. Esta crença é semelhante ao conceito de transmigração da alma no Hinduísmo.
Espiritualismo – baseado na suposta comunicação com os espíritos dos mortos, especialmente através de
médiuns.
Carma – crença que os atos bons e maus que fazemos acrescentam ou subtraem do nosso recorde acumulado,
nosso carma. No final de nossa vida, somos recompensados ou punidos de acordo com nosso carma sendo
reencarnados em uma nova vida boa ou dolorosa. Esta crença está ligada à reencarnação e também vem do
Hinduísmo.
Transformação Pessoal – uma experiência mística profundamente intensa que frequentemente leva a aceitação e
uso das crenças e práticas da Nova Era. Imagem guiada, hipnose, meditação, e (as vezes) o uso de drogas
alucinógenas são úteis para produzir ou intensificar esta transformação. Os crentes tem a esperança de
desenvolver novos potenciais dentro de si mesmos; a habilidade de curar a si mesmos e a outros, poderes
psíquicos, e uma nova compreensão do funcionamento do universo, etc. Mais tarde, quando um número
suficiente de pessoas alcançarem esses poderes, espera-se que uma grande transformação espiritual, física,
psicológica e cultural ocorra em todo planeta.
Deificação da Humanidade – a crença que a humanidade é Deus e que as pessoas precisam ser iluminadas.
Religião Universal – crença que já que tudo é Deus, então apenas uma realidade existe, e todas as religiões são
simplesmente diferentes caminhos para aquela realidade final. A religião universal pode ser visualizada como
uma montanha, com muitos sadhanas (caminhos espirituais) para o pico. Alguns são difíceis, outros mais fáceis.
Não existe um caminho correto. Todos os caminhos eventualmente alcançam o topo. Eles antecipam que uma
religião universal, que contém elementos de todas as crenças atuais, ira evoluir eventualmente e se tornará aceita
de forma geral no mundo inteiro.
Nova Ordem Mundial – crença em uma utopia na qual existe um governo mundial, o fim das guerras, doença,
fome, poluição e pobreza. A discriminação racial, sexual, e religiosa e outras formas cessarão. A fidelidade das
pessoas à sua tribo ou nação será substituída por uma preocupação pelo mundo inteiro e seus povos.
Ambientalismo – um movimento amplo preocupado com a conservação e melhora ambiental porque a terra é
vista como uma deusa.
Feminismo – visa estabelecer direitos iguais para mulheres através da diminuição das diferenças de sexo.
Saúde Holística – um conceito na prática médica que defende todos os aspectos das necessidades das pessoas -
psicológicas, físicas, sociais e espirituais.

Origens
Os princípios fundamentais da Nova Era foram primeiramente promulgados no Jardim do Éden quando Satanás disse
“Certamente não morrerás” (Genesis 3:4). Existem muitas semelhanças entre o antigo Gnosticismo e os
ensinamentos da Nova Era.
No início das décadas de 1830 e 1840 Ralph Waldo Emerson e outros transcendentalistas promoveram ideias que
abriram o caminho para futuras doutrinas da Nova Era. 3 (Transcendentalismo ensina que o estado espiritual ideal
‘transcende’ o físico e é apenas compreendido através da intuição e não através de doutrinas de religiões
estabelecidas.) 4

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 37


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Durante a segunda metade do século 19 os elementos metafísicos começaram a surgir através do Espiritualismo,
Teosofia, e Novo Pensamento. O termo ‘Nova Era’ foi usado neste contexto no livro ‘The Secret Doctrine’ de
Helena Blavatsky, publicado em 1888. 5 Durante essa época modalidades de cura com fortes base religiosas e
filosóficas tais como a quiropraxia e naturopatia também foram promovidas. 6
O movimento moderno da Nova Era emergiu de uma forma distinta no final dos anos 60 e 70 e agora conta com
dezenas de milhões de adeptos nos Estados Unidos e muitos outros mais ao redor do mundo. 3
Quatro Tipos de Envolvimento:
1. Seguidores da Nova Era, altamente visíveis – praticantes, ativistas do movimento.
2. Seguidores Ocultos da Nova Era (no armário) – creem, estão de acordo, apoiam, mas evitam chamar a
atenção.
3. Seletivos – aqueles que suspeitam perigos espirituais de se envolver com práticas e filosofias da Nova Era,
mas creem que podem selecionar alguns elementos sem serem afetados negativamente.
4. Cristãos Insuspeitos – se envolvem em algumas práticas ou conceitos de cura sem perceber seu fundamento
no movimento da Nova Era.
Como os Conceitos da Nova Era São Comumente Espalhados:
1. Entretenimento – Tem havido um explosão de filmes, livros e DVDs que promovem conceitos da Nova Era
2. Educação – Várias universidades importantes agora oferecem cursos sobre filosofias da Nova Era.
3. Música – a música popular, mais a música designada a inspirar a meditação mística ou alcançar algum tipo de
estado alterado de consceiência.
4. Movimento Eco-Feminista - “salve o planeta” combinado com a igualdade para a mulher.
5. Saúde Holística – é um dos meios mais eficazes que os ensinamentos da Nova Era encontram para entrar na
mente e no coração das pessoas. Em certo sentido serve como o braço direito do movimento da Nova Era.
Apesar de vários de seus métodos serem semelhantes ao plano de Deus ela mistura a verdade com o erro.
Considere a lista a seguir do National Center for Complementary and Alternative Medicine relacionada a
cinco categorias de terapias complementares e alternativas (algumas são boas e algumas são más): 7
1. Terapias de Energia: magnetismo, reiki, acupunctura, acupressão, Shiatsu, toque terapêutico, ioga ;
2. Intervenção Mente-corpo: meditação, imagem guiada, visualização, biofeedback, hipnose;
3. Terapias Manipulativas e Baseadas no Corpo: reflexologia, rolfing, quiropraxia, massagem;
4. Terapias Baseadas na Biologia: medicina com ervas, jejuns, dietas de moda, suplementos dietéticos,
terapia de ozônio, e outras terapias não provadas cientificamente, como a da cartilagem de tubarão;
5. Sistemas Médicos Alternativos: Naturopatia, Homeopatia, Medicina tradicional Chinesa.

Testando a Validade
Os Adventista do Sétimo Dia receberam uma luz especial quanto a remédios naturais tais como massagem,
hidroterapia, e ervas naturais que se encontram na lista acima. No entanto, muitas das terapias acima mencionadas
não são apoiadas pela inspiração e em muitos casos são condenadas pelas seguintes razões:
1. Elas têm origens relacionadas a religiões orientais e filosofias e visões pagãs/ocultistas.
2. Elas não operam de acordo com a estrutura e funcionamento anatômico e fisiológico do corpo humano.
3. Existe uma forte ênfase na metafísica ou no sobrenatural.
4. Muita atenção é dada ao equilíbrio e controle de energia.
Além disso, a comunidade médica em geral (usando uma abordagem baseada em evidência) têm considerado muitas
das terapias acima como pseudociências (uma metodologia, crença ou prática que alega ser científica, ou que parece
ser científica, mas que não adere a uma metodologia científica adequada, falta evidência de apoio ou plausibilidade,
ou falta status científico de alguma outra forma) e charlatanice devido à falta de validade científica e possibilidade de
ser testada.

38 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
“O modelo da Nova Era de saúde holística é baseado primariamente em sua concepção de energia, em vez de
matéria.” 8
“Os editores do New Age Journal relatam: “Todos os sistemas de cura que podem ser chamados ‘holísticos’
compartilham uma crença comum no universo como um campo unificado de energia que produz toda forma e
substância… Esta força vital, que apoia e sustém a vida tem recebido muitos nomes. Os chineses chamam-na de
‘chi’, os indús a denominam ‘prana’, os japoneses a chamam de ‘ki’, e os índios americanos a chamam de ‘o Grande
Espírito.’” 9
“Esta energia não é uma energia visível, mensurável, cientificamente explicável… mas uma energia “cósmica” ou
“universal” baseada em uma visão mundial monística (tudo é um) e panteística (tudo é Deus).” 9
Para melhorar o fluxo de “energia curadora” no corpo, nos é dito que devemos nos “harmonizar” com ela para
atingir a unidade com todas as coisas. Muitas terapias de saúde da Nova Era tem como base esta premissa.
Além disso, este conceito de energia curadora universal também é encontrado na origem de várias outra terapias:
• Franz Anton Mesmer, pai do hipnotismo moderno, se referia a ela como ‘magnetismo animal’.
• D.D. Palmer, fundador da quiropraxia, a chamava de ‘A Inata’.
• Wilhelm Reich, fundador da Orgonomia, usava o termo ‘Energia Orgone.’
• Samuel Hahnemann, fundador da homeopatia, a chamava de ‘força vital’.
Yin e Yang - “são os maiores do chi” (Zhuang Ai, 25:67/682). Este dois símbolos, que se combinam em um
movimento circular, são usados para descrever como forças polares ou aparentemente contrárias estão
interconectadas e interdependentes no mundo natural, e como, por outro lado, uma leva à outra. O conceito está no
coração da Filosofia Tradicional Chinesa:
Harmonia exige equilíbrio do bem e do mal
O bem e o mal precisa estar juntos
Não existem absolutos
Yin - (preto) corresponde à noite, frio, lua, esquerdo, negativo, mal, fraqueza, fêmea; simbolizado pela água e terra
Yang - (branco) corresponde ao dia, calor, sol, direita, positivo, bondade, força, macho; simbolizado pelo ar.
Órgãos vitais são considerados tanto yin como yang.
Meridianos – como a acupuntura, também são centrais para as técnicas medicinais Chinesas. De acordo com essas
práticas existem canais através dos quais a energia ou ‘chi’ do sistema psicofísico flui. Dizem que tais técnicas
alcançam seus efeitos pela manipulação e, de modo ideal, equilíbrio da energia que corre através da rede de padrões
corporais complexa. “Não existe base verificável física, anatômica, ou histológica (tecidos do corpo) para a
existência dos pontos da acupuntura ou meridianos.” 10

1
Lewis, J. (1992), Perspectives on the New Age, pp. 15-18
2
Religious Tolerance (2012). New Age Spirituality. Extraído de http://www.religioustolerance.org/newage.htm
3
Rhodes, R. (1995). New Age Movement. Grand Rapids, Zondervan Publishing House.
4
Gura, Philip F. American Transcendentalism: A History.
5
Spencer, N. (2000). True as the Stars above: Adventures in Modern Astrology.
6
Melton, G. New Age Transformed, Director Institute for the Study of American Religion)
7
National Center for Complementary and Alternative Medicine. (2012) What is Complementary and Alternative Medicine? Extraído de
http://nccam.nih.gov/health/whatiscam
8
Rhodes, R. (1995). New Age Movement. Grand Rapids, Zondervan Publising House.
9
Rhodes, R. (1997). What Does the Bible Say About…? p. 341. Oregon: Harvest House Publishers.
10
Yanli Cao et al 2010 J. Phys.: Conf. Ser. 224 012066 doi:10.1088/1742-6596/224/1/012066

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 39


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”

Capítulo 10 – Práticas Comuns da Nova Era


O material encontrado nesta seção foi tirado das seguintes fontes:

Peters, Warren. (1995). Mystical Medicine. Brushton, New York: TEACH Services.
Noyes, Edwin A. (2009). Spiritualistic Deceptions in Health and Healing. Hagerstown, Maryland: Review and
Herald Publishing.
Noyes, Edwin A. (2011). Exposing Spiritualistic Practices in Healing. Forest Grove, OR: Forest Grove Publishing.
http://www.fit4heaven.com/presentations/The+Many+Faces+of+Healing%3A+Unmasked
Acupuntura / Acupressão: Usa agulhas/pressão física para estimular o fluxo do chi entre os meridianos. Existem
centenas de pontos específicos os quais acredita-se que correspondem a órgãos vitais para equilibrar a “energia
universal” da pessoa aliviando portanto a dor (analgesia) ou curando a doença. Suas origens estão fortemente associadas
à astrologia.1
Kinesiologia Aplicada: A kinesiologia é o estudo da função, estrutura, e ação dos músculos e é muito benéfica para
ajudar as pessoas a readquirir saúde. A kinesiologia aplicada por outro lado foi reinventada em 1963 quando George
Goodheart combinou acupuntura, massagem, acupressão, ioga Kundalini, e terapia de polaridade para encontrar
desequilíbrios de energia no corpo e aliviá-los. Ela é feita usando testes simples de resistência dos músculos ou
equipamentos caros. Uma vez que o profissional crê que encontrou um problema ele prescreve um tratamento que
melhor irá equilibrar os músculos do paciente. Isto é feito usando várias modalidades: manipulação ou mobilização de
juntas específicas, várias terapias mio faciais, habilidades de meridiano e acupuntura, suplementação nutricional, e
aconselhamento. Algumas técnicas podem até ser úteis mas a origem e filosofia é incorreta.
Leitura da Aura: A “aura” é supostamente é um campo sutil de radiação luminosa multicolorida que rodeia uma
pessoa, animal, ou outro objeto como uma auréola. Declaram que é o oitavo chakra. A Nova Era ensina que esta aura
representa ou é composta de vibrações da alma e pode refletir a disposição ou pensamentos da pessoa que a rodeia.
Biofeedback: Equipamento eletrônico de monitoração usado para mostrar aos pacientes as funções do corpo e então
são guiados por um terapeuta para aprender a confiar em seu próprio controle interno. Pensar em diminuir a respiração e
batimento cardíaco não é problema, mas este método de cura normalmente se efetua através do relaxamento enquanto
focaliza a mente em imagens, sons e/ou pensamentos repetitivos. As técnicas são bem semelhantes à ioga e meditação
transcendental.
Chakra: A medicina oriental declara que “o corpo é composto de centros de energias chamados chakras que não são
visíveis à maioria de nós. Os que podem ver os chakras dizem que estes campos de energia são como redemoinhos de
luz, cada um com sua própria cor, que estão constantemente se movendo e mudando em padrões complexos. Eles dizem
que os chakras funcionam como órgãos de entrada para a energia da força de vida universal que está ao nosso redor
(prana e chi).” 2
Terapia da comida chinesa: As ideias de yin e yang são usadas na esfera da comida e culinária também. Acredita-se
que alimentos Yin diminuem o calor do corpo (exemplo: diminuem o metabolismo), enquanto alimentos yang
aumentam a calor do corpo (exemplo: aumentam o metabolismo).
Medicina com ervas tradicional chinesa: Na medicina com ervas tradicional chinesa cada erva recebe um ou mais dos
“Cinco Sabores” (pungente, doce, azedo, amargo e salgado), e cada um deles têm diferentes funções e características, e
uma das “Cinco Temperaturas” do chi, pertencendo ao grau de yin e yang que varia de frio (extremo yin) para fresco,
neutro, morno e quente (extremo yang). Após o herborista determinar a temperatura energética e o estado funcional do
corpo do paciente, ele prescreve uma mistura de ervas feitas sob medida para equilibrar a desarmonia.
Quiropraxia: “um sistema de medicina complementar baseado no diagnóstico e tratamento manipulativo de juntas
desalinhadas, especialmente da coluna, que são consideradas como causadoras de outras desordens por afetar os nervos,
músculos e órgãos.” (Dicionário Americano Oxford.) A filosofia tradicional quiroprática assume que a disfunção das
juntas da coluna interfere com o funcionamento do corpo e sua “inteligência inata” (um termo inventado por Daniel
David Palmer, o fundador da filosofia quiroprática). Este conceito vitalístico (onde “a origem e o fenômeno da vida são
dependentes de uma força ou princípio distinto de forças puramente químicas e físicas.” – Dicionário Americano
40 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Oxford) declara que toda vida contém “inteligência inata” e que essa força é responsável pela organização, manutenção
e cura do corpo. Declara-se também que removendo a interferência no sistema nervoso (através do ajuste da coluna), a
Inteligência Inata pode agir para curar doenças dentro do corpo.
Fora do campo da quiropraxia, pesquisas científicas descobriram que cada célula produz sua própria energia e que
quando a coluna vertebral se rompe as células e tecidos continua a funcionar. Além disso, foi demonstrado que alguns
movimentos quiropráticos podem ser úteis em alguns casos para aliviar espasmos musculares, melhorar a circulação do
sangue para os músculos, aumentar o movimento das juntas, e reposicionar as estruturas ósseas e juntas para suas
posições designadas.
Terapia da cor: ou cromoterapia, alega-se o uso de cor e luz para equilibrar a energia onde estiver faltando no corpo da
pessoa, seja físico, emocional, espiritual ou mental.
Fluxo de energia: Muitos conceitos da Nova Era empregam fluxo/correntes de energia para diagnosticar ou tratar
doenças. Muitos defensores da Nova Era claramente rejeitam os modelos padrões de anatomia e fisiologia. Eles
declaram que na verdade precisamos de um modelo de cura baseado no fluxo de energia em vez da matéria física.
Homeopatia: tentativas para tratar os pacientes com receitas altamente diluída as quais se alega que causam efeito
semelhante aos sintomas apresentados. A ideia por trás é que “os semelhantes curam semelhantes”. Por exemplo, se uma
pessoa tinha diarreia, os homeopata dariam uma erva ou outra substância para provocar diarreia. Os tratamentos são
preparados diluindo substâncias (que supostamente curam a doença) em centenas e até milhares de vezes, resultando em
uma solução na qual normalmente nem mesmo uma molécula da substância original é deixada. Qualquer eficácia então
violaria os princípios fundamentais da ciência. Muitos homeopatas modernos propõe que a água possui uma memória
que permite que receitas homeopatas funcionem sem qualquer uma das substâncias originais; no entanto, não existe
observação comprovada nem mecanismo físico cientificamente plausível para tal fenômeno.
Hipnotismo: O hipnotista usa vários objetos (luzes, música, e sons repetitivos) para colocar o paciente em um estado
alterado de consciência que é caracterizado por abertura extrema à sugestão. Existe uma perda acentuada da vontade
própria e de sensação durante a sessão hipnótica.
Iridologia: Certas doenças causam mudanças fisiológicas nos olhos. Em contraste, a iridologia é baseada em uma
filosofia diferente. A iridologia divide o olho em 96 zonas que supostamente estão associadas às várias partes do corpo.
O iridologista descobre a doença da pessoa procurando pigmentação nessas zonas. Dizem que o azul significa saúde
enquanto o marrom implica doença. Quando passado por teste verdadeiramente científico, a iridologia erra no
diagnóstico em 75% dos que têm uma doença grave. A iridologia, em geral, têm fortes ligações com o mundo
oculto.Tábuas de pedra entalhadas pelos Babilônios (adivinhadores) foram encontradas na Ásia Menor ilustrando a forte
relação entre a íris e o resto do corpo. As 96 zonas correspondem às 96 pétalas no chakra do terceiro olho do
Hinduísmo.
Magnetismo: Ímãs modernos de cura vêm em todos os tamanhos e formatos; inclusive anéis, relógios, pulseiras, cintos
e até encartes especiais para sua cama. Os que promovem essa terapia dizem que até 90% das várias doenças podem ser
aliviadas em apenas 10 minutos. Muito do que é dito em relação aos ímãs tem que ver com o equilíbrio de fluxo de
energia nos meridianos do corpo e com a superação da “síndrome de deficiência de magnetismo” da qual todos nós
supostamente sofremos. Ímãs não são totalmente ruins – de fato eles podem ser muito úteis no diagnóstico de doenças
(usando ressonância magnética) e alguns estudos tem demonstrado que os campos magnético estáticos podem induzir
analgesia e ajudar no controle da dor.
Reflexologia: Embora seja verdade que existem certos arcos reflexos no corpo a reflexologia é baseada nas mesmas
linhas meridianas da acupuntura. Novamente, a principal premissa é o fluxo de energia. O dedão e a palma da mão são
muito importantes neste método de cura. A ideia é que eles são centros de energia que correspondem aos diferentes
órgãos do corpo. De acordo com o reflexologista existem áreas de energia congestionadas que precisam ser quebradas
(através de massagem ou toques especiais) para que a energia flua devidamente. A despeito de alegações desta teoria,
essas áreas de energia congestionadas nunca foram demonstradas sob avaliação microscópica da pele e do sistema
nervoso!
Reiki: uma técnica de cura baseada no princípio de que o terapeuta pode canalizar energia para o paciente através do
toque, apara ativar o processo natural de cura do corpo do paciente e restaurar o bem estar físico e emocional.
Tai-chi: uma série de 19 movimentos e uma pose que juntos compõe uma forma meditativa de exercício à qual
praticantes atribuem benefícios de saúde físico e espiritual, inclusive o desenvolvimento e equilíbrio do “chi”.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 41
Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
Meditação Transcendental (MT): De acordo com o website oficial da MT “Existe um campo de criatividade, energia
e inteligência rico e ilimitado dentro de cada um de nós. Na proporção em que somos capazes de extrair deste campo
interno de vida, nós crescemos em saúde, felicidade, e sucesso em nossa vida exterior. A técnica da Meditação
Transcendental é um processo simples e natural para se conseguir um descanso profundo – e contactar a reserva interna
de criatividade, energia e inteligência – para ganhar seu apoio em tudo que você faz e enriquecer sua vida dia a dia…
Todos podem aprender a praticar a técnica de Meditação Transcendental com sucesso. É fácil e agradável – apenas 20
minutos, duas vezes ao dia, sentando confortavelmente com os olhos fechados. Não exige esforço ou concentração
alguma, nenhuma habilidade especial ou mudança de estilo de vida. Você nem mesmo precisa crer que funciona!”
Feitiçaria e Adivinhação: Esta prática, que é condenada pela Bíblia (ver Deuteronômio 18:10-12), é encontrada em
todas as civilizações, tanto antigas como modernas. Ao usar esta prática as pessoas alegam decifrar o significado
escondido ou a causa de eventos, frequentemente predizendo o futuro. As técnicas incluem: astrologia, auguri (o vôo
dos pássaros), tarô e outras cartas, leitura das mãos, bolas de cristal, e as entranhas de animais, feng Shui (harmonia
terrena) tabuleiro Ouija, numerologia, nomes, sonhos, varas, objetos refletivos, necromancia, e muito mais.
Ioga: Apesar da ioga ser uma das formas mais aceitas de exercício com milhões de adeptos, ela não é inocente como
parece. Existem pelo menos nove formas principais de ioga, mas o princípio por trás delas é o mesmo em todas essas
técnicas diferentes. Considere a filosofia básica da ioga conforme foi declarado por um dos mais famosos professores de
ioga:
Existem muitos caminhos no quais as pessoas viajam para a conscientização de Deus e realização do eu. Ioga é um
desses caminhos Dentro de si mesma, a ioga abrange vários caminhos e técnicas e cada um tem seu próprio Guru.
Ioga é a fusão do que, neste momento, você considera como “Eu” (self) com aquilo que é a sua Realidade, o que nós
designamos como “Si mesmo.” A palavra “Ioga” é usada para descrever tanto os meios como o fim. Quando se diz
que você está praticando ioga, significa que você está usando as técnicas da Ioga para alcançar Ioga (Realização do
Eu/Self). Essas técnicas incluem a prática do Hata-Ioga, observação e controle do da respiração, ação abnegada,
meditação, entrega de si mesmo, traçar a mente para sua fonte, e outros. Em certo sentido, tudo pode ser considerado
como uma avenida para o Eu, mas porque é ensinada e aplicada com êxito por muitos séculos, elas são enfatizadas
na prática da Ioga. 3

Uma Advertência para o Povo de Deus


Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 192, 193. “Conquanto não rendamos homenagem a deuses pagãos, todavia
milhares estão adorando no altar de Satanás, tão certo como o fez o rei de Israel. O mesmo espírito da idolatria pagã
é hoje predominante, se bem que sob a influência da ciência e da educação tenha assumido mais fina e atrativa
forma…

Os oráculos pagãos têm sua imitação nos médiuns espíritas, nos videntes, nos necromantes de hoje. As vozes
místicas que falaram em Ecrom e em En-Dor estão ainda, por suas palavras de mentira, desviando os filhos dos
homens. O príncipe das trevas apenas apareceu sob novo disfarce. Os mistérios do culto pagão acham-se substituídos
pelas associações secretas e as sessões, a obscuridade e as maravilhas dos feiticeiros de nosso tempo. Suas
revelações são ansiosamente recebidas por milhares que recusam aceitar a luz da Palavra de Deus, ou de Seu
Espírito. Ao passo que falam desdenhosamente dos mágicos de antigamente, o grande enganador ri triunfante,
vendo-os ceder a suas artes manifestadas sob aspecto diferente.

Seus agentes ainda pretendem curar a doença. Atribuem seu poder à eletricidade, ao magnetismo, ou aos chamados
“remédios de simpatia”. Efetivamente, eles não são senão veículos das correntes elétricas de Satanás. Por esse meio
lança ele seu encantamento sobre o corpo e o espírito das pessoas.”

Mensagens Escolhidas v.2, p. 53-54. “Acho-me instruída a dizer que no futuro será necessária grande vigilância.
Importa que não haja nenhuma ignorância espiritual entre o povo de Deus. Espíritos maus acham-se ativamente
empenhados em buscar controlar a mente de seres humanos. Os homens estão-se atando em molhos, prontos a serem
consumidos no fogo dos últimos dias. Os que rejeitam a Cristo e Sua justiça aceitarão o engano que está inundando o
mundo. Os cristãos devem ser sóbrios e vigilantes, resistindo com firmeza ao adversário, o diabo, que anda em
derredor bramando como leão, buscando a quem possa tragar. Homens, sob a influência de espíritos maus operarão
milagres. Eles farão com que as pessoas fiquem doentes mediante lançarem sobre elas encantamentos, removendo-os

42 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
depois de repente, levando outros a dizerem que a pessoa doente foi miraculosamente curada. Isto Satanás tem
repetidamente feito.
“A maneira por que Cristo trabalhava era pregar a Palavra, e aliviar o sofrimento por obras miraculosas de cura.
Estou, porém, instruída de que não podemos agora trabalhar dessa maneira, pois Satanás exercerá seu poder pela
operação de milagres. Os servos de Deus hoje não poderiam trabalhar mediante milagres, pois espúrias obras de
cura, pretendendo ser divina, serão operadas.

“Por essa razão o Senhor destinou um meio pelo qual Seu povo deve executar uma obra de cura física, aliada ao
ensino da Palavra. Devem estabelecer-se hospitais, e com essas instituições devem estar ligados obreiros que façam
genuína obra médico-missionária. Estende-se assim protetora influência em torno dos que vão aos sanatórios em
busca de cura.

Essa é a providência tomada pelo Senhor, pela qual a obra médico-missionária evangélica deve ser feita por muitas
almas.”

Diretrizes para Qualquer Sistema de Cura, ou Qualquer Novo Agente Terapêutico:


Use se:
1. For sugerido pela inspiração, ou
2. Estiver em harmonia com toda ciência verdadeira aplicável
Não use se:
1. A Inspiração falar contra, ou
2. Não estiver em harmonia com o melhor da ciência conhecida
Espere com atenção: (nem aceite inequivocamente, nem o condene)
1. Não mencionado especificamente ou em princípio pela Inspiração
2. Seu relacionamento com (estar em harmonia com) a ciência verdadeira ainda não é conhecido
3. Ore por discernimento
4. Busque ajuda de conselheiros sábios e piedosos
Testemunhos para a Igreja, v. 8, p. 290, 291. “Vivemos em época de grande luz; mas muita coisa que é considerada
como luz está abrindo o caminho para a sabedoria e as artimanhas de Satanás. Muitos fatos serão apresentados que
parecerão verdadeiros, e contudo terão que ser ponderados cuidadosamente, com muita oração; pois podem ser sutis
artifícios do inimigo. A senda do erro parece muitas vezes estar bem vizinha do caminho da verdade. Ela quase não é
distinguível da verdade que leva à santidade e ao Céu. Mas a mente iluminada pelo Espírito Santo sabe discernir que
essa senda diverge do caminho reto. Depois de algum tempo se vê que os dois se acham vastamente separados.”

Conclusão

Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 443. “Há muitos modos de praticar a arte de curar; mas só existe um aprovado
pelo Céu. Os remédios de Deus são os simples agentes da natureza, que não sobrecarregarão nem enfraquecerão o
organismo mediante suas fortes propriedades. Ar puro e água, higiene, regime adequado, pureza de vida e firme
confiança em Deus, são remédios por cuja falta milhares de pessoas estão perecendo, todavia esses remédios estão
caindo em desuso, porque seu hábil emprego requer trabalho que o povo não aprecia. Ar puro, exercício, água pura,
e morada limpa e aprazível, acham-se ao alcance de todos, com apenas pouca despesa; as drogas, porém, são
dispendiosas, tanto no gasto do dinheiro, como no efeito produzido no organismo.”

Passos no Plano de Deus para Restaurar a Saúde:


1. Busque a ajuda de Deus através da oração e estudo da Bíblia;
2. Determine a causa da doença;
3. Ajuste o estilo de vida;

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 43


Princípios de Saúde e Cura
“Vida Mais Abundante”
4. Use remédios simples;
5. Use intervenções de emergência quando necessário;
6. Evite terapias da nova era que não estejam em harmonia com princípios bíblicos e/ou ciência ;
7. Deixe os resultados com Deus, confie em Seu amor, poder e sabedoria;
8. Busque todas as bênçãos possíveis a serem tiradas da dor e sofrimento;
9. Regozijai-vos no Senhor – SEMPRE!!!

1
Kavoussi, B. (2009). Astrology with Needles. Extraído de http://www.sciencebasedmedicine.org/index.php/astrology-with-
needles/
2
Khalsa, Shakta Kaur. (2001). K-I-S-S Guide to Yoga. New York: DK Publishing.
3
Hittleman, Richard. (1983). Yoga For Health: The Total Program. New York, Ballantine Books.

44 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

CONTEÚDO
Capítulo 1 – Introdução à Hidroterapia ..................................................................................................... 46
Capítulo 2 – Comentários do Espírito de Profecia Sobre Hidroterapia ........................................... 47
Capítulo 3 – História da Hidroterapia ......................................................................................................... 48
Capítulo 4 – Pontos a Lembrar ...................................................................................................................... 49
Capítulo 5 – Sinais Vitais ................................................................................................................................. 51
Princípios para medir Pressão Arterial .................................................................................................................. 51
Capítulo 6 – Procedimentos para Tratamentos de Hidroterapia ...................................................... 52
Banhos de Contraste ...................................................................................................................................................... 52
Escalda Pés ........................................................................................................................................................................ 54
Massagem de Gelo .......................................................................................................................................................... 56
Banho de Vapor Russo .................................................................................................................................................. 58
Brilho de Sal ..................................................................................................................................................................... 59
Envoltório de Lençol Molhado ................................................................................................................................... 61
Compressas Aquecedoras ............................................................................................................................................ 63
Inalação a Vapor ............................................................................................................................................................. 65
Drenagem Postural ........................................................................................................................................................ 66
Fricção Fria ....................................................................................................................................................................... 72
Banho Quente (Meio Banho Quente) ....................................................................................................................... 73
Banho de Assento ........................................................................................................................................................... 75
Capítulo 7 – Tratamento de Febre ............................................................................................................... 76
Capítulo 8 – Carvão ........................................................................................................................................... 77
Anexo A – Bebida Reidratante ....................................................................................................................... 82

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 45


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Capítulo 1 – Introdução à Hidroterapia


A palavra hidroterapia pode ser dividida em duas partes: hidro = água + terapia = tratamento. Ela é definida no
dicionário como o “uso interno ou externamente de água no tratamento médico de certas doenças.” Hidroterapia utiliza
água em qualquer uma de suas três fazes: líquida, sólida ou vapor – no tratamento de doenças ou lesões.

Água é um agente terapêutico valioso porque contém nove extraordinárias propriedades:


1. Quase sempre disponível, em abundância, a 5. Não causa irritações (mesmo internamente);
baixo custo; 6. Densidade apropriada para flutuação;
2. Grande poder de absorção e liberação de calor; 7. A água libera calor rapidamente, porém não se
3. Propriedades solventes, a água é o solvente esfria com tanta rapidez;
universal; 8. Viscosidade apropriada (fluidez);
4. Fácil de aplicar; 9. Existe em três estados em temperaturas úteis.

Hidroterapia e o corpo:
O corpo é bem sensível a mudanças de temperatura. A hidroterapia pode ser utilizada para:
1. Levar sangue de uma parte do corpo a outra 7. Ajudar a remover toxinas do organismo (suor);
(Ex. Escalda Pés); 8. Promover relaxamento e descanso;
2. Aliviar congestão; 9. Aliviar dores;
3. Aumentar a circulação (geral e específicas); 10. Aumentar o fornecimento de oxigênio e
4. Estimular o sistema imunológico (as células nutrientes aos tecidos;
brancas se multiplicam e ficam mais ativas); 11. Promover cura rápida dos tecidos;
5. Aumentar a temperatura do corpo; 12. Outros benefícios do uso da hidroterapia (ver
6. Auxiliar na remoção de calor do organismo em tratamentos específicos).
caso de febre;

EFEITOS FISIOLÓGICOS DE TRATAMENTOS HIDROTERÁPICOS COM FRIO E CALOR

CALOR FRIO
● Aumenta a circulação ● Reduz a circulação
● Aumenta a reação inflamatória ● Reduz a reação inflamatória
● Aumenta a produção de edemas ● Reduz a produção de edemas
● Aumenta a hemorragia ● Reduz a hemorragia
● Diminui dores musculares e espasmos ● Reduz dores musculares e espasmos
● Diminui rigidez das juntas ● Aumenta rigidez das juntas

46 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Capítulo 2 – Comentários do Espírito de Profecia Sobre Hidroterapia


A Ciência do Bom Viver, p. 237. “Há muitas maneiras pelas quais a água pode ser aplicada para aliviar o sofrimento e
combater a doença. Todos devem se tornar entendidos no emprego da mesma, nos simples tratamentos domésticos.”

Quem deveria ter conhecimento de como fazer tratamentos de hidroterapia?

A Ciência do Bom Viver, p. 146. “Todos os obreiros evangélicos devem saber fazer os simples tratamentos que tanto
contribuem para aliviar a dor e remover a doença. “

A Ciência do Bom Viver, p. 237. “Na saúde e na doença, a água pura é uma das mais excelentes bênçãos do Céu. Foi a
bebida provida por Deus para saciar a sede de homens e animais. Bebida abundantemente, ela ajuda a suprir as
necessidades do organismo, e a natureza em resistir à doença. A aplicação externa da água é um dos mais fáceis e mais
satisfatórios meios de regular a circulação do sangue. Um banho frio ou fresco é excelente tônico. O banho quente abre
os poros, auxiliando assim na eliminação das impurezas. Tanto os banhos quentes como os neutros acalmam os nervos e
equilibram a circulação.
“Muitos há, porém, que nunca aprenderam por experiência os benéficos efeitos do devido uso da água, têm medo
dela. Os tratamentos hidroterápicos não são apreciados como deviam ser, e aplicá-los bem requer trabalho que muitos
não estão dispostos a realizar. Mas ninguém se devia sentir desculpado de ignorância ou indiferença neste assunto. Há
muitas maneiras pelas quais a água pode ser aplicada para aliviar o sofrimento e combater a doença. Todos devem se
tornar entendidos no emprego da mesma, nos simples tratamentos domésticos. As mães, especialmente, devem saber
tratar de sua família, tanto na saúde como na enfermidade.”

Manuscritos v. 7, p. 378. “Muitos sofrendo de febre morreram como resultado do uso de drogas. Eles poderiam estar
vivos hoje se tivessem recebido tratamentos com água de pessoas competentes para administrar estes tratamentos.”

Medicina e Salvação, p. 227. “Nosso povo deve tornar-se esclarecido no tratamento de enfermidades sem o auxílio de
drogas venenosas... O tratamento pela água, sábia e habilidosamente aplicado, pode ser o meio de salvar muitas vidas.
Una-se o diligente estudo com tratamentos cuidadosos. Sejam feitas orações de fé ao lado da cama dos enfermos. Que
estes sejam encorajados a clamar para si as promessas de Deus.”

O uso diário de hidroterapia promove boa saúde?

Orientação da Criança, p. 108-109. “Muitas pessoas tirariam proveito de um banho frio ou morno cada dia pela manhã
ou à noite. Em vez de tornar mais sujeito a resfriados, um banho devidamente tomado, fortalece contra os mesmos,
porque melhora a circulação; o sangue é levado à superfície, conseguindo-se que ele aflua mais fácil e regularmente às
várias partes do organismo. A mente e o corpo são regularmente revigorados. Os músculos tornam-se mais flexíveis,
mais vivo o intelecto. O banho é um calmante dos nervos. Ajuda os intestinos, o estômago e o fígado, dando saúde e
energia a cada um, o que promove a digestão.”

Deus abençoa os esforços no uso de métodos simples de tratamentos que Ele providenciou

Testemunhos para a Igreja, v. 9, 164. “Se o agente humano fizer pela fé tudo quanto puder para combater a
enfermidade, empregando os métodos simples de tratamento por Deus providos, seus esforços serão abençoados por
Ele.”

Cautela na aplicação de hidroterapia é essencial


Testemunhos Para a Igreja, v. 1, p. 604. “Por quatro semanas sofri muito com problemas pulmonares, e foi com
dificuldade que falei ao povo. No Sábado á noite, aplicaram-me um fomentação na garganta e pulmões, mas o
envoltório da cabeça foi esquecido, e o problema pulmonar transferiu-se para o cérebro.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 47


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
Medicina e Salvação, p. 212. “Tudo que estiver relacionado com o hospital deve estar limpo e em ordem. A limpeza e a
ordem terão muitas vezes mais influência do que meras palavras. No banheiro tudo deve estar tão bem arranjado que
faça impressão favorável nos que visitam a instituição.”

Patriarcas e Profetas, p. 376. “Deus é um Deus de ordem. Tudo que se acha em conexão com o Céu, está em perfeita
ordem; a sujeição e a perfeita disciplina assinalam os movimentos da hoste angélica. O êxito apenas pode acompanhar a
ordem e a ação harmoniosa. Deus requer ordem e método em Sua obra hoje, não menos do que nos dias de Israel. Todos
os que estão a trabalhar para Ele devem fazê-lo inteligentemente, não de maneira descuidada, casual. Ele quer que Sua
obra seja feita com fé e exatidão, para que sobre ela ponha o sinal de Sua aprovação.”

Estudo Adicional: Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 279-308, 2 Reis 5:1-14, 1 Coríntios 14:40.

Capítulo 3 – História da Hidroterapia


O uso da água no tratamento de doenças remonta a tempos muito antigos. Escritos de Hipócrates (460-377 AC)
indicam seu uso primitivo. Era extensivamente utilizada nos banhos Romanos, pelos Chineses muitos séculos antes de
Cristo, e pelos Japoneses nos últimos 900 anos. Os Espartanos da Grécia antiga fizeram com que banhos frios fossem
mandatórios por lei. Durante o início da Idade Média, o uso de hidroterapia na maior parte do Continente Europeu
diminuiu dramaticamente devido aos sentimentos negativos para com os banhos por parte dos líderes religiosos em
poder naquela época. Porém, durante esse período, médicos Árabes entusiasmadamente recomendavam hidroterapia no
tratamento de doenças. Durante o fim da Idade Média e na Renascença, o interesse em hidroterapia começou a
aumentar, com banhos novamente sendo abertos em toda a Europa e uma crescente conscientização da importância da
higiene. Um pequeno livro francês foi escrito sobre o uso e benefícios da água fria no tratamento de doenças em 1675.
Depois em 1747 John Wesley escreveu um livreto intitulado Primitive Physic sobre o uso de água no tratamento de
muitas doenças.

Vincent Priessnitz (1799-1851), era um homem sem estudos, camponês Austríaco que atraiu a atenção de muitos
camponeses, médicos e cientistas para o uso e estudo cientifico de hidroterapia. Quando jovem, fora seriamente ferido
enquanto trabalhava na fazenda. Sem nenhuma esperança de recuperação por parte dos médicos tentou encontrar a cura
utilizando a hidroterapia em si mesmo, assim como havia usado previamente nos animais da fazenda. Ele se recuperou
rapidamente. Começou a experimentar de forma mais ampla o uso de hidroterapia, ganhou reputação, e tratou milhares
de pessoas e obteve sucesso através do uso da mesma.

Sebastian Kneipp (1821–1897) também contribuiu significante para o crescimento da hidroterapia. Ele era um padre
Bávaro que curou a si mesmo de tuberculose através de hidroterapia e dieta. Ele promoveu o uso de hidroterapia, dieta,
ervas, exercício, ar puro, e tratamentos emocionais em sua “cura natural”. Tornou-se renomado, tratando da realeza, um
papa, e muitos camponeses. Seu livro, Minha Cura com Água, foi bem recebido, e passou por 50 impressões nos
primeiros 5 anos após ser lançado ao público. Ele influenciou muitas pessoas no estabelecimento de instituições de
hidroterapia em seus próprios países e comunidades.

Louis Fleury publicou a primeira obra cientifica de hidroterapia em 1852 intitulado Traté Pratique et Raisonné
d’Hydrothérapie (Tratado Prático e Razoável de Hidroterapia). Liebermaster, Brand, e Ziemssen da Alemanha e
Wilhem Winternitz pesquisaram, revisaram e compilaram mais informação científica sobre a base científica da
hidroterapia. Winternitz ajudou a estabelecer a hidroterapia sobre uma sólida base científica confiável e escreveu uma
obra bem completa sobre o assunto, que foi traduzida para o Inglês em 1883.

Após 1830 o interesse em hidroterapia cresceu nos Estados Unidos, e 213 hospitais foram abertos entre 1840-1900
para tratar pacientes principalmente com hidroterapia. Uma revista popular chamada The Water Cure Journal (O Jornal
da Cura Pela Água) cresceu para mais de 100.000 assinantes na década de 1850. Essa e outras revistas semelhantes

48 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
ajudaram muito a educar pessoas leigas sobre a causa de doenças e as encorajou a utilizarem métodos simples de cura ao
invés de remédios.

O Dr. James Jackson conduziu uma instituição especializada em hidroterapia em Danville, NY. Depois de 20 anos
de prática médica, ele escreveu: “Durante todos estes anos, nunca dei uma dose de remédio…Utilizei no tratamento dos
meus pacientes o seguinte – ar puro, alimentação, água, luz solar, vestuário, exercício, sono, repouso, influências
sociais, e forças mentais e espirituais”.

Ellen White recebeu uma visão sobre a reforma de saúde em 6 de Junho de 1863, em Ostego, Michigan.

Em 1865 James White tornou-se um paciente na instituição do Dr. Jackson em Danville, NY. James White estava
acompanhado de sua esposa e ambos receberam benefícios dos tratamentos durante os três meses que ali permaneceram.

Em 1866 os Adventistas inauguraram o primeiro instituto de saúde (The Western Health Reform Institute) em Battle
Creek, Michigan, EUA.

Em 1876 Dr. J.H. Kellogg, aos 24 anos de idade, tornou-se o superintendente da instituição. Deram-lhe o nome de
“Sanatório Cirúrgico e Médico” e foi definido como um lugar onde as pessoas aprendiam a ficar bem. Rapidamente
tornou-se famoso mundialmente. Dr Kellogg escreveu muitos livros, tais como Hidroterapia Racional.

Logo após a virada do século, uma Faculdade Médica Adventista foi estabelecida em Loma Linda, CA. Dr. George
Abbot foi o primeiro presidente. Ele escreveu uma série de livros sobre hidroterapia. Alguns estão disponíveis até hoje.
Alguns acham seus livros mais fáceis de entender do que os livros de Dr Kellogg.

Em 1918 a grande epidemia da gripe matou cerca de 50 milhões de pessoas. Dr. Abbot cria que aqueles que
receberam hidroterapia e atenção médica cuidadosa foram os que sobreviveram a esta catástrofe.

Por volta de 1920, Simon Baruch (outro pioneiro da hidroterapia) escreveu: “De todos os agentes de medicamentos
utilizados desde o princípio da medicina, a água é o único que sobreviveu a todas as vicissitudes das mudanças
doutrinárias, pois sua elevação ou queda, sempre foi contemporânea com a elevação e queda da inteligência dos
médicos.”

Hoje apenas alguns estabelecimentos ou centros de estilo de vida que praticam a hidroterapia. Hospitais utilizam
alguns procedimentos de hidroterapia (exemplo: bolsas de gelo, banheiras em fisioterapia, etc.), mas não praticam
hidroterapia como faziam antes. Você é privilegiado de estar entre os poucos que aprenderão a arte e a ciência da
hidroterapia. Aproveite bem!

Capítulo 4 – Pontos a Lembrar


Geral:
• Ore com o paciente (se ele concordar) antes de começar o tratamento de hidroterapia;
• Explique de maneira clara e simples cada um dos passos do tratamento conforme for fazendo;
• Mantenha a sala de tratamento aquecida e sem correntes de ar;
• Dê ao paciente água para beber durante o tratamento (se o tratamento for prolongado ou provocar transpiração);
• Toalhas frias não devem estar ensopadas. Água pingando nas orelhas e no corpo pode não ser confortável e pode
também causar resfriados;
• Quanto mais molhada a toalha estiver depois de torceda da água gelada, mais fria a gente sente que está.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 49


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Tome muito cuidado para evitar queimaduras. Se o paciente disser que a fomentação, a água ou o vapor estão
muito quentes, adicione mais toalhas para proteção, esfrie a água e diminua o vapor, etc. Cada pessoa tem uma
tolerância diferente ao calor;
• Seja especialmente cauteloso com pessoas muito magras, idosas e crianças. Elas normalmente toleram menos
calor;
• Muito cuidado para não espalhar infecções. Lave suas mãos antes e depois de tratamentos. Vista luvas e/ou uma
máscara se você ou o paciente for contagioso;
• Não aplique fomentações onde existe a possibilidade de sangramento, hemorragia ou suspeita de tumores
malignos;
• Se um tratamento não for devidamente aplicado, as condições do paciente podem piorar;
• Limpe os equipamentos com cloro ou outro desinfetante após cada tratamento;
• A pessoa deve estar descansada antes do tratamento. Se recentemente praticou atividade física, permita que
descanse o suficiente para atingir batimento cardíaco de repouso por no mínimo 10 minutos antes do tratamento;
• Evite fazer tratamentos de hidroterapia imediatamente antes ou após refeições. Para melhores resultados termine
o tratamento uma hora antes da refeição ou espere duas horas após a refeição;
• Insista para que o paciente repouse após o tratamento (Se o tratamento for vigoroso e longo ou provocar
transpiração). Um repouso de 15 minutos após tratamento suave e até uma hora após tratamento vigoroso.

POSSÍVEIS PROBLEMAS DURANTE O TRATAMENTO:


• O paciente pode não aquecer-se o suficiente ou suar: Faça-a com que beber água morna, cubra-a com mais
cobertas, coloque uma fomentação morna nas costas, ou faça escalda-pés (contanto que o paciente não tenha
contraindicações enumeradas na seção “escalda pés” mais à frente na apostila).
• Hiperventilação ocorre em raros casos quando o paciente perde muito dióxido de carbono por respirar muito
rápido ou profundamente. Poderá sentir tontura e sentir que as extremidades estão adormecidas e formigando,
falta de ar, e outros sintomas associados à hiperventilação. Explique para a pessoa a causa do sintoma, pois isto
normalmente alivia a ansiedade, e a hiperventilação passa. Peça para a pessoa respirar vagarosa e profundamente
com você, ou respirar dentro de um saco de papel até que o formigamento desapareça.
• A queda repentina de pressão arterial ou glicose sanguínea pode provocar tonturas, desmaios, ou fraquezas. Se a
pessoa se levantou rapidamente, ajude-a a sentar imediatamente e espere um momento antes de LENTAMENTE
se levantar de novo, esperando alguns minutos antes de andar para outro lugar. A pessoa oferecendo o
tratamento deve estar sempre por perto observando se o paciente sentirá tontura e ajudar se necessário. Fricção
com água fria (descrita mais a frente na apostila) pode ajudar a prevenir tontura e desmaios após um tratamento
vigoroso de transpiração – se for feito antes da pessoa se levantar – uma vez que ajuda a fazer com o que o
sangue da pele retorne às principais artérias, elevando um pouco a pressão arterial, e normalmente prevenindo o
sensação de desmaio. Quando a pessoa se assentar novamente, meça seu batimento cardíaco e pressão arterial se
tontura e ameaças de desmaio persistirem. Se tontura ou desmaio acontecer durante o tratamento ou não resolver
depois do tratamento quando a pessoa se sentar, e se a pressão arterial estiver 8/6 ou menos, interrompa a
aplicação de calor, eleve suas pernas e dê ao paciente um líquido com sal para beber. Se for diabético ou estiver
em jejum, ofereça um copo de suco de laranja e bolacha salgada. Se não houver melhora, contate um
profissional de saúde.
• Ao fazer tratamento em um paciente com diarreia, incentive que ele beba água suficiente (para que urine
regularmente, e a urina esteja clara ou amarelo pálido). Se a diarreia for grave, talvez também precisem de uma
bebida reidratante para repor os eletrólitos (veja Anexo A)

Conselhos sobre Saúde, p. 363, 364. “A luz que me foi dada pelo Senhor com respeito a este assunto é que, na medida
do possível, médicas cuidem das senhoras em tratamento, e médicos tenham o cuidado dos pacientes do sexo
masculino.Tratamentos melindrosos não deven ser feitos por médicos em senhoras, em nossas instituições. Jamais em
tratamento deve uma senhora em tratamento estar sozinha com um médico, seja para exame especial ou tratamento.”
“Devem as senhoras ser cabalmente instruídas para trabalharem pelas senhoras, e os homens para trabalharem pelos
homens.”

50 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Capítulo 5 – Sinais Vitais


Sinais vitais incluem frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura, e pressão arterial. Esses sinais podem ser
vistos, medidos e monitorados para verificar o nível de funcionamento físico de uma pessoa. Sinais vitais normais
mudam com a idade, sexo, peso, tolerância ao exercício e condição.
Sinais vitais normais para um adulto saudável em descanso variam entre:
• Pressão arterial: de 90/60 mm/Hg a 120/80 mm/Hg
• Respiração: 12 - 18 respirações por minuto
• Pulso: 60 - 100 batidas por minuto
• Temperatura: 36.5 – 37.3 °C Média: 37 °C

Princípios para medir Pressão Arterial


Antes de medir a pressão arterial:
• Não coma, fume, ou se exercite por pelo menos 30 minutos antes de medi-la.
• Não use medicamento que eleve a pressão arterial, como alguns spray nasais.
• Descanse por pelo menos 5 minutos antes de fazer a leitura. Sente-se em um posição confortável e relaxada,
com ambos os pés no chão. Não se mova nem converse enquanto a pressão estiver sendo medida.
• Não meça a pressão arterial se estiver nervoso ou frustrado.
• Se puder, use o mesmo braço para toda leitura. Leituras podem ter uma diferença de 10 a 20 mm Hg entre o
braço direito e o esquerdo.
Lembre-se que as leituras de pressão arterial podem variar durante o dia. Elas normalmente são mais elevadas pela
manhã depois que você acorda e começa a se mover. Elas diminuem durante o dia e são mais baixas à noite.

Usando um Esfigmomanometro Manual (Aparelho de Pressão)


1. Sente-se com o braço levemente dobrado, descansando confortavelmente sobre a mesa de modo que a parte
superior do braço esteja no mesmo nível do coração.
2. Envolva a almofada na parte superior do braço nu. A ponta inferior deve estar cerca de 2.5 cm acima da dobra
do cotovelo.
3. Feche a válvula na pera inflável de borracha. Aperte a pera rapidamente com sua mão oposta para inflar a
almofada. Continue apertando até o ponteiro ou coluna de mercúrio ler cerca de 30 mm Hg acima de sua
pressão sistólica costumeira. (Se você não sabe sua pressão costumeira, infle a almofada até 180 mm Hg.) A
pressão na almofada cortará temporariamente todo fluxo de sangue em seu braço.
4. Coloque o estetoscópio sobre a artéria grande um pouco acima da parte interna do cotovelo. Você consegue
achar a artéria sentindo seu pulso com os dedos da outra mão. Se estiver usando a almofada com um
estetoscópio embutido, certifique-se que a parte da almofada com o estetoscópio esteja sobre a artéria.
5. Abra um pouquinho a válvula na pera. Os números no manômetro ou tubo de mercúrio deve abaixar
gradualmente – cerca de 2 a 3 mm Hg por segundos. Alguns aparelhos controlam automaticamente a queda
neste índice.
6. Ouça através do estetoscópio. Se no começo você ouvir sons do coração, aumente a pressão até que os sons
cardíacos desapareceram. Conforme você vê a pressão lentamente cair, note o número no manômetro ou tubo
quando você ouviu pela primeira vez um som de pulso ou batida. O som é causado pelo sangue que começa a se
mover através das artérias fechadas. Esta é a sua pressão sanguínea sistólica.
7. Continue deixando o ar sair lentamente. Os sons se tornarão abafados e finalmente desaparecerão. Note o
número quando os sons desaparecerem completamente. Esta é sua pressão arterial diastólica. Finalmente, deixe
todo ar sair para poder tirar a almofada.

Usando um Esfigmomanometro Automático


Siga as instruções que vêm com o aparelho, pois elas podem variar.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 51


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Capítulo 6 – Procedimentos para Tratamentos de Hidroterapia


Banhos de Contraste

Definição: imersão de uma parte do corpo alternadamente na água quente e fria. (A água quente e fria pode ser aplicada
também com uma toalha molhada nas partes do corpo que não podem ser facilmente submersas.)

Os vasos sanguíneos são expandidos ou dilatados com o calor e contraídos com o frio. Isto aumenta o fluxo de sangue
para a área de tratamento (e reflexivamente para outras regiões também em alguns casos). Pode também aliviar
congestão em outras partes do corpo (efeito derivativo). O fluxo de sangue maior [1] aumenta o suprimento de oxigênio
e nutrientes para as células do corpo, [2] apressar a remoção de impurezas, e [3] aumenta a atividade das células
brancas. O resultado é um aumento no metabolismo das células locais e na mobilização do sistema imunológico, que
ajuda na cura mais rápida da parte do corpo sendo tratada.

Indicações de Tratamento
• Infecções localizadas (prover tratamento 2-6 vezes por dia para estimular a defesa local do organismo a lutar
contra a infecção);
• Distensões, luxações, e outras lesões musculares ou nas juntas (no entanto, trate a lesão apenas com água gelada
durante as primeiras 24-48 horas, dependendo da gravidade);
• Para apressar a cura de fraturas (espere alguns dias após a fratura ocorrer antes de tratar com hidroterapia);
• Artrite;
• Dores de Cabeça (banho de contraste nas extremidades – especialmente os pés e pernas);
• Edema (inchaço de uma parte do corpo devido à retenção de fluido);
• Circulação sanguínea pobre para as pernas e pés, causando rachamento de pele, úlceras na pele, etc.

Precauções do Tratamento
• NÁO utilize água muito quente ou muito fria em caso de perda de sensibilidade (dormência) ou doença nos
vasos sanguíneos das pernas e pés (exemplo: diabéticos). Nestes casos, utilize apenas água morna ou não muito
fria, elevando gradualmente a temperatura da água morna, e diminuindo a temperatura da água fria conforme a
condição melhorar. Observe cuidadosamente a pessoa para ver como toleram a temperatura.
• Cuidado para não espalhar a infecção. Use luvas, se possível, se houver infecções e feridas, e desinfete todo o
equipamento hidroterápico após tratar um ferimento aberto.
• Evite tratar qualquer área onde existe a tendência de sangramento ou hemorragia.
• Em casos de tumores malignos, não utilize esse tratamento a menos que tenha direções de um médico experiente
em hidroterapia.

Equipamento Necessário
• Duas bacias grandes - 1 para água quente e 1 para água fria (grandes o suficiente para submergir a parte do
corpo a ser tratada)
• 1 chaleira ou jarra contendo água bem quente
• 1 balde com cubos de gelo extras
• 1 toalha
• Equipamento opcional: Lençol ou cobertor leve (para cobrir o corpo por recato ou para esquentar – dependendo
da parte do corpo a ser tratada), bacia pequena com água gelada e duas toalhas pequenas (para compressa fria se
a pessoa suar), desinfetante para limpar os equipamentos após o tratamento.

Procedimento do Tratamento
1. Preparo para o tratamento
• Aqueça o quarto e monte todo o equipamento.
• Explique o procedimento e ajude o paciente na preparação para o tratamento.
52 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
2. Tratamento
• Ore!
• Comece com o banho de água quente. Comece com a temperatura mais baixa; aumente a temperatura conforme
a pessoas aguentar (NÃO aumente acima de 39° C em caso de doença arterial periférica ou diabetes). Após 3
minutos – ou o tempo determinado para condição específica - transfira para a água fria e mantenha a parte
imergida por 30 segundos.
• Durante o tratamento, mantenha os banhos quentes e frios nas temperaturas desejadas adicionando água quente
ou fria, conforme necessário.
• Coloque a compressa fria na cabeça se houver transpiração.
• Faça 5 a 8 trocas por tratamento.
• Trate 1 a 4 vezes por dia. (Até 6 vezes para infecções)

3. Término do Tratamento
• Se o tratamento deve ser seguido por massagem na parte específica do corpo ou se estiver tratando artrite
reumatoide, termine o tratamento com água quente. Caso contrário termine com água fria;
• Após a última troca, seque completamente a parte do corpo tratada;
• Nota: Em caso de transpiração (não muito comum) - remova a roupa úmida, seque o corpo e vista roupas secas.
Depois repouse por 20 a 30 minutos.

Recomendações Específicas do Tratamento

1. Infecções Localizadas, Lesão Musculares e nas Juntas


• Trate lesões agudas musculares ou nas juntas com gelo ou bolsas frias, repouse, e eleve a área afetada, e
imobilize durante as primeiras 24-48 horas (dependendo da gravidade). Uma bandagem de apoio pode ser
útil. Procure um médico se a lesão for severa ou não melhorar como se espera;
• Depois de 24-48 horas, comece o tratamento com banho de contraste com a água o mais quente possível;
• Alterne de água quente para fria de 5 a 7 vezes. Termine com o banho de água fria;
• Repita o tratamento acima 2 a 6 vezes por dia.

2. Artrite
• Comece o tratamento com água morna (3-5 minutos); mude então para a água fria por 1
minuto.Gradualmente aumente a temperatura da água quente e reduza a temperatura da água fria o quanto
possível;
• Alterne de quente para frio 5-7 vezes. Termine com o banho de água quente;
• Repita o tratamento acima 1 ou 2 vezes por dia.

3. Má Circulação nas Extremidades


• Trate com calor moderado (39º C) por 3 minutos e água fria (sem gelo) por 1 minuto;
• Teste a água quente com seu cotovelo para certificar-se de que não está muito quente;
• Alterne da água quente para a fria 5-7 vezes. Termine com o banho de água morna;
• Repita o tratamento acima 1 ou 2 vezes por dia.

4. Reforço Geral ao Sistema Imunológico (Banho de Contraste)


§ Tome um banho quente por 3 minutos.
§ Mude para frio por 30 segundos.
§ Faça 3 a 5 vezes desse cíclo, aumentando o quente e diminuindo o frio, 1 ou 2 vezes por dia.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 53


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Escalda Pés

Definição: Banho local que cubra os pés e tornozelos – com temperatura geralmente variando entre 38-46° C.

Este tratamento pode ser feito sozinho ou pode estar associado a outros tratamentos, tais como fomentações ou
compressas aquecedoras. O banho de escalda pés afeta a circulação do corpo inteiro. O calor expande (dilata) os vasos
sanguíneos dos pés, o que faz com que o excesso de sangue de outras partes do corpo mova-se para os pés aliviando a
congestão de sangue no cérebro (dores de cabeça), pulmões e órgãos abdominais. É excelente também para estimular a
atividade das células brancas.

Indicações do Tratamento
• Previne ou encurta resfriados, gripes e tosses;
• Alivia congestão (dores de cabeça, sangramentos nasais, congestão no tórax, congestão pélvica, etc.);
• Cólicas pélvicas e problemas de próstata;
• Diminui dor em qualquer lugar do corpo (desde dor de dente a dor nas costas);
• Alivia fatiga e tensão nervosa;
• Aquece o corpo no preparo para massagem ou qualquer outro tratamento.

Precauções do Tratamento
• CUIDADO: Use apenas calor médio em diabéticos e outros com perda de sensibilidade e/ou circulação nas
pernas e pés. Temperatura abaixo de 39° C;
• Ao acrescentar água quente, mantenha sua mão entre a água quente e os pés do paciente para evitar
queimaduras.

Equipamentos Necessários
• 1 Cadeira
• 1 Bacia ou balde grande
• 1 Bacia de água fria (adicione gelo se disponível) para a compressa fria da cabeça
• 1 Chaleira ou jarra de água bem quente
• 2 Toalhas pequenas (para as compressas da cabeça)
• 2 Toalhas Grandes
• 1 Lençol
• 1 Cobertor
• 1 Copo com água (e canudo para facilitar o processo)
• 1 Toalha ou tapete de banheiro embaixo do balde (para que a água derramada seja absorvida e a pessoa não
coloque os pés no chão frio no final do tratamento)
• Termômetro para banho. Se não tiver um termômetro, não eleve a temperatura acima do que é confortável para o
cotovelo e parte interior do pulso).
→ Nota: Se a pessoa tiver diminuação de sensibilidade por diabete, não trate se não tiver um termômetro
(mesmo um termômetro oral é suficiente para as baixas temperaturas usadas com diabéticos).
• 1 jarra com água bem fria para despejar nos pés no término do tratamento (adicione gelo se disponível)
→ Nota: a mesma água utilizada para as compressas frias na cabeça pode também ser utilizada nos pés.
• 1 pedaço grande de plástico para colocar embaixo da bacia dos pés (para manter a cama ou chão secos) se
desejar ou se for necessário.

Procedimento do Tratamento

1. Preparo para o tratamento


• Este tratamento pode ser dado com o paciente sentado ou deitado em superfície plana;

54 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Aqueça o quarto, elimine correntes de ar, e prepare todos os equipamentos antes de começar;
• Explique o procedimento ao paciente, e auxilie-o no preparo para o tratamento;
• Este tratamento será descrito como se o paciente estivesse sentado em uma cadeira;
• Coloque um cobertor sobre a cadeira, e cubra o cobertor com um lençol. Coloque um pedaço de plástico debaixo
dos pés do paciente e cubra o plástico com uma toalha seca.
• Prepare o banho de pés com água morna no balde suficiente para cobrir os tornozelos.

2. Tratamento
• Ore!
• Teste a água com o cotovelo ou com a parte inferior do pulso
para determinar o nível de conforto (as mãos normalmente
toleram temperaturas que são muito quentes para os pés).
Coloque suas mãos sob os pés do paciente e cuidadosamente
mergulhe-os no banho de água morna. Pergunte ao paciente se a
temperatura está confortável, muito quente ou muito fria. Ajuste
a temperatura conforme necessário acrescentando mais água
quente ou fria.
• Enrole completamente a pessoa e o balde de água com o lençol e
o cobertor.
• Deixe a cabeça e o pescoço expostos. Uma toalha pode ser
envolvida ao redor do pescoço e ombros para ajudar a evitar a
perda de calor.
• Quando o paciente começar a suar, coloque a compressa fria na
testa. Enxugue o suor do rosto, se quiser.
• Incentive o paciente a beber bastante água durante o tratamento
para repor a água perdida. (Nota: Se você esta verificando a
temperatura com um termômetro oral, certifique-se que o
paciente beba APÓS verificá-la, pois ao beber água a temperatura
pode falsamente abaixar na boca).
• Periodicamente adicione água quente no balde para manter a temperatura desejada. Coloque sua mão entre a
água quente que está sendo derramada e os pés do paciente (evitando queimaduras). Misture a água enquanto
despeja. Continue o tratamento por 15-20 minutos, dependendo da meta do tratamento (ver abaixo).

3. Término do Tratamento
• Levante os pés da água quente e aponte os dedos do pé para cima. Rapidamente despeje água fria nos pés.
• Remova o balde de água e coloque os pés na toalha seca. Seque os pés e os dedos por completo (não esfregue
com muita força para não remover a pele). Imediatamente coloque meias grossas ou pantufas para evitar que se
resfriem.
• Se um tratamento leve foi aplicado (congestão, relaxamento, dor, cólicas, etc.), e não houve transpiração, a
pessoa pode desejar descansar por alguns minutos antes de reiniciar suas atividades.
• Se tratamento moderado foi dado (congestão, relaxamento, dor, cólicas, etc.), e leve transpiração ocorreu,
rapidamente esfregue no corpo uma toalha molhada e seque o paciente com uma toalha. Remova as roupas
úmidas e substitui-as por roupas limpas e secas. O paciente deve repousar por aproximadamente 20-30 minutos
depois do tratamento. Se a transpiração continuar enquanto descansa, tome um banho morno para finalizar o
tratamento.
• Se tratamento vigoroso foi dado (gripes, resfriados, mobilização do sistema imunológico, etc.) e houve
transpiração significante, após colocar meia grossa, enrole a pessoa em um lençol e cobertor, leve-a até a cama e
a cubra com coberta para evitar resfriamento, deixe que sue por mais uma hora. Se sentir frio por causa das
roupas molhadas, troque por roupas secas rapidamente, e peça que volte para a cama imediatamente. A pessoa
pode querer um pano frio na testa enquanto descansa. Após descansar por uma hora, e a temperatura voltar ao

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 55


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
normal, a pessoa pode levantar e tomar um banho para remover as toxinas eliminadas pelo corpo durante o
tratamento.

Recomendações Especificas para o Tratamento

1. Dores de cabeça congestiva, congestão nos pulmões ou nos órgãos pélvicos, outros casos onde tratamento
leve for desejado.
• Neste caso, o movimento do sangue congestionado, relaxamento, ou alívio de dores é a principal meta do
tratamento. Assim, o cobertor e a toalha ao redor do pescoço e ombros não são necessários, e a meta não é fazer
com que a pessoa sue. A meta é equalizar a circulação e prover relaxamento. Então, a água deve ser mantida a
uma temperatura bem quentinha e constante. O tratamento deve continuar por alguns minutos após a meta ser
alcançada (Exemplo: alívio de dor de cabeça), e geralmente deve durar de 15-20 minutos. Pode ser repetido se
necessário.

2. Gripes, resfriados, outros processos infecciosos.


• Nota: Utilize essas recomendações somente com uma pessoa que não tenha diabetes, perda de sensibilidade, ou
circulação debilitada nos pés e pernas.
• Embrulhe a pessoa confortavelmente no lençol e cobertor, com uma toalha ao redor do pescoço e ombros para
manter o maior calor possível. Tenha certeza que não haja correntes de ar nos pés.
• Comece com água morna para os pés; e continue adicionando água quente o mais frequente possível conforme
a tolerância da pessoa sem queimar os pés ou tornozelos.
• Dê um chá quente de ervas ou simplesmente água quente se for tolerável para ajudar a subir temperatura do
corpo mais rápido.
• Assim que a pessoa começar a suar, coloque uma toalha fria em sua testa, trocando conforme quando
necessário.
• Continue o tratamento enquanto a pessoa aguentar – até 20 minutos após o início da transpiração.
• Se a pessoa já está com febre, monitore a temperatura para não elevar de forma excessiva.
• Termine o tratamento conforme descrito acima para “tratamento vigoroso”.

Massagem de Gelo

Definição: Aplicação local de gelo em uma parte do corpo.

Quando o corpo inteiro fica completamente frio, suas funções variadas são desaceleradas. Porém, se apenas uma porção
do organismo for resfriada por um período prolongado, suas atividades são elevadas (naquela região).

Efeitos Fisiológicos:
O fluxo sanguínea na área tratada é grandemente reduzida inicialmente, mas depois grandemente elevada com a
continuação da massagem de gelo. Exercício após a aplicação de gelo pode aumentar mais ainda a circulação. A pessoa
normalmente vai passar por 4 fases durante a massagem de gelo:

• Frio, sensação desconfortável


• Ardor ou sensação de picadas
• Dor
• Perda relativa de sensibilidade

Indicações do Tratamento
• Inchaço local, inflamação, dor, e espasmos depois de traumas (contusões, tensão muscular, deslocamento de
articulação, etc.)
• Espasmos agudos no pescoço ou outro músculo
• Dores agudas no pescoço ou na parte lombar
56 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
• Dores nas juntas como bursite
• Miosite (inflamação muscular – com sintomas de dor, e possíveis espasmos)
• Dores após massagem profunda

Contraindicações
• Pessoa está fria
• Derrame
• Artrite Reumática

Equipamento Necessário
• Um ou dois pedaços de gelo do tamanho de um copo de 250ml. Um método conveniente é utilizar um copo de
isopor ou de plástico. Encha o copo com água, congele até ficar completamente sólido, rasque a parte superior
do copo para expor o gelo. O copo de isopor providencia insolação entre o gelo e a mão da pessoa aplicando a
massagem. Qualquer outro copo também funciona, mas o copo precisará ser colocado embaixo de água quente
para soltar o gelo, e o gelo precisará ser segurado com uma pequena toalha para proteger a mão da pessoa
fazendo a massagem.
• Uma pequena toalha para segurar o cubo de gelo
• Uma toalha grossa para reter a água do gelo derretendo.

Procedimento do Tratamento

1. Considerações Importantes:
• Não prolongue o atrito de gelo diretamente em uma proeminência de osso.
• Evite manter o gelo por muito tempo no mesmo lugar para evitar muita dor ou enregelar o local
• Certifique-se de que a pessoa está quente; dê um banho de escalda pés ou leve-os para tomar um banho
quente antes de iniciar o tratamento, se necessário.

2. Tratamento:
• Explique o tratamento, propósito e as quatro fases para a pessoa.
• Ore.
• Coloque a toalha grossa embaixo da área a ser tratada
• Segure firmemente no bloco de gelo (com a toalha pequena ou o copo de isopor).
• Esfregue o gelo em movimentos circulares na área dolorida/com espasmos/inflamada e um pouco além
da área, nos arredores.
• Nos primeiros momentos, alterne esfregar o gelo e sua mão para reduzir o choque do gelo na pele.
• Quando alcançar a fase 4 (dormência), o tratamento pode encerrar se o objetivo for o alívio de dor
aguda, ou o tratamento pode continuar por 12-15 minutos se o objetivo for curar distensão ou luxação.

Término do Tratamento
• Seque a área tratada.
• Imediatamente após a massagem, se for desejado para a condição específica, a pessoa pode fazer exercício de
resistência envolvendo todos os músculos ao redor da área dolorida. (Exercícios devem ser cuidadosamente
planejados)
• Uma segunda aplicação de gelo pode ser necessária para prover mais alívio.

Nota: Quando o tratamento for aplicado nas costas pode ser útil se a pessoa estiver deitada de bruço com um travesseiro
embaixo do abdômen, outro travesseiro embaixo dos pés, e uma pequena toalha embaixo da cabeça.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 57


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Banho de Vapor Russo

Definição: Tratamento de aquecimento no qual o corpo está cercado de ar úmido e quente, enquanto a cabeça está fora
do ambiente quente e úmido.

Efeitos Fisiológicos
• Efeito de aquecimento generalizado provocando transpiração em profusão
• Aumento no metabolismo, pulso, pressão arterial
• Aumento a circulação na pele
• Aumento no número de células brancas em circulação
• Sedativo (15-20 minutos)

Indicações do Tratamento
• Efeito de aquecimento generalizado, causando transpiração
e desintoxicação.
• Desintoxicação de substâncias que causam dependência,
por exemplo: álcool, abuso de drogas e sintomas de
disabituação da nicotina.
• Pode ser utilizado para terapia de febre, mas não é tão Vapor
vigoroso quanto o banho quente de banheira.
• Artrite reumática, doença de gota
• Sintomas de gripe ou resfriado
• Relaxamento (15-20 minutos)
• Obesidade

Precauções do Tratamento
• Hipertensão
• Problemas cardíacos (valvopatia – doença valvular – e aterosclerose)
• Diabete, pobre sensação de calor
• Emaciação (extremamente magro)

Equipamento Necessário
• 1 cadeira forte de madeira ou plástico
• 1 fonte de vapor (chaleira, fogão elétrico portátil com uma panela grande em cima, etc.)
• 1 bacia grande
• 1 bacia pequena com água fria ou gelada, para as compressas frias na cabeça
• 1 jarra ou chaleira com água bem quente
• 1 jarra com água fria (acrescente gelo se estiver disponível)
• 2 toalhas pequenas (para as compressas frias na cabeça)
• 2 ou 3 toalhas grandes
• 1 lençol
• 1 cobertor
• 1 copo de água (e um canudo – opcional, mas conveniente)
• Opcional: 1 pedaço grande de plástico (cortina de chuveiro funciona bem)
• Opcional: 1 pedaço grande de plástico para colocar embaixo da bacia grande para os pés (para manter o chão ou
a cama secos)
• Opcional: Bolsa de pano cheia de gelo picado

Procedimento do Tratamento

1. Preparação do Tratamento
• Mantenha o quarto aquecido, livre de correntes de ar, e prepare todos os equipamentos.
58 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
• Explique o procedimento para a pessoa.
• Ajude a pessoa a se preparar para o tratamento (pode vestir shorts e camiseta – algodão é normalmente
mais confortável, ou simplesmente roupas intimas – dependendo da preferência pessoal).
• Coloque a sua fonte de vapor embaixo da cadeira (se utilizar uma chaleira, direcione o bico para a parte
de trás da cadeira).
• Coloque 1 ou 2 toalhas abertas sobre a cadeira para que o vapor não queime a pessoa.
• Prepare o banho de escalda pés com água suficiente para cobrir os tornozelos (veja advertências na
seção “Banho de Escalda Pés”)

2. Tratamento
• Ore!
• Cuidadosamente coloque os pés da pessoa dentro da bacia de água quente
• Embrulhe a pessoa e a bacia completamente com o lençol e cobertor (pode utilizar a cortina de banho
entre o lençol e o cobertor para manter o vapor lá dentro).
• Coloque uma toalha ao redor do pescoço para prevenir que o calor escape.
• Mantenha a cabeça e o pescoço expostos.
• Quando ocorrer transpiração, coloque a compressa de água fria na cabeça (e pescoço se assim desejar).
• Faça com que a pessoa beba água suficiente durante o tratamento para repor a água perdida no suor
• Periodicamente adicione água quente na bacia dos pés para manter o calor. Coloque sua mão entre a
água que está sendo despejada e os pés da pessoa (para evitar queimaduras). Misture a água enquanto
despeja.
• Ajuste o vapor conforme necessário para um nível tolerável durante todo o tratamento.
• Verifique a pulso frequentemente e se estiver acima de 120 batidas por minuto, diminua a produção de
vapor e aplique uma bolsa de gelo no coração.
• Continue o tratamento por 15-20 minutos, enquanto a pessoa aguentar.

3. Término do Tratamento
• Remova a fonte de vapor.
• Levante os pés para fora da água quente com os dedos apontando para cima. Rapidamente despeje
água fria sobre os pés.
• Remova a bacia e coloque os pés na toalha seca. Seque os dedos e pés completamente. Vista meias
quentes para evitar resfriamento.
• O tratamento pode ser concluído com fricção fria seguida de repouso, ou alternadamente a pessoa ser
embrulhada em um lençol e cobertor e descansar por no mínimo 30 minutos – se mais transpiração for
desejada. Mantenha um pano frio na testa enquanto a pessoa descansa.
• Tome um banho após o descanso para completar o tratamento.

Brilho de Sal

Definição: Aplicação de sal umedecido com fricção na pele de uma pessoa para fazer a pele brilhar e trazer um novo
suprimento de sangue para a superfície.

Efeitos Fisiológicos
• Dilatação periférica dos vasos sanguíneos através do estímulo mecânico da pele sem aquecimento ou
resfriamento.
• Estimulação da circulação.
• Aumento da atividade nervosa. * Maior sensação de bem estar.

Indicações do Tratamento
• Como um dilatador dos vasos periféricos para pessoas que não reagem bem ao frio ou calor

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 59


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
• Para melhorar a circulação * Pressão arterial baixa
• Para resfriados frequentes * Para fraqueza geral ou falta de resistência
• Diabetes, câncer ou desgaste muscular * Indigestão crônica
Contraindicações
• Lesões da pele * Pressão arterial consideravelmente elevada
• Fraqueza para se sentar ou levantar * Tratamento repitido tantas vezes que causa irritação na pele

Equipamento Necessário
• ½-1 kg de sal marinho grosso. Sal de cozinha pode ser usado se não houver sal marinho.
• Banqueta colocada dentro do box do banheiro ou banheira. A pessoa pode ficar em pé para o tratamento, se
desejar.
• Bacia ou balde (para colocar a mistura de sal e água).
• Água morna
• Uma toalha (para secar o corpo)
• Opcional: Lençol (para por solto sobre o corpo para evitar a nudez se outro estiver fazendo o tratamento).
• Opcional: Bacia para os pés com água quente (entre 40.5 e 43° C) caso o banheiro esteja frio ou se a pessoa
potencialmente se resfriar devido ao sal úmido no corpo.

Procedimento do Tratamento

1. Considerações Importantes
• Aqueça o banheiro e trabalhe rapidamente para a pessoa não ficar com frio.
• O sal deve estar molhado o suficiente para grudar na pele. Se estiver muito seco, pode causar irritação,
se estiver muito molhado, a fricção diminui.
• Enxague todo o sal do corpo no final do tratamento.

2. Preparo para o Tratamento


• Molhe o sal suficientemente para grudar na pele
• Ajunte todos os equipamentos necessários para o tratamento

3. Tratamento
• Explique o tratamento para a pessoa
• Ore
• A pessoa recebendo o tratamento deve estar em pé ou assentada com os pés na bacia com água quente
se estiver com frio (veja as precauções em “Banho de Escalda Pés”)
• Molhe as pernas da pessoa com a água morna do balde
• Aplique o sal e esfregue vigorosamente até que a pele esteja avermelhada. Cuidado para não remover
mais pele do que a camáda de pele morta.
• Proceda na seguinte ordem: pernas, braços, tórax, abdômen, costas, quadril, e nádegas.

4. Término do Tratamento
• Enxágue completamente para remover todo o sal (chuveiro, etc.).
• Enxugue a pessoa fazendo fricção com toalha seca. Certifique-se de que a permaneça aquecida.

60 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Envoltório de Lençol Molhado

Definição: Procedimento no qual a pessoa é embrulhada em um lençol frio e molhado, coberto por uma coberta seca. A
reação provoca aumento na circulação sanguínea e aquecimento da pele.

Efeitos Fisiológicos
• Regular o aquecimento e esfriamento do corpo para controlar a temperatura.
• Aliviar congestão interna.
• Relaxar os nervos/sistema nervoso.
Indicações do Tratamento
• Primeira fase (resfriamento): Resfriamento do corpo quente (com febre)
• Segunda fase (neutra): Insônia, mania, delírio, inquietude, exaustão nervosa
• Terceira fase (aquecimento e transpiração): Intoxicação de nicotina, alcoolismo, gota, bronquite, resfriado,
gripe, icterícia, psoríase, pênfigo, eczema, dermatite, tônico geral para enfermidades crônicas, sarampo,
escarlatina

Precauções do Tratamento
• Pacientes Diabéticos (especialmente se o banho de escalda pés for utilizado)
• Pessoas com gripes ou resfriados severos.
• Pessoas fracas.
• Erupções da pele.

Equipamento Necessário
• 1 Balde de água à 15-21oC
• 1 lençol
• 1-2 cobertores
• 1 travesseiro
• 1 pedaço grande de plástico
• 2 toalhas pequenas
• 1 toalha grande
• Opcional: Material para o banho de escalda pés
• Opcional: Fonte de calor, exemplo: fomentações, bolsas de água quente, lâmpada infravermelha.

Procedimento do Tratamento
1. Preparo para o Tratamento
• Aqueça o quarto e mantenha-o livre de correntes de ar
• Prepare todo o equipamento
• Dobre o lençol como descrito na ilustração. Após
dobrá-lo, mergulhe o lençol em uma bacia com água
entre 15-21 o C
• Cubra a cama com um grande pedaço de plástico. Como dobrar o lençol: Dobre de comprido
Coloque o cobertor por cima do plástico. Faça com que a como instruído na foto de acordo com os
parte de cima do cobertor esteja 20 centímetros abaixo números. Mergulhe-o em água fria e torça bem.
da cabeceira da cama. Deixe o cobertor sobrar nos pés Coloque o lençol no cobertor de comprido e
da cama para dobrar por sobre os pés da pessoa. desdobre.
• Explique o procedimento do tratamento. Ajude a pessoa a se despir e preparar para o tratamento.
• Certifique-se de que os pés e o corpo inteiro estejam quentes antes de iniciar o tratamento. Se necessário dê um
banho quente, ou aplique fomentações, ou um banho de escalda pés (ver advertências em “Banho de Escalda
Pés”) enquanto prepara o tratamento.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 61


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
• Recomende que a pessoa urine antes de iniciar o
tratamento.

2. Tratamento
• Ore!
• Coloque um cobertor sobre a mesa. Torça o lençol de água
fria e coloque-o sobre o cobertor. A borda superior deve
estar 10 centímetros a baixo da borda do cobertor.
• Permita que o paciente deite sobre o lençol com o ombro
abaixo da borda do lençol (uns 10 cm)
• Com os braços do paciente erguidos, envolva o lençol ao
redor do corpo, enfie-o debaixo do corpo, do lado oposto.
(Veja ilustração)
• Enrole o lençol ao redor da perna do mesmo lado.
• Abaixe os braços e envolva o outro lado do lençol ao redor do corpo e prenda a borda (veja ilustração).
Certifique-se de que o lençol esteja bem firme ao redor do corpo para que tenha contato com todas as partes do
corpo – especialmente no ombro e pescoço. É essencial prevenir entrada de ar – que pode prejudicar a eficiência
do tratamento.
• Envolva firmemente o paciente com o cobertor que se encontra embaixo do lençol molhado.
• Dobre a parte que sobrar do cobertor sobre os pés.
• Coloque uma toalha ao redor do pescoço
• Certifique-se de que o lençol esteja bem coberto pelo cobertor seco para que ar não entre em contato com o
lençol molhado nem com a pele.
• Cubra o paciente com outro cobertor
• Nota: Coloque fomentação nos pés ou faça escalda pés se necessário.

3. Término do Tratamento
• Se ocorrer transpiração, rapidamente esfregue a pele com uma toalha fria, e depois seque a pele com outra
toalha.
• Remova as roupas molhadas e reponha com roupas secas e limpas.
• A pessoa deve tipicamente descansar de 20 a 30 minutos após o tratamento.
• Se ela continuar transpirando durante o repouso, tome um banho para finalizar o tratamento.

Nota: De acordo com a intensidade de aquecimento do envoltório, este tratamento pode passar por 3 fases distintas:
1. Resfriamento ou evaporação
2. Neutra
3. Aquecimento e transpiração

Muitas vezes é bom prolongar o efeito de uma fase. Isto pode ser feito da seguinte maneira:

Fase 1 - Resfriamento
Antes de o lençol ser aquecido à temperatura corporal (5-12 minutos). Para prolongar esta fase, o cobertor pode ser
aberto e água fria pode ser borrifada no lençol sobre a pessoa. A pessoa pode ser abanada para apressar a evaporação e
mais água pode ser borrifada sobre o lençol conforme necessário.
Efeitos: Poderoso efeito antipirético (antifebril)

Fase 2 - Neutra
Começa quando a temperatura do envoltório alcança ou levemente ultrapassa a temperatura da pele. Pode ser
prolongada retirando parte dos cobertores secos depois que a pessoa se aqueceu, tendo cuidado para não causar
resfriamento. Para concluir, descubra uma parte por vez, seque completamente e cubra o paciente com um lençol seco e
aquecido.

62 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
Efeitos: Efeito sedativo marcante. Induz relaxamento e sono.

Fase 3 – Aquecimento e Transpiração (eliminatório)


Esta fase começa quando a temperatura da pele é levemente elevada. Efeitos tônicos e de aquecimento podem ser
prolongados com a aplicação de água fria para a cabeça e o pescoço continuamente para controlar transpiração
excessiva. Para efeitos tônicos, o envoltório deve-se continuar por mais 20 minutos. Se desejar ainda mais transpiração
(eliminação) cobertores adicionais podem ser acrescentados, bolsas de água quente ou fomentações podem ser colocadas
entre as dobras do cobertor seco. Ofereça ao paciente água quente ou limonada para beber. Para estimular a transpiração,
as compressas frias na cabeça não devem ser muito frias ou renovadas com muita frequência.
Efeitos: Tônico suave e efeito derivativo quando o tratamento continua até o ponto de transpiração. Quando a
transpiração prolongada ocorre, este tratamento pode ser usado como um método eficaz de desintoxicação.

Compressas Aquecedoras

Definição: Aplicação suave, prolongada de calor úmido para uma área específica do corpo, geralmente por vária horas.

O uso da compressa aquecedora envolve a aplicação de um pano frio e molhado na superfície da pele. Esse pano então é
coberto completamente por um pano seco. Ao aquecer-se a compressa, o calor faz com que os vasos sanguíneos da pele
expandam ou dilatem. O aumento do fluxo sanguíneo para a superfície da pele alivia congestão nos tecidos que ficam
abaixo da superfície da área tratada, e em geral aumenta a circulação na região.

Indicações do Tratamento

Garganta Tonsilite, faringite, laringite, dor de ouvido


Juntas Dor ou inflamação artrítica, febre reumática
Tórax Congestão ou tosses devido a resfriados, gripes, bronquite, pneumonia, laringite, coqueluche ou asma
Abdômen Prisão de ventre, hepatite, inflamação do intestino grosso ou delgado, náusea na gravidez, cólica,
insônia, condições nervosas.
Pés As mesmas indicações do banho de escalda pés

Precauções de Tratamento
• Não use a compressa fria e molhada se o paciente não está vigoroso o suficiente para aquecê-la; substitua por
uma compressa seca.
• Não coloque a compressa tão apertada que seja desconfortável ou que interfira com a circulação.

Equipamento Necessário
• Um pano interno largo o suficiente para cobrir completamente a área tratada e, longo o suficiente para envolver
ao redor do membro do corpo. Dever ser feito com uma flanela fina de algodão ou outro tecido com malha fina.
• Um pano externo (lã ou outro material espesso) mais largo do que o pano molhado interno pelo menos de 1 a 2
centímetros em cada lado.
• Alfinetes para segurar a parte externa da compressa no lugar.

Procedimento do Tratamento

1. Preparação para o tratamento


• Aqueça o quarto e bloqueie correntes de ar. O paciente precisa estar aquecido antes de a compressa ser aplicada.
(Faça um escalda pés ou dê um banho quente, se necessário, para aquecer o corpo antes da compressa fria).
• Explique ao paciente que a compressa interna estará fria a princípio, mas se aquecerá em pouco tempo.

2. Tratamento
• Ore!
• Mergulhe o pano interno em água fria, torça todo o excesso de água.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 63
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Rapidamente aplique o pano frio e molhado na parte do corpo a ser tratada.


• Cubra o pano interno com o pano externo seco. Prenda o pano externo com alfinete no devido lugar. O pano
externo deve estar meio justo, mas não excessivamente apertado e deve cobrir o pano interno completamente
para prevenir a entrada de ar e aquecer a compressa.
• Pergunte para a pessoa após alguns minutos se o pano molhado interno está se aquecendo.
• O pano interno, frio e molhado pode ser substituído por outro pano seco caso o pano molhado não estiver
aquecendo em alguns minutos (contudo, certifique-se de que não existe entrada de ar frio ao redor do pano
externo provocando o resfriamento).
• Deixe a compressa na área tratada por várias horas ou durante a noite. Se a compressa for deixada durante a
noite, deve estar seca pela manhã.
3. Término do Tratamento
• Ao amanhecer remova a compressa e rapidamente esfregue a área tratada com um pano frio molhado.
• Seque a área completamente. Mantenha o paciente seco e confortável.
Nota: Alguns autores promovem o uso de uma barreira plástica entre o pano molhado e o seco, para prolongar os efeitos
da aplicação úmida e molhada. Outros acreditam que isso pode diminuir os benefícios do tratamento. Investigações
entre estudiosos na área de hidroterapia estão igualmente divididas entre as duas opiniões com respeito aos
benefícios/malefícios do uso do plástico, sendo que ambos os grupos obtém bons resultados nos métodos utilizados.
Talvez seja melhor evitar o uso de plástico nas compressas aquecedoras aplicadas no pescoço de pessoas com
hipertireoidismo, pois pode estimular excessivamente a tireoide.

Procedimentos de Tratamento Alternativos

Garganta - O pano interno frio pode ser substituído por um cataplasma de carvão. Para dores de
ouvido, aplique a compressa de aquecimento perto dos ouvidos. Metade de uma cebola aquecida no
vapor enrolada em um tecido frouxo pode ser colocada diretamente sobre a orelha.

Articulações - O pano interno, molhado e frio pode ser substituído por um cataplasma de carvão ou um
cataplasma de batata ou repolho cru raladaos.

Tórax –
1. Primeiramente, faça com que a pessoa vista uma camiseta de algodão, sem manga e molhada (bem torcida). Se
a pessoa não tiver uma camiseta sem manga, pode usar uma com manga mas evite molhar as mangas.
2. Cubra a compressa molhada completamente com uma blusa de lã ou moletom grosso. Coloque outras blusas
conforme necessário para aquecer a camiseta molhada rapidamente. Evite entradas de ar utilizando uma blusa
de manga comprida que seja confortavelmente apertada para cobrir a camiseta molhada.
3. Aplique uma compressa de aquecimento no pescoço.
Nota: O pano interior frio e molhado pode ser substituído por um cataplasma de cebola ralada ou cozida a vapor.

Nota: Se você desejar utilizar plástico entre as duas camadas de pano, pode utilizar um grande saco plástico de lixo
com buracos cortados para os braços e pescoço.

Abdômen - Coloque o pano externo seco sobre a cama. Por cima dele coloque o pano molhado e frio.
Deite o paciente por cima da compressa com a borda inferior abaixo do quadril do paciente. Envolva a compressa
firmemente ao redor do abdômen. O pano interno pode ser substituído por um cataplasma de carvão.

Pés - Antes de ir para a cama, vista um par de meias de algodão, finas e molhadas. Cubra-as
completamente com um par de meias secas de lã. O pé deve estar quente antes de aplicar este
tratamento. (Cuidad: pode piorar se tiver infecção – pé de atleta – tricofitose)

64 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Garganta Cotovelo Abdomen

Inalação a Vapor

Definição: Ar úmido e morno direcionado às membranas mucosas do trato respiratório superior que normalmente ajuda
em caso de tosse seca ou congestão.

Efeitos Fisiológicos
• Umidifica as membranas mucosas, aliviando irritação e congestão.
• Amolece secreções e estimula a eliminação de muco da garganta e pulmões.
• Aumenta o fluxo sanguíneo para o nariz, garganta e pulmões.

Indicações do Tratamento
• Congestão nasal e pulmonar (ajuda a amolecer secreções secas para que o corpo consiga eliminá-las de forma
eficaz)
• Irritação crônica ou aguda e inflamação das membranas mucosas (coceira ou dores de garganta) do nariz e da
garganta devido a resfriados, bronquite, alergias, etc. (ajuda ao amolecer as membranas mucosas).
• Tosse (aquece, alivia e relaxa os músculos)
• Dores de cabeça por congestão das cavidades nasais.

Contraindicações
• Insuficiência cardíaca.
• Use cautela com pessoas que tenham asma, pois inspirar ar quente e úmido pode trazer desconforto para elas.

Equipamento Necessário
• Chaleira de água quente ou uma panela com água fervendo
• Lençol
• Opcional: Fogão elétrico portátil
• Opcional: Cone de jornal
• Opcional: Óleos Aromáticos e/ou ervas: pinheiro, menta, eucalipto
• Opcional: Guarda-chuva

Considerações Importantes
• Verifique com frequência a pessoa que está sendo tratada;
• Cuidado para não queimar a pessoa recebendo o tratamento;
• Muito cuidado ao tratar crianças.

Procedimento do Tratamento

1. Preparo do Tratamento
• Junte todo equipamento necessário;
• Ferva água;
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 65
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
• Certifique-se que a sala de tratamento esteja bem aquecida e sem correntes de ar frio;
• Acrescente óleos ou ervas aromáticas se quiser;
• Explique o tratamento para a pessoa e ore com ela.

2. Tratamento
• Coloque sua fonte de vapor (chaleira ou panela) sobre a mesa ou ao lado da cama (uma placa de
aquecimento pode ser colocada em baixo da chaleira, se estiver disponível, para manter a produção de
vapor mais consistente por um período maior de tempo, mas APENAS se a pessoa recebendo o tratamento
puder garantir que cabelo, lençol, etc. NÃO tenha contato com a placa de aquecimento e pegue fogo.
• Coloque um guarda-chuva (opcional ao receber o tratamento sentado) sobre a pessoa recebendo tratamento
e sobre a fonte de vapor. Cubra o guarda-chuva e a pessoa com um lençol – deixando-o pendurado de todos
os lados criando uma espécie de tenda para a pessoa respirar todo o vapor (Nota: Se a pessoa quiser deitar,
ajude-a a deitar em um dos lados da cama, coloque o guarda-chuva e o lençol por cima da cabeça da pessoa
e da fonte de vapor, formando uma tenda para que respire o vapor).
• Se quiser um tratamento mais intenso, cubra a abertura da chaleira com um cone de jornal e direcione o
vapor diretamente ao rosto do paciente.
• O tratamento normalmente dura de 30-60 minutos duas ou três vezes por dia
• Mantenha lenços de papel disponíveis caso a pessoa precise assuar o nariz ou tossir secreções amolecidas.
• Para a inalação contínua, coloque a chaleira ou panela em cima da placa de aquecimento e permita que o
vapor preencha o quarto.

Término do Tratamento
• Seque o resto gentilmente.
• Certifique-se de que a pessoa esteja quente e seca.
• Encoraje a pessoa a descansar por 30 minutos, dependendo da intensidade e duração do tratamento.

Drenagem Postural

Definição: Tratamento no qual a pessoa fica em uma posição que ajuda a drenar fluído dos pulmões. O tratamento
normalmente é usado juntamente com percussão de peito e é útil para:

1. Melhorar expectoração de escarros diminuindo assim a obstrução das passagens de ar


2. Melhorar a ventilação e troca de gases

Indicações de Tratamento
• Bronquite
• Congestão do Peito
• Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Precauções de Tratamento/Containdicações
• Pacientes idosos, confusos, ou ansiosos que não toleram mudanças de posição
• Fratura na bacia
• Ferimento ou tecido cirúrgico em reestabelecimento
• Cirurgia da espinha recente ou ferimento da espinha

Considerações Importantes
• Tenha certeza que o estômago da pessoa esteja vazio – antes da refeição ou 1 ½ hora e meia após a refeição.

Procedimento de Tratamento
1. Explique o tratamento e ore;

66 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
2. Peça para o paciente vestir roupa confortável e larga;
3. Siga os passos delineados abaixo:

Nota: Este tratamento é especialmente útil e eficaz se for realizado logo após um tratamento de hidroterapia, como uma
inalação de vapor ou fomentações:

1 – O paciente deita sobre a cama com a 2 – O paceinte se deita do lado direito,


cabeça virada para o lado direito e suas inclinando ¼ de uma volta com suas pernas
pernas devem estar elevadas o máximo elevadas e um travesseiro entre as pernas
possível (um travesseiro pode ser colocado para maior conforto. O terapeuta bate as
entre as pernas para maior conforto). O mãos em concha e vibra a parte inferior dos
terapeuta bate as mãos em concha e vibra pulmões por 3-5 minutos.
sobre toda a região inferior dos pulmões por
3-5 minutos. Repetir do outro lado.

3 – O paciente se denta de bruço com dois


travesseiro embaixo de seus quadris. O
terapeuta bate as mãos em concha e vibra
sobre a parte inferior da escápula, tanto do
lado direito como do esquerdo da espinha
dorsal (permanecendo acima da região dos
rins).

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 67


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
Fomentações (Revulsivo Geral) para o Tórax ou Abdômen
Com Fricção Fria

Definição: A fomentação consiste na aplicação de um pano ou toalha molhada e quente sobre uma parte do corpo. Cada
aplicação de calor é normalmente seguida de uma breve aplicação fria na área a ser tratada (o frio pode ser omitido ao
tratar pleurisia, pedras nos rins, e cólicas menstruais). Fomentações beneficiam o corpo das seguintes maneiras:
• Aumenta o número e a circulação das células brancas (que ajudam a combater infecções mais eficazmente);
• Ajuda a eliminar impurezas através da pele pelo aumento da transpiração;
• Alivia dores nos nervos, músculos, juntas, ou órgãos internos;
• Promove relaxamento dos músculos;
• Equaliza a circulação do corpo inteiro, diminuindo assim a congestão dos órgãos internos;
• Muda o pH (aumentando a acidez) das secreções das membranas mucosas, capacitando as lisozimas a matar
mais bactérias.

Indicações do Tratamento
• Congestão de tórax em gripes e resfriados, bronquite, pneumonia, asma, e pleurisia;
• Auxílio para promover melhora na função e cura de órgãos internos;
• Nervos dolorosos (neuralgia);
• Dor e inflamação dos músculos e juntas (lesão da coluna, artrite);
• Insônia e nervosismo (use calor brando e prolongado na espinha);
• Para aquecer uma parte do corpo no preparo para massagem;
• Para alívio de espasmos musculares, relaxamento de músculos tensos;
• Para produzir transpiração;
• Para estimular e aumentar o número de células brancas na circulação para lutar contra infecções locais e
sistemáticas.

Precauções do Tratamento
• Use extrema cautela em casos severos de doenças vasculares (faça tratamento suave e utilize as advertências
mencionadas no escalda pés):
o doença cardíaca
o circulação sanguínea pobre nas pernas e pés
o diabetes
o hipertensão
• Contraindicado em casos de:
o câncer (a menos que sob supervisão médica)
o inconsciência
o apendicite
• Cuidado para não queimar um paciente paralisado, ou com edematoso (tecidos inchados devido à retenção de
líquido), diabético, ou que tenha perda de sensibilidade (adormecimento) pouco fluxo sanguíneo nas
extremidades (pés e pernas).
• Áreas do corpo onde os ossos estão muito perto da superfície da pele podem precisar de proteção extra para
evitar queimaduras.
• Evite resfriamento – mude fomentações rapidamente e mantenha o corpo coberto
• Cuidado para que não espalhar infecções; limpe os equipamentos completamente.
• Não aplique fomentação quando houver sangramento ou hemorragia.

Equipamento Necessário
• Cama ou superfície para a pessoa deitar durante o tratamento
• 1 mesa ou superfície para preparar as fomentações

68 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• 1 travesseiro e fronha (pode ser preciso outro travesseiro por trás dos joelhos)
• 2 lençóis (um para cobrir o colchão, outro para cobrir a pessoa)
• 2 cobertores para cobrir a pessoa
• 4-6 toalhas de banho grande (dependendo se aplicar a fomentação em um lado do corpo (por exemplo: costas)
ou ambos os lados (costas e tórax)).
• 3-4 fomentações (ou toalhas grossas podem ser utilizadas)
• 2-4 cobertores de fomentações (ou toalhas grossas podem ser utilizadas)
• 1 bacia de água fria (adicione gelo se possível)
• 2 toalhas pequenas (uma para a compressa fria na testa, e uma para a fricção fria)
• Um copo de água e um canudo
• Panela grande de água fervendo, ou aquecedor de água ou micro-ondas (dependendo de como for aquecer as
fomentações)
• Opcional: Plástico para proteger o colchão contra água derramada
• Opcional: Material para escalda pés:
o Bacia grande suficiente para que os tornozelos sejam cobertos de água.
o 1 chaleira ou jarra de água quente

Preparo da Fomentação:

Método com Água Fervendo (melhor com toalhas)


1. Encha uma panela grande com água e esquente-a até ferver. Água quente
2. Dobre uma toalha de cumprido duas vezes. Segure as duas pontas da toalha
e torça-a com força.
3. Afunde a toalha torcida na água fervendo. Segure as pontas da toalha fora da água. Panela grande
4. Retire a toalha da água e estique as pontas da toalha para que todo o
Toalha
excesso de água seja eliminado.
5. Solte rapidamente uma das pontas da toalha para destorcer e dobre
a toalha duas vezes, no meio.
6. Coloque a toalha dobrada por cima da toalha ou cobertor de proteção. Envolva a toalha quente com a toalha de
proteção.
7. Enrole a fomentação para conservar o calor e leve-a ao paciente rapidamente.

Método com vapor


1. Coloque uma grelha de metal dentro de uma panela grande.
2. Despeje água quente dentro do recipiente. Mantenha o nível da água
abaixo da grelha de metal.
Toalhas de
3. Dobre 3-4 toalhas grandes e dobre-as no meio 2 vezes. Panela Fomentação
4. Umedeça cada toalha dobrada, enrole-as e torça retirando o grande
excesso de água. Grelha
5. Coloque os rolos de toalhas molhadas sobre a grelha Água de metal
um nível acima da água fervendo. Aqueça as toalhas por
aproximadamente 30 minutos com a panela tapada.
6. Remova a primeira toalha de dentro da panela com luvas protetoras. Calor
7. Rapidamente desenrole a toalha aquecida e coloque-a no centro de uma
toalha de proteção. Envolva a toalha quente com a toalha de proteção.
8. Enrole a fomentação para conservar o calor e leve-a ao paciente.

Método do micro-ondas
1. Molhe uma toalha completamente, torça muito bem até que não pingue mais.
2. Coloque dentro de um saco plástico e coloque no micro-ondas.
3. Aqueça no micro-ondas até a toalha ou fomentação estar bem quente soltando vapor (mais ou menos 4 minutos,
dependendo da potência do micro-ondas).
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 69
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
Procedimento do Tratamento

1. Preparo e administração do tratamento


• Mantenha o quarto aquecido e livre de correntes de ar;
• Prepare todo o equipamento. Cubra a cama com um pedaço grande de saco plástico (opcional). Coloque um
lençol e um cobertor (opcional) sobre o plástico;
• Explique o procedimento do tratamento de forma agradável. Auxilie o paciente no preparo para o tratamento.
• Ore.
• Coloque a fomentação de comprido sobre a cama
paralela à espinha, com a parte superior acima do início
da espinha da pessoa, mas NÃO sob a cabeça. Cubra a Travesseiro Fomentação
fomentação com duas toalhas de banho (dobradas em Lençol
dois ou três – dependendo da temperatura e espessura da
fomentação) e talvez precise de outra toalha dobrada
embaixo do cóccix para proteção (principalmente para
pacientes obesos ou muito magros). Cobertor
• Peça que o paciente se deite sobre a fomentação e
coloque os pés na bacia de água quente.
o Se o paciente estiver bem fisicamente, saia do quarto Cama ou Mesa
e permita que ele remova suas roupas e se cubra com
o lençol e cobertor antes de entrar novamente no
quarto.
o Se o paciente precisar de ajuda, segure o lençol entre você e o paciente enquanto se deita por razões de
decência. Cubra-a com o lençol e cobertor rapidamente. Prenda-os por baixo da pessoa para evitar correntes
de ar.
• Coloque as toalhas necessárias (de 1-4 dobras, dependendo da temperatura da fomentação – pode ser dobrada ao
meio ou em três partes conforme necessário) no tórax (ou abdômen) e então colocar a fomentação perpendicular
à espinha vertebral sobre a toalha dupla. Cubra com uma toalha para manter o calor. Prenda a fomentação
cuidadosamente por baixo do tórax (se a pessoa tiver infecção respiratória no trato superior) ou prenda por baixo
do pescoço (se tiver dor de garganta) e deixe por 3-5 minutos (6-10 para alívio de espasmos musculares ou
condições nervosas).
• Permaneça no quarto com a pessoa recebendo tratamento, e se prepare para colocar rapidamente mais uma
toalha de proteção na fomentação de cima ou debaixo caso esteja muito quente, ou remover uma das toalhas de
proteção caso não esteja quente o suficiente.
• Prepare um banho de escalda pés com água quente suficiente (39o C) para cobrir os tornozelos, e coloque uma
toalha seca embaixo do balde. Certifique-se de que a água não esteja muito quente testando-a com o cotovelo
(leia advertências na seção “escalda pés”).
• Coloque os pés do paciente cuidadosamente na água.
• Certifique-se de que tanto a pessoa quanto o balde de água quente estejam completamente cobertos com o lençol
e o cobertor; mas deixe a cabeça e pescoço expostos.
• Enquanto espera, adicione água quente da jarra ou chaleira no escalda pés conforme a pessoa aguentar, cobrindo
rapidamente o balde com a coberta para evitar corrente de ar. O paciente deve manter os pés na água, colocando
um pé por cima do outro e movendo-os para um lado do balde enquanto você despejar e misturar a água.
Mantenha sua mão entre a água que você esta despejando e os pés da pessoa. Continue adicionando água quente
até que a pessoa diga que não consegue aguentar mais calor mas sem queimar. (Nota: Mover os pés da pessoa
para o lado, colocar as mãos entre a água despejada e os pés da pessoa, e misturar a água são métodos de
prevenção contra queimadura).
• A fomentação quente deve permanecer na pessoa entre 3-6 minutos (menos tempo para tratamentos vigorosos,
mais tempo para efeitos relaxantes). Quando estiver próximo do término, coloque uma toalha de mão na água
com gelo, e torça-a até que não pingue mais. Remova a fomentação e a toalha seca rapidamente; então comece,
imediatamente, a fricção leve, mas rápida. Continue por 30 segundos.

70 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Repita a fomentação quente e o contrates com a toalha fria 2-6 vezes mais, dependendo de quão vigoroso for o
tratamento. Cada vez mude a compressa da testa e/ou do pescoço. Adicione mais água quente no banho de
escalda pés se a pessoa quiser e aguentar.
• Quando a pessoa começar a suar ou pedir aplicações de compressa fria na testa, coloque uma toalha pequena
bem torcida da água fria com gelo na testa. Você pode colocar outra também no pescoço se desejar.

2. Término do tratamento
• No final da aplicação da última fomentação, remova a fomentação e deixe-a de lado. Cubra a pessoa com o
lençol e cobertor e prendendo-os embaixo do pescoço e ombros. Aplique fricção de água fria no braço mais
longe de você (este tratamento será explicado depois). Seque e o cubra novamente com as cobertas. Friccione o
abdômen, certificando-se que o tórax permaneça coberto. Seque e cubra o abdômen. Friccione o tórax com
toalha fria. Seque e cubra.
• Erga os pés para fora da água quente, com os dedos para cima. Despeje água fria sobre os pés rapidamente.
• Retire o balde de água quente e coloque os pés na toalha seca. Seque os pés e os dedos completamente. Calce
meias quentes ou pantufas para prevenir que se esfriem.
• Friccione as pernas e coxas com água fria. Cubra as coxas por decência. Friccione uma perna e coxa de cada
vez. Seque. Seque gentilmente entre os dedos. Cupra pernas e pés. Repita o processo na outra perna. Por ultimo,
aplique fricção fria às costas da pessoa.
• Se a pessoa sente frio com facilidade, seja ainda mais cuidadoso e certifique-se de que ela esteja bem seca;
cubra-a e a proteja contra correntes de ar durante o tratamento. Alguns podem precisar de cobertores extras.
Ofereça um copo de água. A pessoa deve repousar de 20-60 minutos após o tratamento (até bem depois de parar
de suar).
• Termine com um banho morno se continuar suando durante o repouso.

Compressas Frias
Fomentações no Peito

Escalda-pés

Fomentações nas Costas

Como Costurar Fomentações e Capas de Fomentações?

A. Fomentações podem ser feitas de uma das seguintes maneiras:

1. 50% algodão e 50% lã ou sintético (3 espessuras)


2. Tecido grosso atoalhado ou toalha (4 espessuras)

Dobre ou corte o material para que as dimensões finais sejam (30.5 cm x 76 cm) e costure junto.

B. Capas de fomentações devem ser de lã ou acrílico e medem (86 cm x 86 cm).


Devem ser feitas de material resistente a umidade e que seja leve e fácil de limpar.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 71


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Fricção Fria

Definição: Uma aplicação de água fria com fricção com uma toalha pequena e grossa, luva de fricção ou bucha vegetal.

Fricção com água fria é uma maneira eficaz de estimular a circulação na pele e fortalecer o sistema imunológico.

Efeitos Fisiológicos
• Estimula a circulação e metabolismo;
• Aumenta a atividade das células brancas e a produção de anticorpos;
• Ação tônica para os nervos e músculos;
• Ação tônica para os músculos que provocam a contração e dilatação das artérias.

Indicações do Tratamento
• Resfriados, gripes, infecções, imunidade reduzida, tosses. É normalmente feita para finalizar um tratamento de
calor;
• Para aumentar a resistência geral do organismo;
• Para aumentar a circulação, metabolismo;
• Para fraqueza generalizada ou falta de resistência;
• Convalescência após enfermidade ou febre;
• Esclerose múltipla.

Contra - indicações
• Quando a pessoa está com frio
• Lesões na pele da área a ser tratada, que podem se espalhar ou piorar com o tratamento.

Equipamento Necessário
• Duas toalhas pequenas
• Uma bacia com água fria (4.5-21°C)
• Toalha de banho
• Opcional (use somente se necessário): Equipamento para escalda pés
• Opcional (use somente se necessário): Lençol ou cobertor

Procedimento do Tratamento

1. Considerações Importantes
• Certifique-se que a pessoa esteja aquecida, especialmente os pés. Se necessário, utilize um banho
quente, escalda pés, ou fomentações para aquecê-la antes de iniciar o tratamento;
• Evite resfriamento expondo somente a área que será tratada imediatamente. Embrulhe o paciente em
lençóis ou cobertores se for aplicar fricção fria no corpo inteiro;
• Evite fricções em áreas com lesões na pele;
• A pessoa deve ser mantida aquecida e seca após o tratamento;
• O sucesso do tratamento depende da velocidade e vigor do tratamento;
• “Melhor de todos os métodos na luta contra gripes!” (Kellogg, J.H., Rational Hydrotherapy, 1928, pp.
308, 642-647.)

2. Tratamento
• Faça uma parte por vez, extremidades primeiro, tórax, abdômen, e costas. Mantenha todas as outras partes
cobertas;
• Torça bem as toalhas de água fria e vigorosamente esfregue a área por 5-8 segundos.
• Seque rapidamente com fricção e cubra a área tratada.
• Mantenha a área coberta e proceda para a próxima área.
• Efeitos estimulantes ou tônicos dependem do seguinte:
72 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
o Temperatura da água (água mais fria traz maior reação)
o Repetição em molhar as toalhas 1-4 vezes (utilize somente uma vez em cada área após um
tratamento de aquecimento).
o Duração da aplicação (quanto mais longa mais forte a reação, mas não deve ser excessivamente
longa. Ver recomendações de tempo acima na letra “b”)
o Vigor da fricção aplicada (mais vigor na fricção mais reação)

Banho Quente (Meio Banho Quente)

Definição: Banho na banheira utilizando água em temperaturas elevadas.

Efeitos Fisiológicos:
• Elevação da circulação periférica, aliviando a congestão interna;
• Aumento nos processos metabólicos;
• Elevação da temperatura corporal se o banho for prolongado;
• Indução à transpiração, remoção de toxinas;
• Aumento no número de células brancas no sangue;
• Aumento da atividade das células brancas (fagócitos).

Indicações do Tratamento
• Dores (muscular, articulação, lombar, enxaqueca, ciática, outras)
• Rigidez muscular e das juntas
• Fadiga
• Gripes e resfriados
• Artrites
• Estímulo de funções do sistema imunológico
• Aquecer uma pessoa com frio.

Contraindicações

• Grande obesidade
• Hipertensão severa
• Tendência a hemorragia
• Distúrbio de sensação de calor
• Fraqueza excessiva
• Circulação comprometida
• Doenças cardíacas
• Diabetes (utilize esse tratamento somente se a água for mantida abaixo de 39° C)
• Câncer (a menos que seja supervisionado por um médico)
• Edema significante nas pernas (a menos que seja supervisionado por um médico)

Equipamento Necessário
• Termômetro de banho
• 2-4 toalhas de banho e tapete de banheiro (em vez de tapete pode usar uma toalha)
• Bacia com água e gelo
• Duas toalhas pequenas
• Para tratamento prolongado, água fresca para beber
• Opcional: Touca de banho para manter o cabelo seco
• Opcional: Toalha de banho dobrada para utilizar como um travesseiro
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 73
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
Procedimento do Tratamento

1. Considerações Importantes
• Se a pessoa toma medicamentos, devem consultar os médicos com relação ao uso do Meio Banho
Quente.
• Crianças pequenas, idosos ou pessoas fracas não toleram banhos quentes muito bem. Se for utilizado,
diminua a duração e a intensidade.
• Não deixe a pessoa sozinha. Caso tontura ou fraqueza se desenvolvam, e/ou o pulso acelerar ou ficar
muito fraco, interrompa o tratamento imediatamente.
• Não dê o meio banho quente logo após uma completa refeição.
• Utilize o termômetro de banho para verificar a temperatura; as mãos não são um guia seguro.
• Se utilizar o banho de banheira quente em crianças, em geral: mantenha a temperatura da água morna
41° C (pode elevar a 43º C dentro de 30 segundos) por um minuto por ano de vida (começando, no
mínimo, 3 minutos dentro da água morna). Por exemplo um criança de 8 anos deve ficar na água por 8
minutos. A duração deve ser reduzida um pouco se a febre estiver elevada.

2. Preparo do Tratamento
• A sala de tratamento de ser aquecida e sem correntes de ar.
• Junte todos os equipamentos necessários.
• Encha a banheira pela metade ou até 2/3 de água entre 38° C e 40° C

3. Tratamento
• Verifique a temperatura oral e marque num papel.
• Ore.
• Ajude a pessoa a entrar na banheira e coloque uma toalha atrás do pescoço como travesseiro (se ela
desejar) para que fique mais confortável,
• Cubra a pessoa com uma toalha de banho, ou, se desejar, um lençol pode ser colocado por sobre toda
a banheira (exceto a cabeça e o pescoço). A pessoa pode também escolher usar shorts e camiseta.
• Para um jovem ou adulto vigoroso, a temperatura da água pode ser elevada a 42°- 44° C logo após o
início do tratamento – dependendo de quanto a pessoa tolerar e da meta do tratamento.
• Mantenha a cabeça fria utilizando uma toalha pequena mergulhada na água com gelo, torcida e
colocada na testa uma vez que a pessoa comece a suar ou peça pela toalha fria.
• Pode dar goles de água se desejar (dê logo após verificar a temperatura para não interferir com as
medidas).
• Se estiver fazendo um tratamento vigoroso, cheque o pulso de 5 em 5 minutos. Se o pulso estiver
acima de 140, ou se a pessoa estiver se sentindo muito desconfortável, adicione água fria na banheira
para diminuir o pulso rapidamente e aliviar o desconforto. Se a temperatura chegar a 39.5°C, ajuste a
temperatura da água para que a temperatura oral não suba mais. Se estiver tratando de gripes e
resfriados ou espasmos nas costas, pare o tratamento quando a temperatura corporal chegar aos
39.5°C. Porém, se estiver tratando condições crônicas, mantenha a temperatura elevada por 20
minutos, dependendo da tolerância da pessoa.

4. Término do Tratamento
• Termine o banho quente com uma fricção fria. Seque vigorosamente.
• Ajude a pessoa a sair da banheira vagarosamente. No esforço de sair da banheira a pessoa pode se
sentir fraca e com tontura (muito sangue está na circulação periférica – assim, a fricção fria ajuda a
contrair os vasos sanguíneos na superfície da pele e normalmente ajuda a evitar tontura).
• Descanse por uma hora na cama (mantenha um pano frio na testa enquanto a pessoa está
descansando, se assim o quiser), cuide para não se resfriar. Continue a dar líquido. Após descansar e
suar por uma hora a pessoa pode desejar um banho – mas cuide para não pegar friagem.

74 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Banho de Assento
(ver referências)

Definição: Um banho em água (normalmente morna) usado para limpar e curar. A água cobre apenas o quadril e as
nádegas. A água pode conter chás de ervas ou óleos essenciais.
Efeitos Fisiológicos
• Aumenta o fluxo sanguíneo.
• Relaxa o esfíncter anal interno.
Indicações do Tratamento
• Coceira;
• Alívio de Dor;
• Hemorroidas;
• Constipação crônica;
• Infecções da pele;
• Alivia a dor após uma episiotomia (procedimento cirúrgico para aumentar o orifício da vulva, durante o parto).
Contraindicações
• Se a pessoa está com frio;
• Lesões de pele na área a ser tratada, que poderiam se espalhar ou piorar com o tratamento.

Equipamento Necessário
• Banheira de assento ou bacia plástica.

Procedimento do Tratamento
1. Ore.
2. Encha a banheira de assento com água morna.
3. Acrescente carvão vegetal, plantas medicinais, ou óleos à água. (opcional)
4. Sente-se confortavelmente na banheira de assento por 15 a 20 minutos.
5. Encha a banheira novamente com água para mantê-la o mais morno possível.
6. Ao terminar levante-se lentamente – ocasionalmente a dilatação dos vasos sanguíneos pode provocar tontura.
7. Seque a área cuidadosamente.
8. Repita uma ou duas vezes ao dia.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 75


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

Capítulo 7 – Tratamento de Febre


Existem diversas causas para a febre, incluído infecções (bacteriana, viral, parasítica, e fúngica), câncer, morte de tecido,
proteínas invasoras no sangue (picadas venenosas, mastite, etc.), desidratação, atividade acelerada da tireoide, extremo
esforço físico, terapia de febre, etc. Na maioria das vezes, a febre é sua amiga. É o esforço do corpo (através do
“termostato” hipotálamo de se livrar de uma condição prejudicial. Por exemplo, no caso de uma infecção, o corpo pode
responder ao inimigo mudando o termostato de um nível normal (37° C) para um nível mais elevado (por exemplo, 39.5°
C). Quando isso acontece, todos os mecanismos de aquecimento para elevar a temperatura corporal operam com força
total, como a constrição das veias periféricas (o sangue vai da superfície da pele para o centro do corpo), o aceleramento
do metabolismo, e tremor. Isso continua até que a temperatura do organismo chegue ao nível determinado pelo
termostato. A temperatura normalmente permanece alta até que a infecção seja superada, ou a causa removida. Quando
isso ocorre, a pele da pessoa fica quente e começa a suar. A temperatura então começa a cair.

Muitos vírus e bactérias não sobrevivem em temperaturas elevadas. A febre faz com que as células brancas se movam
mais rapidamente, capturem os germes mais rapidamente e os destruam mais eficazmente. A febre geralmente não é
prejudicial a não ser que seja extremamente elevada, permaneça por muito tempo, ou se o sistema cardiovascular da
pessoa estiver muito fraco para tolerá-la.

É difícil dar recomendações simples em relação ao tratamento de febre que seria o mais eficaz em todos os casos; no
entanto, direções gerais podem ser úteis:

• Todas as pessoas com febre devem estar sempre bem hidratadas, uma vez que a febre pode ser causada e/ou pior
com a desidratação, e a desidratação pode ocorrer rapidamente através da transpiração provocada por febre alta.

Para febre leve (37° C – 39.5° C):


• A febre induzida artificialmente pode ser benéfica seguindo um dos seguintes métodos.
o Banho de banheira quente (meio banho quente) – elevando a temperatura oral para 39° C-40° C –
terminando com fricção fria;
o Banho de Vapor Russo – elevando a temperatura oral para 39° C-40° C. Terminando com fricção fria;
o Escalda pés – terminando com água fria despejada nos pés;
o Fomentações quentes para o tórax e coluna vertebral, terminando com fricção fria.

• Além disso, na maioria dos casos recomenda-se pode ser útil também na maioria dos casos, fazer o seguinte:
o Beber água quente ou chás de ervas para promover transpiração (dê água em temperatura ambiente se a
pessoa não tolerar água quente);
o Toalha fria na cabeça e pescoço;
o Ar fresco e puro entrando no quarto da pessoa doente.

Para febre moderada (39.5° C-40.5° C):


• Utilize um dos seguintes tratamentos:
o Banho quente curto ou repetidos banhos quentes de esponja para trazer o sangue para a superfície da pele;
o Fomentações quentes no abdômen ou coluna vertebral por 5-7 minutos;
o Fricção quente (se a pessoa estiver com frio) ou fricção fria (se a pessoa estiver muito quente e suando).
• Abundancia de água fria para beber;
• Toalha fria para cabeça e pescoço;
• Ar fresco e puro entrando no quarto da pessoa doente;
• Obtenha ajuda médica caso a febre não diminua em pouco tempo.

Para febre alta (41° C ou acima)


• Busque ajuda médica, e provisoriamente faça o seguinte:
o Dê um banho morno ou frio em uma banheira;
o Envoltório de lençol frio (primeira fase somente – a fase pode ser prolongada);
o Abundancia de água fria para beber;
76 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
o Toalha fria para cabeça e pescoço;
o Ar fresco e puro entrando no quarto da pessoa doente.

A pessoa deve descobrir a causa da febre, e enfocar no tratamento da causa. Algumas condições e doenças que causam
febre podem ser fatais e exigem atenção médica imediata, tais como: peritonite, apendicite, malara, dengue, etc. Busque
ajuda médica imediatamente se a febre aumentar demais, se a febre não responder aos tratamentos simples, ou se a
condição da pessoa piorar. Com idosos ou crianças pequenas, e outros com a condição de saúde comprometida, uma
febre pode ser fatal bem mais rápido. Os que cuidam dessas pessoas devem ser mais vigilantes e não permitir que a febre
seja excessivamente elevada ou continue por muito tempo sem ser controlado.

Geralmente, o calor é mais benéfico quando a temperatura do corpo está se elevando, quando a pessoa demonstra sinais e
sintomas como: pele fria, pele úmida, cianose (coloração azul da pele), pele arrepiada, sensações de frio, e/ou tremor.
Algumas vezes tratamentos para resfriar podem ser úteis quando a pessoa expressar que se sente muito quente, rosto
corado, pulso rápido e forte, e estão com a pele suada,e a pessoa esta quente e seca.

Manuscrito 20, p. 278. “Sinto que o uso de gelo é um erro. Conforme a luz que me foi dada referente a vários casos
críticos foi apresentada a mim enquanto cuidava de uma criança enferma, e em todos os casos as instruções dadas foram,
Não aplique gelo à cabeça, mas água fria; aplique, porém, fomentações quentes nos intestinos, estômago e fígado. Isto
vencerá a febre mais rapidamente do que o frio. A reação do corpo após aplicações frias aumenta a febre ao invés de
matá-la. Essa instrução me foi dada várias vezes. Em alguns casos, as aplicações de gelo podem ser justificáveis, mas na
maioria dos casos não são indicadas. Se o inválido tem alguma vitalidade, o sistema enviará sangue para onde o frio está
presente, e muitas vezes, o sistema não tem força para esta taxação. O irmão ____ tem vitalidade baixa. Alguns casos
pode resistir outros tipos de tratamento, mas tenho muito receio pelo irmão ____ se o tratamento continuar. Usar água
quente; em nove de cada dez casos alcançará mais êxito do que gelo alcançaria...”

Capítulo 8 – Carvão
O carvão é formado quando a madeira é queimada na ausência de oxigênio. O carvão tem a habilidade única de adsorver
ou remover gases tóxicos, muitas drogas, materiais químicos, bactérias infecciosas, e vírus. Uma boa qualidade de carvão
é feita com cascas de coco e a maioria das madeiras, como carvalho, eucalipto, salgueiro e pinheiro. Caso madeiras mais
fortes sejam usadas (por exemplo: carvalho), uma quantia maior de carvão será produzida. O carvão pode ser facilmente
produzido em casa. Corte a madeira seca em pedaços uniformes. Empilhe a madeira de forma organizada e firme em um
buraco no chão e ponha fogo. Assim que a madeira começar a se queimar, cubra com terra ou um pedaço de lata (se
utilizar lata, jogue terra por cima do pedaço de lata). Deixe uma pequena abertura permitindo que quantias limitadas de ar
entrem para manter um processo de queima vagarosa por vários dias. Quando tudo estiver queimado, deixe o carvão
dentro do buraco até que esteja completamente frio, pois carvão quente pode entrar em chamas novamente quando
exposto ao ar.
Para uso medicinal, quebre o carvão em pedaços grossos. Esterilize o carvão em uma panela de barro ou no forno por 20-
30 minutos. Triture os pedaços esterilizados em um pó fino e guarde em um recipiente seco e selado.
Vantagens do Uso do Carvão
● Fácil de fazer e utilizar;
● Seu custo é baixo e de fácil acesso;
● É inofensivo à saúde, porém muito eficaz para muitos problemas (a menos que absorva medicamentos necessários).

MÉTODOS DE USO

Oral
Carvão não tem efeitos tóxicos. Utilize carvão sempre que necessário, quantas vezes precisar. Cuidadosamente misture 1
a 2 colheres de sopa cheias de carvão em pó em uma pequena quantia de água; complete o copo com água. É melhor

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 77


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
tomar o carvão entre as refeições. Se alimento for a causa da doença, ou se a necessidade de carvão surgir quando o
estômago já estiver cheio, tome o carvão se necessário, mas uma quantidade maior de carvão deverá ser utilizada para
obter os mesmos efeitos de quando o carvão é ingerido com estômago vazio. Usar de cautela com pessoas que tomam
medicamentos – pois o carvão pode adsorver os medicamentos. Se a adsorção do medicamento puder levar a
consequências fatais, verifique com um profissional de saúde antes de tomar o carvão.

Cataplasma
Carvão em pó pode ser misturado com água e utilizado como cataplasma. As instruções para o preparo de um cataplasma
de carvão são as seguintes:
1. Misture o carvão em pó em uma pequena quantidade de água até formar uma textura pastosa.
2. Semente de linhaça triturada ou maisena podem ser adicionadas à mistura de carvão para evitar que o cataplasma
fique muito seco ou vaze. Misture de 1 à 3 colheres de sopa de carvão em pó com 3 colheres de sopa de semente de
linhaça triturada ou 2 colheres de sopa cheias de maisena. Adicione um copo de água fervente até que a consistência
desejada seja alcançada.
3. Espalhe a pasta de carvão em um lado do pano ou do papel toalha. Dobre a outra metade do pano ou papel toalha
sobre a pasta de carvão.
4. Coloque o cataplasma na área da pele afetada. Cubra o cataplasma inteiro com um pedaço de plástico para que não
seque rapidamente. Dobre as bordas do cataplasma ou coloque uma fita adesiva para manter no local.

Advertência: recomenda-se não colocar o carvão em pó diretamente na pele em caso de cortes ou ferimento aberto. O
carvão pode manchar permanentemente se a pele estiver aberta, principalmente em ferimentos recentes.

Acrescente água o
Carvão vegetal suficiente para fazer uma
pasta

Espalhe a pasta sobre Dobre a outra metade


metade do tecido sobre a pasta de carvão

Posicione o catapalsma
Cubra o cataplasma de
sobre a área afetada
carvão

78 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
USO COMUM DE CARVÃO

1. Envenenamento ou overdose
• Carvão é o melhor tratamento para envenenamento ou overdose.
• Induza vômito a menos que os produtos ingeridos sejam derivados de petróleo (gasolina, querosene), ou ácidos
fortes. Neste caso não induza vômito. Neutralize os ácidos com bicarbonato de sódio misturado com água.
Neutralize álcalis cáusticos com vinagre e água.
• Misture 1 ou 2 colheres de sopa de carvão em uma pequena quantidade de água e beba rapidamente. (Veja a
tabela para informações específicas).

Quantidade estimada de veneno ou Quantidade de carvão para Quantidade de carvão para


droga inferido estômago vazio (2 horas após estômago cheio (menos de 2 horas
refeição) desde a última refeição)
1 colher de chá 1-2 colheres de sopa de carvão 4-10 colheres de sopa de carvão
1-2 tabletes misturado em um copo com pouca misturados em um copo com pouca
1-2 cápsulas água água

Enxágue o copo e beba o restante do Enxágue o copo e beba o restante do


carvão. carvão.

Beba mais 2 copos de água Beba mais 2 copos de água

1colher de sopa 3-4 colheres de sopa de carvão 6-15 colheres de sopa de carvão
3-5 tabletes misturado em um copo com pouca misturados em um copo com pouca
2-5 cápsulas água água

Enxágue o copo e beba o restante do Enxágue o copo e beba o restante do


carvão. carvão.

Beba mais 2 copos de água Beba mais 2 copos de água

Desconhecido 1-5 colheres de sopa de carvão 5-15 colheres de sopa de carvão


misturado em um copo com pouca misturados em um copo com pouca
água água

Enxágue o copo e beba o restante do Enxágue o copo e beba o restante do


carvão. carvão.

Beba mais 2 copos de água Beba mais 2 copos de água

2. Diarreia
• Carvão é um dos melhores remédios para o tratamento de diarreia.
• Trate diarreia severa em um adulto adicionando 2 colheres de sopa cheias de carvão à um copo de água filtrada.
• Beba um copo de água com carvão e mais um copo de água pura 4 vezes por dia. Beba mais um copo de água
com carvão seguido de um copo de água pura cada vez que houver evacuação mole.
• Para uma criança use metade da dose do adulto.
• Atente para os sinais de desidratação – especialmente em bebês ou crianças pequenas – sede, boca seca, urina
amarela escura ou pouca urina, perda de elasticidade da pele, e moleira funda em bebês.
• Previna desidratação dando muito líquido para beber – para diarreia suave dê líquidos como água pura, caldo de
legumes, ou água de arroz fervida. Para casos mais severos de diarreia, é mais seguro dar o líquido reidratante
(encontrado no Anexo A ou comprado em uma farmácia) para evitar o desequilíbrio dos eletrólitos.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 79
Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Dê líquidos em pequenos goles a cada 5 minutos mesmo em caso de vômito, até que chegue à uma quantia
normal de urina.

3. Náusea e vômito
• Misture 1 ou 2 colheres de sopa em ½ copo de água cada vez que vomitar (para uma criança utilize metade da
dose adulta.) Se o carvão for vomitado, dê uma nova dose imediatamente.
• Sempre beba um outro copo de água pura após cada dose de carvão.

4. Gás intestinal ou empanturramento


• Tome 1 ou 2 colheres de sopa de carvão em 1/2 copo de água conforme o necessário para o controle dos sintomas

5. Infecções de ouvido e olhos


• Infecções de olhos e ouvidos podem ser tratadas com cataplasmas de carvão. Coloque o cataplasma sobre o olho
ou ouvido infectado (se aplicar o carvão diretamente, coloque algodão dentro do canal auditivo para prevenir a
entrada de carvão no canal) e deixe descansar por no mínimo 4 horas ou durante a noite toda. Ao aplicar calor no
cataplasma, o tratamento torna-se mais eficaz.

6. Infecções de pele e juntas


• Infecções de pele e juntas podem também ser tratadas com cataplasma de carvão. Deixe o cataplasma no local
por várias horas ou durante a noite.

7. Picadas de abelha e aranhas


• Para uma única picada de abelha, pernilongo ou formiga, aplique o cataplasma de carvão diretamente na área
afetada.
• Em caso de picadas múltiplas de abelhas, aranhas venenosas, escorpiões, ou picadas de outros insetos:
o Lave a área da picada imediatamente com água fria e sabão.
o Mergulhe a área da picada em água fria de carvão por 30 minutos a 1 hora (prepare o banho de carvão frio
com ½ xícara de carvão para 8 litros de água).
o Após o molho na água fria com carvão, aplique um cataplasma de carvão. (Veja a tabela abaixo para tratamento
contínuo – que é diferente para picadas de abelhas e aranhas.)

Agenda de Tratamento para Picadas Múltiplas de Abelhas e Aranhas


Picadas de Abelha Picadas de Aranha
Mude o cataplasma a cada 10 minutos por Mude o cataplasma a cada 30 minutos por 8
1 hora horas
Deixe o cataplasma por 8 horas Mude o cataplasma a cada 2 horas por 8
horas
Mude o cataplasma a cada 2-4 horas até que
cure

8. Picada de cobra
• Se dor e inchaço ocorrerem dentro de 10 minutos depois da picada de uma cobra venenosa, o veneno já entrou no
organismo.
• Mergulhe a área imediatamente da picada com água fria e sabão.
• Afunde a área da picada em um banho de água fria com carvão de 30 minutos a 1 hora (½ xícara de carvão para 8
litros de água)
• Aplique um cataplasma grande de carvão cobrindo quase toda a extremidade onde ocorreu a picada. Centralize o
cataplasma diretamente sobre a picada. Mantenha o cataplasma úmido cobrindo-o com um pedaço de plástico.
Remova o cataplasma velho e substitua por um novo cada 10-15 minutos até que o inchaço e a dor cessem.
• Adicione bolsas de gelo se a dor e o inchaço persistirem.

80 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

• Tome carvão com água também. Misture 2 colheres de sopa cheias em 1/2 copo de água de 2 em 2 horas até a
terceira dose. Em seguida, misture apenas 1 colher de chá em 1/2 copo de água de 4 em 4 horas pelas próximas
24 horas. Cada dose de carvão deve ser seguida de 2 copos de água pura.

9. Icterícia em Recém Nascidos


• Se o bebê recém nascido estiver bem amarelo, dê, a cada 2 horas, uma colher de chá de carvão misturado em
água suficiente para passar pelo bico da mamadeira.
• Exponha o bebê despido ao sol antes das 10:00 AM ou após as 3:00 PM (evite o calor do meio dia para prevenir
queimaduras de pele). Cubra os olhos do bebê para protegê-los dos raios solares. Continue tratando a criança até
que a icterícia diminua bem ou desapareça.

10. Doenças de rins ou fígado


• A ingestão de carvão evita que toxinas sejam acumuladas no organismo. Aplique um grande emplastro de carvão
na parte inferior das costas para problemas de rins e no abdômen para problemas de fígado.

11. Dores de dente ou infecções na gengiva


• Para infecções na gengiva, misture carvão em pó com água formando uma pasta. Escove a pasta de carvão entre a
gengiva infectada e os dentes. Deixe o carvão na gengiva durante a noite. Enxágue os dentes e a gengiva pela
manhã.
• Em caso de dor de dente, coloque a pasta de carvão em um pedaço de gaze e espalhe bem, role a gaze e coloque-a
entre o dente e a bochecha ou entre a língua e o dente infectado. (Não durma com a gaze na boca – para evitar
engasgar na gaze enquanto dorme).

12. Envenenamento por Cogumelos


• “Carvão ativado é um efetivo combatente de envenenamento por cogumelos. Carvão em pó simples ou tabletes
tomados com água são mais benéficos em casos de envenenamento de cogumelos do que os tratamentos
comumentes usados. Mais de 95% de todos os envenenamentos fatais de cogumelo são causados pela amanita
phalloides verde. (Life and Health, p. 6, Março 1973.)

***Procure em medico se a pessoa não melhorar ou se piorar***

Pensamentos Inspiradores:

Carvão Traz Alivio


Mensagens Escolhidas, v.2, p. 295. “Certa ocasião veio ter comigo um médico, muito aflito. Fora chamado para ver uma
jovem muito doente. Contraíra febre quando se achava nos campos vizinhos à nossa escola e fora levada para o edifício
escolar, perto de Melbourne, Austrália. Mas piorou tanto que se temia não sobreviver. O médico, Dr. Merritt Kellogg,
veio ter comigo e disse: "Irmã White, tem a senhora qualquer esclarecimento para mim, neste caso? Se não pudermos dar
alívio a nossa irmã, ela viverá apenas mais algumas horas." Respondi: "Mande buscar, numa oficina de ferreiro, um
pouco de carvão em pó; faça disso um emplasto e coloque sobre o estômago e os lados." O médico apressou-se em seguir
minhas instruções. Logo voltou, dizendo: "Veio o alívio em menos de meia hora depois da aplicação dos emplastos. Ela
está agora passando pelo primeiro sono, desde alguns dias."
Tenho recomendado o mesmo tratamento para outros que sofriam grande dor, e tem trazido alívio e sido o meio de
salvar a vida.

Benefícios do Carvão
2 Mensagens Escolhidas, v.2, p. 294. “Um dos remédios mais benéficos é o carvão de lenha em pó, posto numa bolsa e
usado em fomentações. É este um dos remédios mais eficazes. Se molhar em fervura de pimenta d’água [persicária
mordaz] será melhor ainda. Tenho recomendado isto em casos em que o doente sofria grandes dores, e quando o médico
me confiou julgar ser esse o último recurso antes de morrer o paciente. Então sugeri o carvão, o doente dormiu, veio a
crise, e a restauração foi o resultado. A estudantes, quando feriam as mãos e sofriam de inflamação, tenho prescrito este
remédio simples, com êxito completo. Vencia-se o tóxico da inflamação, passava a dor, e vinha rapidamente a cura. A

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 81


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”
mais penosa inflamação dos olhos será aliviada por uma cataplasma de carvão, colocada numa bolsa [de pano], e
mergulhada em água fria ou quente, conforme melhor se adapte ao caso. Isto opera como um encanto.”

Carvão destrói inflamação e remove veneno


Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 299. “Aquele homem que sofria de inflamação intestinal, mandou pedir que eu fosse vê-
lo. Meu marido e eu concluímos que não conviria levá-lo. Tivemos temor de que o processo da morte já se iniciara.
Então, qual comunicação do Senhor, veio-me o pensamento de tomar carvão pulverizado, despejar água nele, e dar a
beber essa água ao doente, colocando também compressas de carvão sobre o intestino e estômago. Estávamos a
quilômetro e meio da cidade de Denison, mas o filho do doente foi à oficina de um ferreiro, arrumou o carvão e o moeu,
usando-o então de acordo com as instruções dadas. O resultado foi que em meia hora houve mudança para melhor.
Tivemos que iniciar a viagem e deixar a família atrás, mas qual não foi nossa surpresa quando, no dia seguinte, a carroça
em que ia aquele doente nos alcançou. Estava ele deitado numa cama, na carroça. A bênção divina operara com o simples
meio empregado.”
Mensagens Escolhidas, v.2, p. 298. “Carvão de eucalipto, pulverizado, temos usado bastante em casos de inflamação.”
Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 298. “Dir-vos-ei algo de minha experiência com carvão de lenha como remédio. Para
algumas formas de indigestão é mais eficaz do que as drogas. Um pouco de óleo de oliva em que se tenha misturado um
pouco desse pó, tende a purificar e curar. Eu o acho excelente.”

Leitura Adicional: 2 Mensagens Escolhidas, p. 295, Loma Linda Messages, p. 267, Letter 119, 1896, Letter 37, 1898,
Letter 182, 1899, Letter 84, 1898, Letter 72, 1898,

Anexo A – Bebida Reidratante


Desidratação pode ser fatal, e é especialmente perigosa em crianças pequenas. Duas causas principais de desidratação são
diarreia e vômito, com diarreia sendo a mais comum. Quando uma pessoa tem diarreia bem líquida, ou diarreia e vômito,
não espere por sinais de desidratação. Bebidas reidratantes são muito importantes (pois podem salvar vidas em alguns
casos) no tratamento de diarreia e vômito, pois ajudam a reidratar o corpo e providenciam sódio, glicose e potássio para
equilibrar os eletrólitos do corpo. Indicadores de que uma pessoa está hidratada suficientemente incluem 1) conseguir
urinar regularmente e 2) coloração amarela bem clara ou pálida da urina. Abaixo estão duas receitas.

Soro de Reidratação #1 Soro de Reidratação #2


1 litro de água filtrada 1 litro de água filtrada
½ colher de chá de sal (nivelada) ½ colher de chá de sal (nivelada)
8 colheres de chá de açúcar (niveladas) 8 colheres de chá de cereal em pó (cheias)
½ copo de água de coco, suco de 2 laranjas, Ferva por 5-7 minutos até formar um mingau
ou 1 banana madura amassada Adicione ½ copo de água de coco, suco de 2 laranjas,
ou 1 banana madura amassada

Dê à pessoa desidratada goles do soro reidratante a cada 5 minutos, dia e noite, até que volte a urinar normalmente.
Continue dando o soro em goles pequenos, mesmo que a pessoa vomite. Nem todo o líquido será vomitado. Um adulto
grande pode precisar de 3 ou mais litros de soro por dia. Uma criança pequena geralmente precisa de apenas 1 litro por
dia, ou 1 copo de soro para cada evacuação mole.

82 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Hidroterapia
“Medicamento Mais Poderoso”

REFERÊNCIAS

The American Heritage® dictionary of the English language 4th ed.(2009). Boston: Houghton Mifflin Company.
Thrash, A. (1981). Home remedies: Hydrotherapy, massage, charcoal, and other simple treatments. Seale, AL: Thrash
Publications. McNeilus, M. (2007). God’s healing way. Lanesboro, MN. Graphic used with permission.
Sinclair, M. (2008). Modern hydrotherapy for the massage therapist. Philadelphia: Wolters Kluwer.
Kellogg, J. H. (1901). Rational hydrotherapy: A manual of the physiological and therapeutic effects of hydriatic
procedures, and the technique of their application in the treatment of disease. Philadelphia: F. A. Davis Company.
(1868). How to treat the sick without medicine. NY: Fowler and Wells.
White, E. G. (1938). Counsels on diet and foods. Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association.
White, E. G. (1915). Life sketches of Ellen G. White. Mountain View, CA: Pacific Press Publishing Association.
White, J. (1890). Bible hygiene. Battle Creek, MI: Good Health Publishing Company.
Loughborough, J. N. (1905). The great second advent movement: Its rise and progress. Washington, D. C.: Review and
Herald Publishing Association. (1992 edition by Adventist Pioneer Library, Loma Linda, CA)
Abbot, G. K. (1914). Principles and practice of hydrotherapy for students and practitioners of medicine: Embodying a
consideration of the scientific basis, technique and therapeutics of hydrotherapy and some allied branches of
physiologic therapy. Loma Linda, CA: The College Press.
Abbot, G. K. (1948). Technique of hydrotherapy and Swedish massage (9th ed.). Mountain View, CA: Pacific Press
Publishing Assn.
The deadly virus: The influenza epidemic of 1918. National Archives and Records Administration:
http://www.archives.gov/exhibits/influenza-epidemic/
Baruch, S. (1920). An epitome of hydrotherapy: For physicians, architects, and nurses. Philadelphia: W. B. Saunders.
Medline Plus. (2011). Vital Signs. Retrieved from http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/002341.htm
Healthwise Staff. (2011). How to Take Your blood Pressure at Home. Retrieved from
http://www.webmd.com/hypertension-high-blood-pressure/monitoring-your-blood-pressure-at-home#
Dail, C., Thomas, C. (1995). Hydrotherapy: Simple treatments for common ailments. Brushton, NY: TEACH Services.
Thrash, A. Simple home remedies: An instruction booklet. Seale, AL.
Moor, F. B., Peterson, S. C., Manwell, E. M., Noble, M. F., Muench, G. (1964). Manual of hydrotherapy and massage.
Mountain View, CA: Pacific Press Publishing Assn.
Austin, P., Thrash, A., Thrash, C. (1990). Natural healthcare for your child: Trustworthy information on the prevention,
causes and treatment of the diseases and ailments, which are common from birth through the teenage years. Sunfield,
MI: Family Health Publications.
Leader, D. (2010). Postural drainage. Retrieved October 26, 2012, from
http://copd.about.com/od/glossaryoftermspz/g/posturaldrainage.htm.
MedlinePlus. (2012). Postural drainage. Retreived October 26, 2012, from
http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/patientinstructions/000051.htm
MedlinePlus. (2012). Sitz bath. Retrieved October 26, 2012, from
http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/002299.htm
Breen, E. & Bleday, R. (2012). Patient information: Anal fissure (Beyond the Basics). Retrieved October 26, 2012,
from http://www.uptodate.com/contents/anal-fissure-beyond-the-basics
Bolen, B.B. (2012). How to take a sitz bath. Retrieved October 26, 2012 from
http://ibs.about.com/od/treatmentofibs/ht/sitzbath.htm
Thrash, A., Thrash, C. (1988). Charcoal: Startling new facts about the world’s most powerful clinical absorbent. Seale,
AL: New Lifestyle Books.
Kneipp (n.d.). Sebastian Kneipp. Retrieved from http://kneippus.com/sebastian-kneipp.html.
Fleury, L. (1856). Traté Pratique et Raisonné d’Hydrothérapie. Paris, Rignoux

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 83


Massagem
Toque Curador

Conteúdo

Capítulo 1 – Introdução e História da Massagem ................................................................................... 86
Capítulo 2 - Postura ......................................................................................................................................... 86
Capítulo 3 – Termos e Definições ................................................................................................................ 87
Capítulo 4 – Benefícios, Efeitos e Contraindicações .............................................................................. 88
Benefícios ........................................................................................................................................................................ 88
Efeitos ............................................................................................................................................................................... 88
Contraindicações .......................................................................................................................................................... 90
Capítulo 5 – Manobras Básicas de Massagem ......................................................................................... 93
1. Toque ........................................................................................................................................................................... 93
2. Movimentos de Deslizamento (Efleurage) ..................................................................................................... 93
3. Movimentos de Amassamento (Petrissagem) ............................................................................................... 94
4. Movimentos de Percussão (Tapotagem) ......................................................................................................... 95
6. Movimentos das Articulações ............................................................................................................................. 96
Capítulo 6 – Massagem das Costas .............................................................................................................. 97
Capítulo 7 – Massagem de 5 Minutos na Cadeira ................................................................................... 98
Massagem da Expo-Saúde .......................................................................................................................................... 98
Capítulo 8 – Exercícios de Alongamento ................................................................................................... 99
Exercícios de Flexibilidade dos Membros Inferiores ....................................................................................... 99
Exercícios de Flexibilidade dos Membros Superiores ................................................................................... 100

“A obra de Cristo em purificar o leproso de sua terrível doença, é uma ilustração de Sua obra em libertar a alma do
pecado. O homem que foi ter com Jesus estava cheio de lepra. O mortal veneno da moléstia penetrara-lhe todo o
corpo. Os discípulos procuraram impedir o Mestre de o tocar; pois aquele que tocava num leproso, tornava-se por sua
vez imundo. Pondo a mão sobre o doente, porém, Jesus não sofreu nenhuma contaminação. Seu contato comunicou
poder vitalizante.”
O Desejado de Todas as Nações, p. 266.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 85


Massagem
Toque Curador

Capítulo 1 – Introdução e História da Massagem


• Definição – Manipulação sistemática manual mecânica do tecido mole do corpo através de:
* Deslizamento * Amassamento *Pressionamento *Rolamento *Percussão *Tapotagem
• A massagem é usada terapeuticamente com o propósito de:
o Promover a circulação sanguínea e linfática
o Relaxamento dos músculos e alívio da dor
o Restauração do equilíbrio metabólico e muito mais...
• A origem da palavra “Massagem”
Grego: masso ou massein Latin: massa Árabe: mass'h Sânscrito: makeh
Significa: tocar, manejar, amassar, apertar. Significa pressionar suavemente
• Alguns fatos sobre a massagem:
o É uma das primeiras práticas terapêuticas realizada pelo homem;
o Modo mais natural e instintivo para aliviar dor e desconforto;
o Praticada em quase todas as culturas antigas e desenvolvida e ensinada primariamente por médicos;
o É extensivamente escrita em livros de medicina desde 500 a.C.;
o Usada primeiro pelos chineses por volta de 3000 a . C.; - Encontrada em livros Hindus por volta de 1800 b. C.
o Usada pelos gregos bem antes de 300 a . C. - Descoberta pelos japoneses por volta do 6 º Século d. C.;
o Sua prática teve um grande declínio na Idade Média (juntamente com a Bíblia), mas voltou a ser usada no
Renascimento;
o Sua popularidade tem oscilado através do tempo até hoje;
o Continua sendo uma ferramenta poderosa de evangelismo para atingir corações e ganhar sua confiança.
As seguintes citações são do livro: “The American's Womans Home” (C. E. Beecher e Harriet Beecher Stowe) citado por
Ellen G. White em Heath Reformer, 1 de junho de 1873.
“Não seria tão agradável, e menos dispendioso (do que pagar por uma massagem), se jovens moças desde sua
juventude desenvolvessem os músculos varrendo, espanando, engomando, passando roupa, e fazendo todas as tarefas
domésticas que nossas avós sabiam fazer? Uma mulher que fazia tudo isso, e diversificava os intervalos girando as
rodas da roca, não precisava... dos movimentos suecos de cura, que são realmente necessários agora. Não parece um mal
plano econômico pagar empregados para deixar nossos músculos se tornarem fracos, e então pagar funcionários pra
exercitá-los por nós? Eu me arrisco a dizer que nossas avós faziam, em uma semana, todos os movimentos que qualquer
ginasta já inventou, e o faziam com um propósito produtivo, também.”

Capítulo 2 - Postura
Educação, p. 198: “Entre as primeiras coisas que se devem ter em vista, figura a posição correta, tanto estando sentados
como de pé. Deus fez o homem ereto, e deseja que ele possua não somente o benefício físico, mas também o mental e
moral, a graça, dignidade, compostura, ânimo e confiança em si, que uma atitude ereta em tão grande maneira tende a
promover...”
Definição 1: refere-se ao relacionamento e alinhamento das partes do corpo uma para com as outras.
Definição 2: é o alinhamento de segmentos do corpo normalmente mantidos por músculos.
• Postura “normal” varia de pessoa a pessoa, mas não significa necessariamente boa postura.
• Boa postura = equilíbrio do corpo entre esquerda e direita, frente e costas e partes devidamente alinhadas.
• Benefícios da boa postura:
o Todas as articulações do corpo se tornam menos susceptíveis a restrições e torções.
o Os órgãos do corpo são capazes de funcionar com maior eficiência.
o Menor esforço e energia são exigidos para manter o corpo em equilíbrio.
o A eficiência muscular é melhorada.
o A personalidade é expressa através de uma boa postura.
o A aparência pessoal é melhorada.
o Hábitos inadequados de postura causam fadiga e tensão nos músculos, articulações e coluna vertebral.

86 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador

Capítulo 3 – Termos e Definições


Posição Anatômica
Posição reta do corpo com o rosto direcionado à frente, os braços ao lado, e a palmas das mãos direcionadas para frente.
Usada como referência ao descrever a relação das partes do corpo umas com as outras. The American Heritage® Medical
Dictionary Copyright © 2007.
Posição Supina: Pessoa deita de face para cima
Posição Prona: Pessoa deita de face para baixo

Direções Antômicas
1. Superior: em direção à cabeça
2. Inferior: em direção aos pés
Exemplo: Os pulmões estão superiores ao estômago.
3. Anterior: à frente de
4. Posterior: atrás de
Exemplo: O nariz está na superfície anterior do corpo; a escápula está na superfície posterior.
5. Medial: em direção ao centro do corpo
6. Lateral: em direção ao lado do corpo ou distante de seu centro
Exemplo: O dedão está no lado medial do pé.
7. Proximal: em direção ou mais próximo ao tronco, ou próximo ao ponto de origem de uma de suas partes
8. Distal: distante ou mais longe do tronco ou do ponto de origem de uma parte do corpo
Exemplo: O cotovelo está na posição proximal da parte inferior do braço e a mão na parte distal.
9. Superficial: próximo à superfície do corpo
10. Profunda: distante da superfície do corpo
Exemplo: A pele do braço é superficial aos músculos abaixo dela. O osso é profundo comparado aos músculos
que o cobrem.

Bursa – pequena bolsa de fluido que reduz atrito. (Ex. Tendões sobrepondo os ossos - bursite)
Hematoma – machucado por esmagamento onde muitas pequenas veias sanguíneas são rompidas. O sangue é
acumulado nos tecidos ao redor e uma mancha roxa ou protuberância surge
Inflamação – combinação de irritação, inchaço, avermelhamento e calor
Articulação – onde dois ossos se encontram
Ligamentos – tecido fibroso e rígido que conecta dois ossos
Ruptura – rompimento completo de um músculo, tendão ou ligamento
Distensão – irritação, leve inchaço, ou rompimento microscópico de um ligamento
Luxação – irritação, leve inchaço, ou rompimento microscópico de um músculo ou tendão
Tendão – tecido fibroso resistente que conecta o osso ao músculo
Tendinite – tendão irritado, inchado e distendido

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 87


Massagem
Toque Curador

Capítulo 4 – Benefícios, Efeitos e Contraindicações


Benefícios

Benefícios Físicos

o Circulação (sanguínea e linfática) melhora, aprimorando o tônus muscular. (Especialmente a massagem facial
ajuda a evitar pele manchada);
o Pressão arterial levemente elevada pode ser temporariamente reduzida;
o Ajuda com dor de cabeça e fadiga ocular;
o Relaxa e refresca os músculos (dor muscular provocada por esforço excessivo pode ser reduzida ou evitada).
o Ajuda a prevenir e aliviar câimbras e espasmos musculares;
o Frequentemente auxilia a induzir o sono (bom para pessoas com insônia);
o Efetivo no controle da dor;
o A mobilidade das juntas pode aumentar;
o Acelera o metabolismo;
o Digestão, assimilação e eliminação normalmente são melhoradas;
o Acelera o processo de cura;
o Melhora as funções desintoxicantes do sistema linfático.

Os efeitos imediatos da massagem são notados na pele. Os movimentos de fricção e amassamento aumentam a
circulação do sangue na pele, e aumentam as atividades das glândulas sudoríparas e oleosas da pele. Acompanhando o
aumento de fluxo sanguíneo, há uma ligeira vermelhidão e aquecimento da pele. A nutrição da pele também é
melhorada. O tratamento massoterápico com o tempo propicia uma pele radiante e saudável. A pele tende a se tornar
mais macia, mais elástica e com uma textura mais fina. Os efeitos fisiológicos da massagem não são limitados à pele. A
estimulação de atividades musculares, glandulares e vasculares pela massagem promove um benefício geral.

Benefícios Fisiológico:
o Alivia o cansaço;
o Reduz o estresse, a tensão e a ansiedade;
o Estimula os músculos e o sistema imunológico;*
o Relaxa o sistema nervoso;*
o Promove sensação de relaxamento e energia renovada.*

*Os variados efeitos dependem do tipo de manobra que você usa em cada pessoa.

!!NOTA!! Em circunstância alguma a massagem deve ser aplicada tão vigorosamente que o paciente se sinta
exausto ou que resulte em hematomas ou ferimentos aos tecidos.

Efeitos

Efeitos no Sistema Musculoesquelético:


A massagem ativa a nutrição e o desenvolvimento do sistema muscular através da estimulação de sua circulação,
inervação, e atividade celular. Massagens regulares e sistemáticas fazem com que os músculos se tornem mais firmes e
elásticos. A massagem também é uma forma eficaz de relaxar tensão nos músculos e reverter espasmos musculares.
O suprimento de sangue para os músculos é proporcional à sua atividade. A estimativa é de que o sangue passa,
cerca de três vezes mais rápido nos músculos sendo massageados do que nos músculos em repouso. Movimentos de
petrissage ou amassamento e compressão causam ação bombeadora que força o sangue venoso e a linfa para frente e
traz novo suprimento de sangue para os músculos. A massagem auxilia na remoção de resíduos metabólicos e ajuda a
nutrir os tecidos.
Massagem previne e alivia rigidez e dores musculares. Músculos fatigados pelo trabalho ou pelo exercício serão
mais facilmente restaurados através de massagem do que do descanso passivo com a mesma duração. O tecido muscular

88 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador
que sofreu lesão se recupera mais rapidamente através de tratamentos consistentes. Massagem de fricção, quando
devidamente aplicada, previne e reduz o desenvolvimento de aderências e cicatrizes excessivas após o trauma.
Massagem também:
• Promove tonificação muscular e auxilia na prevenção ou retardamento de atrofiamento muscular resultante de
inatividade forçada.
• Encoraja a retenção de nitrogênio, fósforo e enxofre necessários para a reparação do tecido em pessoas
convalescendo de fratura nos ossos.
• Diminui a dor em condições como: artrite, neurite, trabalho de parto e parto, torcicolo, lesões musculares, ciática,
dores de cabeça, espasmos musculares e muitas outras condições.

Efeitos no sistema nervoso:


• Pode ter efeito sedativo, estimulante, ou até mesmo exaustivo no sistema nervoso dependendo do tipo e duração
do tratamento de massagem dado.
• Os efeitos da massagem no sistema nervoso dependem da reação direta e reflexa dos nervos estimulados.

1. Técnicas de massagem estimulante:


a) Fricção (deslizamento leve, rolamento, movimentos de torcedura) estimula os nervos.
b) Percussão (tapotagem leve) aumenta a irritabilidade dos nervos. Uma forte percussão por um período curto de
tempo diretamente excita o sistema nervoso central. Percussão prolongada tende a anestesiar o nervo local.
c) Vibração (movimento de chacoalhar e tremer) estimula nervos periféricos e todos os ramos do sistema nervoso
central nos quais o tronco nervoso está conectado.

2. Técnicas de massagem sedativa:


a) Deslizamento suave, especialmente sobre áreas reflexas, produz efeitos calmantes e sedativos.
b) Fricção leve e petrissagem (movimentos de amassamento) produz evidentes efeitos sedativos acentuados.

Efeitos no Sistema Circulatório:


• Procedimentos de massagem afetam a qualidade e quantidade de sangue percorrendo o sistema circulatório. Com
o aumento do fluxo sanguíneo para a área massageada, a nutrição e eliminação celular são favorecidas. O
trabalho do coração é diminuído devido à melhora na circulação cutânea. Sob a influência da massagem, o
processo de produção de sangue é melhorado, resultando em um aumento no número de glóbulos vermelhos e
brancos. Aumenta a nutrição e suprimento sanguíneo para os músculos sem acrescentar à sua carga de ácido
lático tóxico, produzido pela contração muscular voluntária. Assim, ajudam a evitar o acúmulo dos produtos
nocivos da “fadiga”, resultante de exercício árduo ou ferimento.
• Pode compensar, em parte, a falta de exercício e contração muscular em pessoas que, devido a ferimento, doença,
ou idade, são forçadas a serem inativas. Nestes casos, a massagem ajuda a retornar o sangue venoso ao coração
aliviando a pressão nesse órgão vital.
• Por melhorar a circulação em geral, a massagem aumentada a nutrição dos tecidos. É acompanhada ou seguida
pelo aumento de intercâmbio de substâncias entre as células do sangue e do tecido elevando o metabolismo do
tecido.
• Aumenta a excreção (através dos rins) de fluídos e resíduos resultantes do metabolismo de proteínas, de fósforo
inorgânico, e de sal em indivíduos normais.
• Alonga tecidos conectores, melhora a circulação e nutrição, e assim quebra ou previne a formação de adesões e
reduz o perigo de fibrose.
• Melhora a circulação e nutrição das articulações e acelera a eliminação de depósitos nocivos. Ajuda a reduzir
inflamação e inchaço nas juntas aliviando as dores.
• Ajuda a reduzir edema (hidropisia) nas extremidades.
• Dispersa o inchaço após dano aos ligamentos ou tendões, diminui a dor e facilita o movimento.

**Um importante princípio da massagem para se lembrar é sempre massagear em direção ao coração. Os
movimentos devem ser direcionados para cima ao longo dos membros e das partes inferiores do corpo e descendente da
cabeça, facilitando assim o fluxo venoso e linfa em direção ao coração e outros órgãos eliminatórios.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 89


Massagem
Toque Curador
Efeitos nos Canais Linfáticos e Sanguíneos:
1) O deslizamento leve produz a dilatação quase instantânea (embora temporária) dos capilares, enquanto que a
percussão profunda traz uma dilatação mais duradoura e vermelhidão na área massageada.
2) Percussão leve causa uma contração dos vasos sanguíneos, o que tende a relaxar conforme o movimento
continua.
3) Fricção apressa o fluxo do sangue através das veias superficiais.
4) Amassamento ou petrissagem estimula o fluxo sanguíneo nas artérias e veias mais profundas.
5) Fricção, amassamento e deslizamento estimulam a circulação linfática.
6) Compressão produz hiperemia ou um aumento na quantidade de sangue armazenado no tecido muscular.
Efeitos Psicológicos:
Os efeitos psicológicos da massagem não devem ser subestimados. Se o paciente se sente mais saudável, revigorado
e cheio de energia a massagem valeu a pena. Pessoas fazem massagens regularmente tanto para benefícios psicológicos
como fisiológicos.

** Muitas pessoas que sofrem com o estresse encontram na massagem uma forma de relaxar e amenizar pequenas
dores e emcomodos. Para alguns a massagem regular os mantém se sentindo mais jovens e os incentiva a prestar mais
atenção a própria nutrição, exercícios físicos e práticas saudáveis.
A massagem ajuda as pessoas a identificar onde a tensão está sendo acumulada, e a encontrar pontos de tensão em
músculos ou regiões dolorosas. Você pode descobrir regiões das quais o paciente antes nem estava consciente.
Compreendendo essas condições, o paciente pode começar a se concentrar em relaxá-las tanto durante a massagem
como no dia-a-dia. É importante explicar ao paciente que quando os músculos ficam tensos ocorre a vasoconstrição da
área restringindo a circulação local. Se tornar consciente quanto aos pontos problemáticos e como reagir a eles, faz parte
da medicina preventiva.

Contraindicações

Uma regra geral para contraindicações é não fazer massagem quando houver:
1. Febre;
2. Possíveis coágulos de sangue desalojados;
3. Insuficiência de um órgão (sistema);
4. Resultará em dano ao tecido;
5. Doença contagiosa (no cliente ou terapeuta)
6. Condições que podem se alastrar (exemplo: planta venenosa)

Contraindicações de massagem podem ser divididas em duas categorias: sistêmica e local. Contraindicações sistêmicas
são condições nas quais a massagem não deve ser realizada em parte alguma do paciente. Contraindicações locais são
condições nas quais a massagem não deve ser realizada naquela área.

Sistêmica

A massagem não deve ser realizada de forma alguma em casos de:


• Hipertensão descontrolada, severa (pressão arterial elevada 160/95).
o Não massagear uma pessoa com a pressão arterial descontrolada.
• Choque.
• Pneumonia aguda.
• Toxemia durante a gravidez.
• Intoxicação – a massagem pode espalhar toxinas e sobrecarregar o fígado.
• Temperatura corporal anormal.
o A temperatura normal do corpo é de 37 ºC podendo ter uma pequena variação de 35.5 ºC à 37.2 ºC
o Verificar a temperatura de pacientes que se sentem anormalmente quentes.
o A febre normalmente indica que o corpo está tentando isolar e eliminar um invasor e a massagem pode ser
uma carga extra e distração para processo de luta contra a doença.

90 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador
• Doença infecciosa aguda (A massagem pode intensificar a doença e expor o terapeuta ao vírus).
o Febre tifoide;
o Malária;
o Difteria;
o Gripes severas;
o Influenza, etc.

• Osteoporose - deterioração do osso.


o Em estágios avançados os ossos se tornam quebradiços, sendo algumas vezes facilmente quebrados;
o Prevalente em idosos e em certos tipos de doenças;
o É melhor ter recomendação do médico do paciente antes de realizar a massagem.

• Fadiga
o Em casos de fadiga crônica, o sistema excretor já está sobrecarregado e há pouca coisa para nutrir os
tecidos extenuados e exaustos;
o A massagem deve ser extremamente suave e superficial para induzir o relaxamento e descanso.

• Hérnia: saliência de um órgão ou parte de um órgão. Ex: intestino se projetando através da parede abdominal.
o Conhecida também como uma ruptura;
o Massagem não é recomendável sobre ou próxima à área afetada.

Contraindicações Locais: Se a condição é restrita a apenas uma parte localizada do corpo, outras áreas ainda podem
ser massageadas. Exemplos:

• Problemas de pele:
o Normalmente apenas nas áreas afetadas;
o Exemplos: acne, vasos rompidos, queimadura, bolhas, machucados, furúnculos, contusões, carbúnculos,
eczemas, mancha na pele, espinhas, ferida, impetigo, erupção cutânea, ferrão, picada, inflamação,
escamosidade, tumores, lacerações, arranhão, verrugas, nódulo, câncer de pele e feridas abertas.

• Inflamação – A massagem pode aumentar a irritação da área inflamada ou intensificar a inflamação (massagem
de drenagem do sistema limfático pode ser feita)
o Toque terapêutico, o simples posicionamento das mãos sobre ou próximo à área inflamada, pode ser útil;
o Estar atento a doenças com terminação “ite”. Por exemplo artrite.

• Inflamação decorrente de lesão no tecido – resposta natural do corpo para proteger e apressar a cura do tecido.
o Caracterizada por: inchaço, rubor, calor e dor.
o Qualquer vermelhidão é sinal de inflamação.

• Veias varicosas – as válvulas das veias entram em colapso por causa da pressão contrária no sistema
circulatório
o Veias incham e se rompem, normalmente nas pernas;
o Normalmente é resultado de pernas cruzadas ou ficar em pé diariamente por longo período de tempo.
o Nas mulheres, pressão nas grandes veias na área pélvica durante a gravidez pode causar veias varicosas.
o Pressão contraria extensiva na veia pode causar dilatação e perda da elasticidade das veias a ponto de tornar
as válvulas ineficazes.
o O peso do sangue distende as veias ainda mais e mais válvulas ficam defeituosas.
o Quando as veias são anormalmente dilatadas devido a grande pressão contrária, elas se rompem e são
chamadas veias varicosas.
o O sangue então se acumula nas partes dilatadas da veia..
o Se o fluxo sanguíneo é obstruído, coágulos podem ocorrer.
o Tornam-se azuladas, protuberantes, espessas, distendendo veias superficiais normalmente na parte inferior
das pernas.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 91


Massagem
Toque Curador
o Use cautela perto de pequenos agrupamentos avermelhados de vasos rompidos que geralmente circundam
uma pequena veia protuberante.
o Massagem profunda nessas regiões pode desprender um coágulo na circulação geral e causar sérios
problemas.

• Flebite – Inflamação de uma veia acompanhada de dor e inchaço.


o Pode ser resultante de cirurgias, secundária a alguma infecção ou lesão, ou não ter causa aparente.

• Aneurisma – dilatação localizada de um vaso sanguíneo ou artéria.


o Pode ser causado por arteriosclerose, hipertensão ou trauma e geralmente é localizado na aorta, tórax e
abdômen e às vezes no crânio.

• Hematoma – é uma massa de sangue preso em algum tecido ou cavidade do corpo.


o É resultante de hemorragia interna. Ex: contusão ou batida.
o Contusões normalmente ocorrem como resultado de uma pancada que é forte o suficiente para romper um
vaso sanguíneo.
o Sangue extravasado deixa coloração roxa ou azul no local.
o O sangue coagula rapidamente; e com o tempo, o corpo reabsorve resíduos celulares.
o A contusão muda de cor para esverdeado e amarelado e desaparece eventualmente.
o Nos casos agudos a massagem é contraindicada por haver a possibilidade de lesionar novamente o tecido.
o Uma vez que a contusão mudou de coloração, massagem leve ajuda a melhorar a circulação na área; ajuda
na cura.

• Edema – acúmulo excessivo de líquido no espaço intersticial (entre partes de tecidos); é uma anormalidade
circulatória.
o Aparece como inchaço nas extremidades; algumas vezes mais disseminado.
o Massagem e exercício leve podem ser úteis se o edema for resultante de aumento de pressão contraria dos
membros inferiores decorrente de imobilidade.

Regiões perigosas (áreas de precaução) Ao massagear uma região perigosa evite a área ou aplique pressão leve.

• Lugares nas quais nervos ou vasos sanguíneos estão próximos à superfície da pele (olhos, nervo facial, nódulos
linfáticos, região das axilas, etc.)
• Áreas que contém projeções ósseas que podem se quebrar com a pressão (processo xifoide)
• Órgãos frouxamente suspensos (rins)

Precauções:
• Idosos frágeis:
o Podem ter ossos frágeis e pele muito sensível;
o Realize uma massagem suave, se necessário.

• Escoliose – desvio (lateral) ou deformação natural da coluna vertebral


o Massagem pode ser recomendada pelo médico responsável;
o Seja cuidadoso.

Condições ou doença específica:


• Em caso de asma severa, diabetes ou qualquer tipo de doença cardíaca ou pulmonar. A massagem não deve ser
aplicada sem o conhecimento e conselho de um médico.

92 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador

Capítulo 5 – Manobras Básicas de Massagem


Visão Geral das Manobras da Massagem Sueca
• Essas manobras podem ser realizadas em qualquer combinação nas diferentes partes do corpo.
• O terapeuta deve entender o movimento a ser aplicado em uma parte determinada do corpo. Por exemplo:
• Movimentos leves são aplicados sobre as partes de tecido fino ou sobre regiões ossudas.
• Movimentos pesados são indicados para tecidos densos (grossos) e regiões carnudas.
• Movimentos gentis são aplicados com um ritmo lento.
• Movimentos vigorosos são aplicados com ritmo rápido e estimulante.

Ao aplicar os movimentos o terapeuta deve prestar atenção à reação em geral do cliente assim como a reação de cada
parte do tecido do corpo que está recebendo a massagem e ajustar a aplicação adequadamente.

Uma regra importante na massagem sueca é que a maior parte dos movimentos é realizada em sentido ao coração
(centrípeta). Muitas técnicas de massagem buscam aumentar o fluxo de sangue venoso e linfa e, portanto são
realizadas em direção ao coração e outros órgãos de eliminação. Somente massagens suaves que não afetam o fluxo
dos fluidos podem ter direção contrária ao coração.

A duração do tratamento deve ser regulada. Normalmente a terapia de massagem corporal completa leva cerca de
uma hora, mas dependendo do terapeuta pode demorar mais ou menos tempo. Uma massagem prolongada pode ser
cansativa para alguns clientes. Enquanto está aprendendo, o estudante pode levar até um máximo de duas horas. É
necessário prática para que os movimentos se tornem suaves e eficientes. Conhecimento e experiência ajudarão a
regular a massagem com base nas necessidades do paciente.
1. Toque
Essa é a primeira técnica que você utilizará para desenvolver uma relação terapêutica com o seu cliente. Este é o
principal meio de comunicação usado pelo massagista.

Toque suave ou superficial é um contato proposital no qual o peso natural e uniformemente distribuído do dedo,
dedos ou mão do terapeuta é aplicado sobre uma determinada área do corpo do paciente. O toque pode ser
notavelmente eficaz na redução de dor ao reduzir a pressão sanguínea, controle de irritabilidade nervosa, ou conforto
para um cliente nervoso e tenso. Se a pessoa apresenta sinais de contraindicação para uma massagem básica, ou está
em condição frágil, um tratamento completo usando exclusivamente o toque suave é aceitável.

Toque profundo utilizando pressão é realizado por meio de um dedo, o polegar, vários dedos ou a mão inteira,
juntas dos dedos ou cotovelo. É usada quando se deseja efeitos calmantes, relaxantes, estimulantes. Pressão profunda
pode ser utilizada com outras técnicas, como a fricção transversal, compressão ou vibração. Pressão profunda é útil
no alívio de cãibras musculares e dor em áreas reflexas, na terapia de pontos de estresse, e pontos de inserção do
músculo. Ao usar a pressão profunda, é preciso ter atenção ao limite de tolerância à dor do paciente. *Mecânica
corporal é usada de tal maneira que a “pressão” é aplicada através de movimento corporal ao invés de usar
simplesmente a força da mão ou da parte superior do corpo.

2. Movimentos de Deslizamento (Efleurage)


Este movimento pode ser realizado usando uma quantidade variada de pressão e extensão de movimentos. Esse
deslizamento pode ser realizado sobre o corpo todo do paciente, parte do corpo ou área específica.

Movimentos pluma: use pressão bem leve das pontas dos dedos ou mãos com movimentos longos e fluidos. A
aplicação do movimento pluma, às vezes denominada “movimentos do nervo”, é normalmente realizada do centro
para fora e é usada como movimento final para áreas individuais do corpo. Dois ou três desses movimentos levarão a
uma leve estimulação dos nervos, enquanto que muitas repetições terão um efeito mais sedativo.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 93


Massagem
Toque Curador
Deslizamento ou efleurage: é a sucessão de movimentos aplicada através do deslizamento sobre uma porção
extensiva do corpo. Existem duas variedades de deslizamento: superficial e profundo. Essas técnicas são realizadas
ou pelos dedos, polegares, palma das mãos, juntas dos dedos ou antebraço.
3. Movimentos de Amassamento (Petrissagem)
É usado em áreas de tecido mole do corpo. Assim como o deslizamento, o amassamento aumenta o movimento dos
fluidos nos tecidos profundos. Se habilmente aplicado, o amassamento ajuda a reduzir adesões alonga fáscia
muscular. Nesse movimento, a pele e o tecido muscular são elevados de sua posição normal e então apertados,
rolados ou pinçados com uma pressão firme em movimentos circulares.

Levantamento de pele: é uma técnica de amassamento em que o terapeuta tenta agarrar o tecido e gentilmente
erguer e espalhar, como que fazendo mais espaço entre o tecido e as fibras musculares. A parte carnuda do corpo é
juntada entre as duas mãos, depois levantada e gentilmente separada pelos polegares.

Rolamento de pele: é uma variação do amassamento na qual somente a pele e o tecido subcutâneo são levantados
pelos polegares e dedos e rolados. Rolar a pele aquece, alonga e começa a separar adesões entre a bainha fascial;
esse movimento, em particular, é excelente para eliminar isquemia da pele. Não use óleos ou cremes para essa
técnica. Levante um rolo de pele entre os polegares e os dedos. Continue a levantar mais com os dedos progredindo
lentamente pela superfície do corpo. O polegar apoia o rolo de pele e lentamente desliza para os lados conforme mais
pele é levantada pelos dedos.

4. Fricção
Envolve o movimento de camadas mais superficiais do tecido mole contra os tecidos mais profundos. A fricção
pressiona uma camada de tecido contra outra para achatar, ampliar ou alongar o tecido. A fricção é feita de tal
maneira que também aumenta o calor. Conforme o calor aumenta a taxa metabólica aumenta. A fricção aumenta
também o índice de trocas que acontecem entre as células e o fluído intersticial (fluído situado entre as células e os
vasos sanguíneos no tecido de órgão ou parte do corpo). O aporte de calor e energia também afeta o tecido
conjuntivo em volta dos músculos, tornando-os mais flexíveis para que funcionam mais eficazmente. A fricção pode
ser realizada em movimentos circulares ou direcionais.

Fricção circular: os dedos ou a palma da mão tocam a pele e movem-na circularmente sobre os tecidos profundos.
Esse movimento tem o objetivo de produzir calor, alongar, e amaciar a fáscia. Ele é usado como um movimento
geral para aquecer a área em preparo para um trabalho mais específico ou profundo. A fricção circular, também, é
importante ao apalpar uma área para avaliação da condição dos tecidos mais profundos.

Fricção transversal (entre as fibras): é aplicada em direção transversal sobre as fibras do músculo, tendão ou
ligamento. É normalmente aplicada com as pontas dos dedos ou com o polegar diretamente no lugar específico da
lesão. A intenção da fricção transversal é alargar, separar e alinhar as fibras do tecido. Ao massagear um feixe de
fibras, esse movimento de fricção não é tão amplo que quebre ao longo das fibras. Os dedos não se movem sobre a
pele, mas movem a pele e tecidos superficiais ao longo do ponto do tecido a ser atingido.

Compressão: caracterizada por movimentos rítmicos de pressão direcionados ao tecido do músculo usando as mãos
ou dedos.

Compressão palmar: é realizada com toda a mão (lado da palma) ou com a parte inferior da palma da mão sobre
grande área do corpo. Movimentos de compressão causam maior circulação e hiperemia prolongada no tecido.

Rolamento: é um movimento rápido para frente e para trás com as mãos, no qual o tecido mole é sacudido e rolado.
A intenção do rolamento é aquecer e relaxar o tecido, e incentivar o relaxamento profundo do músculo.

Balanço (para cima e para baixo): é realizado segurando firmemente o tecido mole com uma ou ambas as mãos e
movimentando-o para cima e para baixo ao longo dos ossos.

94 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador
Torção: é um movimento para frente e para trás no qual, ambas as mãos do terapeuta são posicionadas próximas
uma da outra do lado do membro. O movimento lembra o torcer de roupas. As mãos trabalham em direções opostas
alongando e retorcendo os tecidos moles contra os ossos em direções opostas. A pressão não é excessiva a ponto de
beliscar ou queimar (irritar) a pele. Torção gentil causa aquecimento e alongamento da fáscia conectiva.

Sacudimento: é um movimento que permite que o cliente alivie a tensão e ao mesmo tempo indica ao terapeuta onde
o cliente armazena tensão no corpo. A parte do corpo relaxada é gentilmente, porém firmemente sacudida lateral ou
horizontalmente de forma que o tecido mole se mova solto ao redor do osso. O terapeuta observa onde o tecido mole
se movimenta livremente e onde está rígido. A rigidez indica áreas do corpo que estão tensas e requerem maior
atenção.

Vibração: é um movimento de sacudidura ou tremor contínuo transmitido pelas mãos ou braços do terapeuta ou de
um aparelho especifico elétrico a uma área determinada do corpo. A vibração normalmente é feita com a superfície
palmar da ponta dos dedos ou palma das mãos. O contato suave é feito e a mão é vibrada para frente e para trás o
mais rápido possível sem se mover sobre a pele onde o contato é feito. O efeito dessa técnica depende do índice de
vibração, da intensidade da pressão, e da duração do tratamento. Essa forma de massagem é confortante e produz um
relaxamento e alívio de tensão quando aplicada suavemente. É estimulante quando aplicada com pressão. Um efeito
anestético é alcançado quando as vibrações são aplicadas por um período de tempo prolongado.

4. Movimentos de Percussão (Tapotagem)


Inclui manobras de toques rápidos, tais como batidas, tapinhas e golpes, que são altamente estimulantes para o corpo.
Os movimentos de percussão são realizados com ambas as mãos simultânea ou alternadamente. Não é necessária
muita força, pois cada batida deve ser um rápido contato de modo que os pulsos do terapeuta permaneçam bem
relaxados. Os efeitos gerais da percussão são tonificar os músculos e comunicar um aquecimento saudável à parte
massageada. Com cada toque, o músculo primeiro contrai e depois relaxa conforme os dedos são removidos do
corpo. Dessa maneira, os músculos são tonificados.

Pancadinhas: é a técnica mais superficial e suave das percussões. É usada em áreas delicadas e sensíveis como o
rosto. Apenas as pontas dos dedos são usadas.

Dar Tapas (Palmadas): é muito estimulante e deve ser usada com moderação. Aumenta a circulação periférica
criando um aquecimento na área. É aplicado com a superfície palmar dos dedos e das mãos. Não se deve fazer
grande pressão.

Tapotagem (Mão de concha): é normalmente empregada na caixa torácica. Para realizar a tapoagem, é preciso
manter os dedos juntos e levemente flexionados fazendo uma concha com a palma das mãos. O polegar deve ficar
encostado na palma da mão. Somente as bordas da “concha” formada pelas mãos, deve tocar a superfície
massageada. O som dessa massagem se parece a uma batida em uma cavidade oca.

Golpes Cortantes: aumenta o relaxamento e a circulação local. Algumas teorias dizem que esse movimento
estimula reações nervosas nos músculos e ajuda a firmá-los. Esse é um movimento rápido que pode ser realizado
com uma ou ambas as mãos. Quando usar ambas as mãos, elas devem bater alternadamente ou juntas. Se faz batidas
rápidas é feita com o lado externo da mão (dedo mínimo e região ulnar). O pulso e os dedos permanecem soltos e
relaxados e os dedos ficam levemente separados.

Batida: é a forma de percussão mais pesada e profunda, e é realizada sobre áreas do corpo que são mais compactas,
densas e ricas em tecido mole. As mãos são mantidas com punho fechado relaxado. O contato é realizado com ambas
as mãos, juntas ou alternadamente. Os punhos estão relaxados, logo o contato é resultante de uma ação repercutidora
(tipo bola batendo no chão) com mãos e punho. A força nunca deve ser pesada ou dura, mas firme e rápida.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 95


Massagem
Toque Curador
6. Movimentos das Articulações
As classificações básicas dos movimentos das articulações são: passivos e ativos. Movimentos passivos das
articulações (MPA) são realizados enquanto o cliente permanece relaxado e inativo e permite que o terapeuta alongue e
mova a parte do corpo a ser exercitada. Os movimentos passivos das articulações podem ser usados como instrumento
para avaliar e determinar o movimento normal (ADM sem dor ou restrição). Os MPA gentilmente alongam o tecido
fibroso e movem as juntas por toda sua amplitude de movimento. Eles são usados terapeuticamente para aumentar a
mobilidade das articulações e amplitude de movimentos. Movimentos ativos das articulações (MAA) são realizados
com o cliente participando ativamente do exercício pela contração dos músculos envolvidos no movimento. Esse tipo de
tratamento é usado normalmente como uma técnica terapêutica para restaurar mobilidade, flexibilidade ou força de um
membro lesionado. (Em particular, movimentos ativo-resistivos das articulações).
Para ser mais efetivo, o movimento das articulações deve ser aplicado por toda a amplitude de movimento ADM.
ADM = Amplitude de Movimento, que é o movimento de uma junta de um extremo da articulação ao outro. Os
movimentos das articulações têm um grande benefício terapêutico assim como ferramenta na avaliação e como
tratamento para aumentar a função e mobilidade.

96 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Massagem
Toque Curador

Capítulo 6 – Massagem das Costas


• Passos preliminares:
o Obter tudo o que for necessário, e deixar arrumado.
o Realizar uma consulta avaliando as necessidades do cliente e as contraindicações.
o Verificar que o cliente tem tudo que é necessário para preparar para a massagem.

• Preparação do terapeuta para a massagem:


o Lavar as mãos e passar antisséptico.
o Auxiliar o cliente a se acomodar na maca.
o Cobrir o corpo do cliente com lençol ou toalha.
o Orar.

Rolamento da pele: ajunte uma porção da pele entre os polegares e dos dedos e avance adiante lentamente aplicando
pressão entre os dedos e os polegares.
Movimento de borboleta: posicione-se na cabeceira da maca com as mãos descansando em qualquer um dos lados da
espinha dorsal. Deslize as mãos até o topo do pescoço aplicando pressão leve sobre a região occipital. Desça pelo
pescoço e ombros, gire sobre os músculos deltoides, sobre a escápula, e desça pelo meio das costas, e inclua
movimentos em leque na região inferior das costas, retornando suavemente à área do pescoço. Pode incluir uma tração
leve na região inferior das costas durante a sequência.
Compressão dos músculos eretores: posicione-se na cabeceira da maca e coloque os polegares em ambos os lados da
espinha dorsal. Aplique pressão, e lentamente deslize os polegares descendo pelos músculos eretores até chegar à região
sacral, então volte com as mãos lentamente para a região do pescoço e repita.
Deslizamento intercostal: do lado oposto da maca, deslize com a polpa dos dedos ao longo dos espaços intercostais
movimentando e tracionando. Pode-se usar uma mão após a outra em sequência.
Petrissagem: Use movimentos de amassamento sobre todas as costas, na região dos ombros atrás do pescoço.
Alívio da escápula: posicione gentilmente o antebraço do cliente cruzando a região lombar, e coloque sua mão por
baixo do mesmo ombro de modo que possa ser elevado para expor ainda mais a escápula. Utilize deslizamento de gentil
a profundo para aquecer o tecido abaixo da escápula.
Manobras com o antebraço: posicione-se ao lado do cliente, deslize com seu antebraço costa acima. Use seu cotovelo
como pivô seguindo pelo lado médio da escápula. Aplique pressão apoiando-se levemente sobre o braço que está
trabalhando.
Torcedura: Consiste em movimentos completos de torção horizontal transversais às fibras musculares movendo para
cima e para baixo por toda região das costas. O terapeuta deve ficar em pé ao lado da maca.
Pressão Sacral com os Punhos: aplique pressão leve, porém firme com as palmas das mãos a um dos lados da espinha
dorsal sobre a região sacral. Deslize lentamente com pressão contínua para as laterais longe da espinha ao longo do
sacro. Volte puxando a pele para cima em direção ao sacro.
Movimento Circular: permaneça em pé ao lado da maca virado em direção à cabeça do cliente, coloque suas mãos em
um dos lados da espinha e deslize com as palmas das mãos em movimentos semi circulares para cima e para fora como
um leque. Continue movendo para a parte superior das costas trabalhando em apenas uma parte das costas por vez
conforme for subindo. Pode usar manobras mais largas e longas para cobrir as costas inteira mais rapidamente, ou fique
em pé perto da cabeça do cliente, e comece na parte superior das costas.
Tapotagem: pode usar movimentos com a palma das mãos em conchas pressionando ou tapotando os ombros e a parte
superior das costas. Evitar a coluna espinhal e as áreas dos rins. A tapotagem é benéfica para desprender secreções dos
pulmões congestionados.
Movimentos nervosos: deslizamentos leves e constantes com a ponta dos dedos começando na parte inferior das costas,
indo em direção à cabeça.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 97


Massagem
Toque Curador

Capítulo 7 – Massagem de 5 Minutos na Cadeira


Massagem da Expo-Saúde

O Procedimento
O paciente deve remover toda a roupa extra, como jaqueta, suéter, paletó e gravata. Assente-o onde possa sentir-se
confortável, preferivelmente em uma cadeira onde a cabeça e as parte superior das costas fiquem facilmente acessíveis.
Ambos os pés devem estar firmes no chão. Se possível, a cabeça deve ser apoiada por algum tipo de apoio facial.

1. Deslizamento por toda superfície das costas (5 vezes).


Comece ficando de pé atrás da pessoa, colocando as suas mãos sobre os ombros. Incline o seu corpo
para frente e comprima firme, mas gentilmente, deslizando as mãos sobre as costas inteiras (sendo
cuidadoso para não puxar a blusa ou camisa). Isto aquece os músculos e introduz o paciente ao seu
toque.

2. Deslizamento sobre os ombros e pescoço.


Com uma mão sobre cada ombro, faça amassamento da nuca, movendo as mãos lateralmente para
os ombros e de volta. Este movimento é semelhante a amassar pão.

3. Fricção com a palma da mão.


Depois, usando a parte inferior da palma da mão, faça movimentos circulares ao longo da espinha de
baixo para cima. Trabalhe primeiramente de um lado, depois do outro e repita.

4. Fricção digital
Com o polegar em um lado do pescoço e os dedos indicador e mediano do outro, esfregue os
músculos do pescoço com um movimento circular (fricção). Massageie da base do crânio para a
base do pescoço.

5. Percussão posterior (Tapotamento)

Agora, usando os lados das mãos e com os dedos estendidos e unidos, golpeie as costas em um dos
lados da espinha, e sobre os ombros e pescoço.

6. Vibração Nervosa
A rotina é concluída com as extremidades dos dedos produzindo vibrações em toda extensão das
costas, ombros e pescoço.

Alguns pontos importantes que você deve se lembrar:


• Uma vez que você toca a pessoa, não remova suas mãos até que a massagem seja concluída.
• Em todas as manobras, mantenha o mesmo ritmo e pressão.
• Seja amigável e sociável, mas cuide para não conversar demais.
• Esteja alerta para a linguagem corporal da pessoa.
• Pergunte à pessoa várias vezes durante a massagem se o nível de pressão é confortável.
98 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Massagem
Toque Curador

Capítulo 8 – Exercícios de Alongamento


O alongamento pode melhorar o fluxo sanguíneo para os músculos, melhorar a flexibilidade, e diminuir o risco de
ferimentos relacionados a atividades.1

Orientações gerais sobre alongamento:


• Antes de se alongar, aqueça os músculos com uma atividade leve (caminhada, corrida lenta, bicicleta) por 5 a
10 minutos;
• Alongue o músculo completamente, mas não até sentir dor;
• Expire durante o alongamento;
• Não prenda a respiração;
• Mantenha a posição por 10-30 segundos;
• Chacoalhar os membros entre alongamentos;
• Faça o alongamento 3-4 vezes antes de mudar para o próximo.
• Faça alongamento regularmente – 2 a 3 vezes por semana

Exercícios de Flexibilidade dos Membros Inferiores

No. 1 – Alongamento dos Glúteos


Sentado no chão com a perna direita flexionada, coloque o pé direito por cima da perna
esquerda. Coloque o braço esquerdo por cima da perna direita para que o cotovelo seja usado
para empurrar o joelho direito. Segure e repita do outro lado.

No. 2 – Alongamento Adutor


Fique em pé com as pernas abertas o máximo que conseguir confortavelmente. Coloque o peso do
corpo em um lado conforme o joelho se flexiona. Toque no pé estendido e segure. Repetir o mesmo
do outro lado.

No. 3 – Alongamento do Músculo da Coxa


Estique a perna para frente e flexione a outra perna de modo que seu pé encoste completamente na
parte interior da coxa. Incline a corpo para frente, da cintura para cima, mantendo a coluna reta. Segure
e repita com a outra perna.

No. 4 – Quadríceps
Em pé sobre uma perna, agarre a outra (acima do tornozelo). Puxe o calcanhar em direção so glúteo e
empurre o quadril para frente. Sua coxa deve estar perpendicular (vertical) ao chão. Segure e repita com a
outra perna.

1 http://www.mayoclinic.com/health/stretching/HQ01447
2 http://www.sport-fitness-advisor.com/flexibility-exercises.html

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 99


Massagem
Toque Curador
No. 5 – Panturrilha
Coloque um pé na frente do outro a cerca de 45cm de distância. Mantenha a perna de trás reta com o
calcanhar no chão. Empurre contra uma parede para aumentar o alongamento. Segure e repita com a outra
perna.

Exercícios de Flexibilidade dos Membros Superiores

No. 1 – Ombro e Tórax


Este pode ser feito em pé ou ajoelhado. Junte as mãos atrás das costas e estique os braços. Eleve
as mãos o mais alto possível e incline-se para frente, da cintura para cima, e mantenha a posição.

No. 2 – Braço Atravessado o Tórax


Coloque um braço esticado atravessando o tórax. Coloque a mão no cotovelo e pressione o braço na
direção do tórax e segure. Repita com o outro braço.

No. 3 – Alongamento de Tríceps


Coloque uma mão atrás das costas com o cotovelo para cima. Coloque a outra mão no cotovelo e
gentilmente puxe na direção da cabeça. Segure e repita com o outro braço.

Informações adaptadas de: www.sport-fitness-advisor.com/flexibility-exercises.html

100 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

CONTEÚDO
Capítulo 1 - A Obra Médico Missionária ................................................................................................. 101
Capítulo 2 - Introdução à Expo Saúde ..................................................................................................... 102
Expo Saúde: Um Programa Oportuno .................................................................................................................. 102
1. Expo Saúde: o Início do “Ciclo de Amizade” .................................................................................................. 103
2. Expo Saúde Seguida por Reuniões Evangelísticas ...................................................................................... 105
3. Eventos de Um Dia ................................................................................................................................................. 106
Capítulo 3 - Equipamento e Voluntários ................................................................................................ 109
O Programa Básico ..................................................................................................................................................... 109
O Programa Plus ......................................................................................................................................................... 110
Capítulo 4 - Banners da Expo Saúde ........................................................................................................ 111
Capítulo 5 - Modelos de Pôsteres e Folhetos ........................................................................................ 112


Capítulo 1 - A Obra Médico Missionária
Medicina e Salvação, p. 239. “A obra médico-missionária traz à humanidade o evangelho de libertação do sofrimento.
É a obra pioneira do evangelho. É o evangelho praticado, a compaixão de Cristo revelada. Há grande necessidade desta
obra, e o mundo está aberto para ela. Deus queira que a importância da obra médico-missionária seja compreendida, e
que novos campos possam ser imediatamente penetrados.”
Medicina e Salvação, p. 24. “A verdadeira obra médico-missionária é de origem celeste. Ela não foi originada por
qualquer pessoa que vive. Mas vemos tanta coisa que desonra a Deus relacionada com essa obra, que sou instruída a
dizer: A obra médico-missionária é de origem divina, e tem uma missão muito gloriosa a cumprir. Em todos os seus
propósitos deve ela estar em conformidade com a obra de Cristo. Os que são cooperadores de Deus representarão tão
certamente o caráter de Cristo como Cristo representou o caráter de Seu Pai enquanto esteve neste mundo.”
Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 59. “A obra médico-missionária é o braço direito do evangelho. Ela é indispensável
ao avanço da causa de Deus. Quando por meio dela os homens e mulheres forem levados a ver a importância dos
hábitos corretos de vida, o poder salvador da verdade se tornará conhecido. Cada cidade deve ser atingida por obreiros
instruídos para realizarem a obra médico-missionária. Como braço direito da mensagem do terceiro anjo, os métodos
divinos de tratamento das doenças abrirão portas para a entrada da verdade presente.”
Conselhos Sobre Saúde, p. 538. “Nossos obreiros médico-missionários devem mostrar agora o mais claro exemplo de
altruísmo. Com o conhecimento e a experiência obtidos por meio do trabalho prático, devem sair a dar tratamento aos
doentes. Ao irem de casa em casa, encontrarão acesso a muitos corações. Muitos que de outra maneira jamais teriam
ouvido a mensagem do evangelho, serão alcançados.”
Parábolas de Jesus, p. 233, 234. “Os servos de Cristo devem seguir-Lhe o exemplo. Andando de lugar em lugar,
consolava Ele os sofredores e curava os enfermos. Apresentava-lhes, então, as grandes verdades sobre Seu reino. Esta é
a obra de Seus seguidores. Aliviando os sofrimentos do corpo, achareis caminho para socorrer as necessidades da alma.
Podereis apontar ao Salvador exaltado, e contar do amor do grande Médico, que, unicamente, tem o poder de restaurar.”
Testemunhos para a Igreja, v. 9, p. 167. “Por conseguinte, a obra médico-missionária deve ser levada avante com mais
zelo do que jamais o foi. Essa obra é a porta pela qual a verdade consegue entrada nas grandes cidades.”
Testemunhos para a Igreja, v. 6, p. 113. “Em toda cidade onde temos uma igreja, há necessidade de um lugar no qual se
possa aplicar tratamentos. Deve-se prover um lugar no qual se possam tratar as doenças comuns. A construção pode ser
pouco atrativa e mesmo rude, mas deve proporcionar as condições necessárias para a aplicação de tratamentos simples”
Ciência do Bom Viver, p. 147. “Todo obreiro evangélico deve sentir que o instruir o povo quanto aos princípios do
viver saudável é uma parte do trabalho que lhe é designado. Grande é a necessidade dessa obra, e o mundo está aberto
para ela.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 101


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

Capítulo 2 - Introdução à Expo Saúde


A Expo Saúde é uma maneira positiva de atender ao sofrimento humano nesta era de aumento de conhecimento e
tecnologia. Todos os dias, testemunhamos um aumento no número de mortes diretamente relacionadas a estilos de vida
insalubres. A maior parte dessas mortes prematuras poderia ter sido evitada, e a qualidade de vida melhorada, se simples
mudanças de estilo de vida fossem adotadas.
Muitos buscam um significado para a vida, mas com crescente ceticismo a todas a formas tradicionais de
religiosidade. Este cepticismo muitas vezes leva a uma atitude de autoproteção, livrando a pessoa da angústia de
soluções sem sentido, mas ao mesmo tempo, reduzindo as chances de interação com aqueles que podem levar a
mensagem do amor de Deus. Jesus revelou Seu método para alcançar aos necessitados. Ele dedicou muito do Seu tempo
ao cuidado das necessidades físicas e emocionais das pessoas, e ao fazer isso obteve acesso a seus corações. Séculos
mais tarde, Deus nos advertiu que somente Seus métodos teriam êxito duradouro. Disse também que a obra médico-
missionária quebraria o preconceito e seria a mão direita do evangelho para concluir a obra na terra.

O exemplo de Cristo nos mostra cinco passo para um ministério eficiente:


1. Misturar-se com aqueles que queremos ajudar;
2. Familiarizar-se com as suas necessidades e demonstrar um interesse genuíno por eles;
3. Procurar maneiras de ajudar;
4. Manter sua amizade e confiança;
5. Convidá-los a conhecer a Palavra de Deus.
Com isso em mente, cremos que o conceito da Expo-Saúde corresponde à comissão do evangelho.
A ciência apoia os princípios de saúde promovidos na Expo Saúde e pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. Isto é
importante numa época em que a medicina é baseada em evidência. Os organizadores e participantes desse programa
são encorajados a basear seus conselhos e atividades em sólidos princípios de saúde e evidência científica.
O Weimar Institute, Wildwood Lifestyle Center and Hospital e o H.E.R. (Healh Education Resources)
desenvolveram o conceito da Expo Saúde ao longo dos anos. Estas organizações têm conduzido com êxito, inúmeros
eventos de Expo Saúde ao redor do mundo.

Expo Saúde: Um Programa Oportuno

Promovendo um Estilo de Vida Saudável


Governos ao redor do mundo têm se tornado cada vez mais ativos em combater fatores de risco das causa de morte
mais comuns. Doenças cardiovasculares, câncer e diabetes são as causas mais comuns de morte em nações
desenvolvidas, mas sua importância está aumentando rapidamente em países em desenvolvimento. Doenças
transmissíveis é a principal causa de morte nos países em desenvolvimento. Deste grupo, a HIV/AIDS é também um
grande problema em países desenvolvidos. Outros problemas médicos, tais como ansiedade e depressão, estão tornando-
se cada vez mais comuns e podem estar indiretamente relacionados a aumento em risco de morte, redução de qualidade
de vida e interferência nas relações interpessoais.
Existem oito principais fatores relacionados à prevenção de doença e à saúde física, emocional e espiritual. Esses
fatores são: nutrição exercício, água, luz solar, temperança, ar puro, descanso e confiança no poder divino. Cada fator é
trabalhado detalhadamente na Expo Saúde, usando uma combinação de banners de saúde com informação médica atual,
testes médicos e aconselhamento sobre saúde.
A maioria dos sistemas de saúde enfrenta problemas com restrições de orçamento na área de medicina preventiva,
devido à alta prioridade de serviços curativos para suprir as necessidades imediatas. Como resultado, há poucos
profissionais de saúde trabalhando na área de medicina preventiva, deixando outros com pouco tempo e conhecimento
para educar pacientes sobre quanto a hábitos saudáveis de vida.
A Expo Saúde envolve profissionais de saúde e voluntários leigos da comunidade, que estão interessados em vida
saudável. Os voluntários recebem um breve treinamento sobre os princípios de um estilo de vida saudável e as
diferentes atividades oferecidas em uma Expo Saúde.

102 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”
Acredita-se que se as comunidades adotassem os princípios de saúde promovidos na Expo Saúde, o índice de
mortalidade por câncer e doenças cardiovasculares, por exemplo, poderia cair até 60-70% e 70-80%, respectivamente. A
longevidade poderia aumentar em 6 a 12 anos, com melhor qualidade de vida. Os custos médicos seriam grandemente
reduzidos e as pessoas poderiam viver melhor e com mais saúde.

Expo Saúde: Que Abordagem?


Jesus ansiava por compartilhar com as pessoas as bênçãos do bem estar físico bem como a solução para suas
necessidades emocionais e espirituais. Muitos, no entanto, não aceitaram Sua oferta de uma nova vida e foram embora
tendo sido ajudados apenas fisicamente. Isto não impediu Jesus de continuar a ajudar as pessoas. Do mesmo modo,
nosso trabalho na Expo Saúde deve ser motivado pelo desejo de compartilhar não apenas os benefícios físicos de um
estilo de vida saudável, mas também o conhecimento de Deus, a fonte da saúde total. Assim como Jesus, devemos ser
sensíveis às necessidades das pessoas, respeitar suas opiniões e nunca forçar conhecimento religioso sobre eles.
Com isso em mente, existem várias maneiras diferentes, porém eficazes para se usar a Expo Saúde dependendo das
sensibilidades culturais e da quantidade de tempo disponível. Elas são:

1. Construir amizades e confiança através do “ciclo de amizade” ao longo dos meses.


2. Uma abordagem direta, para culturas mais abertas, a conceitos espirituais e físicos misturados desde o princípio.
3. Conduzir programas ou eventos curtos de um dia.

1. Expo Saúde: o Início do “Ciclo de Amizade”

A Expo Saúde é uma oportunidade para entrar em contato com muitas pessoas com problemas. Muitas receberão
benefícios imediatos ao colocarem em prática o que aprenderam na Expo Saúde, mas para outras a Expo poderá ser o
início de um processo ou “Ciclo de Amizade” que poderá levá-las a assistir outros seminários relacionados à
saúde/família que por sua vez as conduzirão a Deus.

A Expo Saúde pode ser organizada como a primeira de uma série de programas que lidarão com vários aspectos de
saúde.

Expo Aula de Seminário Outros Saúde


Saúde Culinária sobre Estresse Seminários Espiritual
s

Com isso em mente, antes de começar a Expo Saúde, é importante fazer estratégias e planos específicos para
reuniões de seguimento e divulgá-los durante a Expo. Aulas de culinária, Programas para Deixar de Fumar,
Gerenciamento de Estresse e Controle de Peso são algumas opções boas. Depois de um ou dois desses seminários, pode-
se fazer uma transição para seminários que lidem com aspectos da saúde mental/emocional (como Gerenciamento de
Estresse ou Recuperação de Depressão). É importante ter em mente que em todos os seminários devemos lidar
gentilmente com o público, introduzindo conceitos espirituais de maneira lenta e natural e integrando-os às
apresentações. Por exemplo, podemos incluir no curso de culinária, uma pequena palestra sobre assuntos como: atitude
positiva, confiança e perdão, relacionando-os à saúde física e mental. Introduzindo conceitos espirituais deste modo
ajudará a despertar maior interesse quando for realizada a transição para a segunda fase das reuniões com foco na área
mental/emocional.
Esses seminários proporcionam uma oportunidade para falar de temas espirituais mais abertamente. Com o tempo,
este procedimento conduzirá gradualmente ao desenvolvimento de estudos bíblicos pessoais ou contatos sólidos para
encontros espirituais. Não se deve deixar passar muito tempo entre a Expo e o primeiro seminário. Outros seminários
também devem ser conduzidos a cada 4-6 semanas, para manter o interesse e tratar das necessidades das pessoas quando
elas precisarem de ajuda.
Os benefícios deste método são muitos. Ele derruba preconceitos, permitindo que haja tempo para construir
relacionamentos e o público chega a conhecer os voluntários adventistas como pessoas que se preocupam genuinamente
com os outros. Este método requer certo grau de esforço perseverante. O fator chave para o sucesso é o uso adequado e

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 103


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

o seguimento com os cartões de interessados coletados na Expo Saúde. Eles devem ser preenchidos devidamente e
coletados nos estándes, especialmente o Questionário de Idade Biológica durante as palestras de saúde a cada noite. Se
você estiver dando palestras de saúde toda noite com a expo, anuncie durante as palestras os futuros seminários que
serão oferecidos.

Seminários de Saúde com a Expo

Seminários de saúde frequentemente são conduzidos juntamente com a Expo Saúde. Seminários aumentam o
interesse do público e proveem uma oportunidade de apresentar a informação de saúde em detalhe e aumentar ainda
mais a confiança e os contatos.
Seminários sobre assuntos de medicina preventiva, remédios naturais e aulas de culinária estão entre os mais
populares. Estes seminários têm aproximadamente uma hora de duração. Os assuntos mais apresentados são: Como
Evitar um Ataque de Coração, Como Evitar Câncer, Diabetes – As Chaves para o Sucesso, e Pressão Arterial. Uma boa
ideia para tornar o programa mais interessante é dividir a palestra em segmentos menores com dois ou três
apresentadores. Você pode começar com uma apresentação de 15 minutos sobre Doenças Cardíacas, seguida por uma
demonstração prática de culinária para um coração saudável (10-15 min.), e então concluir cada noite com uma série de
apresentações sobre vida familiar (como melhorar relacionamentos) ou como alcançar êxito ao fazer mudanças no estilo
de vida. Um moderador fará as transições apropriadas. Muitas pessoas apreciarão a variedade de tal programa além de
que, com palestras mais curtas será mais fácil para os palestrantes menos experientes manter o interesse do público.

Cronograma
O tempo real vai depender muito do país onde você está trabalhando e da época do ano. Cada Expo Saúde
normalmente dura de 3 a 5 noites, tipicamente inclui um final de semana. Aqui está um cronograma típico:

Horário Atividade Comentários


17:00 PM Preparação diária Dependendo do local, talvez seja necessário um tempo considerável
(se necessário) para o preparo. Em locais onde se pode deixar o ambiente preparado de
um dia para o outro, você provavelmente não precisará mais que uma
hora diária. O ideal é que o coordenador de cada estande esteja presente
neste horário.
17:45 PM Reunião de organização e Todos os voluntários devem estar presentes neste horário (com
oração camiseta/uniforme designado/crachá – o que for usado). Após a oração,
os voluntários devem dirigir-se imediatamente a seus respectivos
estandes. Cinco minutos antes da abertura o coordenador da Exposição
verifica se cada estandes está pronto.
18:00 PM Abertura dos estandes de Após verificar as estações, o coordenador autoriza os recepcionistas a
exame de saúde abrirem as portas.
19:00 PM Fechamento das portas A partir deste momento, não é admitida a entrada de visitantes às
estações de exames, mas os que já estão presentes podem permanecer.
No entanto, certifique-se de que as pessoas não presentes nas estações
de exames tenham acesso ao local de palestras.
19:20 PM Fechamento dos estandes Um anúncio é feito dez minutos antes do fechamento dos estandes de
de exame de saúde exame. Peça a todos que se dirijam ao local de palestra.
19:30 PM Palestras de saúde Durante este tempo, os voluntários poderão desarmar e limpar os
estandes de exame. Equipamentos valiosos de exame devem ser
guardados.
20:30 PM Encerramento da palestra Abra espaço para perguntas do público.
de saúde

104 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

Considerações Especiais
Um dos propósitos desta abordagem à Expo Saúde é estabelecer relacionamentos de confiança e amizade entre os
membros da igreja e o público. Por esta razão, preferimos a ideia das pessoas voltarem em várias noites para completar
todas as estações em vez de finalizar tudo em um dia. Sessões curtas de uma a uma hora e meia de duração são ideais.
Sessões mais longas, às vezes, são necessárias, mas tendem a desgastar os voluntários e aumentam a probabilidade de
um número maior de visitantes deixar o local antes de a palestra começar.
Um anúncio deve ser feito meia hora antes do encerramento dos estandes convidando os visitantes para o auditório
do seminário de saúde. Se houver uma longa fila de espera em alguma das estações de exame, calcule quantos poderão
finalizar o teste ao final de uma hora e ofereça aos excedentes a possibilidade de serem os primeiros da fila no dia
seguinte.
É importante que todas as estações estejam fechadas dentro do tempo previsto para que as pessoas se dirijam ao
local das palestras. Muitas vezes os testes de computador ficam muito ocupados perto do final. Durante o encerramento
você pode coletar os questionários preenchidos e entregar os resultados após o seminário.
Certifique-se que os estandes estejam perto do salão onde será realizada a palestra. Um saguão de entrada amplo
funciona muito bem. Quanto mais próximos estiverem os estandes de exame, mais pessoas assistirão aos seminários de
saúde. Se possível, é até melhor que os estandes estejam no mesmo local, com as cadeiras posicionadas no centro do
salão para o seminário de saúde.

2. Expo Saúde Seguida por Reuniões Evangelísticas


A Expo Saúde tem sido eficazmente usada em conexão com reuniões evangelísticas nos EUA, Europa Ocidental,
América Latina e África. Nesses países, a Expo precede as campanhas evangelísticas por 2-3 dias e reuniões
evangelísticas são realizadas simultaneamente ou após a conclusão da Expo Saúde.
Em alguns países, especialmente na Europa, pode haver uma atitude negativa quando a este método. As pessoas
podem sentir-se “enganadas” a assistir as reuniões espirituais através do programa de saúde. É muito importante
respeitar a cultura com a qual você está trabalhando.
O exemplo abaixo ilustra a abordagem mais direta. Neste caso, a Expo Saúde começa na quarta à noite (por
exemplo, das 7:00-8:00 PM no verão). Um saguão grande funciona muito bem. Quanto mais próximo do auditório de
palestra for realizada a Expo Saúde, menos pessoas você perde. Faça apenas uma hora de expo, é preferencial que as
pessoas não façam todos os exames médicos em uma noite, mas que necessitem voltar para que possamos nos
familiarizar melhor com elas. Você também pode oferecer que repitam a massagem, verifiquem novamente a pressão
arterial – nosso alvo é conhecê-los e ajudá-los a fazer a transição para a série evangelística. Após funcionar por 45
minutos, anuncie para o grupo que em apenas 15 minutos a expo será fechada e que eles podem começar a escolher bons
assentos no auditório para a palestra da noite. Durante esta hora, se você tiver outras salas e bons apresentadores, você
pode oferecem aulas sobre remédios naturais simples, aula de culinária, programa como deixar de fumar ou outros
seminários. As pessoas gostam de escolhas.
Depois, no auditório, das 20:00 às 21:15PM, apresente uma palestrar sobre um assunto do tipo “Como Sua Família
pode Ter a Melhor Saúde e Longevidade”. Na quinta-feira, repita o mesmo cronograma. A segunda palestra poderia ser
“Porque Existe Tanto Câncer e Doença Cardíaca” ou “Como Reverter a Diabetes”. Durante essa palestra você anuncia o
assunto da sexta-feira à noite, e explica que compartilhará o tempo com um palestrante de temas bíblicos, que está
enfatizando aspectos espirituais da vida saudável. Siga o mesmo cronograma na sexta-feira, Expo Saúde das19:00-20:00
PM, e então das 20:00 às 21:15 PM, começando com 10-15 minutos de Gotas de Saúde (como a série ilustrada do HER
Abundant Living), seguida pelo primeiro assunto evangelístico. É bom pedir para o evangelista ajudar na expo a cada
noite, e apresentar o palestrante de saúde a cada noite (a menos que ele esteja fazendo as duas palestras), para que o
público se familiarize com ele antes de começar à série. Seu primeiro sermão pode ter uma inclinação para a área de
saúde, como Daniel 1, “A Escolha de Dieta Que Iniciou uma Nova Carreira”.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 105


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

Exemplo: Expo Saúde/Evangelismo de Três Semanas


Horário Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
19:00- Expo e Expo e Expo e Expo e
20:00 Culinária Culinária Culinária Culinária

20:00- Palestra de Palestra de Gotas -1 Gotas -2


21:15 Saúde -1 Saúde -2 Sermão -1 Sermão -2
19:00- Expo/Cul. Expo/Cul. Expo/Cul. Expo/Cul. Expo/Cul. Expo/Cul. Expo/Cul.
20:00
Gotas -3 Gotas -4 Gotas -5 Gotas -6 Gotas -7 Gotas -8 Gotas -9
20:00- Sermão -3 Sermão -4 Sermão -5 Sermão -6 Sermão -7 Sermão -8 Sermão -9
21:15
19:00- Expo/Cul.** Não tem
20:00 reunião

20:00- Gotas -10 Gotas -11 Gotas -12 Gotas -13 Gotas -14 Gotas -15
21:15 Sermão -10 Sermão -11 Sermão -12 Sermão -13 Sermão -14 Sermão -15
20:00- Gotas - 16 Não tem Gotas -17 Gotas -18 Gotas -19 Batismo Gotas -21
21:15 Sermão -16 reunião Sermão -17 Sermão -18 Sermão 19 Gotas -20 Sermão -21
Sermão -20 Batismo

Normalmente realizamos a Expo e as aulas de culinária (ou qualquer outro seminário) até a segunda semana, isto
ajuda a manter o número de participantes. Se o interesse ainda estiver forte, continue por mais tempo. Quanto ao
momento de começar a Expo, se você começar muitos dias antes da série evangelística, as pessoas podem sentir que já
viram tudo e terão menor probabilidade de fazer a transição para a série evangelística.

3. Eventos de Um Dia

A Expo Saúde também pode ser adaptada com êxito para um evento de um dia. Por exemplo, ela pode ser utilizada
como um programa eficaz para alcançar a comunidade. Com a participação dos membros da igreja local a Expo pode ser
planejada e o público convidado para 3-4 horas em um domingo à tarde. Aconselha-se encontrar um lugar público mais
amplo para este evento, pois a experiência tem demonstrado que quase o dobro de pessoas participará se a Expo for
realizada em um local familiar e de fácil acesso. Algumas opções incluem shopping centers, universidades ou até como
parte de outros eventos (Festivais da Cidade, Feiras de Saúde, etc.). Você pode oferecer para conduzir uma Expo Saúde
em uma escola pública ou em outra empresa grande como serviço aos funcionários.
Independente do local ou modo como você conduz a Expo, certifique-se que você incluirá programas de continuação
como parte de sua estratégia geral. Como auxílio para ajudar a determinar as necessidades de sua comunidade, verifique
que seminários as pessoas demonstraram interesse em participar ao preencherem o Questionário de Idade Biológica.

A Ordem das Estações de Exame de Saúde


Existem oito estações de exame de saúde padronizadas. Cada estandes de exame possui dois painéis de saúde
coloridos, que criam um plano de fundo atrativo para os diferentes exames médicos ou outras atividades.
Os oito estandes de exames devem estar arranjados de maneira que facilitem a circulação de um grande número de
pessoas, levando em conta as características físicas do salão. Abaixo estão dois arranjos que normalmente usamos, 1) O
Arranjo Básico, ou 2) O Arranjo Plus.

1. O Arranjo Básico
Gostamos de ter todos os estandes de exames arranjados de modo a facilitar o fluxo mais lógico das pessoas para os
exames. Portanto, começamos com o estande de nutrição onde medimos o peso e o índice de massa gorda/corporal,
depois na Luz Solar medimos a pressão arterial e o pulso. É necessário adquirir esta informação primeiro para quando
eles forem fazer o Teste do Banco ou o Cálculo de Idade Biológica computadorizado. É uma vantagem também ter os
estandes de Temperança e Confiança lado a lado, pois ao concluírem o cálculo de idade biológica podem descer
imediatamente para a próxima estação para aconselhamento de saúde e questões espirituais.

106 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”
1. Arranjo Básico
Água Exercício Ar
Hidroterapia Teste do Banco Fluxo Expiratório

Cadeira de Massagem
Descanso
Pressão Arterial
Luz Solar
Índice de Massa Gorda
Nutrição

Entrada Confiança Temperança


Registro Pessoal Aconselhamento Idade Biológica Computadorizada

Ordem Estação de Exame de Saúde Atividade


Índice de Massa Gorda/
1 Nutrição
IMC (Índice de Massa Corporal)
Pressão Arterial
Verifique características malignas de nevos (verrugas), se um
2 Luz Solar
dermatologista estiver disponível.
Densidade óssea (pulso) se estiver disponível.
3 Água Demonstração de Hidroterapia
4 Exercício Teste do Banco de Harvard
Medidor de fluxo expiratório/ Espirometria, se estiver disponível/
5 Ar
Metragem de CO2
6 Descanso Massagem dorsal anti-estresse
7 Temperança Testes computadorizados: Idade Biológica e Seu Risco Coronário
8 Confiança Aconselhamento sobre Saúde
É importante notar aqui que o segredo para a boa expo saúde são opções variadas de exames. Nos dois arranjos que
estamos mostrando aqui, existem 8 opções no Arranjo Básico e 9 opções no Arranjo Plus (acrescentando o teste de
colesterol e glicose). No entanto, se você puder acrescentar outras opções de exames interessantes, pode aumentar ainda
mais a frequência. Outras opções usadas com êxito incluem:
* Cantinho Infantil – com atividades especiais para crianças *Triagem Dentária
* Triagem Dermatológica * Triagem de Glaucoma * Ultrassom Dopler de Carótidas

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 107


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

2. O Arranjo Plus
Luz Solar Água Exercício
Pressão Arterial Hidroterapia Teste do Banco

Fluxo Expiratório
Ar
Glicose e Colesterol
Nutrição

Cadeira de Massagem
Descanso
Índice de Massa Gorda
Temperança

Entrada Confiança Idade Biológica


Registro Pessoal Aconselhamento Computadorizada
Ordem Estação de Exame de Saúde Atividade
1 Temperança Altura e Índice de Massa Corporal
Glicose Sanguínea (picada no dedo)
2 Nutrição
Exame de Colesterol (picada no dedo)
Pressão Arterial
3 Luz Solar
Verificação de pele e densidade óssea opcional
4 Água Demonstração de hidroterapia
5 Exercício Teste do Banco de Harvard
Medidor de Fluxo Expiratório. Espirometria se estiver disponível.
6 Ar
Metragem de CO2
7 Descanso Massagem dorsal anti-estresse
(Use uma mesa adicional) Testes computadorizados: Idade Biológica e Seu Risco Coronário
8 Confiança Aconselhamento de Saúde
Normalmente é necessário 45 pessoas cada dia para conduzir uma expo saúde de tamanho médio (cerca de 200
pessoas todos os dias para triagem). Uma expo pequena pode ser realizada com 15-25 pessoas (examinando 100 pessoas
ou menos). Já que a Expo Saúde depende de um local e membros da igreja, é importante que uma equipe organizadora
seja estabelecida, liderada por um membro da igreja que servirá como o Coordenador Geral da Expo. Além disso, cada
estação de exames deve ter um responsável pelas atividades, e suprimentos. Esta pessoa também será responsável por
verificar que todos os voluntários treinados cheguem a tempo para que a Expo ocorra com tranquilidade.

108 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

Capítulo 3 - Equipamento e Voluntários


O Programa Básico
Atividade Pessoal Equipamento e Formulários Móveis
Entrada 2-3 recepcionistas Ficha Pessoal de Saúde Mesa

Nutrição 2-3 pessoas com 1-2 balanças para calcular massa corporal 2 cadeiras
balanças e tabela de Tabela de altura 1 mesa para literatura
Cálculo de Índice Altura Lenços umedecidos no álcool para limpar as
massa corporal, balanças ou papel toalha/álcool
peso e altura. Suprimento de pilhas
Cesto de lixo
2 tapetes (se o piso for frio)
Folheto sobre Massa Corporal, Literatura sobre
Nutrição
Luz Solar 2-3 pessoas medindo 2-3 aparelhos de pressão arterial 4-6 cadeiras
a pressão arterial Folheto sobre pressão arterial, literatura sobre os 1-2 mesas de tamanho
Pressão Arterial benefícios da luz solar médio
Água 1 pessoa Garrafas de água e copos disponíveis 2 cadeiras
demonstrando Equipamentos para demonstrar tratamentos 1 mesa
Hidroterapia 1 pessoa “paciente” Folhetos sobre Hidroterapia, Literatura sobre os
1 pessoa lidando com benefícios da água
a água
Exercício 2-4 pessoas 2 bancos de 23 cm altura x 35cm (largura) x 4 cadeiras
70cm (comprimento) ou um banco longo para 1 mesa
Teste do Banco duas pessoas 23 cm altura x 35cm (largura) x
1,00 m (comprimento)
Cronômetros ou relógio de parede com ponteiro
de segundos
Literatura sobre os benefícios do exercício físico
Ar 1-2 pessoas 1-2 medidores de fluxo expiratório 2 cadeiras
Bocais descartáveis 1-2 mesa
Medidor de Literatura sobre os benefícios do ar
Fluxo Expiratório
Descanso 6-12 pessoas Álcool e papel toalha 6-12 cadeiras sem
treinadas, cerca de Literatura sobre benefícios do descanso braço
Cadeira de 1/3 deles homens; 2/3 2 mesas:75cm x 2,40m
Massagem mulheres

Temperança 2 operadores para os 2-4 computadores 1-2 mesas:75cm x


computadores 2-4 impressoras 2,40m
Exame 1-2 ajudantes para Cabos de extensão 1-2 mesas pequenas
Computadorizado preencher os Questionários e formulários de resultados para o 4-8 cadeira para
de Idade formulários Teste de Idade Biológica preencher os
1-2 para levar as Questionário e formulários de resultados para formulários
Biológica
pessoas ao estande de Risco Coronário
Seu Risco aconselhamento Lápis ou canetas
Coronário Impressora de reserva
Literatura sobre Temperança
(opcional)
Confiança 2-4 conselheiros de Variedade de literatura, e folheto sobre 2-8 cadeiras
saúde com talentos na Confiança em Deus 2 mesas pequenas para
Aconselhamento área espiritual e de literatura
saúde

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 109


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

O Programa Plus

Atividade Pessoal Equipamento e Formulários Móveis


Entrada 2-3 recepcionistas Ficha Pessoal de Saúde Mesa

Temperança 2-3 pessoas com 1-2 balanças para calcular massa gorda 2 cadeiras
balanças e gráficos de Gráfico de altura 1 mesa para literatura
Exame altura Lenços umedecidos de álcool ou papel
Computadorizado toalha/álcool para limpar balanças
de Idade Biológica Suprimento de pilhas
Cesto de lixo
2 tapetes (se o piso for frio)
Folheto sobre Massa Corporal, Literatura sobre
Temperança
Nutrição 2-6 enfermeiros bem Medidor de Glicemia e Colesterol 4-8 cadeiras
treinados, médicos Tiras-teste de Glicemia e Colesterol 1-2 mesas
Triagem de ou técnicos em Tiras de calibração
Glicose e/ou laboratório (Se Lancetas descartáveis
Colesterol oferecer este serviço Algodão e Álcool
gratuitamente, Recipiente para lixo Biológico
provavelmente Luvas descartáveis
precisará de 6-8 Literatura sobre Nutrição
funcionários)
Luz Solar 2-3 pessoas medindo 2-3 aparelhos para medir pressão arterial 4-6 cadeiras
PA Folheto sobre PA, literatura sobre benefícios da 1-2 mesas de tamanho
Pressão Arterial luz solar médio
Água 1 pessoa Garrafas de água e copos disponíveis 2 cadeiras
demonstrando Equipamentos para demonstrar tratamentos 1 mesa
Hidroterapia 1 pessoa “paciente” Folhetos sobre Hidroterapia,
1 pessoa lidando com Literatura sobre os benefícios da água
a água
Exercício 2-4 pessoas 2 bancos de 23 cm altura x 35cm (largura) x 4 cadeiras
70cm (comprimento) ou um banco longo para 1 mesa
Teste do Banco duas pessoas 23 cm altura x 35cm (largura) x
1,00 m (comprimento)
Cronômetro ou relógio de parede com ponteiro
de segundos
Literatura sobre os benefícios do exercício físico
Ar 1-2 pessoas 1-2 medidores de fluxo expiratório 2 cadeiras
Bocais descartáveis 1-2 mesa
Medidor de Fluxo Literatura sobre os benefícios do ar
Expiratório
Descanso 6-12 pessoas Álcool e papel toalha 6-12 cadeiras sem braço
treinadas, cerca de Literatura sobre benefícios do descanso 2 mesas: 75cm x 2,40m
Cadeira de 1/3 deles homens; 2/3
Massagem mulheres

(Use mesa 2 operadores para os 2-4 computadores 1-2 mesas 75cm x


adicional) computadores 2-4 impressoras 2,40m
1-2 ajudantes para Cabos de extensão 1-2 mesas pequenas
Exame preencher os Questionários e formulários de resultados para o 4-8 cadeira para
Computadorizado formulários Teste de Idade Biológica preencher os

110 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Evangelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”
de Idade Biológica 1-2 para levar as Questionário e formulários de resultados para formulários
pessoas à estação de Risco Coronário
Seu Risco aconselhamento de Lápis ou canetas
Coronário saúde Impressora de reserva
(opcional) Literatura sobre Temperança

Confiança 2-4 conselheiros de Variedade de literatura, e folheto sobre 2-8 cadeiras


saúde com talentos na Confiança em Deus 2 mesas pequenas para
Aconselhamento área espiritual e de literatura
saúde

Capítulo 4 - Banners da Expo Saúde


Estes atraentes banners da Expo Saúde são componentes importantes para uma expo saúde eficaz. As imagens
transmitem uma mensagem poderosa e irão reforçar a informação que as pessoas aprendem na expo.

Folhetos
Existem muito folhetos profissionais prontos para seu uso na Expo Saúde.
Acesse http://www.healthexpobanners.com/resources para uma lista completa de materiais disponíveis.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 111


Evagelismo Médico
“Obra Pioneira do Evangelho”

Propaganda
A propaganda normalmente é cara, mas se você trabalhar bastante pode ser GRATÚITA. É importante determinar que
método trará os melhores resultados naquela região e escolher o melhor dentro do seu orçamento. Folhetos normalmente
atraem muitos. Pôsteres também são eficazes para serem afixados em vitrines e lugares públicos. A maioria das estações
de TV e rádio e jornais proveem anúncios grátis, mas é preciso planejar com quatro semanas de antecedência. Alguns
modelos de propaganda são mostrados nas próximas páginas. É importante contatar os jornais, estações de rádio e TV e
pedir para promoverem o programa. Sempre apresente a Expo Saúde como um serviço para a comunidade, realizada por
voluntários não remunerados, e enfatize as características sem fins-lucrativos do evento.

Local do Salão
A maioria das cidades tem um salão municipal, localizado no centro da cidade a um preço acessível; mas normalmente
precisam ser reservados com meses de antecedência. É importante apresentar o projeto como um projeto comunitário e
isto poderá reduzir bastante o custo ou sair gratuitamente. Um prédio público ou escola é sempre uma alternativa melhor
do que usar as instalações da igreja, muitas pessoas hesitam em vir ao ambiente de uma igreja.
Para maiores informações entre em contato com Charles ou Phoebe Cleveland do Health Education Resources por
email: support@healthexpobanners.com ou visite o website: http://www.healthexpobanners.com para ver todos os
produtos.

Capítulo 5 - Modelos de Pôsteres e Folhetos

112 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Palestra de Saúde
Parte do Nosso Trabalho Indicado

CONTEÚDO

Capítulo 1 – Conselhos do Espírito de Profecia ...................................................................................113


1. Palestras de Saúde ......................................................................................................................................... 113
2. Conselhos Práticos para Falar em Público ................................................................................................. 113
3. Vestuário para Falar em Público ................................................................................................................. 114
Capítulo 2 – Como Preparar Ótimas Apresentações...........................................................................115

Capítulo 1 – Conselhos do Espírito de Profecia


1. Palestras de Saúde

Ciência do Bom Viver, p. 147. “Todo obreiro evangélico deve sentir que o instruir o povo quanto aos princípios do
viver saudável é uma parte do trabalho que lhe é designado.”

Testemunhos para a Igreja, v. 6, p. 378, 379. “O Senhor tem me revelado que muitos, muitos serão salvos de
degenerescência física, mental e moral por meio da influência prática da reforma de saúde. Serão realizadas
conferências e multiplicadas as publicações sobre a saúde. Seus princípios serão recebidos com agrado e muitos…
avançarão passo a passo para receber as verdades especiais para este tempo.”

Manuscritos, v. 21, p. 433. “A reforma de saúde alcançará uma classe, e tem alcançado uma classe, que de outro
modo nunca teria sido alcançada pela verdade. Há uma grande necessidade de avançar no trabalho de ajudar as
pessoas, crentes e não crentes, hoje em dia com palestras e publicações sobre saúde.”

2. Conselhos Práticos para Falar em Público

Parábolas de Jesus, p. 335. “O dom da palavra é um talento que deve ser cultivado cuidadosamente. De todos os
dons que recebemos de Deus, nenhum é capaz de se tornar maior bênção que este. Com a voz convencemos e
persuadimos, com ela elevamos orações e louvores a Deus, e também falamos a outros do amor do Redentor. Que
importância tem, pois, que seja bem educada a fim de tornar-se mais eficaz para o bem!”

A. Postura Apropriada
Spalding and Magan Collection, p. 199. “Cultura Vocal deve ser ensinada em sua escola. Não subestime esta
questão; pois se a expressão for deficiente, todo o conhecimento que deve ser obtido será de muito pouco uso. O
cultivo da voz é de maior importância, para que graça e dignidade possam ser trazidas à comunicação da
verdade... Ao aprender a usar corretamente a voz na falar, muitos que possuem o peito fraco podem salvar sua
vida. Faça o aluno ficar reto, jogando os ombros para trás. As mulheres especialmente precisam cultivar a voz...
Em cada exercício de leitura, exija que os alunos falem as palavras distintivamente, pronunciando claramente até
a última sílaba. Ensine os alunos a não deixar sua voz morrer no final da sentença. Exija um tom de voz cheio,
claro e fluente até o final, inclusive na última sílaba.”

B. Respiração
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 297. “A cultura da voz é assunto que muito tem que ver com a
saúde dos estudantes. Aos jovens se deve ensinar a respirar convenientemente e a ler de maneira que nenhum
esforço anormal sobrevenha à garganta e pulmões, mas que esse trabalho seja participado pelos músculos
abdominais. Falar da garganta, deixando o som vir da parte superior dos órgãos vocais, prejudica a saúde desses

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 113


Palestra de Saúde
Parte do Nosso Trabalho Indicado
órgãos e diminui sua eficiência. Os músculos abdominais devem fazer a parte mais pesada do trabalho, sendo a
garganta usada como um conduto. Muitos que têm morrido poderiam ter vivido caso lhes tivesse sido ensinado
como fazer uso da voz, de maneira correta. O devido uso dos músculos abdominais no ler e falar, mostrar-se-á
remédio para muitas anomalias da voz e do tórax, e meio de prolongar a vida.”

C. Clareza, Simplicidade, e Outros Mecanismos

Educação, p. 199. “Deve prestar-se cuidadosa atenção para se obter uma articulação distinta, sons macios e bem-
modulados, e uma enunciação não demasiado rápida. Isto não somente promoverá saúde, mas aumentará
grandemente a suavidade e eficiência do trabalho do estudante.”
Obreiros Evangélicos, pp. 87-88. “Aquele que dá estudos bíblicos na congregação ou a famílias, deve ser capaz
de ler com voz branda e harmoniosa cadência, de modo a se tornar aprazível aos ouvintes…
“Seja qual for sua vocação, cada pessoa deve aprender a servir-se da palavra, de maneira que, havendo
qualquer coisa que não esteja bem, ela não venha a falar em tom que desperte os piores sentimentos do coração.
Demasiadas vezes o que fala e o que ouve falam áspera e bruscamente. Palavras incisivas, autoritárias, proferidas
em tom duro e cortante, têm separado amigos e resultado em perda de almas...
“Quando falardes, fazei com que cada palavra seja pronunciada em cheio, com clareza, cada sentença distinta,
de princípio a fim. Muitos há que, ao se aproximarem do fim da sentença, abaixam o tom da voz, falando tão
indistintamente, que a força do pensamento fica anulada. As palavras que valem de algum modo a pena ser
proferidas, merecem ser ditas em voz clara e distinta, com acento e expressão. Nunca, no entanto, procureis
palavras que dêem a impressão de serdes eruditos. Quanto maior for vossa simplicidade, mais bem
compreendidas serão vossas palavras.”
Evangelismo, p. 296. “Cultivai o ardor e a positividade no dirigir-vos ao povo. Vosso assunto poderá ser
excelente, e justamente aquilo de que o povo necessita, mas fareis bem em misturar certa positividade,
juntamente com persuasivos rogos...”
Testemunhos para a Igreja, v. 2, p. 615. “Eles devem falar com reverência. Alguns destroem a impressão solene
que possam haver causado no povo por elevarem a voz demasiado alto, proclamando a verdade com brados e
gritos. Quando assim apresentada, a verdade perde muito de sua doçura, sua força e solenidade. Se, porém, a voz
tem a devida entonação, se é possuída de solenidade e modulada de maneira a ser comovente, produzirá muito
melhor impressão.
Tal era o tom em que Cristo ensinava os discípulos. Impressionava-os com solenidade; falava de maneira a
comover o coração. Mas, que resultado produz esse gritar? Isso não dá ao povo nenhuma ideia mais exaltada da
verdade, nem os impressiona mais profundamente. Causa apenas uma sensação desagradável nos ouvintes, e
fatiga os órgãos vocais do orador. O tom da voz tem muita influência em afetar o coração dos que ouvem.”
Review and Herald, 5 de março, 1895. “Jesus é nosso exemplo. Sua voz era musical, e nunca se erguia em tons
exagerados, e notas estridentes enquanto falava com o povo. Ele não falava tão rápido que Suas palavras eram
comprimidas umas nas outras de modo que era difícil para O compreenderem. Ele enunciava distintamente cada
palavra, e aqueles que ouviam Sua voz testemunhavam que “nunca um homem falou como este homem.”

3. Vestuário para Falar em Público

Educação, p. 199. “Ao ensinar essas coisas, uma áurea oportunidade se nos oferece para mostrarmos a loucura e
iniquidade dos coletes apertados, e de toda e qualquer prática que restrinja a ação vital. Um cortejo quase infindável
de enfermidades resulta dos modos não saudáveis do vestir; deve dar-se cuidadosa instrução sobre tal ponto.
Impressionai as alunas com o perigo de permitir que as vestes pesem sobre os quadris ou comprimam qualquer órgão
do corpo. O vestuário deve ser arranjado de tal maneira que se possa tomar ampla respiração, e os braços possam ser
levantados sem dificuldades acima da cabeça. A compressão dos pulmões não somente impede o seu
desenvolvimento, mas embaraça as funções da digestão e circulação, e assim debilita o corpo todo. Todas as práticas
tais diminuem a capacidade física assim como a intelectual, estorvando assim o progresso do estudante e impedindo
muitas vezes o seu êxito.”

114 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Palestra de Saúde
Parte do Nosso Trabalho Indicado

Capítulo 2 – Como Preparar Ótimas Apresentações


Escolhendo um Tema

O assunto talvez já tenha sido escolhido para você, mas se não for o caso, considere as seguintes sugestões:
● Escolha um assunto sobre o qual você tenha algum conhecimento e que seja importante para você. O público
consegue perceber se você gosta ou não do assunto.
● Pense no público. Quais são suas necessidades e interesses? Ore e pergunte a Deus que assunto realmente será
benéfico para os ouvintes (não apenas porque você gosta de falar sobre ele) e suprirá suas necessidades
específica. Considere fatores como idade, sexo, religião, bagagem cultural, ocupações, nível social, e nível
educacional. Você pode conseguir informação sobre o público através de experiência pessoal com o grupo ou
pesquisa detalhada.
● Considere a ocasião: É um momento de alegria? Tristeza? Feira de Saúde? Reuniões especiais na igreja?
Reunião culta? Sua apresentação precisa ser preparada de acordo com a ocasião.
● Levando em consideração esses fatores, escolha um assunto que você sente que valerá a pena, por exemplo,
nutrição. Pergunte a si mesmo: Será que o assunto valerá a pena para eles? É apropriado para o público e a
ocasião? É interessante? Supre uma necessidade pessoal ou interesse do público? Você está empolgado sobre o
assunto? Existe material suficiente disponível sobre o assunto?
● Descubra a duração da sua apresentação, e não tente cobrir mais material do que pode cobrir bem. Seja o mais
específico possível, por exemplo: saúde → saúde humana → 8 leis de saúde; nutrição → efeitos da nutrição na
saúde humana→ perigos e benefícios de saúde naturalmente encontrados no alimento → condimentos →
pimenta do reino.
● Defina seu propósito ao fazer a palestra e o que espera que o público faça como resultado de sua apresentação.

Desenvolvimento do Tema

● Adquira material de apoio: (Seja cuidadoso com o tipo de apoio usado).


○ Pesquise as fontes: biblioteca, livros de saúde, revistas médicas e de pesquisas online (deve ser capaz
de apoiar seus fatos com pesquisa confiável, não simplesmente baseada em folclore, testemunhos, etc.,
apesar de eles terem uma função de apoio);
○ Experiência pessoal: (o que você vê, experimenta, toca, cheira, ouve);
○ Pesquisa informal: pode incluir entre 5-10 perguntas que são feitas a um grupo de 25-50 pessoas;
○ Entrevistas;
■ Com especialistas no assunto;
■ Tenha certeza que a informação recebida seja devidamente registrada;
○ Tipos de Material de Apoio: Definições, estatísticas, exemplos e ilustrações, testemunhos,
comparações e contrastes, repetições e reafirmações;
○ Mencione a fonte para um público mais maduro. Mencione oralmente (ou, pelo menos, em seu
PowerPoint) pelo menos 2-3 fontes para uma apresentação de 5 minutos, pelo menos 5-6 para um
apresentação de 50 minutos. As fontes devem ser de confiança e citadas claramente em seu PowerPoint
ou texto distribuído.

● Ilustrando Sua Apresentação:


○ Material de apoio visual ajuda o público a seguir, compreender, reagir e lembrar-se de sua palestra.
○ Exemplos de materiais incluem: objetos, modelos, gráficos, fotografias, desenhos, PowerPoint, etc.
○ Critério para usá-los:
■ Simplicidade (você pode transportá-lo e montá-lo com facilidade, ele coloca o enfoque em um
objeto ou ponto, ou é confuso e “muito cheio”);
■ Clareza (Ele torna seu ponto mais claro?);
■ Visibilidade (Seu público pode vê-lo/lê-lo?);
○ Métodos e equipamentos podem incluir: Objetos, pôsteres, um quadro-negro ou branco, fitas de vídeo,
DVDs, projetores usados com uma apresentação no computador, etc.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 115


Palestra de Saúde
Parte do Nosso Trabalho Indicado
○ Apresentações Digitais como PowerPoint e Keynote
■ Devem ser simples, sem animação, gráficos, textos, ou fotografias excessivas ou que distraiam;
■ Devem ser elegantes e atraentes;
■ Cada slide deve desenvolver um ponto;
■ Temas – use um tema constante em toda a apresentação;
■ Background – certifique-se que exista um contraste marcante entre o texto e a cor do plano de
fundo;
■ Fontes – Títulos devem usar um tamanho de fonte de no mínimo 36 e a fonte do texto deve ser no
MÍNIMO 24;
● As fontes Sans Serif são as melhores (Arial, Helvetica, Trebuchet MS);
■ Citações podem ser registradas embaixo ou em algum outro lugar no texto;
■ Cuidado deve ser tomado para respeitar outros gráficos e não infringir em direitos autorais
■ Evitar um número excessivo de slides, de maneira que acabe tendo que pular alguns deles. Isto é
frustrante para o público;
■ A apresentação não deve substituir seu entusiasmo ou a qualidade da apresentação falada.

As pessoas em seu público podem ter diferentes estilos de aprendizado, e para que cada um delas aprenda de maneira
mais completa, seria útil suprir suas necessidades tanto quanto possível em CADA apresentação. Isto inclui os
aprendizes visuais (precisam ver algo para se lembrar), os aprendizes auditivos (precisam ouvir para se lembrar), e os
aprendizes cinestésicos (precisam sentir, tocar, cheirar, fazer, etc. para melhor aprender).

A Construção de Sua Palestra

● Sequência de tempo (organizado de acordo com quando aconteceu/acontecerá – por exemplo: profecia, eventos
finais);
● Comparação e Contraste (compara e contrasta várias entidade e salienta semelhanças e diferenças – por
exemplo: o uso de água quente versus fria na hidroterapia);
● Modelo Espacial (baseado na organização física das partes discutidas – por exemplo: o movimento do pátio
externo para o lugar santíssimo no santuário)
● Esboço por assunto (ajuda a definir categorias/divisões claras – por exemplo: as partes de um átomo)
● Ordem da Causa-para-o-Efeito (por exemplo: nutrição, uma opção potencialmente útil para apresentações de
saúde)
● Ordem Problema-e-Solução (por exemplo: doenças comuns, outra opção especialmente útil para apresentações
de saúde)
● Sequência Motivada de Monroe (nesta apresentação um empenho é feito para motivar a pessoa a fazer uma
mudança e inclui cinco passos: ganhar a atenção do público, salientar a necessidade de mudança, oferecer uma
alternativa melhor, ajudar o público a compreender claramente o benefício da mudança, e fazer um apelo para a
ação – bom para séries evangelísticas, aula de Viver Cristão, aula de Nutrição, etc.)

A Estrutura da Palestra

● Introdução (Chamar a atenção + introduzir assunto – 10-15% de toda a apresentação)


● Corpo (70-80%)
● Conclusão (10-15%)

A Introdução:
● Deve ganhar a atenção do público, fazê-los querer escutar (provendo credibilidade), e prover uma visão geral
do assunto que estará apresentando;
● 10-15% de toda a apresentação;
● Ganhar a atenção:
○ Os primeiros momentos determinarão se seu público ouvirá com atenção ou se desligará durante sua
palestra.

116 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Palestra de Saúde
Parte do Nosso Trabalho Indicado
○ Motive-os a ouvir com algum interesse humano curto, suspense, ou história humorística sobre pessoas,
ilustrações, fatos incomuns, declarações surpreendentes, estatísticas chocantes, promessa para o
público (que você cumprirá), explique a importância do assunto para o público, refira-se à ocasião, etc.
● Providencie credibilidade: experiência própria, entrevista com um especialista no assunto;
● No final da introdução, deixe o público saber brevemente sobre o que estará falando. Por exemplo: “Esta manhã
vamos analisar os efeitos de sono inadequado, quanto precisamos diariamente, quando é o momento ideal, e
como podemos obter melhor qualidade de sono.”

O Corpo:
● É aqui que você desenvolve os pontos de sua apresentação.
● Tipicamente deve conter 3-5 pontos principais.
● 70-80% da duração de toda a apresentação.
● Os principais pontos dever ser apoiados pela lógica, informação de pesquisa, estatísticas, ilustrações, histórias,
citações, etc.

A Conclusão:
● Resume e revisa a apresentação e deixa os ouvintes pensando sobre o que acabaram de ouvir;
● Provê um senso de finalização ou conclusão;
● 10-15% da duração de toda a apresentação;
● Intensifica o efeito da apresentação. Como?;
● Refira-se aos comentários iniciais, citações ou ilustrações, sua própria experiência, declarações inesperadas,
estatísticas surpreendentes, perguntas retóricas, humor, histórias, testemunhos e experiências.

Una os principais pontos com resumos e transições internas – pontes interessantes que levem ao próximo ponto.

● Pratique, e então revise se necessário;


● Ao fazer sua apresentação: Procure controlar a ansiedade (ore, exercite-se, pratique, saiba o material, etc.),
então FAÇA;
● Após realizar sua palestra, analise-a: Como me saí? Como poderia ser melhor ainda da próxima vez?

Dicas Finais para Fazer uma Palestra

● Chegue cedo para a palestra. Esteja pronto para começar a tempo;


● Certifique-se que todo o material de apoio para a apresentação está preparado e montado e que você sabe como
usá-lo devidamente;
● Certifique-se que você sabe como usar o aparelho de som antes de começar a apresentação, caso precise usá-lo.
● Vista-se com profissionalismo e tenha uma aparência bem cuidada e limpa se quiser que ouçam e sigam o que
você está compartilhando;
● Deixe seus ouvintes saberem que você está preparado através do modo como se levanta e caminha com
confiança até a plataforma;
● Busque transmitir entusiasmo enquanto fala.
● Termine 1-3 minutos MAIS CEDO se estiver fazendo uma apresentação completa de 50-minutos. Isto deixará o
público ansioso para voltar e aprender mais.
● Conclua sua apresentação antes de voltar ao seu assento.

Recursos Adicionais:

Leech, Thomas. (2004). How to Prepare, Stage, and Deliver Winning Presentations. New York, AMACOM.
http://presentationsoft.about.com/od/powerpointtipsandfaqs/tp/080119powerpoint_font_tips.htm
http://presentationsoft.about.com/od/powerpointinbusiness/tp/071231resolutions.htm

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 117


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

CONTEÚDO
Capítulo 1 – Visão Geral de Nutrição ...................................................................................................120
Capítulo 2 - Digestão, Absorção e Transporte .....................................................................................122
A Importância do Desjejum ................................................................................................................................. 123
Capítulo 3 - Carboidratos ......................................................................................................................127
Tipos e Fontes ...................................................................................................................................................... 127
Funções ................................................................................................................................................................ 127
Açúcar Refinado .................................................................................................................................................. 128
Destaque Sobre Fibras e Grãos Refinados ........................................................................................................... 129
Capítulo 4 - Gorduras (Lipídios) ...........................................................................................................131
Funções ................................................................................................................................................................ 131
Quanta é necessária? ............................................................................................................................................ 131
Principais Tipos de Gorduras e Suas Fontes ........................................................................................................ 131
Respostas a Perguntas Práticas Sobre a Gordura ................................................................................................. 134
Capítulo 5 – Proteína ..............................................................................................................................136
Funções ................................................................................................................................................................ 136
Quanto é necessário? ............................................................................................................................................ 136
Fontes ................................................................................................................................................................... 137
Efeitos do Consumo Excessivo ............................................................................................................................ 137
Capítulo 6 – Uso de Produtos Animais e Risco para a Saúde Humana, Parte I ...............................139
Doença em Animais ............................................................................................................................................. 139
Destaque Sobre Peixes ......................................................................................................................................... 142
Capítulo 7 – Uso de Produtos Animais e Risco para a Saúde, Parte II .............................................146
O Dilema do Leite ................................................................................................................................................ 147
Preocupação com os Ovo ..................................................................................................................................... 149
O Queijo e a Saúde Humana ................................................................................................................................ 149
Capítulo 8 – Vitaminas, Minerais e Fitoquímicos ................................................................................151
Vitaminas ............................................................................................................................................................. 151
Minerais ............................................................................................................................................................... 152
Fitoquímicos......................................................................................................................................................... 154
Capítulo 9 – Estimulantes ......................................................................................................................155
Cafeína, Chá e Chocolate ..................................................................................................................................... 155
Condimentos ........................................................................................................................................................ 158
Capítulo 10 – Controle de Peso ..............................................................................................................161
Capitulo 11 - Dieta na Gravidez, Amamentação, Primeira e Segunda Infância...............................162
Gravidez ............................................................................................................................................................... 162
Amamentação/Fórmula infantil ........................................................................................................................... 163
Dieta na Infância: ................................................................................................................................................. 164
Capítulo 12 – Dietas Terapêuticas: Resumo e Revisão........................................................................166
Diabetes ................................................................................................................................................................ 166
Hipertensão .......................................................................................................................................................... 166
Doenças Cardíacas ............................................................................................................................................... 167

Appreciation to Dr. Winston Craig, PhD, MPH, RD, Professor Emeritus of Nutrition, Andrews University for his
collaboration on this class.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 119
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 1 – Visão Geral de Nutrição


Por que comemos?
* Preferência individual * Prazer * Conforto emocional
* Herança étnica ou tradição * Hábito * Interações sociais
* Disponibilidade * Conveniência * Economia
* Associações positivas e negativas (ocasiões felizes, doença após comer, castigo ou recompensa, etc.)
* Valores pessoais (visão política e ambiental, crenças religiosas, etc.)
* Imagem corporal
* Benefício para a saúde (conhecimento verdadeiro ou falso)
* Manutenção da vida

Por que deveríamos comer?


1 Coríntios 10:31 – “Portanto, quer comais, quer bebais, …fazei tudo para a glória de Deus.”
Considere a compra de um novo carro esporte. Quando o tanque ficar vazio, que tipo de combustível você colocará
nele? Como determinar qual é o melhor? Areia? Água? Suco de uva? Talvez o mais seguro fosse ler o manual do
proprietário e verificar o que o criador do automóvel determinou que seria melhor para seu funcionamento.
E o mecanismo humano? Talvez também fosse melhor descobrir o que o Designer e Criador julgou ser melhor para o
mecanismo humano funcionar. Para fazer isso, vamos voltar à ocasião da nossa criação:

A Dieta Original e os Efeitos do Pecado


Gênesis 1:27, 29 – Criado à imagem de Deus, ao homem foi "dado toda a erva que dê semente, e toda a árvore, em
que há fruto que dê semente".
Gênesis 3:18 – Depois do pecado a erva do campo foi acrescentada.
A longevidade variava entre 900-950 anos antes do dilúvio (Gênesis 5:5, 8, 11, 14, 17, 20, etc.)
Gênesis 9:3-5 – Depois do dilúvio o ser humano recebeu permissão para comer carne – sem sangue!
A longevidade caiu dramaticamente em apenas algumas gerações após o dilúvio, agora para apenas cerca de 70-80.
(Gênesis 11: Sem 600, Arfaxade 438, Selá 433, Éber 464, Pelegue 239, Reú 239, Serugue 230, Naor 148, Terá 205,
Abrão 175, Isaque 180). Isso estava relacionado à dieta? Através dos Conselhos Inspirados, nos é dito que:
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 17. “O Criador do homem organizou a maquinaria viva de nosso corpo.
Cada função é maravilhosa e sabiamente arranjada. E Deus Se comprometeu a manter esta maquinaria humana em
saudável funcionamento desde que o instrumento humano obedeça a Suas leis e coopere com Ele. Cada lei
governadora da máquina humana deve ser considerada tão divina na origem, caráter e importância como a Palavra de
Deus. Cada ação descuidada e desatenta, qualquer abuso imposto ao maravilhoso mecanismo do Senhor, pelo
desrespeito a Suas peculiares leis na habitação humana, é uma violação da lei de Deus. Podemos contemplar e
admirar a obra de Deus no mundo natural, mas a habitação humana é a mais maravilhosa.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 18. “Manter o corpo em condições saudáveis, a fim de que todas as partes
da maquinaria viva possam agir harmoniosamente, tal deve ser a preocupação de nossa vida.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 22. “É impossível aos que condescendem com o apetite alcançar a perfeição
cristã.”

Talvez, então, seja vitalmente importante, para nós, descobrir o que o Criador pretendia que comêssemos.
O estudo da nutrição usa pesquisa científica num esforço para medir os requerimentos da nutrição humana para:
● Crescimento
● Manutenção e reparo
● Atividade
● Reprodução – as espécies não se reproduzem a menos que estejam bem nutridas

120 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
A Nutrição Ideal Exige
• Boas decisões na seleção de alimentos;
• Equilíbrio e variedade nos alimentos consumidos;
• Escolhas dietéticas baseadas em pesquisa científica de qualidade – que sejam também compatíveis com a Palavra
de Deus.

O que são nutrientes?


Nutrientes são substâncias usadas em nosso corpo para:
• Produzir energia;
• Prover os blocos de construção essenciais para todas as necessidades e funções do corpo;
• Proteger o corpo contra muitas doenças crônicas.

Componentes importantes encontrados em nossa dieta:


• Água;
• Micronutrientes (necessários em grande quantidade): carboidratos, gorduras e proteínas;
• Micronutrientes (necessários em pequenas quantidades): vitaminas, minerais e fitoquímicos
• Fibras

Recomendações gerais dos nutrientes:


Os seguintes valores mostram que a porcentagem da ingestão de calorias deveria ser derivada de carboidratos,
gorduras e proteínas:
• 55-75% carboidratos
• 15-30% gorduras
o <10% gorduras saturadas
o até 15-20% gorduras monoinsaturadas
o <6-11% polinstauradas
o <1% gorduras trans
• 10-15% proteínas, ou mais precisamente 0,8 gramas por quilo de peso corporal
Além disso, recomenda-se que a ingestão de sódio, frutas e vegetais deveria ser como segue:
Sódio—menos de 2 gramas/dia sódio= 5 gramas/dia ou uma colher de chá não muito cheia de sal
Frutas e vegetais—pelo menos 400 gramas/dia

Composição Química dos Nutrientes


Carboidrato: Uma fonte de energia eficiente e significante (amidos, açúcares, fibras e muito mais). Classificado
como componente orgânico, pois contém carbono, bem como hidrogênio e oxigênio. Produz apenas uma pequena
quantidade de resíduo quando usado como energia. Um grama de carboidrato tem cerca de 4 calorias.
Gordura: Uma fonte de energia dietética, necessária para a produção de hormônios e a absorção das vitaminas
lipossolúveis A, D, E, e K. Encontrada nas membranas das células. Ajuda a armazenar energia no corpo. Classificada
como um composto orgânico. Um grama de gordura tem cerca de 9 calorias
Proteína: Promove o crescimento, a reparação celular, a formação de DNA e enzimas, a produção moderada de
energia, entre outras funções. Este composto orgânico contém carbono, hidrogênio e oxigênio (assim como os
carboidratos e as gorduras), mas também contém nitrogênio e algumas vezes, enxofre. Um grama de proteína tem
cerca de 4 calorias.
Vitaminas: Compostos orgânicos necessários em quantidades muito pequenas pra o funcionamento do processo
metabólico. Há vitaminas solúveis em gordura (4) e vitaminas solúveis em água (9).
Minerais e oligoelementos (20): Elementos indestrutíveis que ajudam a facilitar as reações químicas. Cada
elemento é composto de átomos idênticos. Por exemplo, o ferro continua sendo ferro se a comida for crua ou cozida,
se estiver no glóbulo vermelho, quando a célula é quebrada, e quando o ferro é eliminado do corpo pela excreção. É
definido pelos cientistas como um nutriente inorgânico porque não contém carbono.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 121


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Água: Feita de dois elementos – hidrogênio e oxigênio. Classificada como um nutriente inorgânico.

Conselhos Inspirados
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 15. “O empréstimo da vida nos é concedido apenas uma vez; e a indagação
de cada um devia ser: ‘Como poderei investir os meus talentos com o melhor proveito? Como poderei fazer o
máximo para a glória de Deus e o benefício de meus semelhantes?’”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 20. “A saúde é um tesouro. É de todas as posses temporais a mais preciosa.
Riqueza, cultura e honra são adquiridas ao elevado preço da perda do vigor da saúde. Nada disso pode assegurar
felicidade, se falta a saúde.”
_____________________________
WHO/FAO. (2003). WHO/FAO release independent Expert Report on diet and chronic disease. WHO. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2003/pr20/en/.
FAO. (2010). Fats and fatty acids in human nutrition: Report of an expert consultation. FAO Food and Nutrition Paper: 91. Retrieved June 3, 2015 from
http://foris.fao.org/preview/25553-0ece4cb94ac52f9a25af77ca5cfba7a8c.pdf
WHO. (2012). Guideline: Sodium intake for adults and children. World Health Organization. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.who.int/nutrition/publications/guidelines/sodium_intake_printversion.pdf

Capítulo 2 - Digestão, Absorção e Transporte


Orientação da Criança, p. 378. “A educação dos israelitas incluía todos
Boca Glândulas
os seus hábitos de vida. Tudo que dizia respeito a seu bem-estar foi
Salivares
objeto da solicitude divina, e constituiu assunto da divina legislação.
Mesmo na provisão de seu alimento, Deus procurou o seu maior
benefício. O maná com que Ele os alimentava no deserto era de natureza
a promover força física, mental e moral. ... Apesar das dificuldades de
sua vida no deserto, ninguém havia fraco em todas as suas tribos.”
Esôfago

Anatomia e Fisiologia do Aparelho Digestório


Fígado
Boca: A mastigação completa quebra o alimento em pequenas
partículas nas quais os sucos gástricos podem penetrar, permite que a M
saliva seja misturada bem, permite que substâncias (lisozimas e Vesícula
imunoglobulina A) na saliva matem muitas bactérias, e estimula a Biliar
produção dos sucos gástricos no estômago, que ativa o restante do
trato gastrointestinal. As enzimas digestivas na saliva começam a
quebrar as gorduras e amidos na boca para futura absorção.
Estômago
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 107. “A fim de assegurar
saudável digestão, o alimento deve ser comido vagarosamente... O
benefício derivado do alimento não depende tanto da quantidade Pâncreas
de comida, quanto da digestão completada.”
Esôfago e Estômago: quando o alimento é engolido, ele é chamado Intestino
de bolo. Ele escorrega pelo esôfago para o estômago e a digestão dos Delgado
amidos continua até que o bolo é quebrado pela ação muscular do
estômago e o PH do estômago neutraliza a amilase da enzima.
Intestino
Esfíncteres nas duas extremidades do estômago ajudam a manter o Grosso
alimento dentro. O Ácido hidroclorídrico e a pepsina começam a
quebrar as proteínas, desnaturar as enzimas, matar a maioria das
bactérias. O fator intrínseco faz com que a B12 seja mais prontamente Reto
absorvida no intestino delgado. O muco produzido pelas células que
forram o estômago ajuda a proteger o seu revestimento contra ácidos e sucos gástricos fortes.

122 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
O Intestino Delgado possui três segmentos: o duodeno, o jejuno e o íleo – cerca de 6 metros de tubo enrolado
dentro do abdômen. Os condutos comuns de bile se esvaziam no intestino delgado, pingando bile da vesícula biliar
(que auxilia na digestão da gordura) e enzimas digestivas do pâncreas para o quimo (alimento parcialmente digerido
que é eliminado pelo estômago no duodeno e se move ao longo do intestine durante a digestão). O bicarbonato de
sódio do pâncreas neutraliza o ácido do estômago. Enzimas digestivas produzidas pelas paredes do intestino delgado
e pâncreas completam o trabalho de quebrar amidos, açúcares, proteínas e gorduras. Cerca de 90% de toda absorção
ocorre no intestino delgado, através de pequenas projeções chamadas vilosidades, que aumentam a superfície do
duodeno em até 600 vezes. Os nutrientes são absorvidos para dentro de muitos vasos especializados, que transferem
nutrientes à circulação e ao fígado para processamento.
Intestino Grosso (também conhecido como cólon): tem em média 1,5 metro de comprimento. O quimo entra no
cólon pela válvula ileocecal, passa a abertura do apêndice e atravessa o cólon até o reto. Água é removida do
conteúdo intestinal e o quimo se transforma no que conhecemos como fezes. 7% da absorção ocorre aqui. Nosso
aparelho digestivo abriga a maior e mais diversificada comunidade microbiana no corpo - totalizando cerca de 800
espécies diferentes , com mais de 7000 variedades , com os maiores números localizados no cólon. Cada pessoa tem
sua própria microflora única. A flora intestinal ajuda a manter a homeostase, protege contra patógenos, desempenha
um papel no desenvolvimento da resposta imunológica humana, favorece o desenvolvimento das microvilosidades
intestinais, reações metabólicas, etc. A microflora do cólon ajuda a quebrar a maior parte da fibra dietética em seu
interior. A comunidade microbiana de uma pessoa pode afetar o risco de doenças crônicas, como câncer de cólon e
diabetes, e influenciar a sua saúde intestinal.
Reto: Segura as fezes até a evacuação voluntária através do ânus.

Hábitos Práticos de Saúde Relacionados à Digestão de Alimentos


Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 101. “O respeito demonstrado no trato adequado do estômago, será
recompensado em clareza de pensamento e força de mente.”
A Importância do Desjejum
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 173. “É costume e norma da sociedade tomar um desjejum leve. Mas não é
esta a melhor maneira de tratar o estômago. Na ocasião do desjejum o estômago está em melhores condições de
cuidar de mais alimento do que na segunda ou terceira refeição do dia. O hábito de tomar um desjejum insuficiente e
um lauto almoço é errado. Fazei vosso desjejum corresponder mais aproximadamente à refeição mais liberal do dia.”

A Ciência Demonstra os Benefícios do Desjejum


• Um dos sete fatores mais fortemente relacionados à longevidade;
• Maior capacidade de resolução de problemas, melhor memória, melhores resultados em testes, melhor
fluência verbal, melhor capacidade de atenção, melhores atitudes (especialmente para alunos);
• Perfil nutricional superior, melhor controle de peso, frequência à escola e bem estar em geral;
• QI mais elevado entre idosos.

Pessoas Que Não Tomam Desjejum


• Possuem um índice 2,5 vezes maior de incidência de ataques cardíacos – as plaquetas ficam mais viscosas
pela manhã, isto aumenta o risco de formação de coágulos que causam o ataque (a maioria ocorre entre 7:00
da manhã e meio dia), e tomar o desjejum ajuda a diminuir a viscosidade das plaquetas.,

Beber Água Durante as Refeições


Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p.420. “Muitos cometem o erro de beber água fria nas refeições. Tomada
com as refeições a água diminui a secreção das glândulas salivares; e quanto mais fria a água, tanto maior o dano
causado ao estômago. Água ou limonada geladas ingeridas às refeições, paralisa a digestão até que o organismo haja
comunicado ao estômago calor suficiente para recomeçar seu trabalho...Comei devagar, e deixai que a saliva se
misture com a comida. Quanto mais líquido for posto no estômago com as refeições, tanto mais difícil é para a
digestão do alimento; pois esse líquido precisa ser absorvido primeiro.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 123


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Por que isto é fisiologicamente verdade? Água/fluídos misturados na boca com alimento inibem a produção de
saliva, assim a digestão de amidos e gorduras na boca é grandemente atrasada ou nunca ocorre, prejudicando a
digestão e acarretando um fardo ainda maior no resto do sistema. Água/fluídos que se misturam com o bolo de
alimento no estômago fazem com que ele se desintegre mais rápido; eles se misturam com os ácidos do estômago, e
a digestão de amidos e gorduras é prematuramente interrompida. Além disso, as enzimas não podem funcionar
devidamente quando são diluídas por água.

Comer fora de hora


Imagine que você decidiu cozinhar feijão para o almoço. Você acha que um punhado é suficiente para você. Então, 45
minutos mais tarde você decide colocar mais um punhado porque você convidou um amigo para almoçar também. Cerca
de 40 minutos depois, outro amigo ligou e disse que estava ao redor , e você o convida para almoçar também. Mas,
depois de 30 minutos, com medo de o feijão não ser suficiente, você coloca mais um punhado. Como ficará esse feijão?
Será que não é isso que acontece em nosso estômago quando comemos lanche entre as refeições?
“O estômago deve receber atenção cuidadosa. Não deve ser deixado em funcionamento constante. Dê a este órgão
mal usado e largamente maltratado um pouco de paz e descanso.” Testimony Studies on Diet and Foods, p 39.9
“A regularidade nas refeições deve ser fielmente observada. Coisa alguma se deve comer entre elas, nada de doces,
nozes, frutas, ou qualquer espécie de comida. A irregularidade na alimentação arruína a saúde dos órgãos digestivos,
com detrimento da saúde em geral, e da alegria. E, quando as crianças chegam à mesa, não apetecem os alimentos
sãos; desejam o que lhes é prejudicial.” Conselhos para a Igreja, p. 228
“É de vital importância a regularidade no comer. Deve haver tempo determinado para cada refeição. Nesta ocasião,
coma cada um o que o organismo requer, e depois não tome nada mais até a próxima refeição. Muitas pessoas
comem quando o organismo não sente necessidade de alimento, em intervalos irregulares e entre as refeições, porque
não têm suficiente força de vontade para resistir à inclinação. Quando em viagem, alguns estão continuamente
mordicando, se lhes chega ao alcance qualquer coisa de comer. Isso é muito nocivo. Se os viajantes
comessem regularmente, um alimento simples e nutritivo, não experimentariam tão grande fadiga, nem sofreriam
tanto enjoo.” A Ciência do Bom Viver, p. 126
“Não se deve comer entre as refeições, e convém permitir que transcorram pelo menos cinco horas entre as refeições.
Indigestão é o resultado de alimento introduzido no estômago antes que os órgãos digestivos tenham tempo para
livrar-se da refeição precedente.” Este Dia com Deus, p. 218.6
“Permite-se-lhes condescender livremente com os seus gostos, comer a todas as horas, servir-se de frutas quando
estas lhes tentam os olhos, e isto, juntamente com tortas, bolos, pão e manteiga, e doces comidos quase
constantemente, torna-os glutões e dispépticos. Os órgãos digestivos, qual um moinho que estivesse trabalhando
continuamente, torna-se debilitado, a força vital é chamada do cérebro para ajudar o estômago em sua sobrecarga,
enfraquecendo-se assim as faculdades mentais. O estímulo desnatural e o desgaste das forças vitais tornam-nos
nervosos, impacientes quando refreados, voluntariosos e irritadiços.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p 181.21
“O estômago torna-se cansado por ser mantido constantemente em atividade, cuidando de alimento nem sempre o
mais saudável. Sem tempo para repousar, os órgãos digestivos enfraquecem-se, de onde a sensação do esvaimento, e
desejo de comer frequentemente. O remédio de que precisam esses, é comer menos freqüentemente e em menor
abundância, satisfazendo-se com alimento simples e natural, comendo duas vezes, ou, no máximo, três vezes ao dia.
O estômago precisa de períodos regulares de trabalho e repouso; daí ser uma perniciosíssima violação das leis da
saúde o comer irregularmente e entre as refeições. Com hábitos regulares e alimento apropriado, o estômago
gradualmente se recuperará.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 175.2
Pesquisas indicam que evitar a ingestão de comida entre refeições é um dos sete fatores fortemente relacionados à
longevidade.

124 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Duas Refeições Por Dia
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 173, 174. “Depois de digerir uma refeição, os órgãos que se empenharam
nesse trabalho precisam de repouso. Pelo menos cinco ou seis horas devem entremear as refeições; e a maior parte
das pessoas que experimentarem esse plano, verificará que duas refeições por dia são preferíveis a três.”

Educação, p. 205. “Na maioria dos casos duas refeições ao dia são preferíveis a três. O jantar, quando muito cedo,
incompatibiliza-se com a digestão da refeição prévia. Sendo mais tarde, não é digerido antes da hora de deitar. Assim
o estômago deixa de conseguir o devido repouso. O sono é perturbado, cansam-se o cérebro e os nervos, é
prejudicado o apetite para a refeição matutina, o organismo todo não se restaura, e não estará preparado para os
deveres do dia.”

Outras citações indicam que alguns necessitam de uma terceira refeição, mas que deve ser leve (frutas, torradas,
etc.), e que uma pessoa não deve ser critério para outra. Veja Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 173, 176; A
Ciência do Bom Viver, p. 321. Também é salientado que os que praticam exercício físico vigoroso terão menos
dificuldades com a terceira refeição. Manuscritos 8, p. 372.
Outra citação que descreve os efeitos de comer logo antes de dormir:
“Pode-se haver tomado as refeições regulares, mas, por sentir-se uma sensação de fraqueza, ingere-se mais
alimento.... Em resultado... o processo digestivo é continuado através do período de repouso. Mas, embora o
estômago trabalhe constantemente, sua função não é bem feita. O sono é mais vezes perturbado por sonhos
desagradáveis, e pela manhã a pessoa acorda sem se haver descansado, e com pouco apetite para a refeição
matinal. Quando nos deitamos para repousar, o estômago já devia ter concluído a sua obra, a fim de, como os
demais órgãos do corpo, fruir repouso. Para as pessoas de hábitos sedentários, as ceias tarde da noite são
particularmente nocivas.” A Ciência do bom Viver, p. 303.3. Outros efeitos incluem: “O sangue torna-se impuro,
a tez pálida, e frequentemente aparecem erupções.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, 174.2.
Estudos científicos encontraram um melhor controle de peso entre os que comem a maioria de suas calorias no café
da manhã e no almoço (mesmo com a ingestão calórica semelhante, foi descoberto que as pessoas que fizeram um
bom café da manhã e pouco ou nada de jantar tinham menor peso e menor resistência à insulina do que aqueles que
tiveram uma refeição maior no jantar)
Regularidade na Alimentação
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 179. “É de vital importância a regularidade no comer. Deve haver tempo
determinado para cada refeição. Nesta ocasião, coma cada um o que o organismo requer, e depois não tome nada
mais até a próxima refeição.”
Ritmos circadianos provocam um impacto significante na digestão. Eles gradualmente preparam o corpo e o sistema
digestório várias horas antes da refeição propriamente dita, preparando os sucos gástricos para estarem disponíveis
para secreção no momento exato, etc. Como resultado, a irregularidade na alimentação tipicamente provoca
processos digestivos debilitados.
Combinação de Alimentos
Testemunhos para a Igreja 7:133, “No uso dos alimentos devemos exercer discernimento e bom senso. Ao
percebermos que certo alimento não nos convém, não precisamos escrever cartas de consulta para aprender a causa
do distúrbio. Mudemos a dieta; usemos menor quantidade de alguns alimentos; experimentemos outras preparações.
Logo saberemos o efeito que sobre nós tem certas combinações. Como seres inteligentes, estudemos individualmente
os princípios e usemos a nossa experiência e discernimento para decidir quanto a que alimentos mais nos convêm.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 109. “Não tenhais à mesa, numa mesma refeição, variedade muito grande
de alimentos; três ou quatro pratos são o bastante.”
Na citação acima podemos ver a importância da simplicidade no preparo das refeições; no entanto, já que cada
alimento contém uma composição única de nutrientes, uma variedade de alimentos usados ao longo de um período
de tempo, é mais saudável do que o consumo repetitivo de um número limitado de alimentos.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 125


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Ciência do Bom Viver, p. 299-300. “Não é bom comer verduras e frutas na mesma refeição. Se a digestão é
deficiente, o uso de ambas ocasionará, com frequência, perturbação, incapacitando para o esforço mental. Melhor é
usar as frutas numa refeição e as verduras em outra.”

Comer em Demasia
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 101. “Que influência tem sobre o estômago o comer em demasia? Ele se
torna debilitado, os órgãos digestivos são enfraquecidos, e as enfermidades, com toda a sua carga de males, são
produzidas como resultado.”
A Importância de Cozinhar
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 316. “Algumas pessoas julgam não ser dever religioso preparar
devidamente a comida; daí, não procuram aprender a fazê-lo... Requer reflexão e cuidado fazer bom pão. Há, porém,
mais religião num bom pão do que muitos pensam.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 251. “Não seja considerado o trabalho culinário uma espécie de servidão...
Cozinhar pode ser olhado como menos desejável que outros ramos de serviço, mas na realidade é uma ciência mais
valiosa que todas as outras. Assim considera Deus o preparo da comida saudável. Tem alta estima por aqueles que
fazem obra fiel em preparar alimento saudável e apetecível. A pessoa que entende da arte de preparar devidamente a
comida, e se serve desse conhecimento, é mais digna de louvor do que as que se empenham em qualquer outro ramo
de trabalho. Este talento deve ser considerado como valendo dez talentos; pois seu justo emprego tem muito que ver
com a conservação do organismo humano em estado saudável. Visto estar tão inseparavelmente ligado com a vida e
a saúde, é o mais valioso de todos os dons.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 253. “Apelo para homens e mulheres a quem Deus deu inteligência:
Aprendam a cozinhar. Não cometo nenhum erro quando digo "homens", pois eles, da mesma maneira que as
mulheres, precisam compreender o preparo simples e saudável do alimento. Suas ocupações levam-nos muitas vezes
a lugares onde não lhes é possível obter comida saudável. Poderão ser chamados a passar dias e até semanas entre
famílias inteiramente ignorantes a esse respeito.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 474. “Para educar o povo nos princípios da reforma de saúde, é necessário
que se façam maiores esforços. Importa fundar escolas culinárias e instruir o povo, de casa em casa, quanto aos
meios de preparar alimentos saudáveis. Todos, adultos e jovens, devem aprender a cozinhar com maior simplicidade.
Onde quer que a verdade seja apresentada, o povo deverá aprender a preparar alimentos de modo simples e apetitoso.
Cumpre mostrar-lhe como é possível seguir regime alimentar completo sem lançar mão dos alimentos cárneos...”
____________________________

Seeley, Stephens, and Tate (2006). Anatomy and physiology (7th ed.). New York: McGraw-Hill.
Montalto, M., D’Onofrio, F., Gallo, A., Cazzato, A., & Gasbarrini, G. (2009). Intestinal microbiota and its functions.
Digestive and Liver Disease Supplements. 3: 30–34 www.elsevier.com/locate/dld.
Belloc, N.B., & Breslow, L. (1972). Relationship of physical health status and health practices. Prev Med. 1(3):409-421.
Ahmadi, A., Sohrabi, Z., & Eftekhari, M.H. (2009). Evaluating the relationship between breakfast pattern and short term memory in junior high school girls.
Pak J Biol Sci. 12(9):742-5.
Matthews, R. (1996). Importance of breakfast to cognitive performance and health. Perspectives in Applied Nutrition. 3(3):204-212.
Gajre, N.S., Fernandez, S., Balakrishna, N., & Vazir, S. (2008). Breakfast eating habit and its influence on attention-concentration, immediate memory and
school achievement. Indian Pediatrics. 45(10):824-8.
Rampersaud, G.C., Pereira, M.A., Girard, B.L., Adams, J., & Metzl, J.D. (2005). Breakfast habits, nutritional status, body weight, and academic performance
in children and adolescents. J Am Diet Assoc. 105(5):743-60; quiz 761-2.
Smith, A. (1998). Breakfast consumption and intelligence in elderly persons. Psychological Reports. 82(2):424(3).
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
Raloff, J. (1991). Breakfast may reduce morning heart attack risk. Science News. 139(16):246-247.
Garaulet M, & Gómez-Abellán P, (2014). Timing of food intake and obesity: A novel association, Physiol Behav.
http://dx.doi.org/10.1016/j.physbeh.2014.01.001

126 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 3 - Carboidratos
Definição: Carbo = carbono Hidrato = água
Carboidratos são nutrientes que produzem energia e são encontrados primariamente em alimentos de origem vegetal.
Eles são comumente conhecidos como açúcares, amidos, e fibras.
Tipos e Fontes
1. Carboidratos Simples: pequenas moléculas de açúcar que são doces ao paladar. Encontradas no mel, frutas, leite,
açúcar e vegetais doces. Os açúcares simples incluem frutose, lactose, glucose, galactose, sacarose e maltose.
2. Carboidratos Complexos: contém muitas moléculas de glicose (e, por vezes, outros açúcares) que são interligados.
Existem três tipos de carboidratos complexos:
A. Amidos: cadeias longas de centenas ou milhares de moléculas de glicose, ramificadas ou não, compactadas
lado a lado. Encontradas em grãos, legumes, tubérculos e raízes;
B. Glicogênio: uma forma armazenada de glicose no fígado e músculos que torna a glicose prontamente
disponível quando necessária;
C. Fibra: partes estruturais de plantas que contêm ligação química entre os açúcares simples que não podem ser
quebrados pelas enzimas digestivas. Elas contribuem com pouca ou nenhuma energia.
3. Outro carboidratos são os oligossacarídeos, bem como a rafinose

Funções
Amido:
• É a fonte de energia mais abundante e econômica para o corpo humano;
• Poupa proteínas de serem queimadas para gerar energia;
• É necessário no metabolismo da gordura;
• Fonte primária de energia para as células do cérebro
• Excesso de glicose é armazenado como gordura e glicogênio para liberação posterior de energia;
• Precursores para: partes moleculares das células, ácido nucleico etc.
Fibra:
• Atua como laxante e promove a evacuação intestinal normal;
• Absorve toxinas para a remoção do corpo.
Glicogênio:
• Excesso de glicose é armazenado como glicogênio no fígado e nos músculos para liberação rápida de
energia.
Carboidratos (uma vez que são quebrados em glicose) são responsáveis por manter o nível de açúcar no sangue. Uma
quantidade de glicose deve permanecer sempre na circulação sanguínea, já que algumas células do cérebro não
podem armazenar glicose. Se o nível cair abaixo do normal, a pessoa pode sentir cansaço, fome, tremor e
irritabilidade; se a glicose subir acima do normal, a pessoa pode sentir sono, e os rins, olhos, vasos sanguíneos e
outros órgãos podem ser danificados. Se o nível ficar muito elevado ou muito baixo a pessoa pode entrar em coma e
morrer.
Carboidratos simples entram na circulação sanguínea quase que imediatamente, causando um aumento rápido (e
depois um declínio rápido correspondente) no açúcar do sangue. Carboidratos complexos são gradualmente
reduzidos a açúcares simples (glicose) em todo o trato gastrointestinal. Isto causa um aumento lento e constante nos
níveis de açúcar no sangue, liberando assim energia lentamente para as células do corpo. Esse aumento gradual
mantém o nível de açúcar no sangue dentro de um limite saudável. Consequentemente, os carboidratos complexos
devem ser a forma primária de ingestão de carboidratos.

Quanto é necessário?
O corpo precisa no mínimo de 50 g a 100 g de carboidrato por dia. A ingestão diária recomendada (IDR) da
OMS/FAO de carboidrato é de 55-75% do total de calorias.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 127


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Deficiência
Quando a pessoa não consome carboidrato suficiente o corpo precisa compensar usando gordura e proteína para
obter a glicose necessária. Isso é muito ineficiente e produz uma quantidade significante de resíduos do qual o corpo
precisa se livrar. Quando gordura é usada como fonte primária de energia, fragmentos de gordura se combinam para
formar corpos de cetona. Quando a produção de cetona excede seu uso elas se acumulam no sangue causando uma
condição ameaçadora conhecida como cetose. Alguns dos efeitos prejudiciais de dietas baixas em carboidratos
incluem: náusea, fadiga, constipação, pressão arterial baixa, nível elevado de ácido úrico, mau hálito; em mulheres
grávidas, dano fetal ou parto de criança morta.

Excesso
É incomum para alguém comer em demasia alimentos com carboidratos não refinados (grãos integrais, frutas,
vegetais, leguminosas, tubérculos e raízes), mas graves problemas existem (veja abaixo) no consumo excessivo de
carboidratos de fontes refinadas como: grãos refinados, açúcar, sucos de frutas, etc.

Açúcar Refinado
Açúcar refinado é qualquer açúcar que é removido da planta onde ocorre naturalmente. Existem diferentes tipos de
refinamento. Suco é parcialmente refinado; açúcar comum é totalmente refinado; mel é refinado pelas abelhas.

Nos EUA, o uso do açúcar e outros adoçantes como o xarope de milho, é significante. O diagrama a seguir
demonstra como o uso do açúcar e outros adoçantes aumentou drasticamente de 1822 até hoje. Esta é a média de
quilos usada por ano, por pessoa, nos Estados Unidos:
1822 4,03 quilos
1900 29,5 quilos
1950 52 quilos
2000 67,44 quilos
2012 58,74 quilos

A media do consume de açúcar de 58,8 quilos de açúcar por pessoa por ano nos EUA é equivalente a usar 43
colheres de chá de açúcar por dia, ou mastigar quase 40 metros de cana de açúcar diariamente!

O açúcar refinado coloca uma grande quantidade de glicose na circulação sanguínea de uma vez. Como resposta, o
pâncreas então produz insulina em excesso para reduzir o nível de açúcar no sangue rapidamente. Quando o açúcar
no sangue entra no sistema, a pessoa pode sentir muita energia; no entanto, em resposta à insulina o nível de açúcar
no sangue do corpo cai rapidamente bem abaixo do normal e a pessoa sente cansaço, fadiga, tremor, irritabilidade e
“fome”. Isto a faz desejar mais açúcar. E o ciclo vicioso de “altos e baixos continua”.

O processamento do alimento pode ter um efeito no nível de açúcar no sangue. Normalmente, quanto mais refinado
for o alimento, maior será o impacto no nível de açúcar do sangue. O nível de açúcar no sangue tende a elevar-se
bem alto e bem rápido para estimular maior secreção de insulina; isso gera uma correspondente queda (rápida e
profunda) ao nível de açúcar no sangue. Um estudo feito com maçãs cruas, purê de maçã e suco de maçã demonstra
que o purê de maçã faz com que o nível do açúcar no sangue diminua mais ainda do que quando maçãs cruas são
consumidas (após o aumento inicial). No entanto, o suco de maçã causa uma queda ainda maior do que maçãs cruas
ou purê de maçã (depois do aumento inicial). Isto pode provocar um sentimento de “vazio”, tremor, irritabilidade e
uma necessidade de comer para aumentar o nível de açúcar no sangue para normalizá-lo (para eliminar os
desconfortáveis sintomas do açúcar baixo no sangue). Normalmente a pessoa come um doce e o ciclo se repete.

O excesso de açúcar refinado está ligado com o aumento do risco de:


• Cáries (causada por bactérias na boca por causa da fermentação do açúcar e no processo de produção de
um ácido que provoca a erosão do esmalte dentário)
• Sobrepeso/obesidade. Além disso, esta dieta desloca o consumo de frutas, vegetais e outras fontes
nutricionais de qualidade)
• Doenças cardíacas
• Diabetes, tipo 2
128 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• Triglicérides elevados
• Hipertensão

O açúcar impacta negativamente o sistema imunológico. Um estudo foi feito para explorar o relacionamento entre o
consumo do açúcar e a habilidade das células brancas destruírem bactéria. Quando a pessoa não comeu açúcar,
descobriu-se que cada célula branca destruiu 14 bactérias em 30 minutos. No entanto, quando a pessoa comeu 12
colheres de chá de açúcar (quantidade tipicamente encontrada em um refrigerante), o número de bactérias destruídas
em 30 minutos caiu para 5,5. Quando 18 colheres de chá de açúcar foram digeridas (1 ½ refrigerante) o número de
bactérias destruídas em 30 minutos caiu para apenas duas! O que aconteceu com o resto das bactérias? O efeito
observado durou por até 5 horas.

Conselhos Inspirados
Provérbios 25:27 “Comer muito mel não é bom...”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 95. “Nos climas muito quentes... Quanto menor for a quantidade de açúcar
introduzida no preparo da alimentação, menor a dificuldade experimentada em virtude do calor do clima.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 321. “Quanto menos comidas doces comermos, melhor; elas causam
perturbações no estômago, e produzem impaciência e irritabilidade nos que se habituam a usá-las.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 113 “De ordinário se usa demasiado açúcar no alimento.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 327. “O açúcar abarrota o organismo. Entrava o trabalho da máquina viva.”

Destaque Sobre Fibras e Grãos Refinados


A fibra dietética é o resíduo de carboidratos complexos de alimentos vegetais que não pode ser quebrado por
enzimas gastrointestinais. Grãos e leguminosas (feijões) são os mais ricos em fibras; frutas e vegetais contêm fibras
em moderação; grãos refinados e sucos quase não contêm fibras; e produtos animais, açúcar e óleos não contêm
fibra. Atualmente a Ingestão Diária Recomendada sugere o consumo de 14 g de fibras para cada 1.000 calorias
necessárias (20-35 g por dia).

Os Dois Principais Tipos de Fibras


1. Fibra Solúvel: solúvel (que pode ser dissolvida) em água, mas não é digerida pelo sistema digestório humano.
• Reduz o grau de evacuação gástrica e retarda a absorção do açúcar simples no intestino delgado (devido ao
entalamento de fibras solúveis). Isto estabiliza as curvas glicêmicas no sangue e ajuda a evitar repentinos
“altos” e “baixos”;
• Ajuda a diminuir a demanda de insulina;
• Ajuda a diminuir o colesterol por ligar-se à bile (que contém colesterol) no intestino delgado;
• Encontrada na maioria das frutas e vegetais, leguminosas, grãos integrais e sementes.

2. Fibra Insolúvel: não solúvel em água; não digerível pelo sistema digestório humano.
• Retém água – aumenta o volume das fezes; reduz a pressão elevada nas paredes do cólon (reduz o risco de
câncer do cólon, constipação e diverticulose);
• Reduz o tempo de trânsito no cólon (efeito laxativo);
• Efeito antioxidante; evita dano ao revestimento do colón por oxidação, protegendo contra o câncer de cólon;
• Alimentos com alto índice de fibra insolúvel incluem: arroz integral, frutas, leguminosas, grãos integrais e
vegetais.
• Ajuda a diminuir o risco de doenças cardíacas

Doenças Associadas à Falta de Fibra


* Constipação * Doença Diverticular * Hemorroidas * Apendicite
* Diabetes * Veia Varicosa * Câncer de Cólon * Pólipo Intestinal
* Obesidade * Doenças Cardíacas *Arteriosclerose * Doença da Vesícula Biliar

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 129


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
O Processo de Refinamento
A maior parte das fibras, vitaminas e sais minerais é perdida quando trigo, arroz e outros grãos são refinados.
Quando o grão integral é refinado para se tornar farinha branca não enriquecida, ele perde toda a fibra e contém
apenas 42% da tiamina original, 32% da riboflavina original, 19% da niacina original, 12% da vitamina B6 original,
70% do ácido fólico original, 0% da vitamina A original, 71% do cálcio original, 32% do ferro original, 25% do
magnésio original, 32% do potássio original e 55% do zinco original.
Enriquecida?
Muitos governos exigem que os grãos processados para uso comercial sejam enriquecidos com 4-5 nutrientes,
incluindo tiamina, riboflavina , niacina , ácido fólico e ferro. Isso faz com que o arroz enriquecido e farinha fiquem
mais nutritivos do que a farinha simplesmente refinada, mas produtos de grãos integrais contêm muito mais
vitaminas e minerais essenciais para a saúde. Grãos refinados também sofrem com a falta de fibra dietética que é
necessária para uma boa saúde.
Resumo
“Claramente, uma dieta rica em carboidratos complexos – amidos e fibras – auxilia nos esforços para controlar o
peso e prevenir doenças cardíacas, câncer, diabetes e doenças gastrointestinais (GI). Por essas razões, recomendações
insistem que as pessoas comam grãos integrais, vegetais, leguminosas e frutas em abundância, reconhecendo que
essa dieta deve ser equilibrada e adequada às necessidades do indivíduo e ser parte de um estilo de vida saudável,
que inclui exercícios físicos regulares, entre outros.
________________________

Whitney, E. & Rolfes, S. (2013). Understanding Nutrition, Thirteenth Edition. Belmont, CA: Wadsworth Publishing.
WHO/FAO. (2003). WHO/FAO release independent Expert Report on diet and chronic disease. WHO. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2003/pr20/en/.
Bureau of Statistics, Department of Commerce and Labor. (1908). Statistical Abstract of the United States: 1907: thirteenth number. United States
Congressional Serial Set: United States Congress. Washington: US Government Printing Office.
USDA. (2014). Food availability (per capita) data system. United States Department of Agriculture: Economic Research Service. Retrieved 06/03/2015 from
http://www.ers.usda.gov/data-products/food-availability-(per-capita)-data-system.aspx
UD Register, personal communication.
Haber, G.B., Heaton, K.W., et al. (1977). Depletion and disruption of dietary fibre. Effects on satiety, plasma-glucose, and serum-insulin. Lancet.
2(8040):679-682.
World Health Organization. (2003). Diet, Nutrition and the Prevention of Chronic Diseases. Geneva, Switzerland: World Health Organization.
Craig, W.J. (1999). Nutrition and wellness. Berrien Springs, MI: Golden Harvest Books.
Fung, T.T., Malik, V., Rexrode, K.M., Manson, J.E., Willett, W.C., & Hu, F.B. (2009). Sweetened beverage consumption and risk of coronary heart disease
in women. Am J Clin Nutr. 89(4):1037-42. Epub 2009 Feb 11.
Yang, Q., Zhang, Z., Gregg, E.W., Flanders, D., Merritt, R., & Hu, F.B. (2014). Added Sugar Intake and Cardiovascular
Diseases Mortality Among US Adults. JAMA Intern Med. 174(4):516-524. doi:10.1001/jamainternmed.2013.13563. Retrieved 06/03/2015 from
http://archinte.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=1819573
Schulze, M.B., Manson, J.E., Ludwig, D.S., Colditz, G.A., Stampfer, M.J., Willett, W.C., Hu, F.B. (2004) Sugar sweetened beverages, weight gain, and
incidence of type 2 diabetes in young and middle-aged women. JAMA. Aug 25;292(8):927-34.
Mohammed, E. H., Pérez, I., Carillo, S., Cardoso, G., Zamora, J., Chavira, R., & Baños, G. (2006). Effect of sex hormones on non-esterified fatty acids, intra-
abdominal fat accumulation, and hypertension induced by sucrose diet in male rats. Clinical & Experimental Hypertension. 28(8):669-681.
Takahashi, K., Chang, W., Moyo, P., White, M.R., Meelu, P., Verma, A., Stahl, G.L., Hartshorn, K.L., & Yajnik, V. (2011). Dietary sugars inhibit biologic
functions of the pattern recognition molecule, mannose-binding lectin. Open Journal of Immunology. 1(2): 41-49. doi:10.4236/oji.2011.12005
Kijak, E., Foust, G., & Steinman. R.R. (1964). Relationship of blood sugar level and leukocytic phagocytosis. Southern California Dental Assoc. 32(9):349-
351.
Sanchez, A., Reeser, J.L, et al. (1973). Role of sugars in human nutrophilic phagocytosis. Am J Clin Nutr. 26(11):1180-1184.
Nutrition Action Health Letter July/August 2008 quoting JAMA 275:447, 1996 and JAMA 281: 1998,1999
USDA. (2012). National Nutrient Database. Retrieved October 12, 2012 from http://www.nal.usda.gov/fnic/foodcomp/search/
Diet Analysis Plus version 8.0.1.
Whitney, E. and Rolfes, S. (2008). Understanding Human Nutrition, Eleventh Edition. Belmont, CA: The Thomson Corporation.

130 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 4 - Gorduras (Lipídios)


Definição: família de nutrientes geradores de energia que são gordurosos ao tato. Estes incluem: óleos, gorduras,
cêras, lecitina, colesterol e outros. Eles não podem ser dissolvidos na água, mas podem ser dissolvidos em outras
gorduras.

Funções
1. Componente da membrana da célula;
2. Usadas (gorduras) na formação de hormônios;
3. Necessárias para a absorção de vitaminas solúveis em gordura;
4. Isolamento contra temperaturas extremas (na forma de camadas de gordura sob a pele);
5. Proteção (acolchoamento contra choques mecânicos);
6. Fonte de energia para o corpo;
7. Supre nutrientes essenciais (ácidos graxos);
8. Realça o sabor, retarda o esvaziamento do estomago, promove um senso de saciedade.
Quanta é necessária?
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, adultos devem consumir pelo menos 15%, mas não mais do que
30%, das calorias de gordura (com ênfase nas gorduras de alimentos vegetais integrais). Isso significa que se alguém
precisa de 2.000 calorias diariamente, um mínimo de 300 calorias (33 g) e um máximo de 600 calorias (66 g) deve
ser obtido de gorduras.

A quantidade de gordura que usamos depende de:


1. Idade e metabolismo – Crianças queimam energia mais rápido que adultos, portanto precisam de mais
gordura.
2. Nível de atividade – Pessoas ativas ou envolvidas em trabalho físico pesado podem usar mais gordura.
3. Clima – Pessoas que vivem em climas mais frios queimam mais gordura para mantê-las aquecidas.
4. Saúde física – Pessoas com problemas (ou histórico familiar) de diabetes, obesidade, doença cardíaca,
doença vascular ou câncer devem restringir o consumo de gordura (especialmente gorduras saturadas).

Excesso
1. Produz obesidade. Gorduras são uma fonte concentrada de calorias, fáceis de serem armazenadas no corpo;
2. Enfraquece o funcionamento do sistema imunológico;
3. Gorduras saturadas causam aglomeração de células vermelhas no sangue. Isto provê menos área de superfície
para carregar oxigênio e dificulta o movimento do sangue através dos tubos capilares.

Principais Tipos de Gorduras e Suas Fontes


1. Gorduras saturadas são normalmente sólidas em temperatura ambiente, e tem menor probabilidade de tornar-se
rançosa do que gorduras insaturadas. Essas incluem gorduras animais como banha de porco e manteiga, e existem
em todos os produtos animais. Elas também são encontradas em gorduras vegetais como óleo de coco e palmeira.
Gorduras saturadas são compostas por cadeias de carbono “saturadas” com hidrogênio (elas não suportam mais
nenhum hidrogênio). Abaixo está um exemplo de gordura saturada (ácido esteárico, um ácido graxo de 18
carbonos encontrado predominantemente em gordura animal):

A recomendação de gorduras saturadas é que devem compor menos de 10% das calorias ingeridas.6

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 131


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Perigos das Gorduras Saturadas


1. Aumentam os níveis do colesterol nocivo no sangue (LDL – lipoproteína de baixa densidade). O colesterol
acumula nas artérias e causa a aterosclerose. Isto pode levar a doenças cardíacas (incluindo ataques
cardíacos), derrames cerebrais, e hipertensão;
2. O excesso de gordura saturada, especialmente gordura animal, está associado ao aumento da incidência de
câncer de cólon, pulmão, útero, ovário, próstata e mama.,
Óleo de coco: recentemente ouve um aumento no interesse em óleo de coco como fonte de gordura na dieta ––
humana. Varias asserções sobre saúde foram feitas, uma delas é que esse óleo pode diminuir doença cardíaca.
Será que tem uma correlação entre óleo de coco e doença cardíaca? O óleo de coco produziu resultados diversos,
em estudos científicos, nos níveis de lipídios no sangue.
Seria esperado que o óleo de coco elevaria níveis de colesterol no sangue devido ao conteúdo bem alto de
gordura saturada (92%). Mas não é sempre assim. Muitos estudos que usavam óleo de coco normal revelavam
uma elevação grande nos níveis de colesterol no sangue. Porem, estudos mas recentes que usaram óleo de coco
virgem mostravam melhores resultados nos índices de lipídios no sangue. Isto é devido ao grande conteúdo de
antioxidantes polifenólicos no óleo virgem.9 Óleo de coco virgem é resultado de uma extração molhada que não
utiliza químicos ou calor. Óleo de coco normal vem da extração do fruto seco do coco (copra) e normalmente é
branqueado, desodorizado, e refinado.10 Outras alegações de saúde ainda estão sendo examinadas ou são
inconclusivas até agora.
2. Gorduras Insaturadas são líquidas em temperatura ambiente. Elas são encontradas primariamente em fontes
vegetais. Essas gorduras possuem um ou mais lugares nos quais átomos de hidrogênio estão ausentes e os átomos
de carbono próximos ficam unidos em uma “ligação dupla”. Se a molécula de gordura possui apenas uma
“ligação dupla” é considerada monoinsaturada, mas se possui mais de uma “ligação dupla” é considerada
poliinsaturada. A maioria dos óleos contém uma combinação de ácidos graxos monoinsaturados, poliinsaturado e
saturados, mas eles são classificados de acordo como o tipo de gordura predominante que contém.
A. Ácidos Graxos Monoinsaturados (mono = um)
• Líquidos em temperatura ambiente, mas se solidificam
ao serem refrigerados;
• Fontes comuns: azeitonas e azeite de oliva, óleo de
canola, amendoim, sementes de gergelim, abacate, Ácido oleico, um
ácido graxo
amêndoa, noz pecã e castanha de caju. monoinsaturado.
Note que a ligação
Benefícios podem incluir: dupla está em uma
1. Redução dos níveis de colesterol no sangue, mantendo configuração cis.
os níveis do colesterol saudável HDL imutáveis;
2. Menos suscetibilidade à oxidação e dano por radicais
livres do que gorduras poliinsaturadas;
3. Declínio de 25% no câncer de mama entre mulheres gregas que usam quantidades razoáveis de azeite
de oliva;
4. Estudos atuais sugerem que o azeite de oliva (rico em ácidos graxos monoinsaturados), usado
extensivamente na culinária do Oriente Médio, promove baixos índices de doença cardíaca.

A recomendação de gorduras monoinsaturadas é de até 15-20% das calorias ingeridas.12

B. Ácidos Graxos Poliinsaturados (poli = muitos)


• Líquido em temperatura ambiente e na geladeira;
• Combina facilmente com oxigênio (oxida) para se tornar rançoso;
• Fontes comuns: castanhas, sementes, leguminosas, óleos vegetais (soja, milho, girassol).

132 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• A recomendação de gorduras poli-insaturadas é <6-11% das calorias ingeridas.

Ácidos Graxos Essenciais (Omega-6 e Omega-3)


Existem muitos tipos de ácidos graxos encontrados dentro do grupo mais amplo de “gorduras”. O corpo é
capaz de produzir todos eles, exceto os ácidos graxos poliinsaturados Omega-6 e Omega-3, que precisam ser
obtidos através da dieta. A proporção recomendada de Omega-6 para Omega-3 é de 6:1.

Ácidos Graxos Omega-6


Se ampla variedade de alimentos integrais de origem vegetal for utilizada, geralmente uma abundância desse
ácido graxo essencial será obtida. Fontes comuns são castanhas, sementes, e óleos vegetais (milho, girassol,
cártamo, soja).

Ácidos Graxos Omega-3


Fontes comuns de Omega-3: Linhaça (e óleo de linhaça), nozes, óleo de canola, óleo de soja, chia e peixe.

Benefícios das Gorduras Omega-3


1. Reduzem o risco de doença cardiovascular;
2. Reduzem a mortalidade por câncer;
3. Ação anti-inflamatória, sendo útil para combater doenças crônicas inflamatórias (incluindo
psoríase, artrite reumatóide, etc.);
4. Ajudam a reduzir a viscosidade das plaquetas, as células coagulantes do sangue, evitando possíveis
coágulos no sangue e diminuindo o risco de derrame cerebral e ataques cardíacos;
5. Tendem a diminuir o colesterol e triglicérides (gorduras na circulação sanguínea);
6. Ajudam a diminuir a pressão arterial;
7. Reduzem o risco de ritmos cardíacos anormais;
8. Diminuem câncer de mama e de cólon;
9. Alguns pacientes de Crohn experimentaram regressão quando tomaram Omega-3;
10. Necessário para o desenvolvimento do cérebro e dos olhos.

3. Colesterol (um esterol) é uma gordura branca, semelhante à cera, fabricada pelo corpo. Algumas de suas funções
incluem:
1. Parte da estrutura da membrana celular;
2. Ajuda a formar hormônios (especialmente o reprodutivo);
3. Componentes da bile (necessários para emulsionar gorduras para a digestão);
4. Necessário na formação de Vitamina D;

Onde obtemos colesterol?


Nosso fígado fabrica colesterol suficiente para as necessidades humanas a partir dos alimentos que comemos.
Podemos também obtê-lo comendo produtos animais, o que normalmente causa excesso de colesterol no sangue.
Ovos possuem muito colesterol. Alimentos vegetais (incluindo castanhas e abacates) não contém colesterol.

Efeitos do excesso de colesterol:


1. Aumenta o colesterol do sangue;
2. Aterosclerose (formação de placas associadas ao endurecimento dos vasos sanguinhos);
3. Circulação deficiente devido ao entupimento pela placa (doença arterial periférica, claudicação intermitente,
gangrena);
4. Doença arterial coronariana;
5. Ataques cardíacos; 7. Angina;
6. Hipertensão; 8. Câncer do ovário, pulmão e laringe

Colesterol oxidado: colesterol exposto à atmosfera por um período de tempo tende a juntar-se com o oxigênio do ar,
produzindo o que é chamado de “colesterol oxidado.” Essa forma de colesterol é perigosa, pois tem mais potencial
de causar dano irreversível às células que forram as artérias (um dos principais fatores que inicia/acelera o processo
de aterosclerose). Encontrado em queijo, ovos secos e produtos lácteos, pudins, massa para panqueca, etc.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 133


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Quanto precisamos? Como o nosso corpo produz todo o colesterol que precisa para manter o funcionamento diário
não precisamos de nenhum colesterol na dieta. Porem, a maioria das pessoas comem alimentos que contem
colesterol e foi recomendado que o máximo que um adulto deve ingerir não deve passar de 300mg. Considerando
que a doença cardíaca é o assassino número 1 na civilização ocidental, e está rapidamente se tornando o mesmo em
países/cidades que adotam o estilo de vida ocidental, evitar ou reduzir o colesterol na dieta seria uma alternativa
saudável. No entanto, existe uma parte do colesterol que remove o colesterol não saudável das artérias. Esse é o
HDL (lipoproteínas de alta densidade). Ele pode ser aumentado eficazmente através de exercício físico vigoroso e
regular. (Informação sobre Colesterol – a menos que especificamente citado em outro lugar – vem das seguintes
fontes:)

Respostas a Perguntas Práticas Sobre a Gordura


Q. Quais são os melhores tipos de gorduras para se comer?
A. Aquelas que ocorrem naturalmente em alimentos de origem vegetal. Grãos integrais, castanhas, feijões, sementes,
abacates e azeitonas são boas fontes alimentares de óleo. O ideal é que os tipos de óleo sejam variados para se obter
os benefícios das diversas quantidades de ácidos graxos presente em cada um.

Testemunhos para a Igreja, Volume 7, p. 134. “As azeitonas podem ser preparadas de modo tal que sejam
comidas com bons resultados em cada refeição. O proveito visado com o uso da manteiga pode ser obtido
substituindo-a por azeitonas devidamente preparadas. O óleo das azeitonas corrige a constipação, e para os
tuberculosos e os que sofrem de inflamação e irritação do estômago, ela é melhor do que qualquer medicamento.
Como alimento, é melhor do que qualquer gordura de segunda mão, de origem animal.”

Q. E quanto a alimentos fritos?


A. Fritar alimentos nunca é ideal para a saúde, já que subprodutos tóxicos são rotineiramente produzidos; no entanto,
se gordura for usada para fritura, óleos refinados (especialmente óleos alto oleicos) que contem menos ácidos
graxos essenciais são menos perigosos pois produzem menos subprodutos tóxico; o óleo deve ser mantido abaixo
do ponto de fumaça (em torno de 230˚C). A temperatura típica para fritura é em torno de 190 graus C, e a
qualidade do óleo deteriora cada vez que é reusado para fritura. Para ter boa saúde, óleos usados para fritar não
devem ser reusados. Uma alternativa mais saudável usada em algumas culturas ao redor do mundo é colocar um
pouco de água na panela e então acrescentar o óleo, ou colocar os vegetais na panela antes de acrescentar o óleo.
Ambas as opções tendem a manter as altas temperaturas sob controle e causam menos dano.

Câncer de Pulmão em Mulheres Chinesas: a incidência de câncer de pulmão em mulheres chinesas está entre as
mais elevadas no mundo, a despeito da baixa incidência do uso de tabaco. Vários óleos para uso culinário foram
aquecidos em uma wok (panela chinesa) até ferver, entre 240-280 graus C (temperatura típica na culinária da
China). Os óleos testados eram óleos chineses de semente de colza (conhecido como canola, refinado e não
refinado), de soja e amendoim. Condensados (gotículas) de óleos não refinados aquecidos são altamente
mutagênicos (danificam os genes e aumentam o risco de câncer). Pesquisadores indicaram a fumaça do óleo de
cozinha (especialmente do óleo de canola nas frigideiras ) como um grande fator e descobriram que mais tempo
de exposição à fumaça da fritura resulta em uma incidência significantemente maior de câncer de pulmão.,,

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 323. “Não cremos que batatas fritas sejam saudáveis, pois há em seu
preparo mais ou menos gordura ou manteiga. Boas batatas cozidas ou assadas, servidas com nata e um pouco de
sal, são as mais saudáveis. As sobras das batatas-inglesas e batatas-doces são preparadas com um pouco de nata e
de sal, e tornadas a assar, não fritar; são excelentes.”

Q. Que são gorduras trans? Deveríamos evitá-las?


A. As gorduras saturadas (veja acima) e gorduras trans na dieta são mais perigosas ainda do que o colesterol na dieta.
Gorduras trans se formam quando técnicas comerciais de processamento inserem átomos de hidrogênio na estrutura
das gorduras poliinsaturadas. Este processo faz com que elas fiquem sólidas em temperatura ambiente e se tornem
rançosas mais lentamente. Isto é ideal para margarinas e muitos alimentos assados já que resulta numa textura
superior e maior tempo de validade. No entanto, possíveis riscos incluem:
• Aumento nos níveis de colesterol total de LDL;
• Alguns estudos também indicam que gorduras trans estão relacionadas ao desenvolvimento de câncer;
134 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• É sugerido que aumenta o risco de doenças cardíacas, derrames cerebrais e de desenvolver diabetes tipo 2
e diminui os níveis de HDL.

Portanto, pode ser proveitoso verificar os rótulos de alimentos e evitar produtos feitos com óleos parcialmente
hidrogenados, como pães e bolachas assadas comercialmente, batata palha, rosquinhas e algumas pipocas.
Recomendação é de limitar gorduras trans a <1% do total das calorias ingeridas.

Q. E as gorduras que tem gosto rançoso?


A. O ranço é causado pela oxidação de gorduras não saturadas, evidentes no odor e gosto. Gorduras rançosas não
devem ser ingeridas, pois podem danificar os vasos sanguíneos e aumentar o risco de certos cânceres. Estudos em
animais também demonstram diminuição no ganho de peso esperado (crescimento), alteração na produção de
espermas, diminuição da produção de células brancas (linfócitos), diminuição da estocagem de glicogênio no
fígado, dano ao fígado, dano aos rins e outros males.,,,,

______________________________

Whitney, E.& Rolfes, S. (2011). Understanding Nutrition, Twelfth Edition. Belmont, CA: Wadsworth Publishing.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
Committee on Dietary Reference Intakes. (2002/2005). Dietary Reference Intakes for Energy, Carbohydrate, Fiber, Fat, Fatty Acids, Cholesterol, Protein,
and Amino Acids. National Academy of Sciences. Washington, D.C.: National Academies Press.
Maki, P.A. & Newberne, P.M. Dietary lipds and immune function. J. Nutr. 122: 610-614, 1992.
Fuhrman B., Brook J.G., & Aviram M. (1986). Increased platelet aggregation during alimentary hyperlipemia in normal and hypertriglyceridemic subjects.
Ann Nutr Metab. 1986;30(4):250-60.
Craig, W. (1999). Nutrition and wellness: a vegetarian way to better health. Berrien Springs, MI: Golden Harvest Books.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
Arunima, S. & Rajamohan, T. (2012). Virgin coconut oil improves hepatic lipid metabolism in rats--compared with copra oil, olive oil and sunflower oil.
Indian J Exp Biol. 50(11):802-9. Retrieved from http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23305031
Krishna, G., Raj, G., Bhatnagar, A.S., Kumar, P. & Chandrashekar, P. (2010). Coconut Oil: Chemistry, Production and Its Applications - A Review. Indian
Coconut Journal. http://www.coconutboard.gov.in/English-Article-Gopalakrishna-CFTRI.pdf
Trichopoulou, A., Katsouyanni, K, et al. Consumption of olive oil and specific food groups in relation to breast cancer in Greece. J Natl Cancer Inst. 1995 Jan
18;87(2):110-116.
FAO. (2010). Fats and fatty acids in human nutrition: Report of an expert consultation. FAO Food and Nutrition Paper: 91. Retrieved June 3, 2015 from
http://foris.fao.org/preview/25553-0ece4cb94ac52f9a25af77ca5cfba7a8c.pdf
Kolonel, L. N., & Nomura, A. M. (1983). Role of diet in cancer incidence in Hawaii. Cancer Res. 43(5 Suppl):2397s-2402s.
Helzlsouer, K. J, Alberg, A. J., et al. (1996). Prospective study of serum micronutrients and ovarian cancer. J Natl Cancer Inst. 88(1):32-37.
Erasmus, U. (1993). Fats that heal, fats that kill. Buraby, BC, Canada: Alive Books.
Seeley, Stephens, and Tate (2006). Anatomy and physiology (7th ed.). New York: McGraw-Hill.
Yu, I. T., Chiu, Y. L., Au, J. S., Wong, T. W., & Tang, J. L. (2006). Dose-response relationship between cooking fumes exposures and lung cancer among
Chinese nonsmoking women. Cancer Res. 66(9):4961-7.
Zhong, L., Goldberg, M. S., Gao, Y. T., & Jin, F. (1999). Lung cancer and indoor air pollution arising from Chinese-style cooking among nonsmoking
women living in Shanghai, China. Epidemiology. 10(5):488-94.
Shields, P. G., Xu, G. X., Blot, W. J., Fraumeni, J. F., Trivers, G. E., Pellizzari, E. D., Qu, Y. H., Gao, Y. T., & Harris, C. C. (1995). Mutagens from heated
Chinese and U.S. cooking oils. J Natl Cancer Inst. 87(11):836-41.
American Heart Associacion. (2014). Trans Fats. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.heart.org/HEARTORG/GettingHealthy/NutritionCenter/HealthyEating/Trans-Fats_UCM_301120_Article.jsp
Feng, B. J., Jalbout, M., Ayoub, W. B., Khyatti, M., Dahmoul, S., Ayad, M., Maachi, F., Bedadra, W., Abdoun, M., Mesli, S., Hamdi-Cherif, M., Boualga,
K., Bouaouina, N., Chouchane, L., Benider, A., Ben Ayed, F., Goldgar, D., & Corbex. M. (2007). Dietary risk factors for nasopharyngeal carcinoma in
Maghrebian countries. Int J Cancer. 121(7):1550-5.
Laouamri, S., Hamdi-Cherif, M., Sekfali, N., Mokhtari, L., & Kharchi, R. (2001). Dietary risk factors of nasopharyngeal carcinoma in the Setif area in
Algeria. Rev Epidemiol Sante Publique. 49(2):145-56.
Fekete, S. G., Andrásofszky, E., & Glávits, R. (2009). Pathological changes induced by rancid feed in rats and effects on growth and protein utilization. Acta
Vet Hung. 57(2):247-61.
Totani, N., Burenjargal, M., Yawata, M., & Ojiri, Y. (2008). Chemical properties and cytotoxicity of thermally oxidized oil. J Oleo Sci. 57(3):153-60.
Totani, N., & Ojiri, Y. (2007). Mild ingestion of used frying oil damages hepatic and renal cells in Wistar rats. J Oleo Sci. 56(5):261-7.

(Data not specifically credited in this section on fats drawn from: Erasmus, Udo. (1993). Fats that heal, fats that kill. Alive Books: Buraby, BC, Canada;
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books; Seeley, Stephens, and Tate (2006). Anatomy and physiology (7th ed.). McGraw-Hill:
New York; Whitney, E. & Rolfes, S.R. (2013). Understanding nutrition. Thomson Higher Education: Belmont, CA.).

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 135


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 5 – Proteína
Definição: uma classe de compostos orgânicos nitrogenados que consiste em grandes moléculas compostas por
cadeias mais longas de aminoácidos. São parte essencial de todos os organismos vivos, especialmente como
componentes estruturais dos tecidos, tais como: músculos, cabelo, colágeno, etc., e como enzimas e anticorpos. Existem
20 aminoácidos, 12 que o corpo pode fazer e 8 que são chamados essenciais e precisam ser obtidos do alimento que
comemos. Um número quase infinito de proteínas pode ser construído de aminoácidos, já que a sequência determina o
tipo, formato e função de cada proteína.

Funções
1. Materiais de construção para a formação e reparo de células e tecidos;
2. Forma partes integrais de todas as células e da maioria das estruturas do corpo, como pele, cabelo, cicatrizes,
mucosa GI (gastrointestinal), células vermelhas, tendões, músculos, órgãos, ossos, etc.;
3. Ajuda a manter o equilíbrio dentro do corpo, isto é, o pH, volume do sangue, etc.;
4. Atua como enzimas para facilitar reações químicas (compostos que são capazes de juntar e separar moléculas
rapidamente sem serem mudadas durante o processo);
5. Carregadores/transportadores de substâncias tais como lipídios, vitaminas, minerais e oxigênio;
6. Componentes do LDL – carregam colesterol para as artérias – e HDL – carregam colesterol para o fígado para
ser transformado em bile;
7. Essencial para o coagulação do sangue;
8. Parte de muitos hormônios: mensageiros químicos lançados na circulação sanguínea para regular os processos
do corpo;
9. Anticorpos: proteínas desempenham muitas funções vitais em uma resposta imunológica eficaz (identifica
inimigos, ativa a reação imunológica, desativa inimigos, protege a superfície da pele e a mucosa);
10. Força estrutural: colágeno em tecidos conectivos provê força estrutural, queratina na pele dá força ao cabelo e
unhas, etc.;
11. Energia: a proteína pode ser usada quando necessária para a produção de energia.
12. Contração muscular (utiliza as proteínas actina e miosina);
13. Necessária para a visão.

Quanto é necessário?
A porcentagem de calorias de proteína contidas no leite de muitas espécies diferentes varia e isso tem uma
correlação geral com o seu índice de crescimento.. O ser humano tem apenas 5% das calorias do leite vindas de
proteína e demora 180 dias para o bebê duplicar o peso de nascimento, enquanto o leite da vaca tem 15% das
calorias vindas de proteína e demora 47 dias para o bezerro duplicar o peso de nascimento. O leite de rato tem 49%
das calorias vindas de proteína, e demora apenas 4 dias para o filhote duplicar o peso de nascimento. O Criador com
certeza sabia que índice de desenvolvimento era ideal para os humanos, para que promovesse o desenvolvimento do
cérebro bem como o crescimento em geral. Talvez, mais proteína nem sempre seja o melhor.

A Ingestão Diária Recomendada (IDR) atualmente é de 46 g/dia para mulheres e 56 g/dia para homens ou 10-15%
do total das calorias consumidas. Um método mais exato para calcular a proteína é de 0,8 g para cada quilo de peso
corporal² para adultos:

Exemplos de pesos corporais e necessidades de proteína seriam:


45,5 kg = 36,4 gramas por dia 68,2 kg = 54,5 gramas por dia

Com cuidadoso equilíbrio na dieta, o pesquisador Rose, em 1964, descobriu que 18 gramas de proteína por dia eram
adequadas, e Hegsted, em 1971, descobriu que 10 gramas eram adequadas, desde que sejam MUITO BEM
equilibradas.

136 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Fontes
Todos os seres vivos, tanto plantas como animais, contêm quantidades variadas de proteína, já que ela é uma parte
vital de todas as células.

Deficiência
Proteína de qualidade é importante, especialmente para mulheres grávidas ou lactantes, e bebês durante os anos de
crescimento. Todos precisam de uma quantidade moderada de proteína para manter boa saúde. Uma dieta
empobrecida encontrada entre as pessoas de muito baixo poder aquisitivo, que passam fome ou são afetadas por
desastres em alguns países em desenvolvimento, leva à deficiências de proteína, assim como de outros nutrientes.
Deficiência de proteína normalmente vem depois de deficiência calórica. Kwashiorkor, a doença que faz com que
crianças mal nutridas tenham a parte superior dos braços magrinha e a parte inferior dos braços e pernas “gordinhas”
(edematosas) e a barriga saliente, era considerada como sendo devida unicamente à deficiência de proteína. Agora se
sabe que a Kwashiorkor é causada por privação súbita de alimento nutritivo (normalmente leite materno),
frequentemente devido ao nascimento de uma segunda criança/doença/infecção e a transição a uma dieta rica em
carboidrato e baixa em vitaminas, minerais, ácidos graxos e proteínas. Ela foi renomeada como “privação súbita de
proteínas e calorias”. Marasmo, por outro lado, é causado por privação severa de quantidades suficientes de todos os
componentes de um gênero alimentício por um grande período de tempo; simplesmente um nome técnico para a
inanição (fome).

Efeitos do Consumo Excessivo


1. Doença cardíaca (apenas de proteínas animais);
2. Câncer de cólon, rins, mama, pâncreas, próstata e glândulas linfáticas (apenas de proteínas animais);
3. Osteoporose: quando o consumo de proteína é elevado, a excreção do cálcio aumenta. muito Alguns
pesquisadores também sugerem que proteínas animais causam maior excreção de cálcio do que proteínas
vegetais. O conteúdo de enxofre e fosforo na carne deixa um resíduo acido que o corpo precisa neutralizar
tirando cálcio dos ossos;
4. Outro estudo explorou o relacionamento entre fraturas na bacia e o consumo de cálcio. Descobriu-se que há um
índice maior de fraturas na bacia em países como Escandinávia, EUA e Nova Zelândia, onde o consumo de
produtos lácteos e cálcio é elevado, e um índice menor em países como África do Sul, nova Guiné e Singapura,
onde o consumo de cálcio é muito baixo (abaixo de 500 mg/dia);5 Outros fatores de estilo de vida também
afetam esses resultados como exercício, consumo de vitamina D, Vitamina K, e sal.
5. Baixo consumo de proteína parece diminuir ou impedir a progressão de insuficiência renal;
6. Diminuição do número de células exterminadoras naturais, células auxiliares T e linfócito T citotóxico;
7. Colesterol sanguíneo elevado;
8. Pedras nos rins (proteína animal);
9. O corpo usa proteína como uma fonte de energia quando tem pouca glicose ou ácidos graxos. Contudo, ela não é
uma fonte de energia eficiente e causa a produção de amônia (que é toxico para o corpo) este é convertido em
ureia (menos toxico) e dai é excretado pelos rins.
10. Acelera o processo de envelhecimento;

Perguntas Comuns Respondidas


Q. Não precisamos de proteína completa/de alta qualidade?
A. Uma proteína completa/de alta qualidade contém todos os aminoácidos essenciais em quantidades suficientes
requeridas pelos seres humanos, dentro de um alimento específico, mas não contém todos os aminoácidos não
essenciais. Normalmente proteínas animais como carne, peixe, leite, queijos e ovos são completas, já que os próprios
animais sintetizam as proteínas não essenciais. Proteínas vegetais possuem padrões de aminoácidos muito mais
complexos e podem conter uma quantidade limitada de um ou mais aminoácidos essenciais. Soja é o único alimento
vegetal que contém quantidades significantes de todos os 8 aminoácidos essenciais e é a fonte vegetariana mais
completa de proteína. Quando proteínas vegetais são ingeridas em combinações complementares, o corpo é capaz de
sintetizar todos os outros aminoácidos necessários e guardá-los no fígado brevemente. A pessoa pode comer um grão
(milho, aveia, trigo, arroz, etc.), uma leguminosa como feijão, e uma pequena porção de castanhas ou sementes no
mesmo dia para obter proteína completa; não precisa ser na mesma refeição. A maioria dos vegetais e frutas também

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 137


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
contém uma porção pequena de proteína; então esses alimentos acrescentam os aminoácidos que precisamos. É
melhor comer uma variedade de grãos, feijões, sementes e castanhas em vez de o mesmo tipo todos os dias.

Melhores Fontes de Proteína: Proteínas Vegetais vs. Animais


É fascinante observar que o tempo de vida do homem caiu drasticamente depois que a proteína animal foi
introduzida na dieta pós-diluviana. A seguir está um gráfico do tempo da longevidade das pessoas antes e depois do
dilúvio. A dieta antes do dilúvio era vegetariana; a carne foi acrescentada depois do dilúvio, levando a uma queda
DRAMÁTICA na longevidade. Será que carne pode diminuir nossa longevidade?

Um estudo comparou a incidência de câncer da glândula linfática ao redor do mundo com a quantidade de proteína
bovina consumida diariamente. A tendência geral sugere que quanto maior a quantidade de proteína bovina
consumida, maior a incidência de câncer da glândula linfática (com os EUA tendo a incidência mais elevada no
estudo, e classificado em segundo lugar no consumo de proteína bovina).5 Isso descreve apenas um de vários
cânceres relacionados em pesquisas ao crescente consumo de proteína animal.
Será que a proteína animal pode ter efeito nos níveis de colesterol? Um estudo feito em coelhos pode dar uma ideia
quanto a um dos possíveis fatores contribuintes para um risco crescente de doença cardíaca. Quando coelhos foram
alimentados com proteínas de origem animal eles apresentaram em média um nível de colesterol de 175 mg/dL
(variação entre 107-270 mg/dL). No entanto, quando proteínas vegetais foram usadas, os coelhos apresentaram em
média um nível de colesterol de 67 mg/dL (variação de 43-80 mg/dL).
Mas alguém pode questionar, com razão, se isso é verdade apenas em coelhos ou se pode ser aplicado a humanos
também. Um estudo feito em pessoas com níveis altos de colesterol revelou que, quando proteína de soja (PVT) era
usado em vez de caseína, havia9uma redução de 16% nos níveis de colesterol total e também de LDL. Mais pesquisa
nessa área seria benéfico.
____________________________

Seeley, Stephens, & Tate (2006). Anatomy and physiology (7th ed.). New York: McGraw-Hill.
Whitney, E. & Rolfes, S. R. (2013). Understanding nutrition (13th ed.). Belmont, CA: Thomson Higher Education.
Robbins, J. (1998). A diet for a new America. p. 175. Tiburon, CA: HJ Kramer Inc.
WHO/FAO. (2003). WHO/FAO release independent Expert Report on diet and chronic disease. WHO. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2003/pr20/en/.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
Hu FB, Stampfer MJ, Rimm EB, et al. A Prospective Study of Egg Consumption and Risk of Cardiovascular Disease in Men and Women. JAMA.
1999;281(15):1387-1394. doi:10-1001/pubs.JAMA-ISSN-0098-7484-281-15-joc81683.
Pendick, D. (2013). 5 steps for preventing kidney stones. Havard Health Publications: Harvard Medical School. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.health.harvard.edu/blog/5-steps-for-preventing-kidney-stones-201310046721
Mazess, R. B. (1974). Am. J. Clin. Nutr. 27:916.
Lovati, M.R., Manzoni, C., Canavesi, A., Sirtori, M., Vaccarino, V., Marchi, M., Gaddi, G., Y Sirtori, C.R. (1987). Soybean portein diet increases low density
lipoprotein receptor activity in mononuclear cells from hypercholesterolemic patients. J. Clin. Invest. 80: 1498-1502.

138 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 6 – Uso de Produtos Animais e Risco para a Saúde Humana,


Parte I
Doença em Animais
Conselhos sobre Regime Alimentar, p. 373. “Deus deu aos nossos primeiros pais o alimento que pretendia que a
humanidade comesse. Era contrário ao Seu plano que se tirasse a vida a qualquer criatura. Não devia haver morte no
Éden. Os frutos das árvores do jardim eram o alimento que as necessidades do homem requeriam. Deus não deu ao
homem permissão para comer alimento animal, senão depois do dilúvio. Fora destruído tudo que pudesse servir para
a subsistência do homem, e diante da necessidade deste, o Senhor deu a Noé permissão de comer dos animais limpos
que ele levara consigo na arca. Mas o alimento animal não era o artigo de alimentação mais saudável para o homem.
... Depois do dilúvio o povo comeu à vontade do alimento animal... Permitiu Ele que aquela raça de gente longeva
comesse alimento animal, a fim de abreviar sua vida pecaminosa. Logo após o dilúvio o gênero humano começou a
decrescer rapidamente em tamanho, e na extensão dos anos.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 375. “Afastando-se do plano divinamente indicado para seu regime,
sofreram os israelitas grande prejuízo. Desejaram um regime cárneo, e colheram-lhe os resultados... Estimaram o
terreno acima do espiritual, e a sagrada preeminência que Deus tinha o propósito de lhes dar não conseguiram eles
obter.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 375. “O Senhor disse claramente a Seu povo que lhes viriam todas as
bênçãos, caso eles guardassem Seus mandamentos, e fossem um povo particular... O estado da mente tem
grandemente que ver com a saúde do corpo… Em geral, o Senhor não proveu carne a Seu povo no deserto, porque
sabia que esse regime suscitaria doença e insubordinação. A fim de modificar a disposição e levar as mais altas
faculdades do espírito a exercício ativo, deles tirou a carne de animais mortos. Deu-lhes o pão dos anjos, maná do
céu.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 384. “A luz que me é dada é que não tardará muito, teremos de abandonar
o uso de alimentos animais. Mesmo o leite terá de ser rejeitado. Acumula-se rapidamente a doença. Acha-se sobre a
Terra a maldição de Deus, porquanto os homens a arruinaram. Os hábitos e práticas dos homens levaram a Terra a
tal condição que algum outro alimento precisa substituir a carne para a família humana. Não necessitamos
absolutamente de alimento cárneo. Deus nos pode dar outra coisa.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 386. “Os animais estão doentes, e participando de sua carne, plantamos as
sementes de enfermidades em nossos tecidos e sangue.”

Será que pesquisas atuais apoiam estas declarações? Vamos explorar algumas das doenças em animais que podem
possivelmente ser transmitidas a humanos (Lembre-se: a carne geralmente contém quantidades elevadas de gordura,
proteína, ferro, colesterol, e nenhuma fibra).

Doença Cardíaca
Como falamos em aulas anteriores, a gordura, o colesterol e a proteína animal contribuem grandemente para o
desenvolvimento de aterosclerose e doenças cardíacas. Um estudo interessante foi conduzido para examinar a
incidência de morte por doença coronariana entre a população em geral e entre homens adventistas acima de 35
anos de idade que vivem na Califórnia. Entre os adventistas, foi descoberto que os não vegetarianos tinham 56%
das mortes por doença cardíaca comparados com a população em geral, enquanto os ovo-lacto-vegetarianos
tinham 39%, e os totalmente vegetarianos apenas 14% das mortes quando comparados com a população em geral.

Câncer
Cientistas estimam que de 35-60% de todos os cânceres podem estar relacionados à dieta.
Câncer de cólon: Um estudo realizado pela Universidade de Harvard com 88.000 enfermeiros indicou um risco
de 149% a mais entre os que comiam carne (bovina, suína e de cordeiro) diariamente, do que entre os que
comiam menos que uma vez por mês. Os que comiam peixe também demonstraram um aumento na incidência de
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 139
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
câncer de cólon. Outro estudo feito pela Universidade de Harvard com 50.000 homens demonstrou um aumento
3,5 vezes maior de incidência de câncer de cólon entre os que comiam carne vermelha cinco vezes por semana,
comparado com os que comiam carne vermelha menos de uma vez por mês. Um estudo europeu descobriu um
risco duplo de câncer de cólon entre os que comiam carne frequentemente em contraste com os que raramente ou
nunca comiam carne. Estudos realizados na Austrália também deram resultados semelhantes.
Câncer de mama: Pesquisas com 140.000 mulheres japonesas demonstraram um risco quatro vezes maior de
câncer de mama entre as que consumiam muita carne vermelha do que entre as que consumiam pouca carne
vermelha – depois de ajustar todos os outros fatores de risco conhecidos. Um estudo na Noruega demonstrou um
risco dobrando entre as que comiam carne cinco vezes por semana em contraste com pessoas que comiam carne
duas ou menos vezes por semana. Outros estudos demonstram que as que comem mais gordura animal têm o
mais alto risco de câncer de mama (risco 60% maior).
Câncer de próstata: No Estudo Adventista de Saúde da Loma Linda, os que consumiam a maior quantidade de
produtos animais tinham um risco três vezes maior de morrer de câncer de próstata. Em um estudo de
profissionais de saúde da Harvard, realizado com 50.000 homens, descobriu-se que os que comiam carne
vermelha cinco vezes por semana tinham um risco 2,5 (250%) vezes maior de uma forma de câncer de próstata
letal. Pesquisas internacionais demonstram uma associação entre câncer de próstata e gordura animal, no entanto
nenhum relacionamento foi notado com gordura vegetal.
Câncer de ovário: A incidência entre 100.000 mulheres no público em geral aumentou de 15,9 em
ovolactovegetarianas para 26,4 entre as que comiam carne quatro ou mais vezes por semana. Um estudo japonês
sugeriu que 20% de todos os cânceres de ovário estão relacionados unicamente ao consumo elevado de carne.
Italianos descobriram que mulheres que comiam carne sete ou mais vezes por semana tiveram um aumento de
60% no índice de câncer de ovário, e um aumento de 200% entre as que usavam presunto quatro vezes ou mais
por semana.
Câncer da glândula linfática: Um estudo realizado com 35.000 mulheres no estado do Iowa, Estados Unidos,
descobriu que o câncer da glândula linfática duplicou nos 33% das mulheres que comiam mais carne vermelha.
Hambúrgueres foram especialmente implicados. Os que comiam hambúrgueres quatro vezes por semana ou mais
desenvolveram mais que duas vezes (200%) a incidência de câncer da glândula linfática.

Outros cânceres relacionados ao consumo elevado de carne e produtos animais: câncer de pulmão, linfoma não-
Hodgkin, câncer de pâncreas, fígado, rins e útero.

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 388. “Cânceres, tumores e toda enfermidade inflamatória são causados
em grande parte pelo alimento cárneo… a predominância do câncer e dos tumores é em grande parte devida ao
uso abundante de carne de animais mortos.”

Fatores que Causam Câncer:

Benzopireno: Este potente carcinógeno tem demonstrado atividade cancerígena no fígado, estômago, colón,
intestino, esôfago, pulmão e tecido da mama. É produzido em grande quantidade quando a gordura da carne cai
no fogo/brasa e se transforma em hidrocarbonos que destilam em fumaça e se adere à superfície da carne ao
subir. Um quilo de bife grelhado produz a mesma quantidade de benzopireno encontrada em 600 cigarros. Outros
componentes mutagênicos e carcinogênicos também são causados pelo processo de grelhar carne e peixe.
Linfomas e leucemias têm sido produzidos em ratos alimentados com esses hidrocarbonetos policíclicos
aromáticos, enquanto um risco crescente de câncer de estômago e colorretal tem sido notado em humanos. O
processo de grelhar e fritar também produz aminas heterocíclicas. Essas moléculas estão ligadas ao aumento do
risco de câncer de intestino, fígado, mama e estômago, bem como linfomas em animais de laboratórios e câncer
de mama em mulheres no Uruguai.
Colesterol (encontrado em carne, ovos e produtos lácteos):O consumo elevado de colesterol foi relacionado
a câncer de ovário, pulmão, laringe e cólon . Mulheres com níveis elevados de colesterol no sangue
demonstraram uma probabilidade três vezes maior de desenvolver câncer de ovário.
Consumo excessivo de ferro: Grandes quantidades de ferro podem ser obtidas da carne vermelha. Estudos
sugerem que níveis elevados de ferro aumentam o risco de pólipos no cólon se transformarem em um câncer.

140 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Doenças Priônicas
Doenças Priônicas são causadas por uma proteína estranha (chamada príon) que se assemelha às proteínas do
cérebro, mas que é dobrada de modo diferente. Quando ela entra em contato com as proteínas normais do
cérebro, ela os influencía a mudarem seu formato para a configuração anormal da proteína, e o processo se repete
em todo o cérebro até que este se assemelhe a uma esponja. Esta doença foi descoberta em mais de 20 espécies de
animais e em humanos. Tornou-se pública depois de milhares de vacas morrerem na Inglaterra de uma forma da
doença priônica conhecida como “Doença da Vaca Louca”, que era contraída alimentando vacas adultas com
carne de ovelhas infectadas. As pessoas então contraíram a doença das vacas. Essa proteína não pode ser
destruída por antibióticos, calor, radiação, congelamento, secagem ou desinfecção. A pessoa afetada por essa
proteína apresenta sintomas rapidamente progressivos que se assemelham à doença de Alzheimer. A pessoa
tipicamente morre dentro de 2 anos após os sintomas se manifestarem. Essa doença é espalhada comendo
proteínas anormais, primariamente encontradas em carne e no tecido neural. O fator preocupante é que um animal
pode ter a doença por meses e até anos antes de demonstrar sintomas, e testes são realizados principalmente
depois da morte do animal. Isto sugere que uma vaca pode ser abatida enquanto parece estar em perfeita saúde,
embora na realidade esteja infectada pela príon, e assim transmitir a doença aos humanos.

Ciência do Bom Viver, p. 315. “Os efeitos do regime cárneo podem não ser imediatamente experimentados; isto,
porém, não é nenhuma prova de que não seja nocivo. A poucas pessoas se pode fazer ver que é a carne que
ingerem o que lhes tem envenenado o sangue e ocasionado os sofrimentos. Muitos morrem de doenças
inteiramente devidas ao uso da carne, ao passo que a verdadeira causa não é suspeitada nem por eles nem pelos
outros.”

Riscos Bacterianos
Campylobacter é a principal causa de intoxicação alimentar nos EUA. Mais de dois milhões de americanos são
infectados anualmente e desenvolvem sintomas tais como dor abdominal, febre, náusea e vômito (os sintomas
podem ser severos e prolongados em 20% dos casos), com até 200 mortes/ano nos EUA. Alimentos associados
com maior risco dessa doença incluem frango (~50% dos casos), carne bovina, glacê de bolo, leite cru e ovos.
E. coli é uma bactéria encontrada no intestino humano e animal. Ela deixa milhares de doentes e centenas de
mortos no mundo todo anualmente. Ela provoca diarreia com sangue, desidratação e, em alguns casos, a
ameaçadora insuficiência renal. O Centro de Controle de Doenças (CDC) calcula que de 10.000 a 20.000
americanos são infectado pela E. coli anualmente. Ela está associada com a contaminação por fezes de animais
(ou humanas). Outras fontes de infecção incluem hambúrguer, leite, linguiça, rosbife e vinho de maçã. E. coli
pode ser destruída com cozimento total.
Salmonela causa aproximadamente dois milhões de doenças anualmente nos EUA. Sintomas tipicamente
incluem infecção intestinal com diarreia, febre e calafrios. No entanto, mais de 10% dos pacientes exigem
hospitalização e podem desenvolver meningites, sepsia e artrite crônica (e alguns morrem). Tanto a Salmonela
como a Campylobacter podem ser eliminadas se os alimentos forem completamente cozidos. Cozinheiros
precisam ser cuidadosos para não espalhar a bactéria via utensílios, panelas, tábuas para cortar, panos de prato e
esponjas. Alimentos de maior risco incluem galinha, sorvete, chocolate, ovos e alimentos feitos com ovos.
Listeria normalmente é transmitida através de alimentos contaminados como carne e vegetais não cozidos como
brotos, queijos, leite cru, sorvete, alguns queijos frescos, carnes processadas, cachorros quentes, etc. Infecção
bacteriana grave que pode causar febre, dores nos músculos, diarreia, dores de cabeça, confusão, convulsões, e
ate morte. Na gravidez, pode também causar cansaço, natimorto, aborto espontâneo, ou doenças que causam
perigo de vida (incluindo meningites) no bebe apos nascimento. Listeria é especialmente perigosa para gestantes,
idosos, infantes, e pessoas com o sistema imunológico comprometido. Essa bactéria é destruída quando cozida
mas pode crescer na refrigeração.
Outras infecções bacterianas notáveis espalhadas através de animais incluem: Yersínia (febre e dor abdominal
– frequentemente provoca apendicectomias desnecessárias; encontrada na carne suína e em produtos lácteos), e
Clostridium perfringens (cólicas abdominais/vômito – encontrada na carne bovina e de galinha).

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 141


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Riscos virais
Vírus da Leucemia Bovina: Parente próximo do HTLV-1 (que causa a leucemia das células T em humanos).
Esse vírus causa leucemia e linfossarcoma (câncer da glândula linfática) no gado. Cerca de 40% do gado e 83%
dos rebanhos dos EUA estão infectados com o vírus. Quando ovelhas são alimentadas com leite infectado
contendo partículas virais, elas desenvolvem linfossarcoma, contudo, chimpanzés alimentados com leite
infectado desenvolvem leucemia e pneumonia pneumocística. Este vírus foi achado no tecido mamário de
humanos com uma incidência maior em quem teve câncer de mama. Será que isso pode causar o câncer no ser
humano? Esta é a pergunta que se faz hoje.. O vírus é eliminado através da esterilização. A leucemia é uma
assassina significativa nos EUA, especialmente entre crianças.

Outras doenças e preocupações


Triquinose, giárdia lamblia, ancilostomíase, vibrio cólera, leptospirose, tênia de peixe, escombrídeo,
nematelminto, brucelose, tênia suína, tênia bovina, intoxicação por ciguatera, micose, tularemia, e
criptosporidiose são apenas algumas de muitas doenças associadas ao consumo de produtos animais ou exposição
a animais.
A doença de Crohn, uma doença intestinal devastadora que causa diarreia com sangue, febre, dor, artrite e
incapacidade, recentemente foi conectada ao uso de produtos lácteos através do germe Mycobacterium
Paratuberculosis. Esse organismo é comumente encontrado em ovelhas, gados e outros animais semelhantes, e é
capaz de sobreviver aos métodos comuns de pasteurização.
Além disso, entre os hormônios sintéticos usados nos EUA estão: o estradiol, progesterona, testosterona, zeranol,
acetato de trenbolona, e acetato de melengestrol. Esses químicos são frequentemente usados em todos os animais,
fora os porcos e galinhas para estimular o ganho de peso. Os efeitos desses hormônios nos seres humanos ainda
são incertos.
Pessoas que lidam com animais possuem um risco mais elevado de adquirir a doença de Hodgkin, mieloma
múltiplo, leucemia, melanoma, linfoma, câncer de estômago, câncer de próstata e doença de Paget.

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 384, 388. “A carne nunca foi o alimento melhor; seu uso agora é,
todavia, duplamente objetável, visto as doenças nos animais estarem crescendo com tanta rapidez... Os que
comem alimentos cárneos mal sabem o que estão ingerindo. Frequentemente, se pudessem ver os animais ainda
vivos, e saber que espécie de carne estão comendo, iriam repelir enojados. O povo come continuamente carne
cheia de micróbios de tuberculose e câncer. Assim são comunicadas essas e outras doenças.”

Destaque Sobre Peixes


Alguns profissionais da área médica em todo o mundo recomendam o consumo de peixe como um meio para baixar
o colesterol, o risco de doença cardíaca, e como uma alternativa saudável para a carne vermelha. Além disso, é
frequentemente mencionando que Jesus comeu peixe enquanto viveu na terra. Será que os tempos mudaram?
Deveríamos nós recomendar seu uso sem reservas ou essa história tem mais detalhes?

É bem verdade que a maioria das pessoas que substitui o consumo elevado de carne vermelha na dieta por peixe
consegue diminuir os níveis de colesterol no sangue e o risco de morte por doença cardíaca (em até 50% como
mostra um estudo). Algumas das razões por trás disso incluem o seguinte: o peixe contém mais gordura poli-
insaturada e menos gordura saturada do que a carne vermelha – ambos fatores ajudam a baixar o colesterol e
portanto o risco de doença cardíaca. Além disso, ácidos graxos Ômega 3 estão presentes em quantidades
significantes no peixe. O Ômega 3 foi discutido anteriormente, e aprendemos que ele também ajuda a diminuir o
triglicerídeos, e o risco de coagulo sanguíneo doença cardíaca.

Algumas preocupações com relação à saúde:


1. Em comparação a uma dieta vegetariana sem nenhum produto animal, o consumo de peixe, na verdade, vai
aumentar o consumo dietético diário de colesterol, e vai causar um aumento nos níveis de LDL (colesterol
não saudável) do sangue. É verdade que o nível de colesterol é mais baixo do que na carne vermelha, mas é
muito maior do que nas fontes vegetais, pois alimento vegetal não contém colesterol.

142 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
2. Quem segue uma dieta completamente vegetariana tem uma queda de 86% de mortalidade doenças
cardíacas, enquanto quem come peixe (e não outras carnes) tinha uma queda de somente 50% comparado a
quem come carne vermelha.
3. Um estudo da Universidade de Harvard com 44.895 profissionais da área médica descobriu que homens que
comiam peixe várias vezes por semana tinham a mesma probabilidade de sofrer ataque do coração do que os
que comiam peixe apenas uma vez por mês. Sugeriu também que os que comiam peixe seis ou mais vezes
por semana tinham maior risco de doença arterial coronariana do que os que comiam uma porção por mês ou
menos.
4. É verdade que o peixe possui uma grande quantidade de Ômega 3 em sua gordura, que oferece muitos
benefícios, mas Ômega 3 pode ser obtido de fontes vegetais com mais segurança (veja os benefícios e riscos
mencionados na aula sobre gordura). O peixe também é rico em proteína de origem animal, que está
relacionada a efeitos adversos como discutido na aula sobre proteínas.
5. O envenenamento já foi observado em mais de 400 espécies diferentes de peixes de recifes (intoxicação por
ciguatera), bem como em atum e outros peixes (intoxicação por escombrídeos). O consumo de frutos do mar,
tanto cru como cozido, já foi associado a mais de 113.000 casos de infecção alimentar por ano.
6. O peixe frequentemente contém vários parasitas, e pode transmiti-los ao ser humano, incluindo
nematelminto, platelminto, tênia e fascíola.
7. A biomagnificação é um perigo real vindo de peixes e frutos do mar. Biomagnificação é uma “crescente
concentração de uma substância, tal como um químico tóxico, nos tecidos dos organismos em níveis
sucessivamente elevados na cadeia alimentar. Como resultado da biomagnificação, organismos no topo da
cadeia alimentar normalmente sofrem maior dano por uma toxina ou poluente persistente do que os que se
encontram em níveis inferiores”.
Por exemplo, a água pode conter quantidades minúsculas de um pesticida/metal pesado/herbicida/etc., então
plantas aquáticas e fitoplâncton podem concentrar as toxinas em seus tecidos, a seguir um peixe herbívoro
pode vir e comer a planta, e aumentar a concentração da toxina/metal pesado. Depois disso um peixe
carnívoro pode comer o peixe herbívoro e concentrar a toxina a níveis mais elevados ainda. O que acontece
quando a pessoa consome o peixe carnívoro? Ela acabou de ingerir e concentrou ainda mais as toxinas dentro
de seus próprios tecidos, o que normalmente resulta em doença. Abaixo está um exemplo da biomagnificação
do inseticida DDD tirado do belo, cristalino e puro Clear Lake [Lago Claro], localizado nas montanhas da
Califórnia, perto de fazendas e pequenas cidades espalhadas aqui e ali.

Amostra: DDD, ppm


Água do lago 0,02
Fitoplâncton (vivendo em água contaminada com DDD) 5
Peixe herbívoro (comem a fitoplâncton) 40-300
Peixe carnívoro (comem o peixe herbívoro) até 2.500

Substâncias conhecidas por serem concentradas em biomagnificação em peixes incluem os carcinógenos


dioxinas e PCBs, bem como pesticidas, componentes orgânicos halogênios, clordano, mercúrio, chumbo e
contaminantes introduzidos por resíduos jogados por barcos. Como resultado, mais de 1.740 rios e lagos em
47 estados americanos, assim como grandes áreas do litoral em 1996, tinham advertências contra o consumo
de certos peixes (incluindo a atum, peixe espada, tubarão, enchova, truta lacustre e outros peixes de água
doce). Doenças tais como gastroenterite, disenteria e hepatite também podem ser espalhadas pela
inundação/drenagem de esgoto no rio. A EPA (Agência de Proteção Ambiental Norte-Americana) declarou
que a bioacumulação pode causar a concentração de toxinas em organismos aquáticos em mais de 1.000.000
de vezes do nível original da água. A biomagnificação está associada ao aumento do risco de câncer e
elevação de colesterol e triglicérides e diminuição na contagem de espermas. Ela também afeta
negativamente a fertilidade o desenvolvimento do feto e da criança na primeira infância, causa desordens no
sistema nervoso e danifica o QI e os rins de crianças e adultos, além de gerar outros problemas (efeitos
dependem da toxina que é bioamplificada).

É verdade que plantas também biomagnifícam toxinas; no entanto, como foi visto no gráfico acima, a
quantidade de concentração de toxinas é minúscula comparada aos produtos animais ao longo da cadeia
alimentar.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 143


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
8. Câncer. Foi descoberto que peixes estão tendo níveis crescentes de câncer. Apenas no Lago Eire, descobriu-
se que 30% dos macrocéfalos tinham câncer de fígado. Cânceres em peixes têm sido encontrados em todo o
continente americano. Isto é muito sério, pois os Institutos Nacionais de Saúde descobriram que existe um
aumento no índice de morte por câncer nos humanos em regiões onde o câncer nos peixes é mais
prevalecente. A poluição era grande o suficiente no Lago Eire, para que os ratos que foram cobertos com o
sedimento do lago, desenvolvessem câncer de pele.

Mortes de Peixes: Desde 1993 grandes quantidades de peixes morreram em vários estados americanos e milhões
dessas mortes estavam relacionadas a pesticidas, óleo e gasolina, cloro, amônia, metais pesados e toxinas, entre
outras causas. A questão que ainda assombra os pensadores conscientes é: Quantos peixes doentes devido a esses
poluentes e foram pescados, levados ao mercado e consumidos por pessoas inocentes que acreditavam estar
comendo peixe saudável?

Mas Jesus não comeu peixe? Sim, o registro bíblico sugere que Ele comeu. No entanto, vamos comparar os
tempos em que Jesus viveu na terra com os tempos atuais:
• Doenças têm aumentado mais e mais; (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 145)
• Peixes tinham bem menos doenças naquela época do que agora;
• Havia bem menos toxinas na água na época para serem biomagnificadas;
• As pessoas geralmente se exercitavam regularmente e participavam de muitos hábitos saudáveis de estilo de vida
que equilibravam os problemas do consumo de peixes;
• Jesus possuía questões vitais em relação à salvação humana para realizar em seus três anos e meio de ministério
público, e isto tinha prioridade muito maior do que o consumo de peixes na época.

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 366. “Diga-se-lhes que breve virá o tempo em que não haverá segurança...
por motivo de as doenças nos animais estarem aumentando na mesma proporção do aumento da impiedade entre os
homens.”

Manuscritos, Volume 14, Número 1129, Setembro 1, 1905. “Em muitos lugares os peixes ficam tão contaminados
com a sujeira de que se nutrem que se tornam causa de doenças. Isso se verifica especialmente onde o peixe está em
contato com os esgotos de grandes cidades. Peixes que se alimentam dessas matérias podem passar a grandes
distâncias, sendo apanhados em lugares em que as águas são puras e boas. De modo que, ao serem usados como
alimento, ocasionam doença e morte naqueles que nada suspeitam do perigo.”
____________________________

Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.


Willet, W. C., Stampfer, M. J. et al. (1990). Relation of meat, fat, and fiber intake to the risk of colon cancer in a prospective study among women. New
England Journal of Medicine. 323(24):1664-1672.
van den Brandt, P. A., Goldbohm, R. A., et al. Cross-sectional versus longitudinal investigations of the diet-cancer relation. Epidemiology. 1(5):402-404.
Giovannucci, E., Rimm, E. B, et al. (1994). Intake of fat, meat, and fiber in relation to risk of colon cancer in men. Cancer Res. 54(9):2390-2397.
Steinmetz, K. A. & Potter, J. D. (1993). Food-group consumption and colon cancer in the Adelaide case-control study. I & II. Meat, poultry, seafood, dairy
foods and eggs. Int J Cancer. 53(5):711-727.
Hirayama, T. (1978). Epidemiology of breast cancer with special reference to the role of diet. Preventive Medicine 7(2):173-195.
Vatten, L. J., Solvoll, K. & Loken, E. B. (1990). Frequency of meat and fish intake and risk of breast cancer in a prospective study of 14,500 Norwegian
women. Int J Cancer. 46(1):12-15.
Richardson, S., Gerber, M., & Cenee, S. (1991). The role of fat, animal protein and some vitamin consumption in breast cancer: a case control study in
southern France. Int. J Cancer. 48(1):1-9.
Snowdon, D. A., Phillips, R. L., & Choi, W. (1984). Diet, obesity, and risk of fatal prostate cancer. American Journal of Epidemiology. 120(2):244-250.
Giovannucci, E, Rimm, E. B, et al. (1993). A prospective study of dietary fat and risk of prostate cancer. J Natl Cancr Inst. 85(19):1571-1579.
Rose, D. P., Boyar, A. P. & Wynder, E. L. (1986). International comparisons of mortality rates for cancer of the breast, ovary, prostate, and colon, and per
capita food consumption. Cancer. 58(11):2363-2371.
Armstrong, B., & Doll R. (1975). Environmental factors and cancer incidence and mortality in different countries with special reference to dietary practices.
Int J Cancer. 15(4):617-631.
Phillips, R. L., Snowdon, D. A., & Brin, B. N. Cancer in Vegetarians. In Wynder, E. L., Leveille, G. A., editors. (1983). Environmental Aspects of Cancer—
The Role of Macro and Micro Components of Foods. Westport, CT: Food and Nutrition Press.
Mori, M., & Miyake, H. (1988). Dietary and other risk factors of ovarian cancer among elderly women. Jpn J Cancer Res. 79(9):997-1004.
La Becchia, C., Decarli, A., et al. (1987). Dietary factors and the risk of epithelial ovarian cancer. J Natl Cancer Inst. 79(4):663-669.
Chiu, B.C., Cerhan, J.R. et al. (1996). Diet and risk of non-Hodgkins lymphoma in older women. Journal of the American Medical Association.
275(17):1315-1321.
Craig, W. J. (1999). Nutrition and wellness. Berrien Springs, MI: Golden Harvest Books.
CDC. (2015). Listeria (Listeriosis). Centers for Disease Control and Prevention. Retrieved June 4, 2015 from http://www.cdc.gov/listeria/

144 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Buehring, G. (2005). Bovine Leukemia Virus Infection and Human Breast Cancer Risk. University of California, Berkley. Retrieved June 4, 2015 from
http://cbcrp.org.184.seekdotnet.com/research/PageGrant.asp?grant_id=1815
MSU. (2015). BLV in the USA. Michigan State University: College of Veterinary Medicine. https://cvm.msu.edu/alumni-friends/continuing-education/blv-
in-the-usa
Cho, S. N., Brennan, P. J., et al. (1986). Mycobacterial aetiology of Crohn’s disease: serologic study using common mycobacterial antigens and a species-
specific glycolipid antigen from Mycobacterium paratuberculosis. Gut. 27(11):1353-1356.
Mycobacterium paratuberculosis implicated in Crohn’s Disease. (1995). Gastroenterology Observer. 14(6):4-5.
Streeter, R.N. Hoffsis, GF, et al. (1995). Isolation of Mhycobacterium paratuberculosis from colostrum and milk of subclinically infected cows. Am J Vet
Res. 56(10):1322-1324.
Grant, I.R., Ball H. J., et al. (1996). Inactivation of Mycobacterium paratuberculosis at pasteurization temperatures. Appl Environ Microbiol. 62(2):631-636.
Gandi, R. & Snedeker, S.M. (2000). Consumer concerns about hormones in food. Program on Breast Cancer and Environmental Risk Factors in New York
State. Retrieved October 25, 2012, from, http://envirocancer.cornell.edu/Factsheet/Diet/fs37.hormones.cfm
Kromhout, D, Bosschieter, E.B., & de Lezenne Coulander, C. (1985). The inverse relation between fish consumption and 20-year mortality from coronary
heart disease. N Engl J Med. 312(19):1205-1209.
Phillipson, B.E., Rothrock, D.W., et al. (1985). Reduction of plasma lipids, lipoproteins, and apoproteins, by dietary fish oils in patients with
hypertriglyceridemia. N Engl J Med. 312(19): 1210-1216.
Diagnostic Dilemmas: too much of a good thing. Cholesterol and coronary heart disease.... Reducing the risk. 1987;1(5);13-14.
Wilt, T.J., Lofgren, R.P, et al. (1989). Fish oil supplementation does not lower plasma cholesterol in men with hypercholesterolemia. Results of a randomized,
placebo-controlled crossover study. Ann Intern Med. 111(11):900-905.
Suzakawa, M., Abbey, M, et al. (1995). Effects of fish oil fatty acids on low density lipoprotein size, oxidizability, and uptake by macrophages. J Lipid Res.
36(3):473-484.
Kromhout, D, Bosschieter, E.B., & de Lezenne Coulander, C. (1985). The inverse relation between fish consumption and 20-year mortality from coronary
heart disease. N Engl J Med. 312(19):1205-1209.
Phillips, R. Lemon, F. & Kuzma, J. (1978). Coronary heart disease mortality among Seventh-day Adventist with differing dietary habits. Am J Clin Nutr.
31(10 Suppl):S191-S198.
Asherio, A., Rimm, E.B., et al. (1995). Dietary intake of marine n-3 fatty acids, fish intake, and the risk of coronary disease among men. N Engl J Med.
332(15):977-982.
Biomagnification. (2005). In The American Heritage Science Dictionary. Retrieved October 25, 2012, from
http://www.thefreedictionary.com/biomagnification
Nadakavukaren, A. (1990). Pests and pesticides. In: Man and environment, A health perspective, (3rd ed.). Prospect Heights, IL: Waveland Press.
Craig, W.J. (1992). Fishing for Trouble. In: Nutrition for the nineties. Eau Claire, MI: Golden Harvest Books.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 145


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 7 – Uso de Produtos Animais e Risco para a Saúde, Parte II


Conselhos inspirados
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 355. “Frutas, cereais e verduras, preparados de maneira simples, livres de
especiarias e gordura animal de qualquer espécie, fazem com leite ou nata, o regime alimentar mais sadio. Nutrem o
corpo, e dão um poder de resistência e um vigor de intelecto não produzidos por um regime estimulante.”

Registros da União Australasiana, 28 de julho, 1899. “A luz que me é dada é que não tardará muito, teremos de
abandonar o uso de alimentos animais. Mesmo o leite terá de ser rejeitado. Acumula-se rapidamente a doença.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 352. (Carta 98, 1901) “Há perigo de que ao apresentar os princípios da
reforma de saúde alguns estejam a favor de introduzir mudanças que seriam mais nocivas que benéficas. A reforma
de saúde não deve ser recomendada de maneira radical. Nas condições presentes, não podemos dizer que leite, ovos
e manteiga devam ser de todo rejeitados. Devemos ser cautelosos em não fazer inovações, porque sob a influência de
ensinos extremados, há pessoas conscienciosas que certamente irão a extremos. Sua aparência física prejudicará a
causa da reforma de saúde; pois poucos sabem como substituir devidamente os alimentos que rejeitam.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 353. (Carta 37, 1901). “Quando prego o evangelho aos pobres, sou
instruída a dizer-lhes que comam a comida que é mais nutritiva.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 359. (Carta 151, 1901). “Vemos que o gado está ficando grandemente
atacado de doenças, a própria Terra está corrompida, e sabemos que virá o tempo em que usar leite e ovos não será o
melhor. Esse tempo, todavia, ainda não chegou. Sabemos que quando ele vier, o Senhor proverá… Em todas as
partes do mundo serão tomadas providências para substituir leite e ovos. E o Senhor nos fará saber quando chegar o
tempo de abandonar esses artigos... O Senhor dará a Seu povo em todas as partes do mundo, arte e habilidade no
regime alimentar, ensinando-lhes a maneira de usar os produtos da terra para o sustento da vida.”

Testemunhos para a Igreja, Volume 7, p. 135 (1902). “Diga-se-lhes que breve virá o tempo em que não haverá
segurança no uso de ovos, leite, creme ou manteiga, por motivo de as doenças nos animais estarem aumentando na
mesma proporção do aumento da impiedade entre os homens. Aproxima-se o tempo em que, por motivo da
iniquidade da raça caída, toda criação animal gemerá com as doenças que amaldiçoam a nossa Terra.”

Testemunhos para a Igreja, Volume 7, p.135 (1902). “Leite, ovos e manteiga não devem ser classificados como
alimentos cárneos. Em alguns casos o uso dos ovos é benéfico. Não chegou o tempo de dizer que o uso de leite e
ovos devam ser de todo rejeitados. Há famílias pobres cuja alimentação consiste grandemente em pão e leite. Têm
pouca fruta, e não se podem permitir comprar os alimentos substitutos da carne. No ensino da reforma de saúde,
como em toda outra obra evangelística, temos de ir ao encontro do povo onde este se encontra. Até que lhes
possamos ensinar a preparar alimentos segundo a reforma de saúde, apetitosos e nutritivos, ao mesmo tempo que
pouco dispendiosos, não estamos na liberdade de apresentar as mais avançadas proposições quanto ao regime da
reforma de saúde.”

Ciência do Bom Viver, p. 320, 321 (1905). “Os que residem em países novos, ou em distritos pobres, onde são
escassas as frutas e as nozes, não deviam ser incitados a excluir o leite e os ovos de seu regime dietético. É verdade
que pessoas de físico forte e em quem as paixões são vigorosas precisam evitar o uso de comidas estimulantes.
Especialmente nas famílias de crianças dadas a hábitos sensuais, os ovos não devem ser usados. Mas no caso de
pessoas cujos órgãos produtores do sangue são fracos - especialmente se não se podem obter outros alimentos que
forneçam os elementos necessários - leite e ovos não deviam ser de todo abandonados. Grande cuidado, no entanto,
deve ser exercido para que o leite seja de vacas sãs, e da mesma maneira os ovos venham de aves sadias e bem
alimentadas e cuidadas; e os ovos sejam preparados de modo a serem facilmente digestos.”
“A reforma dietética deve ser progressiva. À medida que as doenças aumentam nos animais, o uso de leite e ovos se
tornará cada vez menos livre de perigo. Deve-se fazer um esforço para os substituir com outras coisas que sejam
saudáveis e pouco dispendiosas. O povo de toda parte deve ser ensinado a cozinhar sem leite e ovos, isso o quanto
possível, fazendo não obstante comida saudável e gostosa.”

146 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Ciência do Bom Viver, p. 202 (1905). “O leite que se usa deve ser perfeitamente esterilizado; com esta precaução,
há menos perigo de contrair doenças por seu uso.”

Testemunhos para a Igreja, Volume 9, p. 162 (1909). “Os ovos contêm propriedades que são agentes medicinais
neutralizantes de certos venenos. Abstendo-se de leite, ovos e manteiga, alguns deixaram de prover ao organismo o
alimento necessário e, em consequência, se enfraqueceram e incapacitaram para o trabalho. Assim a reforma de
saúde perde o seu prestígio.”

O Dilema do Leite
As declarações acima sugerem que houve um tempo quando leite e ovos eram seguros e benéficos como alimento.
Mais adiante é mencionado por White (antes de 1902) que o tempo logo chegaria quando não haveria mais
segurança no uso de produtos animais devido a doenças, mas que eles não devem ser classificados na mesma
categoria que a carne. Não devem, também, ser removidos dos pobres que não tem condições de substituí-lo
saudavelmente, e professores devem ser incentivados a ensinar pessoas a prepararem pratos saudáveis e gostosos
para substituir leite, ovos e queijo. Existem alguns benefícios do uso de produtos lácteos e ovos. O leite contém
abundância de proteínas, gorduras, açúcares, vitaminas e minerais que são facilmente digeridos por muitos, e suprem
muitas das carências nutricionais do corpo. Ele normalmente é útil também para prevenir a má nutrição em dietas
que de outro modo seriam inadequadas.

Saúde Óssea
Produtos lácteos não são essências para a saúde óssea da criança em crescimento ou jovem adulto. Porem uma boa
fonte diária de cálcio é essencial e pode ser fornecido por uma variedade de fontes à base de plantas como leite de
amêndoa ou de soja fortificado, folhas verdes legumes, etc.

Volume de Gordura e Doença Cardiovascular: Produtos lácteos – incluindo queijo, sorvete, creme, leite integral,
manteiga e iogurte – contribuem com grandes quantidades de colesterol, gordura saturada e proteína animal na dieta.
Dietas ricas desses elementos aumentam o risco de doença cardíaca, entre outros problemas graves de saúde, como
foi indicado anteriormente nas aulas sobre gordura e proteínas. Quando leite e iogurte desnatado são usados, a
questão da gordura saturada e do colesterol em si não seria significativa.

Osteoporose: Na aula anterior sobre proteína, foi demonstrado que as regiões do mundo com alto consumo de leite e
cálcio têm os índices mais elevados de osteoporose, a despeito das alegações de que o leite previne a osteoporose.
Leite contém grande quantidade de proteína, e, como o estudo mencionado anteriormente demonstrou, com um
consumo de proteína elevado o suficiente, o cálcio é extraído do corpo (portanto, dos ossos) independente da
quantidade de suplementação de cálcio.
Uma revisão da literatura publicada na revista Pediatrics de 2005 fez o seguinte relatório: “em estudos, clínicos,
longitudinais, retrospectivos e transversais, nem o aumento no consumo de laticínios, especificamente, nem o
consumo total de cálcio dietético tem demonstrado sequer um modesto benefício consistente para a saúde dos ossos
de crianças ou adultos.”

Câncer: Pesquisas demonstram uma possibilidade de aumento no risco de câncer de próstata em homens que
consomem leite regularmente. Cerca de 22.000 médicos (incluindo 2800 que foram diagnosticados com câncer de
próstata) foram acompanhados por 28 anos e foi percebido que o risco de câncer de próstata era maio nos que
consumiam leite integral.3 Outro estudo demonstrou uma forte correlação entre o consumo de leite e câncer de
próstata e ovário, bem como forte correlação tanto da carne como do leite e o risco de câncer de mama.
Pesquisas demonstram que bebês que se alimentam de leite de vaca têm uma probabilidade 80% maior de
desenvolver diarreia, e uma probabilidade 70% maior de infecção no ouvido do que os que recebem leite materno.

Intolerância à Lactose: Isto tipicamente se desenvolve durante a infância e/ou adolescência quando o corpo perde a
enzima lactase para digerir o açúcar do leite, a lactose. Essa condição é comum entre muitas populações, afetando
aproximadamente 80-90% de asiáticos e grupos de povos sul-africanos (Bantus), 70-75% de Afro-americanos e
povos mediterrâneos, 50% de hispânicos e 20% de caucasianos. Os sintomas de intolerância à lactose incluem

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 147


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
problemas gastrointestinais, diarreia, inchaço do abdômen e flatulência. Estes sintomas são mais proeminentes
quando o consumo de produtos lácteos é maior.

Alergias: Pesquisas demonstram que os que utilizam o leite de vaca desenvolvem significativamente mais alergias
do que aqueles que se abstêm de seu uso. O próprio leite é conhecido como um frequente alérgeno e pode provocar
uma variedade de sintomas alérgicos como diarreia ou constipação, sangramento retal, vômito, congestão nasal
recorrente e/ou bronquite, erupções na pele, úlcera na boca, cólica, dificuldade de aprendizado, entre outros.
Sensibilidades ao leite também ocorrem. Tipicamente não são consideradas verdadeiras alergias, mas provocam uma
variedade de sinais e sintomas desagradáveis, incluindo: infecção do ouvido, dores de cabeça, asma, dificuldades
respiratórias, etc. Esses problemas podem ser causados por outras coisas também, mas fazer um teste eliminando o
uso de produtos lácteos por um mês pode esclarecer se eles são a causa do problema.

Diabetes, Tipo 1: Estudos na Finlândia e em outras partes têm demonstrado uma relação entre o uso de produtos
lácteos e o desenvolvimento de diabetes dependente de Insulina (tipo 1 ou infantil/juvenil) em pessoas geneticamente
suscetíveis. Sugere-se que a introdução de leite no início da infância pode fazer com que o sistema imunológico
classifique corretamente duas proteínas encontradas no leite como estranhas, e depois comece a atacar e destruir
proteínas quase idênticas nas células beta que produzem a insulina no pâncreas, causando assim a diabetes tipo 1.

Anemia por Deficiência de Ferro: Este problema pode ser ocasionado pela ingestão de leite, que provoca o
esfolamento das células do revestimento intestinal, causando pequenos sangramentos, e assim a anemia. O leite de
vaca contém apenas 1/5 da quantidade de ferro encontrada no leite materno, portanto ele faz muito pouco para
restaurar as reservas de ferro perdidas pelo sangramento. Leite e ovos também dificultam a absorção de ferro.,,, Leite
materno contem lactoferrina que facilita a absorção de ferro – leite de vaca não tem essa proteína.

Outros fatores: Pesquisas mostram que infantes alimentados com leite de vaca tem 80% mais chance de ter diarreia
e 70% mais chance de ter infecção de ouvido do que os que amamentaram na mãe.

Contaminação:
• Leite frequentemente contém contaminantes incluindo bactérias, antibióticos, pesticidas e hormônios.
• A pasteurização do leite eleva a temperatura para 72°C por 15 segundos. Esta temperatura diminui
significativamente o número de microrganismos vivos; contudo, muitos ainda podem existir. De acordo com
regulamentos do Serviço Americano de Saúde Pública, o leite não deve conter mais que 20.000 bactérias e
mais do que 10 bactérias coliformes (E. coli das fezes) por mililitro de leite. Isto pode significar até 4.8
milhões de bactérias e perto de 2.500 E. coli em um copo de 230 ml de leite.
• Contaminação bacteriana que provoca doenças inclui: Salmonela, Yersinia, Listeria, Campylobacter,
Mycobacterium paratuberculosis, bem como Brucelose, Estreptococos, e febre Q, provocadas por bactérias.
Ferver o leite por algum tempo parece ser adequado para matar esses micro-organismos. No entanto, priões
não são mortos por fervura. Pesquisadores ainda não estão seguros se o leite pode transmitir priões ou não.
• Antibióticos frequentemente são usados em vacas para evitar infecções e impulsionar o crescimento. Esses
antibióticos podem passar para o leite e causar resistência a antibióticos no ser humano.
• Além disso o hormônio do crescimento bovino recombinante (rBGH) é usado em vacas de leite para aumentar
a produção de leite. A União Europeia baniu o uso de hormônio de crescimento e a importação da carne de
animais que utilizaram hormônios sintéticos de crescimento, devido a serias preocupações relacionadas à
saúde.
• Pesticidas, toxinas e metais pesados podem ser acumulados em vacas e ser transmitidos através do leite.
Muitas dessas toxinas não saem do corpo rapidamente e podem eventualmente ser armazenadas em
quantidades perigosas.

Níveis inferiores de QI: Foi constatado que bebês prematuros criados com leite de vaca têm um nível de QI 8-10%
inferior ao daqueles criados com leite materno.

Acne, artrite e cárie dentária melhoram muito em alguns indivíduos após a eliminação de lacticínios da dieta.
Alguns estudos também sugerem que laticínios desempenham uma função no desenvolvimento de alguns casos de
reumatoide juvenil e em alguns tipos de cárie.

148 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Constipação e Doença Diverticular: O leite (e consequentemente todo produto animal) carece de fibras,
contribuindo assim para constipação e doença diverticular.

Preocupação com os Ovo


Colesterol: Gemas de ovos possuem índices extremamente elevados de colesterol (uma gema contém cerca de 200-
212 mg de colesterol). O consumo elevado de colesterol está associado a um aumento do risco de doença cardíaca
(especificamente o colesterol oxidado encontrado em mistura para pudim, muffin, panqueca e outras receitas) e
cânceres de pulmão, laringe e ovário. Ovos também possuem alto índice de gordura saturada, que está ligada a um
aumento de risco de doenças cardíacas (veja referências na aula sobre gordura).

Alergias: Ovo é causa comum de reações alérgicas, e pode contribuir para asma em pessoas sensíveis.

Câncer: Incidência seis vezes maior de câncer de colón entre grandes consumidores de ovos. Um estudo fez a
conexão entre o consumo de ovo e os cânceres de cólon e ovário e morte por câncer de próstata. Um outro estudo
pela Universidade de Yale descobriu que para cada 100 mg adicionais de colesterol de ovo consumido em média/dia,
mulheres ganharam um aumento de 42% no risco de câncer de ovário.

Contaminação Bacteriana: Ovos frequentemente contêm Salmonella enteriditis – tanto dentro como fora da casca
do ovo, e podem causar vômito, cólicas abdominais, diarreia, febre, dor de cabeça e até complicações sérias como
meningite, infeção sanguínea, artrite reativa e morte (o ovo precisa ser fervido por pelo menos sete minutos para
matar a Salmonela). Campylobacter é outra bactéria causadora de doença frequentemente difundida através do uso
de ovos inadequadamente esterilizados (veja citação sobre carnes).

Vírus: Vários vírus foram encontrados em ovos. Pesquisadores estão explorando se esses vírus podem
potencialmente ser transmitidos a humanos.

O Queijo e a Saúde Humana


Mensagens Escolhidas, Volume 3, p. 287. “A questão acerca de se devemos comer manteiga, carne ou queijo, não
deve ser apresentada como prova a quem quer que seja, mas devemos educar as pessoas, mostrando os males das
coisas que são censuráveis.”
“Chá, café, fumo e álcool precisam ser apresentados como condescendências pecaminosas. Não podemos pôr a
carne, os ovos, a manteiga e o queijo em pé de igualdade com esses artigos colocados sobre a mesa. Estes não devem
ser postos na frente, como o tema principal de nossa obra.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 368. “O efeito do queijo é deletério.”
Testemunhos para a Igreja, Volume 2, p. 68. “Queijo nunca deve ser introduzido no estômago.”
Ciência do Bom Viver, p. 302 (1905). “A manteiga é menos nociva quando comida no pão do que empregada na
cozinha; mas, em regra, melhor é dispensá-la inteiramente. O queijo [Traduzido como “QUEIJO FORTE,
PICANTE”, COM A APROVAÇÃO DE ELLEN WHITE, NA EDIÇÃO NO IDIOMA ALEMÃO.]
é ainda mais objetável; é totalmente impróprio como alimento.”

Parece que queijos suaves como queijo “cottage” e requeijão não seriam tão prejudiciais como os queijos mais duros
por não serem curados.

Basicamente, Ellen White declara que os efeitos do queijo podem ser prejudiciais para o corpo humano, mas sugere
que não devemos ser radicais quanto ao seu uso ou tornar o uso do queijo um teste.

Gordura e Colesterol:
• O conteúdo de gordura do queijo varia de 23-34% nos queijos curados (excluindo as versões especiais com
“gordura reduzida”);
• Muitos queijos também contêm quantidades significativas de gordura saturada e colesterol, que aumentam o
risco de doenças cardíacas (veja citações na aula sobre “gordura”);

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 149


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• O colesterol oxidado aumenta o risco de doença cardíaca (veja citações passadas sobre “colesterol”). O queijo
curado é uma fonte extremamente rica de colesterol oxidado.

Químicos Tóxicos: Durante o amadurecimento do queijo, muitos desenvolvem as “aminas biogênicas” tiramina e
triptamina, uma classe de químicos que estimula falsamente o sistema nervoso simpático, por vezes, denominados
falsos neurotransmissores. Eles podem causar distorção/distúrbio das mensagens elétricas normais do cérebro.
Alguns sugerem que talvez exista um relacionamento entre eles e condições comportamentais brandas e pesadelos.
Quando usada juntamente com o álcool, estudos sugerem que a triptamina também pode desempenhar uma função
importante no desenvolvimento de câncer. A tiramina (produzida durante o amadurecimento do queijo) em alguns
casos está ligada ao desencadeamento de arritmias do coração.

A tiramina também causa a vasoconstrição, que pode provocar enxaquecas e hipertensão em pessoas sensíveis.

Algumas das aminas encontradas no queijo podem interagir com o nitratos presentes no estômago para formar a
nitrosamina, um agente produtor de câncer.

“Mudanças que ocorrem em alguns queijos com o processo de fermentação e “amadurecimento” incluem a produção
de um alcaloide tóxico chamado roquefortina, uma neurotoxina que pode causar ataques convulsivos repentinos em
ratos. Provavelmente, todos os tipos de queijo azul contêm roquefortina. O alcaloide é produzido pelo fungo
Penicillium roqueforti.

Esterigmatocistina é um carcinógeno produzido pelo mofo encontrado nas cascas de queijos amadurecidos e
embolorados.

Outras Preocupações:

Visto que o queijo é um laticínio, ele compartilha muitas das mesmas conexões com o aumento do risco de câncer
oriundos do leite de vaca (veja “leite”).
Um risco duplo de câncer no ovário foi notado entre os que usam queijo ralado mais de duas vezes por semana em
contraste com os que usam menos de uma vez por semana nos EUA. O risco de câncer de colón quase que dobrou
pelo consumo de queijo na Argentina.
O queijo também compartilha quase todos os outros riscos enumerados do leite de vaca; exceto em algumas pessoas,
intolerantes à lactose, que percebem que são capazes de tolerar melhor o queijo, visto que muito da lactose foi
quebrada no processo de envelhecimento.
Queijos pasteurizados contêm riscos bacterianos semelhantes ao leite de vaca; no entanto, existem queijos feitos com
leite cru. Eles são comuns na Europa, México e são produzidos até mesmo nos EUA. A FDA exige que queijos feitos
nos EUA sejam pasteurizados, ou “queijo não pasteurizado, precisa ser envelhecido em 2 graus C por 60 dias;”
contudo, queijos importados podem não seguir essas diretrizes. Queijos não pasteurizados apresentam riscos
significantes à saúde. Eles incluem os queijos macios, como o Camembert, Vacherin Mont d’Or e Brie, e queijos
macios estilo mexicano, como o Queijo Branco, Queijo Fresco, Ricota, Feta, Queijo de Cabra, e outros feitos de leite
não pasteurizado. Muitas bactérias ainda podem estar presentes, e o consumidor arrisca ficar doente de Salmonela, E.
coli, Listeria e muitos outros patógenos.
Coalho é usado no coalhar do leite para a fabricação de queijo. A maioria dos coalhos é obtida do revestimento
estomacal completo de bezerros, cabritos ou porcos, e uma porcentagem muito pequena de fontes vegetais..
Em resumo, o alto conteúdo de gordura saturada, o processo de amadurecimento e os aminos biogênicos produzidos
durante o processo de amadurecimento do queijo deveria fazer qualquer um extremamente cuidadoso em usar queijo.
__________________________________
Lanou, A. J., Berkow, S. E., Barnard, N. D. (2005). Calcium, dairy products, and bone health in children and young adults: a reevaluation of the evidence.
Pediatrics. 115(3):736-43.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
La Vecchia, C., Negri, E., et al. (1991). Dairy products and the risk of prostatic cancer. Oncology. 48(5):406-410.

150 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Snowdon, D. A. (1988). Animal product consumption and mortality because of all causes combined, coronary artery disease, stroke, diabetes, and cancer in
Seventh-day Adventists. Am J Clin Nutr. 48(3 Suppl): 739-748.
Rose, D. P., Boyar, A. P. Wynder, E. L. (1986). International comparisons of mortality rates for cancer of the breast, ovary, prostate, and colon, and per capita
food consumption. Cancer. 58(11):2363-2371.
Whitney, E. & Rolfes, S. R. (2008). Understanding nutrition. Belmont, CA: Thomson Higher Education.
Wilson, N. W. & Hamburger, R. N. (1988). Allergy to cow’s milk in the first year of life and its prevention. Ann Allergy. 61(5):323-327.
Vaarala, O., Paronen, J., Otonkoski, T., & Akerblom, H. K. (1998). Cow milk feeding induces antibodies to insulin in children—a link between cow milk and
insulin-dependent diabetes mellitus? Scand J Immunol. 47(2):131-5.
Stockman, J. A. 3rd. (1992). Iron deficiency anemia. In: Behrman, R. E., editor. Nelson Textbook of Pediatrics (14th ed.). Philadelphia: WB Saunders
Company.
Oski, F. A. (1993). Iron deficiency in infancy and childhood. N Engl J Med. 329(3):190-193.
Pennington, J. A. (1989). Supplementary Tables: Sugars. In: Bowes and Church’s Food Values of Portions Commonly Used (15th ed.). Philadelphia: JB.
Lippencott Co.
MedicineNet. (2012). Iron supplements - oral, Feosol, Fer-In-Sol, Slow-Fe. MedicineNet. Retrieved October 25, 2012, from
http://www.medicinenet.com/iron_supplements-oral/article.htm
Scariati, P. D., Grummer-Strawn, L. M., & Fein, S. B. (1997). A longitudinal analysis of infant morbidity and the extent of breastfeeding in the United States.
Pediatrics. 99(6):E5.
Gandi, R. & Snedeker, S.M. (2000). Consumer concerns about hormones in food. Program on Breast Cancer and Environmental Risk Factors in New York
State. Retrieved October 25, 2012, from, http://envirocancer.cornell.edu/Factsheet/Diet/fs37.hormones.cfm
(2008). Diet Analysis+, Version 8.0.1. Thomson Wadsworth.
James, J. M., Eigenmann, P. A., et al. (1996). Airway reactivity changes in asthmatic patients undergoing blinded food challenges. Am J. Respir. Crit. Care
Med. 153(2): 597-603.
Steinmetz, K.A. & Potter, J.D. (1993). Food-group consumption and colon cancer in the Adelaide case-control study. II Meat, poultry, seafood, dairy foods
and eggs. Int J Cancer. 53(5):720-727.
Snowdon, D. A. (1988). Animal product consumption and mortality because of all causes combined, coronary artery disease, stroke, diabetes, and cancer in
Seventh-day Adventists. Am J Clin Nutr. 48(3 Suppl): 739-748.
Risch, H. A., & Jain, M. et al. (1994). Dietary fat intake and risk of epithelial ovarian cancer. J Natl Cancer Inst. 86(18):1409-1415.
Kushi, L. H., Mink, P. J., Folsom, A. R., Anderson, K. E., Zheng, W., Lazovich, D., Sellers, T. A. (1999). Prospective study of diet and ovarian cancer. Am J
Epidemiol. 149(1):21-31.
Mayo Clinic. (2014) Salmonella Infection: Complications. Mayo Clinic: Diseases and Conditions. Retrieved June 4, 2015 from
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/salmonella/basics/complications/con-20029017
Craig, W. J. (1999). Nutrition and wellness. Golden Harvest Books: Berrien Springs, MI.
Thrash, A. (n.d.) Cancer: the risks and the routine. Retrieved October 25, 2012, from http://www.ucheepines.org/index.php?p=counseling.cancer.
Unwin, I. (2000). Cheese fat data. Retrieved October 25, 2012, from, http://www.ianunwin.demon.co.uk/eurocode/foodinfo/cheesedata.htm
S. K., & Taylor, C. B. (1983). Atherogenic effect of oxidized cholesterol. In: Perkins, E. G., & Visek, W. J. editors. Dietary Fats and Health. Champaign, IL:
American Oil Chemist’ Society.
Tiller, J. W., Dowling, J. T., Tung, L. H., Maquire, K. P., Rand, M. J., & Davies, B. M. (1985). Tyramine-induced cardiac arrhythmias. N Engl J Med.
313(4):266-7.
Jacob, L. H., & Carron, D. B. (1987). Atrial fibrillation precipitated by tyramine containing foods. Br Heart J. 57(2):205-6.
Kim, I., Williamson, D. F., et al. (1993). Vitamin and mineral supplement use and mortality in a US cohort. Am J Public Health. 83(4):546-550.
National Research Council. Diet, nutrition and cancer. National Academy Press, Washington, DC.
Kiani, F., Knutsen, S., Singh, P., Ursin, G., Fraser, G. (2006). Dietary risk factors for ovarian cancer: the Adventist Health Study (United States). Cancer
Causes Control. 17(2):137-46.
Iscovich, J. M., L'Abbé, K. A., Castelleto, R., Calzona, A., Bernedo, A., Chopita, N. A., Jmelnitzsky, A. C., Kaldor, J. (1992). Colon cancer in Argentina. I:
Risk from intake of dietary items. Int J Cancer. 51(6):851-7.
Center for Young Women’s Health. (2011). Lactose Intolerance. Retrieved from http://www.youngwomenshealth.org/lactose.html
U.S. Food and Drug Administration. (2012). CFR - Code of Federal Regulations Title 21, Subpart B--Requirements for Specific Standardized Cheese and
Related Products. Retrieved October 25, 2012, from,
http://www.accessdata.fda.gov/scripts/cdrh/cfdocs/cfcfr/CFRSearch.cfm?CFRPart=133&showFR=1&subpartNode=21:2.0.1.1.22.2
U.S. Food and Drug Administration. (2012). The Dangers of Raw Milk: Unpasteurized Milk Can Pose a Serious Health Risk. Retrieved October 25, 2012
from, http://www.fda.gov/Food/ResourcesForYou/Consumers/ucm079516.htm

Capítulo 8 – Vitaminas, Minerais e Fitoquímicos


Vitaminas e minerais são substâncias vitais para a vida humana, mas necessárias em pequenas quantidades em
comparação com carboidratos, proteínas e gorduras. Todos precisam vir do que comemos.

Vitaminas
Vitaminas são compostos nutritivos poderosos, orgânicos e essenciais, encontrados nos alimentos que comemos.
Elas não produzem energia e são necessárias em quantidades mínimas. As vitaminas (coenzimas) auxiliam as
enzimas a liberarem energia dos carboidratos, gorduras e proteínas; ajudam a regular o metabolismo, são necessárias
para a reprodução, crescimento e manutenção da vida e da saúde. Elas podem ser destruídas por água (especialmente
as solúveis em água), tempo, calor, ar, corte e substâncias alcalinas (bicarbonato de sódio).
Vitaminas hidrossolúveis são encontradas nos compartimentos aquosos dos alimentos e absorvidas diretamente na
circulação sanguínea; quantidades excessivas são filtradas pelos rins e retidas por tempo variável, mas precisam ser
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 151
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
consumidas regularmente. Vitaminas hidrossolúveis incluem todas as vitaminas do complexo B, vitamina C e ácido
fólico.
Vitaminas lipossolúveis são encontradas na gordura dos alimentos; a gordura dietética é necessária para sua
absorção. Não se misturam com água e exigem a bile para a absorção. São absorvidas no sistema linfático, que se
esvazia na circulação sanguínea. O excesso é guardado no fígado ou nas células adiposas (de gordura) até serem
necessárias. Assim, essas vitaminas podem ser digeridas em maiores quantidades ocasionalmente, portanto não é
crucial serem consumidas diariamente. No entanto, já que não são facilmente excretadas, elas têm um risco bem
maior de toxicidade. A toxicidade pode acontecer quando existe suplementação regular, mas geralmente não é um
problema quando são obtidas apenas de dieta bem equilibrada. Vitaminas lipossolúveis incluem vitaminas A, D, E e
K.

Minerais
Minerais, em contraste, são elementos inorgânicos necessários nas células vivas para a devida estrutura e função. São
encontrados no solo e obtidos através do nosso alimento. Eles são quase indestrutíveis mas podem ser eliminados no
processamento alimentar (refinando, fervendo, etc.). Os minerais ajudam a manter a devida composição dos fluídos
corporais e o devido equilíbrio químico. São indispensáveis na formação do sangue e dos ossos, necessários para a
manutenção da função neural, a regulação do tônus muscular, e a devida utilização de vitaminas e outros nutrientes,
e também atuam como coenzimas no crescimento, produção de energia e cura.
Minerais majoritários (5 g ou mais, presentes no corpo) incluem cálcio, magnésio, potássio, enxofre, sódio, cloreto
e fósforo.
Minerais vestigiais (5 g ou menos, presentes no corpo) incluem ferro, cobre, manganês, iodo, selênio, cromo,
molibdênio, silicone, vanádio, zinco e boro.
A seguir apresentamos uma tabela demonstrando muitas das vitaminas e minerais, suas funções, fontes, sintomas de
deficiências e efeitos do consumo excessivo:

Vitamina/Mineral Função(s) Fontes Sintomas de Deficiência Toxicidade


A (lipossolúvel) antioxidante, imunidade vegetais e frutas verde a causa mais evitável de dano ao fígado
(especialmente em escuro, amarelo, cor de cegueira, cegueira
crianças), visão, laranja, e leite materno noturna, imunidade
crescimento,
integridade epitelial e
celular, reprodução
D (lipossolúvel) ossos, dentes (facilita a luz solar (formado de raquitismo (pernas Calcificação dos
absorção de cálcio nos colesterol na pele: 10-15 arqueadas ou genuvalgo, tecidos moles (rins,
ossos) minutos poucas vezes/ saliências nas costelas, etc.)
semana p/ pele clara, 3 ou tórax arqueado para
+ hr poucas vezes/ fora), osteomalácia
semana p/ pele escura), (amolecimento dos
leite fortificado, ovos, ossos).
margarina. A falta deste mineral
pode ser relacionado com
câncer, depressão,
disfunções imunológicas,
problemas
cardiovasculares, anemia
hemolítica em crianças,
etc.
E (lipossolúvel) antioxidante, ajuda na ácidos graxos poli- raro
*nota: fritura e imunidade, protege insaturados (óleos
oxidação destroem a pulmões de poluentes vegetais), sementes,
vitamina E castanhas, verduras de
folha verde, grãos
integrais

K (lipossolúvel) coagulação do sangue verduras de folhas verdes, hemorragia em recém-

152 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
bactérias gastrointestinais, nascidos
família do repolho
B1 (tiamina) Função neural, Grãos integrais e beribéri = dano neural
coenzimas no enriquecidos, dano→paralisia
metabolismo de energia leguminosas, castanhas, (sintomas ou sinais
sementes incluem: confusão,
fraqueza extrema,
irritabilidade, andar
cambaleante)
B2 (riboflavina) saúde da pele, coenzima grãos integrais e pele deficiente,
no metabolismo da enriquecidos, produtos rachaduras nos cantos da
energia, visão lácteos, verduras de folha boca, língua lisa, olhos
verde e leguminosas sensíveis
B3 (niacina) Função cerebral, pele, grãos integrais e pelagra (3 Ds): diarreia, rubor, risco de gota,
sistema digestório, enriquecidos, alimentos dermatite, demência, e intolerância a glucose
coenzimas no ricos em proteínas, morte
metabolismo da energia incluindo verduras de
folha verde, amendoins
B6 (piridoxina) regulação da glicose, bananas, batatas, fraqueza, irritabilidade, dano neural
*aquecimento coenzima no verduras, melancia, insônia, língua lisa e irreversível
destrói B6 metabolismo da ameixas, semente de vermelha, “dermatite
energia, metabolismo girassol seborreica”
do aminoácido,
neurotransmissores,
imunidade, hemácias
Ácido fólico (folato) metabolismo do verduras de folha verde, anemia macrocítica,
*álcool diminui aminoácido, saúde do leguminosas, frutas e defeitos de nascença,
absorção/fumo trato gastrointestinal, vegetais frescos dano ao trato
diminui sua eficácia formação de hemácias, gastrointestinal
DNA e RNA
B12 (precisa de nervos, hemácias, DNA Produtos animais, (macrocítica) anemia
folato para e RNA, coenzimas no alimentos fortificados perniciosa, dano neural
funcionar metabolismo da energia irreversível, fraqueza
devidamente) muscular
C (acido ascórbico) antioxidante, formação frutas cítricas, melão sangramento na gengiva, náusea, cólica, diarreia
*destruído por de colágeno, ajuda a Cantalupo, kiwi, brócolis, cicatrização lenta,
oxidação e calor combater o estresse couve-flor, pimentões, sangramento localizado,
(melhor fresco) batatas, morangos, escorbuto
tomates
Sódio fluidos, função neural e sal e a maioria dos Câimbra muscular, hipertensão
*recomendação: <2 muscular, pressão alimentos, com variações edema
gramas/dia de sódio = arterial na quantidade
5 gramas/dia de sal (1
colher de chá rasa)1
Potássio fluidos, função neural e alimentos integrais (frutas fraqueza muscular, batimento cardíaco
muscular e vegetais) batimento cardíaco anormal
anormal
Cloreto fluidos, ácido estomacal sal raro
Cálcio ossos, dentes, verduras, semente de raquitismo, tetania pedras nos rins
coagulação sanguínea, gergelim, tofu, produtos (câimbras musculares),
ativação de enzimas, lácteos osteoporose
ação muscular, pressão
arterial
Fósforo ossos, dentes, ATP leite, carne, peixe, soja, raro, normalmente há baixa absorção de
(energia) lentilha, semente de excesso cálcio
abobora
Magnésio ossos, dentes, músculos folhas verdes e castanhas tetania (câimbras excesso (pílulas) pode
musculares), batimento ser fatal
cardíaco anormal
Ferro hemoglobina nas carne bovina, de frango, anemia microcítica e Aumenta o risco de
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 153
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
células vermelhas do peixe, legumes, verduras hipocrômica, baixa a doença coronariana e
sangue, mioglobina nas de folha verde, frutas imunidade, reduz as de câncer, intoxicação
células musculares, secas, melado, grãos capacidades físicas e em crianças
ajuda a carregar integrais mentais, aumenta a
oxigênio nessas células mortalidade materna (e o
risco de hemorragia e
infecção durante o parto),
baixo peso de nascença
Zinco cicatrização de legumes, castanhas, grãos nanismo no Oriente função imunológica
ferimentos, crescimento integrais, fermento Médio, cicatrização lenta diminuída
e desenvolvimento, biológico, carne bovina, ou deficiente, maior
função imunológica, frango, peixe suscetibilidade a
acuidade sensação de infecções, diarreia, falta
gosto de apetite, perda de
cabelo, desenvolvimento
sexual lento em meninos,
perda de paladar
Iodo função da tireoide, taxa alimentos cultivados em bócio, dano cerebral
metabólica solo rico em iodo (solo (evitável), retardamento
com iodo é normalmente mental, cretinismo
pobre nas montanhas), sal (crescimento retardado);
iodado, algas, peixe o maior dano ocorre no
útero, incluindo o risco
de morte fetal e aborto

Vitamina B12
Essa é uma vitamina essencial para a saúde humana. É essencial na formação e amadurecimento dos glóbulos
vermelhos, na saúde neurológica e mais. Sinais e sintomas de deficiência da B12 podem incluir anemia
megaloblástica, (glóbulos vermelhos maiores que o normal), problemas neurológicos como dormência e
formigamento das extremidades, problemas de equilíbrio, cansaço, e fraqueza, ciclos menstruais irregulares e
alterações mentais incluindo depressão, irritabilidade, desorientação, amnesia, e demência. Casos de deficiência não
tratada podem levar à morte. Tanto as mudanças neurológicas quanto a anemia pode aparecer primeiro. Os efeitos da
deficiência de B12 podem levar de semanas a meses para serem remediados e podem ser irreversíveis em alguns
casos avançados. Essa deficiência é normalmente causado por absorção inadequada que pode ser resultado de pouca
ingestão de B12, pouca produção de acido clorídrico, níveis baixos de fator intrínseco (idade, gastrite, etc.), e outros
fatores. Muitas pessoas têm grandes reservas de B12 no fígado e nos músculos. Quando alguém muda para uma dieta
completamente vegetariana pode levar anos para demonstrar uma deficiência devido à capacidade do corpo reciclar a
maioria da B12 que é secretada no trato gastrointestinal. Uma dieta ovo-lacto-vegetariana pode prover toda B12 que
é necessária para saúde com mais facilidade do que uma dieta totalmente vegetariana. Portanto, vegetarianos totais
devem incluir comidas fortificadas com suficiente B12 ou ingerir suplementos de B12. A dose diária recomendada é
de 2 a 2.4 microgramas por dia.

Uma boa maneira de verificar o nível de B12 é com testes de sangue. Todavia, uma deficiência de B12 pode ser
ocultada por grandes volumes de acido fólico pois acido fólico elimina anemia megaloblástica sem eliminar os
problemas neurológicos. Alimentos como algas marinhas, produtos com soja fermentado, cogumelos e levedura
nutricional não fortificada geralmente não proporcionam a quantidade de B12 que o corpo requere.

Fitoquímicos
Fitoquímicos são químicos encontrados em plantas. Cientistas estão descobrindo a cada dia como eles trabalham no
corpo para evitar câncer, baixar o colesterol, aumentar a imunidade e outras funções. Vegetais contêm milhares de
fitoquímicos diferentes. Quase dois mil deles são pigmentos vegetais, os químicos que dão cor aos alimentos. Outros
fitoquímicos dão sabor ao alimento. Alguns dos mais conhecidos são o betacaroteno, a cor alaranjada na batata doce
e pêssego, e a clorofila, que faz o verde escuro do brócolis. O Dr. Joseph Hotchkiss, da Cornell University, declarou
que um tomate pode conter 10.000 fitoquímicos!3

154 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Vamos explorar um efeito que os fitoquímicos podem ter: combater o câncer. Aqui está uma lista de alguns dos
fitoquímicos (e suas fontes) úteis no combate ao câncer:4
sinigrina couve de Bruxelas
sulforafano, ditioltiones couve de Bruxelas, couve-flor, brócolis, etc.
Carotenoides frutas e vegetais amarelos e alaranjados,
Antocianinas frutas e frutinhas (bagas) azuis, rochas, e vermelhas escuras
(ameixas, cerejas, mirtilos, framboesas, etc.),
resveratrol uva vermelha
limonenos frutas cítricas
sulfetos de alilo alho, cebola, alho-poró
isoflavonas, soja
saponinas, inibidores da protease leguminosas
ácido elágico uvas, morangos, castanhas
ácido cafeico frutas e vegetais
ácido fítico grãos, castanhas, e sementes

Estes são apenas alguns… Fitoquímicos são encontrados em todos os alimentos vegetais integrais. Eles afetam
muitas funções do corpo. A seguir estão alguns exemplos: reduzem o risco de diabetes, doença cardíaca, afetam o
coagulação do sangue, agem como antioxidantes, protegem o DNA, desintoxicam carcinógenos, facilitam a excreção
de carcinógenos, evitam a formação de radicais livres, reduzem o risco de osteoporose, estimulam a resposta
imunológica, evitam a multiplicação de células cancerígenas e MUITO mais!
Ao olharmos para os efeitos de vitaminas, minerais e fitoquímicos no corpo, percebemos a importância de usar uma
ampla variedade de frutas, castanhas, grãos integrais, vegetais, leguminosas e sementes do modo mais simples,
natural e não processado possível, selecionando produtos de boa qualidade, comendo abundância de frutas e vegetais
crus, e buscando uma grande variedade de cores, tipos de frutas/vegetais/grãos/sementes/leguminosas a cada semana.
Deus empacotou vitaminas, minerais e fitoquímicos que precisamos, na quantidade ideal; uma farmácia fitoquímica
para suprir as necessidades do corpo, enquanto tiramos proveito de deliciosas uvas, cenouras crocantes, tomates e
laranjas suculentas, e deliciosos kiwis e grãos dourados.
_____________________________

WHO. (2012). Guideline: Sodium intake for adults and children. World Health Organization. Retrieved June 3, 2015 from
http://www.who.int/nutrition/publications/guidelines/sodium_intake_printversion.pdf
General Conference Nutrition Council. (2013). Vitamin B12 for the vegetarian. Retrieved June 3, 2015 from http://www.vegetarian-
nutrition.info/positions/english/b12-vegetarian.php
Lowry, E. (1997). Phytochemicals lecture script. Shingle Springs, CA: NutriVisuals.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.

Capítulo 9 – Estimulantes
Cafeína, Chá e Chocolate
Ciência do Bom Viver, p. 326. “A ação do café, e de muitas outras bebidas populares, é idêntica. O primeiro efeito é
estimulante. São agitados os nervos do estômago, que comunicam irritação ao cérebro, o qual, por sua vez, desperta
para transmitir aumento de atividade ao coração, e uma fugaz energia a todo o organismo. Esquece-se a fadiga;
parece aumentar a força. Estimula o intelecto, torna-se mais viva a imaginação.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 425. “A saúde de modo algum é melhorada pelo uso desses artigos que
estimulam temporariamente, mas depois causam uma reação que deixa o organismo mais abatido que antes. Chá e
café estimulam por algum tempo as energias debilitadas, mas passada sua influência imediata, resulta uma sensação
de depressão.”
Testemunhos para a Igreja, vol. 3, p. 487. “Como esses estimulantes produzem no momento resultados tão
agradáveis, muitos chegam à conclusão de que realmente deles necessitam, e continuam a usá-los. Há sempre,
porém, uma reação. O sistema nervoso, havendo sido indevidamente estimulado, tomou emprestado para o uso
presente energias reservadas para o futuro.”

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 155


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Ciência do Bom Viver, p. 326, 327. “O uso continuado desses irritantes nervosos é seguido de dores de cabeça,
insônia, palpitação, indigestão, tremores e muitos outros males, pois eles gastam a força vital. Os nervos fatigados
necessitam repouso e sossego em lugar de estimulantes e hiperatividade. A natureza necessita de tempo para
recuperar as exaustas energias. Quando suas forças são aguilhoadas pelo uso de estimulantes, conseguir-se-á mais
durante algum tempo; mas, à medida que o organismo se enfraquece mediante o uso contínuo, torna-se gradualmente
mais difícil erguer as energias ao desejado nível. A exigência de estimulantes se torna cada vez mais difícil de
controlar, até que a vontade é vencida, parecendo não haver poder capaz de negar a satisfação do forte apetite
contrário à natureza. São exigidos estimulantes mais fortes e ainda mais fortes, até que a natureza exausta já não
pode corresponder.”
Temperança, p. 76.2,3. Mas o chá não é melhor? Não ouvimos muitas coisas boas sobre ele? “O chá... entra na
circulação e desequilibra gradualmente a energia física e mental. Ele estimula, instiga, e aviva o movimento do
maquinismo vivo, forçando-o a uma ação fora do natural, e dá assim ao que o toma, a impressão de que lhe está
prestando grande serviço, comunicando-lhe vigor. Isso é um engano. O chá tira a resistência dos nervos e deixa-os
grandemente enfraquecidos. Uma vez dissipada sua influência, e abatida a aumentada ação produzida por seu uso,
qual é então o resultado? Desânimo e debilidade correspondentes à vivacidade artificial que o chá comunicara.”
Testemunhos para a Igreja, vol. 2, p. 64, 65. “Quando o organismo já se encontra sobrecarregado e precisando de
repouso, o uso do chá incita a natureza pelo estímulo a realizar uma ação indesejada e antinatural, diminuindo-lhe
por esse modo a capacidade de trabalho e de resistência; e suas faculdades se esgotam muito antes do tempo
designado pelo Céu. O chá é venenoso para o organismo. Os cristãos devem deixá-lo em paz... Outro efeito de tomar
chá é dor de cabeça, insônia, palpitação do coração, indigestão, tremor dos nervos e muitos outros males.”
Temperança, p. 79.2. “O dinheiro gasto em chá e café é pior que desperdiçado. Aos que o tomam, eles só fazem
mal, e isto continuamente.”
Testemunhos para a Igreja, vol. 3, p. 563. “Pelo uso do chá e café predispõe-se o apetite para o uso do fumo, e este
estimula o desejo de bebidas alcoólicas.”
Ellen White chama o chá e o café de “veneno lento.” Temperança, p. 79.

Existe verdade nesta declaração? O que a ciência tem a dizer sobre o uso de café e chá?
Café contém uma metilxantina, a cafeína.
Chá contém três metilxantinas: cafeína, teofilina e teobromina.
Chocolate contém duas metilxantinas: cafeína e teobromina.

Refrigerantes como Coca Cola, Guaraná, Dr. Pepper, Mountain Dew, Red Bull, etc. contem quantidades variáveis de
cafeína. Assim, eles têm os efeitos da cafeína, além dos efeitos prejudiciais do excesso de açúcar, fósforo e calorias
vazias.

Níveis de cafeína no café, chá, refrigerante e chocolate:


Café 95-200 mg./ xicara de 8 onças
Bebidas energéticas 70-207 mg/8 onças (2 onças em um caso)
Chá preto 14-70 mg/ xicara de 8 onças
Chá verde 24-45 mg/ xicara de 8 onças
Refrigerantes 16-55 mg/ lata de 12 onças
Medicações com cafeína 65-200 mg/comprimido
Gotas de chocolate 104 mg/ xicara
Mate, guaraná, e castanhas de cola também contêm quantidades significativas de cafeína.2
8 onças = 240ml. 12 onças = 350ml

A cafeína é rapidamente absorvida no sistema. Níveis extremamente elevados são tóxicos e podem causar
convulsões e vômito. Quantidades mais baixas ainda afetam o corpo significativamente.

Efeitos da cafeína:
Sistema nervoso e cérebro:
• A cafeína estimula o sistema nervoso central;
156 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• Produz agilidade, e com o passar do tempo, depressão;
• Em geral, aumenta a dificuldade para lidar com problemas e depressão em mulheres (estudo com 143.000
consumidoras na Escandinávia);
• Provoca insônia e interrompe o sono;
• Irritabilidade, nervosismo, inquietação e ansiedade;
• Tremores (piora a coordenação motora fina);
• Dores de cabeça;
• Altera alguns níveis de neurotransmissores cerebrais;
• Pode agravar problemas de comportamento;
• Diminui o fluxo de sangue para o lóbulo frontal;
• Diminui o desempenho das tarefas da memória de curto prazo;
• Provoca dependência.

Química do corpo:
• Aumenta os níveis de açúcar no sangue (faz a pessoa sentir que tem excesso de energia);
• Diminui a absorção de ferro (devido à presença de taninos);
• Associada à anemia maternal e fetal.

Coração e Circulação:
• Pode causar batimento cardíaco irregular e palpitações;
• Reduz o limiar de fibrilação ventricular;
• Aumenta a pressão sanguínea;
• Aumenta ácidos graxos livres, colesterol e níveis de lipoproteína no sangue;
• Aumenta o risco de parada cardíaca.

Sistema Digestório:
• Estimula a produção de ácidos estomacais, e pode piorar úlceras pépticas;
• Relaxa o esfíncter esofagiano, contribuindo assim para a azia.

Sistema Reprodutivo:
• Pode atrasar concepção, provocar aborto espontâneo, defeito de nascença e baixo peso no nascimento.

Outros:
• Dilata os brônquios, relaxa os músculos involuntários;
• Piora os sintomas da síndrome pré-menstrual (SPM);
• Aumenta o risco de câncer de bexiga e é suspeita de ser co-carcinógena em outros cânceres;
• Aumenta a perda de cálcio e magnésio via urina (aumentando o risco de osteoporose).

É possível ficar viciado em cafeína? Sim, sintomas durante a desabituação podem incluir: tontura, agitação ou
irritabilidade, dor de cabeça recorrente, dificuldade para dormir, tremor das mãos, perspiração das mãos e pés, e
outros.

E quanto à cafeína para crianças? Devido às crianças terem baixo peso, a cafeína tem um efeito bem maior sobre
elas. Uma lata de refrigerante de cola para uma criança, muitas vezes equivale a 3-4 xícaras de café para um adulto
(dependendo do peso da criança).

Chá: Tem os mesmos efeitos relacionados ao teor da cafeína. Além disso, está associado ao aumento do risco de
câncer retal.

Chocolate
Tem efeitos relacionados ao conteúdo da cafeína. Além disso:
• A teobromina no chocolate é a principal metilxantina; ela causa a estimulação moderada do sistema nervoso
central;

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 157


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• Pesquisas sugerem que a teobromina encontrada no chocolate e chá duplica o risco do câncer de próstata (20
mg diariamente). Mais pesquisas são necessárias para avaliar isso;
• Está associado a reações alérgicas incluindo dores de cabeça;
• Chocolate contém 0,45 a 0,49% de ácido oxálico. O ácido oxálico combina-se com o cálcio para formar um
componente insolúvel, o oxalato de cálcio, que passa para fora do corpo sem ser absorvido, retirando assim o
cálcio do corpo.

Conteúdo da teobromina:
Chocolate ao Leite da Cadbury, 28 g 44 mg
Xarope de Chocolate, 2 colh. de sopa 89 mg
Chocolate em pó (2-3 colh. de chá cheias) ~120 mg

Todas as metilxantinas encontradas no café, chá e chocolate têm sido implicadas no desenvolvimento de cistos de
mama e da doença fibrocística das mamas – e mulheres com doença fibrocística das mamas têm, em media, quatro
vezes mais riscos de desenvolver câncer de mama.

Substituto do Chocolate: Alfarroba em pó – as vagens da árvore Ceratonia siliqua são finamente moídas em pó. A
alfarroba contem alguns minerais e vitaminas como cálcio, potássio, fósforo, magnésio, silicone, ferro, vitamina A e
niacina,. É rica em açúcares naturais e fibras, pobre em amido e gordura, e não contém as metilxantinas enumeradas
acima.

A Ciência do Bom Viver, p. 335. “Quanto ao chá, ao café, fumo e bebidas alcoólicas, a única atitude segura é não
tocar, não provar, não manusear... Os que tentam deixar esses estimulantes sentirão por algum tempo sua falta, e
sofrerão sem eles. Com persistência, porém, vencerão o forte desejo, e a falta deixará de se fazer sentir.”

Condimentos
A Ciência do Bom Viver, p. 325. “Os condimentos são prejudiciais em sua natureza. A mostarda, a pimenta, as
especiarias, os picles e coisas semelhantes irritam o estômago e tornam o sangue febril e impuro. O estado de
inflamação do estômago do bêbado é muitas vezes pintado para ilustrar os efeitos das bebidas alcoólicas. Condição
semelhante de inflamação é produzida pelo uso de condimentos irritantes. Dentro em pouco, a comida comum não
satisfaz o apetite. O organismo sente necessidade de alguma coisa mais estimulante.”

Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 341. “As especiarias irritam a princípio as tenras mucosas do estômago,
mas no final destroem a natural sensibilidade dessa delicada membrana. O sangue se torna febril, despertam-se as
propensões sensuais, ao passo que as faculdades morais e intelectuais são enfraquecidas, e tornam-se servas das
paixões inferiores.”

Condimentos picantes incluem pimenta-do-reino, noz-moscada, pimenta malagueta, caril (ou curry), mostarda,
pimenta de Caiena e outros tipos de pimentas picantes, páprica picante, e outros. Como eles afetam o corpo?

Caiena, pimenta malagueta, pimentas picantes: Usadas para prover um sabor picante em temperos, sopas e
comidas étnicas, etc. Estimulam fortemente e podem causar irritação das membranas mucosas e da pele. Podem
provocar náusea, diarreia, vômito, sangramento dos intestinos, podem agravar úlceras, e estão relacionados a um
aumento na incidência de câncer (de estômago, cólon, esôfago, boca e fígado).

Vejamos alguns estudos: Um estudo foi feito em quatro grupos étnico-culturais que tradicionalmente consomem
alguns dos alimentos mais picantes nos EUA (pimenta malagueta (capsicum) e pimenta-do-reino (safrole)). Os
grupos incluem Mexicano-Americanos, Cajun, Crioulo branco e Crioulo negro. Índices significantemente mais
elevados tanto de câncer de fígado como de estômago foram encontrados nos municípios onde esses quatro grupos
vivem do que em municípios comparáveis (ambos os sexos). Descobriu-se que o índice do aumento de câncer era
dependente da concentração desses grupos em cada município estudado.

No México, estudos sobre o consumo de pimenta malagueta (capsaicin) descobriram que os que consumiam níveis
elevados de capsaicin possuíam níveis expressivamente maiores de câncer de estômago do que os que consumiam
158 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
bem pouco capsaicin. Nenhum relacionamento foi notado com o estado da Helicobacter pylori. Outro estudo no
México descobriu que pessoas que consideravam seu consumo de pimenta malagueta elevado tinham maior
incidência de câncer gástrico (estômago) do que pessoas que usavam pouca ou quase nenhuma pimenta malagueta.

Em um estudo em Tamil Nadu, Índia, pesquisadores demonstraram uma correlação significante entre a pimenta
malagueta (Capsicum annum L.) e o desenvolvimento do câncer de cólon em ratos. Um segundo estudo em Assam,
Índia, com 1.506 pessoas, descobriu que comidas muito condimentadas, comidas e bebidas picantes, o consumo
elevado de pimenta malagueta e o uso de sobras de alimentos estão associados ao aumento e maior incidência de
câncer do esôfago, enquanto frutas e vegetais protegem contra o câncer de esôfago.

Foi descoberto que o consumo de pimenta malagueta é um fator importante no desenvolvimento do câncer de
vesícula biliar na população chilena.

Outro estudo indicou que o consumo elevado de pimenta malagueta é um fator significante no desenvolvimento de
câncer bucal. Em um estudo realizado em ratos, descobriu-se que a pimenta malagueta promovia o desenvolvimento
do câncer de estômago e fígado. Testes foram realizados com vanilina (principal componente do sabor de baunilha),
extrato de pimenta malagueta e capsaicin (componente ativo do extrato de pimenta malagueta), para testar a
mutagenicidade (habilidade de mudar o DNA que pode levar ao desenvolvimento de câncer). Descobriu-se que a
vanilina não possui mutagenicidade, enquanto tanto o extrato de pimenta malagueta como o capsaicin são
mutagênicos, sendo o capsaicin a substância mutagênica mais potente.,,,,,,,,

Pimenta do Reino: Em um estudo realizado em ratos, descobriu-se que os componentes safrole e ácido tânico
(encontrados na pimenta-do-reino) agem como carcinógenos fracos. Em um segundo estudo, o desenvolvimento do
câncer de fígado foi notado entre sapos egípcios após serem alimentados regularmente com pimenta-do-reino. E
quanto ao ser humano? Percebeu-se que a incidência do câncer no esôfago tem sido maior entre mulheres do que em
homens no norte do Iran, e descobriu-se que o principal alimento consumido durante a gravidez contém significantes
quantidades de pimenta-do-reino e sementes de romã moídas – ambas irritantes do esôfago.,,

Rábano Silvestre (Armoracia rusticana): Provê um forte sabor aromático. É intensamente irritante. Grandes
quantidades podem causar vômito de sangue, bem como desmaios e desconforto abdominal. Esta raiz nunca deve ser
usada por pessoas com histórico de doença de rins.,

Ervas Culinárias Duvidosas


Canela (Cinnamomum zeylanicum): Agente aromático para doces e tortas. Pode ser útil para flatulência e diarreia.
Canela também têm sido citada em pesquisas que estudam o aumento da incidência de tipos específicos de câncer,
por ter atividade mutagênica e genotóxica causada por eugenol. Embora um dos componentes da canela, o eugenol,
ter sido atribuído como tendo propriedades ante-ulcerativas, o condimento como um todo é considerado prejudicial à
barreira mucosa do estômago – aumentando assim o risco do desenvolvimento de úlceras. Estudos em ratos
demonstram níveis menores de colesterol e glicemia de jejum em ratos que receberam extratos de Cinnamomum
zeylanicum por 30 dias. Uma inspeção da literatura sugere que os resultados também ocorrem em humanos –
levando a níveis menores de LDL-C, triglicerídeos, colesterol total, e glicemia de jejum e níveis maiores de HDL-C
em ensaios terapêuticos. Uso terapêutico deve ser feito somente sob a orientação e apoio do seu agente de saúde.

Gengibre (Zingiber officinale): Erva pungente usada em vegetais, carnes, sobremesas e pães. É considerada útil no
alívio de dores, tosse, náusea e vômito provocado por indisposição durante viagens; e tem sido útil para reduzir
febres e por conter propriedades sedativas. No entanto, também é considerada um irritante como o capsicum e em
grandes quantidades pode causar disritmias e deprimir o sistema nervoso central. A Comissão E (Conselho
consultivo sobre Alimentos e Drogas na Alemanha) também aprovou o uso dessa erva para problemas digestivos e
prevenção de indisposição em viagens. Ao gengibre também se atribui efeitos anti-inflamatórios, diminuição da
agregação de plaquetas (antitrombótico) e estímulo do sistema imunológico. Outras pesquisas realizadas também
consideram que a raiz do gengibre fortalece a contração do coração, é antioxidante e possui efeitos contra a
enxaqueca e antilipidêmicos. Quando consumida em grandes quantidades sugere-se como possível causador de
úlcera, devido ao esfoliamento das células do revestimento da mucosa do estômago. Também pode causar um forma
alérgica de dermatite. Deve haver precaução ao se usar grandes quantidades dessa erva em situações pré-operatórias,

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 159


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
pois o sangramento pode aumentar devido aos efeitos do gengibre na agregação de plaquetas. Várias outras
pesquisas coincidem com essas descobertas.

Estudos realizados em ratos pelos doutores Marjorie e Bernell Baldwin demonstram um aumento significativos na
irritação do estômago provocando lesões (úlceras) entre ratos alimentados com ração contendo pimenta-do-reino (7,1
mm2), canela (5,7 mm2), cravo (4,8 mm2) e mostarda (1,6 mm2) em contraste com a ração padrão dos laboratórios
(1,2 mm2). Quando o estudo foi prolongado, úlceras adicionais começaram a se desenvolver entre os ratos que
usavam mostarda também.

Em outro estudo conduzido pelos mesmos pesquisadores, demonstra-se que ratos que tiveram pimenta-do-reino
acrescentada à ração, em contraste com a ração padrão, pesavam apenas 2/3 do peso de controle e tinham quase que
duplicadas as lesões ulceradas em relação aos ratos que não tinham pimenta-do-reino na dieta. Eles eram também
mais irritáveis, medrosos e tinham maior tendência a morder do que os que estavam em uma dieta controlada.

Informação sobre cafeína, chá, refrigerantes de cola e chocolate, obtidas de (Craig, W.J. (1999). Nutrition and
wellness. Golden Harvest Books: Berrien Springs, MI; Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality
Books).

_____________________________

Mayo Clinic Staff (2014). Healthy lifestyle: Nutrition and health. Mayo Clinic. Retrieved June 3, 2014 from http://www.mayoclinic.org/healthy-
lifestyle/nutrition-and-healthy-eating/in-depth/caffeine/art-20049372
Komes, D., Horžić, D., Belščak, A., Kovačević Ganič, K., & Baljak, A. (2009). Determination of Caffeine Content in Tea and Maté Tea by using Different
Methods. Czech J. Food Sci. Vol. 27, Special Issue.
Slattery, M.L. & West, D.W. (1993). Smoking, alcohol, coffee, tea, caffeine, and theobromine: risk of prostate cancer in Utah (United States). Cancer Causes
Control. 4(6):559-63.
Minton, J. P., of Ohio State University in Columbus.
Archer, V. E., & Jones, D. W. (2002). Capsaicin pepper, cancer and ethnicity. Med Hypotheses. 59(4):450-7.
López-Carrillo, L., López-Cervantes, M., Robles-Díaz, G., Ramírez-Espitia, A., Mohar-Betancourt, A., Meneses-García, A., López-Vidal, Y., Blair, A.
(2003). Capsaicin consumption, Helicobacter pylori positivity and gastric cancer in Mexico. Int J Cancer. 106(2):277-82.
Lopez-Carrillo, L., Hernandez Avila, M., & Dubrow, R. (1994). Chili pepper consumption and gastric cancer in Mexico: a case-control study. Am J
Epidemiol. 139(3):263-71.
Nalini, N., Manju, V., & Menon, V. P. (2006). Effect of spices on lipid metabolism in 1,2-dimethylhydrazine-induced rat colon carcinogenesis. J Med Food.
9(2):237-45.
Phukan, R. K., Chetia, C. K., Ali, M. S., & Mahanta, J. (2001). Role of dietary habits in the development of esophageal cancer in Assam, the north-eastern
region of India. Nutr Cancer. 39(2):204-9.
Serra, I., Yamamoto, M., Calvo, A., Cavada, G., Báez, S., Endoh, K., Watanabe, H., & Tajima, K. (2002). Association of chili pepper consumption, low
socioeconomic status and longstanding gallstones with gallbladder cancer in a Chilean population. Int J Cancer. 102(4):407-11.
Winn, D. M. (1995). Diet and nutrition in the etiology of oral cancer. Am J Clin Nutr. 61(2):437S-445S.
Agrawal, R. C., Wiessler, M., Hecker, E., & Bhide, S. V. (1986). Tumour-promoting effect of chilli extract in BALB/c mice. Int J Cancer. 38(5):689-95.
Nagabhushan, M. & Bhide, S. V. (1985). Mutagenicity of chili extract and capsaicin in short-term tests. Environ Mutagen. 7(6):881-8.
Wrba, H., el-Mofty, M. M., Schwaireb, M. H., & Dutter, A. (1992). Carcinogenicity testing of some constituents of black pepper (Piper nigrum). Exp Toxicol
Pathol. 44(2):61-5.
el-Mofty, M. M., Khudoley, V. V., & Shwaireb, M. H. (1991). Carcinogenic effect of force-feeding an extract of black pepper (Piper nigrum) in Egyptian
toads (Bufo regularis). Oncology. 48(4):347-50.
Ghadirian, P., Ekoe, J. M., Thouez, J. P. (1992). Food habits and esophageal cancer: an overview. Cancer Detect Prev 16(3):163-8.
Craig, W. (1996). The use and safety of common herbs and herbal teas (2nd ed.). Berrien Springs, MI: Golden Harvest Books.
Fleming, T. (Ed.), et al. (2000). PDR for herbal medicines (2nd ed.). Montvale, NJ: Medical Economics Company.
Balachandran, B. (1995). Induction of tumours by Indian dietary constituents. Indian Journal Of Cancer. 32(3): 104-9.
Ungsurungsie, M. (1982). Mutagenicity screening of popular Thai spices. Food And Chemical Toxicology: An International Journal Published For The
British Industrial Biological Research Association. 20(5): 527-30.
Maralhas, A. (2006). Genotoxicity and endoreduplication inducing activity of the food flavouring eugenol. Mutagenesis. 21(3): 199-204.
Maura, A. (1989). Negative evidence in vivo of DNA-damaging, mutagenic and chromosomal effects of eugenol. Mutation Research. 227(2): 125-9.
Capasso, R. (2000). Preventive effect of eugenol on PAF and ethanol-induced gastric mucosal damage. Fitoterapia. 71 Suppl 1: S131-7.
Baldwin, M. V., & Baldwin, B. E. (1986). Spices, recipe for trouble. Journal of Health and Healing. 12(1): 41-42.
Ranasinghe, P., Perera, S., Gunatilake, M., Abeywardene, E., Gunapala, N., Premakumara, S., Perera, K., Lokuhetty, D., & Katulanda, P. (2012). Effects of
Cinnamomum zeylanicum (Ceylon cinnamon) on blood glucose and lipids in a diabetic and healthy rat model. Pharmacognosy Res. 2012 Apr-Jun; 4(2):
73–79. doi: 10.4103/0974-8490.94719 PMCID: PMC3326760. Retrieved June 3, 2015 from http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3326760/.
Allen, R.W., Schwartzman, E., Baker, W.L., Coleman, C.I., & Phung, O.J. (2013). Cinnamon Use in Type 2 Diabetes: An Updated Systematic Review and
Meta-Analysis. Annals of Family Medicine. 11:5. Retrieved June 3, 2015 from http://www.annfammed.org/content/11/5/452.full.pdf.
Blumenthal, M., Goldberg, A., & Brinkmann, J. (Eds.) (2000). Herbal medicine: Expanded Commission E monographs. Austin, TX: American Botanical
Council.
Bockon, J. (1986). Ginger inhibition of thromboxane synthetase and stimulation of prostacyclin, relevance for medicine and psychiatry. Medical Hypothesis.
20: 271-8.

160 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”

Capítulo 10 – Controle de Peso


Riscos de Sobrepeso e Obesidade

Uma pessoa que está acima do peso ou que é obesa tem maior risco de certos problemas de saúde. Estes incluem:
níveis elevados de: colesterol total, triglicerídeos e colesterol LDL; níveis básicos de colesterol HDL; sofrimento
psicológico (culpa, depressão, ansiedade, baixa autoestima, discriminação, renda reduzida, maior índice de pobreza,
menor possibilidade de casamento e menor desempenho e progresso acadêmico); maior incidência de cálculo biliar,
ósteoartrite, diabetes tipo 2, doença cardíaca, apneia do sono, doença de gordura no fígado, períodos menstruais
irregulares, câncer (homens: câncer de cólon, reto, próstata, pâncreas, fígado e rins; mulheres: bexiga, mama,
ovários, cólon, reto, pâncreas, fígado e rins); maior risco de morte prematura, e outros problemas.

Principais Causas de Gordura Excessiva no Corpo

1. Consumo Elevado de Energia: Tipicamente, pessoas acima do peso usam em sua dieta alimentos mais ricos em
gordura e energia, usam menos vegetais e têm uma tendência maior de comer demais. Elas costumam comer mais
rápido, não diminuem no final da refeição e comem lanches. Dieta mais rica em gordura exige menos energia para
armazenar gordura como gordura no corpo do que para armazenar carboidratos como gordura no corpo (apenas
três calorias são necessárias para armazenar 100 calorias de gordura dietética como gordura corporal, enquanto
são necessárias 23 calorias para armazenar 100 calorias de carboidratos como gordura do corpo) e o corpo
aparenta ter somente sinais inibidores fracos para ajudar a evitar o consumo excessivo de gordura dietética.
2. Genética e Influências dos Pais: Pesquisas sugerem que 25-40% da obesidade humana pode estar relacionada a
fatores genéticos. Apesar de a genética causar um impacto significativo no desenvolvimento da obesidade, em um
estudo realizado com gêmeos separados no nascimento, descobriu-se que estilo de vida e cultura são fatores ainda
mais fortes. Portanto, se a genética for uma predisposição, a pessoa terá que ser mais cuidadosa com o estilo de
vida do que as pessoas em geral que não têm essa predisposição.
3. Baixo Consumo de Energia: Observações de pesquisas sugerem que pessoas obesas tendem a ser menos ativas
do que pessoas de peso normal – elas caminham menos tempo por dia, têm maior probabilidade de optar por
atividades que exigem menos consumo de energia (dirigem o carro em vez de caminhar, usam o elevador em vez
da escada, etc.), e observou-se que crianças obesas são significativamente menos ativas do que crianças magras
nas mesmas situações (movimento do corpo, posição em pé, atividade corporal em geral).

Aconselhando para redução de peso


Incentive Mudança de Estilo de Vida, Não Dietas Passageiras

Pesquisas demonstram que o fator mais importante na perda de peso permanente são as escolhas pessoais de
alimentação. Como um princípio geral da perda de peso, as pessoas devem buscar implementar mudanças de estilo
de vida que possam ser mantidas durante toda a vida. Isto pode ajudá-las a evitar dietas de curto prazo e passageiras,
que as levam a abandonar a dieta e recuperar o peso que foi perdido através dela.

Uma das partes mais importantes dessa mudança de estilo de vida inclui a mudança do consumo de alimentos ricos
em gorduras para alimentos naturalmente baixos em gordura. Isto pode ser feito aumentando o consumo de frutas,
vegetais e carboidratos (complexos) não refinados e diminuindo o consumo de óleos e outros alimentos gordurosos,
lanches e produtos animais. Sugere-se que fazer isto é mais importante do que controlar porções ou outro fator
qualquer. (Mantenha o nível total de gordura dietética abaixo de 30% do consumo calórico, e carboidratos
complexos em 55% ou mais do total de calorias).

Outros fatores dietéticos úteis incluem:


• Diminuir significantemente o consumo de açúcar na dieta;
• Aumentar o consumo de fibras vegetais (alimentos integrais);
• Evitar álcool terminantemente; isso lhe ajudará a lutar contra a obesidade, pois o álcool contém muitas “calorias
vazias” que facilmente são armazenadas como gordura;
• Tomar um bom desjejum;
• Comer levemente, ou, melhor ainda, não comer nada à noite;
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 161
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
• Melhorar o controle de porções, pegando apenas um prato (com quantidade moderada) e não repetindo;
• Reduzir o consumo de bebidas adoçadas com açúcar (soda, refrescos, etc.);
• A maioria das pessoas acima do peso ou obesas considera proveitoso buscar uma redução de 300-1.000 calorias
por dia, o que normalmente leva a uma perda de 250g a 1 kg por semana (As calorias ingeridas devem exceder
1.200 para mulheres e 1.600 para homens, caso contrário, importante massa corporal sem gordura será perdida);
• Usar menos de 10% de seu consumo diário calórico na forma de gorduras saturadas;
• Comer mais devagar: coloque o garfo no prato após colocar o alimento na boca, mastigue o alimento até se
tornar um creme antes de engoli-lo e evite comer entre as refeições;
• Procurar comer saladas, frutas ou vegetais antes dos alimentos mais densos;
• Busquar identificar os fatores que o levam a comer fora de hora e excessivamente (depressão, estresse, assistir
televisão, etc.) e faça planos para controlar esses fatores. Faça compras sabiamente (use sempre uma lista e não
vá às compras quando estiver com fome). Planeje suas refeições (use um cardápio e coma em horários fixos).
Reduza a tentação de comer fora de hora (mantenha alimentos fora da vista, evite ter fácil acesso a doces e
salgadinhos, sirva o prato de uma vez antes de comer, etc.);
• Estabelecer alvos razoáveis e recompensas “não alimentícias” por cumprir alvos com êxito;
• Manter um diário de alimentos para ajudá-lo a estar ciente de hábitos alimentares pessoais e identificar áreas
problemáticas;
• Desenvolver e manter um programa de exercícios que resultará no aumento do consumo de energia de 200-400
calorias por dia. Exercício aeróbico é o melhor tipo, e deve ser feito regular e consistentemente (sugere-se
começar com exercícios físicos moderados por 30-45 minutes, 3-5 dias por semana);
• Buscar perder cerca de 10% do peso total do corpo durante um período de cerca de 6 meses (se essa quantidade
for realmente necessária). A perda de peso gradual tende a ser mais permanente;
• Buscar apoio da família e amigos, o que é muito importante para êxito a longo prazo.

Existem outros meios para a redução de peso. A cirurgia de redução de estômago é uma opção. Ela resulta na perda
de peso a longo prazo para muitas pessoas, mas também pode causar muitos efeitos colaterais desagradáveis e pode
ser ineficaz para algumas pessoas. Terapia com drogas também pode ajudar com a perda de peso, mas existem
muitos efeitos colaterais desagradáveis e possivelmente perigosos.

_______________________________

Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.


National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases. (2010). Overweight and obesity statistics. Retrieved October 25, 2012, from
http://win.niddk.nih.gov/publications/PDFs/stat904z.pdf
Nieman, D. C. (2007). Exercise testing and prescription: A health-related approach (6th ed.). Boston: McGraw Hill.

Capitulo 11 - Dieta na Gravidez, Amamentação, Primeira e Segunda


Infância
Gravidez
A dieta na gravidez, amamentação, primeira e segunda infância não deve diferir drasticamente daquela que oferece
saúde ideal aos adultos. Grávidas e lactantes precisam de uma dieta adequada, bem equilibrada e saudável, suficiente
tanto para suas necessidades como para as de seu filho em crescimento. A saúde, crescimento e desenvolvimento
futuro da criança podem ser formados pela adequação da dieta da mãe durante este período. A mulher grávida deve
buscar uma vida equilibrada, praticando regularmente exercício de baixo impacto, buscar uma atitude mental
positiva, evitar calor excessivo (incluindo banheiras quentes, saunas, hidromassagens, etc.), estresse e trabalho
excessivo, pois todas essas coisas podem ter um efeito adverso na saúde do bebê.

O ganho de peso durante a gravidez deve ser em média de 11-16 kg para mulheres com o peso normal, de 12-18 kg
para mulheres abaixo do peso, e de 7-11 kg para mulheres acima do peso.

162 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Uma dieta rica em ácido fólico cedo na gravidez pode ajudar a prevenir defeitos de nascença que afetam os nervos, e
é especialmente importante entre o 17º e 30º dia após a concepção (quando ocorre o desenvolvimento fundamental
dos nervos). A suplementação diária de 400 mcg para mulheres grávidas pode ajudar a evitar problemas neurais
como spina bífida e anencefalia.

Necessidades nutricionais aumentam um pouco durante o período de gravidez e amamentação. Uma mulher grávida
tipicamente deve aumentar seu consumo de alimentos energéticos em até 340 kcal/dia no segundo trimestre e 450
kcal/dia durante o terceiro trimestre, proteína em cerca de 25 g, e um aumento modesto na B12, ferro e zinco.
Também é importante obter quantidades adequadas de vitamina D e cálcio.

A suplementação pré-natal pode ser útil para pessoas com nutrição inferior como: mulheres com gestação múltipla,
fumantes e usuários de droga e álcool. A suplementação excessiva de vitaminas e sais minerais deve ser evitada,
especialmente de ferro e vitamina E. Vitaminas e minerais devem ser obtidos dos alimentos tanto quanto possível.

Mães vegetarianas devem fazer exame de sangue para determinar o nível de B12. É de vital importância que todos
vegetarianos estritos e ovo-lacto-vegetarianos com níveis baixos de B12 tomem suplemento.

Substâncias potencialmente prejudiciais devem ser cuidadosamente evitadas. O consumo de álcool pela mãe durante
a gravidez também pode causar sérias dificuldades de aprendizado e defeitos no desenvolvimento da criança
(síndrome alcoólica fetal). Chá, café e outros estimulantes também devem ser evitados, pois podem causar danos
cromossômicos – potencialmente resultando em defeitos de nascença. Muitos medicamentos também podem ser
prejudiciais para o bebê em desenvolvimento e não devem ser usados sem aconselhamento medico. Fumar, mastigar
tabaco, dieta para perder peso e o uso adoçantes artificias devem ser estritamente evitados. Precaução dever ser
usada quanto ao uso de ervas; elas devem apenas ser usadas sob orientação de alguém conhecedor e que trabalhe na
área de saúde.

Desejos frequentemente existem durante a gravidez e às vezes podem ser causados pela falta de certos nutrientes,
que devem ser supridos tanto quanto possível. Contudo, a mãe deve ser cuidadosa para evitar todos os alimentos que
não são saudáveis ou que sejam perigosos para a saúde, os quais podem causar dano ao bebê em desenvolvimento.

Enjoo matinal é um grande problema em muitas gravidezes; em alguns casos manter-se bem hidratada durante a
gestação pode ser útil. Comer bolachas secas, levemente salgadas, antes de levantar da cama também ajuda a evitar
enjoo matinal.

A dieta saudável vegetariana que seja baixa em sal pode ajudar a evitar o inchaço do tornozelo no final da gestação.

A mãe pode ajudar a moldar os hábitos alimentares de seu filho por suas próprias escolhas de alimento durante a
gestação.

Amamentação/Fórmula infantil
Após o nascimento, a criança deve começar a ser amamentada o mais rápido possível, pois o líquido amarelado
chamado colostro produzido antes do leite regular começar contém muitas substâncias (anticorpos) que ajudam a
prevenir doenças. O leite materno é a opção mais saudável para a maioria dos bebês em desenvolvimento, já que ele
é estéril, promove o equilíbrio ideal de nutrientes, contém hormônios que incentivam o desenvolvimento físico e
cerebral, ajudam a proteger contra infecções e contra o desenvolvimento de alergias e diabetes. Foi sugerido que
também oferece proteção contra obesidade, aterosclerose, asma e hipertensão, nos anos vindouros. A amamentação
também economiza dinheiro e pode ajudar o útero a voltar ao seu tamanho normal, além de ser útil no combato ao
câncer de mama e ovário na mãe. Retarda o retorno da ovulação e pode ajudar a aumentar o intervalo de gravidezes
(apesar de não ser seguro como contraceptivo). Leite materno é melhor que leite de vaca por que contem lactoferina
que ajuda a absorver o ferro e prevenir anemia no infante amamentado.

Mães precisam amamentar tipicamente por 15-20 minutos em cada mama a cada 1-2 horas inicialmente, e este
intervalo pode aumentar gradualmente conforme o bebê cresce. O leite materno é digerido mais rapidamente do que
a fórmula. Um bebe normalmente deve produzir 5-6 fraldas molhadas por dia e 3-4 fraldas sujas por dia.
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 163
Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Se a mãe não é capaz de amamentar, a fórmula pode ser necessária, mas muito cuidado deve ser tomado para
certificar-se de que é apropriada como fórmula infantil e higiene total deve ser usada em todo o tempo para evitar a
diarreia por contaminação bacteriana.

De modo geral, o leite materno ou a fórmula deve ser o único alimento para o bebê até a idade de 4-6 meses, com
uma combinação de leite materno e alimentação regular dali em diante até o restante do primeiro ano. Mães que
amamentam devem evitar estritamente o uso de álcool, fumo, cafeína, todo medicamento e ervas (salvo sob
supervisão médica), e outras substâncias prejudiciais.

Dieta na Infância:
Bebidas adoçadas nunca devem ser dadas a bebês e crianças pequenas. Carboidratos, de maneira ideal, não devem
ser introduzidos até que a salivação comece. Bebidas adoçadas, especialmente oferecidas na mamadeira quando a
criança for dormir, podem causar rápida deterioração dentárias conhecidas como “cárie de mamadeira”. Doces
concentrados, sobremesas, alimentos ricos em sódio (incluindo vegetais enlatados) devem ser evitados, bem como
alimentos que apresentam risco de asfixia, como cerejas, castanhas, pipoca, amendoim, uvas inteiras, etc.

Alimentos sólidos devem ser introduzidos um de cada vez, e os pais devem esperar entre 4-5 dias antes de introduzir
um novo alimento. Arroz e outros alimentos com baixo potencial alergênico devem ser introduzidos primeiro,
enquanto trigo e outros alimentos mais alergênicos devem ser introduzidos depois. Mel e glicose de milho nunca
devem ser oferecidos a bebês durante o primeiro ano de vida devido ao risco de botulismo.

Regularidade na alimentação deve ser o alvo, e a criança não deve comer nada entre as refeições. Crianças
tipicamente precisam de uma terceira refeição durante a infância. Durante a transição de amamentação para 3
refeições por dia pode ter um período curto no qual a criança precise receber uma quarta refeição devido ao
crescimento rápido e o estomago pequeno delas.

É muito importante prover equilíbrio, variedade e nutrientes adequados para crianças novas. A criança tem maior
propensão para desenvolver deficiência nutricional imediatamente após a transição do leite materno/fórmula para
alimentos sólidos quando tem uma dieta totalmente vegetariana – SE a dieta não for equilibrada e nutricionalmente
adequada. A criança precisa de frutas, vegetais e grãos integrais, mas também precisa de alimentos mais densos em
energia como ervilhas, feijões, tofu, homus (patê de grão de bico) ou abacates para prover energia e nutrição
necessárias. Grãos integrais, leguminosas, castanhas, frutas e vegetais preparados com bom gosto, variedade e
equilíbrio, entre cada uma dessas fontes, ajudam a prover os nutrientes que a criança necessita para crescer e se
desenvolver. Se o crescimento da criança diminuir ou se ela ficar significativamente abaixo do peso, um profissional
de saúde deve ser consultado.

Crianças ativas e adolescentes frequentemente têm grande necessidade de calorias – até 2.000 calorias por dia aos 10
anos de idade – e frequentemente comem o mesmo tanto que adultos (especialmente adultos sedentários).

Crianças ovo-lacto-vegetarianas que consumem uma porção adequada de leite e ovos normalmente não necessitam
suplementação de B12. Porem é importante lembrar que produtos lácteos são frequente causa de infecção e alergias
na infância. O consumo excessivo de leite animal pode provocar a “anemia do leite”, que leva à diminuição da
absorção do ferro vindo dos outros alimentos.

Crianças totalmente vegetarianas devem receber suplementos de B12.

Citações inspiradas sobre dieta na gravidez e infância


Lar Adventista, p. 256-257. “É um erro que geralmente se comete o não fazer qualquer diferença na vida de uma
mulher antes do nascimento de filhos. Neste importante período o trabalho da mãe deve ser aliviado. Grandes mudanças
estão-se operando em seu organismo. Este requer maior quantidade de sangue, e consequentemente aumento em
alimentos de qualidade a mais nutritiva para converter-se em sangue. A menos que ela tenha abundante suprimento de
alimentos nutritivos, não poderá reter sua força física e seu filho fica privado de vitalidade... A boa condição da mãe e
do filho depende muito de roupas boas e quentes e de suprimento de alimento nutritivo.”

164 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Hábitos Saudáveis Devem Continuar na Infância e Juventude
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 226-232. “O melhor alimento para o nenê é o que lhe foi provido pela
natureza. Não deve, sem necessidade, ser dele privado. É falta de coração eximir-se a mãe, por amor da comodidade ou
de diversões sociais, da delicada tarefa de amamentar o filhinho.”
“Também o caráter da criança é mais ou menos afetado pela natureza do alimento recebido da mãe. Quão importante,
então, que a mãe, enquanto amamenta seu bebê, conserve um estado mental feliz, tendo o perfeito controle de seu
espírito. Assim fazendo, não se prejudica o alimento da criança, e o procedimento calmo e dominado seguido pela mãe
no cuidado do filho, tem muito que ver com o molde de seu espírito. Se o pequeno for nervoso, ficar agitado facilmente,
as maneiras cuidadosas e calmas da mãe terão uma influência no sentido de abrandar e corrigir, e a saúde da criança
poderá melhorar muito.”
“Tem-se feito grande mal às crianças por um trato impróprio. Se a criança se mostra impertinente, geralmente se lhe dá
alimento para aquietá-la, quando, na maioria dos casos, a própria razão de sua irritabilidade está em ter recebido
demasiado alimento, tornado nocivo pelos hábitos errôneos da mãe. O acréscimo de alimento apenas piora a situação,
pois seu estômago já estava sobrecarregado.”
“Não deveis permitir a vossos filhos que comam doces, frutas, nozes ou o que quer que seja no ramo dos alimentos,
entre as suas refeições. Duas refeições ao dia será para eles melhor do que três. Se os pais derem o exemplo, e agirem
dirigidos pelo princípio, os filhos logo entrarão na linha. Irregularidades no comer destroem a condição sadia dos órgãos
digestivos, e quando vossos filhos vêm à mesa, não lhes apetece o alimento saudável; seu apetite anseia por aquilo que
lhes é mais prejudicial...”
“As crianças são também alimentadas com demasiada frequência, o que produz indisposição febril e sofrimentos de
várias espécies. O estômago não deve ser forçado a trabalhar constantemente, mas deve ter seus períodos de descanso.
Sem isso as crianças se tornarão impertinentes e irritadiças, adoecendo frequentemente.”
“Mal se pode apreciar devidamente a importância de ensinar bem as crianças quanto a um saudável regime alimentar.
As crianças devem aprender que têm de comer para viver, e não viver para comer. Esses hábitos devem começar a ser
implantados já na criancinha. Ela só deve tomar alimentos a intervalos regulares, e menos frequentemente, à medida que
vai tendo mais idade. Não convém dar-lhe doces, ou comidas dos adultos, que é incapaz de digerir. O cuidado e a
regularidade na alimentação dos pequeninos, não somente promove a saúde, tendendo assim a torná-los sossegados e
mansos, mas lançará o fundamento para os hábitos que lhes serão uma bênção nos anos posteriores.”

Treinando Irmãos e Irmãs Mais Novos

The Health Reformer, 1 de maio, 1877. “Os pais terão muito pelo que responder no dia de ajuste de contas, devido à sua
ímpia transigência com os filhos. Muitos satisfazem todo o desejo absurdo, porque desse modo é mais fácil verem-se
livres de sua importunação do que de qualquer outro. Deve a criança ser ensinada de tal maneira que a recusa seja
recebida no devido espírito e aceita como palavra decisiva. Em geral as crianças não são ensinadas com respeito à
importância de quando, como, e o que devem comer. Permite-se lhes condescender livremente com os seus gostos,
comer a todas as horas, servir-se de frutas quando estas lhes tentam os olhos, e isto, juntamente com tortas, bolos, pão e
manteiga, e doces comidos quase constantemente, torna-os glutões e dispépticos. Os órgãos digestivos, qual moinho a
trabalhar continuamente, tornam-se debilitados, a força vital é chamada do cérebro para ajudar o estômago em sua
sobrecarga, e as faculdades mentais são assim enfraquecidas. O estímulo desnatural e o desgaste das forças vitais
tornam-nos nervosos, impacientes quando refreados, teimosos e irritadiços.”

Preparando-se para a Volta de Jesus


O Desejando de Todas as Nações, p. 101. “Os apetites e paixões devem ser mantidos em sujeição às mais elevadas
faculdades do espírito. Esta autodisciplina é essencial àquela resistência mental e visão espiritual que nos habilitarão
para compreender e praticar as sagradas verdades da Palavra de Deus. É por esta razão que a temperança tem seu lugar
na obra de preparação para a segunda vinda de Cristo.”

Maranata, p. 119. “É impossível ao homem apresentar o seu corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus,
enquanto persistir na condescendência com hábitos que o privam do vigor físico, mental e moral. De novo diz o

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 165


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
apóstolo: "E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que
experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Rom. 12:2.

“A reforma da saúde é um dos ramos da grande obra que deve preparar um povo para a vinda do Senhor.”

“O que se apega à luz que Deus lhe deu sobre a reforma de saúde, tem um importante auxílio na obra de santificar-se
pela verdade e estar habilitado para a imortalidade.”

_______________________________

Whitney, E. & Rolfes, S.R. (2013). Understanding nutrition (13th ed.). Thomson Higher Education: Belmont, CA.
Nehring, I., Kostka, T., von Kries, R., Rehfuess, E. A. (2015). Impacts of In Utero and Early Infant Taste Experiences on Later Taste Acceptance: A
Systematic Review. J. Nutr. 145:6 1271-1279. Retrieved 06/02/2015 from http://jn.nutrition.org/content/145/6/1271.abstract?etoc#fn-1.
Women’s Health. (2010). Breastfeeding. Retrieved October 25, 2012, from http://womenshealth.gov/pub/BF.General.pdf
Hoeker, J. (n.d.) How can I protect my baby from infant botulism? Retrieved October 25, 2012, from http://mayoclinic.com/health/infant-botulism/HQ0085

Capítulo 12 – Dietas Terapêuticas: Resumo e Revisão


Esta seção tem o objetivo de ajuntar os fatos discutidos nas aulas anteriores como conselhos dietéticos detalhados para
alguém com algumas das doenças mais comuns causadas por estilo de vida, bem como oferecer algumas recomendações
adicionais de saúde:

Diabetes
Desenvolva um programa regular diário de exercícios de pelo menos 30 minutos de duração (que pode ser divididos
em sessões totalizando pelo menos 30 minutos no total0; diminua ou elimine alimentos doces e refinados, carnes,
produtos lácteos e outros produtos animais; aumente o consumo de fibras (feijões, aveia e cevada são excelentes para
ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue devido aos níveis altos de fibras solúveis); diminua o consumo de
gorduras; alcance o peso ideal; tome um bom desjejum e almoço com uma janta leve; aumente o consumo de grãos
integrais, vegetais e frutas de índice glicêmico baixo; faça tratamentos de hidroterapias; exclua café, chá, fumo e
álcool; e aumente a exposição à luz solar.,

Hipertensão
Medidas que podem ajudar a conquistar e a vencer a hipertensão:
• Diminua o peso para o peso ideal (Fato: o estudo Framingham descobriu que a hipertensão é diretamente
atribuída à obesidade em 70% de homens e 61% de mulheres);
• Adote uma dieta baixa em sal (diminua ou evite lacticínios, conservas em salmoura, carnes curadas, arroz chinês,
caldo de carne e outros alimentos ricos em sal);
• Elimine álcool, fumo e fumo passivo;
• Elimine cafeína e refrigerantes (Fato: 1 xícara de café/dia pode aumentar a pressão arterial (PA) em 5-6 pontos);
• Limite o uso de bebidas com bastante açúcar pois elas levam a consumir muitas calorias que aumentam o risco da
obesidade;
• Aumente a atividade física (aeróbica, levantamento de peso, com regularidade);
• Tome sol diariamente;
• Consumir alimentos ricos em cálcio pode ajudar a diminuir a pressão arterial;
• Controle o estresse;
• Aumente o consumo de frutas, vegetais e grãos, e diminua o consumo de gorduras (total e de gorduras saturadas);
• Evite salgadinhos processados;
• Não coma carne (ou pelo menos diminua significativamente seu consumo).

166 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
Doenças Cardíacas
Procure diminuir o consumo de gorduras saturadas (encontrada em grande quantidade em carne bovina, de cordeiro,
de veado, laticínios, óleo de coco e palma) e use gorduras poli-insaturadas com moderação (encontrada em castanhas
e grãos); De preferencia, adote uma dieta totalmente vegetariana (que não contém colesterol), ou no mínimo utilize
uma dieta baixa em colesterol tanto quanto possível (Fato: a carne de galinha contém aproximadamente o mesmo
tanto de colesterol que a carne bovina e suína); aumente o consumo de fibras (encontradas em abundância em
alimentos vegetais não refinados, mas não em produtos animais); evite o consumo de ácidos graxos trans, que podem
aumentar consideravelmente os níveis de colesterol (e aumentam o risco de câncer); evite substitutos de gordura;
procure evitar (ou pelo menos diminuir significativamente) o consumo de proteínas animais, pois elas aumentam os
níveis de colesterol no sangue, enquanto proteínas vegetais diminuem os níveis de colesterol no sangue; evite
especialmente alimentos ricos em colesterol que foram expostos ao ar (permitindo assim que a oxidação ocorra, o
que pode apressar drasticamente o processo de dano arterial) como misturas para pudins e panquecas, queijo
parmesão, gordura de porco, etc.; pratique exercício aeróbico diariamente; aumente o consumo de alho; e atinja e
mantenha o peso corporal ideal.

Outros fatores importantes para diminuir o risco de doença arterial coronariana (DAC) incluem: manter um nível
mais baixo de ferro no sangue adotando uma dieta totalmente vegetariana (um nível elevado de ferro no sangue leva
a aumento no índice de oxidação de colesterol no corpo, o que pode causar aumento no risco de DAC); aumentar o
consumo dos seguintes antioxidantes: vitamina E (encontrada em grãos), vitamina C (encontrada em frutas e
vegetais frescos e batata) e betacaroteno (encontrado em frutas e vegetais verde escuros, alaranjados e amarelos), que
podem ajudar a evitar a oxidação do colesterol. Baixos níveis de homocisteína também previnem DAC. Níveis
elevados da homocisteína estão associados com o consumo de café. O uso de tabaco aumenta ainda mais esses
níveis. Pode ser muito útil, também, diminuir os níveis de triglicérides (um nível elevado de triglicérides está
associado a maior risco de DAC) através de redução: de peso, mais exercício físico, ingestão de menos gordura,
redução do estresse, abstenção de fumo e álcool, e de evitar o açúcar. Manter o peso e a pressão arterial normal, bem
como administrar estresse e raiva também são fatores essenciais para evitar DAC. Boa administração/reversão de
diabetes é outro fator importante em prevenir o progresso de DAC.

Já que foi descoberto que o colesterol HDL (lipoproteína de alta densidade) é útil na proteção contra DAC, a seguir
está uma lista de fatores que ajudam a aumentar os níveis de HDL: exercício aeróbico regular, estrogênio durante os
anos da pré-menopausa (Fato: depois da menopausa o risco de morte por DAC aumenta dramaticamente; como
resultando em, 52% de todas as mortes por DAC que ocorrem em mulheres), não fumar, e perda de peso.

Drogas que diminuem o colesterol não são a resposta ideal na maioria dos casos, pois são caras e provocam
inúmeros efeitos colaterais. Esses efeitos podem incluir fraqueza ou dor nos músculos, aumento de esquecimento e
confusão, níveis elevados de açúcar no sangue, aumento no risco de desenvolver diabetes tipo 2, dano ao fígado e
mais. .A maioria dos medicamentos para abaixar o colesterol não deve ser usada durante a gravidez ou com suco de
toranja (grapefruit).

Câncer
Estratégias de prevenção incluem fazer o máximo para evitar os agentes causadores de câncer, que incluem o
seguinte: álcool, fumo (causa número 1 de câncer), café, pesticidas e outros pulverizadores tóxicos (ex: PCB, DDT,
DDE), asbestos, churrasco. Outros fatores associados ao desenvolvimento de câncer e que devem ser evitados ou
diminuídos: excesso de gordura dietética, consumo de carne, excesso de ferro, consumo elevado de colesterol, uso
excessivo de produtos lácteos, exposição excessiva ao sol (queimaduras), nitrosaminas, gordura saturada, uso de
medicamentos para reposição hormonal, vírus e excesso de açúcar na dieta.

Além disso, seria bom utilizar fatores que podem ajudar a reduzir o risco de câncer. Alguns dos fatores incluem:
aumentar o consumo de vitamina A (frutas e vegetais alaranjado, amarelo e verde escuro), vitamina C (cítricos,
pimentas doces, morango, kiwi, frutos silvestres, família dos repolhos), vitamina E (semente e óleo de girassol,
amêndoas, níveis variados de outras sementes, leguminosas e grão integrais), plantas inteiras (fitoquímicos
poderosos contra o câncer), fibra, selênio (grão integrais), manter o devido peso, evitar excesso de proteína,
exercícios, exposição solar moderada e controle de estresse.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 167


Nutrição
“Fazei Tudo Para a Glória de Deus”
____________________________

Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.


American Diabetes Association. (2012). Diabetes. Retrieved October 25, 2012, from http://www.diabetes.org/
Haj Mouhamed D1, Ezzaher A, Neffati F, Douki W, Najjar MF. (2011). Effect of cigarette smoking on plasma homocysteine concentrations. Clin Chem Lab
Med. 49(3):479-83. doi: 10.1515/CCLM.2011.062. Epub 2010 Dec 14. Retrieved 06/02/2015 from http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21143017.
FDA (2014). FDA expands advice on Statin risks. FDA Consumer Health Information / U.S. Food and Drug Administration. Retrieved 06/02/2015 from
http://www.fda.gov/downloads/ForConsumers/ConsumerUpdates/UCM293705.pdf

168 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

CONTEÚDO

Capítulo 1 – Doença Cardiovascular ........................................................................................................ 170


Capítulo 2 – Hipertensão ............................................................................................................................. 174
Capítulo 3 – Diabetes Mellitus ................................................................................................................... 178
Capítulo 4 – Câncer ........................................................................................................................................ 184
Capítulo 5 – Introdução a Doenças Transmissíveis ........................................................................... 189
Capítulo 6 – HIV/AIDS .................................................................................................................................. 193
Capítulo 7 – Hepatite (Viral) ...................................................................................................................... 197
Capítulo 8 – Infecções das Vias Respiratórias ...................................................................................... 200
Capítulo 9 – Diarreia e Disenteria (Bacteriana e Amebiana) ......................................................... 204
Capítulo 11 - Vermes .................................................................................................................................... 210
Capítulo 12 – Tuberculose e Malária ....................................................................................................... 213

“A doença nunca vem sem causa. O caminho é preparado, e a doença convidada, pela desconsideração
para com as leis da saúde. Muitos sofrem em consequência da transgressão dos pais. Embora não
sejam responsáveis pelo que seus pais fizeram, é no entanto seu dever procurar verificar o que é e o
que não é violação das leis da saúde. Devem evitar os hábitos errôneos de seus pais, e mediante uma
vida correta colocar-se em melhores condições.” Ciência do Bom Viver, p. 234

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 169


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 1 – Doença Cardiovascular


Estatísticas
• Depois de 2008, a doença cardiovascular (DCV) tem sido a principal causa de morte no mundo, provocando 17.3
milhões de mortes, ou 31% do total de mortes mundialmente, segundo a Organização Mundial da Saúde
(OMS). Dessas mortes, 7.3 milhões são decorrentes de ataques do coração, e 6.2 milhões de derrames cerebrais;
• Acima de 80% das mortes por doença cardiovascular ocorrem em países de baixa e média renda;
• A doença cardiovascular ocorre quase que igualmente entre homens e mulheres, sendo que mulheres tipicamente
desenvolvem a doença cerca de 7-10 anos mais tarde;
• Presume-se que o número de vítimas chegue perto de 24 milhões até 2030;
• Entre os sobreviventes de ataques cardíacos e derrames, muitos exigem cuidado médico dispendioso;
• A doença cardíaca não respeita geografia, sexo ou limites socioeconômicos;
• Informação dos EUA:
o Maior causa de morte tanto entre homens como mulheres em 2008;
o Em 2008, mais de 616.000 morreram de doença cardíaca nos EUA, o equivalente a quase uma em cada
quatro mortes (ou 1687 por dia). Deste número, mais de 405.000 morreram de doença coronária;
o Representou quase 109 bilhões de dólares em 2010, entre despesas médicas e perda de produtividade.
(Para encontrar informação específica sobre seu país visite www.who.int)

Hoje em dia quando um avião comercial cai, centenas de pessoas morrem, e a história aparece em todos os noticiários
por vários dias. No entanto, cada dia nos EUA aproximadamente 1687 mortes ocorrem apenas por doença
cardiovascular. Isto seria o equivalente a quatro aviões Boeing 747 caindo por dia! No entanto, noticiários geralmente
não reportam essas mortes (a menos que alguém famoso morra de ataque cardíaco). Muito esforço é empregado
buscando encontrar a causa do acidente de avião. Não deveríamos nos preocupar com a causa da doença cardiovascular?

Embora a doença cardiovascular seja o assassino número um no mundo hoje em dia, pesquisas sugerem que com um
“melhor” programa de prevenção o risco de morte pode ser reduzido em até 90%.

O que é doença cardíaca?


A doença cardíaca pode ser causada por muitos fatores, mas, sem dúvida, a maioria está relacionada à aterosclerose.
Aterosclerose é uma condição caracterizada pelo depósito gradual de gordura e colesterol dentro dos vasos sanguíneos
(denominado placa). As placas causam o estreitamento e frequentemente causam uma superfície irregular dentro do
vaso sanguíneo. Muitas vezes os vasos sanguíneos também ficam gradualmente mais rígidos. Estes fatores dificultam o
fluxo de sangue através dos vasos. A aterosclerose tipicamente se desenvolve lentamente durante muitos anos e, com o
tempo, o vaso se torna tão estreito que o sangue não passa mais por ele. Ao mesmo tempo, a placa pode se romper, o
que pode provocar a formação de um coágulo de sangue. Se um coágulo se formar na veia coronária que supre oxigênio
necessário para o músculo do coração, ele pode provocar um ataque cardíaco. Contudo, se ele se desenvolver no
cérebro, pode provocar um acidente vascular cerebral (AVC), também conhecido como derrame cerebral. A doença
cardíaca não é uma doença nova; de fato, pesquisadores descobriram placas ateroscleróticas em mais de 1/3 de múmias
egípcias em um estudo publicado em 2011.

Sinais e Sintomas
A aterosclerose que afeta as veias do coração pode provocar ataque cardíaco ou angina; enquanto a aterosclerose que
afeta as artérias que vão para o cérebro pode causar derrame cerebral ou ataques isquêmicos transitórios (AITs). Outras
condições causadas ou intensificadas pela aterosclerose incluem claudicação intermitente (dor na perna ao caminhar ou
se exercitar que só cessa quando a pessoa descansa), gangrena (morte localizada e decomposição dos tecidos),
estreitamento das artérias que suprem sangue para os rins e muitos outros problemas.

170 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Diagnóstico:
A pessoa pode não saber que tem aterosclerose até que tenha um ataque cardíaco ou derrame, mas essa condição
normalmente pode ser diagnosticada por um médico qualificado através de histórico, exame médico, exame de sangue e
outros testes necessários.

Fatores de risco da doença cardiovascular (Qualquer um dos seguintes fatores aumentará o risco):

1. Fumar
• Existem cerca de 1 bilhão de fumantes em todo o mundo hoje;
• O fumo desempenha uma função importante na doença cardíaca, causando cerca de 10% de todas as doenças
cardiovasculares;
• Parar de fumar reduz o risco de ataques cardíacos repetitivos e morte por doença cardíaca em 50 % ou mais;
• Parar cedo: Um estudo britânico mostra que aqueles que param de fumar entre 35-44 anos de idade, vivem tanto
quanto os que nunca fumaram.

2. Exercício Insuficiente
• Exercício físico regular diminui o risco de a pessoa ter ataques cardíacos e derrames. Muitos estudos demonstram
uma forte ligação entre a inatividade e o aumento de doença cardíaca;
• Descobriu-se que adultos que participam de 150 minutos (2 ½ h) de atividade física moderada a cada semana
diminuem o risco de doença cardíaca em 30% e de diabetes em 27%.

3. Uso de Álcool
• 14% das mortes por uso de álcool em todo o mundo são resultado de ataque cardíaco e diabete mellitus;
• O consumo excessivo de bebidas alcoólicas está associado a um aumento do risco de doença cardíaca;
• O uso de quantidade significante de álcool danifica o músculo do coração, aumenta o risco de derrame e de
ritmos cardíacos anormais.

4. Pressão Arterial Elevada


• Quanto mais elevada é a pressão arterial, maior o risco de derrame cerebral e doença coronária cardíaca;
• O risco de doença cardíaca duplica para CADA aumento de 20/10 mmHg de pressão sanguínea, começando tão
baixo quanto 115/75 mmHg em certas faixas etárias;
• A prevenção, bem como a detecção precoce e o tratamento da pressão arterial elevada, são muito benéficos para
diminuir o risco de doença cardíaca e derrames cerebrais;
• Em muitos casos, a pressão arterial elevada pode ser corrigida com pequenas mudanças no estilo de vida, como
dieta e exercício.

5. Dieta Não Saudável


• Comer grande quantidade de gordura saturada, gordura trans, colesterol e sal, bem como diminuir o consumo de
frutas e vegetais aumenta o risco da pessoa desenvolver doença cardíaca;
• A quantidade de sal consumido ajuda a determinar a pressão sanguínea da pessoa e o risco, em geral, de doença
cardíaca. A OMS recomenda que menos de 5 gramas por pessoa diariamente ajuda a evitar doença cardíaca (em
vez dos níveis globais atuais de 9-12 gramas/dia).

6. Níveis Elevados de Colesterol Sanguíneo


• Mundialmente, um terço das doenças cardíacas é provocado por colesterol elevado no sangue, causando 2.6
milhões de mortes ao ano. Níveis elevados de colesterol também contribuem para um aumento do risco de
derrame cerebral;
• Níveis elevados de triglicérides no sangue (devido ao consumo de muitas calorias) aumentam o risco de
aterosclerose;
• Diminuir o colesterol sanguíneo em 10% entre homens de 40 anos de idade contribuiu para uma redução de 50%
de doenças cardíacas num período de 5 anos;
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 171
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• O índice de morte de doença cardíaca começa a aumentar quando os níveis totais de colesterol no sangue
ultrapassam 150 mg/dl;
• “Estudos demonstram que 45% das baixas americanas no Vietnam têm evidências de significante aterosclerose
coronária, numa faixa etária de 22.1 anos de idade.” (Medical World News);
• O corpo produz colesterol adequado para suprir suas necessidades. Fontes dietéticas de colesterol vêm
exclusivamente de alimento animal, e podem causar níveis mais elevados de colesterol no sangue. Gorduras
saturadas e trans também podem aumentar os níveis de colesterol no sangue.

7. Obesidade
• A obesidade ocorre quando a pessoa consome mais energia do que gasta, e está intimamente ligada à dieta e ao
nível de atividade física;
• Estar acima do peso é um fator de risco para doença cardíaca. De fato, ele aumenta o risco de três a cinco vezes.
(Fonte: Organização Mundial da Saúde. Informação analisada entre 1970-1980);
• A obesidade causa mudanças não favoráveis à pressão arterial, níveis de triglicérides e colesterol no sangue, e
resistência à insulina – isso aumenta o risco de pressão arterial elevada, diabetes tipo 2, doença cardíaca, e
derrame cerebral.

8. Diabetes
• Estima-se que 60 % de todas as mortes entre diabéticos estão relacionadas a doenças cardíacas;
• O índice de ataques do coração e derrames é 2-3 vezes maior em diabéticos do que no resto da população.
Diabéticos que sofrem ataque cardíaco ou derrame têm uma qualidade de vida inferior à da população em geral;
• O risco de doença cardiovascular aumenta em proporção à diminuição dos níveis de açúcar no sangue (glicemia).

9. Genética
• Estudos relatam que se um pai teve um ataque cardíaco precoce, seu filho terá duas vezes o risco de ataque
cardíaco, e o risco para sua filha aumentará em até 70%. Contudo, ainda existe muita especulação se isto
acontece devido aos hábitos de estilo de vida influenciados pela família ou fatores genéticos reais, ou uma
combinação dos dois.

Segredos para Prevenção e Reversão:


1. Parar de fumar;
2. Tornar-se fisicamente ativo;
• O Instituto Nacional de Saúde e a Associação Americana do Coração recomendam 30 ou mais minutos de
exercício moderadamente intenso por dia;
• Exercício ajuda a aumentar o nível de HDL (lipoproteína de alta densidade) no sangue, o que protege
contra doença cardíaca.
3. Evitar álcool;
4. Manter a pressão sanguínea saudável;
5. Reduzir o consumo de colesterol;
• O colesterol dietético é encontrado APENAS em produtos animais. Já que plantas não contêm colesterol, a
simples mudança para a dieta baseada em vegetais resultará em significantes mudanças positivas;
• Procure evitar a forma mais prejudicial de colesterol: colesterol oxidado encontrado em queijo, leite em
pó, pudim e manjar em pó, produtos pré-empacotados com laticínio, ovos e outros produtos de origem
animal.
• “Evidências sugerem que o consumo de pequenas quantidades de alimentos de origem animal está ligado,
para muitas pessoas, a índices mais elevados de cânceres e doenças cardiovasculares.”
6. Reduzir o consumo de gorduras saturadas, gorduras trans e sal;
• Gorduras saturadas e trans são os principais fatores que aumentam os níveis de colesterol no sangue, sendo
que as gorduras saturadas aumentam o colesterol ainda mais do que o colesterol dietético;

172 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• Gorduras saturadas são encontradas primariamente em produtos animais, especialmente em carnes
vermelhas (também são encontradas em óleo de coco e de palma), enquanto gorduras trans são
encontradas em alimentos contendo gorduras hidrogenadas;
• Diminua o consumo de sal, se necessário, para baixar a pressão arterial e diminuir o risco de doença
cardíaca, já que uma queda na pressão sanguínea normalmente é precedida de uma redução no consumo
de sal.
7. Escolher alimentos bons para o coração;
• Alho é benéfico para o coração. Ele baixa o colesterol total, triglicérides e LDL (colesterol que bloqueia os
vasos sanguíneos, piorando assim a doença cardíaca), enquanto aumenta o HDL (colesterol que limpa as
artérias e diminui o risco de doença cardíaca);
• Quando a soja foi usada no lugar da carne, o risco de doença cardíaca diminuiu. Exames de sangue
mostraram níveis mais baixos de colesterol total, LDL e triglicérides;
• Foi descoberto que alimentos ricos em beta caroteno e vitamina E diminuem o risco da pessoa
desenvolver doença cardíaca, devido às suas propriedades antioxidantes;
• Beta caroteno é encontrado em laranja, frutas e vegetais amarelos, bem como em verduras verde
escuras. Os mesmos benefícios das frutas e verduras não podem ser obtidos de suplementos
vitamínicos;
• Vitamina E é encontrada em óleos vegetais, leguminosas, castanhas, grãos integrais, e verduras. Um
consumo de 60 IU de vitamina E por dia diminui o risco de doença cardíaca em 34-50%.
• Outros alimentos que parecem proteger o coração contra doença cardiovascular são nozes e semente de
linhaça – aparentemente devido aos níveis elevados de gordura poli-insaturada e Omega 3. Num estudo
com semente de linhaça, o colesterol total e LDL foram reduzidos, enquanto o HDL não mudou.
8. Alcançar o peso ideal;
9. Evitar níveis elevados de homocisteína;
• Homocisteína é um aminoácido que o corpo usa para construir proteínas e realizar processos químicos;
Pesquisas agora mostram que um acréscimo de 10% nos níveis de homocisteína aumenta o risco de
doença do coração em aproximadamente 10% também;
• Café, fumo, e níveis elevados de metionina (índices elevados deste aminoácido são encontrados em ovos,
queijo, carne bovina, aves e peixe) promovem níveis elevados de homocisteína no sangue;
• Ácido fólico, B6 e B12 ajudam a converter a homocisteína do sangue em metionina, que é inofensiva em
níveis moderados, mas pode ser transformada novamente em homocisteína se os níveis glicêmicos
(açúcar no sangue) tornarem-se muito elevados.
10. Promover índices saudáveis de óxido nítrico (um químico essencial para ajudar a relaxar os vasos sanguíneos),
reduzindo os níveis totais de colesterol;
11. Controlar o estresse;
• Todos nós precisamos aprender a controlar os fatores de estresse, pedindo a ajuda de Deus;
• Uma pesquisa com sobreviventes de ataques cardíacos descobriu que metade deles tinha experimentado
estresse significante um dia antes do ataque cardíaco.
12. Fazer escolhas saudáveis.
• Não precisamos estar acorrentados aos nossos apetites ou tradições;
Lembre-se: com um melhor programa de estilo de vida, nove entre dez ataques do coração podem ser

evitados.
________________________

Organização Mundial da Saúde (2012). The top 10 cases of death. (http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs310/en/index2.html)


Causes of death 2008, (2008). Organização Mundial da Saúde, Genebra, http://www.who.int/healthinfo/
global_burden_disease/cod_2008_sources_methods.pdf.
Mendis S, Puska P, Norrving B (Eds.). (2011). Global atlas on cardiovascular disease prevention and control. Organização Mundial da Saúde. Genebra.
(http://whqlibdoc.who.int/publications/2011/9789241564373_eng.pdf).
Fact sheet N°317. ( 2011). Cardiovascular disease (CVDs). (http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs317/en/index.html)
Miniño, A., Murphy, S., Xu, J., e Kochanek, K. (2011). Deaths: Final data for 2008. National Vital Statistics Reports; vol. 59, no 10. Hyattsville, MD:
National Center for Health Statistics.
Heidenreich, P., Trogdon, J., Khavjou, O., e outros. (2011). Forecasting the future of cardiovascular disease in the United States: A policy statement from the
American Heart Association. Circulation. 123:933-44. Publicado em 24 de janeiro, 2011.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books, Inc.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 173


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Allam, A., Thompson, R., Wann, L., Miyamoto, M., Nur El-Din Ael-H., El-Maksoud, G., Al-Tohamy Soliman M., Badr I, El-Rahman Amer, H., Sutherland,
M., Sutherland, J., e Thomas, G. (2011.). Atherosclerosis in ancient Egyptian mummies: The Horus study. JACC Cardiovascular Imaging. Apr;4(4):315-27.
Acessado online em http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21466986.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18° ed.). New
York: McGraw Hill.
Alwan, A., Armstrong, T., Bettcher, D. Branca, F., Chisholm, D., Ezzati, M., e outros. (Eds.). (2011). Global status report on noncommunicable diseases
2010. [Electronic version]. Organização Mundial da Saúde. Itália.
Cleveland Clinic (2012). Heart and Vascular Health & Prevention: Smoking and Heart Disease.
http://my.clevelandclinic.org/heart/prevention/smoking/smoking_hrtds.aspx
Doll R e outros. Mortality in relation to smoking: 50 years' observations on male British doctors. British Medical Journal, 2004, 328(7455):1519. Publicado
em 22 de junho, 2004.
Organização Mundial da Saúde. Prevention of cardiovascular disease: Guidelines for assessment and management of cardiovascular risk. Genebra, WHO,
2007.
Roger, V.L., Go, A.S., Lloyd-Jones, D.M., Benjamin, E.J., Berry, J.D., Borden, W.B. e outros. (2011). Heart disease and stroke statistics—2012 update: A
report from the American Heart Association. Circulation: Journals of the American Heart Association. 125:e2-e220: publicado originalmente online em 15
de dezembro, 2011 doi: 10.1161/CIR.0b013e31823ac046.
Campbell, T.C. Professor of Nutritional Biochemistry, Cornell University, and Director of the Cornell-China Oxford Project on Nutrition, Health and
Environment
Blumenthal, M. (ed.). (2000). Herbal medicine: Expanded Commission E monographs: Herb monographs, based on those created by a special expert
committee of the German Federal Institute for Drugs and Medical Devices. Newton, MA: Integrative Medicine Communications.
Manson, J.E., e outros. (1992). The primary prevention of myocardial infarction. New England Journal of Medicine. 326(21):1406-1416.
Anderson, J.W., Johnstone, B.M., e Cook-Newell, M.E. (1995) Meta-analysis of the effects of soy protein on serum lipids. New England Journal of Medicine.
333(5):276-282.
Jacobs S. Reunião da Associação Americana do Coração, 1992.

Capítulo 2 – Hipertensão
Estatísticas
• Mundiais:
oEm 2009, em todo mundo, 1 bilhão de pessoas tinham pressão arterial elevada crônica (hipertensão).
oUm estudo conduzido pelo Departamento de Saúde da Tulane University declarou que a prevalência de
hipertensão (HBP) atingirá 1.56 bilhão de pessoas até o ano de 2025;
o Mundialmente, estima-se que a hipertensão causa cerca de 7.5 milhões de mortes. Isto corresponde a
cerca de 13% do total de fatalidades globais, em torno de 40% da população adulta acima de 25 anos
de idade;
o Nas regiões da OMS, pesquisas indicam que cerca de 62% dos derrames e 49% dos ataques cardíacos
são causados por HBP.
• Nos Estados Unidos:
o Cerca de um em cada três adultos com 20 anos e acima (76.4 milhões) tem hipertensão;
o Hipertensão foi denominada a principal causa ou contribuinte para a morte de mais de 347.000
americanos em 2008;
o Em 2010, a hipertensão custou aos EUA 93.5 bilhões de dólares em despesas médicas e perda de
produtividade;
o Metade dos americanos adultos com pressão alta consegue controlá-la;
o Quase 30% de americanos adultos têm pré-hipertensão – o que aumenta o risco tardio de
desenvolvimento de hipertensão e doença cardiovascular.

O que é pressão arterial?


Pressão arterial é a medida da força que o sangue exerce sobre as paredes das artérias. A pressão é medida pela distância
em milímetros que fará subir uma coluna de mercúrio.

Pressão Sistólica = Nível mais elevado de pressão obtido quando o músculo do coração bombeia sangue para fora de si.
Pressão diastólica = Pressão arterial mais baixa obtida quando o coração descansa entre batidas.

174 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Níveis de Pressão Arterial
O que é considerado pressão arterial normal? Abaixo de 120/80 (mais baixo normalmente é melhor). Pré-hipertensão é o
índice entre pressão arterial normal e elevada: 120-139/80-89. A pessoa pode começar a sofrer dano nos órgãos e tecidos
antes de atingir níveis realmente considerados como pressão arterial elevada. Pressão arterial elevada (hipertensão) é a
pressão aumentada nos vasos sanguíneos durante um período de tempo (140/90 ou superior).
O risco de doença cardiovascular duplica para cada aumento de 20/10 mmHg na pressão arterial. Um estudo em quase
um milhão de pessoas mostrou que mortes por doença cardíaca, derrame cerebral e outras doenças dos vasos sanguíneos
estão diretamente relacionadas ao nível da pressão arterial, começando em 115/75 mmHg. O risco do desenvolvimento
de aterosclerose que leva a doença cardíaca e derrame cerebral é cinco vezes maior em pessoas com pressão arterial
elevada de 160/95 versus aqueles com pressão arterial normal.
Além disso, podem existir outros mecanismos de doenças que ocasionalmente contribuem para o desenvolvimento da
hipertensão, incluindo tumores, distúrbios endócrinos, vasculares ou genéticos, apneia do sono, e outros. Portanto, o
auxílio médico no diagnóstico da causa e tratamento da hipertensão deve ser devidamente considerado.
Hipertensão afeta as artérias: uma vez que a pessoa desenvolve hipertensão, a pressão adicional danifica ainda mais as
paredes das artérias, piorando assim a aterosclerose e aumentado ainda mais a pressão arterial.
O que pode acontecer se a hipertensão não for tratada? A pressão sanguínea pode continuar a subir mais e mais.
Eventualmente poderá causar ataques cardíacos, derrames, dano aos rins (que pode causar insuficiência renal), dano aos
vasos sanguíneos nos membros inferiores, cegueira, insuficiência cardíaca congestiva, aneurismas, e morte. Outro
estudo sugere que pressão arterial elevada não tratada também pode causar declínio mental com o tempo – para cada
10mmHg de elevação há um risco 9% maior de declínio mental 25 anos mais tarde.
Sinais e Sintomas
Frequentemente não há sintomas até que esteja perigosamente elevada, quando a pessoa então pode experimentar:
• dores de cabeça;
• disparos do coração;
• tontura;
• cansaço com facilidade;
• impotência;
• entretanto, muitas vezes não há sinal algum até que um derrame ocorra.
Diagnóstico: Leituras múltiplas de pressão arterial sistólica e/ou diastólica elevadas, realizadas por vários dias enquanto
se elimina outras causas.
Fatores de riscos (comuns) para a hipertensão primária:
1. Muito sal na dieta
• O sal dietético aumenta a pressão na maioria das pessoas com hipertensão e em quase um terço em
pessoas com pressão normal;
• O sal dietético faz ainda pior o aumento da pressão arterial relacionado à idade;
• O sal é um contribuinte poderoso para a hipertensão em algumas pessoas, causando a constrição dos vasos
sanguíneos, aumentando assim a pressão arterial;
• O sódio causa a retenção de fluído, o que aumenta o volume de sangue e da pressão arterial;
• Um estudo descobriu que um aumento em sódio é igual a um aumento em risco de ataque cardíaco,
mesmo sem hipertensão.
2. Arteriosclerose: o colesterol se acumula dentro das paredes das artérias, causando o estreitamento e a perda da
elasticidade arterial (endurecimento). Como resultado, o sangue não flui tão facilmente como deveria, e se torna
insuficiente em algumas partes do corpo. O corpo tenta compensar aumentando a pressão do sangue através de
sinais do cérebro, rins e outros órgãos do corpo. Isto faz o coração bombear mais forte e os vasos sanguíneos
contraírem numa tentativa de suprir oxigênio, piorando gradualmente a hipertensão.
3. Estresse: o corpo produz adrenalina e cortisol em resposta às situações estressantes – o que provoca um aumento
na frequência cardíaca e constrição dos vasos sanguíneos – aumentando assim a pressão arterial por algum
tempo.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 175


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
4. Fumar provoca aumento temporário na pressão arterial (até 10 mmHg por até 30 min.). Danifica também os
vasos sanguíneos e contribui para o acúmulo de gordura nas artérias – causando doença cardíaca coronária e
ataques cardíacos, bem como câncer e outros problemas do pulmão.
5. Obesidade: fator que contribui para a hipertensão, aumenta o estresse no coração, aumenta o colesterol sanguíneo
e triglicérides, e baixa os níveis do (bom) colesterol HDL. No estudo de Framingham, 61% dos casos de
pressão alta em mulheres e 70% em homens estão associados ao aumento da gordura corporal.
6. Falta de exercício aumenta o risco de hipertensão, doença cardíaca, doença dos vasos sanguíneos, derrame e
obesidade.
7. Histórico familiar e idade avançada podem aumentar o risco de pressão arterial elevada.
• Consumo de álcool: pode aumentar as triglicérides do sangue, causar hipertensão, insuficiência cardíaca,
obesidade, derrame cerebral, frequência cardíaca irregular, câncer, suicídio, acidentes e outros males. O uso
de 30-60 gramas de álcool por dia já pode causar hipertensão significante.

Prevenção e Tratamento de Hipertensão


1. Reduza o peso se estiver acima do peso. Normalmente uma perda de 5 quilos já ajuda a baixar pressão arterial.
Contudo, para manter boa pressão arterial, a pessoa deve permanecer em um programa de redução de peso até
atingir o peso ideal. Para perder peso, adote uma dieta saudável e pratique exercício regularmente;
2. Diminua o consumo de sal. Não acrescente sal ao alimento enquanto estiver cozinhando ou comendo. Leia os
rótulos para determinar o conteúdo de sódio dos alimentos enlatados e empacotados que comprar. O nível
mínimo necessário para funções do corpo é 250 mg/dia. O Centro para Controle de Doenças recomenda um
consumo de menos de 1.500 mg por dia (menos que ¾ de colher de chá) para as seguintes pessoas: acima de 51
anos de idade ou mais idosa, descendentes de Africanos, diabéticas, com problema renal crônico ou
hipertensão. Para o resto da população, a recomendação é de 2.300 mg (1 colh. de chá) ou menos por dia., Em
contraste, uma pessoa consome em média entre 9.000-12.000 mg/dia. Uma dieta totalmente livre de sal não é
necessária na maioria dos casos, pois pesquisadores dizem que a redução moderada no sal reduz a pressão
arterial em pessoas tanto com pressão normal como elevada. Cerca de 75% do consumo de sal vêm de
alimentos processados;
3. Adote uma dieta baixa em gordura, evitando todo alimento frito. Gorduras saturadas, colesterol e gorduras trans
são alguns dos piores ofensores que causam aterosclerose, obstruindo os vasos sanguíneos. Todas as gorduras
devem ser usadas em quantidades muito baixas;
4. Diminua ou evite completamente produtos animais. Colesterol e gorduras saturadas encontradas em produtos
animais contribuem para hipertensão, aterosclerose, doença cardíaca e câncer;
5. Pratique exercício de intensidade moderada (caminhada é excelente), por pelo menos 30 minutos, cinco dias por
semana. O exercício fortalece o músculo do coração, ajuda a controlar o estresse, remove gordura do sangue, e
diminui a pressão sanguínea, aumentando a circulação. No entanto, o exercício vigoroso pode inicialmente
aumentar a pressão sanguínea, por isso deve ser começado gradualmente por pessoas com pressão muito
elevada;
6. Aumente o consumo de alho (ou tome suplementos de alho em pó). Alho ajuda abaixar a pressão sanguínea, o
colesterol total e triglicérides (enquanto eleva o colesterol HDL (bom)), e está à frente em estudos sobre
regressão nas placas dos vasos sanguíneos (depósitos gordurosos);
7. Adote uma dieta rica em fibras, consistindo de grãos integrais não refinados (especialmente aveia), leguminosas,
frutas frescas e vegetais. A fibra se mistura com os ácidos da bile (que contêm colesterol) no trato
gastrointestinal e ajuda a puxar colesterol excessivo para fora do corpo;
8. Coma alimentos que contêm potássio. Potássio tem um efeito anti-hipertensivo e ajuda a diminuir os efeitos do
sódio. Potássio pode ser encontrado em amplas quantidades em bananas, laranjas, tomates e muitas outras
frutas, vegetais e legumes;
9. Alimentos ricos em cálcio também ajudam a diminuir a pressão arterial. Um estudo demonstrou que cada grama
de cálcio consumida baixa a pressão arterial em 12 %. O ideal é que a pessoa obtenha isso de fontes vegetais
como folhas verde escuras;
10. Luz solar pode ser útil para abaixar a pressão arterial;
11. Evite álcool e fumo;
12. Evite cafeína e chá (mate e outros que contêm cafeína): uma xícara de café pode aumentar a pressão arterial em
5-6 pontos;
176 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
13. Tratamentos de hidroterapia ajudam a diminuir a pressão arterial temporariamente. Banho quente nos pés ou
banho de banheira com água morna pode ser benéfico;
14. Administre o estresse devidamente;
15. Estudos demonstram que a frequência regular à igreja está correlacionada à diminuição da pressão sanguínea
em comparação com os que não frequentam.

E quanto a medicamento para pressão arterial?


Medicamentos para pressão arterial podem ser necessários em algumas ocasiões para controle de hipertensão severa –
para evitar dano aos tecidos, derrame, ataques cardíacos e outros. Contudo, eles não curam a hipertensão, ao contrário,
simplesmente tentam administrá-la, procurando relaxar os vasos sanguíneos, diminuindo a frequência cardíaca, etc.
Cada medicamento possui efeitos colaterais e podem causar problemas em outros sistemas do corpo. De fato, para
pessoas com pouca hipertensão, em alguns casos o risco de tomar medicamentos pode exceder aos benefícios
adquiridos. O método ideal para tratar a maioria das hipertensões é o estilo de vida – removendo a causa. Um estudo que
questionou os familiares mais próximos de pacientes tomando medicamento anti-hipertensivo relatou que 33% dos
pacientes tiveram perda de memória, 45% tiveram irritabilidade, 46% depressão e 64% diminuição no interesse sexual.
Pessoas tomando medicamentos anti-hipertensivos ainda têm índices mais elevados de doença cardíaca do que pessoas
que têm pressão arterial idêntica, mas não utilizam drogas.

___________________________

Bakris, G., e Ritz E. (2009). The message for world kidney day 2009: Hypertension and kidney disease: a marriage that should be prevented. The Internet
Journal of Nephrology. 5(1).
Kearney P., e outros. (2005). Global burden of hypertension: analysis of world- wide data. Lancet. 365:217-23.
Organização Mundial da Saúde. (2012). Global Health Observatory: Raised blood pressure: Situation and trends. Acessado em 15 de março, 2012, online em
http://www.who.int/gho/ncd/risk_factors/blood_pressure_prevalence_text/en/index.html.
Organização Mundial da Saúde. (2002). Relatório Mundial de Saúde, 2002.
Roger VL, Go AS, Lloyd-Jones DM, e outros. Heart disease and stroke statistics—2012 update: a report from the American Heart Association. Circulation.
Epub 2011 Dec 15) ___OR____Roger VL, Go AS, Lloyd-Jones DM, Benjamin EJ, Berry JD, Borden WB, Bravata DM, Dai S, Ford ES, Fox CS, Fullerton
HJ, Gillespie C, Hailpern SM, Heit JA, Howard VJ, Kissela BM, Kittner SJ, Lackland DT, Lichtman JH, Lisabeth LD, Makuc DM, Marcus GM, Marelli A,
Matchar DB, Moy CS, Mozaffarian D, Mussolino ME, Nichol G, Paynter NP, Soliman EZ, Sorlie PD, Sotoodehnia N, Turan TN, Virani SS, Wong ND,
Woo D, Turner MB; on behalf of the American Heart Association Statistics Committee and Stroke Statistics Subcommittee. Heart disease and stroke
statistics—2012 update: a report from the American Heart Association. Circulação. 2012: publicado online antes de impressão em 15 de dezembro, 2011,
10.1161/CIR.0b013e31823ac046.))
Heidenreich, P., Trogdon, J., Khavjou, O., Butler, J., Dracup, K., Ezekowitz, M., e outros. Forecasting the future of cardiovascular disease in the United
States: a policy statement from the American Heart Association. Circulation. 2011;123:933-44. Publicado em 24 de janeiro, 2011.
CDC. (2011). Vital signs: prevalence, treatment, and control of hypertension—United States, 1999-2002 e 2005-2008. MMWR. 60(4):103-8.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
Beers, M. H., e Berkow, R. (Eds.). (1999). The merck manual of diagnosis and therapy (17th ed.). Whitehouse Station, NJ: Merck Research Laboratories.
Pojoga, L.H., Yao, T.M., Sinha, S., Ross, R.L, Lin, J.C., Raffetto, J. D., Adler, G.A., Williams, G.H., e Khalil, R.A. (2008). Effect of dietary sodium on
vasoconstriction and eNOS-mediated vascular relaxation in caveolin-1-deficient mice. Publicado online antes de impressão em 4 de janeiro, 2008, doi: 10.
1152/ ajpheart. 01014. 2007 AJP - Heart Março 2008 vol. 294 no. 3 H1258-H1265.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books, Inc.
Kannel, W.B, Garrison, R.J. e Dannenberg, A.L. (1993). Secular blood pressure trends in normotensive persons: The Framingham Study. American Heart
Journal. 125(4):1154-1158.
Wakabayashi, K., Nakamura, K., e outros (1995). Alcohol consumption and blood pressure: an extended study of self-defense officials in Japan. International
Journal of Epidemiology. 23(2):307-311.
Associação Americana do Coração. (2012). High blood pressure. Obtido em 20 de novembro, 2012 de
http://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/HighBloodPressure/High-Blood-Pressure_UCM_002020_SubHomePage.jsp
CDC. (2012). Most Americans should consume less sodium. Obtido em novembro http://www.cdc.gov/salt/ de http://www.cdc.gov/salt/.
Mendis S, Puska P, Norrving B (Eds.). (2011). Global atlas on cardiovascular disease prevention and control. Organização Mundial da Saúde. Genebra.
(http://whqlibdoc.who.int/publications/2011/9789241564373_eng.pdf).
Blumenthal, M. (ed.). (2000). Herbal medicine: Expanded Commission E monographs: Herb monographs, based on those created by a special expert
committee of the German Federal Institute for Drugs and Medical Devices. Newton, MA: Integrative Medicine Communications.
Thrash, A. (2012). High blood pressure. Obtido em 20 de novembro, 2012 de http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.high_blood_pressure.
Thrash, A. (2012). Gallstones. Obtido em 20 de novembro, 2012 de http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.gallstones.
Mead, M.N. (2008). Benefits of sunlight: A bright spot for human health. Environmental Health Perspectives. 116(4): A160–A167.
Graham, T.W., Kaplan, B.H., Cornoni-Huntley, J.C., James, S.A., Becker, C., Hames, C.G., e Heyden, S. (1978). Frequency of church attendance and blood
pressure elevation. Journal of Behavioral Medicine 1(1).

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 177


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 3 – Diabetes Mellitus


Estatísticas
• Diabetes é uma das doenças que mais cresce em todo o mundo, tanto em países de alta como de baixa renta;
• Estima-se que 366 milhões de pessoas (8.3% de adultos entre 20-79 anos) no mundo tinham esta condição em
2011, e projeta-se que a incidência da doença aumentará para 552 milhões (9.9%) até 2030;
• Estima-se que acima de 4.6 milhões de pessoas morreram da doença em 2011, e cerca de 80% de todas essas
mortes ocorreram em regiões do mundo com baixa e média renda;
• Afeta homens e mulheres quase que igualmente (185 milhões de homens versus 181 milhões de mulheres);
• O maior número de pessoas com diabetes mellitus estão na faixa etária de 40-59 anos de idade;
• Mundialmente, 183 milhões (50%) de pessoas com diabetes não são diagnosticados (78% dos casos na África
não são diagnosticados);
• Diabetes custaram pelo menos 465 bilhões de dólares em todo o mundo em 2011;
• Estima-se que 78.000 crianças desenvolveram diabetes tipo I em 2011;
• Para estatísticas regionais e de cada país em 2011, visite www.idf.org/diabetesatlas/5e/detailed-data-and-
interactive-map.

Definição:
Diabetes mellitus é uma condição crônica na qual o corpo não produz insulina suficiente ou não pode utilizar
devidamente a insulina produzida pelo corpo para levar glicose (açúcar) para as células. Como resultado, o nível de
glicose no sangue permanece elevado, causando dano no corpo inteiro.
Após a pessoa se alimentar, o sistema digestório começa a quebra dos alimentos ricos em amido e açúcar em moléculas
únicas de açúcar. Estas então são absorvidas pelo sangue através das paredes do intestino delgado. Glicose está pronta
para uso imediato no corpo, enquanto a frutose e galactose precisam ser convertidas em glicose no fígado. Níveis
elevados de glicose no sangue combinados com outros sinais hormonais e neurológicos desencadeiam a secreção de
insulina pelo pâncreas. A insulina trabalha como uma chave que abre pequenos cadeados (chamados de receptores) na
parede celular, que permitem que a glicose entre nas células. Conforme a glicose é usada pelas células, e a glicose do
sangue cai a certo nível, o pâncreas diminui a secreção de insulina. Certa quantidade de glicose precisa ficar no sangue
para suprir o cérebro constantemente. Falta de glicose no cérebro causa nervosismo, ansiedade, irritabilidade, depressão,
esquecimento, confusão, indecisão, baixa concentração, pesadelos e tendências suicidas.

Dois dos Principais Tipos de Diabetes Mellitus:


Diabete mellitus tipo 1 (conhecida também como diabete mellitus insulinodependente (DMID) ou diabetes infanto-
juvenil): tipicamente começa na infância, mas pode ocorrer depois, apesar de tipicamente ocorrer antes dos 30 anos de
idade. Nesta condição o pâncreas produz bem pouca ou para de produzir insulina. Acredita-se que isto ocorre por uma
coleção de fatores – incluindo suscetibilidade genética, ambiental, e fatores autoimunes. Fatores ambientais
considerados como influentes no desencadeamento do processo autoimune que leva à destruição das células betas,
produtoras de insulina no pâncreas, incluem: vírus (rubéola, vírus intestinais e outras infecções virais), assim como o
consumo de proteína do leite de vaca no início da infância e também a deficiência de vitamina D.,
Diabete mellitus tipo 2 (conhecida também como diabete mellitus não insulino-dependente (DMNID) ou diabetes do
adulto). Cerca de 85-95% de todas as diabetes são diabetes tipo 2. Ela normalmente se desenvolve gradualmente em
pessoas de mais idade (mas tem afetado mais e mais a jovens, adultos e até crianças), acima do pesoe que não se
exercitam o suficiente. A doença atinge a homens e mulheres em número praticamente iguais. Na diabetes tipo 2, a
quantidade de insulina produzida varia e é geralmente mais elevada do que o normal. Contudo, as células da pessoa
desenvolvem resistência à insulina.

Mecanismo da Doença na diabetes tipo 2:


• Na diabetes 2, a quantidade de insulina produzida varia e o nível no sangue é geralmente mais elevado do que o
normal. Contudo, a pessoa desenvolveu resistência à insulina, frequentemente como resultado de uma
diminuição no número de receptores de insulina nas células.
178 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• Quando a glicose entra no sangue após a refeição, precisa de insulina para entrar nas células. A insulina funciona
como uma chave em um cadeado, ligando-se com um receptor especial do lado de fora da parede da célula,
permitindo que a necessária glicose passe através da membrana celular para as células, de modo que possam ter
energia que precisam para desempenhar suas funções diárias.
• A insulina é produzida pelas células betas do pâncreas quando o nível de glicose no sangue aumenta acima de 70
mg/dL (>3,9 mmol/L). Se uma pequena quantidade de glicose entra na corrente sanguínea, o pâncreas reage
produzindo apenas um pouco de insulina, para ajudar a carregar a pequena quantidade de glicose para dentro
das células. Se uma grande quantidade de glicose entra na corrente sanguínea, o pâncreas produz uma
quantidade de insulina bem maior, para tentar carregar a quantidade maior de glicose para dentro das células.
• No entanto, embora a glicose seja essencial para cada célula, as células só precisam de determinada quantidade
dela para desempenhar suas funções. Como resultado, as células apenas permitem a entrada da glicose
necessária – o que pode variar dependendo do nível de atividade da pessoa, etc. Assim, quando a insulina e a
glicose passam por uma célula, a célula decide quanta energia precisa, e vai, ou permitir que a insulina se
ancore e a glicose entre, ou vai rejeitar a entrada de insulina e glicose. Se as células estiverem rodeadas por
muita insulina e glicose, das quais não precisam, essas células se tornarão resistentes à insulina,
diminuindo/desativando o número de receptores de insulina do lado de fora da célula. É isto que acontece na
diabetes tipo 2 – o pâncreas produz insulina, mas as células se tornaram resistentes à insulina.
• Portanto, se a pessoa simplesmente tomar mais insulina ou medicamentos orais para diabetes na tentativa de
“forçar” a glicose a entrar na célula, e assim diminuir os níveis elevados de glicose no sangue, sem mudar o
nível de atividade física ou a dieta, será que isto resolverá o problema? Se a pessoa apenas tratar o nível de
glicemia (açúcar no sangue) e ignorar a causa, a diabetes provavelmente se tornará cada vez pior com o passar
do tempo.
• A pessoa com estilo de vida sedentário não precisa de muita energia para o funcionamento das células. No
entanto, muitas pessoas sedentárias gostam de sorvetes, refrigerantes, bolachas, etc. Quando a glicose entra na
corrente sanguínea, o pâncreas libera muita insulina para enviar a glicose para as células, mas como a pessoa é
sedentária, as células não precisam de energia, então elas rejeitam a insulina e a glicose. Quando a pessoa
consome muitas calorias (convertidas em glicose) durante um período de tempo, e não queima calorias através
de exercício, a maioria das células começa a rejeitar o excesso de insulina e glicose, e a pessoa desenvolve uma
condição conhecida como “resistência à insulina”.
• Muitas pessoas com diabetes tipo 2 têm níveis elevados de insulina no sangue, bem como níveis elevados de
glicose. Normalmente, espera-se que a pessoa com níveis elevados de insulina teria níveis normais ou baixos de
glicose no sangue. Contudo, na diabetes tipo 2, a pessoa tem colocado muita energia no corpo por um longo
período de tempo, mais do que as células podem usar, portanto as células rejeitam o excesso de glicose. Como
resultado, o pâncreas continua a produzir mais e mais insulina para tentar forçar a glicose a entrar nas células e
evitar o dano ao corpo pelos níveis excessivamente elevados de glicose no sangue. Finalmente, o nível de
insulina atinge um platô elevado. Com o tempo, essa produção excessiva de insulina e níveis elevados de açúcar
causam dano às células beta do pâncreas, que produzem insulina, e lentamente elas se tornam incapazes de
produzir insulina. Como resultado, o corpo da pessoa se comporta parcial ou completamente como o de um
diabético tipo 1. Níveis elevados de insulina podem causar grande dano aos vasos sanguíneos, ganho de peso,
pressão arterial elevada, níveis elevados de colesterol e LDL (colesterol mau), afetar os níveis de hormônio
sexual, e mais.
• A gordura pode ser um contribuinte muito importante para a diabetes tipo 2, já que não exige insulina para entra
na célula, ao contrário, ela passa através da membrana da célula. Portanto, a célula fica cheia de “energia” de
gordura. Resumindo, quando a glicose tenta entrar, a célula já tem energia suficiente (1 grama de gordura tem o
dobro de energia que 1 grama de carboidrato) e rejeita a glicose e a insulina. Como resultado, o nível de glicose
no sangue permanece elevado, e mais insulina é produzida numa tentativa inútil de diminuir o nível de glicose
no sangue. Isto resulta em um ciclo vicioso de glicose elevada no sangue e níveis elevados de insulina, o que
impede a perda de peso!
• Se um diabético tipo 1 não é ativo, consome muito alimento rico em energia, e então injeta grandes quantidades
de insulina para compensar, ele poderá desenvolver resistência à insulina como o diabético tipo 2 e desenvolver
os mesmos problemas associados a níveis elevados de insulina e glicose no sangue. Portanto, uma mudança no
estilo de vida é também muito importante para o diabético tipo 1.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 179


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Sinais e Sintomas de Diabetes
1. Aumento da sensação de sede, boca seca (polidipsia);
2. Urinação frequente/crescente (poliúria) – O corpo pode apenas reabsorver até certa quantidade de glicose nos
rins. Quando os níveis de glicemia excedem este nível, a glicose permanece no filtrado (urina). A água segue a
glicose, e isto causa a perda de água do corpo, provocando urinação excessiva, sede, e até desidratação;
3. Fome excessiva (polifagia);
4. Fadiga e fraqueza;
5. Infecções frequentes – devido ao excesso de glicose na corrente sanguínea;
6. Cicatrização deficiente;
7. Visão embaraçada;
8. Perda de peso (em diabetes tipo 1);
9. Infecção vaginal e infecções cutâneas por fungos ocorrem com maior frequência.

Diagnósticos:
• Sintomas de diabetes mais concentração aleatória de glicemia ≥ 200 mg/dL ou 11.1 mmol/L OU;
• Glicemia em jejum ≥ 126 mg/dL ou 7.0 mmol/L OU;
• A1C > 6.5% OU;
• Teste de curva glicêmica (2 horas) ≥ 200mg/dL ou 11.1 mmol/L durante um teste de tolerância à glicose.

O que acontece se a diabetes não é devidamente controlada?


1. Dano ao fígado que frequentemente progride para a insuficiência renal. 10-20% dos diabéticos morrerão de
insuficiência renal;
2. Deficiência visual (retinopatia) que frequentemente progride para cegueira, bem como maior risco de cataratas e
glaucoma. Depois de 15 anos com diabetes, 2% tipicamente ficam cegos, enquanto 10% possuem deficiência
visual severa;
3. Neuropatia (dano ao nervo causando dormência (perda de sensibilidade) nas extremidades (especialmente nos pés
e dedos dos pés), formigamento, sensação de queimação, pontadas , e sensibilidade extrema em alguns casos),
bem como contribui para problemas de digestão, urinação e impotência;
4. Dano às artérias (aterosclerose), o que leva ao aumento do risco de angina, doença cardíaca, derrame cerebral e
insuficiência cardíaca congestiva. 50% das pessoas com diabetes morrem de doença cardiovascular
(especialmente doença cardíaca e derrame);
5. Doença periférica vascular (artérias e veias nas extremidades se tornam rígidas e ateroscleróticas). Isto pode
causar retorno venoso deficiente nas extremidades inferiores, o que, por sua vez, pode causar problemas na pele
(dermatite de estase), coceira, úlceras (feridas nas pernas ou pés que não saram), gangrena e amputações –
estudos sugerem um risco 25 vezes maior de amputações entre diabéticos do que entre a população em geral;
6. Complicações na gravidez – macrosomia fetal (peso elevado no nascimento), complicações no parto,
hipoglicemia na criança após o nascimento e maior risco de desenvolver diabetes no futuro;
7. Saúde oral – aumento do risco de gengivite, que pode causar a perda de dentes e aumentar o risco de doença
cardiovascular;
8. Apneia do sono – alguns sugerem um possível relacionamento entre a apneia do sono e a diabetes tipo 2 (em
torno de 40% das pessoas com apneia obstrutiva do sono têm diabetes);
9. Perda de audição;
10. Perda de consciência e morte (em casos extremos).

Controlando a Diabetes
Controle da diabetes tipo 1:
Nesta condição o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina – uma substância necessária para a vida e bem estar
humano. Esta pessoa terá que usar insulina diariamente (com a direção de um médico) pelo o resto da vida. É importante
que ela monitore cuidadosamente a glicemia, use insulina conforme a recomendação e siga as recomendações de estilo
de vida enumeradas abaixo para a diabetes tipo 2. Isso ajudará o paciente a evitar muitas das complicações que podem
ocorrer com a diabetes não tratada ou tratada de modo inadequado.

180 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Controle da diabetes tipo 2:
1. Exercício:
• O doutor Ken Goodrick, professor associado no Baylor College of Medicine, em Houston, declarou: “Nós
sabemos que se todo mundo praticasse exercício algumas horas por semana, a diabetes tipo 2 seria
virtualmente inexistente – o segredo é motivá-los a fazê-lo”;
• Melhora o controle da glicemia em muitos casos, fazendo com que mais açúcar do sangue seja utilizado
pelas células e menos insulina seja secretada. Isto ajuda a diminuir a glicemia sem medicamentos;
• Melhora a HbA1c e a sensibilidade à insulina, devido ao aumento no metabolismo celular e a necessidade
de mais açúcar nas células (portanto menos insulina/outros medicamentos são necessários). O doutor
Edward Shahady declara: “Nossas pílulas mais poderosas para diabetes hoje podem melhorar a
sensibilidade à insulina em até 25%, enquanto 18-24 horas após o exercício seu corpo se torna 40% mais
sensível à insulina que produz, mantendo assim seus níveis de açúcar eficazmente sob controle”;
• Induz o corpo a queimar depósitos de glicogênio, o que faz com que o açúcar excessivo no sangue seja
rearmazenado no fígado e músculos, diminuindo os níveis glicêmicos ainda mais;
• Ajuda a pessoa a perder gordura visceral e gordura corporal total. Apenas esta perda de gordura aumenta a
sensibilidade à insulina; portanto a pessoa precisa menos medicamento;
• Ajuda a aumentar a massa de músculo esquelético, o que aumenta o índice metabólico e queima mais
rápido a energia;
• Ajuda no controle do estresse, que pode atrapalhar o controle da diabetes em alguns diabéticos;
• Diminui o risco de doença cardíaca (frequentemente associado à diabetes tipo 2). Tem um efeito favorável
em vários fatores de risco cardiovascular como: pressão arterial, HDL e triglicérides;
• Melhores exercícios? Caminhada suave após refeições, alongamento regular e leve, musculação e
treinamento intermitente (alternando exercício vigoroso e menos vigoroso em períodos curtos de tempo);
• Com que frequência e por quanto tempo? São recomendados, no mínimo, 150 minutos semanais
distribuídos por pelo menos três vezes por semana;
• Precauções? Consulte um médico antes de começar um programa de exercícios vigorosos. Aumente
gradualmente, monitorando a glicemia cuidadosamente e carregando algo enquanto se exercita, caso a
glicemia caia muito; proteja os pés e pernas contra ferimentos (especialmente usando sapatos
apropriados), não se exercite quando a glicemia estiver muito elevada ou baixa.

2. Controle de Peso:
• A obesidade frequentemente é um dos principais fatores que causam a resistência à insulina. Portanto, se
um obeso diabético tipo 2 desejar controlar sua glicemia apenas através de mudanças de estilo de vida, é
essencial que trabalhe diligentemente para perder peso.
• O doutor Andrew Greenberg, diretor do Programa de Obesidade e Metabolismo na Tufts University, fez a
seguinte declaração no jornal LA Times do dia 3 de maio de 2001: "Está claro que se você perder peso,
você pode, de fato,curar a diabetes”, ele disse. “Já foi também demonstrado que se as pessoas se
exercitam, a insulina funciona mais eficazmente no corpo.”
• Sugestões para perda de peso com êxito:
1. Mude para uma dieta baixa em gordura e rica em fibras;
2. Aumente o consumo de frutas e vegetais, especialmente no início das refeições;
3. Diminua o consumo de açúcares, refrigerantes, sucos, grãos refinados e gorduras saturadas;
4. Coma um desjejum substancioso e não coma nada ou quase nada à noite;
5. Evite comer entre refeições;
6. Coma devagar e mastigue bem o alimento, colocando o talher no prato enquanto mastigar;
7. Terminantemente evite o consumo de álcool;
8. Busque uma perda de peso gradual e lenta (de 250 g a 1 quilo por semana), pois a perda de peso será
mais permanente.

3. Dieta Saudável:
• Adote uma dieta baixa em gorduras e óleos refinados. O excesso de gordura causa uma diminuição no
número de receptores de insulina. De fato, em experimentos clínicos em pessoas com diabetes tipo 2,

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 181


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
descobriu-se que a dieta totalmente vegetariana baixa em gordura melhora o controle glicêmico em maior
grau que dietas convencionais para diabetes;
• Adote uma dieta rica em fibra, que é encontrada em alimentos vegetais não refinados e não contém
produtos animais. A fibra reduz as exigências de insulina e aumenta a sensibilidade à insulina. A fibra
solúvel ajuda especialmente a aumentar a viscosidade dos alimentos em nosso estômago, o que retarda o
processo de digestão, o esvaziamento do estômago, e a absorção de glicose do trato gastrointestinal para a
corrente sanguínea. Isto resulta em um aumento gradual e seguro de glicemia (açúcar no sangue), com um
nível menor de picos glicêmicos, portanto, menos insulina é necessária para levar o açúcar de volta ao
normal. Estas fibras são encontradas em ricas quantidades em feijões, aveia e em muitos outros alimentos
de origem vegetal. A Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard reportou que o consumo de
grãos e farelos integrais está associado à redução da mortalidade em geral e especificamente da
cardiovascular em mulheres com diabetes;
• Açúcar e alimentos adoçados devem ser severamente limitados ou evitados, incluindo alimento com gosto
adocicado. Eles acrescentam muitas calorias extras, que contribuem para a obesidade e excesso de energia
– promovendo assim a resistência à insulina, que pode resultar em um pico elevado de glicemia. Este pico
estimula o pâncreas a secretar insulina, o que pode causar uma queda súbita na glicemia em muitos casos,
e provocar um sentimento de fome pelo “açúcar baixo”, um “vazio”, tremor, irritabilidade, e um
sentimento de que é preciso comer algo doce. Os sintomas são aliviados comendo algo doce, e o ciclo
vicioso se completa. Com o tempo, este bombardeamento de insulina excessiva nos receptores de insulina
faz com que eles tentem acomodar níveis extremamente elevados de insulina, diminuindo assim a
resistência à insulina;
• Adote uma dieta rica em carboidratos complexos. Isto significa uma variedade de grãos integrais, vegetais,
frutas, feijões, castanhas, e sementes. Carboidratos complexos são quebrados em açúcar e liberados
lentamente no sistema – provendo energia sustentável durante todo o dia sem a necessidade de produção
excessiva de insulina. Em contraste, grãos e farinhas refinados devem ser evitados pois provocam a
mesma reação aos níveis de açúcar no sangue que alimentos ricos em açúcar, e carecem de fibra,
vitaminas e minerais necessários para a saúde ideal. Grãos refinados incluem arroz branco, pão branco,
pasta não integral e outros alimentos com grãos refinados. O Instituto Nacional de Saúde Pública da
Finlândia descobriu que os que comiam as maiores quantidades de grãos integrais no estudo tem um risco
de 30-61% menor de desenvolver diabetes tipo 2 do que os que comiam o mínimo de grãos integrais;
• Uma dieta totalmente vegetariana é a melhor para diabéticos. Produtos animais geralmente são ricos em
colesterol, gorduras saturadas e frequentemente contêm gorduras trans. Todos estes contribuem para a
resistência à insulina. Eles também não contêm fibra, vital para o controle da glicose no sangue. Um
estudo realizado com homens adventista do sétimo dia na Califórnia descobriu que os que comiam carne
6 vezes ou mais por semana tinham um risco 3.8 (380%) vezes maior de morrer de diabetes do que os que
comiam menos de 1 vez por semana;
• Comer demais causa superprodução de insulina (em uma tentativa de o corpo trazer os níveis de glicemia
de volta ao normal) e por meio disso contribui para a resistência à insulina;
• Duas refeições regulares por dia com pelo menos 5 horas de intervalo funcionam melhor para a maioria
dos diabéticos não dependentes de insulina. Descobriu-se que um desjejum e almoço farto, sem janta e
lanches entre eles é muito útil para controlar a glicemia. Sugere-se que este horário de alimentação
aumenta a assimilação de insulina para as células. Mais refeições e lanches elevam os níveis de glicemia e
aumentam a produção de insulina, piorando a resistência à insulina. Se uma terceira refeição for feita,
deve ser bem pequena e consistir de uma pequena porção de grãos integrais e frutas;
• Nicotina deve ser evitada, pois piora a resistência à insulina e é um poderoso estimulador da produção de
insulina;
• Diabéticos devem evitar estresse. O estresse e a dor fazem o corpo quebrar açúcar armazenado e colocá-lo
na circulação sanguínea.

Perda de sono e distúrbios do sono também contribuem para o desenvolvimento de resistência à insulina e diabetes
tipo 2.
Uma dieta totalmente vegetariana baixa em proteína também pode ajudar a proteger os rins contra insuficiência
renal.

182 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Alimentos específicos a serem consumidos ou evitados:
• Grãos Integrais: grãos integrais quebrados ou inteiros como arroz, painço (s/ casca), trigo, centeio, cevada e
milho são excelentes como pratos principais. Massas contendo amido, como espaguete, também podem ser
digeridas contanto que sejam integrais. Coma pão feito apenas com grãos integrais;
• Vegetais/leguminosas: Use liberalmente. Mais de 41 estudos mostram que leguminosas podem ajudar a manter a
glicemia em níveis ideais. Na China, um estudo demonstrou uma redução de 38% no risco do desenvolvimento
de diabetes tipo 2 entre os que consomem leguminosas diariamente. Ervilhas e feijão secos podem ser usados
em lugar de carne, leite, ovos e queijo.
• Substitutos para os derivados do leite (de vaca): leite de soja com pouco ou nenhum adoçante e queijos e cremes
feitos com castanhas oufarinhas ou vegetais podem ser usados em quantidades limitadas para substituir os
derivados do leite;
• Castanhas e Sementes: Use ocasionalmente todos os tipos, bem como a manteiga delas. Use castanhas cruas ou
levemente tostadas;
• Frutas doces e vegetais: Frutas secas e outras frutas muito doces (como uvas) devem ser usadas ocasionalmente
ou não devem ser usadas;
• Suco de frutas: Suco de fruta deve geralmente ser tomado apenas para elevar o açúcar no sangue durante uma
reação hipoglicêmica. A melhor bebida entre as refeições é a água ou chá de ervas não adoçado;
• Evite cafeína – pois ela aumenta a glicemia.

___________________________

Unwin, N. e outros (eds). (2011). IDF diabetes atlas (5th ed.). Federação International de Diabetes. www.idf.org/diabetesatlas.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
Bener, A., Alsaied, A., Al-Ali, M, Al-Kubaisi, A, Basha, B., Abraham, A., Guiter, G., e Mian, M. (2009). High prevalence of vitamin D deficiency in type 1
diabetes mellitus and healthy children. Acta Diabetol. 46(3):183-9. Publicado em 10 de outubro, 2008.
Fact sheet N°312. (2012). Organização Mundial da Saúde. http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs312/en/
House, F., Seale, S.A., e Newman, I.B. (2008). Stop diabetes… before it stops you: The 30-day diabetes miracle. New York: A Perigree Book.
Seeley, R.R., Stephens, T.D., e Tate, P (2008). Anatomy and Physiology (8th)
IT'S NEVER TOO LATE TO… (2001). Time, 157(5), 54.
Ann. Endocrinol (Paris). (2004). 65(1 Suppl):S44-51.
Shahady, E. (2000). University of Miami, Consultant.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books.
New England Journal of Medicine 2001;344:1343-1350,1390-1391.
Nutr. Rev. (2009). 67(5):255-263.
Circulation 2010;121(20):2162-2168.
Snowdon, D, e Phillips, R. (1985). Does a vegetarian diet reduce the occurrence of diabetes? American Journal of Public Health 75, no. 5 (1985): 507-512.
Journal of Applied Physiology 2005;99:2008-2019.
Thrash, A. (2012). Health recovery program. Obtido em 20 de novembro, de http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.health_recovery_program.
Diabetologia 13 de junho, 2009.
Am. J. Clin. Nutr. 2008;87(1):162-167.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 183


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 4 – Câncer
Fatos e estatísticas
• Câncer é um dos principais assassinos no mundo, matando quase 7.6 milhões de pessoas antes dos 75 anos de
idade (cerca de 11% de todas as mortes) em 2008;
• Estima-se que mais de 13 milhões de pessoas morrerão de câncer em 2030;
• O câncer surge de uma mudança em uma única célula. A mudança pode ser iniciada por agentes externos e
fatores genéticos herdados;
• Cerca de 70% de mortes por câncer ocorreram em países de baixa ou média renda em 2008;
• As causas mais comuns de morte por câncer incluem câncer no pulmão, mama, cólon-retal, estômago e próstata
(nesta ordem). Contudo, os índices de morte por câncer variam de acordo com o sexo, sendo que os homens
têm maiores índices de mortes por câncer de pulmão, próstata, cólon-retal, estômago e fígado, e as mulheres por
câncer de mama, cólon-retal, cervical, pulmão e estômago.
(Encontre informação específica por países no site www.who.int)

O impacto do câncer na América:


• Em média:
o Um em cada dois homens terá câncer;
o Uma em cada três mulheres terá câncer;
o Atualmente, quase uma em cada quatro mortes nos EUA é por câncer.
• Em 2011 estimava-se que 571.950 morreriam de câncer;
• Apenas 5-10% de todos os cânceres podem ser atribuídos a defeitos genéticos, enquanto 90-95% vêm do meio
ambiente e estilo de vida da pessoa;

“De todas as mortes relacionadas ao câncer, quase 25–30% são resultado do uso de tabaco, 30–35% estão
relacionadas à dieta, cerca de 15–20% a infecções, e a porcentagem restante está relacionada a fatores como
radiação, estresse, atividade física, poluentes ambientais, etc.”

Definição e Mecanismo da Doença


Câncer é um grupo de doenças caracterizado por células que perdem seus controles e características normais. Ele
começa quando um dano ocorre ao DNA da célula. Isto pode fazer com que a célula comece a se reproduzir de modo
incontrolado, finalmente formando um tumor, que pode tomar espaço vital, destruir tecidos próximos, e espalhar-se por
todo o corpo.

Sinais e Sintomas de Advertências Comuns do Câncer


1. Mudança nos hábitos intestinais e funções da bexiga;
2. Feridas que não saram;
3. Manchas brancas dentro da boca ou na língua;
4. Sangramento ou secreção incomum;
5. Engrossamento ou caroço na mama ou outras partes do corpo;
6. Indigestão ou dificuldade para engolir;
7. Mudança recente em uma verruga ou nervo ou qualquer nova mudança na pele;
8. Tosse forte ou rouquidão.

Além disso, a pessoa pode experimentar uma variedade de outros sinais e sintomas dependendo do local ou tipo de
câncer envolvido.

Diagnóstico: Exame microscópico do tecido suspeito normalmente é o modo mais eficaz para certificar-se de que a
pessoa tem câncer ou não, mas normalmente também inclui exame físico, histórico detalhado, e possivelmente exames
de sangue.

184 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Riscos significantes de câncer incluem (não exaustivo):
1. Fumo
• Fumar mata mais pessoas nos países desenvolvidos do que qualquer tipo de câncer. Causa cerca de 71%
das mortes por câncer de pulmão e 25-30% de todas as mortes por câncer;
• O uso de tabaco contribui para pelo menos 14 diferentes tipos de câncer;
• De modo geral, o tabaco contribui para quase 6 milhões de mortes prematuras em todo o mundo, sendo
que mais de 600.000 são por fumo passivo, e 400.000 por tabaco não fumado (como o tabaco mastigado),
e quase 450.000 mortes são apenas nos EUA;
• O tabaco contém pelo menos 50 substâncias que causam câncer.

2. Uso de Álcool
• Globalmente, cerca de 3.5% de todo câncer é provocado pelo uso de álcool. Pesquisadores consideram o
álcool um carcinógeno, o que significa que ele aumenta o risco da pessoa desenvolver câncer quando
exposta a ele e a outro agente causador;
• Álcool enfraquece o sistema imunológico e contribui para cânceres na boca, garganta, esôfago, fígado e
mama;
• Existe uma relação direta entre o aumento no consumo de álcool e o risco de alguns cânceres. Um estudo
demonstra um aumento de 7.1% no risco de câncer de mama para cada 10 g/dia de consumo de álcool.
• Existe também uma relação entre o consumo excessivo de álcool e o câncer de fígado e hepatites B e C.

3. Riscos Dietéticos
• Pesquisadores sugerem que 30-35% ou mais de todos os cânceres podem ser causados por dieta erronea.
Até 70% dos cânceres cólon-retal podem ser causados pela dieta;
• Uma dieta rica em carne (especialmente carne vermelha) aumenta o risco de câncer do trato
gastrointestinal, cólon-retal, próstata, mama, estômago, pâncreas, boca, ovário e linfáticos. Grelhar carne
também pode produzir substâncias cancerígenas, já que 1 quilo de bife grelhado contém a mesma
quantidade de benzopireno (forte substância cancerígena) contida em 600 cigarros;
• Estudos epidemiológicos sugerem que dietas ricas em gordura estão associadas ao alto risco de câncer de
mama, cólon, próstata e endometrial;
• Outros fatores dietéticos especialmente implicados no desenvolvimento do câncer incluem o uso de
alimentos contendo colesterol, derivados de leite, ovos, café e chocolate;
• Excesso de proteína também deve ser evitado, pois enfraquece o sistema imunológico e o torna mais
suscetível ao desenvolvimento de câncer.

4. Riscos Ambientais
• Até 10% dos casos de câncer podem ser provocados por exposição excessiva à luz solar e outras formas de
exposição à radiação, incluindo cânceres de pele, pulmão, mana, tireoide, leucemia, linfoma e sarcomas.
1. Luz solar:
• Dois tipos de câncer de pele que apresentam risco pequeno-moderado incluem carcinomas das
células basais e carcinomas das células escamosas. Eles tendem a crescer devagar e normalmente
podem ser removidos com facilidade (se removidos imediatamente e antes de progredirem
muito). O risco do câncer das células escamosas aumenta com a exposição cumulativa ao sol, e
pode ser evitado primariamente através do uso de roupas de proteção e mudança nos hábitos de
atividades ao ar livre para não gastar tempo excessivo ao sol;
• Melanoma é outro câncer que é muito mais perigoso. Este câncer pode se espalhar rapidamente para
outras partes do corpo e quando se espalha o risco de morte é bem elevado. Sugere-se que
queimaduras de sol repetidas e ter, intermitentemente, excesso de tempo exposto à luz solar
causa a maioria dos melanomas;
• 2-3 milhões de cânceres de pele não melanoma e 132.000 de melanomas ocorrem globalmente por
ano;

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 185


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• Estudos sugerem que enquanto a queimadura solar pode aumentar o risco do desenvolvimento do
melanoma, exposição regular moderada pode ajudar a diminuir o risco de cânceres sólidos
internos, incluindo câncer de estômago, cólon-retal, fígado e vesícula biliar, pâncreas, pulmões,
mama (feminino), próstata, bexiga e rins. (Tuohimaa, P ., Pukkala, E., Scélo, G., Olsen, J. H.,
Brewster, D. H., Hemminki, K. e outros. (2007). A exposição solar, conforme indicada, protege
contra cânceres sólidos, sendo a vitamina D uma possível explicação (European Journal on
Cancer, 43 (11), 1701-1712.). Além disso, um estudo publicado no periódico médico Lancet
sugeriu que funcionários que trabalham ao ar livre e recebem exposição crônica da luz solar
podem, na verdade, ter um risco menor do desenvolvimento do melanoma do que os que
trabalham dentro. Contudo, queimaduras de sol ainda têm demonstrado aumentar o risco do
desenvolvimento de melanomas. (Rivers, J. K. (2004) Será que existe mais de um caminho para
o melanoma? Lancet. 363(9410), 728-730).

2. Exposição Nuclear
• Partículas de acidentes em plantas nucleares;
• Radônio nos lares e em ambientes de trabalho aumenta o risco do câncer de estômago;
• Raios-X médicos.

3. Campos eletromagnéticos, tais como redes elétricas e outros equipamentos elétricos, apresentam risco de
69% de leucemia na infância, quando se vive a menos de 200 metros de redes elétricas de alta voltagem,
versus risco de 23% quando vive a mais de 200-600 metros de distância. Uso prolongado de celulares também
tem demonstrado aumentar o risco de tumores cerebrais.

4. Outras causas ambientais de câncer incluem:


1. Fumaça de automóveis à leucemia infantil;
2. Poluição interna do ar à leucemia e linfoma infantil;
3. Nitratos (por vezes encontrado em água potável) à leucemia, linfoma, câncer cólon-retal, câncer de
bexiga;
4. Pesticidas à leucemia e linfoma infantil, tumores no cérebro, tumores de Wilm, sarcoma de Erwing e
tumores das células germinativas;
5. Dioxano e incineradores à sarcoma e linfoma;
6. Poluentes orgânicos enquanto o bebê está no útero à câncer testicular;
7. Exposição radioativa (carbono, rádio e urânio) à câncer de estômago;
8. Água potável clorada à câncer de bexiga, câncer cólon-retal, leucemia;
9. Óxido nítrico e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos à câncer de pulmão.

5. Inatividade:
• Inatividade física tem sido associada ao aumento do risco de câncer de cólon e mama.

6. Sobrepeso e Obesidade
• Nos EUA, 14% dos cânceres nos homens e 20% nas mulheres são causados por excesso de peso;
• “Homens que estavam 40% acima do peso tinham um risco 33% maior de morrer de câncer. Mulheres
acima do peso na mesma proporção aumentaram o índice de morte em 55%”;
• Cânceres aumentados pela obesidade (em estudos) incluem cânceres de cólon, mama, rins, endométrio
(revestimento interno do útero), esôfago, estômago superior, pâncreas, vesícula biliar, fígado e próstata.

7. HPV, Hepatite e infecções Helicobacter pylori


• 17,8% dos casos de câncer no mundo estão associados a infecções, variando entre 10% em países de renda
elevada e 25% em alguns países africanos;
• HPV (vírus do papiloma humano), que causa 5% dos cânceres mundialmente, é propagado através do
contato sexual e provoca aproximadamente 100% dos casos de câncer cervical, muitos outros cânceres
genitais e 20-60% dos cânceres de boca e garganta;

186 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• O vírus da hepatite B e C, que causa cerca de 5% dos cânceres em todo mundo, é propagado através do
contato sexual, uso de droga intravenosa e também via outros fluídos do corpo. Causa acima de 50% dos
principais cânceres de fígado;
• Infecções Helicobacter pylori causam 5% dos cânceres em todo mundo e pelo menos 80% dos cânceres de
estômago (excluindo a entrada do esfíncter). O risco de câncer aumenta entre os que simultaneamente
fumam, usam quantidades elevadas de sal ou alimentos em conserva;
• Outros vírus que contribuem para o desenvolvimento do câncer incluem Epstein Barr (mononucleose
infecciosa), sarcoma de Kaposi (HIV), HIV, etc. Agentes infecciosos podem causar os seguintes cânceres:
câncer cervical, câncer anal, câncer de pele, câncer nasofaringeal, linfoma de Burkitt, linfoma de
Hodgkin, sarcoma de Kaposi, leucemia da célula T em adultos, Linfoma da célula B e câncer de fígado.

Plano de Prevenção de Câncer


1. Pare de fumar
2. Evite álcool
3. Adote uma dieta saudável. Fatores dietéticos especialmente úteis no combate ao câncer incluem:
• Vários estudos demonstram que frutas e vegetais protegem contra câncer e devem ser usados liberalmente;
• Vitamina A (encontrada em frutas e vegetais alaranjado, amarelo e verde escuro) tem propriedades
antioxidantes e diminui o risco do desenvolvimento de câncer;
• Vitamina C (encontrada em frutas, frutas silvestres, pimentões, repolhos, e tomates) tem antioxidantes e
propriedades anticancerígenas, e pode ajudar a evitar dano genético. Estudos têm descoberto que pessoas
com nível mais elevado de vitamina C no plasma têm menor índice de morte por câncer;
• Vitamina E (encontrada em castanhas não processadas, grãos integrais e óleo não refinado – especialmente
semente de girassol e amêndoa) também funciona como um antioxidante e ajuda a prevenir que nitratos na
dieta se tornem nitrosaminas cancerígenas;
• Grãos integrais reduzem o risco de muitos cânceres em 30-70%. Eles contêm muitos antioxidantes
anticancerígenos, não presentes nos grãos refinados, que ajudam a evitar o câncer;
• Fitoquímicos (milhares de químicos de plantas encontrados em quantidades minúsculas nos alimentos
vegetais) possuem propriedades poderosas que combatem e previnem o câncer. Mais de 25.000
fitoquímicos já foram identificados com potencial contra o câncer;
• Estudos já demonstraram que a fibra reduz o risco de câncer de cólon;
• Selênio, encontrado em grãos integrais, diminui o risco de câncer de pulmão, cólon e próstata;
• Para prevenir o câncer, a Sociedade Americana do Câncer recomenda uma dieta saudável com ênfase no
consumo de alimentos vegetais;
• Coma cinco ou mais porções de frutas e vegetais variados todos os dias;
• Escolha grãos integrais em vez dos refinados;
• Limite o consumo de carnes vermelhas e processadas.
4. Evite a exposição excessiva à luz solar e queimaduras de sol e outros riscos ambientais evitáveis;
5. Adote um estilo de vida fisicamente ativo;
• Um estudo demonstrou uma queda de 50% na incidência de câncer de cólon entre os que praticam mais
exercício;
6. Alcance um peso saudável;
• Perca peso se estiver acima do peso ou obeso. Equilibre as calorias consumidas com calorias queimadas.
7. Evite infecções HPV, hepatite e Helicobacter pylori;
8. Faça exames preventivos regularmente, que podem incluir:
a. Exame de mama (clínico ou autoexame)
b. Papa Nicolau (cervical)
c. Análise de Sangue Oculto (exame de fezes)
d. Exame de pele (especialmente para os que têm pele clara)
e. Outros exames conforme recomendados ou necessários

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 187


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Opções de tratamento?
Sem dúvida, a melhor opção é a pessoa fazer o que sabe para prevenir o câncer. Uma vez diagnosticado, pode ser muito
tarde para tratá-lo com êxito. Normalmente um médico habilidoso deve ser consultado para verificar a extensão da
propagação do câncer, e explorar opções de tratamento e índices de êxito para o tipo específico de câncer. A cirurgia
pode ser útil para remover a maior parte do câncer, e a adesão estrita a um estilo de vida saudável, que ajuda a evitar o
câncer, pode ser útil para revertê-lo, em alguns casos. Comer uma abundância de frutas e vegetais crus, praticar
exercício aeróbico regular ao ar fresco e luz solar, dormir cedo e em abundância, manter o coração alegre e a
consciência limpa, evitar todo produto animal na dieta, bem como fumo, álcool, chá (mate ou os que contêm cafeína),
café e outras substâncias semelhantes, tomar 8-10 copos de água pura e fazer tratamentos de hidroterapia com cautela
podem ajudar, conforme a pessoa busca a restauração.

Contudo, precisamos compreender que os muitos anos de hábitos nocivos de estilo de vida podem ter provocado o
problema, e entender que enquanto mudanças de estilo de vida podem trazer restauração para alguns, para muitos pode
ser tarde demais, porém, eles podem ser encorajados a preparar o coração para a juventude e restauração eterna no Céu.
A oração é um aspecto muito importante no tratamento de alguém com câncer!

___________________________

GLOBOCAN 2008, IARC. (2010). (http://globocan.iarc.fr/factsheets/populations/factsheet.asp?uno=900)


Organização Mundial da Saúde. (2012). Cancer: Fact Sheet Nº297: Fevereiro 2012. Acessado online em 15 de março, 2012, em:
http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/en/index.html
American Cancer Society. Cancer Facts & Figures 2011. Atlanta: American Cancer Society; 2011.
(http://www.cancer.org/acs/groups/content/@epidemiologysurveilance/documents/document/acspc-029771.pdf)
Anand, P., Kunnumakara, A. B., Sundaram, C., Harikumar, K. B., Tharakan, S. T., Lai, O. S., Sung, B., e Aggarwal, B. B. (2008). Cancer is a preventable
disease that requires major lifestyle changes. Pharm Res., 25(9), 2097–2116. doi: 10.1007/s11095-008-9661-9.
(http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2515569/).
Beers, M. H., e Berkow, R. (Eds.). (1999). The merck manual of diagnosis and therapy (17th ed.). Whitehouse Station, NJ: Merck Research Laboratories.
American Cancer Society. (2010). Signs and symptoms of cancer. (http://www.cancer.org/Cancer/CancerBasics/signs-and-symptoms-of-cancer).
Alwan, A., Armstrong, T., Bettcher, D. Branca, F., Chisholm, D., Ezzati, M., e outros. (Eds.). (2011). Global status report on noncommunicable diseases
2010. [Electronic version]. Organização Mundial da Saúde. Itália.
WHO. (2012). Skin cancers. Obtido em 25 de dezembro, 2012 de: http://www.who.int/uv/faq/skincancer/en/index1.html.
Nedley, N. (1999). Proof positive. Ardmore, OK: Quality Books, Inc.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
American Cancer Society. (2011). American Cancer Society Guidelines for the Early Detection of Cancer.
(http://www.cancer.org/Healthy/FindCancerEarly/CancerScreeningGuidelines/american-cancer-society-guidelines-for-the-early-detection-of-cancer).
Thrash, A. (2013). Cancer: The risks and the routine: How not to get cancer and what to do if you do get it. Obtido em 13 de fevereiro, 2013 de
http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.cancer-the_risks_and_the_routine.

188 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 5 – Introdução a Doenças Transmissíveis


Informação Geral
Micróbios são encontrados por toda parte. A maioria é inofensiva ou útil para a vida humana, vegetal e animal, enquanto
alguns causam doenças. Microrganismos que causam doenças se multiplicam rapidamente em cidades e outras áreas,
onde multidões de pessoas estão em constante contato. Eles podem se espalhar quando respiramos, tossimos e
espirramos no mesmo ambiente, através ainda da promiscuidade sexual, descartagem indevida de lixo, alimento ou água
contaminada, moscas, roedores, etc. Os micróbios causadores de doenças mais comuns incluem vírus, bactérias,
parasitas e fungos.
Doenças transmissíveis podem ser transmitidas de uma pessoa a outra por contato direto, ou indiretamente, através de
insetos ou outros objetos (como toalhas contaminadas, água, alimento, animal, etc). Cada doença tem um modo
particular de transmissão; se este modo for bloqueado/não ocorrer, a doença não será transmitida. Por exemplo, a
malária é tipicamente espalhada pela picada de um mosquito infectado (raramente através de transfusão de sangue). Se a
pessoa evitar picadas de mosquitos, ela simplesmente não vai desenvolver a malária. Portanto, é prudente estudar o
modo como doenças são propagadas e explorar maneiras de bloquear sua transmissão.

Modos de transmissão:
Transmissão por contato direto exige contato físico e a transferência de microrganismos entre a pessoa que tem a
doença e a pessoa que é infectada. Contato direto inclui toque, beijo, contato com qualquer fluído ou ferimentos do
corpo. Isto ocorre com mais frequência entre amigos e familiares.
Transmissão por contato indireto ocorre quando a pessoa é infectada por contato com um objeto ou superfície
contaminada. Alguns micróbios podem sobreviver por longos períodos de tempo em objetos/superfícies. Exemplos de
tais objetos/superfícies podem incluir: maçanetas de portas, mesas, camas, cadeiras, banheiros, vasos sanitários, copos,
louças, instrumentos médicos, lápis, canetas, computadores, telefones, brinquedos, dinheiro, etc.
Transmissão por gotículas ocorre quando gotas infectadas entram em contato com os olhos, nariz ou boca de outra
pessoa e podem ser espalhados através de espirro, tosse, conversa ou durante procedimentos médicos. Gotículas
tipicamente desaparecem do ar rapidamente, então esses organismos doentios não permanecem contagiosos no ar por
um longo período de tempo (portanto, use máscaras).
Transmissão pelo ar resulta da inalação de microrganismos carregados através do ar via gotas de saliva (evaporadas)
que estão contaminadas (como é o caso da tuberculose pulmonar), que por vezes estão suspensas em partículas de pó
transportadas pelo ar. Estes organismos frequentemente sobrevivem ao processo de secagem e não morrem rapidamente
fora do corpo humano.
Transmissão fecal-oral ocorre tipicamente pela ingestão de alimento ou água contaminada por material fecal. Estes
organismos se multiplicam no trato gastrointestinal e saem do corpo através das fezes. Eles podem ser espalhados pela
contaminação fecal do suprimento de água (que necessita tratamento adequado ou fervura para torná-la mais segura),
lavagem inadequada das mãos por parte dos que preparam alimento e, frequentemente, por alimentos contaminados,
incluindo frutas e vegetais frescos, peixes e frutos do mar. A transmissão pode ser reduzida pela lavagem das mãos com
frequência (especialmente depois do uso do vaso sanitário e antes de comer e preparar alimentos), cozimento completo
dos alimentos, educação sobre técnicas apropriadas de preparo de alimentos, limpeza regular de superfícies
frequentemente tocadas e tratamento adequado de água e esgoto. Acrescenta-se ainda a recomendação de que alimentos
cozidos não permaneçam em temperatura ambiente por mais de 2 horas (alimentos cozidos devem ser mantidos acima
de 60°C ou abaixo de 1 a 3°C).
Transmissão vetorial espalha doenças de animais como moscas, ácaros, pulgas, carrapatos, ratos e cachorros para
humanos. O vetor mais comum de doença é o pernilongo, que leva a doença de uma pessoa/animal a outra através da
saliva. Esta forma de transmissão é significante, pois pode propagar a doença rapidamente em uma área extensa; o
controle do vetor pode levar ao controle da doença. Enfermidades podem ser propagadas através de mordidas/picadas,
fezes de animais ou carregadas no corpo (como moscas que carregam germes de fezes humana) para pessoas, alimentos
ou superfícies.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 189


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Causas de Doenças Transmissíveis
Doenças Organismo Meios de propagação
Catapora Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Resfriado Comum Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Dengue Vírus Picada de pernilongo
Gastroenterite (gripe do estômago) Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Hepatite A Vírus Fecal-oral, alimento/água contaminados
(ocasionalmente sangue e fluídos corporais)
Hepatite B Vírus Sangue, agulhas, fluídos corporais, contato sexual, uso de
droga intravenosa
Hepatite C Vírus Sangue, uso de droga intravenosa, fluídos corporais,
contato sexual (raro)
Hepatite D Vírus Sangue, uso de droga intravenosa; apenas com
a infecção da Hepatite B
Hepatite E Vírus Fecal-oral, água ou alimento contaminado
Herpes simples Vírus Contato direto com pessoa infectada
HIV (causa AIDS) Vírus Sangue, contato sexual, fluídos corporais
Vírus do papiloma humano (verrugas gen.) Vírus Contato sexual
Mononucleose Infecciosa Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Gripe Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Sarampo Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Caxumba Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Pneumonia (algumas) Vírus Secreções respiratórias
Raiva Vírus Contato direto com fluídos corporais, mordida por
animal ou pessoa infectada
Rubéola (Sarampo alemão) Vírus Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Febre amarela Vírus Picada de pernilongo
Abscessos e furúnculo (Staph. aureus) Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Botulismo Bactérias Consumo de alimento contaminado
Cólera Bactérias Fecal-oral
Difteria Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada
E. coli (diarreia e/ou disenteria) Bactérias Fecal-oral, água e alimento contaminado
Gonorreia Bactérias Contato sexual
Lepra Microbactéria Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Doença de Lyme Bactérias Picada de carrapato de veados
Coqueluche (Tosse comprida) Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Peste Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada ou
pulgas de roedores
Pneumonia Bactérias Secreções respiratórias
Salmonela (comida envenenada) Bactérias Fecal-oral – causa diarreia, também carne de galinha e
leite contaminado
Escarlatina Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Shigelose Bactérias Fecal-oral – causa diarreia e disenteria
Febre Maculosa Bactérias Picada de carrapato
Faringite por Streptococcus Bactérias Contato direto ou indireto com pessoa infectada
Sífilis Bactérias Contato sexual
Tétano Bactérias Ferida suja fechada, corte do cordão umbilical com faca
suja, sujeira
Tracoma (doença oftálmica) Bactérias Contato com secreções do olho (doença do olho), contato
sexual
Tuberculose Microbactéria Secreções respiratória, leite não pasteurizado
infectado / carne crua
Febre Tifoide Bactérias Fecal-oral
190 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Tifo Bactérias Picada de piolho, pulga e carrapato
Tricofitia Fungo Contato direto ou indireto com pessoa infectada, pé úmido
Blastomicose, Histoplasmose Fungo Inalação de poeira contaminada
Pé de Atleta Fungo Contato direto ou indireto com pessoa infectada, higiene
precária
Candidíase (infecção vaginal) Fungo Uso de antibióticos, imunossupressão, gravidez
Doença do sono africano Protozoários Picada da mosca tsé-tsé. Encontrada apenas na África
Ameba Protozoários Fecal-oral
Bilharziose Platelminto Contato da pele em água com urina humana; parasita
se desenvolve em lesmas e entra através da pele humana
Doença de Chaga Protozoários Picada de barbeiro, transfusão de sangue, de mãe para
bebê
Elefantíase Lombriga Mosquitos infectados
Giárdia Protozoários Fecal-oral
Ancilostomose e nematelmintos Lombriga Contato com solo contaminado
Piolho Parasita Compartilhar pentes, escovas, chapéus, travesseiros, etc.
Fasciola hepática Platelminto Peixe e agrião infectado cru ou mal cozido
Malária Protozoários Picada de pernilongo
Cegueira dos rios (oncocercose) Lombriga Mosca preta da África Ocidental que vive perto de
correntes rápidas de água
Lombrigas (Ascaris, Trichuris) Lombriga Fecal-oral
Sarna Ácaro Contato direto com pessoa ou objeto infectado
Tênia Platelminto Consumo de carne bovina, suína ou pescados infectados e
mal cozidos
Toxoplasmose Protozoários Consumo de carne crua, contato com solo contaminado
Triquinose Lombriga Carne cozida de modo inadequado
Tricomoníase Protozoários Contato sexual

Sugestões para impedir a propagação de doenças transmissíveis


1. Banhe-se regularmente (de modo ideal, todos os dias, especialmente no calor). O banho remove organismos
causadores de doença de pele. Ajuda também a evitar infecções de pele, caspa, espinhas, piolho e coceiras. Isto é
muito importante se você está doente ou cuidando de doentes;
2. Lave as mãos com frequência. É importante lavar as mãos assim que levantar pela manhã, depois de usar o
banheiro, antes de preparar alimento, antes de comer, e sempre que elas estiverem sujas;
3. Mantenha as unhas curtas e limpas;
4. Não deixe animais lamberem o seu rosto. Todos os animais, incluindo cachorros e gatos, transmitem doenças.
Mantenha-os longe do rosto, fora de camas e mesas. Lave as mãos após tocar em um animal;
5. Não permita que crianças brinquem onde há fezes de animais. Fezes de animais transmitem doenças;
6. Proteja alimentos contra moscas e outros insetos (quando houver moscas, cubra os alimentos até a hora de
comer). Insetos, especialmente moscas, carregam e propagam muitas doenças e germes;
7. Mantenha animais longe da área de preparo de alimento e de suprimento de água;
8. Lave e pendure lençóis ao sol com frequência para matar doenças. Coloque ao sol toda roupa de cama. Isto ajuda
a eliminar percevejos;
9. Não coma alimento que caiu no chão a menos que o lave (e desinfete, se necessário);
10. Lave todas as frutas e vegetais antes de comê-los. Isto é especialmente importante para alimento que não serão
cozidos, mesmo que sejam descascados; germes podem ser transferidos da casca para as mãos. Colocar frutas e
vegetais de molho em um litro de água com 5 gotas de tintura de iodo por 30 minutos é o suficiente para matar a
maioria dos organismos. Use 10 gotas se a água que você usar estiver esbranquiçada. (Pode ser substituído por
10 gotas de água sanitária à base de cloro se a água estiver transparente, 20 gotas por litro, durante 30 minutos,
se a água estiver esbranquiçada; no entanto, algumas autoridades sugerem que a água sanitária à base de cloro
não é tão segura como o iodo para matar organismos, dependendo da qualidade da água);,
11. Se você escolher comer carne, peixe, ou frango, certifique-se de que estejam bem cozidos. Carne animal pode
carregar vírus, bactéria e ovos de vermes;
© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 191
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
12. Lave as mãos após preparar carne, peixe, frutos do mar, ovos e derivados de leite. Use uma tábua de cortar
diferente para cortar carne, peixe e derivados de leite, daquela que você usa para preparar frutas e vegetais.
13. Não coma alimento que cheira mal ou que esteja mofado;
14. Não use o mesmo prato ou talheres usados por alguém doente. É mais saudável nunca compartilhar talheres.
Germes são carregados pela saliva e transmitidos pelo alimento ou talheres;
15. Crianças doentes não devem dormir ou comer com crianças saudáveis. Piolho e muitas outras doenças infecciosas
podem ser propagadas durante esses momentos.
16. Sempre use banheiros/latrinas. Nunca urine ou defeque onde pessoas vão caminhar ou na água.
17. Áreas de banheiro devem estar longe de suprimentos de água para beber. Se você não possui uma fossa séptica ou
latrina, dejetos humanos devem ser enterrados para que animais não os encontrem;
18. Mantenha a casa limpa para ajudar a controlar germes, insetos e outros organismos;
19. A água a ser bebida deve ser fervida por 10 minutos para matar micro-organismos, caso haja alguma dúvida
quanto à sua segurança. Caso contrário, tenha certeza de que a água é engarrafada e bem selada;
20. NUNCA reutilize agulhas;
21. Use apenas instrumentos de corte fervidos (20 minutos) ou esterilizados para cortar o cordão umbilical do bebê
após o nascimento;
22. Use sapatos em áreas onde parasitas intestinais podem ser encontrados no solo;
23. Use luvas se você tiver contato com excreções do corpo.

Outras sugestões úteis:


• Use máscara, se possível, ao entrar em contato com uma pessoa com infecção respiratória grave;
• Evite leite cru, pois pode conter organismos que causam doenças; se não for pasteurizado, ferva antes de beber;
• Lixo deve ser queimado ou enterrado longe de casa e da água para beber. Restos de alimentos e lixo não devem
ser jogados ao redor da casa; o processo de apodrecimento cria bactérias e produz toxinas que poluem o ar e
causam dano à saúde;
• Não coloque suas mãos na boca, olhos ou nariz antes de lavá-las. Suas mãos estão constantemente tocando
pessoas ou coisas que podem estar contaminadas com doenças;
• Caso a qualidade da água seja questionável, escove os dentes com água mineral ou fervida;
• Banheiros devem ser mantidos limpos e desinfetados regularmente com água sanitária para matar germes.

___________________________

http://www.foodsafeschools.org/FSAG_CD/Resources/UMass/control_time_and_temperature.pdf
Ingraham, J.L. (2004). Introduction to microbiology: A case history approach (3rd ed.). Pacific Grove, CA: Thomson.
Werner, D., Thuman, C., e Maxwell, J. (1992). Where there is no doctor: A village health care handbook. Berkeley, CA: The Hesperian Foundation.
United States Environmental Protection Agency. (2012). Emergency disinfection of drinking water. Obtido em 25 de dezembro, 2012, de:
http://water.epa.gov/drink/emerprep/emergencydisinfection.cfm
CDC. (2011). Water treatment methods. Obtido em 25 de dezembro, 2012, de: http://wwwnc.cdc.gov/travel/page/water-treatment.htm.
Vanderkooi, M. (2009). Village medical manual: A layman’s guide to health care in developing countries: Volume 1: Principles and procedures (6th ed.).
Marion, NC: Equip.

192 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 6 – HIV/AIDS
Estatísticas
• A AIDS é causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV).
• De acordo com a Organização Mundial da Saúde, aproximadamente 34 milhões de pessoas em todo o mundo
viviam com HIV em 2010. Em 2010 ocorreram 2.7 milhões de novas infecções, ou seja, 7.000 por dia.
• 3.4 milhões de crianças abaixo dos 15 anos de idade têm HIV, e aproximadamente 390.000 foram infectadas com
a doença em 2010, a maioria durante a gravidez ou amamentação.
• Estima-se que em 2010 houve 1.8 milhão de mortes por AIDS.
• Estima-se que 30 milhões de pessoas já morreram de AIDS desde que o primeiro caso foi reportado em 1981.
• No final de 2010, 6.6 milhões recebiam terapia antirretroviral.
• Mais de 90% de todos os novos casos de HIV em adolescentes e adultos no mundo são resultado de relações
sexuais heterossexuais.
• 350.000 pessoas infectadas com HIV morrem anualmente de tuberculose.

Definição: Infecção causada pelo retrovírus da imunodeficiência humana, que provoca sintomas que variam do
assintomático ao severo comprometimento da imunidade celular mediada, que pode resultar em enfermidades
debilitantes e frequentemente fatais.

Mecanismo de doença do HIV


O HIV entra no corpo humano como resultado da exposição a fluídos corporais de uma pessoa infectada. Quando o
vírus entra no corpo ele se une (conecta) a um glóbulo branco (linfócito T (célula CD4+), e também pode infectar
muitas outras células em menor escala) e injeta sua informação genética viral para dentro da célula. A informação
genética viral passa para o núcleo da célula. Lá a informação genética viral se une à informação genética celular. Daí em
diante, a célula começa a produzir informação genética para mais vírus, preparando-os para sobreviver fora da célula, e
os leva a serem excretados da célula, prontos para infectar outras células. Cada célula infectada é capaz de produzir
muitos novos vírus. As novas células brancas produzidas pela célula infectada também contém o vírus. Depois de pouco
tempo, o vírus acaba matando o linfócito T. Esses vírus reduzem rapidamente o número de células linfócitos T do corpo,
dependendo de quão forte está o sistema imunológico da pessoa. Linfócitos T são essenciais na ativação da resposta
imunológica a infecções; portanto, se os linfócitos T são destruídos pelo HIV, o corpo se torna como uma cidade
medieval murada sem guardas para avisar os habitantes que um inimigo se aproxima.

Como resultado da diminuição de linfócitos T e outras células brancas, a pessoa fica suscetível a muitas infecções. Os
micro-organismos que tipicamente provocam doenças em pessoas saudáveis fazem com que alguém com HIV sofra um
nível mais severo da doença do que a pessoa saudável. Além disso, pessoas com HIV são suscetíveis a muitas infecções
oportunistas que normalmente não causariam doença em pessoas saudáveis, mas podem ser mortais para alguém com
HIV. A pessoa tipicamente não morre do próprio HIV, mas de infecções que resultam da desativação da resposta
imunológica da pessoa.

Período de Incubação: Já que a reprodução do vírus ocorre dentro dos linfócitos T nas primeiras semanas ou meses,
exames de sangue são frequentemente negativos para HIV por alguns dias ou semanas (o que por vezes é um problema
para os que recebem transfusão de sangue, especialmente em regiões onde faltam equipamentos mais avançados para
exame de sangue). Depois disso, exames especiais de sangue serão capazes de detectar a presença do HIV no sangue.
Contudo, a pessoa pode não demonstrar sintomas da doença por meses ou anos. Em média o período de incubação entre
a infecção com o HIV e a AIDS completamente madura é de 10 anos, mas a pessoa pode não se tornar sintomática por
anos. Quando a pessoa se torna sintomática, ela fica conhecida então como tendo AIDS (síndrome da imunodeficiência
adquirida). Em estudos, o tempo de vida da pessoa a partir do momento que se torna HIV positiva até a morte varia por
volta de 12.5 anos.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 193


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Transmissão:
O vírus da AIDS é geralmente transmitido por contado com fluídos corporais. Isto pode ocorrer através de contato
sexual (hetero ou homossexual), contato com sangue (incluindo transfusão de sangue infectado e muitos produtos com
sangue, reuso de agulhas contaminadas, equipamentos de tatuagem e piercing contaminados, agulhas intravenais
compartilhadas ao usar drogas), da mãe para a criança durante a gravidez ou nascimento, amamentação e transplante de
tecidos infectados. Infecções com o HIV em profissionais da área de saúde ocorrem primariamente pela perfuração com
agulhas ou objetos pontudos, e ocasionalmente pelo contato desprotegido com sêmen e secreções vaginais, ferimentos
com sangue, sangue na diarreia ou vômito, equipamento médico contaminado, etc. Fluídos corporais comumente
infectados incluem sêmen, sangue e secreções vaginais. Os portos mais comuns de entrada são através das membranas
mucosas da genitália ou anus e perfuração de agulha na pele.

Baseado em pesquisa existente, sabe-se que pernilongo, poeira ou contato casual não transmitem o vírus da AIDS. Se a
pessoa receber um ferimento por seringa possivelmente contaminada ou material infeccioso entrar em contato com uma
ferida aberta, ou pele de outro modo danificada, ela deve lavar imediatamente a área afetada com sabonete e água em
abundância; se forem os olhos, lave-os com água ou solução salina. Ao cuidar de outros, pele danificada deve sempre
ser coberta com curativo de proteção para reduzir o risco de exposição. Deve-se procurar assistência médica
imediatamente, pois agora existem medicamentos que podem reduzir o risco de contrair a doença.

Secagem e água sanitária super concentrada são duas das maneiras mais eficazes para matar o HIV fora do corpo
(contudo, o HIV já foi econtrado 24 horas depois em seringas de usuários de drogas que não tinham sido lavadas com
água sanitária super concentrada por 30 segundos, 24 horas após o uso). Pesquisas demonstram que água sanitária super
concentrada desativa eficazmente o HIV após 30 segundos de exposição, mesmo se coágulos sanguíneos estiverem
presentes. Pesquisas demonstram que uma diluição de 10 % não é eficaz em matar o HIV, mesmo depois de encher uma
seringa contaminada com a solução de água sanitária de 10% por 24 horas. Após deixar instrumentos médicos de molho
por pelo menos 30 segundos na água sanitária, os instrumentos devem ser lavados várias vezes em água limpa. Além
disso, ferver os instrumentos por pelo menos 15 minutos reduz o risco de infecção.

Grupos de Maior Risco:


1. Contato heterossexual, especialmente prostitutas e outros com muitos parceiros sexuais, e mulheres cujos
parceiros estão envolvidos em comportamento arriscado;
2. Contato sexual entre homens;
3. Usuários de droga intravenosa e qualquer parceiro sexual;
4. Transmissão perinatal: Crianças são um grupo crescente de pacientes de AIDS. A transmissão perinatal pode
ocorrer durante: 1) gravidez, 2) nascimento e 3) amamentação. De 15-35% de bebês que nascem de mães
infectadas com HIV acabam infectados;
5. Pessoas que recebem transfusão de sangue e qualquer parceiro sexual em regiões onde testes de HIV para
transfusão de sangue sejam inadequados;
6. Funcionários médicos e laboratoriais – risco baixo, mas definitivo, devido a exposições acidentais no ambiente de
trabalho;

Sinais e Sintomas:
Uma pessoa inicialmente experimenta uma doença tipo gripe que dura por algumas semana, seguida de um período sem
sintomas que pode durar de cinco a mais de 20 anos. Gradualmente, conforme o status de imunidade do corpo cai, os
sintomas começam a aparecer:
1. Febre baixa por mais de um mês, por vezes calafrios e fortes suadouros durante a noite;
2. Perda de peso, lenta e progressiva. A pessoa fica cada vez mais magra;
3. Diarreia crônica que dura mais de um mês;
4. Fatiga;
5. Linfonódulos inchados em dois ou mais lugares.

A pessoa pode experimentar também qualquer um dos seguintes sintomas: feridas na boca, tosse por mais de um mês,
infecção por fungos na boca (cândida), erupções na pele ou manchas escuras sobre a pele, problemas neurais, problemas
194 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org
Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
mentais, problemas musculares, dores de cabeça, dor abdominal, náusea, vômito, pneumonia e outros problemas
pulmonares, infecção vaginal por fungos, problemas cardíacos, doença dos rins, anemia, sangramentos, pode
desenvolver pequenos agrupamentos de vasos sanguíneos sob a pele (angiomas cereja), câncer cervical, sarcoma de
Kaposi, linfoma e MUITAS outras infecções oportunistas.
• Doenças mais comuns em pessoas com HIV: Tuberculose e herpes zoster

Diagnóstico: Através de exames de sangue – alguns dos quais podem dar o resultado dentro de minutos.

Melhores Medidas Preventivas


• Não praticar sexo pré-marital ou extra marital;
• Evitar estritamente compartilhar/reusar agulhas em ambientes de atendimento médico e uso de drogas;
• Usar proteção ao lidar com fluídos corporais, prevenir contra picadas por agulhas, cuidar ao fazer exame de
sangue para transfusão;
• Mulheres grávidas HIV positivas devem trabalhar em colaboração com provedores médicos, pois vários
medicamentos diminuem grandemente o risco de transmissão de HIV para o feto;
• Evitar amamentar se a criança puder ser nutrida adequadamente de outro modo;
• Fazer tratamento constante e diligente para os que têm o HIV.

Tratamento
A prevenção é a modalidade mais importante de cuidado ao lidar com a doença.

Quando uma pessoa desenvolve HIV, alguns benefícios podem ser obtidos com uma fiel aplicação das leis de Deus que
governam a imunidade. Essas leis devem ser estudadas e aplicadas fielmente para fortalecer o sistema imunológico.

Implemente os Oito Remédios Naturais com fidelidade e cuidado. Lembre-se de Isaías 55:7.

Abaixo estão recomendações para o tratamento natural para a HIV/AIDS, promovidas pela Dra. Agatha Thrash. Essas
recomendações têm trazido benefícios para inúmeros portadores de HIV/AIDS:

Nutrição: Uma dieta totalmente vegetariana rica em frutas e vegetais, e baixa em açucares e gorduras, será útil para
fortalecer o sistema imunológico. A pessoal deve evitar: condimentos apimentados, comer fora de hora, jantar tarde e
muito pesado, alimentos refinados, refrigerantes, chá, café e chocolate. Buscar regularidade, com 5 horas de intervalo
entre as refeições. Acredita-se que aspargos e alho possuem propriedades antivirais e a babosa contém um carboidrato
que pode diminuir a reprodução de HIV e fortalecer o sistema imunológico. Foi reportado que o chá da raiz de alcaçuz é
benéfico para fortalecer a imunidade.

Chás: (Devem ser tomados regularmente)


• Equinácea: pode ser útil para fortalecer o sistema imunológico. Coloque uma colher de equinácea em um litro de
água fervendo. Ferva por 30 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar por 25 minutos. Beba um copo pela
manhã em jejum e termine de beber o restante durante o dia. O chá deve ser feito fresco diariamente por perder
a potencialidade com o tempo.
• Pau d’Arco, violeta azul e trevo vermelho. Estas ervas podem ajudar a fortalecer o sistema imunológico e limpar
o sangue. Coloque 3 colheres de pau d’arco em um litro de água fervendo e ferva por 25 minutos. Desligue o
fogo, acrescente duas colheres de sopa de violeta azul e 2 colheres de sopa de trevo vermelho ao pau d’arco e
deixe a mistura fazer infusão por 25 minutos.
• Hidraste e babosa também podem ser usadas – elas contêm propriedades antimicrobiais.
• Chá de alcaçuz também pode fortalecer a imunidade. Foi feito um teste em 60 pacientes HIV positivos com
Glyke, uma substância isolada da erva Glycyrrhiza uralensis, ou raiz de alcaçuz. Cerca de 70% dos pacientes
melhoraram e foi reportado que em três casos o HIV foi convertido de positivo para negativo, dois dos quais

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 195


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
permaneceram HIV negativos. (Relatório feito pelo Professor Lu Weibo, da Academia de Medicina
Tradicional Chinesa na China).
• A pessoa pode considerar o chá de ervas como parte do consumo diário de água, e deve continuar depois que o
tratamento de febre (abaixo) terminar por um ou dois anos.

Suplementos:
• Óleo de Onagra: doses grandes (foi relatado que ele se incorpora na parede da membrana viral, aumentando,
portanto, a suscetibilidade para os tratamentos para febre). Use até 12 cápsulas por dia durante uma série de
tratamentos para febre. Pode ser substituído por óleo de linhaça em uma dosagem de 1 colher de sopa duas
vezes ao dia.
• Alho: 4 cápsulas ou 8 comprimidos ou 1-2 dentes frescos tomados 3 vezes diariamente durante as refeições.
• Fazer suplementação de zinco por três semanas, 15 mg por dia.

Exercício: Praticar exercício aeróbico diariamente por, no mínimo, 20 minutos. Caminhada, natação, ciclismo,
jardinagem e outros exercícios intencionais ao ar livre podem ser muito restauradores. No entanto, nunca se exercite ao
ponto de exaustão.

Vestuário: Mantenha os membros cobertos para que as extremidades permaneçam tão quentes quanto a testa.

Água: A água é um purificador e curador, usado interna e externamente. Beba diariamente oito a dez copos de água, a
mais pura possível, entre as refeições. Um banho diário é essencial. Vista roupa limpa todos os dias.
Tratamentos de febre (para adultos): quinze tratamentos de febre espalhados durante um período de três semanas
equivalem a uma série de tratamentos. Faça duas séries de três semanas, descansando por uma semana depois das
primeiras três semanas antes de começar a segunda série. Cinco tratamentos devem ser feitos por semana, mas
normalmente não mais do que um tratamento de febre por dia para adultos. Interrompa o programa de tratamentos a
cada cinco dias com dois dias de descanso. Dentro de três meses, usando a mesma rotina, faça outras duas séries de
tratamentos de febre. A cada seis meses por dois anos faça tudo de novo.
Técnica para tratamento de febre:
• Use uma banheira quente com temperatura entre 42-43°C para realizar este tratamento de “Febre”;
• Busque obter uma temperatura de 38-40°C oralmente e a mantenha por 20-40 minutos, conforme tolerar;
• Quando a temperatura oral subir acima de 37°C ou a pessoa começar a transpirar, mantenha o rosto e a cabeça
frios com uma toalha fria (mergulhada na água gelada). Troque a toalha com frequência;
• Mantenha a água da banheira entre 42-43°C enquanto a temperatura oral é de 38-40°C. Faça isso drenando um
pouco da água que está esfriando e acrescentando água quente;
• Depois do tratamento quente passe um pano, mergulhado em água gelada e torcido, pelo corpo da pessoa. Seque
a pessoa fazendo fricção com uma toalha, e deixe-a descansando por uma hora na cama com um saco de gelo
enrolado em uma toalha sobre a testa;
• Evite que a pessoa tome friagem após o tratamento;
• Interrompa o tratamento se o batimento cardíaco da pessoa subir acima de 160 para pessoas abaixo de 50 anos de
idade ou se a pessoa tiver muita dificuldade para tolerar o tratamento. Em pessoas acima de 50 anos de idade,
interrompa o tratamento se o batimento cardíaco subir acima de 140. Para maiores detalhes sobre tratamentos
de febre, veja o livro Home Remedies, da Dr. Agatha Thrash.

Luz solar: 20-30 minutos de exposição à luz solar. A pessoa deve estar completamente vestida, expondo apenas o rosto
e os braços. Contudo, sol excessivo entre 10:00 e 16:00 pode reduzir a imunidade da pessoa.

Temperança: Todo excesso e hábitos prejudiciais devem ser evitados com a força de Deus, incluindo: álcool, nicotina,
maconha, cafeína, chá, medicamentos sob prescrição ou não que sejam desnecessários, masturbação ou sexo em
excesso. Conserve sua força.

196 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Ar: O ar que a pessoa respira deve ser fresco e sem fumaça, gás de escape e outros gases tóxicos. Uma postura correta
permite o corpo trocar gás carbônico e oxigênio com maior facilidade. Os quartos devem ser bem ventilados tanto no
verão como no inverno, mas a pessoa deve cuidar para não dormir em uma corrente de ar. Respiração profunda ao ar
livre e fresco é muito relaxante e renovadora para corpo e mente.

Descanso: Sono adequado e regular é essencial (7-8 horas é o ideal para a maioria; pode ser necessário mais se a doença
estiver em estágio avançado). Deitar cedo (até 21:30) e levantar cedo ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Praticar
exercícios diariamente, bem como evitar qualquer atividade estimulante perto da hora de dormir, ajuda a melhorar a
qualidade do sono.

Confiança no Poder de Deus: A pessoa deve ser encorajada a entregar o coração mais uma vez a Deus. Apenas Ele
poder dar paz, força, conforto, alegria e cura. Ele também pode perdoar as ações erradas que podem ter causado o
desenvolvimento da doença ou perdoar a pessoa que a transmitiu. A Bíblia diz que “O coração alegre é bom remédio”.
Apenas Deus pode dar a alguém e força para mudar e viver uma vida pura e piedosa.
Além disso, existem medicamentos que podem diminuir a progressão da doença e ajudam a evitar sua transferência
da mãe para o bebê durante a gravidez. Depois de pesar os benefícios e riscos de tal tratamento, as pessoas estarão
preparadas para decidir por si mesmas o melhor modo de agir.

___________________________

Organização Mundial da Saúde. (2010). Global Summary of the AIDS Epidemic. Acessado online em 15 de março, 2012, em http://www.who.int/hiv/data/.
UNAIDS. (2011). Press Release: Global AIDS response continues to show results as a record number of people access treatment and rates of new HIV
infections fall by nearly 25%. Acessado online em 15 de março, 2012, em
http://www.unaids.org/en/resources/presscentre/pressreleaseandstatementarchive/2011/june/20110603praids30/.
National Institute of Allergy and Infectious Diseases. (2008). HIV/AIDS: HIV infection in women. Acessado online em 16 de março, 2012, em
http://www.niaid.nih.gov/topics/hivaids/understanding/population%20specific%20information/pages/womenhiv.aspx.
Organização Mundial da Saúde (2011). 10 Facts on HIV/AIDS. Acessado em 15 de março, 2012 em http://www.who.int/features/factfiles/hiv/en/index.html.
Beers, M. H., e Berkow, R. (Eds.). (1999). The merck manual of diagnosis and therapy (17th ed.). Whitehouse Station, NJ: Merck Research Laboratories.
(2000). Time from HIV-1 seroconversion to AIDS and death before widespread use of highly-active antiretroviral therapy: a collaborative re-analysis.
Collaborative Group on AIDS Incubation and HIV Survival including the CASCADE EU Concerted Action. Concerted Action on Seroconversion to AIDS
and Death in Europe. Lancet. 355(9210):1131-7.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
CDC. (2006). PEP steps, a quick guide to postexposure prophylaxis in the health care setting. Obtido de
http://www.mpaetc.org/downloads/PEP%20final%20(2006).pdf
McCoy, C. B., e outros. (1994). Proceedings workshop on needle exchange and bleach distribution programs. Panel on Needle Exchange and Bleach
Distribution Programs. Commission on Behavioral and Social Sciences and Education. National Research Council and Institute of Medicine. National
Academy Press. Washington, D.C.
Vanderkooi, M. (2009). Village medical manual: A layman’s guide to health care in developing countries: Volume 1: Principles and procedures (6th ed.).
Marion, NC: Equip.
Thrash, A.M. (2012). How to strengthen the immune system. Obtido de
http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.how_to_strengthen_the_immune_system.

Capítulo 7 – Hepatite (Viral)


Estatísticas
• Estima-se que 1 em cada 12 pessoas no mundo (500 milhões) vivem com hepatite viral crônica.
• Além disso, calcula-se também que existem:
o Hepatite A: 1.4 milhão de casos anualmente;
o Hepatite B (HBV): 2 bilhões de pessoas foram infectadas cumulativamente em todo mundo, das quais
350 milhões são cronicamente infectadas, e 600.000 morrem a cada ano dos efeitos agudos ou crônicos
da infecção. O vírus é 50-100% mais infeccioso do que o HIV. O vírus pode sobreviver por 7 dias fora
do corpo. Existe uma vacina para este vírus;

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 197


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
o Hepatite C: 3-4 milhões de pessoas infectadas anualmente no mundo. 130-170 milhões estão
cronicamente infectados. Mais de 350,000 morrem anualmente de doenças relacionadas à Hepatite C.
Não existe vacina no momento.

Definição e mecanismo da doença:


Hepatite é o nome dado a várias infecções virais que causam inflamação e dano ao fígado. Além disso, a hepatite pode
ocasionalmente ser causada por bactéria, fungo, parasitas, vermes, químicos, uso de álcool e outros. Sangue, contato
sexual e outras secreções do corpo transmitem alguns tipos de hepatite viral, enquanto outros são contraídos pela
ingestão de alimento ou água contaminada.

Tipos de Hepatite e como são transmitidas:,


Tipo A: Altamente contagiosa e transmitida por contaminação oral-fecal. Normalmente contraída pela ingestão de
alimento ou água contaminada. Epidemias de hepatite têm sido associadas à ingestão de frutos do mar de águas
contaminadas. Pode ser inativada por fervura de 1 minuto, cloro e radiação UV. O período de incubação é de 15 a 20
dias. É mais contagiosa um pouco antes do início dos sintomas.
Tipo B: Transmitida por contato direto com fluídos corporais. O uso de agulhas e seringas contaminadas, atividade
sexual, sangue contaminado e contato com outros fluídos corporais coloca a pessoa em risco. Provedores médicos
frequentemente contraem este tipo de hepatite enquanto proveem cuidado ao doente. O período de incubação é de 2 a 6
meses. A hepatite contínua e crônica ocorre em 1-10% dos que contraem Hepatite B e pode causar a cirrose (destruição)
do fígado, câncer de fígado e morte.
Tipo C: Um tipo maligno de hepatite transmitida por contato direto com fluídos corporais. Este tipo é transmitido
através do uso de droga intravenosa, sangue contaminado, transplante de órgãos, tatuagem e outras agulhas para
perfuração do corpo, giletes, da mãe para o bebê, agulhas e seringas contaminadas, atividade sexual (raramente) e
contato com outros fluídos do corpo. O período de incubação é de 2 semanas a 6 meses. A hepatite crônica contínua
ocorrer em 85-90% dos que contraem Hepatite C e é a principal causa de cirrose hepática, câncer no fígado e morte.
Tipo D: Encontrada apenas em pacientes com Hepatite B, porque ela depende da Hepatite B para replicar, portanto não
pode viver sem o vírus da Hepatite B. Normalmente ocorre em pessoas expostas a sangue e produtos com sangue, como
usuários de droga intravenosa e hemofílicos. O período de incubação é de 2 semanas a 2 meses. Pode piorar os sintomas
da Hepatite B.
Tipo E: Uma forma transmitida primariamente através da água contaminada. Tipicamente encontrada na América
Central e do Sul, Índia, Ásia, África e Oriente Médio. O período de incubação é de 2 semana a 2 meses. Não é
conhecida como crônica.

Sinais e Sintomas:
Fase I (podem variar)
• Começa com fatiga, mal-estar, dores nas juntas e rigidez, dores musculares, dor de cabeça, falta de apetite,
fotofobia, dor de garganta e tosse (na Hepatite B pode incluir erupções na pele);
• Náusea e vômito, frequentemente com alterações no paladar e olfato;
• Febre, com temperatura de 37.7-38.9˚C. Mais comum na Hepatite A e E;
• Sintomas geralmente desaparecem com o início da icterícia. A Hepatite C progride de modo semelhante à
hepatite B, mas pode ser mais severa.
Fase II
• Pode experimentar perda de peso moderada, urina escura (excesso de bilirrubina excretada pelos rins) e fezes
com cor de argila (devido à falta de ácidos da bile nas fezes);
• Anorexia pode continuar, o fígado permanece inchado e sensível, e o paciente reclama de desconforto e dor no
quadrante superior esquerdo do abdômen;
• Icterícia (pele e branco dos olhos amarelados) pode durar de 1-2 semanas – como resultado das células
danificadas do fígado serem incapazes de remover bilirrubina do sangue (ocasionalmente ocorre sem icterícia).

198 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Fase III (fase da convalescência)
• Depois do desaparecimento da icterícia, o apetite pode voltar lentamente e o fígado volta ao estado normal, com a
cura ocorrendo gradualmente.
• Esta fase normalmente dura de 2-12 semanas; às vezes mais tempo em pacientes com Hepatite B ou C.

Recuperação: Na Hepatite A e E a maioria das células do fígado eventualmente se regeneram com pouco ou nenhum
dano residual e os pacientes normalmente se recuperam com repidez, com uma imunidade vitalícia para a Hepatite A;
enquanto pacientes com Hepatite B, C, e D por vezes saram sem efeitos colaterais residuais, mas muitos desenvolvem
infecções crônicas e complicações que causam doenças graves e possível morte.

Complicações:
• Hepatite crônica, moderada, quase hepatite assintomática em muitos casos de Hepatite B e C
• Hepatite ativa, agressiva que frequentemente progride para cirrose (destruição do fígado) e/ou câncer no fígado.
Isto frequentemente resulta em morte por insuficiência hepática.
• Hepatite ameaçadora, fulminante, raramente se desenvolve. Ocorre principalmente na Hepatite B
(ocasionalmente na Hepatite A). Ela causa a morte de tecidos no fígado, e frequentemente provoca inchaço do
cérebro, coma, sangramento, insuficiência hepática, levando rapidamente à morte.

Diagnóstico: Um histórico cuidadoso, exame físico e exames de sangue podem ajudar a determinar a causa.

Prevenção e Tratamento: A prevenção desta doença é muito importante.


Medidas que podem ser tomadas para reduzir grandemente a incidência da infecção pela Hepatite A e E incluem:
1. Limpeza cuidadosa e frequente de locais onde alimentos são preparados e servidos;
2. Uso de água pura (fervida, ou de poço coberto longe de latrinas/contaminação fecal, água mineral, etc.);
3. Lavar as mãos completamente antes de preparar alimento, depois de usar o banheiro e antes de comer/beber;
4. Certificar-se de que alimentos cozidos sejam totalmente cozidos – o suficiente para matar vírus e que sejam
protegidos contra moscas até o momento da refeição;
5. Desinfetar frutas e vegetais que serão comidos crus em regiões onde a Hepatite A e E são comuns, conforme
indicado na sessão “Introdução a Doenças Transmissíveis”;
6. Sempre usar banheiros/latrinas.
Medidas que podem ser tomadas para reduzir a incidência de Hepatite B, C e D incluem:
1. Ter apenas um parceiro sexual dentro de um casamento fiel;
2. Evitar o uso de droga intravenosa;
3. Nunca compartilhar agulhas entre duas pessoas, por nenhuma razão;
4. Usar proteção ao lidar com secreções do corpo (luvas, jaleco ou máscaras, quando necessário);
5. Profissionais da área de saúde devem desenvolver procedimentos para evitar furos de agulhas e praticá-los
religiosamente;
6. Evitar compartilhar todo instrumento que pode potencialmente entrar em contato com fluídos do corpo (giletes,
agulhas de tatuagem, escova de dente, etc.)
7. Apenas receber transfusão de sangue se for absolutamente necessária.

Tratamento e administração de hepatite:


• De modo geral o paciente não deve tomar drogas, se possível, já que a maioria é processada no fígado e muitas
são tóxicas para o fígado. No estágio mais fraco do fígado durante a hepatite, medicamentos podem não ser
processados normalmente e pode piorar o dano ao fígado. Antibióticos não combatem a hepatite já que
normalmente combatem bactéria e a hepatite é causada por um vírus (medicamento antiviral pode ajudar
infecções por Hepatite C diminuírem o risco de se tornarem hepatite crônica). Além disso, outros medicamentos
experimentais prometem ajudar algumas pessoas com Hepatite C;

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 199


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
• O descanso é útil no processo de cura, mas descanso prolongado na cama deve ser evitado, pois pode provocar
fraqueza. A pessoa não deve permanecer na cama e pode voltar a trabalhar depois que a icterícia passar e o
nível de energia melhorar;
• O paciente não deve preparar alimento para outros ou estar na área onde alimento é preparado (Hepatite A e E);
• Beber água em abundância ajuda a eliminar os resíduos tóxicos do corpo;
• Uma dieta sem óleo pode ser útil, já que o fígado, responsável pela produção da bile (necessária para a digestão
de gorduras) precisa descansar enquanto está sendo curado desta enfermidade;
• Pessoas com hepatite precisam de nutrição saudável e adequada, o que pode ser difícil devido à perda de apetite e
náusea. Ofereça suco de frutas, frutas e caldos ou sopas se o paciente recusar outros alimentos. O álcool é
processado no fígado e deve ser evitado;
• Evite a constipação comendo uma dieta rica em fibras. A constipação incentiva o acúmulo de produtos tóxicos
como amônia no sangue e aumenta o trabalho do fígado inflamado;
• Para a Hepatite A e E: o paciente deve ser banhado com frequência e lavar suas mãos com sabonete e água depois
de cada evacuação. O banheiro deve ser limpo após cada uso; se possível, o enfermo deve usar um banheiro
separado dos outros membros da família;
• Fomentações quentes podem ser aplicadas sobre a região do fígado por 15 minutos, seguido por aplicações com
esponja fria. Faça a aplicação de quente e frio em quatro repetições diárias. Termine o tratamento com um
banho de chuveiro ou com fricção de esponja. O tratamento de febre descrito na sessão para tratamento de
HIV/AIDS também pode ser útil no combate ao vírus e para fortalecer o sistema imunológico.

___________________________

Centers for Disease Control (2011). World Hepatitis Day – July 28th. Acessado em 15 de março, 2012, em
http://www.cdc.gov/Features/dsHepatitisAwareness/
Organização Mundial da Saúde. (2008). Hepatitis A: Fact sheet Nº328. Acessado em 15 de março, 2012, em http://www.who.int/mediacentre/factsheets/en/
Ignatavicius, D. D., e Workman, M. L. (2002). Medical-surgical nursing: Critical thinking for collaborative care (4th ed.). Philadelphia: W.B Saunders
Company.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
Beers, M. H., e Berkow, R. (Eds.). (1999). The merck manual of diagnosis and therapy (17th ed.). Whitehouse Station, NJ: Merck Research Laboratories.
Vanderkooi, M. (2009). Village medical manual: A layman’s guide to health care in developing countries: Volume 1: Principles and procedures (6th ed.).
Marion, NC: Equip.
Thrash, A. (2012). Hepatitis. Acessado em 28 de dezembro, 2012, em http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.hepatitis.

Capítulo 8 – Infecções das Vias Respiratórias


Estatísticas:
• Infecções respiratórias agudas (IRA) são responsáveis por aproximadamente 4.25 milhões de mortes por ano.
• É a terceira maior causa de morte mundialmente e a maior causa de morte em países de média e baixa renda.
• O índice de morte por pneumonia é 215 vezes maior em países de baixa renda do que em países de alta renda.
• Fatores influentes por trás das infecções incluem o uso de tabaco, poluição, nutrição deficiente e superpopulação.
• Poluição interna responsável por aproximadamente 1.96 milhão de IRA por ano, enquanto a poluição externa do
ar causa aproximadamente 121.000 mortes
• Anualmente, 3-5 milhões de pessoas pegam gripe severa e até 500.000 morrem
• A maior causa de doença e morte em crianças no mundo
o 20-40% de todas as hospitalizações de crianças são devido a IRA
o 156 milhões de casos de pneumonia anualmente em crianças abaixo de 5 anos de idade.

200 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
o Pneumonia é a principal causa de morte em crianças abaixo de 5 anos de idade e responsável por cerca
de 20% de todas as mortes infantis abaixo de 5 anos de idade, mundialmente (1.6 milhão em 2008);
enquanto isso, a malária mata cerca de 732.000 crianças e o HIV, aproximadamente, 200.000.

Definição: Infecções respiratórias agudas (em contraste com doenças respiratórias crônicas como enfisema e doença
pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)) incluem doenças como pneumonia, influenza, tuberculose, doença respiratória
provocada por sarampo e o vírus sincicial respiratório (VSR). Elas afetam o nariz, garganta, pulmões e geralmente são
causadas por bactérias ou vírus, na maioria das vezes espalhados por gotículas infecciosas transmitidas pelo ar.

Tipos comuns de infecções das vias respiratórias


1. Resfriados comuns:
Provocados por mais de 100 vírus (frequentemente rinovírus). Sinais e sintomas comuns podem incluir: nariz
entupido e coriza, dor de garganta, dor no corpo e mal-estar . A doença normalmente desaparece em 5-9 dias
sem maiores complicações.

2. Influenza:
Comumente conhecida como gripe, é diferente de um resfriado e é provocada por diferentes tipos do vírus da
influenza. Sintomas comuns incluem: dor de cabeça, febre, calafrios, dores musculares, tosse e mal-estar. A
pessoa normalmente se sente mais doente quando tem a gripe do que quando tem um resfriado comum. A maioria
das pessoas se recupera em menos de duas semanas, mas pode causar complicações como pneumonia, sinusite,
dor de ouvido, crupe, agravamento da DPOC, bronquite, asma, bem como outras complicações graves e pode
piorar as condições de saúde pré-existentes. Todo ano, milhares de pessoas morrem de complicações oriundas de
gripes.

3. Bronquite:
Inflamação dos brônquios (tubos) que trazem ar para os pulmões. Na maioria das vezes provocada por vírus,
mas pode também ser provocada por bactérias, poluentes ou alergias. Normalmente ocorre depois de uma
infecção respiratória como gripe, resfriado, sarampo, pneumonia ou outra infecção semelhante. Sinais e sintomas
comuns incluem tosse persistente, que por vezes pode vir acompanhada de febre, falta de ar, dor no peito, pele
azulada, náusea e vômito.

4. Pneumonia:
Inflamação dos sacos aéreos nos pulmões causada por vírus, bactérias ou fungos nos pulmões. Pode provocar
doença moderada a grave entre pessoas de todas as idades. Sinais e sintomas comuns podem incluir tosse, febre,
respiração rápida e por vezes difícil, dor no peito e, às vezes, dor abdominal. Muitas crianças com pneumonia
não são tratadas e até 20% delas consequentemente morrem, algumas vezes 3 dias após a enfermidade começar.
Em países mais pobres, apenas cerca de 50% dos responsáveis reconhecem a necessidade de levar uma criança
que está com respiração rápida ou dificuldade para respirar ao médico, mesmo que haja indicações de
pneumonia.

5. Pleurisia:
Inflamação das membranas que formam o revestimento entre os pulmões e a parede do tórax.

Outros tipos de infecção respiratória aguda incluem a tuberculose (a ser estudada em outra seção), sinusite
(infecção/inflamação dos seios paranasais), infecções do ouvido (infecções virais ou bacterianas do ouvido
médio), sarampo, parainfluenza e vírus sincicial respiratório (pode causar crupe, pneumonia ou outros sintomas
semelhantes a resfriados).

Diagnóstico: Normalmente essas doenças respiratórias desaparecem sozinhas sem exames diagnósticos especiais.
Geralmente reconhecidas pelos sinais e sintomas, podem ser identificadas por exames de sangue especiais ou, em alguns
casos como tuberculose e pneumonia, através do exame de escarro. Contudo, para os tipos menos perigosos esses
exames normalmente não são usados.

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 201


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
Prevenção de Infecções nas Vias Respiratórias
• Como a maioria das infecções nas vias respiratórias é espalhada através da inalação de partículas infecciosas ou
outro contato com secreções da pessoa infectada, as seguintes sugestões podem ser úteis para evitar que uma
pessoa contraia infecções nas vias respiratórias:
• Lave as mãos frequentemente com sabonete e água morna, especialmente antes de tocar o rosto, preparar
alimento, comer, depois de tossir ou espirrar, assuar o nariz, usar o banheiro, tocar lençóis e roupas sujas, depois
de estar perto de alguém com resfriado ou gripe e após participar de reuniões sociais;
• Não toque olhos, boca, ou nariz a menos que tenha acabado de lavar as mãos completamente, pois podem
transmitir germes para as vias respiratórias;
• Cubra a boca cada vez que tossir. Se tossir nas mãos, lave-as imediatamente antes de tocar qualquer coisa;
• Se possível, evite agrupamentos de pessoas durante épocas do ano em que infecções respiratórias estão em alta;
• Se visitantes estiverem resfriados ou gripados, peça que voltem quando se recuperarem;
• Adote uma dieta equilibrada baixa em açúcar, gordura e alimentos refinados e rica em alimentos que contêm
vitamina C (frutas cítricas, frutas silvestres, etc.). Boa nutrição ajuda o corpo a resistir infecções;
• Beba pelo menos 6 a 8 copos de 200 ml de água diariamente;
• Durma e descanse adequadamente;
• Administre o estresse;
• Pratique exercícios ao ar livre por pelo menos 30 minutos diariamente;
• Mantenha as extremidades aquecidas (pés e mãos devem estar tão aquecidos como a testa), pois o resfriamento
abaixa a resistência do trato respiratório a organismos como vírus;
• Evite ar poluído, que pode enfraquecer os pulmões e torná-los mais suscetíveis a infecção (fumo, fumo de
segunda mão, gases nocivos, poluição industrial, fumaça de madeira ou óleo). Mantenha a casa limpa de poeira
excessiva, mofo e bolor;
• A amamentação auxilia no fortalecimento do sistema imunológico de bebês e crianças pequenas, ajudando a
evitar a aquisição de infecções;

Tratamento
• Combata com perseverança os primeiros sinais de um resfriado, gripe, ou outra infecção das vias respiratórias.
A seguir apresentamos algumas intervenções que podem ser úteis:
• Vá para cama cedo e descanse por mais tempo;
• Faça longas caminhadas ao ar livre, respirando profundamente;
• Beba muita água (algumas pessoas relatam que bebem 1 copo de 200 ml de água a cada 10 minutos por 1 hora no
primeiro sinal de resfriado para ajudá-las a evitar ficar doente);
• Aumente o consumo de alimentos ricos em vitamina C: frutas cítricas, morangos, brócolis, tomates e goiabas;
Estudos sugerem muitas outras frutas e vegetais como úteis para fortalecer a resistência do corpo a infecções;
• Evite zelosamente açúcar e excesso de gordura. Consuma uma dieta leve com muitas frutas e fibras o suficiente
para manter o intestino em bom funcionamento;
• Muitos consideram essas ervas úteis: alho (2-3 dentes crus por dia), equinácea, hidraste, extrato de semente de
toranja. Outras ervas podem ser igualmente benéficas. Algumas pessoas sugerem que sentiram benefício em
chupar ou fazer chá com Artemisia annua (artemísia) e/ou folhas de nim;
• Banho quente ao ponto de suar, concluído com uma ducha fria rápida antes de dormir, pode ser útil. Outra opção
é o banho quente nos pés. Sente a pessoa em uma cadeira e coloque os pés dela em um balde com água morna.
Cubra a pessoa com uma coberta e continue acrescentando água quente o quanto ela tolerar. Talvez precise de
um pano frio na testa se ela começar a suar. O ideal é levar a pessoa a suar e continuar por mais 20 minutos.
Termine jogando água fria rapidamente sobre os pés. Coloque meias quentes e peça que a pessoa se deite por
uma hora. É essencial evitar tomar friagem para um bom resultado do tratamento. Geralmente a temperatura não
deve ser superior a 40˚C;
• Para dor de garganta: gargarejo de água quente com sal pode ser útil, pois a água quente traz sangue fresco e
glóbulos brancos para o local, e o sal ajuda a matar microrganismos. Ervas/chás antimicrobiais também podem
ser acrescentados ao gargarejo. Compressa quente pode ser benéfica (molhe um pano fino em água e envolva ao

202 © Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”
redor do pescoço. Cubra com plástico, então com um cachecol grosso, lã, meia grossa, etc. Prenda
cuidadosamente com um alfinete. Não deve haver aberturas e deve se aquecer em alguns minutos. Mantenha no
local por várias horas ou durante a noite). Para algumas pessoas, chupar comprimido de carvão vegetal também
pode ser útil;
• Para tosse, alguns chás de ervas podem ser úteis: folhas de eucalipto, semente de feno-grego e verbasco. Faça um
xarope para tosse com mel e algumas gotas de óleo de eucalipto e tome cada vez que tossir – mas não tome
muito, pois contém açúcar (mel não deve ser dado a bebês e crianças pequenas devido ao risco de botulismo).
Um gole de água deve ser bebido cada vez que a pessoa tossir, para dissolver as secreções e ajudar o corpo a
expeli-las. Uma compressa de aquecimento também pode ser feita para o peito, conforme descrito acima para o
pescoço, e mantida durante a noite. Outro tratamento útil para congestão profunda é a drenagem postural. Para
fazer isto a pessoa se deita de bruços com o peito mais baixo que o quadril e as pernas, e alguém bate nas costas
com as mãos fechadas em forma de concha, alternando as mãos rapidamente. Não bater com muita força para
não causar dor e ferimentos, mas é muito útil para ajudar a quebrar o muco nos pulmões. A região sobre os rins
(perto da espinha na parte inferior da caixa torácica) deve ser evitada. Outro tratamento útil para tosse ou
pneumonia são fomentações (alternando tratamento quente e frio no peito e nas costas). Isto será explicado na
aula de Hidroterapia. Tratamento com inalações de vapor também é muito benéfico. Para fazê-lo, ferva água
(pode-se acrescentar folhas ou óleo de eucalipto), peça para a pessoa ficar em pé junto ao fogão, tome um lençol
ou toalha e cubra a pessoa e a panela de água fervendo para que o vapor suba e a pessoa o respire. Cuide para a
pessoa não chegar muito perto do vapor e se queimar, cuide também para que o lençol não pegue fogo;
• De modo geral, não use antibióticos para infecções virais, pois eles apenas lutam contra bactérias;
• Coma e durma separadamente dos outros para evitar a transmissão da doença;
• Para nariz entupido, não assue com força, pois poderá causar uma infecção no ouvido. Tratamentos com contraste
quente e frio podem tratar o nariz mais rapidamente. Para fazer isto, coloque uma toalha quente sobre o nariz e
os seios paranasais (talvez seja bom enrolar a pessoa em uma toalha seca para evitar queimadura, e mantê-la
quente por mais tempo) ou mergulhe o rosto em uma bacia contendo água o mais morno que aguentar (a pessoas
precisará levantar a cabeça para respirar ocasionalmente ou usar um snorkel para respirar) por 3 minutos, então
alterne com um pano frio ou bacia com água fria e gelo por 30 segundos. Talvez você precise acrescentar mais
água morna entre as alternações. Repetir o processo por 5-6 vezes e fazer o tratamento 2-3 vezes por dia. Isto
normalmente diminui o tempo que o nariz ficará escorrendo e ajudará a evitar que se torne um problema crônico;
• A febre é amiga do corpo. Febres normalmente devem ser tratadas usando água (escalda pés quente ou tratamento
semelhante) para elevar a temperatura até a pessoa suar; então mantê-la por 20 minutos, no caso de adultos, e
menos para crianças (mas não acima de 40˚C) para ajudar o corpo a combater a infecção, pois muitos vírus e
bactérias não suportam temperaturas elevadas. Se a febre subir muito, a pessoa precisa aplicar panos levemente
mornos ou tépidos para gentilmente diminuir a temperatura, mas cuidado precisa ser tomado pois este
tratamento é bastante estressante para o corpo;
• Dores de ouvido podem ser tratadas com aplicações de contraste quente e frio no ouvido e na região do tubo
eustaquiano, aplicação de compressas de carvão vegetal (colocando uma barreira para certificar-se de que o
carvão não desça pelo canal) ou com o uso de uma lâmpada quente a alguns centímetros de distância do ouvido
dolorido virado para cima. Cuidado para não queimar o paciente;
• Busque ajuda médica se a pessoa desenvolver febres elevadas, falta de ar, respiração difícil ou fortes dores no
peito.
___________________________
Schluger, N.W. (2010). Acute Respiratory Infections Atlas (1st ed.). Atlanta, GA: Bookhouse Group.
Longo, D.L., Kasper, D.L., Jameson, J.L., Fauci, A.S., Hauser, S.L., e Loscalzo, J. (eds.) (2012). Harrison’s principles of internal medicine (18th ed.). New
York: McGraw Hill.
Beers, M. H., e Berkow, R. (Eds.). (1999). The merck manual of diagnosis and therapy (17th ed.). Whitehouse Station, NJ: Merck Research Laboratories.
Thrash, A. (2012). Influenza or “flu” Acessado em 28 de dezembro, 2012, at http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.influenza_or_flu and
http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.flu.
Thrash, A. (1990). Natural healthcare for your child. Sunfield, MI: Family Health Publications.
Horner, S., Personal experience with herbal usage in Nepal and India.
Blumenthal, M. (ed.). (2000). Herbal medicine: Expanded Commission E monographs: Herb monographs, based on those created by a special expert
committee of the German Federal Institute for Drugs and Medical Devices. Newton, MA: Integrative Medicine Communications.
Whitney, E. e Rolfes, S.R. (2008). Understanding nutrition. Thomson Higher Education: Belmont, CA.
Thrash, A. (2012). Sinus treatment. Acessado em 28 de dezembro, 2012, at: http://ucheepines.org/index.php?p=counseling.sinus_treatment

© Lay Institute for Global Health Training – www.lightingtheworld.org 203


Doenças Comuns
“Conhecimento Essencial”

Capítulo 9 – Diarreia e Disenteria (Bacteriana e Amebiana)


Estatísticas
• Estima-se que 2 bilhões de casos ocorrem por ano
• É a segunda maior causa de morte em crianças abaixo de 5 anos de idade
• Matou quase 1.5 milhão de crianças em 2004, sendo que 80% tinham menos de 2 anos de idade
• 2.5 bilhões carecem de saneamento básico
• 1 bilhão de pessoas não possuem boas fontes de água

Definição: A diarreia é classificada como evacuações de consistência amolecidas ou líquidas. Quando a diarreia contém
sangue é denominada disenteria.

Fatores de risco:
A diarreia possui muitas causas, mas é frequentemente causada por bactérias provenientes da contaminação fecal.
Outras causas incluem parasitas, “gripe” intestinal (ou gastroenterite viral), alimento estragado, HIV/AIDS, intolerância
à lactose, alergias, efeitos colaterais de alguns medicamentos, laxantes, infecções em outras partes do corpo, malária,
nutrição deficiente, muita fruta verde, alimentos introduzidos muito cedo a bebês, entre outras. Portanto, é importante
estudar cada caso para buscar determinar a causa e, por conseguinte, o tratamento correto.

Causas específicas (e tratamentos) da diarreia:


1. Diarreia súbita, moderada sem febre: ofereça muito líquido, forneça nutrição; normalmente não é necessário
tratamento especial;
2. Diarreia com vômito: maior risco de desidratação. Ofereça soro reidratante, caldo ou sopa frequentemente em
pequenas quantidades. Mesmo se a pessoa vomitar, alguma coisa permanecerá dentro. Se o vômito for
incontrolável, leve-a imediatamente para uma cl