Você está na página 1de 11

A FORCA

DE HAMÃ
“A ascensão de Mordecai”

JUNIOR OMNI
Caro leitor,

O livro de Ester – a escrava que


tornou-se rainha – contém, sem
dúvida, uma das mais brilhantes e
comoventes histórias da Bíblia
Sagrada: A Fiel Palavra de Deus!

* Que Deus lhe ilumine através desta leitura!


A forca de Hamã

Ah, Se eu
Soubesse o dia
Da minha morte

Teria amado
A todas
As pessoas

Talvez, seria
Outra a
Minha sorte

Meus filhos
Não seriam
Enforcados a toa!

...Ester respondeu: Se agradar ao rei, conceda-se aos


judeus que acham em Susã que façam ainda amanhã
conforme decreto de hoje; e que os dez filhos de Hamã
sejam pendurados na forca...
Livro de Ester 9:13
Hamã é enforcado

Tolo eu
Ao desejar
A morte
De um povo
Exilado e
Muito triste
Pensava eu
Ser homem
Rico e forte
Servindo outrora
Ao poderoso rei
Do norte
Que em seu
Trono, jaz zangado
E hoje
Me assiste!

...Assim que a palavra saiu da boca do rei, cobriram o


rosto de Hamã...
Livro de Ester 9:13
UM PRÍNCIPE CRUEL

Esta é a história de um homem malvado chamado Hamã. O principal dos


príncipes do reino da Pérsia, na província de Susã, situada a trezentos e vinte
quilômetros a leste de Babilônia.

Em seus dias de glória, após ter sido engrandecido acima de todos os príncipes,
pelo rei Assuero, este homem encheu-se de orgulho e arrogância, e planejava exterminar
a todos os judeus da face da terra. Os quais haviam sido levados pelo rei da Babilônia –
Nabucodonosor – e lá, eram escravos em terra estrangeira.

Sentindo-se superior aos demais, ele queria que todos os homens curvassem as
suas cabeças toda vez que ele passasse. Também chegou a comentar com o rei, que
estaria disposto a dar muitas dádivas e recompensas aos homens que executassem os
judeus de forma cruel, sem misericórdia, exterminando-os por completo, em todas as
províncias para onde eles foram espalhados como escravos.

Ao perceber que um judeu, por nome de Mordecai, nunca se curvava diante


dele, a sua ira se ascendeu grandemente. E, a partir deste dia, Hamã passou a arquitetar
planos para matá-lo. Como todos os inimigos do rei morriam enforcados naquela época,
Hamã mandou fazer uma forca bem alta, em sua própria casa, esperando pendurar nela,
o seu inimigo principal entre os judeus: Mordecai!

Porém, o que Hamã não sabia é que, certa feita, enquanto Mordecai estava
sentado na porta do palácio do rei, aguardando notícias de Ester, sua prima, ouviu que
dois guardas conspiravam contra o rei Assuero, e planejavam matá-lo.

Então, logo Mordecai avisou a Ester sobre tudo o que aqueles homens
planejavam contra o rei. E Ester, rapidamente contou tudo ao rei Assuero, em nome de
Mordecai. E logo, aqueles dois homens traidores foram enforcados. E tudo isso foi
registrado num livro perante o rei, inclusive o nome de Mordecai.

Certa feita, na ocasião de um banquete, o rei Assuero perguntou a rainha


Ester, o que ela desejava receber de suas mãos. Prometendo a ela que lhe daria até
mesmo: A metade do seu grande reino, o qual se estendia desde a Índia até a Etiópia!

Porém, no coração de Ester, a escrava que milagrosamente tornou-se rainha,


havia apenas um desejo: Ver o seu povo feliz! Pois, ela sabia que, Hamã, cheio de ódio
em seu coração, havia pedido ao rei Assuero que enviassem muitas cartas ás diversas
províncias, decretando o dia da morte de todos os judeus.

E, nessa ocasião, Hamã conseguiu a aprovação do rei, o qual mandou que os


correios se apressassem em enviar cartas para todas as partes, avisando a todos os povos
que os judeus deveriam morrer. Homens, mulheres, crianças, todos deveriam ser
exterminados!
O rei Assuero deu ordens para exterminar a todos os judeus, mas, ele não
sabia que Ester, a virgem que ele escolhera para ser a sua esposa – a nova rainha –
também era uma jovem judia. Porém, Ester orava constantemente a Deus, pedindo-lhe o
livramento de seu povo.

O tempo passou, e as orações de Ester foram atendidas! E assim, o rei


realizou o seu maior sonho: Anular o decreto de morte contra os judeus! Então, essa
notícia espalhou-se por todas as províncias, e todos os judeus foram livres do
extermínio e do grande genocídio que os seus inimigos haviam planejado.

Algum tempo depois da anulação daquelas cartas. As quais continham a


sentença de morte. O rei Assuero, observando que em seus livros, havia muito tempo o
nome de um certo Mordecai, resolveu recompensa-lo pelo o que ele fez. Quando este
avisou Ester sobre o atentado contra o rei. Então, Mordecai foi chamado à presença do
rei. Afinal, só se apresentava diante do rei, aquele a quem o rei solicitasse. Do contrário,
seria morta, qualquer pessoa que tentasse chegar à presença do rei, sem que ele
convidasse.

Depois de tudo esclarecido, Deus mudou o cativeiro de Mordecai, o qual estava


jurado de morte. E, por incrível que pareça, na mesma forca que Hamã havia feito em
sua casa, para matar o seu rival, ele mesmo foi enforcado!

O rei Assuero descobriu que Hamã havia agido com injustiça contra o povo de
Ester – a qual outrora era escrava judia – , mas foi escolhida para ser rainha no lugar de
Vasti, a rainha que desapontou o rei, não obedecendo ao seu chamado.

Ao saber dos planos de Hamã, contra Mordecai, o rei se enfureceu


grandemente, e, atendendo ao pedido de Ester, a rainha, ele decretou a morte de Hamã.
Assim, aquele príncipe exaltado e cheio de ódio contra os judeus, caiu em sua própria
armadilha. Pois acabou provando do seu próprio veneno!

Ester tornara-se rainha e lutou incansavelmente para impedir a morte dos


judeus exilados em terra estrangeira. Mordecai, o seu primo, obteve honras diante do rei
que, lembrou do seu feito ao alertá-lo, por meio de Ester.

Após a morte de Hamã, o rei exaltou grandemente a Mordecai. Dando-lhe uma


posição elevada em seu palácio. E, a casa que outrora fora de Hamã, veio a ser de
Mordecai. Assim, houve grande júbilo entre os judeus naqueles dias! E esta história
verídica jamais foi esquecida por eles. Pois foi nestes dias de aflição, que todos os
judeus viram a poderosa mão de Deus agindo em vosso favor!
_________________________________________
A FESTA DE PURIM – Livro de Ester 9:1-32

20 – Mordecai escreveu estes acontecimentos, e enviou cartas a todos os judeus que


se achavam em todas as províncias do rei Assuero, aos de perto e aos de longe,

21 – Ordenando-lhes que guardassem os dias quatorze e quinze do mês de adar


todos os anos,

22 – Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que
se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa. Escreveu-lhes que os
fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros e
dádivas aos pobres.

23 – Assim os judeus concordaram em continuar a celebração que já haviam


começado, fazendo o que Mordecai lhes tinha escrito.

24 – Pois Hamã, filho de Hamedata, o agagita, inimigo de todos os judeus, tinha


intentado destruir os judeus, e tinha lançado pur, isto é, a sorte, para os assolar e
destruir.
25 – Mas vindo isso perante o rei, ordenou ele por cartas que o mau intento que
Hamã assentara contra os judeus, recaísse sobre a sua própria cabeça, e que ele e os
seus filhos fossem enforcados.
26 – Por isso áqueles dias chamaram purim, do nome pur. Por causa de todas as
palavras daquela carta, e por causa do que tinham visto e do que lhes havia
acontecido,
27 – Os judeus tomaram sobre si, sobre a sua descendência e sobre todos os que se
achegassem a eles, estabelecer o costume de que não deixariam de comemorar estes
dois dias todos os anos, conforme o que se prescrevera, segundo o seu tempo
determinado.
28 – Estes dias seriam lembrados e comemorados geração após geração, por todas as
famílias, em todas as províncias e em todas as cidades, e os judeus jamais deixariam
de celebrar estes dias de purim, e a memória deles jamais morreria entre a sua
descendência.
29 – Assim a rainha Ester, filha de Abiail, e o judeu Mordecai, escreveram com toda
a autoridade para confirmar esta segunda carta a respeito de purim.
30 – E Mordecai expediu cartas a todos os judeus nas cento e vinte sete províncias
do reino de Assuero, com palavras de paz e fidelidade,
31 – Para confirmar estes dias de purim nos seus tempos determinados, como
Mordecai, o judeu, e a rainha Ester lhes tinham estabelecido, e como eles mesmos já
o tinham estabelecido para si e para a sua descendência, com respeito ao jejum e á
sua lamentação.

32 – O mandado de Ester confirmou o que dizia respeito ao purim, e se escreveu


num livro.
A GRANDEZA DE MORDECAI – Livro de Ester 10:1-3

1 – O rei Assuero impôs tributo aos moradores do seu reino, tanto aos do continente
como aos das ilhas do mar.
2 – Quanto ao restante dos atos do seu poder e do seu valor, e á declaração da grandeza
de Mordecai, a quem o rei engrandeceu, não estão escritos no livro das crônicas dos reis
da Média e da Pérsia?
3 – O judeu Mordecai foi o segundo depois do rei Assuero, e grande entre os judeus,
estimado pela multidão de seus irmãos, por que trabalhou pelo bem-estar do seu povo e
procurou a prosperidade de todos os judeus.
O Autor

Nasceu em 1979, no alto da Mooca, na grande São Paulo.


Viveu parte da sua infância em São Vicente, litoral paulista. Em 1986, os
seus pais mudaram para a cidade de Suzano, no interior de São Paulo,
onde residem atualmente.
Sempre foi apaixonado pelas artes plásticas, música e
literatura. Em 2001 recebeu o chamado de Jesus Cristo, para ser um
pregador do evangelho. Em 2006 fez teologia pelo Seminário Nacional
ITEJ – Brasília – DF.
Como um simples poeta cristão, usando o pseudônimo
“JUNIOR OMNI”, os seus poemas e poesias – bem como o seu polêmico
testemunho: “ROCK N' ROLL – A MÚSICA DO INFERNO” – encontram-se
espalhados pela internet.

A JESUS, TODA HONRA E TODA GLÓRIA!

WEBSITE:

WWW.A-VISAO-DO-INFERNO.BLOGSPOT.COM