Você está na página 1de 132

Eletrônica de Máquinas Material do

Janeiro 2008 Estudante

ÍNDICE

Pág.
Descrição do curso ................................................................................................ 03
Lista de ferramentas .............................................................................................. 04
Literaturas de consulta .......................................................................................... 07
Plano de aula ......................................................................................................... 08
Princípios Básicos de Eletricidade ........................................................................ 11
F.T. 1 (Folha de Trabalho 1) - Comparação eletricidade x hidráulica ...... 25
F.T. 2 - Conversão de unidades ................................................................ 26
F.T. 3 - Circuitos série e paralelo ............................................................. 27
Multímetro Fluke 87 / Falhas típicas circuitos elétricos........................................ 33
F.T. 4 - Falhas típicas de circuitos elétricos .............................................. 41
F.T. 5 - Uso do multímetro para avaliar componentes e circuitos ............ 43
Eletrônica – Princípios Básicos ............................................................................. 49
F.T. 6 - Questionário sobre conceitos básicos em eletrônica .................... 57
Eletrônica 1: Circuitos Controlados Eletrônicamente / Códigos de Falha ............ 59
F.T. 7 - Identificação de componentes sinais ............................................ 77
F.T. 8 - Sensor analógico: medições ......................................................... 78
F.T. 9 - Sensor digital: medições .............................................................. 79
F.T. 10 - Teste sensor passivo / Inversão de conexões elétricas ............... 80
Sistemas de Monitoramento & Modos de Calibração .......................................... 83
F.T. 11 - Calibração usando o CMS (motoniveladora 140H) ................... 93
F.T.12 - Calibração do pedal neutralizador da carregadeira 950G ........... 99
F.T. 13 - HEXC 320C: Entradas e Saídas do ECM Motor e Bomba ........ 104
F.T. 14 - Testes e calibrações usando o monitor da escavadeira 320C .... 107
Manutenção de Fios e Conectores ........................................................................ 109
F.T. 15 - Construção de conectores .......................................................... 114
F.T. 16 - Questionário sobre conectores ................................................... 115
Esquema elétrico: Interpretação de informações contidas nele ............................ 117
F.T. 17 - Localização de componentes, interpretação de circuito ............. 122
Sistema de Arranque e Carga: testes ..................................................................... 127
F.T. 18 - Teste prático no sistema de arranque e carga ............................. 128
F.T. 19 - Perguntas sobre o sistema de arranque e carga .......................... 131

1
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

2
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Miami Skills Acquisition Center – Descrição de Curso


SISTEMAS ELETRÔNICOS DE MÁQUINAS
Este curso é uma introdução aos conceitos básicos de eletricidade e eletrônica aplicados nos
sistemas de máquina Caterpillar, controlados eletronicamente. O curso entregará ao
participante a informação necessária para que ele possa interpretar o funcionamento dos
sistemas, seguir os esquemas elétricos e as instruções que orientam a análise de falhas e
calibração dos sistemas, usando as ferramentas recomendadas.
CONTEÚDO
• Princípios básicos de eletricidade
• Falhas típicas de um sistema elétrico e ferramenta de análise
• Princípios básicos de eletrônica
• Componentes dos sistemas controlados eletronicamente, interpretação dos códigos de
falha, manuseio dos arquivos flash dos ECMs
• Modos de calibração dos monitores de máquinas
• Manutenção de fios e conectores
• Interpretação de esquema elétrico
Duração do curso: 4,5 dias
Número de participantes: 8 máx. / 4 min.
Custo por participante: $
PÚBLICO ALVO
Instrutores de treinamento de serviço
Comunicadores técnicos
HABILIDADES
Depois de compreender os temas apresentados neste curso o participante estará capacitado a:
• Entender e construir circuitos em série e em paralelo.
• Usar um multímetro para avaliar falhas em circuitos elétricos.
• Identificar componentes eletrônicos de entrada, saída e controles.
• Testar diferentes sensores.
• Reconhecer os componentes e códigos de falha em sistemas controlados eletronicamente.
• Utilizar a ferramenta de diagnóstico 4C8195 com o sistema de monitorização Caterpillar.
• Navegar pelo painel das escavadeiras 300C, identificando códigos de falha e executando
calibrações.
• Demonstrar suas habilidades para reparar e armar conectores.
• Utilizar o esquema elétrico para seguir circuitos e identificar números de peça, códigos
de falha, localização de componentes na máquina.
• Testar o sistema de carga e partida.
• Encontrar as orientações sobre princípio de funcionamento de circuitos e/ou sistemas,
análise de falha com ou sem código de falha, calibrações e números de peça no SIS
WEB, SIS DVD, manuais em papel.
• Analisar e corrigir falhas nas máquinas disponíveis.

3
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

EQUIPAMENTOS A SEREM USADOS DURANTE OS LABORATÓRIOS


Carregadeira 938G ou 950G, motoniveladora 120H, escavadeira 320C, trator de esteiras
D6R, D8T.
LISTA DE FERRAMENTAS
Caixa de ferramentas para técnico eletro-mecânico
Panos de limpeza
Óculos de segurança
Protetores auriculares
1 - 4C8195 Control Service Tool
1 - 4C8196 Cables (1 para cada 4C8195)*
1 - 4C8197 Cables – apenas por o caso da maquina disponível necessitar*
1 - 1387795 Cables – apenas por o caso da maquina disponível necessitar *
1/2 de litro de álcool desnaturalizado
2 - ET (Electronic Technician) instalados em dois laptop
1 - 4C3406 atual 190-8900 Connector repair kit (HD Style)
1 - 6V3000 Connector repair kit (Sure Seal)
1 - 1753700 Connector repair kit, (DT Connector Service Kit)
1 - 1409944 Electrical terminal assortment
2 - 1714400 Communication adapter II
1 - 8T9170 Electric kit – Ponta para furar isolamento de fio e testar tensão
2 - 9U7330 Fluke ou similar
1 - 8T0900 Amperímetro ou similar 225-8266
1 - 1772330 Battery analyzer
2 - 7X6370 cabo T (break-out T) para conector DT triangular 3 pinos
2 - 7X1710 ponta de prova tipo lâmina
1 - 8T8726 cabo T para conector (HD – redondo)
1 - 8T9170 Simulador para construir circuitos elétricos
1 - rolo de fita isolante
Cabos AWG16 (10 metros de cada):
Vermelho
Negro
Branco
8 - 1552260 Plug 3 pin Deutsch
8 - 1028803 Receptacle 3 pin Deutsch
30 - 9X3401 pino
30 - 9X3402 soquete
30 - 5P4571 terminal chato (isolado)
30 - 1364877 splice
10 - 1219588 Removal tool, 16 gauge TXL (remover fios, conector ADEM II)
10 - 1516320 Removal tool, 14, 16, 18 gauge SXL/GXL (Deutsch e AMP)

*- Complemento da ferramenta 4C8195

4
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRÉ-REQUISITOS DO CURSO
O participante deve possuir o seguinte conhecimento:
• Conhecimento básico de eletricidade adquirido em sua escola de formação profissional.
• Uso do ET.
• Uso do SIS WEB
• Conhecimento do uso de computador com programa Windows.
NOTAS
É recomendável que os participantes tragam seu computador portátil com o ET e SIS (com
os DVDs relacionados com o curso).
Usar botinas de segurança (não se permite tênis ou calçado aberto) e roupa apropriada para
trabalho na máquina.
INSCRIÇÃO

1/18/2008 8:39

5
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

6
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

LITERATURAS DE CONSULTA

Qde Form # Descrição


KENR5342 C4.2 and C6.4 Troubleshooting
KENR6118 320D Electrical Schematic
RENR3814 320C Eng Pump Control
RENR7090 320C Electrical Schematic
RENR4104 140H Transmission Elect Control
RENR5740 140H CMS
RENR9556 140H Electrical Schematic
SENR9515 140H 3176 Engine Troubleshooting
RENR6082 938G Electrical Schematic
RENR6221 938G Machine Systems Troubleshooting
SENR9820 938G 3126B Eng for Cat Mach (troubleshoot)
RENR4310 950G II Power Train T&A
RENR4362 950G II Electrical Schematic
SENR1394 950G II Caterpillar Monitoring System
SENR9617 950G II 3126B Engines for Cat Building Machines
RENR8170 Monitoring System TTT series T
RENR7392 Messenger System (monitoring)
REHS0970 Cross reference for electrical connectors
SENR1728 D6R Electrical Schematic
NEHS0601 9U7560 field soldering iron gp
SEBD0402 Guidelines for routing and installing wiring harness assy
SEHS9065 Use of CE/VE connector tools
SEHS9615 Servicing Deutsch HD and DT style connectors
SMHS7531 Use of 6V3000 sure seal repair kit
Binder

7
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PLANO DE AULA – ELETRÔNICA DE MÁQUINAS

Tempo Tempo
OBJETIVO RESUMO
Estimado Realizado
Apresentação pessoal, Conferir os nomes da lista de participantes para que
objetivos, informação sobre apareçam corretamente no certificado de curso,
02:00 h
segurança durante os apresentação dos objetivos do curso; informação
laboratórios. sobre segurança durante os laboratórios

Definição de eletricidade, diferença entre circuito


elétrico e eletrônico, átomo, cargas elétricas, campo
eletrostático, fluxo convencional e electrónico,
Princípios básicos da resistência. Circuito elétrico e seus componentes, lei
04:00 h
eletricidade 1 de Ohm. Condutores e isoladores, magnetismo,
unidades de medição. Circuitos série, paralelo e
serie/paralelo. Pg 11 a 23
Avaliação de retenção. Folhas de Trabalho 1, 2, 3

Multímetro Pg 33 a 39
Princípios básicos de Falhas típicas em um circuito elétrico
04:00 h
eletricidade 2 Avaliação de retenção Folha de Trabalho 4, 5

Definições dos termos básicos usados em eletrônica


aplicada em máquinas Caterpillar. Sinais,
04:00 h Eletrônica – princípios básicos componentes e circuitos básicos. Pg 49
Avaliação de retenção. Folha de Trabalho 6

Funcionamento básico dos componentes instalados


em máquinas, identificação dos diversos tipos de
sinal de entrada, componentes de saída, controles
eletrônicos (ECMs) e interpretação dos sintomas e
Eletrônica 1 – Sistemas
04:00h dos códigos de falha em sistemas controlados
controlados eletronicamente eletronicamente. Função da voltagem “pull-up”.
Geração de falhas F3 e F4. Arquivos flash entregues
com a máquina. Pg 59 a 76
Avaliação de retenção Folhas de Trabalho 7, 8, 9, 10

Uso da ferramenta de serviço 4C8105 para ingressar


no modo de serviço e executar calibrações via CMS.
Eletrônica 2 – Modo de Ingressar nos menus do modo de serviço das
04:00h escavadeiras 300C e D. Executar calibrações. Uso dos
calibração
novos sistemas de monitoramento Caterpillar
Pg 83
AdvisorTM e Messenger
Avaliação de retenção. Folhas de Trabalho 11, 12, 13, 14

8
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Tempo Tempo
OBJETIVO RESUMO
Estimado Realizado

Identificação e fontes de consulta sobre peças de


reposição para os conectores Sure-Seal, Deutsch,
04:00 h Manutenção de fios e chicotes Delphi. Confeccionar um cabo de testes para
conectores Deutsch DT de 3 pinos. Pg 109
Avaliação de retenção Folhas de Trabalho 15, 16

Interpretação das informações contidas num esquema


elétrico. Identificar componentes na máquina e no
esquema elétrico. Seguir circuitos elétricos.
Interpretação de esquema Identificar números de peça, especificações de
03:00 h componentes e literaturas que explicam o
elétrico
funcionamento do sistema. Identificar códigos de
controle, de componente e de falha. Pg 117
Avaliação de retenção Folhas de Trabalho 17

Sistema de arranque e carga.


Prova com analisador de bateria, medição de tensão
Nota: se usará o modo de
de bateria, avaliação do circuito de carga e partida.
serviço do sistema de Pg 127
05:00h monitoramento, o Cat ET, Folhas de Trabalho 18, 19
Avaliação de retenção:
multímetro digital e analisador
de baterias durante a execução
das tarefas indicadas.
02:00h Pós-teste Proceder à correção do teste e esclarecer dúvidas.

36:00h 36:00h TEMPO TOTAL

9
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

10
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRICIDADE - INTRODUÇÃO

Este módulo apresenta as definições usadas em eletricidade


básica, fazendo uma analogia com um sistema hidráulico de
máquina de construção Caterpillar. Depois de compreender os
assuntos tratados neste módulo o participante estará apto a:

¾ Explicar os conceitos básicos usados em circuitos elétricos


comparando-os aos circuitos hidráulicos
¾ Fazer conversão de unidades de um circuito elétrico
¾ Identificar os 3 tipos de circuitos elétricos
¾ Usar a lei de Ohm para calcular a tensão, corrente e resistência
em um circuito elétrico

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO Pág 11

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

ÁTOMO: é a menor partícula de um elemento que todavia mantém as


propriedades deste elemento

Núcleo = protons (+) e neutrons

(- )

Niels Born - apresentou a definição do átomo em1913

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

11
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ESTRUTURA DOS ÁTOMOS MAIS SIMPLES

Número atômico = 1 Número atômico = 2

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

ÁTOMO DE COBRE

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

CORRENTE ELÉTRICA = FLUXO DE ELÉTRONS

Flujo Convencional

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

12
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Existem 2 tipos de força que atuam em equilíbrio


dentro de um átomo: atração e repulsão

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

CAMPO ELETROSTÁTICO

É uma força invisível que circunda os corpos carregados de eletricidade e criam


a força de atração ou de repulsão entre estes corpos. A habilidade de atrair ou
repelir se chama potencial

A soma das diferenças de potencial das cargas de um campo eletrostático se


denomina força eletromotriz (EFM) e se mede em volts (V)
[Alessandrto Volta, cientista italiano]

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

De que forma poderemos obter uma voltagem?

• Fricção

• Energia Solar

• Reação Química

• Indução Eletromagnética

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

13
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

DIFERENÇA DE POTENCIAL

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

CONVENÇÃO X FLUXO ELÉTRONS

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

CARGAS ELÉTRICAS

Com o tempo, surgiu a necessidade de se desenvolver


uma unidade de medida para a carga eléctrica. Um
cientista chamado Charles Coulomb investigou a lei das
forças entre os corpos carregados de eletricidade e adotou
uma unidade de medida que se chama Coulomb. Quando
se escreve Coulomb em anotação científica esta medida
se expressa como valor unitario (Coulomb – C)

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

14
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Coulomb : unidade de carga elétrica.


Corresponde a 6.28 ×1018 (ou 6.28 bilhões de elétrons
ou protóns (Charles Coulomb).

Corrente eléctrica: é o movimento de cargas


elétricas por um condutor. A intensidade de corrente
elétrica é medida em Ampéres (A). Um Ampére se
define como um Coulomb de carga (6.38 bilhões de
eléctrons) passando por um ponto de um condutor em
1 segundo.

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

RESISTÊNCIA

George Simon Ohm descobriu que para uma


voltagem fixa, a quantidade de corrente elétrica que
flui por um material depende do tipo de material e de
suas dimensões físicas. Em outras palavras, todos os
materiais se opõe ao fluxo de elétrons. Esta oposição
se denomina resistência. Se a resistência do material
é pequena nós o denominamos condutor. Se é
grande o denominamos isolador.

Unidade: Ohms Ω

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

RESISTÊNCIA

A estrutura atômica é a quantidade de elétrons livres. Quanto maior for a


quantidade de elétrons livres em um material, haverá menor resistência ao fluxo
da eletricidade
PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

15
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

A. Comprimento. Quanto mais longo for um condutor, sua resistência será mais alta. Se o
comprimento do condutor aumenta duas vezes, segundo mostra a ilustración (A), a
resistencia entre suas extremidades será duplicada.

B. Diâmetro (exemplo B). Quanto maior for a área de um conductor, sua resistência será
menor (um tubo de diâmetro maior permite que flua mais agua). Se o diâmetro da seção
transversal for reduzido a metade, segundo mostra a ilustração (B), a resistência para
qualquer comprimento dado será aumentada em um fator 4.

C. Temperatura. Para a maioría dos materiais, quanto mais alta for a temperatura, mais
alta será a resistência. A ilustração (C) mostra a resistência que aumenta enquanto se
eleva a temperatura. Existem exceções: existem alguns materiais onde a resistência
diminui a medida que a temperatura aumenta.

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

FIOS

Exemplo de bons condutores elétricos

• plata
• cobre
• oro
• cromo
• aluminio
• tungsteno
Define-se como um bom condutor aquele material que possui muitos elétrons livres

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

Outros materiais criam dificuldade para transferencia dos eléctrons. Estes


materiais se chamam isoladores. Um bom isolador mantem os eléctrons pegados
firmemente a sua órbita
PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

16
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

• A sujeira e umidade podem servir para conduzir


eletricidade ao redor de um isolador. Um isolador
sujo ou com umidade pode causar um problema.

• Neste caso o isolador está perfeito, porém a


sujeira ou a umidade pode proporcionar uma
trajetória para o fluxo de elétrons.

• É importante manter os isoladores e os contatos


limpos.

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

AWG (American Wire Gage) Standards

Tabela
AWG

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

17
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Definição de Circuito Elétrico

É um caminho contínuo e fechado ao


longo de um condutor através do qual a
corrente elétrica pode fluir da fonte,
através de vários componentes, e retornar
novamente à fonte.

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

18
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

19
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

COMPONENTES BÁSICOS DE UN CIRCUITO ELECTRICO


PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

Existem três tipos básicos de circuitos electricos:

• circuito serie

• circuito paralelo

• circuito serie-paralelo

Ley de Ohm V = R . I

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

20
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

21
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

LEI DE OHM

A “Lei de Ohm” é utilizada para calcular a corrente, a tensão (voltagem) e a


relação de resistência em um circuito simples.

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

22
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

É um caminho contínuo e fechado ao longo de um


CIRCUITO condutor através do qual a corrente elétrica pode fluir
ELÉTRICO da fonte, através de vários componentes, e retornar
novamente à fonte.

No circuito eletrônico a corrente elétrica flui através


CIRCUITO de semi condutores. Os semicondutores são
dispositivos de estado sólido que podem controlar a
ELETRÔNICO
corrente sem peças móveis, filamentos aquecidos ou
cilindros de vácuo.

Nota: existem outros dispositivos de estado sólido que não são semicondutores. Um
transformador por exemplo, não é um semicondutor.

PRINCIPIOS BÁSICOS DA ELECTRICIDADE - INTRODUÇÃO

23
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

24
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE 1

A folha de trabalho deste módulo tem a finalidade de avaliar a retenção dos conceitos ensinados no módulo
“Eletricidade - Introdução”.

FOLHA DE TRABALHO # 1

Comparação entre Sistema Hidráulico e Elétrico

Direções: Utilizando a lista abaixo, localize o termo hidráulico que se compara com cada um dos termos
elétricos. Escreva a letra associada com cada termo hidráulico e no espaço junto ao término das unidades
elétricas a comparar.

SISTEMA ELÉTRICO SISTEMA HIDRÁULICO

1. ______ Corrente A. Medidor de Pressão

2. ______ Voltímetro B. Válvula Cheque

3. ______ Resistência (Ohms) C. Acumulador

4. ______ Condutor D. Orifício

5. ______ Voltagem E. Bomba

6. ______ Amperímetro F. Cilindro

7. ______ Resistor G. Medidor de fluxo

8. ______ Capacitor H. Mangueira / tubo / linha

9. ______ Diodo I. Pressão

10. ______ Bateria J. Restrição – Resistência (Pressão Diferencial)

11. ______ Carga K. Fluxo

25
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 2

Conversão de unidades

Direções: Utilizando a tabela de referencia, converta as unidades da coluna esquerda para as unidades indicadas.
Escreva sua resposta na coluna direita.

a. 0.00053 A a miliamperes (mA) Resp. = _________ mA

b. 2500 V a kilovolts (kV) Resp. = _________ kV

c. 2 A a miliamperes (mA) Resp. = _________ mA

d. 1327 mV a volts (V) Resp. = _________ V

e. 8.2 kOhms a ohmios (Ohms) Resp. = _________ Ohms

f.680 kOhms a megaOhms (Mohms) Resp. = _________ Mohms

g. 10, 000 µF a farads (F) Resp. = _________ F

h. 2.1 V a milivolts (mV) Resp. = _________ mV

i. 356 mV a volts (V) Resp. = _________ V

j. 0.006 A a miliamperes (mA) Resp. = _________ mA

26
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 3

Aplicar os conceitos da Lei de Ohm nos circuitos abaixo

3.1- No circuito abaixo, calcular os valores da corrente elétrica A e a queda de tensão nos resistores em V1, V2
e V3.

A= mA
V1= V
V2= V
V3= V

3.2- Calcular o valor da resistência R2.

R2= Ω

27
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

3.3- Calcular o valor da corrente que circula no circuito abaixo.

I= A

3.4- Calcular a queda de tensão em R1.

R1= V

28
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

3.5- Calcular a queda de tensão em cada resistor, o fluxo de corrente total no circuito, a corrente em cada
circuito e a corrente total do circuito.

V1= V V2= V V3= V


R1= Ω R2= Ω V3= Ω
A1= A A2= A A3= A
A1 + A2 + A3 = A

29
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

3.6- Calcular qual o valor da corrente que circula pelo circuito abaixo.

A= A

3.7- Calcular o valor da resistência R1.

R1= Ω

30
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

3.8- Calcule o circuito equivalente e use a Lei de Ohm para encontrar os valores de Tensão, Corrente e
Resistência Total de cada circuito abaixo.

Re= Ω
Rt= Ω
It= A
E3= V
E2= V
E1= V

31
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

32
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MULTÍMETRO FLUKE 87

Este módulo explica como se usa um multímetro digital FLUKE 87


para realizar as diversas medições nos circuitos elétricos de
máquina de construção Caterpillar e explica as falhas mais
comuns em circuitos elétricos de máquinas.

Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o


participante estará apto a:

¾ Usar um multímetro digital FLUKE 87 para analisar componentes


de um circuito.

¾ Explicar os tipos de falha que ocorrem num circuito elétrico.


¾ Construir um circuito elétrico básico e identificar falhas
colocadas no mesmo.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87 Pag 33

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

33
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

34
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MEDINDO TENSÃO

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

MEDINDO CORRENTE

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

RESISTÊNCIA

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

35
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

CONVERSÃO DE UNIDADES

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FLUKE 87

FALHAS TÍPICAS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS

¾ Circuito aberto
¾ Curto
¾ Falha a terra
¾ Alta resistência
¾ Falha intermitente

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

CIRCUITO ABERTO (causas)

• Interruptor aberto
• Fusível
• Fio cortado
• Conector danificado
• Componente danificado (resistência/
bobina rompida)

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

36
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

CIRCUITO ABERTO (série)

A localização de falha de circuito aberto é realizada com


facilidade usando-se um multímetro e medindo a tensão
de alimentação. Se a tensão está disponível na entrada
de um interruptor e não está disponível na saída é sinal
que o interruptor está aberto.
Se a tensão estiver disponível na saída será necessário
prosseguir a análise pelo circuito até que seja
identificado onde ele está aberto.

NOTA: Num circuito em série qualquer conexão que estiver aberta causará a interrupção do
fluxo de corrente no circuito inteiro

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

CIRCUITO ABERTO (paralelo)

Identificar uma falha em um circuito paralelo irá


depender de onde esta falha ocorreu. Se ela
ocorreu na linha de alimentação principal ou na
linha de retorno à terra, nenhuma carga irá
funcionar.
Se a linha estiver aberta apenas em um ramal
do circuito abaixo da linha principal de
alimentação, apenas esta linha será afetada.
Os outros ramais irão funcionar normalmente.
Quando buscar a causa de falha de um
componente que deixou de funcionar, comece
por uma inspeção visual no dispositivo de
proteção e no componente.

Se a inspeção visual não indicar circuito aberto, remova o fusível e faça o teste de continuidade para
assegurar-se que ele está funcionando.
Em seguida use o multímetro para comprovar a existência de tensão de alimentação no componente. Use o
esquema elétrico para buscar valores a medir e identificar quais são os demais componentes elétricos como
(interruptores, conectores) que existem no circuito e que poderiam causar uma interrupção na sua
alimentação.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

CURTO

O curto é uma conexão direta entre dois pontos. Sua


resistência é muito baixa e em consequência a corrente
elétrica se torna muito alta. O curto em um circuito se
define como um caminho indesejado ou uma conexão
incorreta.

O curto poderá ocorrer tanto para o “terra” quanto para a


linha de alimentação.

A ilustração acima mostra um curto que ocorreu depois do dispositivo de proteção e do interruptor, porém antes
da carga do circuito (lâmpada). Neste exemplo, uma trajetória de baixa resistência a terra ocorrerá sempre que o
interruptor for acionado e houver uma fonte de alimentação disponível. O resultado desta trajetória indesejada
será num fusível queimado toda vez que uma tensão for aplicada ao circuito.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

37
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

CURTO

A ilustração acima mostra um curto para o “terra” que ocorreu antes do interruptor. Esta condição é chamada
curto circuito (dead short). Neste caso o fusível queimará sempre que a bateria for conectada.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

CURTO

O sintoma de um curto com a linha


de alimentação dependerá da sua
localização. O resultado desta falha
será mal funcionamento em um ou
em ambos os circuitos. Um
componente que está sendo
energizado quando supostamente
não deveria ser, é um bom exemplo
para esta falha.

A ilustração acima mostra um curto na linha de alimentação que está ocorrendo antes dos dispositivos de
controle (interruptores). Esta condição faz com que ambos acendam as duas lâmpadas ao mesmo tempo.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

CURTO

A ilustração acima mostra um curto na linha de alimentação que ocorreu depois da carga (lâmpada) em uma
das ramificações do circuito e antes da carga na outra ramificação. Neste caso se o interruptor que controla
o circuito #2 for fechado as cargas se iluminarão, mas se o interruptor que controla o circuito #1 for fechado,
ocorrerá um curto circuito para o “terra” causando a queima do fusível.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

38
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Falha a la terra
Uma falha a terra faz com que os componentes do circuito não funcionem. A
condição de falha a “terra” indica que o circuito está com uma fuga indesejada
para o chassis da máquina. O efeito no circuito é causado a partir do local onde a
falha aterra está ocorrendo.

Nota: isolamento de um circuito: 5 KΩ

Falha por alta resistência


O mau funcionamento do circuito ocorre quando os valores de resistência se
tornam muito altos. O efeito sobre o circuito resulta em componentes que deixam
de funcionar de acordo com sua especificações.
A causa para alta resistência é a ocorrência de corrosão nas conexões ou sujeira
presente nas conexões e nos contatos.

Nota: máxima resistencia aceitável em um circuito: 5 Ω

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

Falha intermitente
A condição de falha intermitente ocorre quando os contatos e as conexões ficam
frouxas ou ocorre a quebra de componentes internos . Estes problemas causam
falhas do tipo luzes que ficam piscando ou componentes que trabalham de forma
intermitente. Este problema aparece geralmente como resultado das vibrações
durante o deslocamento das máquinas. Estes problemas no são fáceis de
diagnosticar porque a falha se corrige quando a máquina está parada.

Ferramenta de diagnóstico

O menu “Wiggle Test” do ET é a ferramenta mais indicada para ajudar o técnico a


diagnosticar este tipo de falha enquanto a máquina está parada.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - FALHAS DE CIRCUITO

39
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

40
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 4
Falhas Típicas de Circuito Elétrico – Questionário de fixação de conceitos

1- Que ferramenta deve ser utilizada para diagnosticar um circuito aberto?

2- Analise a figura 1 e responda às seguintes perguntas:


a) Que tipo de circuito é este?

b) Que tipo de falha aparece neste circuito?

c) Por onde circula a corrente elétrica neste circuito?

Figura 1

3- Analise a figura 2 e responda às seguintes perguntas:


a) Que tipo de circuito é este?

b) Que tipo de falha aparece neste circuito?

c) Por onde circula a corrente elétrica neste circuito?

41
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

4- Analise a figura 3 e responda às seguintes perguntas:


a) Que tipo de circuito é este?

b) Que tipo de falha aparece neste circuito?

Figura 3
c) Descreva o que acontecerá quando o interruptor do
circuito # 1 for fechado?

d) Descreva o que acontecerá quando o interruptor do circuito #2 for fechado?

5- O que pode causar uma falha de alta resistência em um circuito elétrico?

6- Qual é a ferramenta mais adequada para analisar uma falha intermitente em um chicote elétrico?

42
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 5
Multímetro digital

Esta folha de trabalho tem por finalidade avaliar a retenção dos conceitos ensinados no módulo 2 “Multímetro
Fluke 87”.

Direção: Utilizando o simulador de circuitos elétricos 8T9170 e um multímetro digital, arme os circuitos e faça
medições conforme as instruções abaixo.
Uma vez terminado o laboratório, você terá praticado as seguintes habilidades:
1. Uso do multímetro para medir resistência e voltagem
2. Uso de um diagrama para armar uma tarefa de provas eletrônicas.

Exercício I

1. Com um Multímetro Digital meça a resistência dos seguintes componentes localizados no simulador de
circuitos elétricos (8T9170). Tome todas as medidas com a caixa de provas desconectada. Escreva os
resultados no espaço adequado.

Resistor R 1

Resistor R 2

Resistor R 3

Resistor R 4

Resistor R 5

Resistor R 6
Resistor Variável ajustado a 60

Resistor Variável ajustado a 180

Resistor Variável ajustado a 200

43
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
Exercício II
1. Use o Grupo de Componentes Elétricos (8T9170) e jumpers para montar o circuito mostrado na Ilustração I.
2. Usando um Multímetro Digital Caterpillar, tome os valores solicitados em sua Folha de Exercício II. Escreva
os valores tomados no espaço previsto.

Ilustração I:

HOJA DE EJERCICIO II POSICIÓN DEL INTERRUPTOR


A B
VOLTAJE:
Bateria

CAÍDA DE VOLTAJE:

Lâmpada L 1

Lâmpada L 2

Resistor R1

Resistor R2

CORRIENTE:

Lâmpada L 1

Lâmpada L 2

Resistor R1

Resistor R2

44
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Exercício III (continuação)

Atividade 1. (a). Use o grupo de componentes elétricos 8T9170 Electric Kit e faça um jump para armar o
circuito como mostra a "Ilustração II".
Ilustração II

(b). Coloque o botão de controle do resistor variável na posição marcada como 160.
(c). Conecte o interruptor de alimentação na posição ON (POWER ON).
(d). Meça a voltagem no circuito nos pontos de prova (test points) 1 a 10 com o "interruptor" na
posição "A" e novamente com o "interruptor" na posição "B". Anote as leituras na célula apropriada
da Folha de Trabalho.

45
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Atividade 2.
(a). Deixe os "jumpers" na posição. Coloque um "jumper" do ponto 4 à terra.
(b). Meça a voltagem do circuito nos pontos de prova 1 a 10. Deixe o interruptor na posição A. Anote as
leituras ao final de cada parágrafo e na célula apropriada da Folha de Exercício "III".
(c). Desconecte o "jumper" do positivo de Bateria ao fusível (test point 1) no conector do fusível. ¿Cuál é
a leitura de voltagem na extremidade do terminal do "jumper" que foi desconectado (test point 1)?
___________. Reconecte o "jumper" novamente no conector do fusível.
(d). No test point 3, desconecte o "jumper" que conecta o fusível al resistor variável. Qual é a leitura de
Voltagem na extremidade do terminal do jumper que foiu desconectado (test point 3)? ___________.
(e). Reconecte o "jumper" novamente no conector do resistor variável e desconecte o mesmo cabo no
conector da lâmpada L1 (test point 5).
Qual é a leitura de voltagem na extremidade do "jumper" que foi desconectado (test point 5)? ________.
(f). Reconecte o "jumper" novamente no conector da lâmpada L1 (test point 5) e desconecte o cabo que
conecta ao conector do resistor variável a lâmpada L1, no conector do resistor variável (test point 4).
Qual é a leitura de voltagem no conector do resistor variável? ___________.
(g). Reconecte o "jumper" outra vez no conector do resistor variável (test point 4) e desconecte o mesmo cabo
no conector da lâmpada L1 (test point 5) por mais uma vez.
Qual é a leitura de voltagem na extremidade do "jumper" que foi desconectado? _______.

FOLHA DE EXERCÍCIO III

Atividade 1 2

Posição do Interruptor A B A

3
Pontos de medição (Test point)

10

46
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

CONCLUSÃO

As medições têm a finalidade de demonstrar o seguinte:

Atividade I
Interruptor na posição "A" -Em um circuito completo no qual a corrente elétrica está circulando, a voltagem
(pressão da energia elétrica) varia depois de circular por cada componente que possui resistência.
- CERTO - ERRADO

Interruptor na posição "B" -Em um circuito "aberto", a voltagem (energia elétrica) é a mesma em todos os
pontos do circuito até o ponto onde o circuito foi aberto.
- CERTO - ERRADO

Atividade II

O "jumper" mostra o efeito de um "curto" em um circuito.


- CONCORDO - NÃO CONCORDO

Os passos (c) a (f) demonstram o processo de encontrar um curto ("short") por meio da criação de circuitos
"abertos".
- CONCORDO - NÃO CONCORDO

47
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

48
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA - PRINCÍPIOS BÁSICOS

Este módulo explica os princípios básicos de eletrônica


aplicada em máquinas Caterpillar e ajuda a compreender e
dar manutenção nos sistemas de máquina controlados
eletronicamente.

Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o


participante estará apto a:

¾ Explicar os princípios básicos da eletrônica aplicada em


máquinas Caterpillar.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS Pag 49

Princípio básico de eletrônica


• Sinais
• Componentes
• Circuitos

¾ A maioria de circuitos eletrônicos processam um sinal de alguma maneira.


O sinal pode ser tão simples quanto o pulso elétrico criado fechando os
contatos de um interruptor, ou tão complexo quanto um sinal digital que
mede o nível de um líquido
¾ Comentaremos o princípio de funcionamento, dos componentes e dos
circuitos básicos usados em sistemas de máquinas controladas
eletronicamente

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

¾ Existem vários componentes nos sistemas controlados eletronicamente


usados atualmente em produtos Caterpillar. Estamos considerando que não é
tão importante compreender inteiramente o que vai dentro de um controle
eletrônico, mas é importante saber que tipo de sinais são necessários para a
operação apropriada dos controles eletrônicos.
¾ Os sinais podem ser categorizados em dois grupos principais: podemos
denominar como os sinais que não variam e naqueles que variam.
¾ Um exemplo de um sinal que não varia é um sinal onde a corrente flui
somente num sentido e é chamado corrente contínua (CC).
¾ Num sinal que varia, a corrente flui em um sentido e então muda e flui no
sentido oposto: ele é chamado sinal de corrente alternada (CA).
¾ Um sinal pode ser de tensão ou corrente. Pode ser C.C. ou C. A.. Os sinais
podem transmitir o potencia, podem ser uma forma de energia, ou transportar
informação. A maioria de sinais eletrônicos são usados para fornecer
informação e possuem formas variadas e características diferentes. Os
exemplos a seguir mostram alguns dos tipos de sinais mais comuns.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

49
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

(DIGITALES)

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

Exemplo de sinais produzidos


por uma bateria ou uma fonte
de energia

Exemplo de sinal Exemplo de sinal on/off


produzido por uma produzido por um
corrente positiva e um interruptor
reostato

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

Exemplo de sinal de corrente alternada (o pulso oscila o


pico positivo e o pico negativo
Unidade de medida ”Hertz”, que corresponde a um ciclo

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

50
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

A tensão do sinal de onda senoidal (CA) é expressa normalmente como um valor de tensão de
corrente contínua capaz de realizar o mesmo efeito. Se denomina tensão RMS (root means
square) e representa o valor de 0.707 vezes a tensão de pico

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

Sinal analógico: varia sua tensão DC de uma forma suave e contínua proporcional ao aumento
da variação da unidade que está sendo lida (tensão, temperatura, etc...)

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

Os sinais digitais são usualmente associados com controles eletrônicos computadorizados e


dispositivos de medição. O sinal (pulso) varia entre dois valores distintos (máximo e mínimo). O
sistema eletrônico de cada sensor irá determinar sua amplitude ou nível

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

51
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Exemplo de sensor
PWM ?

Nas máquinas Caterpillar, um sensor de posição seria um bom exemplo de um dispositivo que produz um
sinal digital. O sinal PWM é produzido pelo sensor.Um oscilador dentro do circuito do sensor produz uma
freqüência de saída constante e o “ciclo de trabalho” (duty cycle) varia de acordo com a condição de
rotação de um eixo, por exemplo. O sinal produzido pelo sensor é enviado para um controle eletrônico
onde este sinal é processado.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

CIRCUITOS ELECTRÔNICOS

EXISTEM DOIS TIPOS BÁSICOS DE CIRCUITOS ELECTRÔNICOS

Os circuitos que produzem os sinais e se chamam


circuitos geradores

Os circuitos que manipulam ou processam os sinais

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

52
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FONTES DE ALIMENTAÇÃO e OSCILADORES : são dois exemplos de


dispositivos que produzen sinais electrônicos.

FONTES DE ALIMENTAÇÃO: são desenhadas para entregar níveis


específicos de voltagem ou corrente aos dispositivos eletrônicos. A
maioria dos equipamentos eletrônicos necessitam geralmente alguma
forma de energia para funcionar.

OSCILADORES: são desenhados para entregar um sinal de onda


senoidal. O sinal pode ser variável ou fixo dependendo do desenho. Os
controles electrônicos Caterpillar usam osciladores para produzir a onda
senoidal para suportar o funcionamento de dispositivos digitais, tais como
sensores de temperatura, etc.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

AMPLIFICADOR: o amplificador é desenhado para aumentar a tensão, a


corrente ou o nível de energía de um circuito (ganho)

Determine um número que representa o ganho para cada uma das seções do
amplificador no diagrama para demonstrar como um valor baixo de um sinal
pode ser amplificado.
A = 2, B = 4, C = 8
2 x 4 = 8 x 8 = 64
A amplificação que resulta é 32 vezes a entrada da primeira etapa

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

CONVERSOR: utilizado em circuitos electrónicos para permitir um


dispositivo digital e outro analógico comunicar-
comunicar-se um com o outro. Às
vezes é denominado conversor D/A (digital para analógico) ou
(analógico para digital).

As máquinas Caterpillar usam conversores D/A nos sistemas de


monitoramento.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

53
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

COMPONENTES PASSIVOS E ATIVOS

Um componente passivo é aquele que não proporciona nenhum ganho ou controle


sobre um sinal electrônico. Um componente passivo reage à corrente ou à voltagem
de uma maneira determinada por suas características físicas. Os componentes
passivos típicos são os resistores, condensadores, transformadores, etc. Em
circuitos eletrônicos, a maioría destes componentes são utilizados em forma de
miniatura.

Um componente ativo é aquele que proporciona ganho ou controle sobre um


circuito eletrônico. Os componentes ativos típicos são diodos, transistores, etc.
Este tipo de componente se utiliza em conjunto com uml componente do tipo pasivo
e pode ser utilizado virtualmente em qualquier tipo de circuito electrônico. A
informação seguinte descreve, mais detalhadamente, componentes eletrônicos do
tipo ativo que se utilizam atualmente nos sistemas eletrônicos Caterpillar.

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

CARACTERÍSTICAS DOS SEMICONDUTORES

• Elementos que têm somente quatro elétrons no anel externo

• Não são bons condutores, nem tampouco bons isoladores

• Fabricados geralmente de silício e de germânio

• Fabricados por vinculação covalente (os elétrons no anel


externo de um átomo de silício se juntam aos elétrons de outros
átomos de silício de modo que os átomos compartilham seus
elétrons em seus anéis externos)

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

SEMICONDUTORES “DOPING”
• Os cristais de silício são alterados agregando outros materiais,
tais como fósforo e antimônio
- Ambos têm cinco eletrons em seu anel externo
- Se cria o chamado eléctron "livre"
- O material que tem elétrom adicional se chama tipo "N"

• Os cristais de silício são alterados agregando outros materiais,


tais como boro e índio
- Ambos tem três elétrons em seu anel externo
- Se cria uma "escassez" de elétrons (vazio)
- Se considera uma carga positiva
- O material com escassez de elétrons se denomina \
tipo "P"

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

54
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

• Ambos os tipos de material "N" e "P" conduzem a corrente

• A fonte externa de voltagem causa um fluxo de corrente em ambos


os tipos de material

• No material tipo "N" o fluxo de corrente é o movimento dos


elétrons "livres" carregados negativamente

• No material tipo "P" o fluxo de corrente és o movimento das


cargas positivas

• O movimento de cargas positivas ocorre somente dentro do


semiconductor, enquanto os elétrons fluem através do circuito
inteiro

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

(Silicon 600 mV)

Os diodos são construídos quando dois materiais semicondutores (um P e un N)


são unidos em uma só peça. Os diodos mais comuns são os de silício e só
conduzem a corrente elétrica na polaridade correta, quando submetidos a uma
tensão de de aproximadamente 600mV
ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

DIODE CHECK

Com a ponta positiva do Com a ponta negativa


multímetro no ânodo, a do multímetro no ânodo,
ponta negativa no a ponta positiva no
cátodo: cátodo:
se lê "OL"
se lê queda de tensão

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

55
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Os transistores são semicondutores de três terminais usados em circuitos eletrônicos para


controlar o fluxo de corrente. Os três terminais se identificam como emissor (e), coletor (c) e base
(b). A flecha (direção do fluxo atual convencional) identifica a montagem do emissor. A linha que
forma o junção em T representa a base na maioría dos diagramas esquemáticos
ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

TESTE DE VERIFICAÇÃO DE UM
TRANSISTOR
Meça da base ao coletor
Caída de voltagem e uma direção
"OL“ na outra

Requer três medidas:


da base ao coletor,
da base ao emissor, Meça da base ao emissor
do emissor ao coletor. Caída de voltagem em uma direção
O teste exige isolar o
"OL“ na outra
transistor do circuito.

Meça do emisor ao coletor


“OL” em ambas direções

ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – PRINCÍPIOS BÁSICOS

56
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 6
ELETRÔNICA APLICADA EM MÁQUINAS – Questionário de fixação de conceitos
PRINCÍPIOS BÁSICOS

Orientação: Leia cada uma das frases abaixo e marque com um círculo a palavra Verdadeiro ou Falso para a
afirmação escrita na frase correspondente.

1. A característica básica da corrente contínua (DC) é que ela possui uma polaridade fixa.
Verdadeiro ou Falso

2. Os sinais de corrente contínua (DC) não variam (de intensidade).


Verdadeiro ou Falso

3. O sinal de corrente alternada (AC) mais comum é o sinal de pulso de largura modulada (PWM).
Verdadeiro ou Falso

4. A freqüência ou onda senoidal é medida em ciclos por segundo (cps).


Verdadeiro ou Falso

5. Um oscilador pode ser desenhado para produzir uma freqüência fixa ou variável seguindo uma escala bem
ampla.
Verdadeiro ou Falso

6. O sinal analógico é aquele que fornece pulsos em dois níveis distintos.


Verdadeiro ou Falso

7. O sinal de largura de pulso modulado (PWM) é produzido por um sensor digital.


Verdadeiro ou Falso

8. Os amplificadores são conectados em paralelo para aumentar o sinal de entrada.


Verdadeiro ou Falso

9. O ganho total de um amplificador é o produto dos ganhos dos amplificadores individuais.


Verdadeiro ou Falso

10. Um componente passivo não produz nenhum ganho ou controle sobre um sinal eletrônico.
Verdadeiro ou Falso

57
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

11. O resistor é um exemplo de dispositivo eletrônico ativo.


Verdadeiro ou Falso

12. Os semicondutores não bons condutores nem são bons isoladores.


Verdadeiro ou Falso

13. O diodo precisa ser polarizado (forward biased) para permitir a corrente passar por ele.
Verdadeiro ou Falso

14. O LED é um tipo de diodo que produz luz quando a corrente elétrica passa através da sua junção.
Verdadeiro ou Falso

15. Os transistores são usados para controlar a corrente em um circuito.


Verdadeiro ou Falso

16. Os componentes ativos e passivos podem construídos em miniatura e construídos em silício.


Verdadeiro ou Falso

17. Os diodos de silício típicos não conduzem a corrente elétrica até que a tensão de polarização atinja o valor de
600 mV.
Verdadeiro ou Falso

18. Para testar um transistor é necessário efetuar três medições.


Verdadeiro ou Falso\

19. Existem dois tipos básicos de circuitos eletrônicos. Aqueles que produzem o sinal e aqueles que processam o
sinal.
Verdadeiro ou Falso

20. Em um diodo típico, o ânodo tem que ser mais positivo que o cátodo para que a corrente elétrica possa fluir.
Verdadeiro ou Falso

58
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 1

Este módulo mostra os diversos componentes dos sistemas de máquinas


Caterpillar controlados eletronicamente. Esta informação entregará o
conhecimento básico necessário para o participante entender como o
sistema funciona, como interpretar um código de falha ou um sintoma sem
código de falha.
Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o participante
estará apto a:

¾ Interpretar os tipos de sinais recebidos pelo ECM e realizar teste de


componentes e chicote.
¾ Identificar os diversos tipos de controles eletrônicos (ECMs).
¾ Diagnosticar uma falha num sistema comandado eletronicamente com
código de falha presente ou não.
¾ Usar a voltagem “pull-up” para fazer teste de continuidade.

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE Pag 59

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

CMS – Input, Output, Data Links

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

59
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Data Links: CDL e CAN

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SWITCHES (pressure, flow, rocker)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

60
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ENGINE OIL PRESSURE SWITCH

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ROCKER TYPE SWITCH

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

COOLANT LEVEL (Electronic Switch)

Connector DT
(Deutsch Transportation)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

61
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

NOTA: a Caterpillar usa dois tipos diferentes de “senders” no sistema de monitoramento:


¾ 0 A 240Ω para funcionar como indicador de nível de combustível
¾ 70 A 800Ω para indicadores de temperatura de óleo ou refrigerante

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENDER 0 A 240Ω

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENDER 70 A 800Ω

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

62
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SINAIS

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSOR & TIPOS DE SINAL

Ativo (sinal varia de 0.2 a 4.8 V) Alimentação 5V


1 – Analógico
Passivo (Ohm) Não possui alimentação

Freqüência fixa PWM ( % ) Alim. acima de 5V (8, 10, 12, 24V)


2 – Digital
(ativo) Freqüência variável * ( Hz ) sinal DC Alim. acima de 5V (8, 10, 12, 24V)

3 – Freqüência Freqüência variável ( Hz ) sinal AC


(passivo)

Nova
* Hall Elem. Geração

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSORES DE FREQÜÊNCIA

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

63
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSOR DE SAÍDA DA TRANSMISSÃO

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

64
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSOR DE VELOCIDADE E TEMPO

HD10 Series
(Heavy Duty) Connector DT
Connector (Deutsch Transportation)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

65
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SENSOR DIGITAL DE TEMPERATURA

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

66
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SENSORES ANALÓGICOS

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSOR ANALÓGICO PARA DIGITAL

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

67
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SENSOR ULTRASÔNICO

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

• Relays, solenoids, …

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

68
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MAIN DISPLAY MODULE

CMS (CATERPILLAR Monitoring System)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

INDICADORES DE ALERTA

ECM do CATERPILLAR Monitoring System

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

NOTA: não confundir Display Data Link com o Cat Data Link

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

69
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ACTION LAMP

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

VIMS
ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

70
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SISTEMA DE MONITORAMENTO
ESCAVADEIRAS SERIE 300C

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

SISTEMA DE MONITORAMENTO
ESCAVADEIRAS SERIE 300D

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

MESSENGER
DISPLAY

MESSENGER
REFERENCE
GUIDE
ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

71
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ARTICULATED DUMP TRUCKS

MESSENGER MODULE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

RENR8170 – TTT
ELETRÔNICA 1 –Monitoring
SISTEMAS System
CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

72
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

DRC Series (Deutsch


Rectangular Connector)

PEEC & Nova


ADEM Geração

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

CE Series (Caterpillar
Environmental)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

73
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Evolução dos ECMs: led’s, janela com códigos de falha, MAC14, ABL, A4:M1

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

CÓDIGOS DE FALHA

Fontes de consulta para interpretação dos códigos de falha:

¾ Instrução Especial form REHS0126 : Diagnostic Code


Information for Caterpillar Electronic Control.
¾ Tabela no esquema elétrico da máquina em questão.
¾ Leitura direta no Advisor, Messenger, VIMS, Monitor das
escavadeiras Série D, ET.
¾ Módulo de manual de “troubleshooting” correspondente ao
sistema de máquina que está apresentando o código.
¾ Opção CBT (component based troubleshooting) SIS WEB ou
STW com SIS CD.

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

NÃO CONFUNDIR

¾ Falha - MID 36 ID 174-3 (RENR5033 C15/C18 Engines)

¾ Evento - E361(2) (RENR5033 C15/C18 Engines)

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

74
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

TENSÃO “PULL-UP”

¾ A tensão “pull-up” é uma tensão fornecida dentro de um ECM através de um


resistor interno (tipicamente ohms 2K). Esta tensão de referência é usada para
monitorar o estado (aberto ou curto circuito) de um circuito de sinal. Os circuitos
“pull-up” são usados na maioria de entradas de sensor e de interruptor dos
controles eletrônicos.

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

ARQUIVOS FLASH ENTREGUES COM A MÁQUINA

¾ Ao se entregar uma máquina nova é importante fazer um registro dos


arquivos flash instalados e código de máquina e código de acessório
(quando houver).

¾ O SIS WEB possui uma seção que fornece este tipo de informação.

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

PRECAUÇÕES

¾ Antes de se remover um ECM de qualquer sistema de máquina, copiar


a configuração daquela máquina para poder recarregá-la novamente
junto com o ECM que será instalado.

¾ A mesma precaução se deve ter antes de trocar o flash de um ECM.

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

75
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

REVISÃO DE CONCEITOS
O código de localização é usado para indicar para o ECM qual é sua função. O código de
¾ Location Code: localização é usado para desabilitar o arquivo flash se ele for instalado em desacordo com
a função do ECM.

¾ Harness Code: O código de chicote serve para indicar ao ECM em que máquina ele está instalado.

¾ Trim Code

¾ FLS

¾ FTS

ELETRÔNICA 1 – SISTEMAS CONTROLADOS ELETRÔNICAMENTE

76
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 7
ELETRÔNICA 1 - COMPONENTES ELECTRÔNICOS

Orientação: Utilizando o módulo de manual form KENR5342 C4.2 e C6.4 Engine Troubleshooting e o
esquema elétrico KENR6118 da escavadeira 320D, identificar os componentes eletrônicos no esquema elétrico e
na máquina e indicar sua função no sistema a que ele pertence.

Schematic Machine Input, Output Ativo ou


Componente
Location Location ou Controle Passivo?
Alarm – Attach travel
Breaker Main
Control - Product Link -7 7
Control - Engine-11 6
Control - Machine
Diode - AccK-6
Relay - Main A-8 4
Relay – Neutral StartK-10 4
Relay - Start A-9 4
Sender – Hydraulic Temperature B-14 8
Sensor Engine Speed PickupD-14 23
Sensor - Fuel Level K-7 13
Sensor – Viscus Clutch Temp-14 14
Sensor – Attach Water Separator Lvl 2F-7
8
Sensor – Pump Pressure 1E-14 14
Switch – Secondary ShutdownK-3 21
Sensor – Secondary Speed Timer
Sensor – Engine Speed Pickup16
Sensor - Fuel Rail PressureB-14 8
Resistor Backup G-6 17

77
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO #8
ELETRÔNICA 1 - SENSOR ANALÓGICO

Orientação : Aplicando o conhecimento adquirido no módulo Eletrônica 1, utilize o diagrama elétrico


correspondente à máquina disponível e o SIS WEB para obter as especificações. Escreva os valores indicados
nos espaços em branco.
Utilize o Multímetro e o cabo T 7X6370 para executar as medições necessaárias.

1.- Medição de um sensor analógico ativo (3 fios) de pressão de óleo do motor:

Modelo de Máquina ________________ Serie _______________________

Localização Localização Número de


no esquema na máquina peça

Sensor de pressão de óleo ___________ ____________ ___________

Comprove que o sensor de pressão de óleo do motor está em bom estado.

Valor esperado Valor encontrado Terminal & cor


Valor de voltagem de alimentação ................ ____________ V _____________ V ______________
Valor do sinal motor parado .......................... ____________ V _____________ V ______________
Valor do sinal motor funcionando(m. lenta): ____________ V _____________ V ______________
Pull-up voltaje ............................................... ____________ V _____________ V ______________

Explique o procedimento que você seguiu:

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

78
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 9
ELETRÔNICA 1 – SENSOR DIGITAL

Orientação : Aplicando o conhecimento adquirido no módulo Eletrônica 1, utilize o diagrama elétrico


correspondente à máquina disponível e o SIS WEB para obter as especificações. Escreva os valores indicados
nos espaços em branco.

1.- Medição de um sensor digital do pedal do acelerador:

Modelo de Máquina _____________ Serie ______________

Localização Localização Numero de


no esquema na máquina peça
Sensor de posição do pedal do acelerador __________ __________ __________

Comprove que o sensor de posição do pedal de acelerador está em boas condições e cumpre com as
especificações . Escreva nas linhas ponteadas os números dos fios de acordo com a informação que aparece no
esquema elétrico.

Especificações:
Voltagem de alimentação: __________ V
Porcentagem de ciclo: Min: _________ % Max: __________ %

Leituras Obtidas:
Voltagem de alimentação: __________ V
Porcentagem de ciclo: Min: __________ % Max: __________ %
Pull-up voltaje: __________ V Freqüência do sinal: __________ Hz

Comente as diferenças entre a prova do sensor de pressão de óleo e o sensor do acelerador.


__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________

79
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 10 – ELETRÔNICA 1


TESTE DE SENSOR PASSIVO / INVERSÃO DE CONEXÕES
Provas do sensor de Velocidade e Tempo: só é válida para motores com sensores passivos. Não é válida para
motor ACERT.

Orientação: Para esta prova utilize o esquema elétrico da máquina que será usada no laboratório e utilize o SIS
WEB para obter as especificações. Escreva os valores indicados nos espaços em branco.

Medição do sensor de velocidade e tempo:

Modelo de Máquina _____________ Serie ______________

10.1- Escreva nas linhas pontilhadas os números dos fios, de acordo com a informação que aparece no esquema
elétrico.

Numero de peça Valor especificado Valor lído


Sensor 1 - _____________________: _______________ohm _______________ohm

Sensor 2 - _____________________: _______________ohm _______________ohm

10.2- Explique a prova. Por que os sensores possuem valor de resistência diferentes?

80
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

10.3- Comente que falha ativa aparece no ET ao se desconectar este sensor e como você detectaria este
problema:

TESTE DE INVERSÃO DE CONEXÃO DOS FIOS NO CONECTOR

10.4- Localize o conector Deutsch (3 fios) do sensor de Pressão de Admissão ou de Temperatura do


Líquido Arrefecedor da máquina disponível.

10.4.1 - Escreva a cor dos fios para cada letra do lado do receptáculo:
A _____________ ; B _____________ ; C _____________

10.4.2 - Separe o plug do receptáculo.

10.4.3 - Deixe o plug do conector intacto, remova a trava (cunha) do Plug


receptáculo e guarde para rearmá-la posteriormente.
Receptáculo
10.4.4 - Remova os três cabos do receptáculo, e guarde-os para rearmar
posteriormente.

10.4.5 - Insira os fios (sem o receptáculo) nas posições apropriadas A, B, C, no plug (na mesma ordem
em que estavam instalados no item 11.4.1.

10.4.6 - Conecte o E.T. ao data link. Com a chave no contato e o motor APAGADO, acesse a tela de estado
que mostra a pressão de boost ou a temperatura do líquido arrefecedor (de acordo com o sensor que
estiver sendo analisado).

10.4.7 - Siga as condições descritas na primeira coluna da tabela da seguinte maneira:


- desconectando as conexões dos fios para criar circuitos abertos (open circuits)
- usando "jumpers" com clips "tipo jacaré " ("alligator clips") para criar curto circuitos
(short circuits).
- Alterando as posições das conexões dos fios para simular erros de montagem.

81
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

10.4.8 - Para cada condição anormal que for criada:


- Use o E.T. para verificar os códigos ativos, e registre o código na segunda coluna da tabela
seguinte. SE não houver código, escreva "sem código" na tabela.
- Use a tela de Estado do E.T., e registre a pressão boost ou a temperatura do líquido arrefecedor na
terceira coluna da seguinte tabela.
- Use um Multímetro para medir a voltagem de do fio no pino da posição "C" e "B" do plug, e
escreva o resultado na quarta coluna da tabela.

Pressão de Boost ou
Condição Código de Falha Tensão entre “C” e “B”
Temperatura Motor
“A” aberto

“B” aberto

“C” aberto

“A” e “B” curto circuito

“B” e “C” curto circuito

“A” e “C” curto circuito

“A” e “B” invertidos

"B" e "C" invertidos

"A" e "C" invertidos

10.4.9 - Rearme o conector novamente na sua condição original.

10.4.10 - Verifique se existem códigos ativos - corrija o problema se existir algum código presente.

10.4.11 - Apague os códigos registrados.

82
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2

Este módulo mostra como executar uma calibração usando o


sistema de monitoramento da máquina.
Depois de compreender os assuntos tratados o participante
estará apto a:

¾ Acessar os modos de calibração do sistema de


monitoramento.

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO Pag 83

CALIBRAÇÕES

¾ Nas máquinas que possuem o CMS instalado é necessário ter em


mãos os módulos de manual do sistema de monitoramento e o módulo
de manual de testes e ajustes do sistema em questão.
¾ Nas escavadeiras série 300C é necessário ter em mãos o módulo de
manual do controle de motor e bomba.
¾ Para as calibrações feitas com o Caterpillar Advisor, Messenger,
Escavadeiras série 300D e o ET, as instruções de calibração aparecem
na tela de cada monitor ou do ET.
¾ Dependendo do modelo de máquina, a calibração poderá ser
executada usando-se a ferramenta de serviço 4C-8185 junto com o
monitor da máquina correspondente ou usando os botões de “scroll e
service” que aparecem instalados em algumas máquinas.
¾ Usando-se o ET o procedimento de calibração se torna muito mais
simples e rápido.

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

FERRAMENTA DE SERVIÇO
4C-8195

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

83
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SISTEMA DE MONITORAMENTO
ESCAVADEIRAS SERIE 300C

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

84
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

85
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

SISTEMA DE MONITORAMENTO
ESCAVADEIRAS SERIE 300D

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

86
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

87
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

88
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

NOTA: se o contraste da tela, o ajuste da luz de fundo ou o idioma forem ajustados (por
engano) de maneira que o operador ou o técnico não consegue ler o monitor, se adicionou
ao software mais recente, uma forma simples de recuperar o ajuste do ADVISOR. O
seguinte procedimento deverá ser seguido:

1. Mova a chave de contato para posição APAGADO e novamente para a posição


LIGADO.
2. Espere aproximadamente 15 segundos.
3. Se a lâmpada de ação estiver acesa ou piscando, pressione o botão ACEITAR (OK)
várias vezes até que a lâmpada de ação se apague.
Se a lâmpada de ação não estiver acesa, siga o passo 4.
4. Pressione e mantenha o botão ACEITAR (OK) por cinco segundos.
A execução deste procedimento fará com que o brilho e o ajuste da luz de fundo se
coloquem em 50% e a tela exibirá o menu de seleção do idioma. O operador ou o
técnico poderá selecionar o idioma desejado.
Esta informação substitui qualquer publicação anterior de treinamento de serviço e
se aplica a todos os tratores de esteiras da série T.

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

MESSENGER

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

www.catelectronics.com

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

89
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

www.catelectronics.com

¾ A Caterpillar desenvolveu ferramentas poderosas para você


acompanhar o desempenho, localização e os intervalos de
manutenção da sua frota em qualquer ambiente.
¾ As ferramentas de serviço eletrônicas permitem aos técnicos do
serviço avaliar o rendimento da máquina e a “saúde”de
qualquer sistema rapidamente e com precisão.
¾ Esta avaliação feita no campo pode ajudar reduzir o tempo de
máquina parada e melhorar a segurança de seus operadores.

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

¾ Nosso sistema da segurança da máquina protege quase todos os tipos


do equipamento, independente do tempo ou de sua localização. Este
sistema permite que você controle o acesso às máquinas para impedir
o roubo e limitar uso das máquinas por pessoas não autorizadas em
frotas alugadas ou em máquinas próprias.

¾ A ajuda destas ferramentas de gerenciamento ajuda sua frota a


continuar “produtiva”como de costume.

ELETRÔNICA 2 – MODO DE CALIBRAÇÃO

90
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ELETRÔNICA 2 - MODO DE CALIBRAÇÃO


SISTEMA DE MONITORAMENTO CATERPILLAR

Neste módulo o estudante irá “navegar” pelo sistema de monitoramento Caterpillar (Caterpillar
Monitoring System - CMS), para ler os códigos de falha, interpretar as informações e executar
calibrações.

Conhecimento adquirido:

Ao final deste modulo, o estudante estará capacitado a :

Conectar e usar corretamente a ferramenta de serviço 4C8195.

Ler as informações do CMS, como horômetro, códigos de falhas ativos e armazenados, eventos.

Executar as calibrações.

91
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MATERIAL DE CONSULTA

Resumo dos modos do operador e serviço para motoniveladora 140H

1-Botão do modo do operador

92
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 11 – ELETRÔNICA 2
Sistema de Monitoramento Caterpillar – 140H Motorgrader

Orientação: Esta folha de trabalho ajuda os participantes a se familiarizar com os modos de operação do
sistema de monitoramento Caterpillar. A tarefa consiste em navegar por cada um dos modos e
sub modos e preencher ao mesmo tempo a tabelas em anexo. Para esta prova utilize o manual de
serviço e o esquema elétrico.

1. Identifique e escreva o valor lido em cada modo do sistema de monitoramento Caterpillar?

Número do Modo
Função Valor Lido
de Operação

2. Identifique a seguinte informação


Localización en Localización en
Número de parte
la Máquina el esquema

Código do Chicote (Harness Code)

Conector de Serviço (Service Connector)

93
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 11 - Continuação


Sistema de Monitoramento Caterpillar – 140H Motoniveladora

Ao acionar a chave de partida, o painel automaticamente seleciona o modo do operador


Para entrar nos sub-modos comprima a tecla √ no painel de instrumentos
MODO 0
TELAS
MODO DO OPERADOR
Horômetro

Odômetro

Tacômetro

Códigos de diagnostico Ativos MID CID FMI

(SERV CODE)

(SERV CODE)

(SERV CODE)
Códigos de diagnostico
Armazenados

1-Botão do modo do operador

94
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 11 - Continuação


Sistema de Monitoramento Caterpillar – 140H Motoniveladora

MODO DE SERVIÇO

Instale a ferramenta 4C8195 no conector de serviço debaixo do console.


Para mudar de modo, acionar o botão “modo”: quando aparecer o # do modo que se busca, libere o
botão
MODO 1
xxxxxxxxx
CODIGO DE CABLEADO
Especificado Actual
Harness code _______________ _______________

Para mudar de modo, acionar o botão “modo”: quando aparecer o # do modo que se busca, libere o
botão
MODO 2
TELAS
LEITURA DE INDICADORES

Indicador # 1

Indicador # 2

Indicador # 3

Indicador # 4

95
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 11 - Continuação


Sistema de Monitoramento Caterpillar – 140H Motoniveladora

MODO DE SERVIÇO

Para mudar de modo, acionar o botão “modo”: quando aparecer o # do modo que se busca, libere o
botão: para passar de um em um se comprime o botão de scrool: para apagar códigos armazenados se
comprime o botão “clear”.

MODO 3
MODO DE SERVIÇO
MID CID FMI

Ativos (SERV CODE)

Armazenados

Remova os códigos armazenados

Quando os códigos forem


apagados, aparecerão três linhas
---------- ---------- ----------

96
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 11 - Continuação
Sistema de Monitoramento Caterpillar – 140H Motoniveladora

MODO DE SERVIÇO

Para mudar de modo, acionar o botão “modo”: quando aparecer o # do modo que se busca, libere o
botão: para apagar as leituras máximas, se comprime o botão “clear”.
TELAS MODO 4
TATTLETALE (Dedo Duro)

Indicador # 1

Indicador # 2

Indicador # 3

Indicador # 4

Tacômetro

Velocidade Máxima

Para mudar de modo, acionar o botão “modo”: quando aparecer o # do modo que se busca, libere o
botão: para mudar de unidade se comprime o botão “clear”
xxxxxxxxx MODO 5
MODO DE UNIDADES

US / SI

MODO 6
CALIBRAÇÃO DO INDICADOR DA
ARTICULAÇÃO
MODO 7
CALIBRAÇÃO DO CONTROLE DA 7.29 / 8.29 – Calibração do inching pedal position sensor
TRANSMISSÃO
MODO 8
CALIBRAÇÃO DO CONTROLE DA 7.40 /8.40 – Transmission clutch fill calibration
TRANSMISSÃO

MODO 9
Configurar instalação do módulo velocímetro/tacômetro
SETUP MODE

97
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

98
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 12 – ELETRÔNICA 2
Sistema de Monitoramento Caterpillar – Carregadeira 950G II

Orientação: Esta folha de trabalho ajuda o participante a se familiarizar com os modos de operação do sistema
de monitoramento Caterpillar. A tarefa consiste em navegar por cada um dos modos e sub
modos e preencher ao mesmo tempo a tabelas em anexo. Para esta prova utilize o manual de
serviço do sistema de monitoramento e o esquema elétrico da máquina em questão.

1. Identifique e escreva o valor lido em cada modo do sistema de monitoramento Caterpillar: use os módulos
de manual SENR1494 Cat Monitoring System e RENR4310 Power Train T&A como fonte de consulta.

MODO # FUNÇÃO VALOR LIDO

0 Modo operador:

1 Código Chicote:

Leitura Numérica:

3 Serviço:

4 Tattletale:

5 Unidade:

6 Calibração 1:

99
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MODO # FUNÇÃO VALOR LIDO

7 Calibração 2:

8 Calibração 3: sub-modos da transmissão

9 Modo de Teste

MODO 8: sub-modos de calibração

100
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

2. Use o módulo de manual como fonte de referencia e execute a calibração do ponto inicial de aplicação do
freio ajuste o ponto de neutralização da transmissão:

2.1- Relacione as ferramentas necessárias:

2.2- Calibração do ponto inicial de aplicação do freio: procedimento resumido:


- Condição do local de estacionamento da máquina: ______________________________________
- Freio de estacionamento ____________
- Caçamba: _______________________
- Rodas : _________________________
- Articulação: _____________________
- RPM do motor: __________________
- Temperatura mínima do sistema hidráulico: ___________° C
- # do modo de calibração: ___________
- # do sub-modo de calibração: ________
- Usar o interruptor _____________ para acessar sub-modo.
- Usar o interruptor _____________ para iniciar a leitura.
- Pressão residual máxima: ____________________
- Comprimir suavemente o pedal de freio até _________________________________________
- Comprimir o interruptor _______________ para calibrar.
- Resultado: ___________________________
- Qual a função deste ajuste:

101
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

2.3- Ajuste do ponto de neutralização:


- Ângulo de acionamento do pedal para neutralizar a transmissão: ___________________________
- # do sub-modo de calibração: _____________________
- Usar o interruptor __________ para entrar e sair do modo.
- O que significa a leitura “30 XXX” no display? _________________________________________
- Qual é o valor da faixa de ajuste deste ponto: __________ a __________.
- Interruptor que se usa para mudar o valor da leitura: _______________________________.
- Qual é a função deste ajuste?

- Que interruptor se usa para sair do sub-modo? ________________________________________

102
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SISTEMA ELETRÔNICO HEX 300C

Neste módulo o participante conhecerá o funcionamento do sistema eletrônico das escavadeiras serie 300C. Os
participantes irão acessar todos os modos do monitor da escavadeira.

Conhecimento adquirido:

Depois de aprender os assuntos ensinados neste módulo os participantes estarão aptos a:

1 – Identificar os componentes conectados ao ECM da máquina, (contato e pino que estão conectados) e a
tensão normal para cada pino.

2 – Utilizando uma escavadeira da série C, o manual de serviço e o resumo sobre o funcionamento do


monitor, acertar o relógio, idioma, brilho e contraste do monitor, e verificar as condições de manutenção
dos sistemas controlados pelo monitor.

3 – Utilizando una escavadeira da serie C, o manual de serviço e o resumo sobre o funcionamento do


monitor, entrar em todos os modos do monitor e executar as calibrações e alterar as configurações
conforme os procedimentos dados.

103
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

HOJA DE TRABAJO # 13 – ELETRÔNICA 2


Controlador – Entradas e Saídas
Complete a tabela abaixo com a função, tensão normal e ponto de medição de cada um dos pinos do controlador.
Sugestão: Use a tabela “Controller Input and Output Values” do módulo de manual RENR3814.
Conector 1
Pino
Função Voltagem normal Ponto de medição
Número:
1 + Bateria 18 a 32 VDC Terra

2 Terra
Cabo 1 do dial de velocidade de
9
motor.
Atuado: ____________
11 Terra
Não atuado: ____________
Atuado: ____________
12 Interruptor do modo do AEC
No atuado: ____________
21
Terra
29

39

Conector 2

Pino
Função Voltagem normal Ponto de medição
Número:
Solenóide de deslocamento
1 Terra
direito
Joystick em neutro:
7
Joystick em operação:
14 Luz do AEC
Alta livre: 0,7 a 5 VAC
25
Medir em escala AC
36 Terra

37

47

104
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
HEXC 300C - MONITOR

Indicador
de alerta Posición del
Indicador
dial de
del nivel de
velocidad del
combustible

Indicador de la Indicador de la
temperatura del Temperatura
refrigerante del aceite
del motor hidráulico

Mostrador
de cristal Painel de
líquido botones

Para Para
arriba derecha Elegir
Elegir

Para
izquierda

Menú

Para
abajo

Cancelar Aceptar,
confirmar

105
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

Monitor - Opciones del Menú:

Menu de preferencias:
Selecione el idioma Ajuste mostrador:
Ajuste del reloj Contraste
Menu principal: Ajuste del mostrador Luminosidade
Preferencias
Selecione herramienta
Info. Filtro / Fluido Verificar:
Aceite motor
Opciónes de servicio
Horas de servicio
278 / 500

Opciónes de servicio:
Contraseña Info. Máquina
Zere Hr Filtro/aceite Info. Máquina:
0000 cambiar seña RPM del motor
Press. Bomba (E)
Press. Bomba (D)
Opciónes de servicio: Presión PRV
Info. Máquina
0001 Zere Hr Filtro/aceite
Cambiar seña Propriedades:
Info horas trabajo Opción seguridad Activa contraseña usuário
Opción alerta Alerta cambio filtro/aceite
Ind. Opción herram. Activa herramienta aux.

Service:
ECM Summary Pág.:
Switch Status Pág.:
Service Status Pág.:
Configuration Pág.:
Service
Active error Pág.:
Logged error Pág.:
Logged event Pág.:
Device test Pág.:
Calibration Pág.:
Tool program Pág.:

FFF2

Exit

106
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

HOJA DE TRABAJO # 14 – ELETRÔNICA 2


Testes e Calibrações usando o Monitor da 320C

Acertar o relógio do monitor

Artifícios de teste:

Fixar a rotação do motor;

Varredura das rotações do motor;

Fixar a pressão Power Shift

Varredura da pressão Power Shift

Calibrações:

Calibração do atuador do governador

Calibração da válvula PRV (Proportional Reducing Valve)

107
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

108
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MANUTENÇÃO DE FIOS E CONECTORES

Este módulo explica cuidados na manutenção dos fios e


conectores usados nas máquinas Caterpillar. Ensina
também como e onde se deve buscar informação sobre
peças de reposição para os conectores Sure-Seal,
Deutsch, Delphi.
Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo
o participante estará apto a:
¾ Confeccionar um cabo de testes para conectores Deutsch
DT de 3 pinos
¾ Explicar as diferenças de montagem entre os conectores
Sure-Seal e Deutsch e buscar as informações na literatura
correta

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE Pag 109

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

Tabela
AWG

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

109
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

SEHS8038

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

110
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

6V3001

6V3008

9G3695

NOTA: o terminal do conector sure-seal é o único tipo que deve receber


uma camada de “solda branca” depois de ser prensado SMHS7531

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

1U5805 wire removal tool


HD10 only

SEHS9615 SEPD0473

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

111
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SEHS9065

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE-


ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

1U5805 wire removal tool


(cor verde) #14
8T5318 (cor azuL) #16
4 mm (5/32”) HEX WRENCH

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE- MANUTENÇÃO CONDUTORES

LITERATURAS DE CONSULTA ADICIONAIS

¾ REHS0970 – Cross reference Electrical Connectors

¾ SEHS8618 – Installing 8T8666 Connector Kit

PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE

112
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

MANTENUTENÇÃO DE FIOS E CONECTORES

No decorrer deste módulo o participante irá conhecer os tipos de conectores usados nas máquinas
Caterpillar, as fontes de consulta onde encontrará os números de peça dos componentes de reposição e as
instruções sobre o procedimento de frisagem dos pinos e soquetes usados nos diversos conectoras.

Durante o laboratório o participante irá praticar o procedimento de frisagem e montagem de um conector


Deutsch DT.

Objetivo do módulo:

Após aprender os tópicos discutidos em sala de aula o participante estará capacitado a:

• Fazer uma solicitação de componentes de reposição para conectores usados em máquinas

Caterpillar

• Construir um cabo de testes para conector triangular Deutsch (Break out Tee)

113
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 15
Construção de Conectores Elétricos

Orientação : Utilize os cabos, conectores e ferramentas apropriadas para construir um cabo de testes indicado
abaixo.

114
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 16
Conectores Elétricos

Orientação : Leia cada uma das explicações indicadas na parte inferior e:


complete o espaço vazio ou;
marque com um X a palavra verdadeiro ou falso para a afirmação escrita na frase correspondente.

1. Qual é a função de um conector?

2. Que é aspereza?

3. Os contatos Deutsch devem ser soldados logo depois de serem frisados. Verdadeiro _____ Falso _____

4. Para remover um contato do conector Sure-Seal se requer ferramenta especial


Verdadeiro _____ Falso _____

5. Os conectores Sure-Seal estão limitados a uma capacidade máxima de _____________ pinos e soquetes.

6. Todos os orifícios dos conectores que não são utilizados necessitam de um pino cego (tampão) para selar a
entrada de umidade. Verdadeiro _____ Falso _____

7. Depois de serem frisados, todos os contatos devem de ser soldados em todos os tipos de conectores.
Verdadeiro _____ Falso _____

8. Que tipo de lubrificação é recomendado quando se instalam os contactos em um conector Sure Seal?

9. É necessário usar uma ferramenta especial para a instalar os contatos dentro de um conector Sure Seal.
Verdadeiro _____ Falso _____

10. A série de conectores HD10 tem um desenho retangular ou triangular. Verdadeiro _____ Falso
_____

115
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

11. Para remover um contato de um conector DT é necessário utilizar uma ferramenta especial.
Verdadeiro _____ Falso_____

12. Qual é a lubrificação sugerida para a instalação de contactos DRC? Por que?

13. Nos contatos contactos Deutsch, a parte desencapada do fio é introduzida até que cubra o orifício de
inspeção? Verdadeiro _____ Falso _____

14. O solvente recomendado para limpar todos os contactos Deutsch é


__________________________________

15. Quando se utiliza a ferramenta de frisar 1U5804 de instalação dos pinos e soquetes nos conectores Deutsch,
é necessário calibrar a ferramenta corretamente de acordo com a bitola do fio que vamos utilizar.
Verdadeiro ____ Falso ____

116
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

ESQUEMA ELÉTRICO
Este módulo explica como interpretar as informações contidas
num esquema elétrico. Estas informações ajudam o técnico a
analisar falhas nos sistemas elétrico e nos sistemas controlados
eletronicamente usados em máquinas Caterpillar.
Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o
participante estará apto a:

¾ Identificar componentes na máquina e no esquema elétrico


¾ Seguir circuitos elétricos
¾ Identificar números de peça, especificações de componentes e
literaturas que explicam o funcionamento do sistema
¾ Identificar códigos de controle, de componente e de falha

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE Pag 117

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

117
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

No método anterior aparece o nome do componente e seu


número de peça

O esquema desenhado no formato PRO/E possui a letra “H” que identifica o


chicote, “P”significa peça e 12 significa a 12a peça do chicote “H”, seguido pelo
número de peça

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

118
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

O formato PRO/E usa dois pontos de conexão para indicar a saída.


O novo formato mostra que no chicote “G”, o fio 405-G9 GY-16 está unido a dois
fios, “405-G7 GY-16” e “405-G14 GY-16”.

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

PRICÍPIOS BÁSICOS DA ELETRICIDADE - ESQUEMA ELÉCTRICO

119
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

120
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
ESQUEMA ELÉTRICO

Neste módulo o participante aprenderá a buscar todo tipo de informação contida em um esquema elétrico
incluindo: identificar componentes, fios e conectores na máquina e no esquema elétrico, seguir a fiação
no esquema e na máquina identificando como esta conectado cada componente.
Este conhecimento ajudará ao participante a identificar detectar falhas de forma mais rápida e com maior
precisão.

Habilidades adquiridas:

Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o participante estará apto a:

Utilizando o esquema elétrico e a folha de trabalho: “Localização de componentes, interpretação de


circuito”, identificar corretamente os componentes no esquema elétrico e na máquina

Seguir os circuitos através do esquema elétrico.

121
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 17
Localização de componentes utilizando, um esquema Elétrico.

Orientação: Utilizando o esquema elétrico (RENR9556 – Motoniveladora 140H) complete os espaços em


branco, ou marque um círculo na resposta correta.

1. Qual é o número de form do manual de serviço para o sistema de monitoramento Caterpillar


(Caterpillar Monitor System)?
Número de Form: __________________________________________________________________

2. ¿Localizar o Relé de arranque no esquema elétrico. Diga a localização no esquema e na silhueta da máquina e
o número de peça
Localização no esquema ______________________________________________________________
Localização na máquina (Silhueta) ______________________________________________________
Número de peça _____________________________________________________________________

3. Qual é a localização no esquema do conector 22?


Localização: _______________________________________________________________________

4. Quais são os número de peça dos 2 chicotes que se conectam na localização do conector 22?
_________________________
_________________________

5. Quais são as coordenadas do conector de serviço (Cat Data Link) no esquema elétrico?

_________________________

6. Quantos pinos este conector possui? __________________________________________

7. O cabo 426 BR corresponde ao que circuito de monitoramento? ____________________

8. Que nos indica o código MID 036? ___________________________________________

9. Que significa o código FMI 8? _______________________________________________

10. Que significa o código CID 0091? _______________________________________

122
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

11. Localize o alarme de ação (CMS) (back up alarm) no esquema elétrico. Diga sua localização no esquema
elétrico, na silhueta da máquina e seu número de peça

Localização no esquema _______________________________________________

Localização na máquina (Silhueta) ___________________________________________

Número de peça ___________________________________________________________

12. Qual é a resistência do solenóide da unidade de injeção de combustível?

13. Qual é o número de peça do sensor de pressão de óleo do motor?


__________________________________________________________________________________

14. O interruptor de pressão do freio é do tipo normalmente fechado.

. Verdadeiro _____ Falso _____

15. Qual é a pressão para que o interruptor de pressão do sistema de freio atue? _________psi

16. Escreva os números dos cabos e suas cores para o circuito das luzes.
_____________ _____________ _____________ _____________ ___________

17. Qual é a localização dos fusíveis no esquema elétrico? __________________________________________

18. Qual é ol número de peça do fusível de 15 ampéres?

19. Que significado tem a NOTA A?

20. Quantos contatos tem o conector 11 no lado da cabine?


Contactos __________

21. Qual é o significado dos fios desenhados na cor vermelha, no esquema elétrico?
___________________________________________________________________

123
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

22. Faça o desenho de um interruptor normalmente aberto, que fechará al chegar a uma condição específica de
temperatura, pressão, etc.

23. Qual é a resistência do sender de temperatura de combustível? __________________ ohms.

24. Faça o desenho com o símbolo de fluxo

25. Escreva o significado dos seguintes símbolos

124
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

26. Orientação : Utilizando o diagrama elétrico complete o quadro abaixo preenchendo os espaços em branco
com a resposta correta.. Utilize o diagrama SENR1728 correspondente a um D6R ou
RENR4324 correspondente a uma 950G.

Símbolos do Esquema Elétrico

Que tipo de conector é este?

Que tipo de conector é este?

Que tipo de conector é este?

125
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

27. Orientação : Utilizando o esquema elétrico apropriado e uma máquina, localize os seguintes componentes
elétricos. Se algum componente não existir na máquina, escreva N.A.(Não se Aplica) na linha
correspondente.

Componentes Elétricos

Descrição Localização Localização No.Peça


Esquema Máquina

Motor de Arranque __________ _________ ________

Alternador __________ _________ _________

Baterias __________ _________ _________

Painel de fusíveis / fusível __________ _________ _________

Sensor de Pressão de óleo do motor __________ _________ _________

Sensor de temperatura de refrigerante __________ _________ _________

Interruptor de desconexão da bateria __________ _________ _________

Sensor de Temperatura da transmissão __________ _________ _________

Sensor de nível de combustível __________ _________ _________

Interruptor de partida __________ _________ _________

Relé de arranque __________ _________ _________

Interruptor de ajuda ao arranque com Éter __________ _________ _________

Solenóide de ajuda ao arranque __________ _________ _________

Conector de prova sistema de carga e arranque __________ _________ _________

126
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

SISTEMA DE ARRANQUE E CARGA

Neste módulo o participante realizará provas no sistema de partida e circuito de carga da bateria
da máquina e irá comprovar as possíveis causas de uma máquina não girar o motor de arranque.
Este módulo será realizado no laboratório.

Habilidades adquiridas:

Depois de compreender os assuntos tratados neste módulo o participante estará apto a:

Utilizando as ferramentas adequadas, realizar a comprovação do sistema de arranque e carga de


uma máquina Caterpillar, e determinar o componente defeituoso (se houver).

127
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 18
Teste de Arranque e Carga

128
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 18
Teste de Arranque e Carga
Continuação

129
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

FOLHA DE TRABALHO # 18
Teste de Arranque e Carga
Continuação

130
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante
FOLHA DE TRABALHO # 19
Teste de Arranque e Carga

Orientação: Responda as seguintes perguntas. Marque com um círculo a resposta correta. Se permite usar o
material de consulta como referencia.

1. Quando se verifica a voltagem de bateria entre TP10 y TP7, uma leitura aceitável para uma boa bateria é:
a) 12.0 volts ou mais
b) 12.4 volts ou mais
c) 24 volts ou mais
d) 24.8 volts ou mais

2. Quando se tenta dar a partida no motor, qual é a máxima caída de voltagem permitida entre TP10 e TP6?
a) 0.3 volts
b) 0.5 volts
c) 12.4 volts ou mais
d) Nenhuma das anteriores

3. Quando o interruptor de arranque está na posição ligado, qual é a máxima caída de voltagem entre os pontos
TP6 y TP4?
a) 0.4 volts
b) 0.8 volts
c) 24.8 volts ou mais
d) Nenhuma das anteriores

131
Eletrônica de Máquinas Material do
Janeiro 2008 Estudante

132

Você também pode gostar