Você está na página 1de 2

Nome do Curso: História

Nome da Disciplina: Sociologia Ano / Período: 4°

Nome do Aluno(a): José Eduardo Alcântara Lima

1. Que relação Marx estabelece entre a forma de atividade dos indivíduos e o 'ser do
homem'?

Podemos entender a ideia de atividade dos indivíduos como sendo o trabalho propriamente
dito, deste modo:
“Para Marx, o trabalho é uma dimensão ineliminável da vida humana, isto é, uma dimensão
ontológica fundamental, pois, por meio dele, o homem cria, livre e conscientemente, a
realidade, bem como o permite dar um salto da mera existência orgânica à sociabilidade”.
(LUCKÁCS, 1981, p.12).

A partir deste pensamento, Marx dissocia os seres humanos dos animais através de vários
pontos, dentre eles o fato de que os primeiros realizam suas atividades produtivas de maneira
universal, ou seja, pensando no futuro, em contraposição aos segundos, que o fazem com o único
objetivo de sanar suas necessidades físicas do presente. Também complementa seu pensamento
afirmando que através do trabalho, nós, seres humanos, damos gênese à nossa vida social, dando
forma ao ser do humano.
Assim, ocorre a objetificação da mercadoria produzida. Somos o que produzimos em
determinado espaço e tempo, os homens do século XV produziam objetos e mercadorias diferentes
dos do século XIX e XX, pois seu modo de vida era diferente e consequentemente seu modo de
produção também o era, logo, o homem contemporâneo é distinto do medieval ou até mesmo do
moderno.

2. Que semelhança existe entre o texto de Marx e o de Gramsci?

Em ambos os textos, os autores se deparam com a dúvida ontológica da formação do ser do


homem, o que é o homem? Persiste nos pensamentos dos dois sociólogos a ideia de homem como
“artífice de si mesmo”, e até que ponto isso nos faz donos de nosso próprio destino. Gramsci busca
respostas para essa pergunta através da observação de si e dos outros, enquanto Marx nos diz que a
produção da individualidade dos homens vem daquilo que produzem, e essa é sua maneira de
expressão.
3. O que Ortega y Gasset quer dizer com "a gente" ou "se"?
A expressão “a gente” aqui tem o significado de sociedade, todo o conjunto de indivíduos.
Enquanto que o “se” significa o que está em voga, o usual, consuetudinário, costumes e praticas
legados a nós de geração em geração, que na maioria das vezes não passam pelo processo de
racionalização, entram em nosso ser desde a infância, e são taxados de “normalidade”.

4. A partir da expressão "todos, ninguém determinado", o que perde o homem dominado


pelo "se"?

A partir do momento que nascemos e somos educados para aceitar determinados princípios,
ideias e valores como sendo normais e usuais, e não filtramos todas essas ideias através da razão, as
praticando simplesmente porque estão em voga, e porque “todo mundo faz”, perdemos o privilegio
de sermos seres individuais, e passamos a integrar a massa, debaixo das asas da consciência coletiva
de Durkheim.

LUKÁCS, Georg. As Bases Ontológicas do Pensamento e da Atividade do Homem. In: Temas de


Ciências Humanas. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências
Humanas, 1978.

Você também pode gostar