Você está na página 1de 8

FRANCINE MARQUES R.

BITENCOURT
HENRIQUE AZEVEDO DOS SANTOS
JÉSSICA JÚNIA A. DE OLIVEIRA
KARINE GOMES DE AMARAL
LIBNE MARTINS ALVES
TALES JARDIM BITTENCOURT
RAYNER PIRES DE BRITO

RELATÓRIO DE CINÉTICA QUÍMICA I


CINÉTICA DA HIDRÓLISE DO ACETATO
DE ETILA EM REATOR TANQUE DESCONTÍO

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - UNIPAC

IPATINGA
2010
UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS – UNIPAC
CAMPUS VALE DO AÇO – IPATINGA / MG
CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA – 5° PERÍODO
CINÉTICA DA HIDRÓLISE DO ACETATO DE ETILA

Relatório de conclusão de aula prática de


cinética de reações, realizada no Laboratório
de química, apresentado como exigência do
curso de engenharia química, pelos discentes:
Henrique, Karine, Libne, Tales, Francine,
Jéssica, Rayner.

Ipatinga / MG – 2010
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO.............................................................................................. 3
2. OBJETIVO..................................................................................................... 4
3. MATERIAIS E MÉTODOS......................................................................... 5
4. RESULTADOS E DISCUSSÕES................................................................ 6
5. CONCLUSÃO............................................................................................... 7
3

1. INTRODUÇÃO

A cinética química tem como principal característica analisar a velocidade das reações
químicas, ou seja, analisar o tempo para se obter determinado produto. Isso é fundamental
para processos e atividades industriais, pois é interesse das indústrias obterem grande
quantidade de produtos com grande rendimento. Então a partir desse quesito é possível,
deslocando o equilíbrio de uma reação química ou adicionando catalisadores, obter grandes
quantidades de determinado produto com grandes rendimentos.
4

2. OBJETIVOS

Determinar a constante da taxa da reação de hidrólise do acetato de etila em meio alcalino a


diferentes temperaturas, o fator de freqüência e a energia de ativação da reação, e verificar a
validade do modelo proposto.
5

MATERIAIS E MÉTODOS

3.1 MATERIAIS

- Béquer
- Termômetro
- Erlemeyers
- Pipeta
- Bureta
- Bastão de vidro
- Banho termostático
- Acetato de etila
- HCl
- NaOH
- Fenolfaleína
- Cronômetro

3.2 MÉTODOS

- Refriou-se, em banho de gelo, 400ml da solução de acetato de etila e 400ml da solução de


NaOH até uma temperatura de 11ºC;
- Após atingir o equilíbrio térmico, misturou-se as soluções de acetato de etila e NaOH. Como
deu inicio a reação, o cronômetro foi ativado;
- No erlemeyer, adicionou-se 15ml de HCl 0,01N e uma alíquota de mais 10ml da solução em
acordo com o tempo apresentado na tabela ( T.1. Resultados e Discussões );
- Titulou-se, em presença de fenolftaleína, a alíquota/HCl até a coloração rosa leve;
- Repetiu-se a titulação dos demais pontos da tabela.
6

DISCURÇÃO E RESULTADOS

A hidrólise de um éster em meio aquoso alcalino pode ser representado pela seguinte equação
global:

Éster + OH álcool + anion ácido

A+B produtos

6. CONCLUSÃO

Com os resultados encontrados na medição foi possível fazer a curva de solubilidade do fenol
em água. Verificou-se uma aproximação da curva citada do composto com a da literatura
juntamente com sua temperatura crítica.
7