Você está na página 1de 6

PRODUÇÃO BIOTECNOLÓGICA DE

XILITOL A PARTIR DA PALHA DE ARROZ


PESQUISA
Ilustrações cedidas pelas autoras

Aproveitamento de resíduo agrícola para geração de um edulcorante de elevado valor agregado

arroz é um dos alimen- período de vários anos (Jacobs et al.,


tosmaisconsumidosnão 1997). Uma forma de contornar es-
Solange Inês Mussatto só no Brasil como em ses problemas é a retirada desse
Engenheira Industrial Química, Mestre quase todos os países resíduo dos campos e sua utilização
em Biotecnologia Industrial
Professora do Departamento Básico
do mundo. Entretanto, na geração de produtos que sejam
da Faculdade de Engenharia Química sua plantação só pode ser feita em benéficos para o homem. Isso é pos-
de Lorena – FAENQUIL – Lorena – SP locais com condições adequadas de sível devido à palha de arroz ser um
solangemussatto@hotmail.com
clima e de solo, condições estas que material lignocelulósico fibroso, de
Inês Conceição Roberto podem ser encontradas em quase to- elevado valor nutritivo. Em sua com-
Doutora em Tecnologia Bioquímico-
Farmacêutica pela USP
das as regiões do Brasil. posição, a palha de arroz apresenta
Professora e Pesquisadora do Departa- No mundo todo, mais de 50 países um teor de cinzas de 11,4 % (Mussat-
mento de Biotecnologia da Faculdade contribuem com uma produção de to, 2002), e essas cinzas geralmente
de Engenharia Química de Lorena –
FAENQUIL –Lorena – SP cerca de 100 milhões de toneladas de contêm (%): SiO2 (75), K2O (10),
ines@debiq.faenquil.br arroz anualmente (Kadam et al., 2000). P2O5 (3), Fe2O3 (3), CaO (1,3) e
No Brasil, segundo dados do IBGE, a pequenas quantidades de Mg, S e Na
produção de arroz com casca na safra (Kadam, 2000). Contudo, seus prin-
2000/2001 foi de, aproximadamente, cipais componentes orgânicos são a
11,1 milhões de toneladas, quantida- celulose, a hemicelulose e a lignina,
de suficiente para gerar um resíduo de nas proporções (%) apresentadas na
cerca de 15 milhões de toneladas de Figura 1.
palha de arroz (Mussatto, 2002). A fração hemicelulósica desse re-
O acúmulo de grandes quantidades síduo é composta basicamente por
desse resíduo no solo pode causar polímeros heterogêneos com cadei-
mudanças no ecossistema (Sun et al., as lineares que apresentam ramifica-
ções laterais, sendo constituídas, prin-
cipalmente, por pentoses (D-xilose
e L-arabinose) e, em uma menor
proporção, hexoses (D-glicose, D-
manose e D-galactose), ácidos D-
glucurônicos e grupos acetilas (Kuhad
e Singh, 1993). Uma estrutura típica
da hemicelulose encontrada na palha
de arroz está apresentada na Figura
2.
Por ser um material lignocelulósi-
co fibroso, a palha de arroz pode ser
utilizada na geração de energia, ali-
mentação animal, produção de com-
bustíveis domésticos (gás metano) e
produção de fibras de papel e celu-
lose. Além de todas essas aplicações,
Figura 1. Composição da palha 2000), e, segundo alguns médicos, a esse resíduo pode ser também utili-
de arroz (%)(Mussatto, 2002) prática de queimadas como forma de zado como matéria-prima para a pro-
sua eliminação pode provocar ataques dução biotecnológica de xilitol, devi-
de asma, não somente em crianças, do ao seu elevado conteúdo de pen-
mas também em adultos, durante um tosanas (fração hemicelulósica) for-

34 Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002


Tabela 1. Valores de pH, concentração (g/L) de glicose, xilose, arabinose, furfural, hidroximetilfurfural (HMF) e ácido
acético, e estimativa dos produtos derivados da lignina (PDL), do hidrolisado de palha de arroz em sua forma original,
concentrado e tratado

Caracterização Hidrolisado
Original Concentrado Tratado
Glicose 3,29 19,80 18,75
Xilose 18,33 119,90 117,39
Arabinose 3,40 22,90 21,78
Furfural 0,10 0,07 0,00
HMF 0,17 0,32 0,11
Ácido Acético 1,05 2,28 1,97
PDL* 0,16 0,52 0,38
pH 1,22 0,40 0,40
* absortividade a 280 nm

necer um hidrolisado susceptível à indicam no tratamento de pessoas com O processo químico é o único atu-
ação de microrganismos (Roberto et diabetes, desordem no metabolismo almente utilizado para produção de
al., 1996; Silva e Roberto, 1999). de lipídeos, lesões renais e parenterais, xilitol em larga escala. Esse processo é
O xilitol é um poliálcool de estrutu- na prevenção de otite, infecções pul- realizado em várias etapas, e entre
ra aberta e fórmula molecular C5H12O5 monares e osteoporose (Mäkinen, essas, a purificação da xilose presente
(sua estrutura molecular pode ser ob- 2000). no hidrolisado é considerada a mais
servada na Figura 3). O xilitol pode ser encontrado na crítica, pois, além de requerer uma
Esse poliálcool de valor calórico natureza em muitas frutas, vegetais e elevada eficiência (para que não ocor-
igual a 2,4 Kcal/g apresenta caracterís- cogumelos, porém, em quantidades ram problemas posteriores na produ-
ticas relevantes que permitem seu uso inferiores a 900 mg/100 g, o que torna ção), é a etapa mais dispendiosa de
na manufatura de alimentos, em pro- sua extração um processo antieconô- todo o processo. De uma forma geral,
dutos farmacêuticos e em cosméticos. mico e impraticável (Parajó et al., quando comparada à produção de sa-
O xilitol é considerado ainda como um 1998b). Uma alternativa à extração do carose ou sorbitol, a produção de xilitol
adoçante perfeitamente capaz de subs- xilitol diretamente dessas fontes natu- por processo químico apresenta um
tituir com vantagens a sacarose. Isso rais é a sua obtenção pela hidrogena- custo cerca de 10 vezes maior (Heikki-
porque, além de poder adoçante, apre- ção da D-xilose presente na matéria lä et al., 1992).
senta propriedade anticariogênica e vegetal, seja por via química, seja por Na tentativa de desenvolver uma
possui várias aplicações clínicas que o via biotecnológica. técnica menos dispendiosa e que tam-

Figura 2. Estrutura da hemicelulose (Software ACD / ChemSketch vs.4.55)


Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002 35
Tabela 2. Fatores de Conversão: Substrato em Produto (YP/S), Substrato em fração hemicelulósica da biomassa ve-
Células (YX/S), Células em Produto (YP/X), Produtividade Volumétrica (QP), e getal, já se encontra em fase avança-
eficiência (η, em % do máximo teórico que pode ser alcançado) obtida para da, apresentando resultados promis-
o processo fermentativo de produção de xilitol, a partir de hidrolisado de sores.
palha de arroz
Metodologia

Parâmetros Fermentativos Hidrolisado Tratado Para ser utilizada como substrato


YP/S (g/g) 0,72 na produção de xilitol, a palha de
QP (g/L.h) 0,57 arroz (obtida localmente) foi subme-
YP/X (g/g) 6,08 tida a um processo de hidrólise ácida
YX/S (g/g) 0,11 (H2SO4 1% p/v) sob condições bran-
η (%) 79 das (120 oC, por 30 minutos) visando
Fator de Conversão de Substrato em Produto - Máximo Teórico = 0,917 g/g à recuperação de uma fração hemice-
lulósica contendo xilose como maior
constituinte. O hidrolisado obtido foi
bém possa ser utilizada em escala in- dos cofatores NADPH ou NADH (Ro- submetido a um processo de concen-
dustrial, a Faculdade de Engenharia seiro et al., 1991). O xilitol, composto tração sob vácuo a uma temperatura
Química de Lorena (Faenquil) vem po- relativamente estável, ou é excretado de 70º ± 5 oC, com vistas a aumentar
tencialmente estudando o processo bi- da célula, ou é oxidado a xilulose pela a concentração de xilose, pois esse é
otecnológico de produção de xilitol, enzima xilitol desidrogenase (XDH), um dos principais fatores que afetam
aproveitando resíduos agrícolas e flo- cuja atividade requer os cofatores NAD o rendimento em xilitol por levedu-
restais como a palha de arroz (Mussatto, ou NADP. ras.
2002), o bagaço de cana-de-açúcar A fosforilação da D-xilulose a D- Em processos de hidrólise de ma-
(Marton, 2002), a palha de trigo (Cani- xilulose-5-fosfato é catalisada pela en- teriais lignocelulósicos, além da libe-
lha, 2002), e a madeira de eucalipto zima xilulose quinase e envolve gasto ração dos açúcares, é comum ocorrer
(Cannettieri, 2001), que são encontra- de energia na forma de ATP. A D- a formação de compostos provenien-
dos facilmente e em grandes quantida- xilulose-5-fosfato formada, pode, sub- tes da degradação da glicose, da xilo-
des no Brasil. Esses resíduos apresen- seqüentemente, ser convertida a piru- se (hidroximetilfurfural e furfural, res-
tam uma fração hemicelulósica rica em vato, através da conexão da via das pectivamente) ou da lignina (aromá-
xilose, que pode ser convertida em ticos, fenólicos e aldeídos). Também
xilitol, através da ação de microrganis- é comum ocorrer a liberação de subs-
mos (processo biotecnológico). tâncias provenientes da própria estru-
O processo biotecnológico tem-se tura lignocelulósica (extrativos e áci-
mostrado, por diversas razões, uma boa do acético) ou dos equipamentos de
alternativa ao processo químico, pois, Figura 3. hidrólise (íons ferro, cromo, níquel e
além de dispensar a purificação da Estrutura quí- cobre). Todos esses compostos atu-
xilose, pode utilizar enzimas ou micror- mica do xilitol am como potentes inibidores da ação
ganismos específicos que atuam so- (Mäkinen, microbiana, interferindo negativamen-
mente na conversão de xilose em xili- 2000) te no rendimento do processo fer-
tol, o que leva a um maior rendimento mentativo (Palmqvist e Hahn-Häger-
em produto e, conseqüentemente faci- dal, 2000). Dessa forma, para tornar o
lita a sua separação. Vale a pena desta- hidrolisado obtido mais susceptível à
car que, entre os microrganismos, as ação do microrganismo, esse foi trata-
leveduras (especialmente as que per- do com carvão ativo em pó, na pro-
tencem ao gênero Candida) têm sido porção: 1 grama de carvão : 40 gramas
consideradas mais aptas que as bactéri- fosfopentoses (onde é gerado o NADH de hidrolisado, nas condições: pH 2,0,
as e os fungos para produzir esse edul- necessário nas vias biosintéticas) com agitação 150 rpm, tempo 60 minutos
corante (Mayerhoff et al., 1996). A a via Embden - Meyerhof - Parnas e temperatura 45 °C (Mussatto, 2002).
Figura 4 apresenta um esquema geral (EMP) (Webb e Lee, 1992; Nolleau et Após a etapa de tratamento, o hidro-
de como ocorre o metabolismo de al., 1993). O piruvato obtido pode ser lisado obtido já pode ser utilizado
xilose no processo biotecnológico de descarboxilado e reduzido a etanol, ou como meio de fermentação para a
produção de xilitol . pode entrar no ciclo dos ácidos tricar- produção de xilitol.
A obtenção de xilitol por via biotec- boxílicos que, acoplado com a cadeia O microrganismo empregado nes-
nológica está associada à capacidade de transporte de elétrons, regenera se trabalho foi a levedura Candida
dos microrganismos em sintetizar a NAD+ e ATP. guilliermondii (FTI 20037), proveni-
enzima xilose redutase (XR). Inicial- Atualmente o processo biotecnoló- ente da coleção de culturas do Grupo
mente, essa enzima catalisa a redução gico de produção xilitol por leveduras, de Processos Fermentativos do De-
de xilose a xilitol com a participação a partir de hidrolisados oriundos da partamento de Biotecnologia da Fa-
36 Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002
Tabela 3. Fator de Conversão de Substrato em Produto (YP/S) e Produtividade Volumétrica em Xilitol (QP), em proces-
sos fermentativos a partir de hidrolisado de diferentes matérias-primas

Matéria-prima YP/S (g/g) QP (/L.h) Referência


Farelo de cevada 0,61 0,33 Cruz et al., 2000
Sabugo de milho 0,71 0,60 Kim et al., 1999
Sabugo de milho 0,52 0,26 Cruz et al., 2000
Bagaço de cana-de-açúcar 0,79 0,52 Alves et al., 1998
Folhas de milho 0,64 0,36 Cruz et al., 2000
Madeira de eucalipto 0,63 0,41 Converti et al., 2000
Madeira de eucalipto 0,04 0,02 Cruz et al., 2000
Palha de arroz 0,72 0,57 No presente trabalho

enquil, selecionada por Barbosa et al. 24 horas. Após esse período, as células centração celular de 3 g/L, e incuba-
(1988), para produção de xilitol. foram separadas e inoculadas no meio dos a 30 °C em agitador rotatório a 200
Inicialmente foi preparado um inó- de fermentação contendo o hidrolisa- rpm, durante 116 horas. Durante a
culo da levedura cultivada em meio do de palha de arroz tratado com fermentação, foram retiradas amos-
contendo xilose, extrato de farelo de carvão ativo. A fermentação foi condu- tras, periodicamente, para acompa-
arroz, sulfato de amônio e cloreto de zida em frascos Erlenmeyer de 125 nhamento do processo.
cálcio, em frascos incubados a 30 °C, mL, contendo 50 mL do meio de fer- As concentrações de glicose, xilo-
em agitador rotatório a 200 rpm, por mentação, inoculados com uma con- se, arabinose, xilitol, furfural, hidroxi-
metilfurfural e ácido acético foram
determinadas por Cromatografia Lí-
quida de Alto Desempenho (HPLC). A
determinação dos produtos derivados
da lignina foi feita de acordo com a
metodologia descrita por Rocha
(2000), baseada na leitura de absor-
bância em espectrofotômetro em um
comprimento de onda de 280 nm. O
pH foi determinado por potenciome-
tria em um aparelho com correção de
temperatura. Os cálculos dos fatores
de conversão e produtividade do pro-
cesso fermentativo foram feitos de
acordo com Moser (1985).

Resultados e Conclusões

O hidrolisado hemicelulósico de
palha de arroz obtido nesse trabalho
foi caracterizado físico-quimicamente,
em suas formas original, concentrado
e tratado, para determinação dos teo-
res de glicose, xilose, arabinose, furfu-
ral, hidroximetilfurfural e ácido acéti-
co, e absortividade a 280 nm (estima-
tiva dos produtos da degradação da
lignina - PDL). Os dados referentes a
essas determinações estão apresenta-
dos na Tabela 1.
A análise desta tabela mostra que o
processo de hidrólise foi capaz de
promover o fracionamento seletivo
Figura 4. Metabolismo de xilose em leveduras (adapta- dos açúcares presentes na fração he-
do de Parajó et al., 1998a) micelulósica da palha de arroz, libe-

Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002 37


tol realizadas até hoje com outras
matérias-primas têm apresentado re-
sultados similares ou até inferiores aos
obtidos nesse trabalho, contando sem-
pre com um meio de cultivo adiciona-
do de nutrientes. Alguns exemplos de
trabalhos de produção de xilitol a
partir de outros resíduos lignocelulósi-
cos são dados na Tabela 3. Em todos
esses casos foram, adicionados nutri-
entes para que o processo de biocon-
versão ocorresse com maior eficiên-
cia.
Com base nos resultados obtidos
Figura 5. Processo fermentativo de produção de xilitol por Candida nesse trabalho, podemos concluir que,
guilliermondii, em hidrolisado hemicelulósico de palha de arroz: além de contribuir na solução de pos-
A-) Consumo de Açúcares (%); B-) Produção de xilitol e Células (g/L) síveis problemas ambientais, a utiliza-
durante o decorrer do processo fermentativo ção da palha de arroz no processo de
bioconversão de xilose em xilitol sur-
ge como uma alternativa interessante
rando dentre estes, a xilose, como até as primeiras 24 horas do processo, de produção desse edulcorante, pois
principal constituinte. estandoseuconsumorelacionadocom apresenta resultados promissores e
Em respeito às concentrações de o aumento da concentração celular. que podem ser ainda melhorados.
ácido acético, furfural e hidroximetil- Ao contrário da glicose, a xilose é a Estudos de outras variáveis de grande
furfural, pode-se dizer, com base em fonte de carbono utilizada principal- efeito em processos fermentativos,
dados da literatura, que os teores mente para a bioconversão em xilitol. como a transferência de oxigênio em
desses compostos presentes no hi- A eficiência desse processo de biorreator, por exemplo, estão sendo
drolisado de palha de arroz concentra- bioconversão pode ser melhor obser- realizados no Departamento de Bio-
do, encontram-se abaixo dos níveis vada através dos valores dos parâme- tecnologia da Faenquil, e esperamos,
capazes de inibir o metabolismo da tros fermentativos mostrados na Ta- em um futuro próximo, aumentar
levedura Candida guilliermondii. Já bela 2. Nota-se nessa tabela que o ainda mais os resultados dessa biocon-
os compostos provenientes da degra- hidrolisado de palha de arroz mostrou versão, e estabelecer, de uma forma
dação da lignina (PDL) só se enqua- ser um meio perfeitamente favorável geral, a melhor tecnologia para pro-
draram nesses níveis após o tratamen- à ação do microrganismo, que foi dução desse edulcorante, que, cada
to do hidrolisado com carvão ativo, capaz de produzir xilitol com uma vez mais, vem apresentando proprie-
devido à remoção parcial ocorrida. elevada eficiência. dades e efeitos benéficos para a saú-
Contudo, pode-se afirmar que as pro- É importante ressaltar que o hidro- de do homem.
priedades físico-químicas desse hi- lisado utilizado nesse trabalho foi em-
drolisado apresentam características pregado como meio de fermentação Agradecimentos
favoráveis à sua utilização no proces- sem a adição de nutrientes, ou seja, o
so de bioconversão de xilose em hidrolisado de palha de arroz foi capaz Os autores agradecem à FAPESP e
xilitol. A confirmação disso só pôde de promover ao microrganismo todos ao CNPq pelo apoio financeiro conce-
ser obtida após a fermentação desse os compostos necessários para o seu dido para execução deste trabalho.
hidrolisado. crescimento e bioconversão.
Na Figura 5, nota-se que o micror- Dentre as matérias-primas normal- Referências Bibliográficas
ganismo foi perfeitamente capaz de mente empregadas na produção de
produzir xilitol a partir da xilose pre- xilitol (bagaço de cana-de-açúcar, pa- ALVES, L.A., FELIPE, M.G.A., SILVA,
sente no hidrolisado de palha de ar- lha de trigo, madeira de eucalipto, J.B., SILVA, S.S., PRATA, A.M.R.
roz, confirmando que esse hidrolisado sabugo de milho...) a palha de arroz é Pretreatment of Sugar Cane Ba-
hemicelulósico pode ser empregado a única que tem sido capaz de gerar gasse Hemicellulose Hydrolysate
em processos de bioconversão, atin- um hidrolisado com características nu- for Xylitol Production by Candida
gindo resultados satisfatórios. Duran- tricionais que suprem a necessidade guilliermondii. Applied Bioche-
te o processo fermentativo, obser- de suplementação adicional, para que mistry and Biotechnology, v.
vou-se um consumo simultâneo da possa ser empregado em processos 70-72, p. 89-98, 1998.
glicose e da xilose presente no hidro- de bioconversão. Esse fato é de extre- BARBOSA, M.F.S., MEDEIROS, M.B.,
lisado. Entretanto, a glicose por estar ma importância pois acarreta uma MANCILHA, I.M., SCHNEIDER, H.,
em uma concentração cerca de 6,5 redução no custo global do processo. LEE, H. Screening of Yeasts for
vezes menor, foi totalmente esgotada As pesquisas de produção de xili- Production of Xylitol from D-Xylo-

38 Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002


se and Some Factors which Affect XylitolProductionFromCornCob PARAJÓ, J.C., DOMINGUEZ, H., DO-
Xylitol Yield in Candida guillier- Hemicellulose Hydrolysate by MINGUEZ, J.M. Biotechnological
mondii. Journal of Industrial Candida parapsilosis. Biotech- Production of Xylitol. Part 1: Inte-
Microbiology, v.3, p.241-251, nology Letters, v.21, p.891-895, rest of Xylitol and Fundamentals
1988. 1999. of its Biosynthesis. Bioresource
CANNETTIERI, E.V., ALMEIDA e SIL- KUHAD, R.C., SINGH, A. Lignoce- Technology, v.65, p.191-201,
VA, J.B., FELIPE, M.G.A. Applicati- llulose Biotechnology: Current 1998a.
on of Factorial Design to the Study and Future Prospects. Critical PARAJÓ, J.C., DOMINGUEZ, H., DO-
of Xylitol Production from Eu- Reviews in Biotechnology, MINGUEZ, J.M. Biotechnological
calypus Hemicelluosic Hydrolysa- v.13, p.151-172, 1993. Production of Xylitol. Part 2: Ope-
te. Applied Biochemistry and MÄKINEN, K.K. Can the Pentitol- ration in Culture Media Made with
Biotechnology, v.94, p.159-168, Hexitol Theory Explain the Clini- Commercial Sugars. Bioresour-
2001. cal Observations Made With Xyli- ce Technology, v.65, p.203-
CANILHA, L. Aproveitamento do Hi- tol? Medical Hypotheses, v.54, 212, 1998b.
drolisado de Palha de Trigo para a p.603-613, 2000. ROBERTO, I.C., SATO, S., MANCI-
Obtenção de Xilitol por Via Micro- MARTON, J.M. Avaliação de Dife- LHA, I.M. Bioconversion of Rice
biana. Faculdade de Engenharia rentes Carvões Ativos e das Con- Straw Hemicellulose Hydrolysa-
Química de Lorena, Lorena (SP), dições de Adsorção no Trata- te for the Production of Xylitol:
Dissertação de Mestrado, pp. 79, mento do Hidrolisado Hemicelu- Effect of pH and Nitrogen Sour-
2002 . lósico de Bagaço de Cana para ce. Applied Biochemistry and
CONVERTI, A, DOMÍNGUEZ, J.M., PE- Obtenção Biotecnológica de Xili- Biotechnology, v.57/58, p.339-
REGO, P., SILVA, S.S., ZILLI, M. tol. Faculdade de Engenharia 347, 1996.
Wood Hydrolysis and Hydrolysate Química de Lorena, Lorena (SP), ROCHA, G.J.M. Deslignificação de
Detoxification for Subsequent Xyli- Dissertação de Mestrado, pp. 103, Bagaço de Cana-de-Açúcar Assis-
tol Production. Chemical Engi- 2002. tida por Oxigênio. Instituto de
neering & Technology, v.23, MAYERHOFF, Z.D.V.L., ROBERTO, Química de São Carlos, USP, São
p.1013-1020, 2000. I.C., SILVA, S.S., FELIPE, M.G.A., Carlos (SP), Tese de Doutorado,
CRUZ, J.M., DOMÍNGUEZ, J.M., DO- MANCILHA, I.M. Seleção de Le- pp.136, 2000.
MÍNGUEZ, H., PARAJÓ, J.C. Pre- veduras para Produção de Xilitol ROSEIRO, J.C., PEITO, M.A., GIRIO,
paration of Fermentation Media em Hidrolisado Hemicelulósico F.M., AMARAL-COLLAÇO, M.T.
from Agricultural Wastes and Their de Palha de Arroz. Anais do XI The Effects of the Oxygen Trans-
Bioconversion into Xylitol. Food Sinaferm. Ago/ 1996. fer Coefficient and Substrate Con-
Biotechnology, v.14 (1&2), p.79- MOSER, A. Kinetics of Batch Fer- centration on the Xylose Fer-
97, 2000. mentations, In: Biotechnology: mentation by Debaryomyceshan-
HEIKKILÁ, H., HYÖVY, G., RAHKI- a Comprehensive Treatise in 8 senii. Archives Microbiology,
LA, L., SARKKI, M.L., VILJAVA, T. A Volumes. Editado por Braner, H., v.156, p.484-490, 1991.
Process for the Simultaneous Rehm, H.J. and Reed, G. , v.2, SILVA, C.J.S.M., ROBERTO, I.C. Sta-
Production of Xylitol and Etha- 1985. tistical Screening Method for Se-
nol. WO patent 91/10740, publ. MUSSATTO, S.I. Influência do Trata- lection of Importante Variables
25/07/1991. mento do Hidrolisado Hemicelu- on Xylitol Byosynthesis from Rice
IBGE – Instituto Brasileiro de Geogra- lósico de Palha de Arroz na Pro- Straw Hydrolysate by Candida
fia e Estatística, Divisão de Pesqui- dução de Xilitol por Candida guilliermondii FTI 20037. Biote-
sas – DIPEQ/SC. Levantamento guilliermondii . Faculdade de chnology Techniques. v.13,
Sistemático da Produção Agrí- Engenharia Química de Lorena, p.743-747, 1999.
cola, Florianópolis, Agosto/ 2001. Lorena (SP), Dissertação de Mes- SUN, R.C., TOMKINSON, J., MA, P.L.,
JACOBS, J., KREUTZER, R., SMITH, D. trado, pp. 173, 2002 . LIANG, S.F. Comparative Study
Rice Burning and Asthma Hospita- NOLLEAU, V., PREZIOSI-BELLOY, of Hemicelluloses From Rice
lizations, Butte Country, California, L., DELGENES, J.P., DELGENES, Straw by Alkali and Hydrogen
1983-1992. Environmental He- J.M. Xylitol Production from Xylo- Peroxide Treatments. Carbo-
alth Perspectives, v.105, p.980- se by Two Yeast Strains: Sugar hydrate Polymers, v.42, p.111-
985, 1997. Tolerance. Current Microbio- 122, 2000.
KADAM, K.L., FORREST, L.H., JACO- logy, v.27, p.191-197, 1993. WEBB, S.R., LEE, H. Characterization
BSON, W.A. Rice Straw as a Ligno- PALMQVIST,E.,HAHN-HÄGERDAL, of Xylose Reductase from the
cellulosicResource:Collection,Pro- B., Fermentation of Lignocellulo- Yeast Pichia stipitis: Evidence
cessing, Transportation, and Envi- sic Hydrolysates. II: Inhibitors and for Functional Thiol and Histidyl
ronmental Aspects. Biomass and Mechanisms of Inhibition. Biore- Groups. Journal of General Mi-
Bioenergy. v.18, p.369-389, 2000. source Technology, v.74, p.25- crobiology, v.138, p.1857-1863,
KIM, S., OH, D., KIM, J. Evaluation of 33, 2000. 1992.

Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento - nº 28- setembro/outubro 2002 39

Você também pode gostar