Você está na página 1de 53

DICAS DE TÊNIS

Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 130

1) Obs.: Não obstante esta dica seja mais para jogadores "top", você também poderá beneficiar-se caso já
jogue razoavelmente e pretenda chegar ao nível avançado. Para melhorar substancialmente sua devolução de
saque, não esqueça de fazer o "split step", que é aquele salto para a frente, caindo com a ponta dos dois pés no
chão no momento em que o adversário ameaça golpear a bola de saque. O mais importante, entretanto, é
treinar a melhoria de seu reflexo, forçando habituar-se a perceber com mais e mais antecipação, para que lado
a bola adversária estará se dirigindo. Treine distinguir a direção da bola no primeiro metro de seu percurso
após ter sido sacada. Isto é um treinamento que acabará se tornando um hábito que o deixará cada vez mais
atento para executar melhor sua devolução de saque. Adiante bastante também seus cotovelos, deixando-os à
frente de seu corpo, para evitar que bata a bola atrasado, pois é normal que seu reflexo não acompanhe a
tremenda velocidade da bola e com tal providência você já estará contornando essa deficiência. Não segure a
raquete com força; ao contrário, deixe-a bem frouxa, para que possa ter a criatividade de adaptação do plano
das cordas de sua raquete exigida para o sucesso de sua devolução. Com a raquete frouxa nas mãos, após
qualquer adaptação que porventura venha a ser necessária, o instinto o levará a apertar a raquete na mão no
momento de seu impacto com a bola.
2) Treine 300 saques por dia, se quiser ser alguém no tênis. Arranje outro obcecado para fazer 300 devoluções
de saque por dia. Aproveite os fins de semana para ampliar tais treinamentos. Veja em meu livro como treinar
esses 300 saques por dia.
Dicas da semana 129
1) Caro Edgar Lubicz. Complementando as informações que me pede sobre a regularidade no saque,
esclareço que há muitas pessoas que não conseguem uma boa regularidade no saque, porque contorcem o
corpo para o lado no momento em que estão executando o movimento de bater a bola sacada. Há necessidade
de o corpo estar bem ereto (equilibrado) durante o movimento de saque, para que a ponta da raquete possa
desenvolver a maior velocidade. É como se o corpo fosse um torno de alta precisão, em volta do qual o braço
e a raquete desenvolvessem um movimento em grande aceleração.
2) Lance a bola de saque com o braço subindo paralelo à linha de seus ombros, segurando a bola apenas com
as pontas dos dedos polegar, indicador e médio. Além disso, a palma de sua mão deverá estar apontada para o
céu, após a bola ter sido lançada para o alto. Atire a bola para o alto cerca de vinte centímetros acima do
ponto em que irá golpeá-la, usando tal intervalo como margem de segurança, para evitar jogar a bola baixa.
Para o lançamento da bola de segundo saque, atire-a para o alto mais para a sua esquerda (se for destro) cerca
de vinte centímetros, de modo a bater a bola com mais "topspin" (de baixo para cima). Além disso, após (e
somente após) ter lançado a bola, gire acentuadamente o corpo da esquerda para a direita - se for destro -
(ficando quase de costas para a quadra adversária), de modo a raspar a bola tanto de baixo para cima, como
para a direita de seu lado da quadra.
Dicas da semana 128

1) O "Passing shot" (passar o adversário na rede) é um golpe cuja técnica é ignorada por um razoável número
de tenistas. O primeiro maior erro técnico cometido nos "Passing shots" é desviar o olho da bola para o local
em que se pretende colocar a bola para passar o adversário na rede e o segundo grande defeito é tentar dirigir
a bola com a ajuda de uma torção de pulso, o que resulta na execução de um movimento totalmente
imperfeito. A correta técnica recomenda que o alinhamento dos ombros seja usado como segmento orientador
da direção a ser dada à bola, a fim de que se possa manter os olhos fixos sobre ela. Deste modo, se você
quiser efetuar o "Passing shot" pela paralela, esteja com os ombros paralelos à lateral de seu lado da quadra
no momento de golpear a bola e, quando for passar o adversário pela cruzada, coloque os ombros formando
um ângulo de cerca de 60 graus com a rede.
2) Um dos principais fundamentos do movimento de saque refere-se à necessidade de descolar o cotovelo de
perto do tronco, com o fim de obter uma "laçada" ampla por detrás da cabeça. Para isso é recomendável que,
ao iniciar o movimento do braço que segura a raquete, você procure esticar esse braço para trás, na direção do
fundo de seu lado da quadra, de modo que seu braço fique paralelo ao chão antes de ser dobrado atrás das

1
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
costas.
Dicas da semana 127
Aprenda a devolver o saque no "backhand" também com "topspin". No passado era comum a devolução com
forte "topspin" apenas de direita e o uso do "chop" (cortada) na devolução de "backhand". O tênis evoluiu, a
velocidade da bola aumentou e a devolução de saque passou a ser desenvolvida para atuar, do mesmo modo
que o saque, como um importante golpe de ataque. Foi o aparecimento dos jogadores "two-handed grip",
golpeando a bola com força e "topspin" no "backhand", que motivou a necessidade de mudança no estilo dos
que batem com uma só mão na esquerda. Hoje a devolução de esquerda com "chop" ("slice" ou cortada) é
usada apenas como uma variação, ou para baixar a bola no pé do adversário que sacou e veio para a rede. A
técnica para a devolução de "backhand" com uma só mão com "topspin" deve obedecer aos seguintes
princípios: a) Faça todo o esforço possível para não pular nesse tipo de devolução. b) Não efetue o jogo de
pés, a não ser que lhe sobre tempo para tal, pois isso não é importante na devolução de saque. c) O importante
é jogar o peso do corpo sobre a bola enquanto devolve o saque, com a ajuda do movimento chamado "split-
step" (no momento em que o adversário vai bater a bola no saque você salta para a frente, caindo sobre a
ponta dos dois pés e fica, por isso, com o peso caindo sobre a bola no momento de golpeá-la). d) Faça uma
rotação de tronco de cerca de 45 graus para o seu lado esquerdo, descendo a cabeça da raquete uns 30
centímetros abaixo do ponto de contato programado para o impacto raquete-bola. e) Se a bola que você irá
devolver atingir uma altura máxima ao nível de sua cintura, promova o encontro raquete-bola com as cordas
de sua raquete na vertical, num movimento ascendente e quase sem giro de tronco da esquerda para a direita.
Ou seja, é quase que uma batida só de braço. f) Se você tiver que bater a bola numa altura acima do nível de
sua cintura, proceda um giro acentuado de seu antebraço, de tal modo que você fique com a palma de sua mão
que segura a raquete completamente virada para seu rosto. Com isso, a face das cordas de sua raquete que irá
golpear a bola terá virado para baixo o suficiente para escovar a bola bem por cima. Em outras palavras, sua
raquete terá feito no ar um movimento parecido com o de uma pá de ventilador.
Dicas da semana 126
Caro Edgar Lubicz. Você me pergunta sobre como ter um segundo saque com efeito e que a bola vá
normalmente dentro do retângulo de saque. A receita de bolo é um pouco complicada, porque exigiria uma
demonstração visual, a qual peço que se socorra nas páginas de meu livro sobre o assunto. Mas há algumas
coisas muito importantes que preciso esclarecer. Em primeiro lugar, a preocupação não deve ser com um
segundo saque regular, mas sim com um primeiro saque bastante forte e regular, que normalmente prescinda
do uso do segundo saque. Assim, o segundo saque não será um golpe que viva sofrendo pressão, pelo fato de
que você arrisca sempre o primeiro saque e depois fica rezando para o segundo saque ter que entrar. Use o
segundo saque raramente. Para isso, terá que ter um primeiro saque bastante regular. Para ter um primeiro
saque regular é preciso que use um estilo de saque forte com bastante "topspin", ou seja, golpeando a bola
com muita força, com efeito e raspando-a pelo seu topo, de tal maneira que a bola atrapalhe o adversário tanto
pela força, como pelo efeito. O segundo detalhe muito importante é que você não deixe o ombro do braço que
bate a bola ir para a frente. Prenda-o atrás no momento do impacto raquete-bola, de tal maneira que ele se
movimente atrás de sua cabeça, da esquerda para a direita (se você for destro), fazendo com que você bata na
bola de raspão, de baixo para cima, para o lado e pelo topo da bola. Não esqueça de que a empunhadura
Continental é exigida para o sucesso desse saque. Com isso você eliminará substancialmente a pressão sobre
seu segundo saque e passará até a se permitir uma dupla falta, sem grandes pressões psicológicas. Para o
segundo saque, jogue a bola um palmo mais para trás do ponto que normalmente bate o primeiro saque, de
modo a ampliar o "topspin" de seu saque. É o que se chama no jargão do esporte de "quick serve". Se você
não golpeasse essa bola, ela cairia exatamente atrás de seu calcanhar do pé da frente. Para tal saque você já
não bate a bola tão pelo topo, como o fez no primeiro saque, já que agora terá que dar mais efeito do que
velocidade à bola.
Dicas da semana 125

Caro Masayoshi Kabu. Você falou sobre táticas. Que durante o jogo mudou duas vezes de tática e conseguiu
superar seu cansaço e o adversário. Meu amigo Bob Falkenburg, ex-campeão de Wimbledon, falava que em

2
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
cada partida você tem que adaptar o seu próprio jogo ao tipo de adversário que se apresenta e também às suas
condições físicas e mentais naquele dia. Você tem que treinar muito para virar um robot e não errar nada. Isto
o ajuda definitivamente a ter confiança no que está fazendo. Caso não tenha tempo suficiente para chegar a tal
condição, aceite suas limitações, mas não esqueça de estar sempre tentando superar-se, arriscando um pouco
mais as bolas para ir progredindo. Todos os golpes do tênis devem ser executados de maneira bastante
repetitiva, para que você possa executá-los com a ajuda do cerebelo (seu subconsciente). Sempre que você
pára para raciocinar sobre um golpe - acontece muito isto no saque, porque você realmente tem tempo para
pensar antes de executar o serviço - você acaba errando o movimento, porque saiu de seu comportamento
normal, de executar o saque automaticamente (com o cerebelo), sem pensar. Quando pensa que tem de acertar
o saque, imediatamente provoca a inibição muscular do movimento, resultando em erro do saque. Por
exemplo, se a bailarina pensa em como vai fazer o salto, certamente irá cair, porque o sucesso de seu
movimento está vinculado à sua capacidade de executá-lo com o subconsciente, o cerebelo. O seu cérebro
deve ser usado apenas para arquitetar o plano para vencer o adversário. Aproveito a ocasião para anunciar que
estou escrevendo um artigo entitulado "Controle Emocional", que será publicado nesta "home page" logo que
fique pronto. Peço aos leitores que me remetam informações interessantes sobre o assunto, para me ajudar
nessa árdua tarefa, que abrange o interesse internacional no âmbito de todos os esportes e de todas as
atividades profissionais. Caro Ivan Garay Abatto. Todo o primeiro capítulo de meu livro é dedicado à parte
relativa a suas atuais preocupações, sobre controle psicológico. Breve estarei publicando mais informações
sobre esse assunto.
Dicas da semana 124
Fiz, recentemente, um torneio que foi aplaudido por todos. Transcrevo aqui essa idéia para que seja copiada
pelos leitores e venha a beneficiar o tênis em geral. O torneio pode ser de duplas ou de simples. Cada uma das
chaves permite a inscrição de dezesseis jogadores de simples ou do mesmo número de duplas. Cria-se com
isso uma chave principal, em que o jogador que perde até antes da final, vai passando para uma chave de
repescagem, da seguinte maneira. Quem perde na primeira rodada da chave principal, vai para a primeira
rodada da chave de repescagem. Quem perde na segunda rodada, vai para a segunda rodada da repescagem. e
quem perde na terceira rodada, vai para a quarta rodada da repescagem. Em seguida, cria-se uma nova chave,
com as mesmas características da chave acima, chamando-a de chave de Returno, da qual farão parte todos os
oito jogadores (ou oito duplas) que perderam na primeira e segunda rodadas da chave de repescagem. Os
outros oito jogadores que completarão essa chave de Returno deverão ser provenientes de uma outra chave,
igual à inicialmente descrita. A característica principal desse tipo de torneio é que todos os participantes terão
jogado um mínimo de quatro vezes, perdendo ou ganhando. O objetivo desse torneio é dar oportunidade aos
principiantes de jogarem mais vezes, pois normalmente eles perdem no primeiro jogo e a festa fica sempre
para os mesmos, os jogadores mais antigos, os mais experientes. Tente uma vez em seu clube fazer um
torneio desses e depois me conte o resultado.
Dicas da semana 123

Aqui vai um pouco de história, explicando por que no passado praticamente só se usava a empunhadura
Continental para golpear todas as bolas. No passado Wimbledon era o "point" internacional do tênis. Vencer
Wimbledon significava ser o melhor do mundo. Ali acontecia o torneio mais importante do globo terrestre,
cuja final era assistida por sua majestade a rainha da Inglaterra. As quadras de Wimbledon são de grama, um
piso que, além de irregular - porque em alguns lugares da quadra a grama se desgasta - concorre para a grande
velocidade da bola. Por isso, o mais sensato para se jogar em tal quadra é evitar o máximo que a bola bata no
chão, sacando e indo para a rede e devolvendo o saque subindo à rede. Os golpes saque, voleio e devolução de
saque bloqueada, ou com "chop" ("slice") são todos efetuados com a chamada empunhadura Continental.
Assim, como não havia no passado o sistema de pontuação criado pela ATP para ganhos de pontos nos
diversos tipos de pisos que hoje se jogam pelo mundo afora, a empunhadura Continental era suficiente para os
interessados em se tornarem número um do mundo.
Dicas da semana 122
1) O tênis está ficando cada vez mais sofisticado em termos de estilo e versatilidade dos jogadores. Por isso,

3
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
poderemos prever que em futuro não muito distante os atletas estarão usando no "backhand" dois estilos,
aproveitando-se das situações mais adequadas para baterem com uma só mão e em outros casos golpearem a
bola com "two-handed grip". Já podemos ver nos dias de hoje alguns jogadores talentosos usarem esses dois
estilos para golpearem a bola na esquerda. Se você que ser um jogador completo do futuro próximo, trate de
aprender essas duas maneiras, não esquecendo, entretanto, que terá que escolher uma como a principal.
2) Tenho percebido certa dificuldade em iniciantes no momento de correrem para trás para baterem
determinadas bolas altas. Alguns deles cometem o erro de correrem dando ré, perdendo tempo e acabando por
tropeçarem e se atrapalharem com os próprios pés. Outros correm completamente de costas, esquecendo de
olhar para a bola. O correto, portanto, é correr relativamente de costas para a quadra adversária, mas não
esquecendo de manter os olhos fixos sobre a bola, além de procurar passar da bola, a ponto de virar de frente
para a quadra adversária e passar o peso do corpo para o pé da frente no ato de golpear a bola. Além disso,
escolha o local mais adequado para bater a bola numa altura próxima de seus ombros e sua cabeça.
Dicas da semana 121

Há poucos dias atrás uma aluna minha, iniciante, pensou em parar de treinar tênis por algum tempo, porque
estava achando que não vinha progredindo, mas ao contrário, piorando sua performance no esporte. Devo
esclarecer que esse fenômeno "estagnação de progresso" ocorre não só na faixa de jogadores iniciantes, mas
em todas os níveis no tênis. É muito comum ouvirmos um principiante, ou um jogador de primeira classe,
dizer que resolveu dar um tempo para se recuperar da estafa, ou da fase difícil. A má notícia que dou para as
pessoas que assumem tal comportamento é que elas ficarão marcando passo no mesmo lugar, e que seu
progresso durante anos será bem menor que o dos jogadores que resolvem atravessar as chamadas más fases
treinando duro para sobrepujá-las. É normal o jogador chegar no auge de sua atual performance e piorar em
seguida o resultado geral de seu jogo, pelo fato de que passa a acrescentar ao seu estilo golpes mais
sofisticados. Os jogadores que nunca param conseguem atravessar essa fase difícil e subir o seu nível de jogo
à partir daí.
Dicas da semana 120
Para que você seja considerado um parceiro perfeito, é necessário manter o seguinte comportamento em
relação a seu parceiro.
1) Deixe-o completamente à vontade, mostrando que não se importa quando ele erra.
2) Não tente corrigi-lo no meio do jogo, pois isso piorará mais ainda a performance de seu parceiro, porque
ele passará a não conseguir fazer nem do seu jeito, nem mais do próprio jeito dele.
3) Procure encorajar o parceiro quando de seus erros.
4) Mostre-se cheio de entusiasmo durante todo o jogo.
5) Discuta antes do jogo como pensa comportar-se em relação a seu parceiro e se ele concorda com isso, de
modo a acharem um meio de se comunicarem satisfatoriamente.
6) Nas situações mais críticas enfrentadas por seu parceiro, afague-lhe o ego quando ele errar, com um
tapinha de mãos ou uma palavra que lhe levante a moral.
7) Ambos os jogadores devem se ajudar no sentido de manter o moral da dupla elevado.
8) Procure acertar uma estratégia de jogo contra os adversários antes de começar a partida; ela poderá ser
revista no meio do jogo, quando da virada de lado, caso não venha a apresentar resultado satisfatório.
9) Por mais que você ache que tem razão, nunca entre em polêmica com seu parceiro, pois isso será muito
pior do que manter a situação tática de jogo com a qual você estaria a discordar. Caso seja possível entrar em
acordo, vá em frente; caso contrário, não polemize.
10) Acerte o que vão fazer antes de iniciar cada novo ponto. Mantenha, assim, uma conversa constante com
seu parceiro e isto ajudará bastante no entrosamento da dupla.

4
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 119

Em que lado jogar na dupla? Esta é uma indagação que muitos parceiros fazem em todos os níveis de
categoria. Aqui vão algumas informações que poderão facilitar o arranjo de inúmeras duplas no sentido de se
adaptarem escolhendo o lado mais adequado para cada um dos parceiros. 1) Quem for nitidamente o melhor
jogador da dupla deve ficar no lado esquerdo, pois é ali que ocorrem os pontos mais decisivos; no 15x30 ou
no 30x40 do saque adversário o devolvedor deverá ter condições de arriscar um winner, com o fim de quebrar
o saque adversário; num 30x15 ou 40x30, o devolvedor do saque deverá efetuar uma devolução de saque mais
segura, com shop (slice), de modo a provocar um empate no game; em outras palavras, o jogador que está na
esquerda joga como se fora um termômetro, em função do placar. 2) Se os dois jogadores forem destros (ou
canhotos) e do mesmo nível, deverão analisar suas melhores adaptações aos lados, tanto no que respeita a
devoluções de saque de esquerda e direita, como no que se refere a seus desempenhos no voleio naqueles
lados. Ainda nesta situação, se houver algum melhor desempenho de devolução de direita ou de esquerda, tal
jogador deverá ficar no lado esquerdo, onde ocorrem as definições dos pontos mais críticos. 3) No caso de um
jogador ser destro e o outro canhoto, caso ambos os jogadores tenham excelentes backhands, será mais
conveniente que o canhoto fique na direita e o destro na esquerda, porque a devolução cruzada de backhand
será natural e a devolução de forehand pelo meio fica mais facilitada; além disso, na hora de interceptar com
voleio a devolução de saque dos adversários, ambos os jogadores irão efetuar tais golpes com a vantagem de o
fazerem com voleio de forehand.
Dicas da semana 118
1) Há um grupo de jogadores que se comunica através de gestos para organizar a tática a ser desenvolvida
pelo sacador e pelo companheiro que se encontra na rede. Sou adepto, entretanto, do sistema de os parceiros
se juntarem por alguns segundos antes de cada saque e arquitetarem seus planos de ação, quanto ao que fará
cada um, como sacador e como parceiro do sacador. A grande vantagem desta última prática é que ela elimina
a possibilidade de um olheiro na platéia estar lendo para os oponentes as estratégias combinadas pela dupla
que estará sacando.
2) De outro lado, enquanto toda a estratégia para o saque passa a ser desenvolvida pelo parceiro do sacador no
caso dos gestos combinados, quando os parceiros se juntam para conversar, a estratégia pode ser desenvolvida
pelo próprio sacador, deixando o jogador que está na rede mais à vontade, porque estará obedecendo ao plano
orientado pelo próprio sacador.
Dicas da semana 117
1) Se você for um experimentado jogador de duplas, procure efetuar seus voleios pelo between ou atingindo
os pés do adversário que se encontra na rede. Se você for o oponente desse bom duplista, nas situações em
que perceba que poderá receber um voleio no pé, adiante-se uns dois passos para a frente, com vistas a
neutralizar aquela situação difícil.
2) Se seu parceiro devolver o saque com uma bola cruzada que exija um voleio baixo do adversário, pressione
o oponente, avançando em direção à rede, mesmo que se arrisque em levar uma bolada. Com isso você estará
sempre mantendo os adversários sob pressão. Atente para o fato de que deverá deixar a bola ir fora, caso o
adversário bata o voleio forte, em cima de você, nas bolas que passem próximas da altura de seus ombros.
Dicas da semana 116
1) Quando você estiver na rede, nunca deixe que a bola bata no chão para efetuar um smash. Caso, todavia,
isso não venha a ser possível, efetue o smash com o movimento iniciado a partir da raquete parada no alto,
por trás de sua cabeça. Caso você faça um movimento amplo, igual ao do saque, sua coordenação para acertar
a bola dentro da quadra adversária ficará bastante dificultada.
2) Tenho percebido que os principiantes sentem grande dificuldade em manter o corpo ereto no ato de
efetuarem um spin lateral. Lembro-lhes que o tênis é um esporte com instrumento e por isso exige grande
equilíbrio dos atletas. Caso se desequilibrem, acabarão batendo a bola sem que lhes seja possível acertá-la
com o centro das cordas da raquete, provocando o insucesso do golpe. Faça uma pequena experiência,

5
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
marcando um ponto na rede, como se fosse o local em que ocorreria o ponto de contato raquete bola num
drive de direita. Volte com a raquete para trás e inicie o movimento de atingir a bola naquele ponto na rede,
todavia não mantendo o corpo ereto. Você terá oportunidade de perceber que não conseguirá bater a bola,
naquele ponto simulado, com o centro das cordas da raquete.
Dicas da semana 115

1) Procure ter um primeiro saque forte, mas com bastante topspin, de tal maneira que ele seja bastante regular.
A maneira correta de sacar é baseando este golpe sempre no primeiro serviço, usando o segundo saque como
uma reserva para as poucas ocasiões em que você não tenha conseguido acertar o primeiro saque.
Trabalhando nesse sentido, você acabará sentindo uma grande confiança em seu saque. Sampras treina
simples na Florida, jogando contra dois adversários, somente ele servindo e usando apenas uma bola para
sacar.
2) O lançamento da bola é a parte mais difícil para se atingir a perfeição no saque. Aqui vai um conselho
muito importante para ajudá-lo a contornar tal problema. Use um dos quatro cantos de uma sala ou outro
canto qualquer de parede e treine nesse local o lançamento da bola, fazendo-a subir na vertical. É certo que,
com o tempo, você terá conseguido a perfeição no lançamento da bola de saque.
Dicas da semana 114

1) Cuidado, muito cuidado, com aquela situação em que você apertou o adversário e o fez bater aquela
chamada bola "fácil" para você liquidar o ponto, pois ela não é nada fácil. Para ter sucesso nesse golpe, caso
pretenda executar um winner com muito topspin, é preciso que você não bote velocidade na bola e sim muito
efeito, pois o pequeno espaço (meio de sua quadra até o fundo da quadra adversária) não lhe permitirá bater
com muita força. Além disso, você só poderá efetuar tal golpe, caso consiga chegar na bola em tempo de frear
e bater parado. Caso não consiga bater parado, a alternativa é bater com um pouco de slice, ou dando curta ou
empurrando a bola para um dos cantos da quadra adversária.
2) Os principiantes acham que têm de fazer um movimento rápido do braço, quando a bola lhes chega com
muita velocidade. Ao contrário, quanto mais rápida a bola adversária, menos rápido precisa ser o seu contra-
golpe, porque você aproveita a própria velocidade da bola para fazê-la voltar para a quadra oposta. É preciso,
entretanto, que você comece o movimento bem antes de a bola bater no chão de seu lado da quadra. Veja por
outro lado, a lógica contida nas informações acima, quando o adversário lhe manda uma bola completamente
sem força. Neste caso você se verá obrigado a fazer um movimento com muita velocidade de braço para que
possa acelerar a bola em seu golpe-resposta.
Dicas da semana 113

1) Aqui vão descritas algumas das grandes virtudes de Andre Agassi que podem ser aproveitadas pelos bons
tenistas. Quanto mais se sente atacado, ele procura defender-se sempre com bolas cruzadas, porque a diagonal
da quadra é maior, a rede no meio é mais baixa e há menor possibilidade de erro pelas laterais da quadra.
Agassi é mestre em correr para cima da bola, para pegá-la na subida, roubando com isso um pouco do tempo
de recuperação do adversário, que contava com uma devolução vinda mais do fundo da quadra oposta. Ele
deve treinar muito para ter um excepcional bate-pronto. Agassi faz uma abertura bem curta e tem um controle
da direção da bola bem acima da performance média dos tenistas de seu nível.
2) Fico impressionado em ver jogadores de nível internacional dando curta na hora errada. Conforme registrei
em meu livro, quem efetua uma curta, estatisticamente só tem 20% de chance de vencer o ponto. Por isso, a
curta só deve ser executada quando o placar estiver: a) folgado para o sacador; b) literalmente perdido para o
recebedor; c) sugerindo que o devolvedor arrisque quebrar com essa bola o difícil saque adversário.
Dicas da semana 112
1) Usando como gancho o assunto empunhaduras comentado na semana passada, aproveito a oportunidade -
não com o intuito de crítica - mas para lembrar que a perfeição no tênis ainda está distante, registrando uma
falha em nosso grande jogador de quadras rápidas, Pete Sampras, por sua falta de intimidade com a

6
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
empunhadura Western para efetuar bolas altas com sidespin. Vê-se nitidamente que nas quadras lentas de
Roland Garros os adversários procuram explorar esse ponto fraco de Sampras, seja em saques com bastante
topspin, seja em bolas altas com muito topspin. As bolas altas, caso se deseje golpeá-las de maneira ofensiva,
devem ser batidas com sidespin (spin lateral, isto é, spin com a raquete raspando a bola de baixo para cima e
de fora para dentro). O aspecto mais importante para se conseguir essa performance é empunhar a raquete
com grip Western e a cabeça da raquete apontada para o alto no momento do impacto raquete-bola, de tal
modo que a lateral do aro da raquete que estará mais próxima de seu corpo seja a primeira parte da raquete
que irá em direção à bola, a fim de que você comece a raspar a bola com aquela lateral das cordas da raquete,
para efetuar com sucesso o spin lateral.
2) Muitas pessoas me perguntam quando deve ser usado o voleio de fundo de quadra com topspin. Se você for
um tenista componente da elite internacional, use o voleio com topspin de fundo de quadra como um golpe
winner, porque nesse nível você não poderá efetuar um voleio pouco agressivo, sob pena de ser arrasado por
um contra-golpe do adversário. Em outras palavras, se você não é um Guga, contente-se em efetuar um voleio
agressivo, mas com um pouco de slice, para minimizar a possibilidade de erro.
Dicas da semana 111

1) Evite fazer alterações bruscas nas empunhaduras do aluno que já jogue tênis há algum tempo. Há um meio
bastante apropriado para fazê-lo adaptar-se aos poucos, saindo de uma empunhadura Continental para Eastern
ou Western. Sugira que ele mude apenas um pouco a empunhadura, de Continental para Eastern e faça-o
exercitar-se executando lobs com topspin, pedindo que ele faça a bola subir apenas com a ajuda do efeito
imprimido sobre a bola com as cordas da raquete completamente na vertical, puxando a bola de baixo para
cima. No esforço de fazer o lob com topspin o aluno começará a adaptar-se à empunhadura Eastern. Não
esqueça de ajudá-lo, informando que na empunhadura Continental ele bate a bola no forehand com o braço
completamente esticado e que na Eastern ou Western ele deve estar com o braço bem encolhido na execução
do golpe de direita.
2) No caso da esquerda, além de efetuar o mesmo princípio acima para fazê-lo ir se adaptando a uma nova
empunhadura, você pode alternativamente adaptar a empunhadura Continental do aluno, não fazendo
qualquer alteração na maneira de pegar no cabo da raquete, mas apenas ensinando-o a bater com as duas
mãos, no estilo conhecido como two-hunded grip. Ele apenas precisará apor confortavelmente sua mão
esquerda (caso seja destro) logo acima da mão direita, passando a bater a bola com as duas mãos. O mais
importante desse estilo é fazer um pequeno movimento circular antes de golpear a bola e executar um perfeito
e acentuado swing de final de batida, imitando o movimento de um golfista num lançamento a longa
distância.
Dicas da semana 110
1) Chamo aqui a atenção daqueles que desejam ser professores de tênis, alertando que ensinar este esporte,
mais do que outros, lhes exigirá a maior paciência e perseverança. Explicar o porquê de se efetuar cada
movimento é fundamental para a melhor e mais rápida absorção da técnica pelos alunos. A partir daí você
passará a comunicar-se com o aluno com palavras-lembretes daquelas informações que você lhe explicou,
repetindo-as mil vezes até que elas passem para o cerebelo do aluno, a parte do cérebro que comanda os
movimentos de seu corpo, conhecida como memória muscular. Como já disse anteriormente, o tênis é um
esporte com instrumento e, por isso, muito mais difícil do que todos aqueles em que a bola entra em contato
direto com o corpo dos praticantes. De outro lado, são inúmeras as técnicas que devem ser absorvidas pelos
praticantes para chegarem a ser bons jogadores. E por isso, até hoje em meus 44 anos de convivência com o
tênis, ainda não vi nenhum mesmo que brilhante e talentoso candidato a tenista aprender todos os golpes sem
apresentar nenhuma dificuldade em absorver alguns deles. Daí que a paciência e a perseverança são uma
palavra de ordem para quem deseja ensinar ou aprender a jogar bem o tênis.
2) Procure um bom professor, para que você não acabe desistindo de jogar tênis, por pensar que não leva jeito
para o esporte, pois você jamais irá aquilatar corretamente se é você ou o professor o grande desajeitado.
Mesmo com o bom professor você não conseguirá executar "todos" os golpes com a mesma facilidade
encontrada na maioria dos movimentos. Será preciso ter muita paciência e deixar passar os dois a três
primeiros anos para ver o bom resultado de sua perseverança. É importante registrar que há uma grande

7
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
distância entre aquilo que você vê, ou recebe como informação verbal - ambas absorvidas por seu neocortex
(a parte do seu cérebro que pensa e raciocina) - e a tradução que seu corpo irá fazer dessas informações, para
decodificá-las em movimentos corporais. Dizendo em outras palavras, mesmo detendo a informação no
cérebro, há uma grande distância entre a absorção cerebral e a sua tradução muscular. Daí que é preciso dar
algum tempo ao corpo para absorver adequadamente tais informações. Minha experiência tem demonstrado
que a característica mais importante para o candidato a bom tenista é a perseverança enquanto o talento tem
atrapalhado a performance de muita gente. É que os mais desajeitados, se altamente perseverantes e bem
orientados, sempre conseguem transformar-se em bons e até grandes tenistas, pois a técnica pode ser
absorvida com o tempo, de maneira mais demorada ou mais rápida, tanto pelos perseverantes desajeitados,
como pelos talentosos. E o que se tem visto é que os perseverantes acabam sendo melhores que os talentosos,
porque, mesmo depois de se aprender tudo no tênis, há uma necessidade de treinar desesperadamente para ser
um bom atleta, e esse comportamento já é uma rotina para os perseverantes, antes desajeitados. Naturalmente,
quando temos nas mãos um tenista perseverante e talentoso, que reúne ainda algumas outras características
satisfatórias, como tenra idade, condições físicas e financeiras adequadas etc., começa a nos sinalizar a
presença de um candidato a grande campeão.
Dicas da semana 109
1) Tenho observado que muitos jogadores principiantes pecam por gingar para os lados, na tentativa de
alcançarem uma bola de voleio que se encontre mais longe de seu corpo. A ginga deve ser evitada
sumariamente no tênis, a não ser em casos extremos, em que se tenta fazer o impossível para recuperar uma
bola. O motivo simples é que a ginga pode ser substituída pelos passos. Na comodidade, o tenista usa a ginga
de corpo, em lugar de habituar-se a aproximar-se da bola com o uso dos pés. O corpo do tenista seria o torno,
em volta do qual o braço que segura a raquete gira para acertar a bola, com a precisão de um relógio suíço. E
esse torno contêm os olhos, os quais, por sua vez, dão ao atleta a noção da distância em que a bola deverá ser
golpeada com, e somente com, o centro das cordas da raquete.
2) Falando ainda sobre equilíbrio - usando também aquela figura do torno (o corpo) - encontra-se na região
entre um ouvido e o outro o labirinto, que é o sensor do nosso corpo que nos dá a noção de equilíbrio. Quando
gingamos, o labirinto fica torto e perdemos essa noção de equilíbrio. O tênis é um esporte jogado com
instrumento e, por este fato, é conhecido pela comunidade como o esporte do equilíbrio.
Dicas da semana 108
1) Num dia de muito vento, aproveite-se da situação e dirija a bola bem para dentro da quadra, aguardando
que seu adversário se arrisque em atacá-lo, colocando bolas nos cantos da quadra e acabando por jogá-las
fora, pela interferência do vento. Em face do excesso de vento, que desviará para os cantos da quadra algumas
das bolas jogadas por você, sua tática poderá nem ser notada pelo adversário, que acabará desequilibrado
emocionalmente, ao constatar sua grande regularidade mesmo naquele ambiente de vento.
2) Quando resolver executar uma curta, procure efetuar o golpe tocando com a raquete por baixo da bola, para
que ela descreva uma elipse no ar e caia bem próximo à rede, do lado adversário. É imprescindível que você
bata a bola bem à frente de seu corpo, para que suas vistas, mesmo que com a atenção voltada para a parte de
baixo da bola, tenham uma visão espacial da distância que a bola deverá percorrer. Suas vistas têm uma visão
periférica, com amplitude visual de cerca de 150 graus cada. É isto que lhe permite ter aquela noção espacial,
sem precisar de tirar toda a atenção da bola. Experimente, durante a leitura deste texto, observar o que pode
enxergar na imediações, sem tirar os olhos deste ponto aqui.
Dicas da semana 107
1) Você pode tentar imitar uma técnica não convencional que venha a observar em qualquer jogador de nível
internacional. Todavia, não esqueça que estilos não normais adotados com sucesso são sempre praticados
pelas pessoas em função de seu tipo físico específico. Percebendo, entretanto, que não lhe é possível seguir
aquele estilo, opte pela técnica adotada internacionalmente.
2) Procure ter um par de óculos que lhe permita sacar naqueles momentos em que o sol lhe bate diretamente
no olho. Eles podem protegê-lo tanto do sol como da poeira levantada numa quadra de saibro num dia de

8
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
muito vento. Os óculos mais adequados são aqueles que se amoldam ao formato de seu rosto. Além disso, eles
deverão ser bem leves, confortáveis e de cor clara. A cor marrom clara vem tendo boa aceitação, pois ela
quebra o impacto direto dos raios solares sobre seus olhos e continua deixando bem nítida sua visão da bola e
da quadra.
Dicas da semana 106

1) Aqui vai uma seqüência de treinamento de sets muito interessante para você praticar. Faça um set inteiro só
se defendendo. Faça outro só indo para a rede. Faça outro só atacando do fundo da quadra. Para finalizar essa
seqüência, faça o último set executando o seu jogo normal. Isto é, defenda-se quando necessário, vá à rede ou
ataque do fundo da quadra, quando necessário.
2) Outro bom treinamento é eleger um set para tentar pegar todas as bolas na subida. Isto o faz criar o hábito
de antecipar-se para encurtar o tempo de recuperação de seu adversário para alcançar as bolas que você venha
a colocar nos cantos da quadra oposta.
Dicas da semana 105
1) Com a ajuda de apenas trinta bolas, você pode fazer uma série de exercícios com um parceiro do seu
mesmo nível. A criatividade pode ficar completamente por conta de vocês na idealização dos exercícios. Mas
para mostrar como é simples, vão aqui alguns pequenos exemplos. Colocado com o saco de bolas próximo à
rede, jogue vinte e uma bolas alternadas, na direita e na esquerda de seu companheiro, fazendo-o correr de um
lado para o outro e exigindo que ele jogue todas as bolas na paralela. Isto deverá durar cerca de 50 segundos.
Deixe-o descansar um minuto e troque de posição com ele. Façam esse exercício - se ambos tiverem um
razoável preparo físico - três vezes cada um. Em seguida façam-no por mais três vezes, mas apenas mudando
a direção dada à bola para cruzada. O próximo exercício pode ser com slice na esquerda e lob na direita. O
próximo seria, na direita, passando com cruzada um suposto adversário que se encontraria na rede e na
esquerda, efetuando um lob. E assim por diante. Todos esses treinamentos devem ser efetuados dentro de um
princípio de respiração anaeróbica.
2) Se vocês forem três parceiros, a criatividade para inventar novos exercícios ficará ainda mais facilitada.
Jogue uma bola na direita alta do atleta e a próxima na esquerda, um pouco mais baixa, junto à rede, para que
ele corra e mate o ponto. Enquanto esse jogador volta para o fundo da quadra, faça o mesmo com o outro
amigo. Quando as bolas acabarem, troque de lugar com um dos amigos. Outro interessante exercício é lançar
a primeira bola para que um jogador de cada vez suba à rede e execute quatro voleios. Você deverá lançar as
bolas distante dos voleadores, para que eles se estiquem ao máximo tentando alcançá-las.
Dicas da semana 104

1) O lançamento da bola no saque é uma das coisas mais fundamentais para o sucesso desse golpe. Por isso,
no ato do lançamento, fique com o corpo totalmente estático; só o braço esquerdo (direito) deve mexer, no
caso de o jogador ser destro (canhoto), elevando a bola para o alto. Procure jogá-la alta de dez a quinze
centímetros além da altura que irá golpeá-la, pois o movimento do braço esquerdo (direito) é muito menor do
que o do braço direito (esquerdo), no caso do jogador destro (canhoto). Com isso lhe será possível contar com
tempo para arquear os joelhos e bater a bola saltando para a frente e para o alto.
2) Treine bate-pronto principalmente com seus alunos iniciantes, uma vez que eles não sabem o que fazer
quando a bola bate próximo de seus pés. É que os iniciantes estão programados somente para levarem a
raquete para trás após perceberem que deverão efetuar um golpe de direita ou de esquerda. A técnica do bate-
pronto resume-se em não se levar a raquete para trás, usando-a como se estivéssemos para efetuar um voleio
baixo. A diferença é que após o impacto com a bola, a raquete continua o movimento para a frente igual a
efetuado para os drives.
Dicas da semana 103

1) Durante um período de treinamento de bate-bola, reserve cerca de cinco minutos, ficando sempre atento
para pegar todas as bolas na primeira fase de sua trajetória, isto é, quando a bola estiver no ápice de sua

9
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
subida, após ter batido no chão. Com esse treino você irá perceber quantas vezes deixa a bola cair, quando
não se programa para batê-la na subida. Pegando a bola sempre na subida, você começa a acertar bem mais a
bola com o centro das cordas de sua raquete e por isso, passa a errar muito menos.
2) Treine muito seus alunos em voleios de bola alta, do meio da quadra, numa situação em que eles estejam se
aproximando da rede (approach). Atente para o fato de que a bola que eles vão volear estará caindo e que eles
precisarão golpear essas bolas à altura de seus ombros. É importante que a raquete do voleador esteja com o
plano das cordas ligeiramente inclinado para cima, para dar o desconto do fato de que a bola chegará caindo
no momento do impacto no pronto de contato raquete-bola. A bola deverá ser golpeada com um ligeiro slice.
Dicas da semana 102

1) Em locais cuja altitude seja zero, isto é, no nível do mar, o esforço do tenista para bater a bola é maior. Em
locais com altitude acima de 700 metros, a bola vai ficando mais leve, em função do menor atrito do ar.
Assim, se você for acostumado a jogar em lugares baixos, sua bola vai sair muito dos limites da quadra
quando você for jogar em lugares altos. Para evitar isto, abuse do uso do topspin no saque e em seus golpes de
fundo e meio de quadra. E quando você sair de um lugar alto para um baixo, três a quatro dias antes de viajar
treine com bolas um pouco murchas e procure diminuir a quantidade de topspin que você normalmente aplica
em seus golpes.
2) Quando sair de lugares baixos para cidades com altitude muito elevada, faça todas as suas refeições de
maneira bem mais reduzida do que a de seu hábito, para evitar que venha a passar mal, em face da maior
dificuldade de digestão nessas localidades.
Dicas da semana 101

Jogo de Duplas Forte-Fraco


(Jogador fraco sacando para o adversário forte)
As "Dicas" de hoje finalizam a série de publicações sobre o jogo de "Duplas com um parceiro forte e outro
fraco". Os organizadores de torneios devem incentivar tal tipo de duplas, pois elas são bastante úteis tanto
para o desenvolvimento dos bons jogadores, como para os tenistas iniciantes, que passam a ter a oportunidade
de conviver na quadra com atletas experientes.
1) O jogador fraco deve forçar o primeiro saque sobre o adversário forte e botar a bola em jogo na execução
do segundo saque. É preciso ter cuidado, entretanto, para não cometer "duplas-faltas" sistemáticas, porque
este é um erro imperdoável no jogo de duplas.
2) O parceiro forte do sacador não deve ficar muito próximo à rede, nem ameaçar interceptar a devolução de
saque, pois, se o fizer, obrigará o adversário forte a devolver a bola com mais força sobre o sacador.
3) Estando o parceiro fraco do devolvedor na rede, ele deve limitar-se a volear ou bater com "smash" as bolas
que cheguem ao seu fácil alcance. E se ele estiver no fundo, seu objetivo deve ser devolver as bolas sobre o
adversário fraco.
4) A devolução do saque pelo adversário forte deve levar em conta o escore de cada "game". Ela pode ser
mais arriscada, quando em vantagem no "game" ou nas ocasiões em que surgir a oportunidade de quebrar o
saque adversário. Nas demais situações sua devolução deverá ser cuidadosamente controlada.
Dicas da semana 100
Jogo de Duplas Forte-Fraco
(Jogador fraco sacando para o adversário fraco)
1) O jogador fraco não deve forçar nem o primeiro, nem o segundo saque, porque a sua melhor performance
nessa situação é não cometer dupla-falta, a fim de permitir que seu parceiro forte faça um trabalho de rede
altamente perturbador da devolução de saque pelo adversário fraco.
2) O parceiro forte do sacador deve, portanto, movimentar-se bastante, de modo a ameaçar constantemente

10
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
que vai interceptar a devolução de saque do adversário fraco, tendo o cuidado, entretanto, para não ameaçar a
quebra de saque de seu parceiro, motivada por intervenções sem sucesso e erradas.
3) O adversário fraco terá como melhor devolução de saque um meio "lob" cruzado, na direção do sacador,
para evitar que o adversário forte intercepte sua devolução.
4) O adversário forte poderá alternativamente, usar o artifício de fingir que vai interceptar na rede a bola que
seria dirigida para seu parceiro, mas, na verdade, enganando o adversário no último instante, afastando-se da
rede para alcançar aquele "lob" descrito no item 3 acima.
Dicas da semana 99
Jogo de Duplas Forte-Fraco
(Jogador forte sacando para o adversário forte)
1) Estando o parceiro fraco do sacador na rede, a devolução do saque pelo adversário forte pode ser mais
potente e arriscada, visto que a obrigação de ganhar o "game" é do adversário forte que se encontra sacando.
2) A devolução do saque pelo adversário forte deve ser com média força sobre o parceiro fraco do sacador,
caso este se encontre no fundo da quadra, pois não haverá necessidade de arriscar essa bola, mas sim de
concentrar as baterias de ataque sobre o adversário fraco.
Dicas da semana 98

Jogo de Duplas Forte-Fraco


(Jogador forte sacando para o adversário forte)
1) O serviço deve ser mais forçado, com o fim de dificultar uma resposta de saque violenta sobre o parceiro
fraco do sacador.
2) O sacador não pode correr para a rede velozmente, como o faz numa dupla de alto nível, porque ele
também é responsável por alcançar o "lob" sobre seu parceiro.
3) O primeiro voleio do sacador, caso o oponente fraco esteja na rede, deve ser razoavelmente forçado, sobre
o adversário forte e mais pelo "between", para evitar erros pela lateral da quadra.
4) Se o parceiro fraco do devolvedor também estiver no fundo da quadra o primeiro voleio do sacador já deve
ser dirigido sobre o adversário fraco e não pelo "between", para evitar que o adversário forte intercepte a bola.
Dicas da semana 97

Jogo de Duplas Forte-Fraco


(Jogador forte sacando para o adversário fraco)
(Como os adversários devem jogar nessas circunstâncias)
1) Estando o parceiro fraco do sacador no fundo da quadra, não há dúvida de que, se for possível controlar a
bola, o saque deverá ser devolvido sobre ele, com média força, sem arriscar, dando início a uma programação
de ataque concentrado sobre o parceiro do sacador.
2) O adversário forte deve posicionar-se a cerca de um metro e meio à frente e à esquerda do ponto que
demarca o centro da linha de fundo do seu lado da quadra, durante a devolução do saque por seu parceiro.
Desse ponto ele poderá dominar o seu lado da quadra e ainda interceptar algumas bolas jogadas na direção de
seu parceiro.
3) Se o adversário fraco souber volear deverá ir para a rede, na primeira oportunidade que possa, deixando o
resto da quadra para ser coberto por seu parceiro forte.
4) Durante o saque do jogador forte, os adversários podem arriscar mais, porque a obrigação por ganhar o
"game" é do sacador.

11
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 96

Jogo de Duplas Forte-Fraco


(Jogador forte sacando para o adversário fraco)
(Como os adversários devem jogar nessas circunstâncias)
1) O jogador fraco deve sempre postar-se à direita de seu lado da quadra para devolver o saque, porque o lado
esquerdo tem de ser guarnecido pelo parceiro forte, visto que ali se decidem os pontos cruciais dos "games".
Por exemplo, no lado esquerdo, em certas ocasiões há necessidade de ser efetuada uma jogada precisa, sem
ocorrência de erros, e essa tarefa é recomendada somente para o jogador mais categorizado da dupla. Do lado
direito, com exceção do "40x15", todos os demais pontos não significam fim do "game" se o jogador fraco
errar a devolução.
2) Estando o parceiro fraco do sacador na rede, a melhor resposta de saque do adversário fraco é um "lob" não
muito alto sobre o parceiro do sacador. Ou seja, um "lob" que pode até ganhar o ponto, se o sacador se
aventurar em fechar muito a rede, descuidando de defender-se do "lob" sobre seu parceiro. De outro lado,
uma repetição de devoluções com "lob" irá induzindo o sacador a antecipar-se para defender essas bolas por
sobre seu parceiro, levando-o, com isso, a desguarnecer o seu próprio lado.
Dicas da semana 95

Jogo de Duplas Forte-Fraco


(Jogador forte sacando para o adversário fraco)
1) No caso de o parceiro fraco estar na rede, ele não deve jamais esticar-se para interceptar de voleio uma bola
que vai na direção de seu parceiro forte, se deseja ganhar o jogo, pois é óbvio que a preferência para bater na
bola em qualquer tipo de dupla deve ser dada sempre a quem tem o melhor golpe. O maior erro no voleio em
duplas é cometido quando o jogador percebe que dá para sair ao encontro de uma bola e tenta alcançá-la, mas
chegará certamente atrasado, porque o certo para interceptar uma bola de voleio é programando-se com
bastante antecipação para sair ao encontro dela. Achar que dá para ir volear uma bola significa sair atrasado;
este é um erro muito comum entre jogadores inexperientes. Em outras palavras, o parceiro fraco deve limitar-
se a pegar as bolas que estejam a seu fácil alcance.
2) Se o saque for devolvido com "lob" sobre o parceiro fraco que se encontra na rede, cabe ao sacador correr
para alcançar a bola e seu parceiro deve imediatamente mudar de lado na rede, a fim de proteger o espaço
antes defendido pelo sacador.
3) A tática principal dos dois parceiros nesse tipo de dupla deve concentrar-se em dar preferência a colocar a
bola sobre o adversário mais fraco.
Dicas da semana 94
Jogo de Duplas Forte-Fraco
(Jogador forte sacando para o adversário fraco)
1) Se o parceiro fraco não souber ou não gostar de volear, preferindo ficar no fundo da quadra, o serviço do
jogador forte da dupla deve ser bem cruzado ou sobre o golpe menos eficiente do adversário mais fraco. Em
seguida, o sacador deve postar-se no fundo e a um passo dentro da quadra, próximo do meio do campo, de
modo a estar em condições de garantir o seu lado da quadra e de interceptar uma bola dirigida para o seu
parceiro fraco, com o fim de atacar o adversário fraco e concluir o ponto.
2) Durante o "game" de seu saque, o jogador forte deve dar preferência a matar os pontos pelo "between" ou
sobre o adversário fraco e não pelas laterais, pois nas duas primeiras situações um erro significará apenas que
a bola continuou em jogo enquanto o erro pelas laterais da quadra já resultará em ponto para o oponente.
3) O primeiro voleio do sacador sobre o oponente fraco, caso executado antes do "T" da quadra, deve ser
efetuado colocando a bola em jogo, isto é, sem arriscar e preparando o ponto para liquidá-lo em seguida.

12
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Nesse tipo de dupla o jogador forte não pode jogar arriscando, a não ser em situações em que haja folga na
contagem e assim mesmo com muita parcimônia.
Dicas da semana 93

Abordo, a partir das "Dicas" de hoje, um tema referente ao jogo de duplas em que um dos parceiros é um
excelente duplista e o outro é um tenista ainda com pouca experiência no esporte. Os torneios realizados nessa
modalidade são conhecidos como "Duplas Forte-Fraco". Essa modalidade de duplas parece uma brincadeira,
mas na realidade é um jogo que exige toda a habilidade, criatividade e esforço físico e mental do jogador mais
forte da dupla, levando-o a aprender muito. Vamos analisar, primeiro, a situação em que o jogador forte está
sacando para o adversário fraco.
Jogo de Duplas Forte-Fraco
(Jogador forte sacando para o adversário fraco)
1) O jogador forte não pode fazer dupla-falta. Ele deve usar tanto o primeiro como o segundo saque com
razoável dose de "topspin" e com isso terá a chance de ganhar o ponto já de saque, pois o "spin" atrapalha
bastante os iniciantes.
2) O sacador não deve precipitar-se para a rede, como o faz no jogo de duplas de alto nível, pois terá que estar
atento para socorrer seu parceiro fraco a qualquer momento.
3) Se o parceiro fraco souber volear, ele deve ficar na rede durante a execução do saque de seu companheiro.
4) No caso de o parceiro fraco estar na rede durante a execução do saque, o jogador forte, além de ser
responsável pelas bolas devolvidas do seu lado da quadra, também ficará com a obrigação de devolver as
bolas lobadas sobre seu parceiro fraco que se encontra na rede.
Dicas da semana 92
Em homenagem ao aniversário neste dia 22.03.99 de meu filho mais velho de nome Alexandre, o responsável
pela condução desta "home page", vou lhes contar meu erro como seu treinador e, por conta desse insucesso,
meu acerto na orientação técnica de meus outros quatro filhos.
1) Aos dez anos de idade o Alexandre era o primeiro jogador de Brasília em sua categoria de idade e também
figurava entre os "top ten" do Brasil. Eu o levava religiosamente às noites para treinar e lhe cobrava um
esforço no sentido de não perder aquele tempo que jamais volta atrás. Além dos acontecimentos relativos a
meu divórcio, que também tumultuaram o programa de aperfeiçoamento do Alexandre no tênis, creio que o
principal motivo de ele não ter alcançado aquele estrelato que estava tão visível em sua carreira - era alto,
magro, canhoto, boa cabeça, tranqüilo, jogava bem no fundo e na rede e tinha um técnico em tempo integral -
tenha sido meu açodamento, minha ânsia por fazê-lo um campeão. Isto acabou por levá-lo a procurar outro
esporte, por não ter plena certeza de que era ele, ou eu, que efetivamente queria que ele fosse um campeão de
tênis.
2) Dou aqui aos pais a receita aprendida com tal insucesso. Todos os meus outros quatro filhos estão
altamente interessados pelo tênis. O segundo mais velho, Cristiano (21 anos), tem bolsa de estudos adquirida
pelo fato de fazer parte da equipe de tênis da Universidade de Montgomery, no Alabama (USA). O Marco,
com vinte anos, tem três convites para jogar tênis e estudar em setembro/99 em universidades norte-
americanas. O caçula, Luis Henrique, é um inveterado pelo tênis. O grande problema que tive para direcionar
a turma toda para o mesmo esporte foi com relação ao Luis Felipe, o penúltimo a nascer. Ele só queria saber
de futebol. Quanto a este, minha tática foi obrigá-lo a fazer aula de tênis duas vezes por semana e ir deixando
que o tempo mostrasse a ele que poderia competir em igualdade com o irmão menor. Quando isso começou a
acontecer, seu interesse pelo tênis ampliou-se de maneira impressionante. A receita mágica, mas simples, é:
não deixe que seu filho perceba que é você, e não ele, que deseja apaixonadamente que ele se transforme num
campeão. Com os outros filhos, eu passei a tornar minha presença como parceiro de quadra mais difícil,
alegando que para jogar comigo eles tinham que treinar muito. Eu lhes dava aulas, batia um pouco com eles,
mas não deixava transparecer meu grande interesse que eles viessem a ser excelentes jogadores.

13
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 91

1) Procure efetuar tanto o primeiro, como o segundo saque profundos. Em outras palavras, a bola deve bater
no chão do retângulo de saque da quadra adversário no ponto o mais distante possível da rede, com o fim de
dificultar ao máximo a devolução de saque pelo oponente.
2) É também muito importante variar a colocação da bola, seja na direita, seja na esquerda ou sobre o
adversário. Sacar profundo, alternando a colocação da bola obriga o oponente a manter-se numa posição de
defesa, atrás da linha de fundo. Do contrário - sacando curto e sem grandes variações na direção dada à bola -
você irá permitir que seu adversário avance para devolver seu saque de dentro da quadra. Dessa distância um
contra-ataque é mais fácil e você poderá perder para o devolvedor sua condição privilegiada de sacador-
agressor.
3) O pior erro no saque, com exceção da "dupla-falta", é programar a colocação da bola em determinado
ponto e se ver surpreendido por ela ter caído em outro local, pois isso irá inviabilizar todo o desenvolvimento
tático do serviço, arquitetado para ganhar o ponto.
Dicas da semana 90

O espaço de hoje é dedicado ao assunto "Drogas no ambiente do tênis" e a como tratar desse delicado
problema junto aos jovens que estejam passando por tal experiência.
A primeira característica do usuário de drogas é a falta de disciplina para treinar regularmente. Nos seus atos
você irá perceber que ele tenta isolar-se da comunidade geral de tenistas e passa a conviver em grupos mais
fechados, que têm o comportamento comum de só treinarem com afinco nas vésperas dos torneios. Com sua
convivência quotidiana, seja como pai ou como treinador, você irá perceber inúmeros outros sintomas que o
levarão a desconfiar que seu atleta ou filho poderá estar usando drogas.
A maior recomendação que faço é no sentido de que, seja como pai ou como treinador, jamais passe para seu
filho ou aluno a imagem de que você vai "matá-lo" ou denunciá-lo, caso descubra que ele é viciado. Ao
contrário, sempre que possível, passe-lhe mensagens de que você é o amigo ou pai-amigo que estará sempre
presente para ajudá-lo a superar qualquer problema. Um exemplo a ser dado é que nenhum pai deixa de
socorrer um filho que tenha acabado de cometer um assassinato. Há um momento na vida dos jovens em que
eles correm atrás do desconhecido, sem medir conseqüências, e nós, mais maduros, temos que saber dar
tempo ao tempo para que esses jovens repensem quais são os seus principais valores.
Aos poucos o viciado vai perdendo o medo e pegando confiança e você. E quando você menos esperar, terá
conseguido abrir um espaço para o diálogo, que levará seu filho ou atleta a liberar-se do vício. Todos os que
entraram pelas portas do vício gostariam de encontrar a outra porta da fuga das drogas, e por isso eles se
tornam cada vez mais frágeis e carentes de ajuda. E se nós soubermos abrir essa porta através de um diálogo
de confiança mútua, estaremos salvando esses jovens, ao lhes acenar com a esperança de um novo roteiro de
vida.
Dicas da semana 89

1) Muitos tenistas têm dificuldade de quebrar o pulso, tanto na execução do saque, como do "smash". Tenho
adotado como técnica para solucionar esse problema fazê-los desviar totalmente sua atenção para encostarem
a raquete no corpo no final desses golpes. Por exemplo, se você for destro, o cabo de sua raquete deverá tocar
o lado esquerdo de sua cintura no final do golpe e você poderá perceber que isto o obrigou a quebrar o pulso.
2) Há determinados alunos que se iniciam no tênis com grande dificuldade para bater o "backhand" apenas
com uma das mãos. Normalmente, nesses casos, os professores optam por ensinar-lhes a baterem a esquerda
com duas mãos (o "two-handed grip"). Não sou contra este último estilo, mas acho que devem ser dadas ao
aluno todas as opções para ele melhor adaptar suas características físicas ao estilo que resolveu adotar. Por
isso, eu adoto nesses casos ensinar o "two-handed grip" e, aos poucos, num pedacinho da aula, ir passando ao
aluno a noção da esquerda com apenas uma das mãos. Quando ela já tiver aprendido a técnica dos dois estilos,
naturalmente irá optar por um dos dois, em função de seu melhor desempenho. E, certamente, o aluno só terá
ganho com isso, pois há momentos em que só com uma das mãos, ou só com as duas, se consegue executar

14
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
perfeitamente um golpe específico.
Dicas da semana 88
1) Não há como fazer milagres no tênis, que é considerado um dos mais difíceis esportes do mundo, por ser
jogado com instrumento. Ou seja, todos os esportes em que a bola tem contato direto com o corpo são mais
fáceis do que aqueles em que ainda tem um instrumento entre o corpo e a bola para fazer contato com esta
última. Um "lob com topspin" é uma bola de altíssima precisão e grande risco. Por isso, é necessário que você
treine muito esse golpe, pois ele poderá definir um jogo a seu favor. As observações mais importantes sobre a
execução desse "lob" são: a) não oscile os joelhos durante esse movimento, pois você irá golpear a bola de
raspão, num fração infinitesimal de segundo; daí que já é difícil efetuar o correto ponto-de-contato entre uma
raquete que efetua um movimento de baixo para cima e uma bola que segue uma trajetória perpendicular à da
raquete e se você ainda aumentar a dificuldade do golpe oscilando os joelhos, dificilmente seu golpe terá
sucesso; b) comece o movimento com o cabo da raquete na altura de seus ombros e, em seguida, mergulhe a
ponta da raquete em direção ao chão, de modo que ela inicie a próxima trajetória, de baixo para cima, de um
ponto 30 centímetros abaixo do ponto em que efetuará o contato da raquete com a bola; c) entre com as
cordas da raquete quase na vertical, mas ligeiramente por baixo da bola; d) suba com o braço até que sua
raquete atinja uma altura superior à sua cabeça.
2) Pouca gente está percebendo a grande aula que o melhor jogador do mundo nos últimos sete anos está
dando para todos nós. Trata-se de sua grande virtude de jogar calado, completamente calado. Uma fala aqui,
uma palavrinha ali vão criando o hábito de falar, passando para algo mais forte, uma reclamação consigo
mesmo, e terminando no desagradável comportamento dos berros, uma situação em que o próprio tenista iria
repudiar veementemente, caso se visse filmado. Treine nunca falar, para criar o hábito de não falar. Com isso,
você ganhará por se manter sempre emocionalmente equilibrado e em condições de pensar sobre a estratégia
que vem usando para vencer o jogo e verificar se estaria havendo necessidade de efetuar alguma alteração de
rumo.
Dicas da semana 87
1) A informação a seguir é muito importante para os iniciantes. Quando você pretender efetuar uma cruzada,
procure colocar seu corpo quase por trás da bola, em relação ao fundo da quadra adversária e se quiser
golpear a bola na paralela, posicione seu corpo de tal maneira que a bola fique mais ao lado de seu corpo. Em
outras palavras, só há uma posição de corpo para bater a bola; o que se faz é virar mais ou menos em relação
ao fundo da quadra adversária, para se bater a bola paralela ou cruzada.
2) O "lob com topspin" é uma bola que vem tendo outro tipo de aplicação nas táticas do tênis mais moderno.
Trata-se do "super spin", que nada mais é que o "lob com topspin" aplicado quando o adversário se encontra
no fundo da quadra, tendo como objetivo variar o efeito e a altura da bola, com vistas a provocar o erro
adversário. Esse "super spin" ou "maxi spin", como se queira chamar, é uma bola de variação do ritmo de
troca de bolas de fundo de quadra, tão ou até mais importante que os "underspins" e os "sidespins". Para
colocá-la em seu cardápio instintivo de variação de bolas no jogo será preciso que você programe jogos-
treinos com o objetivo de executar essa bola. É o mesmo caso das bolas curtas; há jogadores que não efetuam
uma curta sequer durante uma melhor de três "sets", porque não desenvolveram o hábito de praticá-la em
jogos-treinos.
Dicas da semana 86
1) Aqui vai uma pequena orientação para os principiantes, que vai ajudá-los muito na contagem dos pontos de
cada "game". Como se sabe, o "game" é começado de seu lado direito, 0x0. Por isso, todos os pontos cuja
soma seja par deverão ser jogados do lado direito. Ex.: 15x15; 30x0; 0x30 (dois pontos jogados); 30x30;
40x15; 15x40; (quatro pontos); 40x40 (seis pontos). O resto, os de soma impar, são jogados do lado esquerdo:
15x0; 0x15 (um ponto jogado); 30x15; 15x30; 40x0; 0x40 (três pontos); 40x30 ou vantagem a favor do saque;
30x40 ou vantagem contra (cinco pontos).
2) Na medida que a velocidade da bola no jogo de tênis vem aumentando, em face do aumento da tecnologia
nas raquetes, a devolução de saque vem assumindo cada vez mais um papel de destaque. Por isso, procure

15
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
treinar bastante as devoluções bloqueadas de saques fortes. Não leve a raquete absolutamente nada para trás; é
como se você fosse efetuar um voleio. No ato de esperar o saque, coloque os braços e a raquete mais para a
frente, de modo que seus cotovelos fiquem adiante de seu corpo. Não esqueça de que deve efetuar o "split
step" (aquele salto para a frente nas pontas dos pés) para garantir que no ato de bater a bola, o peso de seu
corpo esteja recaindo sobre ela. Se a bola for sacada sobre você, após o "split step", salte para um dos lados
(para distanciar-se da bola) e para a frente (a fim de que o peso de seu corpo ajude a golpear a bola).
Dicas da semana 85

Vou falar hoje de saque, em minha homenagem, porque sempre dediquei muita atenção a esse golpe - cheguei
a treinar 300 saques por dia durante a semana e mais 1.200 num dia de fim de semana - e também, porque
passou recentemente o dia 29 de janeiro (6ª feira passada), quando fiz precisamente dois aniversários: 57 anos
de idade e 44 de magnífica convivência com o tênis.
1) Experimente usar o centro de sua atenção (visão) ótica no saque, procurando direcioná-lo para apenas um
ponto da bola no momento do impacto raquete-bola.
É comum enxergarmos apenas um vulto da bola no ato do saque. Tal fato acontece porque não percebemos
que já não estamos mais olhando atentamente para a bola e batemos nela apenas enxergando-lhe o vulto. Para
melhor compreender tal observação, fixe sua atenção diretamente nesta palavra que acabou de ler e perceba
como sua visão periférica lhe permite ter uma razoável noção dos objetos que se encontram dentro de seu
campo visual. Isto é que nos faz trair a visão, acabando por prejudicar a performance do momento do choque
da raquete com a bola. Treine fixar sua atenção num ponto da bola mais em sua lateral direita, quando quiser
dirigi-la para o lado direito do adversário e busque um ponto quase oposto quando for dirigi-la para o outro
lado do oponente.
2) Aqui vai uma informação que parece, à primeira vista, um pequeno detalhe, mas que na verdade é de
imensa importância para o saque. Lance primeiro a bola, com o corpo ereto (veja o exemplo do Sampras, que
no ato de abaixar os braços, ergue o corpo e o deixa nessa situação enquanto lança a bola) e depois flexione os
joelhos, com o fim de arquear o corpo e bater mais forte na bola. Inúmeros tenistas lançam a bola e
simultaneamente flexionam os joelhos, acabando por impossibilitar a perfeição do lançamento da bola.
Dicas da semana 84
1) "Speed increasing": trata-se da "aceleração da velocidade" do golpe, um aspecto fundamental normalmente
muito pouco observado, ou observado erradamente pelos principiantes. O saque é um bom exemplo para
melhor explicar o "speed increasing". Normalmente o principiante começa tentando sacar dando razoável
dose de velocidade ao movimento dos dois braços no inicio do golpe e isso o faz privar-se de efetuar o
fundamento "explosão" no momento do impacto raquete-bola. Atente para o aspecto de que é prioritário para
a boa execução do saque efetuar um movimento bem lento dos dois braços até o momento de golpear a bola,
quando, então, você deverá jogar todo o peso do corpo sobre o golpe, com "explosão" e "speed increasing"
(velocidade de aceleração).
2) "Split step": o que é o "split step"? É um salto para a frente (ou no caso de você estar correndo, uma
freiada), em que você cai com as duas pontas dos pés no chão, uma fração de segundo antes de golpear a bola.
São duas as situações mais distintas em que você deve usar o princípio do "split step": a) quando você vai
devolver o saque adversário, o "split step" fará com que você se encontre com o peso do corpo perfeitamente
equilibrado em relação aos lados e ligeiramente desequilibrado para a frente (em estado de dinâmica), o que o
ajudará a bloquear a bola com a ajuda do peso do corpo; b) quando você está correndo para a rede e se
prepara para efetuar o voleio, devendo efetuar o "split step" no exato momento em que o adversário vai bater
a bola, o que lhe permitirá mudar de direção, pulando para o lado em que a bola foi colocada pelo oponente.
Dicas da semana 83
As "Dicas" de hoje continuam abordando o assunto "Alguns Fundamentos do Tênis".
1) "Swing": o "swing", ou "alavancagem", ou "follow through" significa o seguimento, a continuação da
batida após a bola ter sido golpeada. Muita gente despreza a importância do "swing" e tem como resultado um

16
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
golpe sem potência e irregular. Costumo dizer que, se o início da batida é feito sempre do mesmo modo e o
seu final também é executado sistematicamente de igual maneira, é certo que o meio do golpe - o momento do
impacto raquete-bola - será também executado com regularidade. Daí a importância do "swing"; se você quer
ter regularidade, prime por efetuar um perfeito "swing".
2) "Explosão": a ação de explosão se dá exatamente no momento do impacto raquete-bola. Não atentar para
este aspecto significa deixar que a velocidade da bola domine tanto a força, como a direção de seu golpe. Em
outras palavras, seu movimento deve ser relativamente lento e coordenado, deixando para acelerá-lo no ato de
encontrar a raquete com a bola.
Dicas da semana 82

As "Dicas" de hoje abordam aspectos relativos a "Alguns Fundamentos do Tênis", que devem estar sempre
presentes nos golpes do tenista.
1) "Starting": dar a partida num movimento de corpo de maneira lenta normalmente significa que o golpe
ficará prejudicado pela descoordenação, motivada pela falta de tempo para efetuar corretamente o impacto
raquete-bola. Deve-se treinar manter o peso do corpo sobre a parte dianteira da planta dos pés, para se
conseguir efetuar rapidamente o "starting" da batida. O comportamento mais adequado para se estar sempre
pronto para um "starting" adequado é adotar-se o princípio de "quicar na quadra", que nada mais é do que
efetuar dois saltos muito curtos, baixos e rápidos, com as pontas dos pés, no momento em que o adversário
vai golpear a bola. Assim você estará em estado de dinâmica, em lugar de se encontrar em estado de estática,
caso ficasse com os calcanhares plantados no chão.
2) "Distanciamento apropriado da bola": correr em direção à bola e adquirir o correto senso de distância do
corpo em relação a ela é outro aspecto básico a ser observado pelo tenista. Hoje isto pode parecer muito
simples para você que já venceu essa etapa da vida tenistica, mas tenho certeza de que se lembra daqueles
tempos em que se via atropelando a bola. Alerto aos principiantes que é preciso paciência para se chegar a
obter o perfeito senso de distanciamento da bola, o que normalmente só vem a ocorrer após um mínimo de
dois anos de prática regular do tênis. Em outras palavras, procure calcular e decorar a distância adequada para
sistematicamente bater a bola.
Dicas da semana 81
1) Abra o último passo em direção à bola nos "drives" de fundo de quadra. Esta é uma prioridade que não
pode ser negligenciada, sob pena de você vir a criar com seu corpo um vetor em direção contrária ao outro
vetor formado pelo deslocamento da raquete para a frente, levando com isso a reduzir a força que você
gostaria de imprimir sobre a bola. É muito comum ver-se tenistas baterem a bola caindo para trás e a
explicação lógica desse fato é não terem aberto o último passo para a frente, em diagonal à rede e na direção
da bola.
2) Treine bastante devolver os "slices" adversários efetuando "drives" com muito "topspin". O motivo é que o
efeito imprimido pela raquete nas bolas com "slice" (bolas cortadas, em que a raquete faz um trajeto de cima
para baixo) tende a puxar a bola adversária para a rede, fazendo-se necessário muito "topspin" para neutralizar
o propósito de tal efeito.
Dicas da semana 80
1) Efetue o "drive" de direita com o cotovelo próximo ao corpo durante todo o movimento, a fim de que você
tenha um golpe potente e regular. Se tiver dificuldade para manter o cotovelo próximo ao corpo, treine
golpear a bola com outra bola debaixo do braço, sem deixar que esta venha a cair. Batendo mais junto do
corpo você passará a golpear a bola com o braço um pouco encolhido e isto lhe permitirá contar com um
intervalo de confiança para acertar a bola, seja batendo ainda mais perto de seu corpo, caso ela pule
imprevisivelmente para cima de você, seja quando tiver que esticar o braço no caso de a bola ter pulado mais
para longe do ponto que você havia calculado. A outra forte argumentação para você executar esse golpe com
o cotovelo mais perto do corpo pode ser explicada através da "teoria do absurdo", quando se atenta para o fato
de que seria muito mais fácil acertar a bola com o centro das cordas da raquete se ela fosse idêntica a uma de

17
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
"frescobol" (sem a extensão do cabo), do que se ela tivesse um cabo de dois a quatro metros de comprimento.
Ou seja, quanto mais longe se bate do corpo, mais difícil se torna a execução do golpe.
2) Quando você estiver na rede e for efetuar um "smash" (nessa situação não deve deixar que a bola bata no
chão), bata a bola mais à frente do ponto que você normalmente golpeia a bola quando efetua o saque
chapado. Isto se faz necessário porque você está muito próximo à rede e precisará bater a bola bem para
baixo, para evitar que ela vá fora, o que certamente iria ocorrer se batesse a bola no ponto em que o faz no
caso do saque. Use a mão que não está segurando a raquete para apontar para a bola, à frente de seu corpo e
force para efetuar o impacto raquete-bola exatamente acima do ponto em que aquela mão estará apontando
para a bola.

Dicas da semana 79

1) O momento ideal para efetuar um golpe com "slice" é quando a bola parou de subir, após ter batido no
chão (isto é, a bola nem está subindo, nem caindo). Além disso, dê preferência a efetuar o "slice" em bolas
que lhe cheguem numa altura próxima do nível de sua cintura. A melhor situação para efetuar um "slice" é
quando o adversário nos arremessou uma bola com pouco "topspin". Em seguida vem a preferência por
contragolpear uma bola recebida com "slice" e, como última opção vem o "slice" sobre uma bola que nos
chega com acentuado "topspin".
2) Faça com que sua raquete fique com o plano das cordas quase na vertical, mas ligeiramente inclinado para
cima, pois o "slice" é conseqüência de um movimento descendente da raquete, e não de se ter inclinado as
cordas da raquete muito para cima. Neste último caso é possível efetuar um "slice", mas ele não terá muita
força e o seu índice de erro será grande, porque a raquete encontrará a bola atingindo-a num ponto tangente e
num milésimo de segundo. A raquete deverá deslizar no ar, de cima para baixo, descrevendo um percurso
quase que horizontal, mas terminando alta, à frente do corpo.

Dicas da semana 78
1) Muita gente fala em quebrar o pulso para fazer a laçada no saque e no "smash", mas falta a explicação de
que tipo de quebrada de pulso é essa. Quando a raquete estiver por trás de sua cabeça, seu pulso não pode
assumir aquela posição característica de carregar bandeja do garçom, mas, ao contrário, seu pulso deverá estar
posicionado de modo que a mão apareça como uma continuação de seu antebraço. O pulso só irá flexionar
para a frente (na direção da palma da mão) no momento em que você for golpear a bola. Somente desta
moneira você conseguirá efetuar um perfeito movimento contínuo de rotação com a ponta da raquete atrás de
sua cabeça antes de golpear a bola no saque. Para facilitar a laçada atrás da cabeça é fundamental que você
passe primeiro com a mão que empunha a raquete bem perto de sua cabeça e depois disso imagine-se com um
martelo na mão, prestes a golpear a bola.

2) Tanto no "smash" de bolas que batem no chão, no fundo da quadra, como no caso em que a bola não deve
bater no chão (quando você está na rede), tome cuidado para manter o corpo ereto, do começo ao fim do
golpe. Evite ao máximo curvar-se para a frente, pois isso poderá privá-lo de acertar a bola com o centro das
cordas de sua raquete, além de atrapalhar a boa execução da laçada. Em meu livro explico o problema da
visão periférica, por conta da qual às vezes pensamos que estamos vendo a bola com o centro de nossa
atenção ótica, quando na realidade só a estamos acompanhando com nossa visão periférica. Experimente
olhar fixamente para um objeto e, sem desviar sua atenção de tal objeto, procure verificar como sua visão
periférica lhe permite enxergar não nitidamente tudo que se encontra a cerca de 150 graus de amplitude visual
de cada uma de suas vistas e com isso entenderá o que tento alertar sobre o centro de nossa atenção ótica e a
visão periférica.

18
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 77

1) Está se configurando um novo cenário na técnica de execução do movimento de saque. Os principais


mensageiros desse novo estilo são, por exemplo, alguns dos melhores tenistas espanhóis da atualidade, o
chileno Marcelo Rios e o australiano Patrick Rafter, entre outros. A mudança fundamental desse novo estilo
de sacar é a alavancagem do braço que empunha a raquete, cujo movimento tem seu percurso eliminado na
parte em que tradicionalmente a cabeça da raquete descia a ponto de quase arrastar no chão, passando agora a
subir imediatamente, junto com o lançamento da bola. Naturalmente, quem pretender usar este estilo terá que
lançar a bola mais baixo que no outro estilo, já que o tempo do movimento do braço que segura a raquete será
encurtado. A grande vantagem desse estilo é que ele pode corrigir o defeito daqueles tenistas que não
conseguem sacar, efetuando a laçada com o cotovelo alto.
2) Além das observações sobre o saque mais padrão que já abordei em meu livro, cabe comentar o
excepcional giro de tronco procedido por Sampras na execução do saque, chegando a ficar de costas para o
adversário antes de golpear a bola. Um detalhe que ajuda muito nesse giro de tronco é trabalhar para que seus
joelhos cheguem a virar para o fundo de seu lado da quadra, naturalmente com um pouco de ajuda da torção
das pontas dos pés para aquela mesma direção, antes de golpear a bola. No ato de bater a bola, você deverá
saltar, de modo a que seu corpo venha a se encontrar totalmente no ar, permitindo que você corrija a postura
do corpo, girando-o para a frente.

Dicas da semana 76
1) É fácil perceber que o saque é o golpe principal de um jogo de duplas em nível profissional. O parceiro do
sacador encontra-se bem próximo à rede, aguardando que uma falha na devolução do saque o permita liquidar
o ponto com um voleio. Essa tarefa do parceiro do sacador pode ser bastante facilitada, através de um
eficiente trabalho de comunicação entre o sacador e seu parceiro na rede. Para dar confiança ao parceiro, o
sacador é que deve orientar seu parceiro quanto ao que fazer, se tentar interceptar a devolução do saque, ou
manter-se fechando a paralela. Isto ajuda, psicologicamente, no melhor desempenho do parceiro do sacador,
quando for orientado a interceptar a devolução, pois a responsabilidade por um possível insucesso da tática
fica ao encargo do sacador. Outro aspecto muito importante é combinar-se antecipadamente aonde vai ser
colocado o saque. Assim, em lugar de ficar apreensivo, o parceiro do sacador será informado tanto sobre o
que deverá fazer, como sobre o local em que o sacador vai colocar a bola - à direita, distante do adversário; à
direita, em cima do adversário; à esquerda, distante do oponente; ou à esquerda, sobre o corpo dele. Há duas
maneiras de os parceiros de duplas acertarem tais informações. Ou eles o fazem através de sinais do parceiro
do sacador com a mão por trás de suas costas, ou através de um diálogo - o que é bem melhor - antes de cada
saque, pois neste caso, as decisões principais poderão ser tomadas pelo sacador. Deve ser programada tanto a
tática para o primeiro saque, como para o segundo.
2) Abordo aqui um fundamento muito importante do tênis, conhecido como o "starting" (início) de um golpe.
Dar a partida num movimento de maneira lenta, atrasada, significa normalmente que o golpe ficará
prejudicado pela descoordenação, motivada pela falta de tempo para efetuar corretamente o impacto raquete-
bola. Deve-se treinar manter o peso do corpo sobre a parte dianteira da planta dos pés, para se conseguir
efetuar, no tempo apropriado, o "starting" da batida. Em outras palavras, não deixe seu corpo plantado sobre
os calcanhares.

Dicas da semana 75
1) Cultive o hábito do tênis nas crianças, até para o seu próprio benefício, pois este é um dos poucos esportes
que permitem a um avô jogar contra o neto, ou a um cientista confraternizar com uma criança. É
rejuvenescedor para os adultos ter condições de aproveitar a convivência com os mais novos.
2) A propósito de crianças, muitas pessoas me perguntam qual a idade ideal para começarem a jogar tênis.
Sou favorável a iniciá-las com a orientação de um professor que se dedique apenas a fazê-las se

19
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
familiarizarem com o ponto-de-contato raquete-bola. Deve ser dada uma raquete à criança, que pode começar
com seus dois ou três anos de idade, deixando-a brincar orientadamente no máximo uns dez a quinze minutos
por aula. Uso muito tirar esses minutos da própria aula dos pais e em seguida dispenso a criança, mantendo-a
com vontade de ter mais aula, pois assim elas jamais enjoarão de receber as instruções do professor de tênis.
Lá para os quatro a cinco anos já deverão estar com um estilo razoavelmente correto e em condições de
receber aulas num período de tempo mais demorado. Nessa altura, uma escolinha passa a ser muito
interessante, dado o caráter do ambiente de brincadeira em grupo. Aos seis/sete anos a criança já deve
freqüentar uma clínica que trabalhe com ela em grupo de no máximo quatro alunos.

Dicas da semana 74

1) Se o seu adversário for um devolvedor de bola - ou seja, aquele indivíduo que só dá balõezinhos, no meio
da quadra, e fica apostando sempre e somente no seu erro - a melhor tática contra esse tipo de oponente é
você não se permitir jogar como um "milionário", arriscando todas as bolas. Sua tática deve ser a de trocar
bolas com ele, pacientemente, até que ele devolva uma bola que lhe permita atacá-lo com bastante segurança.
Espere pacientemente que seu adversário encurte a bola e, se você a considerar muito boa para golpeá-la, aí,
então, imponha-lhe o seu jogo agressivo. Outra tática contra esse tipo de jogador é chamá-lo para a rede,
retirando-o de sua característica, ao obrigá-lo a atacar. Chame-o à rede com bolas semi-curtas, meio cruzadas
e poderá surpreender-se, por conseguir ganhá-lo facilmente.
2) Quando você se sentir desconcentrado, ou tenso, procure esquecer esse comportamento, utilizando-se do
pensamento: "- Olho na bola e queixo para cima." "Queixo para cima" significa altivez (eu sou um vencedor).
E "olho na bola" é um meio de você dissipar o nervosismo instantâneo, ao procurar desviar toda a sua atenção
para a bola. Habitue-se a esse tipo de pensamento nessas ocasiões e terá um bom resultado com tal
comportamento. Além disso, não esqueça nesses momentos de efetuar a correta respiração para injetar
endorfina em seu organismo, da maneira como já abordei em Dica anterior.

Dicas da semana 73
As Dicas de hoje continuam a tratar das diferentes distâncias em que a bola pode
quicar de você, em seu lado da quadra. A lógica destas informações é precisamente
matemática, todavia há tantas coisas para se pensar enquanto jogamos que muitas
vezes nos passa despercebido o motivo de errarmos infantilmente determinadas bolas.
1) Numa bola golpeada com força por seu adversário, que venha a cair bem no fundo de seu lado da quadra, a
cerca de um metro de distância de você, sua raquete deve começar o movimento para a frente bem antes
do instante em que a bola for bater no chão de seu lado da quadra, de tal modo que a raquete já esteja
quase batendo na bola logo após o momento em ela tenha acabado de pular no chão.
2) Numa bola adversária que lhe chegue muito alta e sem força, sua raquete só deverá começar o
movimento para a frente bem após a bola ter batido no chão de seu lado da quadra, no instante em que
a bola - completamente sem força, e quase parada no ar - tenha alcançado o ponto de contato
raquete/bola.

Dicas da semana 72
As Dicas de hoje e da semana 73 tratarão, como assunto principal, das diferentes
distâncias em que a bola pode quicar de você, em seu lado da quadra. Estas
informações são muito importantes para todos os níveis de tenistas. Para os que ainda
não são grandes jogadores estas informações vão ajudá-los a entender como fazer os
movimentos da maneira mais adequada e para os grandes jogadores, as informações a
seguir vão ajudá-los a compreender o que aprenderam a fazer instintivamente, mas

20
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
que acabarão por fazê-los errar menos na execução dos golpes em questão. Há três
tipos de bolas distintas que devem ser muito bem compreendidas para que se tenha
sucesso na sua execução.
1) A bola mais comum é a que cai no chão do seu lado da quadra a cerca de dois metros de distância de você.
Sua raquete deve começar o movimento para a frente no instante em que a bola bater no chão de seu
lado da quadra, de tal modo que o espaço percorrido pela raquete até bater na bola seja igual ao que a bola
percorreu entre o momento em que pulou no chão e o ponto em que bateu na raquete. É como se fossem as
duas mãos de um maestro abrindo e fechando, coordenadamente. O ato do maestro, com as duas mãos
distantes uma da outra, representaria o seguinte: a mão esquerda seria a bola batendo no chão e a mão direita
seria a raquete aberta para trás, no "backswing"; e as duas mãos do maestro quase unidas significariam o
momento do impacto raquete-bola.
2) Um jogador cuja ação tenha sido prejudicada ou impedida pelo movimento ou presença de um espectador
poderá solicitar ao juiz a repetição do ponto. Esta será concedida caso, na opinião do juiz, tenha realmente
havido interferência, resultando em prejuízo ou impedimento para o jogador. A repetição não será concedida
se o prejuízo ou impedimento tiver advindo da disposição da quadra ou das partes fixas da mesma.

Dicas da semana 71

1) Assisti recentemente aquele jogo em que o Rafter ganhou do Sampras no quinto "set", na semi-final do US-
OPEN/98. O jogo estava muito duro e o Sampras ganhava por dois "sets" a um, quando torceu o joelho e
acabou perdendo a partida. Todavia, o fato que desejo ressaltar foi a grande dificuldade encontrada por
Sampras para quebrar o saque do Rafter durante todo o jogo. Nas devoluções dos saques com bastante
"topspin" colocados na esquerda, em cima do corpo de Sampras, em lugar de baixar o ombro da frente - o
ombro do braço que segura a raquete - pulando com os dois pés, igualmente, para o lado direito e para a
frente, Sampras estava afastando da bola para a direita mas quase que recuando, caindo com o corpo
ligeiramente para trás, ao passar o pé esquerdo e o peso para trás do corpo. Rafter concentrou,
inteligentemente, a maior porcentagem de seus saques na esquerda, sobre o corpo do Sampras e, ajudado pelo
problema no joelho do adversário, chegou à vitória final.

Dicas da semana 70
1) Simule uma situação de jogo e procure treiná-la por inúmeras vezes. Por exemplo, faça uma troca de cinco
a seis bolas batidas normalmente com "topspin" e em seguida efetue uma bola com "slice"; bata mais cinco
bolas com "topspin" e efetue na próxima um golpe que quase se assemelhe a um "lob" com "topspin" (um
super "spin"); jogue mais seis bolas com "topspin" e em seguida efetue uma curta. Esse tipo de treino é muito
importante, porque você precisa criar um comportamento instintivo, subconsciente, para efetuar um conjunto
de diferentes golpes, à medida que lhe sinalizem as condições adequadas.
2) Treine um bate-bola contando de dez em dez cada bola que você acertar dentro da quadra adversária até
atingir um número de 50/100 bolas sem errar. Cada vez que errar a bola na rede ou fora dos limites da quadra,
volte para zero, tentando novamente atingir aquele limite de 50 bolas. Você estará apostando com seu
adversário quem alcançará primeiro e por quantas vezes aquela performance de 50 bolas dentro da quadra.
Quando sua regularidade melhorar, passe a fazer este mesmo exercício não mais permitindo que a bola bata
dentro do "T" da quadra. Com este exercício você estará adquirindo a capacidade de controlar tanto a altura,
como a velocidade que pretende imprimir sobre a bola.
Teste de Conhecimento.
Pergunta: Se uma bola que provavelmente iria fora vier a tocar um dos postes de sustentação da rede, no caso
de uma dupla, ou em um dos paus de simples, se num jogo de simples, e, em conseqüência, mudar de curso,
acabando por atingir o solo da quadra do oponente, a mesma será válida?
Resposta: Se uma bola que provavelmente iria fora vier a tocar num dos postes de sustentação da rede, no

21
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
caso de uma dupla - ou em um dos paus de simples, se num jogo de simples - e, em conseqüência, mudar de
curso, acabando por atingir o solo da quadra do oponente, a dita bola é considerada válida.

Dicas da semana 69
1) Treine seu aluno em voleios de bolas muito altas, que iriam bater no chão a cerca de um metro da linha de
fundo da quadra. Para isso, o importante é que ele aprenda a efetuar a mudança da empunhadura normal de
espera de bolas que batem no chão no fundo da quadra (empunhadura de "forehand") para a de voleio.
Normalmente, o jogador acaba efetuando, nesses casos, um voleio com "topspin" - que é um golpe pouco
eficiente, porque muito arriscado - uma vez que não está treinado para efetuar a mudança de empunhadura
com vistas a executar esse voleio de fundo de quadra. Às vezes, depois de ter sido deslocado a ponto de ficar
completamente fora da quadra, o adversário joga uma bola alta e funda, pretendendo com isso ganhar tempo
para se reposicionar e esperando que você deixe a bola bater no chão e vá golpeá-la bem de fora de seu lado
da quadra. Se você estiver treinado em antecipar-se, entrando uns dois a três passos dentro de seu lado da
quadra, batendo tal bola de voleio, poderá ganhar o ponto, por não ter permitido a recuperação de seu
adversário, porque antecipou-se em jogar a bola no lado oposto ao que ele se encontra. Este é o chamado
voleio de fundo de quadra, que poucos jogadores sabem executá-lo como uma potente arma.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Em dupla, é permitido ao parceiro do sacador colocar-se na quadra em posição que obstrua a visão
do recebedor?

Resposta: Em dupla, é permitido ao parceiro do sacador colocar-se na quadra na posição que desejar, mesmo
que esta obstrua a visão do recebedor. O parceiro do sacador pode ficar dentro ou fora das limitações do
campo de tênis, desde que se mantenha em seu lado da quadra.

Dicas da semana 68
1) Alguns internautas têm-me questionado por quê as "Dicas" quase não têm abordado o assunto "Preparação
Psicológica". É porque esta matéria não pode ser tratada em pequenas notícias, pois se trata de assunto
complexo e eu só considero que haja condições de convencer o leitor, se o fizer através de uma longa
argumentação. Aos interessados, aconselho-os a consultarem meu livro, que trata exaustivamente desse
assunto logo no seu primeiro capítulo.

2) Se o seu adversário for um devolvedor de bola, ou seja, aquele indivíduo que só dá balõezinhos, no meio da
quadra, e fica apostando sempre e somente no seu erro, a melhor tática contra ele é você não se permitir jogar
como um "milionário", arriscando todas as bolas. Sua tática deve ser a de trocar bolas pacientemente, até que
ele devolva uma bola que lhe permita atacá-lo com bastante segurança. Ou seja, espere que seu adversário
encurte a bola e, se você a considerar muito boa para golpeá-la, aí, então, imponha-lhe o seu jogo agressivo.
Outra tática contra esse tipo de jogador é chamá-lo para a rede, retirando-o de sua característica (seu habitat),
ao obrigá-lo a atacar. Chame-o à rede com bolas semi-curtas, meio cruzadas e poderá surpreender-se, por
conseguir ganhá-lo facilmente, ao perceber que ele não sabe volear.

Teste de conhecimento.

22
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Pergunta: O que estabelece a Regra para o caso de o primeiro serviço ter sido "falta", mas o segundo saque ter
sido bom e tornar-se necessário determinar a repetição do ponto?

Resposta: A Regra estabelece que, para o caso de o primeiro serviço ter sido "falta", mas o segundo saque ter
sido bom e tornar-se necessário determinar a repetição do ponto, a "falta" será considerada nula e o ponto,
como um todo, será repetido.

Dicas da semana 67
1) Se você for jogar contra um adversário "two-handed grip" (ou seja, aquela pessoa que pega a raquete com
as duas mãos, de "backhand" ou de "forehand") e perceber que não está conseguindo ganhar na troca de bolas
fortes, passe a adotar a tática de retirar o peso da bola, tentando atirá-la no fundo da quadra oposta, numa
altura um pouco superior à da cabeça do adversário. Você o obrigará a bater pulando, pois ele tentará a todo
custo restabelecer a velocidade anteriormente imprimida sobre a bola - para que possa adotar o princípio de
aproveitar a força da bola - golpeando-a sempre na subida, pois a sua alavancagem é muito curta e ele
suprime essa deficiência aproveitando para pegar a bola na subida, quando ela ainda contém força. Se adotar
essa tática, conseguindo ampliar ao máximo o tempo de duração da partida, poderá levar seu adversário ao
esgotamento físico ou a sentir cãibras e ter que abandonar o jogo.

2) É de fundamental importância usar um uniforme confortável, que não lhe cause mal-estar, gerado por
dificuldades na transpiração, pois isto poderá tirar sua concentração do jogo. Muito importante, também, é a
escolha do sapato e de meias apropriadas, pois estes poderão salvá-lo de possíveis dores musculares nas
pernas ou de cãibras e distensões durante um jogo bastante disputado e muito demorado.

Teste de conhecimento.

Pergunta: É válida a jogada se a bola atingir um objeto estacionário ou em movimento na quadra?

Resposta: É válida a jogada, se a bola atingir um objeto estacionário ou em movimento na quadra, a menos
que o objeto estacionário tenha vindo a situar-se na quadra após a bola ter sido posta em jogo, caso em que o
ponto será repetido. Se a bola em jogo atingir um objeto movendo-se acima ou paralelamente à superfície da
quadra, o ponto será repetido.

Dicas da semana 66
Determinadas táticas de jogo devem fazer parte do "Arquivo de Táticas Básicas e Instintivas" do jogador. As
"Dicas" dessa semana registram os primeiros exemplos de uma série dessas táticas, que pretendo apresentar
daqui por diante.

1) Se você for um iniciante, até o nível de prática de três anos, sua primeira e melhor tática é tentar jogar
bolas a cerca de um metro e meio do fundo da quadra adversária e passá-las a quase dois metros de altura da
rede. Enquanto isso, procure concentrar-se em desenvolver corretamente seu estilo, para que possa ir
conseguindo, cada vez mais, a maior regularidade nos seus golpes. Não estou propondo, com isso, que você
jogue na defesa. Suas bolas poderão ser regulares, mas fortes e agressivas, porque você tenta jogá-las no
fundo da quadra.

23
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br

2) Também com o objetivo de melhorar a regularidade nos golpes, procure acostumar-se a não ter necessidade
de usar a segunda bola de saque. Um bom treino para isso é apostar com um adversário, numa partida de vinte
pontos, quem perderá, por ter atingido esse número de erros, usando apenas uma bola de saque.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se a primeira bola, servida fora do retângulo de saque, vier a atrapalhar o recebedor durante a
execução do segundo serviço, pode o prejudicado pedir a repetição do ponto?

Resposta: Se a primeira bola, servida fora do retângulo de saque, vier a atrapalhar o recebedor durante a
execução do segundo serviço, o prejudicado pode pedir a repetição do ponto. Porém, se ele teve oportunidade
de remover aquela bola da quadra e negligenciou em fazê-lo, perderá o direito à dita repetição.

Dicas da semana 65

1) Cuidado para não dividir em três, em lugar de apenas duas partes, o "backswing" de seus golpes de direita
e esquerda de fundo de quadra. Ao primeiro sinal de que a bola vai para a sua direita (ou esquerda), você deve
fazer a primeira etapa de seu "backswing", levando a raquete para cima e ligeiramente para trás, aguardando
neste ponto a ocasião adequada para rebater a bola. Há muitos jogadores que cometem o erro de, após
efetuarem corretamente esta primeira parte do "backswing", não manterem a raquete no alto, quando instados
a correrem em direção à bola. Ao contrário, eles baixam a raquete para trás do ponto em que vão bater a bola
e, com isso, perdem a potência do golpe e ficam sem a alternativa de executarem um "drive" com "topspin".
Em outras palavras, leve a raquete para trás, no alto e no momento de bater a bola, traga-a para baixo e por
baixo da bola, indo após para a frente e para cima, de modo contínuo, desenhando um "c" no ar. É muito
comum ver-se jogadores desenhando com a raquete um "v" no ar e com isso a ponta da raquete perde
alavancagem, caindo para velocidade zero logo atrás da bola, no ponto de inflexão do "v".

2) Um tipo de treinamento com dois alunos que tem dado excelentes resultados é estabelecer um tempo de 10
minutos para que somente um deles saque, enquanto o outro devolve o serviço, disputando-se cada ponto, sem
envolver contagem. Tenho, com isto, criado uma mentalidade no tenista de jogar apenas preocupado em
ganhar cada ponto, além do fato de que, durante aqueles 10 minutos, os saques (ou respostas de saque) são tão
repetidos e efetuados de maneira competitiva, que é possível senti-los mais confiáveis.
Teste de conhecimento.

Pergunta: Vale a jogada quando a bola em jogo atinge outra em pleno ar?

Resposta: Quando a bola em jogo atinge outra em pleno ar, a Regra estabelece que o ponto deve ser repetido,
a menos que a outra bola tenha sido lançada ao ar por ato deliberado de um dos jogadores, quando aquele que
o praticou deverá perder o ponto.

Dicas da semana 64
1) Sempre que você for efetuar um voleio, é muito importante que avance com os cotovelos ligeiramente
adiante de seus ombros, a fim de que possa esgrimar com a raquete a frente do corpo. Experimente com sua

24
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
raquete imitar um esgrimista, e perceberá como é importante estar com o cotovelo livre à frente de seu corpo
para desenvolver a criatividade de seus voleios.

2) A raquete deve estar frouxa na mão no ato de espera do voleio, pois o pulso deverá adaptar-se para volear
bem à frente do corpo e o instinto para não deixar a raquete cair o levará a segurá-la firme no ato do impacto
com a bola. Em seguida, avance - com qualquer pé - o peso do corpo para a frente - e não para o lado - em
direção à bola, empurrando o braço para a frente, como se estivesse conduzindo a bola para o local que deseja
colocá-la.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Pode o jogador exigir que uma bola deixada na quadra de seu oponente seja retirada?

Resposta: A Regra estabelece que sim, desde que isto não ocorra no meio da disputa de um ponto.

Dicas da semana 63
1) Dê muita importância à informação que segue, e perceberá como melhorará a performance de seus golpes
de fundo de quadra. Seja em bolas que o obriguem a correr ou não, exagere um pouco, abrindo bem para a
frente o último passo em direção à bola, a fim de que você possa ficar sempre com o peso do corpo caído
sobre o pé da frente. Isto lhe proporcionará maior equilíbrio e mais potência na batida.

2) Para conseguir executar com perfeição a Dica acima, programe-se para correr sempre para a frente, em
diagonal - evite ao máximo a corrida para os lados, ou para trás - e procure efetuar o último passo de
aproximação da bola com o pé de trás, utilizando o pé da frente apenas para proceder a abertura aqui
recomendada.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O jogador deixa uma raquete de reserva atrás de si. Em determinado momento quebra a corda da
raquete com que ele está disputando o ponto e ele aproveita para pegar a raquete reserva, sem interromper o
ponto. É válida a sua ação?

Resposta: O jogador deixa uma raquete de reserva atrás de si. Em determinado momento quebra a corda da
raquete com que ele está disputando o ponto, e ele aproveita para pegar a raquete reserva, sem interromper o
ponto. Esse ato não é válido, em face do que estabelecem as Regras do tênis, que tratam de maneira "singular"
(unitária) os instrumentos utilizados pelo tenista durante o jogo: "a (uma) bola em jogo" ou "a (uma) raquete
com que o tenista disputa um ponto", ficando claro que o jogador não pode disputar um ponto utilizando-se de
mais de uma raquete.

Dicas da semana 62

1) Quando você estiver consertando um detalhe do golpe de seu aluno, insista para que ele concentre sua
atenção somente no local errado, pois as outras partes do golpe que já estão automatizadas serão executadas

25
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
instintivamente. Se você resolver consertar duas partes do mesmo golpe ao mesmo tempo, lance muitas e
muitas vezes bolas para ele executar aquele golpe e, enquanto isso, vá lembrando seu aluno de executar o
golpe prestando atenção, alternadamente, a uma parte por consertar e a outra. Em outras palavras, seja o
cérebro de seu aluno, enquanto ele não tiver automatizado um golpe.

2) Também é possível, não obstante mais dificultoso, o próprio tenista exercitar-se obedecendo ao princípio
acima. O local mais apropriado para fazer tal exercício é com a ajuda de uma parede, não esquecendo de
pensar, alternadamente, nos pontos do golpe a consertar.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Determinada bola em jogo atinge o juiz ou sua cadeira. O jogador que a golpeou alega que, salvo
isso, a bola iria cair, certamente, dentro da quadra. O que determina a Regra?

Resposta: Determinada bola em jogo atinge o juiz ou sua cadeira. O jogador que a golpeou alega que, salvo
isso, a bola iria cair, certamente, dentro da quadra. A Regra determina que o jogador perde o ponto, pois juiz
ou cadeira, naquelas circunstâncias, fazem parte do ambiente da quadra.

Dicas da semana 61

1) Um jogador que recentemente conseguiu melhorar sua posição no "ranking" internacional comentou que
sua performance deveu-se ao fato de ter passado a treinar as chamadas "bolas fáceis", as quais costumava
errar em competições e que o levavam a perder muitos jogos, em face do cometimento de erros em pontos
decisivos. A bola fácil torna-se difícil, porque nunca é treinada. Considera-se, normalmente, como uma bola
"fácil" aquela em que nos vemos numa situação de agressores frente a um adversário acuado. Essas bolas
ocorrem após uma acirrada disputa, em que o adversário chegou ao seu limite de resistência, acabando por
devolver a bola fraca e no meio da quadra. Aí você tenta rebater a bola com força, para manter a condição de
agressor em vantagem no ponto, e acaba por errar, jogando a bola fora. A "Dica" a esse respeito é: precisa-se
treinar muito as chamadas bolas fáceis, pois elas não são fáceis, já que nós nunca as treinamos. Além disso
elas só são executadas uma ou outra vez na partida, não permitindo, por isso, que nos familiarizemos com elas
sequer durante o próprio jogo. Quase ninguém treina bater em bolas fracas (aquelas que nos chegam sem
força) e, por isso, no momento em que desejamos continuar com a mesma velocidade imprimida sobre a bola,
mantendo o adversário sob pressão, acabamos por errar a bola, evidenciando nossa falta de intimidade com
esse tipo de golpe. É também importante treinar tal golpe, porque ele é efetuado de dentro da quadra,
reduzindo-se, por isso, o espaço entre o ponto em que você se encontra e o fundo da quadra e ficando a rede
mais alta, também pelo mesmo motivo.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Um jogador colocado fora do retângulo de saque é atingido por uma bola de serviço, antes que ela
toque o solo. Ele perde o ponto, ou se trata de uma "let"?

Resposta: Um jogador colocado fora do retângulo de saque é atingido por uma bola de serviço, antes que ela
toque o solo. A Regra estabelece que ele perde o ponto. Só seria o caso de uma "let" se a bola tivesse raspado
a rede e batido no jogador antes de ter tocado o chão.

26
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br

Dicas da semana 60
1) Uma tática um pouco arriscada, mas que pode ser usada num momento de quebrar o saque adversário num
jogo de duplas, é devolver o saque com um "lob" por cima do jogador que sacou e se encontra subindo à rede,
pois mesmo que ele alcance o "lob", estará efetuando um "smash" desequilibrado, e terá pouca chance de
sucesso nesse golpe.

2) Ajude seu parceiro a ganhar o saque, movimentando-se na rede, tentando interceptar a devolução de saque.
Este fato é muito importante, a ponto de se considerar o jogador que está na rede como o maior responsável
pelo sucesso do saque de seu parceiro. Não fique, portanto, imóvel na rede - tornando-se um ponto fixo para o
adversário - facilitando-lhe a tarefa de devolver o saque; sua movimentação na rede retira parcialmente a
atenção do devolvedor sobre a bola e acaba por perturbá-lo e fazê-lo aumentar o índice de erros nas respostas
de saque. Tome cuidado, entretanto, para não tentar interceptar a bola num momento inoportuno. Por
exemplo, se o seu parceiro estiver sacando num "15x40", o adversário pode arriscar uma devolução na
paralela, ao presumir que você tentará interceptar uma devolução cruzada. Ele pode arriscar, pois terá muito
pouco a perder - o escore passará apenas para "30x40", se ele errar a devolução - e, em contrapartida, se ele
tiver sucesso, quebrará o saque do seu parceiro.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Ao executar o serviço, a raquete do sacador escapa-lhe da mão e bate na rede. Ele perde o ponto?

Resposta: O jogador só perderá o ponto se, ao executar o serviço, a raquete lhe escapar da mão e bater na rede
enquanto a bola estiver em jogo. Se, portanto, a bola não estiver mais em jogo no momento do impacto da
raquete com a rede, e tal incidente tiver ocorrido na execução do primeiro saque, estará caracterizada apenas
uma falta, devendo ser executado o segundo serviço.

Dicas da semana 59
1) Devolva a maioria dos saques com um pouco de "topspin", para dificultar as tentativas do adversário que
está na rede de interceptar suas devoluções; assim procedendo, quando você precisar do ponto, poderá usar,
com sucesso, uma devolução com "slice" ou apenas bloqueada sem que o adversário colocado próximo à rede
consiga interceptar seu golpe, desde que você não se antecipe em demonstrar o tipo de movimento que
pretende executar.

2) Num momento em que você esteja precisando muito do ponto, a resposta de saque com "lob" sobre o
oponente que está na rede é uma bola razoavelmente eficaz, não obstante muito arriscada, pois, se você errar o
cálculo, o adversário o massacrará com um "smash". Todavia, como você está tentando quebrar o saque
adversário, vale o risco de tentar ganhar o ponto com essa tática.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Você está caído no chão, complemente fora de jogo, enquanto o adversário lhe desfere um "smash"
tão arrasador que consegue estourar a bola no momento de seu impacto com a raquete. Deve o ponto ser
repetido?

27
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Resposta: Você está caído no chão, completamente fora de jogo, enquanto o adversário lhe desfere um
"smash" tão arrasador que consegue estourar a bola no momento de seu impacto com a raquete. A regra
determina que o ponto deve ser repetido, desde que você reclame seu direito antes de a bola ter dado o
segundo pulo no chão, para ficar bem claro que a bola estourou quando ainda estava em jogo.

Dicas da semana 58
1) O "between" deve ser o ponto mais visado para você e ser parceiro colocarem suas bolas na dupla, pois
esse local reduz substancialmente o cometimento de erros, além de impossibilitar, vez por outra, que ambos
os adversários consigam alcançar a bola.
2) Evite as chamadas "firulas" no jogo de duplas - curtinhas espetaculares, voleios-curtas com muito "slice",
bolas muito difíceis. Lembre-se de que você tem um parceiro. Assim, se não puder matar o ponto numa
ocasião em que se encontre em dificuldades, procure preparar a bola para que seu companheiro mate o ponto
na jogada seguinte.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Sendo o escore quinze iguais, por engano, o jogador saca do lado esquerdo da quadra e ganha o
ponto. A seguir, serve do lado direito e comete falta. O engano de posição é, então, descoberto. Tem ele
direito ao ponto anterior? De que lado deverá ser efetuado o próximo serviço?

Resposta: Sendo o escore quinze iguais, por engano, o jogador saca do lado esquerdo da quadra e ganha o
ponto. A seguir, serve do lado direito e comete falta, quando o engano de posição é descoberto. Ele terá
direito ao ponto que ganhou sacando no quinze iguais do lado esquerdo, mas somente terá direito a efetuar o
segundo saque ao passar para o lado esquerdo, porque já cometeu falta na execução da primeira bola de
saque, quando serviu do lado direito.

Dicas da semana 57

1) Se você pretende aprender a jogar bem duplas, jamais saque ou devolva o saque, ficando no fundo da
quadra. Insista em deslocar-se o mais rápido possível para a rede, pois, no jogo de duplas, tem mais chance de
ganhar o ponto quem consegue dominar a rede.

2) Se você, ao aproximar-se de rede, receber uma bola no pé para volear, não bata nela, porque ela se encontra
abaixo do nível da rede. Em lugar disso, procure transferir o mesmo problema para o adversário, devolvendo-
lhe a bola também no pé. Essa troca de devoluções no pé deve perdurar até que alguém cometa o erro de
levantar a bola, ao que será literalmente massacrado pelo adversário com um voleio forte, de cima para baixo.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Um jogador executa um serviço do lado errado e perde o ponto. Declara tratar-se apenas de "falta",
por ter servido do lado errado. O que diz a regra a respeito?

Resposta: Se o jogador tiver perdido o ponto numa situação em que tenha sacado do lado errado, vale o ponto
jogado nessa situação e ele deverá executar o saque seguinte do lado certo, de acordo com o escore.

28
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 56

1) Se os dois parceiros de duplas - um destro e um canhoto - têm um nível de jogo idêntico e nenhum deles é
portador de um determinado golpe de devolução de saque muito especial, a melhor posição em que cada
jogador deverá ficar para as devoluções será o destro devolvendo do lado esquerdo e o canhoto do direito. A
explicação para essa escolha baseia-se no fato de que, quando o adversário saca pelo meio da quadra, é fácil
cruzar a devolução de "forehand", pois esta é uma bola muito usada para atacar o adversário - é a popular
cruzada fugindo da esquerda.

2) Entretanto, caso um dos jogadores seja melhor que o outro, e não haja um golpe especial de um dos dois
parceiros que justifique a preferência por um dos lados, o mais categorizado deve escolher o lado esquerdo
para devolver o saque, pois ali ele controlará melhor o escore dos "games", jogando mais na defensiva, ou
arriscando nas situações apropriadas. Por exemplo, num escore 30x40 ele deve aplicar um "winner" (uma bola
vencedora) para tentar quebrar o saque adversário; num 40x30 ele deve fazer uma devolução tentando apenas
baixar a bola, cruzando-a no pé do adversário que deverá ter subido à rede após ter sacado.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O que estabelece a regra para o caso de a ordem de recebimento do serviço ter sido alterada?

Resposta: Caso a ordem de recebimento de serviço for alterada pelos recebodores, permanecerá assim até o
fim daquele "game". Os parceiros restabelecerão a ordem de recebimento de serviço fixada no início do "set"
quando sua dupla for novamente recebedora.
Dicas da semana 55

1) Numa situação em que você sacou e está subindo à rede, se seu parceiro levar um "lob", ele mesmo deve
responsabilizar-se por tentar alcançar a bola. Precisará agir assim para permitir que você concentre seus
esforços em buscar a melhor aproximação da rede.

2) Entretanto, se lhe for possível, procure volear o "lob" pelas costas de seu parceiro, evitando o sucesso
daquele golpe, que seria fazer você e seu parceiro recuarem para o fundo da quadra, enquanto seus
adversários assumiriam a posse da rede.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O primeiro serviço constituirá falta (podendo ser executado o segundo saque) ou perda definitiva do
ponto, caso a bola sacada venha a atingir o parceiro do sacador antes que tenha tocado o solo?

Resposta: O serviço constitui falta se a bola em jogo, antes de atingir o solo, tocar no parceiro do sacador ou
em qualquer coisa que ele esteja vestindo ou carregando. Se, porém, a bola em jogo atingir o recebedor ou seu
parceiro antes de bater no chão e não sendo o caso de "let", o sacador ganha o ponto.

Dicas da semana 54

1) Numa bola em que o adversário atacou fortemente sua direita, obrigando-o a bater correndo, é
imprescindível que você esteja com o pé direito na frente no momento de golpear a bola, a fim de que lhe seja

29
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
possível executar o "follow-through" (seguimento da batida); ou seja, somente com o corpo quase de frente
para o adversário é que lhe será possível impulsionar o braço para a frente, terminando o movimento da
raquete de maneira idêntica ao do final da tacada forte de um jogador de golfe, isto é, com a raquete por cima
de seu ombro esquerdo e quase atrás de suas costas.

2) Não se permita arquear o corpo em direção ao chão ao executar um "smash", principalmente se for um
golpe efetuado junto à rede. É comum ver-se jogadores darem uma "furada na bola" (na gíria significa não
acertarem a bola) e a explicação de tal insucesso é exatamente terem baixado o corpo no ato de tentarem
golpear fortemente a bola. Em outras palavras, bata a bola do "smash" com o corpo completamente ereto,
visto que o principal é conseguir efetuar com precisão o ponto de impacto raquete-bola, pois a força assim
obtida já será suficiente para você ganhar o ponto.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O parceiro do sacador pode colocar-se num ponto que impeça a melhor visão do saque pelo
recebedor?

Resposta: O parceiro do sacador pode colocar-se na posição em que desejar, do seu lado da quadra, não
importando mesmo que se encontre impedindo a melhor visão do recebedor do serviço. Esta regra é válida
também para o parceiro do recebedor, no que respeita a prejudicar a melhor visão do sacador.

Dicas da semana 53

1) O "smash" é uma bola que deve sempre ser batida chapada, pois é apenas de velocidade que você precisará
de imprimir sobre a bola para executar este golpe. Para bater a bola chapada você terá que observar dois
movimentos para conseguir executar este golpe com perfeição: a) admitindo que você segura a raquete com a
mão direita, golpeie a bola com o corpo de lado, imitando um atirador de espingarda e vá jogando o ombro
direito de trás para a frente, imitando um arremessador de peso; b) quando sua raquete arremeter com força
para golpear a bola, será imprescindível que você execute o movimento de antebraço chamado "pronation"
(pronação) - é verdadeiramente o giro do antebraço (algumas pessoas dizem que é o giro do pulso) que
promove a torção de sua mão que empunha a raquete, da direita para a esquerda. Isto permitirá que você,
mesmo estando de lado no momento de bater a bola, possa bater a bola com um golpe chapado.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Em que situações a ordem de serviço pode ser alterada?

Resposta: A ordem de serviço só pode ser alterada pelos componentes de um jogo de duplas no início de cada
"set". O mesmo princípio também é estabelecido pela regra no que diz respeito á ordem de recebimento do
saque.

Dicas da semana 52
1) O "bate-pronto" é um movimento executado de fundo de quadra, em que você golpeia uma bola que bateu
bem junto de seus pés. A maioria dos tenistas confunde esse golpe com um "drive". Encurte totalmente o
"backswing" no "bate-pronto"; execute nesse golpe a mesma preparação que adota para um voleio de meio de
quadra, ou para uma devolução de saque forte. Isto é, não faça qualquer alavancagem para trás e empurre a

30
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
bola, bloqueando-a com a ajuda de seu corpo, que deverá recair para a frente, sem se desequilibrar.

2) Mesmo que seu professor o faça treinar uma seqüência de bolas curtas durante as aulas, será necessário que
você venha a criar o hábito de executar bolas curtas durante os jogos. Para isso, com o fim de botar a bola
curta em seu cardápio de opções de jogadas, você terá que escolher uns dois a três jogos-treinos e entrar
programado para executar algumas curtas. Somente a partir daí é que você perceberá a utilidade da bola curta
e passará a usá-la durante os jogos, nos momentos apropriados.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Existe alguma brecha nas "Regras" que permita a um jogador sozinho enfrentar uma dupla?

Resposta: Não se apresentando seu parceiro, um jogador sozinho não poderá enfrentar a dupla oponente.
Entretanto, um dos parceiros de uma dupla poderá ausentar-se temporariamente da quadra, com a partida em
desenvolvimento, desde que não haja, em momento algum, infração à regra no que diz respeito a ordem de
execução e de recebimento do saque e a validade dos pontos quando da execução do serviço fora da vez.

Dicas da semana 51

1) Para que você possa efetuar uma passada sobre o adversário que se encontra na rede, oriente a direção a ser
dada à bola pelo alinhamento dos seus ombros; em outras palavras, o alinhamento de seus ombros deve
indicar a direção a ser dada à bola, a fim de que você não precise olhar para o adversário, ou para o local
aonde pretende colocar a bola. É também recomendável que você bata a bola na subida, para que consiga
pegar o adversário atrasado em seu "aproach"(aproximação da rede). Use, também, bastante "topspin" nesse
golpe, com o fim de dificultar o voleio do adversário.

2) Se você tiver duas raquetes iguais, jogue apenas com uma delas, até que a corda arrebente. Mantenha
sempre uma raquete de reserva, com as cordas novas, porque ela normalmente não quebra durante um jogo.
Caso não respeite esta "Dica" e vá usando as duas raquetes indiscriminadamente, poderá ter o dissabor de ver,
num mesmo jogo, quebrarem simultaneamente as cordas de suas duas raquetes.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Há torneios em que as bolas são trocadas após determinado número de "games". Caso elas não
tenham sido trocadas na seqüência correta, qual o procedimento a seguir, orientado pela "Regra"?

Resposta: A "Regra" estabelece que, nos casos em que as bolas são trocadas após determinado número de
"games", se elas não forem trocadas no momento oportuno, o engano deverá ser corrigido logo que for a
próxima vez de sacar do jogador ou da dupla que deveria ter servido com bolas novas. Daí por diante as bolas
serão trocadas de tal maneira que o número de "games" entre as trocas seja aquele originalmente acertado.

31
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 50

1) Da maneira como o tênis está sendo jogado na atualidade, a defesa com "slice" (ou cortada) tornou-se
tremendamente ineficaz. A bola cortada é usada, atualmente, como um golpe de ataque, ou para variar o efeito
imprimido sobre a bola. Execute-a, portanto, somente quando estiver bem colocado; ou seja, quando a bola
vier mais ou menos na sua direção.

2) As principais desvantagens da utilização da bola cortada como golpe de defesa são: a) a bola não pode ser
golpeada com muita força, impossibilitando-o de usá-la em contragolpe; b) a bola tem que passar muito rente
à rede e qualquer pequeno desvio, para baixo ou para cima, pode fazê-la bater na rede, ou ir fora da quadra; c)
numa disputa entre grandes jogadores, aquele que optar por defender-se através de cortadas estará apenas
adiando o momento em que perderá o ponto.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Um jogador poderá receber instruções em torneios oficiais?

Resposta: Durante uma partida um jogador não poderá receber instruções ou orientação em torneios oficiais,
exceto nas competições por equipe, quando isso deverá ser feito por um Capitão de Equipe que esteja sentado
dentro do recinto da quadra. O jogador que estiver recebendo instrução durante a partida, seja do seu
treinador, ou de qualquer pessoa, está sujeito a ser advertido pelo juiz, podendo ser desqualificado da partida,
após ter sido admoestado.

Dicas da semana 49

1) Alguns jogadores procuram especializar-se em sacar subindo à rede. Cabe aqui a advertência de que, se
você adotar a tática de subir sempre à rede após sacar, o fator surpresa deixará de existir e seu adversário
acabará sistematizando devoluções de saque em seu pé. A tática mais proveitosa é você subir à rede em
momentos que lhe permitam beneficiar-se do fator surpresa sobre a devolução de seu adversário.

2) Treine saque na parede quando não tiver tempo ou muitas bolas para sacar na quadra. Quanto mais você
praticar o saque, mais estará "azeitando" esse movimento. Se você jogar há um ou dois anos e pretende jogar
bem, treine 100 saques por dia. Caso já jogue bem, passe a treinar 300 saques por dia. Eu cheguei a sacar
muito bem adotando o treino de 300 saques e ainda sacava 1.200 de vez em quando, num sábado ou domingo,
quando tinha mais tempo para treinar.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Quanto tempo é dado, no Brasil, para descanso entre a segunda e a terceira séries nas partidas
disputadas pela categoria de veteranos?

Resposta: No Brasil é dado o mesmo tempo de dez minutos, fixado para infantis até 10/12 anos, para
descanso entre a segunda e a terceira séries nas partidas disputadas pela categoria de veteranos. Botando
também um pouco de poesia nas "Dicas", isto me faz lembrar que o bom senso aconselha se dar igualdade de
tratamento às idades extremas, posto que, de um lado viça a magnitude da tenra idade e, de outro, ostenta-se
de maneira exuberante a fragilidade dos que menos sóis no ocaso ainda hão de ver. Esta é a minha singela
homenagem aos idosos, tão pouco prestigiados pela sociedade brasileira!

Dicas da semana 48

1) O mais importante no "topspin" é respeitar o princípio de que o movimento da raquete para a frente precisa
começar cerca de 30 centímetros abaixo do ponto em que a bola será golpeada e terminar no mínimo outros
tantos 30 cm acima do ponto de contato raquete-bola.

32
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
2) As principais vantagens do "topspin" são: a) a bola pode passar muito alta da rede, desviando bastante dela
e cair verticalmente, evitando ir fora no fundo da quadra; ou seja, o "topspin" reduz a probabilidade de erro,
tanto na rede como no fundo da quadra; b) a bola que você bateu com "topspin" produzirá um pulo da bola
quase na vertical no momento de ser golpeada pelo adversário, o que é para ele muito mais difícil de rebater
do que no caso de uma bola chapada, ou de uma cortada.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Quanto tempo é dado, no Brasil, para descanso entre a segunda e a terceira séries nas partidas
disputadas entre infantis até dez e doze anos?

Resposta: No Brasil é dado o tempo de dez minutos para descanso entre a segunda e a terceira séries, nas
partidas disputadas entre infantis até dez/doze anos.

Dicas da semana 47

1) Se você vai passar as férias de julho/98 na Flórida (USA), gaste de quatro dias a uma semana na famosa
"Harry Hopman Academy", uma das mais famosas academias de tênis do mundo, onde você poderá
eventualmente encontrar treinando jogadores como Pete Sampras, Currier e outros tenistas famosos. O
telefone para contato é (001) 813 973-1111. O Endereço é: 5700 Saddlebrook Way - Wesley Chapel - Tampa
- Florida - 33543 - USA.

2) Quando você estiver na platéia, acompanhando um bom jogo de tênis, procure dividir sua atenção entre o
acompanhamento do "escore" da partida e a observação do estilo de cada um dos tenistas. Se for possível,
tente examinar cada golpe visto sob vários ângulos (pelas costas, pelos lados e pela frente do jogador). Você
tem dentro de seu cérebro uma minúscula televisão que registra essas imagens e poderá contribuir para
melhorar sua técnica no futuro.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se, durante uma partida, um dos jogadores se contundir, por motivo de choque com qualquer parte
fixa da quadra, inclusive com a raquete, quanto tempo lhe será dado para recuperar-se?

Resposta: Se, durante uma partida, um dos jogadores se contundir, por motivo de choque com qualquer parte
fixa da quadra, inclusive com a raquete, ser-lhe-á concedido o tempo de cinco minutos para recuperar-se,
podendo ser atendido por qualquer pessoa. Se o acidente acontecer uma segunda vez com o mesmo tenista,
não lhe será dado qualquer tempo para recuperação.

Dicas da semana 46
1) Se você não for um jogador de primeira classe, procure não colocar a tensão máxima nas cordas de suas
raquetes, pois isto lhe sobrecarregará o braço - e principalmente o cotovelo - com o esforço para imprimir
velocidade sobre a bola.

2) Os materiais com que se fabrica as raquetes atualmente provocam, em sua maioria, grande vibração a recair
sobre os tendões do braço dos tenistas. Por isso, o uso do "anti-vibrador" na raquete é aconselhável para
reduzir a possibilidade de lesão de seu cotovelo.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se um dos contendores vier a sofrer contrações ou dores musculares, durante uma partida, causadas
pelo esforço físico, quanto tempo lhe será dado para recuperar-se?

33
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Resposta: Se um dos contendores vier a sofrer contrações ou dores musculares, durante uma partida, causadas
pelo esforço físico, ele terá o tempo de três minutos para se recuperar, sem qualquer ajuda externa, salvo
fornecimento de medicamento apropriado. Na segunda vez que o fato acontecer durante o jogo, com o mesmo
tenista, não haverá prazo para recuperação.

Dicas da semana 45

1) Um dos melhores exemplos para se efetuar um bom movimento de "backhand" é o dado por "Mike
Ratcliffe", quando aconselha que você se imagine tirando uma espada da bainha quando começar o seu
movimento para a frente. Adiciono a isso - considerando um jogador destro - dar a partida no movimento com
a ajuda do impulso inicial do ombro direito para a frente e não esquecer de colocar o pé direito apontado para
o local aonde a bola será golpeada.

2) Quem dirige a bola é a direção do alinhamento dos ombros. Esta observação é válida para todos os golpes
(saque, "drives", voleios, "smashs", curtas). É uma advertência para que você evite dirigir a bola com a ajuda
de torções de pulso.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Quando da troca de lado, que intervalo de tempo é permitido ocorrer entre o término do último
"game" e o início do "game" seguinte?

Resposta: Quando da troca de lado, é permitido ocorrer um intervalo de no máximo um minuto e trinta
segundos entre o término de um "game" e o início do seguinte.

Dicas da semana 44
1) Você sabe o que é dar um "balanço" no adversário? Isto significa que você pretende jogar um ponto
inteiramente voltado para o objetivo de estafar seu oponente. Dou aqui um exemplo de quando se deve
executar tal "balanço". A primeira exigência para usar essa tática é que o jogo já se encontre em ritmo
bastante estafante e que seu saque seja excelente. Imagine, então, que o escore do "set" seja 4x3 (para você,
ou para o adversário) e que você esteja ganhando seu saque por 40x0 ou 40x15. Estes serão os momentos
ideais para você efetuar o "balanço" no adversário, jogando o ponto seguinte apenas com o objetivo de cansá-
lo, fazendo-o correr o máximo, jogando bolas muito cruzadas, dando curta e se ele a alcançar, dando "lob",
nova curta, enfim, fazendo tudo para demorar o máximo possível a disputa desse ponto, no qual seu único
objetivo é esgotar o físico do adversário. Ganhando ou perdendo tal ponto, você terá alcançado seu objetivo
de minar a resistência do oponente. Isto ficará bem nítido quando você jogar o próximo ponto e perceber que
o ganhou em face de um erro cometido por nítido cansaço do adversário. Terminado o "game", a contagem do
"set" será 5x3 para você, ou 4x4. O adversário irá sacar em seguida e não contará com o minuto de descanso
que teria se fosse o momento de ocorrer a virada de lado. Com esta despretensiosa tática entre aspas, você
poderá ter criado um caminho para enfraquecer a estrutura geral do jogo de seu adversário num momento
decisivo do "set" ou da partida.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Que intervalo de tempo é permitido ocorrer, à exceção do caso da troca de lado, entre o término de
um ponto e o início do outro?

Resposta: É permitido ocorrer o intervalo de no máximo 25 segundos entre o término de um ponto e o início
do outro, à exceção do caso da troca de lado.

Dicas da semana 43

34
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
1) Se você tiver que volear uma bola de direita muito em cima de seu corpo, cruze sempre a bola e, para isso,
vire o corpo exatamente para o lado em que irá dirigir a bola. Ou seja, vire-se para seu lado esquerdo. É muito
simples de perceber o motivo desta afirmativa, pois se você for bater a bola em cima de seu corpo e resolver
virar para a direita, irá perceber que sua raquete foi para longe de seu corpo, antagonicamente ao local
considerado seu ponto objetivo. Esta afirmativa só é válida para o voleio de direita, já que no caso do voleio
de esquerda em bola em cima de você, basta manter a raquete à frente de seu corpo, na posição em que você
normalmente espera para definir para qual lado levará a raquete para executar o voleio.

2) Deve-se estimular torneios de duplas em que um dos parceiros é um bom jogador e o outro iniciante. O
bom jogador terá à frente o grande desafio de cobrir as deficiências do parceiro e este ganhará em experiência
com a oportunidade de participar de um jogo disputado em nível acima do seu. Além disso, esse tipo de
torneio é uma excelente oportunidade para se aumentar o círculo de relacionamento entre os tenistas.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O "tie-break" foi iniciado, não obstante tenha sido acertado previamente que seriam jogados "sets"
longos. Deverão ser considerados válidos os pontos do "tie-break" já disputados?

Resposta: Se o "tie-break" foi iniciado, não obstante tenha sido acertado previamente que seriam jogados
"sets" longos, a regra estabelece que, no caso de o erro ter sido descoberto antes de o primeiro ponto ter sido
completado, este será interrompido e o "game" recomeçado. Mas, se o ponto foi completado, o "tie-break"
continuará sendo jogado e será considerado como o "game" final e decisivo de tal "set".

Dicas da semana 42

1) Em qualquer dos dois "smashs" (de fundo, ou na rede), efetue o encontro raquete-bola no mesmo ponto em
que golpeia a bola no saque, pois se batê-la sobre sua cabeça só verá o céu e terá perdido a noção de quadra.
Cada um de seus olhos tem cerca de 150 graus de amplitude visual, que o ajudarão a manter a noção de
quadra, se você bater a bola cerca de 20 centímetros à frente de seu corpo. Golpeie a bola bem chapada, pois a
velocidade da bola e a sua colocação já serão suficientes para ganhar o ponto.

2) No caso do "smash" batido do fundo da quadra, aguarde a bola vinda do alto com uma das mãos no cabo e
a outra no coração da raquete. Inicie o movimento igual ao do saque, exatamente no momento em que a bola
bater no chão de seu lado da quadra. Após a bola bater no chão, ela irá desenhar uma "Curva Normal" (que
imita a cobertura de um Circo). Não se deixe ficar em baixo do ponto mais alto que a bola pulará enquanto
descreve tal curva, pois você poderá ser encoberto pela bola. Procure calcular para golpear a bola depois de
ela ter atingido o ápice, quando ela começar a cair.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O que diz a regra no caso de o sacador, ao executar um serviço, deixar que lhe escape a raquete e
esta venha a atingir a rede, estando a bola em jogo?

Resposta: A regra diz que, o sacador perde o ponto, ao executar o serviço - mesmo que este venha a
constituir-se em falta - caso ele deixe escapar a raquete e esta vier a atingir a rede, estando a bola ainda em
jogo.

Dicas da semana 41
1) Procure distinguir dois tipos de "smash": a) aqueles que você não deve permitir que a bola bata no chão de
seu lado da quadra (são as situações em que a bola, caso não golpeada, cairia dentro do "T", isto é, na região
de saque); b) aqueles que você deve deixar que a bola bata no chão, antes de efetuar o "smash"(quando a bola
bate fora de região de saque). No "smash" em que você está próximo à rede, corte o movimento de saque ao
meio. Ou seja, suba a cabeça da raquete imediata e diretamente para o alto e, ao mesmo tempo, levante o

35
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
outro braço, apontando-o para o ponto em que irá golpear a bola. Em seguida, aguarde com os dois braços
parados, até que a bola se aproxime do ponto em que será golpeada e só então execute a laçada para bater na
bola. Se você fizer o movimento igual ao do saque, terá grande dificuldade de sincronizar o momento do
início do movimento com a bola ainda muito alta, enquanto com o golpe encurtado você inicia o golpe quase
no instante em que a bola alcança o locar de impacto.

2) O "smash" próximo à rede é um golpe efetuado quase exclusivamente de braço, para evitar-se desencontros
do centro das cordas da raquete com a bola, provocados por algum arqueamento de corpo antecipado.
Portanto, não dobre o corpo para a frente ou para os lados durante este golpe, pois não haverá necessidade de
uso do corpo para aumentar a força, porque você estará tão perto da rede que, com um golpe sem grande
esforço, já será suficiente para abater seu adversário.

Teste de conhecimento.

Pergunta: A jogada será válida, se o tenista bater a bola do seu lado da quadra, mas passar com a raquete por
cima da rede após devolver a bola?

Resposta: Sim, a jogada será válida se o tenista bater a bola do seu lado da quadra e, em seguida, passar com a
raquete por cima da rede, após devolver a bola.

Dicas da semana 40
1) Recapitule, de tempos em tempos, a leitura do material que tenha selecionado sobre tênis e você perceberá
que ainda não terá automatizado alguns detalhes da técnica.

2) Enquanto estiver com deficiências em alguns golpes, entre menos em competições, com o fim de dedicar
mais tempo ao treino para melhorar esses movimentos.

3) Bata a bola à frente do corpo em todos os golpes, para evitar o chamado "vôo cego", isto é, uma situação
em que você golpeia a bola ao lado de seu corpo, não conseguindo, por isso, enxergar a bola no momento do
seu impacto com a raquete.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Uma bola, com tendência de sair da quadra, atinge o poste de sustentação da rede ou os paus de
simples e retorna caindo dentro da quadra do oponente. A jogada é válida?

Resposta: Uma bola com tendência de sair da quadra atinge o poste de sustentação da rede ou os paus de
simples e retorna caindo dentro da quadra do oponente. A jogada será válida em qualquer outra situação que
não um "serviço", pois neste último caso se caracterizará uma falta, ou uma "let", caso a bola tenha caído,
respectivamente, fora ou dentro dos limites do "box" de saque.

Dicas da semana 39
1) Nem sempre é possível, ou aconselhável imitar a técnica de um campeão; ele pode ter deficiências,
superadas por outras virtudes, ou um estilo muito pessoal, difícil de ser copiado. É válido tentar imitá-lo mas,
se você tiver dificuldades, recorra à técnica dos livros, que ensinam a maneira universalmente padronizada e
mais lógica de jogar.

2) Procure mentalizar insistentemente os golpes que esteja aprendendo e tente captar todas as informações a
seu alcance sobre tênis. Uma vez que se encontre com a atenção ligada, até dormindo você estará absorvendo
a técnica e sedimentando seus conhecimentos a respeito deste esporte.

36
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Teste de conhecimento.

Pergunta: O que diz a regra sobre a movimentação dos tenistas (que não o sacador) durante a execução do
serviço?

Resposta: A regra sobre a movimentação dos tenistas (que não o sacador) durante a execução do serviço é:
são permitidos pequenos movimentos para um lado ou para o outro, ou ainda, para diante ou para trás,
conquanto não exagerados. O que realmente não se permite são vozes ou ruídos com os pés, antes de o
serviço ter sido completado.

Dicas da semana 38
As "Dicas" desta semana finalizam as informações sobre o "tie-break", iniciadas na semana 37.

- É imediatamente apontado vencedor do "tie-break" e do "set" o jogador que alcançar 7 pontos, desde que o
adversário tenha feito no máximo 5 pontos.

- Caso, portanto, ocorra o empate de 6x6, vencerá o jogador que fizer dois pontos a mais que o outro. Note
que os jogadores mudam de lado a cada 6 pontos e aquele que serviu o último ponto de um desses segmentos
de 6 pontos também serve o primeiro ponto do próximo segmento, do lado direito.

- Para o início do "set" seguinte, os jogadores mudam de lado, e "B" serve o primeiro "game".

- O jogo de duplas segue este mesmo padrão, com os parceiros preservando a seqüência de serviço.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Qual a regra para o caso de um jogador ter cometido um ato, deliberado ou involuntário, que
resultou em prejuízo para o adversário, por tê-lo dificultado ou impedido de executar um golpe?

Resposta: A regra para o caso de um jogador ter cometido um ato, deliberado ou involuntário, que resultou
em prejuízo para o adversário, por tê-lo dificultado ou impedido de executar um golpe é: quando o ato for
deliberado, o ponto deve ser dado como ganho pelo prejudicado; e se o ato for involuntário, o ponto deve ser
repetido.

Dicas da semana 37
Atendendo a pedidos de tenistas iniciantes de diversas partes do País, as "Dicas" desta e da semana 38
prestam esclarecimentos sobre o "game" de desempate, conhecido como "tie-break".

1) Quando o "set" é empatado em 6x6, o "tie-break" de 12 pontos deve ser jogado, obedecendo-se os
seguintes princípios:

- O jogador "A", que serviu o primeiro "game" do "set", inicia o décimo-terceiro "game", respeitando a
seqüência de sacador, servindo o primeiro ponto do "tie-break", do seu lado direito, igualmente como se inicia
um "game" normal.

- Em seguida, o jogador "B" serve os pontos 2 e 3, dos seus lados esquerdo e direito, respectivamente. "A"
serve os pontos 4 e 5, esquerda e direita. "B" serve o ponto 6 e, depois que os adversários trocam de lado da
quadra, o ponto 7 também é sacado por "B", mantidos, para os mencionados pontos 6 e 7, os respectivos lados
esquerdo e direito para sacar. "A" serve os pontos 8 e 9, esquerda e direita. "B" serve os pontos 10 e 11,
esquerda e direita e "A" serve o ponto 12, esquerda.

37
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Teste de conhecimento.

Pergunta: Numa bela manhã de sol ocorreu um engano na troca de lado. Tal erro só foi constatado após terem
sido jogados alguns pontos. Após corrigido o erro, sentindo-se o sacador prejudicado pelo sol que lhe atingia
o olho durante a execução do saque, exige o reinício do "game" do lado correto. O que diz a regra a este
respeito?

Resposta: O sacador prejudicado pelo sol no olho não pode exigir a anulação dos pontos jogados antes de ser
constatado um engano na troca de lado. Deve ser imediatamente corrigido o erro de troca de lado, todavia,
valerão todos os pontos jogados na situação errada.

Dicas da semana 36

1) O tênis moderno vem exigindo cada vez mais o componente força e preparo físico de seus praticantes em
nível competitivo. A musculação orientada deve ser um componente básico no treinamento dos atletas,
todavia é importante alertar sobre o perigo do seu exagero, que pode levar o tenista a ficar pesado e lento.

2) A assistência de um especialista na preparação física ligada ao desenvolvimento da velocidade, do reflexo e


da explosão será fundamental para proporcionar o equilíbrio orgânico destas atividades com a musculação,
permitindo que o atleta atinja sua melhor performance.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Ao terminar um "set", em que situação deve ocorrer a troca de lado?

Resposta: Ao terminar um "set", deve ocorrer a troca de lado somente quando a soma dos jogos ("games")
disputados nessa mesma série tiver sido ímpar.

Dicas da semana 35

1) Para efetuar um bom saque com "topspin", procure ficar com a linha dos ombros apontada para o centro da
área de saque em que você irá executar seu serviço. Com esse posicionamento será mais fácil você cortar a
bola de baixo para cima e bem para o lado. Não menos importante será não permitir que o ombro do braço
que segura a raquete vá para a frente no ato de bater a bola; ou seja, segure aquele ombro o máximo que possa
atrás de seu corpo e com isso sua raquete golpeará a bola numa direção quase que paralela à rede.

2) Procure explorar bastante o "spin" lateral em seus "drives", pois tal golpe só contém vantagens, haja vista
que lhe proporciona mais segurança nos golpes e permite que você bata a bola com mais força e efeito. Além
disso, tal golpe atrapalha muito mais o adversário do que o convencional "topspin".

Teste de conhecimento.

Pergunta: Qual a regra para o caso de a primeira bola de saque ter sido fora e, antes do segundo serviço, seja
constatado que o jogador está sacando fora da vez?

Resposta: A regra para o caso de a primeira bola de saque ter sido fora e, antes do segundo serviço, se
constate que o jogador está sacando fora de vez é: aquela falta não será válida e o serviço completo será
novamente executado pelo sacador correto.

Dicas da semana 34

1) O voleio-golpe é aquele em que a bola adversária não traz força e o obriga a imprimir-lhe velocidade.
Nesse caso, você terá tempo para executar o jogo-de-pés. Leve a raquete para trás de seu corpo, de tal modo

38
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
que faça uma alavancagem de cerca de 40 cm por trás do ponto de impacto raquete-bola e outros tantos 40 cm
depois de golpear a bola. Ou seja, você faz a metade da alavancagem que usa para os "drives".

2) Nos voleios de meio de quadra, adote todo o princípio do voleio golpe, todavia não esqueça de inclinar o
plano das cordas da raquete ligeiramente para cima, uma vez que, normalmente, a bola está caindo e, por isso,
se bater com as cordas da raquete na vertical, certamente sua bola atingirá a rede.

3) Quando estiver correndo para a rede, reduza bastante sua velocidade no momento em que o adversário for
bater a bola, para que lhe seja possível mudar de direção, caso necessário. Há jogadores que correm
açodadamente na quadra e outros que parecem fazer a bola andar atrás deles. Imite estes últimos, deslocando-
se para bola de forma bem natural, dando a impressão de que a bola anda atrás de você.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se numa dupla, um jogador tiver sacado o "game" inteiro fora de sua vez, como ficará a ordem de
execução do serviço daí para a frente?

Resposta: Se numa dupla, um jogador tiver sacado o "game" inteiro fora de sua vez, a ordem de execução do
serviço permanecerá como foi alterada.

Dicas da semana 33

1) Para efetuar uma correta empunhadura de voleio, mantenha os cotovelos ligeiramente à frente do corpo e,
segurando o coração da raquete com as pontas dos dedos da mão esquerda (se você for destro), coloque-a à
frente do corpo, com a cabeça da raquete inclinada cerca de 50 graus para o alto e formando um ângulo de 45
graus com seu ombro esquerdo. Em seguida, aponha confortavelmente a mão direita sobre o cabo da raquete,
como se estivesse cumprimentando uma pessoa. Esta será a empunhadura única para os voleios de direita e
esquerda. É a chamada empunhadura Continental. Em outras palavras, você pode checar se sua empunhadura
está correta, procurando verificar se não consegue ver as cordas da raquete quando olha para ela, pois apenas
deverá ver o perfil de seu aro.

2) O voleio contragolpe é aquele em que você está bem próximo à rede para responder ao golpe forte do
adversário. Para isso, é necessário apenas bloquear a bola. O braço que segura a raquete deve deslocar-se para
a frente, em direção à bola, golpeando-a a cerca de meio metro à frente de seu corpo. O melhor exemplo
figurativo para esse golpe é o da rápida patada de um gato, tentando pegar a bola. Não faça o jogo-de-pés
neste caso, porque isso somente o atrapalhará, pois a velocidade da bola não lhe permitirá movimentar os pés
em tempo. Substitua o jogo de pés por uma ligeira virada de corpo para o lado em que você irá golpear a bola.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se numa dupla um jogador tiver sacado os dois primeiros pontos fora de sua vez, o que acontecerá?
Recomeça-se o "game" com o sacador certo? Termina-se o "game" com o sacador errado? Existe outra
possibilidade?

Resposta: Se numa dupla, um jogador tiver sacado fora de sua vez, aquele a quem isso lhe teria cabido
começará imediatamente a fazê-lo, logo que o engano tenha sido constatado, porém serão válidos todos os
pontos anteriormente disputados com o sacador errado.

Dicas da semana 32
1) Os pais não devem criticar os professores que procuram aproveitar certas aptidões dos alunos que fujam do
estilo padrão. Não há dois tenistas iguais no mundo. O treinador procurará fazer um trabalho de maximização
da performance daquele golpe especial do aluno, sem despersonalizá-lo. Lembro aqui, o drible desconcertante
do Garrincha, criado por ele mesmo, por ter as pernas tortas.

39
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
2) Não massifiquem a participação de seus filhos em competições pesadas. É preferível que eles aprendam
primeiro a correta técnica de jogar e que passem a freqüentar assiduamente os campeonatos quando já
estiverem perfeitos. Os espanhóis levantaram uma estatística de seus jogadores e perceberam que apenas
cerca de dez por cento dos jogadores que foram campeões até dez anos entraram para o grupo dos 20
melhores do mundo e que cerca de 20% dos que entraram naquele grupo foram campeões na idade de 11 a 14
anos. Portanto, o grosso daquele grupo foi formado por jogadores que se destacaram entre os 15 e 16 anos.
Disto se conclui que, antes dos quinze anos, a maior prioridade deve ser dada a se aprender todos os golpes
com grande maestria. Vale frisar: ter que consertar ou aprimorar um golpe amadurecido no defeito ou na
baixa performance tira o atleta do páreo entre os melhores.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Durante a execução do saque, deve ser considerada uma "let" (repetição de serviço), ou o sacador
terá ganho o ponto, se abola servida, após tocar a rede ou as cintas, vier a atingir o recebedor, ou qualquer
coisa que ele esteja vestindo ou carregando, antes de a bola tocar o solo?

Resposta: Durante a execução do saque, deve ser considerada uma "let" (repetição da bola sacada), se a bola
servida, após tocar a rede ou as cintas, vier a atingir o recebedor, ou qualquer coisa que ele esteja vestindo ou
carregando, antes de a bola tocar no solo. Está entrando em prática em alguns torneios, entretanto, a abolição
da "let" e, nestas circunstâncias, se o serviço for uma antiga "let", a bola estará em jogo, e caso ela atinja o
recebedor, será ponto para o sacador. Em qualquer das regras, entretanto, o sacador ganha o ponto, se a bola
servida não tocar na rede e, antes de bater no chão, vier a atingir o adversário.

Dicas da semana 31
1) Não tentem transferir suas frustrações para os filhos, exigindo que eles sejam os campeões que vocês não
foram. É comum verificar-se comportamentos muito exigentes de alguns pais, que resultam em desestimular
os filhos pelo esporte.

2) Não interfiram junto aos professores, criticando a lentidão do aprendizado mirim, pois: a) costuma-se
orientar as crianças com até seis anos de idade, exigindo apenas que se familiarizem com a raquete e a bola.
Ensina-se apenas a levarem a raquete para trás do corpo e a atingirem a bola à sua frente. Após dominarem
bola e raquete com certa desenvoltura é que se começa a dar às crianças instruções mais precisas e detalhadas
sobre os movimentos; b) as aulas para crianças devem ser ministradas, de preferência, em grupo e em curto
tempo de duração, com o fim de mantê-las interessadas em jogar mais.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Na ausência de juiz, cabe ao recebedor indicar se o saque foi bom ou não. O que deve ser feito em
caso de dúvida?

Resposta: Nota da Confederação Brasileira de Tênis: "Na ausência de juiz, cabe ao recebedor indicar se o
saque foi bom ou não. Deve ser sempre lembrado que a base ética do tênis é de que, em caso de dúvida, o
ponto pertence ao oponente." É muito importante que você deixe evidenciado que teve dúvida quanto ao
saque do adversário, mas que procedeu marcando a bola como boa, respeitando a ética indicada pela CBT.
Caso perceba, entretanto, que o adversário atua diferentemente de você, solicitando para repetir o ponto em
situações semelhantes, passe a imitá-lo, a partir daí, para não se ver prejudicado por estar observando esse
princípio ético.

Dicas da semana 30

1) O "lob" com "topspin" é um golpe de ataque usado por jogadores experientes. Suas bases principais são: a)
as cordas da raquete devem encontrar-se verticais, enquanto escovam, de baixo para cima, a parte traseira da
bola; b) a raquete deve iniciar o movimento ascendente em direção à bola 30 cm. abaixo dela e continuar para

40
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
cima o máximo possível, após bater a bola.

2) O "lob" com "topspin" também pode ser usado como golpe de recuperação. Para isso, reduza bastante o
"spin", golpeando a bola mais por baixo, com vistas a priorizar o controle da sua maior altura. Nos "lobs" de
ataque, com ou sem "spin", é fundamental ficar muito bem equilibrado, pois você estará executando golpes de
precisão.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se você errou a primeira bola de saque e foi constatado que estava do lado errado, você vai para o
lado correto, com direito a sacar com duas bolas?

Resposta: Se você errou a primeira bola de saque e foi constatado que estava do lado errado, você vai para o
lado correto e só terá direito de executar o segundo serviço.

Dicas da semana 29

1) Quando quiser efetuar um "lob" de ataque sem imprimir efeito sobre a bola, efetue um golpe chapado, no
fundo da quadra oposta, atingindo a bola de baixo para cima, arremessando-a a cerca de dois metros acima da
soma das alturas do corpo, braço e raquete do adversário, esticados para o alto. Treine iniciar o golpe com a
mesma preparação dos "drives", para evitar que se perceba sua intenção de "lob".

2) Quando quiser efetuar um "lob" de recuperação, bata chapado na bola, jogando-a no fundo da quadra
oposta, bem mais alta que os postes de iluminação, o que lhe dará tempo para refazer-se do ataque adversário.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Num jogo de simples disputado em quadra de duplas e, portanto, munida de paus de simples, será
"let" (net), se a bola tocar em um dos paus de simples, ou em um dos postes de sustentação da rede e desde
que, posteriormente, venha a atingir o solo, dentro do retângulo de serviço?

Resposta: Num jogo de simples disputado em quadra de duplas e, portanto, munida de paus de simples, não
será "let" (net), mas uma "falta", se a bola tocar em um dos paus de simples, ou em um dos postes de
sustentação da rede e posteriormente vier a atingir o solo, dentro do retângulo de serviço.

Dicas da semana 28
1) Continuando com o tema "velocidade" abordado na semana passada, sugiro que você observe na TV (se
possível), ou da platéia, o "jogo-de-pés" de um bom jogador, em vez de dirigir a atenção somente para a bola
e para o resultado do jogo.

2) Os bons jogadores fazem o tênis parecer fácil. Mas o grande esforço de antecipação, despendido com o
"jogo-de-pés" é o trabalho pesado que desenvolvem e que não é percebido. Vá treinando, tentando imitá-los,
inicialmente por dois, cinco, dez minutos, até que obtenha resistência para um bom "jogo-de-pés" durante
uma partida inteira. É também importante que você desenvolva um "jogo-de-pés" capaz de transformá-lo num
jogador agressivo, treinando ir ao encontro da bola, correndo sempre para a frente - em lugar de para os lados,
ou para trás. Assim, você conseguirá bater a bola na subida, produzindo a máxima potência nos golpes e
dificultando a recuperação do adversário.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se o sacador falhar ao procurar atingir a bola com a raquete, ele pode repetir aquela bola?

41
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Resposta: Se o sacador falhar ao procurar atingir a bola com a raquete, ele não pode repetir aquela bola. Se for
no primeiro saque, ele terá apenas a segunda bola para sacar. Se for no segundo saque, ele cometeu dupla-
falta. A Regra interpreta que o ato de falhar no impacto da raquete sobre a bola significou intenção de sacar e,
portanto, caracterizou-se o erro. Entretanto, no ato de execução do serviço, o sacador pode decidir não golpear
a bola projetada no ar e segurá-la com a mão, o que não se constituirá em falta. Caso, todavia, ele apare a bola
com a raquete, o adversário pode exigir que tal ato seja considerado uma falta.

Dicas da semana 27

1) A "velocidade" é um tema sumamente importante para o bom desempenho do tenista. Este assunto nos leva
imediatamente a pensar em movimentos rápidos e explosivos, no chamado "jogo-de-pés", em atingirmos
antecipadamente o ponto de encontro raquete-bola. Para isso, adote como postura padrão o peso do corpo
ligeiramente inclinado para a frente; é a famosa postura conhecida como "posição de cercar galinhas". Ou
seja, não obstante os calcanhares estejam no chão, coloque o peso do corpo sobre as plantas das pontas dos
pés.

2) Além disso, segundos antes de o adversário bater a bola, mantenha-se saltitando bem curto, com as duas
pontas dos pés ao mesmo tempo, imitando um lutador de "boxe", ou alguém pulando corda com os dois pés, a
fim de que seu corpo fique em "estado de dinâmica", no momento de deslocar-se em direção à bola. Em
outras palavras, evite estar plantado no chão (um "estado de estática"), pois isso o fará perder muito tempo
para arrancar em direção à bola.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se uma bola em jogo perder a pressão, o ponto deverá ser repetido?

Resposta: Se uma bola em jogo estourar, desfizer-se ou perder a pressão, a regra estabelece que o ponto
deverá ser repetido.

Dicas da semana 26
1) Ao executar os "drives", imagine que está dando uma marrada na bola. Ou seja, projete todo o peso do
corpo, sem se desequilibrar, para cima da bola, mantendo baixa sua cabeça, até o final do golpe.

2) Para conseguir o equilíbrio nos "drives" durante todo o movimento, os princípios mais importantes a
observar são: a) efetuar o "backswing" (movimento da raquete para trás e para a frente, antes de golpear a
bola), dividindo-o em duas partes, executando a sua primeira etapa - levar a raquete para trás - imediatamente
quando perceber o lado para o qual a bola se desloca; b) chegar primeiro que a bola, parando para golpeá-la;
c) efetuar um "follow-through" (seguimento da batida) sempre igual, com a ponta do pé de trás encostada no
chão, garantindo, com isso, que você girou o tronco com o corpo equilibrado; d) caso não seja possível parar
para bater a bola, esforce-se por manter o corpo equilibrado após golpeá-la.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Num jogo de "simples", você pode posicionar-se para executar o "serviço"(saque) imediatamente
atrás da parte da linha de fundo que demarca o chamado "corredor" da quadra de duplas?

Resposta: Num jogo de "simples", você não pode posicionar-se para executar o "serviço"(saque)
imediatamente atrás da parte da linha de fundo que demarca o chamado "corredor" da quadra de duplas,
porque sua posição para execução do "serviço" fica limitada aos espaços entre a linha que marca o centro da
quadra e as extremidades da linha que demarca o fundo da quadra de simples. Pelos mesmos motivos, não
poderá colocar-se, quando no jogo de duplas, fora dos limites da linha demarcatória do fundo da quadra de
duplas. Isto é para inibir a prática desonesta de sacar por fora de tais limites, chegando cada vez mais perto da
rede.

42
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 25

1) O equilíbrio do corpo é fundamental em todos os golpes do tênis, um esporte que não admite a famosa
"ginga" de corpo aplicada na maioria das práticas esportivas. Equilibre-se, terminando os "drives" com o bico
do sapato do pé de trás encostado no chão; equilibre-se no ar, quando bater saltando e caia de volta no chão
equilibrado; insista veementemente, tentando fazer dos pés e do corpo uma grande base de "equilíbrio".

2) Se você baixar para bater uma bola, programe-se para dar mais espaço entre os pés, de maneira não
abrupta, a fim de manter-se equilibrado e de evitar que oscilações em sua vista o privem de enxergar a bola
batendo no centro das cordas da raquete.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Deve-se repetir o ponto, se um "serviço" (saque) for executado do lado errado da quadra?

Resposta: Se o saque for executado do lado errado da quadra, o mesmo será válido, porém, assim que
percebido, deverá ser imediatamente corrigido o engano, após concluído o ponto. Do mesmo modo, caso se
venha a jogar um "game" inteiro, esquecendo-se de virar de lado, aquele valerá como foi disputado. O
próximo "game" deverá ser executado com os adversários jogando do lado certo, de acordo com o escore.

Dicas da semana 24
1) Se você ficar nervoso durante o "match point" a seu favor, pense no seguinte: se for no seu saque, procure
lançar a bola subindo a mão mais devagar, pois normalmente o nervosismo o faz atirar a bola mais rápido
para cima, atrapalhando o ritmo do saque; durante o saque ou a devolução, procure respirar várias vezes
profundamente, fazendo o gesto de bocejar. É que você ficou nervoso porque seu organismo liberou certa
quantidade de "adrenalina" e por isso você precisará de algum tempo para restabelecer-se. Respirando
profundamente, você estará promovendo a liberação de "endorfina", exatamente o antídoto capaz de acalmar
seus nervos atingidos pela "adrenalina".

2) Você precisará também de muito treino mental para usar como princípio o comportamento de "vencedor".
O passo fundamental para isto, além do que já foi exposto, é lembrar que o adversário sempre joga tudo o que
sabe para se recuperar da adversidade do "match point" contra. Por isso, para superá-lo, você tem que jogar
melhor ainda do que vinha fazendo até alcançar o "match point". Mentalize: "Agora eu preciso jogar melhor
ainda, porque ele vai dar tudo para não deixar eu fechar a partida." Treine muito isto, e você começará
efetivamente a acreditar que é um vencedor!

Teste de conhecimento.

Pergunta: É possível executar um saque "viagem", imitando o saque do "volei", em que o jogador "voa" para
bater a bola?

Resposta: Não é possível executar um saque "viagem" no tênis, imitando o saque do "volei", em que o
jogador voa para bater a bola. Não obstante a regra permita que o tenista saque que com ambos os pés no ar,
elevando-se do solo, mesmo em direção ao interior da quadra - contanto que não toque no recinto da dita
quadra, enquanto não tiver completado o "serviço" - no tênis a regra diz que o jogador "não modificará sua
posição inicial, andando ou correndo". A Federação Internacional de Lawn-Tennis (FILT) aprovou, em
09.07.58, a interpretação de que no caso de apenas leves movimentos dos pés, que materialmente não afetem
a posição inicial assumida, não será considerado que o sacador tenha andado ou corrido. Ou seja, no tênis não
é permitido sacar correndo.

43
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Dicas da semana 23

1) Todos os jogadores ficam nervosos quando o jogo é importante para eles. Por isto, é necessário adotar-se
um método técnico para controlar o sistema nervoso. Quando você tem confiança num golpe, você não tem
medo de errá-lo e fica surpreso quando tal ocorre. Assim, o primeiro caminho para eliminar o nervosismo é
através de muito treinamento da parte técnica, para adquirir bastante confiança em todos os golpes.

2) A segunda medida é entrar já quente na quadra, para começar o bate-bola de aquecimento com o
adversário; já com os nervos no lugar, use tal tempo de aquecimento para observar o oponente e desenvolver
sua estratégia de jogo.

Teste de conhecimento.
Pergunta: O jogador pode colocar-se para receber o saque dentro do retângulo onde o adversário deverá
sacar?

Resposta: O jogador pode colocar-se para receber o saque tanto dentro do retângulo onde o adversário deverá
sacar, como em qualquer outra posição em que o desejar, dentro ou fora da quadra, desde que de seu lado da
rede, não tendo o sacador direito a qualquer interferência quanto à posição do recebedor.

Dicas da semana 22

1) Quando você quiser sacar com mais efeito do que potência, raspe a bola por baixo e de baixo para cima,
procurando fazer com que a bola passe cerca de um metro mais alta que a rede. Quando quiser sacar com mais
potência do que efeito, raspe a bola por cima. Batendo por baixo da bola, ela descreverá no ar uma elipse bem
acentuada e batendo por cima da bola, você quase que elimina a elipse.

2) Procure efetuar a curta com o corpo muito bem equilibrado, com os pés na posição correta, imitando que
vai bater na bola, deixando para mostrar ao adversário que vai executar a curta somente no último instante.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O jogador perde o ponto se, depois de golpear a bola, atravessar a linha imaginária de continuação
da rede, passando para o lado adversário?

Resposta: Seja antes, ou depois de golpear a bola, o jogador não perde o ponto, se cruzar a linha imaginária de
extensão da rede, passando para o lado adversário, desde que não penetre nas linhas ou toque na rede ou nos
pontos que delimitam a quadra oposta.

Dicas da semana 21
1) Se o seu aluno já é um grande jogador, treine-lhe os voleios fazendo-o voar, matando o ponto. Com a ajuda
de um carrinho cheio de bolas, ponha o atleta um pouco à frente do "T" da quadra e arremesse bolas que lhe
exijam esforço para alcançá-las, insistindo para que ele mate o ponto, seja com bolas longas, cruzadas,
colocadas, ou com bolas curtas. É importante lembrar que os adversários de um grande jogador têm enorme
precisão em passar o oponente na rede e por isso não se pode dar-lhes chance de executarem a passada.

2) O segredo para efetuar um bom bate-pronto (aquela bola que bate no seu pé e que você tem de golpeá-la
imediatamente após ela iniciar a trajetória ascendente, após ter batido no chão de seu lado da quadra) é baixar
a cabeça da raquete em direção ao ponto que se presume ela vá bater no chão, não se fazendo qualquer
alavancagem da raquete para trás. O bate-pronto é um golpe de bloqueio da bola. Após bater a bola, dê
seguimento ao movimento da raquete em direção ao ponto que você desejou dirigi-la.

44
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Teste de conhecimento.

Pergunta: Qual o principal motivo de um jogador efetuar um bom golpe de esquerda quando está parado e não
conseguir o mesmo desempenho quando tem que se deslocar para atingir a bola?

Resposta: O principal motivo de um jogador efetuar um bom golpe de esquerda quando está parado e não
conseguir o mesmo desempenho quando tem que se deslocar para atingir a bola prende-se ao fato de ele
deixar para iniciar o movimento para trás, de armação do golpe, somente após ter alcançado a bola e com isso
acaba efetuando um movimento sem cadência e necessitando de alta velocidade no braço para golpear a bola.
O correto é ir executando o movimento da raquete para trás durante o intervalo em que o jogador está
correndo em direção à bola. Tal erro é tão comum, que é fácil perceber-se pessoas apenas empurrando a bola
para o outro lado, sempre que têm de correr para alcançá-la.

Dicas da semana 20
1) O desenho no ar das distâncias que você deve ficar da bola para rebatê-la é o de uma meia-lua. O ponto
mais distante é o em que a bola se encontra para ser golpeada na altura de sua cintura e os pontos mais
próximos são quando a bola vai ser golpeada abaixo de seus joelhos ou acima de seus ombros.

2) Jogar na rede é um hábito que tem que ser cultivado desde os primeiros anos do tenista. Para tanto é
necessário que o atleta se proponha a jogar, vez por outra, um set inteiro forçando ir à rede em todas as
oportunidades e assim ele vai pegando experiência como jogador de rede. Uma das inúmeras coisas que ele
aprenderá será tentar advinhar o lado em que o adversário irá jogar a bola, quando ele se vir em má situação,
por ter ficado vulnerável, ao subir à rede com uma bola não muito eficiente. É o mesmo comportamento do
goleiro de futebol, no penalty: ele escolhe um lado para saltar, tentando advinhar para onde o adversário vai
chutar a bola.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Quais as principais causas da falta de potência no saque?

Resposta: As principais causas da falta de potência no saque são: a) pegar a raquete com força, não deixando
o pulso articular para a frente durante o impacto da raquete com a bola; b) não arquear o corpo para ajudar na
alavancagem; c) não jogar a bola à frente do corpo, impossibilitando com isso o aproveitamento do peso do
corpo para arremessá-lo sobre a bola.

Dicas da semana 19

1) Nunca mude radicalmente a empunhadura de seu aluno. Por exemplo, se ele estiver acostumado a uma
empunhadura Continental de esquerda e você quiser que ele mude para Eastern, vá forçando aos poucos a
mudança e ponha-o a bater muita parede, pois ali ele ficará mais à vontade para aceitar a mudança, já que não
terá o adversário para se constranger em face de seus tantos erros.

2) Quando o lob adversário for muito baixo, levando a bola a descrever quase uma reta no ar, dê preferência a
bater a bola com um voleio alto, em lugar do Smash. As estatísticas têm demonstrado que quase a totalidade
das bolas batidas com Smash nestes casos resultam em erro.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Você sabe quais os principais motivos que levam o tenista a sentir "tennis elbow" (dor intensa no
cotovelo) na execução do golpe de esquerda (o backhand)?

Resposta: Os principais motivos que podem levá-lo a sentir "tennis elbow" (dor intensa no cotovelo) na

45
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
execução do golpe de esquerda (o backhand) são: a) estando você ainda frio, rebater uma bola que pulou
errado e desenvolveu aceleração acima de suas expectativas; b) você mantém o pé da frente virado para a
lateral da quadra no momento de bater a bola, em lugar de apontá-lo para o ponto em que vai golpeá-la; c)
você leva a raquete pouco para trás, não a enrolando no corpo antes de bater a bola; d) você não inicia o
movimento de trazer a raquete para a frente com a ajuda inicial do ombro do braço que empunha a raquete (tal
movimento pareceria com uma mola aspiral que estaria sendo desenrolada em direção à bola).

Dicas da semana 18

1) Na execução de uma curta, dê preferência a efetuá-la cruzando a bola, pois o adversário terá maior
dificuldade para alcançá-la, mesmo que a jogada não tenha sido efetuada com perfeição, uma vez que a bola
estará sendo direcionada para fora da quadra.

2) Se você não for um principiante, procure treinar a curta fazendo o "backswing" (movimento para trás e
para a frente, anterior ao impacto raquete-bola) igual ao dos "drives"; isto evitará que o adversário se desloque
antecipadamente para defender-se de seu golpe, após perceber que você irá executar uma curta.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Você pode recorrer à ajuda dos expectadores, no caso de dúvida sobre a marcação de uma bola
dentro ou fora da quadra?

Resposta: A Regra do tênis estabelece que você não pode recorrer à ajuda dos expectadores, no caso de
dúvida sobre a marcação de uma bola dentro ou fora da quadra.

Dicas da semana 17

1) Nas bolas acima de sua cintura procure especializar-se no "spin" lateral; isto é, admitindo que você seja
destro, bata a bola com "spin" movimentando a raquete da direita para a esquerda num "forehand" e o inverso
num "backhand". É o mesmo movimento que você pode ver na parte superior da pá de um ventilador em
funcionamento.

2) É muito importante, no "spin" lateral, observar a necessidade de a bola ser "raspada" em seu meridiano
esquerdo, na execução de um "forehand" e no meridiano direito, num "backhand".

Teste de conhecimento.

Pergunta: Você sabe a regra para marcar boa ou fora uma bola próxima da linha em seu lado da quadra?

Resposta: A regra para marcar uma bola próxima da linha, em seu lado da quadra é: "Havendo alguma dúvida
se a bola foi boa ou fora, você deve acusá-la como boa. Em outras palavras, se você não tem certeza de que a
bola foi fora, considere-a automaticamente boa, dando a vantagem de sua dúvida ao adversário, para não
prejudicá-lo, pois, no mínimo, ele efetuou uma boa jogada, ao atirar a bola tão perto da linha."

Dicas da semana 16
1) Você só tem 20% de probabilidade de ganhar o ponto quando efetua uma bola curta. Os 80% contra se
dividem em: a bola não ultrapassou a rede (20%); a bola foi longa, permitindo que o adversário a alcançasse
(20%); a bola foi executada muito do fundo da quadra, ficando fácil para o adversário alcançá-la (20%); a
execução do golpe foi perfeita, mas assim mesmo o adversário pegou a bola (20%). Por isso, dar uma curta
num placar "30 iguais", por ocasião de seu saque, significa que você estará botando pressão em cima de si
mesmo.

46
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
2) Portanto, só execute uma curta quando: a) estiver em vantagem no "game"; b) puder efetuar o golpe mais
próximo da rede; c) tiver que arriscar para quebrar um excelente saque adversário; d) já considerar o "game"
praticamente perdido.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Você perderá o ponto se devolver a bola por fora dos limites laterais da rede, abaixo de sua altura?

Resposta: Enquanto no "vôlei" você perde o ponto, se devolver a bola por fora dos limites laterais oficiais da
rede, no tênis a jogada é válida quando a bola é devolvida por fora dos limites laterais da rede, mesmo que a
bola passe abaixo da altura da rede.

Dicas da semana 15
1) Você já se imaginou atirando com uma arma sem olhar para onde pretende acertar o tiro? Muitos tenistas
sacam sem olhar para onde pretendem dirigir a bola. Seus olhos são sua única alça de mira para acertar a bola
no retângulo de saque. Assim, fixe os olhos na área de saque, deixando para olhar para a bola somente quando
ela já estiver no alto.

2) Verifique em seu aluno se o cotovelo do braço que empunha a raquete está na altura do ombro no momento
em que é feita a laçada. Manter o cotovelo próximo do corpo gera uma laçada imperfeita e menor potência no
saque.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Deve o ponto ser repetido, se a bola bater em outra no chão e uma delas for mantida em jogo?

Resposta: O ponto deve ser repetido quando a bola bater em outra no chão e houver dúvida se foi mantida em
jogo a mesma bola de antes do incidente.

Dicas da semana 14
1) Use um pouco de "topspin" nas devoluções de "forehand" e "backhand"; não obstante seja mais difícil o
"topspin" de esquerda, se você insistir em praticá-lo nos treinos e jogos, em menos de dois meses já se sentirá
confiante.

2) Antes de receber o saque, escolha um canto da quadra oposta para devolver a bola; assim, nunca se
surpreenderá quando o adversário subir à rede.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Se seu aluno bate o "forehand" com o braço muito esticado e longe do corpo, o que fazer para
ajudá-lo a corrigir este defeito?

Resposta: Se seu aluno bate o "forehand" com o braço muito esticado e longe do corpo, para corrigir-lhe este
defeito explique, utilizando-se da teoria do absurdo, que seria mais fácil jogar com uma raquete sem cabo do
que com uma cujo cabo tivesse dez metros de extensão. Evidenciado, portanto, que a melhor forma de jogar é
com o cotovelo mais próximo do corpo. Coloque uma bola em baixo do braço com o qual o tenista empunha a
raquete e faça-o bater algumas bolas afim de que ele se familiarize com este novo estilo, que passa a exigir
maior impulsão de corpo, do que apenas de braço.

Dicas da semana 13

47
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
1) A devolução de um saque potente deve ser efetuada de maneira completamente diferente da que se usa para
um golpe de esquerda ou de direita de fundo de quadra. Em face da grande velocidade da bola, procure apenas
bloqueá-la, encurtando os movimentos para trás ("backswing") e para a frente (‘follow-through"). Para isso,
tire os calcanhares do chão e dê um pequeno salto para a frente com as duas pontas dos pés ("split step") e
perceberá que, com este movimento, se verá obrigado a apenas bloquear a bola.

2) Como não haverá tempo para fazer o "jogo-de-pés", gire apenas um pouco os ombros na direção em que irá
efetuar a devolução de um saque potente.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Você ganha ou perde o ponto, se atirar a raquete para o ar, rebatendo a bola de maneira
indefensável para o adversário?

Resposta: Mesmo que consiga rebater a bola de maneira indefensável para o adversário, você perderá o ponto,
se atirar a raquete para o ar.

Dicas da semana 12
As dicas dessa semana continuam a tratar do assunto "empunhaduras", abordado na semana passada.

1) Esquerda, ou "backhand": iniciando da "posição de espera", no momento em que a bola se definir para o
"backhand", sem largar o cabo, afrouxe um pouco mais a mão direita, a fim de que ela permita que o cabo
aceite o trabalho de sua mão esquerda, que girou a raquete na direção dos ponteiros do relógio, fazendo com
que as cordas da raquete fiquem na vertical.

2) Voleio, saque e "smash": saindo também da "posição de espera", gire a raquete na direção dos ponteiros do
relógio, fazendo com que as cordas da raquete não possam ser vistas por seus próprios olhos. Ou seja, esta
empunhadura fica equidistante das outras duas.

Teste de conhecimento.
Pergunta: O que você deve saber para bater uma bola do meio da quadra, com bastante "topspin"?

Resposta: Para bater uma bola do meio da quadra, com bastante "topspin" é fundamental que você corra para
alcançar a bola e efetue o "split step" (parar bruscamente, ficando bem "plantado" no chão, na posição de pés
correta). No momento de bater a bola não efetue qualquer giro de tronco, para que não haja muito movimento
de impulsão da bola para a frente e com isso prevalecerá o movimento de braço de baixo para cima
("topspin"), gerando a predominância do efeito, e não da força, sobre a bola.

Dicas da semana 11
As dicas dessa e da próxima semana tratam de "empunhaduras".

1) Direita, ou "forehand": mantenha os cotovelos ligeiramente à frente do corpo; apoie o coração da raquete
sobre a extensão do dedo indicador da mão esquerda; em seguida, segure o cabo da raquete com a mão direita,
como se estivesse cumprimentando alguém; esta é, também, a "posição de espera", no fundo da quadra, que
você deve adotar para definir de qual lado vai bater a bola.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Estando você em trânsito para a rede, o que deve saber para efetuar, com certa consistência, um
voleio-curta?

48
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Resposta: Estando você em trânsito para a rede, se pretende efetuar, com certa consistência, um voleio-curta,
é necessário que afrouxe os dedos da mão que segura a raquete no momento do impacto com a bola, a fim de
que consiga amortecer o impacto da bola sobre a raquete, dando a curta com sucesso. Evite, também, o uso
exagerado do "slice", pois você estará com isso complicando ainda mais este golpe, que já é razoavelmente
difícil.

Dicas da semana 10
1) A impetuosidade dos jovens leva-os a crer que sabem tudo. Mas o tempo vai lhes mostrando que a escada
da vida é o maior dos mestres, levando os mais sábios, antes ateus, a acreditarem num Deus, por começarem a
perceber que quanto mais aprendem, menos sabem do tudo que há por aprender. De fato, se eu sou uma única
unidade de criação, de invenção, dentro deste imenso universo de seres vivos criadores, fica fácil perceber que
é a mim impossível absorver tudo que está sendo diariamente disponibilizado para aprender. Isto significa que
a qualquer um é possível reunir um conjunto diferenciado de informações e conseguir competir em igualdade
de condições com os outros. Os melhores do mundo serão os que se dedicarem com maior afinco a esta tarefa.

2) Não desprezem os jovens o trabalho desenvolvido pelos administradores do tênis. Eles são pessoas
abnegadas que carregam a bandeira de nosso esporte, recebendo em troca o reconhecimento de que
cumpriram sua simples obrigação nos eventos bem sucedidos ou o apedrejamento nas ocasiões em que
falharam involuntariamente. Enquanto não existe a organização administrativa num esporte, este é apenas
uma prática sem expressão.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Você teria alguma idéia para melhorar seus treinos de lançamento da bola no saque?

Resposta: Uma idéia utilizada com muito sucesso para melhorar o treino do lançamento da bola no saque de
meus alunos foi a de construir um engenho que se assemelha a uma forca, com altura regulável, na qual fica
pendurado um barbante de 30 cm de comprimento. O engenho é colocado com o barbante próximo do ponto
que se deseja arremessar a bola, com o objetivo de melhor orientar o reconhecimento do ponto ideal de se
bater a bola.

Dicas da semana 9
1) O tênis foi considerado nas estatísticas norte-americanas o esporte mais difícil do mundo, para se chegar à
perfeição. É por isso que as pessoas que começam a praticá-lo se enamoram desse desafio. Isto não quer dizer
que não seja fácil aprender, para jogar razoavelmente.

2) Tenha paciência no período de aprendizado do tênis, trabalhando sem desanimar no primeiro ano e lhe será
garantido ter um esporte para o resto da vida.

3) Se você aprender a competir e a vencer no tênis, certamente também será um vencedor em qualquer
atividade que escolha para abraçar em sua vida profissional.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O que fazer quando você está na rede e sistematicamente não consegue acertar um "smash" de bola
que não bate no chão de seu lado da quadra?

Resposta: Se você está na rede e sistematicamente não consegue acertar um "smash" de bola que não bate no
chão de seu lado da quadra, a razão desse insucesso certamente estará no fato de que você estará curvando o
corpo para a frente no momento de golpear a bola, pretendendo com isso bater com muita força. Como você
está "grudado" na rede, não há necessidade de golpear a bola com tanta força para ganhar o ponto, bastando

49
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
colocá-la com razoável potência. Em outras palavras, bata o "smash" com o corpo ereto, dando com isso
prioridade a manter os olhos fixos sobre a bola. Cada vista tem cerca de 150 graus de amplitude visual e às
vezes você pensa que está olhando para a bola, mas não a está mais vendo com o centro de sua atenção ótica.
Experimente olhar para "um ponto" e perceba como sua visão periférica lhe permite enxergar um grande
espaço nos arredores.

Dicas da semana 8
1) A idade ideal para aprender tênis é a do dia em que você resolve iniciá-lo. Aí vão duas razões para jogar
tênis: a) trata-se de um dos poucos esportes possíveis de serem praticados enquanto você estiver vivo; b) se
você começar o tênis aos 50/60, evitará uma possível cadeira de rodas aos 80 anos.

2) Não há nada mais bonito que ver pessoas acima dos 70 anos jogando, ou começando a jogar tênis,
mostrando aos jovens como viver pode ser saudável e satisfatório.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Você sabe como acertar um smash de bola muito alta, sem deixar que ela bata antes no chão, dentro
do T, de seu lado da quadra?

Resposta: A dica para acertar um "smash" de bola muito alta, sem deixar que ela bata antes no chão, dentro do
T, de seu lado da quadra é efetuar lentamente todo o movimento do braço que empunha a raquete, iniciando-o
apenas com a metade do movimento de saque; isto é, coloca-se os dois braços para cima, o da frente
apontando para a bola e o que empunha a raquete ligeiramente dobrado e por trás da cabeça, fazendo-se a
laçada lentamente, golpeando-se a bola como se estivéssemos empurrando-a, pois você estará tão próximo da
rede que não precisará de um golpe muito potente para ganhar o ponto de seu adversário completamente em
apuros. A necessidade de fazer o movimento lentamente é porque a bola muito alta toma uma grande
velocidade de aceleração na descida, sendo assim, é mais conveniente que você quase que empurre a bola, em
lugar de tentar acertá-la no momento em que ela chega no ponto ideal, utilizando-se de uma grande
velocidade na laçada da raquete.

Dicas da semana 7

1) Sempre que trocar de raquete, ou mudar a tensão de sua cordas, também adote como regra bater parede
antes de entrar na quadra e não jogar forte nos cinco primeiros minutos de aquecimento.

2) Se está acostumado a jogar duas vezes por semana e mudar para um treinamento mais intenso, não se
esforce em demasia na primeira semana, até que seu corpo se habitue ao novo ritmo. Isto o prevenirá tanto do
"tennis elbow", como de distensões musculares. Se tiver que jogar no dia seguinte ao que sacou
violentamente, tente economizar o braço, caso não esteja acostumado com esse ritmo diário de esforço.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Em que situação você pode bater com a raquete na rede e ganhar o ponto?

Resposta: Você pode bater com a raquete na rede e ganhar o ponto se, antes dessa falta, já houver ocorrido
uma do adversário, ou a bola já tiver tocado duas vezes em qualquer parte, na quadra adversária.

Dicas da semana 6
1) Além dos exercícios normais de alongamento que deve fazer antes de iniciar o bate-bola de aquecimento,
não esqueça de efetuar também o alongamento dos tendões do braço, para evitar o aparecimento de "tennis
elbow", uma dor intensa e aguda no cotovelo, capaz de deixá-lo inativo ou convivendo dolorosamente com

50
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
ela por longa temporada. Com o braço esticado gire-o para a direita o máximo que possa e conte
vagarosamente até quinze; em seguida, faça o mesmo em direção oposta; a seguir, dobre o pulso o máximo
que possa na direção da palma de sua mão; e finalmente dobre o pulso na direção oposta à deste último
exercício.

2) Inicie sempre o bate-bola e o aquecimento do saque evitando efetuar movimentos bruscos ou violentos nos
primeiros cinco minutos de aquecimento. Após ter parado mais de dez meses, bata parede para esquentar,
antes de entrar na quadra, pois você terá perdido grande parte da musculatura que levou anos para construir e
que protegia os tendões de seu braço contra a vibração da raquete e movimentos bruscos provocados pelo
pulo irregular da bola.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Quem saca após o "tie-break" e por quê?

Resposta: Quem saca após o "tie-break" é o jogador que iniciou o primeiro "set" recebendo o saque; deste
modo, um jogador teve a vantagem de começar sacando no primeiro "set" e o outro no segundo.

Dicas da semana 5

1) Trabalhe para usar, de preferência, somente a primeira bola de saque. Isto fará com que você evite o
cometimento de muitas duplas-faltas. Para isso, experimente jogar um "set" valendo apenas uma bola para
sacar. Treine também jogar o "set" sacando apenas um jogador.

2) Olhe para o local aonde vai dirigir o saque até o último instante que possa, deixando para desviar a atenção
para a bola somente quando ela já estiver sendo lançada para o alto. Tome como base o princípio de que mirar
o alvo é fundamental para acertar o tiro e, no caso, suas vistas são a única mira que lhe garante a noção
espacial de seu alvo.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Qual a única situação em que você pode invadir a quadra adversária?

Resposta: Você poderá invadir o espaço aéreo da quadra de seu oponente para rebater a bola, desde que não
toque na rede, quando receber uma curta cujo efeito tenha feito a bola voltar para o lado de seu adversário.

Dicas da semana 4

1) Para se ter um bom saque, é importante saber gerar energia dinâmica na execução desse golpe. Isto
significa que a ponta de sua raquete deverá ir acelerando lentamente, até atingir a velocidade máxima no
instante do choque com a bola. Para isso, é imprescindível que você proceda a uma acentuada quebra de pulso
para a frente no momento do impacto raquete-bola.

2) Evite finalizar o saque com o corpo caindo para os lados, pois isto levará à irregularidade do golpe. Além
disso, um adversário atento devolverá seu saque no lado oposto ao que você tombou. Corrija o defeito,
treinando para que a bola, quando não golpeada, caia no chão há cerca de vinte centímetros da direção de seu
pé da frente.

Teste de conhecimento.

Pergunta: O que você deve fazer para mudar a empunhadura de "forehand" de seu aluno, de "Continental"
para "Eastern", ou de "Western" para "Eastern"?

51
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
Resposta: Em qualquer alteração na empunhadura de "forehand" de seu aluno, seja de "Continental" ou de
"Western" para "Eastern", jamais esqueça que o jogador que bate "Continental" usa o braço completamente
esticado e você deve orientá-lo a bater com o braço um pouco encolhido e o cotovelo mais próximo do corpo
para adotar a empunhadura "Eastern". Se ele adota uma empunhadura "Western" - situação em que ele bate a
bola com o braço muito encolhido - e você deseja que ele aprenda a bater também com empunhadura
"Eastern", oriente-o a esticar apenas um pouco mais o braço que o habitual.

Dicas da semana 3

1) Para nos tornarmos atletas corajosos, "vencedores", é preciso cultivar o hábito da coragem em todas as
oportunidades, pois, assim como "aprendemos a ter medo", também podemos "aprender a ter coragem".
Treinar para assumirmos tal postura é uma necessidade em todos os esportes praticados no País. E só assim
criaremos uma futura geração de atletas vencedores.

2) Para maior precisão do saque, bata a bola quase parada no ar, numa altura ideal para golpeá-la com seu
corpo esticado. Em outras palavras, não jogue a bola tão alta que seja preciso esperar ela descer, pois isto
causará grande irregularidade em seu saque.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Que medida você poderá adotar, se seu aluno tiver um golpe bastante ineficiente, mas que, não
obstante deseje consertá-lo, tenha uma resistência subconsciente para aceitar tal mudança de estilo?

Resposta: Se seu aluno tiver um golpe bastante ineficiente, mas que, não obstante deseje consertá-lo, tenha
uma resistência subconsciente para aceitar tal mudança de estilo, você poderá usar do princípio de imitar-lhe o
golpe exagerando para o lado do ridículo. Ao se ver imitado por você, o subconsciente do aluno registrará
aquela imagem meio ridícula e desagradável e passará a rejeitar o antigo estilo defeituoso.

Dicas da semana 2
1) Não relaxe, achando que está ganhando fácil, pois às vezes apenas o adversário ainda não conseguiu entrar
em jogo. Se ele superar esse problema, pode colocá-lo em apuros e será muito difícil voltar à situação
anteriormente favorável a você.

2) Nos golpes de fundo de quadra, de direita e esquerda, aponte o pé da frente para o ponto em que se dará o
impacto raquete-bola. Isto é, o pé precisa ficar num ângulo de cerca de 45º com a rede, para permitir a natural
rotação da raquete e do tronco, de trás para a frente, em direção à bola.

Teste de conhecimento.
Pergunta: Se o seu aluno está fazendo um movimento amplo para trás, num voleio em que haveria apenas a
necessidade de bloquear a bola, que tipo de treinamento você poderia adotar para corrigir-lhe o defeito?

Resposta: Se o seu aluno está fazendo um movimento amplo para trás, num voleio em que haveria apenas a
necessidade de bloquear a bola, para corrigir-lhe o defeito, encoste-lhe os calcanhares em uma parede e lance
bolas para ele volear; ele aprenderá rapidamente que não haverá necessidade de fazer alavancagem para trás
quando for necessário apenas bloquear a bola.

Dicas da semana 1
1) Não adianta manter apertado o cabo da raquete, pois, mesmo segurando-o com força, a raquete rodará em
sua mão sempre que a bola bater fora do centro das cordas da raquete. Além disso, o esforço resultará apenas
em cansaço precoce do braço.

52
DICAS DE TÊNIS
Lício Grangeiro
http://www.toptennis.com.br
2) Pense sempre positivamente, acreditando que vai acertar a bola, para que todo o seu corpo o ajude no
desempenho do golpe. Imaginando que poderá errar, seus músculos se contrairão e as chances de sucesso no
golpe diminuirão bastante. Caso se perceba nervoso, retarde um pouco o início do ponto, tentando recompor-
se.

Teste de conhecimento.

Pergunta: Em que situação você deve segurar a raquete com força?

Resposta: Você deve segurar a raquete com força segundos antes e durante o voleio, para que sua raquete
possa suportar o forte impacto dos golpes adversários. Para os demais golpes, imagine que o cabo da raquete
seja um pombo que você segurasse na mão; se o apertar muito, ele morre; se afrouxar demais, ele foge.

53