Você está na página 1de 1

NEUROCIÊNCIA

A NEUROCIÊNCIA PODE SER UMA ALIADA QUANDO


PENSAMOS NA AVALIAÇÃO DOCENTE.

E APRENDIZAGEM
Ter como base a opinião dos alunos por meio de avaliações convencionais é muito
importante para que seja possível identificar os pontos de melhoria em sala de aula
por parte do professor. Contudo, em alguns casos, esse método pode apresentar falhas.
Você já pensou em aliar neurociência aos processos de Pense em um aluno que goste muito de um professor, mas por alguma questão encontra
aprendizagem? Apesar do tema ser complexo, ele já dificuldades em sua aula. Sua avaliação daquele docente pode ser positiva, apesar
vem sendo aplicado por pesquisadores e educadores e de seus métodos não serem tão eficientes para o discente. Em alguns casos, os jovens
ganhou destaque nos últimos anos. A neurociência e a não conseguem externar em palavras suas dificuldades de aprendizagem. É aí
aprendizagem caminham juntas quando pensamos que a neurociência se torna útil. Ela permite mecanismos de aferição sem essa
nos mecanismos biológicos que envolvem processos avaliação consciente.
como memória, concentração e até a alfabetização.

A neurociência permite que os profissionais da


educação compreendam com mais clareza o
funcionamento do cérebro e suas ações. Confira
nesse guia a relação entre neurociência e aprendizagem O QUE MOTIVA
e como ela já é aplicada no dia a dia. UM ALUNO EM SAL A DE AUL A?
O que prende a atenção desse aluno
durante a aula? Esses também são
questionamentos levantados pela neurociência.
Compreender esse processo de retenção da
atenção do jovem permite que as metodologias
JÁ SE PERGUNTOU COMO de aprendizagem sejam mais certeiras e
FUNCIONAM OS PROCESSOS eficientes. Dispositivos que analisam a atividade
CEREBRAIS DURANTE A
cerebral dos alunos durante as aulas já foram
ALFABETIZAÇÃO?
aplicados e mostraram resultados importantes
A neurociência se encarrega de compreender o que para a intervenção em algumas práticas e aulas.
acontece com as sinapses, ou comunicações entre Compreendendo como a atenção dos alunos
neurônios, durante o processo de ensino-aprendizagem. varia ao longo de uma hora de aula, é possível
Assim, estudos por meio de análises de imagens tornar mais eficientes os picos de concentração.
funcionais permitiram identificar o que acontece
com o nosso cérebro durante a alfabetização.
Analisando as imagens de um indivíduo não
alfabetizado, um recém alfabetizado e um alfabetizado
há muitos anos, ao serem expostos às palavras, é O QUE É MAIS EFICIENTE?
possível identificar uma conexão entre as áreas visuais
com regiões relacionadas ao som. De maneira prática, Estudar por 4 horas seguidas ou dar
é possível comprovar que o processo de alfabetização um intervalo a cada 1 hora de estudo?
envolve tanto a visão quanto a audição e esses Esse questionamento também pode ser
estímulos são fundamentais para que ela seja efetiva. respondido a partir das pesquisas
neurocientíficas. Com base nelas é possível
determinar quais métodos de aprendizagem
funcionam melhor para uma turma.

CONFIRA MAIS SOBRE


NEUROCIÊNCIA E EDUCAÇÃO NO
PODCAST EDUCAÇÃO E INOVAÇÃO!

SAIBA MAIS
Para mais
informações,
acesse:

O QUE É NEUROCIÊNCIA

A aplicação da neurociência no aprendizado é diversa e citamos apenas alguns de seus muitos usos.
Mas, afinal, o que é a neurociência? Basicamente, estamos falando de uma área de estudo da
medicina que se correlaciona com diversas outras áreas como: pedagogia, biologia,
anatomia, física e outras. Seu propósito é ajudar a compreender o cérebro humano durante todas as
fases da vida de um indivíduo. Com base nessas informações é possível melhorar a qualidade de vida e
desenvolver técnicas específicas para aprimorar a educação, por exemplo.

Ganhador do Prêmio Nobel em 2006, Kandel define que “aprender significa criar memórias
de longa duração”. Com base nessa afirmação, podemos compreender por que os métodos
que estimulam apenas que os alunos decorem fatos e dados não são eficientes. O processo
de aprendizagem envolve ser capaz de resgatar uma memória e aplicá-la no seu dia a dia e
na resolução de problemas.

NEUROCIÊNCIA E AS METODOLOGIAS ATIVAS


Uma das mudanças de métodos que vem ganhando força nos últimos anos é a implementação das metodologias
ativas em sala de aula. Elas tratam justamente de modificar o estilo tradicional de se dar aula. Há anos a
composição da sala de aula é feita por alunos sentados em carteiras enfileiradas e o professor à frente da turma,
sendo o detentor de todo o conhecimento, nesse modelo existe pouca troca entre aluno e professor, já que os
discentes assumem uma postura passiva durante o seu processo de ensino-aprendizagem.

Contudo, quando pensamos nas mudanças das últimas décadas, na quantidade de estímulos que esses alunos
estão expostos diariamente com seus celulares, tablets e redes sociais, esse método tradicional perde muito do
seu efeito e significado. Com a neurociência foi possível identificar que a aprendizagem modifica as
estruturas do cérebro. Agora pense em um aluno que possui toda a informação que ele desejar em seu
smartphone. Para ele, as aulas com métodos tradicionais se tornam desinteressantes e isso afeta o seu processo
de aprendizagem. Assim, as novas metodologias de ensino procuram modificar as maneiras com que o aluno
terá acesso ao conhecimento.

Modelos como a sala de aula invertida, ou o uso da gamificação em sala de aula têm se mostrado muito
eficientes engajar os alunos e melhorar o seu desempenho. Por isso, preparamos um material completo
sobre o uso das metodologias ativas no Novo Ensino Médio.

BAIXE JÁ!

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER:

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CAMINHOS DE APRENDIZAGEM: BNCC E O NOVO ENSINO MÉDIO:


NOVO ENSINO MÉDIO EXPERIMENTAÇÃO E CONEXÃO conheça as orientações por trás da reforma

BAIXAR MATERIAL! LER ARTIGO! BAIXE O EBOOK!

SAIBA MAIS SOBRE A SOLUÇÃO


GOSTOU DO MATERIAL?
Compartilhe o material
CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS
em suas redes sociais!

Você também pode gostar