Você está na página 1de 4

24/05/2008

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA (UNIR) Introdução


NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA
DEPARTEMENTO DE ENGENHARIA E FÍSICA
CURSO DE LICENCIATUARA EM FÍSCIA
DISCIPLINA ALGEBRA LINEAR
DOCENTE: CARLOS TENÓRIO I. Conceitos básicos
II. O modelo como ferramenta de
Modelo de Leontief: programação econômica
Matriz insumo-
insumo-produto III. A Matriz Insumo-
Insumo-Produto
IV. Determinação dos coeficientes técnicos
Marcos André Alves Brito V. Equação de insumo do Produto
Islândio Dantas Chaves
VI. Aplicação teórica
PORTO VELHO-RO, 2007

O modelo como ferramenta de


Conceitos básicos programação econômica
Demanda final (Y)
(Y):: A demanda final, compõe-se do consumo A abordagem de programação econômica apóia-se
(C) das familiares, do governo e a formação bruta de capital na noção de interdependência econômica entre os setores
fixo (I) . E pode ser representado algebricamente pela produtivos, esta interdependência resulta da interação
seguinte relação; C + I = Y. entre as unidades produtoras que repassam seus bens a
Demanda intermediária
intermediária:: representa os fornecimentos e outras unidades para serem processados.
aquisições de cada setor em relação a si próprio e aos O modelo de Wassily W. Leontief proporciona a base
demais. conceitual para a análise das conexões entre relações
Valor Bruto da Produção (VBP);(VBP); é a soma da demanda intersetoriais, possibilitando programar o sistema
intermediária (DI) e da demanda final (DF). Expresso econômico em consonância com os objetivo que se queria
matematicamente por; VBP = DI + DF atingir .
Valor Agregado Bruto (VAB);
(VAB); é soma do total de salários, A importância deste instrumental, decorre de se saber
juros, aluguéis, e lucros, mais o total dos tributos indiretos e a se determinada meta é consistente ou não, de acordo com
depreciação gerados durante o processamento da produção. a disponibilidade de recursos, no sentido de evitar pontos
de estrangulamento ou gargalos, que posso comprometer
as metas almejadas.

Matriz insumo-
insumo-Produto Matriz insumo-
insumo-Produto
Cada setor é relacionado duas vezes. Em linha (o que Vetores-coluna
Vetores-
cada setor vende); Em coluna (o que cada setor compra);
Vetores--linha
Vetores X11 define a compra do setor 1 recebida do setor 1
X11 define a venda do setor 1 p/ o setor 1 X21 define a compra do setor 1 recebida do setor 2
X12 define a venda do setor 1 p/ o setor 2
X13 define a venda do setor 1 p/ o setor 3 X31 define a compra do setor 1 recebida do setor 3
∑X1J define a demanda intermediária total atendida pelo ∑Xi1 define as aquisições feitas pelo setor 1
setor j.
recebida dele próprio e dos demais setores
C1 a vendas do setor 1 para o consumo final
final..
I1 os investimento realizado pelo setor 1
Y1 é o total da demanda final atendida pelo setor 1
(consumo + investimentos)

1
24/05/2008

Determinação dos Coeficientes


Matriz insumo-
insumo-Produto Técnicos de Produção
Setores compradores
O cálculo do coeficiente técnico de produção (Aij), expressa quanto o
Demanda Intermediária Demanda Final setor j necessita do produto do setor i. Os coeficientes técnicos de uma
VBP
Setores vendedores matriz insumo-produto genérica é dado por Aij = Xij / Vj, assim, a matriz
Primário Secundário Terciário Subtotal consumo investimento Total
dos coeficientes é;
X11 X12 X13 ∑ X1J C1 I1
Primário Y1 V1

X21 X22 X23 ∑ X2J C2 I2


A11= X11 /V1 A12= X12/ V2 A13= X13 /V3
Secundário Y2 V3 A= A21= X21 /V1 A22= X22 /V2 A23= X23 /V3
X31 X32 X33 ∑X3J C3 I3
Terciário Y3 V4 A31= X31/ V1 A32= X32 /V2 A33= X33/ V3
∑Xi1 ∑Xi2 ∑Xi3 ∑XIJ ∑C ∑I
Total ∑Y ∑V

VA1 VA2 VA3 ∑VA


VAB

V1 V2 V3 ∑VIJ
VBP

Equações Insumo-Produto Equações Insumo-Produto


Isolando-se a demanda final Y do lado direito das
Vimos que: equações:
X11 + X12 + X13 + Y1 = V1 (1 - A11 ) V1 - A12 V2 - A13 V3 = Y1
X21 + X22 + X23 + Y2 = V2 -A21 V1 + (1 - A22) V2 - A23 V3 = Y2
X31 + X32 + X33 + Y3 = V3 -A31 V1 - A32 V2 + (1 - A33) V3 = Y3
Como: Temos, portanto, um sistema matricial do tipo:
Aij = Xij / Vj Xij = Aij . Vj (I – A)V = Y, pois:
Podemos reescrever as três primeiras
equações como:
1 - A11 - A12 - A13 V1 = Y1
A11 V1 + A12 V2 + A13 V3 + Y1 = V1
A21 V1 + A22 V2 + A23 V3 + Y2 = V2
- A21 +(1 - A22) -A23 . V2 = Y2
A31 V1 + A32 V2 + A33 V3 + Y3 = V3 - A31 - A32 +(1 - A33) V3 = Y3

Equações Insumo-Produto Equações Insumo-Produto


Com está interessado em saber como VBP Esta expressão é a matriz dos requisitos
decorrente de efeito direto e indireto devemos
isolar V, resolvendo a expressão matricial, temos; direto e indireto por unidade de demanda
(I – A) (I – A)-1 V = (I – A)-1 Y final;
Onde (I – A) (I – A)-1 = I, portanto 1 - A11 - A12 -A13 -1 Y1 = V1
IV = (I – A)-1 Y - A21 +(1 - A22) -A23 . Y2 = V2
Em que, IV=V, de modo que: V = (I – A)-1 Y. -A31 - A32 +(1 - A33) Y3 = V3
Assim é possível determinar o impacto na
produção dos setores quando há uma variação na
demanda final. A matriz (I – A)-1 é matriz do
coeficiente diretos mais o indiretos.

2
24/05/2008

Aplicação Teórica do Modelo Aplicação Teórica do Modelo


Vamos supor um economia fechada com apenas três setores e, que
fixado por decisão política os objetivos de crescimento sejam os Dado que o objetivo é de expansão, e conhecendo a relações intersetoriais
descritos na tabela abaixo;
abaixo; exposto na tabela abaixo.
abaixo. Pergunta, qual o crescimento de cada setor e dos
insumos para que não ocorra ponto de estrangulamento?

Modelo de três setores para um economia fechada


Objetivo de expansão da demanda final Demanda Intermediária
Demanda final VBP
Totais da demanda final (Y) Primário Secundário Terciário Subtotal
Setores Taxa de expansão
Primário 100 400 250 750 400 1150
Níveis atuais Níveis Programados
Secundário 150 100 400 650 350 1000
Primário 400 600 50%
Terciário 600 200 300 1100 500 1600
Secundário 350 560 60%
Total 850 700 950 2500 1250 3750
Terciário 500 900 80% 300 300 650 1250
VAB

Total 1250 2060 65% VBP 1150 1000 1600 3750

Aplicação Teórica do Modelo Aplicação Teórica do Modelo


Resolução
Resolvendo temos a seguinte matriz;
1° passo acha a matriz dos coeficiente técnicos (Aij = Xij / Vj )
0,0870 0,4000 0,1563
0,9130 - 0,4000 -0,1563
A= 0,1304 0,1000 0,2500
05217 0,2000 0,1875 (I – A)= -0,1304 0,9000 - 0,2500
-0,5217 -0,2000 0,8125
2° passo solucionar a equação matricial, V = (I – A)-1 Y, para encontra
a demanda intermediária e o VBP. Achar a matriz inversa (I – A)-1 ,
resolvendo;
(1 - 0,0870) - 0,4000 -0,1563
temos;; (I – A)-1 = [Adjunta da matriz
Pelo teorema, temos
(I – A) = -0,1304 (1 - 0,1000) - 0,2500 (I – A)] / [Determinante da Matriz (I–A)]
-05217 -0,2000 (1 - 0,1875)

Aplicação Teórica do Modelo Aplicação Teórica do Modelo


3° passo achar a matriz cofatora de (I – A) para encontrar Agora encontrando o determinante da matriz (I–A);
a matriz adjunta de (I – A), considerando que a matriz 0,9130 - 0,4000 -0,1563
adjunta é igual a transposta da matriz cofatora. Det. (I – A)= -0,1304 0,9000 - 0,2500 = 0,4498
-0,5217 -0,2000 0,8125
0,6813 0,2364 0,4956
cofatora (I – A)= 0,3563 0,6603 0,3913 Dividindo todos os elementos da matriz adjunta (I–A) pelo
0,2407 0,2487 0,7695 determinantes de (I– A).
A matriz adjunta é igual a transporta de matriz cofatora, 0,6813 0,3563 0,2407
então temos; 0,4498 0,4498 0,4498
0,6813 0,3563 0,2407 Adj. (I – A) = 0,2364 0,6603 0,2487
adjunta (I – A)= 0,2364 0,6603 0,2487 Det (I – A) 0,4498 0,4498 0,4498
0,4956 0,3913 0,7695
0,4956 0,3913 0,7695
0,4498 0,4498 0,4498

3
24/05/2008

Aplicação Teórica do Modelo Aplicação Teórica do Modelo


4 passo resolvendo o teorema, (I – A)-1 = [Adjunta da matriz (I – A)] / Pela resolução das equação matricial, o novos
[Determinante da Matriz (I – A)], temos; VBP de cada um do setores;
1,5147 0,7921 0,5351
(I – A)-1 = 0,5256 1,4680 0,5529
1,1018 0,8699 1,7108 VBP do Primário
V1= (1,5147*600) + (0,7921*560) + (0,5351*900) = 1.834
Com isso, pode-se calcular os VBP´s, resolvendo a seguinte equação VBP do Secundário
matricial; (I – A)-1 Y = V V2= (0,5256*600) + (1,4680*560) + (0,5529*900) = 1.635

1,5147 0,7921 0,5351 600 = V1 VBP do Terciário


0,5256 1,4680 0,5529 . 560 = V2 V3= (1,1018*600) + (0,8699*560) + (1,7108*900) = 2.688
1018 0,8699 1,7108 900 = V3

Aplicação Teórica do Modelo Aplicação Teórica do Modelo


Conhecido o VBP pode se determinar a nova estrutura da
matriz insumo-
insumo-produto, através do fórmula do coeficiente
Com o VBP conhecido e a nova estrutura
técnicos.. Aij = Xij / Vj => Xij = Aij . Vj
técnicos intersetorial, obtém
obtém--se facilmente o VAB, via
X11= 0,0870 * 1.834 = 160
residual, dado que
que;;
X21 = 0,1304 * 1.834 = 239
X31 = 0,5217 * 1.834 = 957 VAB do Primário
∑ Xi1 = 1.356
VA1= VBP1 - ∑ Xi1 = 1.834 - 1.356 = 478
X12 = 0,4000 * 1.635 = 654 VAB do Secundário
X22 = 0,1000 * 1.635 = 164 VA2= VBP2 - ∑ Xi2 = 1.635 - 1.145 = 490
X32 = 0,2000 * 1.635 = 327 VAB do Terciário
∑ Xi2 = 1.145 VA3= VBP3 - ∑ Xi3 = 2.688 - 1.596 = 1.092
X13 = 0,1563 * 2.688 = 420
X23 = 0,2500 * 2.688 = 672
X33 = 0,1875 * 2.688 = 504
∑ Xi3 = 1.596

Aplicação Teórica do Modelo


Assim a nova matriz fica da seguinte forma
forma;;
Projeções VBP, DI, VAB

Demanda Intermediária
Demanda final VBP

Primário

160
Secundário

654
Terciário

420
Subtotal

1234
Fim
Primário 600 1834

239 164 672 1075


Secundário 560 1635

957 327 504 1788


Terciário 900 2688

1356 1145 1596 4097


Total 2060 6157

478 490 1092 2060


VAB

1834 1635 2688 6157


VBP