Você está na página 1de 26

CENTRO UNIVERSITÁRIO INTA - UNINTA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA

JESSÉLMA ARAÚJO DO ROSÁRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO III


OS BENEFÍCIOS DAS METODOLOGIAS ATIVAS: NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

TIMOM-MA
2021

1
JESSÉLMA ARAÚJO DO ROSÁRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO III


OS BENEFÍCIOS DAS METODOLOGIAS ATIVAS: NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

Relatório de Estágio apresentado ao Centro


Universitário INTA - UNINTA como requisito
parcial para aprovação na disciplina de Estágio
Supervisionado III.

Orientação: Prof.ª. Ms. Anaísa Alves de Moura

TIMOM-MA
2021

2
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...........................................................................................4
2 REVISÃO DE LITERATURA.......................................................................4
3 RESULTADO DA EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO........6
3.1 Observação da Unidade Escolar ............................................6
3.2 Elaborando um Projeto de Formação Docente .......................7
3.3 Acompanhamento da Gestão ..................................................8
4 REFLETINDO A OBSERVAÇÃO DE GESTÃO...........................................10
5 CONCLUSÃO...............................................................................................11
REFERÊNCIAS................................................................................................12
ANEXOS...........................................................................................................13
APÊNDICES......................................................................................................19

3
1 INTRODUÇÃO

O objetivo deste trabalho é relatar as principais reflexões realizadas no estágio


supervisionado em Gestão Escolar, o qual foi centralizado nas concepções e desafios
do coordenador pedagógico durante o atual contexto epidemiológico e a importância
do trabalho coletivo.
O texto é resultante do estágio supervisionado em gestão escolar realizado
no Centro de Ensino Fundamental José Alencar Gomes da Silva na cidade de Boa
Vista do Gurupi- MA, regida pela gestora Maria da Conceição da Silva e a
coordenadora Marinilza Pereira da Silva. Para tanto fez-se uso de abordagem
qualitativa de pesquisa tendo como fonte a coleta de dados e observação. Conforme
aponta Fazenda (2012, p.49) “como é possível realizar uma leitura da prática sem uma
leitura teórica adequada?”.
Neste sentido, o estágio é de suma importância para no processo de formação
docente, é “instrumentalizadora da práxis educacional (...) da transformação da
realidade existente” (PIMENTA, 1995, p. 122). A disciplina supracitada completa as
demais disciplina do curso de licenciatura em pedagogia a mesma tem por finalidade
compreender como, é efetivado o trabalho da equipe gestora, docente e coordenadora
na escola.

2 REVISÃO DE LITERATURA

Sobre a disciplina de estágio supervisionado em Gestão da Educação Escolar


Batistão defende que:
Assim como as demais modalidades de estágio, o desenvolvimento na área
de gestão escolar tem como principal intencionalidade proporcionar
experiência ao estudante de observar o exercício da profissão, por meio de
participação em situações reais de trabalho. Entretanto difere-se das demais
formas de estágio das licenciaturas, exatamente por ter como foco o campo
não docente, ou seja, a área que envolve a coordenação do trabalho
pedagógico. (BATISTÃO,2013, p. 19)

4
Por gestão entende-se o processo de mobilização e coordenação humana
coletivamente organizado, de modo que todos trabalhem em equipe. Visando obter os
objetivos desejados segundo Luck (2009, p. 24)
A gestão escolar constitui uma dimensão e um enfoque de atuação em
educação, que organizado. Objetiva promover a organização, a mobilização e
a articulação de todas as condições materiais e humanas necessárias para
garantir o avanço dos processos socioeducacionais dos estabelecimentos de
ensino, orientados para a promoção efetiva da aprendizagem dos alunos, de
modo a torná-los capazes de enfrentar adequadamente os desafios da
sociedade complexa, globalizada e da economia centrada no conhecimento.
Por efetividade entende-se, pois, a realização de objetivos avançados, em
acordo com as novas necessidades de transformação socioeconômico-
cultural, mediante a dinamização do talento humano, sinergicamente.
A gestão escolar deve ser democrática e para tanto, é necessário que aja a
autonomia da escola que a mesma tenha a capacidade de criar diversas alternativas
do poder, descentralizado, do trabalho em equipe que a escolar esteja em total
harmonia com a comunidade. Seja por conselho escolar, políticas educacionais que
envolvam a participação dos pais.
Segundo ( Luck 2008, p. 113)
Gestores capazes estabelecem interligações efetivas entre a escola e a
comunidade e de tal modo a superar a tendência ao isolamento e fechamento
em si dos ambientes escolares. Boas escolas são aquelas abertas à
comunidade, seja convidando seus membros a participarem como voluntários
do processo escolar, seja levando os alunos a participarem das problemáticas
de sua cidade, emprestando, desse modo, ao currículo, um sentido de
realidade, tal como deve ser (Luck 2008 p. 113).
Para um bom funcionamento da escola é necessário que a mesma conheça os
indivíduos que a frequentam levando em conta a localidade, região, contexto que cada
um possui e assim os sujeitos presentes nela. De acordo com (CURY, 2009)
A escola lida com um horizonte que é a prioridade do aprendizado do aluno
estabelecida como direito social, direito de cidadania e direito do indivíduo. O
aluno, sujeito de um aprendizado, é polo e a finalidade da escola. O fim da
escola pública, pela qual ela nasceu e se transformou em direito é o direito do
aluno ao conhecimento, explicitado no inciso III do artigo 13 da LDB. Para esse
conhecimento é indispensável para todos, para esse conhecimento adquirido
na aprendizagem da e na escola é que o Estado e seus agentes têm o dever
de ensinar e garantir um padrão de qualidade (inciso IX do art. 3º da LDB)
(CURY, 2009, p. 17).
5
Para tanto, torna-se necessário considerar a relevância do Projeto Político
Pedagógico (PPP) durante esse processo tendo em vista que tal documento é a
identidade da escola, é nele que estarão inseridos todos aspectos na qual a escola
está incluída.
Para Isaneide Domingues (2014, p. 13)
Para que a construção do projeto pedagógico seja possível, não é necessário
convencer os professores, a equipe escolar e os funcionários a trabalhar mais
ou mobilizá-los de forma espontânea, mas propiciar situações que lhes
permitam aprender a pensar e a realizar o fazer pedagógico de forma coerente.
A de formação de profissionais, é um processo sociohistórico, que articula as
teorias pedagógicas com as metodologias. Nesse sentindo é necessário que haja uma
concretização do conceito de trabalho coletivo para que o processo de formação
docente seja ampliado pra melhor atender a escola.
3 RESULTADO DA EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

3.1 Observação da Unidade Escolar

A escola apresenta problemas na sua estrutura apesar de ter passado recentemente


por uma reforma, quanto a luminosidade também apresentam problemas com
algumas lâmpadas queimadas. As salas de aula são espaços com capacidade para
20 alunos a ornamentação das mesma são feitas com os trabalhos dos alunos, quanto
a estrutura física as salas se encontram em perfeito estado. As aulas iniciam as 07 da
manhã e terminam ás 10:30 no turno matutino, no turno vespertino inicia-se ás 13
horas e terminam ás 16:30. No turno da manhã são 09 professores 01 vigia, 02
zeladores e 02 cozinheiras no turno vespertino é mesmo quantidade de funcionários.
No momento por motivo de prevenção não está havendo intervalo. Atualmente a
escola conta com 400 alunos de 1° ao 5°, sendo 02 turmas do 1° ano turno matutino
04 do 2° ano, 03 do 3° ano e 01 do 4° ano, 03 do 4° ano e 3 do 5° ano no turno
vespertino.
O planejamento ocorre a cada semestre e, é articulado pela coordenadora
pedagógica, a escola conta como uma secretária, uma sala de diretoria, sala do
coordenador e uma cantina. Há 01 gestor, 01 coordenador 03 secretarias 09 auxiliares
de serviços diversos e 06 vigias, todos tem uma rotina de segunda a sexta-feira, em
exto o vigias que reversam a cada 24 horas.

6
A escolha da temática do projeto deu-se através da observação feita na escola
e dos questionários feito à gestão e coordenação, colhidos os relatos de ambas
iniciou-se o desenvolvimento do projeto. O mesmo contou com o acompanhamento
da gestora e da coordenadora, depois de elaborado, foi apresentado à gestão e
coordenação. No entanto, ficou acordado com a gestora que por motivo de segurança
tendo em vista o atual cenário de pandemia em que as escolas estão funcionando em
números reduzidos de pessoas não seria realizado a aplicação do projeto na pratica.

3.2 Elaborando um Projeto de Formação Docente

A experiência de elaborar um projeto de formação docente trouxe uma reflexão


sobre as novas demandas acerca da profissão docente. Somente o domínio sobre
conhecimentos técnicos profissionais tornou-se insuficiente para atender as
adversidades encontradas hoje pelo profissional docente. Tais desafios exigi mais que
nunca uma formação docente e continuada.
A complexidade do projeto ocorreu durante a coleta de informação sobre a
escola algumas informações a gestora não soube repassar pois, a mesma estava
recém contratada ao cargo de gestora da escola. O trabalho com projeto merecem
pois possibilitou o diálogo, a pesquisa, troca de conhecimentos e o trabalho coletivo
Esta constatação merece destaque por ter sido um fator determinante para um
bom desempenho profissional tal pesquisa evidenciou que os docentes precisam está
em constante mudança e rever a formação visando novos saberes e metodologias
para aplicarem em sala de aula.

7
3.3 Acompanhamento da Gestão

3.2.1 Primeiro dia: 20/09/2021


Até a seguinte data as aulas no município estão sendo remotas, por tanto a
secretária de educação juntamente com os gestores das escola decidiram que o
funcionamento das atividade funcionaria da seguinte forma, a cada quinze dia os pais
vêm até a escola buscar os kits com as atividades e depois dos quinze dias os mesmo
retornam para a entrega dos mesmo e, para levar novos kits. Aqui foi possível
observar a importância do gestor na organização escolar para que tudo ocorresse da
melhor maneira possível. Para LIBÂNEO,2008).

[...] trata-se de entender o papel do diretor como um líder, uma pessoa que
consegue aglutinar as aspirações, os desejos, as expectativas da comunidade
escolar e articular a adesão e a participação de todos os segmentos da escola
na gestão de um projeto comum. Como gestor da escola, o diretor tem uma
visão de conjunto e uma atuação que apreende a escola em seus aspectos
pedagógicos, culturais, administrativos e financeiros (LIBÂNEO et al, 2008, p.
113).

3.2.2 Segundo dia: 21/09/2021


No segundo dia houve o contra tempo que durou o resto da semana, a gestora da
escola estava com suspeita de covid e não compareceu a escola o resta da semana,
sendo assim a observação ficou voltada para o funcionamento das atividades
escolares. De acordo (LIBÂNEO, 2008).
[...] é responsável pelo funcionamento administrativo e pedagógico, portanto, necessita
de conhecimentos tanto administrativos quanto pedagógicos. Entretanto, na escola,
ele desempenha predominantemente a gestão geral da escola, e especificamente, as
funções administrativas, delegando a parte pedagógica ao coordenador pedagógico.
Ele encarna um tipo de profissional com conhecimento e habilidades para exercer
liderança, iniciativa e utilizar práticas de trabalho em grupo para assegurar a
participação de alunos, professores, especialistas e pais nos processos de tomada de
decisões e na solução de problemas (LIBÂNEO et al, 2008, p. 113).

3.2.3 Terceiro dia: 22/09/2021


8
No terceiro dia a escola estava sobre o comando da coordenadora pedagógica a
mesma fez o acompanhamento das entregas das atividades e recepções dos pais
durante a entrega dos kits. Segundo (LIBÂNEO, 2008, p.318)
[...] o coordenador pedagógico responde pela viabilização, integração e
articulação do trabalho pedagógico-didático em ligação direta com os
professores, em função da qualidade do ensino. Assistência pedagógica-
didática aos professores auxiliando-os a conceber, a construir e a administrar
situações de aprendizagem. Planejar, coordenar, gerir e acompanhar e avaliar
todas as atividades pedagógico-didáticas e curriculares da escola e da sala de
aula, visando atingir níveis satisfatórios de qualidade cognitiva e operativa das
aprendizagens dos alunos.

3.2.4 Quarto dia: 23/09/2021


No quarto dia foi bem tranquilo poucos pais vieram até à escola, a coordenadora então
aproveitou para cuidar de alguns documentos que estavam pendentes e conversou
sobre a elaboração do planejamento para o início das aulas semi presencial,
acontecerá no dia primeiro de outubro. Conforme aponta (VERGARA 2009).
Tais cuidados dizem respeito não só ao planejamento do que é por que observar,
quanto ao próprio cuidado do observador em manter certo distanciamento que, mesmo
na interação com seus observados, lhe permita neutralizar tendenciosidades
epistemológicas ou valorativas. (VERGARA, 2009, p. 72).

3.2.5 Quinto dia: 24/09/2021


No último dia de acompanhamento da gestão dialoguei com a coordenadora sobre
algumas observações que havia feito e falei sobre a temática do meu projeto de
intervenção que seria pautado nessas observações, e qual seria sua opinião. A
mesma concordou e deixou claro que estaria a disposição para qualquer informação
que viesse a precisar para o projeto. De acordo com (PIMENTA, 2009)
[...] o estágio precisa ser, em seus fundamentos teóricos e práticos, esse espaço de
diálogo e de lições, de descobrir caminhos, de superar os obstáculos e construir um
jeito de caminhar na educação de modo a favorecer resultados de melhores
aprendizagens dos alunos. De modo que, possibilite que sejam trabalhados aspectos
indispensáveis à construção da identidade, dos saberes e das posturas específicas do
exercício profissional docente (PIMENTA; LIMA, 2009, p. 129- 130).

9
REFLETINDO A OBSERVAÇÃO DE GESTÃO

A experiência de observação de gestão demostrou aspectos que caracterizam


a gestão escolar enfocada pelo princípio orientador a democratização. Pois ao
trabalhar na perspectiva de uma gestão democrática abre-se espaço para todos os
setores que compõem a escola. É importante ressaltar o aprendizado adquirido
durante a observação. Durante esse período foi observado as regras de convivências
que escola mantem para com seus aluno e a importância de trabalhar de forma
coletiva. Segundo Mônica Silva e Sandra Urbanetz (2009, p. 118):
Compreendida nesses termos, uma escola que organiza suas ações com
base nos pressupostos da gestão democrática entende que professor e
pedagogo devem ter uma sólida formação científica, tanto no que tange ao
conteúdo das diferentes áreas do conhecimento quanto no que diz respeito à
ciência da educação. Caso contrário, pouco poderão contribuir com um projeto
de elevação intelectual daqueles que ocupam os bancos escolares.
Concluindo, reiteramos que a docência, a pedagogia e a gestão escolar são
sínteses de múltiplas determinações, fortemente imbricadas entre si e o
desempenho das funções de professor e pedagogo apresenta, no bojo de sua
execução, para além do caráter técnico e científico, uma dimensão política
capaz de forjar a necessária intencionalidade ao ato educativo.
A contribuição de tal trabalho foi de suma importância para minha formação
quanto profissional docente uma vez que a mesma oportunizou-me conhecer e
vivenciar a dificuldade sobre a realidade escolar. Possibilitou o entendimento sobre o
trabalho pedagógico e que o mesmo precisa ser organizado e coletivo.
O ponto negativo desse processo foi a não aplicação do projeto de intervenção
pois possível pelo fato da escola está cumprindo com as medidas preventivas contra
a covid. Como ponto positivo foi a total disponibilidade da gestora e da coordenadora
da escola quanto ao repasse das informações para a elaboração do projeto e do
relatório. O papel do professor regente é de extrema relevância durante o estágio, pois
o estagiário pode trocar experiência com esse profissional que já atua e pode observar
as reais necessidades de ensino.

10
5 CONCLUSÃO

A experiência de estagio foi primordial para a decisão sobre o curso tendo em


vista todos os desafios que a profissão docente nos trará e quão importante para a
formação de cidadãos críticos e conhecedores dos seus direitos.
No entanto vale ressaltar sobre as dificuldades encontradas pelo coordenador
pedagógico na execução do trabalho coletivo e formativo. Porém com essas
pesquisas pude fortificar a minha escolha quanto ao curso e querer ainda mais seguir
nesse caminho de professor atuante em sala de aula. Todavia nem tudo saiu como se
esperava, ao decorrer do estágios houve alguns empecilhos que não estava dentro
do que se estava planejado. Esperava-se um contato mais direto com o corpo escolar
no entanto não foi possível tento em vista que escola estava com algumas restrições
ocasionando assim alguns transtornos quanto a elaborações de algumas atividades.

11
REFERÊNCIAS

BATISTÃO, Marci. Estágio supervisionado em gestão da educação escolar.


REVISTA ELETRÔNICA: PRO-DOCÊNCIA, [S.l.], jul-dez 2013. Disponível em:
http://www.uel.br/revistas/prodocenciafope/pages/edicoes-anteriores/n.-4-vol.-1-jul-
dez.- 2013.php. Acesso em: 13 mar. 2019.
CURY, C. R. J. A gestão democrática na escola e o direito à educação. RBPAE, v.
23, n. 3, p. 483-495, set./dez. 2007
DOMINGUES, I. O coordenador pedagógico e a formação contínua do docente
na escola. 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2014.
LIBÂNEO, J. C. et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São
Paulo: Cortez, 2008.
LÜCK, Heloísa. Liderança em gestão escolar - Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
LÜCK, Heloísa. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba:
Editora Positivo, 2009.
LÜCK, Heloísa - Evolução da Gestão Educacional, a partir de mudança
paradigmática - cedhap@cedhap.com.br, 2009.
PIMENTA, Selma Garrido. LIMA, Maria do Socorro Lucena. Estágio e Docência. 2.
Ed. São Paul
PIMENTA, S. G. LIMA, M. S. L. O estágio na formação de professores: unidade entre
teoria e prática? Cad. Pesq., São Paulo, n. 94, p. 58-73, ago. 1995.
SILVA, Mônica Caetano Vieira da; URBANETZ, Sandra Terezinha (org.). O estágio
no curso de pedagogia. Curitiba: IBPEX, 2009. 157 p. (Série TCC e Estágio em
Pedagogia, v 1).
VERGARA, Sylvia Constant. Começando a definir a metodologia. In: VERGARA,
Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 10. Ed. São
Paulo: Atlas, 2009. Cap. 4, p. 41-49.

12
ANEXOS

13
14
15
16
17
18
APÊNDICES

19
1
2
3
4
5
6
7

Você também pode gostar