Você está na página 1de 10

MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE ACESSIBILIDADE DA
UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE - UBS

LINDÓIA DO SUL, SETEMBRO DE 2017


O presente memorial trata-se do projeto de adequações da Unidade
Básica de Saúde na Rua Tamandaré, número 101, centro de Lindóia do Sul,
estas adequações se dão para que o mesmo fique dentro de todas as normas
de acessibilidade vigentes, bem como outros decretos e instruções normativas
que regulamentem a matéria.

1. OBJETIVO

Contratação em regime de empreitada global (material e mão-de-


obra), para a execução do projeto de Acessibilidade da Unidade Básica de
Saúde, sito à Rua Tamandaré, 101, no município de Lindóia do Sul – SC.

2. OBJETO

Trata-se de Adequação do prédio existente à NBr 9050 e demais


decretos e leis que regulamentam a acessibilidade de edificações.
Construção existente com área total de 505,75m², dentre os serviços a serem
realizados, estão a colocação de piso tátil, remoção e adequação da
escada, instalação de guarda-corpos e corrimões, adequação de banheiros e
salas de atendimento, sinalização interna da UBS e renovação do mobiliário.

A execução dos serviços deverá ser feita de acordo com as


especificações descritas neste Memorial Descritivo, nos Projetos em anexo e na
NBR 9050/2015.

3. SERVIÇOS INICIAIS

3.1 Placa da Obra

Será executada placa de obra de 2,00x1,25m no padrão fornecido pela


contratante em aço galvanizado. Esta placa deverá estar colocada na obra
antes do começo dos serviços e da assinatura da Ordem de Serviço. O local
de colocação será definido pela Contratante.

3.2 ART ou RRT


Será exigida ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) ou RRT (Registro de
Responsabilidade Técnica) pelos serviços de execução, que deverá ser
apresentada antes da assinatura da respectiva Ordem de Serviço.

3.3 Diário de Obra


Será exigido diário de obra no padrão fornecido pela contratante, onde este
deverá permanecer na obra e apresentado para a fiscalização da
Municipalidade mensalmente.
4. DEMOLIÇÕES E REMOÇÕES

4.1 Demolições
As paredes indicadas no projeto deverão ser removidas para instalação de
novos equipamentos ou mudança no uso das mesmas.

Também deverá ser removido trecho de rampa interna existente, para a


criação de um novo acesso à edificação.

Todos os entulhos gerados pelas remoções deverão ser removidos e


destinados de maneira correta.

Deverá ser removida a janela existente na sala da Vigilância Sanitária, a


mesma será relocada em outra parede, portanto deve ser removida com
cuidado.

5. ESTRUTURA
A escada existente deverá ser adequada, conforme detalhamento em
projeto, a mesma receberá regularização de contra piso, corrigindo a altura
dos degraus.

6. PAREDES EM GERAL
Os fechamentos de paredes indicados em projeto deverão ser executados
com tijolos cerâmicos de 06 furos. Depois receberão acabamento de massa
única (reboco, emboço, 20mm), para posterior pintura. Ficando na espessura
das paredes existentes.

7. REVESTIMENTOS

7.1 Pintura Epoxi


Nas novas paredes e nos espaços onde serão fechados vãos, deverá ser
executada pintura epóxi de cor a ser definida pela municipalidade, no mínimo
02 demãos, ou a quantidade necessária para deixar a parede uniforme.

7.2 Revestimento cerâmico


A escada deverá receber revestimento cerâmico mais próximo do existente,
45x45cm, com rejuntamento em epóxi.

7.3 Pisos táteis


Deverá ser instalado de acordo com o projeto piso tátil em borracha, de cor a
ser definida pela municipalidade, mas que contraste com o piso existente, o
mesmo deverá seguir as definições da NBR 9050 e ser aplicado com cola de
contato, todo o piso deverá ser limpo, para remoções de possíveis sujeiras,
para que o mesmo fique bem fixo.
7.4 Sinalização de degraus
Os degraus da escada deverão receber fita sinalizadora antiderrapante que
contraste com a cor dos degraus a fita deverá ter largura de acordo com a
NBR9050.

8. ESQUADRIAS
Deverão ser instaladas novas portas de acordo com as dimensões em projeto,
com vão mínimo 80cm.

09. GUARDA CORPOS E CORRIMÕES


Deverão ser executados de acordo com a NBR9050, os internos deverão ser
em inox, já os externos de aço galvanizado.
10. INSTALAÇÕES HIDRÁULICO-SANITÁRIAS

As instalações hidráulico-sanitárias deverão ser executadas conforme normas


técnicas vigentes, serão substituídos os lavatórios existentes por lavatórios que
estejam de acordo com a NBR9050.

Os banheiros acessíveis deverão receber pintura de uma faixa com 1,20m de


altura em tinta epóxi, em cor contrastante com o piso e o restante da parede,
conforme exemplo abaixo.

Deverão ser instalados kits de barras, as mesmas devem estar instaladas de


acordo com a norma, bem como devem estar junto ao lavatório e ao vaso
sanitário. Tanto no banheiro feminino, quanto no masculino deverá ser
instalado botão de alerta para emergências, este será ser ligado à central que
deverá estar instalada junto à recepção do prédio.
11. DIVERSOS

Na entrada da edificação deverá ser instalado mapa indicativo em


relevo e braile, o mesmo deverá ser instalado no local indicado em
projeto.
Todas as salas de acesso público deverão receber indicação conforme
imagem abaixo.
Deverá ser instalada cadeira para pessoa obesa, que esteja de acordo
com as normas vigentes, a mesma deverá suportar até 250kg e seguir as
especificações de tamanho da NBR9050.

12. SERVIÇOS FINAIS

Á limpeza deverá ser procedida, durante a execução da obra,


periódica limpeza e remoção de entulhos e detritos que venham a se
acumular diariamente. Ao final da reforma a obra deve ser totalmente
limpa e sem entulhos.

13. DISPOSIÇÕES FINAIS

Os projetos e detalhamentos são parte integrante deste memorial,


devendo ser obedecidos rigorosamente. Para a apresentação da
proposta, a proponente deverá entrar em contato com representante
da municipalidade e vistoriar o local para conhecimento dos serviços a
serem executados.
Todo o material a ser utilizado deverá ser de primeira qualidade e ter
aprovação prévia da municipalidade, assim como qualquer alteração
ou substituição que venha a favorecer o melhoramento e/ou qualidade
dos serviços.
A obra deverá ser entregue completamente limpa e em pleno
funcionamento. Os serviços serão acompanhados pela fiscalização da
municipalidade podendo a mesma impugnar qualquer trabalho que
não satisfaça as condições deste memorial, sendo a contratada
obrigada a demolir qualquer trabalho rejeitado pela contratante, sem
qualquer ônus para a mesma. Ao término de cada etapa descrita a
fiscalização deve ser comunicada.
Quando do orçamento, deverão estar inclusas no preço global
proposto, todas as despesas e custos concernentes à execução das
obras e/ou serviços projetados e especificados com o fornecimento de
materiais e mão-de-obra necessários, para os projetos constantes das
especificações, encargos trabalhistas e sociais, taxas, impostos,
ferramental, equipamentos, assistência técnica, benefícios de despesas
indiretas, licenças inerentes e especialidade e atributos, e tudo mais
necessário à perfeita execução dos serviços.
Todos os serviços e materiais que porventura não foram especificados,
porém inerentes e necessários ao bom andamento da obra e objetivo
do projeto, serão considerados como descritos, quantificados e de
inteira responsabilidade da Contratada, evitando assim, futuros aditivos.
Lembra-se que os quantitativos se referem à extensões em planta,
sendo responsabilidade da contratada considerar demais quantitativos,
sendo que estes estão inclusos no valor unitário.
Deverá permanecer no canteiro de obras a seguinte documentação:
todos os projetos, orçamento, cronograma, memorial, diário de obra e
ART’s ou RTT’s.
O responsável técnico pela empresa contratada deverá acompanhar a
obra diariamente, constando informações sobre o andamento da obra
e as descrevendo no diário de obra com sua assinatura. Será exigida
também uma visita semanal do mesmo, acompanhada pelo fiscal da
obra por parte da Municipalidade.
Fica de responsabilidade da contratada o fornecimento dos EPI´s
conforme a NR 6, assegurando a integridade física dos funcionários.
Será exigido também que os funcionários da contratada estejam
identificados através de uniforme e crachá para conferência no diário
de obra dos funcionários que estão no canteiro de obras.
O responsável pela fiscalização tem plena autonomia para evitar a
permanência na obra de qualquer funcionário que esteja em
desacordo com as recomendações descritas neste memorial.
Para qualquer esclarecimento referente ao projeto, orçamento e/ou
memorial descritivo, a Empresa deve dirigir-se ao órgão responsável na
Municipalidade.

Lindóia do Sul – SC, 18 de Setembro de 2017.

____________________________
Gabriela Fernanda Grisa
Arquiteta e Urbanista CAU A72691-5
Prefeitura Municipal de Lindóia do Sul – SC

Você também pode gostar