Você está na página 1de 2

ETEC DE CAMPO LIMPO PAULISTA

Curso: ENSINO MÉDIO


Série: 3ª
Componente Curricular: HISTÓRIA
Docente: CRISTIANE DIAS DE MELO
4º bimestre/2021

Atividade 12: A PRIMEIRA REPÚBLICA DO BRASIL

Observação: Fazer essa tarefa após assistir à aula presencial


Vídeos indicados sobre o tema:
1) https://www.youtube.com/watch?v=4xSQkZ8jzeM (Nerdologia)

2) https://www.youtube.com/watch?v=2bmTCLGJZ3w (Resumo)

1. Sobre a Proclamação da República no Brasil, discuta os dois pontos a seguir:


a) quais fatores levaram a queda da monarquia em 1889?
R: Os principais fatores que levaram a queda da Monarquia foram os termos da
Abolição da Escravatura, a expansão do prestígio do Exército, a Questão Religiosa e o
"clima cultural" do final do século XIX.
b) em que moldes ocorreu e foi implantado o regime republicano no Brasil? (Aqui a
proposta é discutir também se houve reais mudanças sociais e políticas, através de um
viés crítico da história)
R:
2. Quais foram as mudanças promovidas pela Constituição Republicana de 1891?
R: Estabeleceu o presidencialismo como forma de governo, no qual o presidente era
eleito pelo voto direto, com mandato de quatro anos.
Seu texto garantiu maior autonomia aos estados.
Separou Estado e Igreja.
Determinou voto aberto e restrito a homens acima dos 21 anos.

3. Defina os termos: República da Espada e República oligárquica.


R: A República da Espada é o período da República brasileira em que o país foi
governado por dois presidentes militares. A República Oligárquica foi uma fase da
divisão que ocorreu durante a República Velha. Nesse momento, o país esteve sob o
comando das grandes elites agrárias, na época, representada pelos produtores rurais
dos estados de Minas Gerais e São Paulo. A palavra oligarquia é de origem grega e
significa “poder na mão de poucos”.
4. Por que a Primeira República também é chamada de República Café com Leite?
R: A política do café com leite foi um grande acordo nacional, político e econômico que
regulou a lógica de poder durante quase toda a Primeira República. Na política do café
com leite os políticos paulistas e mineiros alternavam-se na cadeira de Presidente da
República, por isso o nome do acordo. As economias paulista e mineira eram o café e o
leite respectivamente, mantinha-se assim a ordem política e econômica favoráveis à
esses Estados mas principalmente aos oligarcas locais.

5. O que era a política dos governadores, que predominou nesse período? Qual relação
você faz dessa política com as práticas política brasileira atuais?
R: A política dos governadores foi um sistema político não oficial, idealizado e colocado
em prática pelo presidente Campos Sales, que consistia na troca de favores políticos
entre o presidente da República e os governadores dos estados. De acordo com esta
política, o presidente da República não interferia nas questões estaduais e, em troca,
os governadores davam apoio político ao executivo federal.

6. Como os intelectuais do século XIX pensavam a construção da identidade brasileira?


Segundo esses intelectuais, qual era o papel das pessoas negras nesse processo?
R: Os intelectuais brasileiros do século XIX foram muito influenciados por duas
diferentes correntes teóricas europeias na construção da ideia da identidade brasileira:
o romantismo e o positivismo.
Os românticos viam a identidade brasileira como ligada com a miscigenação da cultura
europeia com os povos originários do Brasil, em especial os Tupis, que eram descritos
como um povo "atrasado", mas de espírito nobre e corajoso, enquanto os positivistas
viam na miscigenação a razão da "fraqueza" dos brasileiros, defendendo o
"branqueamento" da população.
Nas duas escolas os afrodescendentes eram desvalorizados, e a sua participação na
constituição do Brasil era, geralmente, negligenciada ou mesmo apagada.

Você também pode gostar