Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE PITÁGORAS UNOPAR

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO


SERVIÇO SOCIAL

CLAUDIANY CHALEGRE BEZERRA

PROJETO DE INTERVENÇÃO:
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

Centro de Referência da Assistência Social – CRAS Venturosa - PE

Arcoverde
2019
CLAUDIANY CHALEGRE BEZERRA

PROJETO DE INTERVENÇÃO:
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

Centro de Referência da Assistência Social – CRAS Venturosa - PE

Trabalho da Disciplina de Estágio Obrigatório III do


Curso apresentado à Universidade Norte do Paraná –
UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção do
título de Bacharel em Serviço Social.

Orientadora: : Prof.ª Valquíria Aparecida Dias Caprioli


Arcoverde
2019
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.......................................................................................................03

2. DESENVOLVIMENTO...........................................................................................05

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS ..................................................................................09

4. REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA...........................................................................11
3

1 INTRODUÇÃO

Este projeto refere-se ao estágio realizado no CRAS, (Centro de


Referência da Assistência Social) de venturosa PE foi inaugurado dia 23 de Junho
de 2006, na Rua Francisco Pereira de Carvalho Barros, próximo ao Fórum da cidade
de Venturosa – PE. O CRAS conta com uma equipe que dentre suas atribuições
está às ações de orientação, proteção e acompanhamentos (Social e Psicológico).
O CRAS foi criado por iniciativa do Governo Municipal, tendo como maior
incentivadora a Secretária Maria das Dores Galindo Alexandre – Dona Dorinha (In
Memorian), que desde a sua fundação já contava com todo apoio dos que faziam o
Governo Municipal na época, por reconhecerem a importância do Centro para a
população.
O presente projeto pretende passar informações, tirar dúvidas e orientar as
mulheres grávidas, para que estas se sintam acolhidas e seguras com a chegada do
seu bebê.
O trabalho foi realizado no Centro de Referencia de Assistência Social-CRAS
de Venturosa - PE, que é uma instituição do governo responsável pela proteção
básica social, buscando prevenir situações de risco e fortalecer vínculos.
Visto que as gestantes estão em um período de mudanças, não só no
organismo, como também no bem-estar e no seu papel sócio familiar, percebe-se a
necessidade de fazer um trabalho de apoio com as futuras mães, proporcionando
acolhimento,segurança e que se sintam preparadas para receber essa nova vida
que está a caminho.
O CRAS é um centro de apoio para as Famílias em vulnerabilidade social,
tendo como principais atividades o acompanhamento sócio-assistencial,
promovendo aos seus usuários o acesso aos seus direitos básicos de cidadania.
Tendo como Missão levar até as comunidades carentes a saúde, a educação
e acima de tudo a exclusão social, contribuindo, sobretudo para a dignidade dos
seus respectivos usuários através de seus programas e projetos busca, sobretudo
fortalecer os vínculos familiares com atendimento das mesmas quando são violados
os direitos de seus usuários. Visando principalmente a qualidade no atendimento
aos Idosos, Crianças e Adolescentes.
A observação o olhar critico que de ver a necessidade para as mulheres
grávidas uma atenção redobrada nos últimos anos o cuidado de mostrar a elas que
4

e uma responsabilidade que também e nossa por que trabalharmos como


assistentes sociais nos propõem a oportunidade de orientar as gestantes a elas
procurarem a maneira correta de como elas podem procurar acompanhamento
durante e depois da gravidez.
Na gravidez aumenta ainda, mas os cuidados com a prevenção de doenças
recaem de forma dobrada tendo o acompanhamento dos programas como o pré-
natal de grande importância durante toda a gravidez.
Esse trabalho objetivou elaborar uma proposta de intervenção para
sistematização do atendimento ás adolescentes com vista á diminuição do numero
de gestantes indesejadas e não planejada.
A elaboração do projeto de ação foi embasada na pesquisa bibliográfica, na
modalidade da revisão narrativa que permitiu identificar a necessidade de se
desenvolverem ações preventivas, inter setoriais, que contemplem o adolescente
como protagonista do processo saúde e utilizem alem de metodologias
participativas, novas tecnologias de informação para que seja respeitado o direito do
adolescente a saúde sexual e reprodutiva.
5

1. DESENVOLVIMENTO

A gravidez na adolescência é um problema enfrentado hoje por diversas


comunidades entre elas essa equipe. É o problema de maior relevância detectado
após realização do diagnóstico situacional na área adstrita.
O objetivo deste trabalho foi propor estratégias para o enfrentamento dos
principais determinantes da gestação na adolescência e elaborar uma intervenção
para sistematização do atendimento ás adolescentes com vistas á diminuição do
número de gestações indesejadas e não planejadas na área de abrangência do
CRAS
A adolescência é uma fase bastante conturbada na maioria das vezes, em
razão das descobertas, das ideias opostas às dos pais e irmãos, formação da
identidade, fase na qual as conversas envolvem namoro, brincadeiras. É uma fase
do desenvolvimento humano que está entre infância e a fase adulta. Muitas
alterações são percebidas na fisiologia do organismo, nos pensamentos e nas
atitudes desses jovens.
Segundo Nascimento, Xavier e Sá (2011) a gravidez na adolescência tem
causado grande crises familiar, a partir do momento de sua descoberta, sendo
observada cada vez mais como uma questão que afeta, na maioria das vezes, a
mãe da adolescente no primeiro momento, por ser um acontecimento inesperado,
mas que, com o passar do tempo, apresenta efeitos progressivamente positivos,
fazendo com que passe a ter uma boa repercussão e aceitação por parte de todos
os membros da família.
Existem vários momentos no decorrer do desenvolvimento humano em que a
observação se faz experiências vividas e é através destas experiências que são
tirados os conceitos e constituídas as decisões necessária e exige maior atenção,
pois o ser humano é constituído, basicamente.
A gravidez é o período de crescimento e desenvolvimento do embrião na
mulher e envolve várias alterações físicas e psicológicas. Desde o crescimento do
útero e alterações nas mamas a preocupações sobre o futuro da criança que ainda
irá nascer. São pensamentos e alterações importantes para o período.
6

O contexto da adolescência é complexo, pode se disser que é um processo


pelo qual o indivíduo passa por transformações físicas psíquicas importantes e
graduais, além das variedades de experiências vivenciadas por cada um dentro de
um perfil sociocultural, na comunidade na da qual está inserido.
Estas transformações definirão o perfil biopsíquico desse adolescente no
futuro. Segundo Brasil et al. (2010), a vida de um adolescente é marcada por um
natural distanciamento dos pais em direção a independência, emancipando hábitos
e atitudes, adquirindo valores e comportamentos de amigos.
O meio em que vivem irá exercer forte influência comportamental e na forma
de pensar, como exemplo a “indústria de entretenimento, veículos de comunicação
em massa, instituições comunitárias e religiosas.” Eles encontram em “processo de
formação e cristalização” e ao “mesmo tempo, a sociedade e a família passam a
exigir do indivíduo, ainda em crescimento e maturação, maiores responsabilidades
com relação a sua própria vida”. Estes segmentos populacionais estão mais
vulneráveis a diversos “fatores biológicos e psicológicos, culturais, socioeconômicos,
políticos, étnicos e raciais.” Dessa forma, faz-se necessário a implementação de
projetos para educação formal, acesso aos serviços de saúde, atividades de laser,
oportunidades para desenvolvimento vocacional e inserção no mercado de trabalho.
(BRASIL, 2010).
Criou-se o Estatuto da Criança e do Adolescente como forma de determinar
leis de proteção a esses, além de direcionar melhorias e assistência que
corresponda às necessidades dessas crianças e adolescentes.
Segundo Grillo et al. (2011), a transformação biológica sofrida pelos
adolescentes, caracterizada como puberdade, é vivenciada de modo individual, na
qual ocorre transformações importantes corporais devido ações de hormônios
gonadais e adrenais dependentes do eixo hipotálamo- hipofisário-gonadal.
Dessa forma, as mudanças corporais são inevitáveis e fará parte do processo
de formação da auto-imagem pelo adolescente, que segundo a psicologia, esta
etapa é vivenciada pelo adolescente como o Luto. “O mesmo é ocasionado por
perdas do seu corpo infantil e idealizações da infância, o que envolve os pais, a
visão de mundo e suas expectativas”. O despertar da sexualidade ocorre de sempre
de forma particular e é vivenciada de maneiras distintas.
7

O início da atividade sexual e a gravidez são motivados também por outros

fatores, provavelmente internos, inerentes ao ser, psicologicamente motivados. A

gravidez casual na adolescência resulta de um comportamento sexual de risco,

talvez não indesejado, mas ao encontro de necessidades afetivas e psicológicas não

preenchidas.

A necessidade de querer sair de casa precocemente motivada pela violência

doméstica vivenciada é outra causa comum da gravidez precoce, sendo esta

violência desencadeada principalmente pelos pais, padrastos e outros familiares

(HENRIQUES; SINGH; WULF, 2009 apud ARAÚJO FILHO, 2009).

A gravidez nessa fase da vida tem sido considerada como fator de risco, do

ponto de vista médico, tanto para mãe e quanto para o filho e também, como fator

agravante ou desencadeador de transtornos psicológicos e sociais. Vários estudos

fazem referências a maiores incidências de complicações durante a gestação de

adolescentes, tais como abortamentos espontâneos, restrição de crescimento

intrauterino, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, parto prematuro, sofrimento fetal e

parto por cesárea (YAZLLE; FRANCO; MICHELAZZO, 2009).

A realização desse projeto propõe a união entre as parcerias e esforços

comunitários que visa organizar atividades recreativas, informativas e educativas

buscando a melhoria da qualidade de vida das adolescentes nos quais se justifica o

projeto. O projeto será executado através de uma palestra e dinâmica de grupo, que

permitirá debater, trocar informações e fazer o esclarecimento de duvidas sobre os

assuntos tratados.

A gravidez é um período em que ocorrem mudanças na vida da mulher, não

só no corpo, mas hormonais, sociais e familiares. Entende-se que a mulher está

mais vulnerável com essas mudanças e necessita de um trabalho de acolhimento,


8

um espaço onde se possam tirar dúvidas, esclarecer informações sobre direitos,

saúde e cuidados, tanto para ela quanto para o bebe e troca de experiências.

No grupo de gestantes do CRAS participam mulheres que passaram ou estão


passando por alguma situação de risco e este é o espaço ideal para o dialogo.
9

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Existem vários momentos no decorrer do desenvolvimento humano em que


a observação se faz experiências vividas e é através destas experiências que são
tirados os conceitos e constituídas as decisões necessária e exige maior atenção,
pois o ser humano é constituído, basicamente.
A gravidez na adolescência é considerado como um dos grandes problemas
de saúde pública do Brasil. Estudos têm sido desenvolvidos nesta área e nos
mostrado a relevância do mesmo. A partir destes estudos identificou-se a
importância do assunto sobre as implicações sociais de saúde causadas por uma
gravidez precoce e indesejada. Assim, torna-se importante articular as reflexões
sobre a gravidez na adolescência abordando os aspectos de vulnerabilidade
considerando todas as dimensões da vida da jovem, alertando para a necessidade
de se implantar políticas que previnam a mesma.
Com o conhecimento que adquiri em relação ao tema, ficou clara a
importância de ser feita essa transferência de informações em relação à gravidez, os
cuidados da mãe e do bebe, visto que quanto se conhece e se tem domínio sobre o
assunto, permite colocar em pratica com mais segurança garantindo melhor
qualidade de vida, para tanto, esperamos que os jovens se tornem mais
sensibilizados para os riscos e consequências de uma gravidez precoce, buscando
sempre formas de melhorar a sua qualidade de vida.
10

4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

ALMEIDA, A.C.C.H.; CENTA, M.L. A família e a educação sexual dos filhos:


implicações para a enfermagem. Acta Paul Enferm, n. 22, v.1 p. 71-6, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de condutas Médicas Programa Saúde da


Família. São Paulo: Ministério da
Saúde, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes Nacionais para a Atenção Integral à


Saúde de Adolescentes e Jovens na Promoção, Proteção e Recuperação da
Saúde. Cad. De Atenção Básica, p. 132. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

BRASIL. Secretaria de assistência á saúde. Consolidado das famílias


cadastradas do ano de 2010. Brasília: Secretaria
Municipal de Saúde, Set. 2012.

CAMPOS, F. C. C.; FARIA, H. P.; SANTOS, M. A. dos. Planejamento e avaliação


das ações de saúde. NESCON/ UFMG. 2. ed. Belo Horizonte: Coopmed, 2010.

FERREIRA, R. A. et al. Análise espacial da vulnerabilidade social da gravidez na


adolescência/ Spatial analysis of the social vulnerability of adolescent pregnancy.
Cad Saude Publica, v. 28, n. 2, p. 313-323, fev. 2012.

GRILLO, C. F. C. et al.Saúde do adolescente. Belo Horizonte: Nescon/UFMG,


2011. 80p.

GUANABENS, M.F.G. et al. Gravidez Na adolescência: um desafio à promoção


da saúde integral do adolescente/ Teenage pregnancy: a challenge for
comprehensive health

Folheto explicativo da Secretaria de educação do município de Venturoso-PE


CASTRO, M. M. História do Serviço Social na América Latina. Tradução de José
Paulo Netto e Balkys Villalobos. 5ª ed. revista. São Paulo: Cortez, 2000.

IAMAMOTO, Marilda V. Renovação e conservadorismo no serviço social: ensaios


críticos. São Paulo: Cortez, 1992.

MARTINELLI, Maria Lucia. Serviço social: identidade e alienação. São Paulo:


Cortez, 2007.

Você também pode gostar