COMO MONTAR UM LABORATÓRIO: A J LAB DISTRIBUIDORA LTDA É UMA EMPRESA ESPECIALIZADA EM MONTAGENS DE LABORATÓRIOS.

DISPONIBILIZAMOS PARA O NOSSO CLIENTE DESDE O INICIO TAL COMO (PROJETO DE MONTAGEM) ATÉ A FINALIZAÇÃO (EQUIPAMENTOS E MATERIAIS DE CONSUMO). DISPONIBILIZAMOS ATÉ O PROJETO DE ADMINISTRAÇÃO CONFORME AS NEÇESSIDADES DO NOSSO CLIENTE. PALAVRA DO DIRETOR. NÓS ENTENDEMOS QUE NOSSO CLIENTE É UM PARCEIRO, SENDO ASSIM QUEREMOS QUE SEU NEGÓCIO DÊ CERTO, POR ISSO PRESTAMOS TODA ACESSORIA POSSIVEL. ESTE É NOSSO GRANDE DIFERENCIAL ! 1- INTRODUÇÃO Você no futuro poderá ser o responsável pela montagem do laboratório numa indústria, escola ou universidade, centro de pesquisa ou mesmo um laboratório de análises clínicas. a) A pessoa que define os critérios não tem familiaridade com os aspectos da construção ou reforma, das instalações elétricas, hidráulicas e mecânicas, e do lay out do mobiliário. b) As empresas de arquitetura e engenharia que vão elaborar os projetos têm pouca experiência no ambiente e construção de laboratórios. c) As construtoras e seus subcontratados não têm familiaridade, ou têm pouca experiência na construção dos laboratórios. Portanto, é muito comum a ocorrência de sérias deficiências no projeto final de um laboratório. É imprescindível que a pessoa responsável pela montagem do laboratório tenha um estreito contato entre o projetista, o construtor e também o usuário do laboratório. Este contato é muito importante para melhorar as chances de se ter sucesso na construção do laboratório. 2- OBJETIVO: COMO MONTAR UM LABORATÓRIO São necessárias as seguintes informações para começar a elaboração de um projeto: 2.1) Finalidade do laboratório: Para indústria ou centros de pesquisa, escolas ou universidades, hospitais, clínicas e laboratórios de análises clínicas. 2.2) Tipo de Laboratório: Químico, Físico ou Biológico: ‡ QUÍMICO: - Química Orgânica ‡ Química Inorgânica ‡ Bioquímica ‡ Físico-química ‡ Plásticos ‡ Farmacêutico ‡ Alimentício ‡ Radioquímico

2. necessários e/ou existentes (sempre ficar atento à vazão de exaustão das capelas e coifas instaladas e passar essa informação à empresa que instalará o sistema de condicionamento de ar). 2. sala de instrumentos.6) Fluxo das operações no laboratório. alimentação hidráulica. largura. com suas características tais como dimensões.7) Equipamentos utilizados por atividades. 2. coifas e capelas). janelas (preferencialmente o direcionamento da luz natural deverá ser na lateral do usuário). muflas. ‡ É recomendável que se tenha mais de uma saída e sempre distantes entre si. etc.13) Sistemas de ventilação e climatização. lavagem. sanitários.3) Definições das atividades a serem realizadas. gerência.10) Localização da área na planta da edificação. a localização dos chuveiros e lava-olhos deve ser claramente sinalizada. microbiologia. 2. de gases.Metrologia ‡ BIOLÓGICO: . 2. rotas de fuga. ‡ Recomenda-se a instalação do chuveiro e lava-olhos a uma distância máxima de 15 m. . possuir paredes duplas. com as dimensões (comprimento . supervisão.‡ FÍSICO: . com abertura para o lado de fora do laboratório e possuírem visores de vidros na parte superior. ‡ Deverão possuir chuveiros e lava-olhos. ensaios químicos/físicos. 2.11) Acessos (e suas dimensões) ao laboratório: corredores. e quantidade de inflamáveis que serão armazenados.14) Sistemas de Comunicação: rede de computadores e telefonia. portas.Biologia ‡ Microbiologia ‡ Etc. as áreas do laboratório com capelas químicas e de armazenagem de produtos químicos perigosos. se instalado sobre bancadas ou no chão. saídas de emergência. fornos). pé-direito). alimentação elétrica (potência e tensão elétrica). do ponto mais afastado do laboratório. 2.ASPECTOS DE SEGURANÇA PARA DEFINIÇÃO DO PROJETO ‡ As portas deverão ser amplas. ‡ A localização do setor de armazenagem deve ser distinta da área operacional do laboratório.12) Localização e dimensões das portas. drenagem. tais como sala de pesagem. sistema de exaustão e bandeja de retenção de líquidos. próximo à saída do laboratório.5) Quantidades de ambientes. ‡ Os armários para armazenamento de inflamáveis devem ser metálicos.4) Tipos de produtos que serão manipulados (em bancadas. 2. ‡ A disposição do mobiliário deve facilitar o acesso às rotas de fuga. sala limpa. áreas contíguas.9) Utilidades a serem instaladas (inclusive localização dos cilindros de gases). 2. 2. 2. qual pavimento.8) Número de usuários por ambientes. sala quente (onde têm estufas. ‡ Evitar bancadas com comprimento superior a 6 m. 3. ‡ As áreas quentes também devem ser distintas das demais. 2. escadas. sala de armazenagem de produtos inflamáveis. bem iluminada e livre de obstáculos.

‡ As capelas devem ser localizadas em áreas que não sofram influência de corrente de ar provenientes de tráfego de pessoas. estar na direção de duas portas ou de janela e porta. com juntas bem preenchidas com massa de rejuntamento (cimento). devem ser: o Planos e lisos o Impermeáveis o Resistentes a produtos químicos utilizados nos laboratórios. . recomendamos o piso epóxi com rodapés arredondados para facilitar a limpeza. Não usar: o Piso vinilíco . o De resistência mecânica e estrutural adequada ao uso no laboratório. todas elas devem ter as seguintes características: o Não refletir raios luminosos. explosões .‡ Deverão ser utilizadas capelas e coifas nas operações em que houver riscos aos usuários. o Planas e lisas (não colocar azulejos) o Impermeáveis o Fáceis de limpar Logo. em cores claras. OBS. para que não sejam feitas em bancadas comuns.RECOMENDAÇÕES PARA A CONSTRUÇÃO OU REFORMA DO LABORATÓRIO As recomendações a seguir são destinadas a todos os tipos de laboratórios: 4. ‡ Quando houver riscos de incêndios. Obs. ocasionando ofuscamento nos laboratoristas (usuários).1) Luz Solar: Para os laboratórios que possuem equipamentos e/ou produtos químicos sensíveis à luz solar. o Ser antiderrapante o Fácil de limpar o Compatível com a natureza do laboratório e conforto dos usuários.do tipo Paviflex o Granilite Ambos não possuem resistência química a ácidos e/ou solventes que porventura possam cair no chão. liberação de gases e vapores tóxicos. proximidade de grelha de ar condicionado.2) Paredes. o Piso cerâmico. deve-se projetar a construção (ou reforma) excluindo-se a luz solar direta sobre o laboratório. os trabalhos devem ser executados exclusivamente em capelas. Recomendamos o seguinte acabamento de piso: o Piso em resina epóxi autonivelante. massa corrida e pintura acrílica semi-fosca.3) Pisos.: Para salas limpas. sustentados com perfis metálicos (tipo Divilux da Eucatex). ou então montando paredes divisórias tipo painel ou painel e vidros lisos. resistência à abrasão no mínimo PEI IV. etc. antiderrapante. o Paredes internas: Tal como nas paredes externas. um acabamento recomendável para a área do laboratório é: o Paredes externas: Alvenaria revestida com reboco. 4. 4. deverão ser pintadas com tinta epóxi. 4.: As paredes de alvenaria para salas limpas (que são classificadas). sobre argamassa de cimento e areia (sem adição de cal) e as paredes do tipo divisórias deverão ser especiais e fabricadas por empresas especializadas.

o Os eletrodutos e conduletes deverão ser identificados com a cor padronizada pela norma da ABNT e as tomadas 110V e 220V deverão ter plaquetas de identificação. que por sua vez provocará a combustão do gás GLP. o Também.6) Portas: Sempre que possível. o Os pontos que alimentarão as bancadas deverão ser deixadas a 60 cm do piso. caixas de passagem.7) Iluminação: As luminárias devem.5) Janelas: Deverão ter o peitoril acima de 1.15 m e ser providas de sistemas de controle de raios solares como persianas em lâminas verticais ou película protetora do tipo "insulfilm". o Não propagantes de chamas. procure evitar a instalação de gás GLP embutida no forro. para áreas de trabalho em geral. pois se houver vazamento. e quando as luminárias forem acesas.4. sempre que possível. ter lâmpadas fluorescentes e proporcionarem nível de iluminamento de no mínimo 500 lux.8) Instalação Elétrica o Preferencialmente deverão ser externas às paredes (facilitando qualquer manutenção) e embutidas no forro (desde que se tenha facilidade de acesso às mesmas). Nas áreas que se manipulam produtos explosivos ou inflamáveis.forneça ao projetista os equipamentos que serão instalados. o Fabricados com materiais não absorventes. vão livre mínimo de 80 cm (no caso de uma folha de porta. água. os pontos de alimentação das utilidades nas bancadas (válvulas de gases. o As tomadas sobre as bancadas.9) Instalação Hidráulica e de Gases o Tal como nas instalações elétricas. haverá a ocorrência de faísca.0 m distantes entre si. o Atenção. o Nas áreas onde se manipulam produtos explosivos ou inflamáveis. haverá acúmulo de gás dentro do forro. o Deve-se considerar que as tomadas de uso geral nas bancadas (onde não tiver um equipamento específico instalado) têm potência de 200W para tomada 110V e 200W para a 220V. tensão e localização dos aparelhos sobre as bancadas ou sobre o chão. facilitando assim a manutenção.) deverão estar entre 15 . interruptores e luminárias) deverá ser à prova de explosão. Deverão haver no mínimo duas por laboratório e estarem distantes entre si..4) Forro. devem ser: o Lisos na face inferior. vácuo. Recomendamos: o Forros em placas de PVC 4. as instalações de água e gases deverão. isto é. deverão ser em duas folhas. com a potência. toda instalação elétrica (eletrodutos. tomadas. sempre abaixo dos tampos das bancadas. 4. devem estar a mais ou menos 1. com sentindo de abertura para fora do laboratório.. (o que só é permitido com tubo luva). sempre que possível. as luminárias e interruptores deverão ser a prova de explosão. ar comprimido. ser externas. 4. tal como nas instalações elétricas.sendo que em cada ponto (cada caixa do tipo pedestal) deverá ter uma tomada 110V e uma 220V (onde houver tais tensões). 4. o Para a elaboração de um projeto elétrico é necessário que o responsável pelo laboratório. ter visor na parte superior. ser embutidas no forro. etc. somente). 4.

hélio. do tipo fechamento rápido.) no lado externo do laboratório.4 . bem como o ferro fundido). 5.Largura das bancadas: o Para bancadas laterais (junto a parede) = 70 a 80 cm o Para bancadas centrais = 120 a 150 cm 5. 6.1 . tal como o polipropileno (deve-se evitar o uso do PVC branco para esgoto. botoeiras elétricas de comando de equipamentos e quaisquer outros componentes de controle instalados nas paredes não devem exceder as seguintes alturas. de fácil acesso para se ter agilidade quando houver necessidade de fechar o suprimento de água ou gases.3) Armários o Altura: A altura dos armários não deve exceder 220 cm e da prateleira mais alta não deve exceder 170 cm.Local para se sentar nas bancadas: o Deve-se prever espaços vazios (sem armários) sob os tampos as bancadas com larguras mínimas de 70 cm.1. não devem exceder 50 cm.1. o Altura da 1ª prateleira = de 30 cm a 50 cm o Altura da 2ª prateleira = 30 cm 5.Prateleiras sobre as bancadas (castelos): o Largura = de 20 cm (bancada lateral) a 30 cm (bancada central).4) Componentes de Controle Válvulas de bloqueio de linhas de água ou gases. o Todas as redes de água ou gases devem ter uma válvula de bloqueio. nitrogênio. 5. isto é...2 . sempre abaixo do tampo das bancadas.cm e 50 cm do chão. destinados aos postos de trabalhos sentados.ASPECTOS ERGONOMÉTRICOS PARA MONTAGEM DO MOBILIÁRIO 5.1) Bancadas: 5. o A tubulação deve ser de material com resistência química aos produtos comumente usados nos laboratórios.3 . o Profundidade: A profundidade dos armários normalmente.1. o Sempre deve-se construir o abrigo de gases (GLP. o Todas as linhas deverão ser identificadas com cores padronizadas pela norma ABNT.Altura das bancadas: o Para trabalho normalmente em pé = 90 cm o Para trabalho sempre sentado = 75 cm 5.2)Áreas de circulação (corredores) .mínimo recomendável: o Servindo uma única bancada = 100 cm o Servindo duas bancadas = 135 cm 5.5) Cadeiras Todas as cadeiras ("baixas" para bancadas com 75 cm de altura e "altas" para bancadas com 90 cm de altura) devem possuir assento ajustável e apoio para as costas. etc. 5. o se o manuseio for com o usuário em pé = 145 cm o se o manuseio for com o usuário sentado = 110 cm 5.10) Instalação de Esgoto o Os ralos deverão ter grelhas de aço inoxidável do tipo abre-fecha.ESCOLHA DE MATERIAIS EM FUNÇÃO DAS OPERAÇÕES DO LABORATÓRIO .1. 4.

Laboratórios biológicos (microbiológicos). AISI 304. solventes orgânicos. ácidos. o aço inox. manchas e má aparência. Pias-se laboratórios biológicos.) ‡ Ambientes excessivamente úmidos (salas ‡ Mesas antivibratórias (para pesagem de lavagem) com balanças) ‡ Escrivaninhas e mesas de uso geral ‡ Bancadas em geral Obs. Salas úmidas.: Recomenda-se a utilização do laminado melamínico texturizado. entre outros) OBS. Salas de lavagem. ‡ Pias etc. : Normalmente é utilizado o aço inox. CERÂMICA ANTIÁCIDA . Excetuando. alta reflexão da luz e.. Os fatores que determinam a melhor escolha incluem resistência ao peso de equipamentos. LAMINADO MELAMÍNICO NÃO UTILIZADO UTILIZADO ‡ Nitrato de prata (deixa manchas escuras) ‡ Laboratórios biológicos ‡ Temperaturas elevadas ‡ Bancadas de instrumentação ‡ Produtos muito ácidos (cromatógrafos. alcalis. ‡ Produtos muito ácidos ‡ Escrivaninhas pode ser utilizado em bancadas de um ‡ laboratórios microbiológicos (devido à modo geral sua porosidade) AÇO INOXIDÁVEL UTILIZADO ‡ Laboratórios biológicos (microbiológicos) ‡ Salas de lavagem ‡ Salas úmidas ‡ Pias NÃO UTILIZADO ‡ Manuseio de ácidos muito concetrados (clorídrico.6. com o passar do tempo. espectrofotômetros. sulfúrico. pelas suas vantagens estéticas e de não reflexão da luz GRANITO (placas com espessura de 3 cm) UTILIZADO NÃO UTILIZADO ‡ Exceto nos casos relacionados ao lado.1)TAMPOS DE BANCADAS Não existe um material ideal para o revestimento de tampos de bancadas. ao calor. apresenta riscos.. não é recomendável pelo seu custo elevado. mancha e impacto. mas sim a melhor aplicação para um determinado tipo de laboratório.

homogêneo. o CORIAN. duradouro e resistente como a pedra e tão fácil de trabalhar como a madeira. Na maioria dos casos. É um material sólido. resiste a praticamente qualquer mancha. como os outros materiais. resiste a altas temperaturas e não apresenta porosidade. ‡ Apesar de sua extraordinária resistência. Não existe nenhum perigo de deterioração por separação de capas. É inerte e sua estrutura molecular é altamente resistente à reações com ácidos e outros produtos químicos. Nos piores casos. porque permite realizar juntas sólidas e impermeáveis com o adesivo CORIAN da DuPont. pode deteriorar-se por uma exposição excessiva ou prolongada a certos produtos químicos concentrados. é possível recortar a superfície mais deteriorada e trocá-la por outra peça de CORIAN. sem poros e resistente a muitos materiais químicos e condições físicas adversas. EPÓXI Construído em placas de resina epóxi moldada em bloco monolítico. quando houver necessidade de absorver impactos NÃO UTILIZADO ‡ Quaisquer outros tipos de laboratórios POLIPROPILENO NÃO UTILIZADO UTILIZADO ‡ Manuseio constante de ácido fluorídrico ‡ Demais casos ‡ Quando houver temperatura ‡ Manuseio constante de ácido fluorídrico > 50oC CORIAN ‡ CORIAN é um material de metilmetcrilato com alto conteúdo de mineral. não se decompõe. além disso apresenta um grande interesse para a higiene em numerosas aplicações onde este critério e a facilidade de manutenção são essenciais.UTILIZADO ‡ Manuseio de produtos muito ácidos NÃO UTILIZADO ‡ Laboratórios biológicos/microbiológicos ‡ Manuseio de ácido fluorídrico NEOPRENE UTILIZADO ‡ Recomendação específica para laboratórios físicos. ‡ Largamente utilizado no Estados Unidos e Europa há décadas. ‡ É possível realizar qualquer desenho. para quaisquer tipos de . a reparação se faz na obra com esponjas abrasivas ou utilizando-se uma lixadeira orbital. apresenta uma elevada resistência térmica e ao impacto e não necessita de cuidados especiais. quando danificada é muito fácil de ser reparada. ‡ A superfície acabada. Nestes casos é oportuno fazer uma prova.

sem ‡ É necessário a instalação de sifão necessidade de instalação de sifão 6. 6. ou mesmo o MDF. alteração no lay out. o que não ocorre na Europa e Estados Unidos. (utilizando pelos fabricantes nacionais) facilitando assim uma futura ampliação do laboratório. ou mesmo qualquer tipo de manutenção nos armários.laboratórios. onde se utiliza o aço como matéria prima. exceto ácido fluorídrico BOJO (Somente para descarte de produtos) FIBERGLASS AÇO INOXIDÁVEL ‡ Utilização de produtos muito ácidos ‡ Uso geral. exceto produtos muito utilização de água constantes de ácido Quando utilizado produtos que atacam o ácidos concentrados régia em lavagens ‡ Produtos muito aço inox ácidos. o Portanto recomendamos o emprego de madeira compensada do tipo naval. exceto quando utilizado concentrados produtos que atacam o aço inox VÁLVULA DE DRENAGEM AÇO INOXIDÁVEL POLIPROPILENO ‡ Uso geral. . O acabamento tanto externo quanto interno deve ser o laminado melamínico (fórmica) e verniz. ‡ Sua única desvantagem é o alto custo.2) CUBAS E BOJOS CUBAS (Para lavagem e descarte de produtos) FIBERGLASS CERÂMICA POLIPROPILENO AÇO INOXIDÁVEL ANTIÁCIDA ‡ Utilização de ‡ Grande ‡ Quando há lavagens ‡ Uso geral.3) ARMÁRIOS E MÓDULOS SOB AS BANCADAS o Atualmente a tendência no Brasil é de se fabricar armários em madeira. devido a ser um produto importado. exceto em lavagem a ‡ Utilizado para lavagens com temperatura acima de 90o C. exceto com temperaturas acima de 90o C produtos muito ácidos ‡ Fabricação da PROMOLAB.

responsável pela resistência mecânica do MDF.Box da capela (área onde se trabalha na capela): Dependendo do tipo de operação que vai se realizar na capela. b) Aço Inoxidável: recomendamos sempre o emprego do aço inoxidável AISI 316 quando a capela for somente destinada a operações com solventes. deve-se escolher um tipo de material de acabamento. (exceto o ácido fluorídrico e o ácido perclórico). que seja resistente aos produtos químicos. calor. recomendamos os seguintes acabamento: ‡ Tampo da Capela Recomendamos três tipos de tampos: a) Cerâmica Antiácida: é o material que tem se mostrado como o mais resistente ao ataque dos produtos químicos e calor gerado por chapas aquecedoras. apenas as separa. depois de ter sido transformada em cavacos (com granulometria maior do que o Aglomerado).4. e também tem boa resistência ao calor. mediante processo a seco. c) Polipropileno: é empregado somente quando a capela for destinada à manipulação de ácido fluorídrico. sendo fabricado a partir de fibras de madeira de ciclo curto (rápido crescimento. e também quando for utilizado ácido perclórico. que deverá ter a junção do tampo com as paredes em forma arredondada.2 . solventes. etc.1 . ‡ Difere do Aglomerado que é constituído por partículas de madeira ("serragem") prensadas a quente com adesivos. geralmente Pinus e/ou Eucalipto).4.4) CAPELAS 6. Isto permite um entrelaçamento das fibras.Parte externa: Tal como os armários. .. nunca escolha cerâmica antiácida quando a capela for destinada a operações com ácido fluorídrico ou perclórico. Portanto como regra básica. Paredes e Teto do Box da Capela Recomendamos quatro tipos de materiais: a) Cerâmica Antiácida: é o material que mais resiste a ácidos. as capelas são fabricadas em madeira compensada do tipo naval revestidas com laminado melamínico (fórmica) e verniz.MDF (Medium Density Fiberboard) ‡ É um painel de fibras de madeira de densidade média. ‡ O tempo total de prensagem é maior que o tempo de prensagem do aglomerado de espessura final correspondente. exceto pelo fato de que para o MDF a madeira. pois a espessura final do MDF pode chegar a apenas 1/25 da inicial. aglutinadas com resinas sintéticas. ‡ O processo de fabricação do MDF é muito semelhante ao da fabricação do Aglomerado.. 6. por meio de calor e pressão. deve passar por um processo de refinação (desfibramento) que não rompe suas fibras. 6. Porém.

d) Tinta Epóxi: pode ser empregado em capelas onde se trabalha somente com solventes orgânicos.4. pode ser do tipo de "correr" ou tipo "guilhotina" conjugada com o tipo de "correr" (mista). c. 6. Fibra de Vidro: Utilizando quando se quer obter elevada resistência química aos produtos utilizados na capela. através da escolha da resina adequada. quando a temperatura de serviço for até 60ºC. deve-se usar chapa de acrílico nas janelas e nos outros casos. adicionar força estrutural ou quando se trabalhar constantemente na capela com solventes orgânicos.manchas e ao impacto. Somente para capelas onde se manipulam ácido fluorídrico. ou ácido fluorídrico.3 . Aço Inoxidável: Utilizado nas capelas destinadas aos trabalhos com ácido perclórico ou quando as temperaturas dos gases exauridos são muito elevadas. c) Polipropileno: é utilizado quando a capela for destinada à manipulação de ácido fluorídrico.4 . b) Aço Inoxidável AISI 316: é necessário sempre utilizar este material quando a capela for destinada ao uso de ácido perclórico. Tem menor resistência química a ácidos do que a cerâmica antiácida e não tem resistência ao calor. b.4. . mas dependendo da operação a ser executada. 6. PVC rígido: É o material mais utilizado. Polipropileno: É utilizado quando a temperatura de serviço for até 90º C ou quando se trabalhar constantemente na capela com solventes orgânicos. emprega-se o vidro temperado ou laminado.Janela da Capela: Normalmente a janela da capela é do tipo "guilhotina". Pode ser reforçado com fibra de vidro para aumentar a resistência à temperatura. d. Recomendamos que utilize a cerâmica nas capelas de uso geral.Tubulação de Exaustão: a.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful