Você está na página 1de 46

Tópicos especiais

em enfermagem II
Prof.a Caroline Barbosa
Atenção à Saúde – SUS
AULA 1 – 1.1
Objetivos da aula

Reflexão:
•a atenção básica à saúde,
•o SUS e
•a vigilância em saúde
Como nasceu o SUS?
Antes do SUS

Crise Cafeeira

Lei Eloy Chaves – 1923

CAP’s

Assistência Médica e Aposentadoria.

1º Ferroviários
• 1930 - IAP’s – Institutos de
aposentadoria e pensões.

O golpe militar de 1964 trouxe mudanças no


sistema de saúde, houve ênfase na assistência
médica e expansão da medicina previdenciária
com a unificação dos institutos de aposentadoria
e pensão, dando lugar ao Instituto Nacional de
Previdência Social (INPS).

• 1966 - Instituto Nacional de


Previdência Social (INPS).

• Em 1974, foi criado o Instituto Nacional


de Assistência Médica e Previdência
Social (Inamps)
Carteira assinada

Assistência
Pagavam planos de saúde antes do
SUS

Poucos hospitais públicos


e entidades filantrópicas
Reforma sanitária

A reforma no sistema de saúde teve


início com o movimento sanitário em
meados da década de 1970, porém se
estruturou no período da
redemocratização do país.
• Transformar a assistência à saúde vigente no

O modelo sanitário
país.
• Reivindicava o direito à saúde.
• Ações de saúde fossem integradas em um único
sistema
• Serviços de saúde, tanto preventivo como
curativo.
• descentralização da gestão administrativa e
financeira das ações de saúde para Estados e
municípios.
• Participação e o controle social das ações de saúde
O marco histórico do movimento de reforma
sanitária foi a VIII Conferência Nacional em
Saúde, em 1986, que reuniu cerca de 4 mil pessoas,
mobilizou intelectuais, trabalhadores de saúde e toda
a sociedade brasileira para debater e propor medidas
que reorientassem o sistema de saúde no Brasil.
Nasce o SUS
1988
➢CF/88 - Estabeleceu que a saúde é dever do

SUS na CF/88
Estado, que abrange a União, os Estados, o
Distrito Federal e os municípios.

“Art. 196. A saúde é direito de todos e dever


do Estado, garantido mediante políticas
sociais e econômicas que visem à redução do
risco de doença e de outros agravos e ao
acesso universal e igualitário às ações e
serviços para sua promoção, proteção e
recuperação.”
A saúde na
Constituição
Federal

(Artigos 196 a 200)


• A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante
políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de
outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua
promoção, proteção e recuperação.
• São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao
Poder Público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação,
fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamente
ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica
de direito privado.
As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e
hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes
diretrizes:
• I - descentralização, com direção única em cada esfera de governo;
• II - atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo
dos serviços assistenciais;
• III - participação da comunidade.
A assistência à saúde é livre à iniciativa privada
• § 1º As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único
de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio,
tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos.
• § 2º É vedada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições
privadas com fins lucrativos.
• § 3º - É vedada a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na
assistência à saúde no País, salvo nos casos previstos em lei.
• § 4º A lei disporá sobre as condições e os requisitos que facilitem a
remoção de órgãos, tecidos e substâncias humanas para fins de
transplante, pesquisa e tratamento, bem como a coleta,
processamento e transfusão de sangue e seus derivados, sendo
vedado todo tipo de comercialização.
Art. 200 - Ao • I - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos
sistema único de e substâncias de interesse para a saúde e
participar da produção de medicamentos,
saúde compete nos equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados
e outros insumos;
termos da lei:
• II - executar as ações de vigilância sanitária
e epidemiológica, bem como as de saúde do
trabalhador;
• III - ordenar a formação de recursos
humanos na área de saúde;
• IV - participar da
formulação da
política e da execução
das ações de
saneamento básico;
• V - incrementar, em sua área de
atuação, o desenvolvimento
científico e tecnológico e a
inovação; (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 85, de 2015)

• VI - fiscalizar e inspecionar
alimentos, compreendido o
controle de seu teor nutricional,
bem como bebidas e águas para
consumo humano;
• VII - participar do controle e
fiscalização da produção,
transporte, guarda e utilização de
substâncias e produtos psicoativos,
tóxicos e radioativos;

• VIII - colaborar na proteção do


meio ambiente, nele compreendido
o do trabalho.
Este vídeo foi produzido pelo CIAR / UFG como ferramenta de apoio pedagógico ao curso de Licenciatura em Ciências Biológicas a distância, do Instituto de
Ciências Biológicas da UFG. Financiamento: Universidade Aberta do Brasil / CAPES / MEC. Apoio: FUNAPE.
• A base legal do SUS é constituída fundamentalmente
por três documentos que estruturam e organizam o
sistema de saúde, são eles:

❖Constituição Federal de 1988


❖Lei Orgânica de Saúde nº 8.080/90
❖Lei nº 8.142/90
Atenção Primária à Saúde e a Reorganização
da Assistência no Brasil

• Atenção Primária à Saúde (APS) - Conjunto de práticas em


Saúde voltado aos indivíduos e à coletividade.

Promoção, a proteção à saúde, a prevenção de doenças, o diagnóstico, o tratamento, a


reabilitação e a manutenção da saúde.
PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF

Para auxiliar na reorganização da prática assistencial

1994
“... Substituindo o modelo tradicional de
assistência, centrado na medicina curativista
ENTÃO... e hospitalocêntrica.”
“Atenção Primária foi estruturada
para dar assistência às famílias
inseridas em seu ambiente físico e
social, compreendendo a visão
ampliada da saúde, possibilitando
ações não apenas curativas.”
Características
• Atenção focada na família
• Integralidade
• Continuidade atenção
• Coordenação da assistência dentro do próprio
sistema
• Orientação e participação comunitária e
• Competência cultural dos seus profissionais
Atributos essenciais

• O acesso do primeiro contato do indivíduo


com o sistema de saúde,
• a continuidade,
• a integralidade e
• a coordenação da atenção.
Saúde da família

Política Nacional de Atenção Básica

UMA DAS MAIS IMPORTANTES ESTRATÉGIAS


Classificação da prevenção

Primária Secundária

Terciária Quaternária
"primeiro, não prejudicar"
Prevenção
quaternária

• Dr Marc Jamoulle, 1999.


• Intervencionismo diagnóstico.
• Relação, médico-paciente.
• Adoecimento Iatrogênico.
Vigilâncias em saúde
Sanitária

Saúde do Vigilância
Trabalhador em saúde Ambiental

Epidemiológica
Entende-se por
vigilância sanitária

“Conjunto de ações capaz de


eliminar, diminuir ou prevenir
riscos à saúde e de intervir nos
problemas sanitários decorrentes do
meio ambiente, da produção e
circulação de bens e da prestação de
serviços de interesse da saúde.”
Entende-se por vigilância
epidemiológica

“Conjunto de ações que proporcionam o


conhecimento, a detecção ou
prevenção de qualquer mudança nos
fatores determinantes e condicionantes
de saúde individual ou coletiva, com a
finalidade de recomendar e adotar as
medidas de prevenção e controle das
doenças ou agravos.”
Entende-se por saúde do
trabalhador
Conjunto de atividades que se
destina, através das ações de
vigilância epidemiológica e
vigilância sanitária, à promoção
e proteção da saúde dos
trabalhadores, assim como visa à
recuperação e reabilitação da
saúde dos trabalhadores
submetidos aos riscos e agravos
advindos das condições de
trabalho.
Entende-se por
vigilância ambiental
A vigilância ambiental se dedica às
interferências dos ambientes físico,
psicológico e social na saúde. As ações
neste contexto têm privilegiado, por
exemplo, o controle da água de consumo
humano, o controle de resíduos e o
controle de vetores de transmissão de
doenças – especialmente insetos e
roedores
OBRIGADA!

Você também pode gostar