Você está na página 1de 3

Faculdade Jangada

Acadêmicos: Ariane P de Almeida


Joana Klein
José Schuda
Melina da Silva

Disciplina: Enfermagem nas emergências


Profª: Helen Knopp

Introdução

O Ministério da Saúde, através da Portaria nº 1864/GM , em setembro


de 2003, iniciou a implantação do componente móvel de urgência com a
criação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, SAMU-192.
O SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência é um serviço de
saúde, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina,
em parceria com o Ministério da Saúde e as Secretarias Municipais de Saúde
do Estado de Santa Catarina organizadas macrorregionalmente.
É responsável pelo componente Regulação dos Atendimentos de
Urgência, pelo Atendimento Móvel de Urgência da Região e pelas
transferências de pacientes graves da região.
Faz parte do sistema regionalizado e hierarquizado, capaz de atender,
dentro da região de abrangência, todo enfermo, ferido ou parturiente em
situação de urgência ou emergência, e transportando-os com segurança e
acompanhamento de profissionais da saúde até o nível hospitalar do sistema.
Além disto intermedia, através da central de regulação médica das
urgências, as transferências inter-hospitalares de pacientes graves,
promovendo a ativação das equipes apropriadas e a transferência do paciente.
Visita de campo ao SAMU em Jaraguá do sul

O SAMU de Jaraguá do Sul iniciou suas atividades em 18/12/2005 e tem


como central o município de Joinville o qual atende toda região norte-nordeste.
É responsável pela regulação dos atendimentos de urgência móvel e
transferências de pacientes graves da região e tem como objetivos: assegurar
escuta médica permanente para urgências através de número exclusivo e
gratuito; realizar o atendimento médico pré-hospitalar de urgência, tanto em
casos de traumas como em situações clínicas, transportando o cidadão quando
necessário com o acompanhamento de profissionais; prover bancos de dados
e estatísticas atualizadas no que diz respeito a atendimentos de urgência;
servir de fonte de pesquisa e extensão a instituições de ensino; identificar,
ações que precisam ser desencadeadas através da própria área da saúde e de
outros setores, como trânsito, planejamento urbano, educação; participar da
educação sanitária.
O SAMU recebe verbas onde o governo Federal passa para o Estado
que por sua vez distribui para os municípios pactuantes (que assinaram um
acordo para manter uma unidade móvel do SAMU).
A estrutura utilizada para os serviços pertence aos bombeiros
voluntários, onde ambos trabalham em parceria. Apresenta uma estrutura
bastante ampla, com cozinha, sala de televisão, sala de jogos, alojamento
feminino e masculino, sala de reunião, escritórios, sala exclusiva do SAMU
para o depósito de medicações, onde apenas a enfermeira tem acesso, local
para realizar a higienização das unidades móveis e seus equipamentos.
O estabelecimento de Jaraguá do Sul possui uma unidade de suporte
avançado (USA) e sua equipe de profissional é constituída por 7 médicos, 5
enfermeiros e 6 motoristas, e uma unidade de suporte básico (USB) com a
equipe de 4 técnicos de enfermagem e 4 motoristas. A diferença entre a USA e
USB está relacionada aos equipamentos utilizados. Na USA possui respirador,
monitor cardíaco, desfibrilador, material para entubação orotraqueal e
medicações controladas. Já na USB, os equipamentos são os básicos: monitor
cardíaco, material de curativo, imobilização, etc.
O SAMU utiliza a telemedicina, ou seja, uma central regional, localizada
em Joinville, SC. Ao ligar para o número 192, um TARM (técnico ou auxiliar de
enfermagem) faz o primeiro atendimento pelo telefone, sua função é obter
informações como: nome, endereço e o que ocorreu, afim de evitar trotes e ser
ágil para a continuação do atendimento. A medida que o TARM faz o
atendimento, o radio operador já entra em contato com as USA’s e os USB’s
conforme a complexidade do caso para ver ser se há disponibilidade de
veículo, ao mesmo tempo em que o médico obtém as informações para avaliar
o que será feito e se é de competência do SAMU. As viaturas de Jaraguá do
Sul, dependem sempre da autorização do médico que está na central para ir
até o local e realizar o atendimento, ou seja, o SAMU de Jaraguá do Sul é
subordinado da central de Joinville. Na central existe a equipe do SAMU, dos
Bombeiros e da Polícia Militar, e a pessoa que estiver disponível atende a
ligação e toma as primeiras providências.
Em geral, 70% das ocorrências que o SAMU atende são casos clínicos
(diabetes descompensada, cólicas renais e menstruais, hipertermia, crise
hipertensiva, IAM), e através desses dados verifica-se a carência do
atendimento básico da saúde. Os bombeiros são responsáveis pelos
atendimentos que envolve traumas (acidente automobilístico em geral, e
quedas de altura), resgate aquáticos e recolher animais peçonhentos. Em caso
de acidente muito grave, o SAMU pode dar suporte ao bombeiro, mas precisa
da autorização da central.
Estima-se que no ano de 2010 a USA realizou de 60 à 70 atendimentos
por mês e a USB em média 150 à 170 ocorrências.
Segundo informações da Enfermeira Coordenadora do SAMU de
Jaraguá do Sul, Leila Martins, seu papel é supervisionar e executar tarefas de
alta complexidade que são prioritárias do enfermeiro como: sondagem vesical,
nasoenteral, medicação intra óssea, controle das medicações controladas e
não controladas e proporcionar o aperfeiçoamento de sua equipe, etc.