Você está na página 1de 10

Universidade Zambeze

Faculdade de Ciências e Tecnologias


Engenharia Mecatrónica 2o Ano – Laboral

3º Grupo

Cadeira: Instrumentação de Medidas Eléctricas


Tema: Instrumentação Analógica e digital
(Constituição dos Instrumentos Analógicos e Princípio de Funcionamento)

Discente:
Mussage Virgílio Saide

Docente:
Eng. Orlando Guta

Beira, Abril de 2021


Índice
Introdução ................................................................................................................................. 2

Objectivos ................................................................................................................................. 3

Constituição dos Instrumentos Analógicos ............................................................................... 4

Princípio de funcionamento de Instrumentos Analógicos ......................................................... 5

Conclusão .................................................................................................................................. 8

Bibliografia ............................................................................................................................... 9

1
Introdução
O presente trabalho tem como tema instrumentos analógicos, especificamente a sua
constituição e funcionamento, veremos que as medidas eléctricas e magnéticas só
podem ser realizadas com a utilização de instrumentos de medidas, que permitem a
quantificação de grandezas cujos valores não poderiam ser determinados por meio de
sentidos humanos.

2
Objectivos
Objectivo Geral

 Estudar os Instrumentos analógicos.

Objectivos específicos

 Abordar a constituição dos instrumentos analógicos;


 Explicar o funcionamento dos instrumentos analógicos.

3
Constituição dos Instrumentos Analógicos
Os instrumentos analógicos baseiam sua operação em algum tipo de fenómeno
electromagnético ou electrostático, como a acção de um campo magnético sobre uma
espira percorrida por corrente eléctrica ou a repulsão entre duas superfícies carregadas
com cargas eléctricas de mesmo sinal. São, portanto, sensíveis a campos eléctricos ou
magnéticos externos, de modo que muitas vezes é necessário blindá-los contra tais
campos.

O mecanismo de suspensão é a parte mais delicada de um instrumento analógico. É ele


quem promove a fixação da parte móvel (geralmente um ponteiro) e deve proporcionar
um movimento com baixo atrito. Os tipos de suspensão mais utilizados são:

 Por fio, usado em instrumentos de precisão, devido ao excepcional resultado


que proporciona;
 Por pivô (conhecido também como mecanismo d’Arsonval), composto de um
eixo de aço (horizontal ou vertical) cujas extremidades afiladas se apoiam em
mancais de rubi ou safira sintética. Ele consiste de uma série de espirais
colocadas no campo magnético de um imã permanente. Quando uma corrente
eléctrica percorre as espirais, ela cria um torque nas espirais, fazendo com que se
desloquem, movendo um ponteiro sobre uma escala calibrada. Por projecto, a
deflexão do ponteiro é directamente proporcional à corrente nas espirais. O
medidor de d´Arsonval opera com corrente contínua ou alternada.
 Suspensão magnética, devida à força de atracção (ou repulsão) de dois
pequenos imãs, um dos quais, preso à parte móvel e o outro fixado ao corpo do
aparelho.

A escala é um elemento importante nos instrumentos analógicos, já que é sobre ela que
são feitas as leituras. Entre suas muitas características podem-se ressaltar as seguintes:

 Fundo de escala ou calibre: o máximo valor que determinado instrumento é


capaz de medir sem correr o risco de danos.
 Posição do zero: a posição de repouso do ponteiro, quando o instrumento não
está efectuando medidas (zero) pode variar muito: zero à esquerda, zero à
direita, zero central, zero deslocados ou zero suprimido (aquela que inicia com
valor maior que zero);

4
Figura 1. Classificação das escalas de acordo com a posição do zero (a) zero à
direita; (b) zero centrais; (c) zero suprimidos; (d) zero deslocados.

 Correcção do efeito de paralaxe: muitos instrumentos possuem um espelho


logo abaixo da escala graduada, neste caso, a medida deverá ser feita quando a
posição do observador é tal que o ponteiro e sua imagem no espelho coincidam.

Figura 2. Espelho para correcção do erro de paralaxe

Linearidade: característica que diz respeito à maneira como a escala é dividida.


Quando a valores iguais correspondem divisões iguais, diz-se que a escala é linear (ou
homogénea), caso contrário, a escala é chamada não-linear (heterogénea).

Princípio de funcionamento de Instrumentos Analógicos


Os instrumentos analógicos muitas vezes utilizam circuitos eléctricos como forma de
indicação dos valores medidos, pois estes tornam viável ou facilitam a transmissão à
distância, além de permitir o controlo do processo sob observação. Assim, a variável
primária medida é transformada em corrente eléctrica, voltagem ou resistência.

5
Os instrumentos analógicos são, geralmente, baseados no movimento do medidor de
d'Arsonval. Ele consiste de uma série de espirais colocadas no campo magnético de um
imã permanente. Quando uma corrente eléctrica percorre as espirais, ela cria um torque
nas espirais, fazendo com que se desloquem, movendo um ponteiro sobre uma escala
calibrada. Por projecto, a deflexão do ponteiro é directamente proporcional à corrente
nas espirais.

O medidor de d´Arsonval opera com corrente contínua ou alternada. Neste último caso
precauções devem ser tomadas para minimizar a oscilação do ponteiro. A abaixo é uma
ilustração de um galvanómetro de d´Arsonval, onde aparecem a câmara de
amortecimento e a pá conectada ao eixo do ponteiro, as quais irão realizar esta função
de amortecimento da oscilação do ponteiro. Não aparecem os imãs que devem ser
montados lateralmente à espiral.

Figura 3. (a) Esquema de galvanómetro de d´Arsonval (não aparecem os imãs que


geram o campo magnético permanente) e (b) galvanómetro de d´Arsonval em
tacómetro.

Se o sinal eléctrico é a voltagem, para fazer sua leitura pode-se usar o galvanómetro de
d´Arsonval com uma resistência conhecida em série, pode-se usar um osciloscópio ou
então um circuito divisor de voltagem.

6
Se a resistência é a grandeza eléctrica do sinal a ser medido, pode-se usar o circuito de
d´Arsonval com voltagem e resistência conhecidos, ou então uma ponte de Wheatstone.

Figura 4. A ponte de Wheatstone

A ponte de Wheatstone é um circuito eléctrico usado para medir resistência, ele consiste
de uma fonte de tensão e um galvanómetro que conecta dois ramos de um circuito
eléctrico em paralelo.
Estes dois ramos em paralelo têm quatro resistências, três das quais são conhecidas (Fig.
4). Para determinar a resistência desconhecida, a ponte deve ser balanceada até que o
galvanómetro indique o valor zero.

7
Conclusão
Com o trabalho conclui-se que nos instrumentos analógicos, a medição é realizada a
partir do posicionamento de um ponteiro que se move sobre uma escala fixa, os
instrumentos atuais são normalmente sistemas combinados analógico/digital, onde a
porção digital não representa o factor limitante para a precisão do sistema. Estas
limitações provêm geralmente da porção analógica e/ou dos dispositivos de conversão
analógico/digital.

8
Bibliografia
FERNANDO A. França: Instrumentação e Medidas: grandezas mecânicas, UNICAMP
2007.

Prof. Fábio Bertequini Leão/ Sérgio Kurokawa. Introdução a Medidas Eléctricas-


Capítulo1.

Você também pode gostar