Você está na página 1de 226

LIVRO DE MÓRMON

Manual do Professor
Religião 121–122
LIVRO DE MÓRMON —
MANUAL DO PROFESSOR
RELIGIÃO 121–122

Publicado por
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Salt Lake City, Utah, EUA
Agradecemos os comentários e as correções. Favor enviá-los para:
Seminaries and Institutes of Religion Curriculum Services
50 E. North Temple Street
Salt Lake City, UT 84150-0008 USA
E-mail: ces-manuals@​LDSchurch​.org
Capa: Cristo na Terra de Abundância de Simon Dewey,
© 2003 Intellectual Reserve, Inc.
© 2009 Intellectual Reserve, Inc.
Todos os direitos reservados
Impresso no Brasil

Aprovação do inglês: 1/07


Aprovação da tradução: 1/07
Tradução de Book of Mormon Teacher Manual
Portuguese
32484 059
Sumário
Introdução.................................................................... 1 29 Alma 30–31.......................................................108

1 A Pedra Angular de Nossa Religião..................... 5 30 Alma 32–35.......................................................113

2 1 Néfi 1–5.............................................................. 9 31 Alma 36–39.......................................................118

3 1 Néfi 6–11..........................................................13 32 Alma 40–42.......................................................123

4 1 Néfi 12–15.........................................................17 33 Alma 43–51.......................................................127

5 1 Néfi 16–18........................................................20 34 Alma 52–63.......................................................130

6 1 Néfi 19–22........................................................24 35 Helamã 1–4.......................................................135

7 2 Néfi 1–3.............................................................28 36 Helamã 5–9.......................................................139

8 2 Néfi 4–8............................................................32 37 Helamã 10–12...................................................145

9 2 Néfi 9–10..........................................................37 38 Helamã 13–16...................................................149

10 2 Néfi 11–16.........................................................40 39 3 Néfi 1–7...........................................................154

11 2 Néfi 17–24.........................................................45 40 3 Néfi 8–11.........................................................157

12 2 Néfi 25–27........................................................48 41 3 Néfi 12–14.......................................................161

13 2 Néfi 28–30........................................................51 42 3 Néfi 15–17.......................................................166

14 2 Néfi 31–33.........................................................54 43 3 Néfi 18–19......................................................169

15 Jacó 1–4...............................................................58 44 3 Néfi 20–22......................................................174

16 Jacó 5–7...............................................................63 45 3 Néfi 23–26......................................................178

17 Enos – Palavras de Mórmon................................66 46 3 Néfi 27–30.......................................................182

18 Mosias 1–3...........................................................69 47 4 Néfi..................................................................186

19 Mosias 4–8...........................................................73 48 Mórmon 1–6......................................................189

20 Mosias 9–17.........................................................76 49 Mórmon 7–9......................................................192

21 Mosias 18–24.......................................................81 50 Éter 1–5..............................................................195

22 Mosias 25–29.......................................................84 51 Éter 6–10............................................................199

23 Alma 1–4.............................................................88 52 Éter 11–15..........................................................202

24 Alma 5–7.............................................................92 53 Morôni 1–6........................................................206

25 Alma 8–12...........................................................95 54 Morôni 7............................................................210

26 Alma 13–16.........................................................99 55 Morôni 8–9........................................................214

27 Alma 17–22.......................................................102 56 Morôni 10..........................................................218

28 Alma 23–29.......................................................105

iii
Introdução 

No papel de professor deste curso, você tem o privi- Alguns Princípios e Doutrinas
légio de ajudar os alunos a descobrirem, compreen- A seção intitulada “Alguns Princípios e Doutrinas”
derem e viverem as verdades salvadoras do Livro de contém uma lista dos princípios e doutrinas centrais
Mórmon. Ao preparar-se para ensinar, siga a admoes- do bloco de escrituras. Por exemplo, o capítulo 23,
tação do Senhor de buscar a orientação do Espírito que concentra-se em Alma 1–4, traz uma relação dos
Santo, pois “quando um homem fala pelo poder do seguintes princípios e doutrinas:
Espírito Santo, o poder do Espírito Santo leva [a mensa-
• Os membros da Igreja não devem praticar artima-
gem] ao coração dos filhos dos homens” (2 Néfi 33:1).
nhas sacerdotais (ver Alma 1).
As coisas mais importantes que você pode fazer para
preparar-se para ensinar são: estudar as escrituras em • Deus nos dará forças se resistirmos à iniquidade
espírito de oração e seguir a orientação do Espírito (ver Alma 2).
Santo. Este manual complementará seus preparativos. • O testemunho puro combate o orgulho (ver Alma 4).
Ele contém dados introdutórios para cada bloco de
Além dos princípios e doutrinas relacionados nessa
escrituras, identifica princípios importantes do evan-
seção, é possível que você encontre outras verdades
gelho contidos no bloco e traz sugestões de como ensi-
importantes e sinta deve ensiná-las. Sob a influência
ná-los de modo a ajudar os alunos a compreendê-los e
do Espírito Santo, escolha cuidadosamente quaisquer
aplicá-los. Quer você seja professor de tempo integral
princípios e doutrinas que deseje incluir. Contudo,
ou voluntário, este manual o ajudará a preparar-se
tenha em mente que, quando um princípio ou doutrina
para ensinar.
contido em um bloco de escrituras não é abordado em
Organização Deste Manual determinado capítulo, é possível que venha a ser abor-
dado em outro, em um bloco de escrituras que ensine
Este manual contém 56 capítulos e destina-se a ser uti-
o assunto de forma mais completa.
lizado ao longo de todo o ano letivo. Ele inclui o curso
de Religião 121, que vai de 1 Néfi 1 ao fim de Alma Sugestões Didáticas
29, e o curso de Religião 122, que vai de Alma 30 até A seção “Sugestões Didáticas” fornece sugestões
o final de Morôni 10. Cada aula deve ter aproximada- específicas para cada item da seção “Alguns Princípios
mente 50 minutos. Caso o curso que você vai ensinar e Doutrinas”. Em certos capítulos, a seção “Sugestões
seja semestral com duração de mais de 14 semanas, Didáticas” também contém ideias importantes que não
esse material lhe permitirá dar duas lições do manual foram incluídas em “Alguns Princípios e Doutrinas”.
por semana. Caso o curso seja de apenas uma aula por
semana, adapte o material de acordo com a situação. O início de cada sugestão didática é marcado por este
Não desanime se não tiver tempo para abordar todos ícone: . Apesar de algumas sugestões se encadearem
os aspectos de todos os blocos de escrituras ou todos naturalmente umas às outras, você pode utilizá-las
os princípios e doutrinas recomendados. Escolha isoladamente.
aqueles que perceber que são mais importantes para Essas sugestões são como um guia para a fase de prepa-
seus alunos. ração da lição e você pode adaptá-las às necessidades dos
Cada capítulo tem três partes: alunos. Lembre-se de que sua responsabilidade é ensinar
de acordo com a orientação do Espírito para ajudar os
• Introdução alunos a compreenderem as doutrinas e os princípios.
• Alguns Princípios e Doutrinas Não é preciso cobrir todo o material. Em vez disso, ajude
• Sugestões Didáticas os alunos a compreenderem o bloco de escrituras de
acordo com o que permitirem as circunstâncias em que
Introdução você ensina e de acordo com as necessidades dos alunos.
A introdução destaca os temas gerais do bloco de escri-
Ao longo do manual, as passagens de domínio de
turas estudado.
escritura são assinaladas pelo ícone:    . A relação das

1
100 passagens de domínio das escrituras encontra-se procure mais ensinamentos que ajudem você e seus
na página 4. Os alunos que já fizeram o seminário já alunos a compreenderem e aplicarem as escrituras. 
devem conhecer essas escrituras com importante con-
Outras Publicações da Igreja. Este manual cita com
teúdo doutrinário. Ao deparar-se com uma dessas pas-
frequência outras publicações aprovadas da Igreja,
sagens durante a aula, sugere-se que você incentive os
entre elas o Bible Dictionary, o Guia para Estudo das
alunos a dizerem por que essa escritura é importante
Escrituras (scriptures​.LDS​.org), Sempre Fiéis: Tópicos do
para eles. Incentive-os a memorizar essas passagens
Evangelho (código 36863 059), Para o Vigor da Juven-
(ou a voltar a fazê-lo) e a aprofundar a compreensão
tude: Cumprir Nosso Dever para com Deus (livreto,
delas. O Élder Richard G. Scott, do Quórum dos Doze
código 36550 059). 
Apóstolos, ensinou: “Sugiro que decorem escrituras
que toquem seu coração e encham sua alma de enten- Como Utilizar Este Manual
dimento. Quando são utilizadas da forma exata como
As escrituras são o principal recurso a ser utilizado
o Senhor ordenou que fossem registradas, as escrituras
para preparar as aulas. Este manual o ajudará a utilizar
têm um poder intrínseco que não é devidamente trans-
as escrituras para ensinar os alunos.
mitido quando são parafraseadas” [Conference Report,
outubro de 2004, p. 112; ver também A Liahona, Há três maneiras básicas de utilizar o manual do pro-
janeiro de 2000, pp. 105–106 (tradução atualizada)]. fessor:
1. Seguir de perto as sugestões didáticas incluídas.
Outros Auxílios Didáticos
O Livro de Mórmon: Manual do Aluno, Religião 2. Empregar o manual como um guia de estudo para
121–122 (código 32506 059). Todos os capítulos do ajudá-lo a encontrar os princípios e temas a serem
manual do aluno contêm uma seção intitulada “Pontos desenvolvidos em aula.
a Ponderar” e outra intitulada “Tarefas Sugeridas”. As 3. Empregar o manual como um recurso para comple-
perguntas da seção “Pontos a Ponderar” e as atividades mentar as ideias que você tiver ao estudar o bloco
da seção “Tarefas Sugeridas” podem ajudar os alunos de escrituras.
a compreender melhor os princípios das escrituras e
aplicá-los à própria vida. Decida o Que Ensinar
Em cada bloco de escrituras, escolha as doutrinas, os
Várias sugestões didáticas do manual do professor
princípios e os acontecimentos que considerar mais
mencionam o manual do aluno. Sugere-se que você
importante que os alunos compreendam. Deixe que
utilize o manual do aluno em todas as aulas para
o Espírito e as necessidades dos alunos orientem sua
desenvolver ideias, utilizar perguntas e tarefas.
decisão do que ensinar. Estude a fundo o bloco de
DVD que acompanha o curso. Junto com este manual escrituras e tome nota das doutrinas, dos princípios,
segue um DVD. Esse DVD contém gravações de áudio dos acontecimentos e das palavras ou expressões difí-
e vídeo em que profetas modernos e outras Autori- ceis que pretenda ajudar os alunos a compreenderem.
dades Gerais da Igreja dão conselhos que são citados Pode ser útil ler o bloco de escrituras mais de uma vez.
tanto no manual do aluno como no do professor. Neste
Você não é obrigado a ensinar todos os princípios
manual, os trechos que também constam no DVD que
e doutrinas incluídos em cada capítulo. Na verdade,
acompanha o curso são assinalados por este ícone: A .
você provavelmente verá que não há tempo suficiente
O DVD é dividido de acordo com os capítulos do
para isso. O Élder Richard G. Scott aconselhou: “Lem-
manual. A letra que aparece no ícone indica a devida
brem-se: sua mais alta prioridade não é cobrir todo
faixa do DVD.
o material caso isso signifique que não será possível
Palavras dos Profetas e Autoridades Gerais da Igreja. compreendê-lo devidamente. Façam o que puderem,
Sempre que estudar os discursos proferidos em confe- com discernimento” (“To Understand and Live Truth”,
rência geral e artigos publicados nas revistas da Igreja, discurso aos educadores religiosos do SEI, 4 de feve-
reiro de 2005, p. 2, LDSces​.org).

2
Decida Como Ensinar sempre gostava desse método, mas com a experiên-
Lembre-se de levar em consideração a maturidade cia compreendi que, quando outra pessoa nos dá a
espiritual dos alunos ao decidir que métodos utilizará resposta de mão beijada, logo nos esquecemos qual
para ensinar. Falando aos professores do seminário e do era a resposta. Já quando nós mesmos descobrimos
instituto, o Presidente J. Reuben Clark Jr. (1871–1961), ou recebemos a resposta por meio do exercício da
da Primeira Presidência, declarou: “Vocês não precisam fé, normalmente lembramo-nos dela para o resto da
chegar de mansinho, por trás desses jovens espiritual- vida (“Seek Learning by Faith”, discurso aos edu-
mente experientes e sussurrar religião aos seus ouvidos” cadores religiosos do SEI, 3 de fevereiro de 2006,
(O Curso Traçado para a Igreja em Assuntos Educacio- p. 5, LDSces​.org). Em vez de disseminar informa-
nais, ed. revisada e atualizada, 2004, pp. 9–10). ções exclusivamente por meio de aulas expositivas,
procure métodos didáticos que ajudem os alunos a
Como muitos de seus alunos têm maturidade espiritual,
compreenderem as escrituras e a identificarem os
espera-se que eles levem a sério o papel que lhes cabe
princípios e doutrinas por si mesmos.
como alunos. Planeje formas de ajudá-los a assumir a
responsabilidade pelo próprio aprendizado. As seguin- • Incentive os alunos a viverem de acordo com os
tes sugestões podem ser úteis: princípios aprendidos. Ajude-os a participar ativa-
mente do tipo de aprendizado descrito pelo Élder
• Incentive-os a ler o bloco de escrituras e o conteúdo Bednar, um aprendizado que “vai bem além da mera
do manual correspondentes à aula com antecedên- compreensão intelectual e da retenção e reprodução
cia. Além disso, ajude-os a criar o hábito de estudar de informações” e “faz com que deixemos de lado
as escrituras diariamente. Incentive-os a estudar o o homem natural (ver Mosias 3:19) [e] opera uma
Livro de Mórmon a vida inteira. mudança em nosso coração (ver Mosias 5:2)” (“Seek
• Dê-lhes oportunidades de fazer e responder pergun- Learning by Faith”, p. 3). Para decidir como pretende
tas. As boas perguntas ajudam os alunos a assu- ensinar as doutrinas e os princípios de cada lição,
mir a responsabilidade por aquilo que aprendem. considere o que fará para incentivar os alunos a dar
Enquanto eles ponderam as doutrinas e os princí- continuidade ao aprendizado fora da sala de aula.
pios do Livro de Mórmon, incentive-os a explicar o
significado, falar de como compreendem o assunto Como Adaptar as Lições para
e prestar testemunho das verdades que aprenderam. Ajudar os Alunos com Deficiências
Crie um ambiente em que os alunos saibam que têm
Caso tiver alunos com deficiências, adapte as lições de
o privilégio de escutar e falar. Dê-lhes oportunidades
forma a atender às necessidades deles. Por exemplo,
de edificarem-se uns aos outros (ver D&C 88:122).
em várias lições há atividades em que se pede que os
• Evite empregar a exposição como único método alunos leiam um trecho em voz alta, ou em silêncio, e
didático. Em vez disso, ajude os alunos a descobri- que escrevam as respostas em papel. Para adaptar essas
rem verdades. Oriente-os de forma que eles vejam atividades para alunos que têm dificuldades de leitura
o que você e outras pessoas veem, e até coisas que ou escrita, você poderia considerar a possibilidade de
você ainda não tinha percebido. Lembre-se das ler você mesmo ou de pedir que outros alunos leiam.
palavras do Élder David A. Bednar, do Quórum Outra possibilidade seria usar uma gravação. Quando
dos Doze Apóstolos: “Observei uma característica uma atividade pedir que a resposta seja dada por
comum entre os professores que mais influenciaram escrito, você pode em vez disso, pedir respostas orais.
minha vida: Todos ajudaram-me a buscar o apren-
Para mais ideias e recursos, consulte a sessão intitulada
dizado pela fé. Recusaram-se a dar-me respostas
“Adapted Classes and Programs for Students with Disa-
fáceis para perguntas difíceis. Na verdade, eles
bilities” (Cursos e Programas Adaptados para Alunos
não respondiam nada por mim. O que faziam era
Portadores de Necessidades Especiais) no “CES Policy
indicar-me o caminho e ajudar-me a fazer o que era
Manual” (Manual de Normas do SEI).
preciso para encontrar as respostas sozinho. Eu nem

3


Domínio de Escritura
Velho Testamento Novo Testamento Livro de Mórmon Doutrina e Convênios

Moisés 1:39 Mateus 5:14–16 1 Néfi 3:7 D&C 1:37–38

Moisés 7:18 Mateus 6:24 1 Néfi 19:23 D&C 8:2–3

Abraão 3:22–23 Mateus 16:15–19 2 Néfi 2:25 D&C 10:5

Gênesis 1:26–27 Mateus 25:40 2 Néfi 2:27 D&C 14:7

Gênesis 39:9 Lucas 24:36–39 2 Néfi 9:28–29 D&C 18:10, 15–16

Êxodo 20:3–17 João 3:5 2 Néfi 28:7–9 D&C 19:16–19

Êxodo 33:11 João 7:17 2 Néfi 32:3 D&C 25:12

Levítico 19:18 João 10:16 2 Néfi 32:8–9 D&C 58:26–27

Deuteronômio 7:3–4 João 14:15 Jacó 2:18–19 D&C 58:42–43

Josué 1:8 João 17:3 Mosias 2:17 D&C 59:9–10

Josué 24:15 Atos 7:55–56 Mosias 3:19 D&C 64:9–11

I Samuel 16:7 Romanos 1:16 Mosias 4:30 D&C 64:23

Jó 19:25–26 I Coríntios 10:13 Alma 32:21 D&C 76:22–24

Salmos 24:3–4 I Coríntios 15:20–22 Alma 34:32–34 D&C 82:3

Provérbios 3:5–6 I Coríntios 15:29 Alma 37:6–7 D&C 82:10

Isaías 1:18 I Coríntios 15:40–42 Alma 37:35 D&C 84:33–39

Isaías 29:13–14 Efésios 4:11–14 Alma 41:10 D&C 88:123–124

Isaías 53:3–5 II Tessalonicenses 2:1–3 Helamã 5:12 D&C 89:18–21

Isaías 55:8–9 II Timóteo 3:1–5 3 Néfi 11:29 D&C 121:34–36

Jeremias 16:16 II Timóteo 3:16–17 3 Néfi 27:27 D&C 130:18–19

Ezequiel 37:15–17 Hebreus 5:4 Éter 12:6 D&C 130:20–21

Daniel 2:44–45 Tiago 1:5–6 Éter 12:27 D&C 130:22–23

Amós 3:7 Tiago 2:17–18 Morôni 7:16–17 D&C 131:1–4

Malaquias 3:8-10 Apocalipse 14:6–7 Morôni 7:45 D&C 137:7–10

Malaquias 4:5–6 Apocalipse 20:12–13 Morôni 10:4–5 Joseph Smith—História


1:15–20

4
Capítulo 1A Pedra Angular de Nossa Religião
A Pedra Angular de Nossa Religião

Introdução Página de Rosto


Com esta lição você terá a oportunidade de estabelecer Peça aos alunos que abram o Livro de Mórmon na
o tom do curso inteiro. Seu testemunho e entusiasmo página de rosto. Ela começa com as palavras: “O Livro
têm um papel importante nas explanações e nos de Mórmon, relato escrito pela mão de Mórmon em
debates com os alunos a respeito do quanto o Livro de placas, extraído das placas de Néfi”. Explique-lhes que
Mórmon é importante na vida deles. Incentive-os a ter Joseph Smith traduziu essa página das placas de ouro
sede das verdades espirituais contidas neste volume de (ver página 3 do manual do aluno). Peça aos alunos
escrituras sagradas. O Élder Jeffrey R. Holland, do Quó- que façam uma leitura silenciosa do primeiro parágrafo
rum dos Doze Apóstolos declarou: “Nada em nossa e procurem informações quanto à natureza milagrosa
história e em nossa mensagem é mais penetrante do do Livro de Mórmon. Peça-lhes que digam o que
que a inflexível declaração de que o Livro de Mórmon encontraram.
é a palavra de Deus. E aqui nós criamos um divisor de • Quais são as duas ou três primeiras coisas que o
águas” (“Verdadeiro ou Falso”, A Liahona, junho de primeiro parágrafo da página de rosto nos informa?
1996, p. 48).
Escreva no quadro a palavra convencer. Peça aos alu-
Alguns Princípios e Doutrinas nos que façam a leitura silenciosa do segundo pará-
grafo da página de rosto para encontrar a resposta a
• O Livro de Mórmon é outro testamento de
esta pergunta:
Jesus Cristo
• O Livro de Mórmon é a pedra angular de • Do que os escritores do Livro de Mórmon queriam
nossa ­religião. convencer o mundo?

• Muitas testemunhas testificaram a veracidade do Depois que eles responderem a pergunta, você pode
Livro de Mórmon. explicar que a palavra Cristo significa “o ungido” em
• Achegamo-nos mais ao Senhor quando estudamos grego. Em hebraico a palavra Messias tem esse mesmo
o Livro de Mórmon em espírito de oração. significado. Em uma das menções que faz a Jesus
Cristo, o profeta Leí refere-se a Ele como “um Messias,
Sugestões Didáticas ou, em outras palavras, um Salvador do mundo” (1 Néfi
10:4). Portanto, quando dizemos que Jesus é o Cristo,
O Livro de Mórmon É Outro Testamento
estamos testificando que Ele é Aquele que foi ungido
de Jesus Cristo
para salvar-nos.
Peça aos alunos que peguem o Livro de Mórmon e
procurem o subtítulo: “Outro Testamento de Jesus • Como o Livro de Mórmon convenceu-o de que Jesus
Cristo”, ou mostre-o à classe segurando um exemplar é o Cristo?
do livro aberto na página de rosto.
Para incentivar os alunos a prestarem testemunho em
• Qual é a importância de outra testemunha de Jesus resposta a essa pergunta, sugere-se que você lhes peça
Cristo? (Ver D&C 6:28; Mateus 18:16.) que pensem em passagens do Livro de Mórmon que
fortaleceram seu testemunho do Salvador. Peça-lhes
Para ajudar os alunos a compreenderem o significado
que, em pares ou grupos pequenos, falem do que
da palavra testamento, sugere-se que você peça a um
lhes veio à mente, leiam as passagens em questão uns
deles que leia o que disseram o Presidente Boyd K.
para os outros e expliquem por que escolheram essas
Packer e o Presidente Ezra Taft Benson, na página 5
passagens.
do manual do aluno. As palavras do Presidente Ben-
son também se encontram no DVD que acompanha o Em algum ponto dessa troca de ideias, sugere-se que
curso A . você fale de uma ou duas passagens do Livro de Mór-
mon que fortaleceram o seu testemunho de que Jesus
é o Cristo. Preste seu testemunho do Livro de Mórmon.

5
Capítulo 1

Diga aos alunos que, durante este curso, você espera em suas próprias palavras o que o Élder McConkie
ajudá-los a fortalecer o testemunho que têm do Livro ensinou a respeito do papel do Livro de Mórmon na
de Mórmon e de Jesus Cristo. coligação de Israel.
Peça aos alunos que digam as palavras que faltarem à Sugira aos alunos que, ao estudarem o Livro de Mór-
medida que você ler as seguintes frases: mon neste curso, procurem o que ele ensina quanto
aos convênios que o Senhor fez com a casa de Israel.
As dez S S S S S S perdidas (tribos)
Também peça-lhes que meditem sobre a importância
A vara de S S S S S S e a vara de S S S S S S ( Judá, José) desses convênios em sua própria vida.
Abraão, Isaque e S S S S S S  ( Jacó) Peça aos alunos que leiam as três últimas linhas da
S S S S S S e a túnica de muitas cores ( José) página de rosto e procurem uma advertência do Senhor.

A terra S S S S S S (prometida) • O que essa advertência indica que acontecerá com


quem condenar o Livro de Mórmon?
Peça aos alunos que digam o que essas frases têm em
comum. Ajude-os a ver que elas são relacionadas à O Livro de Mórmon É a Pedra Angular
casa de Israel, ao povo do convênio do Senhor. de Nossa Religião
• Quais são alguns dos significados da expressão “casa No quadro, faça um desenho simples de um arco como
de Israel”? o mostrado abaixo. Identifique a pedra angular, que
está sombreada na ilustração. Peça aos alunos que
Para garantir que os alunos tenham uma compreensão expliquem por que a pedra angular é importante.
básica desse tópico, sugere-se que você use o primeiro
item assinalado com um “•” na seção “O Livro de
Mórmon Confirma o Convênio de Deus com Israel”,
nas páginas 4–5 do manual do aluno. Certifique-se de
que entendam que, por serem membros da Igreja do
Senhor, eles fazem parte da casa de Israel.
Peça aos alunos que examinem o segundo parágrafo
da página de rosto e procurem duas coisas que o Livro
de Mórmon ensina aos membros da casa de Israel. Peça aos alunos que abram o Livro de Mórmon na
(“Mostrar aos remanescentes da casa de Israel as gran- página de rosto. Peça que alguém leia o sexto parágrafo.
des coisas que o Senhor fez por seus antepassados; e • Em sua opinião, por que Joseph Smith comparou o
para que possam conhecer os convênios do Senhor e Livro de Mórmon a uma pedra angular? 
saibam que não foram rejeitados para sempre”.)
• Por que o Livro de Mórmon é crucial no evangelho
• De que forma aprender as grandes coisas que o restaurado?
Senhor fez pelo povo do convênio no passado nos
• Como nosso testemunho do Livro de Mórmon
ajuda hoje?
influencia nosso testemunho quanto a outros aspec-
De que forma Doutrina e Convênios 132:29–31 nos tos do evangelho?
ajuda a compreender nossa relação com o antigo povo
Como parte do debate, sugere-se que você peça aos
do convênio?
alunos que leiam os dois últimos parágrafos da intro-
Para ajudar os alunos a compreenderem como o Livro dução. Você também poderia pedir que lessem Dou-
de Mórmon confirma os convênios do Senhor com trina e Convênios 20:8–12.
Seu povo, peça-lhes que abram o manual do aluno na
• De que forma a obtenção de um testemunho do
página 5. Peça que alguém leia a declaração do Élder
Livro de Mórmon ajuda as pessoas a saberem que
Bruce R. McConkie. Peça aos alunos que expliquem
Joseph Smith foi verdadeiramente um profeta e que

6
A Pedra Angular de Nossa Religião

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Diga aos alunos que o próprio Senhor deu testemunho
é a Igreja verdadeira? da veracidade do Livro de Mórmon. Peça a alguém que
leia Doutrina e Convênios 17:6. Peça aos alunos que
Fale do que sente quanto a como um testemunho do
falem de suas impressões quanto a esse versículo.
Livro de Mórmon é a chave para termos um testemu-
nho de Jesus Cristo e do evangelho restaurado. Explique-lhes que desde o início da Restauração,
milhões de pessoas receberam um testemunho do
Muitas Testemunhas Testificaram a Livro de Mórmon pelo poder do Espírito Santo.
Veracidade do Livro de Mórmon
Escreva no quadro: 2 Néfi 27:12–14; Éter 5:2–4. Peça • De que formas vocês podem prestar seu testemunho
aos alunos que façam a leitura silenciosa desses versí- do Livro de Mórmon?
culos e tentem descobrir por que o Senhor preparou Divida a turma em duplas. Peça aos alunos que voltem
testemunhas das placas de ouro. Peça-lhes que digam a examinar a introdução do Livro de Mórmon e algu-
o que encontraram. mas de suas passagens prediletas desse livro pen-
Peça que metade da classe leia em silêncio o Depoi- sando no que poderiam dizer se fossem dar o Livro de
mento de Três Testemunhas e que a outra metade faça o Mórmon a alguém. Se quiserem, podem marcar essas
mesmo com o Depoimento de Oito Testemunhas. Peça- passagens de escritura. Depois de lhes dar tempo sufi-
lhes que procurem respostas para as seguintes perguntas: ciente para terminar essa etapa, peça-lhes que falem
aos colegas das ideias que tiveram.
• O que esse grupo de testemunhas viu?
Peça a um ou dois alunos que falem do que sentiram
• Como as placas lhes foram mostradas?
em uma ocasião em que tenham dado o Livro de Mór-
Depois que cada grupo disser as respostas que mon a alguém; ou peça-lhes que falem da ocasião em
encontrou, peça à turma como um todo que debata que alguém lhes deu um exemplar do Livro de Mórmon.
a seguinte pergunta:
Achegamo-nos Mais ao Senhor Quando
• Por que foi importante incluir esses testemunhos no Estudamos o Livro de Mórmon em
início do Livro de Mórmon? Espírito de Oração
Sugere-se que você leia o seguinte depoimento de Peça aos alunos que prestem atenção ao sexto pará-
David Whitmer, uma das Três Testemunhas: grafo da introdução do Livro de Mórmon. Dê-lhes
tempo de pensar em histórias, temas e ensinamentos
do Livro de Mórmon que os tenham ajudado a “apro-
“Foi em junho de 1829 — mais para o final do mês.
ximarem-se” de Deus. Se quiserem, os alunos podem
(…) Não só vimos as placas do Livro de Mórmon
anotar as próprias ideias.
como também as placas de latão, as placas do Livro
de Éter, as placas que continham o registro das • Em que histórias, temas ou ensinamentos vocês
iniquidades e combinações secretas dos povos do pensaram? De que forma esses temas, histórias ou
mundo até a época em que foram escritos e muitas ensinamentos os ajudam a aproximarem-se de Deus?
outras placas. (…) Foi como se nos aparecesse uma
Sugere-se que você escolha alguns temas, histórias
mesa sobre a qual havia muitos registros ou placas
e ensinamentos citados pelos alunos e conduza um
além das placas do Livro de Mórmon, ali também
debate a esse respeito. Você poderia, por exemplo,
estava a espada de Labão, o guia, isto é, a esfera de
perguntar:
Leí, e os Intérpretes [Urim e Tumim]. Eu os vi (…) e
ouvi a voz do Senhor perfeitamente distinta decla- • O que podemos aprender com o exemplo das pes-
rando que os registros das placas do Livro de Mór- soas dessa história?
mon foram traduzidos pelo dom e poder de Deus” • Em que outras partes do Livro de Mórmon esse tema
(Contributor, agosto de 1884, p. 403). ocorre? Em sua opinião, por que esse tema é repe-
tido tantas vezes no livro?

7
Capítulo 1

• Como esse ensinamento ajuda-nos a centralizar Preste seu testemunho do poder do Livro de Mórmon.
nossa vida em Cristo? Incentive os alunos a expandirem o próprio teste-
munho estudando em espírito de oração ao longo
Peça aos alunos que falem de como estudar o Livro de
deste curso.
Mórmon já os ajudou a achegarem-se ao Senhor.

8
Capítulo 2 1 Néfi 1–5
1 Néfi 1–5

Introdução de escritura e peça-lhes que a leiam para responder as


perguntas abaixo.
Os profetas recebem revelações do Pai Celestial para
Seus filhos (ver Amós 3:7    ) e as escrituras preser- 1 Néfi 1:4–11
vam as palavras dos profetas para as gerações futuras. 1 Néfi 1:12–17
As escrituras registradas em 1 Néfi ilustram um padrão
que se repete na vida de muitos profetas: Leí orou, 1 Néfi 1:18–20
recebeu uma revelação na qual viu o Salvador, alertou • De que forma o que aconteceu com Leí é seme-
o povo e foi rejeitado por muitos dos que o ouviram, lhante ao que aconteceu com outros profetas?
e muitos deles tentaram tirar-lhe a vida (ver 1 Néfi
• Que paralelos vocês veem entre a visão de Leí e as
1:5–20). Será bom que os alunos percebam esse padrão
coisas que posteriormente aconteceram com o Pro-
na vida de Leí bem como na vida de outros profetas
feta Joseph Smith?
antigos e na do Profeta Joseph Smith.
• De que Leí advertiu o povo?
Os cinco primeiros capítulos de 1 Néfi proporcio-
nam aos alunos a oportunidade de passar a ter maior Peça que os grupos digam ao restante da turma o que
apreço às palavras dos profetas e às sagradas escrituras leram a respeito de Leí e que respostas encontraram
que as preservam. para as perguntas.
• Que advertências o Presidente da Igreja fez recente-
Alguns Princípios e Doutrinas mente?
• O Senhor chama profetas para alertar Seus filhos e
• De que forma a reação que as pessoas têm hoje às
testificar-lhes a verdade (ver 1 Néfi 1:4–20; 2:2).
palavras do profeta é comparável à reação das pes-
• O Senhor concede sua terna misericórdia a quem soas à mensagem de Leí?
tem fé Nele (ver 1 Néfi 1:14, 20).
• O que faz vocês confiarem que podem seguir os
• O Senhor nos proporciona meios de guardar Seus conselhos do profeta?
mandamentos (ver 1 Néfi 2:11–20; 3:7–28; 4:1–38; 5:8).
• As escrituras preservam a palavra do Senhor
1 Néfi 1:14, 20. O Senhor Concede Sua Terna
Misericórdia a Quem Tem Fé Nele
(ver 1 Néfi 5).
Peça que os alunos leiam 1 Néfi 1:20 e reparem no que
Sugestões Didáticas Néfi promete que nos mostrará (ver também versí-
culo 14). Sugira aos alunos que destaquem as palavras
1 Néfi 1:4–20; 2:2. O Senhor Chama Profetas “ternas misericórdias do Senhor” nas escrituras. Peça-
para Alertar Seus Filhos e Testificar-lhes a
lhes que abram em Morôni 10:3 e descubram o que
Verdade
Morôni nos exorta a lembrar e meditar. (No primeiro
Peça aos alunos que falem de como lidaram com os
capítulo do Livro de Mórmon, Néfi promete que nos
alertas que receberam anteriormente. As seguintes per-
mostrará as ternas misericórdias do Senhor. No capítulo
guntas podem ser úteis:
final do livro, Morôni exorta os leitores a lembrarem-se
• Quais são algumas advertências ou alertas que “de quão misericordioso tem sido o Senhor”.)
poderíamos receber?
Peça aos alunos que vejam a declaração do Élder
• Por que às vezes não atendemos a essas advertên- David A. Bednar, na página 13 do manual do aluno.
cias apesar de sabermos que deveríamos atendê-las? (Essa declaração também se encontra no DVD que
Leí foi fiel a seu chamado profético e advertiu o acompanha o curso A . Caso você pretenda utilizar o
povo de Jerusalém de acordo com as revelações que DVD, assista ao segmento de vídeo com antecedência
recebera. Para ajudar os alunos na recapitulação das para preparar-se para interrompê-lo para debate em
advertências de Leí aos judeus divida a turma em dois momentos adequados.) Peça aos alunos que leiam (ou
grupos. Dê a cada grupo uma das seguintes passagens

9
Capítulo 2

escutem) os primeiros dois parágrafos da declaração e 4. Saliente que, como ensina o versículo 20, muitas
procurem respostas para esta pergunta: vezes o Senhor manifesta Suas ternas misericórdias
libertando-nos ou livrando-nos. Divida a turma em
• O que são as ternas misericórdias do Senhor?
três grupos. Dê 1 Néfi 1–7 ao primeiro grupo, 1 Néfi
Sugere-se que você escreva no quadro as ternas mise- 8–14 ao segundo e 1 Néfi 15–22 ao terceiro. Peça-
ricórdias citadas pelo Élder Bednar: “bênçãos, força, lhes procurem exemplos de libertação lendo o cabe-
proteção, segurança, orientação, ternura, consolo, çalho dos capítulos. Anote no quadro o que eles
apoio e dons espirituais”. Observe que essas ternas encontrarem. Talvez os alunos fiquem surpresos ao
misericórdias são “muito pessoais e individuais” e que ver que quase todos os capítulos de 1 Néfi contam
as recebemos por causa do Senhor Jesus Cristo e por a história do livramento ou da libertação de uma
Seu intermédio. pessoa ou de um grupo de pessoas. Libertação e
Peça aos alunos que leiam (ou escutem) o terceiro livramento são temas centrais do Livro de Mórmon.
parágrafo da declaração do Élder Bednar: Peça-lhes • De acordo com 1 Néfi 1:20, a quem o Senhor con-
que deem outros exemplos de ternas misericórdias cede suas ternas misericórdias? (“Todos aqueles que
além dos mencionados acima. ele escolheu.”)
Para ajudar os alunos a reconhecerem as ternas mise- • De acordo com Néfi, o que faz com que alguém seja
ricórdias do Senhor registradas no Livro de Mórmon, escolhido?
sugere-se que você utilize uma ou mais das seguintes
Peça a um aluno que leia o seguinte trecho em que o
atividades:
Élder Bednar descreve como nossa fé nos prepara para
1. Se os alunos conhecerem a história contada em 1 Néfi ser escolhidos para receber as ternas misericórdias do
1–5, peça-lhes que mencionem exemplos encon- Senhor. Ajude os alunos a perceberem como nosso
trados nesses capítulos que demonstrem as ternas emprego do arbítrio, ou do poder de escolha, afeta
misericórdias do Senhor que sejam bênçãos pessoais nossa capacidade de receber essas bênçãos. (Sugere-se
e individuais. À medida que eles mencionarem dife- que você copie essa citação no quadro antes da aula.)
rentes passagens, anote a referência no quadro.
2. Caso os alunos não conheçam bem essa história, “É nosso coração, nossas aspirações e nossa obe-
dê a eles alguns minutos para examinar 1 Néfi 1–5 diência que determinam definitivamente se somos
à procura de exemplos de ternas misericórdias do contados entre os escolhidos de Deus.
Senhor. Encontramos exemplos em 1 Néfi 2:16, em
(…) Os propósitos fundamentais do dom do
que Néfi diz que o Senhor fez com que seu cora-
arbítrio eram o de amar uns aos outros e de esco-
ção se enternecesse em resposta a suas orações, e
lher a Deus. Assim, tornamo-nos os escolhidos
em 1 Néfi 3:8, em que Leí alegrou-se ao saber que
de Deus e convidamos Suas ternas misericórdias
seu filho fora abençoado pelo Senhor. À medida
ao usarmos nosso arbítrio para escolher a Deus”
que eles mencionarem diferentes passagens, anote
[Conference Report, abril de 2005, 107; ou A Lia-
a referência no quadro. Depois, peça-lhes que
hona, maio de 2005, p. 101; grifo do autor (tradu-
leiam as passagens em voz alta e falem o que pen-
ção atualizada)]. 
sam delas.
3. Peça aos alunos que pensem em passagens que
falam das ternas misericórdias do Senhor ao longo • Em sua opinião, o que significa “escolher a Deus”? 
de todo o Livro de Mórmon. À medida que eles • De que formas vocês já empregaram o arbítrio para
mencionarem diferentes passagens, anote a refe- amar ao próximo e escolher a Deus?
rência no quadro. Depois, peça-lhes que leiam as
passagens em voz alta e falem o que pensam delas.

10
1 Néfi 1–5

• Em sua opinião, qual é a relação entre o amor ao aos alunos que contem suas conclusões ao restante
próximo e o arbítrio? da turma.
• Em que ocasiões vocês perceberam que vocês Recapitule brevemente as primeiras tentativas de
mesmos ou algum conhecido seu foram abençoa- obtenção das placas (ver 1 Néfi 3:10–21 e 1 Néfi
dos com livramento, libertação ou com as ternas 3:22–28). Ajude os alunos a compararem a forma
misericórdias do Senhor? (Sugere-se que você forme como Lamã e Lemuel reagiram ao que aconteceu
duplas de alunos para que eles conversem sobre com a forma como Néfi e Sam reagiram. 
essas experiências. Depois de lhes dar tempo para
Sugere-se que você saliente que um dos motivos que
conversar, sugere-se que você peça que alguns deles
levava Néfi a ter fé na capacidade de Deus para abrir-
falem de algo que aprenderam com a outra pessoa
lhes o caminho era o fato de ele acreditar nas histórias
da dupla.)
das escrituras. Leia 1 Néfi 4:2 com os alunos.
1 Néfi 2:11–20; 3:7–28; 4:1–38; 5:8. O Senhor • Como a história citada nesse versículo exemplifica o
Providencia um Meio de Guardarmos os princípio encontrado em 1 Néfi 3:7?
Mandamentos
• Qual a relação entre essa história e a situação da
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 3:1–5.
família de Leí?
• Que mandamento Leí e seus filhos recebem nesses
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 3:28–4:38 e des-
versículos?
cubram exemplos de como Deus ajudou Néfi a realizar
• Em sua opinião, por que Lamã e Lemuel disseram
aquilo que lhe fora ordenado, ainda que isso parecesse
que esse mandamento era uma “coisa difícil”?
impossível. Peça-lhes que citem alguns exemplos que
Ao falar desse assunto você poderia mencionar que a encontrarem na leitura. (Alguns exemplos encon-
distância de Jerusalém ao Mar Vermelho é de aproxi- tram-se em 1 Néfi 3:29; 4:6–7, 10–11, 20, 31.)
madamente 290 quilômetros. Leí e sua família viaja- • Que experiências demonstraram a vocês que a
ram por três dias para além desse ponto (ver 1 Néfi afirmação de 1 Néfi 3:7 é verdadeira? Como essas
2:5–6). Isso significou uma viagem de no mínimo 12 experiências influenciaram sua fé no Senhor? 
a 14 dias de Jerusalém até sua parada temporária no
vale de Lemuel (ver o mapa da página 438 do manual 1 Néfi 5. As Escrituras Preservam a Palavra
do aluno). do Senhor
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 5:10–16 e façam no
Peça a alguém que leia ou recite 1 Néfi 3:7    .
quadro uma lista do que as placas de latão continham.
(Caso os alunos não saibam esse versículo de cor,
sugere-se que você peça-lhes que formem duplas • De acordo com 1 Néfi 5:17, como o estudo das escri-
para memorizá-lo.) turas afetou Leí?
• Em sua opinião, por que Néfi sabia que Deus prepa- • Em sua opinião, por que o estudo das coisas men-
raria um meio? cionadas nos versículos 10–16, encontradas nas
placas de latão, proporcionaria as bênçãos citadas
Caso ache que a turma se beneficiaria de observar a no versículo 17?
diferença entre a atitude de Néfi e Sam e a de Lamã
• Como Leí e Néfi demonstraram que davam valor às
e Lemuel, peça que metade da classe estude 1 Néfi
escrituras?
2:11–14 em silêncio. Peça a esses alunos que se con-
centrem nas indicações dos motivos que teriam levado • O que podemos fazer para demonstrar que damos
Lamã e Lemuel a reagirem negativamente a esse man- valor às escrituras?
damento de Deus. Peça ao restante da turma que leia
Explique aos alunos que mais de 300 anos depois de
os versículos 16–20 para descobrir por que Néfi e Sam
Leí e sua família terem deixado Jerusalém, seus des-
estavam mais dispostos a obedecer ao Senhor. Peça
cendentes descobriram outro grupo de pessoas cujos

11
Capítulo 2

antepassados também haviam fugido de Jerusalém. • De que forma o fato de as placas de latão terem
Esse grupo, que agora vivia em uma cidade a que cha- sido preservadas foi benéfico para o rei Benjamim e
mavam Zaraenla, não levara consigo as escrituras. Peça seu povo?
aos alunos que leiam Ômni 1:14–17. • O que podemos fazer para preservar as escrituras para
• O que aconteceu à fé e ao idioma desse povo nosso próprio benefício e para o de nossa família?
devido a não disporem das escrituras? Em sua opi-
Peça aos alunos que falem do que sentem quando
nião, por que a falta de escrituras causaria isso?
estudam fielmente o Livro de Mórmon. Você também
• O que eles sentiram quando souberam que Mosias e poderia sugerir que eles escrevessem uma breve carta a
seu povo tinham as escrituras? um parente ou a um(a) futuro(a) filho ou filha falando
do quanto o Livro de Mórmon é importante para eles.
Explique-lhes que o povo de Zaraenla e os nefitas uni-
Sugira que também mencionem o que sentem quando
ram-se sob o governo de Mosias. Depois da morte de
estudam o Livro de Mórmon.
Mosias, seu filho Benjamim passou a ser o rei.
Incentive os alunos a estudar o Livro de Mórmon
Peça aos alunos que leiam Mosias 1:1–5. Esses ver-
diariamente e a lê-lo ou relê-lo por inteiro ao longo
sículos incluem as palavras do rei Benjamim a
do curso.
seus filhos.

12
Capítulo 3 1 Néfi 6–11
1 Néfi 6–11

Introdução Para dar aos alunos uma ideia do quanto o Livro de


Mórmon ensina a respeito do Salvador, peça-lhes que
No capítulo 6 de 1 Néfi, Néfi declara que tudo o que
abram o Guia para Estudo das Escrituras no verbete
ele desejava era persuadir as pessoas a achegarem-se
“Jesus Cristo” e observem quantas passagens do Livro
a Cristo e serem salvas (ver versículo 4). Nos capítulos
de Mórmon falam de Cristo.
8 e 11 de 1 Néfi, ele registra a visão da árvore da vida
de forma a reforçar essa declaração. Enquanto orienta Incentive os alunos a falarem a familiares e amigos do
o debate, você poderia ajudar os alunos a verem como quanto o Livro de Mórmon fortaleceu a fé que eles têm
os elementos da visão aplicam-se a eles mesmos. Você em Jesus Cristo.
também poderia ajudá-los a aprender com o processo
1 Néfi 7:1–5. O Casamento no Convênio Foi
de preparação pessoal pelo qual Néfi passou para rece-
Preparado para que os Filhos Sejam Criados
ber essas revelações.
para o Senhor
Alguns Princípios e Doutrinas Escreva a seguinte série de perguntas no quadro ou
prepare cópias para os alunos:
• O Livro de Mórmon foi escrito para persuadir as
pessoas a achegarem-se a Cristo (ver 1 Néfi 6).
• O que o Senhor disse que os filhos de Leí deviam fazer
• O casamento no convênio foi preparado para que os antes de continuar a jornada pelo deserto rumo à terra
filhos sejam criados para o Senhor (ver 1 Néfi 7:1–5). prometida? (Ver 1 Néfi 7:1.)

• Para receber a vida eterna, temos de achegar-nos a • De acordo com 1 Néfi 7:1, qual o motivo desse manda-
mento?
Jesus Cristo (ver 1 Néfi 8; 11).
• Pelo poder do Espírito Santo, Deus revela a verdade • Que palavras ou expressões dos versículos 1–2 de
1 Néfi 7 indicam que o Senhor considera o casamento
a todos os que O buscam diligentemente (ver 1 Néfi importante?
10:17–22; 11:1–8).
• Em sua opinião, de que forma a viagem anterior a
Jerusalém ajudou os filhos de Leí a prepararem-se
Sugestões Didáticas para criarem seus filhos “para o Senhor”? (Ver 1 Néfi
1 Néfi 6. O Livro de Mórmon Foi Escrito para 5:21–22.)
Persuadir as Pessoas a Achegarem-se a Cristo
Mostre alguns livros adequados que sejam familiares Peça aos alunos que procurem as respostas nos
aos alunos. Ao mostrar cada livro, pergunte: versículos indicados. Depois de dar-lhes tempo para
procurarem as respostas nas escrituras, peça-lhes que
• Em sua opinião, que objetivo o autor tinha em
digam a todos o que encontraram. Depois, peça-lhes
mente ao escrever este livro?
que debatam as seguintes questões:
Escreva no quadro 1 Néfi 6. Depois, mostre um exem-
• O que ajudaria o marido e a mulher a terem maiores
plar do Livro de Mórmon e pergunte:
probabilidades de criar os filhos “para o Senhor”?
• Que objetivo Néfi tinha em mente ao preparar • De que forma o casamento no templo contribui para
seus escritos? que criemos os filhos “para o Senhor”?
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 6. Peça-lhes que • Como vocês poderiam preparar-se agora para ter um
digam em suas próprias palavras qual era o objetivo casamento assim? 
de Néfi. (Talvez seja preciso explicar o significado da
Leia ou peça a um aluno que leia a seguinte declara-
expressão “o Deus de Abraão e o Deus de Isaque e o
ção do Élder Richard G. Scott, do Quórum dos Doze
Deus de Jacó”. Ver a declaração do Presidente Ezra Taft
Apóstolos:
Benson, na página 20 do manual do aluno.)
• O que o Livro de Mórmon lhes ensinou sobre
Jesus Cristo?

13
Capítulo 3

que você faça uma cópia das listas de perguntas para


“Quando tiver idade e maturidade suficientes, entregar aos grupos.) Peça-lhes que leiam os versículos
receba todas as ordenanças do templo que puder. que lhes foram dados e debatam as questões em grupo
Se neste momento elas não incluem o selamento e preparem-se para conduzir um breve debate com
no templo com um companheiro digno, seja digno o restante da classe. Ao discutirem as perguntas em
de ser selado. Ore por isso. Exerça fé para con- grupo e em sua explanação à classe, os alunos devem
segui-lo. Jamais faça nada que venha a torná-lo ajudar-se mutuamente a descobrir os significados dos
indigno. Caso a visão do casamento eterno tenha símbolos da visão da árvore da vida e a encontrar
se apagado, reacenda-a” (Conference Report, abril aplicações modernas para eles. Os grupos podem usar
de 2001, p. 6; ou A Liahona, julho de 2001, p. 7). as perguntas para debate que você fornecer e também
podem criar suas próprias perguntas. Dê tempo sufi-
ciente para que os grupos leiam e discutam as passa-
• Como podemos ter fé na obtenção de um casamento
gens e preparem-se para conduzir um debate com a
celestial?
classe. Peça a cada grupo que escolha um porta-voz
Explique aos alunos que o Senhor colocou o convênio para liderar esse debate com a classe. 
do casamento como pré-requisito para que os filhos de Observe que a declaração do Élder Neal A. Maxwell,
Leí fossem para a terra prometida. Ele também colo- utilizada pelo primeiro grupo, está disponível no DVD
cou esse convênio como requisito para a exaltação no que acompanha o curso e que pode ser usada para
maior grau do reino celestial (ver D&C 131:1–3). ajudar esse grupo. A .
Preste testemunho do grande plano de felicidade e do
Grupo 1
papel do casamento eterno nesse plano.
1 Néfi 8:10–12; 11:8–25; 15:36; D&C 14:7 (a árvore e
1 Néfi 8; 11. Para Receber a Vida Eterna, Temos
o fruto)
que Achegar-nos a Jesus Cristo
Desenhe uma árvore frutífera no quadro.  • Em sua opinião, por que a árvore é um símbolo
adequado do amor de Deus?
Ao lado dela, faça uma lista das seguintes referências
de escrituras: • Quando Néfi perguntou o que a árvore significava,
o Espírito mostrou-lhe o nascimento e o ministério
Grupo 1 do Salvador. Como a vida e a missão do Salvador
1 Néfi 8:10–12; revelam o amor que Deus tem por nós? (Para mos-
11:8–25; 15:36; trar a relação entre a árvore da vida, o amor de Deus
D&C 14:7 e a Expiação de Jesus Cristo, leiam a declaração
Grupo 2 do Élder Neal A. Maxwell da página 23 do manual
do aluno.)
1 Néfi 8:21–28, 31–34;
11:35–36; 12:16–18; O Élder David A. Bednar ensinou que “o fruto da
15:26–28
árvore é um símbolo das bênçãos da Expiação do
Grupo 3 Salvador” (“Um Reservatório de Água Viva”, Serão do
1 Néfi 8:19–20, 30; SEI para os Jovens Adultos, 4 de fevereiro de 2007, p.
11:25; 15:23–24 6, LDSces​.org). Examinando 1 Néfi 15:36 e Doutrina e
Convênios 14:7    , vemos a relação entre o fruto da
Divida a turma em três grupos. Encarregue cada grupo árvore e a vida eterna.
de um dos conjuntos de referências anotados no quadro. • Em sua opinião, por que o fruto é um bom símbolo
Também dê a cada grupo as perguntas abaixo que cor- para as bênçãos da Expiação?
respondam aos versículos que receberam. (Sugere-se

14
1 Néfi 6–11

Grupo 2
“Com um conhecimento de Deus, começamos a
1 Néfi 8:21–28, 31–34; 11:35–36; 12:16–18; 15:26–28 (a saber como dirigir-nos a Ele e como perguntar de
névoa de escuridão e o edifício grande e espaçoso) modo a obter resposta.
• Atualmente, quais seriam algumas coisas que fariam Quando compreendemos o caráter de Deus e
parte da “névoa de escuridão”? Como essa névoa sabemos como achegar-nos a Ele, Ele começa
leva as pessoas a tomarem “caminhos proibidos”? a revelar-nos o céu e a contar- nos tudo a esse
• Como essas influências impedem que as pessoas se respeito. Quando estivermos prontos para ache-
acheguem ao Salvador? gar-nos a Ele, Ele estará pronto para achegar-Se
• Por que as pessoas do “grande e espaçoso edifício” até nós” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja:
conseguiram convencer alguns a saírem de perto Joseph Smith, p. 44).
da árvore da vida? Nos dias de hoje, quais seriam
alguns exemplos desse edifício?
Peça aos alunos que estudem 1 Néfi 10:17–22; 11:1–8 à
• Em 1 Néfi 8, qual é a diferença entre as pessoas procura de princípios que possam ajudá-los a aprender
mencionadas nos versículos 30 e 33 e as menciona- por meio do poder do Espírito Santo. (Sugere-se que
das nos versículos 24, 25 e 28? você divida a turma em duplas para que todos os alunos
tenham oportunidade de falar do que encontraram.)
Grupo 3
Depois de dar-lhes tempo suficiente, use estas per-
1 Néfi 8:19–20, 30; 11:25; 15:23–24 (a barra de ferro e o
guntas para ajudá-los a falar do que encontraram ao
caminho estreito e apertado)
restante da turma:
• Por que algumas pessoas conseguiram atravessar a
• O que Néfi queria saber?
névoa de escuridão e chegar à árvore da vida?
• De acordo com 1 Néfi 10:17, como Néfi se preparou
• Como a palavra de Deus nos protege do perigo?
para receber uma resposta?
Como a palavra de Deus nos leva ao Salvador?
• Como a experiência de Néfi pode ajudar-nos a saber
• Onde podemos encontrar a palavra de Deus?
o que fazer para receber revelações pessoais?
1 Néfi 10:17–22; 11:1–8. Pelo Poder do Espírito Anote estas perguntas no quadro:
Santo Deus Revela a Verdade a Todos os Que O
Buscam Diligentemente
• Como o Espírito Santo revela a verdade? (Ver D&C
Escreva no quadro: As revelações são concedidas pelo 8:2–3).
poder do Espírito Santo.
• O que pode impedir que sejamos orientados pelo Espí-
Ajude os alunos a compreenderem que eles, assim rito Santo?
como Néfi, podem passar por experiências espirituais
nas quais verdades divinas lhes sejam reveladas. Essas Peça aos alunos que vejam a declaração do Élder
experiências sagradas serão exclusivamente deles e David A. Bednar, na página 26 do manual do aluno
específicas para a situação em que se encontram. Para (também disponível no DVD que acompanha o curso
dar-lhes uma ideia das bênçãos que podem receber, B ). Antes da leitura da declaração peça que todos

leia as seguintes declarações do Profeta Joseph Smith: prestem atenção para encontrar as respostas para as
perguntas do quadro. Depois da leitura, peça aos alu-
“Ninguém pode receber o Espírito Santo sem rece- nos que digam quais são as respostas.
ber revelações. O Espírito Santo é um revelador” Incentive-os a pensar na própria vida e encontrar
(Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph algum princípio que os ajudaria a ser mais abertos à
Smith, 2007, p. 139). revelação pessoal. Peça-lhes que escrevam um pouco
sobre esse princípio no diário ou nas escrituras. 

15
Capítulo 3

Preste testemunho de que o Espírito nos ajudará se nos Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 11:26–34. Sugira que,
empenharmos diligentemente em aprender a verdade. à medida que lerem os versículos, marquem ou anotem
os acontecimentos que demonstram a condescendên-
1 Néfi 11:16–34. A Condescendência de Jesus
cia do Salvador. Depois da leitura, peça-lhes que digam
Cristo Demonstra o Amor de Deus
o que encontraram e comentem por que marcaram
Peça aos alunos que encontrem a palavra condes-
aqueles acontecimentos específicos.
cendência em 1 Néfi 11:16 e 26. Sugere-se que você
marque esse versículo. Explique-lhes que essa palavra • Como o ministério mortal do Salvador ajuda-nos a
poder ser definida como um ato em que se renuncia compreender o amor de Deus?
a um estado de superioridade e se desce de um grau Preste seu testemunho de como, por meio do Salva-
mais elevado e se coloca no mesmo nível de outro dor, podemos ver o amor do Pai Celestial. Incentive os
(ver a etimologia e a definição da palavra em Dicioná- alunos a falarem a familiares e amigos do quanto são
rio Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa, versão gratos pelo perfeito amor que Deus nos tem.
2.0.1, 2007).
• Como essa palavra aplica-se à missão do Salvador?

16
Capítulo 4 1 Néfi 12–15
1 Néfi 12–15

Introdução • Em sua opinião, por que é importante saber que


Satanás organiza suas forças para afastar-nos
Depois que lhe foi revelado o significado da visão da
de Deus?
árvore da vida, Néfi recebeu uma visão panorâmica do
futuro. Viu a terra prometida que sua família colonizaria. • O anjo disse a Néfi que existiam apenas duas igrejas
Viu períodos de discórdia, guerras e pecado e períodos (ver 1 Néfi 14:10). Em que sentido essa afirmação é
de retidão e paz entre seus descendentes e os de Lamã e verdadeira? Como podemos ter certeza de que per-
Lemuel. Viu o ministério do Salvador na América. Tam- tencemos à Igreja do Cordeiro de Deus?
bém viu a Grande Apostasia, a Restauração do evange-
1 Néfi 13:20–42. O Senhor Restaurou
lho, a guerra constante de Satanás contra a verdade e o
Verdades Claras e Preciosas para Nos
papel central de Jesus Cristo como Salvador do mundo. Ajudar a Achegar-nos a Ele
Com a leitura e a troca de ideias sobre a visão de Néfi e
Peça aos alunos que imaginem que foram ao médico
o triunfo final do reino de Deus, que vencerá Satanás, os
porque estão doentes. O médico os examina, descobre
alunos podem encontrar consolo no fato de que o Senhor
qual a doença e receita um remédio de manipulação,
se lembrará dos convênios com os santos. Você pode
mas na hora de preparar o remédio o farmacêutico
assegurar-lhes que, a despeito das ameaças do diabo e
altera a fórmula prescrita pelo médico.
daqueles de seu reino, Deus está no controle e fortalecerá
os fiéis seguidores que participam de Sua obra. • Em sua opinião, como essa alteração pode afetar sua
saúde? 
Alguns Princípios e Doutrinas Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 13:20–29. Depois faça
• O diabo fundou a “grande e abominável igreja” para
as seguintes perguntas:
perverter “os caminhos retos do Senhor” (ver 1 Néfi
13:1–9, 26–29; 14:9–13). • Como essa história é comparável ao exemplo do
farmacêutico que altera os componentes da fórmula
• O Senhor restaurou verdades claras e preciosas para
do remédio receitado pelo médico?
nos ajudar a achegar-nos a Ele (ver 1 Néfi 13:20–42).
• O versículo 23 fala da Bíblia. Que palavras desse
• A oração leva às revelações (ver 1 Néfi 15:1–11).
versículo referem-se à Bíblia?
• O Senhor lembra-Se dos convênios que fez com a
• De acordo com os versículos 23–25, o que a Bíblia
casa de Israel (ver 1 Néfi 15:12–20).
continha quando foi escrita?
Sugestões Didáticas • Quem fez as alterações mais críticas no texto da
Bíblia? O que foi removido? Por que essas coisas foram
1 Néfi 13:1–9, 26–29; 14:9–13. O Diabo Fundou
removidas ou alteradas? (Ver os versículos 26–29.)
a “Grande e Abominável Igreja” para Perverter
“os Caminhos Retos do Senhor” Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 13:34–39.
Explique aos alunos que Néfi teve uma visão do futuro
• De acordo com esses versículos, o que precisava ser
de seu povo e do povo de Lamã e Lemuel. Nessa oca-
restaurado?
sião ele viu “a formação de uma grande igreja” (1 Néfi
13:4). Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 13:5–9, 26–29 à • Além do Livro de Mórmon, a que “outros livros” o
procura das características dessa igreja. Anote as carac- versículo 39 pode referir-se?
terísticas encontradas no quadro (ou peça a um aluno • Que influência as verdades do Livro de Mórmon
que o faça). e de outras escrituras modernas tiveram sobre seu
testemunho?
Explique-lhes que as expressões “grande e abominável
igreja”e “igreja do diabo” não se referem a uma igreja Peça aos alunos que abram o manual do aluno nas
propriamente dita. Para ajudá-los a compreender isso, páginas 31–32 e leiam o que o Presidente James E.
peça-lhes que leiam a declaração do Élder Bruce R. Faust e o Guia para Estudo das Escrituras dizem
McConkie na página 29 do manual do aluno. quanto a onde é possível encontrar as verdades claras

17
Capítulo 4

e preciosas que foram restauradas em nossos dias. (As compreendiam os ensinamentos do pai. Anote as
palavras do Presidente Faust também se encontram no respostas no quadro.
DVD que acompanha o curso A .)
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 15:6–9. Peça aos alu-
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 13:40–41. nos que pensem em que aspectos as pessoas de hoje
são semelhantes a Lamã e Lemuel no que se refere
• Como o Livro de Mórmon confirma a veracidade da
a Deus.
Bíblia? (Ver também Mórmon 7:8–9).
• Em sua opinião, o que significa dizer que o Livro de Sugere-se que você saliente que muitas pessoas pas-
Mórmon e a Bíblia foram “reunidos num só”? sam pela vida sem tentar qualificarem-se para ouvir a
voz da inspiração. Muitas dessas pessoas não são más
• Como podemos usar o Livro de Mórmon para testifi-
nem rebeldes, mas simplesmente não tentam saber
car as verdades da Bíblia?
qual é a vontade do Senhor nem agir de acordo.
1 Néfi 14. O Reino de Deus Triunfará nos Leia as declarações do Profeta Joseph Smith da
Últimos Dias página 33 do manual do aluno. Depois faça as seguin-
Pergunte aos alunos o que acham que um profeta tes perguntas:
antigo diria quanto à situação espiritual de nossa época
• De que forma Néfi era um exemplo desses princí-
se tivesse uma visão de nossos dias. Anote no quadro o
pios?
resumo das respostas.
• O que aconteceu devido ao desejo que ele tinha de
Peça aos alunos que passem os olhos por 1 Néfi 14
conhecer as coisas de Deus?
para comparar suas respostas à visão que Néfi teve
dos últimos dias. Talvez seja preciso ajudar os alunos a • Que promessa o Senhor fez quanto à nossa capa-
perceberem que Néfi também falou de força espiritual cidade de conhecer as coisas do Senhor? (Durante
bem como de destruição e cativeiro espiritual (ver por o debate, sugere-se que você peça aos alunos que
exemplo os versículos 7, 14 e 17). leiam algumas das seguintes escrituras, ou todas
elas: Tiago 1:5    ; 1 Néfi 10:19; D&C 88:63–64;
Antes, nessa mesma visão Néfi contemplou a destrui- 121:26–33.)
ção de seus descendentes, mas a esta altura, o que ele
• Em nosso empenho em conhecer a vontade de
viu foi o triunfo do reino de Deus. Peça aos alunos que
Deus, quais são algumas coisas específicas que
leiam 1 Néfi 14:10–17.
poderíamos fazer para ser mais semelhantes a Néfi
• De acordo com a visão de Néfi, onde a Igreja do e menos semelhantes a Lamã e Lemuel?
Cordeiro se encontraria nos últimos dias? Qual seria
Leia 1 Néfi 15:10–11 com os alunos. Peça-lhes que
seu tamanho quando comparada ao mundo como
encontrem quatro coisas que Néfi disse que Lamã e
um todo? (Ver versículo 12.)
Lemuel precisavam fazer para que o Senhor lhes desse
• Como os maus e os mundanos reagiriam à Igreja do
entendimento espiritual. (Não endurecer o coração,
Cordeiro? (Ver versículo 13.)
pedir com fé, acreditar que receberiam e ser diligentes
• Citem as duas armas que a Igreja do Cordeiro teria em guardar os mandamentos.)
para proteger-se? (Ver versículo 14.)
• Como essas quatro coisas nos ajudam a receber res-
• Por que é importante que saibamos que, no final, a postas para nossas orações?
obra de Deus triunfará?
• Como saber disso ajudou Néfi a enfrentar as prova- 1 Néfi 15:12–20. O Senhor Lembra-Se dos
ções e os acontecimentos trágicos da vida? Convênios Que Fez com a Casa de Israel
Um tema recorrente no Livro de Mórmon é o de que
1 Néfi 15:1–11. A Oração Leva a Revelações o Senhor Se lembra dos convênios que fez com a casa
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 15:1–3 e expli- de Israel. No final, Israel será coligada e redimida pelo
quem por que, na opinião deles, Lamã e Lemuel não Salvador. Sugira aos alunos que fiquem atentos às

18
1 Néfi 12–15

afirmações dessa verdade que se encontram ao longo o que esses versículos dizem. Sugere-se que você faça
de todo o Livro de Mórmon. Sugere-se que você men- perguntas como estas:
cione que o símbolo da oliveira encontrado em 1 Néfi
• Como pessoas podem ser “enxertadas”, ou coligadas,
15 reaparece na alegoria da oliveira em Jacó 5.
à medida que passam a “conhecer seu Redentor”?
De acordo com 1 Néfi 15:7, Lamã e Lemuel não conse- • Em sua opinião, por que é importante compreender
guiam compreender que elementos dos ensinamentos “os pontos essenciais de sua doutrina”?
de Leí?
• Como somos nutridos por meio de nossa associação
Escreva no quadro a palavra oliveira. Peça aos alunos com a Igreja?
que leiam 1 Néfi 15:12 e descubram o que a oliveira
Peça aos alunos que falem de como foram “enxertados”
representa.
na Igreja ou de uma ocasião em que ajudaram alguém a
• O que a oliveira representa? (Escreva no quadro: oli- receber essa bênção.
veira = casa de Israel.)
1 Néfi 15:24. A Palavra de Deus Nos Fortalece
• Em que sentido os descendentes de Leí foram “des-
para Resistir aos Dardos Ardentes do Diabo
membrados da casa de Israel”?
Peça aos alunos que abram em 1 Néfi 15:24 e sublinhem
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 15:13. a expressão “ardentes dardos”. Depois, peça-lhes que
• De acordo com Néfi, quando o evangelho seria comparem e cruzem essa referência com a de Efésios
levado aos descendentes de Leí? Quem levaria o 6:16 e Doutrina e Convênios 27:17.
evangelho a eles? • Quais são alguns “dardos ardentes” que enfrentamos
no mundo de hoje?
Escreva no quadro a palavra gentios. Explique-lhes que
essa palavra tem diversos significados. Pode referir-se • De acordo com 1 Néfi 15:24, o que acontecerá se
aos povos não israelitas, aos povos não judeus ou às sucumbirmos aos dardos ardentes de Satanás?
nações que não têm o evangelho (ver “gentios” no • De que forma a palavra de Deus pode ajudar-nos a
Guia para Estudo das Escrituras, scriptures​.LDS​.org; ver resistir aos dardos ardentes do adversário?
também D&C 109:60–62). Peça aos alunos que voltem a
Sugere-se que você resuma esse princípio com a
1 Néfi 15:13. Nesse versículo, essa palavra refere-se aos
seguinte declaração do Élder Neal A. Maxwell (1926–
santos dos últimos dias que, na época da Restauração
2004), do Quórum dos Doze Apóstolos, (também dispo-
faziam parte de uma nação gentia. Leia as declarações
nível no DVD que acompanha o curso. B ).
do Élder Bruce R. McConkie nas páginas 33–34 do
manual do aluno.
“O verdadeiro discípulo [resiste] aos dardos arden-
Chame a atenção dos alunos para a expressão “enxerto tes do adversário empunhando o forte escudo da
dos ramos naturais”. fé com uma mão, enquanto se agarra à barra de
• O que significa enxertar ramos? ferro com a outra (ver Efésios 6:16; 1 Néfi 15:24;
D&C 27:17). Não deve haver dúvida de que exi-
Se preciso, explique aos alunos que dizemos que um
girá as duas mãos!” (Conference Report, abril de
ramo foi enxertado em uma árvore quando inserimos
1987, p. 87; ou A Liahona, julho de 1987, p. 71).
nessa árvore o ramo de outra. O ramo enxertado passa
a ser nutrido pela árvore que o recebeu e passa a ser
parte integral e permanente dela. Peça aos alunos que falem de como sua fé e seu enten-
Diga aos alunos que 1 Néfi 15:14 explica como os dimento das escrituras os ajudaram a resistir a tentações.
descendentes de Leí seriam enxertados na oliveira, ou Preste testemunho do quanto as escrituras são impor-
seja, na casa de Israel. Peça aos alunos que leiam 1 Néfi tantes e de como elas nos ajudam a resistir aos dardos
15:14–16. Peça-lhes que resumam nas próprias palavras ardentes de Satanás.

19
Capítulo 5
Capítulo 5
1 Néfi 16–18

Introdução
1 Néfi 16:10 “Uma [agulha] indicava-nos o
O Senhor ajudou a família de Leí ao longo de toda sua caminho a seguir no deserto.”
jornada pelo deserto e da travessia do oceano. Ao estu-
darem a história dessa viagem, os alunos encontrarão 1 Néfi 16:16 “[A] esfera (…) nos levou
aos lugares mais férteis do
exemplos de grande fé e trágica rebelião. Verão que deserto.”
Deus fortaleceu os justos e abrandou o coração dos
iníquos. Você pode ajudá-los a compreender que os 1 Néfi 16:28 “Os ponteiros (…) moviam-se
conforme a fé e a diligência e a
desafios e as bênçãos que eles mesmos enfrentam são
atenção que lhes dávamos.”
semelhantes aos enfrentados pela família de Leí e pode
incentivá-los a seguir a inspiração do Espírito Santo, as 1 Néfi 16:29 Nessa esfera, aparecia “uma
escrituras e os conselhos de pais e líderes do sacerdó- escrita nova que era simples
de ser lida e dava-nos enten-
cio que vivem em retidão.  dimento sobre os caminhos
do Senhor”.
Alguns Princípios e Doutrinas
1 Néfi 16:29 Essa nova escrita “ era
• O Senhor orienta Seus servos fiéis (ver 1 Néfi 16;
escrita e mudada de tempos
18:12–15, 21–22). em tempos, de acordo com
• O Senhor abençoa e fortalece quem guarda Seus nossa fé e a atenção que lhe
dávamos”.
mandamentos (ver 1 Néfi 17; 18:8–25).
• Temos de preparar-nos para atender à inspiração do 1 Néfi 16:30–31 A esfera indicava-lhes onde
obter alimentos.
Espírito (ver 1 Néfi 17:7–11, 44–47; 18:1–4).

Sugestões Didáticas • Quais são algumas coisas que nos orientam na vida
de forma semelhante à Liahona? 
1 Néfi 16; 18:12–15, 21–22. O Senhor Orienta
Seus Servos Fiéis Algumas das possíveis respostas a essa pergunta são:
Mostre uma bússola para a turma (ou a figura de o Espírito Santo (ver a declaração do Élder David A.
uma bússola). Bednar nas páginas 36–37 do manual do aluno), as
Peça a um aluno que expli- escrituras (ver Alma 37:38–47), os ensinamentos dos
que em poucas palavras para profetas vivos e a bênção patriarcal. Sugere-se que
que serve a bússola. Peça a você mencione que a revista da Igreja recebeu muito
alguém que leia 1 Néfi 16:10 acertadamente o nome de Liahona ou A Liahona
e Alma 37:38. na maioria das línguas. De certa forma essa revista é
semelhante à Liahona de Leí, pois seu conteúdo ajuda-
• De que forma a Liahona nos a saber o que o Senhor quer de nós especifica-
é comparável às bússolas mente em nossa época.
utilizadas hoje? Quais são as diferenças entre a Lia-
hona e as bússolas de hoje? Enquanto os alunos citam guias semelhantes à Liahona,
faça perguntas como as seguintes:
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 16:10, 16, 28–29 e
• De que forma esses guias são semelhantes à Lia-
encontrem o maior número de funções da Liahona que
hona?
puderem. Incentive-os a marcar o que encontrarem nas
escrituras. Quando terminarem, peça-lhes que falem • De que forma eles indicam o caminho que deve-
do que encontraram. Anote no quadro o resumo das mos seguir?
ideias sugeridas por eles. Talvez algumas dessas ideias • O que poderia fazer com que não recebêssemos
sejam:  importantes mensagens desses guias?

20
1 Néfi 16–18

• A Liahona levava as pessoas “aos lugares mais • Que bênçãos vocês receberam por encararem as
férteis do deserto”. Como isso pode ser aplicado a provações da mesma forma que Néfi?
nossa vida?
Peça aos alunos que pensem nas diferentes reações
• Pensem na última frase de 1 Néfi 16:29. Sob que que tiveram a diferentes provações. Peça-lhes que pon-
aspecto esses guias podem ser considerados derem nas seguintes perguntas e que as leiam apenas
“pequenos recursos”? Quais seriam algumas “gran- em silêncio:
des coisas” que se tornam possíveis graças a esses
“pequenos recursos”? • Alguma vez diante de uma provação você agiu como
Lamã e Lemuel? Alguma vez você agiu como Leí?
Peça a um ou dois alunos que falem de alguma E como Néfi? Caso tenha agido de forma diferente
ocasião em que foram abençoados por seguirem em situações diferentes, por que isso aconteceu?
um guia assim. O que você poderia fazer para encarar melhor as
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de provações?
1 Néfi 16:15–32 e observem as diferenças entre Néfi,
1 Néfi 17; 18:8–25. O Senhor Abençoa e
Lamã, Lemuel e Leí. Você poderia sugerir que eles
Fortalece Quem Guarda Seus Mandamentos
anotassem as próprias respostas. Depois de terminada
Explique aos alunos que além de guiar Leí e sua famí-
a leitura, conduza um breve debate sobre aquilo que
lia, por meio da Liahona, o Senhor ajudou-os de outras
os alunos leram. Considere a possibilidade de fazer
maneiras: Anote estas referências de escritura no qua-
algumas destas perguntas ou todas elas:
dro:
• Qual foi a reação de Lamã e Lemuel quando o arco
de Néfi se quebrou? Qual foi a reação de Leí? Qual 1 Néfi 17:1–14
foi a reação de Néfi?
1 Néfi 17:45–55
• Em sua opinião, por que esses homens tiveram rea-
ções diferentes? 1 Néfi 18:10–25

• Que ideias lhes ocorrem devido ao fato de até


Leí ter murmurado? O que chama sua atenção na Divida a turma em três grupos. Peça a cada grupo que
forma como Néfi procurou o pai depois de fazer um leia uma das passagens à procura de manifestações
novo arco? das “ternas misericórdias” do Senhor (ver 1 Néfi 1:20).
• De que forma a reação de Néfi a essa provação Depois peça aos grupos que digam o que encontra-
influenciou sua família? Falem de como vocês já ram. Sugere-se que você anote as ideias dos alunos no
foram influenciados ao ver outras pessoas man- quadro. 
terem-se féis ao enfrentarem provações. Como a Na tentativa de convencer os irmãos de que Deus
maneira de vocês reagirem às provações influenciam queria que sua família fosse para a terra da promissão,
aqueles que os rodeiam? Néfi comparou a situação em que se encontravam à
dos filhos de Israel que saíram do Egito rumo à terra
Leia a declaração do Élder Richard G. Scott, do Quó-
prometida. Peça aos alunos que passem os olhos por
rum dos Doze Apóstolos, encontrada na página 38 do
1 Néfi 17:23–44 e procurem as semelhanças entre os
manual do aluno.
filhos de Israel e a família de Leí.
Diga aos alunos que algumas provações são conse-
• Em sua opinião, de que forma a lembrança do que
quência da desobediência, mas que a história de como
aconteceu com os filhos de Israel poderia beneficiar
o arco de Néfi se quebrou demonstra que muitas pro-
a família de Leí?
vações são simplesmente parte da vida mortal.
• De que forma você poderia se beneficiar por apren-
• Que experiências suas poderiam ser comparadas à
der a história da jornada da família de Leí e dos
história de quando o arco de Néfi se quebrou?
israelitas da Antiguidade?

21
Capítulo 5

Para ajudar os alunos a perceberem que o Senhor onde o sinal é fraco, às vezes esses locais são chama-
protege e fortalece quem vive em retidão, peça a dos de “áreas de cobertura fraca” ou se diz que o celu-
alguém que leia 1 Néfi 17:48, 52–55 em voz alta. Peça lar está “fora da área de cobertura”. Peça aos alunos
aos demais que ouçam e tentem descobrir diferentes que leiam 1 Néfi 17:45 silenciosamente e pensem no
maneiras pelas quais Deus ajudou Néfi. que fazia com que Lamã e Lemuel ficassem “fora da
área de cobertura” espiritual.  
• O que acabou por abrandar o coração de Lamã
e Lemuel? • Em sua opinião, o que significa perder a sensibili-
dade?
Peça a um aluno que leia 1 Néfi 18:16, 21.
• Que escolhas de Lamã e Lemuel fizeram com que
• Como vocês poderiam seguir o exemplo de Néfi e perdessem a sensibilidade?
receber as bênçãos prometidas pelo Senhor?
Como parte do debate, sugere-se que você utilize
Explique-lhes que as escrituras falam da relação de a declaração do Presidente James E. Faust A , a do
causa e efeito em diferentes situações. O Senhor nos Presidente Boyd K. Packer B e a do Élder Joseph B.
diz que caso façamos determinada coisa Ele nos conce- Wirthlin C , que se encontram no DVD que acompa-
derá determinada bênção. nha o curso. Outra opção é pedir que os alunos leiam
• Que relação de causa e efeito vocês veem em 1 Néfi essas declarações nas páginas 41–42 do manual do
17:13? (Explique aos alunos que este é um dos temas aluno. O Presidente Packer explicou que mais sentimos
mais importantes do Livro de Mórmon: se as pes- do que ouvimos os sussurros do Espírito Santo. O Pre-
soas obedecessem os mandamentos, o Senhor as sidente Faust e o Élder Wirthlin alertam-nos quanto aos
abençoaria e faria com que prosperassem na terra da tipos de comportamento que levam-nos a ficar espiri-
promissão. Ver também, por exemplo, 1 Néfi 2:20; tualmente “fora da área de cobertura”.
4:14; 2 Néfi 1:9; Ômni 1:6; Mosias 1:7; Alma 48:25.) • De acordo com o Presidente Faust e com o Élder
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Wirthlin, que tipo de comportamento e que atos são
1 Néfi 18:8–20. capazes de diminuir nossa capacidade de reconhe-
cer o Espírito?
• Que sofrimentos foram infligidos a Néfi por causa
da desobediência de outras pessoas? Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 17:7–11 à procura das
• O que todos acabaram tendo que sofrer devido coisas que Néfi fez para aumentar sua capacidade de
à rebeldia? comunicação com o Pai Celestial.

• O que é possível aprender com esses exemplos? • Que coisas Néfi fazia que o ajudavam a comuni-
car-se com Deus? (Algumas das respostas podem
Testifique que a desobediência sempre acarreta sofri- ser: ele obedecia imediatamente à voz do Senhor;
mento, ainda que não seja imediatamente e que a rela- orava individualmente, em particular; esforçava-se
ção entre a desobediência e o sofrimento não seja tão por agir de acordo com as respostas que recebia.)
óbvia como no caso da família de Leí. Caso convenha,
peça aos alunos que falem o que acham a esse res- Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 18:1–4 e comparem
peito. Preste testemunho de que o Senhor nos abençoa os preparativos de Néfi para construir o barco com a
quando obedecemos os mandamentos. forma com que eles mesmos se preparam para enfren-
tar os desafios e provações da vida.
1 Néfi 17:7–11, 44–47; 18:1–4. Temos de
Preparar-nos para Atender à Inspiração do • De tempos em tempos o Senhor mostrou a Néfi
Espírito como dar continuidade à construção do barco. Em
Caso tenha telefone celular, mostre-o aos alunos. sua opinião, por que seria melhor para Néfi receber
Pergunte-lhes se já tentaram usar o celular em lugares as instruções aos poucos em vez de recebê-las de
uma só vez?

22
1 Néfi 16–18

• Por que era importante que Néfi seguisse as instru- • De que forma Néfi demonstrava confiança
ções recebidas para só depois receber mais instru- no Senhor?
ções do Senhor? • O que podemos fazer para seguir o exemplo de Néfi
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 28:30 em voz alta. e construirmos nossa vida de forma que aos olhos
Pergunte-lhes como os princípios contidos nesse do Senhor ela seja tão excelente quanto o barco
versículo se aplicam à história de Néfi que estudamos construído por Néfi?
neste momento. Saliente que o Senhor raramente nos Preste testemunho de que podemos receber a orienta-
dá todas as informações de uma só vez. À medida que ção do Espírito Santo. Incentive os alunos a seguirem o
prosseguimos com fé, Ele vai-nos revelando diferentes exemplo de Néfi no que se refere à comunicação com
verdades.  o Pai Celestial.

23
Capítulo 6
Capítulo 6
1 Néfi 19–22

Introdução • Quantos conjuntos de placas Néfi preparou?

Durante esta aula você conduzirá um debate acerca de • Em que cada conjunto de placa diferia dos demais?
1 Néfi 19–20, escritura em que Néfi transcreve passa- • De qual conjunto de placas 1 Néfi foi tirado? Como
gens do profeta Isaías. Não é preciso ser especialista sabemos disso?
nos escritos de Isaías para ensinar suas palavras. Estu-
Peça a um aluno que leia 1 Néfi 19:6.
dando as escrituras em espírito de oração e utilizando
os auxílios fornecidos nesta lição e no manual do • Depois de explicar o que eram as placas menores e
aluno, você conseguirá dar esta aula com vigor e entu- qual seu conteúdo, o que Néfi disse que escreveria?
siasmo (ver a “Introdução aos Escritos de Isaías”, nas
Peça à metade da turma que leia em silêncio 1 Néfi
páginas 45–47 do manual do aluno).
19:7–9 e à outra metade que faça o mesmo com 1 Néfi
Néfi leu as palavras de Isaías para “melhor persuadi-los 19:10–12. Peça aos alunos que identifiquem as palavras
a acreditar no Senhor, seu Redentor” (1 Néfi 19:23). Ao ou expressões referentes ao Salvador que considerem
falar das profecias de Isaías, Néfi ensinou que apesar mais importantes na passagem que devem ler. Depois,
das calamidades que aconteceriam nos últimos dias, pergunte-lhes por que escolheram aquelas palavras.
“os justos (…) não precisam temer”, pois o Senhor os Preste testemunho da missão do Salvador conforme
“preservará (…) pelo seu poder” (1 Néfi 22:17). Pro- apresentada nesses versículos.
cure formas de transmitir esse e outros ensinamentos
Peça a alguém que leia 1 Néfi 19:18.
que sirvam para reconfortar e fortalecer os alunos. Por
meio da orientação do Espírito, você pode ajudá-los a • Que objetivo Néfi pretendia alcançar ao escrever
perceber que Isaías deu testemunho do Salvador e de esses ensinamentos?
Seu procedimento para com a casa de Israel tanto nos • Em sua opinião, o que significa lembrar-se do
tempos antigos como nos dias atuais. Senhor? Como as escrituras ajudam vocês a lembra-
rem-se do Senhor? 
Alguns Princípios e Doutrinas
• Néfi preparou esse registro com o objetivo de per- Como parte do debate, sugere-se que você utilize a
suadir outras pessoas a lembrarem-se do Redentor seguinte declaração feita pelo Presidente Henry B.
(ver 1 Néfi 19). Eyring, da Primeira Presidência:

• Devemos aplicar as escrituras a nós mesmos para


“Guardamos o convênio de recordá-Lo toda vez
nosso benefício e instrução (ver 1 Néfi 19:23–24).
que reunimos a família para ler as escrituras. Elas
• O Senhor refina Seu povo na fornalha da aflição (ver dão testemunho do Senhor Jesus Cristo, pois essa
1 Néfi 20). é e sempre será a mensagem dos profetas. Mesmo
• O Senhor prometeu que nos últimos dias restauraria que as crianças não se lembrem das palavras, irão
o evangelho e coligaria Israel (ver 1 Néfi 21:18–25; lembrar-se do Autor, que é Jesus Cristo” (Confe-
22:7–22). rence Report, abril de 1998, p. 87; ou A Liahona,
julho de 1998, p. 74).
Sugestões Didáticas
1 Néfi 19. Néfi Preparou esse Registro com
o Objetivo de Persuadir Outras Pessoas a 1 Néfi 19:23–24. Devemos Aplicar as Escrituras a
Lembrarem-se do Redentor Nós Mesmos “para Nosso Proveito e Instrução”
Diga aos alunos que façam a leitura silenciosa de Peça aos alunos que citem personagens das escrituras
1 Néfi 19:1–5 e procurem respostas para as seguintes cujo exemplo os ajudou.
perguntas (sugere-se que você anote as perguntas no • Em sua opinião, por que é importante que com-
quadro): paremos a nós mesmos e a situação em que nos

24
1 Néfi 19–22

encontramos às pessoas e aos ensinamentos sobre procura de indícios de que o Senhor continuou a amar
os quais lemos nas escrituras?  os filhos de Israel e a desejar que eles Lhe fossem fiéis.

Peça que alguém leia 1 Néfi 19:23–24. Sugere-se que Peça que os dois grupos digam ao restante da turma
você mencione que o versículo 23 é uma passagem de o que encontraram. Comente as respostas dos alunos
domínio de escritura    . sempre salientando as aplicações desses versículos nos
dias de hoje.
• Como podemos aplicar as escrituras a nós mesmos?
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 20:10.
Anote as respostas dos alunos resumidamente no qua-
dro. Sugere-se que você cite ou utilize as perguntas da • Quais são alguns dos possíveis significados da
página 45 do manual do aluno. expressão “fornalha da aflição”?
• Como a fornalha da aflição pode ajudar-nos a ser
Leia a seguinte declaração do Élder L. Lionel Kendrick,
fiéis ao Senhor?
dos Setenta:
Dê tempo para os alunos responderem; depois, leia
“Devemos ler [as escrituras] como se o Senhor Doutrina e Convênios 105:5–6 com a turma:
estivesse falando conosco diretamente, individual-
Peça aos alunos que considerem as diferenças entre
mente” [Conference Report, abril de 1993, p. 16;
1 Néfi 20:10 e 1 Néfi 20:18–19. Depois, peça que cada
ver também A Liahona, julho de 1993, p. 14 (tra-
um escreva uma conclusão para a seguinte afirmação:
dução atualizada)].
“Acho que a mensagem de 1 Néfi 20 para nós, hoje, é:
S S S S S S S S ”. Peça aos alunos que digam o que escre-
veram para o restante da turma.
Incentive os alunos a recapitularem algumas das ideias
anotadas no quadro e a aplicarem-nas ao estudo das 1 Néfi 21:1–17. O Senhor Nunca Nos Esquece
escrituras. A passagem encontrada em 1 Néfi 21 reflete o desejo
1 Néfi 20. O Senhor Refina Seu Povo que Néfi tinha de melhor persuadir-nos a acreditar no
na Fornalha da Aflição Senhor, nosso Redentor (ver 1 Néfi 19:23).
Escreva no quadro: “A quem amo também castigo” Leia 1 Néfi 21:6–13 com os alunos e peça-lhes que pro-
(D&C 95:1; ver também Hebreus 12:6).  curem símbolos do amor que o Salvador nos tem.
• O que significa o castigar? (Corrigir por meio de • O versículo 9 contém uma alusão à libertação dos
punição ou permitindo que a pessoa sofra.) cativos pelo Salvador. Como poderíamos aplicar isso
• De que forma os castigos do Senhor demonstram tanto aos vivos como aos mortos?
que Ele nos ama? • De que forma o Senhor consola Seu povo? Como Ele
Se compadece dos aflitos? (Versículo 13.)
Anote o seguinte no quadro:
Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 21:14–17.

1 Néfi 20:1–8 1 Néfi 20:9–17 • Em sua opinião, por que às vezes as pessoas têm a
Diz que a casa de Israel Diz que o Senhor conti- impressão que o Senhor as esqueceu? De que forma
não foi fiel ao Senhor nuou a amar os filhos de vocês poderiam usar essa passagem para ajudar
Israel e a desejar que eles alguém que se sinta sozinho ou temeroso?
Lhe fossem fiéis
• Em sua opinião, o que significa estar gravado na
palma das mãos do Salvador? 
Divida a turma em três grupos. Peça a um grupo que
leia 1 Néfi 20:1–8 à procura de indícios de que os filhos Enquanto os alunos ponderam essa questão ou tro-
de Israel não eram fiéis ao Senhor na época dessa reve- cam ideias a esse respeito, sugere-se que você leia a
lação. Peça ao outro grupo que leia 1 Néfi 20:9–17 à

25
Capítulo 6

seguinte declaração do Élder Jeffrey R. Holland, do Leia 1 Néfi 22:3–4 com os alunos.
Quórum dos Doze Apóstolos:
• O que Néfi descreve nesses versículos?

“Cristo não Se esquecerá dos filhos que redimiu Assegure-se de que os alunos compreendam que
nem do convênio que fez com eles para a salva- esses versículos falam da dispersão da casa de Israel
ção de Sião. A dolorosa lembrança desse cuidado por todo o mundo. Para salientar essa ideia, utilize o
e convênio são as marcas dos cravos romanos que mapa-múndi do diagrama acima e trace várias setas
Ele traz na palma das mãos, um sinal para Seus saindo da região de Israel em sentido norte e cur-
discípulos no Velho Mundo, a congregação nefita vando-se em diferentes direções. Essas setas podem
no Novo Mundo e nós, na Sião moderna, de que servir para ilustrar a dispersão das tribos perdidas que
Ele é o Salvador do mundo que foi ferido na casa foram levadas para o norte por volta do ano 722 a.C.
de Seus amigos” (Christ and the New Covenant: (ver 2 Reis 18:9 –11). Depois, trace uma linha ligando
The Messianic Message of the Book of Mormon, Israel ao continente americano, de forma a ilustrar a
1997, p. 84). migração da família de Leí. Depois, trace outra linha
em direção às Américas, desta vez representando a
migração de Muleque e seu povo (ver Ômni 1:14–16).
• Que experiências os ajudaram a saber que o Senhor Depois, trace uma linha saindo da América Central ou
não os esqueceu? da América do Sul em direção ao norte e outra linha
saindo de um desses continentes na direção da Poliné-
Preste seu testemunho do amor do Salvador.
sia, ao oeste. Essas linhas representariam as possíveis
1 Néfi 21:18–25; 22:7–22. O Senhor Prometeu rotas migratórias de Hagote (ver Alma 63:5–9). Ajude
que nos Últimos Dias Restauraria o Evangelho os alunos a compreenderem que essas linhas repre-
e Coligaria Israel sentam apenas uma pequena amostra da dispersão
Saliente que 1 Néfi 22 traz a explicação de Néfi para as de Israel. Peça aos alunos que leiam 1 Néfi 22:3, 5 e
palavras de Isaías transcritas em 1 Néfi 20–21. identifiquem as nações para as quais os dispersos de
Israel foram levados.
Desenhe um mapa do mundo bem simples no quadro
ou utilize uma transparência do mapa-múndi. (Caso • Em 1 Néfi 22:5, o que Néfi cita como sendo a causa
decida desenhar o mapa no quadro, sugere-se que da dispersão de Israel?
você o faça antes da aula.)
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
1 Néfi 21:22–25. Peça-lhes que digam em poucas
palavras o que entenderam dessa profecia. Depois,
leia 1 Néfi 22:6–8 com eles.
• Como Néfi interpreta a profecia de 1 Néfi 21:22–25?
(Néfi entendeu que a explicação como registrada em
1 Néfi 22:6–8 faz parte do cumprimento da profecia
que se encontra em 1 Néfi 21:22–25.)
• Que “nação poderosa” seria essa citada em 1 Néfi
22:7? (Mostre os Estados Unidos no mapa.) Que
“obra maravilhosa” é essa citada nos versículos 7–8?
Leia 1 Néfi 22:1–2 com os alunos.
Leia a seguinte declaração do Presidente Gordon B.
• Como esse versículo reforça a doutrina revelada em
Hinckley (1910–2008), 15º presidente da Igreja.
Amós 3:7     e em II Pedro 1:20–21?

26
1 Néfi 19–22

versículos que lhes forem atribuídos para descobrir


“Sou muito grato pelas maravilhas do evangelho como o Senhor manifestará Seu poder às nações. Peça-
restaurado de Jesus Cristo. Ele é, verdadeiramente, lhes também que falem de exemplos dos princípios
uma obra maravilhosa e um assombro, trazida à desses versículos que eles mesmos tenham visto. 
luz pelo poder do Todo-Poderoso em benefício
de Seus filhos e filhas. Nós que participamos desta Grupo 1
fase de Sua obra podemos trabalhar pela salvação 1 Néfi 22:11–12, 24–25 (restauração dos convênios, tirar
de toda a família humana, de todas as gerações Israel das trevas espirituais, ajudar os filhos de Israel a
de filhos e filhas de Deus que já viveram na Terra. saber que Jesus Cristo é seu Salvador, contar as ovelhas
Essa obra é verdadeira” (ver A Liahona, abril de e reuni-las em um só rebanho)
1996, p. 10; ver também Ensinamentos de Gordon
B. Hinckley, 1999, p. 119). Grupo 2
1 Néfi 22:14–15, 22–23 (destruição dos orgulhosos e
iníquos que lutarem contra Sião)
Leia 1 Néfi 22:9–10 com os alunos.
• De que forma essa “obra maravilhosa” abençoa Grupo 3
“todas as famílias da terra”? (Enquanto os alunos 1 Néfi 22:16–21 (preservação do povo do convênio)
debatem essa questão, sugere-se que você desenhe
Peça aos grupos para dizerem o que encontraram ao
setas no mapa, saindo da região dos Estados Unidos
restante da turma. Depois, continue com as seguintes
para representar que o evangelho foi restaurado ali
perguntas:
e propagou-se por toda a Terra.)
• No versículo 10, o que Néfi diz que o Senhor faria? • Como os ensinamentos desses versículos os ajuda-
(Para ajudar os alunos a descobrirem a possível ori- ram a pensar no futuro?
gem da expressão “desnudar o braço” peça-lhes que • De que forma a retidão individual os protege de
consultem a página 49 do manual do aluno.) muitos dos problemas do mundo?

Néfi explicou como o Senhor “desnudará o santo Preste testemunho das bênçãos que recebemos quando
braço”, ou seja, mostrará Seu poder, “aos olhos de passamos a fazer parte da casa de Israel nos últimos
todas as nações”. Divida a turma em três grupos para dias e guardamos nossos convênios.
a seguinte atividade. Peça a cada grupo que leia os

27
Capítulo 7
Capítulo 7
2 Néfi 1–3

Introdução Escreva Bênçãos como título da primeira coluna e


Maldições como título da segunda. Peça aos alunos
Nesse bloco de escrituras, encontramos alguns dos
que estudem 2 Néfi 1:7–12 à procura das bênçãos e
conselhos finais que Leí deu aos filhos antes de morrer.
maldições a serem anotadas no quadro. Depois de
Os princípios que ele ensinou são vitais para nós hoje.
alguns minutos, peça-lhes que digam o que encontra-
Ele falou das bênçãos que Deus promete a quem é
ram. Anote as sugestões dos alunos resumidamente
obediente, prestou testemunho da Criação, da Queda
no quadro. É possível que as respostas dos alunos se
de Adão e Eva e da Expiação de Jesus Cristo de forma
assemelhem às do seguinte quadro:
a ajudar-nos a ver a relação entre essas coisas; e tam-
bém repetiu uma profecia de José do Egito que ates-
tava o chamado e ministério do Profeta Joseph Smith. Bênçãos Maldições
Você pode ajudar os alunos a perceberem como esses (2 Néfi 1:7–9) (2 Néfi 1:10–12)
ensinamentos se aplicam à vida deles. 
terra de liberdade (versí- o juízo de Deus recairia
Alguns Princípios e Doutrinas culo 7) sobre eles (versículo 10)

• Os justos que vivem na terra são abençoados (ver nunca seriam levados em chegada de outras
2 Néfi 1:5–12). cativeiro (versículo 7) nações que tomariam
a terra de sua herança
• A Criação, a Queda e a Expiação são essenciais no (versículo 11)
plano do Pai Celestial para nossa redenção (ver
por algum tempo não dispersos e feridos
2 Néfi 2). seria permitido que ­(versículo 11)
• Com a restauração do evangelho, cumpriu-se uma outras nações soubes-
antiga profecia (ver 2 Néfi 3). sem de sua existência
(versículo 8)

Sugestões Didáticas prosperariam na terra carnificina (versículo 12


(versículo 9)
2 Néfi 1:5–12. Quem Viver em Retidão na
Terra Prometida Será Abençoado ninguém tomaria a terra
Escreva no quadro: Terra Prometida. Inicie o debate de sua herança (versí-
culo 9)
fazendo algumas destas perguntas:
viveriam em segurança
• O que lhes vem à mente quando ouvem a expressão
para sempre (versí-
“terra prometida” ou “terra da promissão”? culo 9)
Peça a um aluno que leia Hebreus 11:8–9.
• Onde ficava a terra da promissão de Abraão? Diga aos alunos que nos últimos dias seria necessária
a fundação de uma nação de modo a permitir que as
Peça a um aluno que leia 2 Néfi 1:5. bênçãos do evangelho fossem restauradas. Uma vez
• Em que continente fica a terra dessa profecia? que o evangelho fosse restaurado ali, o reino de Deus
poderia expandir-se em todo o mundo. Debata com os
Ajude os alunos a compreenderem que o Senhor pre- alunos as bênçãos relativas à terra da promissão que
parou terras de promissão diferentes para os de Seu também se aplicam a outros países em que moram
povo dependendo da situação e das necessidades de membros da Igreja.
cada grupo.
Fale de como você vê as bênçãos que o evangelho lhe
Explique-lhes que Leí informou seus filhos das bênçãos proporcionou e as que ele proporcionou a seu país de
e maldições relativas à terra que lhes fora prometida. modo geral.
No quadro, desenhe uma tabela com duas colunas.

28
2 Néfi 1–3

2 Néfi 2. A Criação, a Queda e a Expiação • Por que foi necessário que a Criação fosse a primeira
São Essenciais no Plano do Pai Celestial etapa, antes da Queda e da Expiação? 
para Nossa Redenção • Citem alguns exemplos de “oposição em todas as
Explique aos alunos que, por meio dos ensinamentos coisas”. Por que precisamos de oposição?
de Leí encontrados no capítulo 2, aprendemos a rela-
ção entre a Criação, a Queda e a Expiação. A QUEDA (2 Néfi 2:17–25)
Escreva no quadro: Criação — Queda — Expiação. • Que condições existiam antes da Queda? Que condi-
Utilize a seguinte declaração do Élder Russell M. Nel- ções passaram a existir depois da Queda?
son, do Quórum dos Doze Apóstolos (também dispo-
nível no DVD que acompanha o curso A ). Procurem Como parte do debate, sugere-se que você aliste essas
inter-relação entre a Criação, a Queda e a Expiação. condições em duas colunas no quadro. Esta tabela traz
alguns exemplos:
“O plano exigia a Criação, e isso por sua vez exigia
a Queda e a Expiação. Esses são os três componen- Antes da Queda Depois da Queda
tes fundamentais do plano. A criação de um planeta
paradisíaco veio de Deus. A mortalidade e a morte Adão e Eva não podiam Eles tiveram filhos.
ter filhos
foram introduzidas no mundo pela Queda de Adão.
A imortalidade e a possibilidade de alcançarmos a Adão e Eva não sentiam Eles passaram a ter
vida eterna foram proporcionadas pela Expiação de alegria nem tristeza. tanto alegrias como
tristezas.
Jesus Cristo. A Criação, a Queda e a Expiação foram
planejadas muito antes do início da Criação pro- Não eram capazes de Passaram a ser capazes
priamente dita” (Conference Report, abril de 2000, p. praticar nem o bem nem de praticar o bem e tam-
o mal. bém de pecar.
105; ou A Liahona, julho de 2000, p. 102).
Teriam permanecido no Foram expulsos da
Jardim do Éden para presença do Senhor
Anote estas referências de escritura no quadro: sempre e do Jardim do Éden.
Entraram em um estado
mortal e decaído — pas-
2 Néfi 2:11–16 saram a ser sujeitos à
2 Néfi 2:17–25 morte física (ver também
Moisés 6:48).
2 Néfi 2:6–10, 26–29

• Por que a Queda era necessária ao plano de felici-


Peça aos alunos que leiam todas as passagens e digam
dade? (Ver Moisés 5:11–12.)
que aspecto do plano de salvação cada uma aborda.
Depois, conduza um debate acerca de cada aspecto do Muitas pessoas acham que a Queda de Adão e Eva foi
plano e utilize algumas das seguintes sugestões: um erro terrível. Leia para os alunos a seguinte explica-
ção dada pelo Élder Bruce C. Hafen, dos Setenta, (tam-
A CRIAÇÃO (2 Néfi 2:11–16) bém disponível no DVD que acompanha o curso B ):
• Que propósitos da Criação são citados nessa 
passagem?

29
Capítulo 7

da morte física. Também seremos salvos da morte


A Queda não foi um desastre. Não foi um erro ou espiritual causada pela Queda, ou seja, voltaremos
acidente. Foi uma parte intencional do Plano de à presença de Deus para ser julgados (ver Helamã
Salvação. Somos a ‘geração’ espiritual de Deus, 14:15–17). Para receber todas as bênçãos da Expiação,
enviada à Terra, ‘inocente’ no tocante à transgres- ou seja, para receber a exaltação, temos de concentrar-
são de Adão. Mas o plano de nosso Pai nos sujeita nos em nossa própria “queda” ocasionada por nossos
à tentação e ao sofrimento neste mundo decaído próprios pecados. Temos de fazer por merecer as
como o preço a ser pago pela compreensão da bênçãos da Expiação por meio da “obediência às leis
verdadeira felicidade. Sem provar o amargo, não e ordenanças do Evangelho” (Regras de Fé 1:3).
podemos realmente compreender o doce. Preci-
Se houver hinários, considere a possibilidade de pedir
samos da disciplina e purificação da mortalidade
aos alunos que cantem “Assombro Me Causa” ou leiam
como ‘o próximo passo de [nosso] desenvolvi-
a letra desse hino (Hinos, nº 112).
mento’ para tornar- nos semelhantes a nosso Pai.
Esse crescimento, porém, implica em sofrimento. Conclua prestando seu testemunho do amor que o
Também implica em aprendermos com nossos Pai Celestial demonstra por nós ao preparar Seu plano
erros, num processo contínuo que nos foi pos- para nossa salvação. 
sibilitado pela graça do Salvador, a qual Ele nos
concede ‘depois de tudo o que pudermos fazer  ’
2 Néfi 2:26–27. Somos Livres para Escolher
a Liberdade e a Vida Eterna ou o Cativeiro
e também durante esse processo” (Conference
e a Morte
Report, abril de 2004, p. 100; ou A Liahona, maio
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
de 2004, p. 97; nesse trecho o Élder Hafen cita as
2 Néfi 2:26–27.
seguintes fontes: Atos 17:28; D&C 93: 38; Jeffrey R.
Holland, Christ and the New Covenant: The • Em sua opinião, o que significa “agir por si mesmos
­Messianic Message of the Book of Mormon, 1997, e não receber a ação”?
p. 207; 2 Néfi 25:23, grifo do autor). • Por que o arbítrio é um elemento tão crucial do
plano de salvação?

Peça aos alunos que memorizem 2 Néfi 2:25     Peça • De acordo com o versículo 27    , temos liberdade
a um voluntário que recite a escritura para a turma. para escolher o quê?

Peça aos alunos que falem de uma pessoa (sem revelar


A EXPIAÇÃO (2 Néfi 2:6–10, 26–29) quem é essa pessoa) que perdeu a liberdade devido
• De acordo com esses versículos, por que a Expiação a más escolhas. Depois peça aos alunos que falem
era necessária? de alguém cuja liberdade fique evidente por suas
• De acordo com 2 Néfi 2:7, o que temos de fazer boas escolhas.
para nos beneficiarmos ao máximo do sacrifício que Preste testemunho das bênçãos que recebemos por
Jesus Cristo fez por nós? (Ver explicação da expres- empregar o arbítrio para agir com retidão.
são “coração quebrantado e um espírito contrito”
no texto a respeito de 3 Néfi 9:19–20, página 315 do
2 Néfi 3. A Restauração do Evangelho Cumpriu
uma Antiga Profecia
manual do aluno.)
A Restauração do evangelho por meio do Profeta
• O que nós podemos fazer para “tornar estas coisas
Joseph Smith cumpriu a profecia de José, filho de Jacó,
conhecidas dos habitantes da Terra”? (2 Néfi 2:8.)
profeta do Velho Testamento. Peça aos alunos que
Peça a um aluno que recite a terceira regra de fé. se revezem na leitura de 2 Néfi 3:6–18. Peça-lhes que
Lembre aos alunos que a Expiação de Cristo sobre- identifiquem os quatro Josés citados.
puja os efeitos que a Queda de Adão exerce sobre Divida a turma em grupos pequenos. Peça aos alunos
todos. Todos ressuscitaremos, ou seja, seremos salvos que identifiquem as diferentes profecias referentes

30
2 Néfi 1–3

ao Profeta Joseph Smith citadas do versículo 6 ao 18. • Como as profecias encontradas em 2 Néfi 3 influen-
Quando terminarem, peça-lhes que comparem a lista ciam seu testemunho da Restauração e do Profeta
que prepararam com a que se encontra na página 59 Joseph Smith? (Ver também Tradução de Joseph
do manual do aluno. Smith, Gênesis 50:24–38, no Guia para Estudo das
Escrituras.)
Leia a seguinte declaração do Élder M. Russell Ballard,
do Quórum dos Doze Apóstolos: Peça a alguém que leia 2 Néfi 3:12. Depois, pergunte
como essa profecia se cumpriu. Para contribuir para a
“O Senhor preordenou (…) Joseph Smith, Pai, que resposta a essa pergunta, leia a declaração do Presi-
é mencionado nas santas escrituras como um dos dente Boyd K. Packer, nas páginas 59–60 do manual
pais terrenos do Profeta. José do Egito profetizou do aluno.
que o vidente que Deus levantaria nos últimos Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 3:15, 18, 24. Para
dias para realizar Sua obra, seria chamado José ajudá-los a compreender melhor o importante papel
[ou Joseph, em inglês] (ver Tradução de Joseph do Profeta Joseph Smith, sugere-se que você uti-
Smith, Gênesis 50:33) e seria “chamado pelo nome lize os comentários a respeito dele encontrados na
de seu pai” (2 Néfi 3:15). O mensageiro celestial, página 58 do manual do aluno.
Morôni, ordenou que o jovem Joseph procurasse
o pai, após a gloriosa noite de instruções sagra- Peça aos alunos que falem do próprio testemunho
das. Nas palavras de Joseph, este mensageiro da Restauração do evangelho por meio do Profeta
‘ordenou-me que fosse contar a meu pai a visão Joseph Smith.
e os mandamentos que havia recebido. Obedeci,
voltando para onde estava meu pai, no campo, e
relatei-lhe todo o ocorrido. Ele respondeu-me que
aquilo era obra de Deus e disse-me que fizesse
o que o mensageiro ordenara’ ( Joseph Smith—
História 1:49–50)” [Conference Report, outubro
de 1991, p. 4; ver também A Liahona, janeiro de
1992, p. 5 (tradução atualizada)].

31
Capítulo 8
Capítulo 8
2 Néfi 4–8

Introdução Explique-lhes que 2 Néfi 4 começa com os conselhos


de Leí a alguns de seus netos. Peça que alguém leia
O Presidente Howard W. Hunter lembrou-nos que “a
2 Néfi 4:3–9. Você pode usar estas perguntas para
vida tem um número considerável de desafios” (Pre-
orientar o debate:
sidente Howard W. Hunter: “O Caminho da Águia”,
A Liahona, setembro de 1994, p. 17). Nossa família é • O que Leí ensina aos netos no versículo 4?
fonte de alguns de nossos maiores desafios bem como • Que princípio quanto à criação de filhos Leí ensina
de nossas maiores alegrias. Em 2 Néfi 4–5 lemos a no versículo 5? Citem algumas coisas que os pais
história de como a família de Leí lidou com desafios podem fazer para criar os filhos no caminho que
extraordinários: enquanto alguns membros da família devem seguir.
tomaram decisões sábias que lhes trouxeram alegria,
• Nos versículos 7 e 9, que promessa Leí faz aos filhos
outros enveredaram pelo caminho da infelicidade.
de Lamã e Lemuel?
Lemos o sentido “salmo de Néfi” em que vemos como
o Senhor pode ajudar-nos a sobrepujar nossas fraque- Durante o debate, sugere-se que você peça a um
zas e decepções (ver 2 Néfi 4:15–35). Também vemos aluno que leia a experiência do Presidente Henry B.
o que Néfi e seu povo fizeram para viverem felizes (ver Eyring que se encontra nas páginas 61–62 do manual
2 Néfi 5:27). Aplicando os princípios contidos nesses do aluno.
capítulos nós também poderemos viver de forma a ser
2 Néfi 4:15–35. Quando Confiamos no Senhor
felizes. Em 2 Néfi 6–8 lemos parte do sermão proferido
Encontramos Motivos para Alegrar-nos
por Jacó, irmão de Néfi, em que ele dá testemunho da
Peça aos alunos que falem um pouco de alguém em
Expiação de Jesus Cristo e da coligação de Israel.
quem confiam e digam por que confiam nessa pessoa.
Alguns Princípios e Doutrinas • Quais são algumas consequências da confiança?
• Quando confiamos no Senhor encontramos motivos
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 4:19–20 para des-
para alegrar-nos (ver 2 Néfi 4:15–35).
cobrir em quem Néfi confiava. Diga que eles verão
• O Senhor admoestou-nos a nos distanciarmos da algumas das consequências da confiança de Néfi ao
iniquidade (ver 2 Néfi 5:5–7). discutirem outros versículos de 2 Néfi 4.
• Israel será restaurada quando seu povo acreditar no
Mostre aos alunos um objeto seu de estimação. Fale
Messias (ver 2 Néfi 6–8).
um pouco do objeto.

Sugestões Didáticas • Como seria possível perceber que esse objeto é tão
importante para mim? (Talvez os alunos mencionem
2 Néfi 4:3–9. Leí Aconselha e Abençoa os Filhos
as palavras com que você descreveu o objeto, a
de Lamã e Lemuel
maneira como você manuseia ou olha para ele.)
Mostre uma foto em que apareçam várias gerações de
sua família (no mínimo um filho, um dos pais e um Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 4:15–16 e descubram
dos avós). Pergunte aos alunos que influência os pais o que Néfi considerava tão importante. Depois, faça
e avós amorosos, bem como outros parentes, podem algumas destas perguntas ou todas elas para conduzir
ter sobre os filhos e netos. Faça perguntas como as o debate:
seguintes:
• O que era tão importante para Néfi? (As escrituras
• Como os pais podem influenciar os filhos para o e as “coisas do Senhor”.) O que deixa claro que ele
bem? Como os avós podem influenciar os netos considerava essas coisas importantes? (Algumas das
para o bem? respostas podem ser: ele se deleitava nelas, meditava
• Que influência positiva seus familiares tiveram em nelas continuamente e escreveu-as para seus filhos.)
sua vida? • O que podemos fazer para dar importância às escri-
turas e às coisas do Senhor?

32
2 Néfi 4–8

• Em sua opinião, como o amor de Néfi às escrituras 2 Néfi 5:5–7. O Senhor Admoesta-nos a Nos
influenciava sua confiança em Deus? Distanciarmos da Iniquidade
• De que forma o amor que vocês têm às escrituras Se possível, mostre aos alunos a gravura “A Família de
influencia sua confiança em Deus? Leí Deixa Jerusalém (62238; antigo Pacote de Gravuras
do Evangelho, 301). Explique a cena que a gravura
Às vezes, a passagem que vai do versículo 15 ao 35 de representa.
2 Néfi 4 é chamada de “salmo de Néfi”. Peça aos alunos
que abram o manual do aluno na página 62 para ver a
definição da palavra salmo e que, depois, digam o que
descobriram.
Explique-lhes que lendo atentamente o salmo de Néfi,
vemos como ele lidou com suas próprias fraquezas
e decepções. As palavras de Néfi podem guiar-nos
quando enfrentarmos nossas próprias fraquezas e
decepções.
Anote o seguinte no quadro, mas deixe em branco as
partes entre parênteses:

Scott Snow, © 1981 IRI


2 Néfi 4
15–16 (deleito-me nas palavras do Senhor.)
• Por que a família de Leí precisou deixar Jerusalém?
17–19 Não obstante (…) (meus pecados me entris-
tecem.) Peça aos alunos que citem outras pessoas ou grupos
19–25 Mas (…) (sei que Deus me abençoou, guiou e de pessoas das escrituras a quem o Senhor ordenou
encheu-me com Seu amor.) que deixassem um lugar onde se praticava iniquidade.
26–27 Oh! Então (…) por que (…) (continuo Talvez os alunos citem algumas destas pessoas ou gru-
a pecar?) pos: Abraão (ver Abraão 1–2), Moisés (ver Êxodo 3) e o
primeiro rei Mosias (ver Ômni 1:12).

Nos versículos 15–27, Néfi expressa suas alegrias e Explique-lhes que logo depois da morte de Leí, o
tristezas espirituais. Peça aos alunos que se revezem na Senhor ordenou que Néfi e seu povo mais uma vez
leitura desses versículos. Para cada bloco de versículos, deixassem o lugar onde moravam — desta vez para
peça aos alunos que sugiram frases que resumam o distanciarem-se da parte iníqua de seu grupo. Peça que
que Néfi sentia. Algumas das frases possíveis foram alguém leia 2 Néfi 5:1–7.
indicadas entre parênteses. • Que detalhes da partida de Néfi esses versículos
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 4:29–35 para des- nos informam?
cobrir como Néfi encontrou forças para enfrentar as Peça a alguém que anote as respostas dos demais alu-
dificuldades. nos no quadro. Esta é uma lista de possíveis respostas:
• Néfi afirmou que confiava no Senhor e que confiaria
Nele para sempre (ver versículo 34). Como aprender O Senhor alertou Néfi
a confiar no Senhor agora pode ajudar-nos a desen- Néfi devia fugir para o deserto
volver mais fé?
Ele levou todos os que quiseram ir
Peça aos alunos que falem de ocasiões em que confia-
ram no Senhor e de como foram abençoados por isso.

33
Capítulo 8

• De acordo com Helamã 13:14, qual seria outra des-


Os que o seguiram acreditavam nas advertências e
revelações de Deus. vantagem para os iníquos quando todos os justos
saem da comunidade?
Eles viajaram muitos dias até encontrarem um novo
lugar para morar. Para resumir, sugere-se que você mencione para os
alunos a declaração do Élder Richard G. Scott encon-
Explique aos alunos que Néfi colocaria a própria vida trada na página 63 do manual do aluno.
em risco caso não desse ouvidos ao aviso do Senhor 2 Néfi 5:7–18, 26–27. O Povo de Néfi Viveu Feliz
e não fugisse dali. Nem sempre deixar de atender aos
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 5:7–18, 26–27. Peça-
avisos do Senhor coloca nossa vida física em risco, mas
lhes que procurem o que os nefitas faziam ou tinham
fazendo isso sempre corremos perigo espiritual.
que contribuía para sua felicidade. Depois de alguns
Peça aos alunos que olhem as afirmações escritas minutos, peça-lhes que digam o que encontraram.
no quadro.
Peça a um aluno que leia a declaração do Presidente
• Qual é a relação entre elas e nossa tentativa de fugir Gordon B. Hinckley, encontrada na página 65 do
da iniquidade? manual do aluno.

Sugere-se que você anote as respostas no quadro. Estas • Que princípios estão contidos nessa declaração?
são algumas das possíveis respostas: • Como isso se aplica a sua vida?

O Senhor alertou Néfi. O Senhor muitas vezes nos 2 Néfi 6–8. Israel Será Restaurada Quando
alerta do perigo. seu Povo Acreditar no Messias
Esses capítulos contêm parte do sermão proferido por
Néfi devia fugir para o deserto. Fomos alertados a fugir
da iniquidade. Jacó, irmão de Néfi, e incluem algumas profecias de
Isaías. Ajude os alunos a compreenderem que esses
Ele levou todos os que quiseram ir. Fomos aconselha-
dos a cultivar a companhia de bons amigos que acredi- ensinamentos aplicam-se a “toda a casa de Israel”
tam nas mesmas coisas que nós. (2 Néfi 6:5).

Os que o seguiram acreditavam nas advertências e Mostre aos alunos dois apoios para livros. Pergun-
revelações de Deus. Fomos aconselhados a atender ao te-lhes para que servem esses apoios. (Servem para
que dizem nossos pais, líderes e o profeta. manter em pé os livros colocados entre eles.) Diga-lhes
Eles viajaram muitos dias até encontrarem um novo que muitas vezes os professores usam “apoios” para
lugar para morar. Às vezes é preciso esforçar-nos bas- dar aulas. Esses apoios são a introdução e a conclusão
tante para fazer o que fomos inspirados a fazer.
da lição. Em 2 Néfi 6–8, Jacó ensina as palavras de
Isaías e usa “apoios” para sustentar esses ensinamentos
Peça aos alunos que pensem nos desafios que enfren- e ajudar-nos a entender o que ele queria que apren-
tam ou que poderiam vir a enfrentar nas seguintes dêssemos.
questões: amigos, festas, tempo livre, trabalho, estudos,
A introdução que Jacó usou como se fosse o primeiro
televisão, filmes, Internet, música, livros e revistas.
apoio para livros encontra-se em 2 Néfi 6. Peça a
• Como o princípio de fugir da iniquidade se aplica a alguém que leia 2 Néfi 6:4–5.
essas questões?
• De acordo com Jacó, a que períodos seus ensina-
• O que os seguidores de Lamã e Lemuel perderam mentos se referiam?
quando Néfi os deixou? (As possíveis respostas
• De acordo com Jacó, por que os ensinamentos de
incluem: o sacerdócio, as ordenanças de salvação,
Isaías eram importantes?
as revelações, as escrituras e o profeta.)
• O que as pessoas de hoje perdem quando se distan- O segundo “apoio” empregado por Jacó encontra-se
ciam do profeta? em 2 Néfi 9:1–3. Leia esses versículos com os alunos.

34
2 Néfi 4–8

Peça-lhes que procurem os motivos que levaram Jacó a Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
ensinar as palavras de Isaías. 2 Néfi 7:2, 4–8 e depois procurem nessa profecia pala-
vras que prefigurem o que o Messias viria a dizer, fazer
• Como a compreensão desses “apoios” empregados
ou passar no futuro. Falem de como essa profecia se
por Jacó ajuda-nos na leitura de 2 Néfi 6–8?
cumpriu durante o ministério do Salvador.
Escreva no quadro: História e Destino do Povo Judeu
Peça-lhes que digam o que sentem quanto ao que
e Princípios da Coligação de Israel. Diga aos alunos
esses versículos ensinam sobre o Salvador.
que os ensinamentos de Jacó podem ser classificados
nessas duas categorias.  Leia 2 Néfi 8:17–23 com os alunos. Explique-lhes que
esses versículos falam de acontecimentos futuros.
História e Destino do Povo Judeu
Anote no quadro as seguintes datas e os acontecimen- • De acordo com o versículo 18, o que os judeus não
tos (alguns foram extraídos da cronologia encontrada teriam? (Não teriam ninguém para guiá-los.)
nas páginas 42–46 do Guia para Estudo das Escrituras, • Nos versículos 21–23, o que o Senhor promete
na coluna História e Destino do Povo Judeu. (Sugere-se fazer por Seu povo? (Promete acabar com seu sofri-
que você faça essas anotações antes da aula, seja no mento: ele tiraria de sua mão “o cálice da vacilação,
quadro ou em um cartaz.) Não anote as referências do a borra do cálice do [Seu] furor” e o daria a seus
Livro de Mórmon nesse ponto. perseguidores.)
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 6:6–11 e encontrem Princípios da Coligação de Israel
os versículos que correspondem a cada acontecimento. Para ajudar os alunos a perceberem que 2 Néfi 8 trata
Alguns versículos podem aplicar-se a mais de um acon- da coligação de Israel, peça-lhes que leiam o cabe-
tecimento. Peça aos alunos que digam a referência da çalho do capítulo. Depois, divida a turma em dois
escritura que eles acham ser a correta e peça a alguém grupos. Peça a um grupo que leia 2 Néfi 8:1–2, 7–8, 12,
que anote cada referência sugerida na lista. 24–25 à procura de respostas para esta pergunta:
• Como o conselho que o Senhor dá nesses versículos
História e Destino do Povo Judeu ajudam-nos a estar entre os que serão coligados nos
587 a. C.—Captura de Jerusalém (versículo 8) últimos dias?
537 a. C.—Decreto de Ciro permitindo o retorno dos Peça ao outro grupo que leia 2 Néfi 8:3–6, 11 à procura
Judeus (versículo 9) de respostas para esta pergunta:
30–33 d. C.—Ministério mortal de Jesus Cristo
(versículo 9) • Como o ato de nos lembrarmos dessas bênçãos pro-
metidas ajuda-nos a permanecer fiéis nos momentos
33 d. C. — Crucificação de Jesus Cristo (versículo 9)
de tentação?
70 d.C.—Cerco e queda de Jerusalém leva a nova
dispersão dos judeus (versículos 10–11) Depois de quatro ou cinco minutos, peça aos alunos
que digam o que encontraram.

• Peça aos alunos que releiam 2 Néfi 6:11. O que • Qual é a relação entre a obra missionária e a coliga-
levará à coligação de Israel? (Quando o povo de ção de Israel? (Ajude os alunos a compreender que
Israel tiver conhecimento do Redentor, será coligado participam da coligação quando convidam amigos e
nas terras de sua herança. Para explicações do que entes queridos a aprender o evangelho.)
isso significa, ver 1 Néfi 15:14–16; 2 Néfi 30:7.)
Leia a seguinte declaração do Élder Bruce R. McConkie,
Peça que um aluno leia o cabeçalho de 2 Néfi 7. do Quórum dos Doze Apóstolos:
Saliente que esse capítulo contém a profecia de
Isaías quanto ao ministério mortal e à Expiação de
Jesus Cristo.

35
Capítulo 8

“Por que Israel foi dispersa? (…) Nossos antepas- Sendo assim, no que consiste a coligação de
sados israelitas foram dispersos porque rejeitaram Israel? A coligação de Israel consiste em viver em
o evangelho, corromperam o sacerdócio, aban- harmonia com tudo o que o Senhor um dia ofere-
donaram a Igreja e se afastaram do reino. Foram ceu a Seu povo escolhido, acreditar nisso e aceitar
dispersos porque se afastaram do Senhor, adora- essas coisas. Consiste em ter fé no Senhor Jesus
ram deuses falsos e seguiram o modo de vida das Cristo, arrepender-se, ser batizado, receber o dom
nações gentias. Foram dispersos porque renun- do Espírito Santo e guardar os mandamentos de
ciaram ao convênio abraâmico, menosprezaram Deus. Consiste em acreditar no evangelho, filiar-se
as santas ordenanças e rejeitaram o Senhor Jeová, à Igreja e entrar no reino. Consiste em receber o
que é o Senhor Jesus do qual todos os profetas santo sacerdócio, ser investido de poder do alto
deram testemunho. Israel foi dispersa devido à em lugares sagrados e receber todas as bênçãos
apostasia. O Senhor em Sua ira, causada pela ini- de Abraão, Isaque e Jacó por meio da ordenança
quidade e rebeldia, dispersou-os entre os gentios, do casamento celestial” (A New Witness for the
por todas as nações da Terra. Articles of Faith, 1985, p. 515).

Preste testemunho da coligação de Israel, de nossa


oportunidade de coligar-nos em torno do Salvador
como membros de Sua Igreja e de ajudarmos outros a
fazerem o mesmo.

36
Capítulo 9 2 Néfi 9–10
2 Néfi 9–10

Introdução ouvirem as respostas de cada grupo. (Essa atividade


pode levar vários minutos.)
Na compilação de seus registros, Néfi incluiu dois
sermões de seu irmão Jacó: No primeiro, que abrange
2 Néfi 6–9, Jacó dá testemunho do poder da Expiação Grupo 1
do Salvador para resgatar-nos dos efeitos espirituais e
2 Néfi 9:7–13, 19; ver também Alma 42:9; Helamã
físicos da Queda. No segundo, encontrado em 2 Néfi 14:15–18
10, ele mais uma vez transmite uma mensagem de
• Se não fosse pela Expiação, o que aconteceria a
redenção. Depois de profetizar a dispersão dos judeus, nosso corpo? O que aconteceria a nosso espírito?
deixa uma mensagem de esperança para todos, espe-
• O que é a morte física? O que é a morte espiritual?
rança essa que vem da graça do Salvador. Ele incenti-
vou-nos a lembrar-nos de Jesus Cristo e deixar de lado • Como a Expiação nos ajuda a vencer tanto a morte
física como a espiritual?
o pecado e a não ficar cabisbaixos, pois não fomos
rejeitados (ver 2 Néfi 10:20). • Em sua opinião, por que Jacó chamou a morte física
e espiritual de “terrível monstro”?
Alguns Princípios e Doutrinas
• A Expiação resgatou todos da Queda e preparou um
Grupo 2
meio de os justos herdarem o reino de Deus (ver
2 Néfi 9:5–21, 41, 46). 2 Néfi 9:12–16, 41, 46.
• Aquilo que fazemos e nossa forma de encarar as • Leiam e ponderem esses versículos e vejam o que
coisas determinam se receberemos todas as bênçãos eles ensinam sobre o juízo final.
da Expiação (ver 2 Néfi 9:21–54). • Quem será nosso juiz supremo nessa ocasião?
(Ver também João 5:22.)
• Quando os filhos de Israel acreditarem em Jesus
Cristo, serão coligados e passarão a ser o povo do • Como os iníquos reagirão ao julgamento?
convênio (ver 2 Néfi 10).

Sugestões Didáticas Grupo 3

2 Néfi 9:5–21, 41, 46. A Expiação Resgatou 2 Néfi 9:5–7


Todos da Queda e Preparou um Meio de os • Por que a morte e a ressurreição são elementos
Justos Herdarem o Reino de Deus essenciais do plano de Deus?
Antes da aula, prepare o quadro como indicado • Qual é o “primeiro julgamento” citado em 2 Néfi 9:7?
nesta seção. Como a Expiação supera os efeitos desse julga-
mento?
Diga aos alunos que 2 Néfi 9 é um dos capítulos que
melhor descreve a Expiação dentre todas as escrituras.
Estudando esse capítulo os alunos podem compreen- Grupo 4
der melhor a doutrina da Expiação.
2 Néfi 9:16–21
Divida a turma em quatro grupos. Dê a cada grupo um
dos quatro blocos de escrituras anotados no quadro. • O que significa suportar as cruzes do mundo?
Esses versículos podem ser lidos em silêncio ou os • Citem algumas bênçãos prometidas aos justos por
alunos podem lê-los uns para os outros. Depois, cada meio da Expiação.
grupo deve discutir as respostas para as perguntas que • Jacó ensinou que Jesus Cristo sofreu as dores de
lhes foram dadas. Peça que cada grupo escolha um todos. Como essa verdade influencia o que você
sente quanto ao Salvador? Como essa verdade
porta-voz para apresentar as respostas para a turma. influencia sua vida?
Sugira aos alunos que marquem nas escrituras as pas-
sagens que considerarem importantes à medida que

37
Capítulo 9

Sugere-se que, no final da atividade, você peça aos alu- • Como podemos aplicar o conselho dos versí-
nos que falem dos sentimentos que esses ensinamentos culos 28–29     em nosso empenho de aprender e
de Jacó lhes inspiram. Resuma o que os alunos disse- conseguir educação formal? Como podemos aplicar
ram e preste seu testemunho desses ensinamentos. o conselho do versículo 30 em nosso empenho de
sustentar a nós mesmos e a nossa família? Outros
Para ajudar os alunos a concentrarem-se na Expiação
versículos relacionados são os versículos 42–43. Por
de Jesus Cristo, peça-lhes que falem da letra de um
que precisamos considerar-nos “insensatos diante
hino sacramental de que gostem.
de Deus”?
2 Néfi 9:21–54. Aquilo Que Fazemos e Nossa • Em sua opinião, o que significa ser surdo ou cego
Forma de Encarar as Coisas Determinam se no sentido empregado nos versículos 31–32? O que
Receberemos Todas as Bênçãos da Expiação
podemos fazer para abrir nossos olhos e ouvidos
Os ensinamentos de Jacó contidos em 2 Néfi 9 ajudam- espirituais?
nos a compreender como nossa forma de agir e de
• Jacó condenou a idolatria (ver versículo 37). Quais
encarar as coisas afetam nossa capacidade de receber
seriam alguns exemplos modernos de idolatria? Em
as bênçãos da Expiação. Algumas coisas ajudam-nos
sua opinião, por que o diabo se deleita na idolatria?
a achegar-nos a Cristo, enquanto outras nos impedem
de fazê-lo. • Em sua opinião, o que significa “ter mente carnal”?
(2 Néfi 9:39). Como essa atitude nos impede de
Para ajudar os alunos a descobrirem que coisas são
achegar-nos a Cristo? Em sua opinião, o que significa
essas, dê lápis e papel a todos. Peça-lhes que dobrem
“ter mente espiritual”? Como essa atitude nos ajuda a
o papel ao meio. Peça-lhes que escrevam: Afasta-nos
achegar-nos a Ele? (Dê tempo para os alunos memo-
de Cristo, em uma das metades do papel. Na outra
rizarem a segunda frase de 2 Néfi 9:39. Depois, peça
metade, peça-lhes que escrevam: Aproximam-nos de
a um ou mais alunos que recitem essa frase.)
Cristo. Peça-lhes que leiam 2 Néfi 9:21–54 e façam uma
lista dos atos e das formas de encarar as coisas citadas • Nos versículos 50–51, Jacó fala de saciar nossa sede
nesses versículos e que se enquadrem em cada cate- e nossa fome. Como essas palavras refletem nosso
goria. Peça aos alunos que trabalhem em duplas. Você empenho em achegar-nos a Cristo?
também pode incentivá-los a marcar nas escrituras • De que forma esses versículos podem influenciar-
aquilo que encontrarem em vez de apenas fazer anota- nos na tomada de decisões importantes?
ções no papel da atividade.
Peça que cada aluno examine a própria lista e veja se
Depois de vários minutos, peça aos alunos que digam há alguma coisa que possa fazer para receber mais
o que encontraram. Para ajudá-los a ponderar e aplicar plenamente as bênçãos da Expiação.
o que descobriram, faça algumas das seguintes per-
guntas, ou todas elas. Se quiser você também poderia
2 Néfi 10. Quando os Filhos de Israel
Acreditarem em Jesus Cristo, Serão Coligados
preparar suas próprias perguntas quanto a esses ou a
e Passarão a Ser o Povo do Convênio
outros versículos incluídos nos blocos para leitura. 
Depois de falar da redenção individual (ver 2 Néfi 9),
• Qual a relação entre os princípios e ordenanças Jacó encerra o sermão. Ele disse às pessoas que lhes
citados nos versículos 23–24 e a nossa capacidade diria o restante de suas palavras no dia seguinte (ver
de receber as bênçãos da Expiação? 2 Néfi 9:54). Quando voltou a ensinar, Jacó retomou
• Leia o versículo 27. Em sua opinião, o que significa o assunto do início de seu sermão anterior: a reden-
desperdiçar os dias de nossa provação? (Sugere-se ção da casa de Israel. Falou do futuro dos judeus em
que você saliente que a vida mortal às vezes é Jerusalém, do futuro de seu próprio povo e dos gentios
chamada de “dias de nossa provação”, ou seja, é o que viveriam na América. Essa capítulo também ajuda
período em que somos testados.) Por que desagra- a apresentar os escritos de Isaías que se encontram em
damos o Senhor quando desperdiçamos nossos dias? 2 Néfi 12–24.

38
2 Néfi 9–10

Peça que alguém leia 2 Néfi 10:3–6. Esses versículos Peça aos alunos que leiam individualmente cada escri-
contêm a profecia de Jacó quanto aos habitantes de tura e resumam com suas próprias palavras o que Jacó
Jerusalém. ensinou. (Talvez alguns alunos façam perguntas quanto
à profecia de Jacó de que não haveria reis, encontrada
• De acordo com esses versículos, o que teria levado
nos versículos 10–12. É possível que eles achem que
Israel a ser dispersa após o ministério do Salvador?
essa profecia entra em conflito com a história posterior
Peça a outro aluno que leia 2 Néfi 10:7–8. do Livro de Mórmon, que fala de reis como Mosias; do
• O que precisa acontecer entre os filhos de rei Benjamim, seu filho, e do rei Mosias, filho de Ben-
Israel antes que eles possam voltar às terras de jamim. Saliente que os reis dos nefitas eram israelitas,
sua herança? não gentios. A profecia de Jacó refere-se aos gentios
dos últimos dias, não aos reis daquela época.)
• Qual é o papel dos missionários na coligação
de Israel? Depois de alguns minutos, peça-lhes que digam o que
encontraram em cada escritura. É possível que os alu-
• O que podemos fazer para ajudar a coligar Israel?
nos encontrem mais de uma ideia para cada passagem.
Durante o debate dessas questões, peça-lhes que
Peça a um aluno que leia 2 Néfi 10:22–25.
leiam as declarações do Élder Bruce R. McConkie e a
afirmação do Élder Russell M. Nelson, encontradas na • Que verdades contidas nesses versículos podem
página 74 do manual do aluno respectivamente. As ajudar a animar-nos? (versículo 23). Por que essas
palavras do Élder Nelson também se encontram no verdades são importantes para você?
DVD que acompanha o curso A . • Quando Jacó ordenou que as pessoas se reconcilias-
Jacó descreveu muitos outros acontecimentos relacio- sem com a vontade de Deus (ver versículo 24) o que
nados à coligação de Israel nos últimos dias. Anote ele pretendia era incentivá-las a moldar sua própria
estas referências de escritura no quadro e peça aos vontade à vontade de Deus. Quais seriam algumas
alunos que as copiem em um papel. coisas que precisaríamos fazer hoje para reconciliar-
nos com a vontade de Deus?
• Por que é importante lembrar que mesmo depois
2 Néfi 10
de empenhar-nos diligentemente em nos reconciliar
versículo 8 com a vontade de Deus é somente pela graça Divina
versículo 9 que somos salvos?
versículos 10–12
versículos 13–16 Preste testemunho da Expiação de Jesus Cristo e de
versículo 17 outros princípios que os alunos tenham discutido
versículos 18–19 em aula. Fale de como você foi abençoado graças a
versículos 20–22 essas verdades.

39
Capítulo 10
Capítulo 10
2 Néfi 11–16

Introdução escritores das placas menores de Néfi. Ajude-os a com-


preender que os escritos de Néfi, Jacó e Isaías tomam
Néfi e Jacó, seu irmão, citaram extensamente as pala-
135 das 143 páginas das placas menores (que vão do
vras de Isaías e ambos declararam que devemos aplicar
livro de Néfi até o final do livro de Ômni).
os ensinamentos de Isaías a nós mesmos (ver 1 Néfi
19:23; 2 Néfi 6:5). Apesar de Isaías ter vivido há muito Leia 2 Néfi 11:1–3 com os alunos para descobrir que
tempo e muitas vezes falar de pessoas, lugares e coisas experiência tanto Néfi como Jacó e Isaías tiveram.
que nos são estranhas, seus ensinamentos são relevan- • Por que seria tão importante que o testemunho des-
tes para nossa vida hoje. À medida que estudarem as ses três profetas estivessem ainda no início do Livro
palavras de Isaías, você e seus alunos perceberão que de Mórmon?
as advertências, as palavras de incentivo e as decla-
• De acordo com 2 Néfi 11:3, como Deus comprova
rações quanto ao Salvador proferidas por ele são tão
Sua palavra? Em sua opinião, por que é importante
atuais hoje quanto na época em que foram escritas.
que existam várias testemunhas da palavra de Deus?
Cada capítulo de Isaías tem sua própria mensagem.
• Néfi disse que além de nos dar testemunhas, o
Contudo, alguns temas abrangem mais de um capítulo.
Senhor “confirma todas as suas palavras” (2 Néfi
Esta lição, que cobre 2 Néfi 11–16, trata dos grandes
11:3). De que forma o Senhor já os ajudou a perce-
juízos que recairão sobre os iníquos nos últimos dias
ber que Suas palavras são verdadeiras?
e da promessa do Senhor de lembrar-Se de Seu povo
quando isso acontecesse. A próxima lição abrange • Em que outras ocasiões o Senhor enviou testemunhas?
2 Néfi 17–24, capítulos que contêm as profecias de Para ajudar os alunos a ligarem Néfi, Jacó e Isaías (três
Isaías que tratam de como será cumprida a promessa testemunhas cujo testemunho faz parte do texto do
de preservação de quem segue a Jesus Cristo com Livro de Mórmon) a Oliver Cowdery, David Whitmer e
humildade e obediência. O capítulo 12 abrange 2 Néfi Martin Harris (as três testemunhas que dão testemunho
25–27, que inclui a explicação de Néfi, ajuda a escla- do Livro de Mórmon) peça a um aluno que leia o cabe-
recer os escritos de Isaías e remove muitas pedras de çalho da seção 17 de Doutrina e Convênios. Peça a um
tropeço com que o leitor se defronta. Néfi também tes- aluno que leia Doutrina e Convênios 17:1–4. Incentive
tificou que o surgimento do Livro de Mórmon ajudaria os alunos a marcarem as referências cruzadas de 2 Néfi
a cumprir determinadas profecias de Isaías. 11:1–3 e de Doutrina e Convênios 17:1–4.
Não se preocupe demais com o significado da lingua- Peça a alguém que leia a declaração do Élder Jeffrey R.
gem simbólica. Em vez disso, ajude os alunos a verem Holland, encontrada nas páginas 76–77 do manual do
como a mensagem de Isaías aplica-se a sua vida. aluno. Incentive os alunos a prestar atenção na leitura
para descobrir por que é importante que os escritos
Alguns Princípios e Doutrinas de Néfi, Jacó e Isaías estejam ainda no início do Livro
• Tudo o que Deus nos dá simboliza Jesus Cristo (ver de Mórmon.
2 Néfi 11:4–8).
• De acordo com o Élder Holland, por que é impor-
• Deus julgará e fará com que haja paz nos últimos
tante que tenhamos esses escritos de Néfi, Jacó
dias (ver 2 Néfi 12–14).
e Isaías? (Para consolidar a posição do Livro de
• Isaías profetizou que o Senhor levantaria um estan- Mórmon como outro testamento de Jesus Cristo e
darte para reunir Israel (ver 2 Néfi 12:1–3; 15:13–30). lançar os alicerces necessários para que a doutrina
de Cristo seja ensinada no restante do livro.)
Sugestões Didáticas • Como o Livro de Mórmon pode fortalecer o testemu-
2 Néfi 11:1–3. Néfi, Jacó e Isaías: Três nho que as pessoas têm de Cristo? Como ele fortale-
Testemunhas de Cristo no Livro de Mórmon ceu o seu testemunho?
Mostre um exemplar do Livro de Mórmon. Pergunte
aos alunos se sabem quem são os três principais

40
2 Néfi 11–16

2 Néfi 11:4–8. Tudo o Que Deus Nos Dá Leia 2 Néfi 11:8 com a turma. Explique aos alunos que
Simboliza Jesus Cristo esse versículo é uma introdução às palavras de Isaías.  
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de • De acordo com esse versículo, por que Néfi nos
2 Néfi 11:4. Sugira que marquem a palavra símbolos. transmitiu as palavras de Isaías?
Pergunte se sabem o que ela significa. Se for preciso,
peça-lhes que leiam Moisés 6:63 e a explicação do que Diga-lhes que 2 Néfi 12–24 e 27 são uma transcrição
é um símbolo na página 77 do manual do aluno. Peça- das palavras de Isaías. O testemunho de Néfi quanto ao
lhes que sublinhem as palavras-chave da explicação, Salvador, que encontramos em 2 Néfi 11, prepara-nos
como por exemplo, representa, lembrar-nos, represen- para procurar símbolos de Jesus Cristo nos ensinamen-
tá-Lo, e ensinar. tos de Isaías. Ele também nos prepara para compreen-
der os ensinamentos de Isaías quanto à obra do Senhor
• Em sua opinião, por que o Senhor usa símbolos para
nos últimos dias.
ensinar Seu povo?
Preste seu testemunho quanto aos ensinamentos de
• Qual é a utilidade de estar cientes desse método
Isaías contidos no Livro de Mórmon. Incentive os alu-
de ensino?
nos a procurarem maneiras pelas quais esses ensina-
• Que símbolos de Jesus Cristo você já viu nas escritu- mentos possam transformar-lhes a vida e ajudá-los a
ras? E em sua vida? E no mundo a sua volta? prepararem-se para os acontecimentos grandiosos dos
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 11:4–17. Incentive-os últimos dias.
a sublinhar as verdades importantes acerca de Jesus
2 Néfi 12–14. Deus Julgará e Fará com Que Haja
Cristo para aprenderem com o testemunho de Néfi. Paz nos Últimos Dias
Peça aos alunos que formem duplas. Peça-lhes que
Antes do início da aula, copie a seguinte tabela no
comparem as coisas que marcaram a respeito do Salva-
quadro ou prepare cópias para entregar aos alunos.
dor. Depois, peça a cada dupla que discuta as seguin-
Inclua as referências de escritura, o nome dado a cada
tes questões:
grupo nas escrituras (entre aspas) e a descrição de
• Quais dessas afirmações sobre Jesus Cristo são as cada grupo. Não inclua as respostas da lista numerada,
mais importantes para você? Por quê?

JULGAMENTO E PAZ

2 Néfi 12:5; 13:1–15 2 Néfi 13:16–26 2 Néfi 14:2–6


“A Casa de Jacó” “As Filhas de Sião” “Os que escaparem”
A casa de Israel, inclusive Judá e Os membros da Igreja que se torna- São os justos da casa de Israel no
Jerusalém (ver cabeçalho do capítulo rem orgulhosos e mundanos milênio
13 de 2 Néfi)
1. “O Senhor porá a descoberto suas 1. Serão belos e gloriosos (14:2)
1. Fome (13:1) partes secretas” (13:17; chame
2. O fruto da terra será excelente
a atenção dos alunos para Isaías
2. Os líderes e os homens honrados para eles (14:2)
3:17, nota de rodapé a, que escla-
serão retirados (13:2–4)
rece que essa é uma expressão 3. Serão chamados santos (14:3)
3. Desrespeito mútuo (13:5) hebraica que significa “envergo-
4. O Senhor lavará sua imundície
nhar”)
4. Jerusalém será destruída (13:8) (14:4)
2. O Senhor tomará os adornos com
5. Judá cairá (13:8) 5. O Senhor os abençoará com prote-
que elas se enfeitam (13:18–24)
ção e refúgio (14:5–6)
6. Os maus e os justos serão recom-
3. Os homens serão mortos na guerra
pensados de acordo com suas
(13:25)
ações (13:9–11)
4. O povo ficará desolado (13:26)
7. O Senhor os julgará (13:13–15)

41
Capítulo 10

em vez disso, em cada coluna, deixe um espaço em Para ajudar os alunos a aplicarem essas profecias a
branco para os alunos escreverem. si mesmos, faça algumas das seguintes perguntas, ou
todas elas:
Diga que a turma vai examinar as consequências dos
atos de três grupos de pessoas. Ainda que esses grupos • Isaías disse que um dos motivos pelo qual a casa
tenham sido descritos de forma simbólica, é possível de Jacó enfrentaria essas terríveis consequências era
identificá-los de forma geral tanto pelas descrições de o fato de sua terra estar cheia de ídolos (ver 2 Néfi
Isaías como pela explicação de Néfi encontrada em 12:8). Quais são algumas formas atuais de idolatria?
2 Néfi 25–26 e 28–30. Ao dirigir suas palavras à casa (Ver exemplos em Romanos 1:25 e Helamã 6:31).
de Jacó em 2 Néfi 12–13, Isaías se dirige a toda a casa • Isaías predisse as bênçãos que seriam concedidas
de Israel, tanto em sua época como nos últimos dias. aos que escapassem de Israel (ver 2 Néfi 14:2) e
Na profecia quanto às filhas de Sião, ele refere-se aos àqueles cuja imundície fosse lavada pelo Senhor
membros da Igreja que se tornam orgulhosos e mun- (ver 2 Néfi 14:4). De que forma vencer as tentações
danos. Ao falar dos que “escaparem de Israel” (2 Néfi é comparável a escapar? De que forma o Senhor nos
14:2), ele refere-se às pessoas da casa de Israel que, ajuda a escapar?
por meio da Expiação de Jesus Cristo e por sua retidão,
• Néfi disse que as palavras de Isaías poderiam alegrar
escaparão dos juízos que recairão sobre os iníquos.
o coração” de seu povo e fazer com que os de seu
Divida a turma em dois grupos iguais. Peça a um grupo povo se regozijassem por todos os homens (ver
que examine 2 Néfi 12:5 e 13:1–15, e ao outro grupo 2 Néfi 11:8). O que vocês veem em 2 Néfi 12–14 que
que examine 2 Néfi 13:16–26. Peça ao primeiro grupo é capaz de nos dar alegria?
que encontre os juízos que recairão sobre a casa de • Isaías profetizou que parte das filhas de Sião permi-
Jacó; peça ao segundo que encontre os juízos que tiriam que o mundo as vencesse. Como podemos
recairão sobre as filhas de Sião. (As notas de rodapé de precaver-nos para não adotar atitudes mundanas?
2 Néfi 13:16–26 podem ser úteis aos alunos do grupo
• Citem algumas bênçãos que existirão no Milênio
que ficar com o tema “As Filhas de Sião”. Saliente
com as quais já podemos contar agora.
que as filhas de Sião são da casa de Jacó, mas esses
versículos as mencionam especificamente. Depois de • Como as palavras de Isaías podem ajudar-nos a
dar-lhes tempo suficiente, peça que cada grupo anote tomar decisões importantes? Como as palavras de
o que descobriu na coluna correspondente. (A terceira Isaías podem ajudar-nos a viver nos tempos difíceis
coluna será preenchida depois.) Algumas das possíveis que são os últimos dias?
respostas se encontram no quadro da página 41.
Preste testemunho de como a mensagem de Isaías
Depois que eles examinarem 2 Néfi 13, peça que ajuda a preparar-nos para a Segunda Vinda de Jesus
alguém leia 2 Néfi 14:2–6 em voz alta. (Talvez algum Cristo. Ajude os alunos a compreenderem que não
aluno pergunte se 2 Néfi 14:1 é uma profecia quanto é preciso temer os acontecimentos dos últimos dias
ao casamento plural. Explique-lhes que a proporção de (ver 1 Néfi 22:17). Encontraremos segurança e paz
sete mulheres para cada homem não significa a volta se guardarmos os mandamentos e atendermos à voz
da prática do casamento plural, o que esse número do Senhor.
reflete é o resultado da guerra mencionada em 2 Néfi
2 Néfi 12:1–3; 15:13–30. Isaías Profetizou
13:25. Peça à turma como um todo que identifique as
que o Senhor Levantaria um Estandarte para
bênçãos que as pessoas mencionadas em 2 Néfi 14:2–6
Reunir Israel
desfrutarão. Peça aos alunos que façam uma lista
Peça que alguém leia 2 Néfi 15:13. Diga aos alunos
dessas bênçãos na terceira coluna do quadro, como
que, depois de rejeitarem o Senhor, os filhos de Israel
mostra a página 38.
tornaram-se fisicamente cativos de outras nações.

42
2 Néfi 11–16

• De que forma a condição espiritual de Israel era • De que forma vocês já viram essa profecia cum-
comparável a um cativeiro? prir-se em sua vida? E na vida de seus familiares
• Como nossos pecados nos aprisionam? Como pode- e amigos?
mos ser libertados dessa prisão ou desse cativeiro? • O que podemos fazer para contribuir para que essa
profecia continue a se cumprir?
Depois de falar de algumas das consequências da
apostasia de Israel, Isaías faz advertências específicas. Peça que alguém leia 2 Néfi 12:2–3.
Leia 2 Néfi 15:18–23 com os alunos. Explique-lhes que
• Em sua opinião, qual é a relação entre esses versí-
nessa passagem, Isaías repete a palavra ai, que indica
culos e a profecia de que o Senhor levantaria um
tristeza e sofrimento. Cada vez que ler a palavra ai faça
estandarte para coligar Israel? [Sugere-se que, para
uma breve pausa. Incentive os alunos a marcarem essa
ajudar os alunos a responder a essa pergunta, você
palavra e as palavras-chave que descrevam as coisas
peça que leiam a declaração do Élder LeGrand
que causarão tristeza e sofrimento.
Richards, na página 78 do manual do aluno (também
• Citem alguns dos atos e atitudes mencionados em disponível no DVD que acompanha o curso A ).]
2 Néfi 15:20–25 que fazem com que o Senhor Se ire
Leia a seguinte declaração do Presidente Gordon B.
com Seu povo?
Hinckley (1910–2008), 15º presidente da Igreja (tam-
• O que podemos fazer para não nos tornarmos seme- bém disponível no DVD que acompanha o curso B ):
lhantes às pessoas descritas nos versículos 20–23?

Isaías profetizou que o Senhor levantaria um estan- “Desde que o Templo de Salt Lake foi dedicado,
darte para reunir Israel. No quadro, escreva a seguinte temos interpretado essa escritura de Isaías (…)
definição condensada das acepções da palavra “estan- como referindo-se a esta casa sagrada do Senhor.
darte” encontradas no Vocabulário Portuguez & Latino E falando a respeito desse lugar, desde o dia de
(preparado por Raphael Bluteau e publicado de 1712 sua dedicação, um número cada vez maior de
a 1728, pp. 308–309 ou http://www.ieb.usp.br/online/ pessoas de todo o mundo diz [o equivalente a]:
dicionarios/Bluteau/formBuscaDicionarioPlChave.asp), ‘Vinde, e subamos ao monte do Senhor, e à casa
bem como no Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus
Portuguesa: caminhos, e andemos pelas suas veredas’.

Creio e testifico que é missão desta Igreja ser


Estandarte: insígnia ou bandeira militar usada para um estandarte para as nações e uma luz para o
congregar ou guiar os combatentes.
mundo. Recebemos um encargo, grande e abran-
gente, do qual não podemos nos esquivar e tam-
Peça que alguém leia 2 Néfi 15:26. pouco podemos deixar de lado. Aceitamos esse
• Qual é a relação entre esse estandarte e a casa encargo e estamos decididos a desempenhá-lo. E
de Israel? com a ajuda de Deus, nós o faremos” (Conference
Report, outubro de 2003, p. 86; ou A Liahona,
Sugere-se que você peça aos alunos que leiam a novembro de 2003, pp. 82–83).
declaração do Presidente Joseph Fielding Smith da
página 83 do manual do aluno.
• Como os templos atuais são um cumprimento da
Isaías profetizou que as pessoas viriam “apressada-
profecia de 2 Néfi 12:2–3?
mente” ao verem o estandarte. Peça que alguém leia
2 Néfi 15:27–29, em que Isaías descreve como isso • Como os templos ajudam a Igreja a ser “um estan-
aconteceria. Para ajudá-los a compreender essa profe- darte ante as nações”?
cia, peça aos alunos que leiam a explicação do Élder
LeGrand Richards, na página 83 do manual do aluno.

43
Capítulo 10

2 Néfi 16. Isaías Recebe o Chamado Profético


“Isaías é em todos os aspectos o profeta messiânico
Peça aos alunos que leiam o cabeçalho do capítulo 16
do Velho Testamento e, como tal, é a voz profé-
de 2 Néfi. Peça-lhes que identifiquem os acontecimen-
tica mais penetrante nessa escritura. Mais do que
tos abordados no capítulo. Sugere-se que você anote o
qualquer outra testemunha encontrada no Velho
seguinte no quadro:
Mundo, ele viu e profetizou a vinda do Salvador,
tanto no meridiano dos tempos como Sua volta
Isaías vê o Senhor. versículos  nos últimos dias. O Novo Testamento, o Livro
1–4 de Mórmon, Doutrina e Convênios e os textos
daquela época, como por exemplo os Pergami-
Os pecados de Isaías são versículos  nhos do Mar Morto, citam as palavras de Isaías
perdoados. 5–7 com maior frequência do que as de qualquer
outro profeta do Velho Mundo. (…)
Isaías é chamado para versículos  Até o próprio nome de Isaías (‘Jeová salva’ ou ‘o
advertir, pregar o 8–13
arrependimento e profetizar. Senhor é a salvação’) indica que ele foi preparado
desde o nascimento — ou, para ser mais exato,
desde antes de nascer — para dar testemunho do
Peça a alguém que leia 1 Néfi 16:8 em voz alta. Depois, Messias, da natureza divina de Cristo, em prepa-
peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de ração tanto para Seu ministério mortal como para
Abraão 3:27. a Segunda Vinda” (Christ and the New Covenant:
The Messianic Message of the Book of Mormon,
• Em sua opinião, o que significaria o fato de as pala-
1997, pp. 75–76, 77–78).
vras de Isaías serem iguais às que o Salvador usou
no conselho pré-mortal? 

Para salientar a importância do chamado de Isaías • O que o Élder Holland ensina quanto à importância
e sua magnitude entre os demais profetas, leia esta da vida e do ministério de Isaías?
declaração do Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum • O que Isaías foi pré-ordenado a fazer?
dos Doze Apóstolos:
Preste seu testemunho de que Isaías foi um profeta
de Deus.

44
Capítulo 11 2 Néfi 17–24
2 Néfi 17–24

Introdução menos uma ideia no cabeçalho de cada capítulo e que


digam à turma o que encontraram. Estas são algumas
Por meio de uma série de revelações notáveis, Isaías
das respostas que os alunos podem encontrar:
ficou sabendo do nascimento do Salvador, de Sua
Segunda Vinda, da situação em que a Terra se encon- 1. Nascimento de Jesus Cristo (capítulo 17).
traria nos últimos dias, da paz e alegria do Milênio e da 2. Ele será uma pedra de tropeço para os maus
derrota final do adversário. Essas revelações, escritas (capítulo 18).
segundo “o modo de profetizar dos judeus” (2 Néfi
25:1), também se referiam a coisas que aconteceriam 3. Ele será o Príncipe da Paz (capítulo 19).
na época de Isaías. É verdade que essas revelações 4. Os iníquos serão destruídos na Segunda Vinda
nos ajudam a compreender as condições existentes (capítulos 20 e 23).
na época de Isaías, mas você pode ajudar os alunos a
5. O Senhor levantará um estandarte para reunir Israel
concentrarem-se em seu significado quanto aos últimos
(capítulo 21).
dias. Podemos lê-las com plena confiança em que elas
contêm mensagens para nós hoje — mensagens que 6. No Milênio, todos louvarão o Senhor (capítulo 22).
nos alertam, dão paz e esperança. 7. Depois de coligada, Israel terá paz e descanso no
Milênio (capítulo 24).
Alguns Princípios e Doutrinas
• Jesus Cristo nasceu para governar como Príncipe da Preste testemunho do nascimento e da Segunda Vinda
Paz (ver 2 Néfi 17–18; 19:1–7). do Salvador e de Sua obra grandiosa na Terra nos
últimos dias. 
• Os iníquos serão destruídos na Segunda Vinda (ver
2 Néfi 19:8–21; 20). 2 Néfi 17–18; 19:1–7. Jesus Cristo Nasceu para
• A oposição de Satanás a Deus será totalmente derro- Governar Como Príncipe da Paz
tada (ver 2 Néfi 24). Peça aos alunos que façam uma lista de todos os
títulos de Jesus Cristo de que se lembrarem. Anote as
Sugestões Didáticas sugestões dos alunos no quadro. Peça que procurem
nas páginas 107–110 do Guia para Estudo das Escri-
2 Néfi 17–24. Isaías Profetizou o Nascimento
turas para ver quantos títulos e papéis são atribuídos
e a Segunda Vinda do Salvador
a Jesus Cristo. Depois que os alunos comentarem o
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 17. Diga-lhes que
que encontrarem, peça-lhes que leiam 2 Néfi 17:14.
2 Néfi 17–24 contém profecias que são revelações do
Acrescente o título Emanuel à lista no quadro, ou
Senhor por meio de Isaías. Essas profecias aplicam-se à
circule-o, caso já esteja na lista. Pergunte se os alunos
época de Isaías bem como aos últimos dias. Para ajudar
sabem o que esse título significa. Caso ninguém saiba
os alunos a compreenderem isso, peça-lhes que leiam o
a resposta, peça-lhes que leiam a definição da palavra
seguinte nas páginas 86–87 do manual do aluno: a intro-
Emanuel no Guia para Estudo das Escrituras ou na
dução do capítulo 11, o panorama geral e o contexto de
página 88 do manual do aluno.
2 Néfi 17–24 e a declaração do Élder ­Dallin H. Oaks.
• O que significa o título Emanuel  ?
Para ajudá-los a compreender as implicações das
profecias de Isaías quanto aos últimos dias, peça- O significado maior dessa profecia encontra-se no
lhes que leiam o cabeçalho dos capítulos 17–24 de Novo Testamento, em Mateus 1:18–25. Peça aos alunos
2 Néfi (informe os alunos de que foi o Élder Bruce R. que leiam essa passagem.
McConkie, do Quórum dos Doze Apóstolos, quem
• Como a profecia de Isaías quanto a Emanuel
escreveu os cabeçalhos dos capítulos do Livro de Mór-
se cumpriu?
mon). Incentive-os a sublinhar os elementos relacio-
nados às profecias quanto ao nascimento e à Segunda • Em que situações de sua vida vocês viram que o
Vinda de Jesus Cristo. Peça-lhes que encontrem pelo Senhor é mesmo Emanuel, ou “Deus conosco”?

45
Capítulo 11

2 Néfi 19:6–7 é uma das profecias mais conhecidas a na “cronologia” do Guia para Estudo das Escrituras,
respeito do Salvador. Leia essa passagem em classe. páginas 44–45).
Saliente que o versículo 6 contém cinco títulos de
Anote os seguintes títulos e referências de escrituras
Jesus Cristo.
no quadro, mas não inclua as respostas numeradas
Anote os cinco títulos no quadro. Divida a turma em das colunas.
cinco grupos. Encarregue cada grupo de ponderar um
título diferente com toda atenção. Peça aos alunos que
Reino de Israel Assíria
troquem ideias sobre como Jesus Cristo desempenhou
2 Néfi 19:8–10, 13, 2 Néfi 20:5–15
esses papéis durante Seu ministério terreno, como Ele
17–20; 20:1–2
os desempenha hoje e como continuará a desempe-
nhá-los no Milênio. Peça a cada grupo que escolha 1. Orgulho (19:9–10) 1. Desejo de destruir
um porta-voz para apresentar à turma um resumo das outros (20:7)
2. Não buscar o Senhor
conclusões do grupo. (19:13) 2. Idolatria (20:11)
• Como o conhecimento dos papéis que Jesus Cristo 3. Hipocrisia e más ações 3. Arrogância —
(19:17) altivez e vanglória
desempenha afeta nosso modo de viver?
(20:12–14)
4. Egoísmo e ganância
Se o tempo permitir, peça aos alunos que decorem o (19:19–20) 4. Recusa em reconhe-
versículo 6. cer o poder de Deus
5. Voltar as costas aos
(20:15)
pobres e necessitados
Fale aos alunos do amor que você tem ao Salvador
(20:2)
e das bênçãos que recebe todos os dias graças a Ele.
Você poderia também sugerir aos alunos que falem do
que eles sentem a esse respeito. Divida a turma em dois grupos. Peça a um grupo que
examine os versículos da primeira coluna à procura
2 Néfi 19:8–21; 20. Os Iníquos Serão Destruídos dos pecados do reino de Israel. Peça ao outro grupo
na Segunda Vinda que examine os versículos da segunda coluna à
Peça aos alunos que leiam (ou releiam) o cabeçalho do procura dos pecados dos assírios. Depois de dar-lhes
capítulo 20 de 2 Néfi. Esse capítulo contém a profecia tempo suficiente para terminar a tarefa, peça aos alu-
de Isaías quanto à destruição da Assíria — profecia nos que escrevam no quadro o que encontraram. Veja
essa que já se cumpriu. Contudo, quando Isaías pro- acima algumas das respostas possíveis.
fetizou a destruição da Assíria, essa profecia também
Explique aos alunos que, depois de mais de 200 anos
se referia à destruição dos iníquos nos últimos dias.
de iniquidade, as dez tribos e o reino de Israel foram
Lembre aos alunos o quanto os símbolos são impor-
conquistados pelos assírios, que levaram muitos cativos
tantes para a compreensão das profecias antigas (ver o
para a Assíria. Essas dez tribos passaram a ser chama-
capítulo 10 deste manual).
das de “as dez tribos perdidas”.
Explique-lhes que no tempo de Isaías, a casa de Israel
Os assírios também arcaram com as consequências da
estava dividida em dois reinos. As tribos de Judá e Ben-
própria iniquidade. Apesar de serem uma nação pode-
jamim, com sede na cidade de Jerusalém, formavam o
rosa, nunca conseguiram formar um governo estável e,
chamado reino de Judá. Isaías era súdito desse reino.
por fim, foram conquistados pelos medos e babilônios.
As outras dez tribos formaram um reino ao norte,
com capital na cidade de Siquém, que é Samaria. Elas Volte a mostrar a tabela esboçada no quadro. Faça as
formavam o chamado reino de Israel, que também era seguintes perguntas para ajudar os alunos a compreen-
chamado de Efraim, pois essa tribo constituía o grupo derem a interpretação das advertências proféticas de
dominante no reino. Ao mesmo tempo, o reino da Isaías para os últimos dias:
Assíria ficava cada vez mais poderoso (ver o quadro de • De que forma esses pecados são evidentes hoje?
acontecimentos históricos dos reinos de Judá e Israel
• Como podemos resistir a essas tendências iníquas?

46
2 Néfi 17–24

Ajude os alunos a compreenderem quais serão as Saliente que mesmo depois dos cataclismos que
consequências desses pecados nos últimos dias. Para precederão a Segunda Vinda (ver D&C 45:33, 39–42;
isso, encarregue seis alunos de lerem os seguintes 88:87–91; 133:49), as pessoas louvarão o Senhor por
versículos: 2 Néfi 20:16, 17, 23, 26, 33, 34. Peça aos Sua bondade e misericórdia (ver 2 Néfi 22:1–2; D&C
demais que acompanhem a leitura nas próprias escri- 133:40–52).
turas e tomem nota das palavras que se referem aos
• De acordo com os versículos 1–2, o que fará com
juízos preditos.
que as pessoas louvem o Senhor durante o Milênio? 
• Que tipo de calamidades o Senhor decretou para
Preste seu testemunho de que o Milênio se aproxima
os iníquos nos últimos dias? (Fome, fogo, flagelos,
e é real e de como podemos aguardar essa época
destruição, terror, ser cortados ou derrubados como
de alegria.
árvores, queda de reinos.) 
2 Néfi 24. A Oposição de Satanás a Deus Será
Peça que alguém leia 2 Néfi 20:20–22. Depois, chame
Totalmente Derrotada
a atenção dos alunos para as palavras “se apoiarão” no
Copie a seguinte tabela no quadro, mas não copie o
versículo 20.
que está escrito na segunda coluna:
Diga aos alunos que nessa passagem, o verbo apoiar
significa empregar algo como alicerce ou confiar em
algo ou alguém. Peça ao mesmo aluno que leia nova- 2 Néfi 24 O Senhor:
mente os versículos 20–22, desta vez substituindo as versículo 1 Terá misericórdia de Seu povo.
palavras “se apoiarão” por “se alicerçarão” ou “confia-
rão”. versículo 2 Levará Seu povo às terras de sua
herança.
• Como esse esclarecimento os ajuda a compreender
esses versículos? versículo 3 Dará a Seu povo descanso das
tristezas, medo e cativeiro.
• O que Isaías ensinou quanto a abster-se do mal e
evitar os juízos que virão? versículo 5 Porá fim ao poder dos iníquos.

• O que o Senhor nos forneceu em nossa época para


ajudar-nos a apoiar-nos Nele? Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de 2 Néfi
24:1–8 à procura das coisas que o Senhor fará por
2 Néfi 21. O Ramo, a Vara e o Tronco de Jessé Seu povo nos últimos dias. Depois de dar-lhes tempo
Para um esclarecimento útil quanto a esse capítulo, ver suficiente para terminar a tarefa, peça-lhes que digam
Doutrina e Convênios 113 e a página 93 do manual o que encontraram. Anote as respostas dos alunos no
do aluno. quadro. Veja acima algumas das respostas possíveis.

2 Néfi 22. O Milênio Será um Período de Mil Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 24:12–20 à procura
Anos de Paz e Alegria de qual será o destino final de Lúcifer.
Peça aos alunos que leiam ou releiam o cabeçalho do • De acordo com a profecia de Isaías, o que aconte-
capítulo 22 de 2 Néfi, que esclarece que esse capítulo cerá com Satanás?
trata do Milênio. O capítulo inclui duas expressões de
• Que atitudes levaram Satanás a ser expulso do
gratidão. Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa
mundo pré-mortal?
de 2 Néfi 22.
Fale do quanto você é grato por saber que o Senhor
• De acordo com os versículos 4–6, o que os justos
triunfará e que Satanás será derrotado. Além disso,
dirão durante o Milênio?
você poderia sugerir aos alunos que prestem o próprio
testemunho.

47
Capítulo 12
Capítulo 12
2 Néfi 25–27

Introdução 4. Conhecer a região circunvizinha de Jerusalém tal qual


Depois de transcrever alguns dos escritos de Isaías (ver era na época de Isaías (ver versículo 6).
2 Néfi 12–24), Néfi fez seus próprios comentários inspi- 5. Viver na época do cumprimento das profecias de
rados. Seu entendimento das profecias de Isaías pode Isaías (ver versículo 8).
ser resumido em três categorias. Primeiro, ele afirmou
que Jesus Cristo é a única fonte de salvação. Segundo, Saliente que nem todos os membros da Igreja alcan-
advertiu os leitores que viveriam nos últimos dias çam a plena compreensão dos itens 1, 3 e 4 da lista
destes grandes males: o orgulho, as artimanhas sacer- acima, mas todos podem receber o espírito de profecia
dotais e as combinações secretas. Terceiro, citou outras e, como vivemos nos últimos dias, podemos obser-
profecias de Isaías, dando destaque à Restauração do var o cumprimento gradual das profecias de Isaías.
evangelho de Jesus Cristo e ao surgimento do Livro de Ainda que não vejamos o cumprimento de todas elas,
Mórmon. Durante o debate dos ensinamentos de Néfi, podemos saber que as coisas preditas por Isaías estão
os alunos verão como o Livro de Mórmon dá testemu- acontecendo a nossa volta.
nho da missão do Salvador e oferece uma forma de
Peça que alguém leia 2 Néfi 25:4 e, depois, peça a
remediar os males dos últimos dias.
outro aluno que leia Apocalipse 19:10.
Alguns Princípios e Doutrinas • Como Apocalipse 19:10 define o espírito de ­profecia?
• A salvação só é possível por meio de Jesus Cristo
Se tiver anotado no quadro a lista de respostas dos
(ver 2 Néfi 25:19–30).
alunos, acrescente: Ter um testemunho de Jesus. Sugira
• Nos últimos dias, o orgulho, as combinações secretas que os alunos anotem Apocalipse 19:10 na margem das
e as artimanhas sacerdotais serão pedras de tropeço escrituras, junto ao versículo 4 do capítulo 25 de 2 Néfi.
para muitos (ver 2 Néfi 26:20–31).
• Em sua opinião, por que é mais fácil compreender
• Nos últimos dias o Senhor realizará “uma obra mara- as profecias de Isaías para aqueles que têm um tes-
vilhosa e um assombro” (ver 2 Néfi 27). temunho de Jesus Cristo? 

Sugestões Didáticas Incentive os alunos a procurarem menções ao Salvador


e Seu sacrifício expiatório ao estudarem as profecias
2 Néfi 25:1–8. O Espírito de Profecia Torna
de Isaías.
Claras as Verdades do Evangelho
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de 2 Néfi 2 Néfi 25:19–30. A Salvação Só É Possível por
25:1–8 à procura de ideias que ajudem as pessoas a meio de Jesus Cristo
compreenderem as profecias de Isaías. Dê-lhes tempo Peça aos alunos que passem os olhos por 2 Néfi
suficiente para isso e, depois, peça-lhes que digam o 25:19–30 e observem o número de vezes que a palavra
que encontraram. Sugere-se que você anote as respostas Cristo aparece. Pergunte se alguém sabe o significado
no quadro. Estas são algumas das possíveis respostas: dessa palavra. Se ninguém souber, peça aos alunos que
procurem o verbete “Jesus Cristo” no Guia para Estudo
1. Compreender o modo de profetizar dos judeus da das Escrituras e leiam a definição da palavra “Cristo”
época de Isaías (ver versículo 1).
que se encontra ali.
2. Ter o espírito de profecia (ver versículo 4).
• Como o título Cristo reflete a missão do Salvador?
3. Ser ensinados da mesma forma que os judeus eram
ensinados na época de Isaías (ver versículo 5). Leia a seguinte declaração em que o Élder Gary J.
Coleman, dos Setenta, dá testemunho da importância
fundamental do Salvador em nossa vida:

48
2 Néfi 25–27

Peça aos alunos que falem das bênçãos que receberam


“O grande plano de Deus proporcionou-nos um por reconhecer que o Salvador é sua fonte de salvação.
Salvador. Todas as pessoas responsáveis pelos Se quiser, preste seu testemunho também.
próprios atos pecam e precisam passar pela
experiência da morte ao fim da vida terrena. Por 2 Néfi 26:20–31. Nos Últimos Dias, o Orgulho,
isso, Deus enviou Jesus Cristo para ajudar-nos a as Combinações Secretas e as Artimanhas
sobrepujar o pecado e a morte e, assim, cumprir Sacerdotais Serão Pedras de Tropeço para Muitos
o plano. Jesus é nosso Salvador e Redentor. Por Copie esta tabela no quadro, mas não inclua as pala-
meio do sacrifício expiatório que realizou por vras que se encontram abaixo dos números dos versí-
todos nós, ajuda-nos a vencer o pecado mediante culos:
o arrependimento e o batismo. E graças a Sua
Ressurreição, todos triunfarão sobre a morte e Iniquidade nos Últimos Dias — 2 Néfi 26
a sepultura. Temos fé para seguir a Jesus Cristo
e tornar-nos mais semelhantes a Ele. Oh! Como versículos  versículo 22 versículos 
20–21 29–30
amamos nosso amigo, o Senhor Jesus Cristo. ‘Não
há outro nome (…) debaixo do céu mediante o orgulho, inveja, combinações artimanhas
qual o homem possa ser salvo’ [2 Néfi 25: 20]. Sei discórdia, secretas sacerdotais
que Jesus nos salva do pecado e da morte” [Confe- maldade
rence Report, abril de 2000, p. 35; ver também
A Liahona, julho de 2000, pp. 34–35, (tradução Divida a turma em três grupos. Dê uma dessas pas-
atualizada)]. sagens a cada grupo. Peça que cada grupo examine
a escritura que recebeu em busca dos pecados que,
de acordo com Néfi, seriam comuns nos últimos dias.
Peça aos alunos que, em silêncio, estudem 2 Néfi Depois que os grupos tiverem encontrado os pecados
25:23–30 à procura do que Néfi diz e ensina acerca citados por Néfi, anote suas respostas no quadro, como
do Salvador. Depois de dar-lhes tempo suficiente indicado acima.
para terminar, peça aos alunos que formem duplas
e comparem o que encontraram nesses versículos. Para ajudá-los a compreender o significado da expres-
Peça que cada aluno escolha uma das coisas ditas por são artimanhas sacerdotais, peça-lhes que releiam a
Néfi e diga à turma por que esse ponto específico é explicação dada por Néfi em 2 Néfi 26:29–31. Suge-
importante. re-se também que os alunos leiam a declaração do
Élder M. Russell Ballard, na página 102 do manual do
Quando as duplas terminarem a tarefa, peça-lhes que aluno (também disponível no DVD que acompanha o
reparem no versículo 23. curso A ).
• Néfi ensinou que somos salvos pela graça. O que a Diga aos três grupos que releiam a escritura que
expressão “tudo o que pudermos fazer” inclui? (Ver, receberam à procura de atos e atitudes específicas que
por exemplo, Mosias 4:29–30; Alma 24:11; D&C são resultado de cada transgressão citada. Depois de
58:26–27    .) dar-lhes tempo suficiente, peça que um aluno de cada
• Como Néfi e outras pessoas ajudaram os filhos a grupo anote no quadro aquilo que seu grupo encon-
concentrarem-se em Jesus Cristo? trou.
• De que forma podemos falar de Cristo, regozijar-nos • Em sua opinião, por que essas transgressões são
em Cristo e pregar a Cristo?  abomináveis ao Senhor?
• De que forma podemos aprender as coisas do Salva- • O que podemos fazer para combater os males
dor e aplicar os princípios da Expiação a nossa vida? citados nessa profecia? Que conselhos dos profetas
modernos podem ajudar-nos a permanecer fiéis?

49
Capítulo 12

Isaías 29 2 Néfi 26–27 Outras Verdades Contidas no Livro de Mórmon


1–3 nada

Nada 27:1 A profecia se cumpriria nos últimos dias.

4–5 26:15–18 As palavras que falarão “desde o pó” seriam escritas pelos descendentes de
Néfi e seus irmãos.

6–10 27:2–14 O livro seria entregue a um homem (Joseph Smith) que, por sua vez, o entrega-
ria a outro homem (Martin Harris). Seria permitido que as três testemunhas
vissem o livro. Outras pessoas também dariam testemunho do livro.

11–12 27:15–23 Dá-nos mais informações quanto ao caso das palavras do livro que seriam
levadas ao instruído (ver também Joseph Smith—História 1:63–65).

13–24 27:24–35 2 Néfi 27:24–25 deixa claro quem está falando.

2 Néfi 27. Nos Últimos Dias o Senhor Realizará • Como essa antiga profecia fortalece o seu testemu-
“uma Obra Maravilhosa e um Assombro” nho do Livro de Mórmon e da Restauração da Igreja
Antes do início da aula, copie no quadro a tabela do Senhor?
acima ou prepare cópias para entregar aos alunos. Não
Peça que alguém leia 2 Néfi 27:25–26.
inclua os dados da terceira coluna.
• O que Isaías disse que o Senhor faria por Seu povo
Peça aos alunos que leiam o cabeçalho do capítulo
nos últimos dias?
27 de 2 Néfi. Explique-lhes que esse capítulo contém
as profecias mais importantes relativas à Restaura- • De que forma o Livro de Mórmon faz parte dessa
ção da Igreja nos últimos dias — a profecia sobre o obra maravilhosa e desse assombro que ocorreriam
surgimento do Livro de Mórmon. Diga também que os em todo o mundo?
capítulos 26 e 27 de 2 Néfi contêm muitos pormenores Para ajudar os alunos a responderem a essa pergunta,
importantes que não constam no texto das profecias de peça-lhes que leiam estes versículos: 2 Néfi 27:29–30,
Isaías encontrado na Bíblia. O acréscimo desses por- 33–35; 28:2. Peça-lhes que marquem as bênçãos que
menores pode ser devido à restauração do texto origi- adviriam do surgimento do Livro de Mórmon.
nal de Isaías, ou podem ser esclarecimentos inspirados
• Como vocês veem essas bênçãos e o cumprimento
dos ensinamentos de Isaías, feitos por Néfi. Para ajudar
dessas promessas hoje?
os alunos a perceberem esses pormenores adicionais,
chame a atenção dos alunos para o quadro. Peça-lhes • Como podemos envolver-nos mais em ajudar outras
que comparem os versículos de Isaías 29 com os versí- pessoas a receberem essas bênçãos?
culos correspondentes de 2 Néfi 26 e 27. Diga aos alunos que, nas escrituras que lerão em
Enquanto comparam os versículos, peça-lhes que iden- preparação para a próxima aula, as profecias de Néfi
tifiquem as verdades quanto ao surgimento do Livro de quanto ao Livro de Mórmon continuarão e falarão,
Mórmon que se encontram em 2 Néfi 26 e 27, mas que entre outras coisas, de qual seria a reação de algumas
não constam em Isaías 29. Sugira que eles marquem pessoas do mundo diante do livro. Preste seu testemu-
essas verdades no próprio Livro de Mórmon. Depois de nho do surgimento do Livro de Mórmon.
dar-lhes tempo suficiente, peça-lhes que falem do que
encontraram. Sugere-se que você anote as respostas no
quadro. A terceira coluna do quadro contém algumas
possíveis respostas.

50
Capítulo 13 2 Néfi 28–30
2 Néfi 28–30

Introdução Divida a turma em quatro grupos. Peça a cada grupo


que estude um dos quatro blocos de escrituras anotados
Em 2 Néfi 28–30, Néfi descreve as condições difíceis
no quadro. Peça aos grupos que identifiquem as doutri-
que existiriam nos últimos dias. Ao ensinar o conteúdo
nas falsas que, de acordo com a profecia de Néfi, seriam
de 2 Néfi 28, você pode ajudar os alunos a reconhece-
comuns nos últimos dias. Depois de dar-lhes tempo sufi-
rem as doutrinas “vãs e tolas” do mundo — as influên-
ciente para terminar, peça aos grupos que anotem no
cias e atitudes do mundo que podem afetar a fé. Por
quadro as doutrinas falsas que encontraram. As seguin-
meio do que você ensinará quanto à profecia de Néfi
tes perguntas podem ajudá-lo a orientar o debate:
contida em 2 Néfi 29 e sua relação com a profecia de
Isaías encontrada em 2 Néfi 27, os alunos poderão • O que há de errado com cada um desses ensina-
descobrir meios de ajudar outros a aceitarem o Livro mentos?
de Mórmon como sendo uma segunda testemunha de • Em sua opinião, por que esses ensinamentos são
Jesus Cristo. Por fim, 2 Néfi 30 dará a você e a seus atraentes para tantas pessoas? O que podemos fazer
alunos a oportunidade de conversar sobre as condi- para resistir à tentação de aceitar esses ensinamentos?
ções que existirão durante o Milênio. Ajude os alunos a
ver as recompensas que aguardam o povo do convênio Explique-lhes que Néfi alertou-nos quanto ao orgulho
do Senhor. que existiria nos últimos dias. Peça aos alunos que
passem os olhos pelos versículos 7–16 à procura da
Alguns Princípios e Doutrinas palavra orgulho e de outras palavras que se refiram
• Nos últimos dias muitas pessoas serão enganadas ao orgulho.
por doutrinas falsas (ver 2 Néfi 28). • Que palavras vocês encontraram? O que essas
• O Livro de Mórmon juntamente com a Bíblia prestam palavras nos ensinam quanto ao orgulho? Por que
testemunho de que o Senhor é Deus (ver 2 Néfi 29). o orgulho é um pecado perigoso?
• A obediência, o arrependimento e a fé em Jesus • Como podemos ser “humildes seguidores de Cristo”?
Cristo nos qualificam a transformar-nos no povo do (2 Néfi 28:14).
convênio do Senhor (ver 2 Néfi 30:1–8). • O que os versículos 20–22 dizem quanto aos méto-
dos de Satanás? 
Sugestões Didáticas
Preste testemunho de como o Livro de Mórmon pode
2 Néfi 28. Nos Últimos Dias Muitas Pessoas ajudar-nos, se permanecermos firmes e não cedermos
Serão Enganadas por Doutrinas Falsas
aos ensinamentos falsos que encontrarmos nos últi-
Peça aos alunos que ponderem a relação entre as dou- mos dias.
trinas falsas e o orgulho enquanto estudam 2 Néfi 28.
2 Néfi 29. O Livro de Mórmon Juntamente
Copie a seguinte tabela no quadro:
com a Bíblia Prestam Testemunho de que o
Senhor É Deus
2 Néfi 28:1–8 2 Néfi 28:9–16 Peça aos alunos que leiam o capítulo 27 de 2 Néfi, inclu-
sive o cabeçalho. Peça a alguém que leia 2 Néfi 29:1–2.
• Quais são as semelhanças entre 2 Néfi 27 e 2 Néfi 29?

Certifique-se de que os alunos percebam que em


2 Néfi 28:17–24 2 Néfi 28:25–32 2 Néfi 29, Néfi continua a tratar dos temas ensinados
por Isaías em 2 Néfi 27.
• De que forma o Livro de Mórmon é uma “obra mara-
vilhosa” (2 Néfi 29:1) no mundo de hoje?

51
Capítulo 13

• Em sua opinião, o que significa dizer que o Senhor 8. Nos últimos dias, três escrituras servirão de teste-
vai recuperar Seu povo? (Ver 2 Néfi 29:1). De que munhas: a Bíblia, o Livro de Mórmon e os registros
forma o Senhor utiliza o Livro de Mórmon para isso? mantidos pelas tribos perdidas de Israel (ver ver-
• De que forma as palavras do Livro de Mórmon sículo 13; observe que haverá outras testemunhas,
“[silvam] até os confins da Terra”? (2 Néfi 29:2.) entre elas Doutrina e Convênios, Pérola de Grande
(Sugere-se que você peça aos alunos que leiam a Valor e os ensinamentos dos profetas modernos).
declaração do Presidente Ezra Taft Benson e do Pre- 9. As escrituras de todas as nações serão combinadas
sidente Gordon B. Hinckley que se encontram nas para demonstrar que o Senhor é Deus (ver versí-
páginas 109–110 do manual do aluno. As palavras culo 14).
do Presidente Benson também se encontram no
• O que mais os impressiona na resposta do Senhor
DVD que acompanha o curso A ).
que vemos nesses versículos? Vocês já viram que
Diga aos alunos que a despeito dos propósitos do Suas palavras são verdadeiras?
Livro de Mórmon e das circunstâncias de seu surgi- • Como poderíamos usar 2 Néfi 29 para responder às
mento serem “maravilhosos” muitas pessoas do mundo dúvidas das pessoas quanto ao Livro de Mórmon?
não o aceitarão. Peça que alguém leia 2 Néfi 29:3.
Se possível, convide dois ex-missionários para irem a
Diga aos alunos que o restante do capítulo é a pala-
sua classe e contarem alguma experiência que tiveram
vra do Senhor para aqueles que dizem que só a Bíblia
ao apresentar o Livro de Mórmon a pesquisadores.
contém a palavra do Senhor. Peça aos alunos que leiam
Diga-lhes que pode ser a história de alguém que acei-
2 Néfi 29:7–14 individualmente ou em duplas e anotem
tou prontamente o livro ou de alguém que o rejeitou
nas próprias escrituras o que o surgimento do Livro de
ou teve dificuldade em aceitá-lo. Pergunte a esses ex-
Mórmon mostra ao mundo. Dê-lhes tempo suficiente
missionários o que aprenderam com essa experiência.
para isso e, depois, peça-lhes que digam o que encon-
Se quiser, você também pode contar uma experiência
traram. Estas são algumas das respostas que os alunos
sua e falar do que aprendeu com ela.
podem encontrar:
2 Néfi 30:1–8. A Obediência, o
1. Deus Se lembra de Seus filhos de todas as nações e
Arrependimento e a Fé em Jesus Cristo
envia Sua palavra a todos os povos (ver versículo 7).
Nos Qualificam a Transformar-nos no
2. As pessoas não deviam reclamar por receberem Povo do Convênio do Senhor
mais palavras do Senhor (ver versículo 8). Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
3. O Senhor diz as mesmas coisas a todas as nações 2 Néfi 30:1–2.
(ver versículo 8). • De acordo com Néfi, o que é preciso que cada pes-
4. O Senhor é sempre o mesmo e diz o que quer (ver soa faça para tornar-se parte do povo do convênio
versículo 9). do Senhor?
• Em sua opinião, por que o arrependimento é
5. Não se deve presumir que a Bíblia contém tudo o
necessário à medida que fazemos convênios com
que o Senhor já disse nem que o Senhor não fez
o Senhor? E por que precisamos acreditar em
com que mais coisas fossem escritas (ver o versí-
Jesus Cristo?
culo 10; ver também o parágrafo “Escrituras perdi-
das” no Guia para Estudo das Escrituras). Peça a seis alunos que leiam 2 Néfi 30:3–8 em voz alta,
6. O Senhor ordena que todos os povos de todas as um versículo por aluno. Peça aos alunos que identifi-
nações registrem Suas palavras (ver versículo 11). quem o conhecimento que seria restaurado à posteri-
dade de Néfi e aos judeus nos últimos dias. (Saliente
7. O Senhor julgará as nações pelos livros que Ele que em 2 Néfi 30:1–8, Néfi mencionou os mesmos
ordenou que fossem escritos (ver versículos 11–12). grupos de pessoas mencionados por Morôni na folha

52
2 Néfi 28–30

de rosto do Livro de Mórmon: os gentios, os judeus e 2 Néfi 21:6–9). Depois, ele vai além da profecia de
os lamanitas.) Isaías e acrescenta outros pormenores. Peça que
alguém leia do versículo 16 ao 18. Chame a atenção
• Em sua opinião, como saber dessas coisas ajudará
dos alunos para a promessa de que “Satanás já não
os dispersos de Israel a coligarem-se e voltarem
terá poder sobre o coração dos filhos dos homens, por
ao convênio?
um longo tempo”. Depois, peça que alguém leia 1 Néfi
• De acordo com o versículo 8, onde está o povo 22:26.
do Senhor?
• Por que Satanás não terá poder sobre o coração
• O que podemos fazer para ajudar os outros a fazer
das pessoas?
convênios com o Senhor e guardá-los?
Leia a seguinte declaração do Presidente Spencer W.
2 Néfi 30:9–18. Durante o Milênio, Satanás Não Kimball (1895–1985), 12º presidente da Igreja:
Terá Poder sobre o Coração das Pessoas
Néfi profetizou que antes do reinado milenar do Salva-
“Quando Satanás for amarrado em um único lar,
dor na Terra, haveria uma grande divisão entre o povo.
quando Satanás for amarrado em uma única vida,
Peça a um aluno que leia 2 Néfi 30:9–10. Sugere-se que
o milênio já terá começado naquele lar e naquela
você também peça aos alunos que leiam Doutrina e
vida” [The Teachings of Spencer W. Kimball,
Convênios 63:54.
Edward L. Kimball (org.), 1982, p. 172].
• Atualmente que indícios vocês veem de que essa
divisão crescente entre o bem e o mal está aconte-
cendo? Preste seu testemunho do princípio ensinado pelo
Presidente Kimball. Peça aos alunos que ponderem
Diga aos alunos que em 2 Néfi 30:12–15, Néfi repete em silêncio sobre o que podem fazer para começar a
uma das profecias de Isaías quanto ao Milênio (ver receber as bênçãos do Milênio.

53
Capítulo 14
Capítulo 14
2 Néfi 31–33

Introdução “A ‘doutrina de Cristo’, conforme Néfi ensinou em


Em sua mensagem final ao povo, Néfi ensinou a dou- seu grandioso discurso final, centraliza-se na fé
trina de Cristo “de acordo com a clareza de [seu modo no Senhor Jesus Cristo, no arrependimento, no
de] profetizar” (2 Néfi 31:2 ). Ele ensinou que precisa- batismo por imersão, no recebimento do dom do
mos seguir o exemplo de Jesus Cristo, arrepender-nos Espírito Santo e na perseverança até o fim. (…)
de nossos pecados, ser batizados, receber o Espírito Sempre que o Livro de Mórmon menciona a ‘dou-
Santo e perseverar até o fim. Essa “doutrina de Cristo” trina de Cristo’, trata-se de algo simples e direto;
foi revelada pela voz de Jesus Cristo e confirmada pela que se concentra exclusivamente nos primeiros
voz do Pai (ver 2 Néfi 31:12, 15). Néfi declarou que princípios do evangelho e nos incentiva a perse-
se seguirmos a doutrina de Cristo receberemos a vida verar, persistir e seguir em frente. Na verdade, o
eterna (ver 2 Néfi 31:20). impacto da ‘doutrina de Cristo’ vem de sua clareza
Mais adiante em sua mensagem, Néfi incentivou-nos a e simplicidade. (…)
banquetear-nos com as palavras de Cristo (ver 2 Néfi
A doutrina de Cristo não é complicada. É pro-
32:3), receber o Espírito Santo (ver 2 Néfi 32:5) e orar
funda, bela, clara, precisa e completa” (Christ and
sempre (ver 2 Néfi 32:9). Ao ensinar a mensagem de
the New Covenant: The Messianic Message of the
Néfi, você pode assegurar aos alunos que, se sempre
Book of Mormon, 1997, pp. 49–50, 56).
seguirem a inspiração do Espírito Santo, Ele lhes mos-
trará todas as coisas que devem fazer (ver 2 Néfi 32:5).
Néfi concluiu sua mensagem com um apelo para que Diga aos alunos que Néfi ensinou a doutrina de Cristo
acreditemos em Jesus Cristo. Ensinou que, se acredi- em 2 Néfi 31.
tarmos em Cristo, estaremos preparados para receber Peça-lhes que estudem 2 Néfi 31:5–9 e encontrem os moti-
Suas palavras contidas nas escrituras (ver 2 Néfi 33:10). vos por que Jesus Cristo foi batizado. Anote as respostas
Você pode ajudar os alunos a compreenderem como dos alunos no quadro. Algumas possíveis respostas são
a fé que têm no Senhor Jesus Cristo amplia sua capa- que Ele foi batizado para cumprir toda a justiça, humi-
cidade de compreender Suas palavras transmitidas por lhar-Se diante do Pai, fazer convênio de ser obediente,
meio dos profetas modernos e de ser grato por elas. poder entrar no reino celestial e dar-nos o exemplo.

Alguns Princípios e Doutrinas Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
• A doutrina de Cristo leva à vida eterna (ver 2 Néfi 31). 2 Néfi 31:10–18, e que depois procurem o que esses
versículos ensinam sobre a fé, o arrependimento, o
• As palavras de Cristo e o Espírito Santo nos ensinam
batismo, o dom do Espírito Santo e sobre perseverar
o que devemos fazer (ver 2 Néfi 32; 33:1–5).
até o fim. Diga-lhes que fiquem atentos ao significado
• Quem acredita em Jesus Cristo também acredita nas dos ensinamentos de Néfi bem como a palavras especí-
palavras de Néfi (ver 2 Néfi 33:3–15). ficas. Por exemplo, além de procurar a palavra fé, eles
também devem procurar exemplos de fé.
Sugestões Didáticas
Depois de dar-lhes tempo suficiente para ler e pon-
2 Néfi 31. A Doutrina de Cristo Leva derar, ajude-os a trocar ideias sobre aquilo que des-
à Vida Eterna cobriram. Para ajudar os alunos a compreenderem a
Escreva no quadro: A Doutrina de Cristo. Diga aos alu- natureza fundamental dos princípios e ordenanças
nos que Néfi usou essa expressão em 2 Néfi 31:2, 21. citados nesses versículos, aborde um princípio ou
Leia a seguinte declaração em que o Élder Jeffrey R. ordenança por vez.
Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, explica Assegure-se de que os alunos entendam que cada um
como a “doutrina de Cristo” ensinada no Livro de desses princípios é necessário para recebermos todas
­Mórmon é simples e direta: as bênçãos da Expiação. Esses princípios e ordenanças

54
2 Néfi 31–33

são o alicerce da doutrina de Jesus Cristo porque sem Dê-lhes um momento para ponderar a próxima per-
eles não nos é possível chegar onde Cristo está. gunta. Sugira que cada um anote para si a resposta que
encontrar para a pergunta.
Faça algumas das seguinte perguntas (ou todas elas)
para orientar o debate: • Como você pode seguir ao Senhor mais plenamente?
• Além das razões pelas quais Jesus foi batizado, quais 2 Néfi 31:19–20; 32:2–3. Banquetear-se com as
são alguns motivos por que nós precisamos do Palavras de Cristo
batismo? [Para receber o Espírito Santo (ver versí- Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 31:19–20; 32:2–3.
culos 12–14), para receber a remissão de nossos
pecados (ver versículo 17) e para que nos tornemos • Para vocês, o que significa prosseguir? Para vocês,
membros da Igreja (ver D&C 20:37).] o que significa banquetear-se com as palavras de
Cristo? Onde encontramos as palavras de Cristo?
• Com esses versículos, o que vocês aprenderam sobre
a fé? Sobre o arrependimento? Sobre o batismo? Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft
Sobre o dom do Espírito Santo? E sobre perseverar ­Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
até o fim?
• Qual é a relação entre os primeiros princípios “Temos de achegar-nos a Cristo e ser aperfeiçoa-
e ordenanças do evangelho e a Expiação de dos Nele (Morôni 10:32). Temos que achegar-nos
Jesus Cristo? com o coração quebrantado e o espírito contrito
• Como cada elemento da doutrina de Cristo conduz (ver 3 Néfi 12:19), com fome e sede de retidão
ao elemento seguinte? Por exemplo, como a fé leva (ver 3 Néfi 12:6); temos que achegar-nos ban-
ao arrependimento? Como o Espírito Santo nos ajuda queteando-nos com as palavras de Cristo (2 Néfi
a perseverar até o fim? 31:20) como as recebemos por meio de Suas escri-
turas, Seus ungidos e do Espírito Santo (A Witness
• De que forma todos esses princípios e ordenanças
and a Warning, 1988, p. 51).
são inter-relacionados?

Ajude os alunos a perceberem que o arrependimento


e o batismo não são a porta para o reino celestial. Eles • De que forma o ato de banquetear-nos com as
são a entrada para o caminho que leva à vida eterna. palavras de Jesus Cristo ajuda-nos a ter ‘um perfeito
Peça aos alunos que examinem 2 Néfi 31:19–20 e esplendor de esperança e amor a Deus e a todos
identifiquem os princípios que precisamos seguir para os homens’?
alcançar a vida eterna. Incentive os alunos a marcarem • Como nosso amor às escrituras nos ajuda a perseve-
esses princípios nas próprias escrituras. rar até o fim?

• Além de arrepender-nos e ser batizados, o que mais O Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Após-
precisamos fazer para alcançar a vida eterna? tolos, explicou como podemos banquetear-nos com as
• O que a palavra firmeza significa? Como essa pala- palavras de Cristo:
vra se aplica a nosso progresso no caminho que leva
à vida eterna? “Se pretendemos banquetear-nos com as pala-
• Em sua opinião, por que amar a todos é um dos pré- vras de Cristo, precisamos estudar as escrituras e
requisitos para obtermos a vida eterna? assimilar Suas palavras, meditando sobre elas e
incorporando-as a todos os nossos pensamentos e
• Como 2 Néfi 31:16 ajuda a esclarecer o que significa
ações” [Conference Report, outubro de 1998, p. 16;
perseverar até o fim?
ver também A Liahona, janeiro de 1999, p. 16
• Incentive os alunos a memorizarem 2 Néfi 31:20. (tradução atualizada)].

55
Capítulo 14

• O que vocês já fizeram para transformar o estudo Peça a alguém que leia 2 Néfi 33:2. Saliente que, quando
diário das escrituras em uma experiência significativa? as pessoas endurecem o coração, não deixam espaço
• De que forma vocês transformaram as escrituras em para o Espírito Santo. Depois, peça aos alunos que for-
um banquete? mem duplas. Peça que cada dupla leia e discuta 2 Néfi
32:4–9 e 33:1–3. Peça-lhes que falem de como podem
2 Néfi 32; 33:1–5. As Palavras de Cristo preparar o próprio coração de forma que o Espírito
e o Espírito Santo Nos Ensinam o Que Santo tenha lugar nele. Depois de dar-lhes tempo sufi-
Devemos Fazer ciente, faça algumas das seguintes perguntas (ou todas
Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 32:3, 5. Diga-lhes elas) para ver o quanto os alunos compreenderam:
que, nesses versículos, Néfi dá testemunho de duas
• Por que algumas vezes temos dificuldade em sentir e
grandes fontes de conhecimento espiritual: as palavras
compreender as coisas espirituais?
de Cristo e o Espírito Santo (relembre aos alunos que
2 Néfi 32:3 é um versículo de domínio de escritura   ). • O que Néfi nos promete se seguirmos os ensinamen-
tos desses versículos?
• Onde lemos as palavras de Cristo? Como as palavras
• Que palavras de 2 Néfi 32:8 indicam o quanto é
de Cristo nos ajudam a saber o que fazer?
sério deixar de orar?
• Como o Espírito Santo nos ajuda a saber o que fazer?
• Por que é tão importante que oremos antes de fazer
• Qual é a relação entre as palavras de Cristo e a qualquer coisa dedicada ao Senhor? (Ver 2 Néfi
orientação do Espírito Santo? 32:9.) Que bênçãos vocês já receberam por seguir
Anote estas referências de escritura no quadro: esse conselho?
• Néfi disse que o Espírito Santo leva mensagens “ao
1 Néfi 11:1–6 coração dos filhos dos homens” (2 Néfi 33:1). Em
sua opinião, o que isso significa? (Peça aos alunos
D&C 76:15–21
que leiam a declaração do Élder David A. Bednar, na
D&C 138:1–11 página 117 do manual do aluno.)
Joseph Smith—História 1:11–17
2 Néfi 33:3–15. Quem Acredita em Jesus Cristo
Também Acredita nas Palavras de Néfi
Diga aos alunos que esses são alguns dentre muitos Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 33:4–5 e façam uma
exemplos da relação entre as palavras de Cristo e a relação dos motivos citados pelos quais, segundo Néfi,
orientação do Espírito Santo. Dê-lhes tempo para estu- suas palavras seriam uma fonte de força para quem as
dar esses versículos em silêncio. lesse. Nessa relação devem constar as seguintes razões:
• O que esses profetas fizeram que os levou a receber 1. As palavras de Néfi persuadem as pessoas a fazer
revelações do Senhor? (Saliente que além de ban- o bem.
quetearem-se com as escritura, eles meditavam na
2. Por meio delas os descendentes de Leí ficam
palavra do Senhor. Ver 1 Néfi 11:1; D&C 76:15–19;
sabendo de seus antepassados.
138:1, 11; Joseph Smith—História 1:12–13.)
• Como as palavras de Cristo e a inspiração do Espí- 3. Elas falam de Jesus Cristo e persuadem as pessoas a
rito Santo se combinam nessas revelações? acreditar Nele.

• Em sua opinião, por que banquetear-nos nas pala- 4. Elas incentivam as pessoas a perseverarem até o fim.
vras de Cristo ajuda-nos a ser inspirados pelo Espí- 5. Elas atacam duramente o pecado.
rito Santo?

56
2 Néfi 31–33

Para ajudar os alunos a compreenderem o papel de • O que os profetas modernos fazem para persua-
Néfi, que é o mesmo de todos os profetas, em per- dir-nos a acreditar em Cristo? (Peça aos alunos que
suadir as pessoas a acreditarem em Cristo, faça estas examinem os conselhos dados na última conferên-
perguntas: cia geral.)
• Que tipo de informações Néfi registrou para persua- Para concluir, preste seu testemunho das palavras de
dir as pessoas a acreditarem em Cristo? Néfi. Sugira que eles também prestem testemunho.
• De que forma estudar as palavras de Néfi já os aju-
dou a ter o desejo de achegarem-se mais a Cristo?

57
Capítulo 15
Capítulo 15
Jacó 1–4

Introdução “Eu me lembro de algo que o [Élder] Charles A.


“Tendo primeiramente recebido essa missão do Callis [do Quórum dos Doze] me disse um dia.
Senhor” ( Jacó 1:17), Jacó admoestou os nefitas da (…) Ele disse: ‘Sabe, acho que, provavelmente,
grande iniquidade que predominava entre eles: orgu- a coisa mais importante que nós, no papel de
lho, mau uso dos bens materiais e a violação da lei da Autoridades Gerais, devemos fazer não é apenas
castidade. Depois de adverti-los desses pecados, Jacó pregar o arrependimento dos pecados, devemos
instou seu povo a reconciliar-se com o Pai “pela Expia- ensinar principalmente aos jovens, e também à
ção de Cristo, seu Filho Unigênito” ( Jacó 4:11). Igreja como um todo, como o pecado é terrível
No mundo de hoje, muitas pessoas caem devido às e como é horrível a situação de quem se permite
mesmas tentações contra as quais Jacó preveniu os pecar” (Conference Report, abril de 1956, p. 108).
nefitas. À medida que compreenderem e aplicarem
os ensinamentos de Jacó, os alunos serão fortalecidos
para resistir às tentações e conforme sentirem o Espí- Diga aos alunos que hoje vocês tratarão de partes do
rito testificar essas coisas, ficarão mais preparados para sermão em que Jacó chamou os nefitas ao arrependi-
viver de acordo com os padrões do Senhor.  mento. Leia Jacó 2:3–9 com os alunos. Peça-lhes que
procurem palavras ou frases que descrevam como Jacó
Alguns Princípios e Doutrinas encarava sua responsabilidade naquela ocasião.
• Os líderes da Igreja têm a responsabilidade divina • O que entristecia Jacó
de admoestarem-nos quanto ao pecado (ver Jacó
• Por que ele considerava importante falar aos nefitas
1:17–19; 2:1–11).
dos pecados que eles cometiam?
• Devemos buscar o reino de Deus antes das riquezas
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Jacó
(ver Jacó 2:12–21).
1:17–19; 2:2–3, 9–11. Peça-lhes que leiam as palavras
• O Senhor deleita-Se na castidade (ver Jacó 2:22–35;
de Jacó registradas em 2 Néfi 9:48. Incentive-os a,
3:1–14).
durante a leitura, procurarem os motivos que levaram
• “Por que não falar (…) da expiação de Cristo”? Jacó a ensinar o arrependimento ao povo a despeito
( Jacó 4:1–15.) do quanto essa tarefa lhe era pesada. Diga aos alunos
que marquem o que encontrarem e peça-lhes que for-
Sugestões Didáticas mem pares para falar do que acharam. Quando todos
Jacó 1:17–19; 2:1–11. Os Líderes da Igreja Têm tiverem tido a oportunidade de falar com seu par sobre
a Responsabilidade Divina de Admoestar o o que encontraram, peça que alguns digam ao restante
Povo quanto ao Pecado da classe o que acharam. Estas são algumas das possí-
Leia a seguinte declaração do Presidente Harold B. Lee veis respostas:
(1899–1973), 11º presidente da Igreja (também disponí- 1. Foi o Senhor quem ordenou (ver Jacó 1:17; 2:10–11).
vel no DVD que acompanha o curso A ):
2. Só assim ele magnificaria seu chamado (ver Jacó
1:18–19; 2:2).
3. Ele não queria ser considerado responsável pelos
pecados do povo (ver Jacó 1:19; 2:2).
4. Ele sentia grande ansiedade pelo bem-estar da alma
das pessoas (ver Jacó 2:3).
• O que mais os impressiona nos motivos pelos quais
Jacó pregava o arrependimento? Por quê?

58
Jacó 1–4

Lembre aos alunos que, quando chamam as pessoas ao


Devemos usar nossas riquezas para fazer o bem
arrependimento, os líderes do sacerdócio representam (ver versículo 19).
o Salvador. Peça-lhes que pensem em como reagiriam
Não devemos perseguir as pessoas que têm menos do
se ouvisse um dos líderes locais ou gerais da Igreja fazer que nós (ver versículo 20; ver também versículo 13).
advertências quanto ao pecado e suas consequências.

Jacó 2:12–21. Devemos Buscar o Reino de Deus Relembre aos alunos a pergunta que você fez no início
Antes das Riquezas
desta sugestão didática: O que vocês fariam se tives-
Anote no quadro um alto valor em dinheiro. sem uma grande soma em dinheiro para gastar em um
• O que você faria se tivesse todo esse dinheiro para só dia? Peça aos alunos que consultem as respostas
gastar em um só dia? que escreveram e vejam se mudariam alguma coisa
devido aos ensinamentos de Jacó. Peça que cada aluno
Peça que alguns alunos escrevam as próprias respostas.
escreva um breve parágrafo resumindo como ele
Explique-lhes que os profetas sempre alertaram o povo mesmo encara as riquezas ou os bens materiais.
quanto aos perigos de colocar as riquezas em primeiro
Diga-lhes que provavelmente nunca receberemos uma
lugar. Jacó alertou quanto a isso em seu sermão aos
grande quantia em dinheiro para gastar em um só dia.
nefitas. Peça aos alunos que leiam Jacó 2:12–16.
O que o Senhor nos pede é que sejamos generosos
• Quais são alguns dos perigos espirituais que com o que temos, seja muito ou pouco. Sugira que os
nos ameaçam se colocarmos as riquezas acima alunos ponderem no que podem fazer para seguir o
da retidão? conselho de Jacó mesmo que o Senhor nunca venha a
• Em sua opinião, por que o orgulho e o mau uso abençoá-los com muita riqueza.
dos bens materiais podem levar-nos a tratar mal as Peça aos alunos que leiam Jacó 2:20–21.
outras pessoas? Como o orgulho pode destruir a
• Como essa doutrina poderia influenciar a forma
alma das pessoas?
como empregamos o dinheiro e outros bens mate-
Durante o debate, peça a um aluno que leia a expe- riais? Como essa doutrina poderia influenciar a
riência do Presidente David O. McKay que se encontra forma como tratamos os outros?
na página 122 do manual do aluno.
Jacó 2:22–35; 3:1–14. O Senhor Deleita-Se
Peça aos alunos que leiam Jacó 2:17–20 e preparem uma na Castidade
lista de diretrizes quanto à atitude que devemos ter com
Escreva no quadro: Começar a cometer pecado e come-
relação às riquezas (mencione que Jacó ­2:18–19 é uma
çar a tornar-se iníquo.
passagem de domínio de escritura    ). Depois que os
alunos terminarem, peça-lhes que digam à turma o que Peça a um aluno que leia Jacó 2:5 e 2:23. Para ajudar
incluíram na lista. Anote as respostas no quadro. É possí- os alunos a compreenderem o que Jacó quis dizer ao
vel que essas listas incluam itens semelhantes a estes: afirmar que algumas pessoas estavam “começando
a cometer pecado” e a tornarem-se iníquas, leia a
seguinte declaração do Élder Dallin H. Oaks, do Quó-
Devemos encarar os outros como nossos iguais
(ver versículo 17). rum dos Doze Apóstolos. Ajude os alunos a compreen-
derem o que o Élder Oaks ensinou quanto à natureza
Devemos ser generosos ao doar dos bens materiais progressiva dos pecados relacionados à imoralidade.
com que fomos abençoados (ver versículo 17).
Devemos procurar o reino de Deus antes das riquezas
(ver versículo 18).
Devemos obter esperança em Cristo antes de pro-
curar riquezas (ver versículo 19).

59
Capítulo 15

alunos. As palavras do Élder Richard G. Scott também se


“No segundo capítulo do livro que leva seu nome, encontram no DVD que acompanha o curso B .)
Jacó condena os homens por suas ‘libertinagens’
(versículo 23, 28). (…) O que eram essas extre-
“Deus ordenou que os poderes sagrados de pro-
mamente iníquas “libertinagens”? Sem dúvida
criação sejam empregados somente entre homem
alguns homens eram culpados de atos malignos.
e mulher, legalmente casados” (“A Família: Procla-
Mas o principal foco do grande sermão de Jacó,
mação ao Mundo”, A Liahona, outubro de 2004,
não eram os atos malignos cometidos, mas os atos
última contracapa).
malignos [pretendidos ou almejados].
“Antes de casar-se, não façam nada que desperte
Jacó começou seu sermão dizendo aos homens
as fortes emoções que só devem ser manifestadas
que ‘até agora [eles tinham] sido obedientes à
no casamento. Não troquem beijos apaixonados,
palavra do Senhor’ ( Jacó 2:4). Contudo, disse-
nem deitem uns por cima dos outros, não toquem
lhes, então, que conhecia seus pensamentos,
as partes íntimas e sagradas do corpo de outra
que eles estavam ‘começando a cometer pecado,
pessoa, com ou sem roupas. Não permitam que
pecado esse que (…) parece muito abominável
ninguém faça isso com vocês. Não despertem
(…) a Deus’ (versículo 5). ‘[Eu tenho] que vos
essas sensações em seu próprio corpo” (Para o
testemunhar sobre a maldade de vosso coração”
Vigor da Juventude, 2002, p. 27).
(versículo 6), ele acrescentou. Jacó falava como
Jesus quando Ele disse: ‘Qualquer que atentar “Satanás tenta-nos a acreditar que existem níveis
numa mulher para a cobiçar, já em seu coração toleráveis de contato físico entre indivíduos que
cometeu adultério com ela’ (Mateus 5:28; ver tam- se permitem e procuram sentir o forte estímulo
bém 3 Néfi 12:28; D&C 59:6; 63:16)” (Conference das sensações que esse contato produz, e que,
Report, abril de 2005, p. 92; ou A Liahona, maio se o contato físico for mantido dentro de limites,
de 2005, p. 87; grifo do autor). nenhum dano resultará. Como testemunha de Jesus
Cristo, testifico que isso é absolutamente falso.

Ajude os alunos a compreenderem que os maus pen- Satanás procura tentar particularmente aqueles
samentos precedem as más ações. Raramente ocorrem que têm uma vida pura e limpa, induzindo-os a
pecados relativos à moralidade a menos que a pessoa ver revistas e filmes com fortes imagens do corpo
gradualmente diminua sua retidão. [de pessoas]. Ele quer estimular o apetite pelos
contatos íntimos, o que rapidamente resulta em
Peça aos alunos que leiam Jacó 2:23–27. intimidades e contaminação” [Richard G. Scott,
• Como os nefitas tentavam justificar seus pecados? Conference Report, outubro de 1994, p. 51; ver
• Em sua opinião, por que às vezes tentamos justificar também A Liahona, janeiro de 1995, p. 40 (tradu-
o pecado? ção atualizada)].

Peça a um aluno que explique em poucas palavras a


lei da castidade. Depois que os alunos lerem a declaração do Élder
Scott, peça-lhes que leiam as palavras do Élder Scott
Diga aos alunos que mesmo que não sejamos tentados
que constam na página 124 do manual do aluno. Essa
a cometer os mesmos pecados que esses nefitas, Satanás
declaração também se encontra no DVD que acompa-
pode tentar-nos de forma semelhante a justificar nossos
nha o curso C .
atos e pensamentos pecaminosos. Para ajudar os alunos
a compreenderem a lei da castidade e como ela se aplica • De acordo com o Élder Richard G. Scott, como Sata-
à vida deles, leia as seguintes citações. (Se quiser, antes nás nos tenta a ser imorais nos dias de hoje?
da aula prepare um cartaz ou uma transparência com • De que forma a pornografia é uma ameaça à casti-
essas citações ou ainda, prepare cópias para entregar aos dade de uma pessoa?

60
Jacó 1–4

Peça a um aluno que leia Jacó 2:28. Peça aos alunos que deem exemplos de coisas que “é
bom saber”. (Talvez as respostas incluam coisas como
• Em sua opinião, por que o Senhor se deleita na cas-
o placar de eventos esportivos, histórias engraçadas
tidade?
ou fatos interessantes, mas sem utilidade.) Peça aos
Leia Jacó 2:31–35 e 3:10 para a turma. Peça aos alunos alunos que deem exemplos de coisas que “é impor-
que, durante a leitura, assinalem algumas das conse- tante saber”. (Talvez as respostas incluam coisas como
quências de se quebrar a lei da castidade. Peça aos fórmulas matemáticas, fatos históricos importantes ou
alunos que digam à turma o que marcaram. Ajude-os acontecimentos atuais importantes.)
a compreender que além de prejudicar a pessoa que
Saliente que em nossa busca pela exaltação no reino
comete o pecado, a imoralidade sexual muitas vezes
celestial, há certas coisas que “é essencial saber”.
tem efeitos devastadores sobre a família dessa pessoa.
Peça aos alunos que leiam Jacó 4:4–12. Peça-lhes
• Que impacto a imoralidade de uma pessoa pode ter que durante a leitura, marquem as doutrinas que “é
sobre a família? (Com base na situação familiar dos essencial saber”. Depois de lhes dar tempo suficiente,
alunos, você pode fazer perguntas mais específicas peça-lhes que citem algumas doutrinas que marcaram.
sobre como a imoralidade sexual pode afetar um Pergunte-lhes por que consideram essas doutrinas
cônjuge, os filhos, os pais, os irmãos ou o futuro essenciais.
cônjuge e os futuros filhos de quem a comete.)
• O que os versículos 8 e 10 ensinam quanto a como
Dê alguns minutos para os alunos escreverem os moti- podemos aprender as coisas que são essenciais?
vos que eles, individualmente, têm para obedecer à
Se necessário, ajude os alunos a perceber a relação
lei da castidade. Peça-lhes que renovem com o Senhor
entre as coisas que eles mencionaram e a Expiação de
seu compromisso de continuar a viver de forma a ser
Jesus Cristo. Recorra ao desenho no quadro ao debater
dignos das bênçãos da obediência a esse mandamento.
as seguintes questões:
Preste testemunho da natureza sagrada da lei da casti-
dade e da alegria que advém da obediência a ela. • Em sua opinião, por que é essencial ter conheci-
mento da Expiação?
Jacó 4:1–15. “Por que Não Falar (…) da Expiação
• Quais seriam algumas possíveis consequências de
de Cristo”?
não percebermos que é essencial conhecer a vida e
Faça o seguinte desenho no quadro:
a missão de Jesus Cristo?
Tipos de Conhecimento Jacó falou de pessoas que não centralizavam a vida
no conhecimento que tinham de Jesus Cristo. Leia
é bom saber Jacó 4:14.

é impor- • Em sua opinião, o que significa “olhar para além


tante saber do marco”? 

Para ampliar a compreensão dessa expressão, suge-


é re-se que você peça que um aluno leia a declaração
essencial  do Élder Neal A. Maxwell, na página 126 do manual
saber do aluno.)
• Em que sentido as pessoas que olham para além do
marco deixam de enxergar?
• De acordo com Jacó, qual era o “marco” que os
judeus não enxergaram? (Ver Jacó 4:15.)

61
Capítulo 15

Coloque uma gravura de Jesus Cristo junto ao desenho • Que bênçãos vocês já receberam por concentra-
no quadro. Afirme que o grande plano de felicidade do rem-se no Salvador e no poder da Expiação?
Pai Celestial centraliza-se no Salvador e em Seu sacrifí-
Caso ainda não o tenha feito, preste seu testemunho
cio expiatório. Peça aos alunos que leiam Jacó 4:15–16
da Expiação de Jesus Cristo.
à procura das consequências de olhar para além de
Jesus Cristo e das doutrinas centrais do evangelho.
Conclua a lição lendo Jacó 4:12.
• De que forma podemos falar da expiação de Cristo?
Em sua opinião, o que significa “conseguir um per-
feito conhecimento” de Cristo? 

62
Capítulo 16 Jacó 5–7
Jacó 5–7

Introdução • De acordo com esses versículos, por que Jacó con-


tou essa alegoria ao povo? Que mistério Jacó disse
Jacó registrou a alegoria das oliveiras (dos escritos
que desvendaria?
do profeta Zenos) que ilustra a constância com que
o Senhor se empenha em salvar a casa de Israel (ver Ao ensinar Jacó 5, ajude os alunos a perceber que
Jacó 5). Ao ensinar essa alegoria, saliente que o Senhor Deus trabalha incessantemente pela redenção de Seus
estende as mãos “o dia inteiro” para nos salvar (ver filhos. Leia a declaração do Élder Jeffrey R. Holland,
Jacó 6:4). do Quórum dos Doze Apóstolos, encontrada na
No final de seu registro, Jacó conta seu confronto página 128 do manual do aluno.
com Serém, o anticristo. Vendo como Jacó resistiu aos • De acordo com o Élder Holland, o que essa alegoria
ataques de Serém e o desmascarou, os alunos poderão significa?
aprender a discernir o verdadeiro do falso e fortalece- • O que o Élder Holland nos ajuda a compreender
rem-se para não sucumbir a conceitos falsos. quanto ao trabalho de redenção por meio das muitas
referências a cavar, adubar, podar, enxertar e cuidar
Alguns Princípios e Doutrinas das árvores encontradas na alegoria?
• O Senhor nunca para o trabalho de redenção (ver
Jacó 5; 6:4–8). Peça aos alunos que passem os olhos por Jacó 5:3–9 e
encontrem os símbolos empregados na alegoria. Para
• Benditos são aqueles que trabalham diligentemente
ajudá-los a compreender o significado de cada sím-
na vinha do Senhor (ver Jacó 5:75; 6:1–3).
bolo, diga-lhes que consultem o quadro da página 129
• As palavras dos profetas e a orientação do Espírito do manual do aluno. Sugere-se que você prepare
Santo ajudam-nos a resistir aos ensinamentos falsos cópias desse quadro para distribuir ou que prepare
(ver Jacó 7). uma transparência de forma que os alunos possam
consultá-lo ao longo da lição.
Sugestões Didáticas
Divida a turma em quatro grupos. Diga-lhes que cada
Jacó 5; 6:4–8. O Senhor Nunca Para o Trabalho
grupo estudará certos versículo que dizem o que o
de Redenção
Senhor fez quando esteve na vinha. Peça aos alunos
Para ensinar Jacó 5 com eficiência é preciso que você
que descubram o que o Senhor fez para salvar a vinha
se familiarize com as seguintes escrituras que des-
e quais são os princípios do evangelho relacionados
crevem o que o Senhor fez em cada uma das quatro
a cada uma dessas medidas. Escreva o seguinte no
vezes que foi à vinha: versículos 3–14, 15–28, 29–49 e
quadro de forma a deixar espaço para as respostas
50–77. Escolha com cuidado os versículos que abor-
dos alunos:
dará. Durante a preparação, esforce-se ao máximo para
prever quais serão as dúvidas dos alunos. Caso precise
de ajuda, consulte o gráfico e os comentários das pági- Grupo 1 Grupo 2
nas 128–129 do manual do aluno. Lembre-se de que as Jacó 5:3–14 Jacó 5:15–28
alegorias, assim como as parábolas, podem ter diversos
significados. Portanto, pode ser que os alunos encon-
trem significados que não constam nesta lição.
Diga aos alunos que nesta lição os alunos estudarão e Grupo 3 Grupo 4
conversarão sobre a alegoria das oliveiras, encontrada Jacó 5:29–49 Jacó 5:50–77
nos ensinamentos do profeta Zenos. Peça aos alunos
que façam a leitura silenciosa de Jacó 4:12–18.

63
Capítulo 16

Depois de lhes dar tempo suficiente para estudar os • De que forma saber que o Senhor estende a mão
versículos que lhes foram dados, peça que uma pes- para vocês “o dia inteiro” (ver Jacó 6:4) aumenta sua
soa de cada grupo escreva no quadro o que o grupo gratidão a Ele?
encontrou.
Em vez de usar a sugestão didática anterior, se preferir
Se o tempo permitir, prossiga o debate com uma destas você pode exibir o vídeo “A Alegoria da Oliveira” (dura-
perguntas (ou com as duas): ção: 14:33), segmento 7 no DVD O Livro de Mórmon
• Diversas vezes o Senhor da vinha trabalhou ao lado (código 54011 059). Assista ao segmento a ser usado
do servo para podar, cuidar da árvore e cavar ao previamente e utilize o material para o professor contido
redor dela. O que isso indica quanto ao envolvi- no Guia de Vídeo do Livro de Mórmon (código 34810
mento de Jesus Cristo na vida de Seu povo? 059; também disponível na página www​.LDSces​.org).

• Nos versículos 41 e 47, o que as palavras do Senhor Jacó 5:75; 6:1–3. Benditos São Aqueles Que
da vinha nos revelam quanto ao que o Senhor sente Trabalham Diligentemente na Vinha do Senhor
por Seu povo? Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Jacó
5:75 e 6:1–3. Sugira que pensem nas bênçãos que os
Indique outros versículos que demonstram o amor que
servos do Senhor podem receber.
o Senhor tem por nós, por exemplo:
• O que esses versículos revelam quanto aos servos
“Podá-la-ei e cavarei ao seu redor e cuidarei dela, para
que ajudam na vinha do Senhor?
que (…) não morra” ( Jacó 5:4).
• Quem são os servos do Senhor hoje? Como eles
“Sentiria perder esta árvore” ( Jacó 5:7).
cuidam da vinha e fazem enxertos?
“Que faremos por esta árvore, a fim de novamente
Leia a seguinte declaração do Presidente Joseph Fiel-
guardar seus frutos bons para mim?” ( Jacó 5:33.)
ding Smith (1876–1972), 10º presidente da Igreja:
“Para que eu voltasse a regozijar-me com o fruto de
minha vinha” ( Jacó 5:60). “A notável parábola de Zenos mostra como, na
Saliente que os versículos 70–74 ensinam princípios condição de ramos da oliveira, (os israelitas)
relacionados à obra missionária nos últimos dias: foram levados a todas as partes do mundo (a
1. Em comparação com a população mundial, o vinha do Senhor) e enxertados nas oliveiras bra-
número de missionários é pequeno (ver versí- vas (as nações gentias). Assim, eles estão cum-
culo 70). prindo a promessa feita pelo Senhor.

2. Estamos engajados na obra do Senhor, e Ele traba- Hoje os membros da Igreja vão para todas as
lhará conosco (ver versículo 71). partes do mundo para trabalhar na vinha, reunir
o fruto e guardá-lo para quando o Mestre vier”
3. O sucesso de quem trabalha no reino do Senhor é
(Answers to Gospel Questions, 5 vols., 1957–1966,
determinado por sua obediência ao Senhor em todas
vol. 4, p. 142).
as coisas (verversículo 72).
4. À medida que levam seu trabalho avante, os missio-
nários encontram muitas pessoas corajosas em todo • Como nós podemos servir ao Senhor nesta
o mundo (ver versículo 73). última colheita?

Peça a um aluno que leia Jacó 6:4–8. Jacó 7. As Palavras dos Profetas e a Orientação
• Depois de ensinar a alegoria de Zenos, que princí- do Espírito Santo Ajudam-nos a Resistir aos
Ensinamentos Falsos
pios do evangelho Jacó salientou?
Antes do início da aula, escreva o seguinte no quadro
ou prepare cópias para os alunos.

64
Jacó 5–7

Peça aos alunos que vejam o que o Presidente Ezra


Serém e Seus Ensinamentos Taft Benson disse quanto ao que fazer para não ser
enganado, na página 134 do manual do aluno. Peça
(Jacó 7:1–7).
que um aluno leia o trecho para a turma. Sugere-se
• Como Jacó descreve Serém? que, conforme as três diretrizes que o Presidente
­Benson nos incentivou a seguir forem lidas, você as
• Qual era o principal objetivo de Serém?
anote no quadro:
• Quanto sucesso Serém obteve?
1. As obras-padrão (as escrituras)
• Que táticas ou técnicas Serém usou para enganar
o povo? 2. Os presidentes da Igreja, principalmente o presi-
dente atual
• Como essas táticas se assemelham às usadas em
nossa época? 3. O Espírito Santo

Jacó Desmascara os Ensinamentos


Enganosos de Serém • De que forma Jacó se valeu do Espírito Santo ao
defrontar-se com Serém?
(Jacó 7:5, 8–14)
• De acordo com Jacó 7:10–11, como Jacó utilizou as
• Que características de Jacó o ajudaram a reconhe- escrituras na conversa com Serém?
cer que os ensinamentos de Serém eram falsos,
apesar de muitas pessoas terem sido enganadas? Peça a um aluno que leia Jacó 7:23. Depois, peça a
outro aluno que leia Joseph Smith—Mateus 1:37.
• Como Jacó conseguiu confundir Serém?
• Como o estudo das escrituras ajuda-nos a não ser
enganados?
Peça aos alunos que leiam Jacó 7:1–14 à procura de
• O que podemos fazer para nos precaver contra os
respostas para essas perguntas. Depois de dar-lhes
ensinamentos falsos de nossos dias?
tempo suficiente para estudar essa passagem, peça-lhes
que falem sobre suas respostas. Preste seu testemunho de que o Senhor ama e vela por
Peça aos alunos que abram a declaração do Presidente Seus filhos. Saliente que, se confiarmos Nele, em Seus
Ezra Taft Benson, na página 133 do manual do aluno. servos, nas escrituras e no Espírito Santo, permanecere-
Peça que um aluno leia. Essa declaração também se mos próximos Dele e não seremos enganados.
encontra no DVD que acompanha o curso A .
• Em sua opinião, por que precisamos reconhecer os
“desígnios malignos, estratégias e doutrinas do diabo
em nossos dias”?

65
Capítulo 17
Capítulo 17
Enos – Palavras de Mórmon

Introdução 4. A voz do Senhor assegurou-lhe que seus pecados


haviam sido perdoados.
Provavelmente os alunos já conhecem a história de
quando Enos orou o dia inteiro e a noite inteira. Você 5. Orou pelo bem de outras pessoas.
pode ajudá-los a passar a ter uma compreensão mais Divida a turma em duplas. Peça que cada dupla leia
profunda dessa história. Por meio de sua leitura e Enos 1:1–5 e descubra que atos e atitudes fazem com
discussão, os alunos podem aprender o que fazer para que as orações sejam significativas. Depois de alguns
tornar as próprias orações mais significativas. Eles tam- minutos, peça-lhes que digam o que encontraram.
bém podem ver como as bênçãos da Expiação afetam
sua vida. Anote as respostas dos alunos no quadro. Sugira aos
alunos que anotem só para si os princípios abordados
Os livros de Jarom, Ômni e Palavras de Mórmon que servirão para ajudá-los a melhorar suas próprias
documentam como parte dos nefitas se viram em orações. Para outras ideias sobre o assunto, sugere-se
dificuldades por preferirem não seguir os ensinamen- que você utilize as declarações do Élder Robert D.
tos dos profetas. Ensine de forma a ajudar os alunos Hales e do Élder Neal A. Maxwell, na página 137 do
a perceberem que a confiança no Senhor e em Seus manual do aluno.
profetas nos dá paz mesmo durante as provações e
adversidades. Enos 1:5–27. Quando Nossos Pecados São
Perdoados por Meio da Fé em Cristo e do Poder
Alguns Princípios e Doutrinas de Cura da Expiação, Sentimos o Desejo de
• Quando nossos pecados são perdoados por meio Ajudar Outros a Receberem a Salvação
da fé em Cristo e do poder de cura da Expiação, Faça o seguinte desenho no quadro:
sentimos o desejo de ajudar outros a receberem a
salvação (ver Enos 1:5–27). Perdão de nossos
Desejar a salvação de
→ pecados por meio da
• Às vezes os líderes têm que nos advertir com outros
Expiação
severidade para motivar-nos a nos arrepender (ver
Enos 1:22–23; Jarom 1:10–12; Palavras de Mórmon Peça a um aluno que leia Enos 1:5–8.
1:15–18).
• Por meio de que sentimento Enos ficou sabendo que
• Os santos fiéis serão amparados e orientados nos
havia sido purificado de seus pecados pelo poder
momentos de provação e adversidade se derem
da Expiação?
ouvidos aos profetas (ver Ômni 1:12–19).
• Como podemos sentir a ação desse mesmo poder
• O Senhor sabe tudo o que há de acontecer (ver Pala-
em nossa vida?
vras de Mórmon 1:1–9).
Peça aos alunos que leiam Enos 1:9–12.
Sugestões Didáticas • Depois de perceber que havia sido perdoado por
Enos 1:2–15. Orar É Comunicar-se meio da Expiação, qual foi a primeira coisa em que
Espiritualmente com Deus Enos pensou?
Peça aos alunos que lhe digam tudo o que sabem • Em sua opinião, por que ele pensou logo nos outros? 
sobre Enos. Estas são algumas das possíveis respostas:
• Como isso poderia acontecer conosco?
1. Era filho de Jacó, neto de Leí e sobrinho de Néfi.
Diga aos alunos que depois de sermos purificados e de
2. Era um bom homem. mudarmos graças à Expiação, passamos a estar mais
3. Orou o dia inteiro e a noite inteira. bem preparados para servir ao próximo.
Peça-lhes que deem exemplos de pessoas cuja vida
reflete a preocupação com o bem espiritual de outros.

66
Enos – Palavras de Mórmon

Desafie-os a procurarem receber bênçãos pessoais


concedidas por meio do poder da Expiação e, depois, 1. Que lugar Mosias e seu A. CORROMPEU-SE
ajudarem outras pessoas a receberem essas mes- povo encontraram?
B. JERUSALÉM
mas bênçãos. 2. Mosias tinha algo que fez
C. MOSIAS
com que o povo de Zaraenla
Enos 1:22–23; Jarom 1:10–12; Palavras de (que era descendente de D. AS PLACAS DE
Mórmon 1:15–18. Às Vezes os Líderes Têm que Muleque) se alegrasse. O LATÃO
que era?
Nos Advertir com Severidade para Motivar-nos E. ZARAENLA
a Nos Arrepender 3. De onde vinha o povo de
Zaraenla?
Mostre algumas figuras de avisos ou alertas. (Algumas
possibilidades são sinais de trânsito, alertas de área 4. O que aconteceu à língua
falada pelo povo de
contaminada, etc.) Zaraenla?
• Para que servem esses avisos? 5. Quem passou a ser o rei
dos nefitas e do povo de
• Quais são as possíveis consequências de não aten-
Zaraenla?
der a um aviso?

Peça a um aluno que leia Enos 1:22–23. Peça à turma que faça a leitura silenciosa de Ômni
• Em sua opinião, o que significa ser obstinado? Se 1:12–19. Peça aos alunos que, enquanto leem, façam
percebermos que agimos assim, o que podemos o exercício que está no quadro ou que lhes foi dis-
fazer para mudar? tribuído, anotando a letra correspondente à resposta
certa ao lado de cada pergunta. Depois de dar-lhes
Peça a um aluno que leia Jarom 1:10–12.
tempo suficiente, repasse as perguntas e as respostas
• Em sua opinião, por que alguns líderes e professores corretas. (1–E, 2–D, 3–B, 4–A, 5–C.)
conseguem continuar a ser diligentes e pacientes
• De que forma os santos fiéis que foram com Mosias
mesmo quando as pessoas rejeitam sua mensagem?
para o deserto foram amparados e poupados
Peça aos alunos que leiam Palavras de Mórmon do perigo?
1:15–18. • Como a chegada do povo de Mosias salvou o povo
• O que quer dizer pregar as palavras de Deus com de Zaraenla da cegueira espiritual? 
poder e autoridade? Por que às vezes é necessário • 1 Néfi 4:13 contém a explicação do Senhor de por
falar com severidade? que foi preciso que Néfi matasse Labão e conse-
• Quais são algumas das advertências claras que nos- guisse as placas de latão. Qual é a relação entre
sos líderes nos fizeram? esse versículo e Ômni 1:14–17? (Como o povo de
Zaraenla não levara nenhum registro consigo, seu
• De que forma as advertências severas podem ser
idioma se corrompeu e eles deixaram de acreditar
consideradas manifestações de amor?
em Deus. Sua nação estava perecendo na incredu-
Incentive os alunos a atenderem às advertências dos lidade. Eles se alegraram quando viram que o povo
profetas, dos líderes locais do sacerdócio e dos pais, de Mosias tinha o registro dos judeus gravado nas
que são pessoas que desejam o bem deles. placas de latão.

Ômni 1:12–19. Os Santos Fiéis Serão Amparados Explique-lhes que a obediência aos conselhos do
e Orientados nos Momentos de Provação e profeta não garante que não passaremos por nenhuma
Adversidade Se Derem Ouvidos aos Profetas dificuldade na vida, mas quando seguimos o profeta,
Antes do início da aula, coloque o seguinte exercício podemos ter certeza de que estamos no caminho mais
no quadro ou prepare uma cópia para cada aluno. seguro possível e que seremos amparados em nossas
provações. 

67
Capítulo 17

Leia Doutrina e Convênios 21:4–6 com a turma. mais a Deus. Preste testemunho das bênçãos que
advêm de aceitarmos o apelo do Senhor que nos
• Por que podemos ter fé nos conselhos do profeta?
chama para ir a Ele.
• Como algum conselho do profeta já os ajudou em
momentos difíceis? Palavras de Mórmon 1:1–9. “O Senhor Sabe
Todas as Coisas Que Hão de Acontecer”
Ômni 1:25–26. “Ofertai-Lhe Toda a Vossa Alma, Peça aos alunos que procurem a época em que o livro
Como Dádiva” de Ômni foi escrito e a época em que o livro Palavras
Peça aos alunos que vejam o cabeçalho de Ômni 1 de Mórmon foi escrito e observem a diferença entre
e descubram quantas pessoas escreveram esse livro. elas. Explique-lhes que o livro Palavras de Mórmon
Mencione que Amaléqui foi a quinta pessoa a escrever contém algumas explicações de Mórmon quanto
nesse livro e a última a escrever nas placas menores de ao conjunto de registros sagrados de seu povo que
Néfi. Ele escreveu mais da metade do livro de Ômni ele compilou.
(ver Ômni 1:12–30).
Peça aos alunos que leiam Palavras de Mórmon 1:1–9,
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de um versículo ou dois por aluno.
Ômni 1:25–26. Diga-lhes que sublinhem conselhos ou
• O que Mórmon foi inspirado a fazer com as placas
advertências específicas de Amaléqui, ou os anotem
menores que encontrou? Por quê?
em outro papel. Dê-lhes tempo suficiente para isso e,
depois, peça-lhes que digam o que encontraram. • Que acontecimento da história da Igreja ilustra o
motivo por que o Senhor inspirou Mórmon a acres-
• Em sua opinião, qual é a importância da repetição
centar aquele registro?
dos apelos que usam o verbo “vir” nesses versículos? 
• Em sua opinião, qual é a relação entre o ato de Peça a alguém que leia a introdução a Doutrina e Con-
achegar-se a Cristo e o de ofertar toda a nossa vênios 10.
alma a Ele? • Como o fato de Mórmon ter incluído as placas
menores de Néfi serviu de proteção para Joseph
Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft Ben-
Smith e o Livro de Mórmon? Que bênçãos rece-
son (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
bemos graças ao fato de Mórmon ter incluído
essas placas?
“Deus nos ama. Ele nos observa. Deseja que seja-
mos bem-sucedidos. Um dia descobriremos que Sugira aos alunos que destaquem as palavras: “o
Ele fez tudo o que era necessário para o nosso Senhor sabe todas as coisas que hão de acontecer”, em
bem-estar eterno. (…) Este é o tempo de mos- Palavras de Mórmon 1:7.
trarmos do que somos capazes: como podemos
• De que forma a certeza de que o Senhor sabe todas
viver nossa vida e que sacrifícios podemos fazer
as coisas os ajuda? Como essa certeza pode influen-
por Deus diariamente, hora a hora e instante a
ciar nossa fé no Senhor e no plano que Ele tem
instante. Se dermos tudo o que temos, recebere-
para nós?
mos de volta tudo o que Deus, o maior de todos,
possui” (“Jesus Cristo — Dádivas e Expectativas”, Peça aos alunos que vejam a declaração do Élder
A Liahona, dezembro de 1987, p. 5). Neal A. Maxwell, na página 141 do manual do aluno.
Sugira que eles contem experiências que os ajuda-
ram a reconhecer que o Pai Celestial sabe o que eles
Por que precisamos ofertar toda nossa alma para rece-
precisarão no futuro. Fale de como você viu a pres-
ber as bênçãos da salvação?
ciência divina atuar em sua vida e do que você sentiu
Peça aos alunos em meditem em silêncio sobre que diante disso.
sacrifício podem fazer esta semana para achegarem-se

68
Capítulo 18 Mosias 1–3
Mosias 1–3

Introdução as cinco frases abaixo, mas não leia o que está escrito
entre parênteses. Peça aos alunos que escrevam Ver-
Durante muitos anos, os habitantes de Zaraenla, que
dadeiro ou Falso ao lado do número correspondente a
passaram a ser chamados de nefitas, foram governa-
cada frase. Quando terminarem, peça-lhes que leiam as
dos por um rei bom e justo chamado Benjamim. O rei
escrituras correspondentes e troquem ideias para ver se
envelheceu e pediu que seu filho, Mosias, convocasse
cada frase é verdadeira ou falsa.
o povo a reunir-se. Em seu último sermão, ele passa-
ria o governo para um novo rei. Ele também daria ao 1. O rei Benjamim usou a espada de Labão para
povo “um nome que jamais [seria] apagado, salvo em combater os lamanitas. (Verdadeiro; ver Palavras de
caso de transgressão” (Mosias 1:12). Ainda no início de Mórmon 1:13; ver também Ômni 1:24.)
seu sermão, o rei Benjamim proclamou que seu filho, 2. Durante seu governo, o rei Benjamim foi amado por
Mosias, seria o rei do povo. Ao longo de todo o sermão todo o povo, e todos sempre seguiam seus conse-
ele prestou testemunho do Salvador e preparou as pes- lhos. (Falso; ver Palavras de Mórmon 1:16; mas, veja
soas para receberem o nome que lhes seria dado. também Mosias 1:1.)
Esta lição concentra-se no testemunho Salvador pres- 3. Sozinho, sem precisar da ajuda de mais ninguém, o
tado pelo rei Benjamim e registrado em Mosias 2–3 rei Benjamim estabeleceu a retidão entre os nefitas.
e lhe proporciona a oportunidade de relembrar aos (Falso; ver Palavras de Mórmon 1:17–18.)
alunos as bênçãos da salvação, que recebemos por
meio de Jesus Cristo e da Expiação. Você pode ajudá- 4. O rei Benjamim ensinou aos filhos o idioma de seus
los a perceber como a Expiação sobrepuja os efeitos antepassados para eles poderem ler as escrituras
da Queda e compensa as fraquezas mortais, e como a e conhecer os mistérios de Deus. (Verdadeiro; ver
humildade e a gratidão são essenciais em nossa luta por Mosias 1:2–4.)
guardar nossos convênios com Deus. Na próxima aula, 5. O rei Benjamim convocou o povo para ouvir o que
vocês tratarão de Mosias 4–6, escritura em que o rei ele tinha a dizer quanto a questões políticas e espiri-
Benjamim dá a seu povo o nome que havia prometido.  tuais. (Verdadeiro; ver Mosias 1:10–11.)

Alguns Princípios e Doutrinas Explique aos alunos que, se soubermos de que forma
o rei Benjamim estabeleceu a paz e a retidão entre seu
• Deus nos considera responsáveis pela forma como
povo, passaremos a compreender melhor o quanto
servimos ao próximo (ver Mosias 2:1–18).
seus ensinamentos e seu testemunho eram profundos.
• Temos uma dívida eterna para com Deus (ver Mosias
2:19–41). Mosias 2:1–18. Deus Nos Considera
Responsáveis pela Forma Como Servimos
• A salvação só é possível por meio de Jesus Cristo
ao Próximo
(ver Mosias 3).
Diga aos alunos que os nefitas reuniram-se fora do
Sugestões Didáticas templo de Zaraenla para ouvir as palavras do rei Benja-
mim. Eles armaram suas tendas com a entrada voltada
Palavras de Mórmon 1:12–18; Mosias 1. para o templo, para ouvirem o que o rei diria. O rei fez
O Rei Benjamim Era um Governante Justo com que uma torre alta fosse construída para que mais
Mostre uma gravura do rei Benjamim na torre. (Você pessoas conseguissem ouvi-lo. Ele também fez com
pode usar a gravura nº 74 do Livro de Gravuras do que suas palavras fossem escritas para as pessoas que
Evangelho, 2009, ou a gravura da página 72.) Peça aos estavam longe demais para ouvi-lo (ver Mosias 2:1–8).
alunos que digam o que essa gravura retrata.
Escreva no quadro: Deus nos considera responsáveis
Saliente que Palavras de Mórmon 1:12–18 e Mosias 1 pela forma como servimos ao próximo.
fornecem o contexto do sermão do rei Benjamim. Para
recapitular esse contexto, peça que os alunos façam Leia Mosias 2:9–18 com os alunos. Sugere-se que você
uma lista numérica de 1 a 5 em um papel. Depois, leia dê ênfase especial a Mosias 2:17   . Peça aos alunos

69
Capítulo 18

que procurem indicações de que o rei Benjamim acre- especialmente gratos. Depois que eles terminarem,
ditava que somos responsáveis por servir ao próximo. peça-lhes que façam a leitura silenciosa de Mosias
2:19–24. Peça que os alunos comparem a lista que
• Quais eram os motivos que levavam o rei Benjamim
fizeram às coisas pelas quais, de acordo com o rei
a servir ao próximo?
Mosias, deveríamos ser gratos, e vejam se incluíram na
• Alguma vez vocês sentiram que ao servir ao próximo lista alguma das coisas mencionadas por ele. Peça que
estavam servindo ao Senhor? Como foi isso? os alunos, em duplas, troquem ideias sobre as coisas
Leia a seguinte declaração do Presidente Marion G. pelas quais devemos ser gratos e que são mencionadas
Romney (1897–1988), da Primeira Presidência (também nesses versículos.
disponível no DVD que acompanha o curso A ): • Como podemos demonstrar gratidão ao Senhor?

Peça aos alunos que releiam o versículo 22 e pro-


“Servindo e edificando o próximo (…) sentimos
curem as bênçãos que nos são prometidas. Pergunte-
a única verdadeira e eterna felicidade. Servir não
lhes o que o Senhor pede que façamos para receber
é algo que temos de suportar na Terra, a fim de
essas bênçãos.
adquirir o direito de viver no reino celestial. Servir
é a própria fibra de que é feita a vida exaltada no • Que bênçãos vocês ou sua família receberam devido
reino celestial. à obediência aos mandamentos?

Sabemos que servir ao próximo é o que faz com Leve para a aula um objeto que esteja visivelmente
que o Pai Celestial sinta-Se realizado, e sabemos empoeirado. Passe o dedo no objeto e mostre o dedo
que queremos estar com Ele e ser como Ele é, para a turma.
então por que é necessário que recebamos a • O que tem maior valor, o pó no meu dedo ou eu?
ordem de servir uns aos outros? Glorioso será
o dia em que essas coisas acontecerão natural- Enquanto os alunos discutem a questão, peça que
mente, devido à pureza de nosso coração. Nesse alguém leia Mosias 2:25–26. Peça-lhes que expliquem
dia, não mais haverá necessidade de mandamento, o que acham que o rei Benjamim quis dizer ao afirmar
porque saberemos por experiência própria que que ele e seu povo não eram “nem mesmo como o pó
é só quando estamos empenhados em serviço da Terra”.
abnegado que somos realmente felizes” [Confe- Anote estas referências de escritura no quadro:
rence Report, outubro de 1982, p. 135; ver também
A Liahona, novembro de 1984, pp. 5–6 (tradução
Mosias 2:25–26
atualizada)].
(Salmos 8:3–9.)

• Pensem em uma ocasião em que vocês seguiram o


Dê-lhes tempo para ler e marcar esses versículos.
impulso de servir a alguém. O que vocês sentiram
Comente que uma passagem diz que não somos “nem
depois de atenderem a essa inspiração?
mesmo como o pó da Terra”, mas outra diz que somos
• O Presidente Romney afirmou que “é só quando pouco menores do que os anjos.
estamos empenhados em serviço abnegado que
• Como as duas afirmações são verdadeiras?
somos realmente felizes”. Em sua opinião, por que
isso é verdade? Peça a um aluno que leia Mosias 2:34. Peça a todos os
alunos que ouçam e tentem descobrir uma expressão
Mosias 2:19–41. Temos uma Dívida Eterna que nos revele algo sobre nosso relacionamento com o
para com Deus
Pai Celestial.
Peça aos alunos que, em um papel, anotem cinco
ou seis bênçãos que receberam e pelas quais são • O que significa dever algo a alguém?

70
Mosias 1–3

• O que Deus nos proporciona? que esse anjo transmitiu há mais de dois mil anos é
• Por que é importante que nos lembremos de que verdadeira. Por meio do testemunho do Espírito, pode-
somos eternamente devedores ao Senhor? mos experimentar o amor do Salvador e desenvolver
mais fé Nele.
Peça a um aluno que leia Mosias 2:36–41. Peça à turma
Divida a turma em cinco grupos. Dê a cada grupo um
que acompanhe a leitura e procure as diferenças entre
destes blocos de escritura
as pessoas que guardam os mandamentos de Deus e as
que não guardam. Mosias 3:5–9
• De acordo com esses versículos, quais são as conse- Mosias 3:10–13
quências de não se obedecer aos mandamentos ou
Mosias 3:14–18
de não se arrepender?
Mosias 3:19–22 (observe que o versículo 19 é uma pas-
• De acordo com esses versículos, que bênçãos são
sagem de domínio de escritura    )
concedidas a quem guarda os mandamentos?
• Como a gratidão ao Pai Celestial ajuda-nos a obede- Mosias 3:23–27
cer os mandamentos? Como a ingratidão pode levar Peça aos grupos que, ao estudarem essas passagens de
à desobediência? escritura, identifiquem as profecias quanto ao ministé-
rio e à Expiação do Salvador, bem como as explicações
Incentive os alunos a meditarem na dívida que têm
de como o nome de Cristo nos proporciona a salvação.
para com o Senhor.
Depois de dar-lhes tempo suficiente para discutirem
Mosias 3. A Salvação Só É Possível por essas escrituras em grupo, peça que os grupos digam o
Meio de Jesus Cristo que encontraram ao restante da turma.
Leia a seguinte declaração do Presidente Henry B.
Com base nas necessidades dos alunos, considere a
Eyring, da Primeira Presidência:
possibilidade de fazer algumas das seguintes perguntas:
• De acordo com o que leram nesse capítulo, por que
“O que precisamos é ter fé [em Jesus Cristo] e
a salvação só é possível por meio de Jesus Cristo?
amá-Lo. Temos que saber que Ele vive e quem Ele
é. Quando o fizermos, nós O amaremos” (Confe- • Leia a explicação do significado da expressão
rence Report, abril de 2006, p. 16; ou A Liahona, “homem natural” na página 146 do manual do aluno.
maio de 2006, p. 14). Por que a fé em Cristo e na Expiação é a única
forma de vencermos o homem natural e nos tornar-
mos santos?
• Por que passaremos a amar mais o Salvador à • No versículo 19, lemos que devemos passar a ser
medida que O conhecermos melhor? “como uma criança”. Em sua opinião, o que isso
Diga aos alunos que em Mosias 3 lemos as palavras significa?
que um anjo disse ao rei Benjamim. Ajude os alunos a • Como esse capítulo atesta que precisamos de
compreenderem que, graças às revelações, os nefitas Jesus Cristo?
ficaram sabendo de detalhes importantes da vida do
Convide os alunos a prestarem testemunho das bên-
Salvador e do propósito de Sua missão, mais de cem
çãos da Expiação. Considere a possibilidade de prestar
anos antes que Ele nascesse. Nós também, por meio do
seu próprio testemunho.
espírito de revelação podemos saber que a mensagem

71
Capítulo 18

72
Capítulo 19 Mosias 4–8
Mosias 4–8

Introdução por terem orado com fé. Peça-lhes que digam o que
descobriram.
Depois que o rei Benjamim lhes transmitiu a mensa-
gem do anjo quanto a nossa natureza decaída e nossa Peça aos alunos que façam um resumo da relação de
necessidade de um Salvador, as pessoas que o ouviam causa e efeito entre o que acontece em Mosias 4:2 e
caíram por terra e oraram suplicando redenção por o que acontece em Mosias 4:3. Para orientar o debate,
meio da Expiação de Jesus Cristo. Com a multidão assim ajude-os a preencher a seguinte tabela no quadro. Para
humilde, o rei Benjamim encerrou seu sermão ensinando começar, escreva as referências de escritura e trace a
aos presentes como obter e reter a remissão dos pecados seta. Depois, peça que um aluno escreva no quadro o
e viver sempre como “progênie de Cristo” (Mosias 5:7). que as pessoas fizeram (ver Mosias 4:2) e as bênçãos
O sermão do rei Benjamim proporciona uma excelente que receberam por isso (ver Mosias 4:3). Na tabela
oportunidade de ajudar os alunos a compreenderem abaixo, entre parênteses, encontram-se exemplos de
como aplicar a Expiação. Assim como os nefitas, pode- coisas que os alunos talvez escrevam.
mos reconhecer nossas fraquezas mortais, arrepender-
nos e tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo por meio
Mosias 4:2 Mosias 4:3
dos convênios que fazemos e guardamos.
(Quando vemos (O Espírito do Senhor
Alguns Princípios e Doutrinas nosso próprio nos concede alegria,
estado carnal, → remissão dos peca-
• A remissão dos pecados advém de aplicarmos o
oramos pedindo dos e paz de cons-
sangue expiatório de Cristo (ver Mosias 4:1–8). perdão e temos fé ciência.)
• Aplicar o sangue expiatório de Cristo induz-nos a em Cristo …)
levar uma vida mais cristã (ver Mosias 4:9–30).
Mosias 4:9–30. Aplicar o Sangue Expiatório de
• Por meio da fé, passamos por uma mudança no
Cristo Induz-nos a Levar uma Vida Mais Cristã
coração e tomamos sobre nós o nome de Jesus
Divida a turma em duplas ou grupos pequenos. Peça
Cristo (ver Mosias 5).
que os grupos leiam Mosias 4:12–30. Diga-lhes que
• Os videntes são de grande valia para seus semelhan-
marquem as qualidades que, segundo o rei Benjamim,
tes (ver Mosias 8:13–18).
são típicas dos verdadeiros seguidores de Jesus Cristo,
ou que façam uma lista dessas qualidades.
Sugestões Didáticas
Dê-lhes tempo suficiente para isso e, depois, peça-lhes
Mosias 4:1–8. A Remissão dos Pecados Advém
que digam o que encontraram. Como essa atividade
de Aplicarmos o Sangue Expiatório de Cristo
levará vários minutos, você terá que limitar o número
Peça a um aluno que leia Mosias 4:1. Depois, peça aos
de respostas a serem discutidas.
alunos que pensem em uma experiência que os tocou
e que os tenha feito sentir o poder do Espírito. Para ajudar os alunos a aplicarem o que aprenderem,
faça uma das seguintes perguntas quanto a cada ati-
• O que você aprendeu com essa experiência?
tude ou qualidade mencionada:
• Como essa experiência o influenciou?
• O que essa atitude ou qualidade pode mudar em
Peça a um aluno que leia Mosias 4:2. Peça aos outros sua vida?
alunos que contem em suas próprias palavras o que • Que exemplos dessa atitude ou qualidade você já
aconteceu ao povo do rei Benjamim. viu? Como isso afetou você ou outra pessoa?
• O que as pessoas pediram em oração?
Incentive os alunos a ponderarem maneiras de desen-
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de volverem cada uma dessas atitudes ou qualidades.
Mosias 4:3 e descubram o que aconteceu aos nefitas

73
Capítulo 19

Peça a um aluno que leia Mosias 4:30    . Peça aos Para resumir essa vigorosa mudança, peça a um aluno
alunos que releiam o alerta feito no versículo 30 para que leia Mosias 5:2–5.
resumir essa parte da lição. • De acordo com esses versículos, quais são alguns
Mosias 5. Por Meio da Fé, Passamos por uma dos resultados dessa vigorosa mudança?
Mudança no Coração e Tomamos sobre Nós • De que forma a conversão nos prepara para fazer
o Nome de Jesus Cristo convênios com Deus e guardá-los?
Peça aos alunos que descrevam pessoas que eles
Antes da aula, anote a seguinte referência e as pergun-
conheçam e que se converteram ao evangelho. Como
tas no quadro, ou prepare um cartaz ou cópias para
o evangelho mudou essa pessoa?
entregar aos alunos. Peça aos alunos que leiam a pas-
Diga-lhes que o povo do rei Benjamim passou por sagem indicada e respondam as perguntas por escrito.
uma conversão notável. Peça a um aluno que leia
Mosias 5:1–2.
Mosias 5:7–12
• Que bênçãos o povo do rei Benjamim recebeu por
• Que nome foi dado ao povo?
meio do Espírito do Senhor? (Souberam que as
palavras do rei Benjamim eram verdadeiras, passa- • O que podemos fazer para tomar sobre nós
esse nome?
ram por uma mudança no coração e deixaram de
ter disposição para praticar o mal.) • Onde o nome deve ser escrito?

Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft • O que pode fazer com que a pessoa perca
esse nome?
Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja. Peça
aos alunos que prestem atenção para descobrir outros • Além do nome, o que mais precisamos saber?
aspectos envolvidos na mudança no coração.

Quando os alunos terminarem, repasse as respostas


“Tornar-se como Cristo é trabalho para a vida
com a turma.
toda, e muito frequentemente exige desenvolvi-
mento e mudanças que são lentas e quase imper- Peça aos alunos que leiam a declaração do Élder Dal-
ceptíveis. (…) lin H. Oaks, na página 151 do manual do aluno (tam-
bém disponível no DVD que acompanha o curso A ).
 O verdadeiro arrependimento implica em uma
• O que quer dizer tomar sobre si o nome de Cristo?
mudança no coração, não apenas na mudança
de comportamento. (…) Na maioria das vezes, • O que podemos fazer todos os dias para ajudar-nos a
o arrependimento não envolve nenhuma mudança manter o nome de Cristo escrito em nosso coração?
sensacional nem dramática, mas sim o progresso
Incentive os alunos a viverem de forma que as pes-
gradual, contínuo e consistente em tornar-
soas vejam em suas ações e em seu semblante que
nos mais semelhantes a Deus” (“Uma Grande
eles tomaram sobre si o nome de Cristo e tornaram-se
Mudança de Coração”, A Liahona, março de
Seus filhos.
1990, p. 7).
Mosias 8:13–18. Os Videntes São de Grande
Valia para Seus Semelhantes
• Por que precisamos passar por uma mudança no Para ajudar os alunos a compreenderem o contexto
coração em vez de apenas mudar nosso comporta- histórico de Mosias 8, comece por recapitular os acon-
mento? tecimentos contados em Ômni 1:27–30. Explique-lhes
• Vocês já perceberam que a conversão é um processo que o grupo de pessoas citado nesses versículos por
em que nos aprimoramos constantemente? fim se fixou na terra de Leí-Néfi, que era “a terra de
sua herança”, mas que acabou tornando-se cativo dos

74
Mosias 4–8

lamanitas. Depois explique-lhes que 80 anos depois, • Do que trata essa seção?  
o rei Mosias permitiu que dezesseis homens chefiados • Na época de Joseph Smith, o que o mundo sabia dos
por um homem chamado Amon saíssem da terra de efeitos prejudiciais do fumo e das bebidas alcoólicas?
Zaraenla em busca dessas pessoas. Amon e seu grupo
• Como o conhecimento que temos hoje quanto a
encontraram aquele povo, que agora era governado
esses efeitos prejudiciais aumenta nossa confiança
por um rei chamado Lími. Peça aos alunos que leiam o
em Joseph Smith como vidente?
cabeçalho dos capítulos 7 e 8 de Mosias. Diga-lhes que
em uma conversa com o rei Lími, Amon disse que o rei Peça aos alunos que meditem no seguinte alerta feito
Mosias era vidente. pelos videntes atuais:
Saliente que pelo menos quatro vezes por ano (em
duas conferências gerais, uma conferência de estaca e “Não participem de entretenimentos que, de
uma conferência de ala) levantamos a mão atestando algum modo, apresentem a imoralidade ou o
que apoiamos o presidente da Igreja como profeta, comportamento violento como aceitáveis” (Para
vidente e revelador. Escreva as palavras profeta e o Vigor da Juventude, livreto, 2001, p.  17).
vidente no quadro. Peça aos alunos que leiam Mosias
8:13–18, na página 153–154 do manual do aluno, e os
Você também pode falar de outras advertências dos
verbetes “Profeta” e “Vidente” no Guia para Estudo das
profetas vivos.
Escrituras à procura da definição de profeta e vidente.
Sugere-se que você peça aos alunos que anotem o que • Que conselhos de um vidente já fizeram com que
descobrirem. vocês fossem mais felizes?

• Qual é o chamado do vidente? Explique-lhes que cada vidente é como “um atalaia
• Quais são alguma das bênçãos que recebemos na torre” que é capaz de alertar-nos porque consegue
quando seguimos o vidente?  ver o inimigo enquanto ainda está distante (ver D&C
101:54). Demonstramos nossa fé quando damos ouvi-
Explique-lhes que nosso testemunho quanto ao dos a esses alertas. Preste testemunho das bênçãos que
vidente se fortalece quando vemos ocorrerem aconteci- recebemos por contar com a liderança de videntes.
mentos ou situações que confirmam que ele é vidente.
Peça aos alunos que abram Doutrina e Convênios 89.

75
Capítulo 20
Capítulo 20
Mosias 9–17

Introdução 1:27–30. Do capítulo 9 ao 24 de Mosias, recontam-se


os acontecimentos do governo de três reis: Zênife,
Apesar de esse bloco de escrituras conter várias
Noé e Lími. Essa história documenta como as coisas
histórias interessantes e instrutivas, encontramos os
corriam bem quando o povo se voltava para Deus.
principais ensinamentos doutrinários na história do
Quando preferia não voltar-se para Deus, o povo
ministério de Abinádi. Talvez os alunos já conheçam a
defrontava-se por um lado com os lamanitas e por
história do martírio de Abinádi, mas você pode aju-
outro com o orgulho.
dá-los a compreender melhor sua mensagem e seu
ministério e pode ajudá-los a compreender o papel dos Mosias 9–17. Panorama Doutrinário: As
profetas, a importância de atender a eles e da natureza Responsabilidades dos Profetas
divina de Jesus Cristo. Pode ajudá-los a compreender Leia a seguinte declaração encontrada em Sempre
que a disposição de Abinádi de morrer por seu tes- Fiéis. Antes da leitura, peça aos alunos que ouçam com
temunho do Salvador era fruto de sua disposição de atenção para descobrir quatro das principais responsa-
viver de acordo com esse testemunho. Por meio do bilidades dos profetas.
exemplo de Abinádi, os alunos podem reforçar seu
compromisso de ser obedientes, fiéis e corajosos.  “Como os profetas antigos, os profetas de hoje
testificam de Jesus Cristo e ensinam o Seu evange-
Alguns Princípios e Doutrinas lho. Eles revelam a vontade e a verdadeira perso-
• Os profetas chamam os iníquos ao arrependimento nalidade de Deus. Falam com coragem e clareza
(ver Mosias 11–12). denunciando o pecado e alertando sobre as suas
• O próprio Deus fará a Expiação necessária para redi- consequências. Às vezes eles podem ser inspira-
mir Seu povo (ver Mosias 13–16). dos a profetizar sobre eventos futuros em nosso
• Às vezes os justos sofrem pelo testemunho de Jesus benefício” (Sempre Fiéis: Tópicos do Evangelho,
Cristo (ver Mosias 17). 2004, p. 140).

Sugestões Didáticas
• Quais quatro grandes responsabilidades dos profetas
Mosias 9–17. Panorama Histórico vocês encontraram? (Anote as respostas dos alunos
Para apresentar aos alunos o panorama histórico de no quadro, como mostrado abaixo.)
Mosias 9–17, use uma destas opções:
1. Com bastante antecedência, dê a um aluno uma
Responsabilidades dos Profetas
cópia da folha de instruções que se encontra no
final deste capítulo. Peça-lhe que estude Mosias 1. Dar testemunho de Jesus Cristo e ensinar o evan-
9–10 e prepare-se para utilizar de três a quatro gelho.
minutos do início da aula para apresentar a história 2. Revelar a vontade e a verdadeira personalidade
de Zênife. de Deus.
2. Caso decida que não pedirá a um aluno que faça 3. Denunciar o pecado e alertar-nos de suas conse-
essa apresentação, comece a aula pedindo aos quências.
alunos que vejam a data no rodapé da página inicial
4. Profetizar acontecimentos futuros.
de Mosias 9 (ou no cabeçalho do capítulo) e a data
indicada no rodapé da página inicial de Mosias 8
(ou no cabeçalho do capítulo). Saliente que entre Divida a turma em quatro grupos. Peça a cada grupo
Mosias 8 e Mosias 9 há um retrocesso de aproxi- que faça a leitura silenciosa de uma destas escrituras:
madamente 80 anos. A história de Mosias 9 começa Mosias 11:20–25, Mosias 16:5–9, Mosias 16:10–15 e
por volta do ano 200 a.C., e nela Zênife conta os Mosias 17:15–18. Depois peça aos grupos que discutam
acontecimentos que já estavam registrados em Ômni entre si como Abinádi desempenhou uma ou mais das

76
Mosias 9–17

responsabilidades anotadas no quadro. Peça que um ouvidos à primeira advertência do profeta. Fale de
aluno de cada grupo resuma para o restante da turma como você vê a necessidade de arrepender-nos pron-
o conteúdo dos versículos que o grupo leu e explique tamente e do quanto é importante seguir os conselhos
como Abinádi cumpriu uma ou mais das responsabili- dos profetas vivos.
dades anotadas no quadro.
Mosias 13–16. O Próprio Deus Fará a Expiação
Peça aos alunos que tenham essas responsabilidades Necessária para Redimir Seu Povo
em mente ao longo de toda a aula e procurem perce- Abinádi continuou a cumprir seu papel de profeta ao
ber como Abinádi cumpriu seu chamado de profeta. dar testemunho da missão divina de Jesus Cristo. Nesse
testemunho, ele citou uma das profecias de Isaías
Mosias 11–12. Os Profetas Chamam os Iníquos
ao Arrependimento quanto ao sacrifício expiatório do Salvador. Peça aos
alunos que façam a leitura silenciosa de Mosias 14.
Mostre uma gravura que represente Abinádi na corte
(Você pode colocar um hino sacramental para tocar
do rei Noé, como, por exemplo a de número 75 do
bem baixinho durante a leitura. Você tanto pode usar
Livro de Gravuras do Evangelho (mostrada abaixo).
uma gravação do hino como pedir a alguém que o
Peça que alguém descreva em poucas palavras o acon-
toque ao piano.) Terminada a leitura, peça aos alunos
tecimento que a gravura representa.
que falem do que sentiram quanto ao que leram.
Depois que os alunos falarem do que sentem pelo
Salvador, ajude-os a identificar algumas das verdades
importantes ensinadas em Mosias 14. Diga-lhes que
esse capítulo contém uma profecia que já se realizou.
Depois faça as seguintes perguntas: (Peça aos alunos
que anotem as respostas no quadro.)
• No versículo 2, o que a expressão “como uma raiz
de terra seca” sugere quanto à situação espiritual do
povo na época do ministério mortal do Salvador?
(Muitos não eram receptivos a Sua mensagem.)
• De acordo com o versículo 3, como algumas pessoas
trataram o Salvador?
Uma das formas pelas quais Abinádi cumpriu seu • De acordo com os versículos 4–6, que fardos o Sal-
papel de profeta foi chamando o povo ao arrependi- vador suportaria?
mento. Peça aos alunos que comparem o que Abinádi
• De acordo com os versículos 7–9, como Jesus Cristo
disse em sua primeira pregação (ver Mosias 11:20–25)
demonstrou que estava disposto a expiar nos-
com o que disse da segunda vez (ver Mosias 12:1–8).
sos pecados?
Dois anos se passaram entre a primeira pregação de
Abinádi e a segunda (ver Mosias 12:1). Peça que alguns alunos comentem suas respostas.
Incentive todos a meditarem nas palavras de Isaías
• O que mudou na segunda mensagem de Abinádi? 
lendo Mosias 14 novamente após a aula e falando do
• Após a segunda pregação de Abinádi, mesmo que se que aprenderam a um familiar ou amigo.
arrependesse, que consequências o povo teria que
enfrentar por não dar ouvidos às advertências que Para encerrar esta parte da lição, você pode pedir aos
Abinádi fizera da primeira vez? alunos que leiam a letra do hino “Assombro Me Causa”
(Hinos, nº 112).
Ajude os alunos a compreenderem que apesar de o
• Qual é a relação entre esse hino e Mosias 14?
arrependimento ainda ser possível, as pessoas não
poderiam escapar às consequências de não terem dado

77
Capítulo 20

• De que forma esse hino faz com que vocês sintam 159–160). Esse manual inclui trechos de uma procla-
mais gratidão ao Salvador? mação de 1916 intitulada “O Pai e o Filho: Exposição
• O que vocês sentem ao perceberem que o Salvador Doutrinária da Primeira Presidência e do Quórum dos
baixou do trono divino para resgatá-los? Doze Apóstolos”.  
Observe que Mosias 15:1–8 não é uma preleção sobre
Peça a um aluno que leia Mosias 13:33–35 e 15:1.
diferentes membros da Trindade. Nessa escritura são
Enquanto os alunos leem e trocam ideias sobre esses ver- abordados os diferentes papéis que Jesus Cristo desem-
sículos, talvez seja necessário esclarecer o emprego que penha como Pai e Filho.
Abinádi faz da palavra Deus. Hoje, quando os membros
Em Mosias 15:10–13, Abinádi também explica a relação
da Igreja utilizam a palavra Deus, normalmente referem-se
de pai e filho entre Jesus Cristo e quem aceita Seu
ao Pai Celestial, mas Abinádi empregou-a para referir-se a
evangelho. Ele fala da “semente” do Salvador, ou seja,
Jesus Cristo. Para ajudar os alunos a compreenderem isso,
de seus filhos. Peça que alguém leia do versículo 10 ao
peça-lhes que leiam a declaração da seção de comentá-
13. Depois faça as seguintes perguntas:
rios nas páginas 159–160 do manual do aluno.
• De acordo com os versículos 11–12, o que significa ser
Para ilustrar a importância da doutrina de que Jesus
filho ou filha do Salvador? (Ver também D&C 25:1.)
Cristo foi e é um Deus, faça estas perguntas:
• Que bênçãos são concedidas a quem se torna
• Será que Jesus Cristo é um mito?
“semente” de Cristo?
• Será que Ele era sábio em questões morais, mas
ainda assim um homem mortal? Abinádi continuou a ensinar Noé e seus sacerdotes e
respondeu uma pergunta que um deles lhe fizera ante-
• Será que Ele é literalmente Filho de Deus?
riormente. Peça aos alunos que leiam essa pergunta em
• Como as respostas que dão a essas perguntas Mosias 12:20–24. Em sua resposta, Abinádi voltou a dar
influencia a vida das pessoas? testemunho da divindade de Jesus Cristo. Para ajudar
Pergunte aos alunos se já viram no mundo alguma ten- os alunos a discutirem a resposta de Abinádi, peça que
tativa de diminuir a posição que Jesus Cristo tem como metade da turma leia Mosias 15:13–18 e que a outra
Filho literal de Deus. metade leia Mosias 15:19–25. Enquanto os grupos
leem, anote estas perguntas no quadro:
• Por que é importante que reconheçamos que Jesus
Cristo era e é um Deus?
Quem são os mensageiros que proclamam boas
Ajude os alunos a compreenderem que nossa fé em novas? (Ver Mosias 15:13–18).
Jesus Cristo e na Expiação aumenta quando compreen- Que boas novas são essas? (Ver Mosias 15:19–25.)
demos a natureza eterna e divina do Filho de Deus.
Em Mosias 15:1–9, Abinádi dá testemunho da natu-
Peça que um aluno de cada grupo diga ao restante da
reza e missão divinas do Salvador e explica os papéis
turma o que seu grupo respondeu.
que Jesus Cristo desempenha tanto como Pai quanto
como Filho. Leia a declaração do Élder Carlos E. Asay, dos Setenta,
na página 160 do manual do aluno.
Peça que alguém leia Mosias 15:1–5. Depois, peça que
alguém leia a declaração do Élder M. Russell Ballard, • Como podemos ajudar a levar essas boas novas
na página 159 do manual do aluno. aos outros?

• Como Cristo é tanto o Pai como o Filho? Mosias 17. Às Vezes os Justos Sofrem pelo
Caso perceba que precisa aprofundar um pouco mais Testemunho de Jesus Cristo
esse assunto, consulte o restante das informações que Volte a mencionar a gravura “Abinádi diante do
o manual do aluno traz sobre Mosias 15:1–7 (páginas Rei Noé”. Peça que um aluno conte à turma o que

78
Mosias 9–17

aconteceu com Abinádi. Depois, peça que alguém leia


(…) [e] os homens capitaneados por Cristo Nele
Mosias 17:1–13, 20.
se consumirão. (…)
Ajude os alunos a compreenderem que a disposição
para morrer pela verdade foi o resultado natural da A vontade desses homens será absorvida pela
obediência de Abinádi a Deus. Contudo, são bem vontade de Cristo (ver João 5:30).
poucas as pessoas que precisam morrer em defesa do Eles sempre fazem as coisas que agradam ao
testemunho. Para ajudar os alunos a perceber que não Senhor (ver João 8:29).
precisamos morrer pela verdade, mas que há outras coi-
sas que precisamos fazer, leia as seguintes declarações: Não só morreriam pelo Senhor, mas, o que é
mais importante, eles querem viver para o Senhor”
(Conference Report, outubro de 1985, pp. 5–6; ver
O Presidente Brigham Young (1801–1877), 2º
também A Liahona, janeiro de 1986, p. 5).
presidente da Igreja, disse: “Creio que não erro
ao afirmar que há muitos santos dos últimos dias
mais dispostos a morrer por sua religião do que
• Sob que aspectos pode-se dizer que Abinádi vivia
vivê-la fielmente” (Ensinamentos dos Presidentes
para o Senhor? 
da Igreja: Brigham Young, 1997, p. 75).
• Como a vida e os ensinamentos da Abinádi influen-
O Presidente Ezra Taft Benson (1899–1994), 13º ciaram Alma? (Ver Mosias 17:1–4. Caso pretenda
presidente da Igreja ensinou: continuar a desenvolver o assunto, sugere-se que
você recorra à declaração do Élder Robert D. Hales,
“Cristo muda o homem, e os homens transforma-
na página 161 do manual do aluno.) 
dos podem mudar o mundo.
• De que forma podemos viver para o Senhor?
Os homens transformados por Cristo serão capita-
neados por Ele. (…)

79
Capítulo 20

Instruções
Panorama Histórico de Mosias 9–10 a.C.,
e nela Zênife conta os acontecimentos que já
A apresentação deve levar entre três e cinco minu- estavam registrados em Ômni 1:27–30. Resuma em
tos. Para preparar-se para apresentar o contexto suas próprias palavras alguns dos principais pontos
histórico da lição, leia e releia Mosias 9–10 até da história de Zênife encontrada em Mosias 9–10.
saber bem a história. Sugere-se também que você Você poderia incluir:
estude o quadro abaixo e as páginas 155–156 do 1. O resultado da primeira viagem de Zênife
manual do aluno. (Mosias 9:1–5; Ômni 1:27–30).
Em classe, peça aos outros alunos que abram as 2. As consequências do excesso de zelo. Por
escrituras em Mosias 9–10 para acompanhar o exemplo, o excesso de zelo para certas coisas
breve resumo da história de Zênife que você apre- levou-os a agir de forma pouco sensata, como
sentará. Copie a seguinte tabela no quadro para quando foram vagarosos para lembrarem-se de
lembrar os principais personagens e lugares citados Deus (ver Mosias 9:3) e a ficarem cegos à astúcia
no livro de Mosias: e à malícia do rei Lamã (ver Mosias 9:10).
3. A influência benéfica de Zênife sobre o
Terra de Leí-Néfi Terra de Zaraenla povo. Ele, por exemplo, incentivou o povo
Rei Zênife (Mosias 9–10) Rei Mosias I a (a) reconstruir a cidade (ver Mosias 9:8);
por volta do ano 200 a.C. (b) criar gado e plantar alimentos (ver Mosias
Rei Noé (Mosias 11–19) Rei Benjamim 10:2, 4); (c) produzir roupas (ver Mosias 10:5)
por volta do ano 160 a.C. e (d) defenderem-se “com a força do Senhor”
Rei Lími (Mosias 7–8; Rei Mosias II (ver Mosias 9:17).
19–22) por volta do ano
121 a.C. Pelo governo do rei Zênife, vemos que ele empe-
nhou-se a vida intera em obter a terra de Leí-Néfi
para ali viver em paz. Seu excesso de zelo em
Zênife foi o nefita que levou um grupo dos de seu
alcançar esse objetivo levou-o a tomar algumas
povo para tentar reconquistar a terra de Leí-Néfi,
decisões questionáveis, mas ele acabou por ter
onde seus antepassados viveram. Eles saíram de
sucesso no empreendimento de formar uma colô-
Zaraenla depois do início do governo do primeiro
nia Nefita entre os lamanitas.
rei Mosias. Saliente que entre Mosias 8 e Mosias 9,
há um retrocesso de aproximadamente 80 anos. A
história de Mosias 9 começa por volta do ano 200

80
Capítulo 21 Mosias 18–24
Mosias 18–24

Introdução • O que vocês encontraram?

Depois de converter-se por meio da pregação de Abi- Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 20:37.
nádi, Alma começou a ensinar àqueles que estivessem Antes da leitura, peça ao demais alunos que escutem
dispostos a ouvi-lo. Ele e seus novos seguidores fugi- com atenção e descubram outras características e ações
ram para um lugar chamado Mórmon, onde receberam que confirmam que a pessoa está pronta para fazer e
a ordenança do batismo e adotaram uma só fé. Esse guardar o convênio batismal.
grupo instalou-se pacificamente numa terra a que deram
• Como as atitudes de que falamos ajudam-nos a guar-
o nome de Helã, mas tornaram-se cativos de Amulon,
dar todos os convênios do evangelho? 
um dos antigos sacerdotes do rei Noé, que se unira aos
lamanitas. Pouco antes disso, o restante do povo que Ler Mosias 18:8–10. Antes de ler, peça aos alunos que
permanecera na terra de Leí-Néfi (que passara a ser acompanhem a leitura e procurem identificar os ele-
governado por um rei justo chamado Lími e que era mentos do convênio batismal.
filho do rei Noé) também se viu cativo dos lamanitas.
• Que parte do convênio batismal é delineada nesses
Os dois grupos aprenderam que “ninguém poderia
versículos?
salvá-los, exceto o Senhor seu Deus” (Mosias 23:23). Ao
• O que o Senhor nos promete se guardarmos o con-
estudarem essas histórias, tanto você como seus alunos
vênio batismal?
podem passar a ter uma maior compreensão do poder
que o Senhor tem para livrar-nos de qualquer tipo de Peça aos alunos que leiam Mosias 18:11–16 em duplas.
servidão em que nos encontremos. Você pode incentivar Peça-lhes que marquem as coisas que as pessoas do
os alunos a fazer convênios e guardá-los, a ser humildes, povo de Alma desejavam antes de serem batizadas.
arrepender-se, orar e confiar no Senhor. Peça-lhes também que descubram o que elas sentiram
depois de ser batizadas e que bênçãos receberam.
Alguns Princípios e Doutrinas
• O que Alma desejou ao preparar-se para fazer a
• Por meio do convênio batismal, recebemos o Espí-
obra do Senhor? (Ver Mosias 18:12.)
rito do Senhor e é-nos prometida a vida eterna (ver
Mosias 18:1–16). • Por que precisamos do Espírito para servir com “san-
tidade de coração”?
• Para andar retamente é preciso ser obediente a Deus
e servir ao próximo (ver Mosias 18:17–30). • Depois de terem sido batizados, Alma e seu povo
ficaram “cheios do Espírito” (Mosias 18:14) e “enche-
• Deus é misericordioso e é capaz de livrar-nos do
ram-se da graça de Deus” (Mosias 18:16). Por que é
cativeiro (ver Mosias 19–24).
importante que todos os membros da Igreja recebam
• Deus coloca nossa paciência e fé à prova (ver essas bênçãos? Em que ocasiões vocês receberam
Mosias 23–24). essas bênçãos?

Sugestões Didáticas Dê testemunho das promessas e bênçãos que rece-


bemos quando honramos nosso convênio batismal e
Mosias 18:1–16. Por Meio do Convênio Batismal,
seguimos a orientação do Espírito Santo.
Recebemos o Espírito do Senhor e É-nos
Prometida a Vida Eterna Mosias 18:17–30. Para Andar Retamente
Para começar, peça aos alunos que imaginem que uma É Preciso Ser Obediente a Deus e Servir
amiga decidiu ser batizada e confirmada. Pergunte-lhes ao Próximo
o que ela poderia fazer para preparar-se espiritualmente. Escreva no quadro: Andaram retamente diante
• O que vocês aconselhariam? de Deus.
• Em sua opinião, o que isso significa?
Peça-lhes que façam a leitura silenciosa de Mosias
18:1–7 à procura de indicações de que aquelas pessoas
estavam preparadas para o batismo.

81
Capítulo 21

Peça aos alunos que leiam Mosias 18:17–30, em duplas Packer, do Quórum dos Doze Apóstolos, um princí-
ou individualmente, à procura dos conselhos de Alma pio é “uma verdade permanente, uma lei, uma regra
que levaram o povo a andar retamente diante de Deus. que podemos adotar para orientar nossas decisões”
Sugira que anotem os princípios que encontrarem. [Conference Report, abril de 1996, p. 22; ver também
Dê-lhes tempo suficiente para isso e, depois, peça-lhes A Liahona, julho de 1996, p. 18 (tradução atualizada)].
que digam o que encontraram. Enquanto os alunos Você pode usar essa definição para ajudar os alunos
falam de suas respostas, peça-lhes que citem algumas a compreenderem que tipo de princípio quer que
bênçãos que recebemos por obediência a conselhos incluam na lista.
específicos (eles podem citar bênçãos e conselhos
A tabela abaixo ilustra uma forma de conduzir a ativi-
encontrados nessa passagem de escritura ou tirados
dade. Você poderia copiá-la no quadro e sugerir que
de experiência própria). 
os alunos usem-na como modelo para criar sua própria
Incentive-os a seguirem o conselho de Alma e a anda- tabela. Anote a primeira coisa que os nefitas fizeram
rem retamente todos os dias, por meio da obediência a e o princípio correspondente (Mosias 21:13–14) para
Deus e do serviço ao próximo. mostrar aos alunos como preencher a tabela. Depois,
incentive-os a encontrar o maior número possível de
Mosias 19–24. Deus É Misericordioso e É Capaz
coisas feitas pelos nefitas e a anotar o princípio corres-
de Livrar-nos do Cativeiro
pondente a cada uma.
No manual do aluno há um quadro comparativo da his-
tória do povo de Lími e do povo de Alma (ver as pági-
nas 166–167). Sugere-se que você peça aos alunos que Mosias 21:13–19; 24:9–16
consultem esse quadro ao debaterem Mosias 19–24.
Atos dos Nefitas Princípios
Peça aos alunos que examinem o mapa intitulado
Humilharam-se e cla- Deus atende às ora-
“Deslocamentos Importantes dos Nefitas no Livro de maram fervorosamente ções de quem pede com
Mosias”, na página 152 do manual do aluno. Localizem a Deus (ver Mosias humildade.
nesse mapa as cidades e os grupos de pessoas citados 21:13–14).
em Mosias 19–24. Certifique-se de que os alunos com-
Foram pacientes
preendam que Lími e seus súditos moravam na terra de (ver Mosias 24:16).
Leí-Néfi e que Alma e os que o seguiram moravam na
terra de Helã. Outras coisas encontra-
das pelos alunos
Explique-lhes que tratarão da história de como o
Senhor livrou o povo de Lími e o povo de Alma da ser-
Depois de lhes dar tempo suficiente para estudar e
vidão aos lamanitas. Peça aos alunos que abram Mosias
ponderar, peça aos alunos que falem das ações e dos
21:5 e peça que um deles leia. Saliente a declaração
princípios que anotaram. Dê-lhes a oportunidade de
de Mórmon de que “não havia meio de se livrarem das
falar de ocasiões em que tenham sido abençoados
mãos dos lamanitas”.
pelo Senhor por aplicarem esses princípios. Encerre
Escreva no quadro: Mosias 21:13–19; 24:9–16. Peça com seu testemunho de que não podemos livrar a
aos alunos que façam a leitura silenciosa desses nós mesmos do cativeiro espiritual e de que para isso
versículos à procura de coisas específicas que os dois precisamos da infinita misericórdia e do amor redentor
grupos fizeram para que Deus tivesse misericórdia do Senhor.
deles e os libertasse. Oriente-os para que, com base
nessas coisas, façam uma lista de princípios para guiá- Mosias 23–24. Deus Coloca Nossa Paciência
e Fé à Prova
los quando enfrentarem situações difíceis. Peça-lhes
que anotem os princípios que encontrarem. [Observa- Lembre aos alunos que, tanto o povo de Alma como
ção: De acordo com a definição do Presidente Boyd K. o de Lími, antes haviam sido súditos do rei Noé. Peça
aos alunos que leiam a advertência de Abinádi em

82
Mosias 18–24

Mosias 11:23–25. O povo não atendeu a essa admoes-


tação, portanto Abinádi voltou a admoestá-lo. Peça “Pode haver e haverá inúmeras dificuldades na
aos alunos que leiam as palavras desse profeta em vida. Contudo, a alma que vem a Cristo, que
Mosias 12:1, 5. Depois disso, as pessoas que seguiram conhece Sua voz e tenta fazer o que Ele fez,
Alma saíram daquela terra, mas ainda sim sofreram as encontra forças Nele, como diz o hino. [“Sim,
consequências de terem-se recusado a arrepender-se Eu Te Seguirei”, Hinos, nº 134.] (…)
anteriormente. Irmãos e irmãs, quaisquer que sejam seus sofri-
Leiam Mosias 23:21–24 e 24:10–16 em conjunto ou mentos, por favor, não desistam, não se entre-
peça aos alunos que leiam essas passagens em silên- guem ao medo. (…)
cio. Depois de terminarem a leitura, peça-lhes que
Se você está só, por favor, saiba que é possível
respondam em voz alta às seguintes perguntas. Peça
encontrar consolo. Se está desanimado, tenha
que utilizem expressões das escrituras que leram e que
esperança. Se você é pobre em espírito, saiba que
também acrescentem suas próprias ideias. 
pode se fortalecer. Se tiver a sensação de que sua
• Quais são alguns dos fardos que as pessoas carre- vida está arruinada, saiba que ela tem conserto”
gam hoje? Em sua opinião, por que fica mais fácil (Conference Report, abril de 2006, pp. 71–72; ou
carregar nossos fardos quando nos sujeitamos de A Liahona, maio de 2006, pp. 70–71).
bom grado à vontade do Senhor?
• De que forma o Senhor “[visita Seu] povo nas suas
• Como podemos ter paciência em meio às dificuldades? 
aflições”? (Mosias 24:14.)
• Em que ocasiões vocês perceberam que estavam
Peça aos alunos que pensem em ocasiões em que o recebendo forças da mão de Deus?
Senhor os visitou em suas aflições. Se for apropriado,
pergunte se alguém gostaria de compartilhar uma Incentive os alunos a confiarem que o Pai Celestial e
experiência assim. Jesus Cristo são capazes de fortalecer-nos, consolar-nos
e curar-nos. 
Leia a seguinte declaração do Élder Jeffrey R. Holland,
do Quórum dos Doze Apóstolos:

83
Capítulo 22
Capítulo 22
Mosias 25–29

Introdução Mosias 26. As Ações Disciplinares da Igreja


Podem Ajudar os Pecadores a Arrependerem-se
Nesse período da história do Livro de Mórmon, o
e Voltarem à Plena Integração na Igreja
profeta Alma enfrentou grandes dificuldades na Igreja.
Esta sugestão didática centraliza-se nos conselhos disci-
Muitos da nova geração não se converteram ao evan-
plinares da Igreja, e esse assunto pode gerar perguntas
gelho e não acreditavam nas palavras dos profetas.
difíceis. Tenha o cuidado de limitar o debate e a expo-
Alma, o filho, e os quatro filhos do rei Mosias estavam
sição ao conteúdo aprovado deste manual e do manual
entre os descrentes e se empenhavam em destruir a
do aluno. Além disso, você pode consultar o verbete
Igreja de Deus. Por meio de orações fervorosas, Alma
“Conselhos Disciplinares da Igreja” na página 44 de
foi orientado pelo Senhor quanto a como proceder
Sempre Fiéis: Tópicos do Evangelho. Caso os alunos
quanto aos dissidentes da Igreja. Com esta lição, você
façam perguntas cuja resposta exigiria que você fosse
pode ajudar os alunos a verem a mudança que o arre-
além desses materiais aprovados, seja amável e expli-
pendimento e a conversão ocasionam. Eles verão que
que-lhes que esse é um assunto delicado e sagrado e
quem se converte presta serviço fielmente ao longo de
que não devemos aprofundar-nos mais nele em sala
toda a vida. 
de aula. Sugira que eles conversem com o líder do
Alguns Princípios e Doutrinas sacerdócio.
• As ações disciplinares da Igreja podem ajudar os Anote o seguinte no quadro:
pecadores a arrependerem-se e voltarem à plena
integração na Igreja (ver Mosias 26).
cometiam pecados — julgados —
• Por meio da Expiação podemos nascer de novo (ver versículo 6 versículos 12, 29
Mosias 27).
admoestados — arrependeram-se —
• A conversão aumenta nosso desejo de levar o evan- versículo 6 versículo 35
gelho aos outros (ver Mosias 27:32–37; 28:1–8).
testemunhas contra contou-os com o povo —
• Os cidadãos têm o dever de apoiar as leis e os líde- eles — versículo 9 versículo 35
res justos (ver Mosias 29).
apanhados cometendo não foram contados com
várias iniquidades — o povo — versículo 36
Sugestões Didáticas versículo 11
Mosias 26:1–4. A Nova Geração
Diga aos alunos que muitos dos filhos das pessoas que Peça aos alunos que passem os olhos pelo capítulo 26
ouviram o sermão do rei Benjamim rejeitaram as coisas de Mosias à procura das palavras anotadas no quadro.
em que seus pais acreditavam. Peça aos alunos que Pergunte-lhes do que acham que esse capítulo trata.
façam a leitura silenciosa de Mosias 5:1–5, e Mosias Enquanto eles manifestam suas ideias, certifique-se de
26:1–4 e comparem o que as pessoas do tempo do que compreendam que Alma tinha autoridade na Igreja
rei Benjamim sentiam àquilo que muitas pessoas da e que Mosias, que era o rei, tinha autoridade para
nova geração sentiam. (Essa nova geração vivia sob o governar. O rei Mosias explicou-lhe que cuidaria dos
governo de Mosias, filho do rei Benjamim.) crimes civis, mas que Alma era o responsável por tratar
• De acordo com Mosias 26:3, por que muitos da nova das transgressões graves dos membros da Igreja.
geração endureceram o coração? Escreva no quadro: Ações Disciplinares da Igreja.
• De que forma vocês poderiam ajudar a próxima • O que a palavra disciplina significa?
geração a desenvolver um testemunho do evangelho
como vocês desenvolveram? Cite a seguinte declaração do Élder Theodore M. Burton
(1907–1989), que era membro do Quórum dos Setenta:

84
Mosias 25–29

Preste testemunho de que o Salvador está pronto a per-


“Fico triste quando chega ao meu conhecimento doar-nos se nos arrependermos e de que precisamos
a forma como alguns membros de nossa Igreja ser dignos para desfrutar as bênçãos reservadas aos
(e às vezes até alguns líderes locais) tratam as membros da Igreja.
pessoas que passaram por um conselho discipli-
nar por alguma transgressão. Percebo que temos Mosias 27. Por Meio da Expiação Podemos
a tendência a considerar a palavra disciplina Nascer de Novo
com a palavra punição, mas há uma diferença Esta sugestão didática demonstra como nossa fé em
entre essas palavras. (…) A palavra disciplina e a Jesus Cristo faz com que o poder de cura da Expiação
palavra discípulo vêm da mesma raiz. O discípulo atue em nossa vida. Ela gira em torno da mudança que
é aquele que estuda, que é ensinado. Em nosso transcorreu no coração de Alma, o filho, e dos filhos de
contato com os transgressores, temos de lembrar- Mosias. Ela não aborda todos os acontecimentos que
nos que eles precisam desesperadamente que os os levaram à conversão. Se algum aluno desconhecer
ensinemos” (Conference Report, outubro de 1985, partes dessa história, você pode pedir a outro aluno
p. 81–82; ou Ensign, novembro de 1985, p. 65). que a resuma em poucas palavras.
No quadro, faça o desenho de um coração. Escreva
a palavra mudança no meio do coração. Pergunte
• De acordo com o Élder Burton, qual é o objetivo das
aos alunos o que significa passar por uma mudança
ações disciplinares da Igreja?
no coração.
Peça a um aluno que leia Mosias 26:6, 9–13. Peça-lhes que leiam Mosias 27:8–10, 32–37. Peça-lhes
• Por que o “espírito de Alma perturbou-se”? que comparem o comportamento de Alma, o filho, e
• O que Alma fez para descobrir como julgar o povo? dos quatro filhos de Mosias antes e depois de passarem
por essa mudança no coração.
Peça a um aluno que leia Mosias 26:28–32.
• Em que esses cinco homens mudaram?
• O que o Senhor diz sobre a questão da confissão e
• Nos versículos 32–37, que indicações encontramos
do perdão no versículo 29?
de que essa mudança foi sincera e duradoura?
• O que esses versículos nos ensinam quanto ao
que o Senhor pretende com as ações disciplinares Leia Mosias 27:24–29 com os alunos.
da Igreja? • Nesses versículos, que palavras descrevem o pro-
• Que bênçãos são concedidas a quem se arrepende cesso de “nascer de novo”?
totalmente? • De que forma viver em obediência ao evangelho
• De que forma as ações disciplinares da Igreja podem transforma nossa natureza?
ser consideradas gestos de amor? • O que diz Alma para dar a entender que o arrepen-
dimento não é fácil?
Saliente que no versículo 32, o Senhor explica que
quem não se arrepende não deve ser contado com os Ajude os alunos a compreenderem que, apesar da
membros da Igreja. No entanto, isso não significa que mudança de Alma e dos filhos de Mosias aparente-
os líderes e membros da Igreja devam deixar de servir mente ter sido súbita, para a maioria de nós o processo
e amar essas pessoas.  de arrependimento não acontece de repente.
Para ajudá-los a compreender melhor as ações disci- Peça a um aluno que leia Alma 5:46.
plinares da Igreja, sugere-se que você peça-lhes que
• De acordo com Alma, o que mais aconteceu em sua
leiam a declaração do Élder Theodore M. Burton, na
conversão?
página 173 do manual do aluno.

85
Capítulo 22

Leia com os alunos a explicação do Presidente Ezra Mosias 29. Os Cidadãos Têm o Dever de Apoiar
Taft Benson, na página 166 do manual do aluno. as Leis e os Líderes Justos
• O que o Presidente Benson disse quanto ao pro- Divida a turma em três grupos. Todos os grupos estu-
cesso de conversão? darão Mosias 29:1–36, mas cada um deve procurar por
algo diferente. Peça ao primeiro grupo que procure
Ajude os alunos a perceber que a mudança que ocorre informações relativas aos reis justos; ao segundo, que
quando a pessoa nasce de novo é resultado direto da procure informações quanto aos reis iníquos e ao ter-
ação da Expiação de Jesus Cristo. Peça aos alunos que ceiro que procure informações sobre os juízes. Depois
expressem suas ideias quanto a mudança no coração. que todos tiverem tempo suficiente para terminar, peça
que um representante de cada grupo diga ao restante
Mosias 27:32–37; 28:1–8. A Conversão Aumenta
Nosso Desejo de Levar o Evangelho aos Outros da turma o que o grupo descobriu. Escreva resumi-
damente no quadro as informações fornecidas pelos
Peça aos alunos que pensem em uma ocasião em que
grupos, como mostrado abaixo:
tiveram vontade de contar uma boa notícia ou uma
experiência maravilhosa, ou de mostrar a alguém algo
belo que viram. Três Tipos de Governantes
• Por que gostamos de passar boas coisas a Reis Justos Reis Iníquos Juízes
outras pessoas?
(Respostas dos (Respostas dos (Respostas dos
Copie no quadro a tabela abaixo. Peça aos alunos que Alunos) Alunos) Alunos)
copiem a tabela em um papel e a preencham indivi-
dualmente ou em duplas. Recapitule esta atividade fazendo as seguintes
• Quais são as semelhanças entre essas três histórias? ­perguntas:

Anote D&C 88:81 no quadro, abaixo da tabela. Peça a • O que podemos esperar do governo de um rei justo?
um aluno que leia esse versículo. • O que acontece ao povo quando o governante é um
• Em Mosias 28:3–4, lemos os motivos que levaram os rei iníquo?
filhos de Mosias a pregar o evangelho. Como esses • Que regras relativas ao governo dos juízes ajudavam
motivos ajudam-nos a guardar o mandamento dado a assegurar os direitos do povo?
em Doutrina e Convênios 88:81?
Peça que alguém leia Mosias 29:27.
• Por que é importante que esses sejam os motivos
• Em que circunstâncias o governo pela voz do povo
pelos quais servimos?
é ruim?
Incentive os alunos a pensarem em formas de transmi- • De acordo com esse versículo, quando o governo
tirem o evangelho.  chega a esse estado quais são as consequências?

Qual foi a experiência? Quem passou por ela? O que tiveram vontade de fazer
depois dessa experiência?

1 Néfi 8:2–12

Enos 1:1–9, 19

Mosias 28:1–4

86
Mosias 25–29

Diga aos alunos que no tipo de governo descrito em Conclua a lição lendo Provérbios 29:2.
Mosias 29, a responsabilidade pela escolha de boas
Preste testemunho dessa verdade e considere a pos-
leis e bons governantes cabe aos cidadãos do país (ver
sibilidade de comentar fatos que exemplifiquem essa
D&C 98:10). Peça aos alunos que leiam a declaração
verdade. Incentive os alunos a participarem de forma
do Élder Neal A. Maxwell e do Presidente Boyd K.
construtiva do processo político, de acordo com
Packer, na página 176 do manual do aluno. As palavras
o permitido pelas leis da nação e da comunidade
do Élder Maxwell também se encontram no DVD que
onde moram.
acompanha o curso A .

87
Capítulo 23
Capítulo 23
Alma 1–4

Introdução Esta atividade é uma oportunidade de os alunos compa-


rarem as artimanhas sacerdotais e o sacerdócio. Divida
Alma 1 destaca a diferença entre o sacerdócio e as arti-
a turma em dois grupos. Peça ao primeiro grupo que
manhas sacerdotais. Depois de estudarem esse bloco de
leia, analise e debata as escrituras que falam de artima-
escrituras, os alunos devem ser capazes de reconhecer
nhas sacerdotais e ao segundo grupo que leia, analise
as características das artimanhas sacerdotais da época de
e debata as escrituras que falam do sacerdócio. Diga
Alma bem como de nossa época. Além disso, eles devem
ao primeiro grupo que procure a definição do termo
compreender que as artimanhas sacerdotais são o oposto
artimanhas sacerdotais e identifiquem seus elementos.
do sacerdócio de Deus. Em Alma 2–3, os alunos verão as
Diga ao segundo grupo que identifique como agem e
consequências negativas das artimanhas sacerdotais ao
o que motiva os portadores do sacerdócio que honram
lerem a história de como Anlici tentou destruir o governo
o Senhor. Depois que tiverem tempo de analisar os ver-
nefita e tornar-se rei. Essa história também mostra como
sículos que receberam, peça que um representante de
a forma pela qual os justos enfrentam as provações
cada grupo diga à turma o que encontraram.
pode contribuir para que sejam fortalecidos por Deus.
A maneira como Alma enfrentou as provações é um Depois que o primeiro grupo falar das artimanhas
exemplo a ser seguido por nós hoje. Você pode ajudar sacerdotais, faça as seguintes perguntas:
os alunos a compreenderem que, assim como Alma, • Em sua opinião, por que os ensinamentos de Neor
eles também podem ser fortalecidos por Deus se orarem tornaram-se tão populares? (Ver Alma 1:3–4; ver
pedindo ajuda, tiverem fé e tomarem as devidas provi- também Helamã 13:27–28.)
dências para enfrentar os obstáculos que encontrarem.
• O que aconteceria com as pessoas que ensinam o
Alma 4 salienta a força do testemunho puro.
evangelho se seu êxito dependesse de sua populari-
Alguns Princípios e Doutrinas dade? Como isso afetaria as doutrinas ensinadas?
• Os membros da Igreja não devem praticar artima- Depois que o segundo grupo falar do sacerdócio, faça
nhas sacerdotais (ver Alma 1). as seguintes perguntas:
• Deus nos dará forças se resistirmos à iniquidade (ver • De acordo com Alma 1:26, como os sacerdotes
Alma 2). encaravam aqueles a quem ensinavam? Por que é
• O testemunho puro combate o orgulho (ver Alma 4). importante que os professores tenham essa atitude?
• Citem algumas semelhanças entre os bons sacer-
Sugestões Didáticas dotes mencionados em Alma 1:25–27 e os líderes e
Alma 1. Os Membros da Igreja Não Devem missionários da Igreja hoje. 
Praticar Artimanhas Sacerdotais
Para ajudar os alunos a reconhecerem as artimanhas
Antes do início da aula, copie no quadro a seguinte
sacerdotais de nossa época e as consequências de per-
tabela:
mitirmos que elas avancem, faça as seguintes perguntas:
• De acordo com Alma 1:12, quais são as consequên-
Artimanhas Sacerdócio
cias de permitirmos que as artimanhas sacerdotais
sacerdotais
floresçam?
Alma 1:2–6 Alma 1:26–27
Além das artimanhas sacerdotais existentes no mundo,
Alma 1:16 Alma 13:6, 10–12 alguns de seus elementos podem infiltrar-se na Igreja.
Peça aos alunos que leiam a declaração do Élder Dal-
2 Néfi 26:29 Jacó 1:18–19
lin H. Oaks e do Élder David A. Bednar, na página 179
O que são artimanhas Como se portam os do manual do aluno. Essas declarações ensinam o
sacerdotais? sacerdotes de Deus? quanto é importante não praticar artimanhas sacer-
dotais em nossos chamados da Igreja. As palavras do

88
Alma 1–4

Élder Oaks também se encontram no DVD que acom- • Quantas pessoas morreram como resultado do
panha o curso A . desejo que Anlici tinha de ser rei? (Ver Alma 2:19.)
Qual a relação entre essa história e a advertência do
• O que podemos fazer para não praticar artimanhas
rei Mosias registrada em Mosias 29:17, 21?
sacerdotais em nossos chamados de ensino e lide-
rança? Peça aos alunos que passem os olhos por Alma
2:15–18, 28–31 em busca de todas as ocorrências do
Alma 2. Deus Nos Dará Forças Se Resistirmos
verbo fortalecer.
à Iniquidade
Peça aos alunos que pensem em uma ocasião em que • De acordo com Alma 2:28, por que o Senhor fortale-
resistiram à iniquidade, seja em uma questão pessoal ceu os nefitas?
ou em uma ocasião pública. Depois, peça-lhes que • Em sua opinião, por que, às vezes, em vez de remo-
meditem nas seguintes perguntas. Peça que respondam ver uma má influência de nossa vida, o Pai Celestial
apenas em pensamento. nos fortalece para resistir ao mal?
• O que o levou a defender a verdade e a retidão? Peça que alguém leia Alma 2:29–31 em voz alta. Peça
• O que lhe deu forças para agir assim? aos alunos que digam como podemos usar as coi-
sas que Alma faz nesses versículos como exemplos
Diga-lhes que Alma 2 conta a história de como o pro-
a serem seguidos quando nos defrontarmos com a
feta Alma e outros homens e mulheres de bem se opu-
iniquidade.
seram à iniquidade a ponto de se disporem a sacrificar
a própria vida. Peça aos alunos que descubram o que Preste testemunho de que o Senhor nos fortalecerá
motivava essas pessoas e de onde elas tiravam forças contra o inimigo se defendermos a verdade e a retidão.
nos momentos de grande dificuldade.
Alma 3. Às Vezes as Pessoas Mudam de
Peça à turma que faça a leitura silenciosa de Alma 2:1–7. Aparência para Diferenciarem-se dos Justos
Diga aos alunos que na tentativa de serem identifica-
• Quem era Anlici e quais eram as duas coisas que ele
dos como lamanitas, os anlicitas mudaram a própria
desejava? (Ver Alma 2:2, 4. Ser rei e destruir a Igreja.)
aparência. Peça que alguém leia Alma 3:4–5.
• Como os nefitas derrotaram Anlici e sua tentativa de
ser rei? • O que os Anlicitas fizeram para mudar de aparência?
• Em sua opinião, por que eles queriam distinguir-se
Leia a seguinte declaração do Profeta Joseph Smith
dos nefitas?
quanto ao dever que os membros da Igreja têm de ser
uma boa influência na comunidade: • Atualmente, o que algumas pessoas fazem quanto à
própria aparência para diferenciarem-se dos justos? 
“Temos o dever de exercer toda a nossa influência Caso queria mencionar as tatuagens durante esse
para tornar popular aquilo que é bom e sadio e debate (ou caso os alunos mencionem), mostre a
impopular aquilo que é prejudicial” (History of the gravura de um templo. Se possível, mostre o templo
Church, vol. 5, p. 286). mais próximo.
• Como vocês se sentiriam se vissem a Casa do Senhor
• De que forma podemos fazer com o que é bom e toda pichada?
sadio passe a ser popular? Os alunos devem compreender que o Senhor con-
Resuma o conteúdo de Alma 2:8–14 explicando sidera nosso corpo tão sagrado quanto os templos
que Anlici reuniu seus seguidores, convenceu-os a que construímos. O Presidente Gordon B. Hinckley
nomeá-lo rei e, depois, declarou guerra aos nefitas (1910–2008), 15º presidente da Igreja, declarou que “A
para tentar obter o que desejava. tatuagem é [uma pichação] no templo do corpo” (Con-
ference Report, outubro de 2000, p. 70; ou A Liahona,

89
Capítulo 23

janeiro de 2001, p. 67). Leia ou repita para os alunos o • Como ficou evidente que havia orgulho entre os
conselho que se encontra em Para o Vigor da Juven- membros da Igreja? (Você pode anotar as respostas
tude para ajudá-los a não seguirem as tendências dos alunos no quadro.)
do mundo que incentivam as pessoas a marcarem • Que efeito o orgulho dos membros da Igreja teve
o corpo: sobre quem não era membro?
• Vendo como agiam os membros da Igreja, em
“Seu corpo é criação sagrada de Deus. Respei- que as outras pessoas poderiam achar que eles
tem-no como a uma dádiva de Deus, e não o ­acreditavam?
profanem de modo algum. Vocês podem, por
meio de seu vestuário e aparência, demonstrar Dê-lhes um ou dois minutos para pensar em como
ao Senhor que sabem quão precioso é seu corpo. responderiam a esta pergunta:
Vocês podem demonstrar que são discípulos de • Se alguém que não os conhece bem os observasse,
Jesus Cristo” (Para o Vigor da Juventude: Cumprir o que essa pessoa poderia concluir quanto às coisas
Nosso Dever para com Deus, livreto, 2001, p. 14). em que você acredita?

Depois que eles tiverem tempo de ponderar, faça esta


Peça aos alunos que leiam a declaração do Presidente pergunta:
Gordon B. Hinckley, encontrada na página 182 do
• Como essa pergunta poderia influenciar nossa vida?
manual do aluno. Essa declaração também se encontra
no DVD que acompanha o curso B . No papel de profeta e juiz supremo, Alma estava preo-
cupado com o orgulho do povo e queria abater esse
Faça as seguintes perguntas, mas peça aos alunos que
orgulho (Alma 4:19). Peça que cinco alunos leiam Alma
apenas meditem na resposta.
4:15–19 em voz alta, um versículo por aluno.
• Que mensagens você passa por meio de seu modo
• O que a expressão “pela força de um grande teste-
de se vestir e do que faz com seu corpo? 
munho” indica quanto à forma como Alma ensinava?
• Como seu modo de se vestir reflete o que você é em
seu íntimo? No papel de sumo sacerdote presidente da Igreja, em
seu testemunho Alma fez admoestações e exortações,
• Além do recato, que outros fatores relacionados ao
além de declarar a verdade. Nós, membros da Igreja,
vestuário e à aparência poderiam demonstrar que
ao prestarmos um “grande testemunho” normalmente
você é discípulo de Jesus Cristo? (Permita que os
só devemos declarar nossa certeza da verdade. Para
alunos respondam a essa pergunta em voz alta. Além
salientar o que é prestar um grande testemunho, peça
disso, peça aos alunos que leiam a declaração do
aos alunos que leiam a declaração do Élder M. Rus-
Élder M. Russell Ballard, na página 182 do manual
sell Ballard e a do Presidente Howard W. Hunter, na
do aluno. Essa declaração também se encontra no
página 185 do manual do aluno. As palavras do Élder
DVD que acompanha o curso C. .)
Ballard também se encontram no DVD que acompanha
Preste testemunho de que o corpo é sagrado. Incentive o curso D .
os alunos a seguirem os conselhos dos profetas moder-
• Em sua opinião, por que um grande testemunho é
nos diariamente ao escolher o que vão vestir e como se
capaz de abater o orgulho?
arrumarão.
• Como você foi influenciado ao ouvir alguém prestar
Alma 4. O Testemunho Puro Combate o Orgulho um grande testemunho do evangelho?
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma
Considere a possibilidade de ler a seguinte declaração
4:6–12 e descubram que efeitos o orgulho surtiu nos
do Presidente Spencer W. Kimball (1895–1985), 12º
membros da Igreja.
presidente da Igreja, a respeito do que é prestar um
grande testemunho:

90
Alma 1–4

“Não façam exortações — isso não é testemunho.


Não digam às pessoas como elas devem viver.
Digam apenas o que sentem em seu íntimo. Isso
é um testemunho. No momento em que come-
çam a pregar às pessoas, seu testemunho acabou.
Simplesmente exponham o que sentem, externem
o que lhes vem à mente, ao coração e a cada fibra
de seu ser” (The Teachings of Spencer W. Kimball,
Edward L. Kimball, org., 1982, p. 138; ver também
Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer
W. Kimball, p. 86).

91
Capítulo 24
Capítulo 24
Alma 5–7

Introdução • De acordo com Alma 5:11–13, o que ocasionou essa


“grande mudança” no coração dessas pessoas? O que
Ao pregar aos habitantes de Zaraenla, Alma lem-
fez com que essa grande mudança fosse duradoura?
brou-os de que cada um deles se veria diante do
Senhor para ser julgado. Durante esta aula, dê desta- Anote o seguinte no quadro:
que às perguntas e aos conselhos de Alma que nos
ajudam a preparar-nos melhor para nos apresentar
Alma 5:14–19, 26–31
diante do Senhor, e você pode concentrar-se especial-
Quem passa por uma mudança no coração …
mente em ajudar os alunos a perceberem a mudança
que ocorre em nosso coração quando abandonamos
o pecado e nos voltamos para a retidão. Incentive-os Peça aos alunos que estudem os versículos anotados
a deixar de lado todos os pecados que facilmente os no quadro e que, depois, completem a frase de acordo
envolvem e mostrar a Deus que desejam arrepender-se com o que dizem esses versículos (isso deve ser feito
(ver Alma 7:15). por escrito em um papel). Os exemplos abaixo talvez o
ajudem a orientar os alunos neste exercício.
Alguns Princípios e Doutrinas
• Quando nosso coração passa por essa mudança, Quem passa por uma mudança no coração …
preparamo-nos para nos apresentar diante do Recebe a imagem de Deus em seu semblante (ver
Senhor (ver Alma 5). versículo 14).
• Jesus Cristo passou por “aflições e tentações de toda Tem fé na redenção operada por aquele que nos criou
espécie” para resgatar-nos do pecado e da morte e (ver versículo 15).
para ajudar-nos a enfrentar os problemas da mortali-
Sabe que agiu com retidão na Terra (ver versículo 16).
dade (ver Alma 7:7–13).
• O arrependimento sincero leva-nos a desenvolver Dê-lhes tempo suficiente para terminar e, depois, peça-
virtudes cristãs (ver Alma 7:14–24). lhes que digam como completaram a frase.
Leia Alma 5:33–35, 48, 50–51, 57 com toda a turma e
Sugestões Didáticas concentre-se no que Alma ensinou quanto ao que pre-
Alma 5. Quando Nosso Coração Passa por Essa cisamos fazer para “olhar para Deus com um coração
Mudança, Preparamo-nos para Nos Apresentar puro e mãos limpas” (versículo 19) quando estivermos
Diante do Senhor em Sua presença.
Para começar, faça estas perguntas aos alunos: • Das coisas que Alma ensina nesses versículos, o que
• Por que algumas pessoas têm medo de morrer? mais os impressiona?
• Por que algumas pessoas temem o momento em que Conclua com seu testemunho de que Deus está pronto
se apresentarão ao Senhor para serem julgadas? a ser misericordioso conosco e que o arrependimento
• Em sua opinião, o que faz com que uma pessoa se nos ajuda a santificar-nos para viver em Sua presença.
sinta preparada para encontrar-se com Deus?
Alma 7:7–13. Jesus Cristo Passou por “Aflições e
Você pode anotar as respostas dos alunos no quadro. Tentações de Toda Espécie” para Resgatar-nos
Depois do debate com a turma, peça que os alunos do Pecado e da Morte e para Ajudar-nos a
estudem Alma 5:6–13 individualmente. Incentive-os a Enfrentar os Problemas da Mortalidade
prestar atenção no que aconteceu a Alma, o pai, e aos Peça aos alunos que imaginem que são missionários e
que o seguiram. que alguém que acabaram de conhecer lhes pergun-
tou: “O que Jesus Cristo fez por mim?”
• Como Alma descreveu a conversão dessas pessoas?
Deixe que os alunos digam em poucas palavras o
que responderiam. Depois, peça-lhes que leiam e

92
Alma 5–7

ponderem Alma 7:7–13 individualmente à procura de Alma 7:14–24. O Arrependimento Sincero


respostas que confirmem ou completem a resposta que Leva-nos a Desenvolver Virtudes Cristãs
deram. Dê-lhes tempo suficiente para isso e, depois, Prepare com antecedência uma cópia das perguntas
peça-lhes que digam o que encontraram. (É possível a respeito de Alma 7:14–24, encontradas abaixo, para
que eles mencionem que o Senhor tem poder para entregar a cada aluno. Deixe espaço suficiente entre
fazer todas as coisas, que Ele suportou nossas dores, as perguntas para os alunos anotarem as respostas que
aflições, enfermidades e todo tipo de tentações para encontrarem.
que pudesse ter perfeita compaixão por nós em nossas
• Alma instou as pessoas a deixarem algo de lado.
dificuldades; que Ele morreu para poder romper as
O quê? 
ligaduras da morte e que tem poder para resgatar-nos
de nossos pecados.) • Sob que condições Alma prometeu que os habitan-
tes de Gideão teriam a vida eterna?  
• Que frases se repetem nesses versículos para salien-
• O que Alma ficou sabendo a respeito daquelas pes-
tar que o Salvador compreende o que passamos?
soas por meio da “manifestação do espírito”?
Peça aos alunos que encontrem e marquem as palavras • O que Alma percebeu quanto aos habitantes
“tomará sobre si” e “segundo a carne”. Diga-lhes que de Gideão?
nesses versículos a palavra carne refere-se ao corpo
• Como você descreveria a pessoa que despertou para
físico do Salvador bem como à mortalidade e a nossa
a consciência de seu dever para com Deus? 
natureza decaída. Ajude os alunos a compreenderem
que o Salvador desceu abaixo de todas as coisas para • Que qualidades precisamos ter para andar irrepreen-
saber como ajudar-nos a enfrentar as dificuldades da sivelmente perante Deus?
vida. Peça a alguém que leia a declaração do Élder • Como você resumiria o que aprendeu em Alma
Neal A. Maxwell, encontrada na página 191 do manual 7:14–24?
do aluno. • Que medidas você precisa tomar para desenvolver
• Como saber dessas coisas ajuda-nos a enfrentar os as virtudes de Cristo?
desafios da mortalidade?
Leia a seguinte declaração do Presidente Dieter F.
Explique aos alunos que o verbo socorrer, empregado Uchtdorf, da Primeira Presidência:
no versículo 12, significa “correr em socorro” ou seja
correr para auxiliar, acudir, salvar ou para prestar ajuda “Seguir Cristo é tornar-se mais semelhante a Ele.
a alguém que está em perigo (etimologia e definição É aprender com o Seu caráter. Como filhos espiri-
de “socorrer”, Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua tuais do Pai Celestial, temos realmente o potencial
Portuguesa, 2.0.1, 2007). Peça aos alunos que leiam a de incorporar qualidades cristãs em nossa vida e
declaração do Élder Jeffrey R. Holland, na página 191 caráter. O Salvador nos convida a aprender Seu
do manual do aluno (também disponível no DVD que evangelho, vivendo Seus ensinamentos. (…) À
acompanha o curso A ). Peça-lhes que ponderem medida que desenvolvermos qualidades cristãs
sobre o que significa ser socorrido pelo Salvador e que em nossa própria vida, passo a passo, elas ‘[nos
meditem nesta pergunta: sustentarão] como sobre asas de águias’ (D&C
• Em momentos de provação ou tentação o Salvador 124:18)” (Conference Report, outubro de 2005,
os socorreu? pp. 107–108; ou A Liahona, novembro de 2005,
pp. 102–103).
Sugira que os alunos escrevam no diário sobre o amor
e a bondade do Salvador e o desejo que Ele tem de
ajudá-los. Refletindo sobre as situações em que recebe-
ram auxílio divino, eles receberão forças para enfrentar
os desafios de hoje e do futuro.

93
Capítulo 24

• Em sua opinião, por que as qualidades cristãs têm Depois que terminarem a tarefa, peça que alguns alu-
que ser desenvolvidas passo a passo? nos falem à turma das respostas que deram. Peça que
todos ponderem esta pergunta em silêncio:
Diga aos alunos que o conselho de Alma ao povo de
Gideão pode ajudar-nos a desenvolver qualidades cristãs. • Em qual dos ensinamentos de Alma vocês precisam
concentrar-se para tornarem-se mais semelhantes
Distribua a folha de perguntas (uma para cada aluno).
à Cristo?
Peça aos alunos que estudem Alma 7:14–24 individual-
mente ou em duplas e que respondam às perguntas. Preste seu testemunho das verdades discutidas em
Ajude-os a perceber como o conselho de Alma ao classe. Incentive os alunos a seguirem os ensinamentos
povo de Gideão pode ajudar-nos a tornar-nos mais de Alma, arrependerem-se de seus pecados e desen-
semelhantes a Cristo. volverem qualidades cristãs para, um dia, receberem a
exaltação.

94
Capítulo 25 Alma 8–12
Alma 8–12

Introdução • Quais foram as consequências de Satanás ter-se


apoderado dos corações dos habitantes da cidade de
Quando Alma chegou à cidade de Amonia para pregar
Amonia? (Ver Alma 8:9.)
o evangelho, a maior parte dos moradores estava em
um estágio avançado de apostasia. Os iníquos de Amo- • Como os habitantes dessa cidade encaravam os ensi-
nia rejeitaram Alma imediatamente e expulsaram-no da namentos e as práticas da Igreja? (Ver Alma 8:11.)
cidade. Contudo, um anjo lhe apareceu, incentivou-o • O que os habitantes de Amonia fizeram a Alma? (Ver
e disse-lhe que o Senhor ordenara que ele voltasse à Alma 8:9–13.)
cidade. Ele voltou rapidamente (Alma 8:18) e lá encon- • Por que eles trataram Alma com tanta brutalidade,
trou Amuleque, alguém que o Senhor preparara para apesar de ele ser o sumo sacerdote da Igreja? (Ver
acompanhar Alma em sua missão. Alma e Amuleque Alma 8:11–12.)
combateram a dureza do coração do povo pregando
doutrinas fundamentais do evangelho referentes ao Faça as seguintes perguntas a respeito de Alma:
plano de redenção, à Ressurreição e ao Juízo Final. • Como Alma reagiu ao ser rejeitado em Amonia? (Ver
Enquanto os alunos discutem esses ensinamentos, você Alma 8:14.)
poderia ajudá-los a perceber que, quando alicerçamos
• O que fez com que ele mudasse de ideia depois de
nosso testemunho nas verdades do plano de salvação,
ter saído da cidade? (Ver Alma 8:14–16.)
ampliamos nossa capacidade de dar ouvidos aos ser-
vos de Deus, guardar Seus mandamentos e preparamo- • Em sua opinião, como a mensagem do anjo influen-
nos para a vinda do Senhor.  ciou a forma como Alma encarava sua missão em
Amonia? (Ver Alma 8:15–17.)
Alguns Princípios e Doutrinas • O que podemos aprender com a forma como Alma
• Se formos fiéis e diligentes, o Senhor nos propor- reagiu à mensagem do anjo? (Ver Alma 8:18.)
cionará um meio de fazer o que Ele ordenar (ver
Peça aos alunos que leiam Alma 8:19–27 à procura
Alma 8).
de indicações de que o Senhor abriu o caminho para
• Todos ressuscitarão e se apresentarão diante do Alma pregar o evangelho em Amonia.
Senhor para serem julgados (ver Alma 11:41–46;
• Por que Amuleque recebeu Alma de forma diferente
12:1–18).
dos outros habitantes da cidade? (Ver Alma 8:20.)
• Deus preparou o plano de redenção para salvar-nos
de nosso estado decaído (ver Alma 12:22–37). Leia as seguintes citações com os alunos. As palavras
do Presidente Monson também se encontram no DVD
Sugestões Didáticas que acompanha o curso A . Pergunte-lhes qual é a
relação entre essas declarações e o que aconteceu a
Alma 8. Se Formos Fiéis e Diligentes,
o Senhor Nos Proporcionará um Meio Alma em Amonia.
de Fazer o que Ele Ordenar
Escreva no quadro: Alma 8:8–18. Divida a turma em O Presidente Thomas S. Monson, 16º presidente
dois grupos iguais. Peça aos alunos de um dos grupos da Igreja, ensinou: “Lembrem-se de que esta obra
que leiam os versículos escritos no quadro à procura não é apenas sua ou minha. É a obra do Senhor,
de informações sobre os habitantes de Amonia. Peça e quando estamos a serviço do Senhor (…) temos
aos alunos do outro grupo que leiam os mesmos versí- o direito de receber a ajuda Dele. Lembrem-se
culos à procura de informações sobre Alma. Diga-lhes de que o Senhor prepara a pessoa para que seja
que, quando terminarem, você lhes fará perguntas capaz de carregar o fardo que lhe é colocado nas
sobre o que leram. costas” (Conference Report, abril de 2005, p. 61;
ou A Liahona, maio de 2005, p. 56).
Depois que os alunos terminarem a leitura, faça as
seguintes perguntas quanto aos habitantes de Amonia:

95
Capítulo 25

Leia Alma 9:7–14 com os alunos. Durante a leitura,


O Presidente Gordon B. Hinckley (1910–2008),
peça aos alunos que procurem palavras ou ideias repe-
15º presidente da Igreja, aconselhou: “Colo-
tidas por Alma (como, por exemplo “haveis esquecido”
quem-se à altura de seu grande potencial. Não
e “não vos lembrais”).
peço que façam nada que esteja além de sua
capacidade. Espero que não se preocupem demais • Do que o povo da Amonia se havia esquecido? Em
com as ideias de fracasso. Espero que não tentem sua opinião, por que esquecer dessas coisas levou as
estabelecer metas que estejam muito além de pessoas à apostasia e à iniquidade? 
sua capacidade. Espero que vocês simplesmente • Como vocês já se beneficiaram por conhecerem
façam o que puderem da melhor forma possível. boas tradições, ensinamentos e experiências das
Se assim fizerem, testemunharão milagres” [citado gerações anteriores? O que podemos fazer para lem-
por Mary Ellen W. Smoot em A Liahona, janeiro brar-nos dessas bênçãos?
de 2002, p. 106 (tradução atualizada)].
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma
9:19–22 e identifiquem as bênçãos e experiências espi-
• De que forma essas declarações e a história de Alma rituais já ocorridas aos nefitas. Peça-lhes que digam o
8 os ajudam a enfrentar os desafios? que encontraram.

Peça que alguns alunos citem exemplos de como Peça aos alunos que leiam Doutrina e Convênios
o Senhor os ajudou quando enfrentaram desafios. 82:3    .
Durante o debate, saliente que a ajuda do Senhor mui- • Como esse versículo se aplica ao povo da Amonia?
tas vezes vem por meio de coisas pequenas e simples,
Peça que alguém leia Alma 9:23–24 e 10:22–23, 27 em
como a calma orientação do Espírito Santo e um gesto
voz alta. Peça que os demais alunos acompanhem a
bondoso de um amigo.
leitura em silêncio, à procura dos alertas quanto aos
Leiam Alma 8:30–31 juntos. Peça aos alunos que problemas que os habitantes de Amonia enfrentariam
procurem o que o Senhor fez por Alma quando este se não se arrependessem.
voltou a Amonia.
• Que advertências Alma e Amuleque fizeram ao povo?
• O que o Senhor fez para ajudar Alma a pregar o
• De acordo com Alma, por que a iniquidade do povo
evangelho ao povo de Amonia?
de Amonia era pior do que a dos lamanitas?
Preste seu testemunho de que o Senhor tem poder
Volte a citar Alma 9:19–22, em que Alma menciona
para abrir um caminho para que cumpramos Seus
algumas bênçãos e experiências anteriores dos nefitas.
mandamentos, mesmo quando isso parece impossível.
“O Senhor nunca dá ordens aos filhos dos homens • Por que é importante lembrar-nos das experiências
sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens espirituais passadas?
possam ser cumpridas” (1 Néfi 3:7    ).
Fale de como você vê a importância de lembrar-nos de
Alma 9. “Como Vos Haveis Esquecido da nossas próprias experiências espirituais e das expe-
Tradição de Vossos Pais”? riências espirituais das gerações anteriores. Incentive
Peça aos alunos que façam uma lista de ideias ou coi- os alunos a registrarem cuidadosamente no diário as
sas que às vezes os jovens não querem aprender dos experiências sagradas que tiverem.
pais. (Talvez algumas das respostas dos alunos incluam Antes de prosseguir para Alma 11, diga que Amuleque
tarefas domésticas, construção, manutenção, hábitos de era o companheiro perfeito para a missão de Alma.
estudo ou música.) Alma 10:4–12 traz uma relação das experiências que o
• Em sua opinião, por que algumas pessoas não prepararam para trabalhar ao lado de Alma. Você pode
aceitam aprender coisas importantes com os também mencionar que, antes de tornar-se um exce-
mais velhos? lente missionário, por algum tempo, Amuleque não foi

96
Alma 8–12

muito ativo na Igreja. Isso poderia dar esperanças aos • Como compreender a Ressurreição e o Juízo Final
jovens que duvidam que poderão ser missionários de ajudam-nos a compreender melhor a Expiação de
tempo integral. Jesus Cristo?

Alma 11:41–46; 12:1–18. Todos Ressuscitarão • De que forma o entendimento correto dessas doutri-
e Se Apresentarão Diante do Senhor para nas influencia nossa vida diária?
Serem Julgados Sugere-se que, enquanto os alunos discutem essas
Nesta seção você terá outra oportunidade de testifi- questões, você peça que leiam as declarações do Élder
car que a Expiação do Salvador sobrepuja os efeitos Dallin H. Oaks, que se encontram nas páginas 196–197
da Queda. e 197–198 do manual do aluno. Essas declarações
Prepare com antecedência uma transparência com o também se encontram nos DVDs que acompanham o
seguinte questionário, ou faça cópias do questionário curso B e C .
para distribuir aos alunos. Peça aos alunos que assina- Peça aos alunos que meditem em silêncio sobre esta
lem verdadeiro (V) ou falso (F). Diga aos alunos que questão:
respondam o questionário sem consultar as escrituras.
• Será que há alguma coisa em sua vida que vocês
1. Quando formos julgados, lembraremos de nossa precisam mudar para não temerem o Juízo Final?
culpa (ver Alma 11:43; ver também 2 Néfi 9:14; Alma
5:18). Incentive os alunos a orarem humildemente, pedirem
que o Senhor perdoe seus pecados e buscarem a ajuda
2. Quem tiver perdido um braço ou uma perna voltará Dele para vencerem os pecados. Ajude-os a compreen-
a ter todos os membros do corpo quando ressuscitar der que agora é a hora de se prepararem para a Res-
(ver Alma 11:43–44). surreição e para o Juízo Final (ver Alma 34:32–34    ).
3. Na ressurreição todas as grandes deformidades e
Alma 12:22–37. Deus Preparou o Plano de
deficiências físicas serão eliminadas, mas ainda tere-
Redenção para Salvar-nos de Nosso Estado
mos cicatrizes e outras marcas ou defeitos menores
Decaído
(ver Alma 11:43–44; ver também Alma 40:23).
Considere a possibilidade de entrar em contato com
4. Depois de ressuscitarmos nunca mais passaremos um ou dois alunos com antecedência e convidá-los
pela morte física (ver Alma 11:45). para prepararem-se para prestar testemunho do plano
5. No Juízo Final, seremos julgados apenas de acordo de salvação e da paz que ele lhes proporciona.
com nossos atos. Nada mais será levado em con- Com antecedência, prepare cópias das seguintes
sideração (ver Alma 11:41, 44; 12:14; ver também perguntas e referências de escritura para entregar aos
D&C 137:9). alunos:
6. Quem endurece o coração contra a verdade acaba 1. Quais foram algumas das consequências de Adão
desconhecendo totalmente os mistérios de Deus e Eva terem comido o fruto proibido? (Ver Alma
(ver Alma 12:9–12). 12:22, 24.)

7. O Juízo Final será uma ocasião agradável para todos 2. O que Deus preparou para remediar os efeitos da
(ver Alma 12:13–14, 17). Queda? (Ver Alma 12:25.)

(Respostas: 1-V; 2-V; 3-F; 4-V; 5-F; 6-V; 7-F) 3. Como o plano de redenção foi ensinado às pessoas?
(Ver Alma 12:28–30.)
Depois que os alunos terminarem de responder ao
questionário, peça-lhes que, individualmente ou em 4. O que Deus deu às pessoas para permitir que
pares, leiam as escrituras indicadas e verifiquem se empregassem o arbítrio de acordo com o plano de
suas respostas estão certas. Depois faça as seguintes redenção? (Ver Alma 12:31–32.)
perguntas:

97
Capítulo 25

5. De que forma recebemos as bênçãos da Expiação Depois que os alunos responderem ao questionário,
do Salvador? (Ver Alma 12:33–37.) ajude-os a discutir os seguintes tópicos para falar do
que aprenderam e aplicar a doutrina mais plenamente
Leia a seguinte declaração do Presidente Boyd K.
à própria vida.
Packer, Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos:
Primeiro Tópico: Alma e Amuleque ensinaram muitas
“Quando não se conhece o plano do evangelho, verdades relativas ao plano de redenção.
as transgressões parecem naturais, inocentes e até Peça aos alunos que repassem as escrituras que estuda-
justificáveis. Não há nada que nos ofereça maior ram hoje e identifiquem algumas das verdades ensina-
proteção contra o adversário do que conhecer a das por Alma e Amuleque. Sugere-se que você anote
verdade, do que conhecer o plano” (Our Father’s as respostas dos alunos no quadro.
Plan, 1984, p. 27).
Peça-lhes que escolham uma das verdades da lista e
expliquem como saber essa verdade ajuda a protegê-
• Como conhecer o plano do Pai Celestial nos protege los do adversário.
do adversário? Segundo Tópico: Alma disse que Deus deu mandamen-
Explique aos alunos que Alma 12 contém detalhes tos a Seus filhos “depois de ter-lhes revelado o plano de
importantes do plano de nosso Pai Celestial para Seus redenção” (Alma 12:32; grifo do autor).
filhos. Ele sabia que cairíamos em transgressão e pre- • Em sua opinião, por que era importante que as
parou um meio de sermos redimidos e voltar a viver pessoas aprendessem o plano antes de receberem
com Ele eternamente. Ajude os alunos a entenderem mandamentos?
que, quanto melhor compreenderem o plano do Pai
Caso tenha pedido a um ou dois alunos que se prepa-
Celestial, mais felizes serão.
rassem para prestar testemunho do plano de redenção,
Distribua o questionário. Encarregue cada aluno de peça-lhes que o façam agora. Se for adequado, você
descobrir a resposta de uma ou duas perguntas do também pode prestar seu testemunho e convidar os
questionário e de preparar-se para dizer ao restante demais alunos a fazer o mesmo.
da turma o que aprendeu.

98
Capítulo 26 Alma 13–16
Alma 13–16

Introdução
Vida Vida Vida Terrena
Este bloco de escrituras proporciona boas oportunida- Pré-mortal Pré-Mortal e
des de conversar sobre o plano de salvação. Enquanto Vida Terrena
os alunos discutem Alma 13, você pode ajudá-los a
Preordenação Qualificação Ordenação
pensar em si mesmos na vida pré-mortal e nas respon-
sabilidades da mortalidade para as quais eles podem Alma 13:3 Alma 13:3–10 Alma 13:6–12
ter sido preparados. Durante o debate de Alma 14,
D&C
lembre-os de que enfrentarão provações na mortali-
138:55–56
dade, mas que serão abençoados se permanecerem
leais ao testemunho que têm. Em Alma 15, enquanto Abraão
os alunos ponderam a mudança de Zeezrom, saliente 3:22–23
o princípio do arrependimento e do papel central de
Jesus Cristo no o plano de nosso Pai Celestial. Alma 16 Divida a turma em três grupos. Peça que os grupos
mostra que os maus serão considerados responsáveis façam a leitura silenciosa das escrituras que lhes forem
por seus atos. O conjunto desses capítulos testifica que designadas. Dê a um grupo as escrituras sobre o tema
Deus é justo e misericordioso e incentiva-nos a confiar “preordenação”; ao segundo grupo, as escrituras sobre
Nele e em Seu plano para nossa salvação. o tema “qualificação” e ao terceiro, as escrituras sobre
o tema “ordenação”. (Observe que alguns versículos
Alguns Princípios e Doutrinas dizem respeito à preordenação e qualificação ou à
• Deus preparou e chamou portadores do Sacerdócio qualificação e ordenação.) Peça aos grupos que se
de Melquisedeque desde a fundação do mundo (ver preparem para responder perguntas sobre os versí-
Alma 13). culos lidos.
• Deus abençoa quem Nele confia nos momentos de Depois de dar-lhes tempo suficiente para terminar a
aflição (ver Alma 14–15). tarefa, peça que alguém leia Alma 13:3 em voz alta.
• Quem rejeita o evangelho sofre espiritualmente e, às Peça que um dos alunos que estudou o tema da preor-
vezes, fisicamente (ver Alma 16). denação responda à seguinte pergunta:
• Como, na vida pré-mortal, os homens demonstraram
Sugestões Didáticas que eram dignos de ser preordenados a receber o
Alma 13. Deus Preparou e Chamou Portadores Sacerdócio de Melquisedeque?
do Sacerdócio de Melquisedeque desde a
Fundação do Mundo Peça aos alunos que leiam D&C 138:55–56 em voz alta.
Para ajudar os alunos a compreenderem a diferença • O que essa passagem ensina quanto à vida pré-mortal
entre preordenação e ordenação, escreva o seguinte e à preordenação?
no quadro: • Como os ensinamentos quanto à preordenação
influenciam a forma como você desempenha seus
Preordenação Qualificação Ordenação chamados ou apoia os líderes?

Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma


Explique-lhes que na vida pré-mortal, Deus preorde- 13:3–10. Peça que um dos alunos que estudou o tema
nou muitos de seus filhos fiéis a receberem o sacer- da qualificação responda à seguinte pergunta:
dócio na mortalidade e auxiliar na salvação da família • De acordo com Alma 13:10, o que os homens pre-
humana. Acrescente ao quadro: cisam fazer para receber o Sacerdócio de Melquise-
deque? 

99
Capítulo 26

• Como a fé e o arrependimento preparam os homens Alma 14–15. Deus Abençoa Quem Nele Confia
para receber o Sacerdócio de Melquisedeque? nos Momentos de Aflição
Peça aos alunos que citem exemplos tirados das escri-
Peça que alguém leia Alma 13:11–12. Peça que um dos
turas, de pessoas que foram perseguidas por causa
alunos que estudou o tema da ordenação responda às
do testemunho que tinham do evangelho. Depois que
seguintes perguntas:
os alunos tiverem citado alguns exemplos, leia Alma
• Depois de serem ordenados a um ofício do Sacerdó- 14:7–11 e 60:13.
cio de Melquisedeque, o que os homens precisam
• Que motivos são citados nesses versículos para
fazer para continuar qualificados a servir?
o fato de que, às vezes, é permitido que os bons
• O que aconteceu devido à retidão dos portadores do sofram nas mãos dos maus?
sacerdócio, de acordo com Alma 13:11–12?
Leia a seguinte declaração do Presidente James E. Faust
Saliente que as mulheres que foram valorosas na vida (1920–2007), da Primeira Presidência:
pré-mortal também foram preparadas para ter oportu-
nidades de servir na Terra. Peça aos alunos que leiam
“Ora, todo esse sofrimento poderia realmente
a declaração do Presidente Spencer W. Kimball e a do
ser injusto, se tudo terminasse com a morte; mas
Élder Neal A. Maxwell, encontradas na página 201 do
não termina. A vida não é como uma peça de um
manual do aluno. As palavras do Élder Maxwell tam-
só ato — ela tem três. Atuamos no primeiro ato
bém se encontram no DVD que acompanha o curso A
quando ainda estávamos na existência pré-mortal;
.
aqui estamos no segundo ato, que é a mortali-
Alma 13:6, 17–18. Os Portadores do Sacerdócio dade; e ainda atuaremos num ato futuro, quando
de Melquisedeque Devem Promover a Retidão retornarmos para Deus. (…) Fomos enviados à
Diga aos alunos que os portadores do Sacerdócio de mortalidade para sermos testados e provados [ver
Melquisedeque devem empenhar-se em servir aos outros Abraão 3:25]. (…)
como Alma ensinou. Peça aos alunos que leiam Alma
Os sofrimentos do passado ou do presente não
13:6, 17–18.
podem, como afirma Paulo, “[ser comparados]
• De acordo com Alma 13:6, quais são os deveres do com a glória que em nós há de ser revelada” nas
homem que recebe o Sacerdócio de Melquisedeque? eternidades [Romanos 8:18]. ‘Pois após muitas tri-
• De acordo com Alma 13:17–18, o que Melquisede- bulações vêm as bênçãos. Portanto vem o dia em
que fez para promover a retidão? que sereis coroados de muita glória’ [D&C 58:4].
Portanto, a tribulação é útil, no sentido de que
• Como os portadores do sacerdócio hoje podem
nos ajuda a entrar no reino celestial” (Conference
seguir o exemplo de Melquisedeque e promover
Report, outubro de 2004, p. 19; ou A Liahona,
a retidão?
novembro de 2004, p. 19).
Você pode mencionar que o texto da Bíblia parece
sugerir que Melquisedeque não tinha pai, nem mãe,
nem genealogia, nem princípio de dias nem fim de • Como ter um testemunho do plano de salvação,
vida (ver Hebreus 7:3). Alma 13:8–9 e a Tradução de inclusive da vida pré-mortal e da vida após a morte,
Joseph Smith de Hebreus 7:3 (no Guia para Estudo das diminuem o sofrimento que enfrentamos na morta-
Escrituras) esclarecem essa passagem e explicam que é lidade?
o sacerdócio, e não o homem, que não tem “princípio • De que forma quem vive em retidão é abençoado
de dias nem fim de anos” (Alma 13:7, 9). em suas aflições?
• Nos momentos de aflição, como podemos demons-
trar confiança em Deus?

100
Alma 13–16

Peça aos alunos que comparem a pergunta feita por Leia Alma 16:9 e, depois, chame a atenção dos alunos
Alma em Alma 14:26 à feita por Joseph Smith em Dou- para os quatro grupos de pessoas relacionados no
trina e Convênios 121:3. quadro. 
• De acordo com Alma 14:26, como Alma e Amuleque • O que esses quatro grupos têm em comum?
conseguiram vencer as aflições? • Quais são algumas das possíveis consequências espi-
• Enquanto estava preso injustamente no Missouri, o rituais e físicas de se rejeitar o evangelho?
Profeta Joseph Smith fez a pergunta registrada em
Ajude os alunos a perceberem que, quando as pessoas
Doutrina e Convênios 121:3. Ao contrário do que
persistem em suas iniquidades, são destruídas espiri-
aconteceu com Alma e Amuleque, ele não foi liber-
tualmente, ainda que não sejam destruídas fisicamente
tado imediatamente. O que podemos aprender com
(ver Alma 9:18).
a resposta de Deus a essa oração? (Ver D&C 121:7–9;
122:4–9.) Peça que um aluno leia a seguinte declaração do Pre-
• Como o Senhor já os ajudou nos momentos de pro- sidente Wilford Woodruff (1807–1898), 4º presidente
vação? da Igreja:

Tanto Zeezrom como Amuleque confiaram em Deus “Se metade dos membros desta Igreja aposta-
em meio às aflições. Peça a metade da turma que tasse, isso não destruiria os desígnios do Senhor.
leia Alma 15:5–12 à procura de informações quanto a Já em relação a nós mesmos, individualmente, o
Zeezrom e à outra metade que estude Alma 15:16, 18 à caso é diferente. Muitos homens que receberam
procura de informações quanto a Amuleque. o evangelho e aos quais foi concedido o Espírito
Faça a seguinte pergunta aos alunos que leram sobre Santo apostataram, mas com isso condenaram a
Zeezrom: si mesmos, destruíram a si mesmos. (…) Homens
podem cair, mas o reino de Deus, nunca, nunca
• Como a história contada em Alma 15 revela que
cairá” (Conference Report, abril de 1880, p. 10).
a confiança que Zeezrom tinha no Senhor estava
aumentando?

Faça as seguinte perguntas aos alunos que leram sobre • Que precauções podem ajudar-nos a evitar as cala-
Amuleque: midades que sobrevieram aos habitantes de Amonia?

• Do que Amuleque abriu mão quando decidiu viver Saliente que o Senhor sempre avisa as pessoas com
o evangelho e servir como missionário? O que isso antecedência, antes da destruição (ver Alma 9:18–19;
revela sobre Amuleque?  ver também 2 Néfi 25:9).
• Que bênçãos vocês já receberam por fazerem sacrifí- Alma 16:16–21. Devemos Preparar-nos para a
cios para viver o evangelho e confiar no Senhor? Segunda Vinda
Peça aos alunos que leiam Alma 16:16–21 para des-
Alma 16. Quem Rejeita o Evangelho Sofre
cobrir como o Senhor preparou as pessoas para
Espiritualmente e, às Vezes, Fisicamente
Sua vinda.
Anote o seguinte no quadro:
• Como esses versículos podem ajudar-nos a preparar
a nós mesmos e a outras pessoas para a Segunda
O povo da época de Noé
Vinda de Jesus Cristo?
O povo de Sodoma e Gomorra
O povo de Jerusalém na época de Leí
O povo de Amonia

101
Capítulo 27
Capítulo 27
Alma 17–22

Introdução • Como vocês resumiriam essas duas declarações em


uma só declaração concisa?
O Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Após-
tolos, lembrou-nos: “Somos missionários todos os dias Com antecedência, peça a um aluno (ou a um
em nossa família, na escola, em nosso trabalho e em pequeno número de alunos) que se prepare para
nossa comunidade. A despeito da nossa idade, expe- contar os principais acontecimentos registrados em
riência ou situação na vida, somos todos missionários” Alma 17–22. Peça-lhe que prepare uma apresentação
(Conference Report, outubro de 1998, p. 16; ou A Lia- concisa que se concentre apenas nos acontecimentos
hona, novembro de 2005, p. 44). A história de Amon e da história. Sugira que se guie pelos cabeçalhos dos
seus irmãos, registrada em Alma 17–22, ilustra muitos capítulos. Explique-lhe que depois do que ele apresen-
princípios que nos ajudam a melhorar como missioná- tar, os alunos tentarão descobrir que princípios podem
rios em áreas como, por exemplo, seguir a orientação aprender com esses acontecimentos e se empenharão
do Espírito Santo, dar bons exemplos e trabalhar com em compreender esses princípios mais plenamente. 
paciência. Você pode ensinar a história desses homens
de forma a ajudar os alunos a compreenderem esses
Alma 17; 18:1–23. Os Bons Missionários
Ensinam com Poder e Autoridade de Deus
princípios e aplicarem-nos. 
Anote o seguinte no quadro:
Alguns Princípios e Doutrinas
• Os bons missionários ensinam com poder e autori- Princípios da Obra Missionária
dade de Deus (ver Alma 17; 18:1–23).
• Os missionários ensinam o plano de salvação (ver
Alma 18:36–39; 22:7–14). Divida a turma em quatro grupos. Encarregue cada
grupo de uma das seguintes escrituras: grupo um, Alma
• A compreensão de que dependemos de Cristo leva-
17:1–8; grupo dois Alma 17:9–25; grupo três, Alma
nos à conversão (ver Alma 18:40–43; 22:15–18).
17:26–39 e grupo quatro, Alma 18:10–23. Peça aos alunos
Sugestões Didáticas que leiam as passagens em silêncio e procurem os prin-
cípios que levam a bons resultados na obra missionária.
Alma 17–22. A Importância da Obra Missionária Diga-lhes que, quando terminarem, você lhes pedirá que
Peça aos alunos que escutem com atenção as seguintes digam ao restante da turma que princípios encontraram.
declarações de profetas modernos:
Depois que os alunos terminarem essa pesquisa, peça-
lhes que falem dos princípios que encontraram. Anote
O Profeta Joseph Smith declarou: “Depois de tudo
no quadro os princípios mencionados. Estas são algu-
o que foi dito, o maior e mais importante dever
mas das possíveis respostas:
é pregar o evangelho” (Ensinamentos do Profeta
Joseph Smith, p. 110).
Princípios da Obra Missionária
O Presidente Gordon B. Hinckley (1910–2008)
disse: “Irmãos e irmãs, (…) convido-os a forma- Estudo das escrituras
rem um imenso exército cheio de entusiasmo por Jejum e oração
esse trabalho e com o extraordinário desejo de Ter o Espírito
ajudar os missionários em sua tremenda responsa- Estabelecer a palavra de Deus
bilidade de levar o evangelho a toda nação, tribo,
Ter paciência
língua e povo” (“Encontrem as Ovelhas e Apas-
Dar bom exemplo
centem-nas”, A Liahona, julho de 1999, p. 124).
Confiar no Senhor
Servir aos outros com sinceridade

102
Alma 17–22

• Como cada um desses princípios ajuda a pessoa a Você pode anotar as respostas dos alunos no quadro.
obter bons resultados ao ensinar o evangelho? Aceite todas as respostas e, depois, destaque as três
• Como podemos preparar-nos para ensinar com doutrinas ensinadas tanto por Amon como por Arão: a
poder e autoridade como Amon e seus irmãos? doutrina da Criação, a doutrina da Queda e a doutrina
da Expiação de Jesus Cristo.
Se algum aluno tiver-se convertido ao evangelho por
Saliente que o que Amon e Arão ensinaram pode ser
meio dos missionários, peça-lhe que diga o que sentiu
descrito em poucas palavras: “o plano de redenção”
quando estava aprendendo o evangelho.
(Alma 22:13).
Alma 18:24–29. Começar pelas Crenças
• Em sua opinião, por que Amon e Arão começaram
em Comum
por ensinar essas mesmas verdades?
Peça a um aluno que leia Alma 18:24–29.
Durante o debate, peça a um aluno que leia a decla-
• De que forma Amon começou a ensinar o evangelho
ração do Élder Bruce R. McConkie que se encontra na
a Lamôni? Que perguntas Lamôni fez?
página 213 do manual do aluno.
• Em sua opinião, como essas perguntas ajudaram
Amon a transmitir sua mensagem? • O que essas três doutrinas fundamentais nos ensi-
nam sobre Deus?
Para mais esclarecimentos, peça aos alunos que con-
• O que elas nos ensinam a respeito de nós mesmos?
sultem a seção “Começar pelas Crenças em Comum”,
página 212 do manual do aluno. Talvez os alunos precisem de tempo para pensar antes
de responder. Não tenha medo de deixar a classe em
• Se conversassem sobre Deus com algum amigo de
silêncio, isso pode ser exatamente o que os alunos pre-
outra religião, o que poderiam fazer para começar
cisam para prepararem-se para discutir essas verdades.
pelas coisas em que ambos acreditam? Como isso
poderia ajudar seu amigo? Dê aos alunos alguns minutos para pensar em como
• Do que mais vocês podem conversar com seus ami- aquilo que sabem do plano de redenção os ajuda a
gos de outras religiões para proporcionar oportuni- achegarem-se ao Pai Celestial. Diga-lhes que, depois
dades de ensinar-lhes o evangelho? que ponderarem essa ideia, você pedirá que alguns
deles falem do que pensaram.
Enquanto os alunos discutem essas questões, peça-lhes
Depois de dar-lhes tempo suficiente para ponderar,
que leiam a declaração do Élder M. Russell Ballard, na
peça que alguns alunos venham até a frente da classe
página 212 do manual do aluno. Essa declaração tam-
e falem do que pensaram. Depois, preste seu testemu-
bém se encontra no DVD que acompanha o curso A .
nho do plano de redenção e de como é importante
Alma 18:36–39; 22:7–14. Os Missionários ensiná-lo a todos.
Ensinam o Plano de Salvação
Alma 18:40–43; 22:15–18. A Compreensão
Peça à turma que escute a leitura que dois alunos farão
de que Dependemos de Cristo Leva-nos à
do que Amon e Arão ensinaram a Lamôni e ao pai
Conversão
dele. Antes que os dois alunos comecem a ler, peça
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma
que os outros acompanhem pelo texto das escrituras
18:41 e 22:15.
e que procurem as doutrinas ensinadas por Amon e
Arão. Peça que um aluno leia Alma 18:36–39. Isso é o • O que Lamôni e seu pai perceberam e que os levou
que Amon ensinou a Lamôni. Peça ao outro aluno que a suplicar ajuda? (Eles reconheceram sua natureza
leia Alma 22:12–14. Isso é o que Arão ensinou ao pai decaída e perceberam que precisavam da misericór-
de Lamôni. dia de Cristo.)

• Que doutrinas Amon e Arão ensinaram? Escreva no quadro: Perdão para Nossos Pecados.

103
Capítulo 27

• Como Lamôni e seu pai perceberam que precisavam Peça a um aluno que leia Alma 22:17–18.
de perdão para seus pecados?
• Do que o rei estava disposto a abrir mão para
Diga que Lamôni e seu pai foram tocados pelo Espírito conhecer a Deus e ser “salvo no último dia”?
por meio dos ensinamentos dos missionários. Por causa
Observe a diferença entre (1) as coisas das quais o pai
disso, passaram a desejar as bênçãos do evangelho.
de Lamôni estava disposto a abrir mão para conhecer
Depois de discutir os ensinamentos de Amon ao rei Deus e ser salvo e (2) as coisas das quais ele se dispôs
Lamôni, saliente que na abordagem empregada por a abrir mão anteriormente, quando viu sua vida em
Amon vemos um padrão para o ensino do evangelho risco (ver Alma 20:23).
em situações missionárias:
• Como a atitude do rei Lamôni demonstra que ele se
Ensinou com simplicidade (ver Alma 18:24–30). convertera sinceramente?
Prestou testemunho (ver Alma 18:32–35). Peça aos alunos que meditem em silêncio sobre as
Ensinou o que as escrituras dizem (ver Alma 18:36–39). seguintes questões:

Instilou no pesquisador o desejo de orar (ver Alma • O que vocês precisam fazer para estar em condições
18:40–43). de voltar a viver com o Pai Celestial?
• O que vocês podem fazer hoje para achegarem-se
Peça a um aluno que leia Alma 22:15.
ao Pai Celestial?
• Do que o pai de Lamôni estava disposto a abrir mão
para conhecer a Deus? Peça que alguns alunos falem à turma de alguns
princípios importantes da obra missionária presentes
Peça a um aluno que leia Alma 22:16. nas histórias que discutiram. Se adequado, preste seu
• O que Arão disse que o rei teria que fazer para rece- testemunho.
ber a esperança que desejava?

104
Capítulo 28 Alma 23–29
Alma 23–29

Introdução • Por que a mudança interior é uma parte indispensá-


vel da conversão?
Durante a discussão de Alma 23–29, os alunos verão
que a verdadeira conversão subsiste mesmo quando as • Como as ordenanças do evangelho ajudam-nos
provações da vida parecem insuperáveis. Eles aprende- nessa mudança?
rão com o exemplo dos ânti-néfi-leítas, que provaram Peça que metade da turma faça a leitura silenciosa de
que seriam fiéis aos convênios que fizeram mesmo que Alma 23 e que a outra metade faça a leitura silenciosa
tivessem que dar a própria vida para isso. O ministério de Alma 24:6–27. Peça aos alunos que procurem as
de Alma e dos filhos de Mosias demonstra que, quando mudanças que ocorreram entre os lamanitas e pen-
nos convertemos de verdade, passamos a estar dispos- sem no que elas nos ensinam a respeito da conversão
tos a viver pelo evangelho bem como a morrer por ele. duradoura.
À medida que passamos pela verdadeira conversão,
passamos a ter a paz que vem do testemunho do amor • O que vocês encontraram que indica que os lamani-
de Deus e de Seu plano para nós. Também sentimos tas se converteram de verdade?
grande alegria quando nos entregamos plenamente à Estas são algumas das possíveis respostas: aqueles
obra do Senhor e prestamos testemunho ao próximo. que se converteram “nunca apostataram” (Alma 23:6);
tomaram sobre si um novo nome para “distinguirem-se
Alguns Princípios e Doutrinas dos outros” (ver Alma 23:16–17); depuseram as “armas
• A conversão faz de nós eternos discípulos (ver de sua rebelião” e “enterraram-nas profundamente na
Alma 23–24). terra” (ver Alma 23:7–13; 24:15–18).
• O Senhor abençoa o trabalho missionário realizado
Peça aos alunos que meditem sobre as seguintes
por Seus servos (ver Alma 26).
­questões:
• A retidão leva à felicidade eterna (ver Alma 28).
• O que vocês podem fazer para continuar a aprofun-
• Proclamar o evangelho proporciona alegria (ver dar sua conversão?
Alma 29).
• Pensem no exemplo dos ânti-néfi-leítas, que enter-
Sugestões Didáticas raram as “armas de sua rebelião”. Será que existe
alguma coisa em sua vida que vocês precisem
Alma 23–24. A Conversão Faz de “enterrar”? Caso exista, o que vocês farão?
Nós Eternos Discípulos
Leia a seguinte explicação do Guia para Estudo das Alma 26. O Senhor Abençoa Quem Faz
Escrituras: a Obra Missionária
Peça aos alunos que falem de ocasiões em que pessoas
“A conversão inclui a decisão consciente de que pregam o evangelho foram abençoadas.
renunciar à forma de ser anterior e de mudar, a Depois de dar-lhes tempo suficiente para responder,
fim de tornar-se um discípulo de Cristo. divida Alma 26:1–31 igualmente entre os alunos. Peça-
lhes que façam a leitura silenciosa dos versículos de
O arrependimento, o batismo para a remissão
que ficaram incumbidos e procurem as bênçãos que
dos pecados, o recebimento do Espírito Santo
Amon e seus irmãos receberam durante a missão entre
pela imposição das mãos e a contínua fé no
os lamanitas. Depois que terminarem de ler, peça-lhes
Senhor Jesus Cristo tornam completa a conver-
que digam o que encontraram.
são. O homem natural transformar-se-á em uma
nova criatura, santificada e pura, nascida de novo • Como as experiências contadas em Alma 26:29–30
em Cristo Jesus (II Coríntios 5:17; Mosias 3:19)” se assemelham às dos missionários atuais?
Guia para Estudo das Escrituras, “Conversão, Con- • Como as palavras do Senhor registradas em Alma
verter”, scriptures​.LDS​.org). Observe que Mosias 26:27–28 ajudam os missionários a não desanimarem?
3:19 é um versículo de domínio de escritura    .

105
Capítulo 28

Peça aos alunos que abram em D&C 84:87–88. Peça a


alguém que leia esses versículos. “Vivemos para morrer e morremos para viver —
em outra esfera. Se estivermos bem preparados, a
• Por que às vezes hesitamos em pregar o evangelho? morte não nos atemorizará. De um ponto de vista
Como esses versículos, juntamente com o testemu- eterno, a morte somente é prematura para os que
nho de Amon, nos dão forças e coragem para falar não estão preparados para encontrar Deus.
do evangelho a outras pessoas?
Agora é o tempo de nos prepararmos. Então,
Peça a um aluno que leia Alma 26:37.
quando a morte vier, podemos seguir para a glória
• De acordo com esse versículo, como a obra mis- celestial que o Pai Celestial preparou para Seus
sionária é uma evidência do amor que Deus tem filhos fiéis. Enquanto isso, para os pesarosos entes
aos filhos? queridos que ficaram (…) o aguilhão da morte
é aliviado pela firme fé em Cristo, um perfeito
Sugira aos alunos que prestem o testemunho que têm
esplendor de esperança, amor a Deus e a todos
da obra missionária e das bênçãos recebidas por quem
os homens, e um profundo desejo de servi-los”
trabalha em prol da salvação do próximo.
(Conference Report, abril de 2005, p. 18; ou A Lia-
Alma 28. A Retidão Leva à Felicidade Eterna hona, maio de 2005, p. 18).
Leia Alma 28:1–6 com os alunos.
• O que aconteceu entre os nefitas e os lamanitas que • De acordo com o Élder Nelson, o que elimina o
causou “grande pranto”? medo da morte?
• Por que as pessoas jejuavam e oravam quando • O que alivia a dor da morte para aqueles que per-
alguém da família morria?  dem um ente querido?
• O que vocês ou pessoas que vocês conhecem já
Testifique que a retidão e a fé em Cristo preparam-nos
fizeram para ter força espiritual após a morte de um
para toda uma eternidade de felicidade.
ente querido?
Alma 29. Proclamar o Evangelho Nos Dá Alegria
Escreva no quadro: “Vemos assim ”. Diga
Sugira que os alunos digam se já desejaram algo.
que muitas vezes Mórmon usava essas palavras para
introduzir uma lição que podemos aprender com as • Por que vocês desejaram isso?
histórias do Livro de Mórmon. Peça aos alunos que
Diga-lhes que em Alma 29 lemos o desejo de um
façam a leitura silenciosa de Alma 28:10–12. Peça-lhes
grande missionário. Peça que alguém leia Alma 29:1–2.
que ponderem esses versículos e pensem em como
poderiam completar a frase começada no quadro. Peça • Qual era o desejo de Alma?
aos alunos que digam como terminariam a frase. • De acordo com esses versículos, por que ele queria
Depois, leia Alma 28:13–14 para ver como Mórmon ser um anjo?
terminou a frase. Peça que os alunos façam a leitura silenciosa de Alma
Leia a seguinte declaração do Élder Russell M. Nelson, do 29:3–8 à procura dos motivos que fizeram com que
Quórum dos Doze Apóstolos. Essa declaração também Alma reconhecesse que não era preciso que seu desejo
se encontra no DVD que acompanha o curso A . (Se se concretizasse. Dê-lhes tempo suficiente para isso e,
preferir que os alunos a leiam, sugere-se que você pre- depois, peça-lhes que digam o que encontraram.
pare uma transparência para projetar na parede ou faça • Ele percebeu que devia contentar-se com as bênçãos
cópias para os alunos.) que lhe foram concedidas (ver versículo 3).
• Ele sabia que o Senhor “concede aos homens
segundo os seus desejos” (versículo 4).

106
Alma 23–29

• Ele reconheceu que sua responsabilidade era


simplesmente executar o trabalho para o qual fora “Existem poucas coisas na vida que proporcionam
chamado (ver versículo 6). tanta alegria quanto a que vem de ajudar outra
pessoa a melhorar sua vida. Essa alegria é maior
• Ele sabia que o Senhor providenciaria uma forma de
quando nossos esforços ajudam alguém a com-
todas as nações receberem “tudo o que ele acha que
preender os ensinamentos do Salvador e essa pes-
devem receber” (versículo 8).
soa decide obedecer a eles, é convertida e filia-se
Ajude os alunos a reconhecerem a grandeza de Alma. à Igreja do Senhor. Depois disso, temos a grande
Ele desejava servir a Deus mais completamente, mas alegria de ver esse recém-converso fortalecer-se na
reconheceu humildemente que devia aceitar as cir- transição para um novo estilo de vida, ganhar um
cunstâncias em que Deus o colocara. sólido testemunho da verdade e alcançar todas as
ordenanças do templo, com a promessa de todas
Peça aos alunos que leiam Alma 29:9–17 à procura das
as bênçãos da vida eterna” (Conference Report,
coisas que davam alegria a Alma. (Você pode pedir aos
outubro de 1997, pp. 45–46; ou A Liahona, janeiro
alunos que leiam essa passagem em duplas.)
de 1998, p. 39).
• O que dava alegria a Alma?
• Como a alegria de Alma era comparável à alegria de
Amon? (Ver Alma 26:11–13, 35–37.) • O Élder Scott citou três graus crescentes de alegria
que sentimos quando pregamos o evangelho. Que
• De acordo com Alma 29:10, como a obra missioná-
graus são esses?
ria faz com que nos lembremos da misericórdia do
Senhor para conosco? • Como lembrar-nos sempre dessa declaração pode
ajudar-nos a ter em mente o propósito da obra mis-
Leia a seguinte declaração do Élder Richard G. Scott, sionária?
do Quórum dos Doze Apóstolos, também disponível
no DVD que acompanha o curso B ): Peça aos alunos que falem da alegria que sentiram por
viver o evangelho e levá-lo a outras pessoas. Incenti-
ve-os a encontrarem formas de, na semana que se inicia,
sentirem a mesma alegria que Amon e Alma sentiram.

107
Capítulo 29
Capítulo 29
Alma 30–31

Introdução Peça aos alunos que leiam a definição de anticristo no


Guia para Estudo das Escrituras. Sugere-se que você
Esse bloco de escrituras ajudará os alunos a fortale-
também peça aos alunos que consultem a seção de
cerem o próprio testemunho. Estudando as táticas de
comentários da página 224 do manual do aluno. Repasse
anticristos como Corior, eles aprenderão a reconhecer
brevemente as características ou ideias de pessoas que
as táticas e filosofias dos anticristos atuais. Estudando a
podem ser consideradas anticristos, salientando a defi-
forma como Alma resistiu a Corior, eles se prepararão
nição ampla do Guia para Estudo das Escrituras: “Toda
para defenderem-se quando outros tentarem destruir
pessoa ou tudo aquilo que seja uma representação falsa
sua fé.
do verdadeiro plano de salvação do evangelho e que,
Alguns Princípios e Doutrinas aberta ou secretamente, se oponha a Cristo”.
• Os anticristos tentam afastar as pessoas de Deus e • Que problemas o dinheiro falso pode causar ao
dos profetas (ver Alma 30:12–18, 23–28). governo e às pessoas em geral?
• Ter um testemunho firme de Jesus Cristo e de Seus • O que significa criar uma representação falsa do
profetas ajuda a evitar que entremos em apostasia evangelho verdadeiro?
(ver Alma 30:19–22, 29–44). • Quais são algumas falsas ideias de hoje que pro-
• A desobediência leva ao erro e à apostasia (ver Alma metem a salvação? (Não permita que ao debaterem
31:8–25). essa questão, os alunos critiquem outras religiões.
• Os discípulos de Jesus Cristo amam e servem ao pró- Assegure-se de que, em vez disso, o debate ajude
ximo (ver Alma 31:12–38). os alunos a reconhecerem os perigos das filosofias
e atitudes enganosas como as de Corior.) 
Sugestões Didáticas Diga-lhes que hoje estudarão a história de um anti-
Alma 30:12–18, 23–28. Os Anticristos Tentam cristo que se encontra no Livro de Mórmon. Peça-lhes
Afastar as Pessoas de Deus e dos Profetas que abram em Alma 30:12–18, 23–28. Utilize a tabela
Peça aos alunos que digam quais são alguns argumen- abaixo (você pode colocá-la no quadro ou fazer cópias
tos comuns que as pessoas usam para questionar a fé para entregar aos alunos) ou peça que cada aluno
em Jesus Cristo. (Não entre em detalhes. Os alunos faça uma lista dos ensinamentos enganosos de Corior.
falarão disso mais adiante, quando você lhes pedir que Ajude os alunos a compararem a tática de Corior com
analisem os ensinamentos de Corior.) Depois que os as táticas empregadas atualmente.
alunos falarem, diga-lhes que, na época de Alma, algu-
mas pessoas tentaram questionar os que acreditavam
OS ENSINAMENTOS E AS TÁTICAS DE CORIOR
em Jesus Cristo. Ajude os alunos a compreenderem
que o Livro de Mórmon é excelente para fortalecer-nos Referência Ensinamentos Que Doutrina
para enfrentar essas situações e peça-lhes que leiam de Corior Verdadeira
Corior Atacou?
a declaração do Presidente Ezra Taft Benson, que se
encontra na página 224 do manual do aluno. Alma 30:12
• Como o estudo do Livro de Mórmon nos protege Alma 30:13
dos “desígnios malignos, das estratégias e doutrinas
do diabo em nossos dias”?  Alma 30:14

Ao longo da aula, incentive os alunos a procurarem o Alma 30:15


que levou parte do povo de Alma a permanecer fiel
Alma 30:16
enquanto outra parte se desviou. Peça-lhes que pon-
derem como esses mesmos princípios aplicam-se a Alma 30:17
nós hoje.

108
Alma 30–31

• Qual foi a reação de Gidona diante dos argumentos


Alma 30:18
de Corior? (Anote as respostas dos alunos no qua-
Alma 30:23 dro, ao lado de Gidona.)

Alma 30:24 Peça aos alunos que leiam a declaração do Profeta


Joseph Smith, página 228 do manual do aluno. Essa
Alma 30:25 declaração tem relação com Alma 30:29.
Alma 30:26 • Como podemos saber se alguém busca sinceramente
a verdade ou se tudo o que a pessoa quer é causar
Alma 30:27
conflitos?
Alma 30:28 • O que podemos fazer diante de alguém que faz
perguntas difíceis, mas que busca sinceramente
Utilize perguntas como estas para conduzir um debate descobrir a verdade? O que podemos fazer quando
sobre esses versículos: nos defrontarmos com alguém que só quer levan-
tar polêmica?
• Quais as semelhanças entre os ensinamentos de
Corior e os ensinamentos falsos de hoje? Escreva no quadro o nome Alma. Peça aos alunos que
leiam Alma 30:30–44.
• Quais são algumas possíveis fontes desses ensina-
mentos falsos hoje? (Essas fontes podem ser pessoas, • Qual foi a reação de Alma diante dos argumentos de
instituições ou filosofias.) Corior? (Anote as respostas dos alunos no quadro,
ao lado de Alma.)
Explique-lhes que o primeiro passo para defender-nos
desses ensinamentos é reconhecê-los. Identificando os Alma prestou um testemunho vigoroso de Deus, o Pai,
ensinamentos e as táticas de Corior teremos mais facili- e de Jesus Cristo. Para salientar o impacto do testemu-
dade em reconhecer o mesmo tipo de ensinamentos e nho pessoal, peça a alguém que leia a declaração do
táticas em nossa época. Outras partes do capítulo abor- Élder Jeffrey R. Holland, encontrada na página 228 do
dam como permanecer fiel ao evangelho restaurado manual do aluno.
mesmo em situações que coloquem nossa fé à prova.
• Como o testemunho pessoal é “uma arma atemporal
Alma 30:19–22, 29–44. Ter um Testemunho e irrefutável”?
Firme de Jesus Cristo e de Seus Profetas Ajuda O que permitiu que Alma prestasse seu testemunho
a Evitar Que Entremos em Apostasia
com tanto vigor foi o fato de ele ter-se empenhado em
Faça as seguintes perguntas: obter esse testemunho e em fortalecê-lo. Para ajudar
• Por que é difícil responder a argumentos como os os alunos a compreenderem como Alma obteve seu
de Corior? testemunho, divida a turma em quatro grupos.

Explique que podemos aprender com as respostas e Anote estas perguntas no quadro: Que experiências
reações das pessoas a quem Corior tentou enganar. prepararam Alma para lidar com Corior e seus ensina-
Escreva no quadro: Povo de Amon. Peça aos alunos mentos? Dê a cada grupo um destes blocos de escri-
que façam a leitura silenciosa de Alma 30:19–21. turas: Mosias 27–29; Alma 1–3; Alma 4–7; Alma 8–16.
Peça que os grupos leiam o cabeçalho dos capítulos
• Com base no que sabem dos amonitas, em sua
das escrituras que lhes foram dadas para ajudá-los a
opinião, por que Corior não conseguiu enganá-los?
relembrar as experiências de Alma.
(Anote as respostas dos alunos no quadro, ao lado
de Povo de Amon.) Depois de lhes dar tempo suficiente para estudar as
escrituras que receberam, peça aos grupos que digam
Escreva no quadro o nome Gidona. Peça à turma que o que responderam.
faça a leitura silenciosa de Alma 30:21–23, 29.

109
Capítulo 29

• Que experiências vocês tiveram que fortaleceram seu


testemunho e os prepararam para defender sua fé? “O envolvimento pessoal sincero com as escritu-
ras produz fé, esperança e soluções para nossos
• O que podemos fazer para preparar-nos como Alma?
desafios diários. A leitura frequente, a meditação e a
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma aplicação das lições das escrituras, juntamente com
30:39, 44 e marquem as provas da existência de Deus a oração, tornam-se parte insubstituível do processo
citadas por Alma: (1) o testemunho de outros, (2) as de adquirirmos e mantermos um testemunho forte
escrituras e (3) as criações de Deus. Depois utilize as e vibrante” (Conference Report, outubro de 1998,
perguntas abaixo para debater cada uma das coisas p. 40; ou A Liahona, novembro de 2004, p. 39).
citadas. (Você pode usar apenas parte das perguntas
ou todas elas.)
• Como as escrituras e as palavras dos profetas moder-
Testemunho de Outros nos já fortaleceram seu testemunho?
Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 46:13–14.
Diga que a capacidade de acreditar no testemunho de Criações de Deus
outras pessoas é um dom do Espírito. Peça a um aluno que leia a declaração do Presidente
Gordon B. Hinckley, encontrada na página 229 do
Sugere-se que você leia a seguinte declaração do Pre-
manual do aluno.
sidente Harold B. Lee (1899–1973), 11º presidente da
Igreja: • De que forma a terra e o céu dão testemunho
de Deus?
“Talvez alguns de vocês não tenham testemunho
Alma 30:52–53. “Eu Sempre Soube Que Existia
— e eu já disse o mesmo a grupos semelhantes ao
um Deus”
de vocês: caso hoje ainda não tenham um teste-
Peça que alguém leia Alma 30:52–53. Depois, leia
munho, será que não aceitariam apoiar-se no meu
a seguinte declaração da irmã Janette C. Hales, que
por enquanto? Apoiem-se em nosso testemunho,
foi presidente geral das Moças. Peça aos alunos que
no testemunho do bispo, do presidente da estaca,
ouçam com atenção e reflitam sobre os erros de Corior.
até desenvolverem o seu próprio. Ainda que não
possam dizer nada mais do que ‘acredito porque
“Corior foi descrito (…) como sendo um anticristo,
o presidente, ou o bispo, acredita e eu confio
mas eu não sei se ele já era anticristo desde o iní-
nele’ continuem a fazer isso até adquirirem seu
cio. Vocês já pararam para imaginar que talvez no
próprio testemunho; mas fiquem avisados, esse
princípio Corior tivesse simplesmente (…) muitas
testemunho não durará se vocês não o cultiva-
dúvidas? Talvez ele tenha começado a questionar
rem continuamente e viverem os ensinamentos
sinceramente as coisas, mas cometeu dois erros
(The Teachings of Harold B. Lee, Clyde J. Williams
muito graves. Primeiro, negou a fé. Negou a Luz de
(org.), 1996, p. 136).
Cristo que lhe fora concedida. Segundo, começou
a pregar doutrinas falsas a outros. Alma, líder de
• Como o testemunho de outras pessoas já fortaleceu Corior, prestou-lhe testemunho e, então, Corior
o seu testemunho?  cometeu outro erro: Em vez de dar ouvidos a seu
líder, escutar o Espírito e confiar Nele, o que fez
Escrituras foi defender seu próprio ponto de vista pela lógica
Peça que um aluno leia a seguinte declaração do Élder e tornar-se cada vez mais combativo. Corior exigiu
Donald L. Staheli, dos Setenta: um sinal, e esse sinal lhe foi dado. Ele ficou mudo.
Talvez ele não pretendesse que o sinal o atingisse
diretamente, mas muitas vezes as consequências
de nossos erros nos atingem diretamente.

110
Alma 30–31

que comparem os Nefitas descritos em Alma 30:3 com


“Os versículos 52 e 53 do capítulo 30 são muito
os zoramitas descritos em Alma 31:9–10.
importantes, acho eu. Corior reconheceu: ‘Eu
sempre soube que existia um Deus. Mas eis que • De que forma a desobediência influencia nosso tes-
o diabo me enganou (…)’ (Alma 30:52–53). Não temunho?
é interessante? ‘Eu sempre soube.’ Ele tinha a Luz
Peça aos alunos que cruzem as referências e compa-
de Cristo em seu íntimo, mas Satanás enganou-o”
rem Alma 31:9 e João 7:17    .
(“Lessons That Have Helped Me”, Brigham Young
University 1992–1993 Devotional and Fireside • Como a obediência influencia nosso testemunho?
Speeches, 1993, p. 89). Peça aos alunos que recapitulem brevemente Alma
31:1–25 e façam uma lista das características dos
zoramitas e de suas práticas religiosas. (A lista dos
• De acordo com a irmã Hales, que erros Corior
alunos pode incluir que os zoramitas faziam orações
­cometeu?
repetitivas, determinaram um só lugar para orar, só
• Em sua opinião, por que alguém na mesma situação adoravam uma vez por semana, acreditavam que Deus
de Corior, ficaria na defensiva e começaria a criticar tinha escolhido unicamente a eles para serem salvos,
em vez de seguir o conselho dos líderes? eram materialistas e desprezavam os pobres.) Peça
• Por que é tolice entrar na defensiva e tornar-se crí- que alguns alunos digam à turma o que colocaram
tico quando temos dúvidas ou perguntas? na lista. (Sugere-se que você trace um paralelo entre
a atitude dos zoramitas e algumas tendências atuais,
Alma 31:5. A Palavra de Deus Pode como a de fazer orações repetitivas, adorar só uma vez
Ajudar-nos a Melhorar por semana, achar que somos escolhidos e que somos
Peça a um aluno que leia a declaração do Presidente melhores do que os outros e ser materialistas.)
Boyd K. Packer, na página 231 do manual do aluno.
Utilize as perguntas e o debate a seguir para ajudar os
• Por que é tão importante aprender as doutrinas do alunos a compreenderem que o envolvimento ativo na
evangelho? (Ver D&C 84:85.) Igreja, como por exemplo, no trabalho realizado no
• Por que é importante estudar a doutrina indivi- templo, nas noites familiares, nos projetos de serviço e
dualmente em vez de apenas escutar o que é dito nas atividades da ala ou ramo, ajuda-nos a permanecer
na Igreja? próximos do Senhor. Essas atividades ajudam-nos a ter
o Espírito Santo durante a semana, não só no dia do
Peça a um aluno que leia Alma 31:5.
Senhor. À medida que o Espírito passa a fazer parte de
• O que faz com que a palavra de Deus tenha a capa- nossa vida diária, passamos a ser capazes de resistir
cidade de mudar nossa vida? (Assegure-se de que os aos anticristos de nossa época e permanecer fiéis a
alunos compreendam que o motivo da palavra ter Jesus Cristo.
tanto efeito é porque ela traz o Espírito Santo para
• Alma 31:10 diz que os zoramitas recusavam-se a
nossa vida.)
observar “as práticas da igreja”. Quais são algumas
Peça que alguém leia a declaração do Presidente Ezra das “práticas da igreja” hoje? (Nas respostas talvez os
Taft Benson, na página 231 do manual do aluno. Peça alunos citem ordenanças do sacerdócio; oportunida-
aos alunos que façam uma lista das bênçãos citadas des de servir na Igreja; responsabilidades para com a
pelo Presidente Benson como resultado do estudo das família, como, por exemplo a noite familiar; orações
escrituras. individuais; estudo das escrituras e a realização do
trabalho do templo e de história da família.)
Alma 31:8–25. A Desobediência Leva
ao Erro e à Apostasia • Como essas práticas ajudam-nos a não cair em
­tentação?
Os zoramitas eram membros da Igreja, mas “haviam
cometido grandes erros” (Alma 31:9). Peça aos alunos • Como essas práticas ajudam-nos a ter o Espírito?

111
Capítulo 29

• Por que a palavra diariamente usada no versículo 10 Ajude os alunos a compreenderem que o testemunho
é importante no que se refere a nosso empenho de Jesus Cristo leva-nos a amar e servir ao próximo.
em manter o Espírito em nossa vida? (Ver II Corín- Leia a seguinte declaração do Élder Marvin J. Ashton
tios 4:16; Helamã 3:36. Observe que como o nosso (1915–1994), do Quórum dos Doze Apóstolos:
orgulho pode aumentar “dia após dia”, precisamos
renovar-nos “dia a dia”.) “Quando nos convertemos realmente a Jesus Cristo
e assumimos um compromisso com Ele, acontece
Alma 31:12–38. Os Discípulos de Jesus Cristo
algo interessante: nossa atenção volta-se para o
Amam e Servem ao Próximo
bem-estar do próximo, e o modo de tratarmos os
Alma 31 contém duas orações bastante diferentes entre
outros é caracterizado por crescente paciência,
si. Comparando a oração dos zoramitas com a de Alma,
bondade, gentil aceitação e desejo de atuar positi-
os alunos podem identificar algumas das possíveis
vamente na vida dessas pessoas. Esse é o início da
ideias e crenças que geraram essas diferentes orações.
verdadeira conversão” [Conference Report, abril de
Peça aos alunos que leiam rapidamente Alma 31:15–18
1992, p. 26; ver também A Liahona, julho de 1992,
(a oração dos zoramitas) e Alma 31:26–35 (a oração
p. 21, 21 (tradução atualizada)].
de Alma). Peça-lhes que digam o que aprenderam
sobre os zoramitas e sobre Alma por meio das palavras
dessas orações. Peça que a um aluno anote no quadro • O que Alma pediu por amar o povo? (Ver Alma
as ideias referentes aos zoramitas e que outro anote as 31:34–35.)
ideias referentes a Alma.
• Como podemos seguir o exemplo de Alma?
• Em sua opinião, o que levava Alma a servir? (As
respostas talvez mencionem seu testemunho, amor
a Deus e o amor ao próximo.)

112
Capítulo 30 Alma 32–35
Alma 32–35

Introdução Sugestões Didáticas


Em sua missão entre os zoramitas, Alma e Amuleque Alma 32:1–16, 25. É Melhor Ser Humilde por
ensinaram coisas profundas sobre a fé, a oração, a ado- Opção do Que Ser Compelido a Humilhar-se
ração e a Expiação. Às vezes, ao ensinarem esse bloco Peça aos alunos que expliquem por que a humildade é
de escrituras, os professores concentram-se exclusi- essencial no processo de conversão.
vamente nesses ensinamentos. Outras vezes, ensinam
Peça a um aluno que leia Alma 32:1–3.
alguns desses tópicos, mas não esclarecem como essas
coisas estão interligadas no contexto dos ensinamentos • Qual era a situação social e financeira daqueles que
de Alma e Amuleque. A lição sobre Alma 32–35 tocará aceitaram a mensagem de Alma e seus companheiros?
mais profundamente os alunos se você ajudá-los a per- • Em sua opinião, o que há de significativo no fato de
ceber a inter-relação entre esses tópicos: Quando colo- que esses zoramitas eram “humildes de coração” e
camos a palavra à prova, desenvolvemos fé. Nossa fé “pobres quanto às coisas do mundo”? 
leva-nos a orar e a confiar no sacrifício infinito e eterno
de Jesus Cristo. Essa confiança, por sua vez, leva-nos Peça que outro aluno leia Alma 32:4–6.
a arrepender-nos e a preparar-nos para o dia em que • Em sua opinião, o que significa a afirmação de que
voltaremos à presença do Pai Celestial e de Jesus “estavam preparados para ouvir a palavra”? 
Cristo. Essa perspectiva mais abrangente possibilitará
que os alunos entendam aonde a fé pode levá-los. Leia Alma 32:13–16 com os alunos. Peça-lhes que acom-
panhem a leitura e que procurem e marquem as verda-
Algumas partes desta lição incluem várias sugestões des referentes à humildade e ao processo de tornar-se
didáticas. Tenha em mente os talentos e interesses de humilde. Peça-lhes que digam o que encontraram.
seus alunos e inclua somente as que serão de maior
proveito para eles. • Por que é melhor ser humilde por opção do que ser
compelido a humilhar-se? 
Alguns Princípios e Doutrinas Peça aos alunos que, individualmente ou em duplas,
• É melhor ser humilde por opção do que ser compe- preparem uma lista das coisas que as pessoas podem
lido a humilhar-se (ver Alma 32:1–16, 25). fazer para tornarem-se mais humildes. Peça que vários
• Colocar a palavra de Deus à prova leva-nos a ter fé alunos ou várias duplas digam à classe o que incluíram
em Cristo (ver Alma 32:17–43; 33:12–23; observe que na lista. Peça-lhes que falem de como as coisas que
Alma 32:21 é uma passagem de domínio de escri- incluíram podem aumentar nossa humildade.
tura    ).
Peça que alguém leia a declaração do Presidente Ezra
• Devemos elevar o coração em oração continua- Taft Benson, na páginas 235 do manual do aluno. Peça
mente (ver Alma 33:1–11; 34:17–27, 39). que os demais escutem com atenção para encontrar
• De acordo com o grande plano do Deus Eterno era sugestões de como tornarem-se humildes.
preciso que se fizesse uma expiação — um sacrifício Incentive os alunos a decidirem ser humildes, seguir o
infinito e eterno (ver Alma 33; 34:1–17). conselho do Presidente Benson e colocar em prática
• O Senhor ordenou que não adiássemos o nosso uma das coisas que encontraram nas escrituras. Aju-
arrependimento (ver Alma 34:32–41; observe que de-os a reconhecer que o exemplo do Salvador sempre
Alma 34:32–34 é uma passagem de domínio de nos levará a ser mais humildes.
escritura    ).
Alma 32:17–43; 33:12–23. Colocar a Palavra à
Prova Leva-nos a Ter Fé em Cristo
Pergunte aos alunos qual seria um motivo para colo-
carmos algo à prova. (Para descobrir se uma premissa
é verdadeira.) Peça-lhes que descrevam experiências

113
Capítulo 30

que fizeram para colocar algo à prova em uma aula Peça aos alunos que releiam os versículos 41–42 e
de ciências ou em outra situação. Pergunte-lhes que façam uma lista das palavras que descrevem o fruto da
passos seguiram para realizar as experiências. Durante árvore. Por exemplo, talvez eles percebam as palavras
o debate, ajude os alunos a ver que para colocar algo à “brotará para a vida eterna” ou precioso, doce, branco
prova é preciso agir, não basta fazer especulações. e puro e a promessa de que aqueles que se banquetea-
rem com esse fruto não terão mais fome nem sede. Aju-
Peça que alguém leia Alma 32:26–27.
de-os a perceber que o fruto representa as bênçãos que
• Em sua opinião, o que Alma quis dizer quando podemos receber por meio da Expiação, inclusive a
aconselhou os zoramitas a colocar suas palavras bênção da vida eterna (ver o capítulo 3 deste manual).
à prova?
Sugira que os alunos falem de experiências que
• Como nós poderíamos fazer o mesmo? tiveram ao colocar a palavra de Deus à prova. Caso
Para ajudar os alunos a debaterem essa questão, peça- seja adequado, fale a eles de alguma ocasião em que
lhes que façam a leitura silenciosa dos versículos 27–42 você tenha colocado a palavra à prova e sua fé tenha
e identifiquem os passos que Alma sugeriu. Diga-lhes aumentado. Incentive os alunos a continuarem a colo-
que nessa passagem a semente representa a palavra car a palavra à prova.
de Deus. Dê-lhes tempo suficiente para ler e, depois, Divida a turma em duplas. Peça a cada dupla que
peça-lhes que digam o que encontraram. Anote as analise Alma 32:28–43 à procura de princípios que
respostas dos alunos no quadro. Talvez as respostas considerem importantes. Peça-lhes que marquem
incluam os seguintes passos: esses princípios nas escrituras e conversem com o
companheiro sobre o que encontraram. Depois de
1. Desejo de acreditar — versículo 27 lhes dar tempo suficiente para discutir o que encontra-
ram, peça-lhes que criem uma lista de perguntas que
2. Dar lugar para que a palavra seja plantada no cora-
ção — versículos 27–28 possam ser respondidas com as doutrinas e os princí-
pios encontrados. Você pode anotar as perguntas no
3. Não lançar fora a semente devido à incredulidade
quadro: Ajude os alunos a compreenderem que podem
— versículo 28
encontrar respostas para perguntas importantes por
4. Reconhecer que a semente está crescendo — ver- meio do estudo das escrituras.
sículo 28
Peça aos alunos que releiam a oração dos zoramitas
5. Tratar da planta que cresce — versículo 37
Alma 31:15–18.
6. Não negligenciar a árvore — versículo 38
• O que os zoramitas acreditavam quanto à necessi-
7. Esperar pelos frutos da árvore — versículo 40 dade de um Salvador?
8. Colher o fruto — versículo 42
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma
33:12–22, em que lemos o que Alma disse a respeito de
• Em sua opinião, o que significa dar lugar para que Jesus Cristo aos zoramitas. Peça-lhes que contem quan-
a palavra de Deus seja plantada em nosso coração? tas vezes Alma menciona o Salvador nesses versículos.
(ver versículo 28). Em sua opinião, o que significa • O que podemos aprender sobre Jesus Cristo nesses
sentir que a palavra de Deus começa a dilatar-se em versículos?
seu íntimo? (versículo 28). Em sua opinião, o que
• Alma contou a história dos israelitas que se recusa-
significa “[cultivar] a palavra”? (Versículo 41.) Nos
ram a olhar para o símbolo de Cristo feito por
versículos 28 e 34, como os verbos dilatar, ilumi-
Moisés (ver Alma 33:19–22; ver também Números
nar e expandir descrevem o efeito que a palavra de
21:5–9; 1 Néfi 17:41). Como esse exemplo pode ter
Deus pode ter em nós?
sido útil aos zoramitas? Como ele é útil para vocês?

114
Alma 32–35

Saliente que tudo o que os israelitas precisavam fazer devemos orar. Depois de lhes dar tempo suficiente,
era olhar. Podemos comparar isso ao pedido de Alma sugira-lhes que marquem a palavra continuamente.
para que as pessoas “[exercessem] uma partícula de fé”
• Em sua opinião, o que significa ter o coração “vol-
(Alma 32:27).
tado continuamente para ele em oração”? 
Peça que alguém leia Alma 33:22–23.
Como parte do debate, peça aos alunos que leiam a
• O que esses versículos ensinam sobre o significado declaração do Élder Henry B. Eyring, na página 240
da semente, da árvore e do fruto citados em Alma do manual do aluno. Debata com os alunos como
32? (Saliente que no versículo 23, quando Alma fala essa declaração amplia o que eles entendem por ter o
em plantar “esta palavra em vosso coração”, está-se coração “voltado continuamente para ele em oração”.
referindo ao testemunho de Jesus Cristo, que se Depois, peça aos alunos que meditem em silêncio
encontra resumido no versículo 22.) sobre como responderiam às seguintes perguntas:

Alma 33:1–11; 34:17–27, 39. Voltar o Coração • O que você pode fazer para aplicar esses ensinamen-
a Deus Continuamente em Oração tos a sua própria vida? O que você pode fazer para
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma orar mais e ser mais sensível às revelações pessoais?
33:1 e sublinhem as perguntas que os zoramitas fize- Preste seu testemunho dos ensinamentos de Amuleque
ram a Alma depois que ele encerrou seu discurso. Com quanto à oração.
a ajuda dos alunos, faça no quadro uma relação dessas
perguntas. Pergunte à turma por que cada uma das Alma 33; 34:1–17. De Acordo com o
perguntas da lista é importante. Grande Plano do Deus Eterno Era
Preciso Que Se Fizesse uma Expiação —
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma um Sacrifício Infinito e Eterno
33:2–11 e descubram como Alma começou a responder
Ao falar aos zoramitas, Alma mencionou os ensina-
às perguntas feitas no versículo 1. 
mentos de três profetas, cujos escritos constavam nas
• Como o ato de orar pode ajudar a responder às per- placas de latão: Zenos, Zenoque e Moisés. Peça aos
guntas do versículo 1? alunos que examinem Alma 33:3–23 e identifiquem as
• No versículo 3, Alma usa as palavras oração e coisas que esses profetas ensinaram quanto ao Salva-
adoração como sinônimos. Em que sentido orar dor. Sugira-lhes que marquem todos os trechos em que
é o mesmo que adorar? Alma ou um desses profetas chama Jesus Cristo de o
Filho de Deus.
• Em que situações suas orações foram mais eficazes?
• Por que é importante saber que Jesus Cristo é o
Peça aos alunos que falem de ocasiões em que sen- Filho de Deus? Como saber disso influencia sua fé
tiram os efeitos da oração. Dê-lhes tempo suficiente em Jesus Cristo?
para refletir sobre as próprias experiências antes de
• Que atributos divinos Alma destaca em Alma 33:4–11?
responder.
• Que aspectos da missão eterna de Cristo são des-
• Por que o fato de que Deus ouve nossas orações
tacados em Alma 33:22? Por que nossos fardos se
é um ato de misericórdia da parte Dele? O que as
tornam leves quando plantamos esse conhecimento
palavras “por causa de teu Filho”, empregadas no
em nosso coração e o cultivamos? (Ver Alma 33:23.)
versículo 11, significam para vocês?
Escreva no quadro as palavras infinito e eterno. Peça
Peça aos alunos que leiam os ensinamentos de Amu-
aos alunos que falem do significado dessas palavras.
leque em Alma 34:17–26. Depois, peça-lhes que façam
a leitura silenciosa dos versículos 27 e 39 à procura Peça-lhes que destaquem as ocorrências das palavras
de uma palavra que descreva a frequência com que toda e todos em Alma 34:9. Discutam o que Amuleque

115
Capítulo 30

ensina sobre nosso estado decaído e a Expiação nesse Para ajudar os alunos a perceberem o que fazer para
versículo. Estas sugestões talvez sejam úteis para receber as bênçãos da Expiação infinita e eterna,
fomentar a discussão: peça-lhes que leiam Alma 34:15–17 e descubram que
expressão se repete quatro vezes. (“Fé para o arrepen-
• Como a Queda de Adão e Eva fez com que a
dimento”.)
Expiação fosse necessária? (Ver Mosias 16:3–4;
Alma 12:22; 22:14.) • O que a expressão “fé para o arrependimento”
• De acordo com Alma 34:10, por que o Salvador era ­significa?
o único que poderia fazer o sacrifício necessário • Como a fé leva ao arrependimento?
para salvar toda a humanidade? • De acordo com Alma 34:16, que bênçãos recebemos
Aponte as palavras infinito e eterno escritas no quadro. quando temos fé para o arrependimento? O que
Peça que alguém leia Alma 34:10–14 enquanto o res- acontece se deixarmos de ter fé para o arrependi-
tante da turma tenta descobrir o significado de infinito mento?
e eterno nesses versículos. (Ajude-os a perceber que
Alma 34:1–8. A Grande Pergunta dos Zoramitas
a Expiação é infinita e eterna e que o Filho de Deus
Peça a alguns alunos para ir ao quadro e fazer uma
também é.)
lista das grandes indagações da humanidade. Talvez
• Sob que aspectos a Expiação é infinita e eterna? eles mencionem questões como “De onde viemos?”,
• Em que sentido o Salvador é infinito e eterno? “Qual o propósito da vida?” ou “Será que Deus existe?”
Compare a lista feita pelos alunos com a “grande
Para ajudar os alunos a debaterem essas questões,
pergunta” que preocupava os zoramitas, registrada
sugira que leiam a declaração do Élder Bruce R.
em Alma 34:5. Ajude os alunos a perceberem que a
McConkie e do Élder Russell M. Nelson, na página 241
grande questão dos zoramitas — saber se “a palavra
do manual do aluno. As palavras do Élder Nelson tam-
está no Filho de Deus ou se não haverá um Cristo” —
bém se encontram no DVD que acompanha o curso A
é semelhante às dúvidas de muitas pessoas que hoje
.
se perguntam se a salvação vem mesmo de Cristo e
Leia e discuta a seguinte declaração do Presidente Ezra se o Salvador de fato voltará. Peça aos alunos que
Taft Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja: leiam Alma 34:6–8 e digam em suas próprias palavras
qual foi a resposta de Amuleque. Falem sobre como o
“Ele foi capaz de realizar Sua missão porque era o mundo seria diferente se todos soubessem a resposta
Filho de Deus e possuía o poder de Deus. correta dessa pergunta e acreditassem nela. Nossa
resposta a essa pergunta influencia as escolhas que
Prontificou-se a cumprir Sua missão porque fazemos ao longo da vida.
nos ama.
Alma 34:32–41. O Senhor Ordenou Que Não
Nenhum ser mortal tinha o poder ou a capacidade Adiássemos Nosso Arrependimento
de redimir todos os outros mortais de seu estado O Presidente Joseph Fielding Smith (1876–1972), 10º
perdido e decaído, nem poderia entregar a vida presidente da Igreja, ensinou: “Esta vida é o mais vital
voluntariamente proporcionando, dessa forma, uma período de nossa existência eterna” [Doutrinas de Sal-
ressurreição universal a todos os outros mortais. vação, Bruce R. McConkie (org.), 3 vols., 1994, vol. 1,
Só Jesus Cristo podia e Se dispôs a realizar esse ato p. 76]. Leia Alma 34:32–34     com a turma à procura
redentor de amor [Conference Report, outubro de de princípios que amparem a declaração do Presidente
1983, p. 6; ver também A Liahona, dezembro de Smith. Para salientar a necessidade de arrependimento
1990, p. 5; grifo do autor (tradução atualizada)]. nesta vida, leia a declaração do Élder Melvin J. Ballard,
encontrada na página 243 do manual do aluno.

116
Alma 32–35

• O que podemos fazer para preparar-nos para nosso Peça aos alunos que leiam Alma 34:37–41 para desco-
encontro com Deus? brir a resposta de Amuleque para essa pergunta.
• Imagine que um amigo lhe diga: “Vou-me diver- • Amuleque aconselhou seus ouvintes a operarem sua
tir e experimentar o pecado por algum tempo, própria salvação (ver Alma 34:37). Tanto ele como
mas depois pretendo arrepender-me e ser digno Alma ensinaram que as pessoas precisam confiar em
no final”. O que você diria a alguém que pen- Cristo como fonte de sua salvação. Qual é a relação
sasse assim? entre esses dois princípios?
Faça as seguintes perguntas: Preste seu testemunho de que precisamos fazer tudo o
• Quem é responsável por garantir que vocês que estiver a nosso alcance e ao mesmo tempo confiar
sejam salvos? no Salvador (ver 2 Néfi 25:23–26).

117
Capítulo 31
Capítulo 31
Alma 36–39

Introdução • Poucos anos depois de receber esses conselhos,


Helamã chefiou os filhos dos ânti-néfi-leítas em
Nesses capítulos, Alma dá seus conselhos finais aos
batalha (ver Alma 53:14–19). Em sua opinião, como
filhos Helamã, Siblon e Coriânton. Entre seus conse-
o conselho do pai pode ter-lhe sido útil no desem-
lhos há ensinamentos profundos quanto ao perdão dos
penho dessa responsabilidade?
pecados, o poder das escrituras para converter as pes-
soas, a importância de sermos constantes e a gravidade Diga que um dos motivos que levou Alma a prestar seu
das transgressões sexuais. Assim como Helamã, Siblon testemunho foi o desejo de ajudar os filhos a com-
e Coriânton, os alunos se tornarão mais aptos a realizar preenderem que seus conselhos não se baseavam em
a obra do Senhor se compreenderem e aplicarem essas sua própria sabedoria, mas na inspiração e nas revela-
doutrinas. Durante o debate desses conselhos e os ções de Deus (ver Alma 36:4–5; 38:6). Ao aconselhar os
comentários por eles suscitados (principalmente no filhos, Alma falou-lhes de sua conversão e prestou-lhes
que se refere à lei da castidade) tome cuidado para testemunho de Jesus Cristo (ver Alma 36:3–22; 38:6–9;
não permitir que os alunos falem das próprias trans- 39:15). A virada na vida de Alma aconteceu quando
gressões. ele se lembrou do que o pai lhe havia ensinado sobre
Jesus Cristo e quando ele recorreu ao Salvador para
Alguns Princípios e Doutrinas conseguir ajuda. Alma só encontrou a felicidade depois
• Quando nos arrependemos, a Expiação põe fim de voltar-se para o Salvador.
ao sofrimento intenso e nos dá imensa alegria
• Por que é importante que os filhos ouçam o teste-
(ver Alma 36:12–21).
munho dos pais?
• As palavras de Cristo proporcionam a vida eterna
(ver Alma 37). Diga que, quando Alma contou a história de sua
conversão, falou de doutrinas profundas que tocaram
• A constância e a fidelidade nos proporcionam gran-
e foram uma bênção para seus filhos. Esses ensina-
des bênçãos (ver Alma 38).
mentos também podem ser uma bênção para nós,
• Os pecados sexuais são abomináveis aos olhos do pois podem aprofundar nossa compreensão da Expia-
Senhor (ver Alma 39:1–11). ção. Por isso, grande parte desta lição concentra-se
no que as experiências de Alma nos ensinam sobre
Sugestões Didáticas a Expiação.
Alma 36–39. Panorama Geral
Alma 36:12–21 Quando Nos Arrependemos, a
Peça aos alunos que imaginem que um dia, no futuro,
Expiação Põe Fim ao Sofrimento Intenso e Nos
queiram deixar seu último conselho e testemunho Dá Imensa Alegria
aos filhos.
Explique aos alunos que, quando Alma contou a histó-
• Que conselho vocês dariam? ria de sua conversão, descreveu o sofrimento pelo qual
• Que advertências vocês fariam? passou na ocasião em que viu o anjo. Dê aos alunos
tempo suficiente para que façam a leitura silenciosa de
Anote as respostas dos alunos no quadro. Diga que Alma 36:12–21.
hoje eles estudarão e discutirão o testemunho e as
palavras finais de Alma a cada um de seus três filhos. • Que palavras e expressões Alma empregou para
descrever seu sofrimento?
Peça aos alunos que leiam as primeiras palavras que
• O que podemos aprender com essa descrição dos
Alma disse a cada filho: Alma 36:1–3; 38:1, 5; 39:1.
efeitos do pecado?
• Por que Alma salientaria a importância de guardar os
Para ajudar os alunos a perceberem que o sofrimento
mandamentos e confiar no amparo divino?
de Alma teve um resultado positivo (e para ajudá-los a
• Como os conselhos desses versículos se aplicam a
perceber que, quando eles mesmos sentem culpa ou
nós hoje? 

118
Alma 36–39

remorso, isso pode trazer resultados positivos) faça as Taft Benson, que se encontra na página 247 do manual
seguintes perguntas: do aluno.
• Qual é o propósito da dor física? (Anote o resumo • De acordo com o Presidente Benson, qual é a dife-
das respostas no quadro.) rença entre arrependimento e mudança de compor-
• Como o sofrimento espiritual poderia ter uma finali- tamento?
dade semelhante? Leia a seguinte declaração do Élder Dallin H. Oaks, do
• Qual foi o resultado do sofrimento espiritual de Quórum dos Doze Apóstolos (também disponível no
Alma? Quando sofremos espiritualmente, que lição DVD que acompanha o curso A ):
podemos tirar do exemplo de Alma?

Para reforçar esse tema de debate, peça que alguém “A alegria que acompanha a remissão do pecado
leia a seguinte declaração do Presidente Boyd K. provém do Espírito do Senhor (ver Mosias 4:3,
Packer, Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos: 20). É o cumprimento da promessa do Senhor,
que disse: ‘Dar-te-ei do meu Espírito, o qual (…)
encher-te-á a alma de alegria’ (D&C 11:13). Como
“Vocês têm dentro de si um sistema de alarme que
ensinou o Apóstolo Paulo, ‘o fruto do Espírito é:
faz parte de seu corpo e espírito. No corpo esse
amor, gozo, paz’ (Gálatas 5:22). Todos o recebem
sistema é a dor; no espírito, é o sentimento de
da mesma forma — o rico e o pobre, o preemi-
culpa, o sofrimento espiritual. Embora nem a dor
nente e o obscuro. Ao conferir seu maior dom de
nem o sentimento de culpa sejam agradáveis e o
misericórdia, por meio da Expiação, Deus não faz
excesso de um ou de outro seja destrutivo, ambos
acepção de pessoas” [Conference Report, outubro
destinam-se a proteger-nos, pois fazem soar o
de 1991, pp. 103–104; ver também A Liahona,
sinal: ‘Não façam isso de novo!’
janeiro de 1992, pp. 82–83 (tradução atualizada)].
Sejam gratos pelos dois. (…) Aprendam a dar
atenção à voz de advertência espiritual que existe
dentro de vocês” [Conference Report, abril de Ajude os alunos a compreenderem que a maior dádiva
1989, p. 72; ver também A Liahona, julho de 1989, que o Pai poderia conceder-nos é o sacrifício expia-
p. 63 (tradução atualizada)]. tório de Seu Filho, que possibilitou que tivéssemos
alegria. Sugere-se que você preste testemunho da
alegria que a Expiação nos proporciona quando nos
Peça aos alunos que leiam a declaração do Presidente arrependemos.
Spencer W. Kimball, encontrada na página 247 do
Alma 37. As Palavras de Cristo Levam à
manual do aluno. Peça-lhes que descubram qual é
Vida Eterna
o papel de Jesus Cristo em nosso processo de arrepen-
Anote as seguintes referências de escritura no quadro
dimento.
(não inclua o texto entre parênteses):
• De acordo com o Presidente Kimball, como o trans-
Alma37:5–9 (Coisas grandiosas são realizadas por
gressor encontra alívio?
meios pequenos e simples; as escrituras precisavam ser
• Como vocês explicariam a relação entre a Expiação preservadas porque permitem que as pessoas adqui-
de Jesus Cristo e o alívio que Alma sentiu? ram conhecimento sobre Deus, o Pai, e Jesus Cristo e
• Como o arrependimento nos traz alegria? apontam o caminho da salvação. Observe que os versí-
culos 6–7 são passagens de domínio de escritura    .)
Para ajudar os alunos a compreenderem melhor o
papel de Jesus Cristo no processo de arrependimento, Alma 37:34–37 (Nunca se cansem de fazer o bem;
peça que um deles leia a declaração do Presidente Ezra aprendam a ter sabedoria na mocidade — aprendam a

119
Capítulo 31

guardar os mandamentos de Deus; aconselhem-se com Pode ser útil lembrar aos alunos que Coriânton arre-
o Senhor em tudo o que fizerem e Ele os conduzirá pendeu-se e voltou a servir ao Senhor (ver Alma 49:30;
para o bem. Observe que o versículo 35 é um versículo 63:1–2). É preciso que eles compreendam que mesmo
de domínio de escritura    .) quem cometeu pecados graves pode e deve arrepen-
der-se. Também é preciso que compreendam que
Alma 37:38–47 (Assim como a família de Leí foi
Coriânton pagou caro por seus pecados e que seu mau
orientada pelo Senhor por meio da Liahona quando
exemplo também prejudicou muito outras pessoas.
seus membros eram fiéis e diligentes, nós podemos
ser orientados pelo Senhor por meio das escrituras se Alma 39:1–11. Os Pecados Sexuais São
formos fiéis e diligentes.) Abomináveis aos Olhos do Senhor
Divida a turma em três grupos. Peça que cada grupo Leia Alma 39:1–4 para os alunos e peça que eles acom-
estude um dos blocos de escritura acima à procura de panhem nas próprias escrituras e identifiquem os erros
ideias quanto a como podemos receber as palavras que Coriânton cometeu e que o levaram a cometer
de Cristo. pecados sexuais. Anote as respostas dos alunos no
quadro. As respostas talvez mencionem que Coriânton:
Depois de lhes dar tempo suficiente para estudar essas
passagens, peça que cada grupo escolha um represen- 1. Não seguiu o exemplo do irmão (versículo 1).
tante para dizer ao restante da turma o que o grupo 2. Não atendeu os conselhos de seu pai (versículo 2).
encontrou.
3. Vangloriou-se de sua própria força e sabedoria (ver-
Alma 38. A Constância e a Fidelidade Nos sículo 2).
Proporcionam Grandes Bênçãos
4. Abandonou o serviço missionário — saiu do
Diga que podemos aprender princípios importantes
ambiente seguro (versículo 3).
se compararmos Siblon e Coriânton.
5. Foi a Siron, lugar cheio de tentações (versículo 3).
Peça aos alunos que leiam Alma 38:2–3 e sublinhem
as palavras e expressões que descrevem o compor- 6. Seguiu o exemplo de outros pecadores (versículo 4).
tamento de Siblon. Peça aos alunos que leiam Alma Pergunte aos alunos como cada um desses erros levou
39:1–5 e sublinhem as palavras e expressões que des- Coriânton a pecar contra a castidade. Converse com os
crevem o comportamento de Coriânton. alunos sobre como esses mesmos erros podem levar-
Ajude os alunos a compreenderem que, devido a sua nos a pecar em nossa época.
constância e fidelidade, Siblon estava preparado para Peça que alguém leia Alma 39:5–8.
receber as ricas bênçãos do Senhor. Apesar de pouco
• Por que Alma ensinou essas coisas a Coriânton?
ter sido escrito a respeito de Siblon, ele é um exemplo
de fidelidade. Peça aos alunos que formem duplas e estudem Alma
• Que provações Siblon conseguiu enfrentar graças a 39:9–14. Peça-lhes que façam uma lista de princípios
sua fé? que Alma ensinou a Coriânton para ajudá-lo a arre-
pender-se de seus pecados. Peça a diversas duplas que
Peça aos alunos que leiam Alma 63:1–2. digam ao restante da turma o que incluíram na lista.
• O que esses versículos revelam quanto à constância Peça aos alunos que expliquem em suas próprias pala-
de Siblon ao longo da vida? vras o que significam as seguintes afirmações extraídas
Peça aos alunos que descrevam algumas pessoas que do versículo 9:
eles conheçam e que sejam semelhantes a Siblon, ou • Não mais sucumbas à concupiscência dos
seja, que sejam membros fiéis da Igreja, mas que sejam teus olhos.
relativamente desconhecidas. Peça aos alunos que
falem de algo que admirem nessas pessoas.

120
Alma 36–39

• Abandones todas essas coisas. (Ver 3 Néfi 12:29–30 e Alma sobre o que fazer para abster-se do pecado ou
Mateus 16:24 para mais ideias quanto ao significado para arrepender-se dos pecados cometidos.
dessa frase.)
Esta sugestão didática destina-se a ajudar o professor
Esta lição é uma boa oportunidade de tratar do pro- a ensinar qual o papel da intimidade sexual no plano
blema tão difundido que é a pornografia. Para salientar de redenção.
o quanto é importante abster-se da pornografia, leia e Escreva o seguinte no quadro: O Senhor ordenou que a
debata as citações da página 252 do manual do aluno. intimidade sexual se desse estritamente entre marido e
Sugere-se também que você utilize a seguinte decla- mulher, nos laços do matrimônio. Peça aos alunos que
ração do Élder Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze leiam a explicação da lei da castidade na página 251
Apóstolos (também disponível no DVD que acompa- do manual do aluno. Peça que um aluno a leia.
nha o curso B ):
Peça que alguém leia Alma 39:3–6 e que os demais
alunos citem os três pecados graves mencionados
“Façam tudo o que puderem para [fugir da] por-
nesses versículos. (Se eles perguntarem o que significa
nografia. (…) Não se conformem com nenhum
negar o Espírito Santo, peça-lhes que leiam a declara-
grau de tentação. Previnam-se contra o pecado e
ção do Profeta Joseph Smith, na página 252 do manual
evitem ter que lidar com sua destruição inevitável.
do aluno.)
Então, desliguem-na! Olhem para o outro lado!
[Fujam dela] a todo custo. Voltem seus pensa- Para ajudá-los a compreender por que os pecados
mentos para caminhos edificantes. (…) Por fim, sexuais são tão graves, peça-lhes que abram o manual
não sejam condescendentes com a pornografia. do aluno na página 254 e leiam a declaração do Élder
Não usem seu poder de compra para apoiar a Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos,
degradação moral. E moças, entendam que caso também disponível no DVD que acompanha o curso
não se vistam com recato, vocês estarão aumen- C . Sugere-se também que se leia a seguinte declara-

tando esse problema, tornando-se pornografia ção do Élder Holland:


para alguns dos homens que olharem para vocês”
(Conference Report, abril de 2005, p. 95; ou A Lia- “Classificando com tal gravidade um apetite físico
hona, maio de 2005, p. 90). dado a todas as pessoas universalmente, o que
Deus está tentando nos dizer sobre o lugar que
esse apetite físico ocupa em Seu plano para todos
• Alma disse a Coriânton que se aconselhasse com os homens e mulheres? (E digo a vocês que é exa-
seus irmãos mais velhos nas coisas que fizesse (ver tamente isso o que ele está fazendo, falando do
Alma 39:10). Por que isso ajudaria Coriânton? Em próprio plano da vida.) Sem dúvida, uma de Suas
nossa época, quem seriam as pessoas que poderiam maiores preocupações em relação à mortalidade é
ajudar os membros da Igreja que precisam arrepen- a de como a pessoa vem a este mundo e como sai
der-se de pecados sexuais? dele. O Senhor estabeleceu limites muito rígidos
• O que significa voltar-se para o Senhor com toda a nessas questões” [Conference Report, outubro de
nossa mente, poder e força? (Ver Alma 39:13). Como 1998, p. 99; ver também A Liahona, janeiro de
isso nos ajuda a resistir às tentações? O que aconte- 1999, p. 90 (tradução atualizada)].
ceria se Coriânton se voltasse para o Senhor de todo
o coração?
• Por que a questão do nascimento é tão importante
• Como confessar e admitir o pecado contribuiu para
para o Senhor?
o arrependimento? (Ver Alma 39:13.)
Saliente o que o Élder Holland disse sobre “como a
Saliente o quanto os pecados sexuais são graves e des-
pessoa vem a este mundo [o nascimento] e como sai
trutivos. Afirme a veracidade dos conselhos dados por
dele [a morte]”. Diga que brincar propositalmente com

121
Capítulo 31

o nascimento ou a morte é um pecado grave à vista de filhos, mas também porque o Filho Unigênito do Pai
Deus. Leia a seguinte declaração do Élder Holland: nos redimiu, ou seja “comprou-nos por bom preço”.
Deus quer ter-nos de volta. Quem comete pecados
“Declaramos que aquele que utiliza o corpo de sexuais transgride contra o próprio corpo e contra o
outra pessoa sem aprovação divina, corpo esse que corpo de outras pessoas. Quem age assim arrisca-se a
foi dado por Deus, ofende a alma desse indivíduo, perder a oportunidade de voltar ao lar celestial.
viola os principais propósitos e processos da vida”
Alma 39:13. Voltar-Nos para o Senhor e
(Conference Report, outubro de 1998, p. 99; ver Reconhecer Nossas Faltas
também A Liahona, janeiro de 1999, p. 91).
Caso decida utilizar esta parte da lição, saiba que a
próxima lição concentra-se mais na questão do arre-
Esta sugestão didática destina-se a ajudar o professor a pendimento e do perdão.
ensinar qual a ligação entre a Expiação de Jesus Cristo Peça aos alunos que leiam a declaração do Élder
e a intimidade sexual. Richard G. Scott, na página 254 do manual do aluno.
Diga que existe um ligação entre a Expiação de Jesus Essa declaração também se encontra no DVD que
Cristo e o uso do poder de procriação, e que essa acompanha o curso E .
ligação é um dos motivos mais sagrados que temos • Que passos do arrependimento o Élder Scott cita
para obedecer a lei da castidade. Peça a um alunos nessa declaração?
que leia a declaração do Élder Holland, na página 251 • De acordo com o Élder Scott, por que é preciso
do manual do aluno (também disponível no DVD que incluir o bispo no processo de arrependimento de
acompanha o curso 1 D. ). Antes da leitura, peça que transgressões sexuais?
todos prestem atenção para encontrar as respostas
das seguintes questões (sugere-se que você as anote Peça a alguém que leia a declaração do Élder Jeffrey R.
no quadro): Holland, na página 254 do manual do aluno.

• Qual é a relação entre o valor da alma e a Expiação? • Qual é o papel do Salvador no processo de arrepen-
dimento?
• Citem algumas palavras que o Élder Holland empre-
gou para descrever o quanto a imoralidade é grave. • Qual é o papel do transgressor?
• Em sua opinião, no contexto dessa declaração, o Assegure aos alunos que, apesar de o caminho para
que significa “voltar a crucificar o Filho de Deus”?  o perdão das transgressões sexuais ser difícil, esse
perdão não está além do alcance da Expiação de Jesus
Depois da leitura, peça aos alunos em geral que digam
Cristo. Fale do que sente quanto ao poder da Expiação
como responderam as questões.
e preste seu testemunho dela. Para ajudar os alunos
Peça aos alunos que leiam I Coríntios 6:19–20. a prepararem-se para estudar e discutir Alma 40–42,
• Que preço Jesus Cristo pagou por vocês? diga-lhes que nesses capítulos Alma ensinou a Coriân-
ton doutrinas essenciais para ajudá-lo a arrepender-se
• O que esse preço revela a respeito do valor que
de suas transgressões e permanecer fiel.
vocês têm?

Em suas próprias palavras, diga o seguinte aos alunos:


Nós não pertencemos a Deus apenas por sermos Seus

122
Capítulo 32 Alma 40–42
Alma 40–42

Introdução • Que aspecto do plano de felicidade preocupava


Coriânton?
Nesse bloco de escrituras, Alma ensina a seu filho
Coriânton as questões relativas ao arbítrio de cada um Peça à turma que faça a leitura silenciosa de
e às recompensas e consequências eternas de nos- Alma 40:2–5.
sos atos. Durante o debate desses ensinamentos, será
• No versículo 5, de acordo com Alma, o que é
relembrado aos alunos de que a “iniquidade nunca foi
mais importante do que saber quantas ressurreições
felicidade” (Alma 41:10    ) e que a retidão nunca traz
ocorrerão?
infelicidade. Eles verão que as escolhas que fizerem na
Terra determinará o quanto serão felizes após a morte. Peça aos alunos que examinem Alma 40:16–23 indi-
Você pode ajudá-los a compreender o papel que Jesus vidualmente à procura de outros ensinamentos sobre
Cristo pode desempenhar no cumprimento das exigên- a ressurreição. Anote as respostas no quadro. Talvez
cias da justiça. Quando decidimos arrepender-nos e estas ideias sejam mencionadas:
segui-Lo, beneficiamo-nos do plano de misericórdia e
1. A primeira ressurreição começará pelas pessoas que
progredimos rumo à felicidade eterna.
viveram e morreram “desde os dias de Adão até a

Alguns Princípios e Doutrinas ressurreição de Cristo” (versículo 18).

• A Ressurreição é a restauração do espírito e do 2. Depois da Ressurreição, todos serão levados à pre-


corpo a sua perfeita estrutura (ver Alma 40:1–5, sença de Deus para serem julgados (ver versículo 21).
8–10, 16–25). 3. A Ressurreição é a restauração do espírito e do
• Depois da morte, todos passam ao mundo dos espí- corpo a sua perfeita estrutura (ver versículo 23).
ritos (ver Alma 40:6–15, 21). Peça a um aluno que leia Alma 40:23 em voz alta.
• “Iniquidade nunca foi felicidade” (ver Alma 41; Depois, leia as declarações do Élder Dallin H. Oaks
observe que o versículo 10 é uma passagem de e do Presidente Joseph F. Smith, na página 258 do
domínio de escritura    ). manual do aluno. As palavras do Élder Oaks também
• A Expiação de Jesus Cristo é o que torna a salvação se encontram no DVD que acompanha o curso A .
possível (ver Alma 42). • O que significa dizer que “todas as coisas serão res-
tauradas na sua própria e perfeita estrutura”?
Sugestões Didáticas • Como essa doutrina pode-nos dar consolo e
Alma 40–42. Introdução ­esperança?
Sugere-se que no início da aula você mencione que
Assegure-lhes que, por causa da Expiação e da Ressur-
Alma 40, 41 e 42 contêm as palavras de Alma ao filho
reição de Jesus Cristo, todos ressuscitarão com corpos
Coriânton, que havia cometido graves pecados quando
livres de qualquer das deficiências da mortalidade.
era missionário e pregava aos zoramitas. Cada capítulo
aborda uma questão doutrinária diferente. Peça aos Alma 40:6–15, 21. Depois da Morte, Todos
alunos que leiam Alma 40:1, 41:1 e 42:1 e descubram Passam ao Mundo dos Espíritos
qual é o assunto de cada capítulo. Faça a seguinte tabela no quadro:
• Como a compreensão dessas questões poderia aju-
dar Coriânton a arrepender-se? Paraíso Espiritual Prisão Espiritual
Alma 40:1–5, 8–10, 16–25. A Ressurreição É Alma 40:11–12 Alma 40:13–14
a Restauração do Espírito e do Corpo a Sua
Perfeita Estrutura
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
Alma 40:1.

123
Capítulo 32

Divida a turma em dois grupos iguais. Peça a um dos Alma 41. “Iniquidade Nunca Foi Felicidade”
grupos que estude Alma 40:11–12 à procura das ver- Passe os olhos por Alma 41:1 junto com os alunos para
dades relacionadas ao paraíso espiritual. Peça ao outro descobrir que doutrina esse capítulo aborda.
grupo que estude Alma 40:13–14 à procura das verda-
Escreva no quadro as palavras restauração ou restitui-
des relativas à prisão espiritual, também chamada de
ção.
“trevas exteriores” no versículo 13. (Observe que hoje
alguns membros da Igreja empregam o termo “trevas Leia Alma 41:2–6 com os alunos.
exteriores” para referir-se ao estado final dos iníquos • Nesses versículos, qual é o significado das palavras
que forem banidos e consignados a um estado de per- restauração e restituição?
dição junto com Satanás. Contudo, em Alma 40, esse
termo refere-se à prisão espiritual.) Dê-lhes tempo sufi- Faça uma relação dos diferentes elementos de nosso
ciente para estudar os versículos indicados e, depois, ser que serão restituídos. [“Todas as coisas” (versí-
peça que cada grupo apresente o que descobriu. Anote culo 2); todas as partes do corpo (ver versículo 2);
as ideias dos alunos no quadro. Depois, para acrescen- nossas obras (versículos 3–4) e os desejos de nosso
tar outras verdades ensinadas nas revelações modernas, coração (versículo 3).]
peça aos alunos que leram sobre o paraíso espiritual Sugere-se que você utilize a seguinte declaração do
que estudem Doutrina e Convênios 138:12–14, 30–34, Presidente Harold B. Lee (1899–1973), 11º presidente
57. Peça aos alunos que leram sobre a prisão espiritual da Igreja, durante o debate dessa questão:
que estudem Doutrina e Convênios 138:31–34, 57–59.
Peça-lhes que digam o que encontraram e acrescente o
“Nenhuma verdade do Evangelho foi ensinada
que eles disserem à lista do quadro. 
com maior clareza do que a de que nossa condi-
• O que determina se um espírito será feliz ou infeliz ção no mundo futuro dependerá do tipo de vida
no mundo espiritual? (Ver Alma 40:12–13.) que levamos aqui” (Decisions for Successful Living,
• De acordo com Doutrina e Convênios 138, como os 1973, p. 164).
cativos podem ser libertados no mundo espiritual
(ver versículo 31)?
• Qual é a relação entre a ressurreição e o plano de
• Ponderando essas verdades relativas ao mundo espi- restauração?
ritual, o que podemos aprender sobre os atributos
de Deus? [Ajude os alunos a perceberem que Deus Peça à turma que faça a leitura silenciosa de Alma
é justo e misericordioso e que trabalha incessante- 41:7–15. Sugira que procurem e marquem as palavras
mente para “levar a efeito a imortalidade e a vida e expressões que indicam o que aqueles que dese-
eterna do homem” (Moisés 1:39).] jam e abraçam a retidão nesta vida receberão como
restituição. Sugira também que procurem e marquem
Alma 40:11 afirma que “logo que deixa este corpo mor- as palavras e expressões que indicam o que será res-
tal, sim, o espírito de todos os homens, sejam eles bons tituído àqueles que desejam e abraçam a iniquidade
ou maus, é levado de volta para aquele Deus que lhes nesta vida.
deu vida”, e essa afirmação pode confundir os alunos.
Sabemos que, quando as pessoas morrem, seu espírito • Que bênçãos receberão as pessoas que decidirem
não é levado imediatamente de volta a presença de arrepender-se de seus pecados?
Deus, mas vai para o mundo espiritual (ver D&C 138). • Por que Alma aconselhou Coriânton a ser misericor-
Para ajudar os alunos a compreenderem Alma 40:11, dioso, justo e a agir com retidão para com os outros?
sugere-se que você peça que leiam a declaração do • Por que é impossível alcançar a felicidade por meio
Presidente Joseph Fielding Smith e a do Presidente da iniquidade?
George Q. Cannon, na página 256 do manual do aluno.

124
Alma 40–42

Leia a seguinte declaração do Élder Glenn L. Pace, dos Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft
Setenta (também disponível no DVD que acompanha o ­Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
curso B ):
“Ninguém sabe exatamente por que necessita de
“Existem verdades absolutas da eternidade. Elas Cristo até compreender e aceitar a doutrina da
não mudam à medida que a sociedade se afasta Queda e seus efeitos sobre toda a humanidade”
delas. Nenhum voto popular pode mudar uma [Conference Report, abril de 1987, p. 106; ver
verdade eterna absoluta. Legalizar um ato não o também A Liahona, julho de 1987, p. 85 (tradução
torna moral. Não se deixem enganar pelo argu- atualizada)].
mento: ‘Isso é o que todo mundo faz’. Vocês deve-
riam encarar esse raciocínio como uma ofensa a
seu espírito e como um insulto a sua inteligência. Peça à metade da turma que leia Alma 42:2–7 e à outra
metade que leia Alma 42:8–14. Enquanto leem, peça-
Um dia, a dura realidade da vida ensinará aos lhes que identifiquem as consequências da Queda de
sábios o que vocês aprenderam no jardim de Adão. Dê-lhes tempo suficiente para isso e, depois,
infância de seu aprendizado espiritual: ‘iniquidade peça-lhes que digam o que encontraram. Você pode
nunca foi felicidade’ (Alma 41:10)” [Conference anotar as respostas no quadro.
Report, outubro de 1987, p. 50; ver também A Lia-
• Em sua opinião, como essa explicação da Queda
hona, janeiro de 1988, p. 38 (tradução atualizada)].
poderia ajudar Coriânton com a questão que o preo-
cupava?
Para concluir esse debate, sugere-se que você lembre • De acordo com Alma 42:4, qual foi um dos motivos
aos alunos que, se por um lado a iniquidade nunca por que o Pai Celestial nos concedeu um estado
leva à felicidade, a retidão invariavelmente nos levará à probatório?
felicidade no final. Para salientar esse ponto, sugere-se
Peça aos alunos que formem duplas. Encarregue um
que você peça aos alunos que leiam Mosias 2:41.
dos integrantes de cada dupla de estudar Alma 42:15–
Alma 42. A Expiação de Jesus Cristo É o Que 22 e descobrir o que significa a expressão “requisitos
Torna a Salvação Possível da justiça”. Encarregue o outro integrante da dupla de
Sugere-se que, em sua preparação para dar esta parte estudar Alma 42:22–26 e descobrir o que significa a
da lição, você assista ao vídeo “O Mediador”, que afirmação “a misericórdia também reclama tudo quanto
é a 15ª apresentação do DVD de Vídeo do Livro de lhe pertence”. Depois de dar-lhes tempo suficiente,
Mórmon: Apresentações 1–19 (código 54011 059) e diga aos integrantes de cada dupla que ensinem um ao
considere a possibilidade de utilizá-lo para enriquecer outro o que descobriram. Depois, faça um debate com
a lição. a toda a turma empregando uma ou todas as seguin-
tes ideias:
Peça aos alunos que leiam Alma 42:1.
• Como o plano de redenção permite que Deus seja
• Que doutrina Coriânton não entendia?
ao mesmo tempo justo e misericordioso?
Diga que Coriânton não compreendia como Deus • Por que todos nós precisamos da Expiação para
podia ser justo e mesmo assim condenar os pecadores obter misericórdia?
a um estado de miséria. Alma principia sua explicação
• O que podemos esperar se decidirmos não nos arre-
do ponto que Coriânton não compreendia repetindo-
pendermos?
lhe a história da Queda de Adão e ensinando-lhe suas
consequências. Em Alma 42, ele explica como o plano Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 2:7 e Doutrina e Con-
de felicidade proporciona a todos uma oportunidade vênios 19:16–20.
justa de obter a felicidade eterna.

125
Capítulo 32

• Como esses versículos ajudam a esclarecer a relação Helamã já havia morrido, portanto, é provável que
entre a justiça e a misericórdia descrita em Alma o irmão de Siblon mencionado em Alma 63:2 seja
42:23–24? Coriânton.) 

Leia Alma 42:27–31 com os alunos. • O que esses versículos sugerem quanto à atitude de
Coriânton diante dos ensinamentos do pai?
• Que impacto Alma esperava que seus ensinamentos
tivessem em Coriânton? Incentive os alunos a ponderarem a própria vida e os
• O que Alma 42:29–30 ensina que todos nós deve- pecados que atualmente os preocupam. Assegure-lhes
mos fazer? que o Salvador está disposto a perdoá-los e que temos
mais paz e felicidade quando nos arrependemos.
Você pode pedir aos alunos que leiam Alma 48:18,
49:30 e 63:2. (Observe que, como relata Alma 62:52,

126
Capítulo 33 Alma 43–51
Alma 43–51

Introdução A primeira sugestão didática desta seção destina-se


a ajudar os alunos a identificar princípios que os
Às vezes as pessoas de bem têm que lutar para pro-
orientem na batalha diária contra as forças do mal. A
teger os direitos que Deus lhes concedeu. Em um
segunda sugestão destina-se a ajudar os alunos a iden-
período crucial da história do Livro de Mórmon, o
tificar princípios para orientá-los caso eles se vejam em
Senhor levantou o Capitão Morôni e outros grandes
meio a uma guerra.
homens para chefiar o povo na defesa da liberdade.
O Presidente Ezra Taft Benson (1899–1994) declarou Peça aos alunos que leiam 2 Néfi 9:10, 12; Alma 42:9 e
que “pelo Livro de Mórmon aprendemos como os Mateus 10:28.
discípulos de Cristo viveram em épocas de guerra” • Esses versículos mencionam dois tipos de morte.
[Conference Report, outubro de 1986, p. 5; ver também Quais são eles?
A Liahona, janeiro de 1987, p. 4).
• Por que a degradação da alma é mais grave do que a
Inspirados por seus líderes, os nefitas aprenderam a lutar morte do corpo físico?
contra as forças que pretendiam destruir-lhes a religião,
a liberdade e a família (ver Alma 46:12). Comparando Explique aos alunos que estudando o relato das bata-
o que motivava e como agiam líderes bons e humildes lhas do Livro de Mórmon aprendemos lições espirituais.
como o Capitão Morôni à forma de agir e à motivação de Cite um exemplo de como identificar verdades espiri-
homens iníquos e sequiosos de poder como Amaliquias, tuais no relato de um acontecimento temporal. Você
os alunos poderão aprender a ter maior apreço aos poderia, por exemplo, pedir a um aluno que lesse Alma
objetivos justos que motivam os líderes da Igreja. Eles 43:19–20 e 50:1. Depois, você poderia pedir à turma
poderão também aprender a permanecer firmes na fé em que procurasse um princípio espiritual no relato de
Cristo (ver Alma 48:13) em todos os momentos, mesmo como o Capitão Morôni preparou seu exército para a
diante de guerras ou de outras provações. batalha. Sugere-se que você faça as seguintes perguntas:
• Como o Capitão Morôni preparou o povo para
Alguns Princípios e Doutrinas defender-se?
• Estudar as histórias de guerra do Livro de Mórmon
• O que podemos fazer diariamente para preparar-nos
pode ajudar-nos a preparar-nos para as batalhas de
para as batalhas espirituais?
nossos dias (ver Alma 43–51).
Dê aos alunos a oportunidade de utilizar as escrituras
• As discórdias e as dissensões são forças destrutivas
abaixo para procurar verdades espirituais. Divida a
(ver Alma 43:4–8; 46:1–10; 50:21–35; 51:1–27).
turma em grupos pequenos. Diga que as escrituras da
• Nossa retidão nos protege do poder de Satanás (ver
lista devem ser divididas igualmente entre os integrantes
Alma 48).
de cada grupo. Cada aluno deve estudar as escrituras
• A fidelidade a Deus proporciona felicidade, mesmo que lhe couberem à procura de princípios que possam
em meio a um mundo conturbado (ver Alma ser aplicados hoje. Peça que cada aluno repita ao res-
49:25–30; 50:1–23). tante do grupo pelo menos um princípio que encontrou.
Depois que os integrantes de cada grupo tiverem con-
Sugestões Didáticas versado entre si, peça que voluntários digam ao restante
Alma 43–51. Estudar as Histórias de Guerra da turma as conclusões a que seu grupo chegou.
do Livro de Mórmon Pode Ajudar-nos a Nos
Preparar para as Batalhas de Nossos Dias Alma 43:9; 48:10 Alma 46:11–13, 20
Esses capítulos são repletos de princípios que podem Alma 43:23–26 Alma 48:7–9
ajudar os membros da Igreja a viverem como discípulos
Alma 43:48–50 Alma 49:3–5
de Jesus Cristo em tempo de guerra. Alguns princípios
encontrados nessas histórias de guerra podem ser apli- Alma 44:1–5 Alma 49:30
cados à guerra espiritual contra a iniquidade. Alma 45:20–22 Alma 50:1–7

127
Capítulo 33

Anote estas perguntas e referências de escritura devem explorar todas as possibilidades de evitá-la,
no quadro: utilize a declaração da Primeira Presidência encontrada
nas páginas 263–264 do manual do aluno.
Quais seriam as justificativas legítimas para a Alma 43:4–8; 46:1–10; 50:21–35; 51:1–27.
guerra? (Ver Alma 43:9, 45–47; 48:14.)
As Discórdias e as Dissensões São Forças
Qual é a forma correta de encarar o derramamento de Destrutivas
sangue? (Ver Alma 48:23–24; 61:10–11.) Diga que as escrituras contêm muitas advertências
quanto à discórdia.

Peça aos alunos que leiam os versículos corresponden- • Em sua opinião, por que é preciso que as advertên-
tes a cada pergunta. Depois, peça-lhes que digam quais cias quanto à discórdia sejam repetidas?
foram suas respostas. 
Diga que além de advertir-nos quanto à discórdia,
Saliente que os profetas modernos declararam que às esses capítulos do Livro de Mórmon também nos
vezes os bons têm o dever de defender sua família e advertem quanto aos perigos das dissensões. Os casos
outras pessoas. Em uma conferência geral, o Presidente de dissensão e dissidência contados nesses capítulos
Gordon B. Hinckley (1910–2008), 15º presidente da são exemplos de apostasia, de pessoas que se rebela-
Igreja, citou Alma 43:45–47 e 46:12–13 e, depois declarou: ram contra a verdade e contra a Igreja.
• Qual é a relação entre a dissidência e a discórdia?
“Fica bem claro por esses e outros escritos que há
momentos e situações em que as nações estão justi- Para demonstrar a força destrutiva da discórdia, divida a
ficadas, na verdade têm a obrigação, de lutarem pela turma em quatro grupos e peça que cada grupo leia uma
família, pela liberdade e contra a tirania, a ameaça das seguintes passagens de escritura: (1) Alma 43:4–8;
e a opressão” (Conference Report, abril de 2003, pp. (2) Alma 46:1–10; (3) Alma 50:21–35; (4) Alma 51:5, 9, 12,
83–84; ou A Liahona, maio de 2003, p. 80). 19, 22–23, 26–27. Peça-lhes que procurem os motivos de
discórdia citados em cada passagem e as consequências
dessa discórdia. Depois de alguns minutos, peça que um
O Presidente Hinckley deixou claro que às vezes é pre- aluno de cada grupo resuma as conclusões do grupo.
ciso lutar. Ainda assim, para ajudar os alunos a com- Você pode anotar as ideias dos alunos no quadro. É pos-
preenderem que antes de declarar guerra as pessoas sível que a lista fique mais ou menos assim:

Escritura Motivo da discórdia Consequência

Alma 43:4–8 Zeraemna, os zoramitas e os 1. Guerras contínuas entre os nefitas e os lamanitas


amalequitas
2. Aumenta o ódio e a ira dos lamanitas e dos que se juntam
a eles.

Alma 46:1–10 Amaliquias e seus seguidores 1. Muitas pessoas abandonam o povo nefita e a Igreja
2. Amaliquias sobe ao poder e induz o povo a esquecer
o Senhor e a praticar iniquidades

Alma 50:21–35 Moriânton e seu povo 1. Moriânton maltrata uma serva


2. Muitos morrem em batalha

Alma 51:5, 9, 12, Os realistas e Amaliquias 1. Morrem 4.000 dissidentes e um número desconhecido de
19, 22–23, 26–27 soldados nefitas; outros dissidentes são aprisionados.
2. Amaliquias captura uma cidade nefita

128
Alma 43–51

Peça que um aluno leia 3 Néfi 11:29     para a turma.  • Mórmon disse que se todos fossem como o Capitão
Morôni, “o diabo nunca teria poder sobre o coração
• Como a discórdia debilita a família, a comunidade e
dos filhos dos homens” (Alma 48:17). Por quê?
a nação?
• De acordo com Alma 48:19–20, como Helamã e seus
• Em sua opinião, o que ajuda as pessoas a sobrepuja-
irmãos eram comparáveis a Morôni?
rem a discórdia e a dissidência?
Assegure aos alunos que eles também podem viver
Vemos outro exemplo de dissidência em Alma 47. Peça
de forma a ser protegidos da influência de Sata-
que um aluno leia o cabeçalho de Alma 47 e outro leia
nás e a conseguir ajudar seus entes queridos a ter a
Alma 47:36.
mesma proteção.
• Segundo o cabeçalho do capítulo, o que Amaliquias
Use o quadro da página 267 do manual do aluno para
estava disposto a fazer para subir ao poder?
orientar o debate. Esse quadro compara Morôni e
• Em sua opinião, por que aqueles que se tornam
Amaliquias. Peça aos alunos que, na leitura das escri-
dissidentes da verdade muitas vezes tornam-se “mais turas relacionadas no quadro, identifiquem princípios
endurecidos” do que quem nunca conheceu a ver- que possam aplicar à própria vida. Falem de como
dade? (Ver também Alma 24:30.) seguindo esses princípios somos protegidos do poder
Utilize a declaração do Élder Neal A. Maxwell, na de Satanás.
página 268 do manual do aluno.
Alma 49:25–30; 50:1–23. A Fidelidade a Deus
• O que o Élder Maxwell diz dos perigos da dissidência?  Proporciona Felicidade, Mesmo em Meio a um
Mundo Conturbado
Alma 48. Nossa Retidão Nos Protege Peça que alguém leia Alma 50:21–23. Peça aos alunos
do Poder de Satanás que pensem nos momentos mais felizes que já viveram.
Peça que os alunos citem o nome de alguns heróis.
• O que gera a felicidade?
• Que qualidades e características heroicas essas
• Em sua opinião, por que foi possível aos nefitas ser
pessoas têm? (Ao orientar o debate, lembre-se de
tão felizes apesar da ameaça de guerra que pairava
que o propósito desta sugestão didática é salientar
sobre eles? (Durante o debate, você poderia sugerir
o caráter e as qualidades que destacavam o Capitão
que eles lessem Alma 49:25–30; 50:1–23.)
Morôni como seguidor de Jesus Cristo. O Capitão
Morôni deve logo passar a ser o tema do debate.) • Citem alguns outros exemplos encontrados nas
escrituras de pessoas que eram felizes mesmo em
Diga que, quando ainda era bem jovem, Morôni foi meio a grandes tribulações. (Ver II Coríntios 7:1–7;
nomeado comandante geral dos exércitos nefitas para Mosias 24:10–15; D&C 127:2.)
defender o povo de um inimigo poderoso (ver Alma
• Citem algumas ocasiões em que o Senhor prometeu
43:16–17). Escreva o seguinte no quadro:
aos fiéis que teriam felicidade mesmo em meio às
Se todos os homens fossem como Morôni …  provações. (Durante o debate, você poderia sugerir
Peça aos alunos que leiam Alma 48:11–13, 17–18 e que eles lessem João 16:33; Romanos 8:18; Hebreus
encontrem as características que fazem do Capitão 12:11; D&C 58:3–4; 121:33; 122:1–2, 7–9.)
Morôni um herói. Anote as respostas dos alunos Dê aos alunos a oportunidade de se expressarem e
no quadro. contarem experiências relacionadas a como podemos
Peça a um aluno que leia Alma 48:14–16. ser felizes mesmo em meio às provações. Sugere-se
que você encerre com seu testemunho.
• Como o caráter de Morôni foi influenciado pela fé
que ele tinha em Cristo? Que influência a fé exercia
sobre o empenho com que ele defendia seu povo? 

129
Capítulo 34
Capítulo 34
Alma 52–63

Introdução • Na antiguidade, que vantagens uma cidade cercada


por muralhas oferecia em tempos tumultuados?
Às vezes os professores sentem-se inclinados a pas-
sar rapidamente pelos capítulos de guerra do livro de • O que podemos fazer em nossa própria vida compa-
Alma, pois consideram mais importante concentrar-se rável a erigir uma muralha protetora ao nosso redor?
em outros ensinamentos e histórias. Porém, esses capí- Enquanto os alunos debatem essa questão, peça-lhes
tulos contêm muitos conceitos importantes que podem que leiam Alma 37:6–7    . Você pode pedir a eles
ser úteis aos alunos. Em vários aspectos, seus alunos que citem “coisas pequenas e simples” que podem ser
estão sob o ataque das forças do mal. Por meio de de grande importância para proteger-nos. Algumas das
excelentes exemplos (como o do Capitão Morôni, o de possíveis respostas são as orações individuais, o estudo
Paorã e de Helamã e seus jovens soldados), esses capí- das escrituras, a frequência à Igreja e o jejum. Saliente
tulos ensinam lições que os ajudarão a permanecer em que a cada oração que fazemos, a cada versículo das
segurança. Eles aprenderão como é alto o preço da dis- escrituras que lemos, a cada jejum, a cada gesto de
córdia e o quanto se conquista quando há união entre serviço ao próximo, etc., fortalecemos e ampliamos as
os bons. Verão os resultados que obtemos quando muralhas que nos protegem. Satanás é o inimigo de
guardamos os convênios e as bênçãos que podemos toda a retidão e trabalha incansavelmente para derru-
receber se formos fiéis em todos os momentos, seja bar nossas defesas. É preciso que tenhamos uma forta-
qual for a situação. Verão as bênçãos que obtemos leza firme e precisamos reforçá-la regularmente. Peça
quando nosso lar é centralizado no evangelho. Passa- aos alunos que debatam a seguinte questão em duplas
rão a dar maior valor a como o Senhor se mantém pró- ou grupos de três:
ximo de Seus servos escolhidos nos momentos difíceis
e nas provações. • O que podemos fazer para reforçar nossas defesas
individuais contra o mal?
Alguns Princípios e Doutrinas Peça aos alunos que ponderem esta advertência
• Quando guardamos os convênios somos abençoa- feita pelo Presidente Henry B. Eyring, da Primeira
dos e protegidos por Deus (ver Alma 53:10–18). ­Presidência:
• Os discípulos do Senhor são fiéis em tudo o que
lhes é confiado (ver Alma 53:16–23; 57:19–27). “À medida que as forças que nos cercam torna-
• Deus dá esperança, fé, paz e a certeza do livramento rem-se mais intensas, a força espiritual que antes
a quem vive em retidão (ver Alma 58:1–12). nos bastava, deixa de ser suficiente. E seja qual for
• O Senhor espera que defendamos a liberdade (ver o ponto máximo que pensamos que nossa força
Alma 60–61). espiritual poderia vir a alcançar, teremos a opor-
tunidade de desenvolver força ainda maior. Tanto
Sugestões Didáticas a necessidade de força espiritual como a opor-
tunidade de alcançá-la aumentarão em um ritmo
Alma 53:4–5. Temos Que Nos Preparar para espantoso e, se subestimarmos essa possibilidade
Resistir às Tentações de Satanás
de fortalecimento, nos colocaremos em risco”
Peça que alguém leia Alma 53:4–5. Mostre a gravura de [“Always” (Serão do SEI para jovens adultos),
uma cidade fortificada da antiguidade, como por exem- 3 de janeiro de 1999, p. 3, LDSces​.org; ver também
plo a gravura nº 52 do Livro de Gravuras do Evangelho “Recordá-Lo Sempre”, A Liahona, dezembro de
[2009], que mostra Jerusalém cercada por uma muralha, 2005, p. 9].
ou a gravura nº 81 do mesmo livro, que mostra Samuel,
o lamanita, sobre a muralha da cidade de Zaraenla.
Explique que na antiguidade, muitas vezes o povo
construía muralhas ao redor das cidades.

130
Alma 52–63

Alma 53:10–18. Quando Guardamos os 26. Peça-lhes que procurem as características desses
Convênios, Somos Abençoados e Protegidos rapazes e falem delas ao restante da turma. Você pode
por Deus anotar as respostas no quadro. Incentive os alunos a ano-
Escreva no quadro: Quando guardamos os convênios tarem esses pontos em um caderno ou nas escrituras.
Deus nos abençoa. Peça aos alunos que citem alguns
• Qual é a relação entre essas características e ser uma
dos convênios que já fizeram ou que ainda farão.
pessoa digna de confiança?
Anote as respostas no quadro.
• Que bênçãos o Senhor nos dá quando guardamos Alma 56:31–57. As Mães Podem Ser uma Grande
nossos convênios?
Influência Positiva para os Filhos
Leia Alma 56:31–48 com os alunos. Considere a possi-
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Alma bilidade de pedir aos alunos que leiam esses versículos
53:10–18 e marquem as palavras juramento, convênio em voz alta, revezando-se. Para salientar a influência
e outras palavras semelhantes. Peça aos alunos que que as mães amonitas exerceram sobre os filhos, peça
digam que convênio os pais citados nessa história que alguém leia a declaração da irmã Julie B. Beck,
tinham feito e que convênio seus filhos fizeram. que se encontra na página 274 do manual do aluno.
• De que forma o convênio feito pelos pais foi uma Essa declaração também se encontra no DVD que
bênção para o povo? acompanha o curso B .

• Por que o convênio dos pais tornou-se um fator de • Em sua opinião, por que esses guerreiros confiavam
preocupação? tanto nos ensinamentos das mães?
• Como o convênio feito pelos filhos resolveu o pro- • Em que situações você sentiu ou testemunhou a
blema? influência de uma mãe que sabe quem ela é e quem
• Por que é importante guardar os convênios que é Deus?
fazemos mesmo quando eles se tornam uma desvan- Enquanto os alunos debatem essas questões, sugere-se
tagem? (Recapitule Alma 53:14–15; ver também D&C que você leia a seguinte declaração do Élder Neal A.
82:10    .) Maxwell (1926–2004), do Quórum dos Doze Apóstolos:
Além disso, enquanto os alunos falam da necessidade
de guardar os convênios em todos os momentos, “A mulher (…) embala a criança que chora sem
peça-lhes que leiam a declaração do Élder M. Russell conjecturar se está perdendo as coisas que o
Ballard, na página 272 do manual do aluno. Essa decla- mundo de hoje tem a oferecer, pois sabe que
ração também se encontra no DVD que acompanha o tem o dia de amanhã firmemente seguro em seus
curso A . braços. (…)

Alma 53:16–23; 57:19–27. Os Discípulos Quando a verdadeira história da humanidade


do Senhor São Fiéis em Tudo o que Lhes for plenamente revelada, o que nela ecoará será
É Confiado o clamor das armas de fogo ou será o som das
Peça aos alunos que prestem atenção ao que Mórmon doces cantigas que nos moldam desde a infância?
diz em Alma 53:20 ao declarar que os filhos dos amo- (Woman, 1979, p. 96).
nitas eram “fiéis em todas as ocasiões e em todas as
coisas que lhes eram confiadas”. Peça aos alunos que
pensem em alguma ocasião em que lhes tenha sido • Em sua opinião, por que a mãe tem uma influência
confiado algo difícil. Sugira que meditem no que fize- tão profunda sobre os filhos?
ram para demonstrar que eram dignos de confiança. Volte a direcionar a atenção dos alunos para Alma
Divida a turma em dois grupos. Peça a um grupo que 56:47. Ajude-os a ver que os jovens guerreiros de
leia Alma 53:20–21 e ao outro que leia Alma 57:19–21, Helamã também eram devotados aos pais.

131
Capítulo 34

Para destacar o quanto é necessário que mãe e pai


atuem juntos na educação dos filhos, leia o seguinte “Há uma linha demarcatória bem definida que
trecho de “A Família: Proclamação ao Mundo”: separa o território do Senhor do território de Lúci-
fer. Se vivermos do lado do Senhor, Lúcifer não
poderá vir até onde estamos para influenciar-nos,
“Os pais têm o dever sagrado de criar os filhos
mas se cruzarmos a fronteira e adentrarmos seu
com amor e retidão, de atender a suas necessida-
território, estaremos em seu poder. Guardando os
des físicas e espirituais, ensiná-los a amar e servir
mandamentos do Senhor permanecemos seguros
uns aos outros, guardar os mandamentos de Deus
em Seu território, mas quando desobedecemos
e ser cidadãos cumpridores da lei, onde quer que
Seus ensinamentos adentramos espontaneamente
morem. O marido e a mulher — o pai e a mãe —
a zona de tentação e damos lugar à perene des-
serão considerados responsáveis perante Deus
truição que ali se encontra” (Improvement Era,
pelo cumprimento dessas obrigações.
maio de 1935, p. 278).
(…) Segundo o modelo divino, o pai deve presidir
a família com amor e retidão, tendo a respon-
sabilidade de atender às necessidades de seus • Qual é o perigo de cruzar a linha divisória e aden-
familiares e de protegê-los. A responsabilidade trar o território de Satanás? Por que nesse território
primordial da mãe é cuidar dos filhos. Nessas atri- somos mais fracos do que quando estamos do lado
buições sagradas, o pai e a mãe têm a obrigação do Senhor?
de ajudar-se mutuamente, como parceiros iguais” Peça aos alunos que leiam Alma 58:3–9 e descre-
(A Liahona, outubro de 2004, última contracapa). vam o problema com o qual o exército de Helamã
se defrontou.

Preste seu testemunho desse princípio. • O que vocês fariam nessa situação?

Alma 58:1–12. Deus Dá Esperança, Fé, Paz e a Leia Alma 58:10–13.


Certeza do Livramento a Quem Vive em Retidão • O que Helamã e seus jovens guerreiros fizeram para
Peça aos alunos que leiam Alma 58:2 e 56:21 e que sair desse impasse?
descubram o que o exército de Helamã fez para pre-
• Como o Senhor atendeu suas orações?
servar a própria segurança.
• Ao defrontarmo-nos com os desafios da vida, como
• O que é uma fortaleza ou fortificação?  nos beneficiaríamos de seguir esse exemplo?
• Citem algumas fortalezas do Senhor nos dias de
O Élder Gene R. Cook, dos Setenta, escreveu sobre
hoje, lugares seguros para onde podemos ir e onde
esse episódio do Livro de Mórmon:
podemos ficar atualmente.
• Citem algumas das fortalezas de Satanás que exis-
“Talvez os nefitas estivessem esperando por um
tem hoje.
milagre. Talvez quisessem que anjos viessem
Leia a seguinte declaração do Presidente George Albert livrá-los, como acontecera uma ou duas vezes
Smith (1870–1951), 8º presidente da Igreja: no Velho Testamento; mas o que aconteceu? O
Senhor deu-lhes certeza, paz, fé e esperança. Em
vez de simplesmente destruir seus inimigos, Ele
lhes concedeu aquilo de que precisavam para
defender-se. (…)

132
Alma 52–63

Alma 60–61. O Senhor Espera que


Em outras palavras, o Senhor instilou nesses
Defendamos a Liberdade
homens a determinação e a capacidade de fazer o
Diga que cada nação tem sua própria relação de
que desejavam, tendo como ponto de partida uma
patriotas, de homens e mulheres que amam o país e
firme resolução e a determinação de prosseguir
defendem a liberdade do povo. Essas pessoas exi-
até o fim. Depois de receberem a resposta para
bem características e habilidades que fazem com que
essa oração, os nefitas seguiram em frente para
sejam honradas por seu patriotismo. Divida a turma
assegurar a própria liberdade.
em duplas. Peça que uma pessoa de cada dupla leia
Quando o Senhor instila esperança, fé, paz e as palavras do Capitão Morôni, no versículo 60, e à
certeza nas pessoas, elas são capazes de realizar outra pessoa que estude as palavras de Paorã, no
coisas grandiosas. Portanto, é isso o que devería- versículo 61. Peça-lhes que procurem as característi-
mos procurar ao pedir ajuda, não um milagre que cas de Morôni e Paorã que consideram importantes
resolva o problema por nós, mas um milagre inte- para ajudar na preservação da liberdade de qualquer
rior, que nos ajude a encontrar a solução por nós nação. Depois, peça-lhes que conversem entre si sobre
mesmos, com a ajuda do Senhor e do Seu poder” o que encontraram. É possível que os alunos incluam
(Como Receber Respostas às Nossas Orações, 1996, as seguintes características na lista:
p. 159). 

Capitão Morôni Paorã


Como essa declaração afeta aquilo que consideramos (Alma 60) (Alma 61)
como respostas a nossas orações? Ousadia (versículo 2) Tristeza pelo sofrimento
alheio (versículo 2)
Alma 60:23–24. Precisamos Limpar o
Vaso Interior Preocupação com o Desejo de defender a
Dê a um aluno um copo (ou uma xícara) que esteja sofrimento alheio (versí- liberdade (versículo 6)
culo 10).
limpo por fora, mas sujo por dentro.
Lembram-se das Não se ofendem com as
• Por que não basta manter limpa a parte de fora
bênçãos do passado críticas (versículo 9)
do copo? (versículo 20)
Peça aos alunos que leiam Alma 60:23–24. Peça tam-
bém que leiam Mateus 23:25–26. • O que mais o impressiona no Capitão Morôni e
• Nesses versículos, o que a expressão “vaso interior” em Paorã?
significa? • De acordo com esses capítulos, o que marca o
• De que forma a expressão “vaso interior” se aplica a patriotismo?
nossa vida privada? • Como você pode incorporar esses princípios a
• Por que nosso vaso interior precisa ser limpo? Citem sua vida?
algumas coisas que podemos fazer para manter • Que exemplos desses princípios você já observou
nosso vaso interior limpo? em outras pessoas?

Cite a exortação do Presidente Ezra Taft Benson, que Alma 62:39–51. Nos Momentos de Adversidade,
se encontra na página 276 do manual do aluno. Peça- Alguns Humilham-se diante de Deus e Outros
lhes que ponderem a seguinte pergunta, sem respon- Tornam-se Insensíveis
dê-la em voz alta: Peça aos alunos que leiam Alma 62:39–41.
• Como você pode aplicar o conselho do Presi- • No versículo 41, qual é o significado da palavra
dente Benson? insensíveis  ? O que significa a palavra abrandados  ?

133
Capítulo 34

• Em sua opinião, por que alguns nefitas tornaram-se assim como é capaz de sanar os males de uma nação
insensíveis com a guerra enquanto outros foram que saiu de uma guerra, o Senhor também é capaz de
abrandados? recuperar-nos das adversidades que enfrentamos.
• De acordo com o que diz Mórmon no versículo 40, Peça aos alunos que pensem nas coisas que foram
por que os nefitas foram poupados? (Ver também ditas em aula quanto aos capítulos de guerra do Livro
Alma 10:22–23.) de Mórmon (Alma 43–62). Recapitule alguns dos prin-
cípios que você e os alunos discutiram ao estudarem
Leia Romanos 8:28, 35–39. Peça aos alunos que falem
esses capítulos.
de um momento de aflição em que se voltaram para
o Senhor. • Em sua opinião, por que Mórmon escreveu tanto
sobre guerras?
Leia Alma 62:42–51 e fale de como a Igreja pode ajudar
uma nação e seu povo a recuperar-se dos efeitos da Encerre com seus próprios pensamentos quanto aos
guerra. Assegure-lhes que o Senhor é capaz de sanar capítulos de guerra. Preste seu testemunho.
todos os males causados pela guerra. Diga-lhes que

134
Capítulo 35 Helamã 1–4
Helamã 1–4

Introdução • Como o povo tentou resolver a disputa quanto a


quem seria o juiz supremo?
Vivemos em uma época de crescente iniquidade e,
quanto mais se aproxima a Segunda Vinda do Salvador, • Por que a eleição não pôs fim às contendas?
mais a iniquidade aumenta. Estudando os aconteci- Diga que enquanto os nefitas se defrontavam com
mentos que se deram no continente americano como conflitos internos, um novo perigo externo se aproxi-
prenúncio do primeiro advento do Salvador, os alunos mava. Leia os versículos 14 e 15 com os alunos. Peça
poderão compreender melhor o contraste entre a iniqui- aos alunos que passem os olhos pelos versículos 18–22
dade e a retidão. Você pode ajudá-los a reconhecer e a à procura das consequências do ataque lamanita.
desejar a paz e a prosperidade concedidas àqueles que
permanecem firmes na fé nos momentos de provação. • Que cidade os nefitas perderam no ataque?
• O que tornou os nefitas tão vulneráveis a
Alguns Princípios e Doutrinas esse ­ataque?
• A contenda é destrutiva (ver Helamã 1:1–9, 14–24).
Para ajudar os alunos a aplicarem os princípios con-
• As combinações secretas podem levar à destruição tidos nesses versículos, peça-lhes que citem aspectos
da sociedade (ver Helamã 1:11–12; 2). da vida das pessoas que podem ser perturbados pela
• Quem é humilde e vive em retidão é santificado e contenda. Anote as respostas dos alunos no quadro. É
fortalecido pelo Senhor, enquanto os orgulhosos e possível que as respostas incluam as amizades, a famí-
pecadores são deixados por conta de sua própria lia, o casamento, o trabalho, e assim por diante. 
força (ver Helamã 3:27–37; 4).
Escolha uma ou duas das respostas dos alunos. Peça à
turma que sugira maneiras de evitar (ou acabar) com
Sugestões Didáticas o problema da contenda. Por exemplo, que atividades
Helamã 1:1–9, 14–24. A Contenda É Destrutiva são capazes de promover a união familiar e, portanto,
Leia Helamã 1:1 com os alunos. Depois peça-lhes inibir a contenda? Ou, caso uma família esteja sofrendo
que vejam nos versículos 2–4 qual era a “séria dificul- com a contenda, o que os membros da família pode-
dade” mencionada no versículo 1. [Talvez eles digam riam fazer para eliminar o problema?
que essa dificuldade era a necessidade de conseguir
Helamã 1:11–12; 2. As Combinações Secretas
um novo juiz supremo. Caso isso aconteça, peça-lhes
Podem Levar à Destruição da Sociedade
que procurem uma palavra (e suas variações) que se
Peça a um aluno que segure uma vareta ou um palito
repete nos versículos 2–4. Diga-lhes que essas palavras
diante da classe. Diga que esse palito representa uma
indicam por que a escolha de um novo juiz supremo
única pessoa. Demonstre como é fácil quebrar o palito.
tornou-se uma séria dificuldade. A palavra é contenda
Depois, junte vários palitos em um feixe. Diga que
ou contendas.]
o feixe de palitos representa pessoas que têm união
Peça que alguém leia a declaração do Élder Joseph B. entre si. Demonstre como é difícil quebrar mesmo um
Wirthlin, napágina 279 do manual do aluno. único palito quando todos os palitos estão reunidos em
• Em que nos seria útil lembrar que a contenda é um um feixe.
instrumento de Satanás? • O que podemos aprender com essa demonstração?
Peça que um aluno que leia a declaração do Presidente • Como a união de várias pessoas pode ser usada para
James E. Faust, encontrada na página 279 do manual alcançar objetivos justos?
do aluno. • Como pode ser usada para atingir objetivos iníquos?
• De acordo com o Presidente Faust, o que acontece Saliente que Satanás usou a influência exercida por
quando existem contendas ou discórdia? grandes grupos para promover a iniquidade entre os
Peça aos alunos que leiam Helamã 1:5–7. nefitas, por meio das combinações secretas. Peça que

135
Capítulo 35

um aluno leia Helamã 1:11–12, que explica como Quis- Diga-lhes que nós, assim como Helamã, precisamos
cúmen deu início ao bando de Gadiânton. empenhar-nos em fazer continuamente o que é reto
aos olhos de Deus (ver Helamã 3:20). Considere a
Peça aos alunos que leiam o cabeçalho do capítulo2
possibilidade de pedir à turma que cante “Faze o Bem”
de Helamã. Peça-lhes que leiam Helamã 2:4–5, 8 e, por
(Hinos, nº 147). Outra sugestão seria pedir a alguém
esses versículos, digam o que acham que Gadiânton
que cante bem para cantar as estrofes do hino e que o
estava disposto a fazer para conquistar poder e autori-
restante da turma cante o refrão com essa pessoa.
dade sobre o povo.
Saliente que a sociedade é feita de indivíduos. Para Helamã 3:20–30. Quando Guardamos os
que uma sociedade caia, é preciso que muitos indiví- Mandamentos do Senhor, Prosperamos
duos sucumbam às forças do mal. em Sua Obra
Pergunte aos alunos como acham que a maioria das
Peça aos alunos que citem exemplos atuais de grupos
pessoas definiria a palavra prosperidade.
ou influências destrutivas. (Caso desejar, você pode
mencionar ou pedir que os alunos leiam a declaração Peça-lhes que formem duplas e estudem o conceito de
do Élder M. Russell Ballard, nas páginas 279–280 do prosperidade de acordo com Helamã 3:20–30. Peça-
manual do aluno. Essa declaração também se encontra lhes que, enquanto estudam e debatem esses versí-
no DVD que acompanha o curso A .) culos, marquem as palavras-chave que dizem respeito
à prosperidade dos nefitas. Peça-lhes que procurem
Ajude os alunos a compreenderem que Satanás sempre
respostas para as seguintes perguntas:
está por trás das combinações secretas. Lembre-lhes
que ele é muito experiente em enganar as pessoas, mas • Quais as semelhanças e diferenças entre a prosperi-
que o Espírito do Senhor pode ajudar-nos a evitar cair dade mencionada nesses versículos e a definição de
em suas mentiras. Você também pode pedir aos alunos prosperidade do mundo em geral?
que leiam Doutrina e Convênios 10:5    , que ensina • Qual é a relação entre a prosperidade e os princípios
que a oração nos fortalece para resistir a Satanás.  dos versículos 29–30? 
Chame a atenção para o fato de que, naquela ocasião, Ao término dessa atividade em duplas, peça que as
os planos de Gadiânton para derrubar o governo foram pessoas que quiserem digam ao restante da turma a
frustrados pela interferência de um servo de Helamã que conclusões chegaram.
(ver Helamã 2:6–10). Apesar de às vezes a influência da
iniquidade aumentar à nossa volta, podemos permane- Helamã 3:27–37; 4. Quem É Humilde e Vive em
cer firmes na retidão e resistir ao mal.
Retidão É Santificado e Fortalecido pelo Senhor,
Enquanto os Orgulhosos e Pecadores São
Helamã 3:20. Devemos Empenhar-nos Sempre Deixados por Conta de Sua Própria Força
em Fazer o que É Certo Mostre um trapo sujo à turma. Diga que esse trapo
Peça a um aluno que leia Helamã 3:20. representa uma pessoa mundana. Depois mostre um
tecido branco e limpo (como por exemplo, um lenço).
• Que palavra em Helamã 3:20 demonstra que Helamã
sempre fazia o que era certo? (Continuamente.) • O que ajuda a pessoa a passar a ser como esse lenço
• Pensem em sua própria vida. Que resultados vocês limpo? (Anote as respostas no quadro.)
alcançaram em períodos nos quais tenham-se Peça a um aluno que leia Helamã 3:35.
empenhado continuamente para obedecer os
• Em sua opinião, o que significa entregar o coração
mandamentos?
a Deus?
• Depois que os alunos falarem dessa questão, peça-
lhes que criem um esquema que poderiam utilizar Peça que um aluno leia a definição de santificação no
para fazer um discurso sobre ser constante na obe- Guia para Estudo das Escrituras, que também aparece
diência aos mandamentos do Senhor. nas páginas 282–283 do manual do aluno.

136
Helamã 1–4

• A santificação é um acontecimento instantâneo ou Peça aos alunos que leiam Helamã 3:33–34, 36 à pro-
um processo? Por quê? cura de palavras e expressões que demonstrem como
o nosso orgulho aumenta. [O versículo 33, por exem-
Peça aos alunos que leiam Helamã 3:27–30. Depois de
plo, diz que o orgulho começou “a manifestar-se (…)
cada versículo, faça uma pausa para perguntar aos alu-
no coração (das pessoas)”. O versículo 34 diz que as
nos que princípios daquele versículo têm relação com a
pessoas “encheram-se de orgulho”. O versículo 36 diz
santificação. Permita também que os alunos comentem
que um “excessivo orgulho se apoderara do coração
outros trechos do versículo que considerem importantes.
do povo”.]
Para encerrar o debate sobre a santificação que ocorre
• Por que normalmente o orgulho começa aos poucos
quando entregamos o coração a Deus, sugere-se que
e acaba por aumentar e alastrar-se?
você peça aos alunos que escrevam como podem
aplicar esses princípios à própria vida. Dê-lhes alguns • Por que é mais difícil eliminar o orgulho depois de
minutos para isso. deixá-lo aumentar? 
• Como a oração fervorosa e diária e o estudo diário
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
das escrituras também podem arraigar-se e difun-
Helamã 3:29–30 e marquem nas escrituras tudo o que
dir-se, mas de uma forma positiva?
descreva aquilo do que a palavra de Deus é capaz.
Depois faça as seguintes perguntas: Peça aos alunos que encontrem algumas das con-
• Sob que aspecto a palavra de Deus “é viva e eficaz”?  sequências do orgulho citadas em Helamã 4:12–13.
Compare as pessoas descritas nesses versículos, que
• Em que sentido a palavra é capaz de romper ao
gabavam-se da própria força e que “foram [abando-
meio, ou despedaçar, “todas as artimanhas e as
nadas] a sua própria força”, às pessoas descritas em
armadilhas e os artifícios do diabo”?
Helamã 3:35, que “tornavam-se cada vez mais fortes
• Para onde a palavra nos guiará? em sua humildade”. Ajude os alunos a compreenderem
Para salientar que as escrituras ajudam-nos a combater que o orgulho pode começar aos poucos, mas pode
as armadilhas do adversário, leia a seguinte declaração aumentar de proporções e ter terríveis consequências.
do Presidente Ezra Taft Benson (1899–1994), 13º presi- Leia a seguinte declaração do Élder Jeffrey R. Holland,
dente da Igreja. do Quórum dos Doze Apóstolos:

“O sucesso por viver em retidão, a capacidade de “Não tenham medo das cicatrizes que podem sur-
não ser enganado e de resistir às tentações, orien- gir ao defenderem a verdade ou lutarem pelo que
tação na vida diária, a cura da alma — essas são é certo, mas tomem cuidado com as cicatrizes que
apenas algumas das promessas do Senhor àqueles desfiguram espiritualmente, que surgem quando
que buscam Sua palavra. Acaso o Senhor promete fazem algo que não deveriam fazer, que aparecem
e não cumpre? Se Ele diz que teremos essas coisas quando vocês estão em lugares onde não deve-
se aderirmos a Sua palavra, certamente essas bên- riam estar” [Conference Report, outubro de 1998,
çãos estão ao nosso alcance. E se não aderirmos, p. 101; ver também A Liahona, janeiro de 1999,
podemos acabar perdendo essas bênçãos. Por p. 92 (tradução atualizada)].
mais diligentes que sejamos em outros aspectos,
determinadas bênçãos são encontradas unica-
mente nas escrituras, somente quando buscamos • Em sua opinião, o que o Élder Holland quis dizer ao
a palavra do Senhor e aderimos a ela em nossa falar de “cicatrizes (…) que aparecem quando vocês
caminhada pelas névoas de escuridão até a árvore estão em lugares onde não deveriam estar”?
da vida” (ver “O Poder da Palavra”, A Liahona,
Peça aos alunos que leiam Helamã 4:23–26.
julho de 1986, p. 84 (tradução atualizada)].

137
Capítulo 35

• O que acontece às pessoas quando começam a tri- Conclua a lição lendo Helamã 4:15. Incentive os alunos
lhar o caminho do pecado? a avaliarem a própria vida e a traçarem um curso que
• O que o versículo 25 cita como solução para quem os leve à felicidade.
se encontra na vereda do pecado?
• De que forma a retidão nos fortalece?

138
Capítulo 36 Helamã 5–9
Helamã 5–9

Introdução Escreva no quadro: Helamã 5:2–3; 6:37–40. Peça aos


alunos que leiam esses versículos em silêncio e iden-
Do capítulo 5 ao 9, o livro de Helamã relata as difi-
tifiquem os aspectos nos quais a nação nefita estava
culdades enfrentadas pelas pessoas que se tornaram
“amadurecendo para a destruição”. Peça aos alunos
orgulhosas, perderam-se e abraçaram a iniquidade.
que digam à turma o que encontraram.
Esses capítulos também falam de como foram forta-
lecidas as pessoas que permaneceram em retidão e Peça aos alunos que leiam Helamã 5:4–13 individual-
continuaram a ser fiéis ao Pai Celestial mesmo quando mente. Sugira que destaquem todas as ocorrências do
a grande maioria a sua volta desprezava os manda- verbo lembrar nesses versículos. Pergunte-lhes por que
mentos e os princípios de salvação. Os alunos podem acham que Helamã repetiu tanto esse verbo. Peça-lhes
fortalecer-se com o exemplo de Néfi e Leí e daqueles que leiam a declaração do Presidente Spencer W. Kim-
que acreditaram no que eles ensinaram. Eles verão ball, encontrada na página 286 do manual do aluno.
que é possível viver o evangelho e amar o Pai Celestial • Citem algumas coisas que podemos fazer para lem-
mesmo quando estamos cercados por influências mun- brar-nos do Salvador e de nossos convênios todos
danas. Com esses capítulos eles se lembrarão “que é os dias?
sobre a rocha de nosso Redentor, que é Cristo, o Filho
de Deus, que [devem] construir os [seus] alicerces” Peça-lhes que voltem aos versículos 5–13 e descubram
(Helamã 5:12) e que podem aprender a olhar para o o que Helamã incentivou os filhos a fazerem. Sugere-se
Filho de Deus com fé (ver Helamã 8:15). que você anote as respostas dos alunos no quadro.
Peça aos alunos que meditem em como o conselho de
Alguns Princípios e Doutrinas Helamã se aplica a nossa própria vida. A lista abaixo
• Quando temos Cristo como nosso alicerce reforça- contém exemplos do que os alunos podem encontrar.
mos nossas defesas para resistir ao mal (ver Helamã Helamã incentivou os filhos a lembrarem-se:
5:1–14).
1. De guardar os mandamentos (ver versículo 6).
• A fé em Jesus Cristo e o arrependimento ope-
ram uma mudança no coração e dão-nos paz 2. De que receberam o nome de pessoas que foram
(ver Helamã 5:14–52). exemplos de boas obras (ver versículos 6–7; para
outro exemplo de como receber o nome de alguém
• Satanás é autor de todo o pecado (ver Helamã 6).
importante do passado pode inspirar-nos a viver
• “A não ser que vos arrependais, perecereis” em retidão, ver a declaração do Presidente George
(ver Helamã 7; 8:1–12). Albert Smith, nas páginas 285–286 do manual do
• Todos os profetas dão testemunho de Jesus Cristo aluno). 
e da Expiação (ver Helamã 8:13–23). 3. Do testemunho de Jesus Cristo prestado pelo rei
Benjamim (ver versículo 9; ver também Mosias 2–5).
Sugestões Didáticas
4. Que não há outro meio pelo qual a salvação seja
Helamã 5:1–14. Quando Temos Cristo Como
possível, a não ser pelo sangue expiatório de Jesus
Nosso Alicerce Reforçamos Nossas Defesas
Cristo (ver versículo 9).
para Resistir ao Mal
Peça a um aluno que leia Helamã 5:2. Chame a aten- 5. que o Salvador redime as pessoas de seus pecados
ção dos alunos para as palavras “amadurecendo para caso elas se arrependam (versículos 10–11).
a destruição”. Mostre à turma uma fruta que está 6. Que precisavam alicerçar a própria vida em Jesus
apodrecendo. Diga que, assim como uma fruta que Cristo (versículo 12).
amadurece até passar do ponto acaba por apodrecer,
para tornar-se totalmente iníqua, a pessoa precisa ter Peça aos alunos que leiam Helamã 5:14.
“amadurecido em iniquidade” (Éter 2:9). • O que Néfi e Leí fizeram graças a terem-se lembrado
do conselho de Helamã?

139
Capítulo 36

• Como lembrar-nos dessas doutrinas pode ajudar-nos? Peça aos alunos que meditem em silêncio sobre as
seguintes questões:
Para ajudar os alunos a lembrarem-se de Helamã
5:12    , mostre-lhes uma pedra bem grande e per- • O que você faz diariamente para alicerçar sua vida
gunte o que aconteceria a ela se fosse deixada lá fora em Jesus Cristo? No que você poderia melhorar para
em meio a uma tempestade. Leia Helamã 5:12. Depois ter certeza de que está edificando sua vida sobre
mostre-lhes um punhado de areia e pergunte-lhes o esse alicerce seguro?
que aconteceria com essa areia em uma tempestade.
Preste testemunho de que Jesus Cristo é nosso alicerce
• De que forma as tentações de Satanás são semelhan- seguro. Faça comentários sobre como podemos edifi-
tes a tempestades? car nossa vida sobre o alicerce de Cristo.
• Como Jesus Cristo seria comparável a uma rocha? Helamã 5:14–52. A Fé em Jesus Cristo e o
• Em sua opinião, o que significa construir os alicer- Arrependimento Operam uma Mudança no
ces sobre a rocha que é Jesus Cristo? O que Helamã Coração e Dão-nos Paz
prometeu aos filhos caso eles se alicerçassem sobre Leia a seguinte declaração do Élder Richard G. Scott,
essa rocha? do Quórum dos Doze Apóstolos:
• Como alicerçar nossa vida nos ensinamentos de
Cristo ajuda-nos a resistir às tempestades de Satanás “O fruto do verdadeiro arrependimento é o
e às provações da vida? perdão de Deus, que abre as portas para receber
todos os convênios e ordenanças dados nesta
Leia a seguinte declaração do Élder Russell M. Nelson,
Terra e para desfrutar as bênçãos que resultam
do Quórum dos Doze Apóstolos:
deles. Quando o arrependimento for total e a
pessoa tiver sido purificada, ela terá uma nova
“Mesmo com firmes alicerces não é possível evitar visão da vida e de suas gloriosas possibilidades”
os problemas da vida. O desvio dos filhos causa (Conference Report, outubro de 2004, p. 16; ou
sofrimento aos pais. Algumas famílias divididas A Liahona, novembro de 2004, p. 17.
não se juntam mais. Um estado de confusão
quanto à identidade sexual é mal-compreendido.
Há casais que, seja pelo motivo que for, não têm Durante a leitura e o debate de Helamã 5, incentive
a bênção de ter filhos. Mesmo nos dias de hoje, os alunos a ficarem atentos para os sinais dessa “nova
‘os culpados e iníquos [são deixados] impunes por visão da vida” entre as pessoas que deram ouvidos aos
causa de seu dinheiro’ [Helamã 7:5]. Há coisas que ensinamentos de Néfi e Leí. 
não nos parecem justas.
Leia Helamã 5:14–19 com os alunos. Peça aos alu-
Com um firme alicerce, entretanto, estaremos mais nos que, durante a leitura, procurem as respostas das
bem preparados para buscar a ajuda do Senhor, seguintes perguntas:
mesmo quando nos depararmos com perguntas • De acordo com esses versículos, o que contribuiu
de difícil resposta. (…) para o êxito que Néfi e Leí obtiveram quando prega-
Embora não saibamos todas as coisas, sabemos que ram o arrependimento?
Deus vive e que nos ama [ver 1 Néfi 11:16 –17]. Per- • O que aconteceu graças à pregação de Néfi e Leí?
manecendo nesse firme alicerce, podemos buscar
Peça aos alunos que compartilhem com a turma as
e obter a força necessária para suportar os pesados
respostas que encontraram.
fardos de nossa vida” [Conference Report, abril de
2002, pp. 89–90; ver também A Liahona, julho de • Como o verdadeiro arrependimento muda a pessoa
2002, p. 84 (tradução atualizada)]. e lhe dá paz?

Mostre a figura de Néfi e Leí da página 141.

140
Jerry Thompson, © IRI

141
Helamã 5–9
Capítulo 36

Apresente aos alunos um panorama geral dos demais • Em sua resposta, Aminadabe descreve um padrão a
acontecimentos relatados em Helamã 5, para isso, ser seguido por quem deseja sair das trevas espiri-
peça-lhes que leiam o cabeçalho do capítulo a partir tuais. Que padrão é esse?
da frase “Néfi e Leí convertem muitos e são aprisiona- • De acordo com o versículo 44, o que aconteceu gra-
dos”. Depois divida a turma em cinco grupos e dê a ças ao fato de terem buscado o Senhor com fé e se
cada grupo um dos seguintes blocos de escritura e as arrependido?
perguntas correspondentes: Sugere-se que você faça
cópias das perguntas com antecedência para entregar Grupo 5
aos grupos.
Helamã 5:45–52
Grupo 1 • Que provas os versículos 45–52 apresentam de que
Helamã 5:20–26 as pessoas que se converteram passaram mesmo a
ter uma “nova visão da vida”? Como podemos rece-
• Se permanecermos fiéis a nossos convênios, que
ber bênçãos semelhantes?
bênçãos podem envolver-nos como um “pilar de
• De acordo com o versículo 47 qual é a fonte da paz?
fogo”? 
(Ver também Mosias 4:3.)
• Como esses “pilares de fogo” ajudam-nos a ter cora-
gem nos momentos difíceis? Dê-lhes tempo suficiente para responder as perguntas
e, depois, peça-lhes que digam o que responderam.
Grupo 2
Para concluir esta parte da lição, peça aos alunos que
Helamã 5:27–34 pensem em como completariam as seguintes frases:
• Como as pessoas cobertas pela “nuvem de escuri- Graças ao que estudei hoje, sei que
dão” se sentiram? Como esse sentimento afeta nosso

empenho em prosseguir com fé?
• Como a mensagem transmitida pela “voz mansa, de Graças ao que estudei hoje, sinto 
perfeita suavidade” ajudou-as a dissipar a nuvem de
escuridão? De que forma ouvimos essa mesma men-
Graças ao que estudei hoje, quero 
sagem hoje?

Grupo 3
Helamã 5:35–39 Helamã 6. Satanás É Autor de Todo o Pecado
Diga que podemos considerar o trecho que vai do ver-
• O semblante de Néfi e Leí brilhou e eles conversa-
sículo 14 ao 52 de Helamã como um exemplo de como
ram com anjos. Em nossa época, de que forma as
alicerçar-nos na rocha que é Jesus Cristo. Já no capítulo
pessoas que recebem mensagens celestiais servem
6 de Helamã vemos um exemplo de como as pessoas
de luz para nós?
edificam sua vida sobre um alicerce de areia. Quando
• Pensem em pessoas que vocês conhecem e que ensinar esse bloco de escrituras, assegure-se de que os
emanam luz em um mundo de crescente escuridão. alunos compreendam que Satanás está por trás de toda
Quais são as características dessas pessoas? instabilidade nele descrita.

Grupo 4 Leia Doutrina e Convênios 93:37–39 com a turma. Você


pode sugerir que eles cruzem a referência dessa passa-
Helamã 5:40–44
gem com a de Helamã 6:21.
• O que as pessoas cobertas pela nuvem de escuridão
• De acordo com Doutrina e Convênios 93:37, o que
queriam saber?
somos capazes de fazer quando temos luz e verdade?

142
Helamã 5–9

• O que possibilita que Satanás tire de nós a luz e Para concluir, leia a declaração do Élder F. Burton
a verdade? Howard, na página 288 do manual do aluno.

Peça à turma que faça a leitura silenciosa de Helamã Helamã 8:13–23. Todos os Profetas dão
6:9–17. Testemunho de Jesus Cristo e da Expiação
• Como o apego às coisas materiais pode levar-nos a Esta sugestão didática gira em torno do testemunho de
perder a luz e a verdade do evangelho? Néfi, não das circunstâncias milagrosas a ele relaciona-
das. Caso os alunos não conheçam bem a história de
Peça aos alunos que passem os olhos por Helamã como Néfi profetizou o assassinato do juiz supremo
6:17–40 e identifiquem as atitudes que levaram as tre- e revelou quem o assassinou, peça a um aluno, com
vas, ou seja, a iniquidade, a alastrar-se entre os nefitas. antecedência, que conte os acontecimentos que cons-
Dê especial destaque aos versículos 27–30, 35 e 40. tam nos capítulos 8 e 9 de Helamã.
Peça-lhes que digam o que encontraram.
Utilize a seguinte declaração do Élder Russell M. Nel-
Peça aos alunos que leiam Helamã 6:1–4, 20, 36–37 son, do Quórum dos Doze Apóstolos (também dispo-
e comparem o comportamento dos nefitas ao dos nível no DVD que acompanha o curso A ):
lamanitas.
• Nessa época de grande iniquidade entre os nefitas, “Ao lerem o Livro de Mórmon, concentrem-se na
por que os lamanitas prosperavam nas coisas espiri- figura que é central do primeiro ao último capí-
tuais?  tulo do livro: o Senhor Jesus Cristo, o Filho do
• Qual era a diferença entre a forma de agir dos lama- Deus Vivo. (…)
nitas e a dos nefitas? Outros grandes profetas do Livro de Mórmon,
• Qual era a diferença entre a forma como os lamani- a sua própria maneira e a seu próprio tempo,
tas e os nefitas encaravam os ladrões de Gadiânton e prestaram testemunho da divindade do Senhor
as atitudes que tomaram quanto a eles? Jesus Cristo. Entre eles estavam o irmão de Jarede,
Zenoque, Neum e Zenos. Entre os testemunhos
Conclua as atividades desta sugestão didática com a
de Jesus Cristo anteriores a Seu nascimento em
leitura de Doutrina e Convênios 50:23–25. Você pode
Belém encontram-se registrados o do rei Ben-
pedir aos alunos que cruzem essa referência com
jamim, o de Abinádi, Alma, o pai, Alma, o filho,
Helamã 6:21 e Doutrina e Convênios 93:37–39.
Amuleque, o dos filhos de Mosias, do Capitão
Helamã 7; 8:1–12. “A Não Ser Que Vos Morôni, dos irmãos Leí e Néfi, e o de Samuel,
Arrependais, Perecereis” o lamanita. Em uma sequência aparentemente
Leia Helamã 7:1–9, 22–24 com os alunos. interminável de proclamações proféticas — o
testemunho de ‘todos os santos profetas’ [ Jacó 4:4]
• De acordo com esses versículos, o que levou Néfi a
por ‘muitos milhares de anos antes de sua vinda’
entristecer-se tanto?
[Helamã 8:18] — o Livro de Mórmon declara sole-
• De acordo com Néfi, qual era a única forma de os nemente que Jesus é o Cristo, o nosso Salvador e
nefitas escaparem da total destruição? Redentor” [Conference Report, outubro de 1999,
Leia Helamã 8:1–9 com os alunos. p. 87; ver também A Liahona, janeiro de 2000,
pp. 82–83 (tradução atualizada)].
• Como as pessoas reagiram às palavras de Néfi?
• Em sua opinião, por que, às vezes, quem é culpado
de alguma transgressão se enraivece quando ouve a Ajude os alunos a perceberem que, assim como muitos
verdade? Quais são as consequências espirituais de outros profetas, Néfi arriscou a vida para prestar teste-
agir assim? munho de Jesus Cristo e da Expiação.

143
Capítulo 36

Peça a um aluno que leia Helamã 8:13–15. • O que vocês veem no versículo 23 que pode ajudar-
nos a compreender por que esses profetas se arris-
Peça aos alunos que vejam a figura de Moisés com a
cavam a ser perseguidos, a correr perigo e a morrer
serpente de metal, na página 289 do manual do aluno.
para prestar testemunho do Salvador?
Sugere-se que você também peça que leiam Números
21:5–9 e 1 Néfi 17:41. • De que forma nosso testemunho se fortalece quando
lemos ou ouvimos o testemunho de profetas? (Ver
• Tudo o que os israelitas tinham a fazer para serem
D&C 46:13–14.)
curados era olhar para a serpente, mas muitos não
olharam por causa da “simplicidade do método” Fale de suas ideias e seus sentimentos sobre como o
(1 Néfi 17:41). Citem algumas coisas “simples” que testemunho, os conselhos e os mandamentos dados
foi-nos pedido que façamos para demonstrar fé em pelos profetas nos ajudam a aprender a “olhar para
Jesus Cristo?  o Filho de Deus com fé” e viver “para a vida eterna”
• Por que às vezes hesitamos em fazer coisas que (Helamã 8:15).
parecem simples demais? Copie no quadro a tabela abaixo, mas não inclua as
• Em Helamã 8:15 aprendemos que a serpente de explicações da coluna “Características dos Profetas”.
metal simbolizava Jesus Cristo e a Expiação. Como Peça aos alunos que leiam os versículos anotados na
podemos “olhar para o Filho de Deus com fé”? coluna da esquerda. Depois peça-lhes que anotem no
quadro as características dos profetas que encontra-
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de ram. Abaixo há uma lista de possibilidades, bem como
Helamã 8:16–23. algumas referências cruzadas que os alunos poderiam
• O que mais os impressiona no testemunho des- anotar nas escrituras.
ses profetas?

Escritura Características dos Profetas

Helamã 7:17–19 Sempre pregam o arrependimento (ver também Éter 9:28; D&C 6:9; 11:9).

Helamã 7:29 Transmitem a mensagem do Senhor (ver também Amós 3:7; D&C 1:38).

Helamã 8:1, 4, 7 Muitas vezes sua mensagem enraivece os iníquos (ver também 1 Néfi 16:1–3).

Helamã 8:13–16 Sempre prestam testemunho de Jesus Cristo (ver também Jacó 7:11).

Helamã 8:24 Existem outras coisas que mostram que sua mensagem é verdadeira (ver também
Alma 30:44).

Helamã 8:27–28 Eles profetizam ou dizem coisas que outras pessoas não sabem (ver também Mosias 8:17).

144
Capítulo 37 Helamã 10–12
Helamã 10–12

Introdução 1 Néfi 11:1), o Profeta Joseph Smith e Sidney Rigdon


(ver D&C 76:19) e o Presidente Joseph F. Smith (ver
Estudando as doutrinas e os princípios desta lição,
D&C 138:1–11).
você passará a ter mais consciência das bênçãos
magníficas que o Senhor está disposto a conceder aos Enquanto meditava no que o Senhor lhe havia reve-
filhos fiéis. Essas bênçãos não são concedidas ao acaso. lado, Helamã, filho de Néfi recebeu mais revelações
Uma forma de receber as bênçãos de Deus é meditar (ver Helamã 10:2–11).
em Suas verdades. A meditação leva à revelação. Ao • Em sua opinião, por que meditar ajuda-nos a rece-
estudar o exemplo do processo de meditar e receber ber revelações?
revelações deixado por Néfi, os alunos podem sentir-se
inspirados a fazer o mesmo. O exemplo de força e Enquanto os alunos discutem essa questão, leia
fidelidade de Néfi contrapõe-se à fraqueza dos nefitas a seguinte declaração do Élder Neal A. Maxwell
que se manifesta no final desse bloco de escrituras. ­(1926–2004), do Quórum dos Doze Apóstolos, acerca
do processo de reflexão. Prepare uma transparência ou
Sugere-se que, na parte da lição referente aos capítulos
cartaz com essa declaração ou que a copie no quadro
11 e 12 de Helamã, você utilize o vídeo “O Ciclo do
para que todos leiam.
Orgulho” (duração: 15 min 10s), que faz parte do DVD
Vídeo do Livro de Mórmon: Apresentações 1–19 (código
“Para a maioria de nós, meditar não é fácil. Medi-
54011 059). Assista ao segmento previamente e con-
tar é muito mais do que deixar os pensamentos
sulte as sugestões para o professor contidas no Guia de
vagarem ou sonhar acordado, pois em vez de
Vídeo do Livro de Mórmon (código 34810 059); também
nos entorpecer, implica em concentração e nos
disponível na página www​.LDSces​.org).
leva à ação. É preciso dedicar tempo, é preciso
Alguns Princípios e Doutrinas colocar-nos no ambiente certo e na disposição
• Refletir nas coisas do Senhor propicia as revelações certa para conseguir meditar. Parafraseando Alma,
(ver Helamã 10:1–4). precisamos ‘dar lugar’ a ela (Alma 32:27). O mais
importante não é quanto tempo dedicaremos à
• O poder selador é capaz de ligar ou desligar as coi-
meditação, mas o quanto nos concentraremos
sas na Terra e no céu (ver Helamã 10:4–10).
nela. Não é possível refletir quando outras coisas
• O Senhor castiga Seu povo para instigá-lo a lem- nos distraem” (That Ye May Believe, 1992, p. 183).
brar-se Dele (ver Helamã 10:14–18; 11; 12:1–3).
• Esquecer-se de Deus traz a destruição, o arrepen-
dimento e as boas obras trazem a salvação (ver Diga que, quando dedicamos tempo à meditação,
Helamã 12). abrimos a mente para reconhecer o que o Pai Celestial
quer de nossa vida.
Sugestões Didáticas Peça aos alunos que digam qual é a diferença entre
Helamã 10:1–4. Refletir nas Coisas do Senhor sonhar acordado e meditar. Escreva no quadro as
Propicia as Revelações seguintes categorias: Carreira, Serviço na Igreja, Estu-
Leia Helamã 10:1–4 com os alunos. Durante a leitura, dos e Casamento. Peça aos alunos que pensem em uma
chame a atenção dos alunos para os verbos refletir e dúvida, uma preocupação, um desafio ou problema
meditar. que tenham em uma dessas áreas e que tomem nota
disso. Enquanto eles fazem isso, escreva o seguinte no
• O que significa refletir?
quadro: Tarefa: Meditar sobre essa questão em casa e
Peça aos alunos que citem outras pessoas menciona- anotar as impressões que lhes vierem à mente. Depois,
das nas escrituras que receberam revelações por terem tomar atitudes que trarão resultados positivos.
refletido ou meditado nas palavras do Senhor. Alguns Dê alguns minutos para os alunos terminarem de
dos possíveis exemplos são, Helamã, filho de Leí (ver escrever e, depois, mostre-lhes a tarefa que você

145
Capítulo 37

colocou no quadro. Incentive-os a levarem essa tarefa Helamã 10:5. “Nada Pedirás que Seja Contrário
a sério, a encontrarem um lugar tranquilo para meditar a Minha Vontade”
e dedicarem algum tempo à meditação. Peça que alguém leia Helamã 10:4–5. Depois, leia a
Leia a seguinte declaração do Élder Dallin H. Oaks, do história das páginas 291–292 do manual do aluno,
Quórum dos Doze Apóstolos: sobre o que o Presidente Marion G. Romney aprendeu
com esses versículos. Leia a seguinte declaração do
Élder Neal A. Maxwell para resumir essa passagem das
“Necessitamos (…) de tranquilidade e fervorosa
escrituras:
reflexão se quisermos transformar a informação
em conhecimento e o conhecimento maduro em
sabedoria” [Conference Report, abril de 2001, p. “Parece-me que grande parte do processo de des-
107; ver também A Liahona, julho de 2001, p. 100 cobrir qual é a vontade do Pai Celestial e, então,
(tradução atualizada)]. moldar-nos a ela, consiste puramente em orar
(não em pedir). (…)

Quando aceitamos a vontade de Deus, Ele


Peça aos alunos que falem de ocasiões em que a refle-
derrama bênçãos especiais do céu sobre nós,
xão ajudou-os a receber orientação do Senhor.
como aconteceu com Néfi, filho de Helamã” (All
Helamã 10:4. Recebemos Grandes Bênçãos These Things Shall Give Thee Experience, 1979,
Quando Somos Infatigáveis na Obra do Senhor pp. 93–94).
Peça que alguém leia Helamã 10:4. Depois, peça aos
alunos que definam a palavra infatigável. Sugira que
• O que podemos fazer para descobrir o que Deus
eles consultem os cabeçalhos dos capítulos 5–9 de
deseja de nós?
Helamã à procura de exemplos.
• Que possíveis razões levavam Néfi a ser infatigável? Helamã 10:4–10. O Poder Selador É Capaz de
• Como podemos desenvolver essa característica? 
Ligar ou Desligar as Coisas na Terra e no Céu
Escreva no quadro: poder selador. Diga que Néfi rece-
Leia a seguinte declaração do Élder Neal A. Maxwell: beu o poder selador. Para ajudar os alunos a com-
preenderem isso, peça-lhes que leiam o que o Senhor
“Quando nos concentrarmos em Jesus e em Sua diz em Helamã 10:7–10. Depois, peça-lhes que abram
obra, tanto nossas alegrias como nossa capacidade o manual do aluno na página 293 e leiam o trecho
de perseverar aumentam. (…) Em vez de agir de do Guia para Estudo das Escrituras e a declaração do
forma egoísta e preocupar-se com sua própria Presidente Joseph Fielding Smith. Saliente que, no caso
vida, Néfi procurou fazer a vontade de Deus. Com de Néfi, esse poder incluía (1) a autoridade para reali-
isso ele não só teve mais energia como concen- zar na Terra ordenanças também válidas no céu e (2)
trou todas as suas forças em um só objetivo, o que o poder de controlar as forças da natureza. Diga que
lhe permitiu trabalhar incansavelmente. Néfi sabia nem todas as pessoas que recebem o poder selador
para onde ia pois estava voltado para Deus” (If recebem a capacidade de controlar a natureza.
Thou Endure It Well, 1996, p. 116).
• Como Néfi empregou o poder que tinha sobre as
forças da natureza? Por que ele lançou mão desse
• De acordo com o Élder Maxwell, o que podemos poder? (Ver Helamã 11:1–4.)
fazer para ser incansáveis na obra do Senhor? O poder para selar mencionado no versículo 7 inclui as
chaves para realizar as ordenanças de selamento que
permitem que os membros de uma família, se forem
fiéis, continuem juntos na eternidade.

146
Helamã 10–12

Utilize o seguinte comentário do Élder Russell M. • Que tipo de castigo o Senhor empregou para cha-
­Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos (também mar a atenção do povo?
­disponível no DVD que acompanha o curso A ): • De acordo com Helamã 12:3, muitas pessoas não se
lembram do Senhor a menos que Ele as castigue. Em
“Ao preparar-nos para receber a investidura e sua opinião, por que isso acontece?
outras ordenanças do templo, devemos com-
Ajude os alunos a perceber que os ciclos de castigo
preender a autoridade que tem o sacerdócio para
das escrituras que leram ocorreram em um período de
efetuar o selamento. Jesus referiu-se a essa auto-
menos de dez anos (ver Helamã 11:1, 35) e que o final
ridade quando há muito tempo ensinou a Seus
do capítulo 11 indica que o povo de Néfi mais uma vez
Apóstolos: ‘Tudo o que ligares na terra será ligado
voltou à iniquidade (ver Helamã 11:36–38).
nos céus’ [Mateus 16:19]. Essa mesma autoridade
foi restaurada nestes últimos dias. Assim como • Que lições nós podemos aprender com o que lemos
o sacerdócio é eterno, sem começo nem fim, o sobre o povo de Néfi?
mesmo acontece com os efeitos das ordenanças
Leia a seguinte declaração do Élder Glenn L. Pace, dos
do sacerdócio que unem as famílias para sempre”
Setenta (também disponível no DVD que acompanha o
(Conference Report, abril de 2001, p. 40; ou A Lia-
curso B ):
hona, julho de 2001, p. 37).

“Parece que o mundo inteiro está em comoção.


• Qual a influência do poder selador em sua vida? Os jornais estão cheios de notícias de fome, suble-
vações e catástrofes naturais. A longo prazo, o que
Helamã 10:14–18; 11 ; 12:1–3. O Senhor Castiga é ainda mais devastador é o furacão destruidor
Seu Povo para Instigá-lo a Lembrar-se Dele da desobediência aos mandamentos de Deus que
Peça aos alunos que pensem em uma ocasião em que assola o mundo. Essa horrível tormenta vem des-
receberam um castigo bem merecido de um dos pais truindo a integridade moral das nações da Terra e
ou algum professor ou líder da Igreja. deixando um rastro de devastação moral. Parece
• Como esse castigo afetou o seu comportamento? que muitas pessoas nem se apercebem desse fura-
ção e tornaram-se insensíveis a ponto de acharem
• De acordo com Doutrina e Convênios 95:1, a quem
que não há sequer uma brisa.
o Senhor castiga, e por que Ele faz isso?
Estamos em meio a um ciclo que se repetiu
Divida a turma em dois grupos. Dê a cada grupo um
diversas vezes no Livro de Mórmon. Como disse
destes blocos de escrituras (anote as seguintes referên-
o Senhor: ‘No dia de sua paz, trataram com
cias no quadro). Peça que os integrantes dos grupos
leviandade meus conselhos; mas, no dia de suas
discutam entre si as escrituras do bloco que lhes cabe
atribulações, buscaram-me por necessidade’
para descobrir por que o Senhor castiga Seu povo.
(D&C 101:8).

Helamã 10:14–18; 11:1–6 Portanto, não é de espantar que o Senhor per-


mita que sejamos arrancados da apatia da mesma
Helamã 11:24–37; 12:1–3
forma que as gerações anteriores” (Conference
Report, outubro de 1992, p. 13; ou Ensign, novem-
Depois de dar-lhes tempo suficiente para discutir essas bro de 1992, p. 12).
escrituras, promova um debate utilizando as seguintes
perguntas:
• O que as pessoas fizeram para que o Senhor as
castigasse?

147
Capítulo 37

Helamã 12. Esquecer-se de Deus Traz a Preste-lhes testemunho das bênçãos que o Senhor
Destruição; o Arrependimento e as Boas nos concede quando nos arrependemos e praticamos
Obras Trazem a Salvação boas obras.
Diga que em Helamã 12 encontramos lições relaciona-
Helamã 12:23–24. Por meio do Arrependimento
das aos 11 capítulos anteriores.
e das Boas Obras Recebemos a Graça de Deus
Peça aos alunos que vejam a ilustração da página 442 Peça que alguém leia Helamã 12:23–24.
do manual do aluno (ou trace um diagrama semelhante
• Em sua opinião, o que significa a expressão “graça
no quadro). Leia Helamã 12:1–6 com os alunos.
por graça”?
• Que elementos desse ciclo são mencionados nos
versículos 1–6? Durante o debate, peça aos alunos que abram o Guia
para Estudo das Escrituras e procurem o significado
• Como esse ciclo fica evidente nos capítulos anterio-
da palavra graça. Depois, peça-lhes que leiam 2 Néfi
res do livro de Helamã?
10:24 e 25:23 e Alma 24:11 e que cruzem essas referên-
• Em sua opinião, por que às vezes as pessoas se cias com Helamã 12:23–24.
esquecem do Senhor no exato momento em que
• Que palavras de 2 Néfi 10:24 e 25:23 e de Alma
Ele as abençoa?
24:11 referem-se ao que nós temos que fazer para
Leia a primeira declaração do Presidente Ezra Taft receber a graça do Senhor? (Algumas possíveis res-
Benson e a palavras do Presidente Harold B. Lee, na postas são: “reconciliai-vos com a vontade de Deus”,
página 295 do manual do aluno. “crença em Deus” e “depois de tudo o que puder-
• Por que o luxo e a prosperidade podem transfor- mos fazer”.)
mar-se em provas tão difíceis? Se os alunos não mencionarem este princípio, suge-
Leia a segunda declaração do Presidente Ezra Taft Ben- re-se que você o explique: A expressão “graça por
son, na página 296 do manual do aluno, bem como a graça” sugere uma troca. Por exemplo, quando nos
declaração do Élder Joe J. Christensen, na página 296. esforçamos por servir ao próximo, arrepender-nos e
praticar outras boas obras, em troca, o Senhor conce-
• Por que o orgulho é tão destrutivo? de-nos força e vigor espiritual para nos aperfeiçoar-nos
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de Helamã (ver D&C 93:12, 20). Essa expressão também indica um
12:7–19 à procura de exemplos da grandiosidade de processo gradual. Para cada graça que recebermos e
Deus. Dê-lhes tempo suficiente para terminar a leitura e, da qual fizermos bom uso, receberemos outra graça e
depois, peça-lhes que digam o que encontraram. assim continuaremos a aperfeiçoar-nos.

• Como a lembrança da grandiosidade de Deus pode Mencione a explicação do Élder David A. Bednar,
ajudar-nos a evitar o orgulho? O que mais podemos encontrada na página 297 do manual do aluno. Suge-
fazer para ser humildes em vez de orgulhosos? re-se também que você leia a declaração do Élder
Gene Cook, na página 297 do manual do aluno. Essas
Peça que turma leia Helamã 12:20–26. declarações também se encontram nos DVDs C D
• Nesses versículos que evidências encontramos de que acompanham o curso.
que o Senhor não quer que sejamos afastados de Incentive os alunos a, durante esta semana, escreverem
Sua presença ? sobre as graças que o Senhor lhes concedeu na vida
• Como esses versículos podem ajudar-nos a com- por guardarem os mandamentos.
preender algumas das coisas que precisamos fazer
para ser salvos?
• O que podemos fazer para lembrar-nos do Senhor
nos períodos em que somos abençoados?

148
Capítulo 38 Helamã 13–16
Helamã 13–16

Introdução “Uma mensagem dada por uma Autoridade Geral


Samuel, o profeta lamanita, é conhecido por ter na conferência geral — uma mensagem preparada
recebido proteção milagrosa quando pregava do alto sob a influência do Espírito para levar adiante o
da muralha que cercava a cidade de Zaraenla. Ele trabalho do Senhor — não é proferida para que
profetizou eventos e sinais específicos relacionados as pessoas gostem dela. É proferida para inspirar,
ao nascimento e à morte do Salvador. Assim como edificar, desafiar ou corrigir. É proferida para ser
Samuel admoestou os nefitas a prepararem-se para o ouvida sob a influência do Espírito do Senhor, e o
nascimento de Jesus Cristo, os profetas modernos aju- resultado desejado é que o ouvinte aprenda com
dam-nos a prepararmo-nos para a Segunda Vinda do o discurso e pelo Espírito o que deve fazer a esse
Salvador. Você pode ajudar os alunos a reconhecerem respeito” (“A Dedicação de Toda uma Vida”, Serão
os paralelos entre as mensagens dos profetas atuais e do SEI para os Jovens Adultos, 1º de maio de
a mensagem de Samuel e os paralelos entre a forma 2005, p. 1, www​.LDSces​.org, grifo do autor).
como o mundo recebe as mensagens dos profetas de
hoje e a forma como a mensagem de Samuel foi rece-
bida pelos nefitas. Peça aos alunos que sigam o exem- Leia Doutrina e Convênios 1:4–5 com a turma.
plo daqueles que acreditaram em Samuel e desfrutaram
• Esses versículos dizem que o Senhor nos advertiria.
as bênçãos da fé, do arrependimento e de passar por
De que forma isso acontece? 
uma mudança interior. 
Uma dos principais métodos que o Senhor emprega
Alguns Princípios e Doutrinas para advertir Seu povo são as palavras dos profe-
• Os profetas nos chamam ao arrependimento (ver tas. Samuel, o lamanita, foi um profeta enviado pelo
Helamã 13). Senhor para advertir os nefitas de que seriam destruí-
• Os profetas dão testemunho da vinda de Cristo e dos se não se arrependessem. Peça que metade da
ensinam o que fazer para preparar-nos para ela turma leia Helamã 13:1–6 para descobrir (1) como o
(verHelamã 14). Senhor alertou Samuel e (2) o que as pessoas preci-
savam fazer para dar ouvidos à advertência recebida.
• A verdadeira conversão fica evidente por meio de
Peça que os demais alunos leiam Helamã 13:7–11
uma vida inteira de fidelidade (ver Helamã 15:7–16).
para descobrir (1) o que as pessoas perderiam e o
• Quando as pessoas endurecem o coração, permitem que enfrentariam se não se arrependessem e (2) o
que Satanás obtenha grande poder sobre elas (ver que aconteceria se atendessem à advertência. Depois
Helamã 16:13–25). de dar-lhes tempo suficiente para ler, peça-lhes que
formem duplas e discutam o que encontraram. Depois,
Sugestões Didáticas dê-lhes a oportunidade de falar daquilo que aprende-
Helamã 13. Os Profetas Chamam-nos ao ram ao restante da turma. Sugere-se que, à medida que
Arrependimento os alunos falarem, você anote resumidamente as ideias
Pergunte aos alunos se eles se lembram de alguma no quadro.
ocasião em que eles (ou algum conhecido) tenham
Espalhe pedrinhas pelo chão, exceto em uma faixa
sido alertados de algum perigo e, depois, tenham
estreita, de modo a formar um caminho em que se
ficado sabendo que por terem atendido ao alerta nada
possa andar sem pisar nas pedrinhas. Peça que dois
de mal lhes aconteceu. (Alguns possíveis exemplos
alunos se ofereçam para participar. Vende os dois.
são: prestar atenção às advertências encontradas em
Peça-lhes que girem várias vezes até perderem o senso
rótulos de remédios, atender às indicações das placas
de direção. Depois, diga-lhes que tirem o calçado. Per-
de trânsito, dar atenção a um alerta dos pais ou de
gunte a um dos alunos vendados se confiaria no outro
um amigo, etc.) Leia a seguinte declaração do Élder
aluno vendado para guiá-lo pelo caminho.
­Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos:

149
Capítulo 38

Peça a um aluno que leia Helamã 13:29. Depois peça Peça que alguém leia Helamã 13:38.
aos alunos que retirem a venda e voltem a sentar-se.
• O que esses versículos nos ensinam quanto ao arre-
• A que elementos da vida as pedrinhas são pendimento?
comparáveis? • Que passagem de domínio de escritura nos alerta a
• Citem alguns exemplos de “guias cegos” em que as não deixar o nosso arrependimento para depois? (Se
pessoas confiam. os alunos não se lembrarem de Alma 34:32–34    ,
• Em que ocasião vocês já foram guiados por um mencione essa passagem.)
caminho seguro? Leia o seguinte conselho do Presidente Gordon B.
Peça que metade da turma estude Helamã 13:17–23, Hinckley (1910–2008), 15º presidente da Igreja, no qual
em silêncio. Peça-lhes que procurem os perigos da ele dirige-se especificamente a quem luta com o vício
riqueza e as instruções que precisamos seguir para da pornografia. As palavras importantes relacionadas a
escapar desses perigos. Peça-lhes que falem da influên- essa escritura citada acima estão em itálico.
cia que o mau uso das riquezas tem sobre as pessoas.
“Todos os que estão nas garras desse vício, ajoe-
Peça que os demais alunos estudem Helamã 13:24–29
lhem-se na privacidade de seu quarto e supliquem
e 2 Néfi 9:28    . Peça-lhes que examinem como as
a ajuda do Senhor para livrá-los desse monstro
pessoas da época de Samuel racionalizaram para rejei-
maligno. Caso contrário, essa mancha imunda
tar os profetas.
continuará com vocês nesta vida e até mesmo
Depois, dê-lhes a oportunidade de falar daquilo que na eternidade. Jacó, o irmão de Néfi, ensinou:
aprenderam ao restante da turma. ‘E acontecerá que, quando todos os homens
Sugere-se que, durante o debate, você ajude os alunos tiverem passado desta primeira morte para a
a aplicarem as palavras de Samuel registradas em vida, tornando-se imortais (…) os justos ainda
Helamã 13:24–29. Caso decida fazer isso, saliente que serão justos e os imundos ainda serão imundos  ’
apesar de nós mesmos não termos expulsado nem (2 Néfi 9:15–16).
matado os profetas, podemos aplicar algumas das O Presidente Joseph F. Smith, em sua visão da
advertências de Samuel a nós mesmos. visita do Salvador aos espíritos daqueles que
• Citem algumas coisas específicas que o atual presi- haviam falecido, viu que ‘aos iníquos, porém, não
dente da Igreja tenha-nos aconselhado a fazer. Citem se dirigiu; e entre os ímpios e os impenitentes, que
algumas coisas específicas que ele tenha-nos aconse- se corromperam enquanto estavam na carne, sua
lhado a não fazer.  voz não se fez ouvir’ (D&C 138:20)” (Conference
Report, outubro de 2004, p. 66; ou A Liahona,
Peça aos alunos que meditem em silêncio sobre como
novembro de 2004, p. 62).
responderiam às seguintes perguntas:
• O que vocês já fizeram para seguir os conselhos do
profeta vivo? Que bênçãos vocês já receberam por • O que o Presidente Hinckley, Jacó e o Presidente
seguir os conselhos do profeta? No que vocês pode- Joseph F. Smith ensinaram quanto às pessoas que
riam melhorar? não se arrependem de seus pecados?

Leia a seguinte declaração do Presidente Henry B.


Helamã 13:38. Procrastinar o Arrependimento
Traz Infelicidade Eyring, da Primeira Presidência, mas antes de ler, peça
aos alunos que prestem atenção e descubram dois
Anote estas referências de escritura no quadro: “Pas-
motivos pelos quais não devemos deixar o arrependi-
sou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos”
mento para depois:
( Jeremias 8:20).
• Em sua opinião, o que isso significa?

150
Helamã 13–16

• De acordo com Helamã 14:12–13, o que Samuel


“A quem agora se encontra em grave pecado disse às pessoas que fizessem para prepara-
ocorrerá um pensamento mais ou menos assim: rem-se para o nascimento, ou primeira vinda,
‘Bem, já que o arrependimento é tão difícil, prefiro de Jesus Cristo?
continuar pecando. Mais tarde, quando eu preci-
• O que os líderes da Igreja nos ensinam quanto
sar de perdão, posso arrepender-me uma vez só’.
a como preparar-nos para a Segunda Vinda de
Isso é uma grande tolice. Vou explicar o porquê: Jesus Cristo?
Primeiro, as pessoas que deixam o arrependi-
mento para depois podem não ter tempo de Helamã 14:15–19. Jesus Cristo Nos Redime
da Morte Física e da Morte Espiritual
arrepender-se; e, segundo, continuando a pecar,
só encontrarão mais tristeza em vez da felicidade Pergunte aos alunos:
que desejam, mas que não conseguem encontrar. • Quais são os dois tipos de morte que todos enfren-
Lembrem-se da advertência de Samuel, o lama- tam? (A morte física e a espiritual.)
nita [ver Helamã 13:38” (To Draw Closer to God: A • Será que a Expiação de Jesus Cristo redime incon-
Collection of Discourses, 1997, p. 65). dicionalmente toda humanidade do efeito da morte
física que a Queda de Adão trouxe ao mundo? (Sim.
Ver I Coríntios 15:20–22    .)
Peça aos alunos que meditem sobre as seguintes
­questões: Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
• Quais são os perigos de procrastinar o arrependi- Helamã 14:15–19 e encontrem os trechos em que
mento? Samuel fala de dois tipos de morte espiritual. Ajude
os alunos a compreenderem que a primeira morte
• Que bênçãos recebemos quando somos obedientes
espiritual, conforme a definição de Samuel, foi o fato
e nos arrependemos prontamente ao pecar?
de termos sido afastados da presença de Deus. Samuel
Helamã 14. Os Profetas Dão Testemunho da chamou essa morte espiritual de “primeira morte”
Vinda de Cristo e Ensinam o que Fazer para (Helamã 14:16). Assim como acontece com a morte
Preparar-nos para Ela física, todos passam por essa primeira morte espiritual
Certas partes de Helamã 14 relativas às profecias de como resultado da Queda (ver Helamã 14:16). Quando
Samuel quanto à morte de Cristo são abordadas em viemos para a Terra, deixamos a presença de Deus. A
uma das sugestões didáticas do capítulo 40 deste Expiação de Jesus Cristo resgata a todos incondicional-
manual. Leia esta sugestão didática e decida se prefere mente dessa morte espiritual, pois todos serão levados
empregá-la aqui. de volta à presença de Deus para serem julgados (ver
Helamã 14:17; ver também 2 Néfi 2:9–10; 9:15, 22, 38;
Peça aos alunos que abram o manual do aluno na Alma 11:43–44).
página 300 e vejam os quadros que ali se encontram.
Dependendo do tamanho da turma, peça aos alunos Já no caso da segunda morte espiritual, as pessoas
que formem duplas ou vários grupos pequenos. Peça- novamente são separadas “das coisas concernentes à
lhes que leiam as escrituras mostradas nos quadros retidão” (Helamã 14:18). Essa morte espiritual é resul-
relacionadas ao nascimento e à morte do Salvador, tado de nossos próprios pecados. A Expiação de Jesus
bem como ao que Samuel ensinou quanto a como Cristo pode resgatar-nos dessa morte se cumprirmos
preparar-se para a vinda de Cristo. Sugira-lhes que certas condições: se nos arrependermos de nossos
cruzem a referência de Helamã 14 com os versículos pecados e recebermos as ordenanças de salvação
correspondentes de Helamã 16 e de 3 Néfi 1, 2, 8 e 23. teremos permissão para continuar na presença de
Depois que eles examinarem os quadros, peça-lhes Deus depois de nosso julgamento.
que discutam as seguintes questões:

151
Capítulo 38

Helamã 15:7–16. A Verdadeira Conversão alunos o que eles acham que virá depois da palavra
Fica Evidente por Meio de uma Vida entretanto. Depois das respostas, leia o versículo 15
Inteira de Fidelidade com a turma.
Peça aos alunos que estudem Helamã 15:7–9, em silên-
• Como vocês explicariam o que é uma pessoa de
cio, e encontrem os elementos do processo de conver-
coração duro?
são. Depois de lhes dar dois ou três minutos para ler
• De acordo com os versículos 22–23, como o fato
e meditar, peça-lhes que digam o que encontraram.
de os nefitas terem endurecido o coração os
Anote as ideias dos alunos no quadro. Se preciso,
influenciou?
peça-lhes que debatam as seguintes questões:
• Que coisas já lhes foram úteis para impedir que
• De acordo com o versículo 7, aonde o estudo e a
Satanás obtenha poder sobre seu coração?
crença sincera nas escrituras nos leva?
• Quão sincera e duradoura foi a mudança dos lama- Leia 3 Néfi 9:20 com os alunos.
nitas? (Ver versículo 9.) • Quais são as diferenças entre uma pessoa de “cora-
ção quebrantado” e alguém duro de coração? 
Peça aos alunos que ponderem, em silêncio, as seguin-
tes questões: • Que bênçãos são concedidas a quem tem o coração
quebrantado e o espírito contrito?
• O que vocês podem fazer para passarem por uma
“mudança no coração”? • Como a influência do Espírito Santo ajuda-nos a
resistir à influência de Satanás?
• Ponderem sobre como o versículo 9 se aplica a sua
vida. Será que existem “armas de guerra” que vocês Peça aos alunos que falem do que acham que pode-
precisam enterrar? mos fazer para cultivar a humildade e o desejo de ser
• O que vocês poderiam fazer para aumentarem sua fé influenciado pelo Espírito Santo todos os dias.
a ponto de terem “medo de pecar”?  Helamã 16:16–21. Os Orgulhosos Recusam-se a
Peça a um aluno que leia Helamã 15:10–16. Seguir o Profeta
Peça aos alunos que leiam Helamã 16:16–21 à procura
• Que promessa o Senhor fez em relação aos descen-
das desculpas que os desobedientes criaram para não
dentes desses lamanitas que se converteram?
acreditar nas palavras de Samuel. Depois de dar-lhes
• Por que o Senhor prometeu aos lamanitas que seu alguns minutos para estudar os versículos, peça-lhes
povo não seria destruído? (Ver Helamã 15:14–17.) que digam o que encontraram. Anote as respostas
no quadro.
Helamã 16:13–25. Quando as Pessoas
Endurecem o Coração, Permitem Que Satanás • Que variações desses argumentos são usados atual-
Obtenha Grande Poder sobre Elas mente para resistir ao profeta?
Peça que todos os alunos fechem as escrituras. Depois, • Como podemos saber se nós, individualmente, esta-
peça a um deles que abra as escrituras e leia Helamã mos começando a rejeitar as palavras do profeta?
16:13–14 enquanto os demais escutam. Pergunte o que
os alunos acham que acontece no versículo seguinte. Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 21:4–5.

• Em sua opinião, como as pessoas de hoje encara- • O que podemos fazer para receber as palavras do
riam a mensagem de um profeta caso vissem anjos profeta “com toda a paciência e fé”? 
e outros grandes sinais? Leia a seguinte declaração do Élder Russell M. Nelson,
Peça ao aluno que está com as escrituras abertas que do Quórum dos Doze Apóstolos:
leia a primeira palavra do versículo 15. Pergunte aos

152
Helamã 13–16

• O que significa colocar pontos de exclamação


“Tenho por experiência que, quando deixamos em vez de pontos de interrogação nos conselhos
de colocar um ponto de interrogação nos pronun- do profeta?
ciamentos do profeta e, em vez disso colocamos
pontos de exclamação e seguimos seus conselhos,
recebemos bênçãos em profusão” (Lane Johnson,
“Russell M. Nelson: Um Exemplo de Obediência”,
ver A Liahona, abril de 1983, p. 26).

153
Capítulo 39
Capítulo 39
3 Néfi 1–7

Introdução Peça que alguém leia 3 Néfi 1:4–9.

Existem muitos paralelos entre o que ocorreu na Amé- • Que motivo os iníquos alegaram para perseguir os
rica antes da aparição de Cristo e a época que precede justos apesar dos muitos sinais e milagres que se
a Segunda Vinda. Por exemplo, a iniquidade aumentou viram entre o povo?
antes da aparição do Senhor no continente americano, • Por que normalmente os sinais não convencem os
mas muitas pessoas continuaram fiéis. Você e seus alu- iníquos a mudar? (Ver D&C 63:7–11).
nos podem estar entre os que permanecerão fiéis ape-
sar do aumento da iniquidade antes da Segunda Vinda Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
do Senhor. As condições reinantes e os acontecimentos 3 Néfi 1:10{–14.
descritos nesses capítulos são comparáveis às condi- • O que o Salvador disse que mostraria ao mundo
ções reinantes e aos acontecimentos dos últimos dias, e quando viesse ao mundo? (Ver os versículos 13 e14.
identificando essas coisas os alunos podem preparar-se Mostraria que cumpriria tudo o que fora predito
melhor para serem fiéis durante toda a vida.  pelos profetas e tudo o que Ele mesmo revelara
desde a fundação do mundo.)
Alguns Princípios e Doutrinas • Como o cumprimento de uma profecia fortalece
• Sinais e milagres são recompensas para os fiéis e
a fé?
proclamam a vinda do Salvador (ver 3 Néfi 1:4–23).
Peça que alguém leia 3 Néfi 1:15–21.
• Os discípulos de Jesus Cristo vivem de acordo com
os ensinamentos do Salvador (ver 3 Néfi 5:13–15). • Em sua opinião, por que os descrentes a princípio
• A conversão plena nos torna capazes de perseverar tiveram medo em vez de ter fé?
até o fim (ver 3 Néfi 6–7). • Os sinais do nascimento do Salvador fizeram com
que a luz do céu iluminasse a Terra. Por que a
Sugestões Didáticas luz é um bom símbolo da vinda de Jesus Cristo
3 Néfi 1–7. Existem Muitos Paralelos entre a ao mundo?
História Nefita e os Dias de Hoje • Como a fé no Salvador ilumina a vida das pessoas?
Peça que alguém leia a declaração do Presidente Ezra
Leia 3 Néfi 1:22–23.
Taft Benson, na página 305 do manual do aluno. Peça
aos alunos que leiam o cabeçalho dos capítulos 1–7 • O que fez com que houvesse paz depois dos sinais
de 3 Néfi à procura de semelhanças com nossa época. do nascimento do Salvador?
Peça-lhes que digam o que encontraram. Durante o
Peça aos alunos que releiam 3 Néfi 1:8.
debate, ajude os alunos a perceberem como a oposição
de Satanás é acirrada antes da segunda vinda do Salva- • O que esse versículo ensina quanto a como deve-
dor. Diga que, se estudarmos 3 Néfi 1–7 e aplicarmos mos aguardar os sinais atualmente?
os princípios contidos nessas escrituras, poderemos • Em sua opinião, o que significa “aguardar firme-
compreender os sinais que anunciaram a vinda do Sal- mente”?
vador aos nefitas e preparar-nos para a Segunda Vinda. • Como esses versículos podem ajudar-nos a preparar-
3 Néfi 1:4–23. Sinais e Milagres São Recompensas nos para a Segunda Vinda de Jesus Cristo?
para os Fiéis e Proclamam a Vinda do Salvador Ajude os alunos a compreenderem que não é possível
Peça aos alunos que mencionem personagens das aguardar firmemente se não soubermos o que aguar-
escrituras que viram grandes milagres, graças à fé damos. Incentive-os a sempre procurar as profecias da
que tinham. Segunda Vinda de Jesus Cristo ao estudarem as escri-
• Como um milagre fortalece quem já é fiel? turas e a prestarem muita atenção aos acontecimentos
registrados em 3 Néfi, pois são um modelo do que
acontecerá nos últimos dias.

154
3 Néfi 1–7

Leia e debata 3 Néfi 1:4–9. Peça aos alunos que pen-


sem no que fariam se hoje os membros da Igreja se Preparativos de Paralelos Modernos
vissem ameaçados. Peça-lhes que meditem as seguintes Laconeu
questões em silêncio: Orar pedindo forças Orar pedindo forças
• Vocês permaneceriam fiéis?
Laconeu chamou o povo Os líderes da Igreja nos
• Vocês já tiveram alguma experiência que os fortale- ao arrependimento chamam ao arrependi-
ceriam em seu empenho de permanecer fiéis? mento

Edificaram uma fortaleza Edificar um testemunho


3 Néfi 3. Os Justos Não Temem as Ameaças forte
dos Iníquos
Antes de ensinar 3 Néfi 3, sugere-se que você faça um Reuniram todos em um Reunir-nos para forta-
só lugar lecer-nos; reunir-nos no
resumo da última parte de 3 Néfi 1 e todo o capítulo Dia do Senhor.
2 de 3 Néfi da seguinte maneira:
Reuniram-se no centro Evitar ambientes peri-
Depois que o povo viu os sinais milagrosos do nas- do país gosos
cimento do Salvador, Satanás começou a “espalhar
mentiras entre o povo”, mas “a maior parte do povo Reuniram provisões para Preparação material
todo o povo
acreditou e foi convertida ao Senhor” (3 Néfi 1:22).
Contudo, em poucos anos muitas pessoas, princi-
palmente os jovens passaram a admirar-se “cada vez 3 Néfi 5:13–15. Os Discípulos de Jesus Cristo
menos com qualquer sinal ou maravilha dos céus, de Vivem de Acordo com os Ensinamentos do
modo que começaram a ficar duros de coração e cegos Salvador
de entendimento e começaram a duvidar de tudo Peça a alguém que leia 3 Néfi 5:13.
quanto haviam ouvido e visto” (3 Néfi 1:30; 2:1), “e por
Escreva no quadro: Discípulo de Cristo.
causa da iniquidade do povo de Néfi e de suas muitas
contendas e dissensões, os ladrões de Gadiânton obti- • De acordo com esse versículo, qual é o papel dos
veram muitas vantagens” (3 Néfi 2:18). discípulos de Cristo? Quais são algumas maneiras de
desempenharmos esse papel?
Peça aos alunos que releiam a carta de Gidiâni a Laco-
neu em 3 Néfi 3:1–10. Peça-lhes que procurem as frases Enquanto os alunos discutem essa questão, peça-lhes
com que Gidiâni tentou intimidar ou assustar Laconeu. que consultem a página 308 do manual do aluno.
Sugere-se que você anote as respostas no quadro.
• Como as estratégias que Satanás utiliza hoje são
[Observe que um “discípulo” é um seguidor (ver D&C
semelhantes a essa?
41:5]. Contudo, é possível que ao referir-se a si mesmo
• De acordo com os versículos 11–12, como Laconeu como discípulo, Mórmon se referisse a seu chamado
reagiu a essa carta? em que liderava o povo com autoridade apostólica,
Escreva no quadro: Preparativos de Laconeu e Parale- como também é o caso dos dozes discípulos nefitas
los atuais. Peça aos alunos que procurem nos versí- citados em 3 Néfi 12:1. Em 3 Néfi 5:13, Mórmon atesta
culos 12–25 os preparativos que Laconeu e seu povo que recebera autoridade para declarar a palavra do
fizeram para garantir a própria segurança. Peça aos Senhor ao povo.]
alunos que anotem no quadro o que encontrarem, na • De acordo com 3 Néfi 5:14–15, qual era a motivação
coluna Preparativos de Laconeu. Depois, peça aos alu- de Mórmon e o que orientava suas ações?
nos que anotem na coluna Paralelos modernos suges-
tões de como aplicar cada um desses preparativos aos Para ajudar os alunos a compreenderem que também
dias de hoje. Quando eles terminarem, é possível que podemos receber o chamado de discípulos, peça-lhes
o quadro fique mais ou menos assim: que leiam Doutrina e Convênios 4:3–5.

155
Capítulo 39

• O que precisamos para ser “chamados ao trabalho”, um aluno leia 3 Néfi 7:7–8, que fala da situação desse
ou seja, para ser discípulos? mesmo grupo seis anos depois. Peça aos alunos que
• O que nos qualifica para o trabalho? citem palavras que descrevam os nefitas de seis anos
depois. Escreva o seguinte no quadro:
Dê a alguns alunos a oportunidade de se expressarem
ou prestarem testemunho do que significa ser discípulo
Não havia nada que impedisse sua prosperidade
de Cristo na opinião deles.
a não ser …
3 Néfi 6–7. A Conversão Plena Nos Torna (ver 3 Néfi 6:4–5, 10–18, 20, 23, 27–30)
Capazes de Perseverar Até o Fim
Sugira aos alunos que abram a declaração do Élder
Richard G. Scott, na página 311 do manual do aluno. Peça aos alunos que procurem nesses versículos as
(Essa declaração também se encontra no DVD que palavras ou frases que indicam o que impediu o pro-
acompanha o curso A . Caso você pretenda utilizar o gresso espiritual daquele povo. Anote as respostas dos
DVD, assista ao segmento de vídeo com antecedência alunos no quadro. Ajude-os a ver que apesar de, em
para preparar-se para interrompê-lo para debate em certo momento, essas pessoas terem acreditado, suas
momentos adequados.) más ações levaram-nas a esquecer o testemunho que
tinham e a voltarem à iniquidade. 
Peça aos alunos que leiam (ou escutem) os três pri-
meiros parágrafos. Antes de ler, peça aos alunos que Recorra outra vez à declaração do Élder Richard G.
procurem as respostas das seguintes perguntas: Scott encontrada no manual do aluno ou no DVD que
acompanha o curso. Peça aos alunos que leiam ou
• Qual é a diferença entre quem se converte e quem escutem o último parágrafo. Peça-lhes que identifi-
não se converte? quem os elementos essenciais da conversão plena que
• Qual é a diferença entre converter-se e obter um evitam que sucumbamos às influências da sociedade
testemunho da verdade? capazes de destruir nossa fé.
Peça aos alunos que tenham essas respostas em mente Incentive os alunos a cultivarem o ciclo de conversão
ao estudarem e discutirem 3 Néfi 6–7. por meio da fé em Jesus Cristo, do arrependimento e
da obediência constante. Você pode encerrar com seu
Peça a alguém que leia 3 Néfi 5:1–3. Peça aos alunos
testemunho das bênçãos que recebeu graças a esses
que citem palavras que descrevam os nefitas da época
princípios.
a que esses versículos se referem. Depois, peça que

156
Capítulo 40 3 Néfi 8–11
3 Néfi 8–11

Introdução Sugestões Didáticas


A aparição de Jesus Cristo na América antiga é prova 3 Néfi 8. Todas as Profecias Feitas pelos Profetas
de que Deus cumpre Suas promessas e de que a de Deus Serão Cumpridas
Ressurreição de Jesus Cristo aconteceu de fato. O Antes de analisar os detalhes da destruição descrita em
Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apósto- 3 Néfi 8, saliente que Samuel, o lamanita, profetizou a
los disse: devastação que ocorreria na América por ocasião da
“O Filho falou com uma voz que penetrava até o morte do Salvador em Jerusalém. Peça aos alunos que
âmago e disse simplesmente: ‘Eu sou Jesus Cristo, atentem para a importância que Mórmon deu ao regis-
cuja vinda ao mundo foi testificada pelos profetas’. tro do cumprimento dessas profecias (ver 3 Néfi 10:14)
[3 Néfi 11:10.] e a como o próprio Senhor salientou o cumprimento
das profecias ao dizer: “as escrituras relativas a minha
Essa aparição e essa declaração constituem o ponto
vinda cumpriram-se” (3 Néfi 9:16).
central, o momento supremo de toda a história do
Livro de Mórmon. (…) Peça aos alunos que comparem 3 Néfi 8:3 e 3 Néfi 8:4.

Todos falaram a Seu respeito, louvaram-No, sonharam • Em sua opinião, por que algumas pessoas deixaram
com Ele e oraram pedindo que Ele viesse, e agora que “grandes dúvidas e disputas” tomassem o lugar
Ele estava mesmo ali. Que dia glorioso!” (Christ and da grande expectativa com que aguardaram o sinal?
the New Covenant: The Messianic Message of the Book • Como isso se aplica a nós?
of Mormon, 1997, pp. 250–251.) 
Observação: Caso tenha abordado em detalhes as pro-
Com o estudo desse bloco de escrituras, os alunos fecias de Samuel, o lamanita, no capítulo 38, sugere-se
verão que as palavras dos profetas se cumprem e, por que você só fale delas brevemente nesta lição.
meio da história de outros, viverão a experiência de
Peça aos alunos que formem grupos de três ou quatro.
quem esteve com o Salvador quando Ele apareceu na
Escreva o seguinte no quadro:
terra de Abundância e seu testemunho da Ressurreição
de Jesus Cristo aumentará. 
Profecias de Samuel Cumprimento
Alguns Princípios e Doutrinas
Helamã 14:20–27 3 Néfi 8:5–23
• Todas as profecias feitas pelos profetas de Deus
serão cumpridas (ver 3 Néfi 8).
• O Senhor receberá todos os que se achegarem a
Ele com o coração quebrantado e o espírito contrito
(ver 3 Néfi 9:13–22).
• A aparição de Jesus Cristo na América demons-
tra que Ele trabalha ativamente em ministrar aos
homens e que a Ressurreição de fato ocorreu (ver
3 Néfi 11:1–17).
• A fé, o arrependimento, o batismo e o dom do Espí-
rito Santo constituem a doutrina de Cristo (ver 3 Néfi
Peça que os grupos leiam Helamã 14:20–27 e des-
11:31–41).
cubram o que Samuel, o lamanita, profetizou quanto
à morte de Cristo. Depois, peça-lhes que leiam
3 Néfi 8:5–23 e descubram como essas profecias se

157
Capítulo 40

cumpriram. Se desejar, sugira aos alunos que cruzem a olhos por 3 Néfi 9:5–12 para identificar as palavras que
referência dessas duas passagens na margem das escri- descrevem a destruição dos iníquos.
turas. Peça aos alunos que descubram quantos anos
• Como o Senhor comprova as palavras dos profetas?
se passaram entre essas profecias e seu cumprimento.
(Aproximadamente 40 anos.) 3 Néfi 9:13–22. O Senhor Receberá Todos
Depois de dar aos alunos tempo para comparar esses
os Que Se Achegarem a Ele com o Coração
Quebrantado e o Espírito Contrito
blocos de escritura, peça que cada grupo escreva um
ou dois princípios aprendidos com esses eventos. Peça aos alunos que imaginem que estão entre as
Peça que os grupos digam ao restante da turma o que pessoas que ouviram a voz do Salvador em 3 Néfi 9.
escreveram. Depois, peça-lhes que façam a leitura silenciosa dos
versículos 13–22. Peça-lhes que contem quantas vezes
Para ajudar os alunos a perceberem como aplicar essas o Senhor chamou as pessoas a achegarem-se a Ele.
escrituras, faça as seguintes perguntas:
• O que podemos aprender com o fato de o Senhor
• Quais são algumas profecias em que nós, membros ter feito esse chamado repetidas vezes?
da Igreja, acreditamos e que outras pessoas rejei-
• Revise 3 Néfi 9:14. Em que ocasiões vocês já senti-
tam? (Anote as respostas no quadro. É possível que
ram que o braço de misericórdia do Senhor estava
sejam citadas a Restauração do evangelho na época
estendido para vocês?
atual, a edificação da Nova Jerusalém, a reunião em
Adão-ondi-Amã e a pregação do evangelho em todo • Que bênçãos vocês receberam do Senhor ao volta-
o mundo.) rem-se para Ele?

• Em sua opinião, por que algumas pessoas não acei- Diga que Jesus Cristo deixou bem claro que o sacrifício
tam essas profecias? de animais devia ser abolido e que Seus seguidores
deveriam oferecer em sacrifício “um coração quebran-
Peça a um aluno que leia D&C 1:38    . Assegure-lhes
tado e um espírito contrito” (ver 3 Néfi 9:19–20).
que todas as profecias contidas nas escrituras bem como
as palavras dos profetas modernos serão cumpridas. Antes de falar da oferta de um coração quebrantado e
um espírito contrito em sacrifício, recapitule o propó-
Conclua esta atividade fazendo as seguintes perguntas:
sito dos sacrifícios de animais e o motivo pelo qual
• Como ler sobre esses acontecimentos ajuda-nos na o Salvador disse que não aceitaria mais qualquer dos
preparação para a Segunda Vinda? sacrifícios e holocaustos de animais (ver 3 Néfi 9:19).
• O que podemos fazer para que nossa fé continue Explique-lhes que a lei de Moisés exigia a oferta de
forte enquanto esperamos pelo cumprimento das sacrifícios de animais. Essas ofertas simbolizavam a
profecias? Expiação (ver Moisés 5:5–8; ver também 2 Néfi 25:24).
Depois da Expiação de Jesus Cristo, o sacrifício de
3 Néfi 9:5–12. Deus Considerará os Iníquos animais deixou de ser necessário. Amuleque ensi-
Responsáveis por Seus Atos nara essa verdade anos antes, ao dizer que o sangue
Às vezes as pessoas duvidam que Deus Se lembre das derramado pelo Cordeiro de Deus seria o “grande e
atrocidades que os maus cometem contra os bons. Por último sacrifício” e que seria “infinito e eterno” (Alma
exemplo, quando o rei Noé ordenou que Abinádi fosse 34:10). Ele disse: “É necessário que haja um fim para o
queimado (ver Mosias 17) ou quando os profetas eram derramamento de sangue; então será cumprida a lei de
apedrejados até a morte (ver 3 Néfi 7:19) talvez as Moisés” (Alma 34:13). Os justos contavam com o fim
pessoas esperassem que Deus punisse os maus imedia- do sacrifício de animais depois que o Filho de Deus
tamente. Deus considera os iníquos responsáveis por vertesse Seu sangue em sacrifício.
suas ações, mas Ele faz justiça a Sua própria maneira
• De acordo com 3 Néfi 9:19–20, que sacrifício o
e a Seu próprio tempo. Peça que os alunos passem os
Senhor exige de nós? (Ver também Ômni 1:26.)

158
3 Néfi 8–11

• Em sua opinião, o que significa ofertar “um coração Jesus Cristo quando Ele esteve na América. Depois,
quebrantado e um espírito contrito” em sacrifício? faça algumas destas perguntas ou todas elas:

Peça aos alunos que leiam a declaração do Élder • Como as pessoas reagiram quando o Salva-
D. Todd Christofferson, na página 315 do manual do dor ­apareceu?
aluno, durante o debate dessas questões. Essa decla- • O que lhes passou pela mente e o que sentiram
ração também se encontra no DVD que acompanha o enquanto ouviam essa história?
curso A . Peça aos alunos que pensem no que farão
• Como vocês acham que se sentiriam se estivessem
para oferecerem a Deus “um coração quebrantado e
mesmo lá?
um espírito contrito” de forma mais plena. Você pode-
ria sugerir que eles anotassem as próprias ideias. Peça que alguém releia 3 Néfi 11:11 e que outra pessoa
leia D&C 19:16–19    .
• Como podemos fazer essa oferta ao Senhor de
forma mais plena? • Como o Salvador descreveu Seu sofrimento?
• Como podemos demonstrar gratidão ao Salvador
Peça aos alunos que voltem a 3 Néfi 9:20.
pelo que sofreu por nós?
• O que o Senhor promete-nos se Lhe ofertarmos o
coração quebrantado e o espírito contrito? Peça que alguém leia 3 Néfi 11:14–15.
• O que esses versículos esclarecem quanto ao
Conclua com o seguinte pensamento do Élder Neal A.
alcance da missão do Salvador? O que podemos
Maxwell (1926–2004), do Quórum dos Doze Apóstolos:
aprender sobre o quanto o Salvador Se preocupa
com cada pessoa?
“Irmãos, ao submeterem sua vontade à vontade
de Deus, entregarão a Ele a única coisa que Diga que apesar de ainda não termos tido a oportu-
realmente podem dar a Ele e que é realmente sua. nidade de tocar as mãos e pés do Salvador, podemos
Não demorem para encontrar o altar de sacrifí- sentir que Ele é real e prestar nosso testemunho Dele.
cios para ali colocarem a dádiva de sua própria Convide os alunos a prestarem testemunho de Jesus
vontade! [Conference Report, abril de 2004, p. 48; Cristo. Preste seu testemunho de que Salvador atua
ou A Liahona, maio de 2004, p. 46; grifo do autor em nossa vida hoje e que a Ressurreição realmente
(tradução atualizada)]. aconteceu.

3 Néfi 11:29. “Aquele Que Tem o Espírito


Peça aos alunos que ponderem sobre como podem de Discórdia (…) É do Diabo”
submeter a própria vontade à vontade de Deus. Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
3 Néfi 11:29    . Incentive-os a marcar e memorizar
3 Néfi 11:1–17. A Aparição de Jesus Cristo essa passagem.
na América Demonstra Que Ele Trabalha
Ativamente em Ministrar aos Homens e Que • Citem algumas situações de nossa vida em que é
a Ressurreição de Fato Ocorreu provável que ocorra discórdia?
Para aumentar a reverência ao abordar o tema do • Citem algumas coisas que os ajudam a evitar a
ministério do Salvador na América, sugere-se que você ­discórdia?
peça que todos cantem “Eu Sei Que Vive Meu Senhor”
Considere a possibilidade de contar a história relatada
ou que examinem a letra desse hino (Hinos, nº 70) ou
pelo Presidente Thomas S. Monson, que se encontra na
de “Creio em Cristo” (Hinos, nº 66), ou de outro hino
página 319 do manual do aluno.
de sua preferência que fale do Salvador.
• Quais são alguns perigos que corremos se permitir-
Peça aos alunos que, enquanto você lê 3 Néfi 11:1–17,
mos que as discórdias e desavenças predominem e
imaginem que estão entre as pessoas que conheceram
fiquem sem solução? 

159
Capítulo 40

3 Néfi 11:31–41. A Fé, o Arrependimento, o • De acordo com 3 Néfi 11:39–41, o que o Salvador
Batismo e o Dom do Espírito Santo Constituem prometeu-nos se edificássemos sobre a Sua doutrina?
a Doutrina de Cristo
Peça aos alunos que passem os olhos por 3 Néfi
Peça a um aluno que recite a quarta regra de fé.
11:21–28 e contem quantas vezes o Salvador emprega
Enquanto isso, escreva o seguinte no quadro:
o verbo batizar nesses versículos. (Nove vezes.)
• Por que o povo precisava aprender as coisas relati-
1. Fé em Jesus Cristo
vas ao batismo? (Ver 3 Néfi 11:28.)
2. Arrependimento
• Que dúvidas quanto ao batismo são esclarecidas
3. Batismo nesses versículos?
4. Dom do Espírito Santo Preste seu testemunho do quanto é importante sempre
continuar a desenvolver nossa fé no Salvador, arre-
pender-nos e renovar o convênio batismal tomando
Diga aos alunos que o Salvador salientou esses princí-
o sacramento, para assim receber o Espírito Santo e
pios e essas ordenanças ao ensinar o que Ele mesmo
edificar nossa vida sobre o alicerce do evangelho.
chamou de Sua doutrina (ver 3 Néfi 11:31–32, 39).
Escreva Doutrina de Cristo no quadro, acima dessa
lista. Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 11:31–41 e pro-
curem a doutrina do Salvador.

160
Capítulo 41 3 Néfi 12–14
3 Néfi 12–14

Introdução lhes dar ideias quanto a esses versículos. Peça-lhes


que façam uma lista das qualidades ou condições
Nesse bloco de escrituras, encontramos o sermão que
citadas nesses versículos como sendo fonte de felici-
Cristo, após a Ressurreição, dirigiu ao povo que se
dade. Depois, divida a turma em grupos pequenos e
encontrava na terra de Abundância. Esse sermão, que
peça que os alunos de cada grupo conversem entre si
é muito semelhante ao Sermão da Montanha regis-
sobre as coisas que descobriram e sobre como pode-
trado em Mateus 5–7, contém princípios que formam
mos orientar nossa vida pelas qualidades e condições
um modelo de como seguir o Salvador e atingir a
citadas nesses versículos. Peça que um integrante de
perfeição na vida futura. O Presidente Harold B. Lee
cada grupo resuma as ideias do grupo para o restante
(1899–1975), 11º presidente da Igreja, ensinou que
da turma. Anote as ideias dos alunos no quadro. Você
nesse sermão “o Mestre de certa forma revelou-nos um
pode ler a observação do Presidente Harold B. Lee,
pouco de Sua própria personalidade, que é perfeita,
que disse que quatro bem-aventuranças referem-se a
(…) e, com isso, deu-nos um mapa a seguir na vida”
nossa vida pessoal e a nosso relacionamento com Deus
(Decisions for Successful Living, 1973, p. 56).
e quatro referem-se a nosso relacionamento com as
Este capítulo, assim como a maioria dos capítulos deste outras pessoas (manual do aluno, p. 322; ver Decisions
manual, traz um conteúdo maior do que o que é possível for Successful Living, pp. 54–62).
abordar em uma só aula. Escolha as sugestões didáticas
Peça aos alunos que leiam a segunda parte da seção de
que melhor atendam às necessidades de seus alunos.
comentários de 3 Néfi 12:3–12 (página 322 do manual
Alguns Princípios e Doutrinas do aluno).
• As bem-aventuranças são diretrizes a serem seguidas • Qual a relação entre cada bem-aventurança e a bem-
para obter felicidade (ver 3 Néfi 12:1–12). aventurança que a antecede?
• Jesus Cristo é quem nos dá as leis (ver 3 Néfi
3 Néfi 12:13–16. Devemos Ser o “Sal da Terra”
12:17–47). e uma Luz para as Outras Pessoas
• Devemos viver o evangelho pelos motivos certos Peça a alguém que leia 3 Néfi 12:13. Mostre um saleiro.
(ver 3 Néfi 13:1–6, 16–18). Peça aos alunos que comparem o uso do sal à influên-
• Quem segue Jesus Cristo escuta e pratica o que Ele cia que os membros da Igreja podem ter na vida de
diz (ver 3 Néfi 14). outras pessoas.
Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 101:39.
Sugestões Didáticas Chame a atenção dos alunos para a relação entre fazer
3 Néfi 12:1–12. As Bem-Aventuranças São convênios e ser o sal da terra. Saliente que além de dar
Diretrizes a Serem Seguidas para Obter sabor, o sal evita que os alimentos se deteriorem.
Felicidade
• De que forma, ao guardar os convênios que fazemos
Diga que os ensinamentos de 3 Néfi 12:3–12 (e de
com o Senhor, ajudamos a evitar que outras pessoas
Mateus 5:3–12) muitas vezes são chamados de Bem-
se deteriorem espiritualmente?
Aventuranças. Peça aos alunos que abram o manual
do aluno na página 322 e leiam o primeiro parágrafo Leia a declaração do Élder Carlos E. Asay, na página 324
da seção de comentários referente a 3 Néfi 12:3–12. do manual do aluno (também disponível no DVD que
Peça-lhes que procurem o significado da expressão acompanha o curso A ). Peça aos alunos que pensem
bem-aventurança. Pergunte-lhes por que, na opinião no que precisam fazer para não perder o sabor.
deles, cada bem-aventurança se inicia com a expressão
Peça que alguém leia 3 Néfi 12:14. Mostre uma lan-
bem-aventurados.
terna, uma vela ou outro objeto que sirva para ilumi-
Dê-lhes tempo para analisar 3 Néfi 12:3–12 individual- nar. Pergunte aos alunos como a vida dos membros
mente. Sugira que recorram ao manual do aluno para da Igreja pode ser como uma luz para o próximo.

161
Capítulo 41

Depois que os alunos responderem, coloque a lanterna antigos” ou “eis que foi escrito pelos antigos”, é para
ou a vela apagada de pé sobre a mesa (lembre-se que introduzir um conceito tradicional da lei de Moisés.
não é permitido acender fogo nos prédios da Igreja). Sempre que diz algo como “digo-vos porém”, é para
Peça a alguém que leia 3 Néfi 12:15. Coloque algo, introduzir a lei maior.
como por exemplo um recipiente que não deixe o ar
Divida a turma em cinco grupos. Dê a cada grupo
passar, cobrindo a lanterna ou a vela apagada. 
um dos papéis que preparou antes da aula (ver o
• O que acontece com a chama da vela se a vela início desta sugestão didática). Peça-lhes que leiam a
for coberta? escritura juntos e que conversem sobre a respectiva
• O que podemos fazer intencionalmente ou sem que- pergunta. Em alguns casos, é possível que os grupos
rer para esconder a nossa luz? encontrem mais ideias nas páginas 325–326 do manual
do aluno. Peça que os grupos se preparem para apre-
Leia 3 Néfi 12:16. sentar seu trabalho à turma da seguinte maneira: 
• Como podemos fazer nossa luz brilhar sem tornar- 1. Ler a escritura em voz alta.
nos orgulhosos? (Ver também 3 Néfi 18:24.)
2. Resumir o conceito da lei de Moisés apresentado na
3 Néfi 12:17–47. A Lei Vem de Jesus Cristo passagem. 
Antes da aula prepare cinco pedaços de papel com 3. Responder a pergunta que receberam.
uma das seguintes referências de escritura e perguntas
4. Mencionar coisas que precisamos fazer para seguir a
escritas em cada um.
lei maior apresentada.
1. 3 Néfi 12:21–26. Qual é o perigo de praticar más
ações?  (Quanto ao versículo 43, observe que no Velho Testa-
mento não se encontra nada na lei de Moisés que auto-
2. 3 Néfi 12:27–30. Qual é a relação entre nossos pen- rize as pessoas a amar o próximo e odiar os inimigos.
samentos e nossos atos? Parece que essa ideia insinuou-se entre o povo da casa
3. 3 Néfi 12:33–37. Nesses versículos o Senhor ensina de Israel depois da época de Moisés e passou a ser
que devemos sempre cumprir com a nossa palavra. aceita como uma filosofia relacionada à lei de Moisés.)
Como uma pessoa desonesta pode eliminar a deso-
3 Néfi 12:48. Podemos Tornar-nos Perfeitos
nestidade de sua vida?
Peça que alguém leia 3 Néfi 12:48.
4. 3 Néfi 12:38–42. Quais são alguns dos possíveis
• Como é possível guardar esse mandamento? (Diga
resultados de retaliarmos as más ações ou palavras
aos alunos que leiam a declaração do Presidente
desagradáveis de outras pessoas?
James E. Faust, encontrada na página 327 do manual
5. 3 Néfi 12:43–46. Se tivermos rancor e nutrirmos ini- do aluno para maiores esclarecimentos.)
mizade por outras pessoas como esses sentimentos
nos afetarão? Peça que um aluno fique de pé na frente da turma.
Diga que na demonstração que você fará, a parte da
Peça a alguém que leia 3 Néfi 12:19.
frente da sala de aula representa o ponto em que o
• Quem deu a lei de Moisés? aluno está em sua trajetória rumo à perfeição e que o
fundo da sala representa a perfeição. Peça que esse
Escreva no quadro: A Lei Vem de Jesus Cristo.
aluno dê um passo adiante (rumo ao fundo da sala). 
Diga que em 3 Néfi 12:21–47, o Salvador cita trechos
• Ele já alcançou a perfeição?
da lei de Moisés em sua interpretação tradicional e,
depois, ensina uma lei maior. Ajude os alunos a perce- • Será que esse passo não serviu para nada, já que ele
berem que nesses versículos, toda vez que Ele usa uma não chegou à perfeição?
frase como, por exemplo, “ouvistes o que foi dito pelos • Como ele poderia alcançar a perfeição um dia?

162
3 Néfi 12–14

Ajude os alunos a compreender que é preciso seguir uma significa. Para cada grupo de versículos, faça as
em frente, passo a passo, se quisermos alcançar nossa seguintes perguntas:
meta final, que é a perfeição. Para resumir esse ponto,
• Que advertência o Salvador fez quanto à maneira
leia esta declaração do Profeta Joseph Smith:
como damos esmolas (ou como oramos, ou como
jejuamos)?
“Quando subimos uma escada, somos obrigados
• Citem alguns exemplos de boas maneiras de ajudar
a começar de baixo e subir degrau por degrau, até
os pobres (ou de orar, ou de jejuar)? 
chegar ao alto; o mesmo acontece com os prin-
cípios do Evangelho — devemos começar com o Caso ache que os alunos precisam aprofundar-se um
primeiro e continuar subindo até que tenhamos pouco mais na questão de guardar os mandamentos
aprendido todos os princípios de exaltação. Mas só pelos motivos certos, peça-lhes que leiam Morôni
muito tempo depois de termos passado pelo véu é 7:6–9 e a declaração do Élder Dallin H. Oaks, que se
que os aprenderemos” (Ensinamentos dos Presiden- encontra nas páginas 414–415 do manual do aluno.
tes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 280, ver também
3 Néfi 13:7–13. O Salvador Ensinou-nos
History of the Church, vol. 6, pp. 306–307).
Como Orar
Para recapitular os conselhos do Salvador quanto à
Caso ache que os alunos precisam de mais incentivo oração, peça aos alunos que se revezem na leitura
para seguir o mandamento de ser perfeito, dado pelo de 3 Néfi 13:7–13, um versículo por aluno. Depois da
Salvador, considere a possibilidade de pedir-lhes que leitura de cada versículo, peça-lhes que digam em suas
leiam a declaração do Presidente Spencer W. Kimball, próprias palavras que princípio ou princípios o versí-
encontrada na página 327 do manual do aluno. culo contém. Depois, pergunte se alguém gostaria de
acrescentar mais alguma coisa ou contar alguma expe-
Antes de concluir o debate deste tema, ajude os alunos
riência relacionada ao versículo.
a compreenderem que, para alcançar a perfeição, pre-
cisamos ter fé em Jesus Cristo e na Expiação e ache- 3 Néfi 13:19–24. “Ninguém Pode Servir a Dois
gar-nos a Ele. Mesmo depois de fazermos tudo o que Senhores”
pudermos, nosso esforço não basta e precisamos do Coloque no quadro a seguinte declaração do Presi-
poder da Expiação. Ao falar dessa verdade, sugere-se dente Marion G. Romney (1897–1988), da Primeira
que você peça aos alunos que leiam Morôni 10:32–33 e Presidência [ver “O Preço da Paz”, A Liahona, fevereiro
Doutrina e Convênios 76:50–53, 69–70. Peça aos alunos de 1984, p. 6 (tradução atualizada)]:
que descrevam a relação entre a graça de Deus e a
possibilidade de alcançarmos a meta da perfeição.
“Há gente que tenta servir ao Senhor sem ofender ao
demônio!” –Marion G. Romney
3 Néfi 13:1–6, 16–18. Devemos Viver o
Evangelho pelos Motivos Certos
Anote estas referências de escritura no quadro: • Em sua opinião, o que isso significa?
• Quais as semelhanças entre essa declaração e o que
3 Néfi 13:1–4 diz 3 Néfi 13:24?
3 Néfi 13:5–6 Leia o seguinte conselho do Presidente James E. Faust
3 Néfi 13:16–18 (1920–2007):

Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de todas


essas passagens e preparem-se para falar do que cada

163
Capítulo 41

• Por que essas duas ações são necessárias para her-


“Hoje muitos de nós tentam servir a dois senhores darmos a vida eterna?
— o Senhor e nossos próprios interesses egoís-
tas — sem ofender o diabo. A influência de Deus, Escreva o seguinte no quadro:
nosso Pai Eterno, insta-nos, suplica-nos que O
sigamos e inspira-nos a fazê-lo. Por outro lado, o Palavras do Salvador em 3 Néfi 14.
poder de Satanás instiga-nos a não acreditar e a
versículos 1–2
não dar atenção aos mandamentos de Deus.
versículos 3–5
O Élder [Marion G.] Romney [ensinou]: ‘As con- versículo 6
sequências das escolhas dos [homens mortais] versículos 7–11
são do tipo tudo ou nada. Não há como escapar versículo 12
da influência desses poderes opostos. Inevitavel- versículos 13–14
mente o homem se deixa levar por um ou por versículos 15–20
outro. O arbítrio que Deus lhe concedeu dá-lhe
versículos 21–23
o poder e a capacidade de escolher, mas ele
precisa escolher. Não é possível servir a ambos
ao mesmo tempo’” (“Serving the Lord and Resis- Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa das oito
ting the Devil,” Ensign, setembro de 1995, pp. passagens relacionadas no quadro. Diga-lhes que cada
2, 4; ver também Conference Report, outubro de passagem contém conselhos do Salvador quanto a
1962, p. 94). determinado modo de agir considerado correto. Depois
de dar-lhes tempo suficiente para estudar as passagens,
pergunte-lhes que atitudes corretas Jesus pede daque-
3 Néfi 13:25–34. Devemos Buscar Primeiro les que O seguem. (Versículos 1–2: julgar com justiça;
o Reino de Deus e Sua Justiça versículos 3–5: concentrar-nos em nossas próprias fal-
Diga que as instruções do Salvador encontradas em tas em vez de nas dos outros; versículo 6: ter respeito
3 Néfi 13:25–34 destinavam-se aos doze discípulos para com as coisas sagradas; versículos 7–11: buscar
nefitas, que deviam dedicar-se integralmente ao serviço revelações pessoais para responder nossas dúvidas;
da Igreja. Contudo, todos os membros da Igreja podem versículo 12: tratar os outros como gostaríamos de
aplicar os ensinamentos de 3 Néfi 13:33 à própria vida. ser tratados; versículos 13–14: escolher o caminho do
evangelho, que leva à vida eterna; versículos 15–20:
Peça que alguém leia 3 Néfi 13:33.
seguir os profetas verdadeiros; versículos 21–23: fazer a
• Em sua opinião, o que isso significa? (Incentive vontade de Deus.)
os alunos a darem mais de uma resposta.)
Divida a turma em oito grupos. Encarregue cada grupo
3 Néfi 14. Quem Segue Jesus Cristo Escuta de preparar uma breve explanação de uma das atitu-
e Pratica o que Ele Diz des corretas relacionadas acima para apresentarem ao
Segure uma pedra em uma mão e areia na outra. Deixe restante da turma. A apresentação das explanações não
a areia correr entre seus dedos. deve levar mais de dois ou três minutos. Cada explana-
ção deve conter o seguinte:
• Sobre qual desses dois materiais você preferiria
construir sua casa? Por quê? 1. A identificação do comportamento correto.

Depois de um breve debate, peça que alguém leia 2. Uma escritura de uma das obras-padrão que nos
3 Néfi 14:24–27. ajude a compreender melhor essa atitude.

• De acordo com o Salvador, se fôssemos sábios nós 3. Um exemplo atual da importância dessa atitude
faríamos duas coisas. Que coisas são essas? correta e de como ela afeta nossa vida hoje.

164
3 Néfi 12–14

4. Um testemunho pessoal dessa atitude correta e das 3 Néfi 14:6. As Coisas Santas Devem Ser
bênçãos que recebemos por incorporar essa forma Tratadas com Cuidado
de agir a nossa vida. Pergunte aos alunos sua opinião sobre o significado da
Conforme os grupos se apresentarem, anote no quadro figura de linguagem usada em 3 Néfi 14:6. Sugira que
as atitudes corretas abordadas. Se não for possível eles cruzem a referência de 3 Néfi 14:6 e Doutrina e
anotá-las no quadro, prepare um cartaz antes da aula e Convênios 63:64. Explique-lhes que essas coisas santas
utilize-o nesse ponto da aula. (ver 3 Néfi 14:6) podem ser qualquer coisa de natureza
especialmente espiritual, como, por exemplo, a res-
Peça que em silêncio os alunos escolham uma atitude posta a uma oração, uma bênção do sacerdócio, uma
correta em que pretendem concentrar-se. Dê- lhes revelação pessoal, uma experiência sagrada, etc.
tempo para anotar as próprias ideias e metas de aper-
feiçoamento em um caderno ou folha de papel. • Qual é o problema de se falar de experiências sagra-
das com pessoas que não têm a capacidade ou o
Para recapitular a sugestão didática anterior ou para desejo de compreendê-las?
concluir a lição, sugere-se que você leia ou releia a
• Qual é a relação entre o conselho de Doutrina e
conclusão do sermão do Salvador que se encontra em
Convênios 63:64 e a questão de falar de experiên-
3 Néfi 14:24–27. Fale de seus sentimentos a respeito
cias sagradas?
do que significa edificar sobre um alicerce seguro.
Incentive os alunos a seguirem o conselho do Salvador 3 Néfi 14:12. A “Regra de Ouro”
de ouvir e atender o que Ele diz (ver versículo 24). Leia 3 Néfi 14:12, que contém a chamada Regra
Se desejar, você também pode pedir que os alunos de Ouro.
cantem “Sou um Filho de Deus” (Hinos, nº 193) para
lembrá-los do motivo de desejarmos seguir os princí- • Como a regra de ouro incorpora outros princípios
pios ensinados nesse sermão. ensinados nesse sermão do Salvador?

Peça que os alunos falem de ocasiões em que se bene-


ficiaram graças a esse princípio.

165
Capítulo 42
Capítulo 42
3 Néfi 15–17

Introdução uma nova lei, que não se concentra tanto nos detalhes
do que as pessoas fazem, mas dá maior ênfase à inten-
Quando ensinou o povo de Néfi, o Salvador afirmou
ção com que agem e à responsabilidade de cada um
ser “a lei e a luz” (3 Néfi 15:9) e o pastor de Seu povo
por seus próprios atos.
(ver 3 Néfi 15:17, 21; 16:3). Por meio desses títulos
podemos compreender melhor o ministério do Salva- • Que influência essa lei poderia ter sobre o modo de
dor entre os nefitas. Ele sempre fora “a lei e a luz”, mas agir das pessoas?
os israelitas não estavam dispostos a viver de acordo • O que faria com que fossemos bem ou mal sucedi-
com a plenitude de Sua lei e, portanto, tiveram que dos em viver de acordo com essa nova lei?
passar a obedecer uma lei menor até estarem prontos a
aceitarem a “verdadeira luz que ilumina todo homem” Peça que alguém leia 3 Néfi 1:24–25.
(D&C 93:2). No continente americano, Jesus Cristo, • O povo sabia que certa lei teria fim um dia. Que lei
o Bom Pastor, ensinou parte de Suas outras ovelhas era essa?
(3 Néfi 15:17) e incentivou-as a seguirem a Ele, que é
Peça a alguém que leia 3 Néfi 15:1–10.
a fonte da verdadeira luz.
• O que a leitura desses versículos lhes revelou quanto
Esse bloco de escrituras se encerra com uma experiên-
à autoridade do Salvador sobre a lei de Moisés?
cia espiritual intensa que os nefitas tiveram na terra de
(Anote as respostas no quadro.)
Abundância. Essa é uma excelente ocasião para prestar
testemunho do amor que Jesus Cristo nos tem. Você • Em sua opinião, o que Jesus Cristo quis dizer ao
pode incentivar os alunos a ponderar e orar (como afirmar que era “a lei e a luz”?
o Salvador ordenou que os nefitas fizessem) para • O Salvador disse “confiai em mim” (3 Néfi 15:9). Em
ajudá-los a prepararem-se para compreender melhor o sua opinião, o que isso significa? Como nosso amor
Salvador e Seus ensinamentos. Para reforçar as suges- ao Senhor influencia a confiança que temos Nele e a
tões didáticas referentes a 3 Néfi 17, você pode usar o forma como O seguimos?
vídeo “Minha Alegria é Completa”, que é um segmento
de quatro minutos do DVD Vídeo do Livro de Mórmon 3 Néfi 15:11–24; 16:1–6. O Salvador Disse que
(código 54011 059) Outras Ovelhas Ouviriam Sua Voz
Mostre um globo ou um mapa-múndi. Peça aos alunos
Alguns Princípios e Doutrinas que encontrem o lugar onde viviam as ovelhas do
• Foi Jesus Cristo Quem deu e cumpriu a lei de Moisés Senhor do Novo Testamento. (Na Terra Santa, que fica
(ver 3 Néfi 15:1–10). no Oriente Médio.) Peça a um aluno que leia João
10:11–16. Peça aos alunos que cruzem as referências e
• O Salvador disse que outras ovelhas ouviriam a Sua
comparem esses versículos com 3 Néfi 15:16–20 Peça-
voz (ver 3 Néfi 15:11–24; 16:1–6).
lhes que identifiquem a região geral em que viviam as
• Compreendemos melhor as palavras de Jesus Cristo
“outras ovelhas” de que Jesus Cristo falou em João 10.
quando meditamos e oramos (ver 3 Néfi 17:1–4).
(Tome cuidado para que não haja especulações sobre
• O Salvador tem compaixão e misericórdia de Seu nenhuma localização específica.)
povo (ver 3 Néfi 17:5–25).
• O quanto os judeus sabiam das “outras ovelhas”
Sugestões Didáticas do Senhor?
• Por que Jesus não deu maiores informações quanto
3 Néfi 15:1–10. Jesus Cristo Deu e Cumpriu
a Suas “outras ovelhas” aos judeus? (Ver 3 Néfi
a Lei de Moisés
15:18–20.)
Descreva a seguinte situação para os alunos: Imagine
que vivem em uma sociedade em que as leis são muito • Quem são os gentios que o Salvador menciona em
minuciosas quanto à forma como as pessoas devem 3 Néfi 15:22–23?
agir. Chega um dia em que se pede ao povo que sigam Utilize a seguinte explicação do termo gentios :

166
3 Néfi 15–17

Divida a turma em duplas. Peça que estudem 3 Néfi


“Nas escrituras o termo gentios tem diversos signi- 16:8–20. Depois, peça que um dos integrantes de cada
ficados. Às vezes serve para designar pessoas não dupla procure as advertências e promessas aos gentios
pertencentes à linhagem de Israel; outras, para e que o outro procure as advertências e promessas aos
referir-se a povos não-judeus e às vezes, ainda, a filhos de Israel. Depois peça que ambos respondam em
nações que não possuíam o evangelho, embora conjunto às perguntas do quadro. Depois de dar-lhes
existindo nelas pessoas de sangue israelita. Esta tempo, peça às duplas que falem de suas respostas ao
última aplicação é especialmente característica da restante da turma.
palavra conforme usada no Livro de Mórmon e
em Doutrina e Convênios” (Guia para Estudo das 3 Néfi 17:1–4. Compreendemos Melhor as
Escrituras, “Gentios”, scriptures​.LDS​.org). Palavras de Jesus Cristo Quando Meditamos
e Oramos
Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 17:1–3. Sugira que
• De acordo com os versículos 22–23, como os gentios marquem as palavras que descrevem como compreen-
ouviriam a voz do Senhor? (Ver também 1 Néfi 10:11.) der as palavras do Senhor. Peça-lhes que digam à
turma o que responderam.
Leia 3 Néfi 16:1–3 com os alunos. Pergunte-lhes se têm
alguma ideia de quem eram essas outras ovelhas. • Como esses versículos se aplicariam aos alunos do
instituto, a quem assiste a reunião sacramental e a
E que cruzem as seguintes referências: 3 Néfi 16:1–3
quem vai ao templo? Como podemos aplicá-los ao
com 2 Néfi 10:22; 29:12–14 e 3 Néfi 17:4.
estudo individual das escrituras?
Leia a seguinte declaração do Élder Bruce R. McConkie • Por que é preciso meditar para aprofundar nossa
(1915–1985), do Quórum dos Doze Apóstolos: compreensão do evangelho?

“Jesus não apareceu [às demais tribos de Israel] 3 Néfi 17:5–25. O Salvador Tem Compaixão
depois de ministrar aos nefitas? Resposta: É claro e Misericórdia de Seu Povo
que sim! Apareceu em um ou em muitos lugares Peça que alguém leia 3 Néfi 17:5–15. Peça aos alunos
dependendo do que ditassem Seus propósitos. Ele que identifiquem as características do Senhor que
reuniu o povo exatamente como reuniu os nefitas ficam claras na maneira como Ele interagiu com o
na terra de Abundância, para que esses povos povo. Anote as respostas dos alunos no quadro. Estas
também ouvissem Sua voz e tocassem as marcas são algumas das possíveis respostas:
dos cravos em Suas mãos e Seus pés. Disso não 1. Compaixão (ver versículo 6).
há a menor dúvida” (The Millennial Messiah: The
Second Coming of the Son of Man, 1982, p. 216). 2. Misericórdia (ver versículo 7).
3. Ele percebe nossas necessidades (ver versículo 8).
4. Ele é poderoso (ver versículo 9).
3 Néfi 16:8–20. O Salvador Alertou as Pessoas
nos Últimos Dias 5. Ama as criancinhas (ver versículo 11).
Anote estas perguntas no quadro: 6. Abomina o pecado (ver versículo 14).
7. Orou ao Pai (ver versículo 15).
O que faria com que tanto os gentios como os filhos
de Israel fossem afligidos? Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft
­Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
Nos últimos dias, o que acontecerá com quem não se
arrepender?
Que bênçãos são concedidas a quem se arrepende?

167
Capítulo 42

Considere a possibilidade de contar a seguinte história,


“É grande, abençoado e ditoso o homem cuja vida que é um exemplo moderno de amor às crianças, rela-
se aproxima do padrão de Cristo. Isto nada tem a tada pelo Élder Eduardo Ayala, dos Setenta:
ver com riqueza, poder ou prestígio mundano. A
única verdadeira prova de nossa grandeza, santi-
“Uma das maiores manifestações de amor às crian-
dade e júbilo é a medida de nossa semelhança com
ças que eu já vi aconteceu quando eu era presi-
o Mestre, Jesus Cristo” (“Jesus Cristo: Dádivas e
dente de estaca no Chile. O Presidente ­Spencer
Expectativas”, A Liahona, dezembro de 1987, p. 3).
W. Kimball foi ao Chile para uma conferência de
área. Membros da Igreja de quatro países reu-
niram-se em um estádio com capacidade para
Peça que alguém leia os versículos 16–25 enquanto os
aproximadamente 15 mil pessoas. Perguntamos
demais meditam em silêncio sobre os acontecimen-
ao Presidente Kimball o que ele gostaria de fazer
tos descritos nessa passagem. Peça aos alunos que
depois da conferência. Com os olhos marejados,
imaginem como seria estar ali com o Salvador. Consi-
ele respondeu: ‘Gostaria de ver as crianças’. Um
dere a possibilidade de, depois disso, utilizar algumas
dos líderes do sacerdócio anunciou pelo micro-
das seguinte perguntas (ou todas elas) para orientar
fone que o Presidente Kimball gostaria de apertar
o debate:
a mão ou abençoar todas as crianças ali presentes.
• O que vocês acham que teriam sentido se tivessem As pessoas ficaram espantadas e fez-se um pro-
presenciado essas coisas? fundo silêncio. O Presidente Kimball cumprimen-
• Que influência isso provavelmente teria sobre vocês? tou cerca de duas mil crianças, uma a uma, e foi
• Qual dessas coisas os teria impressionado mais? em meio às lágrimas que apertou a mão de umas,
Por quê? beijou outras ou impôs as mãos sobre a cabeça de
outras e as abençoou. As crianças estavam muito
Para salientar o amor do Salvador pelas criancinhas, reverentes, olhavam para ele e choravam também.
peça aos alunos que leiam Mateus 19:13–14. Ele disse que nunca na vida sentira um espírito
• O que aprendemos com a maneira que o Salvador assim. Foi um momento extremamente impressio-
tratou as criancinhas? nante para todos os membros da Igreja ali presen-
tes ( Janet Peterson and Eduardo Ayala, “Friend to
Peça aos alunos que falem do que sentem ou pensam Friend”, Friend, março de 1996, pp. 6–7).
com relação a esse registro.

168
Capítulo 43 3 Néfi 18–19
3 Néfi 18–19

Introdução “Quando partilhamos dignamente do pão e da


Em 3 Néfi 18–19, lemos o que o Salvador ensinou água santificados, em lembrança do sacrifício
sobre o sacramento, a oração e a companhia do Espí- do Salvador, testemunhamos a Deus, o Pai, que
rito Santo. Estudando atentamente esses ensinamentos, estamos desejosos de tomar sobre nós o nome
os alunos compreenderão melhor por que tomam de Seu Filho e sempre lembrar Dele e guardar os
o sacramento. Aprenderão a achegar-se mais ao Pai mandamentos que Ele nos deu. Se fizermos essas
Celestial por meio da oração e a agir de modo a ter a coisas, sempre teremos o Seu Espírito conosco”
companhia do Espírito Santo diariamente. ­(Conference Report, abril de 1998, p. 20; ou A Lia-
hona, julho de 1998, p. 18).
Alguns Princípios e Doutrinas
• Quando tomamos dignamente do sacramento,
contamos com a companhia do Espírito Santo Peça aos alunos que leiam as orações sacramentais
(ver 3 Néfi 18:1–14, 28–32). em Morôni 4:3 e 5:2. Incentive-os a marcarem nesses
• Quando oramos com fé, isso ajuda-nos a alcançar versículos as coisas que precisamos fazer para ter a
nossos desejos justos e a não ser enganados por companhia do Espírito Santo. Peça-lhes que digam o
Satanás (ver 3 Néfi 18:15–21). que marcaram.
• Os membros da Igreja devem fazer amizade com • Como recordar-nos sempre do Salvador leva-nos a
todos (ver 3 Néfi 18:22–32). ter sempre conosco o Seu Espírito?
• A companhia do Espírito Santo é-nos concedida Incentive os alunos a lerem a declaração do Élder
quando a desejamos e somos dignos dela (ver 3 Néfi Dallin H. Oaks encontrada na página 338 do manual
19:6–13, 20–21). do aluno. Nessa declaração, ele explica a relação entre
• Jesus Cristo é nosso Advogado junto ao Pai tomar o sacramento dignamente e contar com o minis-
(ver 3 Néfi 19:15–23). tério dos anjos.

Sugestões Didáticas 3 Néfi 18:15–21. Quando Oramos com Fé, Isso


Ajuda-nos a Alcançar Nossos Desejos Justos e
3 Néfi 18:1–14, 28–32. Quando Tomamos a Não Ser Enganados por Satanás
Dignamente o Sacramento, Contamos com Diga que para termos o Espírito sempre conosco, preci-
a Companhia do Espírito Santo
samos manter laços fortes com Deus por meio da oração.
Leia 3 Néfi 18:1–14, 28–32 com os alunos. Peça-lhes
que procurem pelo menos cinco verdades importantes • Qual é a diferença entre orar verdadeiramente e
que o Salvador ensinou quanto ao sacramento. Peça- simplesmente dizer as palavras da oração?
lhes que digam as verdades que encontraram. Peça que • Como vocês já foram fortalecidos pela oração?
alguém as anote no quadro.
Peça a alguém que leia 3 Néfi 18:15, 18.
O Presidente James E. Faust (1920–2007), da Primeira
• Nesses versículos, o que o Salvador ordena que faça-
Presidência, explicou que existe uma estreita ligação
mos? Por quê?
entre estar digno de tomar o sacramento e contar com
a companhia do Espírito Santo: • Em sua opinião, o que significa “vigiar e orar sem-
pre”? Como isso nos ajuda a resistir às tentações?
• Depois de ordenar aos doze discípulos que vigias-
sem e orassem sempre, o Salvador deu o mesmo
mandamento ao restante do povo (ver 3 Néfi
18:15–18). O que podemos aprender com o fato
de que o Senhor ensinou tanto aos doze discípulos
como à multidão que deveriam vigiar e orar sempre?

169
Capítulo 43

Peça a alguém que leia 3 Néfi 18:19–21. Depois, peça Igreja. Esse conselho não é novo. Peça aos alunos que
aos alunos que repitam juntos o versículo 20: “E tudo leiam 3 Néfi 18:22–25.
quanto pedirdes ao Pai em meu nome, que seja justo,
• Nesses versículos, que mandamento é dado aos
acreditando que recebereis, eis que vos será dado”.
membros da Igreja?
Você pode fazer as seguintes perguntas para ajudar
os alunos a discutir o assunto e ponderar melhor o O Presidente Gordon B. Hinckley aconselhou:
versículo lido:
• Em sua opinião, por que temos que orar em nome “Com o número crescente de conversos, precisa-
de Jesus Cristo? mos de um esforço significativamente maior no
sentido de ajudá-los a encontrar o rumo. Todos
• Em sua opinião, o que significa pedir o que seja
esses conversos precisam de três coisas: fazer um
justo, como citado nessa passagem? (Sugere-se tam-
amigo, ter uma responsabilidade e ser nutridos
bém que você peça aos alunos que leiam Tiago 4:3.)
‘pela boa palavra de Deus’ (Morôni 6:4). Para nós,
Leia Doutrina e Convênios 46:30 com a turma. é um dever e uma oportunidade proporcionar-
lhes essas coisas” (Conference Report, abril de
• De acordo com esse versículo, qual é a chave para
1997, p. 66; ou A Liahona, julho de 1997, p. 53).
se pedir o que é certo?

Assegure-se de que os alunos compreendam que para


um pedido ser correto, é preciso que esteja de acordo O conselho do Presidente Hinckley também se aplica
com a vontade do Senhor, mesmo no caso de coisas a quem ainda não é membro da Igreja. Peça aos alunos
boas, como a cura de um familiar. que pensem em alguém que poderiam convidar a
aprender mais sobre o evangelho ou comparecer a
Leia o seguinte testemunho do Presidente Gordon B.
uma reunião ou atividade da Igreja. Pode ser alguém
Hinckley (1910–2008), 15º presidente da Igreja:
de outra religião, um membro menos ativo ou um
membro novo da Igreja.
“Deus, nosso Pai Eterno, vive. Ele é o Criador e
• Que diferença faz convidarmos alguém por amizade
o Governador do universo e além disso é nosso
em vez de convidarmos essa pessoa por que fomos
Pai. Ele é o Todo-Poderoso e está acima de tudo.
encarregados disso?
Ele pode ser alcançado por intermédio da oração.
(…) Ele ouve a oração de uma criança? É claro Utilize as seguintes palavras de incentivo do Élder
que ouve. Ele a responde? É claro que sim. Nem M. Russell Ballard, do Quórum dos Doze Apóstolos (tam-
sempre do modo que desejamos, mas Ele res- bém disponível no DVD que acompanha o curso  A ):
ponde. Ele ouve e responde” (Ensinamentos de
Gordon B. Hinckley, 1997, p. 346). “Irmãos, minha mensagem é urgente devido à
necessidade de conservarmos plenamente inte-
grados um número muito maior dos recém-con-
Você pode pedir que um ou mais alunos falem de
versos, e de reativarmos muitos mais dos menos
ocasiões em que suas orações foram respondidas. (Não
ativos. Exorto-os a intensificarem o espírito de
se esqueça que a oração é algo muito pessoal.) Preste
amizade e pura fraternidade cristã em sua vizi-
seu testemunho de como o Pai Celestial nos orienta e
nhança. Um recém-converso ou membro recen-
abençoa quando oramos a Ele com fé.
temente reativado deve sentir-se calorosamente
3 Néfi 18:22–32. Os Membros da Igreja Devem aceito e plenamente integrado na Igreja. Os
Fazer Amizade com Todos membros e líderes da Igreja devem cuidar dele e
Lembre aos alunos que os líderes da Igreja pediram- amá-lo como Jesus cuidaria e amaria” (Conference
nos que estendêssemos a mão aos membros menos Report, outubro de 1988, p. 36; ver também A
ativos, aos membros novos e àqueles que não são da Liahona, janeiro de 1989, p. 31).

170
3 Néfi 18–19

Incentive os alunos a ponderarem em espírito de oração as pessoas que estão conhecendo a Igreja, bem
sobre o que podem fazer para integrarem as pessoas em como com os membros novos ou menos ativos?
quem pensaram, não como uma tarefa a ser cumprida,
Peça a alguém que leia 3 Néfi 18:26.
mas por sincera amizade. Sugira que cruzem a referên-
cia de 3 Néfi 18:22–25 e Morôni 6:4. Em uma conversa • A quem o Salvador Se dirige nesse versículo?
com a turma, peça aos alunos que sugiram formas de
Leia 3 Néfi 18:28–29 com os alunos.
convidar as pessoas a participarem do instituto.
• Em sua opinião, por que é importante compreen-
Explique-lhe que podemos contribuir para a salvação
der que esses versículos são especificamente para
dos filhos do Pai Celestial. Conte a seguinte história
os líderes do sacerdócio e não para os membros da
acontecida quando o Presidente Thomas S. Monson
Igreja em geral? (Não nos cabe julgar se outra pessoa
tinha 12 ou 13 anos de idade. Ele estava flutuando
é digna ou não de tomar o sacramento. Essa res-
correnteza abaixo no rio Provo em uma câmara de pneu
ponsabilidade cabe à própria pessoa e ao bispo ou
bem grande. Quando chegou à parte mais rápida do rio,
presidente do ramo.)
viu que uma jovem tinha caído em um dos redemoinhos
traiçoeiros do rio. Leia a história abaixo ou use o DVD Leia 3 Néfi 18:30–32 com os alunos.
que acompanha o curso (assim os alunos poderão ver o • Que instruções específicas dadas nesses versículos
próprio Presidente Monson contar a história). B . devem ser seguidas por todos os membros? (Se pos-
sível, anote as respostas dos alunos no quadro.)
“Ouvi gritos desesperados: ‘Salvem-na! Salvem-na!’
(…) Vi a cabeça afundar duas ou três vezes, prestes Ajude-os a compreender que ainda que não tenham o
a descer de vez à sepultura das águas. Estiquei a chamado de bispo nem de presidente de ramo, eles têm
mão, agarrei-a pelos cabelos e puxei-a para minha oportunidades de ajudar outras pessoas e demonstrar-
boia, tomando-a nos braços. Na parte rasa a corren- lhes amizade, bem como de orar pelo seu bem-estar.
teza era mais fraca e foi lá que entreguei minha 3 Néfi 19:6–13, 20–21. A Companhia do Espírito
preciosa carga a seus parentes e amigos. Eles abra- Santo É-nos Concedida Quando a Desejamos e
çaram a jovem encharcada e beijaram-na, dizendo Somos Dignos Dela
chorando: ‘Graças a Deus! Graças a Deus você está Faca cópias da página 173 para entregar aos alunos.
salva!’ Depois me abraçaram e beijaram. Fiquei sem
Peça que todos os alunos pensem em algo de valor
jeito e logo voltei para minha boia, continuando
que gostariam de ter, no efeito positivo que isso
rio abaixo. A água estava gelada, mas eu não sentia
poderia ter em sua vida e no que teriam que fazer
frio algum, pois um sentimento cálido invadira-me.
para obter essa coisa de valor. 
Percebi que havia acabado de salvar uma vida.
O Pai Celestial ouvira os gritos: ‘Salvem-na! Sal- Peça-lhes que leiam 3 Néfi 19:6–13, 20–21 para ver o
vem-na!’ e permitira que eu, um diácono, estivesse que o povo mais desejava. Peça-lhes que pensem nas
presente no exato momento em que de mim neces- bênçãos que recebem graças ao dom do Espírito Santo
sitaram. Naquele dia aprendi que o melhor senti- e nas coisas que precisam fazer para contar com a
mento da mortalidade é perceber que Deus, nosso companhia do Espírito.
Pai Celestial, conhece cada um de nós e genero-
• Por que esses nefitas desejavam o Espírito Santo
samente nos permite ver e partilhar de Seu divino
acima de tudo? O que o Espírito Santo poderia acres-
poder de salvar” [Conference Report, outubro de
centar à vida dessas pessoas?
1995, pp. 65–66; ver também A Liahona, janeiro de
1996, p. 53 (tradução atualizada)]. • O que elas tiveram de fazer para receber o Espí-
rito Santo?
• O que podemos fazer para ter mais desejo de contar
• De que forma o que aconteceu com o Presidente com a influência do Espírito Santo em nossa vida?
Monson no rio é comparável ao nosso contato com

171
Capítulo 43

Por que é importante orar pedindo a orientação do dúvidas quanto ao motivo pelo qual os discípulos ora-
Espírito Santo? ram a Jesus, em vez de orarem ao Pai, você pode pedir
que leiam a declaração do Élder Bruce R. McConkie, na
Distribua as cópias da página 173. Dê tempo para os
página 341 do manual do aluno.)
alunos lerem. Peça-lhes que procurem no texto, prin-
cípios que já tenham visto na própria vida, na vida de • O que Jesus ordenou que a multidão e os doze dis-
familiares ou amigos ou nas escrituras. Depois, dê-lhes cípulos fizessem?
a oportunidade de contar essas experiências ou falar • O que a oração do Salvador registrada nos versí-
dessas escrituras. culos 20–22 nos ensinam quanto ao Espírito Santo?

3 Néfi 19:15–23. Jesus Cristo É Nosso Advogado • O que Jesus suplicou quando orou ao Pai? Que
Junto ao Pai coisas específicas ele pediu quanto a quem ainda
Escreva no quadro a palavra Advogado. ouviria as palavras de Seus servos escolhidos?

• O que é um advogado? (Pessoa que defende a causa Saliente que o Salvador fez uma oração semelhante
de alguém.) pouco antes de padecer no Jardim do Getsêmani (ver
João 17). Para compreender ainda melhor o assunto,
Leia Doutrina e Convênios 45:3–5 com a turma.
os alunos podem comparar João 17:11, 20–23 e 3 Néfi
• De que forma Jesus Cristo atua como nosso 19:20–23. O Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos
­Advogado? Doze Apóstolos, fez duas observações sobre essas ora-
ções: Peça aos os alunos que leiam o que ele disse na
Leia a seguinte declaração do Presidente Joseph
página 342 do manual do aluno.
­Fielding Smith (1876–1972), 10º presidente da Igreja:
• O que significa ser um com o Pai Celestial e Jesus
“Advogado é alguém que defende ou pleiteia Cristo? O que significa ser “um” uns com os outros?
a causa de outro. (…) Isso é parte [da] grande Peça aos alunos que meditem sobre as seguintes
missão de [ Jesus Cristo]. (…) Durante Sua estada questões:
na terra, Ele orava frequentemente por Seus dis-
• Será que vocês sentiram a influência do Espírito
cípulos, rogando por eles ao Pai” [Doutrinas de
Santo recentemente? Como essa experiência influen-
Salvação, Bruce R. McConkie (org.), 3 vols., 1994,
ciou seus sentimentos em relação ao Salvador e às
vol. 1, p. 29 (tradução atualizada)].
pessoas que os rodeiam?

Dê-lhes tempo suficiente para meditar sobre o assunto


• O que vocês sentem quando pensam que Jesus con- e, depois, sugira que falem do que pensaram. Você
tinua a ser seu Advogado junto ao Pai? também pode falar das coisas em que pensou.
Peça que alguém leia 3 Néfi 19:15–23. Depois faça as
seguintes perguntas à turma: (Se os alunos tiverem

172
3 Néfi 18–19

Cópia para os Alunos


Bênçãos Relacionadas ao Espírito Santo (Russel M. Nelson, Conference Report, outubro de
“O Espírito Santo pode guiar e inspirar nossas 2000, p. 19; ou A Liahona, janeiro de 2001, p. 21).
ações cotidianas para o bem” (Richard G. Scott, “O Espírito Santo dar-nos-á inspiração quanto ao
Conference Report, outubro de 2001, p. 107; ou A que dizer” (Henry B. Eyring, Conference Report,
Liahona, janeiro de 2002, p. 100). outubro de 1997, p. 114; ou A Liahona, janeiro de
“O Espírito Santo (…) é a fonte de nosso testemu- 1998, p. 96).
nho do Pai e do Filho” (Robert D. Hales, Confe- “Não há bênção maior que possamos receber em
rence Report, outubro de 2000, p. 6; ou A Liahona, nossa vida do que o dom do Espírito Santo; a
janeiro de 2001, p. 8). companhia do Espírito Santo para nos guiar, (…)
“Precisamos do Espírito Santo como nosso compa- proteger [e] abençoar” (Gordon B. Hinckley, Ensi-
nheiro constante para ajudar-nos a fazer escolhas namentos de Gordon B. Hinckley, 1999, p. 115).
melhores nas decisões com que nos deparamos no
Como Convidar a Companhia do Espírito
dia a dia. (…) Com o auxílio do Espírito Santo, os
“O estudo fiel das escrituras traz o Espírito Santo
membros da família poderão fazer escolhas sábias,
até nós” (Henry B. Eyring, Conference Report, abril
escolhas que os ajudarão a regressar juntos para a
de 2004, p. 16; ou A Liahona, maio de 2004, p. 18).
presença do Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo
para viverem com Eles eternamente” (Robert D. “A oração diária [convida o Espírito a estar
Hales, Conference Report, outubro de 2000, p. 6; ou conosco]. Se não orarmos, Ele [o Espírito Santo]
A Liahona, janeiro de 2001, p. 8). raramente virá até nós e, se não pedirmos, prova-
velmente Ele não ficará conosco” (Henry B. Eyring,
“Nossos rapazes e nossas moças são bombardeados
Conference Report, outubro de 1997, p. 115; ver
com as coisas vis do mundo. A companhia do Espí-
também A Liahona, janeiro de 1998, p. 96 (tradu-
rito lhes dará forças para resistir ao mal e, quando
ção atualizada)].
necessário, para arrependerem-se e voltarem ao
caminho estreito e apertado. (…) Todos precisa- “Ao obedecermos à vontade de nosso Pai Celes-
mos do fortalecimento proporcionado pelo Espírito tial, esse dom inestimável do Espírito Santo estará
Santo” (Robert D. Hales, Conference Report, outu- conosco continuamente” (Robert D. Hales, Confe-
bro de 2000, p. 6; ou A Liahona, janeiro de 2001, rence Report, outubro de 2000, p. 6; ou A Liahona,
p. 8). janeiro de 2001, p. 8).

“[O dom do Espírito Santo] nos ajuda a compreen-


der a doutrina e a aplicá-la em nossa vida pessoal”

173
Capítulo 44
Capítulo 44
3 Néfi 20–22

Introdução “A oração é tão essencial à revelação que sem


Nos capítulos 15 e 16 de 3 Néfi, Jesus Cristo começara ela o véu pode permanecer fechado. Aprendam
a falar do cumprimento dos convênios feitos com a a orar. Orem sempre. Orem em pensamento e no
casa de Israel, nos capítulos 17–19 de 3 Néfi foi regis- coração. Orem de joelhos” (Conference Report,
trada uma série de milagres e nos capítulos 20–22 são outubro de 1994, p. 76; ver também A Liahona,
retomados os ensinamentos sobre o cumprimento dos janeiro de 1995, p. 64 (tradução atualizada)].
convênios feitos com Israel (ver 3 Néfi 20:10). Você
pode ajudar os alunos a ver como os acontecimentos
profetizados nesses capítulos, inclusive o surgimento • Em sua opinião, de que forma ter uma oração no
do Livro de Mórmon e a fundação da Igreja nos últi- coração beneficiou as pessoas da multidão que
mos dias, comprovam que o Senhor é sempre bondoso ouviam os ensinamentos do Salvador?
com Seu povo. A coligação do povo do Senhor nos • Que bênçãos vocês poderiam receber por lembrar-se
últimos dias demonstra que Ele o tratará com “benig- de ter sempre uma oração no coração?
nidade eterna” (ver 3 Néfi 22:8–10) e o levará de volta
• Falem de algo que os tenha ajudado a manter uma
para a “terra de sua herança” (3 Néfi 21:28).
oração no coração.
Alguns Princípios e Doutrinas 3 Néfi 20:11–29. O Pai Celestial Prometeu que
• O Pai Celestial prometeu que coligaria Israel nos Coligaria Israel nos Últimos Dias
últimos dias (ver 3 Néfi 20:11–29). Alguns dias antes da aula, peça a um aluno que se pre-
• O Livro de Mórmon possibilita a coligação de Israel pare para apresentar um breve panorama da dispersão
(ver 3 Néfi 21:1–21). de Israel. Peça-lhe que utilize a seção “História Resumida
• O Senhor lembra-Se do povo do convênio e o trata da Dispersão de Israel” que se encontra na página 443
com misericórdia e “benignidade eterna” (ver 3 Néfi do manual do aluno. Peça-lhe que coloque os diagramas
22:1–13). da página 443 no quadro para utilizar na apresentação.
• O povo de Deus triunfará no final (ver 3 Néfi Faça cópias da seção intitulada “A Coligação de Israel”,
22:14–17). que se encontra na página 444 do manual do aluno,
e leve-as para os alunos que não estiverem com o
Sugestões Didáticas manual em classe.
3 Néfi 20:1–9. Quando Temos Sempre uma Durante a aula, informe aos alunos que agora lhes será
Oração no Coração, Favorecemos a Influência apresentado um importante panorama do contexto
do Espírito Santo de 3 Néfi 20–22. Depois, peça ao aluno escolhido que
Peça que os alunos façam uma leitura rápida de apresente o que preparou.
3 Néfi 19. Peça que um aluno descreva que experiên-
Depois da apresentação, peça que a turma leia 3 Néfi
cia os nefitas tiveram quando oraram na presença do
20:11–13.
Salvador. 
• O que o Salvador pediu que as pessoas se lembras-
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
sem quanto aos dispersos de Israel?
3 Néfi 20:1.
• O que Jesus pediu ao povo que fizesse depois dessa Divida a turma em cinco duplas ou grupos. Dê a cada
experiência especial com a oração? aluno uma cópia da seção “A Coligação de Israel”
(ou peça aos alunos que abram o manual do aluno
• O que significa orar no coração?
na página 444.) Peça que cada grupo discuta uma
Leia a seguinte declaração do Presidente Boyd K. parte diferente da folha que receberam e que prepare
Packer, Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos: um resumo do que aprenderam. (Se a turma não for
grande o suficiente para a divisão em cinco grupos ou

174
3 Néfi 20–22

duplas, você pode pedir que alguns grupos discutam


Sendo assim, no que consiste a coligação de
mais de uma parte do material, ou pode deixar algu-
Israel? A coligação de Israel consiste em acre-
mas partes de lado.)
ditar, aceitar e viver em harmonia com tudo o
Depois de dar-lhes tempo suficiente para estudar e que o Senhor um dia ofereceu a seu povo esco-
discutir o texto, peça que os grupos ensinem o que lhido. Consiste em ter fé no Senhor Jesus Cristo,
aprenderam ao restante da classe. Peça-lhes que arrepender-se, ser batizado, receber o dom do
sejam breves. Peça aos demais alunos que escutem Espírito Santo e guardar os mandamentos de
com atenção e tomem notas no papel que receberam. Deus. Consiste em acreditar no evangelho, filiar-se
Esclareça brevemente os pontos abordados, conforme à Igreja e entrar no reino. Consiste em receber o
necessário. santo sacerdócio, ser investido de poder do alto
Peça a alguém que leia 3 Néfi 20:13. em lugares sagrados e receber todas as bênçãos
de Abraão, Isaque e Jacó por meio da ordenança
• Nesse versículo são feitas duas promessas. Quais do casamento celestial. Também pode consistir
são elas? na coligação em determinada terra ou lugar para
• Qual é a relação entre essas promessas? adorar” (Bruce R. McConkie, A New Witness for the
Articles of Faith, 1985, p. 515).
Peça que um aluno fique de pé na frente da turma.
Diga-lhe que você vai fazer-lhe uma série de pergun-
tas e peça-lhe que responda como se tivesse amnésia
Ajude os alunos a ver o envolvimento pessoal do Pai
(como se tivesse perdido totalmente a memória). Faça
Celestial e do Salvador na coligação de Israel. Leia os
perguntas como as seguintes:
seguintes versículos e peça aos alunos que encontrem
• Quem é você? Qual é o seu nome? De onde você é? as palavras ou frases referentes ao papel que o Pai e o
Para onde você vai? Onde está a sua família? Filho desempenham na coligação. Depois de cada ver-
sículo, peça aos alunos que digam o que encontraram.
Depois disso, faça um debate com a turma utilizando
as seguintes perguntas: 3 Néfi 20:18. (“Eu reunirei meu povo como um homem
reúne seus feixes na eira.”) 
• Que problemas uma amnésia criaria para vocês?
3 Néfi 20:21. (“Eu estabelecerei meu povo, ó casa de
• Como as outras pessoas poderiam ajudar alguém
Israel.”) 
com amnésia a lembrar-se de quem é?
3 Néfi 20:26 (“O Pai (…) enviou-me para abençoar-vos,
Peça a um aluno que leia o segundo parágrafo da
desviando cada um de vós de vossas iniquidades; e isto
introdução do capítulo 44 do manual do aluno.
porque sois os filhos do convênio.”)
• De acordo com esse parágrafo, em que sentido
3 Néfi 20:29. (“Lembrar-me-ei do convênio que fiz com
poderíamos dizer que alguns membros da casa
meu povo (…) que novamente lhes daria a terra de
de Israel tiveram uma “amnésia espiritual”?
seus pais.”)
Leia a seguinte definição da dispersão e da coligação
3 Néfi 20:39. (“Meu povo conhecerá meu nome.”) 
de Israel:
Peça aos alunos que falem das próprias ideias e do
que sentem quanto ao amor que o Pai Celestial e Jesus
“Por que Israel foi dispersa? (…) Nossos antepas-
Cristo têm a todas as pessoas. Peça-lhes que abram o
sados israelitas foram dispersos porque rejeitaram
coração ao Espírito para saber o que fazer para ajudar
o evangelho, corromperam o sacerdócio, abando-
o Pai Celestial a coligar Seus filhos.
naram a Igreja e se afastaram do reino. (…)

175
Capítulo 44

3 Néfi 21:1–21. O Livro de Mórmon Possibilita Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensinou
a Coligação de Israel que o “servo” mencionado nesses versículos é Joseph
Leia 3 Néfi 21:1–2, 7 com os alunos. Talvez seja preciso Smith (ver Christ and the New Covenant: The Messianic
explicar que, no versículo 2, as palavras “estas coisas ­Message of the Book of Mormon, 1997, pp. 287–288).
que vos declaro” referem-se ao Livro de Mórmon. • Quais serão as consequências para aqueles que
• Que sinais do início da coligação de Israel o Senhor rejeitarem o Livro de Mórmon e as palavras que
disse que mostraria? Jesus Cristo revelou por meio de Joseph Smith?
• Além de ser um dos sinais da coligação, como o Peça aos alunos que leiam Deuteronômio 18:18–19 e
Livro de Mórmon ajuda as pessoas a se coligarem Atos 3:20–23 e sugira que cruzem a referência dessas
à Igreja do Senhor? escrituras com a de 3 Néfi 21:11.
Peça aos alunos que abram o Livro de Mórmon na • Como esses versículos ajudam-nos a compreender
página de rosto. Peça que alguém leia o segundo 3 Néfi 21:11?
­parágrafo.
3 Néfi 22:1–13. O Senhor Lembra-Se do Povo
• O que o Livro de Mórmon declara aos membros do Convênio e o Trata com Misericórdia e
da casa de Israel? Benignidade Eterna
Peça que alguém leia a seguinte explicação do Élder Peça alguém que leia 3 Néfi 22:5–6. Assegure-se de
C. Scott Grow, dos Setenta, quanto ao papel do Livro que os alunos compreendam que, nesses versículos,
de Mórmon na coligação que se daria nos últimos dias: a expressão “teu marido” é uma referência ao Salva-
dor e que a expressão “mulher desamparada e triste
“Jesus Cristo deu-nos o Livro de Mórmon como de espírito e uma esposa da mocidade” refere-se à
instrumento para reunir a Israel dispersa [ver Israel dispersa.
3 Néfi 21:7]. (…) Peça a alguém que leia 3 Néfi 22:7–10.

O Livro de Mórmon [dá testemunho de si mesmo] • O que esses versículos nos ensinam quanto ao Sal-
ao povo da América Latina e de todas as nações. vador e Seu papel na coligação?
Seu surgimento nestes últimos dias presta tes-
Para resumir esse princípio, peça aos alunos que leiam
temunho de que Deus começou novamente a
o que a página 351 do manual do aluno diz a respeito
reunir a Israel dispersa. (…)
de 3 Néfi 22.
 O Livro de Mórmon, Outro Testamento de Jesus
3 Néfi 22:14–17. O Povo e o Reino de Deus
Cristo, é o meio pelo qual as pessoas de todas as
Triunfarão no Final
nações serão reunidas na Igreja de Jesus Cristo
Peça a um aluno que desenhe uma tenda no quadro-
dos Santos dos Últimos Dias” (Conference Report,
negro.
outubro de 2005, pp. 35–36; ou A Liahona,
novembro de 2005, p. 35). Peça que alguém leia 3 Néfi 22:2.
• Como poderíamos ampliar a nossa tenda?

• Como o Livro de Mórmon os ajudou a achegarem-se • O que significam as palavras “alonga as tuas cordas
a Cristo? e firma bem as tuas estacas”?

• Como podemos utilizar o Livro de Mórmon para Explique aos alunos que na Antiguidade, quando
colaborar com o Pai Celestial na coligação de alguém queria aumentar uma tenda pequena retira-
Seus filhos? vam-se as estacas do solo para voltar fincá-las a uma
distância maior do mastro central da tenda e também
Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 21:9–11. Depois
se acrescentavam mais estacas, de forma a criar maior
que terminarem, explique-lhes que o Élder Jeffrey R.

176
3 Néfi 20–22

espaço sob a cobertura da tenda. Isso é o que signifi- Peça a um aluno que leia a declaração do Presidente
cava alongar as cordas e firmar as estacas. Gordon B. Hinckley, encontrada na página 351 do
manual do aluno. Essa declaração também se encontra
Leia a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft
no DVD que acompanha o curso A . Pergunte aos alu-
­Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
nos se alguma vez tiveram que defender suas crenças
dos ataques daqueles que se opõem à Igreja e ao que
“O termo estaca é uma expressão simbólica.
ela ensina. Peça que alguns alunos contem em poucas
Visualizem mentalmente uma grande tenda sus-
palavras o que lhes aconteceu.
tentada por diversas cordas, presas a muitas esta-
cas firmemente enterradas no chão. Os profetas Diga à turma que 3 Néfi 22:14–17 fala desse tipo
comparam a Sião dos últimos dias a uma grande de situação.
tenda que abarca a terra inteira e que é sustentada • Que princípios encontramos em 3 Néfi 22:14 para
por cordas presas a estacas. Essas estacas, é óbvio, ajudar-nos a lidar com a oposição à Igreja?
são várias organizações geográficas espalhadas
• Que promessas são feitas em 3 Néfi 22:15, 17? Como
pela terra. Hoje, Israel está sendo incluída nas
essas promessas podem ajudar-nos a enfrentar
várias estacas de Sião” (Fortalece Tuas Estacas”,
a oposição?
A Liahona, agosto de 1991, p. 3).
Preste testemunho de que o Senhor nos abençoa
quando enfrentamos dificuldades e que os inimigos
• De que forma as estacas da Igreja são comparáveis da Igreja nunca triunfarão em sua campanha para
às estacas de uma tenda da Antiguidade? destruí-la.

177
Capítulo 45
Capítulo 45
3 Néfi 23–26

Introdução Peça aos alunos que leiam os versículos em silêncio.


Explique-lhes que, apesar desses versículos referi-
Quando Jesus Cristo esteve na América, ensinou ao
rem-se especificamente às palavras de Isaías e às reve-
povo o quanto as escrituras são importantes e orde-
lações de Doutrina e Convênios, aplicam-se ao estudo
nou aos nefitas que examinassem diligentemente as
das escrituras em geral. Dê-lhes tempo suficiente para
escrituras (ver 3 Néfi 23:1–5). Isso implica em mais do
terminar e, depois, pergunte-lhes como responderiam a
que uma leitura superficial. Ele também ordenou que
pergunta no quadro.
certos pormenores e profecias fossem acrescentados ao
registro em benefício das gerações futuras (ver 3 Néfi • Em sua opinião, por que o Senhor salienta tanto o
23:6–14; 24–25). Alguns desses acréscimos, principal- estudo das escrituras?
mente as profecias de Malaquias podem ajudar-nos
Leia e debata a seguinte declaração do Presidente Ezra
hoje a preparar-nos para a Segunda Vinda do Salvador.
Taft Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja:
Ao preparar-se para ensinar essas verdades, pondere
sobre como incentivar os alunos a ser mais diligentes
“Quando os membros, individualmente e como
no estudo pessoal das escrituras e a estudá-las mais a
família, se lançam regular e consistentemente ao
fundo. Você também pode ajudar os alunos a percebe-
estudo das escrituras, esses outros aspectos da
rem como as profecias de Malaquias podem ajudá-los a
participação são uma decorrência automática. Os
prepararem-se para a Segunda Vinda. 
testemunhos se fortalecerão; o comprometimento
Alguns Princípios e Doutrinas será reforçado; as famílias se tornarão mais fortes;
• O Salvador ordenou que examinássemos as palavras e fluirá a revelação pessoal” (“O Poder da Pala-
dos profetas (ver 3 Néfi 23:1–5). vra”, A Liahona, julho de 1986, p. 83).

• Nossa obediência aos princípios do evangelho


ajuda-nos na preparação para a Segunda Vinda de • Por que outras áreas da atividade na Igreja são refor-
Jesus Cristo (ver 3 Néfi 24–25). çadas como resultado do estudo regular e consis-
• Quando damos ouvidos às coisas que o Senhor já tente das escrituras? 
revelou, preparamo-nos para receber revelações
Peça aos alunos que digam em que horário costumam
ainda maiores (ver 3 Néfi 26:7–11).
ler as escrituras. Pergunte-lhes que métodos e estraté-
gias eles empregam para que o estudo das escrituras
Sugestões Didáticas seja significativo.
3 Néfi 23:1–5. O Salvador Ordenou que
Leia a seguinte declaração encontrada em Sempre Fiéis  :
Examinássemos Diligentemente as
Palavras dos Profetas
Escreva o seguinte no quadro, antes do início da aula: “Os profetas atuais aconselham-nos a estudar as
escrituras todos os dias, tanto individualmente
como em família. (…)
Nos versículos abaixo, o que o Salvador ordena
que façamos? Você se beneficiará grandemente se seguir esse
conselho. Diariamente, o estudo significativo das
3 Néfi 23:1–5
escrituras ajuda-nos a ser receptivos aos sussurros
do Espírito Santo. Ele edifica a nossa fé, fortifica-
D&C 1:37–38 nos contra a tentação e ajuda-nos a aproximar-nos
de nosso Pai e de Seu Amado Filho.

178
3 Néfi 23–26

Leia (3 Néfi 24:1 com eles e explique-lhes que essa


Desenvolva um plano para o seu estudo pessoal
é uma profecia sobre a Segunda Vinda do Salvador.
das escrituras. (…) [Reserve] algum tempo a cada
Peça-lhes que encontrem a palavra que descreve a
dia para o estudo das escrituras. Durante esse
forma como o Senhor chegará a Seu templo.
tempo, leia com cuidado, prestando atenção aos
sussurros do Espírito. Peça ao Pai Celestial que o Diga-lhes que apesar de parecer que o Salvador se
ajude a saber o que Ele deseja que você aprenda mostrará no templo de repente, essa aparição será o
e faça” (Sempre Fiéis: Tópicos do Evangelho, 2004, ponto culminante da extensa preparação Dele mesmo
pp. 67, 68). e de Seu povo.
• De acordo com as profecias, o que precisa aconte-
cer para preparar o reino do Senhor para a Segunda
• Como vocês poderiam cumprir melhor o manda-
Vinda? (Algumas das possíveis respostas são: a
mento de examinar diligentemente as escrituras e
restauração do evangelho e do sacerdócio, o surgi-
as palavras dos profetas modernos?
mento do Livro de Mórmon e a pregação do evange-
Peça aos alunos que tracem um plano de aprimora- lho em todo o mundo.)
mento de seus hábitos de estudo das escrituras. Consi-
Saliente que assim como o reino do Senhor precisa
dere a possibilidade de dar-lhes tempo em classe para
preparar-se para Sua chegada, cada membro desse
preparar esse plano por escrito.
reino também precisa preparar-se. Em 3 Néfi 24 e 25,
3 Néfi 23:6–14. Jesus Cristo Ordena que o encontramos profecias que o Salvador ordenou que
Profeta Faça Registros Exatos nas Escrituras fossem escritas para o benefício das gerações futuras
Antes do início da aula, anote um parágrafo no quadro (ver 3 Néfi 26:2–3). Elas não constavam nas placas de
ou em um papel, mas deixe de fora várias palavras- latão, pois foram registradas por Malaquias por volta
chave. Mostre o parágrafo. Mostre os pontos onde há do ano 430 a.C., ou seja, aproximadamente 170 anos
partes faltando. depois de Leí deixar Jerusalém (ver o Guia para Estudo
das Escrituras, “Malaquias”, p. 128).
• Como essas omissões afetam a possibilidade de o
leitor compreender a mensagem total do parágrafo? Diga que podemos ler 3 Néfi 24 e 25 como um guia
para ajudar a preparar-nos para a Segunda Vinda do
Diga que Jesus Cristo ordenou aos profetas que Salvador. Dê tempo para os alunos lerem esses capí-
mantivessem registros exatos nas escrituras. Peça aos tulos individualmente e encontrarem pelo menos dois
alunos que leiam 3 Néfi 23:6–14 para descobrir qual foi princípios do evangelho que sejam úteis para preparar-
o ponto omitido no registro dos nefitas com o qual o nos para a Segunda Vinda.
Salvador se preocupava.
Depois que eles tiverem tempo suficiente para isso,
• Em sua opinião, por que seria importante que, no peça-lhes que digam que princípios encontraram. Per-
futuro, as pessoas soubessem que essa profecia gunte-lhes como aplicariam esses princípios à própria
se cumprira? vida hoje. (Se preferir, deixe para entrar em maiores
3 Néfi 24–25. Nossa Obediência aos Princípios detalhes quanto ao dízimo e o trabalho realizado nos
do Evangelho Ajuda-nos na Preparação para a templos mais adiante na lição. Nesse caso, não dedique
Segunda Vinda de Jesus Cristo muito tempo desta atividade a esses princípios.)
Peça aos alunos que pensem nas coisas que fazem Em 3 Néfi 24:8–11 o Senhor ordena ao povo que
para as quais precisam preparar-se cuidadosamente viva a lei do dízimo. Ao falar da lei do dízimo com a
por algum tempo. Peça-lhes que falem das coisas em turma, sugere-se que você utilize alguns dos seguintes
que pensaram. (Talvez os alunos falem de coisas como recursos: as páginas 355–356 do manual do aluno; o
participar de uma corrida de longa distância, economi- verbete “Dízimo” das páginas 59–60 de Sempre Fiéis e
zar para a missão ou para custear a faculdade.)

179
Capítulo 45

“Dízimos e Ofertas”, nas páginas 34–35 de Para o Vigor Sugira aos alunos que anotem 3 Néfi 25:6, nota de
da Juventude. rodapé c, ou escreva D&C 110:13–16 na margem de
3 Néfi 25:5–6. Peça a alguém que leia o cabeçalho da
Peça aos alunos que ponderem sobre como o paga-
seção 110 de Doutrina e Convênios. Peça a outra pes-
mento do dízimo e das ofertas os ajuda a suportar o
soa que leia Doutrina e Convênios 110:13–16.
dia da vinda do Senhor (ver 3 Néfi 24:2; ver também
D&C 64:23    ). Peça que alguém leia 3 Néfi 24:8. • Quando Elias voltou e onde ele se mostrou?
• Por que deixar de pagar o dízimo é como roubar Você pode utilizar as seguintes declarações sobre a
ao Senhor? volta de Elias. As palavras do Élder Russell M. Nelson
que também se encontram no DVD que acompanha o
Diga aos alunos que passem os olhos por 3 Néfi 24:9–12
curso A .
à procura de respostas para as seguintes perguntas:
• Quais são algumas das bênçãos prometidas aos que
“É interessante saber que no dia três de abril de
pagam o dízimo?
1836, os judeus estavam celebrando a Páscoa,
• De que forma o mandamento de pagar o dízimo deixando a porta de casa aberta para a chegada de
separa quem vive em retidão de quem é iníquo? Elias. Elias chegou nesse dia, mas não em um lar
judeu; em vez disso apareceu no Templo, na vila
Peça aos alunos que falem das bênçãos que receberam
de Kirtland (…) a dois humildes servos do Senhor”
por obedecer a lei do dízimo.
( Joseph Fielding Smith, Church History and
Mostre alguns objetos relacionados à história da famí- Modern Revelation, 4 vols., 1953, vol. 3, p. 84).
lia, como por exemplo, fotos de antepassados, gráficos
de linhagem ou fichas de grupo familiar. “A volta de Elias à Terra aconteceu no primeiro
templo construído nesta dispensação, onde ele e
• Quais são nossas obrigações para com nossos ante-
outros mensageiros celestiais, sob a orientação do
passados?
Senhor, transmitiram as chaves especiais da autori-
Leia a seguinte declaração do Profeta Joseph Smith: dade do sacerdócio à Igreja restaurada[.] (…)

Com isso, a afeição natural entre as gerações


“A maior responsabilidade do mundo que Deus começou a crescer. Essa restauração foi realizada
colocou sobre nós é a de buscar nossos mortos” pelo que às vezes é chamado de Espírito de Elias,
(Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph que é uma manifestação do Espírito Santo, que
Smith, 2007, p. 500). presta testemunho da natureza divina da família.
Desde aquele momento, as pessoas do mundo
inteiro, não importa a religião, estão reunindo
Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 25:5–6. Sugere-se que
registros de parentes falecidos em escala sempre
você diga que o anjo Morôni repetiu essa profecia da
crescente.
primeira vez que apareceu a Joseph Smith (ver D&C 2;
Joseph Smith — História 1:36–39). Referindo-se a essa Elias, o profeta, veio não só para incentivar a
profecia, o Profeta Joseph Smith ensinou: “A Terra será busca dos antepassados. Ele também tornou pos-
ferida com maldição, a menos que exista um elo (…) sível às famílias unirem-se eternamente, transcen-
entre os pais e os filhos” (D&C 128:18). dendo os limites da mortalidade. Na verdade, a
possibilidade de selar as famílias para sempre é o
• De acordo com o Senhor, quem viria antes da
verdadeiro motivo de nossa pesquisa” (Russell M.
Segunda Vinda?
Nelson, Conference Report, abril de 1998, p. 43; ou
• Por que Elias foi enviado?
A Liahona, julho de 1998, p. 37).

180
3 Néfi 23–26

• Como as ordenanças do templo fazem com que quanto a esses versículos. Peça ao restante da turma
nosso coração se volte para nossos antepassados que procure as respostas em 3 Néfi 26:7–11: Depois de
falecidos? Como as ordenanças do templo fazem debater as perguntas dos alunos, sugere-se que você
com que nosso coração se volte para nossos familia- pergunte o seguinte:
res ainda vivos?
• De que forma receber a “parte menor” serve para
Peça aos alunos que falem das bênçãos que receberam colocar nossa fé à prova? 
ou que poderão receber graças às ordenanças do tem- • O que temos que fazer para que “as coisas maiores”
plo. Peça-lhes que ponderem no que podem fazer para nos sejam manifestadas?
cumprir as obrigações que têm para com os próprios
• Que regra de fé mais reflete o princípio ensinado em
antepassados.
3 Néfi 26:9–10?
Preste seu testemunho das bênçãos advindas das orde-
Utilize a seguinte declaração do Élder Neal A. Maxwell
nanças do templo.
(1926–2004), do Quórum dos Doze Apóstolos, (tam-
3 Néfi 26:7–11. Quando Damos Ouvidos às bém disponível no DVD que acompanha o curso B ):
Coisas Que o Senhor Já Revelou, Preparamo-nos
para Receber Revelações Ainda Maiores “Da mesma forma que haverá mais membros,
Dê alguns minutos para que os alunos escrevam famílias, alas, estacas e templos da Igreja, mais
perguntas que possam ser respondidas com 3 Néfi tarde haverá também mais escrituras revigoran-
26:7–11. Diga-lhes que reservem as perguntas, pois tes e inspiradoras. Entretanto, precisamos antes
serão usadas mais adiante na aula. banquetear-nos com aquilo que já possuímos!”
Leia a declaração do Presidente Spencer W. Kimball, (Conference Report, outubro de 1986, p. 70; ver
encontrada na página 358 do manual do aluno. também A Liahona, janeiro de 1987, p. 37 (tradu-
ção atualizada)].
• O que aprendemos com a declaração do Presi-
dente Kimball?
• Por que devemos estudar e seguir aquilo que já foi Peça aos alunos que pensem em uma ocasião em que
revelado antes de querer receber mais revelações? conseguiram aprender verdades maiores por terem
sido fiéis às verdades que já conheciam. Peça-lhes que
Peça a alguém que leia 3 Néfi 26:7–11. Depois, peça falem dessas experiências.
que alguns alunos leiam as perguntas que prepararam

181
Capítulo 46
Capítulo 46
3 Néfi 27–30

Introdução nome Dele. Depois de lhes dar tempo suficiente para


discutir o assunto em duplas, peça-lhes que falem das
Quase no final de Seu ministério entre os nefitas, o
idéias que tiveram ao restante da turma.
Salvador respondeu à dúvida que os discípulos tinham
quanto ao nome a ser dado à Igreja e disse-lhes que Pergunte-lhes em que parte das escrituras o Senhor
a Igreja deveria receber o Seu nome. Ele ajudou-os revelou o nome completo de Sua Igreja nesta dispen-
a compreender que apenas Sua Igreja poderia ser sação. Peça que alguém leia Doutrina e Convênios
alicerçada em Seu evangelho e, depois, definiu o que 115:3–4. Depois, escreva o seguinte no quadro:
é esse evangelho. Ao ensinar essas histórias, você terá
a oportunidade de lembrar aos alunos que a Igreja e A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
o evangelho são os meios que o Senhor emprega para Últimos Dias
ajudar-nos a voltar a Ele.
A
Este bloco de escrituras é singular, porque conta a
Igreja = 
história do translado dos três discípulos nefitas, e nele
encontramos mais informações sobre os seres transla- de Jesus Cristo = 
dados do que em qualquer outra escritura. Você pode dos Santos
ajudar os alunos a compreenderem por que o Senhor
dos Últimos Dias = 
translada alguns de Seus servos mortais.
3 Néfi encerra-se com a descrição de Morôni do papel
que o Livro de Mórmon teria na coligação de Israel na Peça aos alunos que discutam o significado ou a
época atual. Você pode incentivar os alunos a renova- importância de cada parte do nome da Igreja.
rem o compromisso de empregarem essa dádiva pre- Utilize a declaração do Presidente Gordon B. Hinckley,
ciosa na própria vida e em seus esforço para convidar encontrada na página 360 do manual do aluno ou no
outras pessoas a achegarem-se ao Salvador. DVD que acompanha o curso A . Explique-lhes que
o Presidente Hinckley disse isso em um discurso para
Alguns Princípios e Doutrinas a congregação geral dos membros da Igreja, em sua
• A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias primeira conferência geral como Presidente da Igreja.
tem o nome de Cristo e está alicerçada no evangelho Estas perguntas podem ser úteis:
de Cristo (ver 3 Néfi 27).
• Se tivessem que resumir essa declaração do Presi-
• Alguns servos fiéis do Senhor foram transladados dente Hinckley em uma ou duas frases, que frases
para que pudessem continuar seu ministério na seriam essas? 
Terra (ver 3 Néfi 28).
• Que mensagem transmitimos quando empregamos
• O surgimento do Livro de Mórmon marcou o início o nome completo da Igreja em vez do apelido?
da coligação de Israel (ver 3 Néfi 29:1–3).
• O que vocês poderiam dizer se alguém lhes pergun-
Sugestões Didáticas tasse se são Mórmons? Por quê?

3 Néfi 27. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 27:8–11. Chame
dos Últimos Dias Tem o Nome de Cristo e Está a atenção dos alunos para a repetição da palavra
Alicerçada no Evangelho de Cristo evangelho.
Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 27:1–3 e anotem a • Se alguém lhes perguntasse o que querem
pergunta que os discípulos de Jesus fizeram. Depois, dizer quando usam as palavras “o evangelho”
peça-lhes que formem duplas para estudar 3 Néfi o que diriam?
27:4–9. Antes que eles comecem a estudar, peça-lhes
que encontrem o maior número possível de razões Você pode anotar as ideias dos alunos no quadro
pelas quais a Igreja de Jesus Cristo tem que levar o à medida que eles responderem a pergunta. Pode

182
3 Néfi 27–30

também ler a seguinte declaração de Sempre Fiéis e cruzadas. Outra opção seria utilizar uma das páginas
anotá-la resumidamente no quadro: em branco do início ou do final do Livro de Mórmon e
anotar essas referências sob o título “O Evangelho de
“O evangelho é o plano de felicidade de Nosso Jesus Cristo”, ou outro semelhante.
Pai Celestial. A doutrina central do evangelho é a Utilize a tabela e as perguntas abaixo para ajudar os
Expiação de Jesus Cristo. (…) Na sua plenitude, alunos a discutirem e assimilarem os princípios das
o evangelho inclui todas as doutrinas, princípios, escrituras lidas:
leis, ordenanças e convênios necessários a nós
para sermos exaltados no reino celestial” (Sempre
Fiéis: Tópicos do Evangelho, 2004, p. 76). Evangelho de Referências de Escritura
Jesus Cristo

A Expiação de 3 Néfi 27:13–14


Peça aos alunos que abram as escrituras em 3 Néfi Jesus Cristo
27:13–22. Diga-lhes que façam a leitura silenciosa
Fé 3 Néfi 27:19
desses versículos e sublinhem os princípios que, de
acordo com Jesus Cristo, fazem parte de Seu evange- Arrependimento 3 Néfi 27:16, 19–20
lho. Dê-lhes tempo suficiente para leitura e, depois,
Batismo 3 Néfi 27:16, 20
peça-lhes que digam o que encontraram. Acrescente
mais itens à lista do quadro, se necessário. Espírito Santo 3 Néfi 27:20
Anote estas referências de escritura no quadro: Perseverar até o fim 3 Néfi 27:16–17

Ressurreição 3 Néfi 27:14, 22


2 Néfi 31
Julgamento 3 Néfi 27:14–16
D&C 20:8–36
Moisés 6:53–62
• De acordo com esses versículos, que bênçãos rece-
bemos por viver o evangelho de Jesus Cristo?
Divida a turma em três grupos e encarregue cada • Como o estudo desses versículos aprofundou seu
grupo de um desses blocos de escritura. Peça aos alu- entendimento do que é o evangelho?
nos que passem os olhos pelas escrituras de que foram
• Por que precisamos de revelações atuais para com-
encarregados à procura de mais ideias quanto ao signi-
preender o evangelho?
ficado da palavra evangelho. Volte a chamar a atenção
dos alunos para a lista do quadro para ajudá-los a Ajude os alunos a perceberem que os princípios do
compreender a importância das escrituras que leram. evangelho contidos nas escrituras e nas revelações
Peça que um ou mais alunos de cada grupo falem das modernas são evidências de que Deus deseja conceder
coisas que aprenderam com a leitura. a bênção da exaltação a Seus filhos.

Incentive os alunos a encadearem essas escrituras cru- Para concluir, leia 3 Néfi 27:27    . Peça aos alunos
zando a referência de 3 Néfi 27:13–22 e das três passa- que meditem sobre o que podem fazer para seguir
gens relacionadas no quadro. Por exemplo, na margem mais perfeitamente a admoestação que o Salvador
de 3 Néfi 27:13–22, eles poderiam escrever Ver 2 Néfi nos fez de sermos como Ele é.
31. Na margem de 2 Néfi 31, poderiam anotar Ver
3 Néfi 28. Alguns Servos Fiéis do Senhor Foram
D&C 20:8–36. Na margem de Doutrina e Convênios
Transladados para Que Pudessem Continuar
20:8–36, poderiam anotar Ver Moisés 6:53–62. E, na
Seu Ministério na Terra
margem de Moisés 6:53–62, poderiam anotar Ver 3 Néfi
Peça aos alunos que façam a leitura silenciosa de
27:13–22, para terminar a sequência de referências
3 Néfi 28:1–10 e observem o que os doze discípulos

183
Capítulo 46

nefitas responderam quando Jesus lhes perguntou: 6. Seriam capazes de mostrar-se a quem quisessem
“O que desejais de mim depois que eu for para o Pai?” (ver versículo 30).
• Que bênção o Senhor prometeu aos primeiros 7. Seriam abençoados de forma que Satanás não teria
nove discípulos? Que bênção Ele concedeu aos poder sobre eles (verversículo 39).
outros três?
8. Permaneceriam na Terra até o dia do Juízo Final
Ajude os alunos a compreenderem que aqueles três (ver versículo 40).
discípulos foram colocados em uma condição especial Saliente que o Salvador disse aos Três Nefitas que eles
e isso é ser transladado. Ajude-os a compreender que andariam entre os judeus e os gentios e que estes não
ser transladado é diferente de passar por uma transfi- os reconheceriam (ver 3 Néfi 28:25–30). Portanto, mui-
guração ou pela ressurreição. Para mais informações, tas das histórias que se contam por aí a respeito dos
peça-lhes que consultem as definições da página 362 Três Nefitas provavelmente são falsas. Diga também
do manual do aluno. que muitas vezes a frase “nunca padecereis as penas
Peça aos alunos que citem o nome de outros perso- da morte” (versículo 8) é interpretada como se quisesse
nagens das escrituras que foram transladados (algu- dizer que os Três Nefitas nunca morreriam, mas isso
mas das respostas possíveis são Moisés, Elias e João, não é correto. Paulo ensinou que “todos morrem em
o Amado). Diga-lhes que o Senhor translada aqueles Adão” (I Coríntios 15:22). Isso quer dizer todos mesmo,
que precisam (1) viver por mais tempo do que seria inclusive os seres transladados. A diferença é que os
possível na mortalidade e (2) permanecer no corpo seres transladados passam pela morte em um instante
físico para cumprir uma missão divina que lhes tenha e imediatamente se tornam seres ressurretos. Eles não
sido dada. passam pela experiência de ter o corpo e o espírito
separados por certo tempo, como acontecerá com a
Divida a turma em três ou quatro grupos. Para ajudar
maioria de nós. Nas palavras da escritura, essa trans-
os alunos a compreenderem as experiências pelas
formação acontece “em um abrir e fechar de olhos”
quais os três discípulos passaram e a condição em que
(versículo 8). É nesse sentido que eles não provarão
se encontravam, conforme o que consta em 3 Néfi 28,
a morte (ver versículo 7).
peça-lhes que examinem os versículos 6–40 e conver-
sem sobre o que entenderam. Enquanto os grupos tra- Peça a três alunos que leiam, cada um, uma das
balham, vá de grupo em grupo e escute o que dizem. seguintes passagens de escritura. Peça aos demais que
Incentive todos os alunos a participarem da discussão prestem atenção em qual seria o trabalho e a missão
do grupo. Sugira que eles anotem nas escrituras as dos nefitas transladados.
ideias comentadas em grupo. Entre essas ideias deve
constar que os Três Nefitas: 4 Néfi 1:30–37
1. Nunca provariam a morte, mas passariam da mor- Mórmon 1:13–16
talidade para a imortalidade “num abrir e fechar de
Mórmon 8:6–11
olhos” (ver versículos 7–8).
2. Não sofreriam mais dores, mas ainda teriam tristezas
pelos pecados do mundo (ver versículo 9). • O que essas escrituras nos ensinam sobre esses três
discípulos?
3. Foi-lhes garantida a exaltação (ver versículo 10).
• Como o fato de terem sido transladados os ajuda a
4. Viram e ouviram coisas inexprimíveis (ver versí- realizar esse trabalho?
culos 13–14).
Peça a alguém que leia 3 Néfi 28:9–10.
5. Seriam protegidos de forma que os maus não teriam
poder sobre eles (verversículos 19–22). • Por que esses três discípulos quiseram permanecer
na Terra?

184
3 Néfi 27–30

• De acordo com esses versículos, qual é um dos • Como podemos participar da coligação de Israel ou,
resultados de se levar o evangelho a outras pessoas? em outras palavras, como podemos convidar outras
pessoas a achegarem-se a Cristo?
Peça aos alunos que falem da alegria que sentiram
ao falar do evangelho a outras pessoas. Além disso, • Como o Livro de Mórmon pode ajudar-nos no tra-
se quiser pode pedir-lhes que falem da alegria que balho de convidar outras pessoas a achegarem-se
sentiram quando ouviram o evangelho por meio de a Cristo?
outras pessoas. Peça que alguém leia 3 Néfi 29:3 enquanto os demais
3 Néfi 29:1–3. O Surgimento do Livro de prestam atenção para descobrir de que promessas o
Mórmon Marcou o Início da Coligação de Israel Senhor prometeu que se lembraria.
Peça aos alunos que leiam 3 Néfi 29:1–3 e Moisés Lembre aos alunos que os membros da Igreja de Jesus
7:60–62. Anote essas referências no quadro. Peça aos Cristo dos Santos dos Últimos Dias também pertencem
alunos que descubram que ensinamentos essas duas à casa de Israel.
passagens têm em comum. (Ambas predizem a coliga-
• Que evidências vocês, que são membros da casa de
ção de Israel e o surgimento do Livro de Mórmon. Se
Israel, têm de que o Senhor lembrou-Se dos convê-
eles não perceberem as alusões ao Livro de Mórmon,
nios que fez com vocês?
indique-lhes a expressão “estas palavras” em 3 Néfi
29:1 e a frase “verdade farei brotar da terra para prestar • Como o fato de saberem que o Senhor lembra-Se
testemunho do meu Unigênito” em Moisés 7:62.) dos convênios que faz com vocês influencia
suas ações?
• De acordo com 3 Néfi 29:1–2, quando começaria
a coligação de Israel? (Quando “estas palavras”, ou Se o tempo permitir, peça aos alunos que leiam 3 Néfi
seja, o Livro de Mórmon, chegassem “segundo sua 29:4–9 e identifiquem as palavras do Senhor dirigidas a
promessa”.)  quem viveria nos últimos dias, ou seja, as advertências
que fez e as bênçãos que prometeu a essas pessoas.
Lembre aos alunos que os profetas modernos salien-
taram que o surgimento do Livro de Mórmon é mais Fale daquilo que você sente diante do carinho e des-
do que um sinal do início da coligação, é também um velo com que o Senhor realiza o trabalho de salvar
instrumento que contribuirá para ela.  cada um de nós e de conduzir-nos de volta ao lar.

Utilize a seguinte declaração do Presidente Ezra Taft


Benson (1899–1994), 13º presidente da Igreja (também
disponível no DVD que acompanha o curso B ):

“Aliado ao Espírito do Senhor, o Livro de Mór-


mon é simplesmente o instrumento mais eficaz
que Deus nos concedeu para converter o mundo.
Se quisermos [que haja uma grande] colheita de
almas (…), precisamos utilizar-nos do instrumento
que Deus preparou para isso: o Livro de Mórmon”
(Conference Report, outubro de 1984, pp. 6–7; ou
Ensign, novembro de 1984, p. 7).

185
Capítulo 47
Capítulo 47
4 Néfi

Introdução “Tornamo-nos dignos da vida eterna por meio do


Em todas as épocas da história, as pessoas procuraram processo da conversão. Conforme utilizada aqui,
felicidade, paz e prosperidade. As escrituras falam de essa palavra de muitos sentidos significa não só um
duas sociedades que alcançaram esse estado: o povo convencimento, mas uma profunda mudança de
de Sião, ou da cidade de Enoque (verMoisés 7), e o natureza. (…) O desafio lançado por Jesus mostra
povo do Livro de Mórmon entre o qual o Salvador que a conversão que Ele exige dos que vão entrar
esteve após a Ressurreição e ao qual ensinou pessoal- no reino dos céus envolve muito mais do que sim-
mente (ver 4 Néfi 1). Em 4 Néfi, lemos a história de plesmente se converter para testificar a veracidade
um povo que, após a aparição do Salvador, por quase do evangelho. Testificar é saber e declarar. O evan-
200 anos viveu em tamanha retidão que “não poderia gelho desafia-nos a ‘convertermo-nos’, o que exige
haver povo mais feliz entre todos os povos criados pela que façamos e nos tornemos algo” (Conference
mão de Deus” (4 Néfi 1:16). Infelizmente, essa socie- Report, outubro de 2000, pp. 41–42; ou A Liahona,
dade acabou por entrar em apostasia. Será bom para janeiro de 2001, p. 40–41).
os alunos comparar as escolhas que levaram esse povo
a gozar de quase 200 anos de felicidade com aquelas
que resultaram em sua desgraça. Leia 4 Néfi 1:1–2 com os alunos.
• Que elementos desses versículos demonstram que
Alguns Princípios e Doutrinas o povo se convertera de verdade? (Algumas das
• Quando as pessoas se convertem mesmo ao evange- possíveis respostas são: arrependimento, batismo, o
lho de Jesus Cristo, trabalham em união e paz (ver fato de terem recebido o Espírito Santo, a ausência
4 Néfi 1:1–19). de discórdias e o fato de agirem retamente uns com
• O orgulho leva à desunião, discórdia e apostasia os outros.)
(ver 4 Néfi 1:20–49). • Em sua opinião, por que essas coisas indicam que a
pessoa se converteu?
Sugestões Didáticas
Peça aos alunos que formem duplas ou grupos peque-
4 Néfi 1:1–19. Quando as Pessoas Se Convertem
nos. Peça que cada dupla ou grupo leia 4 Néfi 1:3–18 e
Mesmo ao Evangelho de Jesus Cristo, Trabalham
em União e Paz faça uma lista de outras indicações de que as pessoas
haviam-se convertido. Talvez essas listas incluam o fato
Escreva no quadro: “Todo o povo (…) foi convertido”
de que eles tinham todas as coisas em comum, realiza-
(4 Néfi 1:2).
vam milagres em nome de Jesus Cristo, tinham o amor
• O que significa ser convertido? de Deus no coração, não cometiam pecados graves e
Utilize a seguinte declaração do Élder Dallin H. Oaks, eram unidos. Depois de três ou quatro minutos anote
do Quórum dos Doze Apóstolos (também disponível no quadro os elementos encontrados pelos alunos.
no DVD que acompanha o curso A ): • Em sua opinião, que influência um membro da
Igreja que se converte sinceramente tem na própria
família e na localidade onde mora?

Peça aos alunos que meditem em silêncio sobre as


seguintes questões:
• Em que aspecto de sua vida você sente que pre-
cisa melhorar para converter-se mais plenamente
ao Senhor?
• Como essas mudanças afetariam sua família e
seus amigos?

186
4 Néfi

Saliente que a verdadeira conversão traz o aumento do • Em sua opinião, por que as pessoas que se conver-
amor e o cuidado para com os demais. À medida que tem ao Senhor são mais propensas a procurar viver
nos convertemos verdadeiramente, eliminamos o orgu- em união e paz com os demais?
lho e a discórdia de nossa vida e em seu lugar temos • Como a união influencia a família, a ala ou o ramo?
paz e maior felicidade.
• O que vocês perceberam que propicia a união entre
Peça que alguém leia 4 Néfi 1:17. os membros da família ou outros entes queridos?
• Em sua opinião, o que significa dizer que não havia
4 Néfi 1:20–49. O Orgulho Leva à Desunião,
“qualquer espécie de itas”? Discórdia e Apostasia
Diga que depois das manifestações do Salvador, o povo Explique aos alunos que essa sociedade continuou
passou a viver em união e paz, superou todas as diferen- a gozar dessas condições ideais por quase 200 anos.
ças étnicas e culturais que antes existiam e, daí em diante, Depois, ao longo dos cem anos seguintes, as coisas gra-
foram eliminadas a denominação de “nefitas” e “lamani- dualmente mudaram, pois as pessoas começaram a fazer
tas” que utilizavam para distinguir-se uns dos outros.  escolhas que as levaram a degenerar “na incredulidade e
na iniquidade, de ano para ano” (4 Néfi 1:34). Peça aos
Leia a declaração do Presidente James E. Faust e a do
alunos que façam a leitura silenciosa de 4 Néfi 1:45–48
Élder Richard G. Scott, encontradas nas páginas 367–368
para ver no que essas escolhas resultaram: todos torna-
do manual do aluno. Essas declarações também se
ram-se iníquos, exceto os discípulos de Jesus; o povo
encontram no DVD B e C que acompanha o curso.
permitiu que os ladrões de Gadiânton se alastrassem por
• Como podemos ter união com pessoas de culturas toda a terra e as escrituras foram escondidas do povo.
diferentes? Como podemos ter união com pessoas Depois, trace o seguinte esquema no quadro, ou utilize
cujos interesses e habilidades são diversos dos nossos? um projetor, mas não inclua o texto entre parênteses.
A Decadência de um Povo

versículo (Uma pequena parte do povo rebela-se contra a Igreja, isto é, entra em apostasia. Alguns princípios do evangelho
20 deixados de lado: união, dedicação à Igreja do Senhor.)

versí- (Algumas pessoas passam a usar roupas caras, deixam de repartir seus bens, dividem-se em classes
culos e formam igrejas para obter lucro. Alguns princípios do evangelho deixados de lado: humildade, cari-
24–26 dade.)

versí- (Algumas pessoas passam a negar partes importantes do evangelho, a ministrar ordenan-
culos ças sagradas a quem não é digno, perseguir os membros da Igreja e negar Cristo. Alguns
27–29 princípios do evangelho deixados de lado: reverência, fé, humildade, bondade.)

versí- (Algumas pessoas tentam matar os três discípulos nefitas, endurecem o


culos coração, seguem falsos sacerdotes e profetas e maltratam os seguido-
30–34 res de Jesus. Alguns princípios do evangelho deixados de lado: respeito à
vida, caridade.)

versí- (Surgem divisões entre o povo. A parte mais iníqua rejeita o


culos evangelho e passa a ensinar os filhos a rejeitar Jesus Cristo
35–39 e quem Nele acredita. Alguns princípios do evangelho deixa-
dos de lado: união, caridade, fé.)

versí- (Os iníquos tornam-se mais numerosos que os


culos bons, continuam a buscar as coisas do mundo
40–43 e criam juramentos e combinações secretas.
Alguns princípios do evangelho deixados de lado:
humildade, caridade, honestidade.)

187
Capítulo 47

Explique aos alunos que esse esquema ilustra como • Como a presença de verdades sagradas, como as que
a decadência do povo foi gradual e ocorreu por meio temos nas escrituras e em outras revelações, aumenta
de uma longa série de decisões pecaminosas. Leia nossa capacidade de progredir espiritualmente?
com os alunos os versículos referentes a cada degrau
Leia a seguinte declaração do Presidente Spencer W.
desse esquema. Depois da leitura de cada grupo de
Kimball (1895–1985), 12º presidente da Igreja:
versículos, peça aos alunos que façam uma lista de
(1) todas as atitudes erradas do povo e (2) dos prin-
cípios do evangelho que foram abandonados (acima “Percebo que, quando negligencio meu relacio-
encontram-se alguns exemplos entre parênteses). namento com a Deidade e tenho a impressão de
Peça que um aluno se encarregue de anotar as ideias que nenhum ouvido divino está escutando o que
dos demais. digo e nenhuma voz celestial está falando comigo,
parece que estou muito, muito longe. Se mergulho
• Qual é a relação entre o orgulho e as outras atitudes nas escrituras, a distância diminui e a espiritua-
erradas relativas a cada degrau do esquema? lidade volta. Passo a amar mais intensamente as
Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 38:24–27. pessoas que devo amar de todo o coração, poder,
mente e força e, por amá-las mais, torna-se mais
• Como a obediência a esses princípios poderia ter
fácil seguir seus conselhos” [What I Hope You Will
posto fim à trajetória descendente do povo? 
Tea