Você está na página 1de 4

LAILA REZENDE (8091188)

Matemática (Licenciatura)

A Sala de Aula Hoje: Uma Perspectiva de Como Lecionar

Tutor: Eliane Nunes Marins

Claretiano - Centro Universitário

GOIÂNIA- GO
2020

Página 1 de 4REV-00
A SALA DE AULA NA ATUALIDADE

Resumo: Este trabalho é um artigo sobre a estratégias de ensino utilizadas nas salas de aula.
Aqui vamos perceber que a utilização dessas estratégias, vem ganhando um grande espaço na
sala de aula. Isso porque, o professor em busca de novos métodos de ensino, que tornem o
conteúdo mais atraente para os alunos, tem achado encontrado nessas novas estratégias,
resultados positivos no quando se refere ao aproveitamento dos alunos, uma vez com que faz
com que o aluno deixe de ser um simples receptor de conteúdo, passando a interagir com o
processo de construção do conhecimento, incentivando e motivando o aluno a superar as
dificuldades de aprendizagem e a construir o conhecimento.
Palavras-Chave: Estratégia. Ensino. Aprendizagem.

1.INTRODUÇÃO
A sala de aula hoje vem sofrendo transformações no sentido de desenvolver métodos e
técnicas visando à diminuição de alunos reprovados e o baixo índice de aproveitamento. Os
alunos têm dificuldade em aceitar e absorver o conteúdo quando simplesmente lançados em sala
de aula, sem nenhuma finalidade e nenhuma aplicação. O conteúdo é repassado aos alunos sem
nenhum sentido prático, de forma aleatória e não despertam interesse. Isso faz com que o
professor tenha a necessidade de se preocupar com novos métodos de ensino, que tornem o
conteúdo mais atraente para seus alunos.
A sala de aula deve trazer práticas prazerosas e desafiadoras, que ao mesmo tempo se
mostra real e desperta interesse. O caminho do ensino é trilhado por reflexões que levam a
respostas, e cabe ao professor indicar os caminhos menos tortuosos e mais interessantes aos seus
alunos.
Nos últimos anos, começaram a ser utilizadas outras estratégias de ensino onde o aluno
deixa de ser um “depósito” de conteúdos, passando a ser um dos construtores do conhecimento.
Para tanto, o professor deve conhecer as diferentes estratégias de ensino, como se fossem
ferramentas que estarão a sua disposição e que deverá ser usada, a que melhor se encaixar a cada
assunto a ser ensinado. Contudo, isso só será possível se o educador possuir domínio, além das
estratégias de ensino, do conteúdo a ser ensinado. O professor deve ter pleno conhecimento de
cada conteúdo para então conseguir associá-los à estratégia de ensino mais eficaz para cada um.
Os educadores devem ser orientados a refletir, analisar e avaliar as potencialidades de
cada estratégia a ser desenvolvida em cada conteúdo, identificando suas contribuições no
aprendizado e desenvolvimento intelectual e social dos alunos.

Página 2 de 4REV-00
2.DESENVOLVIMENTO
Com o passar dos anos, o avanço da tecnologia, das pesquisas e do conhecimento, a
educação deve repensar seus moldes tradicionais de ensino. O mundo moderno é pautado na
tecnologia que aponta para o virtual e seu leque de oportunidades e potencialidades. Dessa
forma, faz-se necessária a adoção de uma Educação aberta à tecnologia. Deve-se reformular os
parâmetros educacionais, visando modificações no trabalho e nas atividades didáticas para que
possam ser associadas ao uso de computadores ou de qualquer outra mídia (CABRAL, 2005).
O processo de renovação, deve ter no professor o interesse pela busca sem incessante de
novos conhecimentos para reorganização dos conteúdos. O educador deve pensar em programas
inovadores que favoreçam a aprendizagem dos alunos. Só assim, é possível transformar
metodologias pedagógicas tradicionais em metodologias estratégicas interessante para quem
precisa ter o interesse despertado para o aprender.
Uma estratégia que vem sendo adotada é a sala invertida. Esse método consiste
basicamente em: o aluno estuda os conteúdos básicos antes da aula através de vídeos de curta
duração, textos, exercícios, dentre outros recursos enquanto o professor aprofunda o aprendizado
a partir de situações-problema em sala de aula. Esse método faz com que o aluno aprenda em
casa, com o apoio da internet, o que antes só se aprendia na escola. A grande vantagem disso é
que diante do computador, o aluno tem um mundo virtual que pode ser explorado trazendo um
horizonte quase infinito de pesquisas e informações que se tornam não só interessantes e
despertam a curiosidade.
A meta é inovar para garantir maior aproveitamento no processo ensino/ aprendizagem.
Para isso, é essencial que os professores estejam preparados para usar estratégias e metodologias
que chamem interessem aos alunos, despertando a curiosidade e o prazer em aprender, trazendo-
os a participarem das aulas.
Outro ponto que vem sendo discutido á a forma de avaliar o conhecimento adquirido em
sala de aula. Tantos anos se passaram e ainda hoje, mesmo com tanto avanço nos estudos, ainda
vemos o tradicional método de avaliação quantitativa sendo usado. A tendência é utilizar
métodos avaliativos que não limitem, a partir dos quais se pode considerar as diferentes formas
de absorção de conhecimento de aluno para aluno.

3.CONSIDERAÇÕES FINAIS
Com a busca por alternativas que aumentem a motivação na aprendizagem, a
autoconfiança e o interesse dos alunos, a utilização de diferentes estratégias de ensino vem
ganhando importância na sala de aula.
Página 3 de 4REV-00
Mas mesmo com tantas vantagens, as estratégias devem ser escolhidas e preparadas com
cuidado, de forma que auxilie na assimilação e fixação dos conteúdos, desperte o raciocínio
lógico e dedutivo. Cuidando assim, para que não seja apenas uma atividade corriqueira.
Com tudo isso, através dessa Revisão Bibliográfica, pode concluir que o uso das
estratégias em sala de aula estão se tornando cada vez mais um recurso importante e eficaz que
vem renovando a forma de ensino-aprendizagem, possibilitando ao aluno superar as dificuldades
de aprendizagem e construir o conhecimento, por meio de incentivo e motivação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BORIN, J. Jogos e resolução de problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São
Paulo: IME-USP; 1996.

POLYA, G. A arte de resolver problemas. Rio de Janeiro: Interciência, 1978.

CABRAL, T. C. B. Ensino e Aprendizagem de Matemática na Engenharia e o Uso de


Tecnologia., Rio Grande do Sul ; 2005.

Página 4 de 4REV-00

Você também pode gostar