Você está na página 1de 4

Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

AVALIAÇÃO PRESENCIAL – AP1X


Período - 2020/2º
Disciplina: Tópicos Sobre a Diversidade na Educação
Coordenador: Prof. Arthur Vianna - UERJ

Aluno: Felipe Sousa dos Santos Curso: Licenciatura em Turismo

Matrícula: 18115100170 Polo: Saquarema - RJ

1- a) A referida lei almeja trazer para o ensino básico a importância de grupos socialmente
discriminados para a construção do Brasil com o intuito de dirimir práticas de cunho
etnicorraciais e xenófobas. Dessa forma, busca alavancar o protagonismo do negro, da cultura
indígena e, acima de tudo, ampliar a visão de mundo dos estudantes. Por conta disso, tem-se
discentes com pensamento crítico e com maior capacidade de encarar sócio-história.

b) No trabalho 1, há a proposição para que os alunos do ensino médio discutam acerca da


abolição da escravatura e dialoguem sobre a trajetória do negro pós- Lei Áurea. Houve
avanços? O negro foi inserido no seio da sociedade ou fora deixado à margem?

A temática 2 chama a atenção para o fato dos relacionamentos homoafetivos e a postura do


STF em relação ao tema. É verdade que a discriminação sexual se equipara aos crimes de
racismo. Por meio da pesquisa e discussão profícua, os alunos se valem da multiplicidade
cultural e respeito às diferenças. Como a sociedade enfrentará os avanços da pós-modernidade
em meio à ofensiva neopentecostal e movimentos de ultraconservadorismo. Como repensar a
social-democracia.
2- a) Política de Identidades, grosso modo, visa a garantir direitos para grupos perseguidos
historicamente, a exemplo dos negros, índios e portadores de necessidades especiais.
Comumente chamados de ações afirmativas, trabalham com fito na diminuição dos privilégios
da elite branca e europeizante. Possui resquícios do passado escravocrata e políticas
eugenistas de séculos anteriores.

b) O texto da semana 7 se alia à formação das identidades sociais de gênero no universo


escolar em prol da cultura de pertencimento vinculado à atmosfera diversa. Em face dessa
construção, a sala de aula se torna ambiente propício para o diálogo, entendimento e
interlocução ligadas ao multiculturalismo. A escola é peça central na tarefa de não reproduzir
ainda mais os preconceitos inerentes ao inconsciente coletivo. Ela precisa dar voz à
diversidade, despertar senso crítico e motivá-los a questionar sempre. Dessa forma, ancorados
nessa premissa tornar-se-ão cidadãos cônscios e plenos para o exercício da cidadania.

3- a) O mito das três raças de Mário de Andrade assomado à “democracia racial” de Gilberto
Freyre se constituem numa grande farsa. Da colonização à redemocratização nunca houve
uma política de nação para o país cuja inserção das camadas populares estivesse presente.
Camada esta que vivencia as mazelas socioeconômicas nas periferias de nosso lindo Brasil.
Povo esquecido e alheio aos direitos e garantias expressos na Constituição Cidadã de 1988. A
cultura europeia ditou as regras na construção nacional sob viés da política de branqueamento
e abertura dos portos para imigrantes não negros.

b) A narrativa se trata de ampliar o debate acerca da figura do negro na sociedade atual. Por
meio da internet e com base em sites de pesquisa - há a intenção de se formar grupos de etnias
diferentes em sala de aula- para discutir o branqueamento do escritor Machado de Assis ao
longo do tempo. Nesse contexto, deve-se propor aos alunos do nono ano o exercício de
reflexão etnicorracial à época e o porquê do escritor nunca vir a público defender a igualdade
racial.

Campanha de universidade recria foto de Machado de Assis para retratá-lo como negro;
https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2019/05/campanha-de-universid
ade-recria-foto-de-machado-de-assis-para-retrata-lo-negro-cjv5p7s3g009k01ptpldgucrm.html
#:~:text=O%20processo%20de%20branqueamento%20pelo,Linguagem%20e%20p%C3%B3
s%2Ddoutor%20em​; amplificar a conversação no sentido de buscar respostas convincentes
para o branqueamento de Machado de Assis; essa narrativa tem o propósito de impulsionar a
alteridade com foco na maior tolerância e respeito ao próximo na tentativa de manter o
funcionamento da espírito democrático. 

  
REFERÊNCIAS:

SOARES, Iarema. GZH LIVROS, Campanha de universidade recria foto de Machado de


Assis para retratá-lo como negro. Disponível em:
<​https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2019/05/campanha-de-universi
dade-recria-foto-de-machado-de-assis-para-retrata-lo-negro-cjv5p7s3g009k01ptpldgucrm.htm
l#:~:text=O%20processo%20de%20branqueamento%20pelo,Linguagem%20e%20p%C3%B3
s%2Ddoutor%20em​> Acesso em: 28 set. 2020.

Você também pode gostar