Você está na página 1de 56
ANATOMIA ANATOMIA aplicada aplicada à à Educa Educa ç ç ão ão F F í

ANATOMIAANATOMIA

aplicadaaplicada àà EducaEducaççãoão FFíísicasica

ANATOMIA aplicada aplicada à à Educa Educa ç ç ão ão F F í í sica

SISTEMA NERVOSO

VictorVictor LageLage

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO Regula Regula o o funcionamento funcionamento dos dos diferentes diferentes ó ó rgãos rgãos
SISTEMA NERVOSO Regula Regula o o funcionamento funcionamento dos dos diferentes diferentes ó ó rgãos rgãos

RegulaRegula oo funcionamentofuncionamento dosdos diferentesdiferentes óórgãosrgãos entreentre sisi ee dodo conjuntoconjunto dodo organismoorganismo comcom oo meiomeio ambiente.ambiente.

Formado pelo tecido nervoso:

Neurônios Células da Glia (neuróglia)

SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO CENTRAL
SISTEMA NERVOSO
CENTRAL
SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO
SISTEMA NERVOSO
PERIFÉRICO
SISTEMA NERVOSO CENTRAL SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO A porção de recepção de estímulos, de comando e
SISTEMA NERVOSO CENTRAL SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO A porção de recepção de estímulos, de comando e

A porção de recepção de estímulos, de comando e desencadeadora de respostas, sendo formado pelo encéfalo e pela medula espinhal

A porção periférica está constituída pelas vias que conduzem os estímulos ao sistema nervoso central ou que levam até aos órgãos efetuadores as ordens emanadas da porção central, sendo formado pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL Encéfalo : Cérebro Cerebelo Tronco encefálico Mesencéfalo
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL Encéfalo : Cérebro Cerebelo Tronco encefálico Mesencéfalo

SISTEMA NERVOSO CENTRAL Encéfalo:

Cérebro

Cerebelo

Tronco encefálico

Mesencéfalo

Ponte

Bulbo

Medula Espinhal (Espinal)

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC) Protegidos pelo crânio e pela coluna vertebral Esta proteção é reforçada pela presença de lâminas de tecido conjuntivo, as MENINGESMENINGES.

de lâminas de tecido conjuntivo, as MENINGES MENINGES . MENINGES : Elas são, de fora para
de lâminas de tecido conjuntivo, as MENINGES MENINGES . MENINGES : Elas são, de fora para

MENINGES:

Elas são, de fora para dentro:

Dura-máter

Aracnóide

Pia-máter

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

MENINGES

SISTEMA NERVOSO MENINGES A DURA DURA - - M M Á Á TER TER é a
SISTEMA NERVOSO MENINGES A DURA DURA - - M M Á Á TER TER é a

A DURADURA--MMÁÁTERTER é a mais espessa delas, sendo que no crânio está associada ao periósteo da face interna dos ossos, enquanto entre ela e a coluna vertebral existe um espaço, o espaço extradural (ou epidural).

A PIAPIA--MMÁÁTERTER é a mais fina e está intimamente aplicada ao encéfalo e a medula espinhal.

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

MENINGES

SISTEMA NERVOSO MENINGES Entre a dura e a PIA-MÁTER está a ARACN ARACN Ó Ó IDE
SISTEMA NERVOSO MENINGES Entre a dura e a PIA-MÁTER está a ARACN ARACN Ó Ó IDE

Entre a dura e a PIA-MÁTER está a ARACNARACNÓÓIDEIDE, da qual partem fibras delicadas que vão a pia-máter, formando uma rede semelhante a uma teia de aranha.

A ARACNARACNÓÓIDEIDE é separada da dura-máter por um espaço capilar, o espaço subdural e da pia-máter pelo espaço subaracnóideo, onde circula o líquido cérebro- espinhal ou líquor, o qual funciona como absorvente de choques

ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS

ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS
ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS
ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS
ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS Tronco Encefálico
ESPAÇOS ENTRE AS MEMBRANAS Tronco Encefálico
Tronco Encefálico
Tronco Encefálico
Caixa Craniana DURA-MÁTER Vasos Sanguíneos PIA-MÁTER ARACNÓIDE
Caixa Craniana
Caixa
Craniana

DURA-MÁTER

Vasos Sanguíneos

PIA-MÁTER

ARACNÓIDE

SISTEMA NERVOSO

ENCÉFALO

SISTEMA NERVOSO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO ENCÉFALO Dividido em: Cérebro Cerebelo Mesencéfalo Ponte Bulbo Tronco Encefálico
SISTEMA NERVOSO ENCÉFALO Dividido em: Cérebro Cerebelo Mesencéfalo Ponte Bulbo Tronco Encefálico

Dividido em:

Cérebro Cerebelo Mesencéfalo Ponte Bulbo

SISTEMA NERVOSO ENCÉFALO Dividido em: Cérebro Cerebelo Mesencéfalo Ponte Bulbo Tronco Encefálico

Tronco Encefálico

SISTEMA NERVOSO

FUNÇÕES DO ENCÉFALO

SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES DO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES DO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES DO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES DO ENCÉFALO
SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES DO ENCÉFALO

SISTEMA NERVOSO

CÉREBRO

SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO Possui dois HEMISFÉRIOS cerebrais unidos por uma ponte de fibras nervosas, o CORPO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO Possui dois HEMISFÉRIOS cerebrais unidos por uma ponte de fibras nervosas, o CORPO

Possui dois HEMISFÉRIOS cerebrais unidos por uma ponte de fibras nervosas, o CORPO CALOSO e separados por uma lâmina de dura-máter, a foice do cérebro.

Na superfície dos hemisférios existem depressões, os sulcos que delimitam giros.

Os hemisférios podem ser divididos em lobos, correspondendo cada um aos ossos do crânio com que guardam relações, existindo, portanto, os lobos frontal, occipital, temporal e parietal.

SISTEMA NERVOSO

CÉREBRO

SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO Hemisférios (direito e esquerdo); Fissura longitudinal do cérebro; Giro (elevações
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO Hemisférios (direito e esquerdo); Fissura longitudinal do cérebro; Giro (elevações

Hemisférios (direito e esquerdo); Fissura longitudinal do cérebro; Giro (elevações do cérebro); Sulcos (depressões entre os giros); Lobos:

frontal (1); parietais (2); temporal (2); occipital (1).

SISTEMA NERVOSO

CÉREBRO

SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO O cérebro responde pelas funções nervosas mais elevadas, contendo centros para
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO O cérebro responde pelas funções nervosas mais elevadas, contendo centros para

O cérebro responde pelas funções nervosas mais elevadas, contendo centros para interpretação de estímulos bem como centros que iniciam movimentos musculares.

Ele armazena informações e é responsável também por processos psíquicos altamente elaborados, determinando a inteligência e a personalidade.

SISTEMA NERVOSO

CÉREBRO

SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO O cerebelo atua, basicamente, como coordenador dos movimentos da musculatura esquelética e
SISTEMA NERVOSO CÉREBRO O cerebelo atua, basicamente, como coordenador dos movimentos da musculatura esquelética e

O cerebelo atua, basicamente, como coordenador dos movimentos da musculatura esquelética e na manutenção do equilíbrio.

O tronco encefálico, além de ser a origem de dez dos doze nervos cranianos, é sede de várias funções ligadas ao controle das atividades involuntárias e das emoções.

SISTEMA NERVOSO

MEDULA ESPINHAL

SISTEMA NERVOSO MEDULA ESPINHAL
SISTEMA NERVOSO MEDULA ESPINHAL
SISTEMA NERVOSO MEDULA ESPINHAL Formada por trinta trinta e e um um segmentos segmentos , cada
SISTEMA NERVOSO MEDULA ESPINHAL Formada por trinta trinta e e um um segmentos segmentos , cada

Formada por trintatrinta ee umum segmentossegmentos, cada um dos quais dá origem a um par de nervos espinhais.

Ela atua como um caminhocaminho pelopelo qualqual passampassam impulsosimpulsos que vão ou vem do encéfalo para várias partes do corpo.

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)

SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC) A observação atenta de um corte de qualquer área do
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC) A observação atenta de um corte de qualquer área do

A observação atenta de um corte de qualquer área do SNC permite reconhecer áreas claras e escuras que representam, respectivamente, o que se chama de SUBSTÂNCIASUBSTÂNCIA BRANCABRANCA e SUBSTÂNCIASUBSTÂNCIA CINZENTACINZENTA.

A primeira está constituída, predominantemente, por FIBRAS NERVOSAS MIELÍNICAS e a segunda por CORPOSCORPOS DEDE NEURÔNIOSNEURÔNIOS.

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)

SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP) Composto por: Terminações Nervosas Gânglios Nervos (espinhais
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP) Composto por: Terminações Nervosas Gânglios Nervos (espinhais

Composto por:

Terminações Nervosas Gânglios

Nervos (espinhais e cranianos)

Estes são cordões esbranquiçados formados por fibras nervosas unidas por tecido conjuntivo e que têm por função levar (ou trazer) impulsos ao (do) SNC.

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)

SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP) As fibras que levam levam impulsos impulsos ao SNC são
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP) As fibras que levam levam impulsos impulsos ao SNC são

As fibras que levamlevam impulsosimpulsos ao SNC são chamadas de aferentesaferentes ou sensitivassensitivas, enquanto que as que trazemtrazem impulsosimpulsos do SNC são as aferentesaferentes ou motorasmotoras.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS ESPINHAS

SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS

O NERVONERVO ESPINHALESPINHAL é formado pela fusão de

O NERVO NERVO ESPINHAL ESPINHAL é formado pela fusão de duas RAÍZES: uma VENTRAL VENTRAL e
O NERVO NERVO ESPINHAL ESPINHAL é formado pela fusão de duas RAÍZES: uma VENTRAL VENTRAL e

duas

RAÍZES: uma VENTRALVENTRAL e outra DORSALDORSAL.

A RAIZRAIZ VENTRALVENTRAL possui APENASAPENAS FIBRASFIBRAS MOTORASMOTORAS (EFERENTES)(EFERENTES), cujos corpos celulares estão situados na coluna anterior da substância cinzenta da medula.

A RAIZRAIZ DORSALDORSAL possui FIBRASFIBRAS SENSITIVASSENSITIVAS (AFERENTES)(AFERENTES) cujos corpos celulares estão no gânglio sensitivo da raiz dorsal, que se apresenta como uma porção dilatada da própria raiz.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS ESPINHAS

SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS Logo após sua formação pela fusão das raízes ventral e dorsal o
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS Logo após sua formação pela fusão das raízes ventral e dorsal o

Logo após sua formação pela fusão das raízes ventral e dorsal o nervo espinhal se divide em dois ramos:

RAMORAMO DORSALDORSAL: menosmenos calibroso e que inerva a pele e os músculos do dorso

RAMORAMO VENTRALVENTRAL: maismais calibroso e que inerva os membros e a porção ântero-lateral do tronco.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS ESPINHAS

SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS Os ramos ramos ventrais ventrais que que inervam inervam os os membros
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS Os ramos ramos ventrais ventrais que que inervam inervam os os membros

Os ramosramos ventraisventrais queque inervaminervam osos membrosmembros sese anastomosamanastomosam amplamenteamplamente formandoformando osos plexosplexos, dos quais emergem nervos terminais, de tal forma que cada ramo ventral contribui para formar vários nervos e cada nervo contem fibras provenientes de diversos ramos ventrais.

nono troncotronco nãonão hháá aa formaformaççãoão dosdos plexosplexos; cada ramo ventral segue seu curso isolado.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS ESPINHAS

SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS 31 pares de nervos, todos Mistos (fibras Sensitivas e Motoras). Aonde levam
SISTEMA NERVOSO NERVOS ESPINHAS 31 pares de nervos, todos Mistos (fibras Sensitivas e Motoras). Aonde levam

31 pares de nervos, todos Mistos (fibras Sensitivas e Motoras). Aonde levam a sensação e trazem a resposta. 8 pares de nervos Cervicais 8 pares de nervos Torácicos

5 pares de nervos Lombares.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS CRANIANOS

SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS
SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS Os nervos cranianos são são doze doze pares pares de de nervos
SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS Os nervos cranianos são são doze doze pares pares de de nervos

Os nervos cranianos sãosão dozedoze parespares dede nervosnervos queque fazemfazem conexãoconexão comcom oo encencééfalofalo.

Os doisdois primeirosprimeiros têmtêm conexãoconexão comcom oo ccéérebrorebro e os demaisdemais comcom oo troncotronco encefencefáálicolico.

Os nervosnervos cranianoscranianos sãosão maismais complexoscomplexos que os espinhais, havendo acentuada variação quanto aos seus componentes funcionais.

SISTEMA NERVOSO

NERVOS CRANIANOS

SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS
SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS
SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS Alguns possuem um gânglio, outros tem mais de um e outros, ainda,
SISTEMA NERVOSO NERVOS CRANIANOS Alguns possuem um gânglio, outros tem mais de um e outros, ainda,

Alguns possuem um gânglio, outros tem mais de um

e outros, ainda, não tem nenhum.

Os nervos cranianos recebem denominações próprias, bem como também são numerados em seqüência crânio-caudal, o que é mostrado na tabela

a seguir, juntamente com suas respectivas funções

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES NERVO TIPO FUNÇÃO I - OLFATÓRIO sensitivo Fibras sensitivas transmitem impulsos

NERVO

TIPO

FUNÇÃO

I - OLFATÓRIO

sensitivo

Fibras sensitivas transmitem impulsos relacionados ao sentido do olfato

II - ÓPTICO

sensitivo

Fibras sensitivas transmitem impulsos relacionados à visão

III - OCULOMOTOR

principal

mente

motor

Fibras motoras transmitem impulsos que elevam as pálpebras, movem os olhos, ajustam a quantidade de luz que penetra no olho e foca o cristalino. Algumas fibras sensitivas transmitem impulsos relacionados as condições dos músculos

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVO TIPO FUNÇÃO principal IV - TROCLEAR mente motor Fibras motoras transmitem impulsos aos músculos
NERVO
TIPO
FUNÇÃO
principal
IV - TROCLEAR
mente
motor
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos que movem
os olhos. Algumas fibras sensitivas
transmitem impulsos relacionados
as condições dos músculos
V - TRIGÊMEO
misto
Oftálmico
sensitivo
Fibras sensitivas transmitem
impulsos provenientes dos olhos,
glândulas lacrimais, couro
cabeludo, fronte e pálpebras
superiores

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES NERVO TIPO FUNÇÃO Fibras sensitivas transmitem impulsos provenientes dos dentes

NERVO

TIPO

FUNÇÃO

Fibras sensitivas transmitem impulsos provenientes dos dentes superiores, da gengiva superior, do lábio superior, do palato e da pele da face

Maxilar

sensitivo

Mandibular

misto

Fibras sensitivas transmitem impulsos provenientes do couro cabeludo, dos dentes inferiores, da gengiva inferior, do lábio inferior e da pele da mandíbula. Fibras motoras transmitem impulsos aos músculos da mastigação

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVO TIPO FUNÇÃO principal VI - ABDUCENTE mente motor Fibras motoras transmitem impulsos aos músculos
NERVO
TIPO
FUNÇÃO
principal
VI - ABDUCENTE
mente
motor
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos que movem
os olhos. Algumas fibras sensitivas
transmitem impulsos relacionados
as condições dos músculos
VII - FACIAL
misto
Fibras sensitivas transmitem
impulsos relacionados a gustação.
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos da
expressão facial e às glândulas
lacrimais e salivares
VIII -
VESTIBULOCOCLE
AR
sensitivo

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVO TIPO FUNÇÃO Vestibular sensitivo • Fibras sensitivas transmitem impulsos relacionados ao equilíbrio
NERVO
TIPO
FUNÇÃO
Vestibular
sensitivo
Fibras sensitivas transmitem
impulsos relacionados ao equilíbrio
Coclear
sensitivo
Fibras sensitivas transmitem
impulsos relacionados ao sentido
da audição
IX -
GLOSSOFARÍNGE
misto
O
Fibras sensitivas transmitem
impulsos provenientes da faringe,
das tonsilas, da língua e das
artérias carótidas. Fibras motoras
transmitem impulsos aos músculos
da faringe utilizados na deglutição
e
às glândulas salivares.
XII - HIPOGLOSSO
motor
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos que movem
a
língua.

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVO TIPO FUNÇÃO X - VAGO misto Fibras sensitivas transmitem impulsos provenientes da faringe, da
NERVO
TIPO
FUNÇÃO
X - VAGO
misto
Fibras sensitivas transmitem
impulsos provenientes da faringe,
da laringe, do esôfago e das
vísceras do tórax e do abdome.
Fibras motoras somáticas
transmitem impulsos aos músculos
associados a fala e a deglutição.
Fibras motoras autônomas
transmitem impulsos ao coração e
aos músculos lisos e glândulas das
vísceras torácicas e abdominais.
XI - ACESSÓRIO
motor

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVO TIPO FUNÇÃO Raiz • craniana motor Fibras motoras transmitem impulsos aos músculos da faringe,
NERVO
TIPO
FUNÇÃO
Raiz • craniana
motor
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos da faringe,
da laringe e do palato mole
Fibras motoras transmitem
Raiz • espinhal
motor
impulsos aos músculos do pescoço
e
da nuca
XII - HIPOGLOSSO
motor
Fibras motoras transmitem
impulsos aos músculos que movem
a
língua.

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES
NERVOS CRANIANOS E SUAS FUNÇÕES

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

TERMINAÇÕES NERVOSAS E GÂNGLIOS As terminações nervosas existem na extremidade de FIBRASFIBRAS SENSITIVASSENSITIVAS e MOTORASMOTORAS (ex: placa motora).

SENSITIVAS e MOTORAS MOTORAS (ex: placa motora). FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Suas terminações
SENSITIVAS e MOTORAS MOTORAS (ex: placa motora). FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Suas terminações

FIBRASFIBRAS SENSITIVASSENSITIVAS:

Suas terminações nervosas são estruturasestruturas especializadasespecializadas para receber estímulos físicos ou químicos na superfície ou no interior do corpo.

SISTEMA NERVOSO

FIBRASFIBRAS SENSITIVASSENSITIVAS:

SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS :
SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Ex: Os Cones e Bastonetes da retina são estimulados
SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Ex: Os Cones e Bastonetes da retina são estimulados

Ex:

Os Cones e Bastonetes da retina são estimulados somente pelos raios luminosos; Os Receptores do Ouvido apenas por ondas sonoras; Os Gustativos por substâncias químicas capazes de determinar as sensações de doce, azedo, amargo, etc.;

SISTEMA NERVOSO

FIBRASFIBRAS SENSITIVASSENSITIVAS:

SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS :
SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS :
SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Ex: Na Pele e nas Mucosas existem receptores especializados
SISTEMA NERVOSO FIBRAS FIBRAS SENSITIVAS SENSITIVAS : Ex: Na Pele e nas Mucosas existem receptores especializados

Ex:

Na Pele e nas Mucosas existem receptores especializados para os agentes causadores de calor, frio, pressão e tato, enquanto as sensações dolorosas são captadas por terminações nervosas livres, isto é, não há uma estrutura especializada para este tipo de estímulo.

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO Enquanto ac ac ú ú mulos mulos de de neurônios neurônios dentro dentro do
SISTEMA NERVOSO Enquanto ac ac ú ú mulos mulos de de neurônios neurônios dentro dentro do

Enquanto acacúúmulosmulos dede neurôniosneurônios dentrodentro dodo SNCSNC são chamados de NNÚÚCLEOSCLEOS, forafora dodo SNCSNC são chamados de GÂNGLIOSGÂNGLIOS e se apresentam, em geral, como uma dilatadilataççãoão.

Do ponto de vista funcional pode-se dividir o sistema nervoso em:

SN SomSomááticotico

SN VisceralVisceral

SISTEMA NERVOSO

SN VISCERAL

SISTEMA NERVOSO SN VISCERAL
SISTEMA NERVOSO SN VISCERAL
SISTEMA NERVOSO SN VISCERAL Conjunto de estruturas nervosas, centrais e periféricas, que se ocupam do controle

Conjunto de estruturas nervosas, centrais e periféricas, que se ocupam do controle do meio interno (atividades involuntárias)

SN SOMÁTICO

Formado por estruturas centrais e periféricas, têm por função a interação do organismo com o meio externo (atividades voluntárias)

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)

SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)
SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA) Tanto o SN somático quanto o SN visceral possuem uma

Tanto o SN somático quanto o SN visceral possuem uma parte aferente e outra eferente.

Denomina-se SistemaSistema NervosoNervoso AutônomoAutônomo (SNA) a parteparte eferenteeferente dodo SNSN VisceralVisceral.

Dividido em:

Sistema SimpSimpááticotico Sistema ParassimpParassimpááticotico

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

SISTEMA SIMPÁTICO

SISTEMA NERVOSO SISTEMA SIMPÁTICO Estimula as atividades que ocorrem em situações de emergência ou tensão; Origens

Estimula as atividades que ocorrem em situações de emergência ou tensão;

Origens nas regiões torácica e lombar da medula espinhal;

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA PARASSIMPÁTICO

SISTEMA NERVOSO SISTEMA PARASSIMPÁTICO
SISTEMA NERVOSO SISTEMA PARASSIMPÁTICO
SISTEMA NERVOSO SISTEMA PARASSIMPÁTICO Mais ativo nas condições comuns da vida, estimulando

Mais

ativo

nas

condições

comuns

da

vida,

estimulando

atividades

que

restauram

e

conservam a energia corporal.

Porções no tronco encefálico e nos segmentos sacrais da medula espinhal

Existem várias outras diferenças, como no tipo dos mediadores químicos, que serão abordados em outra disciplina.

SISTEMA NERVOSO

ARCOARCO--REFLEXOREFLEXO

SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO
SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO É uma reação imediata que serve para a
SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO É uma reação imediata que serve para a

É uma reação imediata que serve para a preservar a integridade física do ser humano.

Arco-reflexo simples: resposta para as ações antes da decodificação da mensagem pelo cérebro, a sensação de dor só é transmitida depois da resposta muscular para prevenir a integridade física do ser humano.

SISTEMA NERVOSO

ARCOARCO--REFLEXOREFLEXO

SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO
SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO Ex: Uma criança alfineta o dedo na ponta
SISTEMA NERVOSO ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO Ex: Uma criança alfineta o dedo na ponta

Ex: Uma criança alfineta o dedo na ponta de uma agulha. Os nervos sensitivos (aferentes) recebem a informação de perigo, e levam esta mensagem para a medula espinhal, e antes que essa mensagem chegue até o encéfalo e seja decodificada, é mandado uma resposta pelos nervos motores (eferentes) que leva uma resposta muscular, fazendo com que a criança retire rapidamente o seu dedo para longe da agulha. Somente depois é que a criança sente a dor causada pela picada da agulha.

ARCOARCO--REFLEXOREFLEXO

ARCO ARCO - - REFLEXO REFLEXO

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

NEURÔNIO

SISTEMA NERVOSO NEURÔNIO Corpo celular Dendritos Axônio Telodendro (ramificação terminal do axônio)
SISTEMA NERVOSO NEURÔNIO Corpo celular Dendritos Axônio Telodendro (ramificação terminal do axônio)

Corpo celular Dendritos Axônio Telodendro (ramificação terminal do axônio) Bainha de Mielina

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA

SISTEMA NERVOSO CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA Sensitivo ( Aferente ): recebe a “mensagem”; Motor ( Eferente ): leva
SISTEMA NERVOSO CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA Sensitivo ( Aferente ): recebe a “mensagem”; Motor ( Eferente ): leva

Sensitivo (Aferente): recebe a “mensagem”; Motor (Eferente): leva a “resposta”.

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO

DROGAS E SISTEMA NERVOSO

DROGAS E SISTEMA NERVOSO
DROGAS E SISTEMA NERVOSO
DROGAS E SISTEMA NERVOSO
DROGAS E SISTEMA NERVOSO
DROGAS E SISTEMA NERVOSO
DROGAS E SISTEMA NERVOSO

SISTEMA NERVOSO

Contatos:Contatos:

SISTEMA NERVOSO Contatos: Contatos:
SISTEMA NERVOSO Contatos: Contatos:
SISTEMA NERVOSO Contatos: Contatos: Victor Victor Lage Lage - Sociedade de Pesquisa Qualitativ a em Motricidade

VictorVictor LageLage

- Sociedade de Pesquisa Qualitativa em Motricidade Humana – SPQMH www.ufscar.br/~defmh/spqmh

- Shobukan Centro de Estudos em Artes Marciais www.shobukanjka.com.br

- E-mail: victorlage@gmail.com

www.shobukanjka.com.br - E-mail: victorlage@gmail. co m SHOBUKAN Centro de Estudos em Artes Marciais

SHOBUKAN Centro de Estudos em Artes Marciais www.shobukanjka.com.br

Centro de Estudos em Artes Marciais www.shobukanjka.com.br JKA – BRASIL www.jkabrasil.com.br

JKA – BRASIL www.jkabrasil.com.br

de Estudos em Artes Marciais www.shobukanjka.com.br JKA – BRASIL www.jkabrasil.com.br www.ufscar.br/~defmh/spqmh

www.ufscar.br/~defmh/spqmh