Você está na página 1de 3

c 


  


| 



 




c ! 1 Introdução; 2 A esfera pública; 3 Eficácia dos direitos fundamentais; 4


Esfera pública versus Direito Penal; 4.1 Teoria do minimalismo penal; 4.2 teoria do Direito
Penal do inimigo; 5 A segurança pública no Brasil; 5.1 O quarto poder e a opinião
pública; ;6 Considerações Finais; Referências

 "!#$!

O preâmbulo da Constituição Federal de 1988 diz:

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional


Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o
exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-
estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de
uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia
social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução
pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Percebe-se que o ponto de partida de nossa Carta Magna possui alicerces


que visam o bem estar público. Logo, consideramos oportuno o estudo do tema, tendo-
se como finalidade a compreensão da eficácia do direito fundamental à R e sua
construção na esfera pública nacional.
Conforme o pensamento de Charles Taylor (2010), a esfera pública trata-se
daquele espaço no qual os temas públicos são discutidos pelos atores públicos e
privados, de forma que tal processo resultano surgimento da opinião pública. Esta, por
sua vez, age como uma força oriunda da sociedade civil em direção aos governos no
sentido de pressioná-los de acordo com seus anseios.
Portanto, é neste espaço que a sociedade chega a uma mente comum a cerca
de matérias importantes. Estamente comum é uma visão reÀexiva, emanando do debate
crítico,e não apenas uma soma de algumas concepções presentes na população. Daí,

VVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVV VVVVVVVVVVVVVVVV
Projeto de paper desenvolvido como requisito parcial para aprovação na disciplina de Sociologia Jurídica
lecionada pela profªms. Adriana BillerAparicio

Alunos do segundo período vespertino do curso de Direito da UNDB.
cabe ao legislador ter olhos e ouvidos para receber os estímulos oriundos da esfera
pública (TAYLOR, 2010)
Quanto aos direitos e garantias fundamentais previstos da CF/88, tem-se:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à
propriedade, nos termos seguintes
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a
moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade
e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

A lei soberana do sistema normativo brasileiro trata a segurança como


direito basilar. No entanto, o que se vê diariamente nas ruas é bem diferente dos ideais
contidos na nossa Carta Magna. A violência generalizada, o crime organizado e a
insegurança que tais geram na sociedade mostram que o Estado encontra-se perdido
quanto a formas de assegurar tal direito aos seus jurisdicionados.
Segundo a CF/88,

Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de


todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das
pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
I - polícia federal;
II - polícia rodoviária federal;
III - polícia ferroviária federal;
IV - polícias civis;
V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.

Percebe-se, ainda, que o tema segurança, como um direito fundamental, está


entrelaçado com outros direitos fundamentais, tais como vida, liberdade, propriedade,
por exemplo, de forma que, torna-se dificultoso tratar o tema, sem apresentar uma
abordagem sobre os direitos referidos.
Assim, neste artigo questionaremos a forma como tal direito tem sido
tratado pelo Estado e pela sociedade, analisando criticamente as ideologias por trás de
como estes veem o problema e o endereçam.


 % &' 

TAYLOR, Charles.  (


 ) * Covilhã: lusosofia, 2010. Disponível em:
http://www.lusosofia.net/textos/taylor_charles_esfera_publica.pdf. Acesso em:15 de
abril de 2011.

CAVALIERE FILHO, Sergio. Programa de Sociologia Jurídica. Rio de Janeiro:


Forense. 2007.

BRASIL. ' +,-.    )  %


/   0
   122* Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm. Acesso em:
15 de abril de 2011.