Você está na página 1de 2

Diálogos Críticos em Tiago Besen Diário de Aula 2(30/08/2021)

Relações Internacionais RA00217584

Não é de hoje que os povos indígenas vêm perdendo terras, direitos e até mesmo seus familiares para
o mundo “moderno”. Essa é uma pratica existente desde que os europeus considerados, por eles mesmos, os
civilizados encontraram terras e nelas povos em que consideraram indígenas, a partir daí se deu início à uma
longa história de guerras, injustiça, perda e exploração. Mas o que venho questionar hoje com este texto não
é o fato do porque os homens fizeram e seguem fazendo essa exploração, isso eu entendo, porque o ser
humano vem fazendo este tipo de coisa ao longo de toda sua história, o que venho questionar hoje é: Qual a
validez que o mundo contemporâneo tem para com os indígenas, da onde nós, e quando digo nós somos o
mundo contemporâneo, achamos que temos qualquer direito de tomar terras, expulsar e até matar famílias,
povos e até aldeias inteiras.

Sendo assim, e o que está em jogo no cenário atual é a soberania territorial e política e nada conta as
histórias que um povo tem com sua terra em que tanto tempo se mantém ou os desejos do cidadão, venho
questionar quão justa é essa soberania, soberania na qual não é justamente representada por todos os eixos da
população, e nisso entra os indígenas. A moradia, comida e saúde deveria ser um direito básico de todo
cidadão, e antes de qualquer ação a ser tomada esses três primordiais assuntos tem que ser levados em
consideração, sendo assim não é valido que o Estado tome uma decisão sendo que um desses três direitos
sejam negados a uma parcela da população, mesmo que seja uma pequena parcela de sua população, e para
exemplificar meu assunto, trago aqui um caso visto em aula e discutido sobre a usina de Belo Monte e como
afetou os indígenas da região e mesmo que o Estado não deveria ter tomado tal decisão ele tem soberania
para isso, o que deixa todos pensando, então ter soberania, não é o mesmo que ter razão, mas sim o mesmo
que ter poder.

Com isso consigo responder minha pergunta acima posta, o mundo contemporâneo, ou o Estado não
tem uma validez ou um direito de tomar, expulsar e até mesmo fazer coisas muito piores do que isso com o
povo indígena ou com qualquer um, isso é feito porque se tem o poder para fazer isso, então esses povos que
sofrem com isso não estão sendo vistos pelo nosso mundo como iguais ou até mesmo dentro da nossa regra,
porque nossa regra e direitos básicos universais nos dizem que todos temos direito à moradia, saúde e
alimentação, portanto se não somos aceitos pelo Estado ou se estamos em alguma terra que pertence aos
interesses deste mundo, meus direitos vão ser negados a mim e não tem nada que se possa fazer perante os
poderes que esse mundo hoje em dia tem perante a todos, incluindo quem faz parte dele. Por isso que a
soberania do estado é algo muito perigoso, mas ao mesmo tempo necessário para tomar conta do caos, sendo
assim temos que aprender a balancear nossa soberania de forma a conseguir contemplar os direitos de todos
os cidadãos e ainda manter a ordem.
Diálogos Críticos em Tiago Besen Diário de Aula 2(30/08/2021)
Relações Internacionais RA00217584

Referência Bibliográfica:

PICQ, M. L. Visões indígenas desafiando o global: mulheres kichwa pluralizando a soberania. Monções, v.6,
n.11, 2017

Você também pode gostar