Você está na página 1de 14

Projeto de Extensão

Curso de História da Ásia:


Reflexões sobre a China, Vietnã e a Coreia do Norte.

Programação do Curso de Extensão História da Ásia

Justificativa

Mesmo com a ampliação do acesso ao conhecimento gerado pela rede mundial de


computadores, que permitiu o acesso quase universal aos estudos e pesquisas elaborados
por diversos autores em grande parte dos países, o domínio cultural das grandes metrópoles
ocidentais sobre a América Latina ainda é um fator determinante que limita o debate sobre
o mundo oriental.
Ao analisar a maioria dos currículos dos cursos de História ofertados pelas universidades
públicas brasileiras, é possível perceber uma enorme deficiência sobre o fornecimento de
disciplinas que abordem conteúdo sobre a História da Ásia. A própria Universidade Federal
de Uberlândia (UFU), levou quase três décadas para incluir na grade curricular do curso de
História uma disciplina sobre História da Ásia.
Nesse sentido, centenas de estudantes que cursam graduação em História na UFU e
milhares de profissionais formados pela UFU e em outras Instituições, não tiveram acesso
institucionalizado às reflexões sobre a História da Ásia. Reflexões históricas sobre Filipinas,
Vietnã, Coréia do Norte e China, em seus aspectos econômicos, políticos e culturais, são
importantes para compor a formação acadêmica de estudantes de História e de outros
cursos vinculados às Ciências Humanas com o objetivo de proporcionar a produção científica
mais crítica sobre temas diversos para o mundo contemporâneo.

Objetivos Gerais

 Realizar reflexões sobre a História da China, Vietnã e da Coréia do Norte nos séculos
XVII a XXI junto à comunidade interna e externa da UFU por meio da revisão
bibliográfica mais ampla.
 Acumular reflexões para a construção de um Curso de Especialização em História da
Ásia, com elementos teóricos capazes de demonstrar a dinâmica das sociedades
asiáticas.
 Fortalecer a reflexão sobre História da Ásia dentro do Instituto de História e do
Instituto de Geografia da UFU.
 Elaborar uma pesquisa bibliográfica sobre os processos revolucionários e lutas
populares das nações asiáticas, sobretudo da China, Vietnã e da Coréia do Norte.

Objetivos Específicos

 Contribuir com as reflexões dos estudantes da UFU sobre a História da China, Vietnã
e da Coréia do Norte nos séculos XVII a XXI, como complemento da formação
acadêmica ofertada pela Universidade Federal de Uberlândia.
 Contribuir com o processo de capacitação para educadoras e educadores da Rede
Estadual de Ensino de Minas Gerais.

Metodologia

O Curso de Extensão sobre a História da China, Vietnã e Coréia do Norte nos séculos XVII a
XXI será ofertado em 16 aulas. Cada aula vai ter uma duração de 2.5 horas, e será iniciada
com uma exposição sobre o conteúdo, seguida de um debate coletivo sobre o debate
proposto.
As aulas serão realizadas de forma presenciais e por meio de plataformas digitais, utilizando
bibliografia específica e meios audiovisuais para desenvolver o interesse do público à
pesquisa acadêmica.
Cronograma das aulas/palestras

Cronograma das aulas/palestras


Curso de Extensão sobre a História da China, Vietnã e Coréia do Norte nos séculos XVII a XXI
Módulo 1 - Introdução História da Ásia nos Séculos XVII a XIX. Palestrante: Mário Junior. (7.5 horas - 3 dias)
Tema/Data 4/8 11/8 18/8 25/8 1/9 8/9 15/9 22/9 29/9 6/10 13/10 20/10 27/10 3/11 10/11 17/11
Aula inaugural: Coreia do Norte. Com Lucas Rubio - Centro de Estudos Songun Brasil X
A Ásia nos séculos XVI a XIX. Com Guilherme Amaral Luz X
A Ásia nos séculos XVI a XIX. Com João Carvalho X
Módulo 2 - História da China nos Séculos XX e XXI. Palestrantes Fernando. (10 horas - 4 dias)
Tema/Data 4/8 11/8 18/8 25/8 1/9 8/9 15/9 22/9 29/9 6/10 13/10 20/10 27/10 3/11 10/11 17/11
Aula 1 - Estrutura social da China e a organização de suas classes. X
Aula 2 - Revolução chinesa: Classes sociais e conflitos. X
Aula 3 - Construção do socialismo e suas contradições. X
Aula 4 - “Destruindo ilusões.”. Construção do socialismo: consolidação ou retorno. X
Módulo 3 - História da Vietnã nos Séculos XX e XXI. Palestrantes: Wilson. (10 horas - 4 dias)
Tema/Data 4/8 11/8 18/8 25/8 1/9 8/9 15/9 22/9 29/9 6/10 13/10 20/10 27/10 3/11 10/11 17/11
Aula 1 - O Vietnã colônia X
Aula 2 - A Guerra de independência e a unificação nacional sob o socialismo. X
Aula 3 - De Ho Chi Minh a Le Duan: os protagonismos das lideranças revolucionárias. X
Aula 4 - O Vietnã pós-guerra. X
Módulo 4 - História da Coréia do Norte nos Séculos XX e XXI. Palestrantes: Dyovanna. (10 horas - 4 dias)
Tema/Data 4/8 11/8 18/8 25/8 1/9 8/9 15/9 22/9 29/9 6/10 13/10 20/10 27/10 3/11 10/11 17/11
Aula 1 - Revolução Coreana e Guerra da Coreia. X
Aula 2 - O socialismo em um meio país: reconstrução e o Socialismo Zuche X
Aula 3 - O impacto do fim da URSS e a Política Songun. X
Aula 4 - Os impactos do Imperialismo e Fake News X
Encerramento. Análise sobre a luta popular na Ásia. (2.5 horas - 1 dia)
Tema/Data 4/8 11/8 18/8 25/8 1/9 8/9 15/9 22/9 29/9 6/10 13/10 20/10 27/10 3/11 10/11 17/11
Palestra de análise e encerramento X

Ementa dos Módulos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA


Projeto Promoção da educação em culturas populares em parceria com a
Universidade.

Curso de História da Ásia: Reflexões sobre a China, Vietnã e a Coreia do Norte.

FICHA DO MÓDULO: CHINA

Curso Palestrante
Curso de História da Ásia: Reflexões sobre a Fernando Henrique Sousa Araújo
Coreia Popular
Carga Horária Público alvo
10 h Comunidade acadêmica e público externo.
OBJETIVO DO CURSO

- Realizar reflexões sobre a História da China, Vietnã e da Coréia do Norte nos séculos XVII a
XXI junto à comunidade interna e externa da UFU por meio da revisão bibliográfica mais
ampla.
- Acumular reflexões para a construção de um Curso de Especialização em História da Ásia,
com elementos teóricos capazes de demonstrar a dinâmica das sociedades asiáticas.
- Fortalecer a reflexão sobre História da Ásia dentro do Instituto de História e do Instituto de
Geografia da UFU.
- Elaborar uma pesquisa bibliográfica sobre os processos revolucionários e lutas populares
das nações asiáticas, sobretudo da China, Vietnã e da Coréia do Norte.

EMENTA DO MÓDULO

Esse curso sobre história da China se justifica porque hoje temos no ocidente, e de
forma mais grave ainda no Brasil, um desconhecimento sobre o processo histórico chinês dos
séculos XIX e XX, é fomentado assim terreno fértil de propagandas com informações
distorcidas e de perspectivas parciais que se tornam peça de propaganda contra a China e o
comunismo. Exemplo disso é a visão amplamente difundida do número de mortos de um
determinado período qualquer da China sem qualquer comparação com a população da
China e de outros países, deixa de ser análise histórica e torna-se apenas uma peça de
propaganda anticomunista. Por isso justifica a importância de estudar a história da China, de
aplicar à esse conhecimento justa análise histórica.
Esse curso busca estudar a história da China. Para isso recortamos um período
temporal que vai de 1850 a 2000, divididos em quatro blocos, organizados em quatro
sessões. Nesse sentido contará com uma divisão cronológica abordada em cada encontro.
Além da divisão cronológica montaremos esse curso a partir dos temas, menos
preocupados aqui com a narrativa da sucessão de fatos, cada sessão será um bloco temático,
serão elas: 1) estrutura social da China e suas classes, 2) Classes sociais, alianças e conflitos de
classe, 3) Construção do socialismo e suas contradições, e 4) construção do socialismo:
consolidação ou retorno ao capitalismo. Portanto, a seleção dos textos se baseia na
proximidade de temas que abordam.
Para analisar essa China ali delimitada selecionaremos alguns textos que tratam das
questões centrais, colocadas pelos períodos selecionados, indicaremos outros textos
complementares para quem quiser continuar os estudos posteriormente.
Por fim, para o estudo mesclaremos textos históricos de membros que participaram
ativamente do processo histórico chinês e textos de analistas sobre a China, estes últimos
que foram posteriores e não participaram do processo. Buscaremos ao máximo essa
perspectiva de comparação.

Objetivos:
Buscamos entender a história da China em suas relações sociais e históricas práticas,
seus caminhos contraditórios e seus conflitos. Não nos furtaremos a levantar aspectos tanto
positivos e negativos, aspectos tanto de continuidade quanto contraditórios.
Essa análise contará além da análise sócio-histórica e de classes com um enfoque na
organização do povo, seus caminhos, suas visões suas organizações. Também pensaremos
que projetos o povo apoiou em cada período? Por que apoiaram? Quais conceitos, ética e
objetivos o povo chinês estava imbuído para escolher rumos e reformas a cada período?
Nosso objetivo não é trazer versões fechadas, mas elucidar elementos para que os
participantes do curso possam tirar suas próprias conclusões. Nesse sentido nossa
metodologia se orientará para o levantamento de elementos que permitam a reflexão e
avaliação do que foi o processo chinês pelos próprios participantes do grupo.
PROGRAMA DO CONTEÚDO

Cronograma China Título Tópicos Obrigatória Complementar


110 pgs obrig
1 - 25/8 Estrutura As classes TSETUNG, Mao, MACEDO, Emilia no Unzer.
social da sociais na Análise das Classes na “A Índia Mogol”.
China e a China antes Sociedade Chinesa. “A China da Dinastia
organização da revolução 1926. In: Arquivo Qing”. “
de suas Marxista. (6. Pg.) O Fim da Era Qing na
Conflitos:
classes. China “. “O Império do Sol
china “Trânsito fracassado”,
28 pg. Nascente”
Imperial, “Tríplice dominação”.
“Os Turbulentos Anos
república In: POMAR, Wladimir.
Chineses” História da
chinesa, luta Uma só faísca. In: A
Ásia: Uma Introdução à
do PC com o Revolução Chinesa.
sua História Moderna e
Guomidang. Cap. 1. São Paulo:
Contemporânea.
Unesp, 2003.
Universidade Federal do
(Revoluções do Século
Espirito Santo. Secretaria
XX). P. 28-35.
de Ensino à Distância.
Vitória, 2016.
POMAR, Wladimir.
Uma só faísca. In: A
Revolução Chinesa.
Cap. 2. São Paulo:
Unesp, 2003. 179 p.
(Revoluções do Século
XX). P. 37-53.

2 - 1/9 Revolução Aliança de TSETUNG, Mao, Sobre TSETUNG, Mao, Sobre a


chinesa: classes. a Questão da Ditatura da Democracia
Classes Burguesia Nacional e Popular. (1949). In:
Revolução
sociais e dos Nobres Arquivo marxista. (7 pg.)
Comunista
conflitos Esclarecidos. 1948. IN:
36 pg. Proposta de Arquivo Marxista. (4
construção pg.)
do socialismo
NAVES, Márcio
Brilharinho. “Nos
montes Jinggang”
in: Mao: o processo da
revolução. Editora
Brasiliense, 2003. P.
25-27
CHAO-TSI, Liu. Sobre o
Projeto de
Constituição da
República Popular da
China. (1954). In:
Arquivo Marxista. (30
pg.)
.
3 - 8/9 Construção A construção NAVES, Márcio STEDILE, Miguel Enrique
do socialismo do Brilharinho. (Org.). Mao Zedong e a
e suas socialismo: “Reconstrução revolução chinesa:
contradições reformas econômica e reforma métodos de direção e
econômicas agrária.”. In: Mao: o desafios de transição ao
46 pg. processo da socialismo. Tradução:
Reconstrução
revolução. Editora Andrea Piazzoroli
da sociedade.
Brasiliense, 2003, cap. Longobardi (et. al.), São
Desenvolvime 2, p. 47-53. Paulo: Expressão Popular,
nto 2019.
POMAR, Wladimir.
econômico.
“Em busca da POMAR, Wladimir.
Contradições modernidade.” in A
“Domesticando a
do socialismo Revolução Chinesa.
burguesia” In: O Enigma
e luta de Cap. 5. São Paulo:
Chinês. 2. ed. – São Paulo:
classes. Unesp, 2003.
Editora Fundação Perseu
(Revoluções do Século
Abramo, 2015. Cap. 2.
XX). P. 89-104.
Item. 1.3. p. 103-108..
TSETUNG, Mao, Sobre
o tratamento correto
das contradições no
seio do povo. (1957).
In: Arquivo marxista.
(23 pg.)
Texto informe: os
desastres da década
de 1950.

4 - 15/9 “Destruindo A persistência EN-LAI, Chu, O CHUNQIAO, Zhang (Tcham


ilusões.”. das relações Caminho da Tchuen-tchiao), Acerca da
Construção de produção Consolidação e do ditadura integral sobre a
do capitalistas Desenvolvimento das burguesia – 1975. In:
socialismo: no Vitórias do Povo Arquivo marxista. (8 pg.)
consolidação socialismo. Chinês. 1950. In:
ou retorno Arquivo Marxista. (11
Caminhos do
pg.) POMAR, Wladimir. Intr.
desenvolvime
36 pg. “Estabilidade social e
nto NAVES, Márcio
política.” In: A Revolução
Brilharinho, “Estabiliza
Restauração Chinesa. Cap. 8. São
ndo a revolução: A
do Paulo: Unesp, 2003. 179
Grande União e a
capitalismo p. (Revoluções do Século
Tríplice União”,
XX). P. 135-139.
A China do “Lutando contra a
século XXI corrente: a “ultra”- MORAIS, Isabela
entre esquerda”, “A Nogueira. “POLÍTICAS DE
capitalismo e revolução FOMENTO À ASCENSÃO
socialismo. interrompida”. Mao: o DA CHINA NAS
processo da CADEIAS DE VALOR
revolução. Editora GLOBAIS.” Cap. 1. P. 45
Brasiliense, 2003. P. PINTO, Eduardo Costa. “A
94-99. INTEGRAÇÃO
ECONÔMICA ENTRE A
POMAR, Wladimir.
CHINA E O VIETNÃ:
“Novas combinações
ESTRATÉGIA CHINA PLUS
estratégicas.” In A
ONE, INVESTIMENTOS
Revolução Chinesa.
E CADEIAS GLOBAIS.”
Cap. 6. São Paulo:
Cap. 2 P..81
Unesp, 2003. 179 p.
In:
(Revoluções do Século
XX). P. 105-118. CINTRA, Marcos Antonio
Macedo; FILHO, Edison
POMAR, Wladimir.
Benedito da Silva, PINTO,
“Estatais, monopólios
Eduardo Costa (ORGs.).
e mercados”. In A
China em transformação :
Revolução Chinesa.
dimensões econômicas e
Cap. 7, item 2,. São
geopolíticas do
Paulo: Unesp, 2003.
desenvolvimento. Rio de
179 p. (Revoluções do
Janeiro: Ipea, 2015.
Século XX). P. 122-126

POMAR, Wladimir.
“Crescimento,
reforma e
estabilidade”. In A
Revolução Chinesa.
Cap. 8, item 2,. São
Paulo: Unesp, 2003.
179 p. (Revoluções do
Século XX). P. 139-
142.

EN-LAI, Chu, O Caminho da Consolidação e do Desenvolvimento das Vitórias do Povo


Chinês. 1950. In: Arquivo Marxista.
TSETUNG, Mao, Sobre a Questão da Burguesia Nacional e dos Nobres Esclarecidos. 1948. IN:
Arquivo Marxista.
CHAO-TSI, Liu. Sobre o Projeto de Constituição da República Popular da China. (1954). In:
Arquivo Marxista.
TSETUNG, Mao, Análise das Classes na Sociedade Chinesa. 1926. In: Arquivo Marxista.
POMAR, Wladimir. A Revolução Chinesa. São Paulo: Unesp, 2003. 179 p. (Revoluções do
Século XX).
NAVES, Márcio Brilharinho, Mao: o processo da revolução. Editora Brasiliense, 2003.
TSETUNG, Mao, Sobre o tratamento correto das contradições no seio do povo. (1957). In:
Arquivo marxista.

Complementar:
MACEDO, Emilia no Unzer. História da Ásia: Uma Introdução à sua História Moderna e
Contemporânea. Universidade Federal do Espirito Santo. Secretaria de Ensino à Distância.
Vitória, 2016.

CINTRA, Marcos Antonio Macedo; FILHO, Edison Benedito da Silva, PINTO, Eduardo Costa
(ORGs.). China em transformação : dimensões econômicas e geopolíticas do
desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ipea, 2015.

TSETUNG, Mao, Sobre a Ditatura da Democracia Popular. (1949). In: Arquivo marxista.
CHUNQIAO, Zhang (Tcham Tchuen-tchiao), Acerca da ditadura integral sobre a burguesia –
1975. In: Arquivo marxista.
MORENO, Nahuel. Revolução Chinesa e Indonesa. In: Cadernos Versus, Editora Versus LTDA,
1979.
STEDILE, Miguel Enrique (Org.). Mao Zedong e a revolução chinesa: métodos de direção e
desafios de transição ao socialismo. Tradução: Andrea Piazzoroli Longobardi (et. al.), São
Paulo: Expressão Popular, 2019.
POMAR, Wladimir. O Enigma Chinês. 2. ed. – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo,
2015.
 Plano didático:
Aula Período e Pontos da aula Método/didática Questões da
temas Partes a serem bibliografia
apontadas. complementar
1 1870-1945 - as classes.
- os três tipos de
burguesia.
- A revolução democrática
de 1911. Depois As forças
burguesas fracas não
acreditam conseguir a
revolução, preferem
conciliar com as forças
reacionárias, por isso a
aliança com os senhores da
guerra do norte liderados
por Yuan Shikai.
- guerras civis.
2 1945-1955 - Aliança com a burguesia
interna, oposição à
burguesia burocrática e à
burguesia estrangeira
(imperialista).
- PC lança Três principais
regras da disciplina e Oito
Pontos de Atenção.
- divergências com a
URSS: a tática do
campesinato; a crítica ao
Stalinismo e o
rompimento.
3 1950-1979 - Desordens iniciais e suas
causas:
-> comparação de
números: volume de
pessoas, as mortes; o
ataque militar e o numero
de soldados;
- a preponderância das
relações de produção.
- divisão interna na direção
do PC sobre o rumo da
revolução
- revolução cultural:
conflitos sobre o caminho
da revolução;
divergências.

4 1980-2020 - a decisão dos chineses:


caminho e mudanças
lentas e controladas.
- A tese do “terceiro
caminho”: capitalismo de
controle estatal.
- modelo misto: empresas
estatais; cooperativas;
empresas privadas;
empresas mista estatal-
cooperativa.
-> controle estatal do
desenvolvimento e das
empresas.
-> Zonas especiais de
investimento estrangeiro
para desenvolver
tecnologia e absorver.
-> abre setores ao capital
estrangeiro somente
quando empresas
nacionais conseguem
concorrer.
- dados do
desenvolvimento
- a china hoje
BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CHAO-TSI, Liu. Sobre o Projeto de Constituição da República Popular da China. (1954). In:
Arquivo Marxista.
EN-LAI, Chu, O Caminho da Consolidação e do Desenvolvimento das Vitórias do Povo
Chinês. 1950. In: Arquivo Marxista.
NAVES, Márcio Brilharinho, Mao: o processo da revolução. Editora Brasiliense, 2003.
POMAR, Wladimir. A Revolução Chinesa. São Paulo: Unesp, 2003. 179 p. (Revoluções do
Século XX).
TSETUNG, Mao, Análise das Classes na Sociedade Chinesa. 1926. In: Arquivo Marxista.
TSETUNG, Mao, Sobre o tratamento correto das contradições no seio do povo. (1957). In:
Arquivo marxista.
TSETUNG, Mao, Sobre a Questão da Burguesia Nacional e dos Nobres Esclarecidos. 1948.
IN: Arquivo Marxista.

Complementar:
CINTRA, Marcos Antonio Macedo; FILHO, Edison Benedito da Silva, PINTO, Eduardo Costa
(ORGs.). China em transformação : dimensões econômicas e geopolíticas do
desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ipea, 2015.
CHUNQIAO, Zhang (Tcham Tchuen-tchiao), Acerca da ditadura integral sobre a burguesia –
1975. In: Arquivo marxista.
MACEDO, Emilia no Unzer. História da Ásia: Uma Introdução à sua História Moderna e
Contemporânea. Universidade Federal do Espirito Santo. Secretaria de Ensino à Distância.
Vitória, 2016.
MORENO, Nahuel. Revolução Chinesa e Indonesa. In: Cadernos Versus, Editora Versus LTDA,
1979.
POMAR, Wladimir. O Enigma Chinês. 2. ed. – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo,
2015.
STEDILE, Miguel Enrique (Org.). Mao Zedong e a revolução chinesa: métodos de direção e
desafios de transição ao socialismo. Tradução: Andrea Piazzoroli Longobardi (et. al.), São
Paulo: Expressão Popular, 2019.
TSETUNG, Mao, Sobre a Ditatura da Democracia Popular. (1949). In: Arquivo marxista.

Uberlândia (MG), ____ /______ /__________ Uberlândia (MG), ____ / _____ /_________

_____________________________________ ______________________________________
Palestrante Coordenador do Programa
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
Projeto Promoção da educação em culturas populares em parceria com a
Universidade.

Curso de História da Ásia: Reflexões sobre a China, Vietnã e a Coreia do Norte.

FICHA DO MÓDULO VIETNÃ

Curso Palestrante
Curso de História da Ásia: Reflexões sobre o Wilson Alves dos Santos Junior
Vietnã
Carga Horária Público alvo
10 h Comunidade acadêmica e público externo.

OBJETIVO DO CURSO

- Realizar reflexões sobre a História da China, Vietnã e da Coréia do Norte nos séculos XVII a
XXI junto à comunidade interna e externa da UFU por meio da revisão bibliográfica mais
ampla.
- Acumular reflexões para a construção de um Curso de Especialização em História da Ásia,
com elementos teóricos capazes de demonstrar a dinâmica das sociedades asiáticas.
- Fortalecer a reflexão sobre História da Ásia dentro do Instituto de História e do Instituto de
Geografia da UFU.
- Elaborar uma pesquisa bibliográfica sobre os processos revolucionários e lutas populares
das nações asiáticas, sobretudo da China, Vietnã e da Coréia do Norte.

EMENTA DO MÓDULO

A proposta desse módulo tem o objetivo de apresentar as principais características históricas,


políticas e sociais da luta do povo vietnamita pela independência nacional. Uma luta marcada
pela violência dos países imperialistas que impuseram um sistema colonialista baseado na
violência e na espoliação das riquezas desse pequeno país asiático, mantendo um sistema de
exploração e opressão contra a população local.
Esse módulo está dividido em quatro aulas e aborda o desenvolvimento da luta pela
independência sob a perspectiva da organização popular. As aulas estarão divididas na ordem
dos acontecimentos cronológicos partindo da luta anticolonial (1945-1954), o processo
revolucionário socialista em um país dividido (1954-1965) e a guerra de libertação nacional e
unificação do país (1965-1975) que completou o processo de independência definitiva com a
vitória contra as forças de ocupação dos Estados Unidos.
Estudar a história do Vietnã é mergulhar no processo de emancipação da classe trabalhadora
que, organizada em um poderoso exército popular revolucionário, foi capaz de derrotar três
potências imperialistas (França, Japão e Estados Unidos).
PROGRAMA DO CONTEÚDO

Aula 1 (22/9) - O Vietnã colônia.


Aula 2 (29/9) - A Guerra de independência e a unificação nacional sob o socialismo.
Aula 3 (6/10) - De Ho Chi Minh a Le Duan: os protagonismos das lideranças revolucionariam.
Aula 4 (13/10) - O Vietnã pós-guerra.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ALVAREZ, Marta Elena (org.). Ho Chi Minh: política. São Paulo: Ática, 1984. 209 p. Tradução
Eder S. Sader e Alícia B. Auzmendi.
CHI-MINH, Ho. A resistência do Vietnam. (Textos políticos). Rio de Janeiro: Laemmert. 1968.
Tradução de Edio Vieira.
CHI-MINH, Ho. Escritos políticos. La Habana: Editorial de Ciencias Sociales, 1973.
CHI-MINH, Ho. O legado de Ho Chi-minh. In: BOGO, Ademar (org.). Teoria da organização política II:
escritos de Mariátegui, Gramsci, Prestes, Che, Ho Chi-minh, Marighella, Álvaro Cunhal, Agostinho
Neto, Florestan Fernandes. São Paulo: Expressão Popular, 2006. Cap. 5. p. 149-212.
NGUYEN-GIAP, Vo. Armamento das massas revolucionárias, edificação do exército do povo. Rio de
Janeiro: Edições Nova Cultura, 2018.
NGUYEN-GIAP, Vo . O Vietnam Segundo Giap. Ed. 2. Rio de Janeiro: Edições Saga, 1968. Tradução de
Carlos Ferreira.
NGUYEN-GIAP, Vo. O legado de Vo Nguyen-Giap. In: BOGO, Ademar (org.). Teoria da organização
política III: escritos de Sun Tzu, Maquiavel, Clausewitz, Trotsky, Giap, Fidel Castro, Carlos Fonseca e
Florestan Fernandes. São Paulo: Expressão Popular, 2008. Cap. 5. p. 175-288.
PRINA, Agustín. La guerra de Vientan. México: Ed. Ocean Sur, 2008.
VISENTINI, Paulo Fagundes. A revolução vietnamita. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

Bibliografia suplementar
CHINH, Truong. El marxismo vietnamita: sigamos el caminho trazado por Karl Marx. México:
Lenguas Extranjeras, 1968.
CHINH, Truong. El marxismo y la cultura vietnamita. Hanoi: Lenguas Extranjeras, 1979.
MACEDO, Emilia no Unzer. História da Ásia: Uma Introdução à sua História Moderna e
Contemporânea. Universidade Federal do Espirito Santo. Secretaria de Ensino à Distância. Vitória,
2016.
SAID, Edward. W. Orientalismo: O Oriente como invenção do Ocidente. Tradução: Tomás Rosa
Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Uberlândia (MG), ____ /______ /__________ Uberlândia (MG), ____ / _____ /_________

_______________________________________ ______________________________________
Palestrante Coordenador do Programa
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
Projeto Promoção da educação em culturas populares em parceria com a
Universidade.

Curso de História da Ásia: Reflexões sobre a China, Vietnã e a Coreia do Norte.

FICHA DO MÓDULO: COREIA DO NORTE

Curso Palestrante
Curso de História da Ásia: Reflexões sobre a Dyovanna Campos Pires
Coreia Popular
Carga Horária Público alvo
10 h Comunidade acadêmica e público externo.
OBJETIVO DO CURSO

- Realizar reflexões sobre a História da China, Vietnã e da Coréia do Norte nos séculos XVII a
XXI junto à comunidade interna e externa da UFU por meio da revisão bibliográfica mais
ampla.
- Acumular reflexões para a construção de um Curso de Especialização em História da Ásia,
com elementos teóricos capazes de demonstrar a dinâmica das sociedades asiáticas.
- Fortalecer a reflexão sobre História da Ásia dentro do Instituto de História e do Instituto de
Geografia da UFU.
- Elaborar uma pesquisa bibliográfica sobre os processos revolucionários e lutas populares
das nações asiáticas, sobretudo da China, Vietnã e da Coréia do Norte.

EMENTA DO MÓDULO

Estudo de tópico específico relativo à história de culturas e civilizações asiáticas tradicionais,


podendo envolver: Japão e/ou China Imperiais; Árabes e/ou Judeus no “Oriente Médio”;
Índia, Paquistão, Himalaias e/ou a Indochina e outros contextos mais específicos. O
desenvolvimento da disciplina também pode focalizar a história da Ásia contemporânea
entre os séculos XIX e XXI; a temática do Orientalismo desde o século XIX na Europa e no
“Ocidente” moderno e/ou as relações entre o “Ocidente” e “Oriente”, incluindo aí as redes
migratórias, as trocas culturais, comerciais e demográficas ao longo da História.

PROGRAMA DO CONTEÚDO

Aula dia 20/10/21 – “Revolução Coreana e Guerra da Coreia”


Aula dia 27/10/21 – “O socialismo em um meio país: reconstrução e o Socialismo Zuche”
Aula dia 03/11/21 – “O impacto do fim da URSS e a Política Songun”
Aula dia 10/11/21 – “Os impactos do Imperialismo e Fake News”
BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CHOL, Ri Jong. Política Songun da Coreia. Texto traduzido para o português por “A voz do
povo de 1945”. 6 jan. 2018. Disponível em: >
http://avozdopovode1945.blogspot.com/2018/01/politica-songun-da-coreia.html <
Entenda como funcionam as eleições na Coreia do Norte. Centro de Estudos da Política
Songun. Rio de Janeiro, 09 mar. 2020. Disponível em: >
https://cepsongunbr.com/2019/03/09/entenda-como-funcionam-as-eleicoes-na-coreia-do-
norte/ <
Estado de medo: Como o bombardeamento mais mortal da história mundial criou a atual
crise na Coreia. Jornal A Pátria, 31 jul. 2018. Disponível em: >
https://www.jornalapatria.com/post/estado-de-medo-como-o-bombardeameto-mais-
mortal-da-hist%C3%B3ria-mundial-criou-a-atual-crise-na-coreia <
JONG IL, Kim. Sobre a ideia Juche. Centro de Estudos da Ideia Juche (CIEJ) – Brasil, 2017.
Disponível em:
>https://drive.google.com/file/d/1tmgPmopzB2gAejbuHauWh21W6KDM2jJ/view <
Mundo Socialista. República Popular Democrática da Coreia (Volume I). Edições Nova
Cultura: 2ª edição, 2018. Disponível em: >
https://drive.google.com/file/d/1AaEOxaFwM3_ADM7o9nrdn5Eo0kOJFIs3/view <
PUIG, Raphael. A Coreia do Norte é uma ditadura? Centro de Estudos da Política Songun. Rio
de Janeiro, 27 mar. 2020. Disponível em: > https://cepsongunbr.com/2020/03/27/a-coreia-
do-norte-e-uma-ditadura/ <
VISENTINI, Paulo G. Fagundes. A revolução coreana: o desconhecido socialismo zuche / Paulo
G. Fagundes Visentini, Analúcia Danilevicz Pereira, Helena Hoppen Melchionna. - São Paulo:
Editora Unesp Digital, 2017. Disponível em: > https://drive.google.com/file/d/1OX04Mj-
HRu1O_YBvB48YHQov3Zf2F_zB/view <

Uberlândia (MG), ___ /____ /_________ Uberlândia (MG), ___ /____ /_________

_______________________________________ ______________________________________
Palestrante Coordenador do Programa

Você também pode gostar