Você está na página 1de 8

MATERIAL COMPLEMENTAR

Estudos Disciplinares
Tema: Parâmetros Físico-Químicos de Importância para o Setor
Farmacêutico

Margarida Szurkalo

1. CALOR
Calor é um conceito do âmbito da Física que representa uma forma de
energia, e é energia térmica em trânsito entre corpos de diferentes
temperaturas.
Quando dois corpos têm temperaturas diferentes e estão em contato, o calor
passa do objeto com maior temperatura para o de menor temperatura, até que
seja atingido o equilíbrio térmico.

1.1 Calor e Temperatura


Existe uma diferença entre calor e temperatura, dois conceitos importantes da
termologia.
Calor é a energia térmica em movimento, ou seja, a energia cinética
proveniente da movimentação dos átomos ou moléculas, a temperatura é a
grandeza física usada para medir a energia cinética em questão.
A temperatura associa um número à vibração entre moléculas e é o sistema ou
escala criada para medir a vibração molecular, ou seja, o calor.

1.2 Calorimetria
É a parte da Física que estuda as trocas de energia entre corpos ou sistemas
quando essas trocas se dão na forma de calor:
 Condução
 Convecção
 Irradiação

1.3 Energia Térmica


Quando é analisado microscopicamente um corpo nos estados sólido, líquido e
gasoso, nota-se que:

 No estado sólido, as partículas que constituem o corpo possuem uma


grande vibração em torno de sua posição;
 No estado líquido, as partículas, além de vibrarem, apresentam
movimento de translação no interior do líquido;

1
 No estado gasoso, as partículas, além de vibrarem intensamente,
também transladam com grande velocidade no interior da massa
gasosa.

As partículas que constituem os corpos possuem energia de agitação. Essa


energia de agitação das partículas do corpo é chamada de energia térmica.

1.4 Formas de Calor


 Calor sensível: quantidade de calor que um determinado corpo cede ou
recebe, quando varia sua temperatura. Causa a variação de temperatura
de um sistema.
 Calor latente: quantidade de calor que um determinado corpo cede ou
recebe, quando muda sua fase ou estado físico. Durante a mudança de
estado, a temperatura permanece constante.

1.5 A Caloria
Caloria, também representada por cal, é a unidade de calor.
Por definição: 1 cal é a quantidade de calor necessária para aumentar a
temperatura de um grama de água sob pressão normal de 14,5 ºC para 15,5
ºC.
A unidade de calor, no SI, é o Joule (J); ainda se usa bastante a caloria (cal).
1 cal = 4,186 J

1.6 Parâmetros de Troca de Calor

1.6.1 Calor Específico


Calor específico (c): corresponde à quantidade de calor que se deve
fornecer ou retirar de uma massa unitária da substância (1 g) para variar
de 1 ºC a sua temperatura. Parâmetro constante para cada tipo de
substância química.

1.6.2 Calor Latente


Calor latente (L): corresponde à quantidade de calor que se deve
fornecer ou retirar de uma massa unitária da substância (1 g) para que
se tenha a mudança de fase.

1.7 Capacidade Térmica de Um Corpo (C)


Quantidade de calor necessária para que a temperatura do corpo varie de 1 ºC.
Depende da massa do corpo e da natureza da substância.
Unidades:
No SI = J/K
Na prática = cal/ºC
C = m.c

2
EQUAÇÃO FUNDAMENTAL DA CALORIMETRIA

Q = m.c. T

Onde:
Q = quantidade de calor
m = massa
c = calor específico
T = variação da temperatura

2. DENSIDADE
 Densidade é uma propriedade física aplicada à matéria em qualquer
estado físico.
 Estabelece a relação entre a massa e o volume ocupado pela matéria.

𝒎𝒂𝒔𝒔𝒂 𝒎
d = 𝒗𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆 → d = 𝑽

Para líquidos e sólidos, a unidade mais usada para densidade


é g/cm3 (ou g/mL), lembrando que 1 cm3 = 1 mL. Já para gases, é mais comum
a unidade g/L. Apesar disso, a unidade de densidade no SI (Sistema
Internacional de Unidades) é o quilograma por metro cúbico (kg/m3).
A densidade é uma grandeza que varia de acordo com a temperatura e a
pressão.
A determinação da densidade é realizada com aerômetros, densímetros e
picnômetros.

2.1 Densidade Absoluta e Densidade Relativa


Quando falamos simplesmente em densidade, estamos nos referindo
à densidade absoluta ou massa específica, que, como vimos, resulta da
divisão da massa sobre o volume de um material.
A densidade relativa, por sua vez, respeita a relação comparativa entre a
densidade de um material com a de outro.

2.2 Influência da Temperatura na Densidade


A densidade de uma mesma substância depende do estado físico e da
temperatura; no caso dos gases, além desses fatores, inclui-se também a
pressão.
 Para líquidos: maior temperatura = menor densidade;
 Para gases: maior temperatura = maior densidade.

3. TENSÃO SUPERFICIAL DOS FLUIDOS

3
Propriedade dos fluidos relacionada à força de coesão existente entre as
moléculas.
As forças intermoleculares nos líquidos são diretamente responsáveis por
fenômenos de capilaridade, tais como a subida de líquido em tubos capilares, a
completa umidificação de uma toalha quando uma ponta fica mergulhada na
água etc.; e também por fenômenos de superfície, tais como uma agulha que
flutua sobre a superfície da água, muito embora sua densidade seja muito
maior do que a da água, a caminhada dos insetos sobre superfícies líquidas
etc.
Quando há uma molécula no interior de um líquido, ela está à mercê de forças
que a atraem por todas as direções, e o vetor dessas forças é nulo. Entretanto,
se uma molécula está na superfície de um líquido, então ela é solicitada para o
interior do líquido por uma força de coesão que é perpendicular à superfície do
mesmo, necessitando de certo trabalho para deslocar as moléculas dessa força
oposta.
A intensidade das forças de coesão irá ter relação direta sobre as propriedades
físicas das substâncias químicas.
A tensão superficial é a força por unidade de comprimento que se exerce
tangente à superfície do líquido; é a tensão dessa membrana superficial
(película).
A tensão superficial dificulta a mistura de fluidos ou mesmo a incorporação de
sólidos a um fluido.

3.1 Fluidos
Fluido é toda matéria que contenha massa, porém, assumirá o formato do
recipiente (meio) onde será acondicionado.
Serão considerados fluidos:
 Líquidos
 Gases
 Vapores
 Plasma

3.2 Tensoativos
 Tensoativos ou surfactantes são substâncias químicas que atuam
reduzindo a tensão superficial dos fluidos (melhorando a mistura).
 Tratam-se de substâncias anfifílicas.

4. VISCOSIDADE E REOLOGIA DOS FLUIDOS


Reologia: estudo do comportamento dos materiais quando submetidos a
forças (“tensões”) por um período de tempo.

Propriedades reológicas

4
Elasticidade: capacidade de deformação (reversível) pela ação de uma força
externa ou contato.
Plasticidade: capacidade de deformação irreversível pela ação de uma força
externa ou contato. Ocorre após se atingir o chamado limite de escoamento.

4.1 Viscosidade
Parâmetro que indica a resistência de um fluido ao fluxo quando submetido a
uma tensão de cisalhamento.

4.2 Fluidos Newtonianos


A tensão de cisalhamento (τ) é proporcional ao gradiente de velocidade (taxa
de cisalhamento) existente no interior do fluido (dv/dy).

4.2.1 Coeficiente de Viscosidade


Indica a resistência ao escoamento de um fluido.
 Unidade no SI: Poise (P).
 Usualmente, utilizamos o cP (centiPoise) para indicar os valores de
viscosidade.

1 cP = 0,001 kg/m.s

A viscosidade em fluidos newtonianos será sempre constante, pois a


relação entre a tensão (τ) e o gradiente de velocidade (dv/dy) será
sempre a mesma.

4.2.2 Influência da Temperatura


O aumento na agitação das moléculas e seu afastamento por conta da
ruptura das forças de coesão (interação) provoca alteração na
viscosidade dos fluidos.
 Líquidos: a viscosidade diminui com o aquecimento.
 Gases: a viscosidade aumenta com o aquecimento.

4.3 Fluidos Não Newtonianos


 São fluidos cuja viscosidade varia com o tempo ou tensão de
cisalhamento aplicada.
 Terá variação na relação entre a tensão (τ) e a taxa de cisalhamento
(dv/dy).
 São divididos em duas classes:

– Independentes do tempo.
 Dilatantes
 Pseudoplásticos
 Plásticos de Bingham

5
– Dependentes do tempo.
Além de variar com a tensão de cisalhamento, a viscosidade irá variar com o
tempo.
 Reopéticos
 Tixotrópicos

4.4 Como Medir a Viscosidade


Existem duas formas de medirmos a viscosidade:
 Aparente (μ): medida em um único ponto e mantendo cisalhamento
constante (unidade: Poise);
 Cinemática (ν): medida baseada na gravidade (unidade: Stokes).

5. PRESSÃO HIDROSTÁTICA
Hidrostática é um ramo da Física que estuda as características dos fluidos em
repouso. Em especial, estabelece relações com a pressão exercida sobre
corpos imersos em fluidos como o ar atmosférico e a água.

Pressão é a relação entre uma força aplicada sobre uma área.

Segundo Pascal, para fluidos incompressíveis, a pressão será influenciada por:


 Gravidade
 Densidade
 Coluna de líquido (altura ou profundidade)

Observação: Blaise Pascal foi um matemático, físico, inventor, filósofo e


teólogo católico francês. Os primeiros trabalhos de Pascal dizem respeito às
ciências naturais e ciências aplicadas.

Pressão hidrostática é a pressão exercida por uma coluna de fluido em


repouso. Para calcularmos o módulo da pressão hidrostática exercida por um
fluido, utilizamos o princípio fundamental da Hidrostática:

“A diferença de pressão entre dois pontos de um fluido é determinada pelo


produto entre sua densidade, o módulo da gravidade local e a diferença de
altura entre esses pontos.”

Ao mergulharmos em uma piscina, a água irá exercer uma pressão sobre nós.
Quanto mais fundo mergulharmos, maior será essa pressão. Agora, imagine
que o líquido contido na piscina não seja água, mas outro mais denso. Nessa
situação, a pressão vai aumentar, pois o peso do líquido sobre nós também
será maior. E, se estamos falando de peso, é porque a força da gravidade, que

6
o compõe, influencia a pressão exercida pelo líquido, também chamada de
pressão hidrostática.

7
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BISQUOLO, P. A. Hidrostática: o estudo dos líquidos e dos gases em repouso.


Educação UOL. Disponível em:
https://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/hidrostatica-o-estudo-dos-liquidos-
e-dos-gases-em-repouso.htm?cmpid=copiaecola. Acesso em: maio de 2019.

SCHULZ, D. Calor. Instituto de Física. Disponível em:


https://www.if.ufrgs.br/~dschulz/web/calor.htm. Acesso em: maio de 2019.

GUIA DO ESTUDANTE. Resumo de química: densidade. Disponível em:


https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/resumo-de-quimica-densidade/.
Acesso em: maio de 2019.

Você também pode gostar