Você está na página 1de 6

Módulo Digital AS-Interface

Manual de Instruções

Sensores e Instrumentos
Entradas
MANUAL DE INSTRUÇÕES

AS-Interface

a4
Entrad

a3
Entrada 2 Entrad

Entrada 1

Conexão da Rede
AS-Interface

Fig. 1

Conectores
Trilho Power Rail
Módulo I/O - Digital
4 Entradas
2 Sense
Módulo Digital AS-Interface Módulo Digital AS-Interface
Fixação do Módulo: Sistema Power Rail:
A fixação do módulo KD internamente no painel deve
ser feita utilizando-se de trilhos de 35 mm
Consiste de um sistema onde as conexões de
alimentação e comunicação são conduzidas e
Entradas
(DIN-46277), com opção de utilização de Power Rail. distribuídas no próprio trilho de fixação, através de
O cabo AS-Interface deve ser conectado na lateral do conectores multipolares localizados na parte inferior
módulo e caso seja utilizada a opção com Power Rail do módulo. Este sistema visa reduzir o número de
este cabo deve ser conectado somente em um dos conexões externas entre os instrumentos da rede
módulos, pois o Power Rail faz a distribuição do cabo conectados no mesmo trilho.
AS-Interface para os outros módulos do mesmo
trilho, para fixá-lo siga os procedimentos abaixo: DIP
4
3
2
1

Vista Lateral
ON

Conectores
( Lado da Conexão)
1° Com auxílio de uma
chave de fenda, empurre a Trilho Power Rail
trava de fixação do módulo
para fora, (fig.02). Conectores

Fig. 2 Trilho DIN 35mm


Fig. 6

Trilho Autoalimentado tipo “Power Rail”: Vista A


Vista B
O trilho power rail TR-KD-05 é um poderoso conector
que fornece interligação dos instrumentos conectados
2° Abaixe o módulo até que ao tradicional trilho 35mm. Quando unidades do KD
ele se encaixe no trilho, (fig. forem montadas no trilho automaticamente a
03). alimentação, shield e comunicação da rede será
conectada, aos módulos. O
DO
S ÇÃ
DA ) TA
EN
DE 5 IM
TO -KD-0 AL
EN R DE
AM L (T TO
RR NA EN
-0 2 BA CIO R AM
-KD OP AR
TR cB
Fig. 3 TR
ILH
O - 24
+
Vc

-PL
-KD
TR E m)
DA D-T 0m
EN R-K S2
EM AT OT
TO
R MP SL
EC TA (25
N m
CO 50
0m

3° Aperte a trava de fixação


até o final (fig.04) e certifique TRILHO TR-DIN-35

que o módulo esteja bem Fig. 7


fixado.
Sistema Plug-In:
Neste sistema as conexões dos cabos são feitas em
conectores tripolares que de um lado possuem
Fig. 4 terminais de compressão, e de outro lado são B
Cuidado: Na instalação dos módulos no trilho com um
A
conectados ao equipamento.
sistema Power Rail, os conectores não devem ser Este sistema tem por finalidade facilitar a instalação e
forçados demasiadamente para evitar quebra dos o arranjo da fiação além de contribuir na manutenção
mesmos, interrompendo o seu funcionamento. possibilitando a rápida substituição do equipamento.
Para que o instrumento seja fornecido com o sistema Fig. 09
Montagem na Horizontal:
Recomendamos que os módulos, sejam montados na plug-in basta acrescentar no final do código “-P”.
posição horizontal afim de que haja melhor circulação Sistema com Borne Sistema Plug-In
de ar e que o painel seja provido de um sistema de
ventilação evitando o sobreaquecimento dos
componentes internos.

Fig. 8 Conectores
Trilho Power Rail

Fig. 5
Sense 3 4 Sense
Módulo Digital AS-Interface Módulo Digital AS-Interface
Conexão das Entradas: Conexão Contato Seco: Conexão Sensor a 3 Fios: Entradas Simultâneas:
As entradas digitais do módulo ASI-KD-4EP podem O módulo admite a conexão de contatos secos como, O módulo permite a conexão de sensores de corrente Cada entrada do módulo permite a conexão de um
ser acionadas por sensores de proximidade botões de comando, comutadores, chaves contínua a 3 fios ( PNP ). tipo de sensor diferente, portanto pode-se utilizar um
(indutivos, capacitivos, etc.) à 2 ou 3 fios, bem como fim-de-curso, etc. sensor PNP entrada I 1, um contato seco na entrada I
de contatos secos (botoeiras, botões de comando, O que é Sensor de Corrente Contínua a 3 Fios: 2 e assim sucessivamente.
comutadores, chaves fim-de-curso, etc ). Diagrama de Conexão Contato Seco: Os sensores de proximidade em corrente contínua
normalmente são alimentados na faixa de 10 a 30 Vcc Diversos tipos de Sensores sendo Utilizados:
1+ 1 através dos fios marrom (+) e azul (-).
Am 2 I1
2 Possuem no estágio de saída um transistor que tem 1+ +
I1 3-
NTERFACE como função chavear ( ligar ou desligar ) a carga Am 2 I1 -
I2 4+ 4
I4 5 I2
conectada ao sensor. E1 3-
NTERFACE
I/O=Øh D0 I3 6-
5
Tabela de Conexão do Sensor: E2 4+ 10
ID=Øh D1 E3 5 I2
D2 7+ 7
Entrada Bornes I/O=Øh D0 E4 6-
11
D3 8 I4 ID=Øh D1
8
9-
I 1 1 ( + ), 2 ( I 1 ) e 3 ( - ) D2 7+ +
Vd 10+ 10
I4

Ta.b 16
D3 8 -
Fig. 10 11 I3 I 2 4 ( + ), 5 ( I2 ) e 6 ( - )
11 9-
REDE 12-

I 3 10 ( + ), 11 ( I3 ) e 12 ( - ) Vd 10+ +
Alimentação: I3
Des. 13 11 -
O módulo retira a alimentação para as entradas via I 4 7 ( + ), 8 ( I4 ) e 9 ( - ) REDE 12-
uma pequena fonte interna que reduz a tensão de Conexão Sensor 2 Fios:
rede AS-Interface para 27Vcc ±10%. O módulo permite a conexão de sensores de corrente Tab. 19
contínua a dois fios, versão N4 (NA) e N5 (NF). Diagrama de Conexão Sensor 3 Fios:
Entradas PNP
Simulação das Entradas:
1+ Siga os procedimentos abaixo para verificar o
O que é Sensor de Corrente Contínua a 2 Fios: 2 I1
+
funcionamento das entradas:
Am
-
São sensores em corrente contínua similares ao PNP I1 3-
e NPN, porém sem o terceiro fio que alimentaria o NTERFACE
I2 4+
sensor. I4 5 I2
+ Com Sensor à 3 Fios:
I/O=Øh D0 I3 - Ligue o módulo a rede
6-
ID=Øh AS-Interface e promova
A alimentação do circuito interno é obtida através de D1
a alimentação das
uma pequena corrente que circula pela entrada mas é D2 7+
+ entradas.
incapaz de aciona-la. D3 8 I4
- Conecte o sensor na
9-
Tabela de Conexão do Sensor: entrada desejada,
Vd 10+
+
conforme seu diagrama
11 I3 de conexões.
Entrada Bornes -
Fig. 11 REDE 12- Observe que ao acionar
I 1 1 ( + ) e 3 ( I1 ) o sensor (NA) deve-se
A tabela abaixo indica os bornes de alimentação das Fig. 17 verificar o imediato
Tab. 14
entradas, e também a tensão disponível para cada I 2 4 ( + ) e 6 ( I2 ) acionamento do led
uma delas: correspondente.
Fig. 20
Fig. 12 Cor de Fios dos Sensores:
I 3 10 ( + ) e 12 ( I3 )
Alimentação As cores dos fios dos sensores são normalizadas
Entrada Tensão Disponível Com Jump:
da Entrada I 4 7 ( + ) e 9 ( I4 ) internacionalmente e a sua função está indicada na Ligue o módulo a rede
tabela abaixo: AS-Interface e promova
I1 1(+)3( -)
Diagrama de Conexão Sensor N4 ou N5: Cor Função a alimentação das
I2 4(+)6(-) entradas.
N4 ou N5
27V ± 10% 1+ +
Marrom Positivo Faça agora um jump

Tab. 18
I3 10 ( + ) 12 ( - ) 2 I1 -
para acionamento da
Am
I1 3-
Azul Negativo entrada desejada de
I4 7(+)9(-) NTERFACE
acordo com o diagrama
I2 4+ +
I4
Preto NA de conexões para
5 I2 -
Nota: a tensão para alimentação dos elementos de I/O=Øh D0 I3 6- contato seco.
ID=Øh Branco NF
entrada pode chegar até a 29,7V. D1 Observe que o led
7+
D2 +
Nota: corresponde a entrada
8 I4 -
D3 deve manter-se
Corrente Disponível para as Entradas: 9- Quando utilizar sensores a 4 fios, escolha a saída NA aceso, e quando o
ou NF do sensor e lembre-e de isolar a saída não Fig. 21
O módulo prove uma proteção contra curto - circuito Vd 10+ + jump for retirado o led
para as entradas que limita a corrente disponível em 11 I3 - utilizada. se apaga.
REDE 12-
200 mA para as quatro entradas o que admite 50 mA
por entrada.
Des. 15
Sense 5 6 Sense
Módulo Digital AS-Interface Módulo Digital AS-Interface
Alimentação da Rede: Repetidor de Rede:
Segundo as especificações da rede AS-Interface admite-se uma queda de tensão máxima de 3V ao longo da O repetidor de rede AS-Interface viabiliza a implantação da rede com mais 100 metros de comprimento.
linha em função da corrente transportada pelo cabo. Permitindo que os escravos sejam instalados tanto antes do repetidor (linha 1) como depois do repetidor (linha
2).
Cálculo das Quedas de Tensão:
Imprescindível na implementação de uma rede AS-Interface é a avaliação da queda de tensão ao longo da
linha, que é ocasionada pela resistência ohmica do cabo submetida a corrente de consumo dos equipamentos
alimentados pela rede. Os cálculos das quedas de tensão serão baseados na Lei de Ohm, aplicada a cabos MASTER
onde o valor da resistência depende do comprimento do cabo:

sendo: Des. 23
U = tensão em Volts
Repetidor
U=r x L x I I = corrente em Amperes
r = resistividade do cabo W/m
Fonte
100m ASI
L = comprimento do cabo (m)
Linha 1
O cabo ASI Flat (amarelo) possui r=0,03W/m.
Nota: O valor apresentado do consumo dos monitores de válvulas de 0,5A é valor didático para simplificar os 100m
cálculos, o valor real de uma placa mais a solenóide “Low Power” é da ordem de 70 mA.
Linha 2

B = 29,14V

Escravo Escravo
1 31
Fig. 22
No entanto cada trecho deve possuir sua fonte de alimentação AS-Interface, pois esta é utilizada para a
0,54 V
comunicação e como cada um dos trechos precisa repetir a informação recebida do outro trecho são
30m x 0,030W x 0,5A necessários duas fontes.
U = 0,45 V
30m Em uma rede podem ser utilizados até 2 repetidores, extendendo o comprimento máximo da rede para 300m,
observe que todas as derivações (x) devem ser consideradas no cálculo do comprimento máximo de 100M.
0,5A 22m x 0,030W x 1A
Extensor de Rede: Expansor de Fonte:
U = 0,66 V
O extensor deve ser utilizado quando o master O expansor permite que com uma única fonte de
C = 28,69V
(controlador) da rede AS-I está distante (até 100 m) do alimentação AS-Interface possa servir para todos os
primeiro grupo de escravos, mas não deve ser trechos da rede onde são utilizados os repetidor de
utilizado nos casos onde existem escravos entre o rede, mesmo quando a rede possuir três trechos.
master e o extensor.
Outra grande vantagem do expansor de fonte é
O uso do expansor torna a instalação mais econômica permitir que uma única fonte de alimentação em uma
pois dispensa o uso de duas fontes de alimentação rede com repetidores, possa ser instalada em painel
como no repetidor, existem algumas restrições para a junto com o gateway, facilitando a manutenção pois
2,71 V utilização desta topologia, para maiores informações os equipamentos ficam centralizados.
1A 22m 0,66 V consulte nossa engenharia de aplicações.
A’ = 29,77V

Praticamente despresível
2 x 0,03 x 0,5 = 0,03V Des. 24
Fonte
Fonte MASTER Comum Des. 25
31,6 V 31,6V
1,8 V E.F. E.F. E.F.
A = 29,8V
Extensor
FONTE DE ALIMENTAÇÃO EM CORRENTE CONTÍNUA

40m MASTER
REDE ASI

ASI-KF-3002/110-220Vca
(+)
(-)

Fonte
TIPO CHAVEADA

Sensores e Instrumentos
ON

100m ASI
(N)

(F)
Vca

1,5A 40m x 0,030W x 1,5A


Linha 1 Repetidor Repetidor
Escravo
Linha 1 Linha 1 31
U =1,8 V 100m
100m

Linha 2 Linha 2 100m


Linha 2

Escravo Escravo Escravo


9 21 29
Escravo Escravo
Escravo Escravo 1 5

1 31

Sense 7 8 Sense
Módulo Digital AS-Interface
Cabo Flat: Conector Rosca PG 13,5 / Cabo Flat: Módulo Digital AS-Interface
O cabo para rede ASI possui um par de fios que são O conector ASI-PLVY/PG 13,5 permite a derivação da
utilizados para levar a alimentação e a comunicação Conexão do Cabo de Rede: Cuidados com a Rede:
rede para os módulos I/O, caixas de passagem,
digital ao escravo. Fazer as pontas dos fios conforme desenho: Prestar muita atenção ao manipular o cabo da rede pois um leve
caixas de botões de comando, etc.
São normalizados e possuem especificações rígidas curto-circuito pode causar danos e interromper o funcionamento da
Para conexão do módulo feita por um exclusivo rede inteira.
em termos de impedância (resistência, capacitância e conector para cabo flat AS-Interface localizado na
indultânciapor unidade de comprimento) que parte externa do módulo feita por um exclusivo 1 - Para facilitar a substituição etiquete os módulos com seu
garantem o perfeito funcionamento da rede no seu conector para cabo flat AS-Interface localizado na respectivo endereço.
5
comprimento máximo de 100m. parte externa do módulo, basta acrescentar VY no Dess. 32 2 - Sempre que possível utilize a opção de fonte externa nos
20 módulos de saída, quando chavear correntes altas.
O cabo é fornecido em borracha (EPDM) para ser final do código.
utilizado em aplicações de uso geral, mais está Terminais: 3 - Elabore um diagrama esquemático de rede identificando todos
disponível em poliuretano (PUR) para ambientes os instrumentos presentes, com seu endereço na rede.
agressivos com agentes químicos. Para evitar mau contato e problemas de curto-circuito
4 - O desenho esquemático deve prever uma identificação e
aconselhamos utilizar terminais pré-isolados
marcação em todas extremidades dos cabos utilizados.
Técnica de Perfuração: (ponteiras) cravados nos fios.
5 - Para facilitar a manutenção aconselha-mos ainda colocar
Projetada para diminuir o tempo e os custos de
identificações no cabo antes e depois de cada instrumento, onde o
montagem, a técnica implementada conexões entre o Alicate ZA3
Técnico pode identificar com o desenho, o local exato onde esta na
flat cable AS-Interface e os escravos ou módulos, rede.
através de 2 pinos que perfuram a isolação e fazem o Fig. 29 Des. 34
Des. 33 6 - Manter atualizado este desenho depois de alterar na rede.
contato elétrico.
Devido ao formato especial do cabo evita-se a Comissionamento:
Instalação do Cabo com Bornes Aparafusáveis:
conexão com polaridade invertida: 1 - Verifique cuidadosamente a correta conexão da fonte
Siga corretamente o procedimento abaixo: AS-Interface e as fontes auxiliares.
Derivação com Conector: 1 - Faça a ponta do cabo conforme o item anterior e 2 - Ligue o mestre AS-Interface.
Permite a derivação da rede AS-Interface, aplique os terminais.
3 - Verifique se o mestre reconheceu todos os escravos durante o
viabilizando inclusive sua substituição do módulo sem
Comissionamento.
interrompero funcionamento da rede.
4 - Coloque o PLC em RUN iniciando o aplicativo.

Dicas:
Des. 26
1 - Coloque a fonte de alimentação próximos de escravos com alto
Fig. 35 consumo.
Conector Cabo Flat / Cabo Redondo:
2 - Introduza os terminais do cabo na conexão de 2 - Certifique-se que a rede não excede os 100m, considerando
O conector ASI-PL-VY/CB06 permite a conexão de entrada da rede. todas as derivações.
sensores de proximidade, e/ou cargas e componentes 3 - Não instale o cabo AS-Interface junto com cabos de alta tensão
que possuem a tecnologia AS-Interface incorporada no mesmo bandejamento.
permitindo sua conexão a um cabo redondo embutido
4 - Mantenha o cabo de rede distantes de fonte de ruído, por
no conector, garantindo alto grau de proteção IP67.
exemplo de inversores de freqüência.

Substituição de Equipamentos:
Fig. 36 Para a substituição de um equipamento existe a opção de
endereçamento automático, neste caso após a troca do
Fig. 30 equipamento defeituoso o mestre detecta o novo módulo e verifica
Fig. 27 Nota: Utilize uma chave de fenda adequada e não se os parâmetros de configuração são iguais ao do antigo, sendo
Conector Cabo Flat / Cabo Flat: aperte demasiadamente para não destruir o borne. assim o mestre realiza automaticamente o endereçamento.
Confira se a conexão está firme, puxando levemente A opção de endereçamento automático é necessário que o mestre
O conector PL-VY/CBY também é um derivador de os fios, verificando se estão bem presos ao borne. exista esta opção e que esteja habilitado. Se o mestre não possuir a
rede e pode ser aplicado para distribuir a rede para os opção de endereçamento automático é necessário realizar o
Conector M12 (4 Pinos) / Cabo Flat: escravos. CUIDADO!
endereçamento manual.
Os fios sem terminais (ponteiras) podem causar
O conector ASI-PL-VY/V1 acopla o padrão curto-circuito interrompendo ou danificando O endereçamento do módulo poderá ser feito via programador
internacional de conectores para sensores, o M12 ao componentes da rede. manual (Hand Held) AS-Interface conectado diretamente no plug
cabo flat ASI. endereçador que é acessado retirando a tampa do módulo, como
Caso o módulo requira fonte externa para alimentar as standart os módulos vem no endereço 0.
Presta-se para conexão de sensores e outros entradas e saídas, utilize o segundo prensa cabo PG
escravos inteligentes, além de permitir derivar o cabo 13,5 fornecido com o kit de terminais, seguindo o Importante! Antes de configurar o endereçamento certifique-se
flat da rede para cabo redondo, utilizando-se o nosso mesmo procedimento de montagem e conexão do que somente este módulo esteja com o endereço escolhido.
conector macho aparafusável: PLM-V1A. cabo da rede ASI. Configuração da Rede:
Vide em nosso site na internet www.sense.com.br informações para
Fig. 31 configuração da rede e mapeamento de memória no Manual de
Instruções: AS-Interface Masters.

Procedimento para Utilização dos Conectores: Fig. 37


Vide nosso manual para procedimento e montagem
dos conectores em nosso site.
Fig. 28
Rua Tuiuti, 1237 - CEP: 03081-000 - São Paulo -Tel.: 11 6190-0444 - vendas@sense.com.br - http://www.sense.com.br
9 Sense
Reservamo-nos o direito de modificar as informações aqui contidas sem prévio aviso EA3000689A - 02/2004
Módulo Digital AS-Interface

Você também pode gostar