Você está na página 1de 35

COMPLEXOS QUÍMICOS

COMPLEXOS QUÍMICOS

Trata-se de compostos que contém um átomo ou íon central,


que geralmente é um metal de transição, rodeado por um
grupo de íons ou moléculas (ligantes).

Ligantes – moléculas ou íons que circundam o íon metálico.

L L

M
L L
Composição das espécies coordenadas
• Átomo Central – Ácidos de Lewis

• Receptor de elétrons;

• Geralmente elementos metálicos na forma catiônica;

• Algumas vezes podem apresentar estado de oxidação


zero ou negativo;

• Muito raro casos de átomos centrais ametálicos.


Composição das espécies coordenadas

• Grupos periféricos – Bases de Lewis

• Doadores de elétrons;

• Também chamados de LIGANTES;

• Podem ser aniônicos, moleculares, radicalares;

• Muito raramente são catiônicos.


–O Íon Central:
• Condições para o íon central formar complexos :
–raio pequeno;
–carga ou nox elevado;
–disponibilidade de orbitais para acomodar os pares
eletrônicos cedidos pelo ligante.

– O Ligante:
• Qualquer molécula ou ânion (ou até mesmo cátions)
com disponibilidade de par eletrônico não compartilhado.
• Moléculas com elétrons  (eteno, benzeno) podem
compartilhá-los com íon central.
Composição das espécies coordenadas

• Pode-se entender a formação de uma espécie coordenada


como uma reação de ácido-base de Lewis.

• A formação dos complexos está relacionada à acidez (de


Lewis), logo o desempenho do ligante frente a um
determinado íon central depende de sua basicidade (de
Lewis).
Teoria de Werner
- Alfred Werner (1893)

• Conceito de átomo central;

• Conceito de número de coordenação;

• Conceito de valência primária e secundária;


Proposições Teoria de Werner

1. A maioria dos elementos possui uma valência primária,


relacionada ao estado de oxidação do íon complexo e uma
valência secundária, relacionada ao número de
coordenação;

2. Todos os elementos tendem a satisfazer tanto as


valências primárias quanto às valências secundárias;

3. As valências secundárias estão dirigidas para posições


fixas no espaço (estereoquímica).
- Valência primária: carga do íon complexo;

- Valência secundária: número de átomos coordenados


ao átomo central (número de coordenação).

- As valências secundárias eram dispostas em lugares


fixos no espaço

[Co(NH3)6 ]Cl3
Definição das Esferas de Coordenação e Ionização

• Esfera de Coordenação (Esfera Interna):


• Caracterizada pela valência auxiliar – capacidade do íon
central em formação de ligações coordenadas com bases de
Lewis.

• Esfera de Ionização (Esfera Externa):


• Caracterizada pela valência principal do íon central – estado
de oxidação do íon central após formação da esfera de
coordenação.

[Co(NH3)6]Cl3 [CoCl(NH3)5]Cl2
Esfera interna ou Esfera externa ou Esfera interna ou Esfera externa ou
de coordenação: de ionização: de coordenação: de ionização:
• valência auxiliar 6 • valência principal • valência auxiliar 6 • valência principal
atendida pelas seis 3+ atendida pelos atendida pelas cinco 2+ atendida pelos
amônias. três cloretos. amônias e o cloreto. dois cloretos.
Ligantes
• Ligantes Monodentados:
• Apenas um par não compartilhado apto a formar a
ligação coordenada.
• Exemplos: F-, Cl-, Br-, CN-, NH3, H2O, CH3O+ e OH-
Ligantes
• Ligantes Bidentados:
• Dois pares não compartilhados disponíveis para
coordenação, geralmente em átomos diferentes da
espécie.
• Exemplos:

etilenodiamina (en) 2,2-bipiridina (bipy) acetilacetonato (acac)


Ligantes
• Ligantes Multidentados:
• Mais de dois pares não compartilhado aptos a formar a
ligação coordenada.
• Exemplos:
EDTA (etilenodiaminotetraacetato)-hexadentado.
Ligantes
Efeito Quelato:
- Ligantes polidentados (mais de um par de elétrons
isolado) podem formar compostos de coordenação com
estruturas anelares envolvendo o íon (átomo) central e os
ligantes.
• Complexos quelatos são mais estáveis com relação à
dissociação do que aqueles com ligantes monodentados
semelhantes.

• Consideremos as reações de formação dos complexos de:

• A constante de equilíbrio para a reação de formação do


complexo com a etilenodiamina é quase 1010 maior do que
para o complexo com a amônia. Isso significa que [Ni(en)3]2+
é mais estável em relação à dissociação .
Formulação
• Os íons complexos são representados, comumente,
entre colchetes.

• Por exemplo: uma fórmula como FeCl2.6H2O


especifica a estequiometria do composto mas não
fornece informações acerca de sua estrutura. Por se
tratar de um composto de coordenação, é melhor se
escrever sua fórmula como [Fe(H2O)6]Cl2, para
mostrar que o íon Fe(II) e as 6 moléculas de água
formam uma unidade estrutural.
Formulação
• A espécie central pode ser um íon ou um átomo,
geralmente de um metal, e os ligantes podem ser íons
ou moléculas neutras.

• As moléculas ou íons ligados ao íon do metal central


são os ligantes ( é o que ocorre com as moléculas de
água no caso do [Fe(H2O)6]Cl2 ).

• O número de ligantes unidos ao ‘elemento’ central


define o NÚMERO DE COORDENAÇÃO de tal
elemento.
Formulação

• Os complexos de coordenação têm geometria ou


estrutura bem definida, a qual depende do número de
coordenação.

• Ex: quando N.C. = 6  geometria dos ligantes:


octaédrica.

• N.C. = 4 Tetraédrica ou quadrado planar.

• N.C = 2 Linear.
Formulação
• Os ligantes têm pelo menos um átomo com um par
de elétrons isolado; é este par que permite a
interação entre o ligante e o metal.

No caso do [Ni(NH3)6]2+ temos:


Ni2+ + :NH3  [ Ni  NH3 ]2+
tendo-se uma ligação coordenada entre o ligante e o
metal,
Escrever as formulas das espécies complexas.

Espécie metálica NC ligantes


Cu(II) 4 4NH3; xCl- [Cu(NH3)4]Cl2
Co(III) 6 5NH3; xCl- [CoCl(NH3)5]Cl2
Complexos Metálicos - Cargas

• Carga no íon complexo = carga no metal + cargas nos


ligantes.
+2 +4(0) = +2

• Átomo doador: o átomo ligado diretamente ao metal.


• Número de coordenação: o número de ligantes ligados ao
metal.
– Os números de coordenação mais comuns são 4 e 6.
Compostos de Coordenação
Nomenclatura de Química de Coordenação
• Regras:
– Para os sais, dê nome primeiramente ao ânion antes do
cátion precedido da preposição “de”.
Ex.: [Co(NH3)5Cl]Cl2: damos nome ao Cl- antes do [Co(NH3)5Cl]2+.

– Dentro do íon complexo, os ligantes recebem os nomes


(em ordem alfabética) antes do metal.
Ex: [Co(NH3)5Cl]2+ : Pentaminoclorocobalto(III).
Observe que a parte penta é uma indicação do número de grupos NH3 e
conseqüentemente não é considerada na ordem alfabética dos ligantes.

Nome do composto: Cloreto de Pentaminoclorocobalto (III).


Nomenclatura de Química de Coordenação

• Regras:
– Os ligantes aniônicos terminam em o e os ligantes
neutros são simplesmente o nome da molécula.
Exceções: H2O (aqua), NH3 (amino) e CO (carnonil).
Fórmula e Nomes de Alguns Ligantes
Espécie Nome da espécie Nome do ligante
H2O Água aquo
NH3 Amônia amin ou amino
monóxido de
CO carbonil
carbono
monóxido de
NO nitrosil
nitrogênio
O2 oxigênio dioxigênio
N2 nitrogênio dinitrogênio
H2 hidrogênio hidro
F- Fluoreto fluoro
Cl- Cloreto Cloro
OH- hidróxido hidroxo
I- Iodeto Iodo
CN- Cianeto Ciano
Nomenclatura de Química de Coordenação

• Regras:

– Prefixos gregos são usados para indicar o número de


ligantes (di-, tri-, tetra-, penta- e hexa-).

Exceção: se o nome do ligante já tiver um prefixo grego.


Coloque então o nome do ligante entre parênteses e use
bis-, tris-, tetrakis-, pentakis- e hexakis.

Ex: [Co(en)3]Cl3 é o cloreto de tris(etilenodiamino) cobalto(III).


Nomenclatura de Química de Coordenação

• Regras:

– Se o complexo é um ânion, o nome termina em –ato,


seguido do nome do contraíon (cátion).

Ex: K4[Fe(CN)6] – Hexacianoferrato (II) de potássio.

íon [CoCl4]2- – íon tetraclorocobaltato(II)

– O estado de oxidação do metal é dado em números


romanos entre parênteses no final do nome do complexo.
Exemplos:
Complexo aniônico –
Metal central –
Ligantes –
Átomos doadores –
Contra-íon –
NC –
Nome –

Complexo catiônico – [Co(NH3)] +3


Metal central –
Ligantes – 6 (NH3)
Átomos doadores –6 N
Contra-íon – 3 Cl-
NC –
Nome – Cloreto de hexamincobalto (III).
Fórmula e Nomes de Alguns Compostos
de Coordenação
Fórmula Nomes

[Ag(NH3)2] Diaminprata(I)

[Co(NH3)6]3+ Hexamincobalto(III)

[Mn(CO)6]+ Hexacarbonilmanganês(I)

[Ni(CO)4] Tetracarbonilniquel(0)

[Mn(CO)5]- Pentacarbonilmanganato(-I)

[Fe(SCN)6]3- Hexatiocianatoferrato(III)

cis-[Pt(NH3)2Cl2]+2 cis-diaminadicloroplatina(II)

[Co(NH3)6]Cl3 Cloreto de hexaminocobalto

K2[PtCl6] Hexacloroplatinato(IV) de potássio


Exemplos:

a)

b)

c)
Formulação
• Para se entender melhor as estruturas dos complexos, é
importante ter em mente o conceito de

NÚMERO ATÔMICO EFETIVO – NAE

A regra do número atômico efetivo (NAE) diz que quando se


forma um complexo, há adição de ligantes até que o número de
elétrons do átomo metálico central mais o número de elétrons
cedidos pelos ligantes seja igual ao número de elétrons do gás
nobre seguinte.
Número Atômico Efetivo
• Ex.: K4[Fe(CN)6] – Hexacianoferrato(II) de potássio.

• Um átomo (neutro!) de ferro possui 26 elétrons.

• O íon central Fe2+ possui 24 elétrons.

• O gás nobre seguinte ao Fe é o Kr – 36 elétrons.

• A adição de seis pares de elétrons dos seis ligantes

CN- eleva o número atômico efetivo do Fe2+, no

complexo [Fe(CN)6]4- a:

24 + (6 x 2) = 36.
Número Atômico Efetivo

Você também pode gostar