Você está na página 1de 15

TRABALHO

DE
TOPOGRAFIA

Cilita Oliveira
Topografia

- Mapa topográfico de Mauna Kea, Havai

Topografia (do idioma grego topos, lugar, região, e graphein,


descrever: "descrição de um lugar") é a ciência que estuda todos os
acidentes geográficos definindo a situação e a sua localização.

Determina analiticamente as medidas de área e perímetro,


localização, orientação, variações no relevo, e ainda as representa
graficamente em cartas topográficas.

A topografia é também instrumento fundamental para a implantação


(chamadas locações) e acompanhamentos de obras como: projecto
viário, edificações, urbanizações (loteamentos), movimento de terra
(cubagem de terra), etc.

O termo só se aplica a áreas relativamente pequenas, sendo utilizado


o termo geodesia quando se fala em áreas maiores.

É também muitas vezes utilizado como ciência necessária à


caracterização da actividade sísmica num dado local, visto que só em
locais onde a topografia é conhecida, é que são possíveis
identificações de intensidade, suas oscilações, e provavelmente a
partir desses dados, poderemos determinar a frequência sísmica
desse local.

Cilita Oliveira
Campo de actuação
A topografia actua em áreas relativamente pequenas da superfície da
Terra, de modo que sejam representadas particularidades da área,
como construções, rios, vegetação, rodovias e ferrovias, relevos,
limites entre terrenos e propriedades e outros detalhes de interesse.

- Levantamento topográfico numa construção

Divisões
A topografia divide-se, basicamente, nas seguintes partes:

Topometria – Trata da medição de distâncias e ângulos de modo


que permita reproduzir as feições do terreno o mais fielmente
possível, dentro das exigências da função a que se destina o
levantamento topográfico produzido. Ela subdivide-se, ainda, em
planimetria e altimetria. Na primeira, são medidos os ângulos e
distâncias no plano horizontal, como se a área estudada fosse vista
do alto. Na segunda, são medidos os ângulos e distâncias verticais,
como um corte no terreno.

Topologia - como subdivisão da topografia, é a parte que trata da


interpretação dos dados colhidos através da topometria. Essa
interpretação visa facilitar a execução do levantamento e do desenho

Cilita Oliveira
topográfico, através de leis naturais do relevo terrestre que, quando
conhecidas, permitem um certo controlo sobre possíveis erros.

Taqueometria - É a divisão que trata do levantamento de pontos de


um terreno, in loco, de forma a obter-se rapidamente plantas com
curvas de nível, que permitem representar no plano horizontal as
diferenças de níveis. Essas plantas são conhecidas como plani-
altimétricas;

Fotogrametria - É a ciência que permite conhecer o relevo de uma


região através de fotografias. Inicialmente as imagens eram tomadas
do solo, mas, actualmente elas são produzidas principalmente a partir
de satélites. Nesses casos de sensoriamento remoto, são usados os
conhecimentos da estereoscopia, de modo que seja possível perceber
o relevo da região fotografada e medir as diferenças de nível, para se
produzir as plantas e cartas;

Instrumentos Utilizados

Fio-de-prumo

- Fio-de-prumo

O fio-de-prumo é um instrumento que determina a vertical do lugar.

Cilita Oliveira
A sua aplicação na topografia está ligada principalmente à medição
de distâncias e no estacionamento de aparelhos. O prumo é
basicamente composto por um peso preso a um cordel, o que permite
suspendê-lo ou abaixá-lo sobre o lugar (ponto) onde se pretende
obter a vertical.

Existem duas principais desvantagens:

Exigência de uma mão firme que consiga fixar o prumo sem que este
oscile.

A existência de vento muito forte torna este método um tanto


impraticável mesmo que o prumo esteja bastante pesado.

Nível

- Nível

O nível é um instrumento destinado a gerar um plano horizontal de


referência, para calcular os desníveis entre pontos. Podem ser
automáticos ou digitais.

Cilita Oliveira
Estação total

- Estação total ou taqueómetro.

Estação Total ou Taqueómetro é um instrumento electrónico utilizado


na medida de ângulos e distâncias.

A estação total é capaz de inclusive armazenar os dados recolhidos e


executar alguns cálculos mesmo em campo.

Com uma estação total é possível determinar ângulos e distâncias do


instrumento até pontos a serem examinados. Requer observações no
campo de visão e deve ser feita sobre um ponto conhecido ou dentro
do campo de visão de 2 ou mais pontos conhecidos).

Cilita Oliveira
Prisma Reflector

- Prisma reflector.

Alguns modelos modernos são robotizados permitindo ao operador


controlar a máquina à distância via controle remoto. Isso elimina a
necessidade de um assistente a segurar o prisma reflector sobre o
ponto a ser estudado. O próprio operador segura o reflector e
controla a máquina a partir do ponto observado.

Sistema de Posicionamento Global

Mais de 50 satélites como este NAVSTAR já foram lançados desde


1979.

Cilita Oliveira
- Antena de telhado para GPS

O Sistema de Posicionamento Global, popularmente conhecido por


GPS do inglês Global Positioning System ou do português Geo-
Posicionamento por Satélite, conforme o nome diz, inclui um conjunto
de satélites. É um sistema de informação electrónico que fornece, via
rádio a um aparelho receptor móvel, a posição do mesmo, tendo
como referencia as coordenadas terrestres.

Existem actualmente dois sistemas efectivos de posicionamento por


satélite: o GPS americano e o Glonass russo. Também existem mais
um sistema em implantação: o Compass chinês.

Existem dois tipos de serviços GPS: Standard e Precision.

O sistema está dividido em três partes: espacial, de controlo e


utilizador. O segmento espacial é composto pela constelação de
satélites. O segmento de controlo é formado pelas estações
terrestres dispersas pelo mundo ao longo da Zona Equatorial,
responsáveis pela monitorização das órbitas dos satélites,
sincronização dos relógios atómicos de bordo dos satélites e
actualização dos dados que os satélites transmitem. O segmento do
utilizador consiste num receptor que capta os sinais emitidos pelos
satélites. Um receptor GPS (GPSR) descodifica as transmissões do
sinal de código e fase de múltiplos satélites e calcula a sua posição
com base nas distâncias a estes. A posição é dada por latitude,
longitude e altitude.

Cilita Oliveira
Algumas Noções

Rede geodésica

- Marco geodésico de Melriça em Vila de Rei, que marca o centro


geográfico de Portugal.

Uma rede geodésica é uma rede de triângulos que são medidos com
exactidão a partir de técnicas de levantamento terrestres ou por
geodesia espacial. Na "geodesia clássica" (até à década de 1960) esta
é feita por triangulação, baseada na medição de ângulos e de
algumas distâncias, sendo que a orientação precisa do Norte
geográfico é efectuada por métodos de astronomia geodésica. Os
instrumentos mais usados são os teodolitos e os tacómetros.

Cilita Oliveira
- Satélite geodésico Lageos e os seus reflectores.

Apesar destas técnicas espaciais, as pequenas redes para cadastro e


levantamentos topográficos são usadas principalmente para medições
terrestres, mas na maioria dos casos essas redes são fechadas e
unidas às redes nacionais e globais através da geodesia espacial.

Entretanto, estão actualmente em órbita várias centenas de satélites


geodésicos, complementados por um enorme número de satélites de
detecção remota — e também pelos sistemas de navegação GPS e
Glonass, aos quais seguiu o sistema de satélites europeu Galileo em
2008. Hoje em dia as redes geodésicas são muito mais flexíveis e
económicas que as redes terrestres, sendo que até já se discute a
própria existência de redes de pontos fixos em marcos geodésicos,
embora irão com certeza continuar a existir, ao menos, nem que seja
por razões administrativas e legais a escalas locais e regionais.

Cilita Oliveira
Curva de nível

- Exemplo de mapa topográfico com curvas de nível a representar o


relevo.

A curva de nível serve para identificar e unir todos os pontos de igual


altitude de um certo lugar.

As curvas de nível indicam uma distância vertical acima, ou abaixo,


de um plano de referência de nível. Começando no nível médio da
água do mar, que é a curva de nível zero, cada curva de nível tem
um determinado valor. A distância vertical entre as curvas de nível é
conhecida como equidistância, cujo valor é encontrado nas
informações contidas nas cartas topográficas efectuadas.

Hipsometria e curvas de nível


É possível representar as diferentes altitudes de um terreno de duas
formas: por meio da hipsometria e por meio de curvas de nível.

Em mapas de pequena escala, para o mapeamento de grandes áreas,


utiliza-se a hipsometria. Os estudos hipsométricos possibilitam
conhecer o relevo de uma região de forma mais aprofundada e,
também, quais são os fenómenos que se processam na sua
superfície.

No método hipsométrico, as altitudes de uma região são

Cilita Oliveira
apresentadas por diferentes cores. Geralmente utiliza-se um sistema
de graduação de cores (cores hipsométricas).

As cores não são aleatórias e obedecem a uma regra geral,


facilmente identificável: o alaranjado escuro representa as maiores
altitudes (montanhas, serras, cordilheiras), cuja tonalidade vai
clareando conforme diminuem as altitudes; o amarelo representa
médias altitudes (geralmente planaltos) e o verde, as baixas altitudes
(planícies). As águas continentais (rios, lagos) e marítimas
representam-se em azul - quanto mais carregada for a tonalidade do
azul nos mares e oceanos mais profundos eles são.

Em mapas de maior escala, a altitude é representada por meio de


curvas de nível. Trata-se de linhas traçadas sobre o mapa e
separadas entre si por intervalos constantes de altitude. Uma curva
de nível caracteriza-se como uma linha imaginária que une os pontos
de igual altitude de uma região apresentada.

É chamada de 'curva' uma vez que a linha que resulta do estudo das
altitudes de um terreno é em geral manifestada por curvas. Portanto,
quando uma linha está muito distante de uma outra, o terreno
apresenta um declive suave, e quando as linhas estão muito
próximas entre si, apresenta declive bastante acentuado, ou seja,
curvas de nível mais próximas significam declives mais elevados,
enquanto curvas de nível mais afastadas representam áreas de
declives mais suaves.

Cilita Oliveira
Há ainda o caso das curvas de nível concêntricas, cujos valores mais
elevados no centro representam montanhas ou montes (imagem à
esquerda). Se ao contrário, no centro estiverem valores mais baixos,
então tem-se uma área com depressões (imagem à direita):

Com as curvas de nível são construídos mapas topográficos e a sua


correcta representação e interpretação, permite obter uma visão
tridimensional do relevo. As curvas de nível transformam uma
representação bidimensional em tridimensional.

Propriedade das curvas de nível e perfil


topográfico
São propriedades das curvas de nível:

 Todos os pontos situados sobre uma curva têm a mesma


altitude;
 Duas curvas de nível não podem tocar-se ou cruzar-se - caso
isso ocorra, será resultado de um efeito visual, uma vez que na
verdade uma curva passa por baixo da outra, e deve ser
representada com uma linha tracejada;
 Uma curva de nível tem sempre um fim, seja fechando-se em si
mesma, dentro ou fora dos limites do papel;
 Uma curva de nível não pode bifurcar-se;
 Terrenos planos apresentam curvas de nível mais espaçadas;
em terrenos acidentados as curvas de nível encontram-se mais
próximas uma das outras.
 A representação de um terreno mediante o emprego das curvas
de nível, deve ser um reflexo fiel do próprio terreno.

Cilita Oliveira
Construção de um perfil topográfico
Às vezes, é necessário observar detalhadamente a variação do relevo
de um terreno. Para isso, deve-se construir um perfil topográfico.
Com base nas curvas de nível podemos construir perfis topográficos
do relevo.

O perfil topográfico é uma representação gráfica de um corte vertical


do terreno segundo uma direcção previamente escolhida e pode ter
diversas aplicações como na delimitação de áreas; na construção de
estradas, edifícios, barragens; urbanização, saneamento e
loteamentos; construção de canais de irrigação, pontes, túneis,
viadutos; planeamento de linhas de transmissão e electrificação, etc.

Cilita Oliveira
Cilita Oliveira