Você está na página 1de 16

Simulado Português HUMANISTA 2020

1) Assinale a opção em que a inversão da ordem dos termos altera o sentido fundamental
do enunciado:
a) era uma poesia simples / era uma simples poesia;
b) possuía um sentimento vago / possuía um vago sentimento;
c) olhava uma parasita mimosa / olhava uma mimosa parasita;
d) havia um contraste incrível / havia um incrível contraste;
e) nenhuma das anteriores

2)O rapaz chegou-se para junto da moça e disse: — Antônia, ainda não me acostumei
com o seu corpo, com a sua cara. A moça olhou de lado e esperou. — Você não sabe
quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listrada?
A moça se lembrava: — A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura: — Antônia, você parece uma lagarta listrada. A
moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu: — Antônia, você é engraçada! Você parece louca.

Manuel Bandeira. Poesia completa & prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985.

No poema de Bandeira, importante representante da poesia modernista, destaca-se


como característica da escola literária dessa época

A) a reiteração de palavras como recurso de construção de rimas ricas.


B) a utilização expressiva da linguagem falada em situações do cotidiano.
C) a criativa simetria de versos para reproduzir o ritmo do tema abordado.
D) a escolha do tema do amor romântico, caracterizador do estilo literário dessa época.
E) o recurso ao diálogo, gênero discursivo típico do Realismo.
As questões de 3 a 6 referem-se ao texto abaixo:

Turista e analfabeto
DIOGO MAINARDIDDiogo Mainardi
Viajar é inútil. Acabo de voltar do Marrocos, onde passei dez dias zanzando para
cima e para baixo. Em termos de enriquecimento intelectual, o saldo da viagem foi
nulo. Não tive nenhuma ideia. Não vi nada que me fizesse reformular o modo de
pensar. Tem gente que atribui um forte poder de renovação às viagens. Pois eu não
renovei nada. Voltei monotonamente igual ao que era antes de partir, excetuando-se
um resfriado. Nem ao menos posso usar as minhas experiências para entreter os
amigos durante um jantar, porque abomino quem conta anedotas de viagem. Pior do
que quem conta anedotas de viagem, só quem conta os próprios sonhos.
Não imagine, porém, que eu esteja responsabilizando o Marrocos por tudo isso.
Pelo contrário. Achei-o extraordinário. Ainda melhor do que eu esperava.
Principalmente o sul do país, de Marrakesh até o deserto de Merzouga, com todas as
casbás que se encontram ao longo do caminho. O problema é que não adianta ver
essas maravilhas se o viajante é ignorante como eu. Fui ao Marrocos sem fazer a
lição de casa. Não sabia quando aquelas fortalezas de barro tinham sido construídas.
Não sabia como se vivia lá dentro. Não sabia a diferença entre um berbere, um
beduíno e um tuaregue. Não sabia que no Marrocos nevava, tanto que peguei o
maldito resfriado.
As minhas únicas referências culturais eram os livros de Paul Bowles e a
infinidade de filmes rodados na região. Em Tamnougalt, explorei a casbá que
Bertolucci usou para algumas cenas de O Céu que Nos Protege. Em Volubilis,
reconheci as ruínas de A Última Tentação de Cristo. Em Taourirt, admirei os
ornamentos arquitetônicos restaurados graças a um filme com Schwarzenegger. Em
Ait Benhaddou, ao lado da impressionante casbá de barro, vi a casbá de isopor feita
para Lawrence da Arábia. Apesar de o país servir de cenário para tantas produções
ocidentais, os marroquinos só gostam mesmo é de filme de kung fu. Uma tarde, com
a barriga cheia de tajine e uma bolha no pé, decidi ir ao cinema, mas o único filme
disponível era Viva Bruce Lee, com um certo Bruce Le.
O fato é que viajar exige um bocado de leitura. Não é coisa para analfabeto. Não
dá para aproveitar um lugar sem conhecer histórias, geografia, filosofia, antropologia,
arte, literatura. Até para ir à Disneylândia é necessário ler. A experiência, por si só,
não ensina nada. Ela precisa ser inserida num contexto intelectual. Veja o caso de
Elias Canetti, autor de um dos melhores romances do século, Auto da Fé. Ele foi ao
Marrocos sem ter lido nada, desconhecendo seus costumes e sua gente. O resultado
é que, quando se meteu a escrever sobre a viagem, em As Vozes de Marrakesh, só
disparou banalidades sentimentais acerca da sabedoria e da nobreza do povo.
No ano que vem, se sobrar dinheiro, pretendo conhecer a China. Antes de viajar,
lerei 8 quilos de material sobre o país. Oito quilos de leitura é o mínimo para qualquer
viagem. Com menos de 8 quilos, é melhor ficar em casa.
Veja, 3 de novembro 1999

VOCABULÁRIO:
tajine: comida típica do país
barbere: beduíno – tuaregue – raças que vivem no deserto.
casbá: nas cidades árabes, o palácio fortificado dos soberanos

3)“Viajar é inútil” se:


A. o turista escolher lugares de pouca ou nenhuma importância cultural.
B. houver apenas a preocupação de visitar locais pouco expressivos
culturalmente.
C. não nos informarmos farta e previamente sobre a cultura do local a ser
visitado.
D. o visitante não aprimorar os conhecimentos sobre a língua dos falantes do
lugar escolhido.

4)“Fui a Marrocos sem fazer a lição de casa”


A lição de casa incluía tudo isto, EXCETO:
A o aproveitamento da flora local para curar o resfriado.
B o estudo da construção dos movimentos históricos.
C a informação sobre o clima da região.
D a distinção entre as raças dos povos muçulmanos.

5)As informações que o cronista obteve sobre o local visitado tiveram como fonte:
A. jornais, guias de um autor específico e revistas ocidentais.
B. filmes religiosos, peças teatrais e livros de um autor específico.
C. livros de autores diversos e filmes de um autor específico.
D. filmes de produtores diversos e livros de um autor específico.

6)Numa tarde, com a barriga cheia de tajine e uma bolha no pé...”


Essa passagem remete a todas estas oposições, EXCETO:
A. excesso x cansaço
B. prazer x sofrimento
C. sabor x dor
D. fartura x escassez

7)Todas as frases se desviam de normas da língua padrão, EXCETO 


A. Meu tio era um indivíduo que ele nunca estava satisfeito com a vida.
B. O caminho que nós passávamos por ele tinha sofrido bastante com a chuva.
C. O esporte de que eu gosto mais é o futebol.
D. As mulheres organizavam festas que a renda revertia para um asilo.
8)Em todas as alternativas, está presente a relação de ideias identificada entre
parênteses, EXCETO em:
A. O dinheiro só começou a entrar quando a emissora passou a operar no azul.
(Temporalidade)
B. Você vê o anúncio, passa o cartão no aparelho, digita um código e elimina todos os
intermediários. (Adição)
C. Ele continua apaixonado por televisão, embora não goste do que vê atualmente.
(Comparação)
D. O que recebi não foi pouco, mas creio que era tudo proporcional ao meu esforço e
dedicação. (Oposição)

9) A concordância verbal está plenamente respeitada na alternativa:


A. Nem mesmo um vestígio dos livros que lhe emprestamos há dez dias foram
encontrados.
B. Entre todas as obras expostas, impressionou-nos mais a que vocês trouxeram.
C. Ainda não havia chegado nem os tios, nem os primos, quando a festa começou.
D. Se fôssemos para levar em conta tudo o que ela diz, ficaríamos ofendidos o tempo
todo.

10) Está adequadamente flexionada a forma em destaque na alternativa:


A. Ele não deixou SATISFEITO nem a crítica, nem o público.
B. Ele considerou INÚTEIS, na atual circunstância, as medidas que ela sugeria.
C. Todos achamos DIFÍCEIS, nas provas de Física e Matemática, a resolução das
questões finais.
D. O sofá e a banqueta ganharam outro aspecto depois de CONSERTADO.

11) São características do modernismo, expressas no texto, EXCETO:


“Que é poesia?
uma ilha
cercada
de palavras
por todos
os lados”
(Cassiano Ricardo, Poética)
A. Versos livres.
B. Metalinguagem.
C. Linguagem coloquial.
D. Preocupação com as “normas” sociais.
12) Leia atentamente o trecho abaixo, retirado da obra O cortiço, de Aluisio
Azevedo.
“O pátio estava quase cheio; ninguém mais se entendia; todos davam e todos apanhavam
(...) E o rolo a ferver lá fora, cada vez mais inflamado com um terrível sopro de rivalidade
nacional (...) De vez em quando, o povaréu, que continuava a crescer, afastava-se em
massa, rugindo de medo, mas tornava logo, como a onda no refluxo dos mares. A polícia
apareceu e não se achou com ânimo de entrar, antes de vir um reforço de praças, que um
permanente fora buscar a galope.”  
A leitura do excerto acima permite perceber que o Naturalismo 
A. entendeu que a obra de arte tem uma missão, e que dela deve resultar um efeito
moralizador sobre a realidade que aborda – com frequência, as mazelas sociais.
B. buscou conceber a realidade com base no ideal nacionalista do belo, do verdadeiro
e do justo, compondo um universo que se quer perfeito.
C. valorizou, antes, o conceito de arte pela arte, em que a importância da expressão
se sobrepõe quase sempre às ideias do artista.
D. elegeu a realidade brasileira como tema central da prosa literária e buscou fixar o
drama de nossa estrutura social colonizada.

13).Assinale a construção que fere a NORMA CULTA:


a) trouxe a prova para mim;
b) trouxe a prova para eu fazer;
c) nada houve entre mim e você;
d) para mim fazer isto, foi necessária muita convicção;
e) por não estar satisfeito, nada se resolveu.

14) Assinale a construção que fere a NORMA CULTA:


a) o problema é conosco;
b) o problema é com nós dois;
c) falam mal de si mesmos;
d) quero falar consigo;
e) somos gratos a você.
15).Complete as lacunas:
I - de presente, deu-lhe, um livro para _____ ler.
II - de presente, deu um livro para _______ .
III - nada mais há entre _______ e você .
IV - sempre houve entendimentos entre _______ e ti.
V - José, espere, vou _______ .
a) ela – mim – eu – eu – consigo;
b) ela – eu – mim – eu – consigo;
c) ela – mim – mim – mim – com você;
d) ela – mim – eu – eu – consigo;
e) ela – mim – eu – mim – consigo.

16) Considere as frases:


1) “Eles querem que nós (fazer) o trabalho”.
2) “Fazemos esforços para que todos (caber) na sala”.
Flexionando corretamente os verbos indicados, teremos:
a) façamos – cabem;
b) fazemos – caibam;
c) fazemos – coubessem;
d) façamos – caberem;
e) façamos – caibam.

17).Assinale a alternativa correta em relação às frases:


- Dar atenção ___ aulas é indispensável ___ aprovação.
- Isto não se relaciona apenas ___ você, mas ___ todas às pessoas.
a) as, a, a, a;
d) às, à, à, a;
b) às, a, a, a;
e) às, à, à, à.
c) às, à, a, a;
18).Marque a opção em que o emprego do acento grave indicativo da crase é optativo:
a) darei a vida um sabor maior;
b) dedicaremos a esta página bons artigos;
c) entregariam a tua consciência esta decisão;
d) a você não devo nada;
e) chegaremos a hospitaleira Santa Catarina ao anoitecer.

19).Assinale a única opção em que o emprego do acento indicativo da crase se faz


obrigatório:
a) dedicarei o meu carinho a mulher amada;
b) agradecemos a Fátima a gentileza;
c) refiro-me a ela, mulher vaidosa;
d) dirijo-me a Paris;
e) entregaremos apenas o cartão resposta a essa linda fiscal.

20).Assinale o exemplo em que se usou erradamente a por há ou vice-versa:


a) daqui a tempos, haverá novas provas;
b) de hoje há três dias sairão os resultados;
c) está no Rio, há três dias aproximadamente;
d) a cidade ficava a poucos quilômetros daqui;
e) há cerca de vinte pessoas à sua espera.
21).Assinale o exemplo em que se usou erradamente a por há ou vice-versa:
a) a loja fica a dois metros;
b) apresentaram-se a falar ao diretor;
c) há cerca de mil processos à espera de solução;
d) daqui a uma semana terão notícias minhas;
e) de hoje há uma semana serão chamados os novos candidatos.

22).Assinale a única frase que só pode ser completada com “A” .


a) daqui ___ duas horas estarei em São Paulo;
b) convém fazer o exercício ___ lápis;
c) o barco estava agora ____ mercê das ondas;
d) não poderei ir ___ festa alguma nesta semana;
e) era ainda muito cedo quando cheguei ___ casa.

23).Assinale a frase cujo “A” ou “AS” deve levar acento grave indicativo da crase:
a) chamamos neolatina a toda língua originária do latim;
b) chamamos neolatinas a línguas originárias do latim;
c) chamam-se neolatinas as línguas originárias do latim;
d) chama-se neolatina as línguas originárias do latim;
e) chama-se neolatinas a línguas originárias do latim.
24).Marque a opção que completa corretamente a frase: Esta situação é semelhante
__________ você viveu.
a) à que;
d) a que;
b) à cuja;
e) aquela que.
c) a qual;

25).Qual a regência verbal INCORRETA?


a) obedeça a sinalização;
b) perdoei-lhe a antiga dívida;
c) paguei aos funcionários o ordenado;
d) o filme é bom, pois todos já assistiram a ele;
e) sempre aspirou à felicidade.

26).Assinale a opção em que há ERRO.


a) ela deu um livro para mim;
b) Pedro jogou bola comigo;
c) pensei muito em ti;
d) ela viajou com nós;
e) meu irmão sabe cuidar de si.

27).Assinale a frase com ERRO:


a) para mim, ver o escravo sofrer é ruim;
b) nada de bom há entre mim e o senhor, disse o escravo;
c) antes de o escravo ser chicoteado, ouvia-se grito;
d) os escravos entravam e saía das casas de São Luíz;
e) os escravos guardavam consigo ânsia e mágoas.
28).Assinale a frase com erro de regência:
a) o deputado presidiu a reunião até o fim;
b) proibimos os alunos de usar os cadernos para fazer a prova;
c) certificamos nossa família de vossa decisão;
d) paguei os operários no sábado;
e) atendemos ao seu desejo.

29).“Peço __ senhora que estude, uma __ uma, as questões submetidas __ aprovação”:


a) à - a – à;
d) à - à – à;
b) a - a - à;
e) à - à – ª
c) a - à – à;

30).Há uma opção em que não se atendeu ao emprego da crase. Indique-a:


a) a cem milhas horárias você encontrará um posto à direita, a meia hora daqui;
b) às brutas entrou porta a dentro;
c) responda à sua senhoria com a consideração a que está acostumado;
d) saiu-se à mãe, esta se parece à avó
e) dispostas a ouvi-la, postaram-se à porta de sua casa.

31).Marque a frase em que o “a” deva ser craseado:


a) ele atacou o adversário a tiro;
b) Maria não foi a aula hoje;
c) João fez uma viagem a Mato Grosso;
d) Conversei com a diretoria do colégio sobre esse assunto;
e) o adversário atacou a cacetadas.
32).“ ___ hora prevista, todos se dirigiram ___ sala principal para assistir ___ cerimônia”.
a) a - a - a;
d) há - à – à;
b) a - à – a;
e) há – a – a .
c) à - à – à;

33).Assinale a frase em que o “a” sublinhado deve receber o acento de crase:


a) obedeça as regras de trânsito;
b) encontraram-se face a face;
c) dirijo-me agora a vossa excelência;
d) é uma campanha digna, a cuja disposição me ponho;
e) peço a você que não deponha o candidato.

34.“Para ganhar mais dinheiro, Manoel passou ___ entregar compras ___ domicilio ___
segundasfeiras”.
a) a - a - as;
d) à - a – as;
b) a - a - às;
e) à - à - às.
c) a - à – às;

35.Que expressões completariam as lacunas? “Não me refiro _____ estava sentada, mas
sim ______ pessoa ______ tu também te referias”.
a) a que - à - que;
b) aquela que - à – que;
c) àquela que - à - à que;
d) à que - a - à que;
e) à que - à - a que.

36.“Foi obrigado ____ embarcar no trem que saia ____ onze horas, mas mostrou ____
todos seu descontentamento”.
a) a - as - à;
d) à - às - a;
b) às - as - a;
e) a - às - à.
c) a - às – a;

37.“A disciplina naquela escola podia ser comparada ___ dos militares, mas nem por isso
permitia tranqüilidade ____ professoras”.
a) a - a;
d) a – às;
b) à – às;
e) a - as.
c) a – as;

38).Aponte a frase em que o “a” ou “as” não deve levar sinal indicativo de crase:
a) dirijo-me apressado àquela farmácia;
b) refiro-me àquele rapaz que foi teu colega;
c) àquela hora todos já se tinham recolhido;
d) quero agradecer àquele rapaz as atenções que me dispensou;
e) fui para aquela praça, mas não à encontrei !

39).A alternativa incorreta de acordo com a gramática culta é:


a) obedeça o regulamento;
b) custa a crer que eles brigaram;
c) aspiro o ar da manhã;
d) prefiro passear a ver televisão;
e) o caçador visou o alvo.

40) After prison blaze kills hundreds in Honduras, UN warns on overcrowding 15 February
2012 A United Nations human rights official today called on Latin American countries to
tackle the problem of prison overcrowding in the wake of an overnight fire at a jail in
Honduras that killed hundreds of inmates. More than 300 prisoners are reported to have
died in the blaze at the prison, located north of the capital, Tegucigalpa, with dozens of
others still missing and presumed dead. Antonio Maldonado, human rights adviser for the
UN system in Honduras, told UN Radio today that overcrowding may have contributed to
the death toll. “But we have to wait until a thorough investigation is conducted so we can
reach a precise cause,” he said. “But of course there is a problem of overcrowding in the
prison system, not only in this country, but also in many other prisons in Latin America.”
Disponível em: www.un.org. Acesso em: 22 fev. 2012 (adaptado).
Os noticiários destacam acontecimentos diários, que são veiculados em jornal impresso,
rádio, televisão e internet. Nesse texto, o acontecimento reportado é a
A) ocorrência de um incêndio em um presídio superlotado em Honduras.
B) questão da superlotação nos presídios em Honduras e na América Latina.
C) investigação da morte de um oficial das Nações Unidas em visita a um presídio.
D) conclusão do relatório sobre a morte de mais de trezentos detentos em Honduras.
E) causa da morte de doze detentos em um presídio superlotado ao norte de Honduras.

41) National Geographic News Christine Dell’Amore Published April 26, 2010 Our bodies
produce a small steady amount of natural morphine, a new study suggests. Traces of the
chemical are often found in mouse and human urine, leading scientists to wonder whether
the drug is being made naturally or being delivered by something the subjects consumed.
The new research shows that mice produce the “incredible painkiller” — and that humans
and other mammals possess the same chemical road map for making it, said study co-
author Meinhart Zenk, who studies plant-based pharmaceuticals at the Donald Danforth
Plant Science Center in St. Louis, Missouri. Disponível em: www.nationalgeographic.com.
Acesso em: 27 jul. 2010.
Ao ler a matéria publicada na National Geographic, para a realização de um trabalho
escolar, um estudante descobriu que
A)os compostos químicos da morfina, produzidos por humanos, são manipulados no
Missouri.
B) os ratos e os humanos possuem a mesma via metabólica para produção de morfina.
C) a produção de morfina em grande quantidade minimiza a dor em ratos e humanos.
D) os seres humanos têm uma predisposição genética para inibir a dor.
E) a produção de morfina é um traço incomum entre os animais.

42) Steve Jobs: A Life Remembered 1955-2011 Readersdigest.ca takes a look back at
Steve Jobs, and his contribution to our digital world. CEO. Tech-Guru. Artist. There are few
corporate figures as famous and well-regarded as former-Apple CEO Steve Jobs. His list
of achievements is staggering, and his contribution to modern technology, digital media,
and indeed the world as a whole, cannot be downplayed. With his passing on October 5,
2011, readersdigest.ca looks back at some of his greatest achievements, and pays our
respects to a digital pioneer who helped pave the way for a generation of technology, and
possibilities, few could have imagined. Disponível em: www.readersdigest.ca. Acesso em:
25 fev. 2012.
Informações sobre pessoas famosas são recorrentes na mídia, divulgadas de forma
impressa ou virtualmente. Em relação a Steve Jobs, esse texto propõe:
A) expor as maiores conquistas da sua empresa.
B)descrever suas criações na área da tecnologia.
C )enaltecer sua contribuição para o mundo digital.
D )lamentar sua ausência na criação de novas tecnologias.
E) discutir o impacto de seu trabalho para a geração digital.

43) Quotes of the Day Friday, Sep. 02, 2011 “There probably was a shortage of not just
respect and boundaries but also love. But you do need, when they cross the line and
break the law, to be very tough.” British Prime Minister DAVID CAMERON, arguing that
those involved in the recent riots in England need “tough love” as he vows to “get to grips”
with the country’s problem families. Disponível em: www.time.com. Acesso em: 5 nov.
2011 (adaptado).
A respeito dos tumultos causados na Inglaterra em agosto de 2011, as palavras de
alerta de David Cameron têm como foco principal
A )enfatizar a discriminação contra os jovens britânicos e suas famílias.
B )criticar as ações agressivas demonstradas nos tumultos pelos jovens.
C )estabelecer relação entre a falta de limites dos jovens e o excesso de amor.
D) reforçar a ideia de que os jovens precisam de amor, mas também de firmeza.
E )descrever o tipo de amor que gera problemas às famílias de jovens britânicos.

44) Israel Travel Guide Israel has always been a standout destination. From the days of
prophets to the modern day nomad this tiny slice of land on the eastern Mediteranean has
long attracted visitors. While some arrive in the ‘Holy Land’ on a spiritual quest, many
others are on cultural tours, beach holidays and eco-tourism trips. Weeding through
Israel’s convoluted history is both exhilarating and exhausting. There are crumbling
temples, ruined cities, abandoned forts and hundreds of places associated with the Bible.
And while a sense of adventure is required, most sites are safe and easily accessible.
Most of all, Israel is about its incredibly diverse population. Jews come from all over the
world to live here, while about 20% of the population is Muslim. Politics are hard to get
away from in Israel as everyone has an opinion on how to move the country forward —
with a ready ear you’re sure to hear opinions from every side of the political spectrum.
Disponível em: www.worldtravelguide.net. Acesso em: 15 jun. 2012.
Antes de viajar, turistas geralmente buscam informações sobre o local para onde
pretendem ir. O trecho do guia de viagens de Israel
A) descreve a história desse local para que turistas valorizem seus costumes milenares.
B) informa hábitos religiosos para auxiliar turistas a entenderem as diferenças culturais.
C) divulga os principais pontos turísticos para ajudar turistas a planejarem sua viagem.
D) recomenda medidas de segurança para alertar turistas sobre possíveis riscos locais.
E) apresenta aspectos gerais da cultura do país para continuar a atrair turistas
estrangeiros.

45) One of the things that made an incredible impression on me in the film was Frida’s
comfort in and celebration of her own unique beauty. She didn’t try to fit into conventional
ideas or images about womanhood or what makes someone or something beautiful.
Instead, she fully inhabited her own unique gifts, not particularly caring what other people
thought. She was magnetic and beautiful in her own right. She painted for years, not to be
a commercial success or to be discovered, but to express her own inner pain, joy, family,
love and culture. She absolutely and resolutely was who she was. The trueness of her own
unique vision and her ability to stand firmly in her own truth was what made her successful
in the end.
HUTZLER, L. Disponível em: www.etbscreenwriting.com. Acesso em: 6 maio 2013.

A autora desse comentário sobre o filme Frida mostra-se impressionada com o fato
de a pintora

A.ter uma aparência exótica.


B.vender bem a sua imagem.
C.ter grande poder de sedução.
D.assumir sua beleza singular.
E.recriar-se por meio da pintura.

Você também pode gostar