Você está na página 1de 39

ESCOLA DE

FORMAÇÃO
TEOLÓGICA
BATISTA NACIONAL

CURSO I: FUNDAMENTOS

PRINCÍPIOS BÍBLICOS
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO A PRINCÍPIOS BÍBLICOS......................................................................................................3


O QUE SÃO PRINCÍPIOS BÍBLICOS?.............................................................................................................3
OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS NOS ASSEGURAM DUAS REALIDADES.......................................................4
COMO VIVER POR PRINCÍPIOS BÍBLICOS..................................................................................................4
A TRANSFORMAÇÃO DO ESTILO DE VIDA................................................................................................4
A PRÁTICA DO TRANSFORMAR O ESTILO DE VIDA................................................................................5
RESULTADO DE UMA VIDA POR PRINCÍPIOS BÍBLICOS.........................................................................5
CARACTERÍSTICAS DOS PRINCÍPIOS BÍBLICOS.......................................................................................5
QUAIS SÃO OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS.........................................................................................................6
CARÁTER...........................................................................................................................................................6
MORDOMIA.....................................................................................................................................................11
SEMEAR E COLHER.......................................................................................................................................14
AUTOGOVERNO.............................................................................................................................................19
UNIÃO - ALIANÇA – PACTO.........................................................................................................................25
INDIVIDUALIDADE.......................................................................................................................................30
HONRA.............................................................................................................................................................33
BIBLIOGRAFIA...............................................................................................................................................38

2| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


3| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
VERSÍCULO INSPIRAÇÃO:

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa
mente, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus”.
(Romanos 12:2)

TEXTOS-BASE: Rm 12:2; Dt 28:1,2; Js 1:8; Mt 7:24; Hb 5:14

“Se vocês obedecerem fielmente ao Senhor, o seu Deus, e seguirem cuidadosamente todos
os seus mandamentos que hoje lhes ordeno o Senhor, o seu Deus, os colocará muito
acima de todas as nações da terra. Todas estas bênçãos virão sobre vocês e os
acompanharão, se vocês obedecerem ao SENHOR, o seu Deus.”

INTRODUÇÃO A PRINCÍPIOS BÍBLICOS

A palavra “PRINCÍPIO” tem sua origem na palavra grega “ARKÊ”, que significa origem
de tudo, aquilo de onde uma causa procede.
Um Princípio Bíblico é uma semente de verdade eterna da Palavra de Deus, que expressa
Sua natureza e nos ajuda a discernir e aplicar o conhecimento corretamente. Podemos
raciocinar através deles e conduzir os pensamentos para tomarmos decisões seguras com
base nos padrões de pensamento do próprio Criador que podem ser encontrados em toda a
sua criação.

O QUE SÃO PRINCÍPIOS BÍBLICOS?

Princípios Bíblicos são ensinamentos básicos, verdades eternas que estão contidas na
palavra de Deus e devem ser aplicadas em todas as áreas da nossa vida: familiar,
espiritual, social, econômica, etc. Esses ensinamentos treinam nossa mente para que
possamos discernir o bem do mal, o certo do errado.

4| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


Uma vida norteada por Princípios Bíblicos é uma vida plena, cheia de graça, alegria,
satisfação e vitória; pois quando os praticamos, as bênçãos de Deus se estabelecem na
nossa vida, assegurando-nos uma trajetória próspera.
Viver por Princípios Bíblicos é uma manifestação sincera e pura de adoração ao nosso
Senhor que se renova a cada momento/situação de nossas vidas, quando decidimos
praticar seus ensinamentos.
Quando vivemos por Princípios Bíblicos, que são verdades eficazes e infalíveis,
caminhamos em direção as promessas de Deus para nossas vidas e isso nos leva a
vivermos a plenitude de Deus para nossas vidas e asseguram o cumprimento de Suas
promessas.

OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS NOS ASSEGURAM DUAS REALIDADES

 Não há nenhuma situação provocada pela carne, pelo mundo ou por Satanás que
sejam fortes o suficiente que não possamos através do nome e do sangue de Jesus
transformá-las. Leia Rm 8:31-37;

 Entramos nas batalhas de maneira mais segura e vitoriosa.

COMO VIVER POR PRINCÍPIOS BÍBLICOS

 A TRANSFORMAÇÃO DO ESTILO DE VIDA:

A mudança no estilo de vida só é possível se decidirmos trilhar o caminho da santidade.


Trilhar o caminho da santidade é uma decisão pessoal, significa sacrificar a carne, as
vontades. Santidade não é emoção, mas sim fruto gerado pela atitude de todo aquele que
decidiu viver por Princípios Bíblicos; e o resultado dessa decisão é a genuína presença de
Deus.
O processo de santificação começa quando decidimos nos separar do mundo, rompendo
com padrões mundanos, com atitudes e comportamentos que não fazem parte daquilo que
Cristo nos ensina. O resultado dessa mudança é surpreendentemente incrível e visível, nos
5| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
tornamos semelhante a Cristo, pois a santidade nos aproxima do Pai. A santidade
fortalece, harmoniza e alimenta nosso espírito, alma e corpo, nos tornando lugar agradável
à habitação do Espírito Santo de Deus e vasos perfeitos para o fluir da vida e poder de
Deus.

 A PRÁTICA DO TRANSFORMAR O ESTILO DE VIDA


O novo estilo de vida será alcançado ao cumprirmos dois requisitos fundamentais:

1º requisito: meditar na palavra de Deus, descobrindo em Deus e na sua palavra quais os


Princípios Bíblicos a serem aplicados. Ler Sl 1:2

2º requisito: aplicar na prática do dia-a-dia os Princípios Bíblicos identificados na


meditação. Peça ao Espírito Santo lhe mostrar a aplicação dos princípios em tudo que você
está sendo ensinado através da meditação na palavra de Deus. Registre/anote, escrevendo
em seu caderno de devocional todas as aplicações dos Princípios Bíblicos. Ler Mt 7:24

RESULTADO DE UMA VIDA POR PRINCÍPIOS BÍBLICOS

 Mente renovada (Rm 12:2);


 Fluir do Espírito Santo (Hb 5:13,14);
 Mudança do estilo de vida (I Pe 1:22,23);
 Vida ajustada em todas as áreas (Sl 1:1-3);
 Discernimento espiritual (Hb 5:13,14).

CARACTERÍSTICAS DOS PRINCÍPIOS BÍBLICOS

 Válidos para todos os que os praticam (Mt 7:24);


 Válidos para todas as situações (II Tm 3:16);
 Válidos em todo tempo (Mc 13:31);
 Válidos em todos os lugares (Dt 28:3).

6| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


QUAIS SÃO OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS

 Caráter;
 Mordomia;
 Semear e Colher;
 Autogoverno;
 Soberania;
 União/ Aliança;
 Individualidade;
 Honra.

1. CARÁTER

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Gn 1:26

“Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança.”

TEXTOS-BASE: Gn 1:26; I I Pe 1:16; Co 6:9; I Co 11:1; Gl 5:16-23.

“Sede santos, porque Eu sou santo”

INTRODUÇÃO:

A palavra “CARÁTER” tem sua origem do grego, que significa gravar/imprimir; assim a
palavra “CARÁTER” exprime uma marca feita por meio de cortar, gravar, imprimir; o que
pressupõe um encontro entre dois elementos diferentes que se inter-relacionam, resultando
em um sinal, uma marca.
Quando Deus criou o homem, tinha um sonho: formá-lo à Sua imagem e a Sua
semelhança. Você sabe o que é ser imagem e semelhança de alguém? É ser parecido a tal
ponto de ser confundido com outra pessoa. Deus queria que a Sua obra prima fosse

7| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


parecida com Ele em todas as coisas, inclusive no caráter. E quando terminou Sua obra,
olhou e viu que era muito bom.
Podemos dizer que caráter é o conjunto das qualidades, dos defeitos e dos hábitos que
regem o comportamento humano. Cada um de nós tem seu próprio conjunto de qualidades,
defeitos e hábitos, que foram adquiridos ao longo de sua vida e que estão intimamente
relacionados com o ambiente familiar, grupo social e conceitos transmitidos por pais,
educadores e/ou responsáveis durante a infância e adolescência e também aqueles
adquiridos principalmente durante a fase adulta. É o verdadeiro eu; É como somos no
íntimo. Você, provavelmente, já deve ter ouvido alguém dizer: "Fulano não tem caráter"
ou "Quem faz isso é alguém sem caráter". Na verdade, caráter todo mundo tem, pois são
as qualidades, as características próprias de cada pessoa. A questão é: o caráter é bom ou
mau?

CARACTERÍSTICAS DO MAU CARÁTER:

 Hábito da mentira;
 Rebeldia;
 Desobediência;
 Falta de respeito com o próximo;
 Falta de amor;
 Falta de temor ao Senhor;
 Agressividade;
 Violência;
 Furto;
 Inveja;
 Preguiça;
 Desorganização;
 Negativismo/pessimismo;
 Chegar atrasado aos compromissos;
 Ter mania de grandeza ou pobreza;

8| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


 Ser o centro das atenções;

Podemos dizer que o mau caráter está relacionado às obras da carne (Gl 5:16-21).

CARACTERISTICAS DO BOM CARÁTER:

 Obediência;
 Cordialidade;
 Amabilidade;
 Integridade;
 Honestidade;
 Retidão em tudo que faz;
 Mansidão;
 Bondade;
 Verdadeiro;
 Alegria
 Justiça

Podemos associar o bom caráter ao fruto do Espírito Santo (Gl 5:22,23). Esse deve ser o
caráter do cristão, de alguém que verdadeiramente conhece a Jesus e procura viver
segundo a Palavra de Deus.

O DESEJO DE DEUS:

O desejo de Deus é formar a imagem e a natureza de Jesus em cada um de nós, tornando-


nos cada dia mais parecidos com Ele.
Imprimir é colocar em algo/alguém uma marca profunda, Deus quer imprimir em nós o
caráter de Cristo, é uma marca única, para que quando ao olharem para nós, para o nosso
comportamento, para nossas atitudes, possam ver que somos filhos de Deus, que a
santidade está em nossa vida e para que em nós a glória do Eterno seja resplandecida.
Todo líder de excelência, todo homem ou mulher de Deus, que deseja realmente ser
imagem e semelhança do seu Criador, precisa ter um bom caráter. A mentira, a

9| Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


desobediência, a rebeldia, o engano, o roubo, a violência, a maldade, o colar na sala de
aula, os palavrões, as brincadeiras indecentes, por exemplo, não podem fazer parte da sua
vida.
Você quer dar passos ao encontro do projeto de Deus para sua vida? Então se esforce para
ter o caráter de Cristo, para que a glória e a santidade de Deus sejam derramadas através
da sua vida, amém?
Devemos permitir que o Espírito de Deus gere o bom caráter em nossas vidas, para isso
precisamos ter um coração tratável; sermos cumpridores das nossas tarefas, autênticos,
começar e terminar o que nos propusermos a fazer:
 Seja ensinável;
 Seja organizado;
 Seja responsável;
 Seja pontual;
 Termine o que você começou, conclua-o. Assim você estará dando um bom
testemunho.
 

ANALISANDO O CARÁTER CRISTÃO

Em I Tm 4:12 podemos refletir um pouco sobre caráter através da palavra de Paulo. Eis


alguns pontos que nos ajudam a conhecer e observar numa pessoa de caráter firme e
constante:

1º) Na palavra: é impressionante como as pessoas são falsas no seu falar, mentem,
manipulam, fofocam e não cumprem o que falam.

2º) No procedimento: nossas ações e atitudes refletem muito o nosso caráter. Temos um
discurso bonito, mas as nossas ações e atitudes mostram que somos incoerentes.

3º) No amor: o caráter cristão é muito mais que o caráter segundo o mundo. Para o mundo
integridade, responsabilidade, honestidade denotam um homem de caráter. O caráter
cristão também valoriza essas qualidades, mas valoriza sobretudo o amor. Em I Co 13,

10 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


Paulo afirma que podemos ter os melhores dons e até fé para transportar montes, mas sem
amor, nada somos.

4º) Na fé: Sem fé não se pode agradar a Deus, aliás, a vida cristã começa pela fé e deve
caminhar pela fé. As tribulações são momentos onde podemos constatar a grandeza de
nossa fé. A fé é parte integrante do caráter cristão. Crer no amor e poder de Deus gera em
nós atitudes e ações que exalam o perfume de Deus.

5º) Na pureza: sem santidade não veremos a Deus (Hb 12:14). Sem santidade não
poderemos ter nosso estilo de vida transformado, não poderemos ter impresso o caráter de
Cristo.

Veja abaixo, alguns dos servos e servas que tiveram o caráter moldado por Deus:

Noé: homem justo e incorruptível;

Abraão: amigo de Deus;

Moisés: líder eficaz;

José: piedoso e temente;

Ester: rainha altruísta;

Elias: profeta humilde e determinado;

Débora: mulher corajosa;

Davi: homem segundo o coração de Deus;

Paulo: zeloso e autêntico;

Pedro: um discípulo sincero e dinâmico;

11 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


CONCLUSÃO:

Caráter é algo que precisa ser moldado, lapidado como uma pedra preciosa.  Imagine dois
corações, um pequeno e outro enorme. O nosso coração, que é pequeno e cheio de
defeitos, precisa ser como o de Jesus, grande e perfeito. Para isso, precisamos decidir
mudar nossas atitudes e deixar Deus moldar o nosso CARÁTER.

2. MORDOMIA

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Gn 2:15

“Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no Jardim do Éden para o cultivar e
o guardar.”

TEXTOS-BASE: Gn 1:15; Gn 1:28; Sl 8:3-9; I Pe 4:10,11; I Co 4:1,2 ;

“Deus os abençoou, e lhes disse: Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a


terra! Dominem sobre peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que
se movem pela terra.”

INTRODUÇÃO:

A palavra “MORDOMIA” significa administrar, cuidar, tomar para si a responsabilidade


sobre algo ou alguém, preservar a integridade de.
Ser mordomo de tudo que temos, desde roupas, alimentos, bens materiais, assim como da
nossa família, filhos, amigos,... É entender e reconhecer a soberania de Deus, e aceitar o
nosso cargo de depositários da vida e das possessões, e administradores das mesmas de
acordo com a vontade de Deus. 
Antes de Deus criar o homem, preparou toda a Terra para recebê-lo, assim como uma mãe
prepara o berço, as roupinhas, o quarto, para um bebê que vai chegar. Deus preparou a

12 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


alimentação, a segurança, tudo o que o homem precisava para viver na Terra. Depois de
tudo pronto, criou o homem, obra prima da Sua criação, e o colocou no Jardim do Éden,
local que Ele preparou com todo carinho para receber a Sua imagem e semelhança. E,
como o proprietário de todas as coisas no Universo, Deus deu ao homem a
responsabilidade de cuidar de tudo o que ali havia, para cultivar e guardar a terra que havia
sido preparada para ele. Essa mesma responsabilidade Deus deu a cada um de nós.

SEJAMOS BONS MORDOMOS:

 Do uso do tempo: administrando nossas responsabilidades de modo que façamos tudo


com excelência. (Jeremias 48:10);
 Dos horários: sendo pontuais em nossos compromissos;
 Do templo do Espírito Santo: cuidando da saúde do nosso corpo, bem como, também
da higiene;
 Das vestimentas: andando arrumados, bem vestidos, representando com excelência o
Reino de Deus;
 De todas as demais coisas que estão diante de nós para serem administradas.
 A minha produção é o resultado da administração que desenvolvo em meu viver;
Pois quando administro bem o tempo, os compromissos e as responsabilidades, a
produção!
 Mordomia implica em cuidar com amor das coisas de Deus!
 Mordomia implica administrar o que Deus me confiou!

DEVEMOS SER ZELOSOS COM:

 Nosso corpo (I Co 3:16; 6:19-20);


 Nossa alma (Pv 4: 23);
 Nossa família (I Tm 5:8);
 Com o ministério (Hb 10:23-25);

13 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


 Com os líderes espirituais (Hb 13:17; II Cr 20:20; Nm 12:8-10);
 Com o nosso tempo (Ef 5:14-17).

QUAIS AS RESPONSABILIDADES DE UM MORDOMO DE DEUS:

 A responsabilidade de preservarmos a natureza, de não poluirmos o meio ambiente,


não jogando lixo nos rios ou nas ruas, nem destruindo as plantas ou matando animais;

 A responsabilidade de administrarmos o nosso tempo, usando-o da melhor maneira


possível, sem desperdiçá-lo com coisas que não são importantes. Devemos priorizar o
tempo com o Senhor, orando e lendo a palavra. Você já ouviu muita gente dizer que não
tem tempo para orar ou ler a Bíblia, pois sempre tem muita coisa para fazer, não é mesmo?

 A responsabilidade de cuidar das coisas que recebemos: roupas, brinquedos, livros,


sapatos, dinheiro, etc. Nada é de graça! Tudo tem um preço, que, às vezes, é muito caro.
Não podemos estar desperdiçando, estragando, jogando fora. É preciso cuidar com amor
do que é nosso, pois um dia podemos precisar e não ter;

 A responsabilidade de cumprir as tarefas que nos são dadas. Por exemplo: os


trabalhos da escola não devem ser feitos pelos pais ou por qualquer outra pessoa, mas por
você mesmo. Essa responsabilidade é sua. É você quem está estudando, aprendendo, e não
eles. Assim também devemos proceder com as tarefas de casa: guardar as roupas, arrumar
os brinquedos, colocar os sapatos no lugar, ajudar a varrer a casa, o quintal, lavar a louça.
Todas essas atividades são, também, nossa responsabilidade, pois vivemos juntos em casa.
Então, uma casa limpa, arrumada, organizada, é muito mais gostosa do que uma casa suja,
desarrumada, certo?

 A responsabilidade como pais de educarmos nossos filhos com dedicação, com


amor, com paciência e com determinação; ensinando-os o caminho da verdade, desde
pequeninos devemos ensinar os Princípios Bíblicos, nunca esquecendo que somos nós o

14 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


melhor exemplo para nossos filhos. Você, que tem filhos, já se deparou com seus filhos
brincando de ser você? É também nossa obrigação ensiná-los a ler a bíblia e a orar; a se
comportarem no culto, assim como em todos os lugares.

 A responsabilidade de cuidarmos dos dons e talentos que Ele nos deu;

 A responsabilidade de cuidarmos de tudo que envolve o Reino de Deus.

CONCLUSÃO:

Deus sempre nos dá o melhor, mas também nos dá a responsabilidade de cuidarmos


daquilo que Ele nos deu. Somos mordomos d'Ele. Precisamos entender isso e cumprirmos
a nossa parte. Se quisermos o melhor dessa terra, vamos ter que aprender a administrar
tudo àquilo que nós é dado e isso requer dedicação. Se formos fiéis ao Senhor, Ele nos
suprirá em tudo, segundo as Suas riquezas em glória, amém?

3. SEMEAR E COLHER

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Gl 6:7b


“Pois o que o homem semear, isso também colherá.”

TEXTOS-BASE: Gn 2:16,17; Os 8:7; Gl 6:7-10; Jo 12:24;

“De toda árvore do jardim comereis, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal,
não comereis...”

15 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


INTRODUÇÃO:
Quando Deus colocou o homem na Terra, deu-lhe uma ordem, lembram-se? Isso mesmo:
“De toda árvore do jardim comereis, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal,
não comereis...” Mas o versículo continua: “... pois no dia em que dela comeres,
certamente morrerás.”
O Senhor estava dizendo ao homem que caso resolvesse desobedecer à ordem dada,
receberia uma consequência do seu ato: a morte. Se comesse, morreria. Essa é a lei da
causa e do efeito, ou seja, para toda ação há uma reação. É a lei da semeadura e da
colheita. Tudo o que plantamos, certamente colheremos, e normalmente a colheita vem
em proporção maior, porque de uma semente nascem vários frutos. De acordo com a
semente será a nossa colheita. Se olharmos ao nosso redor, no nosso dia-a-dia, veremos
claramente este princípio. Por exemplo:
 Se desobedecermos, receberemos correção;
 Se estudarmos, aprenderemos e tiramos boas notas;
 Se tratarmos os outros com respeito, seremos respeitados;
 Se formos gentis e educados com os outros, eles também serão gentis e educados
conosco. Em compensação, se tratarmos as pessoas com grosseria, receberemos o troco na
mesma moeda.

Em Oséias 8:7 lemos que aqueles que semeiam vento colhem tempestades. Parece
brincadeira, não é mesmo? Como vamos semear ventos? Semeamos ventos através de
palavras grosseiras, de desobediência, de atos agressivos. Por isso, precisamos ter muito
cuidado e prestar bastante atenção em tudo o que fazemos ou falamos, porque vamos
colher os frutos de todos os nossos atos e palavras. O que você quer colher? Tempestades?
Ou amor, paz, respeito, carinho, êxito, prosperidade? Então plante isso com palavras,
gestos e pensamentos.
Um fariseu, doutor da lei, perguntou certa vez a Jesus qual era o grande mandamento da
Lei. Jesus lhe respondeu:
 O primeiro grande mandamento é amar a Deus de todo o coração, de toda a alma e
de todo entendimento;
16 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
 O segundo, que vem ligado ao primeiro, é amar o próximo como a si mesmo
(Mateus 22:37-39).

Qual a relação dessa palavra com o semear e colher?


A resposta é simples, tudo o que eu quero que façam a mim devo fazer para os outros,
pois vou amá-los como a mim mesmo, e ninguém gosta de fazer mal a si mesmo, não é
verdade. Assim, jamais farei algo à outra pessoa que não fizesse a mim mesmo.

 Você quer ser amado? Ame;

 Quer ser respeitado? Respeite;

 Quer ser abençoado? Abençoe;

 Quer ter paz? Viva em paz com todos;

 Quer tirar boas notas? Estude.

SOMOS DONOS DA COLHEITA DAS SEMENTES QUE SEMEARMOS:

Uns semeiam contendas e querem colher bonança. Esquecem que a tempestade está a
postos para ser liberada para os semeadores de contendas. Tanto no aspecto físico como
espiritual, colheremos exatamente o que temos plantado. Precisamos ser tementes quando
estivermos em dias de angústias para não liberarmos palavras que contrariem todas as
sementes de vida que já plantamos. É como se estivéssemos lançando ervas daninhas no
solo que tanto já trabalhamos.
A inconsequência é muito grande por parte de alguns, pois recebem as instruções como
trabalhar a terra, plantar as sementes, regar o solo e esperar o tempo do fruto. Mas, se
alguma coisa interrompe o processo, poderá trazer pragas para dentro da lavoura que, a
custo de muito suor, está sendo trabalhada para um tempo favorável na nossa direção.

Infelizmente algumas pessoas estão passando a vida plantando maldição e querendo colher
bênção. A semeadura se expressa por vários fatores e precisamos saber quais são os níveis
de sementes que estamos plantando para não requerermos uma colheita diferente da

17 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


legalidade do que está sendo lançado no solo. É preciso voltar aos fatores que determinam
colheitas saudáveis, obedecendo à lei do plantar e colher; isso é um princípio inevitável. 

Quando entramos no tema colheita, ficamos celebrantes, mas não nos damos conta que
colheremos tudo o que plantarmos, que não temos como fugir da lei que está em Gálatas
6:7-10: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear,
isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção;
mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de
fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então,
enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.”
Tudo que o homem plantar, isso também colherá! E, nessa verdade, estão duas fontes
importantes: bênção ou maldição, vida ou morte, luz ou trevas, alegria ou tristeza. Mas
como se dá o processo?

SEMENTES DE MORTE:

Muitas pessoas passam a vida apenas na proposta de fazer o bem, mas insistem no mal.
Deveriam viver de tal forma a atrair bênção, mas chamam à existência maldição. Elas
profetizam contra si mesmas e maldizem as famílias. Não controlam a língua nem põem
freios na boca; estão na lei dos insensatos, que não medem as consequências do que falam.
Não podemos deixar que nossa boca se torne um veículo que deponha contra nossa própria
vida.

SEMENTES DE VIDA:

Plantar para a vida é uma solicitude divina a fim de que cada um seja responsável pela
semente que está plantando. Não existe como plantar uma espécie de semente e colher
outra espécie de fruto. “Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção;
mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.” (Gálatas 6:8). Esse
texto diz que o que planta no Espírito vai colher vida, e vida eterna. Veja o nível da
colheita que estabelece uma mudança radical na direção dos lavradores sejam da seara
18 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
humana, sejam da seara espiritual. O importante é saber se comportar diante da semente e
do solo. A semente que cair no solo dará destinos, quer sejam desejáveis ou não. A ordem,
então, é plantar no Espírito. Essas são as sementes de vida, sementes incorruptíveis, que
geram indivíduos e situações para contextos diferentes. 
A palavra “VIDA” está ligada a palavra “HAI”, que está associada a palavra
grega “KAMTLEHAI”, que significa “RESSURREIÇÃO”, ou seja, ressuscite para a vida,
entre no sobrenatural, tome posse dos seus direitos, seja dono da vida completa e receba da
vida abundante.
Quando Jesus diz: Eu sou a Ressurreição e a Vida, está falando do direito de posse que o
indivíduo tem para caminhar com ele em plenitude, sabendo que tanto na vida física como
espiritual, estaremos usufruindo do nosso direito. “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição
e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.” (João 11:25). Vemos que Ele
nos garante a vida abundante. “...eu vim para que tenham vida, e a tenham com
abundância.” (João 10:10).
Diante dessa verdade, veja que tudo é produto de uma semente, uma semente viva que
germinou e trouxe o direito de sermos uma explosão de fidelidade, pois Ele é a Matriz
Perfeita. Lembre-se que Jesus disse: “Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de
trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.” (João
12:24).

CONCLUSÃO:

Tudo o que você quiser que os outros lhe façam, faça você primeiro, pois tudo aquilo que
o homem semear, isso mesmo é o que ele colherá. Afinal, laranjeira não dá mamão,
mangueira não dá abacaxi. O fruto é resultado da semente. Uma vida que não se deixa ser
corrompida nem se macula é uma vida de vitória em todos os aspectos. Essa é a semente
de vida que todos esperam e que todos desejam, que faz parte da chamada da vida de
Cristo Jesus em nosso caráter. E Ele nos deu “VIDA”, estando nós ainda mortos em
nossos delitos e pecados. “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados...”
(Efésios 2:1). Cuidado com o que você está semeando!

19 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


4. AUTOGOVERNO

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Gn 2:15

“Tomou, pois o Senhor Deus ao homem e o colocou no Jardim do Éden para o cultivar e
o guardar.”

TEXTOS-BASE: Pv 25:28; Pv 15:1; Gn 2:16b;

“Como cidade derrubada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o
seu espírito.”

INTRODUÇÃO:

Quando Deus criou o homem, deu a ele uma capacidade que só o ser humano tem:
raciocinar para poder decidir. Todos os animais criados por Deus são movidos pelos
instintos de sobrevivência, de procriação, de alimentação, etc. O homem pensa, raciocina,
decide. Está certo?
Tendo esse entendimento, podemos dizer que autogoverno é a capacidade que o homem
tem de controlar o seu comportamento, as suas atitudes, em casa, na escola, em qualquer
lugar que estiver.
Salomão, em toda a sabedoria que Deus lhe deu, disse que o homem que não sabe se
controlar é semelhante a uma cidade que não tem muros para guardá-la, isto é, não tem
proteção. Assim, qualquer coisa pode acontecer com ela: ser invadida, ser saqueada, ser
atacada. Assim é o homem que não sabe controlar o seu comportamento.

20 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


ENTENDENDO O PRINCÍPIO NA NOSSA VIDA DIÁRIA:

Quando não sabemos controlar as nossas atitudes, estamos expostos ao resultado das
nossas ações. Por exemplo, se não sei controlar a minha língua, não levo desaforo para
casa, e cada vez que alguém faz ou diz alguma coisa que eu não gosto, respondo da mesma
maneira, corro o risco de levar uma surra, ou de receber uma série de palavras ruins, ou
ainda, passar a ser deixado de lado pelos outros. O mundo tem um princípio comum:
bateu, levou. O Senhor nos ensina outra coisa: "A palavra branda desvia o furor, mas a
palavra dura suscita a ira." (Provérbios 15:1). Ainda há aqueles que profetizam contra si
mesmos e maldiçoam os seus familiares; A bíblia os chama de insensatos, que não medem
as consequências do que falam. Não podemos deixar que nossa boca se torne um canal de
maldições para nós e nossa família.
 Autogoverno é uma obra do Espírito Santo em nossa vida; É o fruto do domínio próprio
(Gálatas 5:23). Quando somos guiados pelo Espírito Santo de Deus, Ele nos ensina como
devemos agir em cada situação, Ele mesmo coloca as palavras em nossa boca. Precisamos
do Espírito de Deus para nos ajudar a vencer a nossa carne. Clame por Ele e Ele lhe
ajudará, amém?

AUTOGOVERNO & OBEDIÊNCIA:

Quando temos domínio próprio, quando temos autogoverno somos capazes de cumprir as
regras sem dificuldade, mesmo que, muitas vezes, não gostemos delas. Isso é obediência.
Não devemos obedecer somente quando gostamos ou concordamos. A verdadeira
obediência está em obedecermos exatamente quando não concordamos. Somos capazes de
respeitar nossos pais, chefes, professores, colegas, pastores, líderes, mesmo que, às vezes,
as atitudes deles não sejam o que esperamos.
É uma questão de opção. É muito fácil falarmos: Senhor eu quero fazer a Tua vontade.
Mas entre o querer e o fazer, existe o OBEDECER. A obediência é a chave do sucesso e
gera bênção.

21 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


O ministério de Jesus foi um ministério próspero e Ele foi bem sucedido em sua missão,
porque Ele em TUDO e em TODAS as circunstâncias decidiu obedecer ao Pai, Ele fez a
vontade do Pai, e essa obediência é que o sustentou. 
Quando o Senhor colocou Adão e Eva na Terra, deu-lhes uma instrução, lembram-se: "De
toda árvore do jardim comereis, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não
comereis" (Gênesis 2:16b-17). Esse era um teste para o domínio próprio de Adão e Eva,
mas eles não souberam dominar o seu desejo e desobedeceram a ordem, trazendo, assim, o
pecado e o afastamento de Deus.
A obediência humanamente falando é uma questão de opção, mas espiritualmente falando,
é um princípio fundamental na vida de um verdadeiro discípulo de Cristo.
Precisamos compreender que em todos os lugares existem regras que foram feitas para
serem obedecidas: em casa, na escola, na igreja, mesmo nas brincadeiras existem normas,
não é verdade? E ninguém está isento de cumpri-las.
Você já parou para prestar atenção que há uma ordem na natureza? Por exemplo:

 Os planetas estão alinhados no céu, cada um em sua rota. O que aconteceria se um


deles se desviasse da rota que lhe foi dada? Haveria choque de planetas;
 As árvores seguem um ciclo para produzir seus frutos, cada uma ao seu tempo, para
que nada falte;
 Para uma criança nascer, a um tempo de gestação para que ela esteja forte e
preparada para crescer com saúde.

CONCLUSÃO:

A palavra chave do autogoverno é a obediência. O homem pensa, raciocina, decide,


obedece. Isso implica em disciplina. Só o Espírito de Deus pode nos disciplinar. Uma das
melhores expressões deste princípio é a disciplina. Temos que ser pessoas disciplinadas.
Até a natureza se autogoverna. Ela obedece ao Criador. Quem a compromete é o homem.
A nossa transformação ocorre de dentro para fora. Quanto mais governo interno eu tenho,
menos governo externo precisarei.

22 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


Precisamos aprender a cumprir alvos e atingir metas. Precisamos nos autogovernar,
vencendo a procrastinação que nos impede de corresponder satisfatoriamente.

5. SOBERANIA:

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Ex 15:18

“O Senhor reina e reinará eterna e perpetuamente.”

TEXTOS-BASE: Gn 2:20; Ap 1:8; Sl 139:1-4; II Cr 26:11;

“Assim o homem deu nomes a todos rebanhos domésticos, às aves do céu e a todos os
animais selvagens. Todavia não se encontrou para o homem alguém que o auxiliasse e lhe
correspondesse.”

INTRODUÇÃO:

Primeiro, vamos entender o que quer dizer Soberania. Segundo o dicionário, soberania
quer dizer: poder supremo, autoridade moral, autoridade do soberano, qualidade ou estado
do que é soberano.
O princípio da Soberania nos ensina que: Deus é Senhor sobre todas as coisas, Ele é o
supremo soberano de todo o universo. Ele é o Criador de todas as coisas, em todo o
Universo. Tudo existe porque Ele as fez e elas continuarão a existir enquanto Ele
sustentar.
Por que nós nascemos? Por que o sol só aparece de dia? Por que as estrelas que estão no
céu não caem na nossa cabeça? Por que existem tantos animais diferentes? Quantas outras
perguntas podemos fazer?
Para as quais os homens buscam um monte de respostas na ciência, mas a única resposta
está na soberania de Deus. Deus assim o fez! Para quê? Para que pudéssemos contemplar
as Suas maravilhas e reconhecêssemos o Seu poder e majestade.
23 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
Observe em Gênesis 2:20, onde Deus Soberano discute com a sua criação mais elevada,
permitindo-lhe planejar, julgar e executar junto com Ele. Deus como supremo soberano
de todas as coisas é a fonte de toda força e exerce a sua soberania sobre os homens. Adão
colocou nome em todos os animais e Deus não interferiu em nada; Ele queria que Adão
percebesse que os animais eram macho e fêmea e visse a necessidade dele como homem
ter uma companheira. Assim como foi com Adão, o Senhor Deus tem um plano
específico para nossas vidas e para isso precisamos assim como Adão, racionar com
Deus, biblicamente, através do seu Santo Espírito. Deus é soberano sobre a criação, sobre
as nossas vidas, sobre todas as coisas.

A SOBERANIA DE DEUS:
A soberania de Deus, a ONISCIÊNCIA de Deus é tremenda, Ele conhece todas as
coisas. Ele conhece o princípio e o fim. (Apocalipse 1:8) Pelo fato de Jesus ter vencido a
morte, aquele que o recebe, normalmente perde o medo de morrer, pois passa a ter a
convicção, a certeza da salvação. A morte e ressurreição de Jesus tiraram toda a
autoridade que o inimigo possuía, e como o salmista você e eu podemos declarar: “ Ainda
que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás
comigo.” (Salmos 23:4) A morte não deixou de existir, mas se tornou inoperante porque
não é mais o diabo que tem o poder sobre ela. Deus determinou a salvação a todos os
homens por meio de Jesus Cristo. 
No Salmo 139:1-4, podemos nos maravilhar, com Davi, quando fala do poder e soberania
de Deus nas nossas vidas. Ele diz que o Senhor nos conhece desde o ventre da nossa mãe.
Ele conhece o nosso pensamento, sabe quando nos deitamos e quando nos levantamos,
conhece todos os nossos caminhos e, antes mesmo da palavra chegar à nossa boca, Ele
sabe o que vamos falar. Ele sabe todas as coisas, pois é ONISCIENTE.
Em Provérbios 15:3, Salomão nos fala que os olhos do Senhor estão em todo lugar,
contemplando a todos, tanto aos maus quanto aos bons. Esse Deus que é
ONIPRESENTE, é também eterno como diz o nosso versículo-chave: Ele reina e reinará
para sempre. Ele é Senhor do tempo e do espaço. Ele está em todo lugar, pois é
ONIPRESENTE.
24 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
Para Ele nada é tão difícil que não possa fazer, pois Ele pode todas as coisas, em Sua
ONIPOTÊNCIA. Ele detém a autoridade total sobre todas as coisas e sobre todas as
criaturas. Quando reconhecemos a soberania de Deus em nossas vidas, podemos seguir o
conselho de Davi em Salmo 37:4,5: “Nos deleitaremos n'Ele e Ele concederá o desejo do
nosso coração.”

CONCLUSÃO:
Aprendemos, no primeiro princípio, que o nosso caráter deve ser o caráter de Cristo. Se,
realmente, Cristo vive em nós, não teremos dificuldade em reconhecer que Deus é o
Senhor de nossas vidas e, ao precisarmos tomar qualquer decisão, buscaremos primeiro a
direção n'Ele, pois já vimos que Jesus não fazia nada sem antes consultar a Deus, pois
sabia que tudo estava debaixo do controle da Sua mão.
Não esqueça que esse Deus que é onipresente, onisciente e onipotente, Aquele que vive e
viverá eternamente é o mesmo Deus que lhe criou e quer que você tenha vida em
abundância, que você seja feliz e, para isso, entregou o Seu próprio Filho para que você
tenha tudo o que precisa. A única coisa que Ele lhe pede é que você confie n'Ele, entregue
sua vida a Ele e reconheça a Sua soberania, o Seu senhorio sobre todas as áreas da sua
vida.
Você quer aceitar esse desafio? Tenho certeza que você será tremendamente abençoado.

25 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


6. UNIÃO - ALIANÇA – PACTO:

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Gn 2:24

“Portanto o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só
carne.”

TEXTOS-BASE: I Pe 1:3-8; Rm 12:5; I Jo 3:16,18; At 2:42,44,47.

“Finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, cheios de amor fraternal,


misericordiosos, humildes.”

INTRODUÇÃO:

Como é grande a variedade de vida que existe no nosso planeta, não é mesmo? Você já
parou para admirar como Deus é criativo? Quantas espécies de animais existem? E os
vegetais? As formas, as cores, os aromas, os sabores, são realmente fantásticos e nenhum
é igual ao outro. Mas todos, para subsistirem, precisam estar em harmonia, vivendo em
conjunto. Uns dependem dos outros para viver.
Nós, seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus, também somos diferentes
uns dos outros, apesar de sermos todos, em nossa essência, parecidos com nosso Pai.
Ninguém é igual ao outro. Até mesmo os gêmeos têm diferenças. Mas, mesmo sendo
diferentes, precisamos uns dos outros para viver.
Em Romanos 12:5 o apóstolo Paulo diz que mesmo sendo muitos, somos um corpo em
Cristo e membros uns dos outros. O que isso quer dizer? Que precisamos uns dos outros,
que apesar de sermos diferentes, necessitamos uns dos outros e precisamos respeitar uns
aos outros como parte do corpo de Cristo.
Vimos anteriormente, no princípio do Semear e Colher, que tudo o que quisermos que os
outros nos façam, temos que fazer primeiro. O princípio da União nos ensina que
devemos procurar conviver com os outros em harmonia, tendo em nós o mesmo
26 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
sentimento de amor, de paz, de misericórdia, como Jesus tinha, olhando para cada pessoa
ao nosso redor com respeito, e vendo neles a imagem e semelhança de Deus.
O que é mais fácil? Carregar um peso sozinho ou dividi-lo com alguém? Assumir o
trabalho sozinho ou dividi-lo com outra pessoa? É claro que é mais fácil quando
dividimos as cargas com alguém. Moisés descobriu isso na batalha contra Amaleque.
Cada vez que Moisés levantava os braços, Israel vencia, mas quando seus braços se
cansavam e ele os baixava, Israel era vencido. Vendo isso, Arão e Hur colocaram uma
pedra para que ele sentasse e ambos seguravam as suas mãos para que não baixassem (Ex
17:12) e assim Israel venceu a batalha.
A união nos incentiva a realizar grandes obras, como Neemias, quando edificava os
muros de Jerusalém e convocou o povo para trabalhar, todos juntos, um protegendo o
outro, um ajudando o outro (Ne 4:16,17).
É claro que, com a grande diversidade de pessoas que existe no mundo, cada pessoa com
uma história diferente da outra, nem sempre vamos concordar com todos. Às vezes nos
aborrecemos, ficamos ofendidos com as atitudes de alguns, magoados, mas não podemos
nos esquecer do que Jesus nos ensinou, principalmente agora que já sabemos que o nosso
caráter tem que ser o caráter d'Ele, pois somos seus imitadores, que devemos nos amar
uns aos outros e perdoarmos, assim como Ele nos tem perdoado.
Salomão, em sua extrema sabedoria, disse que é melhor serem dois do que um (Ec 4:9-
12). Seja sábio! Viva em união com todos os que estão ao seu redor: seus pais, irmãos,
amigos, vizinhos e você terá sempre alguém com quem contar, além de Jesus, que nunca
nos deixa sozinhos, amém?

COMUNHÃO COM CRISTO = COMUNHÃO COM OS IRMÃOS:


União com Cristo significa que recebemos seu amor, perdão e salvação. Estar unido a
Jesus produz frutos, se a nossa fé é viva e verdadeira, então vamos amar e ter comunhão
uns com os outros. Vejamos alguns versículos que falam sobre isso:

27 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


“Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos” (João
13:35).
“Sabemos o que é o amor por causa disto: Cristo deu a sua vida por nós. Por isso nós
também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos. Meus filhinhos, o nosso amor não
deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor verdadeiro, que se mostra
por meio de ações” (I João 3:16,18).

“E todos continuavam firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor


cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações. Todos os que criam estavam juntos e
repartiam uns com os outros o que tinham. Louvavam a Deus por tudo e eram estimados
por todos. E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas” (Atos
2:42,44, 47). 

O que dizem esses versículos é exatamente o que diz tema: Comunhão entre irmãos é
bênção de Deus e prova de nosso amor e fé em Deus.
Mas o que é interessante no texto de Atos, é que, por causa da comunhão dos irmãos,
havia a estima da sociedade e Deus os abençoava, com mais e mais gente sendo salva!
João vai estabelecer uma distinção clara entre aqueles que dizem andar com Deus de
verdade e aqueles que estão apenas blefando. Uma grande expressão da comunhão com
Deus é o nível de comunhão entre os irmãos. Ao dizer isto João afirma que A
COMUNHÃO COM DEUS DETERMINA O NÍVEL DE COMUNHÃO ENTRE OS
IRMÃOS. Qual é o seu nível de comunhão com Deus? 
SOMOS UM SÓ CORPO:
"Porque assim como em um só corpo temos muitas partes, e todas elas têm funções
diferentes, assim também nós, embora sejamos muitos, somos um só corpo por estarmos
unidos com Cristo" (Romanos 12:4,5).

"Desse modo não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse
umas pelas outras. Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela. Se uma é

28 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


elogiada, todas as outras se alegram com ela. Pois bem, vocês são o corpo de Cristo, e
cada um é uma parte desse corpo" (I Coríntios 12:25-27).

"É Ele quem faz com que o corpo todo fique bem ajustado e todas as partes fiquem
ligadas entre si por meio da união de todas elas. E, assim, cada parte funciona bem, e o
corpo todo cresce e se desenvolve por meio do amor" (Efésios 4:16). 
O corpo, para crescer e se desenvolver, precisa de cada parte funcionando bem e ligada às
outras por meio do amor. É assim que a Igreja vai ser abençoada e crescer: na comunhão
entre irmãos. Vejam: 
"Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo". (Gálatas 6:2).

"Sejam sempre humildes, educados e pacientes, suportando uns aos outros com amor.
Façam tudo para conservar, por meio da paz que une vocês, a união que o Espírito dá "
(Efésios 4:2-3).

"Por isso procuremos sempre as coisas que trazem a paz e que nos ajudam a fortalecer
uns aos outros na fé" (Romanos 14:19).

Paulo aqui está nos incentivando, como membros do corpo de Cristo, a praticar o amor e
manter a paz entre nós, com humildade no servir uns aos outros, com também diz Pedro:
“Que todos prestem serviços uns aos outros com humildade, pois as Escrituras Sagradas
dizem: Deus é contra os orgulhosos, mas é bondoso com os humildes!” (I Pedro 5:5b).
Assim é a comunhão entre irmãos: bênção de Deus e prova de nosso amor.
Mas, é assim que nós temos vivido? Aqui também temos alguns versículos que nos
orientam: 
“Animem uns aos outros, a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado,
nem endureça o seu coração” (Hebreus 3:13b).

29 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


"Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e fazerem o bem.
Não abandonemos como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões.
Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o dia
está chegando" (Hebreus 10:24-25).

SOMOS PEDRAS VIVAS:


Jesus nos tirou do mundo para edificar um templo. Cada um de nós tem que tomar o seu
lugar compactado na construção para não deixar buracos. A ordem prática é essa: você é
pedra viva para ajuntar-se a outras pedras. Aquilo que você faz em particular pode afetar
as outras pedras. Nós somos responsáveis pelas outras pedras. Nós não fomos chamados
para construir qualquer coisa, mas para construirmos um TEMPLO SANTO. As coisas
que nos unem são mais sólidas e reais do que as coisas que nos separam. Apesar das
“portas” de separação parecerem naturalmente sólidas e impenetráveis, podemos rompê-
las com a decisão de preservar a unidade do corpo de Cristo. Isso é possível através do
poder sobrenatural do Senhor. Um povo em unidade pode fazer qualquer coisa.

CONCLUSÃO:
Às vezes temos uma atitude de proteção, assim acontece com os animais com o instinto de
proteção. O inimigo põe isso em nós para vivermos separados uns dos outros, mas a
perfeita comunhão com Deus nos liberta dessa atitude de proteção, tornando-nos abertos
para nos relacionarmos sem medo, para juntos, como pedras vivas, edificarmos o templo
de Deus. Nosso relacionamento com Deus é como o ouro, reluz a Sua glória e o nosso
relacionamento com as pessoas é como a prata, um metal nobre, que precisa ser colocada
junto com o ouro para tornar a liga mais resistente; Você sabia que as ligas metálicas são a
união de dois ou mais metais e elas têm mais aplicação do que os metais puros. O mesmo
se aplica para nós, unidos nos tornamos mais fortes, e ao mesmo tempo mais refinados,
porque os relacionamentos nos moldam, nos aperfeiçoam, ainda mais quando esses
relacionamentos estão unidos pelo ouro, ou seja, são unidos pelo amor de Cristo, através
da nosso comunhão com o nosso Pai.  Assim o ouro mais a prata formam uma liga
poderosa e isso é possível através do poder sobrenatural do Senhor.
30 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos
7. INDIVIDUALIDADE

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Rm 12:4,5

“Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a
mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e
individualmente uns dos outros.”

TEXTOS-BASE: Gn 2:20

“Assim o homem deu nomes a todos rebanhos domésticos, às aves do céu e a todos os
animais selvagens. Todavia não se encontrou para o homem alguém que o auxiliasse e lhe
correspondesse.”

INTRODUÇÃO:

Aprendemos, nos estudos anteriores, que precisamos ter o caráter de Cristo. Se tivermos o
caráter de Cristo, saberemos exercer o princípio da mordomia, sendo mordomos,
administradores de excelência das coisas que Deus nos deu, pois Jesus era assim; teremos
em nós a capacidade de autogoverno, o fruto do Espírito chamado domínio próprio;
saberemos semear e colher o melhor que Deus tem para nós é olharmos os outros com o
mesmo amor que Jesus tem pelas pessoas, vivendo o princípio da união.
Em Gênesis 2:20, a Bíblia diz que Adão deu nome a todos os animais que havia na Terra.
Isto implica na individualidade de toda a criação, mesmo com uma imensa variedade de
espécies.
Então, o que é individualidade? É a identidade de cada um. Deus criou todas as coisas
com identidades distintas. Cada um é um. Identidade fala das características que são
específicas de uma pessoa, de um ser ou de alguma coisa.

31 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


ENTENDENDO A INDIVIDUALIDADE:
Como podemos entender isso?
O texto de Romanos 12:4-8 diz que em um corpo existem vários membros e cada um
deles tem uma função específica. Assim somos nós como corpo de Cristo. Cada um tem o
seu lugar, a sua função e o seu valor.
Deus, quando criou o homem, deu-lhe características particulares que só ele tem.
Diferente de todas as outras criaturas, o homem pensa, decide, sonha. E, embora todos
nós, seres humanos, tenhamos uma estrutura física semelhante: cabeça, tronco, membros,
coração, etc...; E tenhamos ações iguais: andamos, falamos, dormimos, comemos, somos
totalmente diferentes uns dos outros. Temos personalidades diferentes, pensamos,
reagimos de modo diferente uns dos outros. Isso é individualidade. Embora parecidos,
somos únicos nesta Terra. Deus fez de cada homem um universo único. Não existe
ninguém igual a você. Diante de Deus, você e eu somos pessoas distintas, alguém especial
e Ele olha especificamente para mim e para você. Isso não é maravilhoso? Deus, em Seu
sublime trono, no meio de uma multidão, olha a cada um de nós como alguém único,
especial.
Precisamos aprender, com isso, que as pessoas são diferentes umas das outras, têm
histórias diferentes, algumas são mais rápidas, outras são mais lentas; umas aprendem
mais rápido, outras precisam de um pouco mais de tempo; umas falam mais, são mais
sociáveis, outras mais caladas e retraídas, tímidas. Podemos levar ainda em consideração a
cultura de cada povo, de cada região, pois os costumes são diferentes. Diante disso,
precisamos respeitar a todos, compreendendo as dificuldades e os limites de cada um.
E não só respeitar os outros, mas respeitar a si mesmo, reconhecendo a sua
individualidade, se auto aceitando e aceitando os outros como são.
Não esqueça que, como pessoas únicas, somos responsáveis, diante de Deus, por todos os
nossos atos e palavras. No meio de uma grande multidão, Deus conhece a cada um de nós,
conhece o nosso coração, e sabe cada um dos nossos pensamentos. Individualmente,
iremos nos apresentar diante do Pai. Apresente a Ele uma vida de amor, respeito, carinho,
serviço, alegria, paz; um coração puro e santo. Alegre o coração do Pai. Amém?

32 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


ASPECTOS IMPORTANTES DA INDIVIDUALIDADE:

O cuidado com a vida é individual: cada pessoa é responsável diante de Deus pelos seus
atos, cabendo-lhe a responsabilidade de cuidar de si próprio, pois todos, individualmente,
temos as nossas falhas para as quais somos chamados a ter especial atenção (Gálatas 6:5).
Isto não significa deixarmos de ser solidários com as fraquezas alheias, mas em
exercermos o cuidado individual de tal maneira que ao invés de sermos críticos em relação
ao próximo e nos deleitarmos em seus pecados, estejamos em condições de ajudá-lo a ser
restaurado, para viver sua própria vida diante de Deus (Tiago 5:6).

A correção é individual: Cada um precisa tomar a iniciativa de reconhecer o seu erro e


abandoná-lo por sua própria iniciativa, com a ajuda do Espírito Santo; mesmo que receba a
ajuda solidária e fraterna da comunidade cristã.  

CONCLUSÃO:
Deus criou as tribos, povos, raças com características específicas. Todas as coisas que
Deus criou têm uma identidade distinta. Somos um ser único e Deus nos vê assim; A
salvação é pessoal! Mas viver em comunhão é o que nós fortalece e nos mantém unidos ao
corpo de Cristo. A Bíblia nos ensina que ao invés de ficarmos olhando as falhas alheias e
com elas querendo justificar a nossa fraqueza espiritual, devemos ter como nosso maior
referencial e idealização a pessoa de Jesus, e buscarmos o seu elevado padrão de exigência
para nossas vidas (I Coríntios 11:1; Hebreus 12:1,2). Não ostente a sua individualidade,
mas busque fazer prevalecer à vontade do Pai e não a sua.

33 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


8. HONRA:

VERSÍCULO INSPIRAÇÃO: Rm 12:10

“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo- vos em HONRA
uns aos outros.” 

TEXTOS-BASE: I Pe 2:17; I Co 12:26;

“Tratai todos com HONRA, amai os irmãos, temei a Deus, honrai o rei.” 

INTRODUÇÃO:

HONRAR é respeitar, é reverenciar, é valorizar, é OBEDECER. Quando “honramos” uma


pessoa falamos que ela é extremamente valiosa aos nossos olhos. Dizemos que quem ela é
e o que ela diz tem um peso grande.
Um dos princípios mais importantes da Palavra de Deus é o princípio da honra. Embora
vivamos num tempo onde o desprezo às autoridades é lugar comum, a começar pelo
próprio ambiente familiar; Não há como negar diante dos ensinamentos bíblicos que
honrar aqueles que estão sobre nós é uma forma de honrar ao próprio Senhor que os
reveste de autoridade. Quanto mais próxima e vital for à relação, mais essa verdade se
torna importante. No contexto da igreja, então, ela é fundamental. Você precisa rever isso
em seu coração, porque ao honrar você obedece a Deus e atrai bênçãos sobre sua vida. A
Bíblia diz que devemos honrar a todos, tratando com dignidade: “Prefiram dar honra aos
outros mais do que a si próprios.”(Rm 12.10) Mas em especial, você deve honrar as
pessoas que exercem autoridade em sua vida por obediência e por desejo de vida espiritual
frutífera! Vamos cuidar do coração, para que quando alguém for honrado em nosso meio,
nosso coração seja de alegria e gratidão e nunca de inveja, pois está escrito: “Quando um
membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os
outros se alegram com ele.” (I Coríntios 12:26).

34 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


A QUEM DEVEMOS HONRA?

HONRAR A DEUS:

Para alguns isso não é novidade. Honrar a Deus é dar o primeiro lugar a Ele, é entregar a
vida à orientação dEle. Mas podemos fazer mais do que isso.
Em Mateus 15:8 está escrito: “Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra
com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim”.
Jesus disse: “Onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu coração.” Deus se importa
com tudo o que fazemos se conseguimos, por meio disso, honrá-lo! Olhe para as
Escrituras: Israel durante séculos honrou a Deus com tudo. Cada animal do campo que
nascia, cada nova colheita, cada filho que saía de suas entranhas, as festas mensais,
refeições, roupas, famílias, casas… tudo trazia a ideia: Isso é para honrar a Deus!

HONRANDO A DEUS COM NOSSAS FINANÇAS:

Honrar a Deus através das finanças gera prosperidade financeira; Em Provérbios 3:9-10
está escrito: “Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus
ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.”
Quando honramos ao Senhor com nossos bens, Ele repreende o devorador e somos
abençoados.

HONRAR AS AUTORIDADES:

“Toda a alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não
venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus.” Romanos 13:1

Quem não respeita autoridade não terá direito à prosperidade, pois a prosperidade é uma
senha resultante da honra. Quem tem essa senha, tem tudo. Por isso que desde o início,
Deus instituiu a honra como um mandamento com promessa: longevidade, vida longa para

35 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


todos que honram pai e mãe, que são as primeiras autoridades instituídas por Deus em
nossas vidas.

HONRAR A FAMÍLIA:

Quando uma família cresce e prospera não é por acaso. Da mesma forma quando famílias
falham não é por acaso; Mas na maioria das vezes é por negligenciarem algum ou alguns
dos Princípios Bíblicos. Veja o que diz a palavra sobre o marido honrar a mulher (I Pedro
3:7), sobre a mulher honrar o marido (I Pedro 3:1), e sobre os filhos honrarem os pais
(Êxodo 20:12).

“Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher,
como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que
não sejam impedidas as vossas orações.” I Pedro 3:7

“Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que
também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos
sem palavra.” I Pedro 3:1

“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor
teu Deus te dá.” Êxodo 20:12

A Bíblia está orientando:


 Maridos sejam o cabeça, amarem suas esposas, sacrificarem-se por elas, alimentem
e cuidem delas;
 Esposas sejam submissas, temam e respeitem seus maridos;
 Filhos obedeçam a seus pais.
Mesmo sabendo que existem maus pais, Jesus ordenou: “Honra teu pai e tua mãe.” (Lucas
18:20) Jesus não ensinou a honrar o bom pai e a boa mãe, não é mesmo? Seu dever é amar
e honrar!

36 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


Há muitas outras coisas que podemos fazer para mostrar que valorizamos as pessoas da
nossa família. A atitude de honra e as ações que acompanham criarão um ambiente
saudável e aconchegante onde a família pode crescer saudável. Mas precisamos tomar o
cuidado para não deixar que a família tome o primeiro lugar em nossas vidas e honremos
mais a ela do que a Deus.

HONRAR A NOSSOS PASTORES E LÍDERES ESPIRITUAIS:

Sabemos o que significa ser “ovelha sem pastor” porque a maioria de nós viveu um dia na
solidão espiritual, sem ter quem nos ensinasse o caminho e velasse por nossa vida. O fato
de termos pastores e líderes na casa de Deus que dedicam seu tempo e dons para nos
abençoarem, deveria produzir em nós um intenso desejo de honrá-los. É sobre isso que o
escritor aos Hebreus está falando ao recomendar-nos: “Lembrai-vos dos vossos guias, que
vos anunciaram a Palavra de Deus”. O sentido aqui é, com constância, trazer à mente o
valor daqueles que nos lideram na fé, nossos discipuladores e pastores, fazer o exercício
da consideração, de não esquecer a diferença que estas pessoas fazem em nossa vida e, de
alguma maneira, expressar a nossa gratidão com palavras e ações.

Pastores, líderes e mestres, cada um tem a missão de zelar pela família de Deus, mas se
não o fizerem, prestarão contas a Deus. E se você não honrar, quem prestará contas a
Deus? Você ou Ele? Se você não está gostando do que está colhendo, mude suas sementes
e forma de semear!
Jesus falou que a desonra aos profetas de Deus está associada à falta espiritual – Jesus lhes
disse: “Só em sua própria terra e em sua própria casa é que um profeta não tem honra. E
não realizou muitos milagres ali, por causa da incredulidade deles.” (Mateus 13:57-58).

COMO PODEMOS RESTAURAR A HONRA NAS NOSSAS VIDAS?

Decidindo honrar e valorizar mais à Deus e as pessoas. Enfatizo a palavra decidir porque
honra não é um sentimento, é uma decisão. Deus não ordena sentimentos, mas nos ordena

37 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


a pensarmos e agirmos por Princípios. Em I Pedro 2:17, Deus diz: “Tratai todos com
honra”.
Primeiro temos que decidir que as pessoas são valiosas e principalmente aquelas que Deus
pôs sobre nossos cuidados e agir de acordo com nossa decisão. Enfatizo a palavra agir
porque honra envolve fazer, mostrar e expressar.

E SE AS PESSOAS NÃO MERECEM HONRA?

É verdade que algumas pessoas não merecem honra devido a sua conduta, mas vale o
ensino de Deus mencionado acima: “Tratai todos com honra.” Porque você responderá
pelas tuas escolhas e não pelas escolhas dos outros; e outra questão também muito
importante sobre a honra é que ela está diretamente associada à frutificação espiritual. Não
façamos como o homem que não teme ao Senhor e Sua Palavra. Vamos resgatar o
Princípio Bíblico da HONRA em nossa vida e na sociedade em geral.

CONCLUSÃO:
Quando andamos na HONRA, os livramentos nos perseguem. Andar na HONRA nos tira
dos riscos e de erros, e, quando algo aparentemente não dá certo, é permissão de Deus para
que tenhamos livramento e não colhamos complicações no futuro. Se você nunca andou na
HONRA, busque em Deus, porque Ele é a fonte. Ainda é possível resgatar o valor e a
prática da HONRA. É uma virtude divina que honra os céus e abençoa a vida das pessoas.
Certamente as próximas gerações vão agradecer!

38 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos


BIBLIOGRAFIA

A BÍBLIA SAGRADA: Antigo e Novo Testamento (tradução João Ferreira de Almeida).


Sociedade Bíblica do Brasil. 2º edição revisada e atualizada. São Paulo, 1993.

A BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Internacional. Sociedade Bíblica Internacional. São


Paulo, 2007.

39 | Curso I: Fundamentos III – Princípios Bíblicos

Você também pode gostar