Você está na página 1de 5

INSTITUTO EDUCACIONAL REALIZAR – IER

PROGRAMA DE GRADUAÇÃO POR EXTENSÃO


LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

EDMILSON GOMES DE SOUSA NETO

FICHAMENTO SOBRE: ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

SANTA LUZIA DO PARUÁ - MA


2020
EDMILSON GOMES DE SOUSA NETO

FICHAMENTO SOBRE: ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

Trabalho acadêmico apresentado à disciplina


Metodologia do Trabalho Científico do Instituto
Educacional Realizar - IER, Campus Santa Luzia do
Paruá - MA como requisito parcial para obtenção de
notas.
Orientador: Prof. Esp. Antônio Farias

SANTA LUZIA DO PARUÁ - MA


2020
TIPO: FICHAMENTO DE ARTIGOS

Assunto/ Tema: Educação – Alfabetização e letramento

Referências bibliográficas:
1. SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de
Educação, Jan /Fev /Mar /Abr 2004 Nº25.
2. FRANCIOLI, Fatima Aparecida de Souza. O trabalho do professor e a alfabetização:
uma análise dos ideários educacionais. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura
Acadêmica, 2010.
3. GOULART, Cecília M. A. O conceito de letramento em questão: por uma perspectiva
discursiva da alfabetização. Bakhtiniana, São Paulo, 9 (2): 35-51, Ago./Dez. 2014.

Resumo/ conteúdo de interesse:


O trabalho apresentado a seguir teve como base bibliográfica três artigos publicados em
revistas reconhecidas internacionalmente e de renome, todos os três artigos discorrem sobre a
alfabetização e letramento, dentre os três, um deles trata-se de um escrito de Soares sobre a
concepção de letramento, dentre os outros. Acredita-se que a realização deste fichamento de
citações com essa temática auxiliará na produção da fundamentação teóricas de possíveis
pesquisas.

Citações:
1. Aproximadamente da mesma época (final dos anos de 1970) a proposta da Organização da
Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) de ampliação do conceito
de literate para functionally literate, e, portanto, a sugestão de que as avaliações
internacionais sobre domínio de competências de leitura e de escrita fossem além do medir
apenas a capacidade de saber ler e escrever (SOARES, 2004, p. 6).
2. No Brasil, porém, o movimento se deu, de certa forma, em direção contrária: o despertar
para a importância e necessidade de habilidades para o uso competente da leitura e da escrita
tem sua origem vinculada à aprendizagem inicial da escrita, desenvolvendo- se basicamente a
partir de um questionamento do conceito de alfabetização (SOARES, 2004, p. 7).

3. No Brasil a discussão do letramento surge sempre enraizada no conceito de alfabetização


[...] (SOARES, 2004, p. 8).

4. A alfabetização, como processo de aquisição do sistema convencional de uma escrita


alfabética e ortográfica, foi, assim, de certa forma obscurecida pelo letramento [...] (SOARES,
2004, p. 11).
5. Dissociar alfabetização e letramento é um equívoco porque, no quadro das atuais
concepções psicológicas, psicolinguística de leitura e escrita, a entrada da criança (e também
do adulto analfabeto) [...] (SOARES, 2004, p. 14)

6. Ao implementar essa proposta no processo de alfabetização, não caberia ao professor


alfabetizador a preocupação da correção ortográfica e da pontuação, porque o que importava é
que eles escrevessem para expressar as ideias; a correção caberia à professora da série
seguinte (FRACIOLI, 2010, p. 142).

7. Quando o sistema exige mudanças de concepções, de metodologias – e isto ocorre, quase


sempre, a cada mudança de governo – do educador exige-se a mudança de sua prática
pedagógica e o cumprimento da nova ordem estabelecida. (Francioli, 2005, p.48)

8. A educação escolar tem o compromisso de desempenhar um ensino que propicie “a


aquisição dos instrumentos que possibilitam o acesso ao saber elaborado (ciência), bem como
o próprio acesso aos rudimentos desse saber...” (FRANCIOLI, 2010, P. 157 apud Francioli,
2005, p.145).

9. A aprendizagem da leitura e da escrita tem sido historicamente um desafio para a sociedade


brasileira, constituindo-se em matéria básica de muitas pesquisas da área da educação, sob
variados ângulos (GOULART, 2014, p. 36).

10. Brandão discute o direito à educação e ao que denomina cidadania escolar, enfatizando
que esta cidadania envolve o domínio da língua escrita e falada, da linguagem matemática e
dos conhecimentos básicos curriculares, condição esta que considera como não alcançada pela
maioria da população brasileira (GOULART, 2014, p. 38).

11. No movimento de discussão do processo de alfabetização e do sentido da noção de


letramento no contexto, apareceu o temor de perder a especificidade do que foi sempre
considerado o centro do processo de alfabetizar, a análise das palavras em unidades
linguísticas, como sílabas e fonemas/letras [...] (GOULART, 2014, p. 41).

Indicação da obra: Estas obras são voltadas a profissionais, pesquisadores, estudantes e


demais interessantes no que concerne a alfabetização e letramento, além dos desafios dos
professores e da sociedade em prol de uma educação mais equitativa e construtiva.

Local:
1. <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a01.pdf>
2. < http://books.scielo.org/id/ysnm8/pdf/martins-9788579831034-09.pdf>
3. < http://dx.doi.org/10.1590/S2176-45732014000200004.>

Você também pode gostar