Você está na página 1de 3

Tema: 1 O Jogo, a dança, a cultura, a ginástica, as lutas e os esportes

como conteúdo da cultura corporal.

No sentido antropológico o termo cultura, afirma-se que todo e qualquer


indivíduo nasce no contexto de uma cultura e, ao longo de sua vida, ajuda a
produzi-la. Não existe homem sem cultura, mesmo que não saiba ler, escrever
e fazer contas. É como se fosse possível dizer que o homem é biologicamente
incompleto: não sobreviveria sozinho sem a participação das pessoas e do
grupo que o gerou. Portanto, com essa visão a cultura corporal a partir dos
seus conteúdos (jogo, dança, ginástica, lutas, e os esportes) poderá contribuir
para a formação do estudante possibilitando vivenciar distintas manifestações
da cultura corporal de movimento de forma crítica e reflexiva da realidade ao
qual está inserido.
De acordo com o coletivo de autores (1992), o jogo é uma invenção do
homem, um ato em que as suas intencionalidades e curiosidades resultam num
processo criativo para modificar, imaginariamente, a realidade e o presente. O
jogo oferece situações de aprendizagem ricas e interessantes, promove o
desenvolvimento físico-motor e a interação entre os participantes , permitindo o
confronto de percepções de esquemas , comparações , troca de informações e
pontos de vista, modificações de conceitos e conhecimentos diversos. Os jogos
devem ser desenvolvidos como conteúdo da cultura corporal, com valor
formativo e educativo contribuindo tanto para a formação cultural do individuo
como também da sua personalidade, socialização e interação com o meio e o
outro. Outrossim, deve ser valorizado e vivenciado também a cultura de outros
lugares nacionais e internacionais, aumentado o leque de saberes culturais do
estudante. Deve-se também ser inseridos nas aulas diversos jogos
cooperativos tão importante para a vida profissional futura do estudante, que
terá que lidar com situações de cooperativismo e trabalho em grupo, nos
diversos setores trabalhistas.
Segundo o coletivo de autores (1992) a dança pode ser considerada
como uma linguagem social que permite a representação de sentimentos,
emoções e da afetividade em várias esferas da vida, tais como a religiosidade,
do trabalho, dos costumes, dos hábitos, da saúde e da guerra. Para Laban
(1978), a dança é a transferência do corpo no tempo e no espaço, a maneira
como cada um gerencia a relação com seu peso, organiza sua postura para se
manter em pé e adaptar-se a lei da gravidade. Para o trato do conhecimento da
dança na escola, é imprescindível um trabalho em que esteja presente o
caráter expressivo e espontâneo do movimento, contribuindo assim para a
manifestação da cultura de um povo.
A Ginástica  é um conceito que engloba modalidades competitivas e não
competitivas e envolve a prática de uma série de movimentos exigentes
de força, flexibilidade e coordenação motora para fins únicos de
aperfeiçoamento físico mental. Desenvolveu-se, efetivamente, a partir dos
exercícios físicos realizados pelos soldados da Grécia Antiga, incluindo
habilidades para montar e desmontar um cavalo e habilidades semelhantes a
executadas em um circo, como fazem os chamados acrobatas. Naquela época,
os ginastas praticavam o exercício nus. De acordo com o coletivo de autores
(1992) a ginástica deve promover no aluno atitudes de curiosidade , interesse,
criatividade e criticidade. As abordagens do conteúdo devem ser passadas
para os estudantes de forma problematizadora, em que seus fundamentos
(saltar, equilibrar, rolar, girar, trepar e balancear) contribuam para a formação
corporal e cultural do estudante.
Segundo os PCNs, as lutas são disputas em que os oponentes devem
ser subjugados mediante técnicas e estratégias de desequilíbrio, contusão,
imobilização ou exclusão de um determinado espaço na combinação de ações
de ataque e defesa. No ambiente escolar, o tema lutas deve estar também
relacionado ao resgate da cultura brasileira, de maneira com destaque as lutas
de origem dos negros como a capoeira, do branco, e do índio. Tais abordagens
devem ser elaboradas de forma lúdica, brincadeiras como cabo-de-guerra,
braço-de-ferro, devem está inseridas nas aulas de educação física, de forma
critica e reflexiva, contribuindo para a formação de valores humanos dos
estudantes.
Segundo o coletivo de autores (1992) o esporte é uma prática social que
institucionaliza os aspectos lúdicos da cultura corporal, traduzindo-se em uma
dimensão complexa de fenômenos que envolvem códigos , sentidos e
significados da sociedade de uma forma geral. Conforme João Batista Freire
em seu livro ‘’ensinar esporte, ensinando a viver’’destaca a importância do
esporte na vida da pessoa, afirma que, se for bem ensinado, essa pratica pode
desenvolver valores como: solidariedade, compaixão, amor, dentre outras
virtudes tão importantes para o desenvolvimento do estudante na vida escolar.
O esporte como componente da cultura presente na história da humanidade
como meio de sobrevivência deve ser abordada de forma crítica e reflexiva
durante as aulas de educação física.
De acordo com os PCNs ensinar e aprender a cultura corporal de
movimento por meio de seus conteúdos (jogo, danças, ginásticas, lutas e
esportes) envolve a discussão permanente dos direitos e deveres do cidadão
em relação social e promoção da saúde. O conteúdo ao ser trabalhado de
forma critica e interdisciplinar, deve objetivar os interesses das camadas
populares, na medida em que desenvolve uma pratica pedagógica sobre
valores como: solidariedade, cooperação, respeito, amor, buscando sempre
atividades relacionadas a democratização da cultura corporal para todos.

Você também pode gostar