Você está na página 1de 4

EXMO. SR. DR.

JUIZ DE DIREITO DA VARA DE FAMÍLIA


REGIONAL DE BANGU - COMARCA DA CAPITAL/RJ.

FRANCISCO GEDEÃO DE CASTRO


LOPES, brasileiro, casado, policial militar reformado, portador da cédula de
identidade nº. 006.387.000-0, expedido pelo DETRAN, inscrito no CPF sob o
nº. 763.887.517-68, residente e domiciliado na Rua Anacá nº 814, casa 08,
perto da Igreja São José dos Operários, Realengo, CEP.: 21.735-400 e
NÁDIA REGINA BEZERRA LOPES, brasileira, casada, pedagoga, portadora
da cédula de identidade n°. 006.570.322-5, expedida pelo DETRAN, inscrita
no CPF sob o nº. 076.783.657-05, residente e domiciliada na Rua Manaus, n°.
241, Realengo, Rio de Janeiro/RJ, CEP: 21.730-050 (Tel. 3331-4493), vêm,
pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, com fundamento no art.
40 da Lei nº. 6.515/77, requerer a V. Exa. a homologação de seu DIVÓRCIO
DIRETO CONSENSUAL expondo, para tanto, o seguinte:
DA GRATUIDADE DE JUSTIÇA

Inicialmente, afirmam, de acordo com o art.


4º. da Lei nº. 1.060/50, com a nova redação dada pela Lei nº. 7.510/86, e
art. 5º., LXXIV da Constituição Federal, que são pessoas sem recursos
financeiros, não podendo, desta forma, arcarem com as custas processuais e
honorários advocatícios, sem prejuízo do sustento próprio e de sua família,
motivo pelo qual fazem jus à GRATUIDADE DE JUSTIÇA e à Assistência
Jurídica Integral, indicando a Defensoria Pública para o patrocínio da causa.

DOS FATOS E FUNDAMENTOS

Os Requerentes são casados, sob o regime


de comunhão parcial de bens, desde o dia 27 de fevereiro de 1987, conforme
fotocópia da Certidão de Casamento anexa.

Da união matrimonial adveio o nascimento de


três filhos: SAMARA BEZERRA LOPES, nascida no dia 20 de novembro de
1987, RICARDO BEZERRA LOPES, nascido no dia 10 de junho de 1989 e
MARCELLO MEDEIROS DE CASTRO LOPES, nascido no dia 12 de maio de
1993, conforme comprovam a fotocópias das certidões de nascimento
anexas.

Ocorre que, há mais de 02 (dois) anos


contínuos e ininterruptos, consoante declaração anexa, os Requerentes
estão separados de fato, desejando, no momento, dissolver o vínculo
matrimonial, observando as seguintes condições:

a) Informam os interessados que não


possuem bens a partilhar.

b) os filhos menores do casal permanecerão


sob a guarda e responsabilidade da mãe, assegurado ao pai o direito de
visitá-los livremente, observados os horários alimentares, escolares e de
repouso noturno;
c) o Primeiro Requerente é Soldado da
Polícia Militar do Estado de M.G. Reformado (registro n° 088534-3),
percebendo mensalmente os rendimentos líquidos de R$273,38 (Duzentos e
setenta e três reais e trinta e oito centavos), consoante contracheque
incluso. Além disso, presta serviços como segurança autônomo, percebendo
mensalmente cerca de R$ 570,00 (quinhentos e setenta reais). Assim,
contribuirá mensalmente para o sustento dos filhos menores com a quantia
equivalente a 20% (vinte por cento) de seus ganhos líquidos, mediante
desconto, requerendo desde já a expedição de ofício ao Órgão pagador -
Polícia Militar de Minas Gerais, Diretoria de Recursos Humanos, Centro
de Administração de Pessoal, situado na Rua Álvares Maciel, 58, Santa
Efigênia, Belo Horizonte, MG, CEP: 30.150-250 para que proceda ao
desconto. E pensionará ainda os filhos menores com a quantia
correspondente a 45% (quarenta e cinco por cento) do salário mínimo
vigente, relativo ao trabalho que desempenha como segurança autônomo, que
deverá ser pago à Segunda Requerente, mediante depósito em conta
bancária a ser aberta por determinação desse MM.Juízo.

d) os Requerentes dispensam-se
mutuamente da obrigação de prestar alimentos por terem meios próprios
que lhes garantem a subsistência;

e) a segunda Requerente voltará a usar o


seu nome de solteira, ou seja, NÁDIA REGINA DE ARAÚJO BEZERRA.

Ante ao exposto, requerem a V. Exa. o


deferimento da Gratuidade de Justiça e, após a oitiva do Representante do
Ministério Público e cumpridas as formalidades legais, a Homologação por
sentença do Divórcio Direto Consensual do casal, com a conseqüente
dissolução do vínculo matrimonial, observado o acordo celebrado, expedindo-
se Mandado de Averbação ao Sr. Oficial do Registro Civil de Pessoas
Naturais competente.
Protestam pela produção de prova
testemunhal para comprovação do lapso temporal da separação de fato e
documental suplementar.

Dão à causa o valor de R$ 2.024,11 (Dois mil


e vinte e quatro reais e onze centavos).

Pedem Deferimento.

Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2004.

____________________________________________

____________________________________________

ROL DE TESTEMUNHAS: DECLARAÇÃO ANEXA