Você está na página 1de 9

1.

As PPF apresentam várias indicações, das quais é possível identificar:


a. Reabilitar pacientes com limitações da abertura bucal; (contraindicação)
b. Melhorar o conforto de próteses esqueléticas quando associadas;
c. Proteger o dente e a gengiva contra as forças mastigatórias, com aumento insignificante destas forças a nível ósseo; (o objetivo
da prótese fixa é proteger TODOS os tecidos de suporte dentário impedindo a sua lesão e destruição aquando de forças mastigatórias → isto inclui quer a
gengiva quer o osso e quer o dente)
d. Ferulizar dentes com mobilidade grau III. (não necessariamente de grau III)

2. Num paciente sem dentes, não se podem ter pontes numa coroa. (…) BOP- hemorragia.
a. Temos BOP zero em fumadores o que constitui uma contraindicação para Fixa.

3. Indicações para PPF clássica:


a. MOD no 14 e 16, indicação para coroas. Ausência do 15 é indicação para pôntico.
b. Grande restauração classe II no 14 e classe I no 15 e 16; coroas nos dentes 15 e 16. (14)
c. MOD no 16 e alteração de cor no 14 e 16; inlay oclusal 16 e coroas nos 14 e 15. (coroa no 16)

4. As PPF’s são o recurso mais importante para restabelecer o contorno e morfologia estéticas e perdas dentárias:
a. Apesar de restabelecerem estética e função aumentam os desequilíbrios musculares.
b. Apesar de restabelecerem a estética e função são indicados para grandes lesões de cárie interproximal. (se temos uma lesão de cárie
interproximal grande, significa que as margens são justas ósseas. O limite de cárie já é Infragengival, isto depois seria muito difícil de fazermos uma fixa).
c. Apesar de restabelecerem a estética e função as desvantagens da PPF é o desgaste a que os dentes estão sujeitos durante a
preparação, tornando-os 60% mais frágeis após cimentação.
d. Apesar de restabelecerem a estética e função não são indicadas para grandes lesões de cárie interproximal, margens justa
ósseas.

5. Quanto à natureza da haste, os instrumentos rotativos:


a. FG são utilizáveis em peças de mão; (turbina)
b. FG são utilizáveis em contrângulo; (CA = Contrângulo)
c. Os instrumentos de contrângulo podem ser utilizados em peças de mão.

6. Os instrumentos rotativos podem classificar-se de acordo com a sua velocidade:


a. Instrumentos de baixa velocidade são utilizados no desgaste inicial da preparação. (a turbina é que é no desgaste inicial. Os instrumentos
de baixa velocidade são usados nos acabamentos {final da preparação}).
b. Quando diamantados os instrumentos de super alta velocidade devem apresentar granulometria inferior a 40 μm. (Neste caso
podem ser usadas brocas diamantadas de grão > 100 μm)
c. Os instrumentos de super alta velocidade são utilizados na remoção de coroas metalocerâmicas. (estes instrumentos podem ser usados
para desmontar próteses fixas ou remover restaurações fixas)
d. Os instrumentos de alta velocidade dão um acabamento suave à preparação. (estes instrumentos servem para eliminar grande [ ] de
estrutura dentária. Ou seja, não são úteis para os acabamentos mas sim para o desgaste inicial)

7. É necessário ter em conta uma série de princípios básicos para a escolha acertada de instrumentos rotativos a utilizar em cada etapa da
preparação. É correto dizer que:
a. Quanto maior o diâmetro mais fácil de evitar a excentricidade; (↑ diâmetro e velocidade → ↑ excentricidade)
b. Com o aumento do diâmetro e da velocidade aumenta as possibilidades de excentricidade;
c. A escolha acertada dos instrumentos deve possibilitar o aumento da temperatura na superfície; (o preferível é não aumentar a TºC da
superfície, porque isso leva a danos na estrutura dentária)
d. Quando aumenta o diâmetro, menor as possibilidades de rutura da haste.

8. Quanto à utilização dos instrumentos rotativos segundo o grão:


a. Os instrumentos de anel preto são os mais utilizados; (os mais usados são os azuis)
b. Os instrumentos de anel azul possibilitam o desgaste mais rápido de todos; (o preto é que possibilita)
c. Os instrumentos de anel branco são utilizados para ajustes de cerâmica; (os de anel branco são abrasivos. Logo úteis para ajustes de cerâmica)
d. Os instrumentos de anel vermelho (…). (os de anel vermelho são de grão fino e são utilizados para acabamentos)

9. A preparação deve apresentar algumas características entre as quais a redução axial, etc.
a. O aumento exagerado da conicidade de uma preparação, vai dificultar a cimentação da restauração;
b. A retenção friccional da restauração deve ser capaz por si só de a manter em posição; (não depende apenas da retenção friccional)
c. Habitualmente em dentes que sofreram tratamentos periodontais, não é necessário dotar a preparação de meios adicionais de
retenção; (porque estes dentes já possuem alturas grandes)

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


d. A presença de sulcos de inserção em preparações demasiado cónicas, aumenta a possibilidade de movimentos da coroa ao
criar vários espaços de inserção. (diminui a possibilidade de movimentar a coroa uma vez que aumenta a retenção e estabilidade)

10. Sobre princípios biomecânicos, escolha a verdadeira:


a. A adesão do cimento não depende da sua projeção das irregularidades microscópicas;
b. Dentes inclinados oferecem maior dificuldade de preparação para obter uma forma de retenção e estabilidade, mas com
vantagem diminui o risco de exposição pulpar;
c. A determinação de 2 planos de inserção bem definidos é essencial para a retenção de uma PF funcional;
d. Quanto menor a redução axial, maior será a retenção. (Se ↑ redução axial então ↑ conicidade da nossa preparação e ↓ área de superfície → ↓
retenção)

11. Sobre princípios biomecânicos, escolha a verdadeira:


a. O bisel das cúspides funcionais deve ser executado após o polimento; (Nas cúspides funcionais,
antes de desgastar a parte externa da face, temos de fazer o bisel funcional para dar um volume maior na área
que é sujeita a muitas cargas oclusais. Só depois é que se faz o desgaste remanescente da vertente externa da
cúspide)
b. As cúspides não funcionais devem apresentar ângulos bem demarcados; (Devem ser
arredondados)
c. É essencial promover uma boa restauração final com sobrecontorno.

12. A estabilidade de uma restauração previne o deslocamento desta por forças de direção apico-oclusal. Assinale a afirmação correta:
a. Forças de direção apical atuantes dentro da superfície da preparação podem produzir efeito de alavanca; (Forças de direção apical,
atuando dentro da superfície da preparação não deslocam a restauração. Atuando FORA da superfície do preparo é que podem produzir efeito de alavanca)
b. Quanto maior o grau de conicidade menor a área de resistência ao deslocamento por linha tangente mais próxima ao plano
oclusal;
c. Força de direção oblíqua provoca uma boa compressão do cimento em toda a área da preparação; (Forças oblíquas → Tensão)
d. Duas restaurações de alturas diferentes em duas preparações com a mesma altura são mais estáveis a restaurações de maior
altura. (↓ altura da restauração → ↑ estabilidade)

13. A integridade marginal é um parâmetro fundamental para o sucesso de uma reabilitação fixa. Neste princípio biomecânico:
a. As margens devem ser sempre colocadas em zonas de difícil acesso com as cerdas da escova;
b. LAC biseladas são desaconselhadas porque apesar de permitirem melhor escoamento de cimento, a adaptação da restauração
é inferior; (Biselados diminuem o escoamento e melhoram a aderência)
c. O objetivo de qualquer restauração cimentada é apresentar uma boa adaptação com uma linha espessa de cimento marginal;
(A linha de cimento deve ser a mais fina possível)
d. Nenhuma das anteriores.

14. Para uma boa adaptação é preciso adaptar a LAC ao dente. Assim:
a. Segundo Auchtun uma LAC de 30° tem o dobro da desadaptação de uma LAC em ombro após conclusão da reabilitação;
b. Quanto menor a LAC de uma preparação, menor é a abertura marginal para o mesmo assentamento e assim maiores taxas de
sucesso; (É pior. A LAC não vai ser nítida e a sua impressão vai ser fraca fazendo com que a produção da restauração em laboratório não seja tão precisa)
c. Para o aumento do sucesso da restauração deve-se biselar a LAC para diminuir a discrepância da LAC; (O melhor é termos 90º)
d. Segundo Mitchau uma LAC de 5° tem metade da desadaptação de uma LAC em ombro após conclusão da reabilitação.

15. Tendo em mente as diferentes possibilidades de localização da LAC:


a. A altura e espessura da gengiva aderente não influenciam a escolha da utilização da LAC mas tem um papel fundamental na
escolha da técnica de afastamento gengival;
b. Em coroas clínicas curtas a LAC deve situar-se o mais infra gengival possível;
c. Os hábitos de higienização usados pelo paciente não influenciam a escolha. (Pacientes com má higiene não vamos colocar LAC Infragengival)

16. Sobre princípios biomecânicos:


a. Uma preparação de altura x apresenta maior retenção que uma preparação de altura 2x; (↑ altura de preparação ↑ retenção)
b. Uma preparação de diâmetro y apresenta maior retenção que uma preparação de diâmetro 2y; (↑ diâmetro da preparação ↑ retenção)
c. Uma preparação com paredes convergentes entre si e com ângulos de 2° apresenta maior retenção que preparações com
paredes convergentes entre si de 6°;
d. A existência de sulcos de inserção diminui significativamente a retenção. (Aumenta. É uma maneira de aumentarmos a retenção)

17. Sobre a visão direita e indireta da nossa preparação:


a. Deve-se avaliar a conicidade sempre com visão indireta; (Fora da boca podemos avaliar com visão direta)
b. Os pilares de uma ponte devem apresentar uma divergência de 20° a 30° entre si; (têm de ser paralelos)
c. Deve-se olhar com os dois olhos a cerca de 30 cm para a preparação; (1 olho)
d. Deve-se olhar com um olho entre 30 a 50 cm para a preparação.

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


18. Na consulta apresenta-se um paciente com indicação do 37 com reabilitação com coroa metalo-cerâmica. Aquando da preparação
verifica-se que a altura desta é muito reduzida devido a uma DVO diminuída. Perante este caso clínico:
a. Devemos adicionar sulcos verticais à preparação; (sulcos são um meio para aumentar a retenção em coroas baixas)
b. Desgastar seletivamente o oponente; (porque se o dente é pequeno não podes desgastar a totalidade do desgaste oclusal sem pores em causa a
polpa. Assim desgastas o oponente e tens o espaço que te falta para teres espessura suficiente na parte oclusal do outro para colocar a restauração)
c. Levar a LAC para apical; (LAC Infragengival é adequada para pessoas com alturas reduzidas da coroa)
d. Todas as anteriores.

19. Paciente 38 anos, fumador há 20 anos, boa higiene oral, coroa total cerâmica 11, fraturou, biótipo gengival grosso, gengiva aderente
alta, sondagem periodontal entre 2-3mm.
a. O prognóstico é desfavorável devido à condição periodontal; (não me parece que a condição periodontal seja tão má assim)
b. O prognóstico é favorável apesar de um biótipo gengival grosso; (o biótipo gengival grosso é bom para um prognóstico favorável)
c. Apesar do estado periodontal favorável espero encontrar hemorragia abundante ao afastamento gengival; (fumadores têm resposta
inflamatória baixa)
d. Nenhuma das anteriores.

20. Relativamente as diversas técnicas de impressão, assinale a correta:


a. Em PF, o modelo antagonista deve ser sempre confecionado a partir de silicone;
b. Misturas muito fluídas com alginatos tendem a incidência de bolhas nas impressões; (as bolhas podem ser devidas a má mistura do
alginato)
c. Idealmente em impressões definitivas com moldeira individual, o palato deve ficar bem impresso com silicone regular e … (o
palato não é uma zona que queiramos contemplar)
d. Em impressões de 2 tempos, o 1ºpasso do 2ºtempo, é a eliminação das retenções adquiridas no 1ºtempo.

21. Tendo em consideração as diferentes técnicas de afastamento gengival, é incorreto afirmar que:
a. A utilização de LASERS provoca pouca ou nenhum desconforto pós operatório e promove um aumento das complicações
intraoperatórias;
b. A eletrocirurgia tem como objetivo promover uma abertura ampla e instantânea do sulco e facilitar a impressão, sendo uma
técnica fácil e rápida;
c. O expasyl proporciona uma técnica de afastamento “hands-free”;
d. O magicfoamcord apresenta menor potencial traumático que os fios de afastamento gengival.

22. Ao efetuar impressões para uma coroa metalo-cerâmica em zona estética depara-se com a necessidade de colocar fio de afastamento.
Assinale as que correspondem a algumas etapas do procedimento que irá executar:
a. Anestesiar e aplicar fio com recurso a uma sonda periodontal. (colocar o fio não necessita de anestesia)
b. Anestesiar e aplicar fio com recurso a uma espátula de inserção.
c. Impregnar sempre o fio em hemostático e aplicá-lo com recurso a uma espátula de inserção (podemos usar fios não impregnados)
d. Nenhuma das anteriores.

23. Um bom afastamento gengival deve permitir que o material de impressão reproduza:
a. A linha termino da preparação devendo apresentar-se em aresta viva.

24. Na preparação de onlays:


a. Todas as paredes devem ser convergentes para oclusal, caso contrário seria impossível inserir a restauração; (No onlay temos
paredes convergentes (externas) e divergentes (internas))
b. O bisel funcional situa-se na vertente externa das cúspides funcionais e com 45° de inclinação e 1mm de espessura; (2,5mm no
pré clínico e 1,5mm na clínica)
c. Todas as paredes devem ser divergentes para oclusal, caso contrário seria impossível inserir a restauração;
d. Deve-se executar um bisel do ângulo cavosuperficial para restaurações metálicas, com broca em chama ou torpedo.

25. Na preparação de inlays e onlays em PPF:


a. Os ângulos internos devem ser sempre arredondados; (Em metais são ângulos agudos)
b. O fundo cavitário deve ser regular e perpendicular ao longo eixo do dente;
c. As paredes axiais devem ser convergentes para oclusal; (divergentes)
d. A largura do istmo deve ser sempre inferior a 1,5mm. (No caso dos metais é até 1/3 e no caso de cerâmicas/compósitos 1/2)

26. Refira qual dos seguintes fatores não influência a decisão do recobrimento das cúspides:
a. Material restaurador;
b. Cor do dente;
c. Largura dos istmos;
d. Tipo de dente.

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


27. Na preparação de uma coroa metálica de revestimento total:
a. Toda a redução axial é sempre feita com a mesma broca; (em proximal é feita com a broca cónica afilada)
b. A redução da face vestibular deve ser efetuada em dois planos: o 1º plano cervical proporciona o espaço necessário para o
material restaurador e o plano oclusal determina a trajetória de inserção da futura restauração; (A redução axial das cúspides funcionais
pode ser feita em 2 planos: oclusal e cervical. O plano cervical é responsável pelas características de retenção e estabilidade e o oclusal serve apenas para fazer
com que não haja sobrecontorno)
c. Deve efetuar-se sulcos de orientação com 1,5mm de espessura nas vertentes externas das cúspides funcionais;
d. Os sulcos de orientação na face lingual devem ter entre 0,8-1,2mm. (0,5mm)

28. Quando necessário, o sulco de inserção devera ser colocado:


a. Na face axial do lado trabalhante, na zona intercuspídea, ao nível da LAC;
b. Na face axial do lado não trabalhante na zona intercuspídea, ao nível da LAC;
c. Na face axial do lado não trabalhante na zona intercuspídea a 1mm da LAC;
d. Na face axial do lado trabalhante na zona intercuspídea a 1mm da LAC.

29. Na preparação de uma coroa metálica de revestimento total:


a. A LAC deverá ser em chanfro ou ombro biselado; (Arredondado)
b. A redução oclusal deve deixar cúspides bem demarcadas e o ângulo bem definidos entre as suas vertentes; (Não. Devemos fazer
bisel funcional e arredondamento desta parte. Para não provocar contactos prematuros e zonas de fratura)
c. Clinicamente a LAC não poderá situar-se a nível subgengival dado as condicionantes estéticas numa reabilitação total metálica;
d. A redução oclusal não tem dimensões constantes e invariavelmente é feita em função do dente antagonista e não do dente em
que está a ser.

30. Na preparação clínica de uma coroa de revestimento total com faceta estética:
a. A redução axial deve ser de 1,2 a 1,5mm em toda a extensão da preparação para dar espaço ao metal e ao revestimento
estético; (1,2mm na face vestibular e 0,8mm na face palatina/lingual)
b. A broca deverá ser utilizada sempre paralela ao longo eixo do dente; (Na redução oclusal não utilizamos a broca // ao longo eixo)
c. A utilização de guias de redução é um método válido para controlar o desgaste;
d. Os sulcos linguais de orientação devem ser sempre efetuados num único plano e os vestibulares em dois. (Se a face P/L for convexa
também podemos usar 2 planos)

31. A imagem ao lado representa uma preparação para uma coroa metálica de revestimento total com faceta estética num pré molar. Tendo
em conta a imagem assinale a correta:
a. Os valores de x estão situados entre 1-1,5mm; (0,8mm – face palatina/lingual)
b. Os valores de y estão situados entre 1,5-2mm; (1,2mm – face vestibular)
c. Os valores de y estão situados entre 0,8-1,5mm; (1,2mm – face vestibular)
d. Os valores de x são iguais aos valores de preparações para coroas metálicas de revestimento total.

32. Ainda em relação à imagem anteriormente apresentada:


a. O nº1 só pode representar a face mesial do dente
b. Tanto o nº1 como o nº2 podem representar a face mesial do dente
c. O nº2 só pode representar a face mesial do dente
d. Tanto o nº1 como o nº2 podem representar a face distal

33. A imagem anexa (a preto e branco), representa uma impressão definitiva da arcada inferior com recurso a uma moldeira individual. Assinale
a alínea correta acerca das características desta impressão:
a. Pode apresentar silicone putty visível nas superfícies vestibulares de dentes não preparados,
mas nunca nas superfícies oclusais.
b. Pode apresentar silicone putty visível nas superfícies vestibulares e oclusais de dentes não
preparados.
c. Pode apresentar silicone putty visível nas superfícies oclusais de dentes não preparados e
preparados.
d. Pode apresentar silicone putty visível nas superfícies oclusais de dentes não preparados, mas
nunca nas superfícies vestibulares.
e. Nenhuma das anteriores está correta. (Moldeira individual não tem putty)

34. No que concerne à espessura do grão de brocas tronco-cónicas diamantadas de ponta arredondada:
a. As de anel azul apresentam menor espessura de grão do que as sem anel. (sem anel = azuis)
b. As sem anel apresentam maior espessura de grão do que as de anel vermelho.
c. As de anel laranja apresentam menor espessura de grão que as de anel preto. (não existe anel laranja)
d. As de anel rosa apresentam maior espessura de grão que as de anel azul. (as anel rosa são abrasivos e não brocas tronco cónicas)

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


e. As de anel branco apresentam maior espessura de grão do que as de anel amarelo. (as anel branco apresentam menos espessura de grão
que as amarelas)

35. Na preparação clínica de um primeiro molar inferior para reabilitação com coroa total metálica com faceta estética, deverá assegurar-
se que:
a. A linha de acabamento deve situar-se 1mm acima da JAC; (NuNcA dIzEr IsTo)
b. A parede vestibular apresenta, normalmente, dois planos para assegurar uma espessura constante de material restaurador;
c. A utilização de um sulco de inserção tem normalmente como principais funções impedir a rotação da restauração e aumentar
a estabilidade;
d. A LAC deve ser biselada para melhorar a adaptação da restauração;
e. Todas as anteriores estão corretas.

36. Se a imagem anexa (a preto e branco) representar uma impressão feita com moldeira individualizada,
assinale a alínea correta acerca das suas características.
a. Nunca deve apresentar silicone putty visível em nenhuma superfície. (putty NUNCA visível, deve
ser recoberto por silicone de menor viscosidade em todo o lado)
b. Pode pontualmente apresentar silicone putty visível nas superfícies vestibulares de dentes
preparados, mas nunca nas superfícies oclusais.
c. Pode pontualmente apresentar silicone putty visível nas superfícies vestibulares de dentes não preparados, mas nunca nas
superfícies oclusais.
d. Pode apresentar silicone putty visível nas superfícies em todos os dentes preparados.
e. Pode pontualmente apresentar silicone putty visível nas superfícies oclusais de dentes não preparados, mas nunca nas
superfícies vestibulares.

37. A imagem representa esquematicamente duas preparações iguais com duas


restaurações diferentes. Em relação a estas é possível afirmar que:
a. A preparação (a) é significativamente menos retentiva que a (b).
b. A restauração (a) é mais estável que a restauração (b).
c. A preparação (a) é significativamente mais retentiva que a (b).
d. A restauração (a) é mais resistente ao deslocamento que a (b).
e. A restauração (a) sofre maior ação das forças de alavanca que a (b).

38. Tendo por base a imagem anexa representativa da perda de estrutura por lesão de
cárie num molar inferior vital (cavidade delimitada a vermelho), analise as informações
disponíveis sobre o remanescente dentário e, sabendo que este valor se mantém
constantes na extensão mesiodistal e vestíbulo-lingual, indique o plano de tratamento
que considera mais adequado.
a. Restauração indireta to tipo inlay próximo-oclusal.
b. Restauração direta sem recobrimento cuspídeo.
c. Restauração indireta do tipo onlay com recobrimento cuspídeo vestibular.
d. Restauração indireta do tipo coroa de revestimento total.
e. Restauração direta com recobrimento cuspídeo total.

39. Numa impressão definitiva com moldeira individualizada, ao verificar erros na impressão de uma linha de acabamento, mas tendo a
restante impressão qualidade muito boa, deve:
a. Acrescentar silicone extra-light somente na zona problemática e voltar a inserir a moldeira. (silicone não cola em cima de silicone)
b. Acrescentar silicone extra-light em todas as faces oclusais e voltar a inserir a moldeira.
c. Acrescentar silicone light sobre a impressão, extra-light na zona problemática e voltar a inserir a moldeira.
d. Remover o silicone regular e light até ficar somente com silicone putty e repetir a impressão.
e. Nenhuma das anteriores está correta. (a melhor forma de melhorar uma impressão é repeti-la!)

40. Tendo em atenção a imagem anexa, correspondente a uma preparação efetuada num primeiro molar inferior de um paciente para
reabilitação com uma coroa total cerâmica, qual o problema clínico que espera encontrar no dia da cimentação da coroa proveniente
do laboratório?
a. Não será possível inserir e adaptar a coroa.
b. Haverá uma acentuada desadaptação entre a coroa e a preparação, provocando uma espessura de
cimento desadequada.
c. O assentamento estará impossibilitado devido à falta de sulcos de inserção.
d. Não haverá qualquer problema clínico na adaptação da coroa.
e. Todas as anteriores estão corretas.

41. Indicações para restaurações com coroa metalo-cerâmica de revestimento total são:
Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa
a. Reabilitação de dentes vitais com cárie ativa confinadas à face oclusal;
b. Correção do contorno axial e pequenas inclinações ou rotações;
c. Reabilitação de dentes posteriores jovens com câmaras pulpares amplas. (porque vamos fazer um grande desgaste da estrutura dentária)

42. Na preparação de uma coroa metalo-cerâmica para dentes posteriores, é necessário ter em conta que:
a. O uso de cerâmica nas faces oclusais possibilita um menor desgaste destas aquando da preparação dentária;
b. A utilização de cerâmica na face oclusal aumenta os fenómenos de atrição;
c. Devem efetuar-se sulcos de orientação na face oclusal com 1,5mm nas cúspides funcionais e 1mm nas cúspides não funcionais;
d. Esta é constituída por um coping ou coifa cerâmica que recobre o metal.

43. Tendo por base a imagem anexa representativa da perda de estrutura num molar inferior
endodonciado (cavidade delimitada a vermelho), analise as informações disponíveis sobre o
remanescente dentário e, sabendo que estes valores se mantêm constantes na extensão
mesiodistal e vestíbulo-lingual, indique o plano de tratamento que considera mais adequado.
a. Inlay próximo-oclusal.
b. Restauração direta sem necessidade de preparação adicional do dente.
c. Coroa de revestimento total.
d. Onlay com recobrimento cuspídeo nas cúspides funcionais. (porque endodonciado)
e. Onlay sem necessidade de recobrimento cuspídeo.

44. Tendo em mente os princípios gerais de preparação dentária:


a. Na preparação de coroas de revestimento total, a convergência oclusal de 6° deve ser dada inclinando o eixo da broca
troncocónica em cerca de 3° em cada parede; (broca sempre paralela ao longo eixo do dente, e NÃO MEXE. Porque a broca já possui 3º em cada
lado)
b. A redução axial deve ser feita com pequenos movimentos de vaivém para diminuir as irregularidades inerentes ao desgaste;
c. Nas preparações feitas em boca, deve-se procurar um ponto de apoio sobre tecidos moles, de preferência nos lábios do
paciente;
d. Nenhuma das anteriores esta correta.

45. Indicações da PF:


a. Quando unitária, impede a mobilidade do dente;
b. Para Ferulização;
c. Permitir a formação de papilas;
d. Todas corretas.

46. Sobre onlays, overlays e vonlays:


a. Onlay: para recobrimento de cúspides parcial ou total;
b. Overlay: para recobrimento de cúspides parcial ou total;
c. Vonlay: restauração intracoronária que reveste a face vestibular;
d. Todas corretas.

47. Tipos de LAC: havia 3 imagens (acho que de ombro arredondado, em chanfro e com ombro biselado). 2 perguntas em que comparavam as LACs tendo
em conta maior conservação de estrutura, maior variedade de materiais restauradores que podem ser utilizados, melhor ou pior
escoamento do cimento.

Maior conservação de estrutura: Chanfro

Maior variedade de materiais restauradores: Chanfro → Todo o tipo de restauração; Ombro arredondado → coras cerâmicas totais; Ombro
biselado → coroas metalocerâmicas.

Escoamento do cimento: Chanfro > Ombro arredondado > Ombro biselado.

48. Que broca utilizaria para realizar uma LAC em chanfro?


a. XXX XXX XXX XXX 005
b. XXX XXX XXX XXX 006
c. XXX XXX XXX XXX 012
d. XXX XXX XXX XXX 021

49. Para a redução axial numa coroa metalo-cerâmica, que broca utilizaria?
a. Broca com risca vermelha;
b. Broca com risca preta;
c. Broca sem risca;
d. Nenhuma das anteriores.
Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa
50. Instrumentos rotatórios:
a. As brocas de FG são utilizadas para fazer o polimento; (turbina – corta mais, polimento é que não é de certeza)
b. As brocas de CA podem ser utilizadas em peça de mão;
c. Os instrumentos de fricção…
d. Nenhuma das anteriores.

51. Expa-syl:
a. A cânula deve entrar no sulco para melhorar a colocação da pasta; (apenas a pasta deve entrar no sulco)
b. É preciso que o sulco gengival esteja húmido para colocarmos o Expa-syl;
c. Devemos aguardar 1 minuto para gengivas de biótipo grosso e 2 minutos para gengivas de biótipo fino.

52. Tendo em consideração as diferentes técnicas de afastamento gengival, é correto afirmar que:
a. A utilização de LASERS provoca pouca ou nenhum desconforto pós-operatório e promove um aumento das complicações intra-
operatórias;
b. O MagicFoamCord apresenta menor potencial traumático que os fios de afastamento gengival;
c. A técnica a 1 fio é mais fácil de executar mas é menos eficiente;
d. Devemos anestesiar antes da colocação do fio de afastamento gengival para evitar que o doente sinta dor.

53. Em relação às brocas diamantadas de menor diâmetro:


a. Produzem superfícies suaves e finas;
b. Permitem um melhor controlo do desgaste;
c. Devem ser utilizadas no desgaste das faces proximais inicial.

54. Na utilização clínica de silicones de adição é correto afirmar que:


a. Não deverão ser manuseados com luvas calçadas, sempre que estas lhes toquem; (pode ser misturado com luvas de vinil ou latéx lavadas
com sabão e água. Mas o mais indicado é mesmo usar sem luvas, contudo não é a única opção)
b. Silicones putty não deverão ser misturados de luvas calçadas;
c. Silicones de consistência fluida devem imprimir as superfícies dentárias que necessitam de maior detalhe;
d. Silicone putty poderá estar visível nas superfícies gengivais numa impressão com moldeira individualizada, mas nunca nas
superfícies oclusais;
e. Todas as anteriores estão corretas.

55. Na utilização clínica de silicones de adição é correto afirmar que:


a. Deveram ser sempre utilizados em técnicas a um só tempo; (se for numa moldeira standard tem de ser em 2 tempos)
b. Silicone putty não deverá estar visível nas superfícies oclusais numa impressão pela técnica de dupla impressão;
c. Silicones putty não deverão ser misturados de luvas calçadas;
d. Silicones de consistência extra-light devem cobrir todas as superfícies dentárias na impressão; (os extra light devem cobrir o dente a
preparar NA CAVIDADE ORAL)
e. Não poderão ser manuseados com luvas calçadas.

56. Na preparação dentária para restaurações indiretas aderidas:


a. A espessura do desgaste deve ser igual à espessura necessária de material restaurador;
b. A quantidade de desgaste dentário não poderá ser inferior à necessária para o material restaurador;
c. Alguns dentes podem ser reabilitados sem qualquer desgaste superficial;
d. Os ângulos cavo-superficiais da preparação não devem ser arredondados; (podem ser nas cerâmicas)
e. Todas as anteriores estão corretas.

57. No que concerne à preparação clínica de um pré-molar superior para coroa total cerâmica, assinale a alínea correta:
a. A redução oclusal da cúspide palatina deverá ser maior que a da cúspide vestibular.
b. O bisel funcional situa-se na cúspide palatina, com 45º de angulação.
c. A linha de acabamento poderá ser em chanfro ou ombro arredondado, devendo localizar-se 1mm acima da JAC.
d. A face vestibular deve ser sempre reduzida em dois planos.
e. Todas as anteriores estão corretas.

58. No que concerne aos tipos de instrumentos rotativos de corte:


a. Instrumentos de contrângulo são utilizáveis em peça de mão. (têm o mesmo diâmetro mas a parte do rabo não é igual)
b. Instrumentos FG podem apresentar hastes com comprimento de 44,5mm ou 22mm. (19 ou 16mm)
c. Instrumentos para peça de mão apresentam diâmetro de mandril e comprimento maiores que instrumentos para contrângulo.
(instrumentos de PM podem apresentar = diâmetro que os de CA mas apresentam comprimento maior [44,5 PM e 22 no CA]
d. Todos os instrumentos de turbina têm hastes calibradas com o mesmo comprimento. (19 ou 16mm)
e. Nenhuma das anteriores está correta.

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


59. Na preparação dentária do dente 36 para uma restauração aderida do tipo onlay com recobrimento cuspídeo:
a. A redução cuspídea deverá ser o primeiro passo a efetuar, imediatamente após o isolamento absoluto.
b. O isolamento absoluto é dispensável na consulta de preparação.
c. O jateamento dentinário com óxido de alumínio aumenta a previsibilidade da restauração.
d. Toda a redução dentária deverá ser efetuada com isolamento absoluto colocado.
e. Nenhuma das anteriores está correta.

60. Na sua consulta apresenta-se um paciente com fratura da cúspide disto-lingual do dente 46. Após observação, conclui que este dente
está corretamente endodonciado e apresenta uma restauração OD muito extensa em amálgama. Assim, decide preparar o dente para
colocação de um onlay cerâmico com recobrimento cuspídeo total. Durante a preparação deste dente:
a. A linha de acabamento da redução cuspídea vestibular deve situar-se ao nível do pavimento da cavidade oclusal.
b. Não executa bisel cavosuperficial.
c. A caixa interproximal mesial deve apresentar a mesma inclinação que a caixa interproximal distal.
d. A caixa interproximal mesial deve apresentar o mesmo diâmetro que a caixa interproximal distal.
e. Todas as anteriores estão corretas.

61. Na utilização do Expa-syl®, é necessário seguir algumas diretrizes. Neste âmbito, assinale a alínea correta.
a. Nenhuma das anteriores está correta.
b. Após inserção do produto é necessário aguardar 1 minuto em gengivas com biótipo grosso e 2 minutos em gengivas com biótipo
fino.
c. O sulco deve estar húmido para diminuir a tensão superficial e, assim, melhorar a difusão do material.
d. Durante a aplicação, metade da cânula deve estar apoiada na LAC para que o material seja então depositado no sulco.
e. O material deve ser removido do sulco com jato de ar.

62. Na preparação de um primeiro molar inferior para coroa total metalo-cerâmica num paciente com 43 anos:
a. O bisel funcional deverá ser feito nas cúspides línguas, com 45º de angulação para lingual.
b. O bisel funcional deverá ser feito nas cúspides línguas, com 45º de angulação para vestibular.
c. O bisel funcional deverá ser feito nas cúspides vestibulares, com 45º de angulação para vestibular. (com inclinação das cúspides
antagonistas)
d. O bisel funcional deverá ser feito nas cúspides vestibulares, com 45º de angulação para lingual. (com inclinação das cúspides
antagonistas)
e. Nenhuma das anteriores está correta.

63. Quando colocamos sulcos para aumentar a estabilidade/retenção? Estas devem ser em nº par ou ímpar? Realizadas nas cúspides
funcionais ou não funcionais, ou ambas?

Podem ser em número ímpar. Realizado nas cúspides funcionais (onde há maior carga oclusal).

64. Associe a viscosidade à contração de polimerização, detalhe e molhabilidade.

> Viscosidade → > Carga → < Contração

> Viscosidade → < Detalhes

> Molhabilidade → > Detalhes

65. Qual o objetivo do cimento na interface? Resiste a que forças?

Registe a forças de tração e compressão. Ajuda a aumentar a resistência de fricção, diminuindo o deslizamento entre o dente e a preparação.

66. O bisel facilita o que? Qual a sua desvantagem?

Facilita a adaptação mas é pior para o escoamento.

67. Em que situações podemos ter conicidade de 10º?

Nunca.

68. Como é que devem ser os movimentos de desgaste?


a. Movimentos vai vem;
b. Movimentos contínuos e únicos.

69. O polimento deve ser feito com instrumentos com alta rotação ou baixa?

Baixa.

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa


70. O reforço estrutural é dado com:
a. Degrau
b. Sulcos
c. Canaletas
d. Todos

71. Localização da LAC:


a. Sempre supra gengival
b. Sempre infra gengival
c. A 1mm da JAC
d. Todas certas
e. Todas erradas

72. Qual a diferença entre o fio de afastamento gengival e o de retração gengival?

Retração gengival → químico mecânico (impregnado com substância química).

Afastamento → mecânico.

73. A avaliação do plano de inserção é fundamental para o sucesso clínico das preparações. Deste modo:
a. Aquando da utilização de um espelho, este deve estar ligeiramente afastado dos dentes;
b. A avaliação tem particular preponderância em casos de pontes;
c. Todas as anteriores estão corretas;
d. A avaliação deve ser sempre executada com um só olho aberto;
e. A avaliação pode ser executada com a ajuda de um espelho intraoral sempre que visão direta não seja possível.

Beatriz Ornelas | 3º Ano | 2021-2022 | Exame Janeiro Prótese Fixa

Você também pode gostar