Você está na página 1de 3

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP

Cursos de aprendizagem
V i v e r e m P o r t u g u ê s – 6 6 5 6 – M u d a n ç a s p r o fi s s i o n a i s e m e r c a d o d e t r a b a l h o

1. Leia os documentos apresentados.

Documento 1
Profissões e formação: hoje e amanhã
Até há pouco tempo, media-se o sucesso de uma carreira pelo tempo em que
se permanecia empregado numa organização ou empresa. Entrar numa empresa como
ajudante e reformar-se como diretor seria um exemplo de sucesso até há quinze ou
dez anos atrás. Aliás, não era raro acontecerem percursos destes. A estabilidade de um
emprego ou de um ofício para a vida toda era a condição mais desejada pelas pessoas.
Com o passar do tempo, muita coisa mudou. A globalização – que aconteceu no
final do século XX – e as rápidas inovações tecnológicas levaram à abertura do
mercado, a uma concorrência cada vez mais feroz, à busca pela excelência, a uma
maior exigência de qualificação, a melhorias contínuas, à eliminação de postos de
trabalho, a carreiras mais instáveis, a garantias menores de emprego e a uma maior
oferta de trabalhos temporários. Dessa forma, um emprego para toda a vida parece
ser hoje uma coisa do passado.
Esse panorama faz com que as pessoas desistam de procurar empregos
tradicionais e procurem alternativas de trabalhos que possam ser realizados de acordo
com a sua formação ou não (algumas pessoas mudam completamente de área). Mais
importante que o emprego em si é a empregabilidade, isto é, a capacidade em manter
uma ocupação remunerada. Para isso, as pessoas precisam manter-se atualizadas e
procurar formação constante, a fim de aumentarem as suas competências, passarem a
saber fazer mais coisas. E isto não quer dizer que as pessoas são obrigadas a investir
muito dinheiro em cursos, pois há outras opções de aprendizagem (leituras, internet,
cursos e palestras gratuitos, encontros e conversas com quem já atua na área, etc.).
Vivemos na “Era da Informação” ou “Era do Conhecimento” e não é à toa... Dessa
forma, a tendência maior é ser um generalista (procurar “saber um pouco de tudo”) e
não um especialista que, muitas vezes, não consegue ter visão de conjunto. Enfim, o
indivíduo deve ser autodidata e estar recetivo a novos conhecimentos; além de ser
assertivo, criativo e flexível. Parece uma realidade bastante cruel, mas não é melhor e
nem pior do que noutros momentos da História.
Autor desconhecido (adaptado)
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP
Cursos de aprendizagem
V i v e r e m P o r t u g u ê s – 6 6 5 6 – M u d a n ç a s p r o fi s s i o n a i s e m e r c a d o d e t r a b a l h o

Documento 2
O perfil do profissional de hoje
Hoje, os profissionais, independentemente das áreas onde eles atuem:
médicos, dentistas, vendedores, jardineiros, professores, jogadores de futebol,
administradores de empresas, mecânicos, cozinheiros, advogados, devem a todo o
momento, desenvolver as suas competências, visando a plena capacitação profissional,
num mundo altamente competitivo e qualificado onde todos devemos estar
preparados para prestar serviços nas nossas empresas, com qualidade, eficiência e
produtividade.
Com o rápido avanço da tecnologia, muitas máquinas e equipamentos
utilizados para a produção, existentes nas empresas, possuem sofisticados sistemas de
computadores e da robótica, que exigem operadores conhecedores de informática e
do inglês básico. Perdoem-me os prezados leitores e não vai aí nenhuma crítica, muito
menos qualquer comentário que envolva a qualidade de vida das pessoas, mas, muitas
vezes, na nossa vida, não aproveitamos adequadamente o nosso tempo disponível
para aplicá-lo no nosso desenvolvimento e crescimento profissional. Muitas vezes
saímos dos nossos trabalhos e poderíamos perfeitamente aproveitar este tempo para
investir em nós mesmos, permitindo aumentar a cada dia, o nosso conhecimento e,
mais importante, aplicar esse conhecimento no trabalho ou a favor da comunidade
onde atuamos. Infelizmente, em muitos casos, não é o que acontece. Hoje, fala-se
muito em trabalhos voluntários junto às escolas e entidades filantrópicas. Talvez seja
uma oportunidade de transferirmos os nossos conhecimentos para outras pessoas,
carentes e interessadas em aprender algo de novo. Por outro lado, cabe também às
empresas investir em formações e na educação para os seus funcionários. Hoje, o
profissional deverá possuir algumas características básicas: ser proativo, ser
generalista, ser flexível, estar propenso a mudanças, entre outras coisas. O que era
bom ontem, hoje já não é tão bom e amanhã, com certeza, tornar-se-á ultrapassado.

Autor desconhecido (adaptado)


INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP
Cursos de aprendizagem
V i v e r e m P o r t u g u ê s – 6 6 5 6 – M u d a n ç a s p r o fi s s i o n a i s e m e r c a d o d e t r a b a l h o

1.1. Dos textos que leu, explique o que mudou no mundo profissional relativamente ao
passado.

1.2. Apresente algumas inovações e mudanças na sociedade que, na sua opinião,


podem explicar essas mudanças.

1.3. Apresente o que pode fazer um trabalhador na atualidade para manter a sua
empregabilidade.

Bom trabalho 😊

Você também pode gostar