Você está na página 1de 17

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO DESPORTO


EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO
EPIDEMIOLOGIA

Estudo caso-controle

Rio Branco - AC
2019
Componentes:
Alexandre Lima
Alexsandra Lima
Daniel Batista
Isabel Cristina
João Lucas Matos
João Pedro
Raidesson oliveira
Ricla Souza
Taíris Ribeiro
Estudo caso-controle
• O estudo caso-controle é um estudo
epidemiológico observacional, longitudinal,
geralmente retrospectivo, analítico, em que
um grupo de casos, I.e., indivíduos com a
doença, é comparado, quanto a exposição a
um ou mais fatores, a grupo de indivíduos
semelhante ao grupo de casos, chamado de
controle (sem a doença).
Desenho básico

E
Casos
NE

E
Controles
NE
Passos para a elaboração de um
estudo caso-controle
• 1) Selecionar uma amostra de uma
população de pessoas com a doença (casos)
• 2) Selecionar uma amostra de uma
população sob risco sem doença (controles)
• 3) Medir (em geral, não diretamente) as
variáveis preditoras
Vantagens de estudo
caso-controle
• Eficiente em doenças raras;
• Útil para gerar hipóteses sobre novas
doenças ou surtos não usuais (pois é útil
para examinar um grande número de
variáveis preditoras);
• Relativamente barato.
Desvantagens do estudo
caso-controle
• Não há com se estimar risco ou incidência
diretamente; estima-se o Odds-ratio.
• Somente um desfecho pode ser analisado;
• Grande susceptibilidade a vieses:
– Especialmente viés de seleção, amostragem
diferencial entre casos e controles;
– Vies de informação (memória) ou medida
retrospectiva das variáveis preditoras
Como controlar o viés de
seleção?
• 1) Casos e controles deveriam ser
amostrados de uma mesma fonte, e
utilizando-se a mesma técnica.
• 2) Pareamento:
– é um método simples para tornar os casos e os
controles comparáveis com respeito a fatores
constitucionais importantes (idade, sexo, raça).
Como controlar o viés de
seleção?
• 3) Usar dois ou mais grupos controles:
– esses grupos controles podem ser selecionados
de maneiras distintas.
• 4) Usar uma amostra baseada em uma
população:
– casos e controles são selecionados da mesma
população.
Como controlar os vieses de
informação?
• 1) Utilização de dados registrados antes da
ocorrência do desfecho;
• 2) Cegamento: o cegamento pode ocorrer nos
indivíduos estudados (casos ou controles) em
relação ao seu status do desfecho e em relação ao
fator de exposição em estudo; ou pode ocorrer nos
observadores em relação ao status do desfecho e
em relação ao fator de exposição.
Estudo caso-controle aninhado a
uma coorte
• Estes tipos de estudo são chamados também
de estudos híbridos, porque integram
características de estudos de coorte e de
estudos caso-controle.
• Há basicamente dois tipos de estudos de
caso-controle aninhados:
– 1) caso-controle aninhado a uma coorte
propriamente dito;
– 2) caso-coorte.
Caso-controle aninhado a uma
coorte
• Neste tipo de desenho, os casos, à medida
em que forem aparecendo, são comparados
a um ou mais controles (não-casos)
selecionados no momento do diagnóstico do
caso.
• Nem todos os indivíduos originalmente
selecionados para a coorte serão avaliados.
Estudo caso-coorte
• Neste tipo de desenho, a seleção de controles é
feita através de uma amostragem aleatória da
coorte inicial, o que permitiria que alguns casos
pudessem fazer parte do grupo dos casos e dos
controles simultaneamente.
• Uma vantagem importante deste tipo de desenho é
que permite estimativas de fatores de risco e de
taxas de prevalência para as estimativas de risco
atribuível.
Análise em um estudo
caso-controle
• Cálculo do Odds-ratio:
AD
– OR =
BC

• Análise estratificada para o controle do


confundimento:
Σ ai di / Ti
– ORM-H =
Σ bi c i / T i
Exemplo de um estudo caso
controle
• Um estudo caso controle aninhado a uma
coorte, para estudar a associação entre
câncer de pulmão e exposição a asbesto,
baseado em uma coorte de 1.261 homens
brancos, trabalhadores em uma indústria
têxtil (Dement et al. 1983).
• Os casos foram 35, no período entre 1940 e
1975.
Um exemplo de estudo
caso-controle
• Toda a informação sobre a exposição foi
coletada prospectivamente.
• Os controles foram selecionados por
densidade de incidência pareando-se por
idade sob risco.
• Devido ao pequeno número de casos
utilizou-se uma razão de 4:1 entre controles
e casos.
Um exemplo de estudo
caso-controle
• Análise dos resultados:
– A exposição entre casos e controles foi medida
na base da exposição igual ou maior do que
10.000 fibras de asbesto/cc X dias, em
comparação a exposição menor do que aquela
medida. D C
E+ 20 48 OR = ?
E- 15 92

Você também pode gostar