Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - ULBRA

ANÁLISE INSTITUCIONAL

Trabalho Acadêmico da disciplina de Estágio em Serviço Social I

Professor(a) Orientador(a): Ilamar Dias da Silva

Aluno(a): Eliene Magna

Pará
Novembro de 2012
BREVE HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO

A SEMDAS- Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social, é


órgão municipal responsável pela execução da Política Nacional de Assistência
Social. Historicamente a Instituição já passou por diversos períodos históricos,
que acompanham os ciclos econômicos registrados na região. Enquanto
Instituição de Assistência Social já posssuiu nomenclaturas diferenciadas, a
saber: Antes da Constituição de 1988, a Instituição era conduzida ainda por
ações da LBA; Centro Social Urbano, na década de 80 e meados de 90,
SEMTEPS-Secretaria Municipal de Trabalho e Promoção Social, nos anos 90
até 2006, e SEMDAS-Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assist~ência
Social, pensada, a partir do advento da LOAS-Lei Orgânica de Assistência
Social e da PNAS-2004-Política Nacional de Assistência Social. Atualmente, a
Instituição tem uma Lei que criou a SEMDAS, que é regida pela Política
Nacional de Assistência Social, e com a visão das demais políticas setorias no
contexto da rede de proteção social.Registra-se que desde os primórdios da
Instituição nos anos 80, quando era chamada de Centro Social Urbano, sob a
gestão do Governo do Estado, a Instituição sempre teve em seu quadro o
profissional de Serviço Social.

ASPECTOS FORMAIS DA ORGANIZAÇÃO

Nome da Organização: Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência


Social

Endereço Completo: Av. Transamazônica. Nº 583. Bairro Bela Vista

Diretor / Gerente / Responsável:UZALDA DE MIRANDA-Secretária


Municipal de Desenvovlimento e Assistência Social.

Missão: Garantir os direitos sociais dos usuários da assistência social e sua


família, promover o desenvolvimento pessoal e comunitário com o consequente
resgate da autoestima, a identificação e desenvolvimento de potencialidades e
capacidades bem como a promoção da inserção e participação social

Visão: Almeja desenvolver ambintes famailiares mais saudáveis, garantindo o


acesso a direitos sociais das famílias e seus membros.
Diretrizes e/ou Políticas: Execução da Política Nacional de Assistência Social

Objetivo Geral: Promover a execução da Política Nacional de


Assistência Social no município de Itaituba.

-Prover serviços, programas, projetos e benefícios de


Objetivos proteção social básica e, ou, especial para famílias,
Específicos: indivíduos e grupos que deles necessitarem;
-Contribuir com a inclusão e a equidade dos usuários e
grupos específicos; ampliando o acesso aos bens e
serviços socioassistenciais básicos e especiais, em
áreas urbana e rural;
-assegurar que as ações no âmbito da assistência social
tenham centralidade na família, e que garantam a
convivência familiar e comunitária.

Política(s) Social(s) que se SUS-Sistema único de Saúde, Política do Idoso,


relaciona: Política Nacional de Habitação,Política Nacional
de Enfrentamento a violência contra a mulher,)
Estatutos ( Estatuto da criança e do adolescente,
Estatuto do Idoso) ; Benefício de Prestação
Continuada, e Previdência Social.
Público Alvo/Atendido: As famílias e seus membros ( gestante,ascrianças,
adolescentes, idosos , as mulheres, homens, jovens

PROTEÇÃO BÁSICA: Programa de Atenção Integral


Programas e Projetos que a Família –PAIF, estão referenciadas cerca 1.0
desenvolve: 00 famílias, distribuídas nos demais serviços da
proteção básica:
Projovem adolescente: 600 adolescentes
Serviço de Convivência e Fortalecimento de Víncu
los para idoso: 700 idosos inscritos.
PETI-Programa de Erradicação do Trabalho Infa
ntil: cerca de 210 crianças
Programa de Transferência de renda municipal: 600
famílias beneficiárias.
Programa Bolsa Família: Cerca de 11.000 famíl
ias beneficiária;
Atendimento diário: cerca de 200 pessoas pass
am pelo serviço de acolhimnto diariamente, solicit
ando da instituição diversos serviços, dentre eles:
BPC, Benefícios eventuais, encaminhamento para
outras políticas setoriais;
PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL:
Compreende dos serviços do PAEF-Programa de
atenção especial a famílias, que tiveram seus direi
tos violados.
PETI-Programa de Erradicação do Trabalho Infantil:
cerca de 210 crianças;
Centro de Referência Maria do Pará, aten
de mulheres em situação de violência;
Casa de acolhimento provisório para crianças e
adolescentes: capacidade par atender 24 crianças e
adolescentes
Casa de Passagem: capacidade para atender 20
ususários.
Acompanhamento aos jovens em situação de
liberdade assistida, prestação de serviços a
comunidade.

Principais fontes de Fundo Municipal de Assistência Social


financiamento:
Recursos provenientes do Governo Federal

Prêmios que recebeu e porque: Não dispõe de registro de premiação

Estrutura hierárquica da Instituição:


Identificação do(a) Cargo ocupado Tipo de Vínculo
profissional
Uzalda de Miranda Secretária Municipal Efetivo
Josimar dos Santos Diretor Administrativo Comissionado
Fátima Silva Diretora de Comissionado
Assistência Social
Fátima Rosa Diretora de Habitação Comissionado
Gilson Félix Coordenador do Comissionado
Programa Bolsa
Família
ASPECTOS INFORMAIS NA INSTITUIÇÃO

IDENTIFICAÇÃO DE ALGUMAS PRÁTICAS NA INSTITUIÇÃO

Planejamento do cotidiano de trabalho- O planejamento na instituição ocorre a


partir das seguintes estratégias:

a) reunião com as equipes responsáveis pelos programas e serviços, com o


objetivo planejar as atividades mensais, e posterior avaliação dos
resultados;

b) Planejamento a partir da escuta de interesses dos usuários;

c) Reuniões de avaliação

d) Planejamento ds ações no âmbito do Conselho de Assistência


Social.

As demandas –

Demandas institucionais: Do Assistente Social é solicitado que o mesmo esteja


sempre acompanhando a operacionalização dos programas, serviços da
insituição; resposta , resolutividade as expressões da questão social
identificadas na instituição.

Demandas da população usuária: acesso ao BPC, benefícios eventuais,


receber orientações referentes a outras políticas setoriais, ser encaminhado para
a rede de serviços, solicita acompanhamento de membros da família, busca
atendimento psicossocial.

As ofertas- Com referência a oferta, a Instituição está aberta ao atendimento ,


tanto pelo período da manhã como pelo período da tarde, dispõe dos programas
, serviços e ações no campo da poteção básica e proteção especial. A oferta
está compatível com a demanda que se apresenta diariamente na Insituição.

Práticas Instituintes --Planejamento das ações nos serviços ofertados;

Reuniões: É uma prática quase que diária na instituição, no diversos programas


desenvolvidos;

-Projetos: Estão inseridos em todas as ações desenvolvidas

-Encaminhamentos/: Instrumentos importantes para articulação com a rede


socioassistencial de serviços;

-Visitas domiciliares: Prática bastante exercida no processo de trabalho da


instituição;

Atravessamentos/dificultadores – Consideramos como atravessamento e


dificuldade, um fator relacionado a visão equivocada da assistência social, são
práticas antigas que ainda permeiam a execução da Política Pública, que o
assistencialismo, clientelismo, percebido não somente entre os usuários, como
também entre a equipe de trabalhadores da assistência social;

Outro fator é a ampliação dos espaços institucionais para atender as demandas


que se apresentam

Facilitadores e Possibilidades – Consideramos o trabalho interdisciplinar como


facilitador das ações , uma vez que os saberes de cada profissão, contribuem
para a qualidade dos serviços ofertados;

Outro fator ou possibilidade, é que para programa da instituição existe um


profissionl de Serviço Social, fator que gera novas possibilidades de melhoria e
acesso dos usuários aos direitos garantidos.

BIBLIOGRAFIAS CONSULTADAS

-BRASIL, Constituição Federal (1988) Constituição da Republica Federativa do


Brasil, Brasília: Senado, 1988.
-BRASIL, Lei Nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do
Idoso e das outras providencias.

-BRASIL, Lei Organica de Assistencia Social - LOAS

-BRASIL, Politica Nacional de Assistencia Social – PNAS/2004.

- Processo de trabalho no Serviço Social/Arno Vorpagel. Canoas.Editora Ulbra.


2010

Você também pode gostar