Você está na página 1de 13

A NOVA ERA DAS DEMOLIÇÕES

NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO


O CORREDOR EXPRESSO
TRANSCARIOCA
E AS REMOÇÕES NA GRANDE
MADUREIRA

Maria de Lourdes Pinto Machado Costa (PPGAU-UFF)


Josielle Cíntia de Souza Rocha (PPGAU-UFF)
Ricardo Ferreira Lopes (DPRTAU-UFJF)
INTRODUÇÃO
- A cidade não é estática, mas um fenômeno
em constante transformação;
- Durante as últimas décadas, muito tem se
discutido e investigado sobre as
transformações dos espaços das urbes;
- Destas transformações, pautadas na agenda
de discussões sobre GPUs, emergem debates
sobre a implantação de grandes obras de
infraestrutura (mobilidade urbana)
- Desapropriações, remoções e demolições:
soluções muitas vezes controversas adotadas
para viabilizar tais empreendimentos;
- Processo de globalização: redefinição das
funções e a competitividade entre as
cidades, através de ações estratégicas
02-13 imediatistas e do uso de marketing.
OBJETIVO
- Promover uma discussão sobre a
implantação do Corredor Expresso
Transcarioca (Barra da Tijuca ao Aeroporto
Galeão), Rio de Janeiro - corta diversos
bairros suburbanos ampliando várias vias do
tecido urbano consolidado, bem como
retificando parte do traçado existente;
- A exclusão urbana como consequência
imediata: significativo número de
intervenções; remoção de comunidades
inteiras fortalecendo o crescimento desigual;
TEMA
- Remoções de comunidades e projetos viários
OBJETO
- Remoção da comunidade do Largo do
Campinho em detrimento do Transcarioca,
03-13 na Grande Madureira
METODOLOGIA
- Pesquisa de caráter exploratório: não foram
elaboradas hipóteses, limitando-se a definir
o objetivo e buscar mais informações sobre o
tema do estudo.
- Pesquisa histórica: reconstituição das
demolições no espaço urbano da cidade do
Rio de Janeiro entre os séculos XIX e XX;
- Pesquisa do objeto: dados extraídos de
fontes primárias (jornais, revistas, decretos,
e iconografia);
- Pesquisa documental: análise de
instrumentos utilizados dentro do
planejamento estratégico municipal,
parâmetros urbanísticos estabelecidos no
Plano Diretor em vigor

04-13
A CIDADE DO RIO DE JANEIRO E O
HISTÓRICO DE DEMOLIÇÕES NA
REMODELAÇÃO DO ESPAÇO URBANO
- A discussão em torno da remodelação do
espaço urbano na cidade do Rio de Janeiro é
secular;
- 1874: plano para alargamento e retificação
de ruas, abertura de praças e vias,
drenagem, aterro de áreas pantanosas, rede
de esgotos e água;
- Reforma Passos (1906): abertura e
alargamentos de vias, canalização de rios e o
arrasamento de quarteirões inteiros de
cortiços e casas de cômodos com o propósito
de higienizar a cidade; Consequência:
movimento migratório da população
desabrigada rumo aos subúrbios próximos
05-13 da área central da cidade
- Primeira metade do século XX: evolução do
espaço urbano marcada pelo aumento da
densidade populacional - expansão da malha
urbana em outras direções (Abreu, 1987);
- “Febre viária” (década 1950): expansão da
indústria automobilística e o aumento do
número de veículos individuais (Abreu, 1987)
- prática da “cirurgia urbana”;
- Plano Doxiadis (década 1960): reformulação
das linhas mestras da estrutura urbana da
cidade do Rio de Janeiro, preparando-a para
o crescimento esperado até ao século XXI;
- Linha Lilás (1969): arrasamento de parte do
bairro do Catumbi para dar lugar ao viaduto
do Túnel Santa Bárbara;
- Linha Amarela (1994-97): transformações na
paisagem suburbana. Despejo de famílias em
situação de risco (às margens de avenidas e
06-13 rios).
O CORREDOR EXPRESSO
TRANSCARIOCA E A NOVA ERA DAS
REMOÇÕES
- Campinho – “a construção de um novo
subúrbio”: complexidade na implantação do
traçado do Transcarioca – transtorno, poeira
congestionamentos e desapropriações de
imóveis;
- “Destombamento” e demolição de edifícios
históricos: estalagem no Largo do Campinho
– ruptura na história e na memória coletiva;
- Manifestações: despejo de cerca de cem
famílias residentes na comunidade Vila
Campinho;
- Falta de diálogo entre municipalidade e
moradores – indenizações aquém do
esperado; contrariando Decreto nº 34.522
07-13 de 2011
- Decreto nº 34.522 de 2011: institui diretrizes
para demolição de edificações e relocação de
moradores em assentamentos populares,
participação da comunidade em todas as
etapas do projeto e de escolha entre:
- I- Uma nova moradia no local, previsto no projeto de
urbanização ou em um empreendimento do
Programa MCMV ou similar, de bom padrão
construtivo;
- II- A indenização da benfeitoria;
- III- A compra assistida, que trata da compra de uma
nova moradia, preferencialmente na mesma
comunidade;
- IV- Auxílio financeiro específico para liquidação
antecipada do parcelamento do contrato de compra e
venda de moradia para os casos de relocação de
famílias desabrigadas ou em situação de risco;
- V- Pagamento de aluguel mensal até o
reassentamento definitivo em outra moradia.
08-13
O EMBASAMENTO LEGAL DAS
DEMOLIÇÕES
- Plano de Reestruturação Urbana do
Corredor T5 (Transcarioca): apresentado
pela SMU em 2009,
- Previa urbanização com revisão do traçado
viário e proposta de modificação do meio-
fio, bem como incorporação de ciclovia;
- Contemplava um potencial de oferecer áreas
remanescentes possíveis de
reaproveitamento na remodelação dos
bairros, (praças, equipamentos e habitação);
- Apontava os lotes que possuía maior
interesse para o mercado imobiliário e
indicava os instrumentos para viabilizar a
construção de empreendimentos, bem como
o uso mais indicado para tais áreas
09-13
- A área de Madureira foi apontada como ideal
para a promoção de habitação popular;
- Como forma de incentivar a produção de
habitação de interesse social, o plano
determinava a isenção do pagamento de
contrapartida de Outorga Onerosa do Direito
de Construir e de Operação Interligada;
- I- Outorga Onerosa do Direito de Construir: Trata-se
da cobrança de contrapartida pelo direito de construir
acima do Índice de Aproveitamento do Terreno (IAT)
básico até o limite para fins de outorga onerosa
definido na Área de Especial Interesse Urbano,
respeitado o máximo imposto pelo Plano Diretor;
- II- Outorga Onerosa de Alteração de Uso: Trata-se da
permissão de alteração de uso (comercial, de
serviços, industrial) ou intensidade do uso
(residencial), mediante pagamento de contrapartida;
- III- Operação Interligada: Se refere ao acréscimo de
gabarito mediante pagamento de contrapartida.
10-13
- Plano Diretor - Lei Complementar nº 111 de
2011: estabelece os instrumentos da política
urbana para as áreas de intervenção do
Corredor Expresso Transcarioca, bem como a
definição das Macrozonas de Ocupação na
cidade;
- Grande Madureira: Macrozona de Ocupação
Incentivada - “onde o adensamento
populacional, a intensidade construtiva e o
incremento das atividades econômicas e
equipamentos de grande porte serão
estimulados”;
- O que vem acontecendo está muito distante
deste objetivo: as repercussões dos
megaeventos no gozo do direito à moradia
adequada para todos resultam menos
evidentes, dando lugar a violações
generalizadas dos direitos humanos, do
direito à moradia adequada (Rolnik, 2011).
11-13
CONSIDERAÇÕES FINAIS
- Todos os processos de remodelação
apontados trazem traços de semelhança:
alteração de dinâmicas e fluxos, induções de
deslocamentos populacionais, por
consequência de remoções de grupos e
comunidades menos favorecidas;
- Realização dos megaeventos: tem gerado
transformações profundas na dinâmica
urbana da cidade do Rio de Janeiro, abrindo
novas frentes para expansão imobiliária;
- Violação os direitos dos cidadãos, na
expulsão da população de baixa renda para
localidades distantes de sua origem,
transformando a geografia da pobreza;
- O direito à cidade, à vida urbana
transformada e renovada (Lefebvre, 2001),
12-13 torna-se um sonho distante.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
- ABREU, Mauricio de Almeida. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro:
IPLANRIO/ZAHAR, 1987.
- CANDIDA, Simone. Transcarioca prevê outra ponte estaiada na Barra, além de mergulhões e
viadutos rumo à Zona Norte. Extra. Rio de Janeiro, 18 mar. 2011.
- COMPANS, Rose; VIÑAS, Sérgio Mares. As especificidades dos conflitos envolvendo ocupações
irregulares em áreas consideradas impróprias à urbanização. Revista Rio de Janeiro, n. 16-17,
maio-dez. 2005.
- “Desapropriações no Rio para Copa e Jogos-2016 ignoram lei e cidadãos”, ESPN Brasil, Disponível
em <http://espn.estadao.com.br>
- DOSSIÊ DO COMITÊ POPULAR DA COPA E OLIMPÍADAS DO RIO DE JANEIRO. Megaeventos e
violações dos direitos humanos no Rio de Janeiro, 2012.
- DOSSIÊ DA ARTICULAÇÃO NACIONAL DOS COMITÊS POPULARES DA COPA, MEGAEVENTOS E
VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS NO BRASIL, s/d.
- GRANJA, Patrick. Largo do Campinho resiste às ofensivas da Prefeitura. A Nova Democracia. N. 75.
Rio de Janeiro, mar. 2011.
- LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.
- MAGALHÃES, Luis Ernesto. “Transcarioca atropela memória”. O Globo. Rio de Janeiro, 03 ago.
2010.
- MARTINS, Luís D. Presença de Paulo de Frontin. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1966.
- NASCIMENTO, Christiana. Transcarioca dá origem a novo subúrbio para o Rio. O Dia. Rio de
Janeiro, 27 mar. 2011. p.12 e 13.
- PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO. Plano de
reestruturação urbana do corredor T5. Mimeo. Rio de Janeiro, 2010.
- _______. Decreto nº 34522, de 3 de outubro de 2011. Aprova as diretrizes para a demolição de
edificações e relocação de moradores em assentamentos populares.
- _______. Lei Complementar nº 111, de 1º de fevereiro de 2011. Dispõe sobre a Política Urbana e
Ambiental do Município, institui o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Sustentável do
Município do Rio de Janeiro e dá outras providências.
- ROCHA, Oswaldo Porto. A era das demolições: cidade do Rio de Janeiro: 1870-1920. Contribuição
ao estudo das habitações populares: Rio de Janeiro: 1866-1906/Lia de Aquino Carvalho. – 2.ed. –
Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Dep. Geral de Doc. e Inf. Cultural, Divisão de
Editoração, 1995.
- ROLNIK, Raquel. A questão dos megaeventos é debatida na ONU. Disponível em
https://raquelrolnik.wordpress.com. Acesso em 19 ago. 2015.
- SANTOS, Carlos Nelson Ferreira dos. e VOGEL, Arno. Quando a rua vira casa: A apropriação de
13-13 espaços de uso coletivo em um centro de bairro. 3ª edição. São Paulo: Projeto, 1985.

Você também pode gostar