Você está na página 1de 43

Segurança e Higiene no

Trabalho
conceitos básicos
Conceitos

TRABALHO
Atividade humana voluntária, produtiva de bens ou serviços com
valor económico

SEGURANÇA DO TRABALHO
Ciência que estuda a melhor forma de prevenir os acidentes de
trabalho

HIGIENE DO TRABALHO
Ciência que estuda a melhor forma de prevenir as doenças
profissionais

ACIDENTE DE TRABALHO
Acontecimento imprevisível, no qual ocorre
dano físico e que decorre no horário e local
de trabalho
Conceitos

INCIDENTE
Acontecimento imprevisível, no qual não ocorre dano físico

SAÚDE
É um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não
apenas a ausência de doenças

DOENÇAS PROFISSIONAIS
São aquelas que são adquiridas na
sequência do exercício do trabalho em si.
Doenças do trabalho são aquelas
decorrentes das condições especiais
em que o trabalho é realizado
Direitos e Obrigações

Obrigações Gerais do Empregador

• Assegurar condições de segurança, higiene


e saúde

• Adotar medidas de prevenção face aos riscos


existentes

• Planificar a prevenção na empresa

• Identificar os riscos previsíveis

• Dar prioridade à proteção coletiva

• Assegurar a vigilância da saúde dos trabalhadores


Direitos e Obrigações

Obrigações Gerais do Trabalhador

• Zelar pela sua segurança e saúde e das outras pessoas

• Utilizar máquinas e substâncias perigosas,


segundo as instruções transmitidas

• Cumprir com as regras de segurança, higiene e


saúde no trabalho

• Zelar pela conservação dos equipamentos de


segurança sem os maltratar, modificar ou inutilizar.

• Cumprir os procedimentos de trabalho estabelecidos

• Cooperar para a melhoria do sistema de SHST


Acidentes Trabalho

Os acidentes de trabalho acontecem devido a 2 situações:

1. Atos inseguros: estão relacionados com o comportamento


humano

2. Condições perigosas: estão relacionadas com o estado das


instalações, ferramentas ou equipamentos
Acidentes Trabalho

Atos Inseguros

Imprimir excessos, sobrecargas ou velocidades erradas

Neutralizar, evitar ou inutilizar dispositivos de segurança


Improvisação ou mau emprego de ferramentas

Uso indevido dos equipamento de proteção


Não respeitar os avisos de perigo

Não seguir as instruções operatórias

Não respeitar as condições de movimentação de cargas


Acidentes Trabalho

Condições perigosas

Falta ou mau estado dos equipamentos de proteção

Não proteger áreas limitadas de segurança

Mau estado das ferramentas

Manuseamento deficiente

Mau empilhamento / armazenagem / arrumação


Riscos Profissionais

Risco

É a probabilidade que existe de ocorrer uma lesão. Podem ser:

 Biológicos - vírus, bactérias, parasitas, fungos

 Físicos - ruído, calor, frio

 Químicos - vapores de produtos tóxicos, fumos, poeiras

 Elétricos - quando o trabalho envolve contacto com a eletricidade

 Mecânicos - decorrentes da utilização de máquinas

 Ergonómicos - relacionados com más posturas

 Psicossociais - relacionados com stresse


Riscos Profissionais

Perigo

Situação relacionada com o estado das instalações, ferramentas e


equipamentos, carga de trabalho

 Instalações não protegidas

 Armazenamento perigoso

 Ferramentas em mau estado

 Iluminação deficiente

 Equipamentos e ferramentas fora do sítio


Acidentes Trabalho

Custo dos Acidentes de Trabalho

1. Diretos: salários, indemnizações, gastos com assistência


médica, aumento do custo do seguro

2. Indiretos: tempo perdido pelos colegas e na investigação,


sofrimento do acidentado e da família, perdas por reparações
e por produto defeituoso, não cumprimento dos prazos de
entrega e perdas ao nível da imagem da empresa no
mercado

Custos Diretos
Custos que são facilmente
visíveis

Custos Indiretos
Custos que não são facilmente
visíveis
Acidentes Trabalho

Custo dos Acidentes de Trabalho


Princípios Gerais Prevenção

PRINCÍPIOS GERAIS DE PREVENÇÃO

A prevenção tem como objetivo a adaptação do trabalho ao


Homem e traduz-se em atividades dirigidas pelos princípios da
eliminação do risco, da proteção coletiva, da proteção individual,
da formação e da organização do trabalho.

Aqui se incluem princípios gerais, relativos à prevenção dos riscos


profissionais e à proteção da segurança e da saúde, dos
trabalhadores.
Princípios Gerais Prevenção

Os princípios gerais da prevenção baseiam-se em algumas


regras fundamentais:

a) Evitar os riscos

b) Planificar a prevenção

c) Identificação dos riscos previsíveis com vista à eliminação dos mesmos ou, à
redução dos seus efeitos

d) Fazer a avaliação dos riscos

e) Combater os riscos na origem


Princípios Gerais Prevenção

f) Assegurar, que a exposição a agentes químicos, físicos, biológicos e


psicossociais não constituem risco para a segurança e saúde do trabalhador;

g) Adaptação do trabalho ao homem

h) Adaptação do trabalho ao estado de evolução da técnica

i) Substituição do que é perigoso pelo que é isento de perigo ou menos


perigoso;

j) Dar prioridade às medidas de proteção coletiva

l) Dar instruções adequadas aos trabalhadores


Iluminação

Iluminação natural: A melhor luz é sem dúvida a natural - é


aquela a que o nosso sistema visual melhor se adapta,
aumentando a estimulação sensorial, para além de outras
vantagens. Esta luz penetra através de janelas ou pelo telhado
(formato dente de serra, etc.). Apresenta contudo o inconveniente
de não ser constante. É pois inevitável recorrer à iluminação
artificial nos ambientes de trabalho.

Iluminação artificial: Uma correta iluminação artificial, obriga a


um cálculo que entre em linha de conta com os múltiplos fatores
que a podem influenciar, sob o ponto de vista da quantidade e
qualidade da luz e da energia elétrica a despender.
Ruído

Dá-se o nome de SOM a toda a vibração mecânica que se


propaga num meio elástico, desde que as frequências que a
compõem se encontrem dentro de uma determinada faixa audível
(produzam uma sensação auditiva)

Quando a frequência que a compõe aumenta a ponto de se tornar


incomodativa, dá-se o nome de RUÍDO

O ruído é das formas de poluição mais evidentes no meio


industrial e no ambiente em geral, e pode afetar o homem nos
planos físico, psicológico e social
Ruído

Consequências do ruído

 Lesar órgãos auditivos;

 Perturbar a comunicação;

 Provocar irritação;

 Provocar fadiga;

 Diminuir o rendimento do trabalho;


Equipamentos Proteção

Equipamentos
de Coletiva
Individual
Proteção
Equipamentos Proteção

Proteção Coletiva
Consiste numa ação estabelecida ao nível da fonte do risco
(componentes materiais de trabalho e meio envolvente) que, como
tal, protege do mesmo toda e qualquer pessoa que esteja exposta.
EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual:

São quaisquer meios ou dispositivos destinados a ser utilizados


por uma pessoa contra possíveis riscos ameaçadores da sua
saúde ou segurança durante o exercício de uma determinada
atividade.
Os EPI’s destinam-se à proteção de locais específicos:

• Mãos
• Pés
• Cabeça
• Corpo
• Etc.
EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual - Mãos

Luvas para trabalhar


Luvas anti calor Luvas anti frio Com produtos químicos

Luvas anti corte Luvas Hidrófugas Luvas de soldadura


EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual – Cabeça, Olhos e


rosto

Máscara de soldar
Óculos de Protecção Viseira

Capacetes auditivos

Tampões ouvidos
Capacetes

Máscara anti poeiras


EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual – Corpo

Colete reflector
Fato de apicultor

Fato de protecção chuva


EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual – Pés e pernas

Bota protecção couro


Bota tipo condutivo
Perneira de segurança

Bota de biqueira de aço Bota de borracha


EPI’s

Equipamentos de Proteção Individual – Outros

Arnês contra quedas

Cinturão de segurança

Protector solar
Ergonomia

Conceito de Ergonomia

”Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o Homem


e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e em particular,
a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e
psicologia na resolução dos problemas surgidos destes
relacionamentos”
(Ergonomics Research Society, Inglaterra)

Estudo da adaptação do trabalho ao Homem


Ergonomia

Biomecânica

A Biomecânica estuda os fatores que:

• Influenciam e controlam o movimento humano


(Movimentos Músculo-esqueléticos);
• Consequências p/ o Corpo Humano;

Áreas de Intervenção (preferenciais):


• Posturas corporais no trabalho;
• Transmissão de movimentos e aplicação de forças;
• Tarefas repetitivas;
• Tarefas de elevação e movimentação de cargas;
Ergonomia

Biomecânica

Posturas Corporais
• Posição de pé;
• Posição sentada;
• Posição deitada;
• Posição mista;

Transmissão de Movimentos e Aplicação de Forças


• Força para empurrar e puxar;
• Alcance vertical;
• Alcance horizontal;
Ergonomia

MANIPULAÇÃO MANUAL DE CARGAS

A movimentação manual de cargas é qualquer uma das seguintes


atividades, executada por um ou diversos trabalhadores: levantar,
agarrar, abaixar, empurrar, puxar, transportar ou deslocar uma
carga.

A movimentação manual de cargas pode causar:

• Danos devidos à deterioração gradual e cumulativa do sistema


músculo-esquelético em resultado de atividades contínuas de
elevação/movimentação, por exemplo, dores lombares;

• Traumatismos agudos, como cortes ou fraturas, devidos a


acidentes
Ergonomia

O QUE TORNA A MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS


PERIGOSA?

- Cargas demasiado pesadas

- Cargas demasiado grandes

- Cargas difíceis de agarrar

- Cargas desequilibradas ou instáveis

- Cargas com forma ou dimensão que limite a visão do trabalhador

- Cargas difíceis de alcançar


Ergonomia

A MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS EM SEGURANÇA,


EXIGE A ADOÇÃO DE POSTURAS CORRETAS
Ergonomia

A MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS EM SEGURANÇA,


EXIGE A ADOÇÃO DE POSTURAS CORRETAS
Ergonomia

A MOVIMENTAÇÃO MANUAL DE CARGAS EM SEGURANÇA,


EXIGE A ADOÇÃO DE POSTURAS CORRETAS
Ergonomia

Trabalho Muscular

Trabalho Muscular Estático

• Exige contração contínua de alguns músculos, de modo


a manter determinada posição/postura;
• É altamente fatigante para o Corpo Humano;
• Posição de pé – exige maior esforço nos músculos
dorsais e nas pernas;
• Cabeça inclinada para a frente – exige maior esforço
nos músculos dos ombros e do pescoço;
• Medidas – mudança de postura, definição de pausas de
pequena duração, apoios para partes do corpo;
Ergonomia

Trabalho Muscular

Trabalho Muscular Dinâmico

• Permite a contração e o relaxamento alternado dos


músculos;

• É menos fatigante para o Corpo Humano, exceto as


situações em que exista uma repetição excessiva de
um determinado movimento;

• Exemplos – tarefas de martelar, de serrar, manobrar um


volante, de caminhar, etc.;
Ergonomia

Postura de Força – Sentado

Procedimentos a considerar:

• o tronco, a cabeça e os membros devem estar numa posição


natural e relaxada, devendo ser evitada a cifose da coluna
lombar;

• as frequentes alterações de posição, são importantes na


prevenção da fadiga;

• a superfície de apoio deve ser ampla, para que seja mínima a


pressão por unidade de superfície;
Ergonomia

Postura de Força – Sentado

Procedimentos a considerar:
• a altura do assento deve ser ligeiramente inferior ao
comprimento da perna, estando o pé completamente apoiado
no solo e o joelho fletido num ângulo reto; a profundidade do
assento deve ser tal, que o seu bordo não exerça pressão
contra a parte posterior do joelho;

• as cadeiras devem ter um encosto que proporcione um apoio


à região lombar, permitindo o relaxamento da musculatura
lombar;

• a mesa de trabalho deve estar ao nível dos cotovelos do


indivíduo quando está direito, sentado e com os ombros
descontraídos. A altura do plano de trabalho, varia de acordo
com a pressão que precisa de ser exercida.
Ergonomia

Exercícios Práticos
Ergonomia

Exercícios Práticos
Ergonomia

Exercícios Práticos

• Respire profundamente para relaxar os músculos;

• Proporcione massagens nas mãos e nos dedos para


manter as mãos quentes e reduzir a rigidez e contrações
nos dedos;

• Cruzar as mãos atrás da cabeça e esticar os braços


para trás enquanto respira profundamente é um bom
exercício;

• Encolher os ombros ajudará a reduzir a tensão e a


rigidez da parte superior das costas e do pescoço. Para
isso, levante os ombros e na continuação relaxe-os.
Ergonomia

Exercícios Práticos

Para descansar os olhos:

• Pestanejar ajuda a manter os olhos lubrificados;

• Trocar o foco dos olhos é aconselhável para relaxar os


músculos oculares. Para isso pode-se focar a ponta dos
dedos com o braço estendido para frente, depois olhar
para um ponto distante. Voltar a olhar para a ponta dos
dedos;

• Usar também a palma das mãos para aliviar a fadiga


ocular cobrindo os olhos com a palma da mão e
respirando profundamente.
FIM

Você também pode gostar