Você está na página 1de 25

UNIDADE II – PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

Prof. ELIAS CRUZ


Princípios Orçamentários:

Unidade

•No princípio da unidade, “as parcelas devem constar de um


único documento representativo dos recursos financeiros do
Estado e das autorizações para a aplicação, isto é, da receita
e da despesa. Desse confronto se verifica a situação do
equilíbrio “superávit” e “déficit” de previsão” (Maria Lúcia
Baena Machado Silva, apud. Aloe, 1979, p. 46).

•Os orçamentos, fiscal e o da seguridade social,


compatibilizados com o plano plurianual, terão entre suas
funções a de reduzir desigualdades inter-regionais, segundo
critério populacional, conforme §7º, art. 165 da CF/88.
Princípios Orçamentários:

Universalidade

•“a universalidade consiste em classificar e


descrever, individualmente, todas as receitas em
uma tabela geral, cuja soma forma um total único
da renda pública orçada; e o mesmo processo em
relação à despesa, com exclusão completa de
contas à parte, de orçamentos parciais ao lado do
orçamento geral (apud. Deodato, 1976, p. 294).”
Princípios Orçamentários:

Anualidade

•O Princípio da ANUALIDADE ou PERIODICIDADE,


preceitua que o orçamento deve ser elaborado para
ser executado em período de tempo, pré-
estabelecido, que de acordo com o art. 34, da Lei nº
4320/64:
“O exercício financeiro coincidirá com o ano civil.”
• Entretanto, veremos no capítulo dos Créditos
Adicionais, que o saldo de alguns deles poderão ser
transportados para o exercício subsequente.
Princípios Orçamentários:

ORÇAMENTO BRUTO

•“Todas as receitas e despesas constarão da Lei


de Orçamento pelos seus totais, vedadas
quaisquer deduções.” (Art. 6, da Lei n. 4320/64).
Receita R$ Despesa R$

(1)
ICMS 1.000.000,00 Transferência aos Municípios (art. 158, III, 250.000,00
CF)
Princípios Orçamentários:

EXCLUSIVIDADE

O § 8º, do art. 165, da Constituição da República


Federativa do Brasil, de 1988, estabelece que a
LOA não conterá dispositivo estranho à previsão
da receita e à fixação da despesa, não se
incluindo na proibição:
- a autorização para abertura de créditos
suplementares e
- a contratação de operações de crédito, inclusive
por antecipação de receita orçamentária (ARO).
Princípios Orçamentários:

PRINCÍPIO DA NÃO AFETAÇÃO DA


RECEITA (DE IMPOSTOS)
É VEDADA
“IV - a vinculação de receita de impostos a órgão, fundo ou
despesa, ressalvadas a repartição do produto da
arrecadação dos impostos a que se referem os arts. 158 e
159, a destinação de recursos para as ações e serviços
públicos de saúde, para manutenção e desenvolvimento
do ensino e para realização de atividades da
administração tributária, como determinado,
respectivamente, pelos arts. 198, § 2º, 212 e 37, XXII, e a
prestação de garantias às operações de crédito por
antecipação de receita, previstas no art. 165, § 8º, bem
como o disposto no § 4º deste artigo;”
Figura extraída do Curso de Direito Tributário do Prof. Claudio Borba – Rio de Janeiro
LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 – institui o

CÓDIGO DE TRANSITO BRASILEIRO


Art. 120. Todo veículo automotor, elétrico, articulado, reboque ou semi-reboque,
deve ser registrado perante o órgão executivo de trânsito do Estado ou do Distrito
Federal, no Município de domicílio ou residência de seu proprietário, na forma da
lei.
Art. 123. Será obrigatória a expedição de novo Certificado de Registro de Veículo
quando:[...]
II - o proprietário mudar o Município de domicílio ou residência;[...]
§ 2º No caso de transferência de domicílio ou residência no mesmo Município, o
proprietário comunicará o novo endereço num prazo de trinta dias e aguardará o
novo licenciamento para alterar o Certificado de Licenciamento Anual.
Princípios Orçamentários:

EQUILÍBRIO
“A concepção comum de um orçamento equilibrado é
de que, durante determinado prazo, a renda deve ser
superior à despesa ou que, pelo menos, não lhe deve
ser inferior.
(...) O equilíbrio orçamentário nestas bases é
considerado muitas vezes não apenas como preceito
indiscutível de finanças, mas também como preceito
moral (1970, p. 255).”
Princípios Orçamentários:

PRINCÍPIO ORÇAMENTÁRIO DA
ESPECIFICAÇÃO OU ESPECIALIZAÇÃO
“Art. 5º A Lei de Orçamento não consignará dotações
globais destinadas a atender indiferentemente a
despesas de pessoal, material, serviços de terceiros,
transferências ou quaisquer outras, ressalvado o
disposto no artigo 20 e seu parágrafo único...
Art. 15. Na Lei de Orçamento a discriminação da
despesa far-se-á no mínimo por elementos.
Princípios Orçamentários:

LEGALIDADE

O art. 165, da Magna Carta, estabelece que Leis de


iniciativa do Poder Executivo estabelecerão:
- Plano Plurianual (PPA)
- Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
-Lei Orçamentária Anual (LOA)

(Lei formal e não material)


Princípios Orçamentários:

PUBLICIDADE

“A administração pública direta e indireta de qualquer


dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e
eficiência e, também...: “ (art. 37, CF/88)
Princípios Orçamentários:

CLAREZA

O orçamento deve evidenciar, de forma a mais nítida


possível, os seus quadros e planejamentos, para que
todos possam entender o que o Estado pretende no
cumprimento de seus objetivos. Todavia, o Estado não
pode desconsiderar as exigências das técnicas
orçamentárias, o que torna o orçamento, pouco
compreensível para toda a sociedade.
Princípios Orçamentários:

UNIFORMIDADE

Também denominado Consistência, o Orçamento


precisa conservar estrutura uniforme até para que
possa ser executado de maneira correta, analisado e
por fim comparado entre exercícios, corrigindo os
eventuais problemas, bem como pode ser E DEVE
SER UTILIZADO COMO INSPIRAÇÃO na elaboração
dos instrumentos de planejamento do exercício
subsequente. Por isso é fundamental a
homogeneidade nos vários exercícios.
Princípios Orçamentários:

PRECEDÊNCIA
Para alguns autores existem ainda, o denominado
princípios da precedência que pode ser conjugado com o
Princípio da Anualidade, pois há a necessidade da
votação e aprovação prévia das Leis Orçamentárias
(PPA, LDO e LOA) nos prazos legais previstos.
Portanto, a não aprovação de tais Leis, no prazo previsto,
poderá resultar no interrompimento da prestação de
serviços essenciais, já que se tratam de instrumentos
autorizativos da despesa, sendo assim a Doutrina já
aponta para o entendimento de que tais leis são de
iniciativa vinculada, ou seja, o Poder Executivo deve fazer
o encaminhamento de tais propostas.
Princípios Orçamentários:

PRECEDÊNCIA (continuação)
E se não forem aprovadas?
- fica automaticamente considerada como proposta a lei
anterior se o Poder Legislativo não receber a proposta de
orçamento no prazo fixado;
- convocação extraordinária do Poder Legislativo por se
tratar de matéria cuja votação deve ser efetuada antes do
início do exercício;
-se o Poder Legislativo não aprovar a proposta antes do
início do exercício, o Poder Executivo realizará suas
despesas com base nos duodécimos do valor estimado.
-NÃO ESQUECER: TOMADA DE CONTAS
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. (Auditor Subs. Cons. TCE-AM 2015, FCC) A atividade


orçamentária deve ser desenvolvida com observância de vários
princípios, alguns insculpidos na própria Constituição Federal, e
outros na legislação infraconstitucional.
Nesse sentido, o princípio que é mencionado expressamente no
texto da Lei Federal no 4.320/1964 e que visa impedir a
coexistência de orçamentos paralelos, que determina que só haja
uma peça orçamentária, materializada em um único documento,
por meio do qual se apresente uma visão de conjunto das receitas
e das despesas de cada um dos entes federados (União, Estados e
Municípios) é denominado princípio
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

(A) da completude orçamentária.


(B) do orçamento bruto.
(C) do caixa único.
(D) da legalidade.
(E) da unidade.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

(Auditor Subs. Cons. TCE.RJ 2015, FCC) A Lei Federal no 4.320/1964,


em seus arts. 2o, caput, 3o e 4o estabelece:
“Art. 2o − A Lei do Orçamento conterá a discriminação da receita e
despesa de forma a evidenciar a política econômica financeira e o
programa de trabalho do Governo, obedecidos os princípios...Art. 3o − A
Lei de Orçamentos compreenderá todas as receitas, inclusive as de
operações de crédito autorizadas em lei.
Parágrafo único. Não se consideram para os fins deste artigo as
operações de crédito por antecipação da receita, as emissões de papel-
moeda e outras entradas compensatórias, no ativo e passivo financeiros.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Art. 4o − A Lei de Orçamento compreenderá todas as despesas próprias dos


órgãos do Governo e da administração centralizada, ou que, por intermédio
deles se devam realizar, observado o disposto no artigo 2o.”
Essas regras materializam o princípio orçamentário conhecido como princípio da
(A) programação.
(B) universalidade.
(C) flexibilidade.
(D) uniformidade.
(E) exatidão.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

3. (Auditor Subs. Cons. TCE.RJ 2015, FCC) A Constituição Federal, no § 8o de


seu art. 165, estabelece: “Art. 165 − ... § 8o − A lei orçamentária anual não conterá
dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo
na proibição a autorização para abertura de créditos suplementares e contratação
de operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei.”
A vedação constitucional que impede que a lei orçamentária anual contenha
dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa materializa o
princípio denominado
(A) da transparência. (B) da clareza.
(C) da não vinculação ou não afetação de receitas.
(D) do equilíbrio. (E) da exclusividade.
ESTUDO DE CASO
(TCE-GO/2014 - FCC - adaptada por Elias C. Silva) Uma das atribuições para o
cargo de Analista de Controle Externo - especialidade Contabilidade é a prestação
de assistência em assuntos de natureza contábil e orçamentária. Durante um
desses trabalhos para fiscalizar as contas do Governador, do exercício de 2013,
coube ao servidor a análise do planejamento, aprovação e execução da lei
orçamentária anual - LOA, tendo sido verificado os seguintes fatos:
a) a LOA foi aprovada por lei formal, salvo no que diz respeito às suas alterações
por créditos adicionais suplementares, especiais e extraordinários, que foram
autorizados e abertos por decreto executivo, com posterior e imediata comunicação
ao Legislativo;
b) buscando a melhor execução e administração dos recursos, foi feito um
orçamento separado e independente para cada um dos Poderes Executivo,
Judiciário e Legislativo;
ESTUDO DE CASO
c) além do total da despesa orçamentária fixada não ter ultrapassado o da
receita orçamentária prevista, o planejamento buscou a prevenção de riscos
capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas;
d) a peça orçamentária previu apenas receitas e despesas referentes ao
exercício financeiro orçamentário, ou seja, de 1º de janeiro a 31 de dezembro;
e) para viabilizar o cumprimento das metas governamentais, a LOA conteve
dispositivo que vinculou a receita de impostos para a realização de atividades da
administração tributária.
Com base nessas informações, identifique a qual princípio orçamentário está
relacionado cada um desses fatos e, de forma justificada, explique se foram ou
não atendidos.
UNIDADE II – PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

Prof. ELIAS CRUZ

Você também pode gostar